Você está na página 1de 1

A COLETA PARA OS CRISTÃOS POBRES EM JERUSALÉM

(2 CORÍNTIOS 8 – 9)

Filipe Dunaway

Então, enquanto temos oportunidade, façamos bem a todos, mas principalmente aos domésticos da fé. (Gálatas 6.10)

Mas agora vou a Jerusalém para ministrar aos santos. Porque pareceu bem à Macedônia e à Acaia levantar uma oferta fraternal para os pobres dentre os santos que estão em Jerusalém. (Romanos 15.25-26)

1. Quando Paulo foi encorajado pelos líderes da igreja em Jerusalém a “lembrar-se dos pobres” (Gl 2.10),

ele levou esta exortação com muito seriedade. A evidência de suas cartas e do livro de Atos mostra que o apóstolo se empenhou muito ao longo de duas décadas para auxiliar os santos necessitados na igreja mãe em Jerusalém. Paulo estimulou todas as igrejas que fundou entre os gentios na Ásia Menor, Macedônia e Acaia a levantarem uma oferta de amor para ser enviado, por meio do apóstolo junto com representantes destas igrejas, à igreja em Jerusalém. A importância deste coleta para é indicada pelo fato de que ele a menciona em três de suas chamadas “grandes epístolas” de Paulo, a saber, em 1 Coríntios 16.1-4; 2 Coríntios 8-9; e Romanos 15.25-33. Fora das cartas paulinas, a coleta é mencionada somente em Atos 24.17.

2. Não há dúvida de que esta oferta fraternal das igrejas gentias para a igreja judaica fosse muito importante

no pensamento de Paulo. Das suas cartas, podemos discerir que esta campanha financeira teve vários propósitos: (1) Paulo quis, em primeiro lugar, aliviar o sofrimento dos cristãos pobres em Jerusalém. (2) Com esta oferta, Paulo quis demonstrar a unidade da igreja, que era composta tanto de gentios espalhados pelo império romano quanto de cristãos judaicos na Palestina. A coleta poderia diminuir a tensão entre as igrejas paulinas (que rejeitaram a circuncisão) e a igreja jerusalemita (que não rejeitou a circuncisão). (3) Possivelmente, Paulo pensou que a entrega da coleta à igreja em Jerusalém poderia estimular outros judeus a aceitar Jesus como o Messias (2 Co 9.10-12).

3. Não sabemos exatamente quais eram os resultados desta ação social de Paulo e as igrejas gentias. Lucas

descreve a chegada de Paulo a Jerusalém quando a oferta deve ter sido entregue, mas, infelizmente, Lucas não a menciona aqui (cf. Atos 21.17-26). Contudo, podemos assumir que, se a coleta não cumpriu completamente todos os objetivos de Paulo a seu respeito, pelo menos deva ter cumprido-os parcialmente, aliviando um pouco o padecimento dos irmãos na Palestina e ensinando a todos que, no final das contas, há uma só igreja, um evangelho e um Senhor sobre todos os cristãos. 1

Esboço de 2 Coríntios 8 – 9

I. A generosidade das igrejas da Macedônia deveria ser imitada (8.1-6).

II. Vários apelos: o apelo central é ao exemplo de Jesus Cristo, que deveria ser seguido (8.7-15).

III. Tito e mais dois irmãos aprovados devem ajudar aos coríntios a organizar a coleta (8.16-24).

IV. Paulo exorta os coríntios a completar a coleta antes de sua chegada (9.1-5).

V. Dar com generosidade não somente supre as necessidades dos outros, mas também é bom para os que dão assim e glorifica Deus (9.6-15).

1 Os primeiros três parágrafos desta apostila são baseados em S. McKnight, “Collection for the Saints,” Dictionary of Paul and His Letters (Downers Grove, Illinois: InterVarsity Press, 1993), pág. 143-147.