Você está na página 1de 16
RIO DE JANEIRO Terça-feira, 20 de fevereiro de 2018 Edição nº 1.805, ano 8 MÍN:
RIO DE JANEIRO
Terça-feira,
20 de fevereiro de 2018
Edição nº 1.805, ano 8
MÍN: 21°C
MÁX: 35°C
www.metrojornal.com.br | leitor.rj@metrojornal.com.br | www.facebook.com/metrojornal | @MetroJornal_RJ
O Metro Jornal é impresso em papel certificado FSC,
garantia de manejo florestal responsável.
FSC, garantia de manejo florestal responsável. Militares reforçam segurança na zona norte e em várias

Militares reforçam segurança na zona norte e em várias divisas do Estado: operação iniciada ontem faz parte do decreto presidencial de GLO (Garantia da Lei e da Ordem), assinado em 28 de julho de 2017 | DANILO VERPA/FOLHAPRESS

Governo quer tropas com mandados ‘abertos’ no Rio

Estado sob intervenção. Exército pediu, Temer aceitou: serão encaminhadas à Justiça ordens coletivas de busca e apreensão, que não apontarão endereços ou fatos específicos, mas áreas, como ruas ou até bairros inteiros. Defensoria Pública do Estado faz dura crítica ao dispositivo

PÁGS. 02 A 04

do Estado faz dura crítica ao dispositivo PÁGS. 02 A 04 MP vai investigar viagens de

MP vai investigar viagens de Crivella

Prefeito assume que ida à Europa não foi oficial, mas diz que viajou para pesquisar segurança PÁG. 04

que viajou para pesquisar segurança P Á G . 0 4 Trump sinaliza: rigor no controle

Trump sinaliza: rigor no controle de armas

Após novos atos de estudantes, Casa Branca avalia impor mais rigidez na checagem de antecedentes PÁG. 08

LULU FAZ RELEITURA DE HITS DE RITA LEE Lulu estreia turnê em abril Cantor lança
LULU FAZ RELEITURA
DE HITS DE RITA LEE
Lulu estreia
turnê em
abril
Cantor lança ‘Baby, Baby!’ e
prepara turnê nacional
PÁG. 10

LEO AVERSA/DIVULGAÇÃO

02|

{FOCO}

RIO DE JANEIRO, TERÇA-FEIRA, 20 DE FEVEREIRO DE 2018 www.metrojornal.com.br

Prisão de Japeri funciona sem aparelho de revista

ia. Rebelião em cadeia superlotada da Baixada chegou a ter 18 reféns e escâner estaria quebrado há 3 meses

Mesmo antes do anúncio da estratégia para a segurança do Rio com a intervenção fe- deral, o Estado registrou uma rebelião na penitenciária Mil- ton Dias Moreira, em Japeri, na Baixada Fluminense. O motim começou depois da tentativa de fuga frustrada, no domingo, e só terminou na madrugada de ontem. De- tentos tentaram escapar du- rante a contagem de presos. O grupo fez 18 reféns. O Conselho Nacional de Justi- ça aponta que mais de 2 mil pessoas cumprem pena no espaço, que tem capacida- de para cerca de 880 presos. O presidente do Sind- Sistema (Sindicato dos Ser- vidores do Sistema Penal), Gutemberg de Oliveira, afirma que o único escâ- ner corporal na unidade es- tá quebrado há três meses:

ner corporal na unidade es- tá quebrado há três meses: Motim com 18 reféns no pr

Motim com 18 reféns no presídio Milton Dias Moreira, em Japeri, terminou na madrugada de ontem | REPRODUÇÃO/BAND

“Em média, 1,2 mil pes- soas entram aqui durante os horários de visitação. Por is- so, era recomendável que não houvesse visita na unidade.” A Seap promete apurar a en- trada de armas no presídio,

mas não se pronunciou sobre

a denúncia do SindSistema.

84 tiroteios e 17 mortes Segundo o aplicativo Fo- go Cruzado, o fim de sema- na teve 84 tiroteios com 17

mortos. A indefinição no

combate à violência tam- bém gera insegurança. O interventor, o general Walter Souza Braga Netto, de- ve anunciar o plano de ação nesta semana (mais sobre a

“O único aparelho com essa finalidade na unidade prisional está sem funcionar há três meses.”

A

SIND. DOS SERVIDORES DO SISTEMA PENAL

intervenção federal na pág. 3). A exoneração do secretário de Segurança, Roberto Sá, foi publicada, ontem, no Diário Oficial. O subsecretário de As- suntos Estratégicos, Roberto Alzir, assume interinamente. “É mais fácil para o Exér- cito evitar que vias impor- tantes sejam fechadas por bandidos do que para a po- lícia”, analisa o general Gil- berto Rodrigues Pimentel, antigo comandante da Pri- meira Divisão do Exército.

METRO RIO COM BANDantigo comandante da Pri- meira Divisão do Exército. Vídeo viraliza com defesa de negros de comunidades

Vídeo viraliza com defesa

de negros de comunidades No fim de semana, em ou-

Este ano, 18 agentes de segurança foram mortos

tros pontos do Rio, casos de violência foram registrados. Em Bangu, na zona oeste,

três pessoas morreram, entre elas um policial militar, e ou- tras duas foram baleadas em confraternização. De acordo com a Polícia

Militar, o Sargento Cristiano das Neves Souza, 40 anos, te- ria reagido a assalto anuncia- do por homens em três car- ros. Com o caso, subiu para 18 o número de agentes de se- gurança assassinados no Esta- do este ano, segundo levan- tamento da BandNews FM. Desses, 16 eram PMs. No domingo, um ônibus foi incendiado na avenida dos Italianos, que dá acesso

à favela Jorge Turco, na zo-

na norte. A PM indica que a

ação foi uma retaliação após

a morte do criminoso Vitor

Roberto da Silva Leite, apon- tado como chefe do tráfico no local e no morro da Ba-

rão, em Jacarepaguá, na zo- na oeste. Em nota, o RioÔnibus, sin- dicato das empresas do trans- porte no município, infor- mou que 11 veículos foram incendiados em território flu- minense em 2018. Seis só na capital. Desde 2016, foram 144 ônibus incendiados, com prejuízo de R$ 64 milhões.

Assalto no Méier Ontem, alunos de uma escola no Méier, na zona norte, che- gavam à unidade quando dois criminosos em uma moto as- saltaram pessoas no ponto de ônibus em frente ao local. O caso aconteceu na rua Hermengarda, onde em ou- tubro o comandante do Ba-

talhão da área foi assassi- nado. Já em Laranjeiras, na zona sul, policiais balearam

um segurança de agência bancária por engano, após serem acionados pelo 190.

METRO RIO E BANDNEWS FMbancária por engano, após serem acionados pelo 190. Um vídeo que ensina como pessoas negras moradoras

Um vídeo que ensina como pessoas negras moradoras de comunidades devem agir du- rante a intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro viralizou na internet e já tem quase 2 milhões de visualizações. O objetivo do conteúdo seria evitar mortes. “A gente não quer demo- nizar militares, até porque boa parte deles é composta por negros. Infelizmente, a população negra sofre muito mais com a violência”, explica Spartakus Santiago, um dos idealizadores do vídeo. Tam- bém participaram do tutorial Edu Carvalho, do site Favela- DaRocinha.com, e AD Junior, do canal Descolonizando. Entre as recomendações do vídeo, estão: evitar sair de

casa tarde e sem documen- tos; avisar a conhecidos e fa- miliares onde se está indo e quando chegar ao local; e por-

“Há pesquisas que provam que há um viés racial [em mortes em confrontos policiais]. As pessoas negras sofrem mais.”

IGNA

tar sempre o celular carrega- do para documentar as ações. Outras duas advertências fazem analogia a episódios envolvendo ações policiais no Estado: evitar o uso de guar- da-chuva e furadeira, que pos- sam ser confundidos com ar- mas, e nunca levar materiais de limpeza dentro de bolsas. A primeira lembra a mor- te do fiscal de supermerca- dos Hélio Ribeiro, de 46 anos, atingido por um tiro do fu- zil de um PM do Batalhão de Operações Especiais, quan- do instalava o toldo no terra-

ço, no Andaraí, na zona nor- te, em 2010. A segunda remete ao caso

do então morador de rua Ra- fael Braga, 30, preso nos pro- testos de 2013 levando apenas um desinfetante e condenado

a mais de 4 anos de prisão.

Em setembro, o réu conse- guiu habeas corpus e passou para regime domiciliar. Existem levantamentos que apontam que a probabi- lidade de uma pessoa negra morrer em trocas de tiros de- sencadeadas por policiais é 8% maior do que para brancos. Ignacio Cano, pesquisador do Laboratório de Análise da Violência da Universidade Es- tadual do Rio de Janeiro (Uerj), indica que o perigo é ainda maior para quem vive em fa- velas: “Os moradores das pe- riferias, em geral, são os que sofrem mais com os conflitos armados”.

geral, são os que sofrem mais com os conflitos armados”. BANDNEWS FM   FALE COM A

BANDNEWS FM

  FALE COM A REDAÇÃO   EXPEDIENTE  
 

FALE COM A REDAÇÃO

 

EXPEDIENTE

 

leitor.rj@metrojornal.com.br

Metro Jornal. Presidente:Cláudio Costa Bianchini (MTB: 70.145) Editor Chefe:Luiz Rivoiro (MTB 21.162) Diretor Comercial:Rogério Domingues Diretora Financeira:Sara Velloso Editor-Executivo de Arte:Vitor Iwasso

 

Filiado ao

021/2586-9565

021/2586-9565

COMERCIAL:021/2586-9570

O

Metro Jornal circula em 21 países e tem alcance diário superior a 18 milhões

de leitores. No Brasil, é uma joint venture do Grupo Bandeirantes de Comunicação

 

e

da Metro Internacional. É publicado e distribuído gratuitamente de segunda a sexta

 

Metro Jornal Rio de Janeiro. Editora-Executiva:Ana Lúcia do Vale. (MTB: 18.892) Editora de Arte:Cláudia Lorena. Gerente Comercial:Tatiana Vilela Grupo Bandeirantes de Comunicação RJ. Diretor Geral:Daruiz Paranhos Diretor de Jornalismo:Rodolfo Schneider

 

em São Paulo, ABC, Campinas, Rio de Janeiro, Curitiba, Belo Horizonte, Porto Alegre,

Brasília, Espírito Santo e Maringá, somando 505 mil exemplares diários.

 

Editado e distribuído por Metro Jornal S/A, CNPJ 07.780.914/0001-61. Endereço: Rua Álvaro Ramos, 350, 1º andar, Botafogo, CEP 22280-110, Rio de Janeiro, RJ. O Metro Jornal Rio de Janeiro é impresso pelo Parque Gráfico da Infoglobo. Tel: 21/2534-9579 (comercialpg@infoglobo.com.br)

RIO DE JANEIRO, TERÇA-FEIRA, 20 DE FEVEREIRO DE 2018 www.metrojornal.com.br

20 DE FEVEREIRO DE 2018 www.metrojornal.com.br { FOCO } 03 | Intervenção prevê mandado coletivo de

{ FOCO }

03 |

Intervenção prevê mandado coletivo de busca e apreensão

Caos no Rio. Com autorização da Justiça, Forças Armadas planejam atuar num bairro todo, não em ação individual. Medida recebe críticas

Temer consultou os conselhos após decretar a intervenção, contrariando o que diz a Constituição |
Temer consultou os conselhos após decretar a intervenção, contrariando o que diz a Constituição | MARCOS CORRÊA/PR

As Forças Armadas preten- dem receber mandados cole- tivos de busca e apreensão co- mo parte da intervenção na segurança pública do Rio de Janeiro. A medida foi aprova- da ontem durante a reunião do presidente Michel Temer com os conselhos da Repú- blica e de Defesa Nacional, no Palácio da Alvorada. A sugestão partiu do ge- neral Eduardo Villas Bôas, comandante do Exército. Com isso, o governo pedirá

a emissão dos mandados à

Justiça Federal. As ordens “abertas” são necessárias, segundo o mi- nistro da Defesa, Raul Jung-

mann, para evitar que ban-

didos fujam de eventuais alvos. “Na realidade urbanís- tica do Rio de Janeiro, você muitas vezes sai com a busca

e apreensão numa casa, nu-

ma comunidade e o bandido

“Não há nenhuma carta branca, nem carta negra, nem carta cinza. Os militares não estarão substituindo o papel das polícias.”

RAUL JUNGMANN, MINISTRO DA DEFESA

bairro. Aquele lugar intei-

ro é possível que tenha um

mandado de busca e apreen- são”, explicou, negando que

seja “carta branca” para exa- geros dos militares. Embora seja militar, o interventor, general Wal-

ter Braga Netto, terá papel administrativo e só poderá agir sob ordens do Ministé- rio da Defesa.

A OAB (Ordem dos Advo-

gados do Brasil) e a Defenso- ria Pública do Rio de Janeiro consideram a medida ilegal e estudam acionar a Justiça.

A AGU (Advocacia-Geral da

União) irá defender a medida.

O Ministério da Defesa es-

Razões

Na reunião, o governo citou motivos para justificar o de- creto de intervenção: 43% das correspondências só são en- tregues pelos Correios com escolta; 800 comunidades sob “regime de exceção”; além de “futuro comprometido” de alunos que não estão tendo o ano letivo respeitado. Os líderes da oposição,

que fazem parte do conse- lho, se abstiveram, alegan- do que os motivos apresen- tados são insuficientes. Jungmann afirmou que

foi avaliada a intervenção fi- nanceira no Estado, mas a

ideia não prosperou.

fi- nanceira no Estado, mas a ideia não prosperou. DANIEL LOZOYA O defensor público do Nú-

DANIEL

LOZOYA

O defensor público do Nú-

cleo de Defesa dos Direitos Humanos da Defensoria

Pública do Rio afirma que

a medida é ilegal e mira di-

reitos, principalmente, das pessoas de baixa renda.

Qual a avaliação sobre a autorização judicial para mandados coletivos? São um afronta à Constitui-

ção, os tratados internacio- nais de direitos humanos e

a própria lei. É uma violação

da garantia da inviolabilida- de domiciliar, na medida em que o arcabouço jurídico exi- ge uma individualização da residência, da pessoa que é alvo da busca e apreensão.

O governo fala em situa-

ção extrema e que já foi usada outras vezes. Não pode utilizar como uma medida generalizada, uma devassa indiscriminada. E, não por acaso, os alvos são sempre moradores de favelas.

Sem a medida fala-se em

dificuldade para a atuação

policial?

Dificuldade faz parte do trabalho policial. O respei- to às garantias constitucio-

se

desloca. Em lugar de você

clareceu que a decisão não in-

se desloca. Em lugar de você clareceu que a decisão não in-   nais e legais
 

nais e legais é preço que te-

dizer rua tal, número tal, vo-

clui prisão e captura, que con-

MARCELO

mos que pagar por viver

cê vai dizer, digamos, uma

tinuam precisando de ordens

FREITAS

num estado democrático de

rua inteira, uma área ou um

individuais da Justiça.

METRO BRASÍLIA

direito.

rua inteira, uma área ou um individuais da Justiça. METRO BRASÍLIA direito. METRO BRASÍLIA

METRO BRASÍLIA

Em plena segunda, plenário reuniu 427 dos 513 deputados | WILSON DIAS/ABR
Em plena segunda, plenário reuniu 427 dos 513 deputados | WILSON DIAS/ABR

Relatora defendeu a intervenção no Estado

A Câmara levou à votação

ontem o decreto do presi- dente Michel Temer que permite a intervenção fede- ral na segurança pública do Rio de Janeiro. A deputada Laura Carneiro

(MDB-RJ), relatora do decreto, defendeu a intervenção, mas cobrou a liberação de recur-

sos para garantir ações de se- gurança nos próximos anos. A oposição arrastou a vota- ção e obstruiu a sessão. Psol, PT, PCdoB e Rede se manifes- taram contra o decreto. A votação não havia sido concluída até o fechamento desta edição.

não havia sido concluída até o fechamento desta edição. METRO BRASÍLIA ‘Qualquer despesa adicional tem que

METRO BRASÍLIA

‘Qualquer despesa adicional tem que ser remanejada’

Com o Orçamento de 2018 já no limite do teto de gastos, o governo federal terá que re- manejar recursos de outras áreas para investir nas For- ças Armadas, caso o Exército precise de mais dinheiro para atuar no Rio, diz o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles. Segundo o ministro, o go-

verno analisa, com o Exército, se há necessidade de aportes adicionais, para combustível ou armamento, por exemplo. “O teto é limitação constitu- cional que será obedecida e as despesas de 2018 já estão no teto. Qualquer despesa adicio- nal tem que ser remanejada de outra área”, disse. METRO

que ser remanejada de outra área”, disse. M E T R O Exército faz ações conjuntas

Exército faz ações conjuntas na divisa do Rio

Soldados do Regimento Escola de Infantaria em Anchieta | DANILO VERPA/FOLHAPRESS
Soldados do Regimento Escola de Infantaria em Anchieta | DANILO VERPA/FOLHAPRESS

A primeira grande operação conjunta após o decreto de in- tervenção foi desencadeada ontem à noite, nas divisas do Estado do Rio com demais Es- tados da região Sudeste. Mais de 3 mil integrantes do Exér- cito, da Marinha e da Aero- náutica, com policiais civis e militares, homens da Força Nacional de Segurança e da PRF (Polícia Rodoviária Fede- ral), montaram pontos de blo- queio e fiscalização nas vias de acesso ao Rio. Um dos temores demons- trado por governadores de São Paulo, Minas Gerais e do

Espírito Santo é o de que cri- minosos tentem fugir do Rio de Janeiro, com a intervenção federal, buscando refúgio nos Estados vizinhos. A operação

é uma forma de tentar pren-

der quem estiver fugindo do Rio, além de impedir a entra- da de armas e drogas. De acordo com nota da Se- seg (Secretaria de Estado de Segurança), há operações na BR-101, nas divisas ao norte e ao sul do Estado, onde foi montada uma base na av. Pre- sidente Dutra em Resende, e na região de São Gonçalo – nas comunidades do Salguei-

3 mil

integrantes do Exército,

Marinha e da Aeronáutica estão no grupo que montou fiscalização nos acessos ao Rio

ro e Jardim Catarina. Tam- bém há pontos de bloqueio na BR-116, nas divisas nor-

deste e ao sul do Estado, além

de trechos da Baixada Flumi-

nense. As ações também en- globam a BR-040, nas divisas a oeste, e patrulhamento ao longo do Arco Metropolitano

e também no Complexo do

Chapadão, na zona norte.

Segundo a Seseg, essa mo- vimentação já estava previs-

ta no âmbito do decreto pre-

sidencial de GLO (Garantia da Lei e da Ordem) para ações em apoio ao Plano Nacional de Segurança Pública, assina- do em 28 de julho de 2017.

O efetivo tem apoio de aero-

naves e veículos blindados. “Algumas vias e acessos nas

áreas de operações podem ser

interditados e setores do espa-

ço aéreo poderão ser controla-

dos”, completou a nota da Se-

seg.

e setores do espa- ço aéreo poderão ser controla- dos”, completou a nota da Se- seg.

METRO RIO E AGÊNCIA BRASIL

04 | { FOCO } Pezão diz que ainda não há recursos para a segurança

04|

{FOCO}

04 | { FOCO } Pezão diz que ainda não há recursos para a segurança O

Pezão diz que ainda não há recursos para a segurança

O governador do Rio de Ja- neiro, Luiz Fernando Pe- zão, disse ontem que os ór- gãos de segurança pública do Rio já estão trabalhando em conjunto com as For- ças Armadas, mas afirmou que ainda não foi discuti- da a possibilidade de mais recursos federais acompa- nharem a intervenção de- cretada no Estado na área. “Até agora, não discuti- mos nenhum recurso no- vo para a área de segu- rança”, disse, afirmando que depende da aprova- ção. “Enquanto não tiver aprovação no Congresso, o Exército Brasileiro não po- de entrar [nas favelas]. Mas isso não tem impedido de estarmos permanentemen- te nos falando, e as equi- pes dele [do Exército] to- das trabalhando juntas no Centro de Comando e Con- trole ou no Comando Mili- tar do Leste”, disse. Ele defendeu que, ape- sar de não ter os maiores índices de violência do país, o Rio tem peculiari- dades que motivaram a in- tervenção, como quantida- de de estradas federais e tráfico de armas pesadas. “Fuzil é arma de guer- ra em qualquer lugar do mundo. Quando um cida- dão está portando um fu- zil, o que aparece, em qual- quer lugar do planeta, são as Forças Armadas para combater, não é a polícia”,

Pezão na reabertura da Biblioteca Parque da Rocinha | TOMAZ SILVA/AGÊNCIA BRASIL
Pezão na reabertura da Biblioteca Parque da Rocinha | TOMAZ SILVA/AGÊNCIA BRASIL

“Bandido portando fuzil quem tem que cuidar são as Forças Armadas. Não é a Polícia Militar sozinha ou a Polícia Civil que vão resolver esse problema.”

GOVERNADOR LUIZ FERNANDO PEZÃO

reaberta até o fim de mar-

ço e a do Centro, na av. Pre-

sidente Vargas, até o início de maio. O custo para ma- nutenção mensal será de R$ 1,7 milhão e seria prove- niente do aumento da arre- cadação de impostos. Ainda não há previsão para a reabertura da unida-

 

de

do Complexo do Alemão.

disse Pezão.

a de Niterói foi munici-

Ontem, o governador participou da reabertura da Biblioteca Parque da Roci-

palizada em 2017. Segun- do Pezão, o Estado preten- de ainda ampliar o horário

nha, fechada desde dezem- bro de 2016. A de Mangui-

integral em escolas situadas em favelas do Rio de Janei-

nhos, na zona norte, será

ro.

nhos, na zona norte, será ro. METRO RIO E AGÊNCIA BRASIL

METRO RIO E AGÊNCIA BRASIL

RIO DE JANEIRO, TERÇA-FEIRA, 20 DE FEVEREIRO DE 2018 www.metrojornal.com.br

MP investiga Crivella por várias viagens

Giro pela Europa. Prefeito reconhece que viagem não foi oficial, mas diz que foi a serviço da cidade. Riotur é investigada por omissão no Carnaval

Enquanto o prefeito do Rio passava o Carnaval na Euro- pa, o Ministério Público abriu

diferentes investigações para apurar supostas irregularida- des envolvendo Marcelo Cri- vella. Além de verificar os pro- pósitos das visitas aos 9 países em pouco mais de um ano de governo, o MP também ins- taurou inquérito para apurar improbidade administrativa do prefeito e do presidente da empresa municipal de turis- mo, a Riotur, Marcelo Alves, por falhas e omissões no pla- nejamento do Carnaval.

Na quinta-feira após o Car-

naval, um temporal causou estragos na cidade e deixou pelo menos quatro mortos.

O Conselho Regional de

Medicina do Rio também in- vestiga se a mãe de Crivella

recebeu tratamento diferen-

ciado quando foi atendida no Hospital Municipal Sal- gado Filho, no Méier, na zo- na norte. Eris Bezerra Crivel- la foi internada na unidade na sexta-feira à noite, com o pu- nho fraturado, passou por ci-

à noite, com o pu- nho fraturado, passou por ci- Prefeito visitou obras de recuperação da

Prefeito visitou obras de recuperação da ciclovia Tim Maia | DIVULGAÇÃO/PREFEITURA DO RIO

rurgia e teve alta no sábado. Ao visitar as obras da ciclovia Tim Maia, em São Conrado, que foi interditada pela Justi-

ça após ter novo trecho des- truído, o prefeito disse que a cirurgia foi recomendação do subsecretário de Saúde Com- plementar da prefeitura, o ortopedista João Berchmans, que é amigo da família. “A minha mãe foi para uma clínica particular e lá colocou gesso. O doutor João achou que o procedimento

não era adequado. Foi decisão dele atendê-la como emergên- cia. Se minha mãe foi bem tra- tada nos hospitais do Rio, sig- nifica que os hospitais da rede pública estão bons”, explicou. Sobre as viagens à Europa, Crivella disse que, apesar de não ter sido oficial, ele esta- va à procura de melhorias pa- ra o sistema de segurança: “O prefeito não está lavando as mãos”. A prefeitura disse que vai fornecer as informações pedidas pelo MP. BANDNEWS FM

pedidas pelo MP. B A N D N E W S F M Jovem morre com
pedidas pelo MP. B A N D N E W S F M Jovem morre com

Jovem morre com febre amarela em Ilha Grande

Stephany Queiroz tinha 16 anos e há uma semana tomou

a vacina contra a febre amare- la: o tempo foi curto demais para protegê-la da doença. A recomendação é visitar áreas de risco somente dez dias de- pois de tomar a dose e a ado- lescente morreu na madru- gada de segunda-feira, cinco dias depois de apresentar os primeiros sintomas. “Tivemos esperança de que ela se recuperasse, mas infelizmente a perdemos”, la- menta Leandro Queiroz, pai de Stephany. A jovem morava em Ilha Grande, destino muito procu- rado por turistas, a cerca de

20 km de Angra dos Reis, re-

gião cercada pela Mata Atlân- tica. Foi lá também que o tu-

rista chileno Felipe Santander,

35 anos, contraiu a febre ama-

rela. Ele estava viajando pelo Brasil desde o fim de dezem-

03/03

será o novo Dia D de imunização contra a febre amarela no Rio. A meta da sec. de Saúde é imunizar mais 5 milhões de pessoas.

bro e, segundo a família, foi orientado a se imunizar, mas decidiu arriscar. Felipe chegou a ser transferido para o Hospi- tal dos Servidores, no Centro, mas morreu na sexta-feira. Segundo a Embaixada do Chile, outros dois chilenos que também estavam na Ilha Grande estão internados em hospitais do Rio com febre amarela. O estado de saúde deles é grave. Desde o início do ano, o governo do Chi- le passou a oferecer a vacina contra febre amarela para tu- ristas que vão viajar para Esta- dos brasileiros onde há circu-

“A grande maioria das pessoas que mora em cidades onde estão acontecendo surtos silvestres precisa se vacinar justamente para que o ciclo silvestre não passe para a cidade.”

MARCOS LAGO, INFECTOLOGISTA

lação do vírus. Desde janeiro, 33 pessoas morreram no Estado do Rio

vítimas da febre amarela, de acordo com a SES (Secretaria de Estado de Saúde). Em São Paulo, foram 66. Em Minas Gerais, 73 mortes. Muito procurada por turistas, a Bahia come- çou ontem a campanha de vacinação com a dose fra- cionada em oito cidades.

A meta é imunizar mais de

três milhões de pessoas. No Rio, onde pouco mais da metade (60%) da popula- ção foi imunizada, os postos

estão vazios. A SES progra- mou para o próximo dia 3 de março um novo mutirão de vacinação em todos os 92 municípios do Estado. O ob- jetivo é vacinar mais cinco milhões de pessoas. Até o momento, 9 milhões já fo- ram imunizadas. “A grande maioria das pessoas que mora em cida- des onde estão acontecen- do surtos silvestres precisa

se vacinar justamente para que o ciclo silvestre não pas- se para a cidade”, explica o infectologista Marcos Lago.

se para a cidade”, explica o infectologista Marcos Lago. MARIANA PROCÓPIO/BAND Novo dia D de imunização

MARIANA PROCÓPIO/BAND

explica o infectologista Marcos Lago. MARIANA PROCÓPIO/BAND Novo dia D de imunização no Rio será em

Novo dia D de imunização no Rio será em 3 de março | REPRODUÇÃO/ BAND

RIO DE JANEIRO, TERÇA-FEIRA, 20 DE FEVEREIRO DE 2018 www.metrojornal.com.br

Reforma da Previdência fica agora na ‘gaveta’

PECs canceladas. Intervenção impede mudança na Constituição. Governo agora focará em 15 medidas prioritárias para economia

Diante da proibição de mu- danças na Constituição du- rante a vigência de uma intervenção, a reforma da

Previdência foi oficialmen- te engavetada ontem.

O presidente Michel Te-

mer articulava uma mano- bra que previa suspender o decreto por alguns dias ape- nas para votar as mudanças nas regras previdenciárias. “Não há previsão consti- tucional de suspensão de de- creto. Se for para fazer uma intervenção e daqui a cinco dias dizer que foi um equívo- co porque precisa votar ma- téria A ou B, não teria senti- do”, declarou o presidente do Congresso, Eunício Olivei- ra (MDB-CE), que determinou também a suspensão de ou- tras PECs (Propostas de Emen- das à Constituição). Ontem, houve atos em 14 Estados e no DF contra a reforma.

Mudança de foco Em nenhuma contagem, o governo havia conseguido reunir os 308 votos necessá- rios para a aprovação da re- forma na Câmara. Sem a Previdência, o go- verno definiu conjunto de 15 projetos prioritários no Congresso, todos na área econômica, como a privati- zação da Eletrobras e a au- tonomia do Banco Central

(veja algumas nesta pági- na). Se for possível, a refor- ma volta à pauta após as

eleições.

possível, a refor- ma volta à pauta após as eleições. METRO BRASÍLIA As novas pautas  

METRO BRASÍLIA

As novas pautas

 

Alguns dos temas que o go- verno tratará com prioridade

• Reforma do PIS/Cofins e simplificação tributária

• Autonomia do BC

• Marco legal de licitações e contratos

• Nova lei de finanças públicas

• Regulamentação do

teto remuneratório

• Privatização

da Eletrobras

• Cadastro positivo

• Redução da desoneração da folha

• Duplicata eletrônica

da desoneração da folha • Duplicata eletrônica Manifestantes fecharam a av. Paulista contra reforma |

Manifestantes fecharam a av. Paulista contra reforma | MARCOS BIZZOTTO/FOLHAPRESS

a av. Paulista contra reforma | MARCOS BIZZOTTO/FOLHAPRESS No Rio de Janeiro, mais protestos | JOSÉ

No Rio de Janeiro, mais protestos | JOSÉ LUCENA/FUTURA PRESS

Rio de Janeiro, mais protestos | JOSÉ LUCENA/FUTURA PRESS E t a m b é m

E também em Porto Alegre | DAVI MAGALHÃES/FUTURA PRESS

t o A l e g r e | DAVI MAGALHÃES/FUTURA PRESS Dupla que tatuou jovem

Dupla que tatuou jovem é condenada

A Justiça de São Paulo con- denou pelos crimes de le- são corporal e constran- gimento ilegal os dois homens que tatuaram à força a frase “Eu sou la- drão e vacilão” na testa de um adolescente em São Bernardo e, posteriormen- te, divulgaram o vídeo da ação nas redes sociais. O caso aconteceu em junho do ano passado e os dois estavam presos preventi- vamente desde então.

O tatuador Maycon Wes-

ley Carvalho dos Reis, 28 anos, foi condenado em re- gime semiaberto a três anos por crime de lesão corpo- ral gravíssima e quatro me- ses e 15 dias por delito de

ral gravíssima e quatro me- ses e 15 dias por delito de Jovem está internado em

Jovem está internado em tratamento | REPRODUÇÃO

constrangimento ilegal. Já

o pedreiro Ronildo Morei-

ra de Araújo, 30 anos, re- cebeu a pena de três anos

e seis meses de reclusão

em regime fechado em de- corrência do crime de lesão

corporal gravíssima e cinco

meses e sete dias de deten- ção, em regime semiaberto, por constrangimento ilegal.

Araújo não era réu primá- rio. O juiz ainda determi- nou que os réus não terão o

direito de recorrer da deci- são em liberdade. A dupla, que inicialmente foi indicia- da pelo crime de tortura, es- tá presa desde 2017 na Peni- tenciária de Tremembé, no Vale do Paraíba.

O caso Em junho de 2017, a dupla tatuou a frase na testa do jo- vem, então com 17 anos, por- que, supostamente, ele havia tentado roubar uma bicicle- ta. Em depoimento à polícia, o garoto negou as acusações. A tatuagem está sendo reti- rada a laser e ele está inter- nado em um centro de rea- bilitação contra o vício de crack e álcool no interior de São Paulo. METRO ABC

álcool no interior de São Paulo. M E T R O A B C { BRASIL
álcool no interior de São Paulo. M E T R O A B C { BRASIL

{ BRASIL }

05 |

Política CLÁUDIO HUMBERTO CLAUDIO.HUMBERTO @METROJORNAL.COM.BR
Política
CLÁUDIO
HUMBERTO
CLAUDIO.HUMBERTO
@METROJORNAL.COM.BR

INTERVENÇÃO FAVORECE CANDIDATURA DE BOLSO-

NARO. Vai favorecer a can- didatura presidencial do deputado Jair Bolsonaro

(PSC-RJ) a decisão do pre- sidente Michel Temer de recorrer à “solução mili-

tar” para tentar estancar

o crescimento da crimina-

lidade no Rio de Janeiro.

O auge do enfrentamento

dos bandidos vai coincidir

com a campanha eleito- ral, e a tendência é que Bolsonaro venha a ser vis-

to com melhores olhos na medida em que a inter- venção for um sucesso.

FRACASSO CIVIL. Pesquisas

detectam o sentimento de

que a intervenção é confis- são de incapacidade do po-

der civil de resolver o pro- blema da criminalidade.

RADICALIZAÇÃO. Eventual

fracasso, pelas pesquisas, não será atribuído a milita- res, mas ao “remédio insu- ficiente”, abrindo caminho para opções mais radicais.

ELEITOR FORTE. Em caso de

sucesso, a intervenção vai virar “cabo eleitoral” de Michel Temer, e candidato que a criticar corre o risco de perder votos.

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA IMPÕE OPÇÃO TÉC-

NICA. A saída em abril do ministro de Minas e Ener- gia, Fernando Filho, que é candidato nas eleições de outubro, tem levado preo- cupação ao setor de bio- combustíveis, em razão das opções que surgem. O secretário-executivo atual, Paulo Pedrosa, tem recor- rido a Deus e ao diabo, na terra do sol, para virar ministro. Mas ele precisa ser mais explícito na de- fesa dos biocombustíveis

“ERA MELHOR

RENUNCIAR

LOGO.”

DEPUTADO JOSÉ GUIMARÃES (PT-CE) SOBRE O GOVERNADOR DO RIO, LUIZ FERNANDO PEZÃO

“ERA MELHOR RENUNCIAR LOGO.” DEPUTADO JOSÉ GUIMARÃES (PT-CE) SOBRE O GOVERNADOR DO RIO, LUIZ FERNANDO PEZÃO

para que o setor não se sinta ameaçado.

MIOPIA INTERROMPIDA.

Antes da atual gestão,

o Ministério de Minas e

Energia só privilegiava

o setor elétrico. Biocom-

bustíveis e derivados de petróleo não tinham vez.

Ministro Fernando Filho | WILSON DIAS/AGÊNCIA BRASIL
Ministro Fernando Filho
| WILSON DIAS/AGÊNCIA BRASIL

MEDALHA NO PEITO. O ge-

neral Augusto Heleno de- fende os policiais do Rio de Janeiro. Após enfrentar (e conter) o bandidismo generalizado no Haiti, co- mandando forças da ONU, Heleno os considera os mais corajosos do Brasil.

PODER SEM PUDOR

Promovido com orgulho

O

ta

tima Hora, era diretor- -geral da Assembleia Legislativa do Rio quan- do, em Brasília, Ernesto Geisel demitia o ministro

do Exército, Sílvio Frota.

O general saiu atirando,

num manifesto em que dizia estar o governo “in-

Paulo Silveira, ex-Úl-

destemido jornalis-

festado de comunistas”.

Naquele dia, Paulo rece- beu uma ligação do ir-

mão Joel Silveira, outro patrimônio da imprensa brasileira:

- Aí, hein, foi promovido!

- Promovido a quê?

- À História. Você está na

lista do Sílvio Frota como “subversivo”.

COM ANDRÉ BRITO E TIAGO VASCONCELOS WWW.DIARIODOPODER.COM.BR

06 | { BRASIL } RIO DE JANEIRO, TERÇA-FEIRA, 20 DE FEVEREIRO DE 2018 www.metrojornal.com.br

06|

{BRASIL}

RIO DE JANEIRO, TERÇA-FEIRA, 20 DE FEVEREIRO DE 2018 www.metrojornal.com.br

Como os fósseis entrarão para o museu dos combustíveis

Biomassa. Mesmo com o avanço gradual dos carros elétricos, frota deve passar um bom tempo movida a etanol e novidades como o biometano

ENERGIA LIMPA A utilização dos combustíveis
ENERGIA
LIMPA
A utilização dos combustíveis

fósseis está com os dias conta- dos. A sua escassez em um fu-

turo breve e a crescente con- vicção de sua participação no aquecimento global vêm fa- zendo cidades, países e até montadoras a anunciar pra- zos para o fim da comercia- lização de veículos movidos

à alta quantidade de carbono. No Brasil, ainda não exis- tem metas ou projeções pa- ra limitar ou proibir a ga- solina, o diesel ou o gás natural, mas algumas ini- ciativas governamentais e privadas vêm crescendo pa-

ini- ciativas governamentais e privadas vêm crescendo pa- Usina São Martinho, em Pradópolis-SP, maior processadora

Usina São Martinho, em Pradópolis-SP, maior processadora global de cana-de-açúcar | TADEU FESSEL/UNICA

ra

mudar esse cenário. Em dezembro passado,

 

Série

 
 

o

presidente Michel Temer

 

O Metro Jornal publica hoje a 4ª reportagem da série sobre a geração de energias limpas no país. O tema desta edição é a biomassa.

(PMDB) sancionou o Renova- Bio, programa para incenti-

var a maior utilização de bio- combustíveis, como o etanol

o biodiesel. O setor, que se viu “abandonado” desde a descoberta do pré-sal, agora vê um futuro promissor pe-

e

 

O programa é visto como peça chave para o país cum-

la

frente. “É um conjunto de

prir as metas climáticas as- sumidas no Acordo de Paris, que prevê redução de 43% das emissões de gases estufa ten-

diretrizes que faltava para o Brasil. Preenche uma lacuna

não só para o etanol, mas pa-

ra

todos os biocombustíveis

do 2005 como ano-base. “É

e

opções energéticas se que

fundamental, ele veio justa- mente para isso, dar um nor- te para a cadeia de produção e o etanol pode servir como um dos pilares no setor de trans- portes [que representa 1/3 da demanda energética]”, diz. Uma das metas é dobrar para mais de 50 bilhões de li- tros a produção anual de eta-

possam se extrair da biomas- sa. [O Renova Bio] ainda pre- cisa ser regulamentado neste semestre e deve ser implan- tado a partir de 2020”, decla- rou Alfred Szwarc, consultor de Emissões e Tecnologia da Unica (União da Indústria de Cana-de-Açúcar).

nol até 2030 (hoje na casa dos 26 bi) e emitir certifica- dos de carbonos comprados pelas poluidores. Segundo Szwarc, para sua regulamentação e implanta- ção, o projeto precisa estar ali- nhado ao Rota 2030, que ain- da não está pronto, mas deve ser anunciado em breve. O Rota 2030, voltado às monta- doras, vai estipular uma série

Com emissão de CO 2 que varia entre 70% a 90% me- nos que a gasolina, de acor- do com diversos estudos e o mercado consolidado, o eta- nol da cana-de-açúcar pode representar um ponte sus- tentável até que os carros elétricos evoluam e se tor- nem competitivos. Para o coordenador de Cli- ma e Energia do Greenpea-

de metas de eficiência energé- tica e segurança para os pró-

ce, Ricardo Baitelo, “o gros- so da transição” dos motores

ximos 15 anos, além de con-

a

combustão interna no país

ceder incentivos fiscais. No 1º

viria do álcool e do biodiesel.

de 3 ciclos, a expectativa é de que a eficiência dos automó- veis de passeio melhorem em 12%, ou seja, rendam mais sem ficar mais fracos. “Com esses dois [progra-

Como bom sinal, ele lembrou da lei sancionada em janeiro pela prefeitura de São Paulo, que prevê reduções de CO 2 de 50% em 10 anos e 100% em 20 anos na frota de ônibus.

mas], um na produção e ou- tro na execução, o Brasil vai

mas], um na produção e ou- tro na execução, o Brasil vai BRUNNO

BRUNNO

chegar em gestão eficiente da

BRUGNOLO

bionergia”, completa Szwarc.

METROCURITIBA

Carro elétrico vem, mas quando?

Para o secretário-executivo do Observatório do Clima

e membro da Rede de Espe-

cialistas em Conservação da Natureza, Carlos Rittl, o país está atrasado em relação ao

mundo na eletrificação dos transportes. Segundo ele, uma mudança contundente só ocorrerá na outra meta- de do século. “O Rota 2030 deve inclinar nada ou muito pouco nesse sentido. O pes- soal ligado à indústria na- cional ainda não caminha nesta direção”, diz. Já para Szwarc, a ques- tão não se resume ao Brasil,

mas ao mundo em si. “É cla- ro que em que países ricos e

pequenos, com elevadíssima consciência ambiental, você pode dizer que há um avan- ço maior no mercado, como na Noruega – local de maior penetração dos elétricos – e Holanda, mas nos EUA e Ca- nadá não chega a 1% de par- ticipação”, relatou. Ele cita os recorrentes pre- juízos da norte-americana Tesla, empresa automotiva símbolo do setor, que na se- mana passada anunciou per- das de US$ 675 milhões só no 4º trimestre de 2017. “O mun-

do vai caminhar para isso, mas não na velocidade que se imaginou no começo. A falta de infraestrutura ainda é um problema muito sério. Um belga me contou na COP 23 [em novembro passado] que o vizinho dele de Bruxelas com- prou um carro elétrico há seis meses e está brigando com a prefeitura e o síndico do con- domínio para instalar um ponto de recarga”, contou. Para Szwarc, até que os veí- culos elétricos atinjam maior autonomia, preços baratos e tenham infraestrutura neces- sária será preciso no mínimo

de duas a três décadas.

Híbrido flex Um possível primeiro passo para a eletrificação no país pode acontecer com a chega-

da de modelos híbridos flex.

A Toyota confirmou no mês

passado que já faz testes no Brasil com um Prius híbrido bicombustível, que seria 1º do mundo. A expectativa é que ainda neste ano a montadora revele os resultados do veícu- lo, que pode até ser produzido aqui. Uma vez lançado, pode forçar outras montadoras ao mesmo.

Uma vez lançado, pode forçar outras montadoras ao mesmo. METRO CURITIBA Resíduos orgânicos e esgoto viram

METRO CURITIBA

Resíduos orgânicos e esgoto viram combustível, energia elétrica e fertilizante

A alta carga orgânica e deje- tos de suínos eram um pro- blema no reservatório de Itai- pu, há pouco mais de uma década. Algumas áreas do la- go chegavam a pegar fogo em virtude do gás de pânta- no (metano). A solução en- contrada pelos técnicos de- signados pela hidrelétrica foi tratar toda essa biomassa em biodigestores, tendo com re- sultado o biogás e, partir de- le, a geração de energia elé- trica ou térmica. Assim nasceu o CIBio- gás (Centro Internacional de Energias Renováveis-Biogás), instituição científica, tec- nológica e de inovação sem fins lucrativos, hoje formada por 22 instituições. “Nos últi- mos quatro anos, o biogás ga- nhou notoriedade e surgiu um mercado que não existia. Posso produzir biogás com qualquer material orgânico, dejetos de aves, suíno, bovi- no, cana e aterro, mais que uma própria Itaipu”, diz o di-

retor-presidente do CIBiogás, Rodrigo Régis. No oeste do Paraná, já são 11 unidades de produção do biogás em granjas e fazendas, resolvendo o passivo ambien- tal e gerando segurança ener- gética. “Aumentou a competi- tividade do agronegócio, uma nova economia com cadeia de valor, suprimentos e servi- ços”, conta Régis.

Segundo o diretor presi- dente do CIBiogás, nos últi- mos anos, a oferta do produto cresceu 50% e sua capacidade de penetração na matriz ener- gética é imensa. “É um ocea- no não explorado hoje, nem 1% do potencial que tem”. Além da possibilidade de gerar energia elétrica e térmi- ca e ser armazenado, ao con- trário de outras energias lim- pas com a solar e a eólica, o biogás pode virar biometano,

combustível com as caracte- rísticas exatas do gás natural, que pode ser utilizado em car- ros preparados para GNV. No ano passado o biome- tano foi regulamentado co- mo combustível veicular pe-

la ANP (Agência Nacional do

Petróleo, Gás Natural e Bio- combustíveis). Também em

2017, em parceira com o CI- Biogás, a Itaipu inaugurou uma Unidade de Demonstra- ção de Biogás e Biometano,

a primeira do país a utilizar

como matéria-prima uma mistura de esgoto, restos or- gânicos de restaurantes e po- da de grama da usina (e não só dejetos). A produção atual

de 4 mil m 3 por mês abaste- ce 80 veículos da frota (800 km/mês) com custo de R$ 0,26 o m³, mais barato que etanol e gasolina. Outros 300 mil litros de biofertili- zante são produzidos como subproduto.

litros de biofertili- zante são produzidos como subproduto. METRO CURITIBA Frota de biometano evita emissão de

METRO CURITIBA

zante são produzidos como subproduto. METRO CURITIBA Frota de biometano evita emissão de 4t de CO

Frota de biometano evita emissão de 4t de CO 2 ao mês | DIVULGAÇÃO/ITAIPU BINACIONAL

RIO DE JANEIRO, TERÇA-FEIRA, 20 DE FEVEREIRO DE 2018 www.metrojornal.com.br

Refinarias respondem por 1/6 da elevação da gasolina, diz Petrobras

Reajustes. Companhia passa a divulgar preços médios dos combustíveis comercializados em suas refinarias e terminais no país. Valor da gasolina aumentará 1,8% a partir de hoje

A Petrobras anunciou ontem

que passará a divulgar em seu site os preços médios da gaso- lina e do diesel, sem tributos, comercializados em suas refi- narias e terminais no país. No antigo modelo de divulgação,

a empresa apresentava os per- centuais de reajustes diários. Paralelamente, a petro- leira elevou em 1,5% o pre- ço do diesel vendido às distri- buidoras a partir de hoje, a R$ 1,7369 o litro, e em 1,8% o da gasolina, a R$ 1,5148 o litro. Em comunicado, a empre-

sa afirmou ainda que os rea-

justes feitos nas refinarias responderam por apenas por cerca de 1/6 do aumento to- tal aplicado no preço final da gasolina nos postos desde de outubro de 2016, quando foi adotada a nova política de preços da Petrobras. De acordo com dados da ANP (Agência Nacional do Petróleo), o preço médio da gasolina passou de R$ 3,69 no período para R$ 4,23 por litro em fevereiro de 2018.

“Houve, portanto, uma va- riação de R$ 0,54. Neste to- tal, os ajustes feitos pela Pe- trobras respondem por R$ 0,09, ou seja, um sexto do ajuste total”, disse a estatal. Segundo a empresa, os custos da Petrobras represen- tam, em média, 28% do preço pago pelos consumidores pe- la gasolina. Os demais 72% re- ferem-se a tributos, custo do etanol anidro e margens de distribuição e revenda. Com a mudança na forma de divulgação de preços, a

Petrobras pretende dar mais transparência à composição do valor final dos combustí- veis. A decisão ocorre após o governo apontar que redu- ções implementadas pela pe- troleira não estavam chegan- do às bombas. Na ocasião, os setores de distribuição e re- venda de combustíveis do Brasil refutaram os comentá- rios das autoridades culpan- do a elevada carga de tribu- tos pela alta nas cotações aos consumidores finais. METRO

alta nas cotações aos consumidores finais. M E T R O ÚLTIMOS AJUSTES Preços médios às

ÚLTIMOS AJUSTES

Preços médios às distribuidoras sem tributos, em R$/litro

2.00 DIESEL A GASOLINA A 1,8165 1,7698 1,7657 1,7243 1,7369 1.75 1,7112 1,5732 1,5259 1,5259
2.00
DIESEL A
GASOLINA A
1,8165
1,7698
1,7657
1,7243
1,7369
1.75
1,7112
1,5732
1,5259
1,5259
1,5148
1,4877
1,4660
1.50
1.25
8/2
9/2
10/2
16/2
17/2
20/2

C O M P O S I Ç Ã O DE PREÇOS AO CONSUMIDOR

DISTRIBUIÇÃO

DISTRIBUIÇÃO

E

REVENDA

CUSTO DO

CUSTO DO

BIODIESEL/

ETANOL ANIDRO

ICMS

ICMS

CIDE, PIS/PASEP

CIDE, PIS/PASEP

E

COFINS

REALIZAÇÃO

REALIZAÇÃO

DA PETROBRAS

DIESEL 15% 49% 6% 16%
DIESEL
15%
49%
6%
16%

14%

GASOLINA

14%

28% 16% 29%
28%
16%
29%

13%

FONTE: PETROBRAS, ANP E CEPEA/USP

14% 28% 16% 29% 13% FONTE: PETROBRAS, ANP E CEPEA/USP Unicef e Facebook criam robô contra

Unicef e Facebook criam robô contra pornografia de vingança

O Unicef e o Facebook apre-

sentaram ontem uma plata- forma de inteligência artifi-

cial para ajudar adolescentes

e jovens a compreender os

riscos de se compartilhar imagens íntimas na internet. Por meio da plataforma,

batizada de Caretas, adoles- centes a partir de 13 anos poderão interagir através de um bot no Messenger com

a personagem fictícia Fabi,

uma jovem que está se re- cuperando do fim de um re- lacionamento quando des- cobre que seu ex-namorado vazou um vídeo íntimo dos dois. Também serão apre- sentadas formas efetivas de buscar ajuda em casos de violência on-line, como a ONG SaferNet Brasil (www. helpline.org.br). Para iniciar uma conver- sa com a Fabi, basta entrar

Personagem fictícia Fabi conversará com adolescentes | REPRODUÇÃO/FACEBOOK
Personagem fictícia Fabi conversará com adolescentes | REPRODUÇÃO/FACEBOOK

em www.facebook.com/Pro- jetoCaretas/ e clicar em “En- viar Mensagem”. O sistema foi testado com 7,4 mil adolescentes entre junho e novembro de 2017, totalizando 1,6 mi- lhões de mensagens. Pouco mais de 40% deles concluiu

a experiência. Destes, ape- nas 39,7% declararam saber o que era sexting e como se proteger da violência on-li- ne e do cyberbullying antes de participar da experiên- cia. Após a conclusão dos passos, o percentual cresceu para 90,5%. METRO

dos passos, o percentual cresceu para 90,5%. M E T R O Pesquisa. Só 21% dos
dos passos, o percentual cresceu para 90,5%. M E T R O Pesquisa. Só 21% dos

Pesquisa. Só 21% dos brasileiros conseguem guardar dinheiro

Dois em cada 10 brasileiros (21%) guardaram dinheiro em dezembro passado, en- quanto 71% não consegui- ram poupar nada. Segundo pesquisa do SPC Brasil, en- tre os brasileiros que não pouparam nada, 40% jus- tificaram o fato pela ren- da muito baixa. Outros 13% disseram não ter controle dos gastos e disciplina para guardar dinheiro. “O alto desemprego e a queda da renda de fato pe- sam, mas também há ne- gligência com as próprias finanças. Um controle ade- quado do orçamento pode fazer a diferença entre ter e não ter dinheiro sobrando no fim do mês”, disse a eco- nomista-chefe do SPC Bra- sil, Marcela Kawauti. METRO

do SPC Bra- sil, Marcela Kawauti. M E T R O { ECONOMIA } 07 |
do SPC Bra- sil, Marcela Kawauti. M E T R O { ECONOMIA } 07 |

{ ECONOMIA }

07 |

sil, Marcela Kawauti. M E T R O { ECONOMIA } 07 | Atividade. ‘Prévia’ do

Atividade. ‘Prévia’ do PIB avança 1,04% em 2017

Após dois anos de profun- da crise econômica, o Brasil voltou a crescer em 2017. O IBC-Br (Índice de Atividade Econômica do Banco Cen- tral), um espécie de sinali- zador do PIB, subiu 1,04% no ano passado. Somente em dezembro, o índice teve alta de 1,41% ante novembro. Com isso, o IBC-Br fechou o quarto trimestre do ano com expansão de 1,26% sobre o terceiro trimestre. O mercado já vinha tra- balhando com a expectativa de um resultado no azul em 2017, ano marcado por ex- pressiva diminuição dos ju- ros básicos diante da infla- ção baixa. Os dados oficiais do PIB em 2017 serão divul- gados em 1º de março. Economistas ouvidos pela mais recente pesquisa Focus do BC calculam alta de 1,03%

2,80%

é a projeção de analistas do mercado financeiro consultados pelo Banco Central para o crescimento do PIB neste ano

para o PIB em 2017, após o

forte tombo de 3,5% tanto em 2016 quanto em 2015. O IBC-Br corrobora a leitu-

ra de recuperação gradual na

economia. Em 2017, tanto a indústria quanto o varejo fe- charam o ano no campo posi-

tivo, crescendo 2,5% e 2%, res- pectivamente. Por outro lado,

o setor de serviços encolheu

2,8%, terceiro ano seguido de retração. Para 2018, o merca- do estima uma expansão de 2,80% do PIB, ante alta de 3% prevista pelo governo. METRO

PIB, ante alta de 3% prevista pelo governo. M E T R O Mercados. Bolsa tem
PIB, ante alta de 3% prevista pelo governo. M E T R O Mercados. Bolsa tem

Mercados. Bolsa tem leve alta; dólar sobe a R$ 3,23

Sem a referência das bolsas de Wall Street, fechadas por feriado nos Estados Unidos, o Ibovespa encerrou ontem em alta de 0,32%, a 84.792 pontos. Já o dólar avançou 0,43%, a R$ 3,2350 na venda. Internamente, o foco dos investidores esteve na votação, ontem à noite, do decreto de intervenção fe- deral na segurança pública do Rio de Janeiro no Con-

gresso e que deve atrapa- lhar a apreciação da refor- ma da Previdência. “A maioria dos analistas, ao longo dos últimos meses, também se tornou cética Mas vale notar: após a re- visão do rating pela S&P, e sem a reforma da Previdên- cia, espere novas revisões da nota de crédito”, disse- ram os analistas da Guide Investimentos. METRO

ram os analistas da Guide Investimentos. M E T R O     Games   Impostos
   

Games

 

Impostos

 
 

DREW ANGERER/GETTY IMAGES

 
 
Venda de console é liberada no Brasil
Venda de console
é liberada no Brasil

Anatel homologa Nintendo Switch

Gates:bilionários devem pagar mais

Bill Gates declarou ter pa- go mais de US$ 10 bilhões de impostos ao longo de sua vida, mas disse acredi- tar que bilionários como ele deveriam pagar “bem mais” tributos, pois se be- neficiam mais do sistema. Em entrevista à “CNN”, o

A

Anatel (Agência Nacio-

segundo homem mais ri- co do mundo criticou a re- cente reforma fiscal dos Estados Unidos, que redu- ziu impostos sobre as em- presas. Para ele, a reforma beneficia os ricos, apesar de alegações dos republi- canos de que ela favorece as classes média e traba- lhadora. METRO

os ricos, apesar de alegações dos republi- canos de que ela favorece as classes média e
 

nal de Telecomunicações) concedeu homologação para o console de video- game Nintendo Switch no início deste mês, no

que pode indicar uma possível volta de produ-

tos oficiais da marca no Brasil. A empresa anun- ciou em janeiro de 2015

a

interrupção da distri-

YANA PASKOVA/GETTY IMAGES

Bilionário critica reforma nos EUA
Bilionário critica
reforma nos EUA

buição de seus produtos no país, citando altos im- postos de importação en- tre os motivos da decisão. METRO

buição de seus produtos no país, citando altos im- postos de importação en- tre os motivos
  RIO DE JANEIRO, TERÇA-FEIRA, 20 DE FEVEREIRO DE 2018 08 | { MUNDO }
 

RIO DE JANEIRO, TERÇA-FEIRA, 20 DE FEVEREIRO DE 2018

08|

{MUNDO}

www.metrojornal.com.br

Trump apoia pela 1 a vez mais rigor em lei de armas

Após massacre. Casa Branca diz que presidente defende projeto para melhorar verificação de antecedentes criminais

Pressionado principalmente por estudantes após novas mortes em escola causadas

por um atirador, o presiden-

te Donald Trump demons- trou ontem que pode apoiar medidas mais rígidas no acesso às armas no país. A porta-voz da Casa Bran- ca, Sarah Sanders, disse em comunicado que Trump con- versou com o senador repu- blicano John Cornyn sobre a legislação de armas no país. Ele é autor em parceria com

o senador democrata Chris

Murphy de projeto para me- lhorar o controle federal de verificações de antecedentes criminais para interessados em armamento. “Enquanto discussões es- tão em curso e revisões es- tão sendo consideradas, o

Atirador participou de audiência ontem em tribunal | MIKE STOCKER/POOL/REUTERS
Atirador participou de audiência ontem em tribunal | MIKE STOCKER/POOL/REUTERS

presidente apoia esforços para melhorar o sistema fe- deral de verificação de ante- cedentes”, disse Sanders. Trump evitou até agora defender restrições ao aces- so às armas.

Na quarta-feira passa- da, o ex-estudante Nikolas Cruz invadiu a escola de en- sino médio Marjory Stone- man Douglas, em Parkland, na Flórida, e matou a tiros 17 pessoas. Em pronuncia-

mentos após o ataque, o presidente associou o caso a “perturbação mental”. Ontem, estudantes volta- ram a protestar no país por leis mais rígidas. Em Wa- shington, 17 deles se deita- ram por três minutos em frente à Casa Branca pa-

ra simbolizar as vítimas do

ataque. Passeatas lideradas por estudantes estão agen-

dadas para acontecer em março e abril no país. O atirador fez ontem sua primeira aparição ao vivo em um tribunal do Con-

dado de Broward, onde es-

tá detido e responderá por

17 homicídios. Cruz vestia macacão vermelho, se re- cusou a falar e manteve o

olhar baixo durante toda a audiência METRO

o olhar baixo durante toda a audiência M E T R O Feira traz rifles e

Feira traz rifles e munição

Uma megafeira de armas foi realizada no fim de sema- na em Miami, na Flórida, a uma hora da escola de Park- land, onde ocorreu o tiroteio

na quarta-feira. Com entrada gratuita para crianças de até 9 anos, o Flórida Gun Show re- uniu 600 expositores e gran- de quantidade de rifles, fa- cas e munição. Entre os itens mais procurados, estava a AR- 15, utilizada pelo atirador Ni- kolas Cruz. Os organizadores

explicaram em comunicado que a intenção não era des- respeitar as vítimas, mas o evento não poderia ser adia- do porque era anunciado há muito tempo. METRO

do porque era anunciado há muito tempo. M E T R O Resgate ainda não encontrou
do porque era anunciado há muito tempo. M E T R O Resgate ainda não encontrou

Resgate ainda não encontrou destroços de avião no Irã

Um dia após a queda de um avião com 65 pessoas a bor-

do no Irã, as equipes de resga-

te ainda não conseguiram en-

contrar destroços do acidente. A aeronave da compa- nhia Aseman Airlines, que partiu de Teerã e seguia em direção à cidade de Yasuj, de- sapareceu das telas de radar 50 minutos após decolar.

Acredita-se que a que- da tenha ocorrido em uma área montanhosa perto da

cidade de Semirom, e que nenhuma das pessoas a bor- do tenha sobrevivido. “Estamos enfrentando um enigma total. Não sabe- mos nada sobre o acidente”, disse o ministro de Rodovias e Desenvolvimento Urbano

do Irã, Abbas Akhoundi, se- gundo a agência de notícias Tasnim, logo após chegar ao distrito de Semirom. Acidentes de avião são comuns no Irã por conta da idade avançada da frota. A indústria aérea iraniana é submetida desde 1995 a em- bargo dos Estados Unidos.

é submetida desde 1995 a em- bargo dos Estados Unidos. METRO Vulcão cobre Indonésia com nuvem

METRO

Vulcão cobre Indonésia com nuvem de fumaça O vulcão Sinabung entrou em erupção novamente na

Vulcão cobre Indonésia com nuvem de fumaça

O vulcão Sinabung entrou em erupção novamente na Indonésia gerando alertas para voos e obrigando

30 mil pessoas a deixarem suas casas em comunidades vizinhas. De acordo com a agência de notícias

“Ansa”, nuvens de fumaça de mais de sete quilômetros de altura encobriram a região. Na imagem acima,

a cidade de Brastagi, em Karo, no norte de Sumatra | ANTARA FOTO/TIBTA PERANGINANGIN/ VIA REUTERS

de Sumatra | ANTARA FOTO/TIBTA PERANGINANGIN/ VIA REUTERS Equipe de emergência percorre região da queda |

Equipe de emergência percorre região da queda | TASNIM NEWS AGENCY /REUTERS

percorre região da queda | TASNIM NEWS AGENCY /REUTERS Colômbia. Violência obrigou800deslocamentos A ONU

Colômbia. Violência

obrigou800deslocamentos

A ONU (Organização das

Nações Unidas) estima que cerca de 800 pessoas fo- ram obrigadas a se deslo- car do noroeste da Colôm- bia por conta da violência imposta por disputas no tráfico de drogas. “Expressamos nossa preocupação sobre a per- sistência do deslocamento forçado de populações in- dígenas e de comunidades agrícolas nas áreas rurais de Cáceres, que do dia 19 de ja- neiro até hoje afetou ao me- nos 822 pessoas”, disseram em comunicado a Comis- são de Direitos Humanos da

ONU e o Alto Comissariado da ONU para Refugiados. As agências também ex- pressaram preocupação so- bre o aumento no número de assassinatos na área de Bajo Cauca. Os conflitos são lidera- dos pelo ELN (Exército de Libertação Nacional), que luta com outros grupos cri- minosos pelo controle de áreas antes comandadas pe- las Farc (Forças Armadas Re- volucionárias da Colômbia). A guerrilha foi desmobiliza- das no ano passado após um acordo de paz com o gover- no colombiano. METRO

A guerrilha foi desmobiliza- das no ano passado após um acordo de paz com o gover-

O

QUE

CABE

EM

UM

DIA?

PERDER

DEFINITIVAMENTE

A

BARRIGA?

NÃO

CABE.

APRENDER

A

NÃO

FALAR

JAPONÊS?

CABE.

PROVAR

TODOS

OS

SABORES

DE

INFELIZMENTE,

SORVETE

DO

NÃO

MUNDO?

CABE.

SABER

TUDO

NÃO

SOBRE

VINHOS?

CABE.

E

SOBRE

VINHO

TAMBÉM

TINTO?

NÃO.

DECORAR

OS

5.570

NÃO

MUNICÍPIOS

BRASILEIROS?

CABE.

BOTAR

O

ASSUNTO

IH,

EM

DIA

COM

OS

AMIGOS

DO

COLÉGIO?

ESQUECE.

DISCUTIR

A

RELAÇÃO?

MELHOR

NÃO.

VIRAR

UM

NÃO

MAGO

DA

BOLSA?

CABE.

CONTAR

OS

BURACOS

DA

RUA,

VER

TODAS

AS

PEÇAS

EM

CARTAZ,

ENTENDER

COMO

O

BIG

DATA

PODE

SER

APLICADO

AO

FUTEBOL?

NÃO

CABE.

 

SABER

TUDO

QUE

 

INTERESSA

DE

 

TODOS

OS

ASSUNTOS,

 
 

DE

 

UM

JEITO

 

RÁPIDO

 

E

MODERNO,

 

SEM

SAIR

DO

SEU

CAMINHO?

 
 

CABE.

 

É

 

LER

 

O

 

METRO.

 

O

M

A

I

O

R

J

O

R

N

A

L

D

O

M

U

N

D

O ,

C

O

M

 

3

7

E

D

I

Ç

Õ

E

S

D

I

Á

R

I

A

S

E

G

R

A T

U

I

T A

S

P A

R

A

1

6

M

I

L

H

Õ

E

S

D E

 

LEITORES

EM

21

PAÍSES.

COM

10

EDIÇÕES

E

MAIS

DE

400

MIL

EXEMPLARES

NO

BRASIL.

 
   
     
     
     
     
 
 

INFORMAÇÃO

QUE

CABE

 

NO

 

SEU

DIA.

 
RIO DE JANEIRO, TERÇA-FEIRA, 20 DE 10| {CULTURA} FEVEREIRO DE 2018 www.metrojornal.com.br Lulu faz shows
RIO DE JANEIRO, TERÇA-FEIRA, 20 DE
10|
{CULTURA}
FEVEREIRO DE 2018
www.metrojornal.com.br
Lulu faz shows no
Vivo Rio, em abril
Canta,
baby!

ZANONE FRAISSAT/FOLHAPRESS

Nova turnê. Há mais de um ano longe dos palcos, Lulu Santos se prepara para estrear giro nacional, que contará com músicas do disco ‘Baby, Baby!’, um tributo à Rita Lee, e com hits que marcaram os 45 anos de carreira do cantor

Com 45 anos de carreira, a quantidade de palcos em que Lulu Santos já pisou é praticamente incontável. Mas, mesmo para quem já vendeu mais de sete milhões de discos, a empreitada pa- ra qual o cantor de 64 anos se prepara para entrar é sig- nificativa: ele será o primei- ro artista nacional a ter uma turnê organizada pela Li- ve Nation, que já trabalhou com nomes como Lady Ga- ga, Bruno Mars e P!nk. “É o ponto mais alto em que já estive. Em toda mi- nha vida, busquei esse pa- tamar em que pudesse fa-

“Vou cantar umas seis músicas do disco. Mas tenho que honrar a vontade das pessoas [por músicas minhas].”

LULU SANTOS, CANTOR

zer música com conforto e qualidade, que é o que que- remos oferecer ao público”, comemora o cantor. A turnê “Canta Lulu!” es- treia nos dias 6 e 7 de abril, no Vivo Rio, e percorrerá mais de 20 cidades brasi- leiras (os ingressos já estão

à venda no site www.even-

tim.com.br e custam entre R$ 160 e R$ 340). O show marcará o fim do hiato de um ano meio no qual o artista não pisa em um palco. “[O período] me deu um pouco de pers- pectiva de quem eu sou, além do artista. O que mais gosto da minha vida, além do trabalho”, conta. Para Lulu, no entanto, a ideia de ano sabático é um pouco diferente da defini- ção convencional. Além de, mais uma vez, atuar como jurado na sexta edição do reality musical “The Voi-

“BABY, BABY!” LULU SANTOS UNIVERSAL MUSIC R$ 20 (DISPONÍVEL EM STREAMING)
“BABY, BABY!”
LULU SANTOS
UNIVERSAL MUSIC
R$ 20
(DISPONÍVEL EM
STREAMING)

ce Brasil”, da TV Globo, ele também lançou o álbum “Baby, Baby!”, um tributo às cinco décadas de carreira da amiga Rita Lee, 70 anos. “O gatilho para eu que- rer fazer o disco foi ler a au- tobiografia. Para escolher as músicas, eu tive que cir- cular o fato de tudo ser tão femininino e, portanto, tão feminista”, revela.

DIVULGAÇÃO

ANGELA MARIA Aos 88 anos, cantora faz hoje um show em tributo a Roberto e
ANGELA
MARIA
Aos 88 anos, cantora faz hoje
um show em tributo a Roberto
e Erasmo Carlos em
Copacabana

Antes de lançar o álbum “Angela Maria e as Can- ções de Roberto e Eras- mo”, a cantora de 88 anos fez questão de pedir auto- rização ao Rei. “Qual com- positor não gostaria de ter uma música cantada por você?”, questionou Ro- berto. Com o aval de um dos homenageados, An- gela apresenta, hoje, fai- xas do disco na Sala Mu- nicipal Baden Powell, em Copacabana.

Como surgiu a ideia para o projeto? Sempre que lanço um CD, eu incluo músicas do Ro- berto. A ideia de fazer um disco só com músicas dele surgiu de um produtor, que sugeriu para o meu empre- sário. Eu achei sensacional e disse a eles: ‘Vamos ver se ele deixa.’

Você foi pedir autorização ao Roberto Carlos? Fomos assistir a um show

dele em São Paulo e ele me recebeu no camarim com

muito entusiasmo, alegria e simpatia. Explicamos a ele que tínhamos essa missão,

e ele respondeu: ‘Qual com-

positor não gostaria de ter uma música cantanda pe- la Angela? Ela pode gravar o que ela quiser’. Sou a única cantora que gravou 10 músi- cas do Roberto. É mais uma vitória para minha carreira.

Como você explica tantos

anos de sucesso? Sempre dei uma atenção es- pecial aos meus fãs. Eu sou inteiramente do meu públi- co. Faço todas as vontades

deles.

do meu públi- co. Faço todas as vontades deles. METRO RIO Não perca! Sala Municipal Baden

METRO RIO

Não perca!

Não perca! Sala Municipal Baden Po- well (av. Nossa Senhora de Copacabana, 360, Copacaba- na. Tel.:
Sala Municipal Baden Po- well (av. Nossa Senhora de Copacabana, 360, Copacaba- na. Tel.: 2547-9147).

Sala Municipal Baden Po- well (av. Nossa Senhora de Copacabana, 360, Copacaba- na. Tel.: 2547-9147). Hoje, às 19h. R$ 80. Livre.

Mas os fãs que acreditam na possibilidade de uma co- laboração entre os dois ar- tistas podem esquecer: “Eu

não incomodaria a Rita para solicitar uma coisa dessas”, afirma Lulu. O repertório do show, no entanto, não será apenas formado por músicas da Ri-

ta Lee: os hits de Lulu San-

tos também marcarão pre- sença. “Eu preciso honrar a vontade das pessoas de me verem e de celebrarem essa liturgia, esse ritual do habi- tual, de irem lá e reconhece- rem o que estão acostuma- das”, diz. METRO RIO

que estão acostuma- das”, diz. M E T R O R I O Mangueira. Comunidades do
que estão acostuma- das”, diz. M E T R O R I O Mangueira. Comunidades do

Mangueira. Comunidades do Rio recebem teatrogratuito

Aproximar o universo do teatro ao público infatojuve- nil. É com essa proposta que

o projeto Circuito Cultural

da Cidadania chega, hoje, à Vila Olímpica da Mangueira,

na zona norte, com apresen- tação gratuita do espetáculo “Faixa Amarela”. Através de experiências sensoriais, a peça propõe uma viagem ao mundo dos brinquedos infatis, como o trem e o carrinho de mão.

O espetáculo passará ainda

por diversas outras comu- nidades cariocas, entre elas Rocinha e Cantagalo, ambas na zona sul. METRO RIO

e Cantagalo, ambas na zona sul. M E T R O R I O No Ginásio

No Ginásio Carlos Dória, na Vi- la Olímpica da Mangueira (rua Santos Mello, 73, São Francisco Xavier. Tel.: 2218-5238), Hoje, às 9h e às 14h. Grátis. Livre.

RIO DE JANEIRO, TERÇA-FEIRA, 20 DE FEVEREIRO DE 2018 www.metrojornal.com.br

20 DE FEVEREIRO DE 2018 www.metrojornal.com.br { CULTURA } 11 | ARUN GANDHI Neto de Mahatma

{ CULTURA }

11 |

ARUN GANDHI Neto de Mahatma Gandhi compartilha histórias de sua infância com o avô em
ARUN GANDHI
Neto de Mahatma Gandhi compartilha histórias de sua infância com o avô em seu mais recente livro,
‘A Virtude da Raiva’. Ao Metro Jornal , o autor comenta como mudanças pessoais afetam o mundo
‘PRECISAMOS MUDAR’
Mahatma Gandhi (1869 -
1948) teve grande influência
sobre seu neto que, aos 84
anos, conta no livro “A Virtu-
de da Raiva” as lições apren-
didas com o avô ao vê-lo lidar
com injustiça e racismo.
Arun Gandhi conta a
transição emocional que vi-
veu na juventude, da raiva
para a não violência. O au-
tor aborda também refle-
xões atuais de seu cotidiano
como ativista humanitário.
Jornalista e presidente
do Gandhi Worldwide Edu-
cation Institute, Arun, que é
sul-africano, dedica sua vida
a continuar o legado de seu
mestre.
remos gerar mais confli-
tos na sociedade ou se que-
remos informá-la da forma
correta. Se escrevermos ar-
tigos e posts com a inten-
ção de informar e educar as
pessoas, vamos ter um ce-
nário diferente. Mas, se a
intenção for de prejudicar,
então conseguiremos ape-
nas mais estragos.”
“A VIRTUDE
DA RAIVA”
ARUN GANDHI
EDITORA SEXTANTE
R$ 29,90 (LIVRO)
R$ 20 (E-BOOK),
176 PÁGS.
através de si, mude o resto.
Assim a revolução aconte-
ce. Em vez de responder ao
ódio com ódio, responda-
mos com amor.”
a
é
apenas sobre os políti-
Redes sociais
“Precisamos decidir se que-
Gerenciamento da raiva
“As pessoas precisam en-
tender o que é a não-violên-
cia. Não é uma solução polí-
tica, mas de transformação
pessoal. Se esperarmos que
as mudanças venham de ci-
ma para baixo, nada vai
mudar. A mudança tem que
vir da base. Comece a mu-
dança por você mesmo e,
Passar à frente a sabedoria
“Quando meu avô foi assas-
sinado, fiquei muito per-
turbado e com raiva. Disse
a meus pais que queria ter
matado a pessoa que fez is-
so, mas eles me lembraram
que meu avô não aprovaria
esse tipo de atitude. Lem-
brei das lições que Gandhi

DIVULGAÇÃO

me ensinou e decidi que a partir dali iria dedicar a mi- nha vida a fazer com que esse tipo de violência não acontecesse mais. Desde en- tão dedico o meu tempo a ensinar as pessoas a muda- rem e a entenderem que de- vem se dedicar a algo bom.”

Atuais líderes mundiais “Precisamos ficar atentos

um ponto: a questão não

cos, mas sobre todos nós. Se não começarmos a redefi- nir nossos valores, não po- deremos esperar que os po- líticos mudem. Eles não são alienígenas, o que eles fa- zem reflete os valores da so- ciedade. Nós precisamos co- meçar a mudar.” METRO RIO

precisamos co- meçar a mudar.” M E T R O R I O Livro propõe ‘sensibilizar’

Livro propõe ‘sensibilizar’ a política pela poesia

O Livro propõe ‘sensibilizar’ a política pela poesia Coletânea de poemas reflete sobre temas diversos |

Coletânea de poemas reflete sobre temas diversos | RICARDO MARTINS/DIVULGAÇÃO

Em meio a um cenário de intensa polarização, em que lados opostos do espectro político pouco dialogam en- tre si, o escritor curitibano Luis Felipe Leprevost afirma ter uma arma inusitada para sensibilizar o debate: a poe- sia. Com essa proposta, Le- prevost pretende fazer de seu novo livro, “Tudo Urge no Meu Estar Tranquilo”, um veículo de resistência à dete- rioração das relações sociais. “Estamos tomados por uma onda de verdades ab-

solutas e por um apontar de dedos. Mas a arte não fun- ciona dessa forma. Ela cha- ma para a reflexão e a sensi- bilização”, analisa o escritor. Dividida em três partes, a coletânea de poemas se de- bruça sobre temas diversos. Na primeira, que leva o no- me da obra, o autor se lan- ça pelo caminho do autoco- nhecimento, em que reflete sobre sua mudança de Curi- tiba, no Paraná, para o Rio de Janeiro. “Comecei a ler obras de poetas da cidade e

Rio de Janeiro. “Comecei a ler obras de poetas da cidade e “TUDO URGE NO MEU

“TUDO URGE NO MEU ESTAR TRANQUILO” LUIZ FELIPE LEPRESVOT ED. ENCRENCA R$ 48 LUIZ FELIPE LEPRESVOT ED. ENCRENCA R$ 48

isso foi me alimentando de sobremaneira”, explica. O segundo momento do livro, intitulado “Isso Sem- pre Me Pareceu Furioso”, aborda o ciclo de um amor perdido e reencontrado. “Acho que a revolução só é possível por meio da sensi-

bilização”, opina. A política assume o pro- tagonismo na última par- te, “Cidades do Século XXI”, que critica os caminhos pe- los quais a sociedade tem percorrido. “A minha poesia

pode ser política, mas não no sentido panfletário, por- que o planfeto tem aspecto binário”, argumenta. “A poesia serve para que

a pessoa dialogue consigo mesma e, em um caso ex- tremo, para manter o poe-

ta

vivo”, finaliza. METRO RIO

o poe- ta vivo”, finaliza. M E T R O R I O Lançamentos “A MULHER
Lançamentos “A MULHER “O MISTÉRIO “UM CAVALHEIRO EM MOSCOU” AMOR TOWLES INTRÍNSECA, R$ 49,90 (LIVRO)
Lançamentos
“A MULHER
“O MISTÉRIO
“UM CAVALHEIRO
EM MOSCOU”
AMOR TOWLES
INTRÍNSECA,
R$ 49,90 (LIVRO)
R$ 34,90 (E-BOOK),
464 PÁGS.
“SOL E SONHOS
EM COPACABANA”
ALIEL PAIONE
EDITORA
PANDORGA,
R$ 39,90,
381 PÁGS.
“MÚSICA DE
NA ESCADA”
DOS ÁRBITROS
MONTAGEM
BERNHARD
ADORMECIDOS”
SERGIO MOLINA
SCHLINK
ROBERTO SANTIAGO
É REALIZAÇÕES
EDITORA RECORD,
EDITORA SM,
EDITORA,
R$ 39,90,
R$ 46,
R$ 39,90,
210 PÁGS.
“SERAFINA E A
CAPA PRETA”
ROBERT BEATTY
ED. VALENTINA,
R$ 34,90 (LIVRO)
R$ 27,90 (E-BOOK),
240 PÁGS.
296 PÁGS.
200 PÁGS.
Romance conta a história do
Conde Aleksandr Rostov
cinco anos após a Revolução
Russa. O Conde se vê
prisioneiro em um dos hotéis
mais luxuosos de Moscou
representando a decadente
aristocracia russa. Nessa
condição, faz amizade com
os criados e descobre o que
há por trás dos panos da
opulência do hotel.
Ambientada no período da
República Velha, a obra traz
um triângulo amoroso
entre um embaixador
francês, uma meretriz e um
senador da República. O
livro explora questões
emocionais ao mesmo
tempo em que induz
reflexões sobre aspectos
políticos e históricos da
república do café com leite.
Do autor do best-seller “O
Leitor”, o livro gira em torno
da pintura de uma mulher
descendo as escadas. No
passado, a personagem
retratada no quadro se
envolveu em um triângulo
amoroso com o marido, o
pintor da tela e um advogado,
que narra os episódios dessa
trama de traição, obssessão e
intrigas.
Primeiro livro da coleção
espanhola “Os Futebolíssi-
mos”, que traz as aventuras
do time de futebol de uma
escola. Cada volume mostra
jogadas, fatos e personagens
históricos do futebol
mundial ao mesmo tempo
em que ensina sobre
trabalho em equipe e
amizade. A série já tem 12
publicações na Espanha.
Em “Música de Montagem
- A Composição de Música
Popular no Pós-1967”, o
autor explora como os
formatos da arte contempo-
rânea mudaram a forma de
se fazer música popular. A
obra tem a intenção de
oferecer ferramentas para o
estudo e apreciação da
música nesta nova
configuração.
Livro surgido do costume do
autor de escrever histórias
para suas filhas conta as
aventuras de Serafina, uma
menina incomum que mora
com o pai nos porões de uma
mansão. Após o desapareci-
mento de crianças, Serafina e
o jovem Braeden Vanderbilt
estão decididos a desvendar
o mistério do homem da
capa preta.
  RIO DE JANEIRO, TERÇA-FEIRA, 20 DE FEVEREIRO DE 2018 12 | { PUBLIMETRO }
 

RIO DE JANEIRO, TERÇA-FEIRA, 20 DE FEVEREIRO DE 2018

12|

{PUBLIMETRO}

www.metrojornal.com.br

Os invasores no ivana.moreira@canguruonline.com.br QUEM TEM PÉ CHATO? Cruzadas Cerca de 75% das crianças chegam
Os invasores
no
ivana.moreira@canguruonline.com.br
QUEM TEM PÉ CHATO?
Cruzadas
Cerca de 75% das crianças chegam aos 7 anos de idade com
algum problema nos pés - desde pés planos, pisada torta a
questões mais complexas. Mas somente 2% das crianças já
nascem com algum problema nos pés. Por que isso acon-
tece? Segundo Ana Paula Lage, uma designer de calçados
e pesquisadora visitante da University of Michigan Health
System, essa alta taxa de anormalidade adquirida, duran-
te o desenvolvimento motor dos pequenos, tem grande re-
lação com o ambiente em que vivemos e com os calçados
que usamos atualmente.
É que a estrutura muscular e óssea do ser humano se
desenvolveu em resposta ao ambiente que seus ances-
trais viviam: a natureza. Só há pouco mais de 100 anos
é que a maior parte da humanidade passou a viver em
um ambiente urbano com estímulos totalmente diferen-
tes dos que provocaram a evolução do homem. Essa gran-
de diferença entre o processo de adaptação e o ambiente
atual é que prejudica o desenvolvimento natural dos pés.
BOM É PÉ NO CHÃO
Aprender a andar descalço, principalmente em solo natural, causa
uma instabilidade que provoca os músculos e articulações dos pezi-
nhos. “Por isso é de extrema importância para a criança aprender a
andar descalça, se possível em solos naturais ou usar calçados que
proporcionem essa experiência para crescer com uma base muscu-
loesquelética bem desenvolvida”, alerta Ana Paula.
DESCALÇO, PORÉM CALÇADO
A falta de pesquisas sobre sapatos infantis levou Ana Paula a focar seu
mestrado no desenvolvimento de um tipo de sapato para que contri-
buísse para reduzir a alarmante estatística do “pé chato”. Com apoio
de especialistas do SENAI e da Universidade Federal de Minas Gerais
(UFMG), ela criou um calçado que simula a marcha descalça para per-
mitir o correto desenvolvimento dos pés dos bebês. O Noeh, como foi
batizado, imita o solo irregular ao qual os pés humanos são adapta-
dos a se desenvolver. Em três modelos diferentes (www.noeh.com.br),
os sapatinhos criados pela especialista mineira podem ser usados por
crianças de 6 meses a 2 anos e meio, durante a chamada fase de rápi-
do desenvolvimento da marcha.
A canguruonline.com.br é uma plataforma de conteúdo sobre primeira infância
e prestação de serviços para pais e educadores. A coluna Canguru no Metro
é publicada todas as terças-feiras, sempre neste espaço.

Horóscopo

Astrólogo de Plantão

Por: Guilherme Salviano

guisalviano@gmail.com

 

www.astrologo.blog.br

A Lua em seu signo aumenta tendências para ampliar condutas sentimentais e uma postura nostálgica. Cuidado com exageros e exigências.guisalviano@gmail.com   www.astrologo.blog.br Momento propício para lidar com atividades culturais e

Momento propício para lidar com atividades culturais e variadas formas de conhecimento para hobbies e mesmo profissionalmente.

de conhecimento para hobbies e mesmo profissionalmente. Evite abdicar de momentos de lazer e diversões em
de conhecimento para hobbies e mesmo profissionalmente. Evite abdicar de momentos de lazer e diversões em

Evite abdicar de momentos de lazer e diversões em função das obrigações ou problemas quede conhecimento para hobbies e mesmo profissionalmente. envolvam sua rotina. Leitor fala     Descaso

envolvam sua rotina.

das obrigações ou problemas que envolvam sua rotina. Leitor fala     Descaso pós-temporal Já

Leitor fala

 
 

Descaso pós-temporal

Já faz quase uma semana que o tempo- ral passou e até agora nós, moradores da Baixada, zonas norte e oeste e pe- riferias estamos sem luz, sem apoio e sem nenhum retorno dos órgãos res- ponsáveis. São inúmeras famílias com crianças, idosos e parentes deficientes que precisam de energia para viver. É um absurdo que apenas a zona sul se- ja de preocupação imediata da prefei- tura. Centenas de árvores ainda estão caídas nas ruas e casas. Os responsá- veis pela cidade já voltaram da Europa! Aonde estão agora?

RÉGIS DE LIMA– RIO DE JANEIRO, RJ

Segurança para quem?

Estou assustada com o índice de apro- vação das pessoas a essa intervenção federal na segurança pública do Rio. Os militares são julgados por tribunais militares, ou seja, quaisquer crimes que cometam contra a população que, infelizmente, vive nas zonas de risco, vão passar despercebidos pela Justiça brasileira. Além do mais, isso é clara- mente manobra política para desviar a atenção do fiasco da votação da refor- ma da Previdência.

MARCELA CUNHA – RIO DE JANEIRO, RJ

ma da Previdência. MARCELA CUNHA – RIO DE JANEIRO, RJ   Quer mais?   Clique metrojornal.com.br
 

Quer mais?

 

Clique metrojornal.com.br

para acessar conteúdo exclusivo, atualização de nossas reportagens, todos os nossos colunistas e galerias com as melhores imagens do dia.

Para falar com a redação:

leitor.rj@metrojornal.com.br

Participe também no Facebook:

www.facebook.com/metrojornal

também no Facebook: www.facebook.com/metrojornal Sudoku Estará propenso(a) a se dedicar com mais
Sudoku
Sudoku
também no Facebook: www.facebook.com/metrojornal Sudoku Estará propenso(a) a se dedicar com mais intensidade aos

Estará propenso(a) a se dedicar com mais intensidade aos problemas das pessoas que considera especiais.também no Facebook: www.facebook.com/metrojornal Sudoku e amizades especiais. Muitas vezes a rotina semanal traz uma

aos problemas das pessoas que considera especiais. e amizades especiais. Muitas vezes a rotina semanal traz

e amizades especiais.

das pessoas que considera especiais. e amizades especiais. Muitas vezes a rotina semanal traz uma dispersão

Muitas vezes a rotina semanal traz uma dispersão de certas relações. Aproveite para retomar contatos

Projetos a longo prazo são propensos a tomar dedicação mais intensa. Atente-se para que

a ansiedade não faça antecipar etapas.

Valorizar o romantismo em ocasiões mais íntimas será um tempero especial. Segredos afetivos são propensos a esclarecimentos.Atente-se para que a ansiedade não faça antecipar etapas. Tendências para lidar de maneira mais constante

Segredos afetivos são propensos a esclarecimentos. Tendências para lidar de maneira mais constante com

Tendências para lidar de maneira mais constante com diferenças nas relações, o que

requisitará paciência.
requisitará paciência.

Procure agir com mais sutileza e evitar tom de crítica diante de assuntos que podem ser resolvidos com simplicidade em suas relações.

Bom momento para refletir sobre o bem que terá ao se desapegar de alguns costumes que impeçam de lidar com algumas inovações.podem ser resolvidos com simplicidade em suas relações. Estudos e assuntos que sinta vontade em conhecer

Estudos e assuntos que sinta vontade em conhecer tendem a despertá-lo(a). Boas conversas com amigos serão bem-vindas.costumes que impeçam de lidar com algumas inovações. decisões importantes. Projetos que envolvam finanças e

Boas conversas com amigos serão bem-vindas. decisões importantes. Projetos que envolvam finanças e

decisões importantes.

Projetos que envolvam finanças e objetivos materiais terão oportunidades para ajustes e

Soluções

Soluções
Soluções

RIO DE JANEIRO, TERÇA-FEIRA, 20 DE FEVEREIRO DE 2018

RIO DE JANEIRO, TERÇA-FEIRA, 20 DE FEVEREIRO DE 2018

www.metrojornal.com.br

{ COMPORTAMENTO }

13 |

Se organize e ganhe

tempo

IMAGE SOURCE/FOLHAPRESS

Antes das compras! Monte um cardápio semanal e uma lista para economizar horas do seu
Antes das compras!
Monte um cardápio
semanal e uma lista
para economizar
horas do seu dia
– na cozinha, e no
supermercado
O ideal é fazer o cardápio
dasemana antes da
lista de compras

Na correria do dia a dia, é di- fícil chegar em casa e ainda ter que pensar em que co- mida fazer. Isso sem contar

quando você escolhe prepa- rar um prato e falta um in-

nervoso!

grediente

Mas, dá para evitar tudo isso.

A dica é construir um car- dápio e montar sua lista ba- seada nele, em vez de fazer

toda a compra e depois pen-

Que

sar no que cozinhar. Além disso, uma lista de compras dividida em categorias aju- da a colocar os pensamen- tos em ordem e facilita a lo- calização dos produtos no supermercado. Thais Godinho, do blog “Vida Organizada”, expli- ca que a ideia é que, com essa lista simples, você vá ao mercado apenas uma

vez por semana e compre a quantidade suficiente para todos os dias, evitando não só que falte algo, mas tam- bém o desperdício. Ao estabelecer seu cardá- pio, prepare as guarnições (arroz, feijão e deixe a salada limpa e separada) no come- ço da semana e deixe para fazer na hora só o que pre- cisa estar fresquinho (car-

nes, legumes e frutas). As- sim, você ganha mais tempo no restante dos dias. Para as crianças, deixe os lanches, que podem ser uma fruta, um carboidrato (se integral é melhor) e um suco, já sepa- rados em porções para facili- tar no dia a dia. Está sem ideia? Logo abaixo há uma sugestão, aproveite! METRO

Logo abaixo há uma sugestão, aproveite! M E T R O SEGUNDA-FEIRA SEXTA-FEIRA • Almoço: Estrogonofe
SEGUNDA-FEIRA SEXTA-FEIRA • Almoço: Estrogonofe Almoço: Filé de peixe com brócolis, salada • de frango
SEGUNDA-FEIRA
SEXTA-FEIRA
Almoço: Estrogonofe
Almoço: Filé de peixe
com brócolis, salada
de frango com arroz
branco e salada
e arroz integral
Jantar: Fricassé
• Jantar: Almôndegas
de frango feito com
assadas, salada de rúcula
requeijão light e
legumes cozidos
com tomate cereja e
purê de legumes
TERÇA-FEIRA
QUINTA-FEIRA
SÁBADO
Almoço: Arroz integral
com frango grelhado e
purê de abobrinha
Almoço: Nhoque de
Almoço: Lombo
mandioquinha ao molho
de tomate
assado ao molho
barbecue, purê de
Jantar: Omelete com
legumes, salada de
folhas verdes e
cenoura ralada
Jantar: Filé de frango
batatas ao alho
empanado (com aveia,
feito no forno) com purê
de batatas
Jantar: Bruschettas e
asinhas de frango (sem
pele) apimentadas
QUARTA-FEIRA
DOMINGO
Almoço: Arroz integral,
feijão e peixe grelhado
Almoço: Espaguete
com molho de tomate
Jantar: Almôndegas
assadas, salada de
rúcula com tomate
cereja e purê de
batata doce
e
frango assado
sem pele
Jantar: Sopa de
legumes com frango
e
batata doce
IMAGE SOURCE/FOLHAPRESS
LETICIA MOREIRA/FOLHAPRESS

FONTE: MARCELA GATTAZ, NUTRICIONISTA DA LIGHT FOOD WAY

  { SAÚDE E BEM-ESTAR } RIO DE JANEIRO, TERÇA-FEIRA, 20 DE FEVEREIRO DE 2018
 

{SAÚDE E BEM-ESTAR}

RIO DE JANEIRO, TERÇA-FEIRA, 20 DE FEVEREIRO DE 2018

14|

www.metrojornal.com.br

20 DE FEVEREIRO DE 2018 14 | www.metrojornal.com.br Contém mais potássio do que bananas O potássio

Contém mais potássio do que bananas

www.metrojornal.com.br Contém mais potássio do que bananas O potássio é um nutriente que tem várias funções

O potássio é um nutriente que tem várias funções importantes nas células. O aba- cate e o avocado têm alto teor de potássio. Em 100 gramas servi- dos contém 14% da inges- tão diária recomendada em comparação com 10% em bananas, que é um alimento típico de alto teor de potássio. Uma boa ingestão de potássio ajuda na redução da pressão arterial, um importante fator de risco para ataques cardía- cos, acidentes vasculares cerebrais e insuficiência renal.

Pós-folia. É época de abacate esse é um excelente alimento para e dar o 160
Pós-folia.
É época
de abacate
esse
é um excelente
alimento
para e dar
o
160
kcal
14,66 g de
gordura
por
100 g
Menor risco de
síndrome metabólica
gordura por 100 g Menor risco de síndrome metabólica Melhora a Ajuda com a perda de

Melhora a

por 100 g Menor risco de síndrome metabólica Melhora a Ajuda com a perda de peso

Ajuda com a perda de peso

Os abacates estão na lis- ta dos principais alimen- tos proteicos. Com a maior proteína e o menor teor de açúcar de qualquer fru- ta, abacates e avocados oferecem um equilíbrio único para a construção de massa muscular magra e queima de gordura.

A síndrome metabólica é um termo para um conjunto de condições que aumenta o risco de desenvolver doenças cardíacas, acidente vascular cerebral e diabetes. O abacate também pode ajudar a combater o alto nível de açúcar no sangue, hipertensão arterial, colesterol alto, obesidade e excesso de gordura corporal em torno da cintura.

obesidade e excesso de gordura corporal em torno da cintura. digestão O abacate contém mais fi-

digestão

O abacate contém mais fi- bra solúvel do que a maio- ria dos alimentos e ajuda a estabilizar os níveis de açúcar no sangue, facili- ta a regularidade intesti- nal adequada e o contro- le adequado do peso. Um fruto inteiro tem entre 11 a 17 gramas de fibra! Isso é mais do que quase qualquer outra fru- ta e a maioria das porções de vegetais, grãos e feijão. Alimentos com alto teor de fibras são importantes para todos com pro- blemas do trato digestivo.

importantes para todos com pro- blemas do trato digestivo. Melhora o equilíbrio hormonal e a função

Melhora o equilíbrio hormonal e a função cognitiva

gás necessário após o fim do Carnaval. Conheça os benefícios
gás necessário após o fim do Carnaval.
Conheça os benefícios

Abacate é uma importante fonte de gordu- ra natural, que é uma das chaves para seguir uma dieta antidepressão, ao mesmo tempo que aumenta a fertilidade e seu humor.

Pele saudável, olhos, cabelo e memória

Sim, abacate é também um alimento alta- mente antioxidante que contém luteína, que protege a saúde dos olhos e preserva a aparência juvenil da pele e dos cabelos. Essa fruta contêm ácido oleico, uma gor- dura que pode melhorar a memória e a atividade cerebral. Os compostos antiinflamatórios como os fitonutrientes são fundamentais para re- duzir o risco de distúrbios inflamatórios e degenerativos que podem afetar todas as partes do corpo - incluindo articulações, coração, cérebro, pele e tecido conjuntivo.

AVOCADO OU ABACATE? Sim, essas frutas são semelhantes na aparência e no sabor. Mas, na
AVOCADO
OU ABACATE?
Sim, essas frutas
são semelhantes
na aparência e no
sabor. Mas, na ver-
dade, o avocado é
uma variedade do
abacate com a dife-
rença que tem 10%
menos de calorias!
Alimento de
combate ao câncer

O Journal of Nutrition and Cancer pu- blicou os resultados de um estudo, ale- gando que os chamados fitoquímicos no abacate são tão poderosos que po- deriam impedir o uso de quimiotera- pia para pessoas com câncer bucal. Pesquisas sugerem que os fito- químicos extraídos desse ali- mento ajudam a induzir a prisão do ciclo celular, inibem o crescimento e induzem a apoptose em linhagens celula- res pré-cancerosas e cancerígenas.

RIO DE JANEIRO, TERÇA-FEIRA, 20 DE FEVEREIRO DE 2018

RIO DE JANEIRO, TERÇA-FEIRA, 20 DE FEVEREIRO DE 2018

www.metrojornal.com.br

{ ESPORTE }

15 |

Em busca do jogo perfeito

Liga dos Campeões. Chelsea recebe o Barcelona em Stamford Bridge, hoje, no primeiro jogo das oitavas de final da competição europeia, e o técnico Antonio Conte crava: ‘Temos que tomar as melhores decisões’

CHELSEA BARCELONA • Estádio. Stamford Bridge, Londres. Hoje, às 16h45.
CHELSEA
BARCELONA
• Estádio. Stamford Bridge,
Londres. Hoje, às 16h45.

• Transmissão. Band, TV Globo e Esporte Interativo

No século 20, Barcelona e Chelsea cravaram um dos maiores clássicos do fute- bol europeu, com direito a finais emocionantes de Li- ga dos Campeões. E os ti- mes voltam a se enfrentar no torneio, dessa vez nas oitavas de final da edição 2017/2018, no primeiro jo- go, que acontece hoje, às 16h45, no estádio Stamford Bridge, em Londres. Os atuais campeões in- gleses não vão muito bem no campeonato local des- sa temporada e amargam atualmente um quarto lu- gar sofrido, com risco de fi- car de fora da próxima Liga. Por isso, o técnico Antonio

car de fora da próxima Liga. Por isso, o técnico Antonio Último confronto entre os dois

Último confronto entre os dois times aconteceu em 2015, em um amistoso nos EUA | PATRICK SMITH/GETTY IMAGES

Conte tem exigido resulta- do em campo dos atletas,

e vencer o Barcelona seria

uma motivação em tanto. “Por um lado vocês sa- bem que este time é um dos melhores do mundo e talvez seja o favorito para vencer

esta competição”, disse Con- te. ”Por outro precisamos

estar empolgados porque temos uma grande oportu- nidade de disputar um jogo importante contra um time realmente forte e mostrar qual é o nosso nível.”

O italiano sabe quem vai enfrentar. O Barcelona atualmente tem mostrado um futebol vistoso no Cam- peonato Espanhol, lideran- do com folga a competição e, como de costume, apre- sentando espetáculos, com

86% de aproveitamento. Na Liga não é diferente.

O Barça fez uma campanha

tranquila, com quatro vitó- rias, e chega a essa fase sem

a força de Philippe Couti-

nho, que já havia atuado na competição pelo Liverpool. Messi entra em campo também contra um tabu: o argentino nunca balançou

a

rede dos rivais. Coisa ra-

ra

de se ver.

Tem mais

Ainda nessa terça, também

às 16h45, o Bayern de Muni-

que recebe a surpresa Besik-

tas, da Turquia. Segundo em um grupo que teve como líder o Paris Saint-Germain, o time ale- mão vai receber a sensação da primeira fase, um time com pouca grife, mas que não teve medo de enfrentar grandes do continente, co- mo Porto e Monaco, e não se intimidou frente o Red Bull Leipzig.

A partida de volta acon- tece dia 14 de março, na ca-

sa

do Besiktas. METRO

tece dia 14 de março, na ca- sa do Besiktas. M E T R O Mesmo
tece dia 14 de março, na ca- sa do Besiktas. M E T R O Mesmo
Mesmo lá atrás, equipe ficou contente com o resultado | LARS BARON/GETTY IMAGES
Mesmo lá atrás, equipe ficou contente com o resultado | LARS BARON/GETTY IMAGES

Brasil termina competição de bobsled 2-man em 27º

Participando pela primeira vez na história da competi- ção de duplas do bobsled, o Brasil não conseguiu se clas- sificar entre os 20 melhores e encerrou sua participação na categoria nos Jogos de In- verno de PyeongChang em 27º, entre 30 trenós. Edson Bindilatti e Edson Martins correram com um trenó alugado da equipe americana feminina e fize- ram um total de 2min30s71 nas três descidas feitas no

classificatório.

Minha avaliação é mui-

to positiva. A gente sabe que

poderia ter ido melhor, mas

a gente sai contente de todo

jeito, porque fizemos um óti- mo trabalho. Estamos entre os trinta melhores do mun- do, comemorou Bindilatti. Agora o foco dos brasilei- ros é o 4-Man, que será dis- putado nos dias 24 e 25. Es-

sa será a quarta participação olímpica do Brasil, e o quarte-

to verde e amarelo mira uma

final para tentar sua melhor campanha da história, já que

até agora conseguiu um 27º lugar em Salt Lake City 2002,

25º lugar em Turim 2006 e 28º lugar em Sochi 2014.

Mais Brasil O Brasil ainda teria duas par- ticipações nessa madrugada passada, com Isadora Wil- liams na patinação artística individual e com Michel Ma- cedo no esqui alpino, na es-

pecialidade slalom. METRO

no esqui alpino, na es- pecialidade slalom. M E T R O Imagens do dia 1
Imagens do dia 1 . CLIVE MASON/GETTY IMAGES 2 . HARRY HOW/GETTY IMAGES 3 .
Imagens do dia
1 . CLIVE MASON/GETTY IMAGES
2 . HARRY HOW/GETTY IMAGES
3 . BRUCE BENNETT/GETTY IMAGES
1
2
3
1
Corre.
Mitchell Whitmore, dos Estados Unidos, na prova
de patinação por velocidade.
2
Rivalidade.
A equipe feminina do Canadá venceu o
combinado de atletas russas e agora vai fazer a final
com seu maior rival no hóquei, os Estados Unidos.
3
Voa.
Kamil Stoch, da Polônia, durante o
salto em esqui.
METRO
  RIO DE JANEIRO, TERÇA-FEIRA, 20 DE FEVEREIRO DE 2018 16 | { ESPORTE }
 

RIO DE JANEIRO, TERÇA-FEIRA, 20 DE FEVEREIRO DE 2018

16|

{ESPORTE}

www.metrojornal.com.br

De volta ao topo do mundo

Tenista. ATP confirma o retorno de Roger Federer ao posto de número 1 do ranking após conquista do ATP 500 Roterdã, na Holanda

A ATP (Associação dos Tenis-

tas Profissionais) confirmou ontem que Roger Federer

(SUI) é, de novo, o número 1 do planeta, superando Ra-

fael Nadal (ESP). O suíço, de

36 anos e seis meses, conse-

guiu se tornar o mais velho

na história a ocupar o posto. O novo recordista superou Andre Agassi (EUA), que, em 2003, liderou o ranking com

33 anos e quatro meses. Fede-

rer já atingiu várias marcas históricas da modalidade e tem 303 semanas na frente da lista. Pete Sampras (EUA) vem logo atrás, com 287. O suíço chegou ao posto pela primeira vez em 2004, após vencer o primeiro Grand Slam do calendário,

o Australian Open. A única

marca da qual o natural da Basileia ainda carece é a de mais anos inteiros na frente. Sampras encerrou seis tem-

10.105

é a pontuação de Roger Federer no ranking da ATP. Suíço superou o espanhol Rafael Nadal e retornou ao topo.

poradas como número 1 do mundo. Por outro lado, Ro- ger Federer tem cinco. O veterano tenista soma 10.105 pontos. Com essa pon- tuação, Federer garantiu a co- locação até o dia 18 de março. Rafael Nadal possui 9.760 e só pode chegar aos 9.960 se ven- cer o Aberto de Acapulco, que começa na semana que vem.

Mais um troféu No domingo, Roger Fede- rer conquistou pela tercei- ra vez o ATP 500 de Roter- dã, na Holanda, após vencer

“Obrigado, Roterdã. Vocês quebraram o recorde de público com 120 mil pessoas! Foi uma atmosfera maravilhosa.”

ROGER FEDERER, TENISTA, NO TWITTER

o búlgaro Grigor Dimitrov

com um duplo 6/2. As ou- tras duas vezes em que este- ve no topo do pódio foram em 2005 e em 2012. A presença do suíço, con- firmada na última hora, fez com que a competição ho-

landesa, que já reúne um histórico de 45 edições, ba- tesse recorde de público. As- sim, esta edição do torneio de Roterdã registrou a pre- sença de mais de 120 mil torcedores ao longo de todo

o calendário de confrontos.

mil torcedores ao longo de todo o calendário de confrontos. METRO RIO COM BANDSPORTS.COM.BR Federer, ídolo

METRO RIO COM BANDSPORTS.COM.BR

o calendário de confrontos. METRO RIO COM BANDSPORTS.COM.BR Federer, ídolo nacional na Suíça, bateu mais um

Federer, ídolo nacional na Suíça, bateu mais um recorde na carreira | REMY STEINER/GETTY IMAGES

mais um recorde na carreira | REMY STEINER/GETTY IMAGES Flamengo concentra esforços para a Libertadores Carpegiani

Flamengo concentra esforços para a Libertadores

Carpegiani acha que o time precisa melhorar este ano | GILVAN DE SOUZA/FLAMENGO/16-2-18
Carpegiani acha que o time precisa melhorar este ano | GILVAN DE SOUZA/FLAMENGO/16-2-18

Botafogo

 

Rio Open

 

Com Alberto Valentim,Lindoso quer ser titular

Rogerinho perde na estreia para o 19 o do mundo

A

chegada de um novo

Rogerinho (86 o no ran- king mundial) abriu o pri- meiro dia do ATP 500 Rio Open, na capital flumi- nense, ontem. Jogando em casa, o brasileiro não conseguiu avançar diante de Albert Ramos Viñolas (ESP), número 19 do pla- neta. O tenista estrangeiro é um dos cabeças de cha- ve do torneio. O espanhol venceu por 2 a 1, parciais de 6/3, 3/6 e 6/4. O tenista do Brasil chegou ficar na frente no terceiro set, mas

técnico é a oportunida- de para reservas lutarem por espaço. Isso aconte- ce, atualmente, no Fo- gão. “Alberto está em ci-

ma, corrigindo algumas coisas. Quando chega o treinador, é necessário um algo a mais de todos”, afirmou ontem Rodri- go Lindoso, que quer vol-

tar a ser titular. O Glorio- so encara o Nova Iguaçu, no Giulite Coutinho, na quinta-feira, às 19h30, pe-

la

Taça Rio. METRO RIO

Taça Rio. M E T R O R I O

levou a virada.

la Taça Rio. M E T R O R I O levou a virada. M E

METRO

Os dribles de Vinícius Junior,

a imagem do capitão Réver le-

vantando a Taça Guanabara e

a festa pela conquista do pri- meiro turno precisam ficar para trás. Agora, o Flamengo

vai ter que se concentrar para fazer uma boa campanha na edição deste ano da Liberta- dores. Após uma breve folga,

a equipe volta a treinar hoje. No ano passado, o clube foi eliminado ainda na pri-

meira fase. A equipe não ven-

a competição desde 1981,

quando foi campeã sobre o

ce

“Os jogadores precisam evoluir mais. Estamos diante

de uma chave muito difícil na Libertadores, mas o time demonstra uma qualidade de posse de bola excelente.”

PAULO CÉSAR CARPEGIANI, TÉCNICO DO FLAMENGO

Cobreloa (CHI). Esse é o úni-

co título no torneio. Até hoje, entre os clubes cariocas, só

o Rubro-negro e o Vasco er-

gueram o troféu da principal competição sul-americana. A estreia ocorrerá na terça-feira

que vem, no Engenhão, con- tra o River Plate (ARG).

No fim de semana, o Fla- mengo foi campeão pela pri- meira vez em 2018. Autor de

um dos gols na vitória por 2 a 0 sobre o Boavista, no estádio Kleber Andrade, em Cariacica (ES), Vinícius Junior reforçou, após a partida, que espera que esta tenha sido só a primeira

de muitas conquistas com o manto sagrado. A atuação do atleta, vendi- do por R$ 164 milhões ao Real Madrid (ESP), repercutiu na Europa. Em uma matéria pu- blicada no site do jornal “Mar- ca”, o desempenho foi elogia- do. O texto reforçou que a entrada em campo do jovem atacante mudou a partida. Amanhã, Flamengo e Madureira se enfrentam no mesmo estádio, às 19h30, pela rodada de estreia da Taça Rio. METRO RIO

às 19h30, pela rodada de estreia da Taça Rio. METRO RIO Vinícius presta queixa na Bahia
às 19h30, pela rodada de estreia da Taça Rio. METRO RIO Vinícius presta queixa na Bahia

Vinícius presta queixa na Bahia

O meia Vinícius, do Bahia,

registrou boletim de ocor- rência pelas cenas de vio- lência contra ele no clás-

sico Vitória e Bahia, no domingo, em Salvador. Acompanhado do vice-pre- sidente do clube, Vitor Ferraz,

o jogador denunciou, no rela-

to à polícia, os rubro-negros Fernando Miguel, Kanu, Ya- go e Denílson, por agressão, além de Neílton, por ameaça.

O meia realizou também exa-

me de corpo de delito.

O tumulto na partida acon-

teceu após Vinícius empatar o

clássico, em cobrança de pê-

nalti. Assim, o placar ficou 1

a 1. Na comemoração, o autor

do gol fez uma dança que in- comodou os adversários, que partiram para as agressões. Ao todo, foram nove atle- tas expulsos, sendo cinco do Vitória e quatro do tricolor baiano. A partida terminou 11 minutos mais cedo, por

falta de quórum. A Federação Baiana de Futebol divulgou a súmula da partida e decretou que

o Bahia foi o vencedor, pe-

lo placar de 3 a 0. A decisão

segue o regulamento ge-

ral de competições da CBF,

já que o Vitória ficou sem

o número mínimo permi-

tido de atletas em campo.

ficou sem o número mínimo permi- tido de atletas em campo. METRO Briga envolveu muitos jogadores

METRO

Briga envolveu muitos jogadores de Vitória e Bahia | ARGARIDA NEIDE/FUTURA PRESS
Briga envolveu muitos jogadores de Vitória e Bahia | ARGARIDA NEIDE/FUTURA PRESS