Você está na página 1de 50

IGREJA BATISTA MINISTÉRIO VIDEIRA

ESCOLA DE DISCÍPULOS

LIÇÃO 34

O DISCÍPULO E O SEU CHAMADO

Texto: EzequieI9.1-6; I Cor. 10.11-12 - Oração - Duração do Estudo: 2 horas

Você foi chamado para ser um Discípulo de igreja e, no entanto, você teme que a sua
incapacidade impedirá que você seja bem-sucedido? Você acha que é fraco demais para ser
um Discípulo forte? Talvez você já tenha sido empurrado para uma posição de liderança e
esteja enfrentando frustrações, ou até mesmo fracasso. Se este for o seu caso, anime-se! Deus
tem boas-novas para você.

1. A Igreja de Cristo é Dirigida por Discípulos

Deus tem providenciado Discípulos para dirigir seu povo visando a um crescimento
espiritual. Se os Discípulos não fossem necessários, Deus não teria incluído a liderança entre os
dons espirituais. Não teria sentido a Bíblia fornecer tantos princípios de liderança. Os exemplos
de liderança não seriam necessários. Por exemplo: Jetro não teria resgatado Moisés do peso
da administração. Jesus não teria treinado os apóstolos. Paulo não teria sido o tutor de
Timóteo, e assim por diante.

Evidentemente que vários pastores, embora profundamente treinados e exegese das


Escrituras, e aptos para comunicar a verdade de Deus, falharam drasticamente quando se
tratava de guiar o rebanho de Deus.

O Dr. George Barna afirma que o êxodo existente nas igrejas é atribuível parcialmente
à saída de leigos que possuem habilidades, dons e experiência de liderança. Estas pessoas, de
quem a igreja precisa tão desesperadamente, estão deixando a igreja porque não conseguem
mais suportar fazer parte de um pretenso movimento que não apresenta uma liderança forte e
de visão.

1.1. O que faz um Discípulo Ser um Líder.

Primeiro, o Discípulo cristão é chamado por Deus. É chamado para o serviço.

É alguém que serve liderando. A vasta maioria das pessoas é seguidores. Aqueles que
foram ungidos por Deus para liderar têm o dever de atender ao seu chamado e fazer aquilo
que os seguidores necessitam tão desesperadamente.

Segundo, o Discípulo cristão é uma pessoa com um caráter semelhante de Cristo.


Porque a função principal do Discípulo é capacitar as pessoas a conhecer, amar e servir a Deus
com todo coração, mente, alma e força. O Discípulo deve possuir em si mesmo esses atributos.

Terceiro, o Discípulo cristão possui aptidões funcionais que permitem a ele


desempenhar tarefas e guiar pessoas no sentido de cumprir os objetivos dos servos de Deus.
Estas habilidades são necessárias para inspirar pessoas, passar a visão, formar equipes, delegar
autoridade, tomar decisão, desenvolver estratégias e celebrar vitórias.

1
IGREJA BATISTA MINISTÉRIO VIDEIRA
ESCOLA DE DISCÍPULOS

1.2. O Discípulo Cristão Tem Um Chamado.

Como você foi chamado por Deus para ser um Discípulo espiritual do povo de Deus? A
seguir damos alguns sinais que indicam que você foi chamado para ser um Discípulo cristão.

a) Sentir o chamado. Se você realmente foi chamado terá um senso de escolha divina
para a tarefa. Haverá uma convicção interna de que, por mais espantoso que possa parecer,
Deus deseja que você lidere o povo por Ele e para Ele.

b) Mente de Líder. O Discípulo percebe e pensa diferentemente dos outros.

É uma pessoa de visão, o Discípulo focaliza o futuro. Pensa nas implicações a longo
prazo, nas oportunidades e escolhas que são feitas hoje. Fica ansioso por mudança e deseja
realizá-Ias. Trabalha duro, de maneira inteligente, é pensador estratégico.

c) Incentivo Externo. Uma maneira de você saber se foi chamado para liderar o povo
de Deus é verificar se você recebe a ratificação de outras pessoas. Esta confirmação é mais
importante quando vem de outros Discípulos verdadeiros. Os Discípulos conhecem sua
espécie.

d) Força interna. Chamamos esta força interna de coragem. Se você se sente à


vontade assumindo risco , percorrendo territórios não mapeados, e não recua diante da
perspectiva de assumir a pressão pelas decisões que tomou, você bem pode ter a força interior
que Deus provê para aqueles que são chamados para liderar o seu povo.

e) Gostar do que faz. Liderar pessoas não é uma diversão. Os Discípulos de Deus,
suportam quantidades incríveis de preocupação, controvérsias e animosidade. Se você sentiu
aquela sensação vibrante e cálida de vitória, a sensação de que todas as dificuldades valeram o
resultado, você sabe o que um Discípulo vocacionado experimenta nas trincheiras da batalha
espiritual.

2. Identificando A Verdadeira Liderança

Liderar é diferente de gerenciar, ensinar, aconselhar e ajudar. Muitos ministérios são


destruídos, porque seus Discípulos são incapazes de liderar. A maioria da liderança tenta
liderar usando suas habilidades e seus talentos para ensinar. O ensino pode influenciar
pessoas, mas liderar é mais do que apenas influenciar. O pastor-professor falha como líder, a
igreja se toma descontente e destrói os resultados. O mesmo acontece quando a pessoa tem
dom de administrar, ou aconselhar, ou ajudar. O grupo sob sua responsabilidade fica frustrado
e o ministério é prejudicado.

A Bíblia é bem clara ao demonstrar que liderança acontece melhor no contexto de


uma equipe de pessoas talentosas que apóia um Discípulo que foi chamado e dotado por Deus
para o propósito de liderar. Moisés teve Josué, Arão e Ur. Jesus teve Pedro, Tiago e João. Paulo
teve Timóteo, Tíquico, Lucas e Tito.

2
IGREJA BATISTA MINISTÉRIO VIDEIRA
ESCOLA DE DISCÍPULOS

Todos os dons são importantes, nenhum dom, ou indivíduo é melhor do que qualquer
outro. O Discípulo preciso do professor, do administrador, do conselheiro de pessoas com
outros dons que ajude o Discípulo a liderar.

Não se engane: administração não é liderança. Ensino não é liderança.

Aconselhamento não é liderança. Estas outras disciplinas não são menos valiosas do
que a liderança, mas não podem ser confundias nem podem substituir a liderança.

Estas explicações não são para intimidá-los, mas esclarecer a realidade dos fatos. É
claro e evidente que Deus age, às vezes, de forma estranha ao nosso entendimento, vejamos:

3. Deus Chama Os Fracos

"Ele fortalece os desfalecidos e multiplica as forças dos que não têm força alguma".
Isaias 40.29

Quando Deus chama alguém para ser um líder, ele não o escolhe, baseando-Se na sua
inteligência, nos seus talentos, ou na sua instrução. Na verdade, estas são algumas coisas que
Deus talvez tenha que modificar ou até mesmo destruir antes que Ele possa nos usar. A Bíblia
diz: "Destruirei a sabedoria dos sábios e aniquilarei a inteligência dos inteligentes" I Co. 1.19.

O apóstolo Paulo diz: "A loucura de Deus é mais sábia que os homens; e a fraqueza de
Deus é mais forte que os homens. Porque, vede, irmãos, o vosso chamado, que não são muitos
os sábios segundo a carne, nem muitos os poderosos, nem muitos os nobres que são
chamados. Mas Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as sábias. E, Deus
escolheu as coisas ... desprezíveis, e as que não são, para aniquilar as que são": I Co. 1.25-28.

O apóstolo Paulo está nos ensinando é que: através das nossas fraquezas, das nossas
vacilações, e dos nossos fracassos, Deus revela a Sua sabedoria. Através da nossa debilidade,
Deus demonstra o Seu poder, o qual se aperfeiçoa na nossa fraqueza.

4. Vejamos As Pessoas Que Deus Escolhe

Ficamos pasmados com as pessoas que Deus escolhe para fazer certas coisas:

4.1. Paulo

Por exemplo, Ele enviou a Paulo aos pagãos incultos. Paulo havia estudado as
Escrituras com Gamaliel que era um grande mestre dos fariseus. Na qualidade de candidato
para o Sinédrio Paulo teve que memorizar e citar os primeiros cinco livros do Antigo
Testamento chamado Pentateuco. Ele era um judeu com uma notável formação intelectual e
grandes realizações.

Do ponto de vista humano, ninguém poderia ter sido mais qualificado para a tarefa de
evangelização dos judeus do que Paulo. Mas a quem Deus enviou Paulo para ministrar? Não
aos cultos e instruídos judeus, e sim aos povos ignorantes e marginalizados, os gentios, que

3
IGREJA BATISTA MINISTÉRIO VIDEIRA
ESCOLA DE DISCÍPULOS

não apreciavam muito a grande cultura de Paulo e os seus profundos conhecimentos da lei
judaica.

Toda a capacidade natural de Paulo, toda a sua instrução, inteligência e talentos


tiveram que ser colocados de lado. Deus teve que remover isto tudo, levando-o para o deserto
da Arábia para então poder despoja-lo de todas as coisas das quais ele poderia ter se
vangloriado. Gl. 1.17; FI. 3.4-8.

Naquele imenso, lamentável, e despovoado deserto, naquela terra de covas, sequidão,


e da sombra da morte, por onde ninguém viaja nem vive, Jer. 2.6, Paulo aprendeu que seu
êxito como Discípulo em Cristo seria somente, entregando "tudo o que foi ganho,
considerando como perda, para ganhar a Cristo. FI. 3.7,8".

Ele aprendeu a proclamar o Evangelho "não com palavras plausíveis da sabedoria


humana", mas com a demonstração do Espírito e poder. I Co. 2.4

4.2. Pedro

Muito embora Pedro tivesse aberto a porta da fé para os gentios Atos 10, ele
permaneceu em Jerusalém entre a mais alta elite dos judeus do Império Romano como "o
apóstolo para os judeus". GI. 2.8. O que qualificou Pedro para esta tarefa? Certamente não
foram as suas grandes realizações acadêmicas nem a sua instrução.

A Bíblia o descreve como sendo um homem "inculto e ignorante" At. 4.13. Ele era
apenas um simples pescador, e, contudo, Deus o qualificou para a tarefa pelo poder do
Espírito Santo.

5. Transforme As Suas Fraquezas Em Fortalezas

"Ele fortalece os desfalecidos e multiplica as forças dos que não têm força alguma". Is. 40.29.

Conta-se a história de um homem cego e de um aleijado que se tomaram amigos


inseparáveis. O que contribuiu para a amizade deles?

O aleijado podia ver perfeitamente, mas não conseguia andar. O cego tinha pernas
fortes, mas não conseguia enxergar. O aleijado ofereceu a sua visão ao cego em troca da sua
mobilidade. O cego carregava o aleijado em suas costas. O aleijado instruía o cego sobre o
caminho em que ele deveria andar e o avisava com relação aos objetos que eram obstáculos
em seu caminho e que poderiam fazê-lo tropeçar.

As suas fraquezas e necessidades mútuas os uniram no sentido de aproveitarem os


pontos fortes um do outro.

5.1. Dependa Mais De Deus.

Semelhantemente, as nossas fraquezas e debilidades devem nos levar a Deus a fim de


que Sua força possa tomar o lugar da nossa fraqueza.

4
IGREJA BATISTA MINISTÉRIO VIDEIRA
ESCOLA DE DISCÍPULOS

As nossas fraquezas pessoais que nos fazem cientes da nossa falta de capacidade ou
poder para ser Discípulos deveriam fazer com que direcionássemos os nossos corações a Deus
em oração. Se respondermos desta maneira, descobriremos que "Ele fortalece os desfalecidos
e multiplica as forças dos que não têm força alguma" . Is. 40.29.

Devemos deixar Deus envolver-Se em nossa vida. Tomemos como exemplo a viúva de
2 Reis 4, tomada de pânico pela possibilidade de perder seus dois filhos, por causa da dívida
deixada por seu marido. Deus multiplica o azeite, as dívidas são pagas e ela tem uma pensão
pelo resto da vida.

5.2. Confesse A Palavra.

O que os psicólogos chamam de "complexo de inferioridade" é normalmente uma


preocupação excessiva com a nossa própria vida, que pode resultar numa perspectiva do
nosso ego que diz: "Eu não presto para nada! Eu sou um inútil, um fracasso total. Deus nunca
poderá me usar!" Este tipo de opinião de si próprio causa um desânimo total.

Certa vez Billy Graham, disse: "Deus nunca pode usar um servo desanimado".

Isso é verdade! Precisamos vencer as atitudes deste tipo através da palavra da nossa
confissão. Apoc. 12.11

Devemos considerar o conceito que a Bíblia faz de nós mesmos: "Posso fazer todas as
coisas através de Cristo que me fortalece"; Fp. 4.13. "Os leõezinhos necessitam e sofrem fome,
mas àqueles que buscam ao Senhor, bem algum lhes faltará". SI. 34.10. ''E meu Deus, segundo
a sua riqueza em glória, há de suprir, em Cristo Jesus, cada uma de vossas necessidades". FI.
4.19. ''Eis que vos dou poder para pisar serpentes e escorpiões, e toda a força do inimigo, e
nada vos fará dano algum". Lc. 10.19. "Através do nosso Deus faremos proezas. É Ele que
esmagará os nossos inimigos. Contaremos e bradaremos a vitória. Cristo é o Rei! Cristo é o
Rei!".

5.3. Troque A Sua Força Pela Força Do Senhor

"Até mesmo os jovens se cansarão e desfalecerão, e ficarão totalmente prostrados:


mas os que esperam no Senhor renovarão (trocarão) as suas forças". Is.40.31.

A palavra chave deste versículo é "renovarão", que seria traduzida melhor por
"trocarão". Na medida em que esperamos no Senhor, Ele remove a nossa força e a substitui
com a Sua Própria força.

Não é uma questão de combinarmos a nossa força com a d 'Ele, e sim uma completa
remoção da nossa força, para nos revestirmos da força dEle. Deus está dizendo: "Se você for
forte em você mesmo, não poderei usa-lo. Se você pode faze-Io sozinho, então você não
precisa de Mim".

O que o Senhor pede que façamos antes que Ele "troque" a força d Ele com a nossa?

5.4.Reconheça A Sua Necessidade

5
IGREJA BATISTA MINISTÉRIO VIDEIRA
ESCOLA DE DISCÍPULOS

O rei Davi escreveu: "Clamou este pobre, e o Senhor o ouviu e o salvou de todas as
suas angústias". SI. 34.6

Asafe reconheceu a sua fraqueza e a sua necessidade de Deus com as seguintes e


comoventes palavras: "Eu fui tão tolo e ignorante; fui como um animal diante de Ti". SI. 73.22.

Há uma poderosa palavra de promessa para todos os que fizerem a mesma coisa. " ...
para que possam ver e saber, e considerar, e juntamente compreender que a mão do Senhor
fez isto". Is. 41.17-20

O apóstolo Paulo reconheceu que a sua capacidade vinha de Deus. " ... não que
sejamos capazes, por nós, de pensar alguma coisa, como de nós mesmos; mas a nossa
capacidade vem de Deus, o qual nos fez também capazes de ser ministros dum Novo
Testamento, não da letra, mas do Espírito; porque a letra mata, e o Espírito vivifica". II Co. 3.5-
6

Quando reconhecemos as áreas de nossa fraqueza, a força de Deus nos vem de forma
mais abundante. II Co. 12.7-10.

Quando estamos fracos e sentimos a nossa grande necessidade de Deus, isto nos faz
completamente dependentes dEle. Passamos muito tempo em oração. O resultado? Somos
fortalecidos no Senhor.

Questionário
1. Qual a finalidade do Discípulo na Igreja?

2. O que faz um Discípulo ser um líder?

3. Conte como foi o seu chamado para ser líder.

4. Quais os sinais que indicam que você foi chamado por Deus?

5. O que significa liderar?

6. Que tipo de pessoas Deus chama para ser líder?

7. Como transformar nossas fraquezas em fortalezas?

6
IGREJA BATISTA MINISTÉRIO VIDEIRA
ESCOLA DE DISCÍPULOS

LIÇÃO 35

O DISCÍPULO E A VONTADE DE DEUS

Texto:Rm.12.1-2-0ração –Duração do Estudo: 1 hora

O Discípulo deve saber alguns princípios que certamente o levará a conhecer a


vontade de Deus. Devemos aprender a distinguir entre a nossa vontade e a de Deus. A Bíblia
ensina que Deus nos dá a capacidade de conhecer a Sua vontade. A cultura evangélica nos
torna especialistas em coisas secundárias. Nossa oração é sempre voltada para coisas
materiais: -o Senhor, ajude-me a pagar o aluguel"; "Preciso de um carro novo, Senhor", e por
aí vai. A maneira de Paulo encarar as coisas era bem diferente. "Não cessamos de interceder
por vocês, e de pedir que vocês se encham do conhecimento de Sua vontade em toda a
sabedoria e compreensão espiritual". Cl. 1.9.

1. Como Discípulos Temos A Necessidade de Ouvir a Voz de Deus

Será que Deus ainda está falando hoje em dia? É possível ouvirmos a voz de Deus? Os
Discípulos cristãos estão confusos com relação a esta questão.

Alguns crêem que Deus pode nos falar e dar-nos direções quando precisamos. Outros
dizem que Deus somente fala conosco através do que lemos na Bíblia. Creio que Deus fala
conosco ainda hoje através do Seu Espírito Santo, exatamente como Ele o fazia nos tempos
bíblicos. "Aquele que tem ouvidos, que ouça o que o Espírito diz (tempo presente) às igrejas".
Ap. 2.7; 3.22.

Jesus disse: "Nem só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da
boca de Deus" Mt.4.4. A palavra "procede" expressa uma função no presente e contínua. Isto
significa que uma coisa que aconteceu no passado ainda está acontecendo hoje e acontecerá
no futuro.

2. O Discípulo Precisa Conhecer A Vontade de Deus

Todos os Discípulos de igreja gostariam de saber o que Deus espera que eles façam e o
que devem deixar de fazer. Onde termina a minha vontade e começa a de Deus. Afinal foi
Jesus que disse: "O servo que conhecia a vontade do seu Senhor ... nem fez conforme a Sua
vontade, será castigado com muitos açoites". Lc. 12.47. Isto nos ensina claramente que Deus
responsabiliza os Discípulos no sentido de reconhecer a Sua vontade e praticá-la.

Deus quer que nós como Discípulos de igreja conheçamos e façamos a vontade d Ele. A
vontade do Senhor estabelece os limites da nossa responsabilidade. Para fazer a vontade de
Deus é preciso conhecer a Deus. Para conhecer é preciso ouvir a sua voz.

3. Obstáculos em Nosso Ouvir a Voz de Deus

3.1. Corações Imperfeitos diante de Deus.

7
IGREJA BATISTA MINISTÉRIO VIDEIRA
ESCOLA DE DISCÍPULOS

"Porque, quanto ao Senhor, seus olhos passam por toda a terra, para mostrar-se fortes
para com aqueles cujo coração é perfeito para com ele, nisso, pois, procedeste loucamente,
porque, desde agora, haverá guerras contra ti". II Cr. 16.9.

O que é um coração perfeito? Nos tempos bíblicos as pessoas achavam que o coração
era o centro das: 1) afeições, 2) motivações e 3) intenções da pessoa. Coração Imperfeito, na
verdade significa:

3.1.a) Afeições Mundanas. Se as nossas afeições estão fixadas nas coisas da terra, ao
invés das coisas do céu, isto ofende a Deus. I João 2.15. A Bíblia nos diz para amarmos a Deus
com todo o nosso coração, alma, mente e força. Mt. 22.37.

3.1.b) Motivações Impuras. Se as nossas motivações forem impuras, como no caso do


profeta Balaão (Nm.23), então Deus nos julgará severamente. Balaão negociou os milagrosos
dons de Deus por dinheiro, fama e prestígio.

3.1.c) Intenções Erradas. Ananias e Safira (Atos 5) fingiram estar dando todo o seu
dinheiro à obra do Senhor, mas, na verdade, estavam guardando a maior para dele para si
próprios. Deus tirou as suas vidas porque a intenção deles estava errada.

Precisamos ter cuidado com nossas afeições, motivações e intenções, para termos a
certeza de que elas estão puras. Deus conhece os nossos corações. "Pois o homem olha para a
aparência externa, mas o Senhor olha para o coração". I Sm. 16.7.

3.2. Dureza De Coração.

"Hoje, se quiserdes ouvir a Sua Voz, não endureçais os vossos corações". Hb. 4.7.

Como Discípulos devemos entender bem essa questão. Quantas vezes ministramos as
pessoas e os corações insensíveis não conseguem absorver a Palavra do Deus Eterno? É
importante que oremos e jejuemos para que os corações tomem-se sensíveis e sejam
abençoados.

3.2.a) A Falta de Perdão Bloqueia A Voz de Deus. Há muitas pessoas, inclusive


Discípulos que não conseguem ouvir a voz de Deus, porque retém o perdão. Não conseguem
perdoar as afrontas sofridas por alguns dos seus liderados. Quantas mulheres que estão
impossibilitadas de ouvir a voz do Senhor, porque foram maltratadas por seus próprios
maridos e não conseguem perdoá-los. A Bíblia diz: "Perdoa i aos homens as suas ofensas para
que vosso Pai Celestial, possa perdoar a voz". Mt. 6.14-15

3.2.b) O Pecado Impede de Ouvirmos a Voz de Deus. "Se eu guardar o pecado no meu
coração, o Senhor não me ouvirá". SI. 66.18. "Os vossos pecados fazem separação entre vós e
o vosso Deus". Is. 59.2. O pecado é o maior embaraço na vida do líder. Gera a perda do
Relacionamento com Deus, "não me lances fora da tua presença". SI.51.11. Perda da alegria da
salvação, perde a visão do propósito de Deus, "antes ensinava o caminho de Deus aos
transgressores, agora não". Devemos confessar e abandonar o pecado, para alcançarmos
misericórdia.

8
IGREJA BATISTA MINISTÉRIO VIDEIRA
ESCOLA DE DISCÍPULOS

3.2.c) A Desobediência Bloqueia a Voz de Deus. Obedecer é melhor do que sacrificar.


Quantos que por causa de suas idéias preconcebidas, são impedidos de obedecer a voz do
Senhor. Naamã. 2 Reis 5.10; Jesus o nosso maior exemplo de líder, estava sempre pronto para
fazer a vontade de Deus. Seu propósito era fazer a vontade do Pai. João 4.34. Sua oração era:
"Seja feita a tua vontade e não a minha". Lc. 22.42.

4. Deus Promete Orientar Seus Servos

"Por esta razão não vos tomeis insensatos, mas procurai compreender qual a vontade
do Senhor". Ef. 5.17. "Guia-me pelas veredas da justiça por amor do seu nome". SI. 23.3

"Assim diz o Senhor, o teu Deus, que ensina o que é útil, e te guia pelo caminho em
que deves andar". Is. 48.17

Não foi fácil para Abraão deixar sua cidade em Ur e partir para um lugar desconhecido,
mas Deus prometeu guia-lo até o local onde queria que se estabelecesse. Gn. 12.1.

Mais tarde, Abraão enviou seu servo numa viagem muito longa para escolher uma
noiva para seu filho Isaque, prometendo ao servo que Deus o guiaria Gn. 24.7. O homem não
tinha idéia de quem procurava, mas Deus o levou exatamente à moça que preparava para
Isaque.

Deus guiou de forma sobrenatural seu servo Filipe, levando-o para uma estrada
deserta junto a Gaza, a fim de dar testemunho a um solitário etíope. At. 8.26 Deus deseja que
conheçamos o plano dEle para nossas vidas. Não somos diferentes do apóstolo Paulo neste
sentido, Deus salvou-o para "conhecer a sua vontade" At. 22.14, e Ele nos salvou também com
o mesmo propósito.

5. Como Líderes, Devemos Atentar para Os Sentimentos Íntimos

Quem de nós, em alguma época de nossa vida cristã, não se sentiu levado a tomar
uma atitude, impelido por uma compulsão íntima que acreditou ser a orientação de Deus? Em
meu ministério sentir muitas vezes impelido a telefonar para alguém ou visitar alguém, e
descobrindo a seguir que a pessoa precisava mesmo da minha presença ou palavra.

Esse tipo de experiência deve ser comum na vida do líder. O Espírito Santo aplica na
verdade uma pressão branda sobre o espírito da pessoa, fazendo pesar em seu coração
necessidades específicas e orientando-a através de impressões em sua mente.

5.1. Vontade de Deus, Direção Divina é um Direito Nosso.

Afinal, somos filhos de Deus, portanto, temos o direito de esperar a orientação do


Espírito Santo. O fato de ser guiado pelo Espírito é uma das principais características de
identificação do verdadeiro filho de Deus. O apóstolo Paulo escreveu:

"Pois todos os que são guiados pelo Espírito de Deus são filhos de Deus". Rm. 8.14
Deus põe pensamentos em nossa mente. Salomão afirmou: "O Senhor dirige o coração do rei,

9
IGREJA BATISTA MINISTÉRIO VIDEIRA
ESCOLA DE DISCÍPULOS

seus pensamentos e a sua vontade, da mesma maneira que o lavrador faz a água correr do rio
para os canais de irrigação". Pv. 21.1

Deus tem um plano para cada um de nós, até para os incrédulos. Ap. 17.17. Se Deus
pode colocar o Seu plano na mente de incrédulos, certamente pode fazer o mesmo com seus
servos.

5.2. Vejamos Como o Espírito de Deus Orienta os Líderes. No livro de Atos


observamos o Espírito de Deus guiando pessoalmente os Seus servos. Ele falou a um diácono
de nome Filipe e deu-lhe instrução para aproximar-se de uma carruagem específica, onde
encontrou um eunuco etíope pronto a receber o evangelho. At.8.29. Ele falou ao apóstolo
Pedro e ordenou-lhe que acompanhasse os três homens de Casaréia que foram procura-Ia. At.
10.19,20. Quando o grupo de profetas e professores na igreja de Antioquia jejuou e orou, disse
o Espírito Santo:

"Separai-me agora a Barnabé e a Saulo para a obra a que os tenho chamado". At. 13.2.
Mais tarde, tentou para Betânia, mas o Espírito Santo falou-lhe novamente e impediu que
fosse. At. 16.17.

O ensino bíblico a respeito da vontade de Deus não expressa apenas uma doutrina.
Afeta a nossa vida diária.

Uma vez que já sabemos a vontade de Deus, a maneira como Ele deseja que vivamos
precisamos dedicar-nos ao cumprimento da sua vontade. O salmista, por exemplo, pede a
Deus que lhe ensine a "fazer a sua vontade" Sl. 143.10. Ao pedir, igualmente, que o Espírito
guie "por terras planas", indica que, em essência, está rogando a Deus a capacidade de viver
uma vida de retidão. Semelhantemente, Paulo espera que os cristãos sigam a vontade de
Deus, evitando a imoralidade e vivendo de maneira santa e honrosa. 1 Ts. 4.3,4. Noutro lugar
Paulo ora para que os cristãos recebam a plenitude do conhecimento da vontade divina, a fim
de viverem "dignamente diante do Senhor, agradando-lhe em tudo". Cl. 1.9,10

Os Discípulos são exortados a orarem para que a vontade de Deus seja feita, Mt. 6.10;
Lc. 11.2. Devemos desejar, com sinceridade, a perfeita vontade de Deus. e ter o propósito de
cumpri-la em nossa vida e na vida de nossa família. Se essa for a nossa oração e compromisso,
teremos total confiança de que o nosso presente e futuro estarão sob os cuidados do Pai. At.
18.21; I Co. 4.19; 16.7.

Questionário
1. Como distinguir entre a minha vontade e a de Deus?

2. Como atua a cultura evangélica em nossas vidas?

3. Por que precisamos saber a vontade de Deus?

4. O que é necessário para se fazer a vontade de Deus?

5. Quais os obstáculos em nosso ouvir a voz de Deus?

10
IGREJA BATISTA MINISTÉRIO VIDEIRA
ESCOLA DE DISCÍPULOS

6. Que são afeições mundanas?

7. Que são motivações impuras?

8. Que são intenções erradas?

9. Que significa dureza de coração?

10. Como a falta de perdão bloqueia a voz de Deus?

11. Como o pecado impede de ouvirmos a voz de Deus?

12. Por que a desobediência bloqueia a voz de Deus?

13. Cite dois nomes de pessoas que ouviram e foram guiados por Deus?

14. Como entender a direção divina em nossa vida?

15. Como o Espírito Santo orienta os Discípulos

16. O que fazer quando sabemos à vontade de Deus?

11
IGREJA BATISTA MINISTÉRIO VIDEIRA
ESCOLA DE DISCÍPULOS

LIÇÃO 36

O DISCÍPULO E A VIDA CRISTÃ VITORIOSA

Texto: Rm.1.17;ICor.15.57 - Oração - Duração do Estudo: 2horas

Você nunca andará em vitória até que saiba que o seu inimigo foi derrotado!.

Como cristãos, não passamos da derrota para a vitória. Não passamos da dúvida para a
fé. O cristão anda de "fé em fé". Rm. 1.17

Da mesma forma, o nosso ponto de partida para a vitória não se inicia na derrota, e
sim na vitória - na vitória de Cristo. "Mas graças a Deus que nos dá a vitória por nosso Senhor
Jesus Cristo" I Co. 15.57

Devemos começar na vitória se quisermos ter a vitória. As dúvidas, as derrotas, e o


desespero não são o tipo de coisas com as quais podemos construir uma vida forte e vitoriosa.
Nunca poderemos ser vencedores enquanto nos considerarmos como desesperadas e
desamparadas vítimas do diabo.

1. Libertos do Temor da Morte e do Diabo

" ... e, visto como os filhos participam da carne e do sangue, também ele participou das
mesmas coisas, para que, pela morte, destruir, (aniquilasse) o que tinha o império da morte,
isto é, o diabo. E livrassem todos os que, com medo da morte, estavam por toda a vida sujeita
à servidão" Hb. 2.14-15.

1.1. O Diabo é Destruído.

Jesus morreu para que o diabo pudesse ser destruído. Esta é uma afirmação segura - é
absolutamente verdadeira!

Destruir. Isto não significa que o diabo não existe mais. Ele ainda existe e está por ai,
como bem sabemos. A palavra grega traduzida como "destruir" é katargeo, significa:

a) Incapacitar

b) Aniquilar

c) Reduzir a zero

d) Tomar inativo

e) Paralisar por completo.

Através da Sua morte, Jesus não somente pagou a penalidade pelos nossos pecados;
Ele também incapacitou o diabo, reduziu-o a nada, e o paralisou. Portanto, não precisamos
mais ter medo do diabo nem da morte. Hb. 9.27; 10.27; I Co. 15.55-57.

2. A História da Nossa Vitória

12
IGREJA BATISTA MINISTÉRIO VIDEIRA
ESCOLA DE DISCÍPULOS

Esta é uma história surpreendente. que só pode ser compreendida retomando-se aos
primórdios da Criação.

1.2. O Homem Foi Criado Para Ter Domínio.

"Então Deus disse: façamos o homem à Nossa imagem, conforme à Nossa semelhança.
E que ele governe e tenha domínio ... sobre toda a terra" Gn. 1.26; SI. 8.4-6 As Escrituras
mostram que Deus tinha um plano para Adão e Eva. Esta primeira família recebeu o direito de
governar e ter domínio sobre toda a Criação. Tinha autoridade sobre todos os seres viventes
na face da terra.

2.2.0 Domínio do Homem Foi Perdido Através da Desobediência.

A Bíblia diz que Satanás havia sido criado como um lindo e ungido querubirn ou anjo.
Ele tinha grandes ambições de governar a Criação. Porém, Deus deu este privilégio a Adão e
Eva. Através do orgulho e da rebeldia, ele caiu da sua posição celestial de beleza, autoridade, e
poder. Jesus disse: "Eu vi Satanás cair do céu como um raio". Lc. 10.18; Ez. 28.11-17; Isaias
14.12-15

Em seguida ele apareceu no Jardim do Éden na forma de uma linda serpente. Havia um
propósito maligno nesta sua vinda. De uma forma sábia e astuta, ele tentou usurpar o direito
de governar - o domínio que havia sido dado a Adão e Eva.

Portanto, ele se achegou a Eva de uma forma muito astuta e sutil, ele plantou a
semente da dúvida no coração dela sobre o amor, a honestidade e a autoridade de Deus.
Resultado, Eva comeu da árvore do conhecimento. Adão escolheu compartilhar da
desobediência dela, submetendo-se também à mentira do diabo. Conclusão: Três coisas
trágicas aconteceram:

2.2.a) Perderam A Cobertura E A Autoridade de Deus. Saíram de debaixo da cobertura


e da autoridade de Deus, e a imagem de Deus foi Desfigurada.

2.2.b) Perderam O Direito de Governar. Perderam o direito de governar a Criação de


Deus.

2.2.c) Se Colocaram Sob Uma Nova Autoridade. Consequentemente, colocaram-se


sob a autoridade do próprio Satanás.

O diabo havia assumido o domínio da terra como havia desejado. Ele ganhou isso não
pela força, mas pelo engano. O direito de domínio sobre a Criação de Deus havia passado do
homem para o Diabo.

3. O Plano De Deus Para Restaurar A Soberania

Havia um aspecto da natureza de Deus que o diabo desconhecia por completo. Este
aspecto é chamado de "graça". Baseia-se num amor que busca redimir o que estava perdido.
"Deus pagou um preço para salvar-vos do vosso vão estilo de vida que recebestes dos vossos
pais. Contudo, não fostes comprados com algo perecível como a ouro e prata. Fostes

13
IGREJA BATISTA MINISTÉRIO VIDEIRA
ESCOLA DE DISCÍPULOS

redimidos com o precioso sangue de Cristo - um cordeiro puro e perfeito. Cristo foi escolhido
antes que o mundo fosse criado.

Porém, Ele foi revelado e mostrado ao mundo nestes últimos tempos por vós" I Pedro
1.1-20.

3.1. A Semente da Mulher. Tão logo o homem pecou e caiu do seu lugar de
autoridade, o plano de Deus de redenção, foi colocado em ação.

"E o Senhor Deus disse à serpente; porquanto fizeste isto, maldita serás mais do que
todos os animais ... De agora em diante, tu e a mulher serão inimigas. Ferirás o calcanhar d'Ele,
porém, Ele esmagará a tua cabeça". Gn. 3.24-15.

A frase "esmagar a sua cabeça" tem um significado adicional de grande importância ao


nosso tema de autoridade. O termo "cabeça" inclui a idéia de chefia ou autoridade
governamental (cobertura).

O próprio Deus está dizendo ao diabo que, algum dia, a Semente da Mulher, Jesus
arrancaria o cetro das suas mãos. Através da Cruz de Cristo, o homem seria redimido, Satanás
seria derrotado, e o domínio seria restaurado à família de Deus.

3.2. O Nosso Redentor. O Filho de Deus, recuperaria para o homem redimido a


autoridade para governar o que ele havia perdido através do pecado.

"Mas, vindo à plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher,
nascido sob a lei, para remir os que estavam debaixo da lei, a fim de recebermos a adoção de
filhos. E, porque sois filhos, Deus enviou aos nossos corações o Espírito de seu Filho, que
clama: Aba Pai. Assim que já não és mais servo, mas filho; e, se és filho, és também herdeiro
de Deus por Cristo". Gl. 4.4-7

Paulo está claramente ligando o nascimento do Senhor Jesus à Semente prometida de


Gênesis 3.15. Jesus Cristo veio para esta terra, nascido de uma mulher. Ele veio com o
propósito de redimir a humanidade e restaurá-la a um lugar de autoridade na família real de
Deus. Ele fez o que Deus-Pai dissera ao diabo que faria - quando o tempo chegasse. Este
tempo chegou, e, através da Cruz de Cristo, Satanás foi derrotado e destronado.

A autoridade que ele havia astutamente tomado de Adão e Eva foi devolvida aos
redimidos filhos de Deus.

4. Satanás Tentou Impedir o Plano

No início do ministério terreno de Jesus, o diabo procura desafiar a fonte da Sua


autoridade divina, questionando a Sua condição de Filho divino. "Se Tu és o Filho de Deus ... "
Mt. 4.3

4.1. Satanás Tenta Jesus. Foi a última tentação, no entanto, que enfocou, de fato a
questão da autoridade e domínio.

14
IGREJA BATISTA MINISTÉRIO VIDEIRA
ESCOLA DE DISCÍPULOS

"Ai então o diabo O levou a um monte muito alto. Lá ele Lhe mostrou todos os reinos
do mundo e à sua glória. E disse-lhe: Todas estas coisas Te darei se Te prostrares e me
adorares. Mas Jesus lhe disse: Vai-te, Satanás! Pois está escrito: ao Senhor Teu Deus adorarás,
e só a Ele servirás. Então o diabo O deixou; e, eis que chegaram os anjos, e O serviram". Mt.
4.8-11

Note que a autoridade está relacionada com a adoração. Na verdade, o que adoramos
toma-se a nossa autoridade. O que o diabo estava dizendo de fato era o seguinte: "Se Te
colocares sob a minha autoridade, dar-Te-ei domínio sobre todos os reinos da terra".

4.2. Satanás Tentou Destruir Jesus. Ele tentou destruir Jesus em seu nascimento.
Satanás incitou o rei Herodes a matar todas as crianças com menos de dois anos de idade. O
que Satanás estava querendo? Destruir Jesus - a Semente da mulher. Satanás sabia que
quando Jesus Se tomasse um Homem, haveria uma batalha pelo poder e autoridade que
haviam estado em suas mãos desde a queda do homem.

Satanás estava ciente de que Jesus Cristo era a "Semente da Mulher" que havia vindo
para tomar o seu domínio - o seu direito de governar. A oferta do diabo, de autoridade
mundial, era uma tentativa de se evitar esta perda, colocando primeiramente a Jesus sob o seu
próprio controle.

5. O Poder Da Cruz

A Cruz tem poder para redimir o homem e restaurá-lo ao seu lugar de autoridade.

5.1. A Cruz Retratada na Páscoa. A Páscoa teve um importante papel na libertação dos
filhos de Israel da escravidão do Egito. Deus estava preparando um homem - Moisés para
libertar o seu povo do Egito. O diabo incitou a faraó a matar todas as crianças israelitas do sexo
masculino. Êxodo 1.15,16. Faraó usava uma coroa com a imagem de uma mortífera serpente
naja, de pé, pronta para o seu bote mortal.

5.1.a) Satanás: O Destruidor. Através de Moisés Deus disse que cada família israelita
matasse um cordeiro e colocasse o seu sangue sobre os umbrais das portas. "Quando o Senhor
passar pela terra para ferir aos egípcios, Ele verá o sangue sobre a verga e as ombreiras das
portas. Ai então, o Senhor passará sobre esta porta. Ele não permitirá que o destruidor entre
em vossas casas para matar os vossos primogênitos" Êxodo. 2.23

5.1.b) Sangue: Sinal de Proteção. Quando ele viu o sangue nos umbrais de cada casa
israelita, o Próprio Senhor "passou por cima" da porta. A Sua presença cobriu a família daquela
casa e guardou os seus ocupantes de todo o mal.

A proteção contra o destruidor naquela escura noite de morte era o sangue - o sangue
de um perfeito cordeirinho! O seu sangue foi espalhado nos umbrais das portas na forma de
uma cruz. Era um símbolo da morte, e era também o portão de entrada para a vida.

5.2. Jesus Tem Todo O Poder e Autoridade. Após a sua ressurreição, Jesus colocou
claramente esta verdade com as seguintes palavras: "Todo poder no céu e na terra foi dado a

15
IGREJA BATISTA MINISTÉRIO VIDEIRA
ESCOLA DE DISCÍPULOS

Mim. Portanto, ide e fazei discípulos em todas as nações ... e eis que estarei convosco todos os
dias". Mt. 28.18-20

Através da Sua morte na Cruz, Jesus destronou o diabo e tomou o seu poder sobre a
morte. "Não temas: Eu sou o Primeiro e o Último. Eis que morri, mas vivo para sempre. Tenho
as chaves (a autoridade) da morte e do inferno". Ap. 1.17,18

6. Podemos Viver Na Vitória

6.1. Jesus Concedeu aos Seus discípulos Autoridade Sobre O Diabo. Jesus concedeu
este mesmo poder aos Seus discípulos de todos os tempos!

"Os setenta discípulos voltaram com grande alegria, dizendo: Senhor, até mesmo os
demônios se submetem a nós quando usamos o Teu nome. E Jesus lhes disse: Sim, vi a Satanás
caindo do céu como um raio. E vos dei autoridade sobre todo o poder do inimigo. Tendes
poder para esmagar debaixo de vossos pés escorpiões e serpentes. Nada vos fará dano
algum". Lc. 10.17-19

"Estes sinais seguirão aos que crêem: usarão a autoridade do Meu nome para
expulsarem demônios". Me. 16.17

6.2. Não Recue Avance! Sim, somos filhos e filhas reais da família de Deus. Temos o
privilégio e autoridade do nome de Cristo. Não viva uma vida de derrotas. A nossa vitória está
em Cristo.

6.2.a) O Diabo é um Falso Leão. As Escrituras não afirmam que o diabo é um leão que
ruge. Elas dizem que ele anda em derredor como um leão que ruge. Ele age como se fosse um
leão.

Quem é o verdadeiro Leão? Jesus! As Escrituras O descrevem como "O Leão da tribo
de Judá" Ap.5.5.

6.2.b) Não Dê Poderes Ao Diabo. O diabo somente pode ter tanto poder na nossa vida
quanto o que permitimos que ele tenha. Ele não tem mais a autoridade para controlar as
nossas atitudes e ações para os seus próprios propósitos. Ele só terá o controle se nós o
permitirmos que ele tenha.

6.2.c) Corra em Direção ao Rugido. Na África, quando os leões vão caçar, eles são
muito espertos. Todos os leões mais jovens e mais fortes se reúnem em direção contrária do
vento que vai à direção do rebanho pronto para atacar o rebanho.

Os leões velhos, cansados e incapazes colocam-se na direção do vento, onde o seu


cheiro e rugido assustam os animais e fazem com que eles corram em direção aos leões
jovens. Os animais que correm em direção ao rugido estão seguros e não podem ser
machucados pelos leões velhos. Os animais que fogem do rugido correm para dentro da
armadilha e são feridos ou mortos pelos leões jovens.

16
IGREJA BATISTA MINISTÉRIO VIDEIRA
ESCOLA DE DISCÍPULOS

Não fuja do seu adversário, o diabo, e de seus rugidos. Corra em direção ao rugido.
Resista-o e ele fugirá de você. Seja um vencedor! Viva na vitória daquele que venceu.

Questionário
1. Como andar de vitória em vitória?

2. Como saber que fomos libertos do temor da morte e do diabo?

3. O que quer dizer: "o diabo é destruído"?

4. O homem foi criado para ter domínio, por que perdeu esse poder?

5. Qual o plano de Deus para restaurar a Soberania?

6. Por que satanás tentou impedir o Plano?

7. Fale sobre o Poder da Cruz.

8. Podemos viver em vitória?

17
IGREJA BATISTA MINISTÉRIO VIDEIRA
ESCOLA DE DISCÍPULOS

LIÇÃO 37

O DISCÍPULO E A PALAVRA DE DEUS

Texto: II Tm. 3.16; I RS.8.56 - Oração - Duração do Estudo: 2 horas.

A Palavra de Deus, a Bíblia Sagrada é o Livro especial de Deus. Ela não é como os
outros livros, mas é um Livro sobrenatural. Foi escrita por muitas pessoas diferentes, as quais
escreveram através da inspiração do Espírito Santo.

A Bíblia já foi traduzida mais do que qualquer outro livro do mundo. Foi originalmente
escrita em três línguas: Hebraico, Aramaico e Grego.

A Bíblia está dividida em duas partes: O Antigo e Novo Testamento. O Antigo


Testamento fala sobre a obra de Deus com o Seu povo antes do nascimento de Jesus. O Novo
Testamento fala sobre o nascimento de Jesus, a Sua vida, o Seu ministério, a Sua morte e
Ressurreição.

"O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não hão de passar". Mt.24.35.

"Seca-se a erva, e caem as flores, porém a palavra de nosso Deus subsiste


eternamente" Is. 40.8

1. A Inspiração das Escrituras

Não existe nenhuma dúvida quanto à inspiração da Bíblia. "Toda a Escritura é


divinamente inspirada" (literalmente: é dada pelo sopro de Deus), II Tm. 3.16. "Porque a
profecia não foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus
falaram, inspirados pelo Espírito Santo". II Pedro 1.21

1.1. Elas reivindicam inspiração. O Antigo Testamento declara-se sob uma inspiração
especial de Deus. A expressão: "e Deus disse", é usada mais de 2.600 vezes. A história, a lei, os
salmos e as profecias são declarados escritos por homens sob inspiração especial de Deus. Ex.
24.4; Josué 3.9; II Reis 17.13; Is. 34.16; SI. 78.1. Jesus sancionou o Antigo Testamento, citou-o e
viveu em harmonia com os seus ensinos. Ele aprovou a sua veracidade e autoridade. Mat.
5.18; João 10.35; Lc. 18.31-33.

Em todo o Novo Testamento ele se declara uma revelação mais completa e clara de
Deus do que aquela dada no Antigo Testamento. Portanto, tanto o Velho como o Novo
Testamento são absolutamente inspirados pelo Espírito do Senhor. Paulo e os demais
apóstolos afirmam falar com a autoridade divina. I Co. 2.13; 14.31; I Tes. 2.13; 4.2; II Pd. 3.2; I
João 1.5; Ap. 1.1.

1.2. Elas provam sua inspiração. Quanto a seus autores, foi ela escrita por homens
cuja honestidade e integridade não podem ser postas em dúvida; quanto ao seu conteúdo, há
a mais sublime revelação de Deus ao mundo; quanto à influência, tem trazido a luz salvadora
às nações e indivíduos, e possui um poder infalível para guiar os homens a Deus e transformar-
lhes o caráter; quanto à sua autoridade, desempenha o papel dum tribunal supremo em

18
IGREJA BATISTA MINISTÉRIO VIDEIRA
ESCOLA DE DISCÍPULOS

assuntos religiosos. Falam sobre coisas específica. Vejamos: (1) Nota-se a ausência total dos
absurdos que se encontram em outros livros "sagrados". O DI. D.S. Clarke: "Há uma diferença
insondável entre a Bíblia e qualquer outro livro. Essa diferença deve-se à sua origem". (2) Sua
unidade. Contendo sessenta e seis livros, escritos por uns quarenta diferentes autores, num
período de mais ou menos mil e seiscentos anos, abrangendo uma variedade de tópicos, ela,
no entanto, demonstra uma unidade de tema e propósito que só se explica como tendo ela
uma mente diretriz. (3) Quantos livros suportam serem lidos pelo menos duas vezes? Mas a
Bíblia pode ser lida centenas de vezes sem se poder sondar suas profundezas ou sem que se
perca o interesse do leitor. (4) A sua assombrosa circulação, estando já traduzida em milhares
de idiomas e dialetos, e lida em todos os países do mundo. (5) O tempo não afeta. É um dos
livros mais antigos do mundo e ao mesmo tempo o mais moderno. A alma humana nunca a
pode dispensar.

2. Ela É Única e Não Comum

Não devemos confundir a inspiração com o esclarecimento. Alguns pensam que a


influência do Espírito Santo comum a todos os cristãos, influência que os ajuda a compreender
as coisas de Deus, I Co. 2.4; Mt. 16.17 é o mesmo que inspiração. Não é verdade. Tal
esclarecimento é prometido aos crentes e tem sido experimentado por eles. Mas este
esclarecimento não é o mesmo que inspiração. Sabemos, segundo está escrito em I Pedro
1.10-12, que às vezes os profetas recebiam verdades por inspiração e lhes era negado
esclarecimento necessário à sua compreensão dessas mesmas verdades. O esclarecimento
admite a graduação, enquanto a inspiração não admite graduação alguma. Varia de pessoa
para pessoa o grau de esclarecimento, mas no caso da inspiração, no sentido bíblico, a pessoa
recebeu ou não recebeu a inspiração.

3. Ela É Viva e Não Mecânica

A inspiração não significa ditado, no sentido de que os escritores fossem passivos, sem que
tomassem parte as suas faculdades no registro da mensagem, embora sejam algumas porções
das Escrituras ditadas, como por exemplo os Dez Mandamentos e a Oração do Pai Nosso. A
própria Palavra inspiração exclui o sentido de ação meramente mecânica. Deus não falou pelos
homens como que fala por um alto-falante. Antes seu Divino Espírito usou as suas faculdades
mentais, produzindo desta maneira uma mensagem perfeitamente divina. É Deus que fala no
homem, é Deus quem fala pelo homem, é Deus quem fala como homem, é Deus quem fala a
favor do homem.

4. Ela É Verbal

Existe uma teoria que afirma que Deus inspirou os pensamentos mas não as palavras
dos escritores. Entretanto, a ênfase bíblica é sobre as palavras e não sobre os homens.
"Homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo" II Pd. 1.21. Paulo nos fala de
"palavras ensinadas pelo Espírito" I Co. 2.13.

Devemos fazer uma distinção entre as palavras inspiradas e os registros inspirados. Por
exemplo, muitos dizeres de Satanás são registrados nas Escrituras e sabemos que o diabo

19
IGREJA BATISTA MINISTÉRIO VIDEIRA
ESCOLA DE DISCÍPULOS

certamente não foi inspirado por Deus ao proferi-Ios; mas o registro dessas expressões
satânicas foi inspirado.

5. A Palavra de Deus Produz Vida

"As palavras que Eu lhes falei são espírito e vida". João 6.63

5.1. Ela é Criativa. "Pela PALAVRA DO SENHOR foram feitos os céus, e os seus exércitos
de estrelas, pelo sopro da Sua boca ... Porque Ele falou, e tudo se fez; ele ordenou e tudo se
firmou". SI. 33.6,9; Hb. 11.3

5.2. Ela é Como Água. "Vocês já estão limpos por causa da palavra que lhes falei". João
15.3; Ef. 5.22-27.

5.3. Ela nos Mantém Limpos. "Como pode o jovem manter o seu caminho puro?
Vivendo de acordo com a Tua Palavra ... Escondi a Tua Palavra no meu coração para não pecar
contra Ti". SI. 119.9-11

5.4. Ela é Luz para Nossas Vidas. ''E temos a palavra dos profetas mais estabelecida, e
será bom para vocês prestarem atenção a ela, como urna luz que brilha num lugar escuro, até
o dia raiar e a estrela da manhã aparecer em seus corações". Il Pd. 1.19

5.5. Ela é Comida Espiritual. "Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra
que procede da boca de Deus". Mt. 4.4. I Pd. 2.2.

6. Cinco Atitudes Para Com a Palavra de Deus

1.1 Devemos Ouvir a Palavra de Deus. Ap. 1.3; Rm. 10.17. Ouvir é importante, mas
para que alguém dê fruto com perseverança é preciso ouvir e conservar no coração. Lc. 8.15

6.2. Devemos Ler a Palavra de Deus. Ap. 1.3. A leitura da Bíblia, feita cuidadosamente,
todos os dias, nos permite aprender a temer ao Senhor e a fazer a sua vontade. Dt. 17.19-20

6.3. Devemos Estudar a Palavra de Deus. Atos 17.11. O estudo sistemático da Bíblia
FIOS torna obreiros aprovados, que não tem de que se envergonhar e que sabe manejar bem a
Palavra de Deus. II Tm. 2.15

6.4. Devemos Memorizar a Palavra de Deus. SI. 119-9-11. Memorizando a Palavra há


maior facilidade para aplicá-Ia em nosso viver diário. Dt. 11.18

6.5. Devemos Meditar na Palavra de Deus. SI. 1.2; Josué 1.8,9; I Tm. 4.15. Meditar é
digerir a Palavra de Deus, ler repetidamente. Meditar é deixar Jesus partir o pão da vida com
você. Meditar é obter revelação. Meditar é Ouvir Deus falar.

7. Como Meditar na Palavra do Senhor?

7.1. Orar pedindo purificação no coração.

7.2. Ler o texto bíblico várias vezes.

20
IGREJA BATISTA MINISTÉRIO VIDEIRA
ESCOLA DE DISCÍPULOS

7.3. Tirar do texto o tema principal.

7.4. Descobrir o que o texto ensina sobre Deus, Jesus e o Espírito Santo.

7.5. Observar se o texto aponta algum pecado a abandonar.

7.6. Descobrir as promessas de Deus.

8. Ensinando a Palavra de Deus

Uma das principais responsabilidades do Discípulo é ensinar a Palavra do Senhor ao


rebanho. I Pd. 5.2. As últimas exortações de Jesus a Pedro foram que ele alimentasse os
cordeirinhos. João 21.15-17. A Palavra de Deus é comparada ao leite que alimenta. Is. 55.1; I
Pd. 2.2.

A saúde e a força espiritual dependem do alimento espiritual. A vida espiritual fraca


indica que o Discípulo não está apascentando devidamente as suas ovelhas. O Discípulo que se
queixa que o seu povo não está interessado em verdades espirituais profundas nos revelam
duas coisas: ele não levou seu povo a um andar profundo com Deus e ele não tem alimentado
o povo com a verdade bíblica adequada.

O que você, como líder, deve fazer para anunciar todo o desígnio de Deus ao povo?

8.1. Baseie o seu ensinamento sobre toda a Palavra de Deus. Use os dois
Testamentos. O Antigo Testamento era a única Bíblia que os apóstolos tinham; todas as suas
mensagens estavam baseadas nele. Não negligencie o Antigo Testamento.

8.2. Coloque a sua ênfase onde Deus coloca. Dê atenção constante às principais
ênfases da Escritura. O que Deus só menciona em um ou dois versículos da Escritura não é um
tópico importante para o seu ministério. Os tópicos que se repetem são de grande interesse
para Deus.

8.3. Baseie o seu ensinamento em cada doutrina principal da Bíblia. A Bíblia não é
organizada como um manual de teologia sistemática. Mas a sua compreensão sistemática da
doutrina é essencial para que você conheça e pregue toda à vontade de Deus.

8.4. Inclua sempre uma aplicação prática. A Palavra de Deus foi inspirada pelo Espírito
Santo, seção por seção, a fim de ajudar as pessoas nas situações da vida real. Sua verdade
eterna é relevante para todos, mas nem todas seções são igualmente relevantes ou urgentes
em um dado momento.

8.5. Transmita uma visão geral clara do grande plano de Deus. O seu deve ser
ajudado a compreender a grandeza, a glória e a importância do plano geral de Deus para todas
as eras. Ajude a compreender a unidade do plano de Deus. O que torna as Escrituras vivas e
mais relevantes para o povo é passar-lhe uma idéia do plano de Deus para a humanidade.

Questionário

21
IGREJA BATISTA MINISTÉRIO VIDEIRA
ESCOLA DE DISCÍPULOS

1. Como saber que a Bíblia é Inspirada?

2. O que significa ser única e não comum?

3. O que significa ser viva e não mecânica

4. Quais as cinco atitudes para com a Palavra de Deus?

5. Quais as atitudes ao meditar na Palavra de Deus?

6. Como ensinar a Palavra de Deus?

22
IGREJA BATISTA MINISTÉRIO VIDEIRA
ESCOLA DE DISCÍPULOS

LIÇÃO 38

O DISCÍPULO E A VIDA DE ORAÇÃO

Texto: At. 6.4; I Tm. 2.1 - Oração - Duração do Estudo: 2 horas

Um Discípulo que negligencia a oração certamente fracassará, entretanto aquele que


faz da oração a sua atividade principal alcançará o sucesso como líder. O apóstolo Paulo
recomendou aos Discípulos de Tessalônica que deveriam "orar sem cessar". I Ts. 5.19.

As decisões tomadas em orações provavelmente são mais corretas do que aquelas


tomadas apenas com base exclusivamente na experiência e na inteligência humana. "Confia no
Senhor de todo o teu coração e não estribes no teu próprio entendimento. Reconhece-o em
todos os teus caminhos, e ele endireitará as tuas veredas". Pv. 3.5,6

Deixar de orar é viver em pecado. "Quanto a mim, longe de mim que eu peque contra o
Senhor, deixando de orar por vós". I SID. 12.23

1. Oração, a Grande Prioridade na Vida do Discípulo

Uma das maiores descobertas que um Discípulo pode fazer ao estudar a Palavra do
Senhor, é que aqueles que foram usados poderosamente por Deus, eram homens de oração.
Perseverar na oração ainda é a prioridade para nortear um ministério poderoso, abençoado e
frutífero.

1.1. Como Discípulos Temos que Viver em Oração.

Sabe por que a sociedade está em declínio espiritual e moral? Por que nós Discípulos
não estamos orando como convém. Sabe por que o número de crimes violento cresce tanto
em nosso País? Porque a Igreja Evangélica Brasileira não está orando sem cessar. Sabe por que
o nascimento de crianças ilegítimas amplia-se tanto em nossa sociedade? Sabe por que o
índice de gravidez e de abortos em adolescentes cresce assustadoramente em nosso País? É
porque nós Discípulos não oramos o suficiente.

Em 1735, o País de Gales experimentava um declínio político e espiritual. Verificava-se


um grande interesse pelo ocultismo e práticas ligadas à adivinhação e à magia negra. Um
jovem chamado Howell Harris, começou a orar no povoado onde morava, Deus veio ao seu
encontro de forma poderosa. Um grande avivamento varreu o País. Milhares de pessoas se
converteram a Cristo inclusive os piores criminosos.

A oração era prioritária para os homens de Deus e provavelmente a oração tomava a


maior parte do seu tempo. Eles só podiam liderar de acordo com a sua oração. Eles
compreenderam que a sua maior responsabilidade era cobrir a igreja com oração enquanto
ministravam a Palavra. Nenhum conhecimento, títulos teológico deve substituir a oração.

1.2. Os Primeiros Discípulos Priorizavam a Oração.

23
IGREJA BATISTA MINISTÉRIO VIDEIRA
ESCOLA DE DISCÍPULOS

O Espírito Santo despertou a Igreja em Jerusalém sobre a necessidade de dar


prioridade à oração. Desde o início, a ORAÇÃO teve um lugar de grande destaque na vida da
Igreja. Após dez dias de oração os quase cento e vinte discípulos reunidos no Cenáculo, foram
revestidos de Poder. At. 1.14; 2.1-4

Após o Pentecostes, os Discípulos foram ao culto de oração. At. 3.1, e a caminho deste
culto um homem paralítico de nascença foi curado. At. 3.3-6. Quando veio a primeira onda de
perseguição, e eles foram proibidos de falar no nome de Jesus. At.4.18,19, a igreja unânime se
reuniu para orar, pedindo a intervenção de Deus. At. 4.23-30. A resposta foi tremenda. Todos
foram cheios do Espírito Santo, e anunciavam com ousadia a Palavra de Deus. .At. 4.31. Pedro
estava em perigo de morte, mas a igreja fazia contínua oração por ele a Deus. At. 12.5. Em
resposta Pedro foi milagrosamente liberto. At. 12.11. Herodes que queria mata-lo, foi comido
de bichos e expirou. At. 12.23.

Quando perguntaram a Spurgeon qual o segredo do seu sucesso, ele respondeu:


"Trabalho de joelhos".

Andrew Murray perguntou: "Qual a razão de muitos Discípulos cristãos no mundo não
terem uma influência maior?" - A falta de oração em seus ministérios. Somente a oração
produz uma vida espiritual poderosa.

Se você, como líder, quiser estar à frente de seus seguidores, deve, acima de tudo, ser
um modelo e Discípulo em oração. A oração é o termômetro que mede o grau de
espiritualidade do líder. Você jamais será mais importante aos olhos de Deus do que a sua vida
de oração.

2. Exemplos de Discípulos Que Deram Prioridade a Oração

A Palavra de Deus mostra exemplos de pessoas que deram prioridade à oração.


Queremos analisar três grandes exemplos: 1. Jesus, o nosso maior modelo; 2) Moisés, um
exemplo no Velho Testamento; 3) Paulo, um exemplo extraído do Novo Testamento.

2.1. JESUS. É o nosso Maior exemplo. João 13.15; I Pd. 2.21. Para Jesus a oração era o
meio pelo qual ele se comunicava com seu Pai. João 17.1,5,11,24,25. Em suas constantes
orações, Jesus recebia a direção para o seu trabalho, e o Pai mostrava-lhe as obras que deveria
realizar. João 5.20

Os evangelhos mostram como Jesus frequentemente se separava para orar. Muitas


vezes dirigiu-se para lugares desertos. Mt. 14.13; Mc.1.35; Lc.4.42; outras vezes subia os
Montes para orar. Mc.6.16; Lc. 6.12; João 6.15. A Bíblia registra lindas experiências que Jesus
teve nestas ocasiões. Certa vez, no monte, Jesus foi transfigurado, e recebeu a visita de Moisés
e de Elias. Lc. 9.30,3l.

2.2. MOISÉS. Moisés era um homem de Deus. Dt. 33.3. Foi o grande Discípulo que
Deus levantou para libertar Israel da escravidão no Egito, e para conduzir o povo para a terra
prometida. Conforme o relato bíblico, Moisés dava prioridade à oração. Deus realizou grandes

24
IGREJA BATISTA MINISTÉRIO VIDEIRA
ESCOLA DE DISCÍPULOS

feitos pela instrumental idade de Moisés, mas sempre como resultado da vida de íntima
comunhão com Deus.

Moisés aprendeu o valor da oração no seu lar. Nasceu durante a vigência do decreto
de Faraó. Ex. 1.22. Todavia a vida de Moisés foi salva da morte pelas orações de sua piedosa
mãe. Ex. 2.2-6.

Quando todos tinham motivos para murmurar, Moisés tinha motivos para ORAR. Ex.
5.20-23. Durante o tempo que Moisés precisou confrontar-se com a resistência de Faraó,
Moisés orava. Ex. 8.12,30; 9.23; 10.18. Antes da a travessia do Mar Vermelho, ele orou. Ex.
14.13-14. Ao longo da jornada no deserto, Moisés conquistava a solução para os problemas
que surgiam, por meio da oração. Por exemplo, quando o povo encontrou as águas amargas
de Mara e se pôs a murmurar, Moisés orou. Ex. 15.23-25; quando o povo murmurou porque
faltava alimento, Moisés orou. Ex. 16.4,llQuando o povo acampou em Refidim, e não havia
água para beber, Moisés clamou ao Senhor. Ex. l7.1-6. Quando os israelitas foram atacados
pelos amalequitas, Moisés subiu ao monte, e orava com sua vara estendida. Ex. 17.8-16.
Quando Coré e seus duzentos e cinqüenta seguidores se levantaram contra Moisés e Arão,
Moisés caiu sobre o seu rosto. Nm. 16.4.

A vida de oração de Moisés é um exemplo para todos nós. Suas experiências com Deus
provam que não existe dificuldade para a qual Deus não tenha a solução. Quanto maior a
intimidade com Deus, tanto mais eficaz se toma a fé, e Deus confirma a palavra: "E tudo o que
pedirdes na oração, crendo, o recebereis". Mt. 21.22.

2.3. Paulo. Paulo, teve sua vida dedicada a oração, toma-se um exemplo para todos
Discípulos cristãos. I Tm. 1.16; I Co. 11.1.

Desde a sua conversão na estrada para Damasco, Paulo começou a buscar a Deus em
oração. At. 9.11. Logo recebeu de Deus chamada para o trabalho missionário. At. 9.15,16. Por
direção de Deus partiu para a Arábia, onde passou cerca de dois anos. Na solidão do deserto
teve oportunidade de preparar-se para realizar a obra para a qual Deus o havia chamado, e
certamente foi lá que ele começou a sua dedicada vida de oração.

É interessante observar como Paulo mobilizou um grande número de intercessores,


pessoas que se punham diante de Deus em favor do trabalho pioneiro do apóstolo Paulo. Aos
colossences pediu oração para que a porta da palavra lhe fosse aberta. Cl. 4.3. Aos romanos,
que combatessem com ele nas orações, a fim de que Deus lhe desse vitória nas dificuldades.
Rom. 15.30,31. Aos efésios ele pede que orem por ele. Ef. 6.18,19, aos filipenses, Fp. 1.19; aos
tessalonicenses, I Ts. 5.25; em fim a todos, ele pedia que orasse. Seu ministério era coberto de
orações dos santos.

3. Resultados De Se Perseverar na Oração

Os apóstolos convocaram a igreja, e disseram: "Não é razoável que nós deixemos a


Palavra de Deus e sirvamos às mesas. Escolhei pois, irmãos, dentre vós, sete varões de boa
reputação, cheios do Espírito Santo e de sabedoria, aos quais encarregaremos sobre este

25
IGREJA BATISTA MINISTÉRIO VIDEIRA
ESCOLA DE DISCÍPULOS

importante negócio, e quanto a nós, perseveraremos na Oração e no Ministério da Palavra".


At. 6.1-3.

3.1. Crescimento da Igreja. ''E crescia a Palavra de Deus, e em Jerusalém se


multiplicava muito o número dos discípulos, e grande parte dos sacerdotes obedecia a fé". At.
6.7.

3.2. Vitória sobre as hostes espirituais da maldade. Ef. 6.12. Na oração resistiremos as
forças ocultas do inferno. Ap. 12.12. Na oração vestiremos a armadura espiritual. Ef. 6.12 e a
nossa vitória é certa.

3.3. Resultados psicológicos. Por meio da oração, você pode superar a tensão, a
ansiedade, a angústia, certos tipos de depressão, o sentimento de culpa e outros estados
emocionais desagradáveis. É perfeitamente possível relaxar durante e depois da oração. A
oração é uma das alternativas para a ansiedade. Fp. 4.6,7

3.4. Resultados espirituais. A oração é força para o exercício da piedade e da disciplina


pessoal, ajusta o homem aos padrões de fé e de comportamento. O esquema é muito simples:
você ora porque precisa de Deus, mas, para ser ouvido, é necessário que você compareça de
mãos limpas perante o Senhor. A oração bem sucedida depende de uma estreita comunhão
com Cristo. João 15.7. Pedro chega a dizer que a falta de compreensão entre marido e mulher,
o egoísmo de um e de outro e outros problemas conjugais causam orações sem efeito, isto é,
sem a resposta de Deus. I Pd. 3.7

3.5. Resultados de atendimento. Deus responde as orações de seus filhos, não


necessariamente como pedimos, mas a seu modo e de acordo com a sua soberania. Não
poucas vezes, ele "é poderoso para fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos, ou
pensamos, conforme o seu poder que opera em nós". Ef. 3.20; Mt.7.7,8

Questionário
1. O que acontece quando o Discípulo negligencia o exercício da oração?

2. Por que há tantos problemas sociais e espirituais no Brasil?

3. O que aconteceu no País de Gales quando Howell Harris, começou a orar?

4. Qual o lugar da oração na vida dos primeiros Discípulos da Igreja?

5. Por que a Igreja exerce tão pouca influência no mundo?

6. Cite e comete três exemplos de Discípulos que priorizaram a oração.

7. Qual o resultado de se perseverar na oração?

8. Qual o resultado psicológico da oração?

9. Qual o resultado espiritual da oração?

10. Qual o resultado de atendimento?

26
IGREJA BATISTA MINISTÉRIO VIDEIRA
ESCOLA DE DISCÍPULOS

LIÇÃO 39

O DISCÍPULO E O REVESTIMENTO DE PODER

Texto: Salmos 85.6; João 5.35 - Oração - Duração do Estudo: 2 horas

A personalidade do Discípulo deve está tão cheia da presença e beleza do Senhor a


ponto dos outros sentirem que Deus está com você. Permita que a Poderosa Unção do Espírito
Santo repouse sobre sua vida e liderança e viva incendiado com o fogo divino. Deus quer que
você resplandeça com o Seu amor, Seu Espírito e Seu poder.

1. O Espírito Santo Fará Você Resplandecer

Quantos Discípulos apagados, precisando ser restaurados; SI. 126.4. Quantos


Discípulos vivendo um verdadeiro deserto, precisando florescer. Is. 32.15. Só Deus pode
transformar vidas infrutíferas em pomares. Is. 58.11.

Somos Discípulos chamados por Deus Todo Poderoso, não podemos viver como
figueira estéril. Lc. 13.6-9. Tendo palavra, mas não tendo poder; tendo doutrina, mas não
tendo santidade; tendo trabalho, mas não tendo frutos; tendo ortodoxia, mas não tendo vida.

Devemos nos curvar diante do Soberano de toda a terra e suplicar-lhe o Fogo


Purificador. Mt. 3.11. Lembrem-se, Ele acendeu a chama santa no coração dos Seus seguidores
ao dar início ao Seu ministério terreno. Jesus disse: "Eu vim para lançar fogo sobre a terra". Lc.
12.49.

Somente este fogo em nossos corações nos tomará zelosos em cumprir o propósito de
Deus. Quando Deus coloca seu Espírito chamejante em nossa personalidade, Ele naturalmente
queima dentro de nós com dinâmica santa. Ficamos em chama e incendiamos outros. O
Discípulo cristão insípido e pouco inspirador viverá frustrado em seu ministério.

O Senhor Deus disse a Jeremias: "Eis que converterei em fogo as minhas palavras na
tua boca". Jr. 5.14. Permitamos que o Espírito Santo tome nossas palavras ardentes, a fim de
que o Seu povo possa incendiar-se com amor santo, zelo e obediência. Quando o Espírito
Santo incendeia os nossos corações, Ele torna chamejantes as nossas palavras.

Ele quer incendiar você com seu batismo ardente. Mt. 3.11. "Por esta razão, pois, te
admoesto que reavives o dom de Deus, que há em ti". II Tm. 1.6. Deus criou espíritos
inflamáveis em nós. Somos espiritualmente combustíveis. Nossa natureza foi criada para ser
posta em chamas pelo Espírito Santo.

2. O Mundo Precisa de Homens com o Coração em Chamas

O Espírito Santo está à disposição dos Discípulos cristãos. O mundo está


clamando por homens com o coração em chamas, corações cheios do amor de Deus;
cheios de compaixão pelos perdidos.

27
IGREJA BATISTA MINISTÉRIO VIDEIRA
ESCOLA DE DISCÍPULOS

Queridos, nossa comunidade não se impressiona muito com nossos programas e


múltiplas atividades. É preciso mais que uma igreja ativa, uma igreja amável, uma igreja
evangélica, para trazer o impacto de Cristo numa comunidade. É necessária uma igreja
inflamada, guiada por Discípulos em chamas.

Sabe qual deve ser o nosso desejo como líderes? Vê o fogo santo de Deus queimando
no coração dos homens, estimulando seu cérebro, impulsionando as suas emoções,
penetrando em suas línguas, brilhando em suas fisionomias, vibrando em suas ações,
expandindo o seu poder intelectual e fundindo todo o seu conhecimento como um riacho
chamejante. Permita passarmos de Discípulos fracos, insípidos, secos, para ministros
poderosos em Deus.

Não basta ter belo altar, muito sacrifício, igreja cheia, belos programas, muita
atividade; precisamos mesmo é do Fogo de Deus consumindo as nossas entranhas e
despertando a nossa consciência adormecida.

Se quisermos ser uma força irresistível de Deus onde Ele nos colocou, precisamos do
batismo de fogo do Espírito. Se quisermos acordar nossa igreja adormecida, precisamos que
desça até nós a chama santa que veio sobre cada crente no Cenáculo.

Elias orou até que o fogo caiu sobre o Monte Carmelo. Então o povo desviado pulou a
seus pés e exclamou: "O Senhor é Deus! O Senhor é Deus"].

O fogo-Shekinah, que fez arder o arbusto no deserto, pode inflamar nossos corações
até que sejamos sarças ardentes para Deus. O Fogo-Shekinah no Monte Sinai envolveu todo o
ser de Moisés, até sua face irradiar a glória de Deus. Podemos achegar-nos a Deus até que o
Fogo comece a transfigurar nossos vasos de barro e o povo veja os reflexo da glória de Deus
sobre nós e em nós.

Não podemos acender esse fogo. Por nós mesmos não podemos produzi-lo. Mas
podemos humilhar-nos diante de Deus em total integridade e honestidade, confessando a
nossa necessidade. Podemos buscar a face de Deus até que o fogo santo venha em profusão
sobre nossas vidas.

3. Deixe o Poder de Deus Repousar Sobre Sua Vida e Ministério

Lembrem-se, Deus demonstrou o Seu poder a Moisés, na libertação de Israel do


cativeiro no Egito. O Discípulo cristão deve demonstrar o amor e o poder de Deus mediante a
capacitação do Espírito Santo. Não ter amor ou poder significa não ter o selo completo do
Espírito sobre o seu ministério.

O Espírito Santo veio sobre Otniel Jz. 3.10 e ele se tomou um juiz de Israel, foi para a
guerra e o resultado foi paz durante quarenta anos. Como ele pode vencer o inimigo embora
não tivesse um exército treinado? Por causa do poder de Deus sobre ele.

28
IGREJA BATISTA MINISTÉRIO VIDEIRA
ESCOLA DE DISCÍPULOS

Hoje não temos somente as forças espirituais do mal combatendo contra nós, Ef. 6.12,
mas também, temos forças contrárias em nossa cultura secular, nos interesses ocultos e na
mídia ímpia.

O Espírito do Senhor veio sobre Gideão e ele tocou uma trombeta e reuniu as tribos Jz.
6.34. Nós, às vezes, temos pouco sucesso em reunir o povo de Deus para adorar, testemunhar
e contribuir porque o Espírito do Senhor não veio sobre nós em poder.

O Espírito veio sobre Jefté, Jz. 11.29 e ele avançou contra as poderosas forças inimigas.
O segredo do avanço é a unção poderosa na vida do homem.

O Espírito veio sobre Sansão com tal poder que ele enfrentou um leão jovem. Jz. 14.6.
O Espírito Santo se apossou dele.

Como Discípulos cristãos escolhidos por Deus, temos todo o direito de experimentar o
envolvente Espírito de Deus. Miquéias testemunhou: "Eu estou cheio do poder do Espírito do
Senhor, cheio de juízo e de força para declarar a Israel o seu pecado". Mq. 3.8.

4. Vivifica-nos, para que o teu povo se alegre em Ti. Sal. 85.6

Vemos aqui o clamor de um líder, pedindo a Deus para ser vivificado novamente,
visando o bem do povo "para que Teu povo se alegre em Ti".

4.1. Quando Este Revestimento é Necessário?

Primeiro, em Tempos de Apostasia. Há tempos quando, muito dos filhos de Deus


abandonam o primeiro amor. A iniquidade aumenta e o amor esfria em muitos. Discípulos
abandonam sua íntima comunhão com Deus. Aparta-se da santidade e oram à distância com
um véu' entre eles. Perdem seu fervor, prazer na oração secreta. O amor aos irmãos
desvanece. O pecado não é reprovado. Cristo não é confessado diante dos homens.

Segundo, em Tempos de Inquietação. “Pedi ao Senhor chuva no tempo da chuva


serôdia, sim, ao Senhor que faz relâmpagos; e lhes dará chuvas abundantes ... " Zc. 1O.1.

4.2. Quem Precisa de Revestimento?

Primeiro, os Discípulos precisam. Como todos os homens, eles também são


endurecidos de coração e incrédulos. Me. 6.14. Eles precisam ser renovados em poder, para
falar a verdade com graça; eles precisam se apoderar dela para expressar os oráculos divinos;
eles necessitam ser cheios para que suas palavras sejam não em sabedoria humana, mas em
demonstração de poder.

Segundo, todos os cristãos em geral. A Igreja hoje está se acostumando com o pecado.
Ele já não chora mais pelo pecado. Ela já não se aflige mais por causa da transgressão. Ela não
lamenta mais o fato de haver pecados grosseiros em seu meio. I Cor. 5.1-2. A Igreja hoje acha
tudo normal. Nada tem a ver. Os crentes facilmente são envolvidos em jogos, bebidas e vícios.
Os jovens cristãos se envolvem com namoros mistos e com namoros licenciosos. Os crentes
acham normal sonegar impostos, dar nota fria, forjar documentos falsos e mentirem para tirar

29
IGREJA BATISTA MINISTÉRIO VIDEIRA
ESCOLA DE DISCÍPULOS

passaporte e vistos para saírem do país. Enquanto a Igreja não se quebrantar, não se
arrepender, não se voltar para Deus e não apartar o precioso do vil, ela não poderá ser usada
pelo Senhor. Jr. 15.19. Enquanto a Igreja não se humilhar e se converter dos seus maus
caminhos não haverá revestimento de poder. Enquanto a Igreja não passar pela agonia do
arrependimento. Enquanto a Igreja não sofrer as dores de parto, ela não terá a alegria de gerar
filhos espirituais.

Quando há pecado na Igreja, o inimigo prevalece contra ela. Aquela que é vencedora, é
vencida. Aquela que é a luz do mundo, perde o brilho. Aquela que é sal da terra perde o sabor
e é pisada pelos homens.

5. Poder Secular

Muitos estão buscando poder aquisitivo, poder público, poder temporal, poder
político, poder internacional, poder mental, poder de influência. Mas existe um poder maior,
sobrenatural, espiritual, diferente de todos os poderes deste mundo, é o poder de Deus.

O poder do mundo, depende da posição social, das vantagens pessoais, da capacidade


intelectual, do dinheiro, da propaganda, do voto, da força, da opressão, do suborno, mas o
poder do céu, só os que se fazem pequenos têm direito ao revestimento do poder de Deus. 2
Co. 12.9.

Por que nós Discípulos precisamos poder?

O poder não é dado para deleite próprio nem para promoção pessoal. Isto precisa ficar
bem claro. Simão, o mago de Samaria, assustou os apóstolos Pedra e João quando revelou a
sua ignorância sobre a natureza do poder do Espírito Santo, ao oferecer dinheiro para comprar
o dom de Deus. At. 8.9-24.

Precisamos poder para fazer frente ao pecado. O pecado tem uma força tremenda e
"o corpo é fraco" Mt. 26.41. Para não ter uma vida de fracasso, você precisa do auxílio
sobrenatural do Espírito. É por meio do poder do Espírito que você vai mortificar os reclamos
da sua natureza humana. Rm. 8.13

Precisamos poder para exercer o ministério para o qual fomos chamados. No caso de
Sara ela recebeu poder para ser mãe, não obstante ser uma mulher estéril e idosa. Hb. 11.11.
No caso de Maria, ela recebeu poder para ser a mãe de Jesus, não obstante fosse uma mulher
virgem. Lc. 1.35. No caso dos apóstolos e dos setenta, eles receberam poder para expulsar
demônios e realizar curas Lc. 9.1; 10.1. No caso de Paulo, ele recebeu poder para levar o
evangelho de Jerusalém ao Ilítico. Rm. 15.18-21.

Precisamos poder para testemunhar da ressurreição de Jesus. O derramamento do


Espírito Santo no dia de Pentecostes tinha este propósito. Por esta razão, a pequena
comunidade cristã de Jerusalém, imediatamente após a descida do Espírito, passou a falar em
outras línguas as grandezas de Deus. At. 2.11. Em apenas trinta anos de missões, a igreja
primitiva alcançou os mais importantes e populosos centros urbanos do mundo de então e
neles se estabeleceu.

30
IGREJA BATISTA MINISTÉRIO VIDEIRA
ESCOLA DE DISCÍPULOS

Questionário
1. Como se tomar uma tocha resplandecente?

2. Que tipo de homens o mundo está precisando?

3. O que acontece quando o Poder de Deus Repousa sobre nosso ministério?

4. Quando saberemos que precisamos ser revestidos de poder?

5. Quem precisa de revestimento de poder?

6. Que tipo de poder está invadindo a igreja de hoje?

7. Para que precisamos poder?

31
IGREJA BATISTA MINISTÉRIO VIDEIRA
ESCOLA DE DISCÍPULOS

LIÇÃO 40

O DISCÍPULO E A VIDA DE ADORAÇÃO

Texto: SI. 100.4; 2 Cr. 20.18 - Oração - Duração do Estudo: 2 horas

Em nossa caminhada como líderes, haverá muitas ocasiões em que é mais importante
louvar a Deus do que continuar batalhando. A adoração faz com que os nossos olhos se
desviem da batalha para a vitória, pois Cristo já é Vencedor, e nós temos o Vencedor em nosso
coração a fim de que possamos ter a Sua vitória em nossa vida. O Espírito Santo
frequentemente quer guiar-nos do fardo das dificuldades para o louvor vitorioso.

Já pensou que às vezes, a resposta de Deus às nossas orações é demorada? Porque


não temos adorado a Deus suficientemente. Montanhas de problemas permanecem às vezes
porque deixamos de louvar ao Senhor. Através do louvor sincero, podemos afugentar o diabo,
porque Deus habita no meio dos louvores.

Através do Louvor podemos remover até depressão. SI. 42.11.

1. O Poder Terapêutico do Louvor

O louvor renova a nossa forças. Esperar em Deus nos renova espiritualmente e


também fisicamente. Isaias. 40.29-31. Todo Discípulo experimenta às vezes uma sensação de
secura espiritual. O louvor é um refrigério para a alma. Depois de uma batalha espiritual surge
quase sempre um cansaço mental e emocional. Precisamos repetidamente de uma emanação
do Espírito. O louvor traz uma mudança de disposição. O louvor abre um poço artesiano de fé
e alegria. O louvor é um dos meios usados por Deus para sua renovação interior. II Co. 4.16, SI.
103.1-5.

Nos teremos muito mais força espiritual se incluirmos o louvor em nosso andar diário
com o Senhor. Quando louvamos ao Senhor, as preocupações vão embora. O louvor afugenta
a frustração, tensão e depressão. O louvor clareia a atmosfera dissipando as sugestões de
dúvida, crítica e irritação provenientes do inimigo. O louvor faz uma transfusão celestial na
vida do líder.

1.1. O louvor clareia nossa visão. O adversário cria barreiras em nosso caminho, ele se
compraz em pintar as coisas negras, ele aumenta os montes, transformando-os em
montanhas, escurece o céu e faz com que as dificuldades pareçam impossibilidades.

1.2. O Louvor anula as sugestões de satanás. Quando louvamos a Deus, o Espírito


Santo vai clareando nossa visão para perceber que as perspectivas de satanás são enganosas.
Quando louvamos ao Senhor o Espírito Santo começa a dar-nos a perspectiva do céu.

1.3. O louvor nos fortalece espiritualmente. O louvor levanta o Discípulo da poeira da


batalha e o leva a olhar para Jesus e confiar na graça celestial.

1.4. O louvor purifica a alma. Ficaremos surpresos ao saber como a oração é


prejudicada pela vida egoísta de muitos cristãos. A carnal idade impede que milhares de

32
IGREJA BATISTA MINISTÉRIO VIDEIRA
ESCOLA DE DISCÍPULOS

orações subam mais alto que o teto. "Se eu no coração contemplar a vaidade (pecado), o
Senhor não me ouvirá". S1.66.18. Os pensamentos pecaminosos, atitudes carnais, e
egocentrismo destroem o poder da oração.

1.5. O louvor dá poder a sua oração. O Salmo 50.14-15 sugere que na hora de
dificuldade, um sacrifício de ações de graças é o prelúdio apropriado para a oração vitoriosa.
Em outras palavras, o louvor toma a nossa petição mais eficaz. Martinho Lutero escreveu
"quando não consigo orar, sempre canto". O louvor traz o poder do céu sobre nós. Muitas
pessoas foram libertas de hábitos pecaminosos através do louvor. Outras pessoas foram
curadas enquanto louvavam a Deus. João Wesley disse: "o louvor abre as portas para maior
graça".

1.6. O louvor multiplica a nossa fé. Quantas vezes começamos a louvar ao Senhor, o
foco de nossa atenção se desvia da complexidade do problema para a suficiência dos recursos
de Deus. Ao louva-lo, lembramos como Ele nos ajudou em outras ocasiões. As batalhas são
ganhas, quando expressamos o nosso cântico de adoração ao Senhor. O céu parece estar
muito próximo de nós, e a vitória chega imediatamente. II Co. 20.18.

2. Como Louvar ao Senhor

Quando louvamos a Deus na solidão de nossa alma, sem que ninguém mais saiba.
Somos renovados em nosso interior pelo poder do Espírito de Deus. Como Discípulos devemos
começar o nosso dia com louvor silencioso, lá em nosso íntimo com Deus. Ao sentarmos ao
lado de alguém, no ônibus, numa visita ou mesmo no hospital, podemos louvar ao Pai Eterno
de forma silenciosa até que a presença divina venha sobre nós e sobre a pessoa ao nosso lado.
O louvor inunda o mais íntimo do !l0sso ser. SI. 103.1.

O louvor pode transformar a nossa vida. O louvor pode transformar a nossa vida de
oração. O louvor traz a vitória em nossas batalhas de oração O louvor fortalece a nossa fé, e
nos reveste da presença do todo poderoso.

2.1. Expressões vocais de adoração. Há muitas maneiras bíblicas pelas quais podemos
expressar o nosso louvor a Deus. Passaremos agora a examinar algumas delas.

2.1.a) Louvar a Deus com a Voz. "Os meus lábios exultarão quando eu Te cantar, assim
como a minha alma que Tu remiste. A minha língua falará da Tua justiça todo o dia".
S1.71.23,24. "Para publicar com voz de louvor, e contar todas as Tuas maravilhas". SI. 26.7.

Devemos cultivar o hábito de falarmos sobre o Senhor e de exaltarmos as Suas obras


maravilhosas. Comece todos os dias pronunciando .louvores a Deus. Diga-Lhe quão grande e
maravilhoso que Ele é, o quanto você O ama e O aprecia. Agradeça-lhe por um novo dia e
comece a Louva-lo pela sua presença em sua vida. S1.34.1; 40.16.

2.1.b) Louvar a Deus com clamor. O .louvor verbal do qual falamos anteriormente é
importante. Contudo há ocasiões em que é necessário levantarmos a nossa voz e clamarmos
ou gritarmos a Deus. "Clamai a Deus com voz de triunfo". SI. 47.1. Muitas pessoas
conservadoras têm uma aversão muito grande a clamores ou a qualquer tipo de ruído alto.

33
IGREJA BATISTA MINISTÉRIO VIDEIRA
ESCOLA DE DISCÍPULOS

Pensam que é algo sem dignidade ou reverência. Há ocasiões e lugares apropriados para o som
festivo. SI. 32.1l.

2.2. Expressões Físicas de Adoração. Além de expressões verbais e audíveis do louvor,


a Bíblia cita muitas maneiras pelas quais podemos usar expressões físicas a fim de adorarmos a
Deus.

2.2.a) Ficar em Pé. Ficar em pé é sempre um sinal de respeito. Se uma pessoa de


importância entra num recinto, os que estão presentes se levantam para honrar e mostrar
respeito a esta pessoa. Muitas vezes o Espírito Santo nos inspira a ficarmos em pé diante do
Senhor como um ato de adoração e reverência. "Tema toda a terra ao Senhor; levantem-se
com um temor respeitoso todos os moradores do mundo". SI. 33.8

2.2.b) Erguer as Mãos. As mãos levantadas são um sinal de rendição.

Ao levantarmos nossas mãos diante do Senhor, estamos reconhecendo que estamos


completamente entregues a Ele". Levantai as vossas mãos no santuário, e bendizei ao Senhor".
SI. 134.2; SI. 28.2. Isto é sinal de profundo desejo e sede espiritual.

2.2.c) Bater Palmas. Quando alguém faz algo que merece a nossa admiração e
aprovação, geralmente batemos as nossas mãos numa salva de palmas. Se Deus é tão
maravilhoso e tem feito tantas coisas gloriosas que merecem a nossa admiração e aprovação,
então devemos também aclamar ao Rei de toda a Terra. "Aplaudi com as mãos, todos os
povos; cantai a Deus com voz de triunfo". SI. 47.1

2.2.d) Dançar. Por ser a dança uma forma de louvor altamente demonstrativa e talvez
um tanto emocional, ela tem encontrado muitas críticas e oposições por parte de algumas
pessoas. O dançar envolve o uso de todo o corpo a fim de expressar-se alegria e adoração
diante do Senhor. As palavras em hebraico e em grego traduzidas por "dança" na Bíblia têm
uma variedade de significados, como: saltar, pular, levantar os pés. O homem que
anteriormente era manco saiu "andando, e saltando e louvando a Deus". At. 3.8. "Louvem o
Seu nome com danças". SI. 149.3. "Louvai-O com pandeiros e com danças". SI. 150.4.

Alguns exemplos de danças na Bíblia

1) Para a Celebração de Salvação ou Libertação. "Então Miriã, a profetisa, a irmã de


Arão, tomou o tamboril (pandeiro) na sua mão, e todas as mulheres saíram atrás dela com
tamboris e com danças". Ex. 15.20. "Vindo pois Jefté a Mizpá, à sua casa, eis que a sua filha lhe
saiu ao encontro com pandeiros e com danças ... ". Jz. 11.34.

2) De Regozijo por uma Restauração. Quando a Arca da Aliança estava sendo


restaurada para Jerusalém. "Davi dançava com todas as suas forças diante do Senhor". II Sam.
6.14. 6.16. Jeremias profetizou: "Então a virgem se alegrará na dança, e também os mancebos
e os velhos; e tomarei o seu pranto em alegria, e os consolarei, e transformarei em regozijo a
sua tristeza". Jr. 31.13.

34
IGREJA BATISTA MINISTÉRIO VIDEIRA
ESCOLA DE DISCÍPULOS

É importante saber alguns aspectos da dança na Bíblia. (1) É espontâneo, e não


sofisticado em seu estilo. Não tem uma forma estruturada, exercitada e precisa. É expressa
com saltos e pulos. Às vezes podem ser acompanhadas por instrumentos musicais. SI. 149.3.
(2) Não é executada com membros do sexo oposto. Miriã e todas as mulheres dançavam. Ex.
15.20. Homens, jovens e velhos juntos. Jer. 31.13

As danças de natureza carnal estão associadas com o abandono da fé, idolatria,


imoralidade e mundanismo, como por exemplo, as danças ao redor do bezerro de ouro. Ex.
32.19.

3. Barreiras ao Louvor

Até mesmo quando algumas pessoas estão convencidas de que o louvor é bíblico,
correto e apropriado, ainda assim nem sempre é fácil para elas começarem a louvar a Deus.
Esquecem que a Bíblia diz: "Tudo quanto tem fôlego louve ao Senhor". S1.150.6. "Os mortos
não louvam ao Senhor, nem os que descem ao silêncio". SI. 115.17

Há algumas barreiras definidas com relação ao louvor, mas Deus quer lidar com todas
elas e vencê-las.

3.1. Pecado. O pecado é a primeira barreira ao louvor. Esta é a razão básica pela qual
alguns cristãos não louvam a Deus. O pecado que não foi confessado nos inibe na presença de
Deus. Não nos sentimos livres ou à vontade na presença de Deus. Davi disse: "Se eu atentar o
pecado no meu coração, o Senhor não me ouvirá". SI. 66.18. O pecado e a iniquidade nos
separam de Deus. Is. 59.2, e perdemos qualquer comunhão que possamos ter desfrutado
antes.

3.2. Mundanismo. Mundanismo é tudo o que esfria a minha afeição por Jesus Cristo,
disse Oliver Cromwell. Mundanismo é o oposto de espiritualidade. É a condição predominante
quando nossas mentes e pensamentos estão centralizados nas coisas deste mundo, ao invés
das coisas de Deus e Seu Reino.

Pessoas com mentes mundanas tem dificuldade em louvar ao Senhor, sente-se


embaraçadas. Um dos sintomas do mundanismo é uma obsessão em manter uma dignidade e
decência, uma conscientização excessiva de "o que as pessoas pensarão"? O nosso primeiro
interesse como cristãos é agradarmos ao Senhor e isto nem sempre agrada aos interesses
carnais.

3.3. Conceito Errado acerca de Deus. Muitos têm uma visão de Deus completamente
negativa. Eles O vêem como alguém que está constantemente tentando pegá-los em alguma
falta para poder condená-los, alguém oposto a tudo que fazem. Pensam que há pouca
esperança de agradá-lo e de usufruir Sua aprovação. Somente um conceito claro a cerca de
Deus, pode nos libertar para louvar o Senhor em todo instante, em todo tempo, em todo lugar.

3.4. Tradição Religiosa. Nos dias de Cristo, muitos permitiam que vãs tradições dos
homens invalidassem a Palavra de Deus. Mt.l5.6. Infelizmente, há muitos hoje em dia que

35
IGREJA BATISTA MINISTÉRIO VIDEIRA
ESCOLA DE DISCÍPULOS

fazem a mesma coisa. Muitos cristãos que cresceram em assim-chamadas tradições cristãs,
desaprovam o louvor e adoração.

A Religião oprime, mas a Redenção liberta. As pessoas que estão aprisionadas nas
tradições dos homens em geral também têm conceitos errados de Deus.

3.5. Orgulho. Eis aqui outra barreira à liberação do louvor. Este é um problema difícil
de ser tratado por causa da nossa falta de disposição em reconhecermos o orgulho do coração.
O nosso próprio egoísmo não permite que façamos isto! Deus, porém, pode quebrar um
orgulho assim e libertar o prisioneiro.

3.6. Temor dos Homens. "o temor dos homens traz uma armadilha".

Pv. 29.25. O temor dos homens, seus pensamentos e opiniões criam uma verdadeira armadilha
onde muitos são apanhados. Devemos sempre buscar agradar ao Senhor em todas as coisas, e
certamente precisamos louvá-Io para fazer isto.

Questionário
1. Por que o Louvor é importante na vida do cristão?

2. Explique como o louvor trás uma mudança de disposição.

3. Explique como o louvor clareia nossa visão.

4. Explique como o louvor anula as sugestões de satanás.

5. Explique como o louvor nos fortalece espiritualmente.

6. Explique como o louvor purifica a nossa alma.

7. Explique como o louvor dá poder a nossa oração.

8. Explique como o louvor multiplica a nossa fé.

9. O que significa "expressões vocais de louvor"?

10. O que significa louvar a Deus com clamor?

11. Explique as várias expressões físicas de Adoração.

12. Cite alguns exemplos de danças na Bíblia.

13. Quais as barreiras resistentes ao louvor?

14. Como o pecado inviabiliza o nosso louvor a Deus?

15. Como o mundanismo prejudica o nosso louvor a Deus?

16. Como a tradição religiosa, impede que louvemos a Deus?

17. Por que o orgulho interfere em nosso louvor?

18. O que você entende por "temor aos homens"?

36
IGREJA BATISTA MINISTÉRIO VIDEIRA
ESCOLA DE DISCÍPULOS

LIÇÃO 41

O DISCÍPULO E A UNÇÃO

Texto:Lv.14.14-18;At.1O.38-0ração –Duração do Estudo: 2 horas

Deus quer que você seja um Discípulo que obtenha resultados e que faça um impacto
no mundo! Mas como você pode ser este tipo de líder?

Não é a instrução, não são as habilidades especiais que farão com que o seu ministério
seja poderoso e transformador de vidas. É a plena unção do Espírito Santo em seu interior.

O profeta Isaias falou sobre o poder libertador da unção com as seguintes palavras: "O
jugo será quebrado por causa da unção". Is. 10.27.

1.você Pode Ser Um Discípulo Ungido

Nos dias do Antigo Testamento, reis, profetas e sacerdotes foram ungidos com óleo, a
fim de separá-lo num sentido especial para Deus e o Seu serviço. O óleo simbolizava o Espírito
Santo vindo sobre eles, tanto para separá-los como para dar-Ihes uma capacitação especial e
divina.

A Escritura aplica o termo "unção" a todos os que pertencem a Cristo.

Não estamos apenas seguindo o Ungido, mas somos também ungidos. Todo cristão,
quer leigo quer ordenado, tem o privilégio bíblico de apropriar-se dessa promessa. Deus quer
que todo o Discípulo tenha uma vida ungida.

"Tendes a unção", a mesma unção que o Senhor teve". Ele nos ungiu, pôs o seu selo de
propriedade em nós e colocou seu Espírito em nossos corações como um depósito, garantindo
que virá. II Co. 1.21-22. "E vós tende a unção do Santo". I João 2.20,27.

1.1. A Unção é Para Você.

Quando o Espírito Santo opera em você o novo nascimento, você recebe sua presença
permanente. "Se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele". Rm. 8.9. Você pode
receber o ministério do Espírito de muitas outras formas. Uma delas é a Sua unção para sua
vida e seu ministério.

O grau em que cada Discípulo recebe esta unção depende do seu caminhar com o
Senhor e da medida em que, pela fé, você se apropria dela. A unção continua em você, mas
pode não estar poderosamente ativa.

Você, como líder, foi escolhido por Deus para guiar o rebanho do Deus Vivo.

Você foi separado para representar Cristo, o Ungido. Você precisa de uma unção
especial para representar devidamente a Cristo e glorificá-lo.

37
IGREJA BATISTA MINISTÉRIO VIDEIRA
ESCOLA DE DISCÍPULOS

Você deve ser ungido em sua liderança. Desde que Cristo proveu a unção para você pela Sua
graça, Ele espera que seja ungido pelo Espírito em todos os aspectos do seu papel de
liderança. A sua responsabilidade como Discípulo do povo é tão grande que você não deve
trabalhar sem a constante experiência da poderosa unção. Esta capacitação divina é
extremamente importante, só a unção nos capacita para a liderança. Só a unção nos separa
fortemente de todos os motivos e objetivos terrenos, seculares, mundanos e egoístas,
reservando-nos para tudo que é puro e divino.

1.2. A Unção Deve Ser Reconhecida.

Alguns termos bíblicos indicam a capacitação especial de Deus através do Espírito


Santo. "O Espírito do Senhor veio sobre", "a mão do Senhor veio sobre", "o poder do Senhor
veio sobre" e a "unção do Espírito".

A unção selava visivelmente, dando uma capacitação para o serviço. Ela faz uma
diferença significativa no indivíduo ungido. I Sm, 10.6,9-10. Lemos sobre a unção de Davi:
"Daquele dia em diante o Espírito do Senhor se apossou de Davi". I Sm, 16.13.

Todo Discípulo cheio do Espírito é um ungido de Deus e experimenta aspectos da


unção na sua liderança.

A unção de Deus é real e pode ser reconhecida. Em geral a pessoa ungida pode
reconhecê-la; muitas vezes outras pessoas reconhecem a diferença entre um Discípulo ungido
e outro sem unção. Jesus tinha uma percepção clara da unção do Espírito. Ele disse: "O Espírito
do Senhor está sobre mim, pelo que me ungiu". Lc. 4.18. Davi tinha conhecimento
dela. II Sm. 23.2.

2. Os Benefícios da Unção de Deus

A Unção é a capacitação divina para as atividades e o ministério exercidos no nome de


Cristo e para glória dEle. Ela repousa sobre a vida e o ministério, coroando e abençoando a
liderança cristã. Ela não é reservada exclusivamente para as chamadas atividades "espirituais".
Trata-se do toque extra de Deus sobre sua mente, habilidades, esforços, memória, emoções e
forças.

A unção ajudará o professor a dar uma excelente aula, ao músico a tocar, o autor a
escrever, o cantor a cantar, o artista a pintar e o poeta a fazer poesias. Claro que a unção é
destinada à vida cristã, especialmente ao serviço relacionado ao Corpo de Cristo.

2.1. A Unção do Espírito ajuda você fisicamente. O Espírito pode ungir o seu corpo, de
modo que você fique fisicamente forte, renovado e adequado para a sua tarefa. Você lembra
como no conflito espiritual no Monte Carmelo, Elias, aparentemente sozinho, enfrentou os
450 profetas de Baal e os 400 profetas de Aserá que comiam na mesa de Jezabel? Quando a
mentira deles ficou provada, Elias os matou segundo as ordens de Deus em relação aos falsos
profetas no Antigo Testamento. Lembra também quando Elias no alto do Monte Carmelo,
antes do cair da noite ele correra adiante de Acabe trinta milhas até Jezreel, I Rs. 18. Onde

38
IGREJA BATISTA MINISTÉRIO VIDEIRA
ESCOLA DE DISCÍPULOS

Elias conseguiu essa força surpreendente? Através da unção do Espírito. 1 Reis 18.46. A unção
remove o cansaço e renova o poder físico e espiritual. Isaías 40.29-31.

2.2. A Unção do Espírito Capacita você mentalmente. O Espírito Santo pode


acrescentar agilidade, facilidade de expressão, criatividade e capacidade de dizer com
extraordinária clareza o que Deus quer que seja dito. O Espírito Santo traz à lembrança as
coisas que Ele dissera aos apóstolos. João 14.26. Esta capacitação não é exclusividade dos
apóstolos, ela está à disposição de todos os que ministram no nome de Cristo. É o toque
especial de Deus sobre a sua mente para o seu ministério. O escritor Bounds, disse: "A unção
esclarece o intelecto, dá percepção, compreensão, liberdade e plenitude de pensamento,
clareza e simplicidade de expressão".

2.3. A unção do Espírito toca as suas emoções. O Espírito pode derramar de tal modo
o amor de Deus em seu coração e sua mente, Rm.5.5 que você recebe uma ternura especial
pelos cristãos ao seu redor. O Espírito pode dar-lhe um ministério de lágrimas para com os não
salvos e os que sofrem. At. 20.31; II Cor. 2.4; FI. 3.18. Este ministério de lágrimas não é apenas
para evangelismo pessoal, mas também para demonstrar ternura e poder no seu ministério de
intercessão. Rm. 9.1-3; para ousadamente pregar contra o pecado. "Eu, porém, estou cheio do
poder do Espírito do Senhor, cheio de juízo e de força, para declarar a Jacó a sua transgressão
e a Israel o seu pecado". Mq.3.8

2.4. A Unção do Espírito capacita você espiritualmente. Embora a unção do Espírito


ofereça uma capacitação especial de Deus para você física, mental e emocional, seu maior
significado é espiritual.

2.4.a) Ela faz com que você sinta a presença de Deus a seu lado e Seu toque sofre
você. Maravilhoso saber que Deus está conosco. "Na verdade o Senhor está neste lugar". Gn.
28.16. Você sente uma reverência sagrada quando compreende que, apesar de sua
humanidade e indignidade, a mão de Deus está sobre você e usando as suas palavras e
ministério. Quando Deus encontrou Moisés no Sinai na sarça ardente, Moisés disse ao Senhor:
"Quem sou eu?".

2.4.b) Ela lhe dá alegria. É dito a respeito de Jesus: "Deus, o teu Deus, te ungiu com o
óleo de alegria como a nenhum dos teus companheiros". Hb. 1.9. Davi, depois de falar do
Senhor como seu Pastor, disse: "Unges-me a cabeça com óleo" e depois acrescentou: "O meu
cálice transborda". SI. 23.5. A unção do Espírito traz refrigério espiritual. Tempos de refrigério
foram prometidos após o Pentecostes. At. 3.20. O Espírito Santo é o Espírito da alegria e
quando Ele nos enche nos dá uma nova alegria que Pedro chama de indizível e cheia de glória.
I Pd. 1.8.

3. Deus Tem Uma Unção Especial Para Você

O Espírito Santo lhe é dado, a fim de ungi-lo para uma vida santa e um serviço eficaz.

39
IGREJA BATISTA MINISTÉRIO VIDEIRA
ESCOLA DE DISCÍPULOS

3.1. A unção lhe dá liberalidade e aptidão. A unção do Espírito libertao de qualquer


tipo de medo. Medo do fracasso, do futuro, do diabo e até das pessoas que é sempre uma
cilada. Pv. 29.25.

À medida que o Espírito toca e unge, dando novas aptidões e orientação, começamos a
compreender que a nossa tarefa é na verdade mais responsabilidade Sua do que nossa. A
igreja é a Sua igreja, a causa é a Sua causa, tudo é dele e para Ele.

3.2. A unção ensina. " ... a sua unção vos ensina a respeito de todas as coisas ... " I João
2.27. O Espírito Santo é o nosso grande Mestre. O Espírito Santo foi enviado para continuar o
ministério de ensino de Jesus. João 16.12-15. Ele guia em toda a verdade. João 16.13. Sua
orientação faz parte do seu ministério do ensino. Rm. 8.14. Ele nos lembra do que Jesus disse
João 14.26. Ele nos ensina o que orar e como orar. Rm. 8.26-27.

3.3. A unção confere autoridade espiritual. O Espírito capacita você a exercer


autoridade em oração. Ef. 3.12. Autoridade para resistir ao diabo. Lc. 10.19; Tg. 4.7. Ele
confere autoridade para usar o nome de Jesus em oração, João 14.13-14 e confrontar os
demônios. Me. 16.17. A Unção é Sua. Tome posse pela fé.

4. Transferência de Unção

"E disse o Senhor a Moisés: Ajunta-me setenta homens dos anciãos de Israel, de quem
sabes que são anciãos do povo, e seus oficiais: e os trarás perante a tenda da congregação, e
ali se porão contigo. E tirarei do espírito que está sobre ti, e o porei sobre eles; e contigo
levarão o cargo do povo, para que tu só não o leves". Nm. 11.16,17.

4.1. A Unção é Essencial na vida dos líderes. Este é provavelmente, o princípio mais
importante no desenvolvimento de uma liderança. Sem o poder do Espírito Santo (a unção)
sobre o líder, ele não terá chance de ser bem sucedido. Jesus nunca enviou ninguém para
representá-l o sem que Ele não tivesse, primeiro, concedido poderes. "E, convocando os seus
doze discípulos, deu-lhes virtude e poder sobre todos os demônios, e para curarem
enfermidades". Lc. 9.1

"E, estando com eles determinou-lhes que não se ausentassem de Jerusalém, mas que
esperassem a promessa do Pai, que disse ele de mim ouvistes". At. 1.4,5. "Mas recebereis a
virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e serme-eis testemunhas, tanto em
Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra". At. 1.8. Jesus
começou o ministério dele após o Espírito do Senhor descer sobre Ele quando do Seu batismo
na água feito por João Batista. Mt. 3.16; Lc.4.18,19; Lv. 25

4.2. Discípulos Ungidos Treinam Outros Líderes. Não deixemos passar despercebido o
princípio vital envolvido nos versículos acima. O Discípulo chave foi ungido e passou a sua
unção para aqueles que foram treinados por ele.

A lei da Colheita, encontrada na Bíblia é clara: "E a terra produziu erva, erva dando
sempre conforme a sua espécie, e a árvore frutífera, cuja semente está nela conforme a sua
espécie".

40
IGREJA BATISTA MINISTÉRIO VIDEIRA
ESCOLA DE DISCÍPULOS

Reproduzimos o que somos. Se Discípulos fracassados treinam os outros, os seus


estudantes serão verdadeiros fracassos. Os Discípulos bem sucedidos que carregam uma forte
unção do Espírito Santo em suas vidas, deveriam ser envolvidos no treinamento de liderança.
Estes produziriam outros Discípulos que carregariam uma forte unção e que seriam bem
sucedidos. Foi isso o que aconteceu àqueles que foram treinados por Moisés. Deus disse:
"Então ... e tirarei do espírito que está sobre ti e o porei sobre eles ... " Nm. 11.17.

4.3. A Unção Deve Ser Compartilhada. Lembramo-nos sempre da unção transferida de


Moisés para os Discípulos que a compartilharam do ministério dele; a de Elias para Eliseu e a
de Jesus para os discípulos dEle.

O mesmo princípio é mantido até os dias de hoje. O estagiário compartilha da unção


do treinador. Conseqüentemente, aqueles que fazem o treinamento, devem ser os que
carregam o forte poder de Deus em suas vidas.

4.4. Quem Transfere a Unção? Deus disse: " ... e tirarei do espírito que está sobre ti, e
o porei sobre eles". Nm.l1.17. Deus é Aquele que escolhe os recebedores e dirige a liderança
chave nesta abençoada transferência. "E ninguém toma para si esta honra, senão o que é
chamado por Deus, como Aarão". Hb. 5.4. Naquela ocasião o Espírito Santo surgia. Os
Discípulos eram capacitados pelo Espírito e realizavam os seus ministérios com grande êxito.
"E os apóstolos davam, com grande poder, testemunho da ressurreição do Senhor Jesus, e em
todos eles havia abundante graça". At. 14.33

Questionário
1. O que é a Unção?

2. Para quem é a Unção?

3. Quais os benefícios da Unção?

4. O que significa Transferência de Unção?

41
IGREJA BATISTA MINISTÉRIO VIDEIRA
ESCOLA DE DISCÍPULOS

LIÇÃO 42

O DISCÍPULO E A VISÃO

Texto: SI. 39.3; At. 26.19 - Oração - Duração do Estudo: 2 horas

Visão é uma imagem clara de algo que o Discípulo quer que seu grupo seja ou faça.

Visão é a primeira qualidade dos grandes líderes.

Visão é a base de sustentação de todo ato de liderança.

Visão é um "retrato mental" indicando que é uma figura que existe na imaginação do
líder.

Não pode haver boa liderança sem visão. Esta é a imagem clara de algo que o Discípulo
quer que seus liderados ajudem a realizar.

O princípio da visão é a chave para se entender a liderança. Se uma pessoa tiver uma
visão clara, à qual está dedicada, já deu o primeiro passo rumo à liderança. Sem tal dedicação
a uma visão, ninguém pode ser um líder.

1. Compreendendo o que é uma Visão

É necessário entender o propósito da visão, sua importância, impacto e suas aplicações


potenciais.

A visão existe para estabelecer um elo entre missão e ação. Missão é uma exposição
abrangente do porquê você existe, seu propósito de existência. Visão é muito mais específica,
ela detalha a direção particular que você seguirá dentro da estrutura geral de sua missão.
Exemplo: Missão é o mundo, o campo onde você trabalha. Visão é o tipo de trabalho que você
realiza no mundo. Visão é uma noção específica, detalhada, sob medida, distintiva e singular
daquilo que você está procurando fazer.

2. Exemplos do que seja uma Visão

Levar saúde onde há doença, esta era a visão que Alberto Schweitzer tinha para a
África; de introduzir conhecimento onde há ignorância, foi a visão que motivou Gilbert
Tennent a fundar a que é agora a Universidade Princeton; de levar liberdade onde há
opressão; ou amor onde há ódio. A partir dessa imagem clara, o Discípulo planeja de que
maneira essa visão pode transformar-se em realidade.

Mahatma Gandhi teve a visão de uma Índia livre e independente numa época em que
ela era governada pela Inglaterra. Henry Ford teve a visão de cada família dos Estados Unidos
possuindo seu próprio automóvel, em dias quando a maioria das pessoas se sentia
aterrorizada com a nova invenção

A Visão deve ser colocada em prática. Se sua visão não for colocada em prática, ela é
apenas uma idéia atraente, um sonho sedutor, nada mais.

42
IGREJA BATISTA MINISTÉRIO VIDEIRA
ESCOLA DE DISCÍPULOS

Implementar a visão exige várias coisas. Você precisa ter uma equipe que está
fortemente por trás da visão. Precisa reunir os recursos necessários para a implementação.
Precisa de um plano completo com objetivos, estratégias e táticas para alcançar resultados.

Em 1960, o Presidente John Kennedy lançou um desafio ao povo americano, mandar


um americano à Lua em 1970. Isso era uma visão. Quase imediatamente o governo lançou um
programa destinado a tomar realidade essa visão - a missão Apolo. O povo, através do
governo, comprometeu-se, com a realização dessa visão. A missão exigia um plano bem
elaborado que consistia de milhões de metas. Resultado: em j unho de 1969, o homem pisou
na Lua.

Neemias revela que tinha a visão de reconstruir as muralhas de Jerusalém.

Neemias estava no cativeiro, a 1500 quilômetros da cidade. Era um servo, copeiro do


Rei Artaxerxes, da Pérsia. A cidade santa de Jerusalém tinha sido conquistada e grande parte
dela fora destruída Mas Neemias tinha a visão de uma Jerusalém reconstruída, cercada de
fortes muros, para a glória de Deus. Sua missão era levar essa visão à realidade. Então criou
um elaborado sistema de metas para cumprir a missão. Seu primeiro passo foi orar. A seguir
apresentou o caso ao Rei Artaxerxes.

O Discípulo acalenta sua visão. Pensa nela o dia todo e, de noite, sonha com ela.
Transfere a visão para o grupo, motiva o grupo a se comprometer com a missão que tomará
realidade a visão". Esbraseou-se-me no peito o coração; enquanto eu meditava ateou-se o
fogo". SI. 390.3.

3. Compreenda Porque Uma Visão É Importante

A visão é importante, primeiro, porque ela vem de Deus. Segundo, ela é importante,
porque fornece a orientação que o toma eficiente como Discípulo e influente com a equipe.
Um dos principais benefícios de se agir com a visão de Deus é que a visão nos dá uma
continuidade com o passado enquanto construímos um futuro superior.

A visão é uma ferramenta indispensável quando o Discípulo começa a elaborar metas


para realizar mudanças e transformar vidas.

Sem profunda dedicação a uma visão, ninguém pode ser um bom líder.

Alguém pode até estar numa posição de liderança, pode ser um administrador, mas o
que distingue o verdadeiro Discípulo dos outros é o fato de ele possuir uma visão. Isso é
importante porque constitui a chave mestra para uma liderança vitoriosa.

Sem visão não pode haver uma missão adequada. Sem missão, não há possibilidade de
um produtivo programa de metas. Sem o programa de metas não há liderança. Sem liderança
o mundo enfraquece em pecado e tristeza. A liderança começa com uma visão.

A visão é importante porque é o fundamento de toda verdadeira liderança.

A importância da liderança de um indivíduo depende da "grandeza" de sua visão.

43
IGREJA BATISTA MINISTÉRIO VIDEIRA
ESCOLA DE DISCÍPULOS

Martin Luther King Jr. disse: "Se um homem não descobriu alguma coisa pela qual esteja
disposto a morrer, não está preparado para viver". Você está disposto a morrer pela visão que
Deus lhe confiou?

4. Como Surge Uma Visão?

É bom lembrar que a visão é uma idéia de Deus revelada à mente do homem para que
a execute.

O mundo que existe hoje é fruto de uma visão que Deus teve da criação. O homem
também é fruto de uma visão de Deus. Deus imaginou, projetou e executou, "façamos o
homem. "A visão na verdade vem de Deus. Deus deu uma visão a Abraão nos seguintes
termos: "Eu farei de ti uma grande nação; abençoar-te-ei, e engrandecerei teu nome; e tu, sê
uma bênção".

A visão é impressa em nosso espírito pelo Espírito de Deus. A visão surge por diversas
formas: Quando estamos orando, intercedendo ao Senhor por alguma situação, foi o que
aconteceu com o apóstolo Pedro em At. 10.9-16. Pedro estava orando por volta da hora sexta,
de repente teve a visão do céu aberto e descendo um objeto como se fosse um grande lençol,
contendo toda espécie de répteis da terra. E ouviu uma voz que se dizia a ele: Levanta-te,
Pedro! Mata e come. Esta visão significava a pregação do Evangelho aos gentios.

Outras vezes de forma direta de Deus ao homem, como aconteceu à Abraão em Gn.
12.1-3. Era uma visão de uma terra distante acompanhado da promessa de fazer de Abraão
uma grande nação.

Na maioria das vezes, a visão surge de uma "insatisfação inspirativa". É uma revelação
que Deus dá, acerca da situação do momento e daquilo que pode ser feito. É o caso de
Neemias.

5. A Visão Deve Ser Reproduzida, Repassada

Não só o Discípulo mais também seus seguidores devem assimilar a visão. O processo
de liderança começa com uma visão por parte do líder, mas seus seguidores necessitam
compreender a visão. Uma das principais tarefas do Discípulo é comunicar com bastante
precisão sua visão ao grupo.

A visão que o Senhor Jesus teve de redimir a humanidade de uma condenação certa.
Jesus viu o estado de pecado da humanidade, sabia que sem Ele não havia outra esperança
para o homem, teve portanto, a visão de salvá-lo, pagando um elevado preço. Mas Jesus teve
o cuidado de reproduzir esta visão aos seguidores. "Ide por todo o mundo e pregai o
Evangelho a toda criatura, aquele que crer e for batizado será salvo". Me. 16.15-16.

Dwight L. Moody teve a visão de estabelecer um instituto bíblico que prepararia leigos
para se tomarem eficiente na evangelização. Deus deu essa visão a Moody.

44
IGREJA BATISTA MINISTÉRIO VIDEIRA
ESCOLA DE DISCÍPULOS

Uma visão gera direção, ordem, devoção. Ela se sobrepõe à falta de objetividade. A
liderança recebe a revelação da vontade de Deus, transmite-a com clareza para o grupo, e
então o motiva a pô-la em ação.

É a visão de Deus a que nos toma triunfante, e o Discípulo de sucesso preocupa-se em


saber qual é o propósito do Senhor para a sua vida e dispõe de todas a sua capacidade para
desenvolvi-a. A visão tem o poder vivificador. Liderar com visão implica permanecer no plano
espiritual e ver as coisas com os olhos de Deus e chamar o que não é como se já fosse. Como
aconteceu com o profeta Ezequiel, teve a visão do vale de ossos secos, dependeu da
intervenção divina e a mudança aconteceu. Ez. 37.1-9.

Questionário
1. Defina o que é Visão.

2. Exemplifique o que é Visão.

3. Por que a Visão é importante?

4. Como surge uma Visão?

5. Por que a Visão deve ser Repassada?

45
IGREJA BATISTA MINISTÉRIO VIDEIRA
ESCOLA DE DISCÍPULOS

LIÇÃO 43

O DISCÍPULO E A PERSEVERANÇA

Texto: Nrn. 14.20-24; Josué. 14.6-15 - Oração - Duração do Estudo: 2 horas

É provável que você conheça algumas pessoas que foram Discípulos na igreja, e hoje
estão desligadas das atividades da liderança. Não conseguiram suportar as pressões e
problemas, preferiram desistir. Faltou-lhes perseverança.

Perseverança significa "permanecer firme, ser constante, prosseguir, continuar". O


Discípulo perseverante é aquele que permanece firme, sem vacilar ou sem mudar de idéia ou
propósito. "Os que confiam no Senhor são como o monte de Sião, que não se abala, mas
permanece para sempre". SI. 125.1.

1. O Discípulo e Suas Lutas

O maior campo de batalha, as lutas mais difíceis que o Discípulo enfrenta, está dentro
dele mesmo. Nossos inimigos são nossas debilidades, nossos defeitos, nossas fraquezas que
constantemente lutam querendo minar e debilitar nossa força de vontade.

Outro campo de batalha, vem de fora. O Discípulo pode estar certo de que enfrentará
problemas, dificuldades, desencorajamento, oposição, perseguição e traição. Deus lhe deu
uma visão, e ele estabeleceu um programa de metas a fim de realizar suas missão. Certamente
que alguma coisa pode acontecer para levá-lo a desistir. Não se surpreenda se isso lhe
acontecer.

O apóstolo Paulo disse: "Em tudo somos atribulados, porém, não angustiados;
perplexos, porém não desanimados; perseguidos, porém não desamparados; abatidos, porém
não destruídos". II Co. 4.8,9.

O Discípulo sempre terá problemas e desalentos, mas Deus quer que ele persevere no
cumprimento de sua missão.

Devemos permitir que o Senhor Jesus venha ao nosso coração e ponha o oxigênio que
necessitamos, dando-nos luz e esperança em nosso ministério.

2. O Discípulo e o Desânimo

O Discípulo contemporâneo está exposto a uma série de circunstâncias e fatores


relativos a sua função, que são responsáveis por um alto nível de desânimo.

O Discípulo não está isento de passar pelo deserto emocional do desalento ou


desânimo. Na Bíblia encontramos homens e mulheres que andaram pela rota do desânimo.
Discípulos com os quais podemos identificar a nossa jornada de fé. Profeta como Elias, cujo
ministério foi de êxito, porém, em momento depressivo pediu a Deus a morte. Outro grande
Discípulo foi Moisés, também em um momento de depressão, desejou a morrer.

46
IGREJA BATISTA MINISTÉRIO VIDEIRA
ESCOLA DE DISCÍPULOS

2.1. O desânimo de Moisés. Em Números 11.13-15 lemos: "Donde teria eu carne para
dar a todos este povo? Porquanto contra mim choram, dizendo: Dá-nos carne a comer; eu
sozinho não posso levar a todo este povo, porque muito pesado é para mim. E, se assim fazes
comigo, mata-me eu te peço, se tendo achado graça aos teus olhos; e não me deixes ver o
meu mal".

Moisés, diante da incompreensão e impaciência do povo, se sentiu vítima de um


completo fracasso em sua liderança.

O povo muitas vezes desanima e deprime a seus líderes, ao ponto destes desejarem
renunciar, não querer liderar mais e sentem-se fracassados.

Moisés foi vítima de uma congregação exigente e mal agradecida. Por pouco não
destruíram o seu ministério.

Deus lhe deu a solução. Em Número 11.16, 17 lemos: "Então Deus disse a Moisés:

Ajunta-me setenta homens dos anciãos de Israel, de quem sabes que são anciãos do povo e
seus oficiais; e os trarás perante a tenda da congregação, e ali se porão contigo. Então, eu
descerei, e ali falarei contigo, e tirarei do Espírito que está sobre ti, e o porei sobre eles; e
contigo levarão a carga do povo, para que tu sozinho o não leves".

Deus ensina a Moisés o princípio de delegar. Todas estas pressões ministeriais aconteceram
porque Moisés estava fazendo todas as coisas sozinho. Não formou equipes, não compartilhou
com outros líderes. Para alcançar êxito em nossa missão temos que- formar novos líderes.

2.2. O desânimo de Elias. Em I Reis 19.4 lemos: "E ele se foi ao deserto, cominho de
um dia, e veio, e se assentou debaixo de um zimbro; e pediu em seu ânimo a morte e disse: Já
basta, ó Senhor; toma agora a minha vida, pois não sou melhor do que meus pais".

O desânimo sobreveio a Elias depois de uma grande vitória. I Reis 18.20-40. Bastaram
as palavras da malvada Jezabel para que a bravura espiritual do profeta Elias se tornara em
covardia humana. I Reis 19.2-3.

Uma só pessoa foi suficiente para desanimar a Elias. Muitos Discípulos são
desanimados e até chegam a acovardar-se por causa de alguém que lhe expressou ameaças.
Sentiu-se ameaçado e preferiu a morte do seu ministério, renunciando e indo-se para bem
longe. Foi preciso uma visitação poderosa de Deus para trazê-lo novamente ao palco das
grandes vitórias.

2.3. O desânimo de Jonas, Em Jonas 4.8 lemos: "E aconteceu que, aparecendo o sol,
Deus mandou um vento calmoso, oriental, e o sol feriu a cabeça de Jonas e ele desmaiou, e
desejou com toda a sua alma morrer, dizendo: Melhor me é morrer do que viver".

A cidade de Nínive se transformou em um cenário de um grande avivamento, de


arrependimento e de salvação. Toda uma cidade se rendeu aos pés do Todo Poderoso. Porém
Jonas se entristeceu com o êxito alcançado.

47
IGREJA BATISTA MINISTÉRIO VIDEIRA
ESCOLA DE DISCÍPULOS

O desânimo muitas vezes vem porque nos encontramos fazendo o que queremos e
não o que o Senhor quer.

Quando o desânimo invade a vida do líder, afeta sua liderança. Devemos orar a Deus
para que nos ajude a superar o desânimo. Ler e meditar no livro Sagrado pode ser um
excelente resultado. Sua leitura influencia e a presença do Espírito Santo manifesta uma
transformação profunda da situação.

3. A Vitória é do Discípulo que Sabe Perseverar

Calebe era filho de Jefoné e irmão de Otniel. Seu nome significa: Corajoso ou Capaz.
Foi companheiro inseparável de Josué, sendo esses dois os únicos de todos os israelitas que
saíram do Egito e tomaram parte na conquista da Terra Prometida. Num. 14.24. Isto porque
eles souberam perseverar no Senhor. Calebe fez parte do grupo que foi observar a terra
Durante o relatório apresentado, alguns relataram que a terra manava leite e mel, o povo era
poderoso e as cidades bem fortificadas. Mas Calebe cheio de entusiasmo e perseverança
exclamou: ''Eia! Subamos e possuamos a terra". Calebe superou toda sorte de pessimismo,
dando seu testemunho de perseverança até o fim. Ele perseverou em seguir o Senhor. Nm,
14.24.

3.1. O Discípulo deve perseverar em meio às adversidades. Calebe constatou a


presença de gigantes na terra. O medo e pessimismo dos seus companheiros foram reais. O
povo murmurou contra Moisés. Mesmo assim, Calebe manteve-se fiel, corajoso e perseverou
até receber a herança prometida ao seu povo.

Abrão, o Pai da Fé, perseverou em meio às adversidades. Deus exigiu o sacrifício de


seu filho Isaque. Abraão cumpriu as exigências do Senhor e permaneceu fiel até ser coroado de
vitória.

Esdras e Neemias foram perseverantes diante dos inimigos os quais tentaram impedir
as obras de reconstruções em Jerusalém. .

O profeta Habacuque ora, declarando que se deve manter fiel ao Senhor diante das
calamidades. Hc. 3.17-18.

3.2. O Discípulo deve perseverar confiando no Senhor.

Em Josué 14.8 está escrito que Calebe "Perseverou no Senhor". Aqueles dez espias
olharam para os gigantes, mas Calebe olhou para o Senhor e afirmou: "O Senhor está
conosco". Nm. 14.9 A firmeza de Calebe estava no Senhor.

Aquele que persevera no Senhor alcança forças, coragem, ânimo e disposição. Deus
não abandona aqueles que em Sua pessoa perseveram.

Na Igreja Primitiva a perseverança no Senhor era realidade. Os crentes perseveravam,


na doutrina, na comunhão, no partir do pão e nas orações. At. 2.42. Não importa as lutas, os

48
IGREJA BATISTA MINISTÉRIO VIDEIRA
ESCOLA DE DISCÍPULOS

desafios, os sofrimentos, as aflições e as dificuldades, em todas estas coisas Deus está conosco
e a nossa vitória é certa.

4. Deus Tem Bênçãos nas Provações

Deus está conosco nos abençoado, aperfeiçoando o nosso caráter, ensinando-nos


lições importantes para a nossa vida.

4.1. As Pressões Produzem O Crescimento. "Tu me expandiste quando eu estava sob


pressões". SI. 4.1. Este Salmo foi escrito por Davi, após o maior fracasso da sua vida. II Sm. 11.

4.2. As Tribulações Nos Tornam Humildes. "Que te alimentou no deserto com maná,
que teus pais não conheceram, para que Ele pudesse te humilhar e para que Ele pudesse te
provar, para te fazer bem no final". Dt. 8.15,16. Quando Deus dá o crescimento, o orgulho
geralmente entra em cena e achamos que foi devido à nossa própria inteligência ou o nosso
talento e não por causa das misericórdias de Deus. Ele permite tempos difíceis, lutas e
provações, a fim de nos humilharmos. Que em toda e qualquer situação, possamos
permanecer fiéis e perseverantes em servir ao Senhor.

"Considerai uma grande alegria, meus irmãos, sempre que enfrentardes tribulações de
muitos tipos, porque sabeis que a prova da vossa fé desenvolve a perseverança". Tg. 1.2-4.

Parece que muitos Discípulos tomam-se "artistas em tirar o corpo fora", quando a
obediência à vontade de Deus requer sofrimentos ou tribulações. Tiago nos ensina que ao
invés de tentarmos fugir das ardentes provações que surgem, deveríamos acolhê-las com
alegria.

A perseverança precisa terminar a sua obra para que possais ser maduros. Isto significa
que não podemos acelerar o processo. As ardentes provações não produzem resultados
instantâneos. Quando surge uma ardente provação, devemos não somente acolhê-Ia, mas
também suportá-Ia e perseverar nela.

Questionário
1. Quais as possíveis razões pelas quais as pessoas se desviam da Igreja?

2. O que significa Perseverança?

3. É comum ao Discípulo cristão passar por lutas? Exemplifique!

4. Pode o Discípulo sentir desânimo?

5. Fale sobre o desânimo de Moisés.

6. Fale sobre o desânimo de Elias.

7. Fale sobre o desânimo de Jonas.

8. Como perseverar em meio adversidade?

49
IGREJA BATISTA MINISTÉRIO VIDEIRA
ESCOLA DE DISCÍPULOS

9. Como perseverar confiando no Senhor?

10. Quais os benefícios da Provação?

50