Você está na página 1de 35

Proced. N.

º
PROCEDIMENTO DE ADEQUAÇÃO DO OP - 4002
PROJETO PARA FABRICAÇÃO
Página 1 de 35

Revisão Data Descrição das alterações Elaborador Aprovador


0 07/04/08 Emitido A.J.R F.F
1 14/04/08 Geral A.J.R F.F
2 06/05/08 Geral A.J.R F.F
3 16/06/08 Revisão no item 3.5 A.J.R F.F
4 26/05/12 Geral M.C. F.F
5 08/05/15 Geral N.R.C F.F
6 03/02/16 Revisão item N.R.C F.F

1- OBJETIVO:
Complementar as propostas consolidadas, a fim de que a fábrica execute projetos conforme maquinas
CNC, serviços e padrões previstos na fase orçamentária. Isto de modo que a produtividade e os prazos
sejam como planejados.

2- NORMAS APLICÁVEIS:
FAM- OP – 4000 Procedimento de Detalhamento.
ABNT– NBR – 5884 – Perfil Soldado - Revisão 2013.
ABNT– NBR – 8800:2008
AISC– Steel Construction Manual – Fourteenth Edition.
AWS– Manual de Soldagem D.1.1/2010.

3- DEFINIÇÕES:

3.1- Escolha e aprovação das ligações:


Quando as ligações ainda não tiverem sido calculadas na época da contratação, deverão ser concebidas
conforme o presente procedimento e escopo de fornecimento indicado na proposta consolidada.
Quando as ligações já estiverem prontas, em desacordo com a proposta consolidada, e o presente
procedimento, serão modificadas.

3.2- Caso o cálculo seja do cliente, este poderá enviar os esforços nas ligações conforme item
3.2.1, ou utilizar os critérios do item 3.2.2, caso aprovados por seu calculista:

3.2.1- Esforços nas ligações:


- Ligações rotuladas de vigas - fornecer o maior esforço cortante por tipo de perfil, por área da obra.
- Ligações de barras axialmente solicitadas - fornecer os maiores esforços de tração e compressão por
tipo de perfil, por área da obra.
- Ligações engastadas - fornecer o esforço axial, momento fletor e cortante, que resultem nas maiores
tensões de compressão e tração, sempre por tipo de perfil, por área da obra.

3.2.2- Critérios para cálculo das ligações:


- Ligações rotuladas de vigas- 50% da resistência da alma para esforços cortantes.
- Ligações de barras axialmente solicitadas:
Cantoneiras, 75% da resistência do escoamento da secção bruta à tração.
Perfil “I”, 75% da resistência do escoamento da alma à tração.
Tubo, 50% da resistência do escoamento da secção bruta à tração.
- Ligações engastadas- 75% Wx x Fy para momento, 50% da resistência da alma para esforços
Proced. N.º
PROCEDIMENTO DE ADEQUAÇÃO DO OP - 4002
PROJETO PARA FABRICAÇÃO
Página 2 de 35

cortantes, e 10% da área da seção bruta do perfil para cargas axiais.

3.3- Concepção das estruturas:


A concepção planejada pela Fam esta descrita nos itens a seguir. Proporciona uma produção CNC
rápida, precisa e de maior qualidade, garantindo os preços e prazos planejados.
Evita deformações excessivas nas peças, reentrâncias críticas para pintura, serviços manuais sujeitos a
imprevistos, e perdas de aproveitamento nos transportes.
Na montagem, propicia parafusar as vigas principais mesmo engastadas sem que as colunas sejam
tiradas de prumo devido a folga de 10 mm de cada lado dos elementos principais, unidos por talas ou
cantoneiras.
Esta mesma folga de 10 mm entre as vigas secundárias e principais, unidas por cantoneiras, facilita o
giro e montagem das peças, sem necessidade de se soltar e reposicionar as vigas principais.
As ligações parafusadas facilitam futuras manutenções ou ampliações nas estruturas.

3.3.1- Ligações rotuladas:


-Viga com coluna: quando possível, deverão ser calculadas com cantoneiras parafusadas.
O P.T. (ponto de trabalho) dos contraventos verticais, quando possível, deverá ser deslocado de modo
que estes sejam parafusados em chapas soldadas nas colunas.
-Viga com viga: deverão ser calculadas com cantoneiras parafusadas em ambas as extremidades de
modo a se obter economia de peso, e manter a quantidade prevista de vigas avulsas.
Para ligações rotuladas ver figuras 1, 2, 3, 4, 5 e 6.

3.3.2- Secção mínima das vigas de piso:


As vigas de piso deverão ter no mínimo 200 mm de secção, de modo a serem ligadas com cantoneiras
e dois parafusos na mesma linha. Usar por ex. W 250 x 17,9 kg/m.
Quando, por motivo excepcional, existir perfil menor de 200 mm, que não possa ser substituído, este
deverá ter sua ligação com cantoneira desigual parafusada.
Ver figuras 6 e 7.
Para figura 7 deverá ser adotada ligação em Fe chato 2 ½” e não chapa dobrada, sendo que a espessura
deverá ser informada pela FAM.

3.3.3- Ligação engastada viga x flange/alma de coluna:

Utilizar as figuras 8A, 10, 11 e 12 conforme a necessidade.

A construção da ligação soldada na coluna deverá ser o mais curta possível, e efetuada com “toco” de
perfil laminado ou soldado, que devera ser agrupado sem a inclusão de outro tipo de peça.

As talas terão recorte para passagem da chapa de contra vento. Observar sempre a distância de 20 mm
entre o flange do perfil e o início da tala. Usar as distâncias mínimas entre os furos.

Para ligações tipo “end plate” aumentar a espessura da placa e diâmetro dos parafusos quando
necessário, evitando o uso de mísulas e nervuras.

3.3.4- Ligação com esforços superiores a capacidade do perfil inicialmente calculado, ou com
diminuição substancial da área liquida decorrente de furações:

Quando for necessária alteração de seção ou espessura em flanges ou alma de perfil, para suportar os
esforços de uma dada ligação, o perfil inteiro deverá ser alterado. Idem para casos de diminuição
substancial da área liquida em função de furações a serem necessárias para longarinas, terças, etc..
Quando o projeto já estiver pronto, o perfil deverá ser substituído pelo menor possível, que atenda aos
Proced. N.º
PROCEDIMENTO DE ADEQUAÇÃO DO OP - 4002
PROJETO PARA FABRICAÇÃO
Página 3 de 35

requisitos acima.

3.3.5- Mísulas:
Consideradas somente em tesouras de alma cheia, em pórticos de galpões industriais. Demais perfis
deverão ser previstos com a secção total necessária para seu maior momento fletor, sem o uso de
mísula.

3.3.6- Contra ventos horizontais:


Formados por barras simples ou duplas, unidas através de parafusos em presilhas e chapas de ligação,
de modo a viabilizar a pintura, transporte e velocidade de fabricação. As chapas de ligação deverão ser
parafusadas nas vigas, sempre que possível.
Ver figuras 13 e 14.
Para alternativa em ferro redondo a ser usado em tesouras, pequenas vigas, etc., ver figura 15.
Para as presilhas dos contraventos adotar sempre que possível ferro chato ao invés de chapas, segue
abaixo tabela com os ferros chatos a serem utilizados:

CANTONEIRA PRESILHA (Comprimentos conforme necessidade)


L38 Fe chato 38 x esp. de 4,75 até 16mm
L44 Fe chato 44 x esp. de 4,75 até 16mm
L51 Fe chato 51 x esp. de 4,75 até 16mm
L64 Fe chato 64 x esp. de 6,3 até 16mm
L76 Fe chato 76 x esp. de 6,3 até 16mm
L102 Fe chato 102 x esp. de 6,3 até 16mm
L152 Fe chato 152 x esp. de 6,3 até 16mm
Espessuras de presilhas acima de 16mm deverão ser feitas em chapas.

3.3.7- Contra ventos verticais:


Formados por barras com a concepção idem item anterior, parafusadas em chapas soldadas às colunas.
Ver figuras 2, 4, 5, 10 e 12.
Para presilhas seguir tabela acima do item 3.3.6.

3.3.8- Ligação para viga contínua passando através de outra viga:


Conforme figura 16 (parafusada) e 17 (alternativa soldada).

3.3.9- Terças, longarinas, respectivos suportes, correntes rígidas, flexíveis e diagonais:


a- terças e longarinas- previstas como peças avulsas, com cortes retos nas extremidades.

b- suportes para terças- previstos como peças avulsas, parafusadas conforme figuras 18, 19, 20 e 21
para secções de 127, 150, 200 e 300mm respectivamente. Prever as peças agrupadas em barras de
cantoneira dobrada.
Estes suportes não se aplicam para telhados com grandes inclinações, utilização de telhas de barro ou
canalete.

c- suportes parafusados por cima de longarinas- conjuntos soldados conforme figura 22 para
longarinas de 127, 150, 200 e 300mm respectivamente.

d- suportes parafusados por baixo de longarinas- conjuntos soldados conforme figura 23 (tip).

e- correntes rígidas- conforme figura 24. Cantoneira da extremidade padronizada com 51 x 5mm,
parafusos de ½´´.
Proced. N.º
PROCEDIMENTO DE ADEQUAÇÃO DO OP - 4002
PROJETO PARA FABRICAÇÃO
Página 4 de 35

f- corrente flexível e diagonal- ver figura 25.

Montagem no campo, prevista içando-se módulos pré-montados, formados por varias terças ou
longarinas com respectivos suportes, correntes e diagonais. A conexão dos módulos nas tesouras ou
colunas, será entre os suportes das terças ou longarinas e as tesouras ou colunas.

3.3.10- Conexão das vigas, guarda-corpos e escadas:


As vigas deverão ser projetadas para receber guarda-corpos e escadas através de furos na alma ou na
flange superior, sem necessidade de chapas soldadas.
Os guarda-corpos e escadas é que deverão possuir as ligações necessárias soldadas aos seus montantes.
As escadas 45 graus terão seus montantes com as uniões soldadas, os degraus e montantes dos guarda-
corpos parafusados para efeito de transporte.
As escadas tipo marinheiro serão soldadas, e terão suas proteções parafusadas para efeito de transporte.

3.3.11- Rodapés:
Soldados aos guarda-corpos, grades de piso ou chapas xadrez, não soldar às vigas.

3.3.12- Emendas de colunas, vigas e demais elementos acima de 12 metros:


Através de talas parafusadas em ambos os lados.

3.3.13- Ligações típicas para tesouras:


Deverão ser utilizadas ligações tipo “end plate” na cumeeira. Para emendas dos perfis deverão ser
utilizados tanto talas com “end plate”, dependendo da necessidade.

3.3.14- Apoio de equipamentos ou alargamento de vigas em geral:


Os perfis deverão ser previstos com flanges na largura suficiente, ou com chapas de apoio conforme
figuras 27A e 27B, de modo a não se criar remendos com soldas de penetração total, ou furos sobre
soldas.

3.3.15- Treliças / Tesouras treliçadas:


Quando possível serão evitadas usando-se perfis soldados esbeltos, com alma de espessura mínima = 5
mm.
Quando necessárias, as treliças deverão ser parafusadas.
Seus elementos serão formados por peças avulsas.

3.3.16- Detalhes para apoio de vigas de rolamento:


- grande porte- Para apoio da viga de rolamento e coluneta do telhado, prever perfil soldado no
sentido horizontal. Ver figura 28.
A espessura de cada flange e alma poderá ser alterada no mínimo a cada 8 metros.
- pequeno porte- neste caso, para pontes rolantes até 5 toneladas, prever coluna de mesma secção
desde a base até o apoio da tesoura conforme figura 29.

Evitar soldas de penetração total substituindo-as por penetração parcial sempre que possível.

3.3.17- Colunas treliçadas para edifícios industriais:


Conforme concepção das figuras 30 e 31, parafusadas quando possível.
Ligações a serem calculadas por atrito (ex: colunas dos edifícios industriais da fábrica da Fam em
Jarinú - SP).
Proced. N.º
PROCEDIMENTO DE ADEQUAÇÃO DO OP - 4002
PROJETO PARA FABRICAÇÃO
Página 5 de 35

3.3.18- Vigas de Rolamento:


- para pontes rolantes maiores que 5 toneladas- a serem concebidas conforme figuras 32 e 33,
indicando seus apoios e viga de contenção lateral. Soldas previstas como filete para perfil e nervuras
salvo menção específica. Fixação dos trilhos através de furos nos flanges.
- para pontes rolantes até 5 toneladas- vigas compostas por perfis soldados assimétricos quando
viável, sem contenção lateral, com fixação dos trilhos sem furos nos flanges, através de grampos.
Ver figura 34.

3.3.19- Placas de base:


As placas de base serão dimensionadas de modo a se evitar excesso de nervuras.
Quando necessárias barras de cisalhamento estas serão previstas em perfis “W”.
Evitar o uso de placas de base duplas.
Para arruelas estruturais sempre que possível utilizar arruelas quadradas em ferros chatos com
espessura máxima de 16mm, conforme tabela abaixo:

Diâmetro do Ferro chato Espessura


Chumbador Mínima(mm)
Ø ¾” 51 6,3
Ø 7/8” 64 8,0
Ø 1” 76 9,5
Ø 1 ¼” 76 12,5
Ø 1 ½” 89 12,5
Ø 1 ¾” 102 16

Nota: Arruelas com espessura acima de 16mm deverão ser detalhadas em chapas e não ferros chatos.

3.3.20- Chumbadores:
Previstos em aço SAE-1010/1020 conforme figura 37, com arruela quadrada e porca na extremidade
ligada ao concreto.

3.3.21- Ferro redondo para apoio de tubulação em pipe racks:


Ferro redondo de 19mm soldado sobre a flange da viga por meio de solda intermitente de 50mm a cada
300mm.

3.3.22- Conectores:
Esta prevista quando necessária, substituição de peças soldadas da forma convencional por stud bolts
com proteção cerâmica de modo que a instalação seja executada na obra, sempre após a montagem das
peças.

3.3.23- Chapa xadrez:


Projetar nas maiores dimensões possíveis até módulo de 6 m por 1,18m de largura.
A fixação das chapas de piso esta prevista na obra, através de solda intermitente por cima das placas.
O desenho do alto relevo das chapas deverá ser o mesmo para cada estrutura e respectiva(s) escada(s).

3.3.24- Guarda-corpos:
Para guarda-corpos quando solicitados em tubos e os arremates sejam em curvas e não 45º, deverá ser
utilizado curvas comerciais de 90º em guarda-corpos retos e inclinados. A solda entre as curvas e o
tubo deverá ser lixada de modo que não existam partes salientes no corrimão do guarda-corpo.
Proced. N.º
PROCEDIMENTO DE ADEQUAÇÃO DO OP - 4002
PROJETO PARA FABRICAÇÃO
Página 6 de 35

3.3.25- Construções especiais habitualmente não previstas:


Salvo menção contrária na proposta consolidada, não é previsto o fornecimento do seguinte tipo de
peças ou serviços:
a- perfis estruturais tubulares (exceto guarda-corpos),
b- perfis tipo caixão soldado ou dobrado,
c- perfis “U” soldados entre as abas e alma,
d- perfis soldados diferentes de “I” ou “H”, ou ainda, assimétricos.
e- perfis soldados ou laminados tipo ``T´´.
f- vedações com massas, silicones ou solda corrida,
g- fornecimento de arabescos, peças decorativas, pinos, travas, serviços de mandrilhamento,
frezagem, plaina, tratamento térmico. Pinos, conectores, suportes e furações para fire-proofing
e instalações diversas.

3.3.26- Mix de peças soldadas:


Não é prevista a concepção de peças soldadas de fábrica, agrupando-se elementos distintos como por
ex:
- Vigas incluindo pedaços de coluna formando um único conjunto soldado.
- Pequenas vigas e colunas soldadas formando um único conjunto ou pórtico soldado
- Viga soldada com passarela formando uma única peça.
- Plataformas ou passarelas soldadas formando uma única peça.
- Mão-francesa soldada com coluna formando uma única peça.
- Trilho soldado em viga de rolamento.
Estas e outras situações análogas, deverão ser previstas em elementos distintos a serem parafusados no
canteiro de obras.

3.3.27- Perfis soldados / Açominas, tipos e substituições:


Utilizar sempre perfis soldados com as mesmas larguras de flanges. Quando vantajoso, alterar a
espessura de uma das flanges, porém em toda sua extensão.
Substituir perfis soldados abaixo de 70 kg/m por perfis laminados Açominas.
Não estão previstas soldas de penetração total para os perfis soldados, exceto menção específica na
proposta consolidada.

3.3.28- Conceito estrutural:


As estruturas são sempre previstas engastadas em um sentido. Articuladas e contra ventadas no outro,
salvo menção contrária na proposta consolidada.

3.4- Diâmetros de furos para parafusos:


Utilizar para parafusos, diâmetros de furos com 14, 18, 21, 24, 27, 34, 40 e 46 mm.

3.5- Cantoneiras:
Dimensão mínima = 38 x 38 x 3 mm
Dimensão máxima = 203 x 203 x 19 mm
Gabaritos de furação conforme AISC.
Proced. N.º
PROCEDIMENTO DE ADEQUAÇÃO DO OP - 4002
PROJETO PARA FABRICAÇÃO
Página 7 de 35

203 152 127 102 76 64 51 44 38


Abas (8”) (6”) (5¨) (4”) (3¨) (2 1/2") (2") (1 3/4") (1 1/2")
g 114 90 76 64 44 35 28 25 22
g1 76 57 51
g2 76 64 44

3.6- Furos oblongos:


Quando realmente indispensáveis na ligação, adotá-los em placas, e não nos perfis.

3.7- Recortes para perfis “I, H e U”:


Respeitar sempre a medida mínima de 20 mm entre o corte e a face interna do flange, ex:

3.8- Espessuras mínimas, máximas e chapas dobradas:


- espessuras mínimas para terças e longarinas em chapa dobrada = 2,25 mm, exceto para perfis Modulap
em chapa galvanizada.
- espessura mínima para chapas de ligação e piso = 5 mm.
- espessuras mínimas para alma e mesa de perfis soldados, 6 mm e 8 mm respectivamente. Podendo-se
utilizar a alma com 5mm considerando leve ondulação.
- espessura máxima considerada para chapas dobradas = 12 mm.
Nota: as peças em chapa dobrada deverão ser obtidas dobrando-se barras para posterior furação e corte,
e não, dobrando-se chapas após furação e corte.

3.9- Nervuras e ``single plates´´- desconto de medidas:


3.9.1- Para Perfis Soldados- descontar 4 mm entre flanges, (2 de cada lado), e 2 mm na alma, afim de
se possibilitar a montagem de fábrica das mesmas. Este desconto deverá ser feito na traçagem
eletrônica. Ver Figura Abaixo.
Proced. N.º
PROCEDIMENTO DE ADEQUAÇÃO DO OP - 4002
PROJETO PARA FABRICAÇÃO
Página 8 de 35

3.9.2- Para Perfis Laminados- utilizar desconto igual a zero entre flanges. Já na alma manter os 2
mm. Ver Figura Abaixo.

3.10– Nervuras e ``single plates´´- utilização, chanfros, escalopes e recortes:

Nervuras- não utilizar as nervuras de modo indiscriminado, pois muitas vezes se aumenta
desnecessariamente o peso e a quantidade de soldas atrasando os trabalhos. Utilizar quando
considerada em memória de cálculo.

Single plates- serão utilizadas quando não for possível a utilização de cantoneiras duplas para uma
Proced. N.º
PROCEDIMENTO DE ADEQUAÇÃO DO OP - 4002
PROJETO PARA FABRICAÇÃO
Página 9 de 35

dada ligação. Utilizá-las no tamanho necessário, evitando-se usar a altura total da secção do perfil
quando não for necessário.

Chanfros- de 15 mm por 25 mm serão utilizados a fim de se possibilitar a passagem de filetes de


solda, e se evitar o esmerilhamento destes.

Escalopes- ou recortes arredondados nas chapas para passagem de soldas, serão utilizados para juntas
onde temos o encontro de duas ou mais chapas e para perfis soldados. Adotar raio de 25mm para
espessura de chapas até 9,5mm, raio de 35 mm para espessura de chapas de 12,5 a 22 mm e 40 mm
para espessura de chapas maiores ou iguais a 25 mm de espessura.

Recortes- para perfis laminados, não utilizar escalopes, adotar recorte reto conforme indicado na
tabela abaixo:

Recorte Recorte Recorte


Tipo Perfil (x) Tipo Perfil (x) Tipo Perfil (x)
HP 200 x 53,0 (H) 10x10 W 250 x 32,7 10x10 W 410 x 38,8 12x12
HP 250 x 62,0 (H) 12x12 W 250 x 38,5 10x10 W 410 x 46,1 12x12
HP 250 x 85,0 (H) 12x12 W 250 x 44,8 10x10 W 410 x 53,0 12x12
HP 310 x 125,0 (H) 16x16 W 250 x 73,0 12x12 W 410 x 60,0 12x12
HP 310 x 79,0 (H) 16x16 W 250 x 80,0 (H) 12x12 W 410 x 67,0 12x12
HP 310 x 93,0 (H) 16x16 W 250 x 89,0 (H) 12x12 W 410 x 75,0 12x12
W 150 x 13,0 10x10 W 310 x 107,0 (H) 16x16 W 410 x 85,0 12x12
W 150 x 18,0 10x10 W 310 x 110,0 (H) 16x16 W 460 x 106,0 12x12
W 150 x 22,5 (H) 10x10 W 310 x 117,0 (H) 16x16 W 460 x 52,0 12x12
W 150 x 24,0 12x12 W 310 x 21,0 10x10 W 460 x 60,0 12x12
W 150 x 29,8 (H) 10x10 W 310 x 23,8 10x10 W 460 x 68,0 12x12
W 150 x 37,1 (H) 10x10 W 310 x 28,3 10x10 W 460 x 74,0 12x12
W 200 x 15,0 10x10 W 310 x 32,7 10x10 W 460 x 82,0 12x12
W 200 x 19,3 10x10 W 310 x 38,7 10x10 W 460 x 89,0 12x12
W 200 x 22,5 10x10 W 310 x 44,5 10x10 W 460 x 97,0 12x12
W 200 x 26,6 10x10 W 310 x 52,0 10x10 W 530 x 101,0 16x16
W 200 x 31,3 10x10 W 310 x 97,0 (H) 16x16 W 530 x 109,0 16x16
W 200 x 35,9 (H) 10x10 W 360 x 101,0 17x17 W 530 x 66,0 12x12
W 200 x 41,7 (H) 12x12 W 360 x 110,0 (H) 16x16 W 530 x 72,0 12x12
W 200 x 46,1 (H) 10x10 W 360 x 122,0 (H) 16x16 W 530 x 74,0 12x12
W 200 x 52,0 (H) 12x12 W 360 x 32,9 12x12 W 530 x 82,0 12x12
W 200 x 59,0 (H) 12x12 W 360 x 39,0 12x12 W 530 x 85,0 12x12
W 200 x 71,0 (H) 10x10 W 360 x 44,0 12x12 W 530 x 92,0 12x12
W 200 x 86,0 (H) 12x12 W 360 x 51,0 12x12 W 610 x 101,0 16x16
W 250 x 101,0 (H) 12x12 W 360 x 57,8 12x12 W 610 x 113,0 16x16
W 250 x 115,0 (H) 12x12 W 360 x 64,0 16x16 W 610 x 125,0 16x16
W 250 x 17,9 10x10 W 360 x 72,0 16x16 W 610 x 140,0 16x16
W 250 x 22,3 10x10 W 360 x 79,0 16x16 W 610 x 155,0 16x16
W 250 x 25,3 10x10 W 360 x 91,0 (H) 16x16 W 610 x 174,0 16x16
W 250 x 28,4 10x10

3.11- Recortes, aumento ou diminuição de medidas de chapas para possibilitar passagem de


filetes de solda, e evitar o esmerilhamento desnecessário destes:

3.11.1- End Plate- Quando estiver considerada na proposta consolidada, aumentar 15 mm de cada lado
das chapas em relação às dimensões do perfil conectado para passagem da solda.
Proced. N.º
PROCEDIMENTO DE ADEQUAÇÃO DO OP - 4002
PROJETO PARA FABRICAÇÃO
Página 10 de 35

Ver figura 39.

3.11.2- Nervura de End Plate- evitar quando possível. Caso necessário, aplicar desconto de 15 mm
conforme figura 39.

3.11.3- Mísula- trata se de ligação a ser evitada. Quando necessária, projetá-la na largura do perfil e
efetuar recorte de 15 x 25 mm na chegada da mísula com o flange do perfil. Ver figura 40, corte N-N.

3.11.4- Prever recortes de 15 x 25 mm em: enrijecedores de placas de base, enrijecedores em geral,


``single plates´´, flange de tocos de ligação com flange de colunas da mesma largura, e para todas as
placas onde seja necessário recorte para passagem de solda, de modo a se evitar esmerilhamento
desnecessário.
Ver figura 40.
Quando as chapas excederem os limites da peça, não será possível a aplicação dos recortes acima.
Neste caso, aumentar as mesmas em no mínimo 15 mm.
Nervuras no inicio ou final das peças serão substituídas por chapas de topo quando possível. Caso
contrário, deixar 10 mm de folga para caber o cordão de solda, evitando se a solda de penetração na
nervura, quando não for necessária.

3.11.5- Chapa de contra vento ligada com chapa de base ou topo de colunas- descontar 15mm
conforma figura 41. Quando a chapa do contra vento exceder os limites da chapa de base, aumentar a
mesma em no mínimo 15 mm.

3.11.6- Projetar os cantos de todas as chapas com raio mínimo de 3 mm- de modo a se evitar
cantos vivos, desperdício com esmerilhamento desnecessário e perda de performance na pintura.

3.12– Soldas e Chanfros:

3.12.1- As soldas das ligações principais deverão ser calculadas de modo a atenderem os esforços com
garantia e sem desperdícios.

3.12.2- A ligação de perfil com “end plate”, chapa de base, e flange de coluna a 90 graus, devera
possuir os chanfros e soldas como segue:

a- ligação de perfil com flange até 15mm de espessura- será projetada sem chanfro, com filete até
11mm. A dimensão dos filetes nas flanges será como segue:
Para espessuras de 6 mm, filetes de 5 mm.
Para espessuras de 8 mm, filetes de 6 mm.
Para espessuras de 9 mm, filetes de 8 mm.
Para espessuras de 13 mm, filetes de 9 mm.
Para espessuras de 15 mm, filetes de 11 mm.

b- para flanges maiores que 15 mm de espessura até 32 mm- quando não for possível a utilização
de filete de solda devido aos esforços atuantes, utilizar chanfro duplo para solda em “K”, com nariz de
2 mm prevendo penetração parcial, mais filete se necessário.

c- para flanges maiores que 32 mm de espessura- quando não for possível a utilização de filete de
solda devido aos esforços atuantes, utilizar chanfro duplo para solda em “K”, com nariz de 2 mm
prevendo penetração total.

3.12.4- Os filetes de solda a serem aplicados sobre as soldas de penetração parcial ligando os perfis às
Proced. N.º
PROCEDIMENTO DE ADEQUAÇÃO DO OP - 4002
PROJETO PARA FABRICAÇÃO
Página 11 de 35

“end plates”, placas de base, ou flanges de colunas, serão dimensionados como segue:

Espessura menor da ligação Espessura mínima da perna do filete


Até 6,35 mm 3 mm
Até 12,5 mm 5 mm
Até 19 mm 6 mm
Acima de 19 mm 8 mm

3.12.5- O “nariz” da solda de penetração parcial ou total deverá ser de 2 mm.

3.12.6- Encurtamento de perfis para soldas de penetração:


- em caso de penetração total, encurtar 5 mm em cada junta, e indicar nos desenhos. Exemplo caso a
penetração total seja indicada apenas nos flanges, apenas os flanges serão encurtados em 5mm, caso
seja em todo o perfil o comprimento total do perfil deverá ser reduzido.
- em caso de penetração parcial, não efetuar desconto.

3.12.7- As ligações soldadas de todas as peças, com exceção das especiais sujeitas a fadiga, deverão
ser calculadas como segue:

a- juntas de topo- serão consideradas com penetração total para emendas de perfis laminados e chapas
Ver figura 42.

b- Ligação de aba de perfil com “gusset”- será preferencialmente através de solda de filete, quando
esta puder ser sobreposta a aba do perfil. Ver figuras 30 e 31.
Quando não for possível efetuar a ligação conforme acima descrito, o perfil deverá ser substituído por
outro com o menor peso possível, cuja “aba” possibilite a execução da ligação sem o uso de “gusset”.

c- Mísula- trata se de ligação a ser evitada ou modificada.


Quando estiver considerada na proposta consolidada, indicar solda de filete na união com o flange do
perfil e com a “end plate”. Procurar utilizar aproximadamente 60 graus e efetuar chanfro de 30 graus
na união com a “end plate”. Ver figura 44.

3.12.8- Indicar nos desenhos, em todos os símbolos das soldas de penetração:


- PP- para penetração parcial
- PT- para penetração total
- US- para penetração total com 100% de ensaio de ultra-som.
Para simbologias, consultar procedimento OP- 4000.

5- Marcação das peças:


Estamos considerando que a tipagem em baixo relevo das peças terão no máximo 9 dígitos ao todo.

4- Lista de divergências:
Serviço ou fornecimento em desacordo ao presente procedimento, devera estar indicado no escopo de
fornecimento da proposta consolidada.
Proced. N.º
PROCEDIMENTO DE ADEQUAÇÃO DO OP - 4002
PROJETO PARA FABRICAÇÃO
Página 12 de 35

FIGURAS
Proced. N.º
PROCEDIMENTO DE ADEQUAÇÃO DO OP - 4002
PROJETO PARA FABRICAÇÃO
Página 13 de 35
Proced. N.º
PROCEDIMENTO DE ADEQUAÇÃO DO OP - 4002
PROJETO PARA FABRICAÇÃO
Página 14 de 35
Proced. N.º
PROCEDIMENTO DE ADEQUAÇÃO DO OP - 4002
PROJETO PARA FABRICAÇÃO
Página 15 de 35
Proced. N.º
PROCEDIMENTO DE ADEQUAÇÃO DO OP - 4002
PROJETO PARA FABRICAÇÃO
Página 16 de 35
Proced. N.º
PROCEDIMENTO DE ADEQUAÇÃO DO OP - 4002
PROJETO PARA FABRICAÇÃO
Página 17 de 35
Proced. N.º
PROCEDIMENTO DE ADEQUAÇÃO DO OP - 4002
PROJETO PARA FABRICAÇÃO
Página 18 de 35
Proced. N.º
PROCEDIMENTO DE ADEQUAÇÃO DO OP - 4002
PROJETO PARA FABRICAÇÃO
Página 19 de 35
Proced. N.º
PROCEDIMENTO DE ADEQUAÇÃO DO OP - 4002
PROJETO PARA FABRICAÇÃO
Página 20 de 35
Proced. N.º
PROCEDIMENTO DE ADEQUAÇÃO DO OP - 4002
PROJETO PARA FABRICAÇÃO
Página 21 de 35
Proced. N.º
PROCEDIMENTO DE ADEQUAÇÃO DO OP - 4002
PROJETO PARA FABRICAÇÃO
Página 22 de 35
Proced. N.º
PROCEDIMENTO DE ADEQUAÇÃO DO OP - 4002
PROJETO PARA FABRICAÇÃO
Página 23 de 35
Proced. N.º
PROCEDIMENTO DE ADEQUAÇÃO DO OP - 4002
PROJETO PARA FABRICAÇÃO
Página 24 de 35
Proced. N.º
PROCEDIMENTO DE ADEQUAÇÃO DO OP - 4002
PROJETO PARA FABRICAÇÃO
Página 25 de 35
Proced. N.º
PROCEDIMENTO DE ADEQUAÇÃO DO OP - 4002
PROJETO PARA FABRICAÇÃO
Página 26 de 35
Proced. N.º
PROCEDIMENTO DE ADEQUAÇÃO DO OP - 4002
PROJETO PARA FABRICAÇÃO
Página 27 de 35
Proced. N.º
PROCEDIMENTO DE ADEQUAÇÃO DO OP - 4002
PROJETO PARA FABRICAÇÃO
Página 28 de 35
Proced. N.º
PROCEDIMENTO DE ADEQUAÇÃO DO OP - 4002
PROJETO PARA FABRICAÇÃO
Página 29 de 35
Proced. N.º
PROCEDIMENTO DE ADEQUAÇÃO DO OP - 4002
PROJETO PARA FABRICAÇÃO
Página 30 de 35
Proced. N.º
PROCEDIMENTO DE ADEQUAÇÃO DO OP - 4002
PROJETO PARA FABRICAÇÃO
Página 31 de 35
Proced. N.º
PROCEDIMENTO DE ADEQUAÇÃO DO OP - 4002
PROJETO PARA FABRICAÇÃO
Página 32 de 35
Proced. N.º
PROCEDIMENTO DE ADEQUAÇÃO DO OP - 4002
PROJETO PARA FABRICAÇÃO
Página 33 de 35
Proced. N.º
PROCEDIMENTO DE ADEQUAÇÃO DO OP - 4002
PROJETO PARA FABRICAÇÃO
Página 34 de 35
Proced. N.º
PROCEDIMENTO DE ADEQUAÇÃO DO OP - 4002
PROJETO PARA FABRICAÇÃO
Página 35 de 35