Você está na página 1de 5

Sequencia para desenvolver um projeto de drenagem urbana

1º Passo: Avaliar o local identificar as áreas altas e baixas e o ponto de lançamento final de
toda a água pluvial a ser drenada.

2º Passo: Desenvolver o traçado da tubulação, locar os Poços de Visita (Pv), Boca de lobo (BL),
caixas mortas (C.M.) e Alas (AL.). Para desenvolver o traçado e fazer a locação das unidades e
dispositivos hidráulicos deve–se respeitar os seguintes quesitos:

BOCAS DE LOBO:

 Serão locadas em ambos os lados da rua quando a saturação da sarjeta o requerer;

 Serão locadas nos pontos baixos das quadras;

 Espaçamento máximo entre 80-100m de acordo com a capacidade do meio-fio/sarjeta.

 A melhor solução para instalação de bocas de lobo é locação à montante das faixas de
pedestres.

 Ligação aos poços de vista ou tubos de ligação com declividade mínima de 0,01m/m.

 Tubo de ligação da boca de lobo deve ter diâmetro mínimo de 40m

POÇOS DE VISITA:

 Função de limpeza e inspeção


 São instalados em:
 cruzamento de ruas;
 quando a galeria tem o diâmetro de seus trechos aumentados;
 quando ocorre mudança de direção de galeria (declividade, diâmetro, reunião de
tubulações);
 trechos muito longos de galeria sem inspeção;
Engª Cássia Magalhães Rodovalho
 a montante da rede (quando a rede nasce);
 Espaçamento máximo entre 100-200m.
 O poço de visita não pode receber mais de 4 ligações;

3º Passo: Dimensionamento da rede desenhada

3º passo – 1º : Determinar os índices a serem utilizados como tempo de recorrência em anos e


tempo de duração da chuva. Geralmente se trabalha com recorrência de 10 anos e duração de
10 min. Mas esses dados vai depender da necessidade de cada local.

3º passo – 2º : Determinar a intensidade da chuva, a mesma e encontrada através da equação


da chuva que vai variar de acordo com a localidade, no Pará a que temos mais próximo e a de
Belém, mas vale ressaltar que o ideal e que cada cidade tenha a sua.

Equação da chuva de Belém:

T 0,2
i Belém (mm/h)  2300.
t  200,91

Sendo: T = tempo de recorrência em anos;

t = tempo de duração da chuva em minutos;

Para converter 1 L/s . há = 0,36 mm/h

3º passo – 3º : Obter o Coeficiente de escoamento superficial (C), que vai variar de acordo
com a área, se tiver vários tipos de área deve-se obter o C médio da seguinte forma:

C.A1  C. A2
Cmed 
A1  A 2

Natureza da superfície Coeficiente de C

(de acordo com a ocupação da área )

áreas centrais, densamente construídas, com 0,70 A 0,90


ruas pavimentadas

Engª Cássia Magalhães Rodovalho


áreas adjacentes ao centro, com ruas 0,50 A 0,70
pavimentadas

áreas residenciais com casas isoladas 0,25 A 0,50

áreas suburbanas pouco edificadas 0,10 A 0,20

3º passo – 4º : Determinar a vazão de cada trecho do projeto através da seguinte fórmula:

Q = C . i . A l/s.ha

3º passo – 5º : Calcular a declividade de cada trecho do projeto através da seguinte fórmula

I = (Cota final do trecho – Cota inicial do trecho) / Extensão do trecho

3º passo – 6º : Verificar qual vai ser o diâmetro da tubulação de cada trecho, através da
seguinte fórmula: (Essa verificação é feita por tentativa, atribui um diâmetro e inicial e verifica
se ele atende a vazão necessário, caso não tenta-se um próximo diâmetro superior).

Obs: Na sequencia de um trecho não se pode ter um diâmetro menor do que o anterior, os
diâmetros ou vão ser iguais ou maiores.

Os Diâmetros comerciais são: 0,4 – 0,5 – 0,6 – 0,8 – 1,00 – 1,20 m

2/3
π.d 2  d  1/2
Qp  .  .I
4.n  4 

• 3º passo – 7º : Depois de encontrada as dimensões da tubulação para cada trecho deve se


verificar se a mesma atende aos quesitos de velocidade mínima e máxima. Vmáx.=5,00m/s;
Vmín.=0,75m/s; Essa verificação pode ser feita através do seguinte processo:

Calcula-se o Vp através da seguinte fórmula: 2/3


1 d
Vp  .  .I1/2
n 4
Depois divide-se a Q /Qp e utilizao resultado para buscar o valor de V/VP na tabela abaixo:

Engª Cássia Magalhães Rodovalho


De posse do valor de V/VP, chega se na velocidade de projeto ao se multiplicar o valor
inicialmente achado de Vp pelo valor achado na tabela.

Engª Cássia Magalhães Rodovalho


De posse desse valor analisa se esta dentro das velocidade min e max aceitáveis, caso esteja o
projeto encontra-se dimensionado do contrário deve se calcular um novo diâmetro para
galeria.

Os dados do Dimensionamento devem ser anotados na tabela a seguir:

Anexo: Tabela com valor de coeficiente de Mannig

Observações finais:

- O recobrimento mínimo é 1,0 m e a profundidade máxima é de 5,0 m

- Representações para o desenho:

Engª Cássia Magalhães Rodovalho