Você está na página 1de 5

16/05/2018 SEI/MS - 3845029 - Despacho

MINISTÉRIO DA SAÚDE

DESPACHO

SERED/CGGM/GM/MS
Brasília, 15 de maio de 2018.

Encaminhe-se à Secretaria de Atenção à Saúde e a Agência Nacional de Vigilância


Sanitária para análise e envio de informações diretamente à parte interessada, a Carta 03/2018 -
RRTI(3833699), da Rede Rotulagem da Industria, a qual apresenta proposta da industria brasileira para
a rotulagem nutricional frontal de alimentos e bebidas não alcoolicas.

MARIA DE FÁTIMA DOS SANTOS


Coordenadora-Geral do Gabinete do Ministr_o___—__~ ~
_ ~Agëncia
Naciõnal, : 'PreSènciál . .
~.de vigil"anciá sanitária•
: UNIAP ;.: Recébido.em: 16/05/2018

, ~ `~; I IIIIII Ilill lllll lllll lllll lllll lllll lllll lllll lllll lllll lllll lllllll llill II IIII ~~:~.: ::.- :~.
2018051601930R
` Réspóns~vel: Elid.â"Aparécidâ Alves.dos Réis '

~ Documento assinado eletronicamente por Maria de Fatima dos Santos, Coordenador(a)-Geral do


~~~11 ~ Gabinete do Ministro, em 15/05/2018, às 17:36, conforme horário oficial de Brasília, com
', iai.et~iet9€a<
fundamento no art. 62, § 12, do Decreto nº 8.539, de 8 de outubro de 2015: e art. 82, da Portaria nº
900 de 31 de Março de 2017.

❑~ ~~~ A
~ Q
autenticidade deste documento pode ser conferida no site
http://sei.saude.gov.br/sei/controlador externo.phpz
acao=documento conferir&id orgao acesso externo=0. informando o código verificador 3845029 e
~ o código CRC 1135E9793.

Referência: Processo nº 25000.085032/2018-35 SEI nº 3845029

https://sei.saude.gov.br/sei/controlador. php?acao=documento_imprimir_web&acao_origem=arvore_visualiza r&id_documento=4352423&infra_sistema=1000(


Despacho SEI/MS- 3845029 (0213121) SEI 25351.916592/2018-61 / pg. 1

I
~
..
Carta RRTI - 03/2018
Brasília, 15 de maio de 2018

Ao Excelentíssimo Senhor Gilberto Magalhães Occhi


Ministro de Estãdo da Saúde
Brasília — ©F i

Senhor M

A Rede Rotula;gem da lndústria— grupo composto por 19 associações setoriais mais a


Confederação Nacional da Indústria, que subscrevein essa carta, vem respeitosamente
ao senhor expqr a proposta da indústria brasileira para a rotulagem nutricional fronta1 de
alíinentos e bebidas não alcóolicas.
A proposta apresentada pela indústria aos reguladores e legísladores visa atender as
necessidades dos consumidores brasileiros, que vêm evoluindo ao longo dos anos. O
objetivo da proposta é prover os consumidores de 'rnformações c[aras, respeitando a
liberdade do cónsumidor e permitindo uma escolha consciente sobre o que é melhor
para cada indivíduo.
Pensado nessè objetivo, a indústria defende um modelo que séja iríformativo, aliando
as informações nutricionais com cores, chamado de Semãforo Nutricional
Quantitativo, éonforme exernplo abaixo:

Uma porção de 309 (3 b'rscoit.os) fornece:

Valor Açúcares r Gordura Sódlo


Energétíco totals ~ Saturada
~ 149kcal 179 3,29 21 nng

7% ~~ c ~~5~ ~ *f t~x•°

Essa embalagem contém aproxímadamente 6 porçães


%valores diários de referéncia corn base em uma díeta de 2000 kcál.

A proposta é de uma rotulagem nutricional frontal com base indicativa por porção,
onde os íconés de sódio, açúcares totais e gordura saturada passam a ser
COLORIfDOS, em verde, amarelo e verrnelho, cores de entendimento universal.
A proposta ápresentada é baseada em duas premissas principais; oferecer
informações mais completas sobre o alimento e empoderar o consumidor. O
modelo defendido pela indústria tem o objetivo de melhor informar, uma vez que
apresenta o tebr de cada nutriente contido nos alimentos com a utilização de cores de
entendimento úniversal.
© aperfeiçoamento da regulamentação da rotulagem nutricional dos alimentos
industrializados vem sendo discutida no Brasil desde 2014, por meio de grupo de
trabalho coordénado pela Anvisa — Agênçia Nacional de Vigílãncia Sanitária, que é
responsável pór questões de reguiamentação do tema no País, com ã participaçáo de
associações das indústrias de alimentos, representantes da academia e da sociedade
civil, entre outrós.

Despacho SEI/MS- 3845029 (0213121) SEI 25351.916592/2018-61 / pg. 2


A necessidade;de reformu3ação do mdelo existente pode ser atribuída a um conjunto
de fatores. Em;primeiro lugar, as normas em vigor têm mais de 10 anos. Nesse tempo
ocorreram inúmeras transformações, tanto na realidade dos alimentos, com avanços
tecnológicos, éomo na postura dos consumidores, que demandam cada vez mais
infotmações e"estão mais questionadores sobre os alimentos que consomem.
Por outro lado,11nos últimos anos, organizaÇões nacionais e internacionais de saúde vêm
alertando para o crescimento da obesidade e das doenças crônicas não transmissíveis,
consideradas á epidemia da atualidade. Nesse contexto, a rotu(agem nutricional frontal,
ao destacar na parte da frente da embalagem o teor de nutrientes como sódio, açúcares
totais e gordura saturada é uma importante ferramenta de informação para que os
consumidores possam fazer melhores escolhas atimentares, dentro do contexto de uma
dïeta equilibrada.
Esse tipo de rotulagem frontal já foi adotado em países como Austrália, Reino Unido,
França e Equádor, que utilizam modelos de informações nutricíonais aliadas a um
sistema de coi-es, com foco no provimento de informações. Diferentemente desses
países, o Chiie implantou, em junho de 2016, um modelo de advertência, que não tem
como foco (evar a informação ao consumidor, mas como o próprio nome diz "adverti-lo"
sobre o consumo de alguns alimentos industrializados. Proposta simïlar a essa foi
apresentada aos reguladores brasileiros por algumas entidades, ao que indústria se
opõe forternente.
A indústria bràsileira acredita que a transparéncia e informações claras permitem
que o consumidor faça escolhas conscientes. Consideramos reducionista e sem
justificativa ciéntífica categorizar alimentos indivïduais como bons/saudáveís ou
ruins/não-sautláveis. Q uso desses conceitos cria distorções que podem dar
origem a regulamentações restritivas e discriminatórias.
Acreditamos que todos os alimentos podem ser parte de uma alimentação saudável
quando consumidos de forma apropriada ern termos de quantídade e frequência.
O objetivo firial da proposta da indústria é dar ao consumidor informação e
instrumentos para a realização de escolhas para a composiçao de sua alimentação
diáría de formá balanceada.
Vale destacar que a pedido do próprio órgão regulador, contratamos a realização
de pesquisa por uma terceira parte para verificar se aos olhos do consumidor
brasileiro, a proposta de Semáforo Nutricional é realmente a mais compreensível
aos consumidores.
Assim, para entender a disposição e o entendimento da população brasileira para
mudança na rótulagem das categorias de alimentos e bebidas não alcoólicas, a Rede
de Rotulagem,; encomendou ao IBOPE pesquisa nacional. O estudo, realizado com
2..002 pessoas em todo o. Brasi(, revelou que 7 em cada 10 brasiieiros preferem o
semáforo nutrícional nos rótulos dos alimentos, ou cerca de 67% da população.
Ademais, estudos preliminares realizados pe(o Departamento Econômico da ABIA -
Assocíação Brasileira das Indústrias da Alimentação - já indicam impactos
extremamente negativos para a economia, caso um modelo restritivo, com viés
discriminatório; seja implementado no Brasil, como: queda do faturamento tota( anuaf
acto de 12,5% ou R$ 77 bilhões; redução das exportaçóes - impacto
da indústria - imp
de 0,4% ou R$ 2,4 bilhões, o que sígnifica 1,9% de queda nas exportações totais de
alimentos processados (US$ 36,4 bilhões, que corresponde a R$ 127,1 bilhcres); e como
consequência,;queda de 9% no emprego anual da indústria, o que representa a perda
de 145 mil postos de trabalho no setor.
A indústria dé alimentos no Brasil

Despacho SEI/MS- 3845029 (0213121) SEI 25351.916592/2018-61 / pg. 3


A indústria de álimentos no Brasil reúne 32,5 mil empresas e processa 58% de toda a
produção agropecuária do País, possui faturamento de R$ 614,3 bilhões e investimentos
de R$ 20 bilhões (2016). É um setor que tem contribuído positivamente para a Balança
Comercial: US$ 31,5 bilhões - grande contribuição ao superávit da balança comerciai
totaE do Brasíl, que foi de US$ 47,7 bilhões -, exportando para mais de 150 países. São,
no total, mais de 1,6 milhão de empregos diretos.

Plano Nacionái de Vida Saudávet

As indústrias trabafham junto ao governo para desenvolver iniciativas focadas na


saudabilidade e no bem-estar da população. Desde 2007, a ABIA tem Acordo de
Cooperação Técnica com o Ministério da Saúde para construir um Plano Nacional de
Vida Saudável Entre os resultados da parceria estão a retirada de 310 miI toneladas de
gorduras trans dos alimentos processados pela indústria (até 2016). Essa é uma
conquista definitìva, pois trata-se de modificações rea(izadas nos processos produtivos.
Com relação ao sódio, apesar da indústria de alimentos ser responsável por apenas
23,8% do sódió consumido pelos brasileiros (contra 76,2°fa do sódio que é adicionado
no preparo finál dos alímentos, de acordo com dados da POF/IBGE), o setór, já assinou
4 termos de compromisso com o Ministério da Saúde para Redução Gradual de Sódio
em 35 categorias de Alimentos Processados. O acordo, que estima retirar 28.562
toneladas até 2020, é voluntário por parte das empresas e já retirou 17 mil toneladas de
sódio.
As negociações para o processo de redução voluntária de açúcar também já
começaram. A maior parte do consumo no Brasil vem do açúcar adicionado pelo
consumidor, no preparo dos alimentos em casa (56,3%), enquanto o açúcar adicionado
nos alimentos processados responde por 19,2%, de acordo com dados baseados na
POF/f BG E.

REDE ROTULAGEM DA iNDUSTRIA — QUEM SOMOS


A indústria de alimentos evolui junto com as necessidades dos consumidores. E é
justamente esse propósito que norteia o debate sobre o novo modelo de rotuiagem
nutricional sugerido pelo setor. Para nós, o importante é que essa nova proposta traga
informações qúe respeitem a liberdade do consumidor e permitam uma esco[ha
consciente sobre o que é mefhor para cada individuo.
;
i

I~}]j+j
~ .•.~ Y ~ ■Ra
~ ;~► ,' /

I~ct~ AB[C~B
♦ 5IA+EG
^

Is~ ~t ~ « `

, a ra. s
Br~sil ~~
Ç.Z~~
~~

Despacho SEI/MS- 3845029 (0213121) SEI 25351.916592/2018-61 / pg. 4


DESPACHO Nº 946/2018/SEI/COADI/GADIP/ANVISA

Processo nº 25351.916592/2018-61
Interessado: Rede Rotulagem da Indústria
Assunto: Apresentação de proposta de rotulagem nutricional frontal.

Para: Gerência-Geral de Alimentos (GGALI)


c/c Diretoria de Autorização e Registro Sanitários (Diare)

Encaminhe-se, para conhecimento e manifestação, Carta RRTI - 03/2018, da qual


consta proposta da indústria brasileira para a rotulagem nutricional frontal de alimentos e
bebidas não alccolicas.

A manifestação da área a ser elaborada em nota técnica, conforme o Memorando


Circular 0032/2012-CG/GADIP/ANVISA, deverá ser remetida à Diretoria de Autorização e
Registro Sanitários (DIARE) para conhecimento e avaliação e posterior encaminhamento ao
GADIP a fim de proceder à resposta.

NÉLIO DE BASTOS MORAIS


Coordenador de Apoio Administrativo
Documento assinado eletronicamente por Nelio de Bastos Morais, Coordenador de
Apoio Administrativo, em 18/05/2018, às 15:03, conforme horário oficial de Brasília,
com fundamento no art. 6º, § 1º, do Decreto nº 8.539, de 8 de outubro de 2015
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2015/Decreto/D8539.htm.

A autenticidade deste documento pode ser conferida no site


https://sei.anvisa.gov.br/autenticidade, informando o código verificador 0213146 e o código
CRC 09F31EA2.

Referência: Processo nº 25351.916592/2018-61 SEI nº 0213146

Despacho 946 (0213146) SEI 25351.916592/2018-61 / pg. 5