Você está na página 1de 19

ESTABILIZAÇÃO DO DESMORONAMENTO DE

STANTON LEES UTILIZANDO UMA CORTINA


DE CONTENÇÃO DE ESTACAS ENGASTADAS

“Stabilisation of the Stanton Lees Landslip


Using an Embedded Pile Retaining Wall”
Steve J. Hodgetts
Brendan C. O’Kelly
Matthew J. Raybould
Claudio Nuernberg Junior
DESCRIÇÃO


Aterro de cerca de 90 m, construído entre 1955
e 1962;

Taludes íngremes (35°-40°) em frente ao chalé,
e de cerca de 25° em outros pontos;

Estrada que já havia apresentado problemas
de instabilidade;

Muro de gabião de 2,5 m de altura e 45,0 m de
comprimento, construído em 1985, 1986 e
2000.
SEQUÊNCIA DE EVENTOS

Em novembro de 2000 uma pedra do meio-fio
cai e no dia seguinte o terreno abaixo do
talude aparece inundado;

Nas duas semanas seguintes aparecem trincas
na estrada, paralelas ao meio-fio;

Em menos de dois meses começa a ocorrer o
deslocamento do muro de gabião com
separação das gaiolas;

O talude do aterro começa a se movimentar;

Recalques graduais e progressivos,
intensificados em períodos chuvosos.
Deslocamentos de até 1,0 m no muro
e recalques de até 1,0 m em sua fundação
Recalques de até 1,5 m na via
ESTUDOS REALIZADOS

Mapas;

Dados pluviométricos do período:
INVESTIGAÇÃO DE CAMPO


Monitoramento dos deslocamentos (14 meses);
– Maiores deslocamentos ao longo da crista do talude,
de até 80 cm, indicando que o deslizamento
continuara;

Perfil estratigráfico (7 poços e 19 furos de
sondagem);

Monitoramento do nível d’água no solo;

Deslizamento devido à movimentação do solo
sobre o maciço rochoso encharcado.
ANÁLISE DA ESTABILIDADE


Condições mais adversas no talude em frente ao
chalé:
– Maiores declividades;
– Maiores deformações no muro;
– Maior camada de solo sobre a rocha;

Movimentação lenta e gradual → condição de limite
do equilíbrio → FS=1;

Ensaios de campo, laboratoriais e uso de
correlações para se obter os parâmetros do solo;
ANÁLISE DA ESTABILIDADE


Software Slope/W (Geo-Slope International
Limited);

Uso do método de Morgenstern-Price;

Condições normais → FS=1;

Aumentando em 1,0 m o NA → FS<1 no
talude;

Aumentando em 1,0 m o NA→ FS≈1,3 no
terreno natural;
AÇÕES CORRETIVAS


Opções descartadas:
– Muro de arrimo no meio do talude ou na base do
talude;
– Cortinas de estacas atirantadas margeando a
estrada;

Opção adotada:
– Cortina de estacas espaçadas em balanço
margeando a estrada.
- 86 estacas de 60cm;
- Duas fileiras;
- Espaçamento entre os eixos de 2,0 a 2,7 vezes o diâmetro;
- Profundidades entre 8,0 e 13,5 m.
CRITÉRIOS DE DIMENSIONAMENTO


Estacas adjacentes (pequena distância entre
elas);

Análise de estabilidade pelo método de
Burland-Potts, utilizando o software
GEOSOLVE WALLAP;

As pontas das estacas foram engastadas no
maciço rochoso;

O NA utilizado foi 1,5 m superior ao registrado.
CRITÉRIOS DE DIMENSIONAMENTO


FS = 2,0 para a verificação da estabilidade;

FS = 1,65 nos empuxos de solo para o
dimensionamento da estrutura;

Interesses relacionados