Você está na página 1de 5

AEPCON Concursos Públicos

Sumário
Estado, governo e administração pública: conceitos, elementos, poderes e organização. ................................................ 2
O LEGISLATIVO: CRIA LEIS E FISCALIZA .......................................................................................................................... 2

Lei do Direito
Lei do Direito AutoralAutoral nºde
nº 9.610, 9.610,
19 dedeFevereiro
19 de Fevereiro deProíbe
de 1998: 1998: Proíbe a reprodução
a reprodução total outotal ou parcial
parcial desse material
desse material ou
ou divulgação
divulgação
com com
fins
fins comerciais
comerciais ouou não,
não, emem qualquer
qualquer meio
meio dede comunicação,
comunicação, inclusive
inclusive nana Internet,
Internet, sem
sem autorização
autorização dodo AlfaConConcursos
AEPCON Concursos
Públicos.
Públicos.
AEPCON Concursos Públicos

Estado, governo e administração pública: conceitos, elementos,


poderes e organização.

Surge aqui como primeira e real necessidade, realizar a diferenciação entre os conceitos de
Estado, governo e administração pública.

Estado é um ente, um sujeito de direitos, que tem como elementos o povo, o território e a
soberania. Na definição de Vicente Paulo e Marcelo Alexandrino (2010, p. 13),
“Estado é pessoa jurídica territorial soberana, formada pelos elementos povo, território e
governo soberano”.
Analisando como ente, o Estado se torna capaz de contrair direitos e obrigações. Saliente-se,
que o Estado possui personalidade jurídica própria, tanto na fase interna (perante os
agentes públicos e os cidadãos, como perante outros Estados estrangeiros.

O povo faz com que se efetive o Estado. É através do povo que se origina todo o poder
representado pelo Estado.
Inclusive, podemos ver o supracitado expressamente no art. 1º, parágrafo único, da
Constituição (“Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes
eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição).” Quando se fala em diretamente
lembramos do plebiscito, referendo e iniciativa popular. Quando falamos no indireto,
lembramos automaticamente do voto, que tem características de ser direto, secreto,
universal e periódico.

Por sua vez, a Soberania é o poder que tem o Estado de se administrar.


É por conta da soberania que o Estado pode regular o seu funcionamento, as relações
privadas de seus cidadãos e as funções econômicas e sociais de seu povo.

PELA soberania É QUE o Estado edita leis que se aplicam ao seu território, sem se sujeitar a
qualquer tipo de ENTROMETIMENTO de outros Estados. AQUI SE FALA EM VOZ PRÓPRIA.
Autonomia administrativa, financeira e orçamentária. Isso mesmo, É MACHO!!!

Finalizando os conceitos, o território é a área onde o Estado exerce sua soberania. Onde ele
de fé e fato atua. Delimitação territorial para tanto.

OBSERVAÇÃO: Os elementos (povo + território + soberania) do Estado não podem ser


CONFUNDIDOS com suas funções. As funções estatais, que por sua vez, são denominadas
“Poderes do Estado”, são divididas em: legislativa, executiva e judiciária.

O LEGISLATIVO: CRIA LEIS E FISCALIZA


O EXECUTIVO: ADMINISTRA
O JUDICIÁRIO: JULGA

Lei do Direito
Lei do Direito AutoralAutoral nºde
nº 9.610, 9.610,
19 dedeFevereiro
19 de Fevereiro deProíbe
de 1998: 1998: Proíbe a reprodução
a reprodução total outotal ou parcial
parcial desse material
desse material ou
ou divulgação
divulgação
com com
fins
fins comerciais
comerciais ouou não,
não, emem qualquer
qualquer meio
meio dede comunicação,
comunicação, inclusive
inclusive nana Internet,
Internet, sem
sem autorização
autorização dodo AlfaConConcursos
AEPCON Concursos
Públicos.
Públicos.
AEPCON Concursos Públicos

Acima temos as funções típicas, mas fique esperto, de acordo com o Sistema de freios e
contrapesos desenvolvido por Montesquieu, teremos cada poder realizando a função típica
do outro, de maneira atípica.

A CF-88 é quem informa que as três funções ou Poderes da União, “independentes e


harmônicos entre si”, são o Legislativo, o Executivo e o Judiciário. (art. 2º)

A separação das funções estatais não significa uma afirmação de que haja uma divisão
parada, estagnada, congelada, de poder entre o Executivo, o Legislativo e o Judiciário.

O ESTADO possui um poder que é soberano, que é uno, indivisível e que emana do povo.

No sistema de freios e contrapesos, desenvolvido por Montesquieu, as funções promovem


uma mútua fiscalização umas das outras (o Poder Legislativo fiscaliza atos dos Poder
Executivo, por meio dos Tribunais de Contas, o Poder Judiciário avalia a legalidade e os
procedimentos adotados pelo Legislativo, o Executivo nomeia os juízes dos tribunais de
segunda instância e de instância superior etc.).

Quanto ao governo, leve para sua prova essa definição: é elemento do Estado e o define
como “a atividade política organizada do Estado, possuindo ampla discricionariedade, sob
responsabilidade constitucional e política” (ZANONNI). Aglutino para você mais um dado À
informação, citando Meirelles (1998, p. 64-65) que diz que “governo é a expressão política
de comando, de iniciativa, de fixação de objetivos do Estado e de manutenção da ordem
jurídica vigente”.

Já a Administração Pública pode ser definida em seu sentido amplo e em seu sentido estrito.

No que diz respeito ao seu sentido amplo, na lição da Maria Di Pietro (2009, p. 54), a
Administração Pública se subdivide em órgãos governamentais e órgãos administrativos
(sentido subjetivo) e função política e administrativa (sentido objetivo).

Perceba que há 2 (dois) sentidos, e são esses 2 sentidos que os examinadores adoram cobrar
em provas de concursos.

No que se relaciona ao sentido estrito, a Administração Pública é subdividida nas pessoas


jurídicas, órgãos e agentes públicos que exercem funções administrativas (sentido
subjetivo) e na atividade exercida por esses entes (sentido objetivo).

Analisando o sentido subjetivo percebe-se maior destaque naqueles que realizam as funções
e na análise do sentido objetivo se observa a própria função exercida.
No aspecto de sentido objetivo (que também é chamado de material ou funcional), a
Administração Pública é definida, por Di Pietro (2009, p. 57), como “a atividade concreta e
imediata que o Estado desenvolve, sob regime jurídico total ou parcialmente público, para a
consecução dos interesses coletivos”.

Lei do Direito Autoral nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998: Proíbe a reprodução total ou parcial desse material ou
divulgação com
fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na Internet, sem autorização do AEPCON Concursos
Públicos.
AEPCON Concursos Públicos

Enfim, serviço público é toda atividade que a Administração Pública executa, direta ou
indiretamente, para satisfazer à necessidade coletiva, sob regime jurídico
predominantemente público.

EXERCÍCIO

1. (CESPE – 2014 -TJ-CE - Analista Judiciário - Área Administrativa) No que se refere ao


Estado, governo e à administração pública, assinale a opção correta.
a) O Estado liberal, surgido a partir do século XX, é marcado pela forte intervenção na
sociedade e na economia.
b) No Brasil, vigora um sistema de governo em que as funções de chefe de Estado e de chefe
de governo não são concentradas na pessoa do chefe do Poder Executivo.
c) A administração pública, em sentido estrito, abrange a função política e a administrativa.
d) A administração pública, em sentido subjetivo, diz respeito à atividade administrativa
exercida pelas pessoas jurídicas, pelos órgãos e agentes públicos que exercem a função
administrativa.
e) A existência do Estado pode ser mensurada pela forma organizada com que são exercidas
as atividades executivas, legislativas e judiciais.

2. (CESPE – 2013 - SEFAZ-ES - Auditor Fiscal da Receita Estadual) Acerca do direito


administrativo, assinale a opção correta.

a) A administração pública confunde-se com o próprio Poder Executivo, haja vista que a este
cabe, em vista do princípio da separação dos poderes, a exclusiva função administrativa.
b) A ausência de um código específico para o direito administrativo reflete a falta de
autonomia dessa área jurídica, devendo o aplicador do direito recorrer a outras disciplinas
subsidiariamente.
c) O direito administrativo visa à regulação das relações jurídicas entre servidores e entre
estes e os órgãos da administração, ao passo que o direito privado regula a relação entre os
órgãos e a sociedade.
d) A indisponibilidade do interesse público, princípio voltado ao administrado, traduz-se
pela impossibilidade de alienação ou penhora de um bem público cuja posse detenha o
particular.
e) Em sentido subjetivo, a administração pública confunde-se com os próprios sujeitos que
integram a estrutura administrativa do Estado.

3. (CESPE – 2013 – SEFAZ – Auditor – Questão adaptada) Em sentido subjetivo, a


administração pública confunde-se com os próprios sujeitos que integram a estrutura
administrativa do Estado.

4. (CESPE – 2013 – TCE-RO – Contador) O Estado é um ente personalizado, apresentando-se


não apenas exteriormente, nas relações internacionais, mas também internamente, como

Lei do Direito Autoral nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998: Proíbe a reprodução total ou parcial desse material ou
divulgação com
fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na Internet, sem autorização do AEPCON Concursos
Públicos.
AEPCON Concursos Públicos

pessoa jurídica de direito público capaz de adquirir direitos e contrair obrigações na ordem
jurídica.

5. (CESPE – 2013 – SEFAZ – Auditor – Questão adaptada) A administração pública confunde-


se com o próprio Poder Executivo, haja vista que a este cabe, em vista do princípio da
separação dos poderes, a exclusiva função administrativa.

GABARITO

1. E
2. E
3. C
4. C
5. E

Lei do Direito Autoral nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998: Proíbe a reprodução total ou parcial desse material ou
divulgação com
fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na Internet, sem autorização do AEPCON Concursos
Públicos.