Você está na página 1de 58

Universidade de São Paulo

PHA 3307
Hidrologia Aplicada Escola Politécnica da
Departamento de Engenharia Hidráulica
e Ambiental

Modelos de simulação
hidrológica - Modelo ABC6
Análise de Bacias Complexas

Aula 24

Prof. Dr. Arisvaldo Méllo


Prof. Dr. Joaquin Garcia
Objetivos da Aula

1. Conhecer o conceito de modelos de


simulação hidrológica
2. Conhecer as classificações de modelos.
3. Aprender a utilizar o modelo ABC.
4. Aplicar o modelo ABC6 a um caso prático.

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA


Modelos

 São representações da realidade.


 Procuram simplificar os processos reais
 Utilizados para análises de cenários
 Modelos hidrológicos: representam total
ou parcialmente o ciclo hidrológico.

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA


Classificação dos Modelos

 Modelos Físicos
(ex. Modelos reduzidos de obras
hidráulicas)
 Modelos Analógicos
(ex. Circuitos elétricos para representar um
fenômeno hidráulico ou hidrológico)
 Modelos Matemáticos
(ex. Equações de transformação do ciclo
hidrológico, modelos de operação de
reservatórios, modelos de qualidade da
água em rios e reservatórios).

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA


Classificação dos Modelos Matemáticos de
Simulação Hidrológica

 Eventos x Contínuos
 Agregados x Distribuídos
 Empírico x Conceitual
 Determinístico x Estocástico
 Parâmetros Medidos x Parâmetros
Ajustados
 Simulação x Otimização
 Quantidade x Qualidade

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA


Classificação dos Modelos Matemáticos de
Simulação Hidrológica

 Eventos: Simulam algumas • Contínuos - Simulam o ciclo


partes do ciclo hidrológico (ex. hidrológico completo (ex.
ABC6) SMAP)

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA


Classificação dos Modelos Matemáticos de
Simulação Hidrológica

• Agregados • Distribuídos
Consideram a bacia hidrográfica A bacia hidrográfica é subdividida
como um único elemento em elementos menores (ex.
quadrículas)

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA


Classificação dos Modelos Matemáticos de
Simulação Hidrológica

• Empírico • Conceitual
- As equações de - As equações de
transformação de estados transformação de estados são
são empíricas (ex. conceituais (ex. Modelos
Transformação chuva-vazão baseados em equações de
pelo método do HU sintético hidráulica, amortecimento em
de Snyder) canais pelo método
hidrodinâmico, equações da
continuidade e da quantidade
de movimento)

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA


Classificação dos Modelos Matemáticos de
Simulação Hidrológica

• Determinístico • Estocástico
- A série simulada é uma - A série simulada pode ser
sequência de dados gerada sinteticamente (ex.
históricos (ex. SMAP) GESS)

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA


Classificação dos Modelos Matemáticos de
Simulação Hidrológica

• Parâmetros Medidos • Parâmetros Ajustados


- Simulação feita com base em - Chamados de modelos
calibrações, a partir de dados sintéticos. Os parâmetros
observados (ex. SMAP: são obtidos em função de
coeficientes de depleção do características físicas das
hidrograma de escoamento bacias, com base em estudos
básico) anteriores (ex. ABC6:
coeficientes do HU do SCS)

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA


Classificação dos Modelos Matemáticos de
Simulação Hidrológica

• Simulação • Otimização
- A escolha dos parâmetros - A escolha dos
é feita por tentativa e erro parâmetros é auxiliada
(ex. SMAP) por um algoritmo de
pesquisa operacional (ex.
SMAP com SOLVER:
programação linear)

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA


Classificação dos Modelos Matemáticos de
Simulação Hidrológica
• Quantidade • Qualidade
- A simulação resulta em - Analisa as variações de
análises de transformações volumes e de qualidade da
de volume ou vazões das água ao longo do tempo e
parcelas do ciclo hidrológico do espaço (ex. QUAL2E:
(ex. SMAP) qualidade de água em rios)

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA


Origem de Alguns Modelos de Simulação

Canadá: Dinamarca:
•MIDUSS (Alan A. Smith Inc.) •MOUSE (DHI Software)

Reino Unido:
•TOPMODEL (Lancaster University)

Japão:
•TANK MODEL (Tokyo University)

Estados Unidos:
•HEC-HMS (US Army Corps of Enginners)
•SMADA (University of Central Florida)

Brasil: •SWMM (US Environmental Protection Agency)

•ABC (POLI/USP) •STANFORD/HFAM (Hydrocomp Inc.)

•IPHS1 (IPH/UFRGS) •KNEROS2 (ARS – US Department of Agriculture)

•WinTR55 (NRCS – US Department of Agriculture)

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA


Finalidade do Modelo ABC6
Modelo de Evento de Cheias

 Agregar um conjunto de modelos de transformação


chuva-vazão
 Criar um Banco de dados de equações IDF
(Intensidade – Duração - Frequência)
 Auxiliar na obtenção de parâmetros não conhecidos
através de equações e dicas
 Automatizar o cálculo da simulação hidrológica,
uma vez que este processo se torna muito
trabalhoso com o aumento do número de bacias
 Auxiliar no ensino da hidrologia, levando a prática
de projeto aos alunos

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA


Histórico do Modelo ABC

 ABCx (1985): Versões Preliminares


 ABC4 (1990): Versão DOS
 Bacia única
 ABC5 (1996): Versão Windows
 Bacias múltiplas

 ABC6 (2000): Versão Windows ActiveX


 Bacias múltiplas

 Usuários
 Consultorias

 Empresas públicas e privadas

 Instituições de pesquisa

 Alunos de Graduação e Pós-Graduação

 Trabalhos, Dissertações e Teses

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA


Bacia Hidrográfica

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA


Bacias Hidrográficas Complexas
• Presença de Barragens, Transferências entre bacias

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA


Ciclo Hidrológico

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA


Ciclo Hidrológico Completo

PRECIPITAÇÃO

Evapotranspiração Evaporação Evaporação

Inundação
VEGETAÇÃO SUPERFÍCIE SOLO CORPOS D’ÁGUA

Infiltração Capilaridade Vazão


Superficial
SUBSOLO Vazão RIO
Subsuperficial

Percolação Capilaridade Vazão


Básica

AQUÍFERO Recarga

DESCARGA DA BACIA

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA


Ciclo Hidrológico Parcial

PRECIPITAÇÃO
Evaporação
Evapotranspiração

Inundação Evaporação
VEGETAÇÃO SUPERFÍCIE SOLO CORPOS D’ÁGUA

Infiltração Capilaridade Vazão


Superficial
SUBSOLO Vazão
Subsuperficial RIO

Percolação Capilaridade Vazão


Básica

AQUÍFERO Recarga

DESCARGA DA BACIA

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA


Entrada de Dados de no Modelo ABC6

Propriedades

Propriedades

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA


Entrada de Dados de Precipitação no ABC6

 Manual
 Usuário conhece o evento de chuva
 IDF (Intensidade-Duração-Frequência)
 Equações pré-determinada através de estudos
das séries históricas
 Banco de dados com equações para diversas
localidades do Brasil (154 equações)

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA


Métodos de Cálculo de Infiltração no ABC6

 Horton

f(t) = fc + (fo-fc).e-kt
onde
- f (t)é a taxa de infiltração (mm/h) no instante t;
- fc é a taxa de infiltração residual (mm/h);
- fo é a taxa de infiltração inicial (mm/h) para t=0;
- k é o coeficiente de decaimento da curva (h-1);
- t o tempo em h.

• Índice Φ

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA


Métodos de Cálculo de Infiltração no ABC6

 Green - Ampt
 F (t ) 
F (t )  K .t  . . ln 1  
 .  

Onde
- F(t) = infiltração acumulada (mm);
- K = coeficiente de condutividade (mm/h);
- = Potencial de sucção (mm);
-  = diferença entre a porosidade e a capacidade de
campo;
- t = tempo (h).

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA


Métodos de Cálculo de Infiltração no ABC6

 SCS
( P  0,2.S ) 2 (1000  10.CN ) * 25,4
Pe  para P  0,2.S S
( P  0,8.S ) CN
onde
- Pe = Precipitação excedente acumulada (mm);
- P = Precipitação acumulada (mm);
- S = capacidade potencial de infiltração do solo (mm);
- CN = número de curva de infiltração do SCS.
• CN (Curve Number)
- Tipo hidrológico do solo.
- Uso e ocupaçãodo solo.
- Grau de saturação do solo.
Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA
Dados para Cálculo da Infiltração pelo Método do SCS

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA


Dados para Cálculo da Infiltração pelo Método do SCS

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA


Dados para Cálculo da Infiltração pelo Método do SCS

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA


Cálculo da Infiltração pelo Método do SCS

Q
 P  0,2  S 
2
para P  0,2  S CN 
1000
P  0,8  S  10  S
25,4
Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA
Métodos de Cálculo de Escoamento Superficial Direto

Hidrogramas Unitários Sintéticos

 Clark
 Santa Barbara
 Triangular do SCS

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA


Hidrograma Unitário do SCS

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA


Elementos do ABC6

• A representação da topologia do sistema é concebida como


rede de fluxo contendo os seguintes elementos:
Nó: pontos de início, pontos de fim e confluências
de bacias.

Res.Lateral: vertedor de descarga do canal para


um reservatório fora do curso d’água.

Reservatório: represa no curso d’água com


sistema de vertimento livre e afogado.
Bacia: bacia hidrográfica e trecho de canal natural e
artificial.

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA


Interface do ABC6
- Dados das Bacias

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA


Interface do ABC6
Dados de Reservatórios Paralelos

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA


Interface do ABC6
– Dados de Reservatórios

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA


Parâmetros do ABC6
Parâmetros Gerais

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA


Parâmetros do ABC6
Modelos de cálculo

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA


Entrada de Dados da Bacia no ABC6
Parâmetros das bacias

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA


Entrada de Dados de Chuva no ABC6
Equações IDF

4 4 3 3
1
2
3
3
2
1 10 1 3
1
1

3
11 2
1
61
23
6

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA 14


Áreas de Drenagem

NC
AP AI
DC

AP = Área permeável da bacia NC = Área impermeável da bacia não conectada aos


AI = Área impermeável da bacia rios
DC= Área impermeável da bacia diretamente conectada
aos rios
Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA
Entrada de Dados de Infiltração no ABC6
Parâmetros de Infiltração do SCS

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA


Entrada de Dados no ABC6
Reservatório Lateral

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA


Entrada de Dados no ABC6
Reservatório

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA


Cálculo no ABC6

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA


Resultados da Bacia no ABC6

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA


Exercício

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA


Exercício

•O canal que atravessa uma cidade foi projetado para um período de


retorno de 50 anos, para uma chuva intensa com 4 horas de duração.

•A bacia hidrográfica referente à seção de uma ponte sobre o canal está


indicada na figura seguinte ( sub-bacias A e B).
Bacia A Bacia B
Área (km2) 50 100

A CN 70 65
T. de concentração (horas) 3.5 5.0
B
Velocidade (m/s) 1.0 1.5
Comprimento do canal 12.5 27.0
(km)

Obs: Adote x = 0.10 para o amortecimento pelo método de Muskingum

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA


Exercício

B
A

D=...
D=... T=...
T=... h=...
h=...
Bacia B
Bacia A
AD = 100 km2
AD= 50 km2
Tc = 5 h CN = 65
Tc = 3.5 h CN = 70
Velocidade = 1 m/s
Velocidade = 1 m/s
Compr. Canal = 27 km
Compr. Canal = 12.5 km
Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA
Exercício ABC6- Parte 1
Qmax Amortecimento

A+B’ A B
B’

Canal

CNB= 65
CNA= 70

Chuva Excedente Chuva Excedente

Determine a vazão Qmax utilizada para dimensionar o canal

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA


Exercício ABC6- Parte 2

Qmax

A B

Canal extravasa

CNB= 65
CNA= 7085

Com o crescimento da cidade e a consequente impermeabilização da


bacia, levou o valor de CN da sub-bacia A para 85. Avalie a nova vazão
com período de retorno de 50 anos.
Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA
Efeito da urbanização

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA


Efeito da urbanização
40%
Evapotranspiração 30% Evapotranspiração

55%
10% ESD
ESD

25% 10%
Infiltração Infiltração
rasa 25% rasa 5% Infiltração
Infiltração profunda
profunda
Cobertura natural do Solo 75%-100% Superfície
Impermeável
Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA
Interferências Antrópicas

Antes x Depois

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA


Efeito das Cheias

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA


Inundações

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA


Reservatórios (Piscinões)

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA


Exercício ABC6 - Parte 2

Qmax

B
A

Canal deve deixar de


extravasar
CNB= 65
85
CNA= 60

Solução proposta: construir um reservatório de amortecimento para


reduzir o novo Qmax ao valor anterior
Determine a largura do extravasor da barragem
Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA
Aula 22

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA