Você está na página 1de 2

Horror vs Breve Pesadelo

No livro das Crônicas das Trevas os monstros não espectrais, podem ser divididos em dois
subgrupos distintos. Sendo eles os Horrores e os Breves Pesadelos. A seguir a diretriz utilizada
nesse livro para a elaboração e separação das criaturas. Para uma melhor compreensão e
consulte o livro das Crônicas das Trevas.

Os Horrores são...

Entidades Únicas. Tais Horrores são provavelmente a única coisa semelhante a eles no mundo
inteiro, ou são de uma raça muito rara. Eles possuem Individualidade. Tais Horrores são
(geralmente) criaturas pensantes e possuem objetivos, peculiaridades e desejos. Se a criatura
pode se envolver com os jogadores em vários níveis (Mental, Social ou Físico), possuí uma
personalidade em sua interação, ou simplesmente precisa de mais detalhes para realizar seus
planos plenamente, utilize as regras dos Horrores.

Note que a maioria dos Horrores citados aqui não possuem nomes específicos. São exemplos
básicos referentes a maioria dos indivíduos raros que compõem a espécie especifica deste
Horrores. As diretrizes ainda assim, são justamente para facilitar e auxiliar o Narrador na
construção de seu Horror. Quanto mais sencientes a criatura for, mais diferente ela pode ser
dessa base citada neste livro.

Os Breves Pesadelos são...

Representantes de um tipo de criatura em vez de um indivíduo específico. Essas criaturas não


possuem Individualidade normalmente. Podem ser criaturas únicas como os Horrores, mas
geralmente são animalescas, não sapientes, ou excepcionalmente alienígenas. Normalmente
utilizadas como um dispositivo de ameaça, perigo ou parte da trama de um combate direto, com
pouca nuança ou variação, utilize as regras dos Breves Pesadelos.

Note que alguns Breves Pesadelos possuem Traços diferentes a aqueles citados no livro. Eles são
justamente para fazer uma diferenciação, visto que, existem diversos níveis de poderes entre as
criaturas do mundo de Witcher.

Como de exemplo dentro do grupo dos Constructos; tanto uma Gárgula como um Golem são
consideradas Breves Pesadelos, pois representam uma ameaça não dotada de inteligência
própria, sendo utilizada em uma Cena de combate perigosa, ou alvo de uma investigação com
pouca interação, além de sua prática de vigiar e proteger lugares. Mas nada impeça que o
Narrador transforme algum deles em uma criatura dotada de inteligência mágica, onde ela
venha a ter um desenvolvimento maior na Crônica. Quando o fizer, considere pegar essa criatura
única e transformá-la em um Horror.

Mas ainda assim, note que elas possuem níveis de poderes diferentes entre si a aqueles
apresentados no livro. Ambas são consideradas Terrores Solitários, mas seria um erro indelicado
de minha parte de considerar que uma Gárgula de 2 metros de altura, e 200 quilos tenha a
mesma força bruta que um Golem de 5 metros e 3 toneladas.

Um Génio, por outro lado, apesar de pertencer ao mesmo grupo, possui traços de
personalidade, e níveis de interação distintas com os personagens. Mesmo que ele venha a fazer
pequenas participações na história, ele ainda pode ter uma interação social e mental com os
personagens de modo que dificilmente, ele seria usado apenas como um Breve Pesadelo.

Benignas? Ah sim...
Em alguns lugares, ou em qualquer momento da história, os jogadores podem encontrar
criaturas mágicas e misteriosas, que não desejam devorar seus rostos e beber de seu sangue e
alma. Essas criaturas são consideradas benignas, e podem gerar um enredo ou conflito direto
com os personagens. Algumas das criaturas citadas nesse livro como os Pueros, Sylvanos,
Vampiros Maiores, Sereias, Súcubos, entre outros – podem simplesmente querer viver em seus
lugares sem procurar causar alguma interação negativa com os personagens, ou até mesmo se
tornarem aliados em potencial com os jogadores. Ainda assim, por serem ‘’monstruosas’’ fora
das diretrizes dos personagens, elas se encontram junto aos outros monstros.

Horrores
Fetulho

Breves Pesadelos

Arquespório

Licantropo

Interesses relacionados