Você está na página 1de 61

INDÚSTRIA DO PLÁSTICO E DA

BORRACHA

Discentes: Bárbara Schiavon Beline, Brenda Tararan, Fransciny Costa Alves, Larissa Susuki,
Ramon Bocker, Stéfany Moreira
Ano/Turma: 3º ano/Química
Disciplina: Processos Químicos Industriais
Docente: Silvânia Moreschi
PLÁSTICOS
HISTÓRIA
Figura 1: Baekeland
• Embora o plástico já seja conhecido há 100 anos,
sua indústria apenas se desenvolveu no século XX
quando Baekeland desenvolveu o controle científico
de resinas e fabricando-as.
• Primeiro plástico industrial: nitrato de celulosa.

ATUALMENTE:
As matérias-primas básicas e intermediárias
provêm dos Estados Unidos: minas, florestas,
fazendas, pedreiras, etc.. Fonte:
http://www.nydailynews.com/news/justice-
story/kill-shrink-warned-mother-baekeland-
plastics-heir-article-1.1114966
INTRODUÇÃO
❖PLÁSTICO
• Material que contém como ingrediente essencial uma substância orgânica
polimerizada de grande massa molecular;
• Sólida em seu estágio terminal;
• Durante sua etapa de fabricação pode ser moldada. Figura 2: Resinas plásticas

❖ Matérias-primas
• Carvão; • Gases;
• Substâncias petroquímicas; • Ar;
• Algodão; • Sal comum; Fonte: http://plasticospimsa.com/

• Madeira; • Água.
INTRODUÇÃO
❖ Os plásticos adaptam-se a vasta ❖ O uso do material numa aplicação
aplicações por conta de: específica depende da:
• sua resistência mecânica; • sua composição;
• resistência à água; • propriedades particulares;
• facilidade de fabricação. • forma do objeto.

❖ Indústrias automobilísticas são ❖ Indústrias elétricas têm valor como


diferentes plásticos com aplicações materiais isolantes sólidos por conta de:
específicas : • propriedades elétricas;
• resistência mecânica; • resistência mecânica.
• resistência aos óleos;
• resistência elétrica
INTRODUÇÃO
CLASSIFICAÇÃO: Termostáveis e termoplásticos, solúveis em óleos e em produtos
proteicos.
Quadro 1. Resumo de propriedades e aplicações de algumas resinas
Tipo da resina Propriedades Aplicações
Silicones Boa estabilidade térmica Lubrificação de moldes,
e antioxidante borrachas, empregos
resistentes à água
Polietileno Excelente resistência Recipientes, isolamento
química e à umidade e de fios e cabos
ao vapor
Acrílicas Boa resistência ao Painéis decorativos e
impacto e à tensão estruturais
Fontes: Modern Plastics Encyclopedia, 1974-1975; Modern Plastics (mensal); Perry.
PROCESSOS DE FABRICAÇÃO DAS RESINAS
• A conversão química da fabricação de resinas é a polimerização, em que as
moléculas simples
reagem e formam
polímeros
pode ocorrer em massa, em solução, em emulsão ou em suspensão

❖ Em massa:
Pode ser efetuada no estado líquido ou gasoso, mas encontra dificuldades na
produção em larga escala por conta do seu baixo rendimento, a não ser que seja
adicionado um catalisador.
PROCESSOS DE FABRICAÇÃO DAS RESINAS

❖ Em solução:
Ocorre num solvente apropriado, sendo que o polímero pode ficar em solução ou
separar-se. A viscosidade aumenta, a remoção do solvente pode provocar dificuldades.
❖ Em suspensão:
O monômero é suspenso por agitação, em água, e adicionam-se estabilizadores para
controlar a suspensão e impedir que os glóbulos do polímero aglutinem uns aos outros.
❖ Em emulsão:
É diferente ao de suspensão. Adiciona-se sabão ao sistema, para estabilizar as
gotículas do monômero e formar miscelas. É rápido e pode ser realizada em temperaturas
baixas.
PRODUTOS DE POLIMERIZAÇÃO POR CONDENSAÇÃO
Durante a condensação, há eliminação de água na reação, que forma a
camada superior de duas fases líquidas.
PRODUTOS DE POLIMERIZAÇÃO POR CONDENSAÇÃO
• As resinas fenólicas constituem um grupo de resinas sintéticas, podem ser feitas de
qualquer composto fenólico e de um aldeído.
• O produto obtido depende: • da concentração;
• dos catalisadores;
• da temperatura;
• do tempo de reação.
• A reação inicial entre o fenol e cresóis com o aldeído fórmico, usando catalisador
alcalino, forma álcoois benzílicos.
• Ao mesmo tempo, há reação adicional ao aldeído fórmico, formando di e
trimetilolfenóis. Tais álcoois continuam a se condensar e a se polimerizar uns com
os outros.
POLIMERIZAÇÃO POR ADIÇÃO
❖ POLIOLEFINAS:
Primeiro plástico obtido foi o Polietileno;
Maior consumo até os dias atuais.

• Obtenção ICI  Através de altas


pressões e com o eteno de alta pureza.
Catalisadores: oxigênio e peróxidos
• Obtenção de Phillips  Baixa pressão
Catalisadores: derivados de metais
POLIMERIZAÇÃO POR ADIÇÃO

❖ RESINAS VINÍLICAS:
• Acetato de Polivinilo;
• Cloreto de Polivinilo; PVC
• Álcool Polivinílico.

Usados para: revestimento de superfícies, revestimento de papel


calandrado, moldagem por compressão, por injeção, material para folhas
rígidas e fibras têxteis.
POLIMERIZAÇÃO POR ADIÇÃO
❖ RESINAS E PLÁSTICOS ACRÍLICOS
• Produzidas: Síntese de Dow-Badische-Reppe
• Qualidades: São resinas claras, fácil moldagem e de pequeno peso.
• Aplicações: Capotas de cabinas, coberturas de metralhadoras, escudos
anti-jatos e as embarcações
PRODUTOS NATURAIS E SEUS DERIVADOS
❖ DERIVADOS DA CELULOSE
Formação de plásticos resistentes e flexíveis.

❖ NITRATO DE CELULOSE
• Preparado por Bracconot em 1833,
• Produto parcialmente nitrado, para que não fique inflamável,
• Plastificante padrão Canfora,
• Moldados em folhas, bastões, tubos ou fitas.
PRODUTOS NATURAIS E SEUS DERIVADOS
❖ PLÁSTICOS DE ETILCELULOSE
• Propriedades: flexibilidade, resistência em baixa temperatura, ampla faixa
de utilização, estabilidade ao calor, resistência elétrica e plasticidade a
quente.
• Fabricação: Tratando a celulose com solução de hidróxido de sódio 50%
para se obter os éteres;
• Processo de alquilação;
• Podem ser moldados por qualquer processo.
PRODUTOS NATURAIS E SEUS DERIVADOS
❖ PLÁSTICOS DE LIGNINA
Obtenção: através da ação do vapor de água em altas pressões
em materiais de madeira, ativando a Lignina. Processo de cura.

LAMINADOS

• Produzidos a partir de resinas de classe termostável, possuem cargas


fibrosas;
• Retirada das resinas das fibras;
• Polimerização parcial;
• Processo de cura.
INTERMEDIÁRIOS QUÍMICOS PARA RESINAS
Fenol: Processo de Sulfonação
INTERMEDIÁRIOS QUÍMICOS PARA RESINAS

❖ HEXAMETILENOTETRAMINA
• Produzido através da evaporação do aldeído
fórmico e amoníaco.
• Utilizado como: anti-séptico na industria da
borracha, explosivo e na fabricação de resinas de
fenolformaldeído.
• Onde é conhecida como Hexamina.
BORRACHAS
INTRODUÇÃO
HISTÓRIA DA BORRACHA

A borracha é um produto das américas, visto


que esta já era conhecida pelos indígenas
americanos anterior a chegada dos europeus à
América.
Todavia, esse produto encontrou um mercado
muito mais abrangente no Oriente

A flexibilidade de uso da borracha incentivou


diversos países à uma busca por métodos sintéticos
Imagem 3: Extração de látex de
de produzir esse material. seringueira para obtenção da
borracha natural.

Contexto da primeira guerra mundial


INTRODUÇÃO
VULCANIZAÇÃO DA BORRACHA
Processo descoberto por Charles Goodyear, no qual à borracha,
adiciona-se enxofre sob aquecimento e na presença de catalisador

❖No processo, as moléculas de enxofre quebram


as ligações duplas do poli-isopreno e unem as
moléculas desse polímero.

✓ VANTAGENS

• O processo de vulcanização impede que as


moléculas do poli-isopreno deslizem sobre si;
• As pontes de enxofre são responsáveis por
aumentar a dureza e a resistência da borracha.
ECONOMIA
BELLE ÉPOQUE AMAZÔNICA
A flexibilização no uso da borracha estimulou o mercado consumidor de
látex, pois há a possibilidade de produzir produtos mais resistentes

Em um curto período de três décadas, entre


1830 e 1860, houve um crescimento exponencial
na exportação do látex amazônico.

De 156 para 2673 toneladas

Até hoje, a borracha constitui um produto Imagem 4: Escoamento do látex em Belém do


importante para a economia da região norte do Pará

Brasil.
PRODUÇÃO DA BORRACHA
BORRACHA NATURAL
O látex, produto utilizado para a produção de borracha é principalmente
extraído da seringueira, que apresenta um rendimento de 1.680 kg/ha.ano (30
gramas por dia);

1 Realiza-se incisões na árvore, de modo a


acumular o látex em pequenas tigelas;
2
Processo de coagem e adição de um
preservativo ao produto (NH3);
3 Coagulação do látex mediante a adição
de ácidos e sais;
PRODUÇÃO DA BORRACHA
BORRACHA NATURAL

✓ Apresenta uma estrutura molecular mais pesada, e por conta disso tem um
estrutura mais estável
✓ Todavia, o alto peso molecular faz com que ela seja permeável a gases e
pouco resistente ao contato com solventes fortes.
PRODUÇÃO DA BORRACHA
BORRACHA SINTÉTICA

As restrições comerciais decorrente da segunda guerra mundial, levou


os Estados Unidos a investir na busca por uma alternativa para a produção
da borracha natural.

❖ A borracha constitui-se como um polímero, que


basicamente é a união de diversos monômeros.

Os avanços industriais permitiram uma


ampliação dos tipos e propriedades das borrachas
devido a flexibilização e diversidade de monômeros.
PRODUÇÃO DA BORRACHA
BORRACHA SINTÉTICA
PRODUÇÃO DA BORRACHA
MONOMEROS CONSTITUINTES DA BORRACHA

✓ ISOBUTENO - recuperado das frações leves da refinaria, é utilizado na


produção da borracha butílica;
✓ ISOPRENO – Monômero pode ser produzido a partir de três métodos
distintos;
a) Método Goodyear.
b) Isobuteno e o metanol.
c) Acetileno, acetona e amônia.
✓ ETENO E PROPENO – obtido a partir das frações mais leves das
refinarias de petróleo.
PRODUÇÃO DA BORRACHA
POLIMERIZAÇÃO DA BORRACHA SINTÉTICA

O processo de polimerização dos monômeros é relativamente simples de ser


operado quando realizado em pressões controladas.

• Ajustamento da velocidade da reação;


Dissipação de calor da • Uso de refrigeração;
polimerização
• Operações em meios diluídos.

❖Adição de 50 partes de óleo à 100 partes de borracha para melhorar o


processamento de borrachas de alta massa molecular e melhorar a
dureza do produto.
PRODUÇÃO DA BORRACHA
POLIMERIZAÇÃO DA BORRACHA SINTÉTICA

Com o decorrer da polimerização, há uma diminuição na velocidade


da reação e na qualidade do produto.

Recuperação do monômero para interromper a reação

Extração a vapor Destilação de soluções

✓O processo de acabamento consiste em precipitar a borracha com a


adição de um eletrólito e um ácido diluído.
✓A embalagem do produto é feita, normalmente, utilizando-se o polietileno.
PRODUÇÃO DA BORRACHA
COPOLÍMEROS DE BUTADIENO-ESTIRENO

Com o decorrer da polimerização, há uma diminuição na velocidade da reação


e na qualidade do produto.

75% 25% Copolímero elástico

Copolímero mais
50% 50%
plástico
NEOPRENO

• EUA; Imagem 5: Borracha neopreno

• Du Pont;
• Elastômero especialmente versátil, pois
possui uma combinação de propriedades
para ser utilizada em diversas aplicações;
Fonte:
• Bastante resistente. http://www.solucoesindustriaisom.br/e
mpresa/borracha/lt.cc-
borrachas/produtos/borracha/lencol-
de-borracha-neoprene
TIOCOL

Imagem 6: Tiocol

• Estados Unidos em 1920;


• Primeira borracha produzida na América do Norte;
• Os tiocóis são preparados através da
polimerização por condensação de um
polissulfeto alcalino com um dialogeneto
orgânico.
Fonte:
https://www.olx.ro/oferta/tioc
ol-oferta-limitata-
ID5aoVM.html
BORRACHAS DE SILICONE

Imagem 7: Borracha de silicone

• Polímeros mistos, orgânicos e inorgânicos;


• Alto custo;
• Aguenta elevadas temperaturas;
• Útil em fluidos hidráulicos, para a
transferência de calor, lubrificante, graxas
Fonte:
entre outros. http://www.siliarts.com.br/borracha-de-
silicone-1kg-gratis-catalisador-25gr-
p1330
BORRACHA BUTÍLICA

Imagem 8: Borracha butílica


• A produção anual está e volta de 120.000
toneladas;
• A polimerização é feita em solução, em
temperaturas extremamente baixas,
seguida pela precipitação da borracha pela
adição de água;
Fonte:
• Inerte a oxidação; https://www.nitto.com/br/pt/products/group/
e_parts/high_performance/006/

• Usada como vedação contra chuva.


BORRACHA DE URETANA

• Resistencia a abrasão e são uteis em altas Imagem 9: Borracha uretana

temperaturas;
• Também útil em serviços com altas
concentrações de ozônio, oxigênio;
• Essa borracha se torna importante, pois
produz uma espuma flexível e fibras elásticas;
Fonte:
• Usada em estofados, travesseiros, https://portuguese.alibaba.com/product-
detail/top-performance-urethane-natural-
amortecedores e etc. liquid-silicone-windscreen-rubber-for-
sale-60647521229.html
HYPALON

Imagem 10: Folha de hypalon

• É produzida na reação do cloro e cloreto


de sulfonila sobre o polietileno;
• Muito resistente ao ataque de ozônio, ao
intemperismo, ao calor e tem uma ótima
resistência química.
Fonte: https://pt.made-in-
china.com/co_bestrubber/product_Hypal
on-Rubber-Sheet-Hypalon-Sheets-
Hypalon-Sheeting-for-Industrial-Seal-
3A5006-_heogyyyhy.html
BORRACHAS ESTEREOESPECÍFICAS
• Síntese da borracha natural;
• A borracha de polisopreno tem propriedades
idênticas ao da borracha natural; Imagem 11: Borracha natural sintética

• Pode substituir a borracha natural e todos os


seus usos;
• Mais limpa;
• Qualidade melhor; Fonte:
http://www.crq4.org.br/quimicaviva_borrachas
• Produção anual por volta de 500.000
toneladas.
INDÚSTRIA DA BORRACHA
POLÍMEROS DE ETENO-PROPENO E TRIPOLÍMEROS (EPR E EPT)

● Obtidos pelo craqueamento do propano ou por frações leves das refinarias de


petróleo;

● Eteno e propeno têm sido uma boa escolha no setor da borracha por conta do
baixo custo de obtenção e possuírem resultados favoráveis nas borrachas
produzidas a partir de suas substâncias;

● Não são monômeros estereorregulares, mas podem ser produzidos em


soluções, usando catalisadores semelhantes à eles.
INDÚSTRIA DA BORRACHA
POLÍMEROS DE ETENO-PROPENO E TRIPOLÍMEROS (EPR E EPT)

• Não possuem insaturações suficiente para que ocorra a vulcanização


convencional (enxofre), sendo necessário aduzir um terceiro monômero a
cadeia.

Propeno
INDÚSTRIA DA BORRACHA
POLÍMEROS DE ETENO-PROPENO E TRIPOLÍMEROS (EPR E EPT)

● Os monômeros que podem ser acrescentados, por exemplo, são:


INDÚSTRIA DA BORRACHA
POLÍMEROS DE ETENO-PROPENO E TRIPOLÍMEROS (EPR E EPT)

● Borrachas produzidas a partir desses polímeros, são chamadas


de EPT (etilenopropileno tripolímeros) e podem trazer
progressos à indústria da borracha, pois suas indicações são
cuidadosas quando se trata do revestimento de cabos e fios,
por exemplo;

● Essas borrachas podem se tornar concorrentes da borracha


SBR, para pneumáticos.
INDÚSTRIA DA BORRACHA
POLÍMEROS DE ETENO-PROPENO E TRIPOLÍMEROS (EPR E EPT)
INDÚSTRIA DA BORRACHA
REAGENTES NO PROCESSAMENTO DA BORRACHA

✓ A indústria da borracha utiliza reagentes em seu processamento para:

1. Modificar os elastômeros básicos;

2. Atribuir qualidades melhoradas aos artefatos acabados;

✓ 232 milhões de libras anualmente

23 milhões de dólares
INDÚSTRIA DA BORRACHA
REAGENTES NO PROCESSAMENTO DA BORRACHA

✓ Principais reagentes e substâncias usadas nas formulações das borrachas:

1. Agentes de vulcanização/cura; 6. Pigmentos;


2. Aceleradores de vulcanização; 7. Amolecedores e
3. Ativadores de aceleradores; impregnadores;
4. Retardadores; 8. Ceras;
5. Retardadores de 9. Plastificantes químicos;
envelhecimento/antioxidantes 10. Peptizantes.
INDÚSTRIA DA BORRACHA
FABRICAÇÃO DA BORRACHA

✓ Borracha pura NÃO TEM UTILIDADE;


✓ As propriedades desejáveis são dadas pelo formulador da borracha

Ingrediente Partes Ingrediente Partes


Borracha 100,0 Carga ou pigmento 50,0
Enxofre 2,0 Borracha recuperada,
Óxido de zinco 5,0 amolecedores,
impregnadores, Conforme queira
Ácido esteárico 3,0
corantes etc.
Acelerador 1,5
INDÚSTRIA DA BORRACHA
FABRICAÇÃO DA BORRACHA

✓ Principais fases do processo da fabricação da borracha:

1. Extração do latéx

• Extraído de seringueiras;
• Sangria;
• Forma de escama;
• Coletado em pequenas
tigelas.
INDÚSTRIA DA BORRACHA
FABRICAÇÃO DA BORRACHA
2. Mistura

• Misturadores abertos;
• Misturadores internos;
• Misturadora contínua em
extrusoras com fuso simples;
• Misturadora em extrusoras
com fusos germinados.
INDÚSTRIA DA BORRACHA
FABRICAÇÃO DA BORRACHA
3. Calandragem

• Processo de transformação;
• Material passa por dois rolos
contra-rolantes;
• Produzindo o filme calandrado e a
chapa calandrada.
• Ex: Fita veda rosa
INDÚSTRIA DA BORRACHA
FABRICAÇÃO DA BORRACHA
4. Pré-Formação

• Visa obter pré-formas de


compostos da borracha;
• Qualquer tipo de operação
que contribua para aproximar
a forma final do artefato.
INDÚSTRIA DA BORRACHA
FABRICAÇÃO DA BORRACHA
5. Extrusão

• Forçamento da passagem de um
composto de borracha através de
uma fieira;
• Obtém-se uma tira de material
cuja secção é, muito
aproximadamente, a configuração
do orifício da fieira;
• Extrusoras de embolo;
• Extrusoras de parafuso.
INDÚSTRIA DA BORRACHA
FABRICAÇÃO DA BORRACHA
6. Moldagem

✓ Moldagem por vácuo;


✓ Moldagem por sopro;
✓ Moldagem por vazamento;
✓ Moldagem por mergulho.
INDÚSTRIA DA BORRACHA
FABRICAÇÃO DA BORRACHA
7. Endução
INDÚSTRIA DA BORRACHA
FABRICAÇÃO DA BORRACHA
8. Vulcanização

• Adição de enxofre sob aquecimento;


• Quanto mais enxofre mais dura é a
borracha;
• Atribui a borracha características
elásticas, maior força, resistência;
INDÚSTRIA DA BORRACHA
COMPOSTOS DE LÁTEX

✓ LÁTICES CONCENTRADOS
• Borracha como líquido que pode ser espalhado, pintado,
ou revestido a mergulhamento, ou batido em espuma.
✓ VULCANIZAÇÃO
• Suspensão dos ingredientes apropriados;
• Reforçamento
✓ Aumento do uso do latéx
• Desvio do comércio de colchões, travesseiros e
estofados para as borrachas de poliuretanos e
poliéteres.
INDÚSTRIA DA BORRACHA
BORRACHA RECUPERADA

● Produzida através de artefatos de mesma composição, porém estragados;


● É limitadamente despolimerizada, contendo uma alta porcentagem de negro-
de-fumo, óleos solventes e cinzas em sua composição;
● Possui características desejáveis de processamento nas quais participa, não
sendo apenas um material de sucata de baixo custo.

EUA: usam-se, aproximadamente, 197.000 ton/ano deste tipo de


borracha, correspondendo à 5% em novos produtos.
INDÚSTRIA DA BORRACHA
BORRACHA RECUPERADA

Pneu de borracha recuperada


para sola de sapato
INDÚSTRIA DA BORRACHA
BORRACHA RECUPERADA
Obtenção:

MÉTODOS MECÂNICOS MÉTODOS DE


MÉTODOS QUÍMICOS
SOLUBILIZAÇÃO

MOAGEM DE ARTEFATOS

BORRACHA TECIDOS METAIS E OUTROS


INDÚSTRIA DA BORRACHA
DERIVADOS DA BORRACHA

● A borracha, especialmente a borracha


natural, tem sido utilizada como matéria-
prima nas reações químicas com objetivo
de originar outros derivados;
● Por ser um matéria de orçamento oneroso,
a tecnologia dos plásticos está
desprendendo-se destas substâncias à
base de borracha.
INDÚSTRIA DA BORRACHA
BORRACHA RECUPERADA

Cloreto de borracha:

● Forte;
● Inodoro;
● Transparente;
● Forma excelentes películas finas;
● Insípido.

Está sendo dispensado e substituído pelo emprego de


PVC, do polipropileno, do polietileno e dos plásticos mais
modernos.
INDÚSTRIA DA BORRACHA
DERIVADOS DE BORRACHA

Outros exemplos:

• Carpete de carros;
• Pneus;
• Borracha escolar;
• Etc.
INDÚSTRIA DA BORRACHA
• SHREVE, R. Norris; BRINK JUNIOR, Josheph A.. Indústria de Processos Químicos. 4. ed. Rio de Janeiro: Ltc, 1997. 717
p.
• Disponível em: <http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/quimica/vulcanizacao-borracha.htm>. Acessado em 16 de novembro
de 2017.
• Disponível em: <http://pportalparamazonia.blogspot.com.br/2016/01/a-belle-epoque-na-regiao-
amazonica.htmlhttp://www.gestaonocampo.com.br/biblioteca/a-transformacao-do-latex/>. Acessado em 16 de novembro de
2017.
• Disponível em: http://www.petrobras.com.br/fatos-e-dados/conheca-os-derivados-do-petroleo-que-fazem-parte-do-
cotidiano.htm
• Disponível em: http://manualdaquimica.uol.com.br/quimica-organica/o-que-sao-os-polimeros.htm
• Disponível em: https://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20100222202644AAstQMf
• Disponível em: https://www.europages.pt/empresas/derivados%20da%20borracha.html
• Disponível em: https://hypescience.com/produtos-derivados-do-petroleo/
• Disponível em: https://www.dino.com.br/releases/impermeabilizacao-com-sistema-tri-polimero-e-realizada-com-exito-no-
aeroporto-galeao-dino89088361131
• Disponível em: http://www.crq4.org.br/quimicaviva_borrachas
• Disponível em: http://www.ebah.com.br/content/ABAAAAY8AAC/processos-borracha
• Disponível em: http://www.tudosobreplasticos.com/processo/calandragem.asp
• Disponível em: http://www.ebah.com.br/content/ABAAAAY8AAC/processos-borracha
• Disponível em: http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/quimica/vulcanizacao-borracha.htm