Você está na página 1de 9

Preparação da lâmina de extensão sanguínea (Esfregaço de Sangue)

Material: Sangue periférico

Técnica: Leishman

O leishmam é uma mistura de Romanowsky apresentando eosina, azul de


metileno e azur de metileno na sua composição. O azur de metileno é o azul de metileno
oxidado.

Seqüência na preparação da lâmina.

1. Fazer a assepsia do dedo em algodão embebido com álcool;


2. Furar o dedo utilizando uma microlanceta;
3. Colocar a gota de sangue na extremidade de uma lâmina histológica breviamante
limpa;
4. Utilizando-se de outra lâmina histológica, fazer corretamente o esfregaço
deixando uma película de sangue sobre a lâmina;

 Segurar a lâmina, contendo a gota de sangue, com os dedos polegar e


indicador da mão esquerda;
 Inclinar uma outra lâmina histológica a 450, segurando com os dedos
polegar e indicador, da mão direita. Levar a lâmina inclinada até o início da
gota de sangue;
 Quando a lâmina toca na gota, o sangue escorre em seu bordo. Ai deve-se
fazer voltar a lâmina inclinada para trás, formando-se então a película de
sangue.

5. Deixar secar ao ar;


6. Colocar a lâmina sobre um suporte na pia;
7. Cobrir o esfregaço com Leishman e deixar por 4 minutos;
8. Sem retirar o Leishman, adicionar água destilada e deixar por 7 minutos;
9. Escorrer a lâmina na pia;
10. Lavar a lâmina com água destilada;
11.Deixar secar ao ar;
12.Observar a lâmina com 1000x de aumento, utilizando a objetiva de imersão;

Observação de Sangue periférico

Observar com 1000x de aumento. Utilizar o óleo de imersão

Observar as hemácias (também denominados eritrócitos ou glóbulos vermelhos),


leucócitos (também denominado glóbulos brancos) e as plaquetas.

O numero de hemácias varia de 4,5 a 6 milhões por mm3 de sangue, o número de


leucócitos de 8.000 a 10.000 por mm3 de sangue e o de plaquetas de 150.000 a 400.000 por
mm3 de sangue.

1. HEMÁCIAS

A quantidade de hemácias é muito maior que a de leucócitos e plaquetas, daí a


predominância das mesmas no campo microscópico.

As hemácias que são células anucleadas quando adultas e que se coram em róseo-
amarelado pela eosina.
2. Leucócitos

Os leucócitos estão subdivididos em granulócitos e agranulócitos.

Os granulócitos apresentam granulações específicas sempre com a mesma forma


tamanho e ultraestrutura.

Os agranulócitos não apresentam granulações específicas.

Os núcleos de todos os leucócitos se coram em púrpura pelo azur de metileno.

• Linfócitos

Os linfócitos podem ser classificados em pequenos, médios e grandes. O seu núcleo


ocupa quase toda célula e o citoplasma azulado fica mais na periferia.
• Monócitos

Os monócitos que geralmente apresentam o núcleo em forma de feijão ou de rim,


são células grandes e com o citoplasma bem azulado.

Presença de hemácias,2 neutrófilos e monócito bem característico.


• Eosinófilo

Os eosinófilos geralmente apresentam o núcleo bilobulado com uma ponte


cromatínica. Os grânulos são maiores que os dos neutrófilos e se coram em vermelho pela
eosina.
• Basófilos

Os basófilos apresentam-se com núcleo que pode ter uma forma de “S”. Os grânulos
do basófilo ficam bem escuros e podem mascarar o núcleo, no entanto, também estão
presentes no citoplasma; e o seu nome já indica a sua afinidade.
• Neutrófilos

Os neutrófilos podem apresentar-se com núcleos em forma de bastão ou


segmentados. Quanto maior o número de segmentos, mais velha é a célula. Os grânulos
dos neutrófilos se coram em salmão por um mistura de componentes.
3. Plaquetas

As plaquetas que na realidade são fragmentos de megacariócitos se coram em


vermelho, e apresentam-se relativamente menores em relação às hemácias.

As plaquetas ligadas à coagulação do sangue podem apresentar-se isoladas ou


agrupadas sendo róseo-avermelhadas. Elas são pequenas, pois são fragmentos de células
maiores chamadas megacariócitos.