Você está na página 1de 43

3.

Remédios para os que sentem preocupação


excessiva com o bem-estar dos
outros
3.1- Beech
(Fagus sylvatica)
Beech é uma árvore que atinge até
30 m de altura, as flores masculinas
e femininas nascem na mesma
árvore, florescendo em abril ou
maio.
O remédio floral é preparado
utilizando-se ambas as flores –
masculinas e femininas.
Na mesma árvore estão as flores
masculinas (dependuradas) e as
femininas (voltadas para
cima).
As virtudes de Beech são a simpatia,
tolerância e a compreensão.
Sintomas devidos ao
bloqueio de energia
Uma pessoa em estado de Beech
negativo terá a mente estreita e será
dura e intolerante em suas reações.
Tende a ser arrogante e altamente
crítica, julgando os outros por
padrões subjetivos sem perceber e
corrigir seus próprios erros.
Têm tendência a projetar-se fora, e
tem dificuldade em focalizar
experiências interiores, que precisam
ser “digeridas”, porque, quase
sempre, consideram-se perfeitos.
Não compreendem e
não aceitam maneiras e
pensamentos diferentes
dos seus.
São por isso irritadiços,
rígidos, tensos e
hipercríticos.
Não toleram dores,
luzes e
ruídos.
Muitas vezes, o estado negativo de
Beech aparece como um
mecanismo de defesa quando a
personalidade foi muito reprimida,
obrigada a engolir humilhações,
decepções e agravos causados ao
amor -próprio.
Num processo de compensação,
a pessoa constrói um sistema de
valores próprio, que a torna
superior aos demais.

Nessas circunstâncias, os
sentimentos derivados da negação
do reconhecimento e da
humilhação terão menor impacto,
pois são projetados para o mundo
externo na forma de crítica e
arrogância.
O conflito de Beech está em
não aceitar e interpretar
erradamente o programa de
ensino da alma, em rejeitar
as experiências difíceis que
isso lhe traria. Em vez
disso, a personalidade
desenvolveu seu próprio
código de ética,
defendendo-se do
aprendizado através de
atitudes críticas e arrogantes.
Assim que a personalidade
para de se defender e se abre
para o autoconhecimento
deixa os limitados juízos de
valor, a crítica transforma-se
em compreensão, e a
arrogância muda-se em amor
verdadeiro e tolerância.
Características
que chamam a
atenção:
· Incapaz de mostrar compreensão nem
paciência pela falha alheia.
· Não tem empatia com os sentimentos dos
outros, pois bloqueia os próprios
sentimentos.
· Só vê o que está errado numa situação, é
incapaz de enxergar os resultados
positivos que podem sobrevir.
· Não toma em consideração o fato de que
nem todas as pessoas têm as mesmas
características e que cada pessoa só pode
desenvolver-se de acordo com o
próprio potencial interno.
· Tem princípios firmes, estreitamente
definidos, e procede internamente como
um severo capataz.

· Pequeninos gestos e maneiras de falar


dos outros irritam-no; o grau de irritação
não tem relação alguma com a causa.
Transformação
potencial:
· Torna-se tolerante, com os
pés no chão e reconhece a
unidade na diversidade.
· Usa a qualidade da crítica de
uma forma positiva,
auxiliando no crescimento do
outro.
· Começa a ser capaz de
discernir o processo de
aprendizado das dificuldades
que se apresentam na sua
vida.
Afirmações:
“Eu aceito as diferenças
aprendendo a ver a
totalidade dentro de todos
os detalhes.”

“Eu descubro a bondade de


cada pessoa e a função
apropriada de cada
situação.”

“Eu aprendo a Amar os


outros aceitando meu Eu.”
(KAMINSKI e KATZ, 1991)
Caso clínico:
Homem, 37 anos, médico.
Este paciente estava com dificuldades de relacionamento no trabalho. Era
diretor clínico de um renomado hospital e não conseguia que seus
subordinados desempenhassem bem suas funções porque exigia deles
uma postura idêntica à sua.
Também vivia problemas no casamento porque não permitia
interferências de sua esposa. Não tinha amigos. Sofreu uma crise nervosa
durante uma sessão psicoterápica porque o telefone do consultório não
parava de tocar.
Indicou-se quatro gotas de Beech, quatro vezes ao dia. Até então, esse
paciente dizia que não acreditava nos florais de Bach porque era um
médico alopata. Depois de 28 dias, já havia melhorado consideravelmente
sua conduta no hospital e até ouvia perguntas do tipo: "Doutor, o que está
acontecendo com o senhor, que está tão diferente? Podemos conversar?".
Indicou-se mais um frasco de Beech e, ao final de dois meses de
tratamento, sua compreensão com os funcionários e esposa era nítida.
(BARTOLO, 1993)
3.2- Chicory
(Chicorium intybus)
Chicory é uma planta perene de muitos ramos, que
atinge os 90 cm de altura, as flores azuis, delicadas e
solitárias,
murcham rapidamente depois de colhidas. Floresce de
julho a setembro, o remédio floral é preparado pelo
método
solar. (BARNARD)“No momento em que permitimos
completa liberdade a todos aqueles que nos rodeiam,
quando não mais desejarmos prender e limitar,
quando não esperarmos mais nada de ninguém, quando
pensarmos apenas em dar e dar, e nunca tomar, então
nesse
momento veremos que estamos livres de todas as coisas
deste mundo; nossas cadeias se romperão e, pela
primeira vez na vida, conheceremos a extraordinária
alegria da perfeita liberdade.“
Dr. Eward Bach.
A virtude de Chicory é o amor incondicional e sem apego
Sintomas devidos ao
bloqueio de energia
O desejo de servir e de dar vazão ao amor é
desenvolvido com naturalidade por
muitas pessoas, mas certamente não por
todas.
Em algumas, o sentimento amoroso
encontra-se bloqueado em seu fluxo para o
exterior, voltando-se para dentro, para o eu.
Nesse caso, o sentimento amoroso
transforma-se em
possessividade absoluta, em preocupação
egoísta.
Assim estão os indivíduos no estado negativo
de Chicory: ciumentos, possessivos,
manipuladores, seus sentimentos são
facilmente feridos, quando, então, eles se
sentem rejeitados e cheios de auto-piedade.
São pessoas tóxicas, que esgotam os
outros com suas exigências de retribuição
afetiva. Gostam de manter aqueles aos
quais estão ligadas ao seu redor,
controlando e dirigindo suas vidas
(normalmente em proveito próprio), bem
como de criticar o modo como estes fazem
as coisas.
Usufruem o sentimento de propriedade e
do poder que tem sobre os outros, tirando
partido da simpatia destes; fala muito em
"dever", especialmente o dever com
relação a elas.

As atitudes de Chicory negativo podem


aparecer nas super-mães que seguram
com firmeza as rédeas da família, nas
crianças caprichosas e exigentes e que
necessitam de atenção constante, nos
maridos e esposas ciumentos e
dominadores.
O conflito de Chicory está no
sentimento de ser indesejado e nunca
ter sido amado adequadamente, a sua
criança interna sente-se carente e não
nada que preencha esse vazio, as
pessoas que ama tem que estar
sempre enchendo o buraco da
carência com reconhecimento e
atenção, muitas e muitas vezes.
É preciso que Chicory compreenda
que só conseguimos nos sentir
nutridos emocionalmente, quando
nos nutrimos da fonte de amor que
emana do nosso próprio coração e da
nossa alma, não conseguimos isso
vampirizando a energia de outros.
Características que
chamam a atenção:
· Egoísta, dominador; exige muito, o que enerva os
outros.
· Sente prazer em fazer comentários constantes
sobre coisas, corrigindo, criticando.
· Precisa ter "entes queridos" à sua volta, como uma
corte, a fim de lhes monitorar e dirigir
discretamente a vida.
· É muito prestativa, obriga as pessoas a aceitarem
os seus cuidados, e posteriormente cobra
reconhecimento.
· Egoísmo, amor condicional: "Eu o amo, contanto
que..."
· Chantagem emocional.
· Acha difícil perdoar e esquecer.
· Medo secreto de perder amigos, relações ou
propriedades.
· Pode recorrer à doença, em determinadas
ocasiões, para ganhar simpatia ou
lograr os seus fins.
· Fica muito zangado quando as coisas não correm
de acordo com seus desejos, possivelmente
bancando o mártir; pode debulhar-se em lágrimas
diante da ingratidão alheia.
· Fala do que "o outro me deve".
Transformação
potencial:
· Consegue entrar no ciclo da
generosidade: quem dá sem ter
expectativas de receber nada em
troca, é recompensado pelo
universo.

· Proporciona segurança, proteção


e nutrição emocional aos
familiares.

· Libertam-se do apego e das


expectativas em relação aos outros.
Afirmações:
“Eu respeito a liberdade e
as necessidades daqueles
que amo”.
“Eu me lembro da fonte
do amor universal dentro
de mim”

“Eu posso amar os outros


livremente, pois sou o
amor de Deus”
(KAMINSKI e KATZ, 1991)
Caso Clínico
Criança, 6 anos.
Era alguém que queria sempre tudo do seu jeito e que provocava discussões
para atrair a atenção dos outros. Espalhafatosa e crítica, era propensa a dizer
coisas desagradáveis, embora, por vezes, quando revelava sua verdadeira
natureza, conseguia ser muito generosa e cooperativa. Seus estados de ânimo
estavam sujeitos a mudanças repentinas. Foi-lhe prescrito Chicory, o Remédio
básico, para seu egocentrismo, além de Scleranthus para a inconstância de
seus estados de ânimo. Os pais informaram que, logo nos primeiros dias, os
bons resultados já eram bastante evidentes. Passado um período mais longo,
escreveram contando que a criança atravessara mudanças das mais notáveis,
todas elas para melhor.
(CHANCELLOR, 1995)
3.3- Rock water
(água de fonte)
Esta é uma essência
ambiental, preparada pelo
método solar. O Dr. Bach
utilizou a água de uma
nascente encontrada em
local pouco explorado e
conhecido por sua
capacidade de cura.
As virtudes de Rock Water
são a flexibilidade e a
expansão.

Rock Water relaciona-se


com a capacidade da alma
de se adaptar às mudanças
e à liberdade interior.
Sintomas devidos ao
bloqueio de energia
No estado negativo de Rock Water, a
pessoa se torna perfeccionista, rígida e
exigente demais consigo mesma, acha
mais fácil perdoar falhas alheias do que
as suas falhas, tem elevados ideais
espirituais, diretrizes morais e
conceitos rígidos de saúde. Tendem ao
auto-martírio, negam a si mesmas
muitas coisas que tornam a vida de
cada dia agradável e divertida, não se
permitem sair nem um milímetro da
linha que traçaram para atingir o
auto-domínio.
O alto grau de exigência, inflexibilidade
e dureza para consigo mesmo, se
expressará, mais cedo ou mais tarde,
em muitas formas diferentes de
cristalização no nível físico, como
artrite, artrose, cálculos renais e
biliares.
As pessoas do tipo Rock Water querem
sempre estar na melhor forma, tanto
mental quanto física, e seguirão com
entusiasmo todo o curso que puder
levá-los a esse resultado. Passarão, por
exemplo, horas do dia praticando
exercícios de ioga, aderirão rigorosamente
a princípios macrobióticos, ou farão
orações rituais específicas onde quer que
estejam.
A rigidez do tipo Rock Water dificulta a
mudança de conceitos que já aceitou
como corretos, torna-se muito obstinado
em uma discussão, porém não tenta impor
sua filosofia aos outros pela força, como o
tipo Vine, ou pela argumentação, como o
tipo Vervain, antes espera que os outros
sigam espontaneamente o seu exemplo.
No estado extremo, desejam ser um exemplo para os
demais: esperam tranqüilamente induzir os outros a
adotar suas idéias, de modo que estes também
encontrem "o caminho certo". Membros ocidentais de
seitas religiosas orientais caminhando pelas ruas da
cidade com trajes étnicos e silenciosa dignidade,
encarnam esse aspecto do estado de Rock Water.”
(SCHEFFER, 1997)
O erro de Rock water está em querer forçar o
desenvolvimento espiritual, confundindo o efeito
externo com a causa interna. Não percebe que o efeito
externo, como seria, por exemplo, uma mudança no
estila de vida, surgirá por si, depois que se oferecerem
às condições interiores para isso. Esqueceu-se que
certas maneiras de viver são a conseqüência, e não a
causa do crescimento espiritual. Mais do que tudo,
deixa de compreender que não conseguirá o "domínio
de si mesma" tentando concentrar-se em si, senão,
pelo contrário, esquecendo-se no serviço de outros.
No estado positivo, as pessoas Rock water são
idealistas adaptáveis, de mente aberta, capazes de pôr
de lado seus princípios e convicções muito enaltecidos,
quando confrontadas com novas percepções intuitivas
e verdades maiores.
Características que
chamam a atenção:
· Perfeccionista, exigente, submete a vida a
teorias dogmáticas e, às vezes, a ideais
exagerados.
· Duro consigo mesmo; autodisciplina exagerada.
· Não se dá conta das compulsões sob as quais
vive.
· Acredita que os desejos mundanos inibem o
desenvolvimento espiritual, deseja ser santo
enquanto está na terra.
· Acha mais fácil perdoar os erros dos outros do
que os seus próprios erros, repreendem-se
demais quando erra.
· Suas necessidades físicas não estão bem
integradas; mulheres freqüentemente
dismenorréicas.
· Muita tensão no corpo físico - especialmente
nos músculos e juntas.
Transformação
potencial:
· Idealista de mente aberta; capaz
de abrir mão de teorias e
princípios quando é confrontado
com verdades mais profundas.
· Usam a disciplina como um
instrumento para atingir seus
ideais, o que fará delas,
por si só, um exemplo para outros.
Afirmações:
“Eu sou flexível na
aplicação dos meus
ideais”
“Eu fluo com a ordem e os
ritmos naturais da vida”
“Eu me liberto e me
entrego para Deus”
(KAMINSKI e KATZ, 1991)
Caso clínico:
Mulher, 33 anos, enfermeira de um hospital.
Ela estava estudando para tornar-se enfermeira particular. Trabalhara anteriormente nas Bahamas, onde
contraíra uma artrite reumática que lhe ocasionava muita dor nas juntas. Quando nos procurou para
tratamento, estava um pouco melhor, embora tivesse sofrido pouco tempo antes uma severa crise. Essa
crise ocorrera enquanto ela se encontrava de visita a alguns parentes que,
segundo ela, haviam-na desapontado profundamente: eles não viviam de acordo com os ideais dela.
Contou que sempre se valera de rédeas curtas em sua vida.
Não se permitia muitas satisfações; era o severo capataz de si mesma. "Descobri
que minhas dificuldades são a arrogância e o orgulho - afirmou. - Eu pensava que
poderia caminhar pela vida sem a ajuda de Deus ou dos homens, caso me mantivesse fiel a meus ideais
pessoais de perfeição." Prescreveu-se ROCK WATER, como Remédio básico, para sua severa autodisciplina,
e WATER VIOLET para seu orgulho.
Durante a visita seguinte, ela contou: "A dor que sentia nas juntas está diminuindo e, por estranho que
possa parecer, tenho vontade de orar e de ser humilde, apesar de ainda encontrar dificuldades, o que me
deixa muito deprimida." Acrescentou-se GENTIAN à prescrição inicial, para seu desencorajamento. Houve,
em certa medida, uma melhora, mas quando a paciente voltou a nos encontrar, disse : "Estou num
enorme conflito com relação àquilo que meus professores querem que eu aprenda, porque acho que
estão errados. Sinto me de tal modo dominada pelo pânico que não sei se irei conseguir terminar o
curso. Sinto raiva, e ressentimento também." Fez-se uma nova prescrição, formada
pelos seguintes Remédios: ROCK WATER e WATER VIOLET, além de ROCK ROSE para o pânico e WILLOW
para o ressentimento. A paciente tomou esses Remédios por três meses. Ao escrever-nos depois desse
período, contou que havia concluído seu curso e que agora trabalhava como enfermeira particular.
Disse ela: "Houve uma grande mudança em minha vida desde que passei a tomar
os Remédios. Sinto-me cada dia mais forte. Se não tivesse experimentado pessoalmente o efeito deles,
não teria acreditado! Eles me livraram da dor e transformaram-na em felicidade." (CHANCELLOR, 1995).
3.4- Vervain
( Verbena officinalis)

A verbena, também chamada


de erva santa, é uma planta
perene que cresce invadindo
os espaços, misturando-se às
outras plantas. Pode ser
encontrada à beira das
estradas, em terrenos secos,
incultos e em pastos
ensolarados. As flores são
hermafroditas, pequenas,
coloridas de lilás ou malva,
nascem em espigas e
desabrocham entre junho e
setembro. A essência floral é
preparada pelo método solar.
As virtudes de Vervain são a
tranqüilidade e o comedimento.
As pessoas do tipo Vervain são
líderes idealistas e
entusiasmados, estão sempre à
disposição, devotados às boas
causas. Argumentam muito para
defender as suas idéias e
opiniões, os ideais as enchem
completamente, e elas não
conseguem descansar enquanto
todas as pessoas à sua volta não
estiverem convencidas da idéia.
Geralmente são presidentes de
ONGs e organizações de cunho
social. Sacrificam o tempo de
lazer e muitas horas da noite ao
trabalho e nunca temem dizer o
que precisa ser dito.
No estado negativo, as pessoas do
tipo Vervain tornam-se fanáticas,
excedem no seu entusiasmo e, no
afã de convencer os outros são
mais o protagonista apaixonado,
que bombardeia os outros com
argumentos, do que o diplomata
habilidoso, que deixa o interlocutor
falar.
Tensos e nervosos por dentro e por
fora, reagem, irados, quando as
coisas não progridem tão bem
quanto esperavam e envolvem-se
ainda mais, tendem a agir até o
esgotamento. Não se permitem
momentos de lazer e relaxamento,
têm apenas umas poucas horas de
sono durante a noite.
Superestimam a própria energia
vital e prosseguem, sem dar
atenção à saúde até que contraem
uma gripe ou uma doença
inflamatória que as obriga a parar.
As pessoas Vervain no estado negativo se
sentem tão estimuladas que tendem a
sofrer de tensão muscular. Tem um
comportamento muito enérgico, até na
forma como pegam os objetos. Podem
pegar um lápis com tanta força que
chegam quase a quebrá-lo, caminham
pisando duro no chão.
O conflito do estado negativo de Vervain
é que este ouviu o chamado da sua alma
e quer seguí-lo, sente-se inundado de
energia positiva que precisa ser utilizada
a serviço da sua missão, porém a
personalidade não consegue permitir
que as coisas sigam o seu curso natural e
tenta usar excesso de força e energia
para que tudo aconteça conforme o que
acha “certo”.
O aprendizado desta personalidade é que
uma pressão produzirá sempre uma
reação oposta, e que não há necessidade
de sermos agressivos na exposição de
uma boa idéia, pois somos muito mais
convincentes quando incorporamos a
idéia, quando "somos" essa idéia.
Características que chamam atenção
· Totalmente estimulado, incapaz de relaxar-se; sofrem de
tensão muscular, dor nos olhos, dores de cabeça, etc.
· Crianças muito ativas, que não param um minuto e os
pais encontram dificuldade em convencê-las a ir dormir.
· Tem princípios firmes, raramente se desvia deles, e está
sempre querendo convencer os outros da sua correção.
· Muito intenso, focaliza as coisas com força excessiva,
quer realizar cento e cinqüenta por cento.
· Em sua impaciência desmedida, diz aos outros como
fazer as coisas, age por eles, tenta forçá-los a fazer o que é
bom para eles.
· Esgota o assunto; fanático, atropela os outros com
argumentos sem ouvi-los, o que acaba por afastá-los.
· Exaspera-se com as injustiças.
· Corajoso, aceita os riscos, preparado para fazer
sacrifícios a fim de alcançar suas metas.

· Utiliza enormes energias para que as coisas prossigam,


até quando lhe falta a força física.
· Fica muito irritado quando o que espera não acontece na
velocidade que deseja.
Transformação
potencial:
· Aprende a dominar a sua grande
inquietação, e pratica esse domínio
usando suas energias com amor, mas
eficazmente. Está inteiramente
envolvido na tarefa, mas também ouve a
opinião dos outros e rever sua própria
posição, se for necessário.

· Pensa num contexto mais amplo. Com


o seu caráter exuberante, é capaz de
inspirar os outros e arrebatá-los
facilmente.

· É capaz de usar suas grandes energias


com eficácia e com amor para uma
finalidade que vale a pena.
Afirmações:
“Eu pratico a moderação no
pensamento e na ação.”
“ Eu permito que os outros
sigam as suas próprias
crenças.”
“ Eu harmonizo minha
vontade com a vontade
universal”. (KAMINSKI e
KATZ,
1991)
Caso clínico
Mulher, 35 anos.
Inteligente e cheia de idéias, esta paciente tinha um trabalho interessante,
mas começou a querer convencer seus subordinados a seguir somente
suas metas. Em vários momentos, criou dificuldades no relacionamento
com seus superiores por causa desta conduta. Diante do desejo obsessivo
de convencer os colegas de trabalho, passou a ter insônia, tornando-se
tensa e estressada. A situação chegou a tal ponto que essa paciente foi
demitida porque deixou de cumprir suas tarefas profissionais para se
empenhar somente na defesa de suas idéias.
Indicou-se Vervain durante sessenta dias. Depois de vinte dias, já havia
recuperado o sono e seu comportamento foi aliviado pela tranqüilidade
mental que estava adquirindo. Pôde inclusive voltar ao trabalho, depois de
um mês de tratamento com Vervain. (BARTOLO, 1993).
3.5- Vine (Vitis
vinifera)
A videira é uma planta
perene, trepadeira, pode
atingir até 15 m de altura.
No mediterrâneo, floresce
de final de abril até
maio, as suas flores são
pequenas e crescem em
densos racemos, em cachos,
como a fruta.

A essência floral é preparada


pelo método solar.
As virtudes de Vine são a
compaixão e o
aprendizado.

As pessoas do tipo Vine


são eficientes, seguras,
determinadas e
ambiciosas. São líderes
de raciocínio rápido,
sabem o que fazer em
uma emergência, e
dirigem os outros com
segurança.
Sintomas devidos ao
bloqueio de energia
No estado negativo, Vine tende a usar
suas grandes qualidades de líder para a
conquistar poder e dominar os outros.
Passam por cima das opiniões alheias,
exigindo e esperando uma obediência
cega. Têm ânsia de poder, são ávidos por
autoridade e implacáveis nos métodos
empregados para alcançar seus
objetivos.
Tem tanta certeza de estarem corretos
em seu ponto de vista, que exigem
obediência cega, não para param ouvir e
muito menos discutir o ponto de vista
dos outros, não têm o menor desejo de
converter os outros ao seu modo de
pensar.
Elas simplesmente exigem uma
obediência implícita e inquestionável,
por estarem sempre com a razão. São
tirânicos e ditadores quando em posição
de chefia, ou em seus próprios lares. São
pais e mães duros e isentos de
compaixão para com os erros.
Quando não conseguem exercer o
poder sobre alguém, a excluem de seu
círculo e passam a ignorá-la
completamente. A atitude rígida e a
vontade inflexível do tipo Vine, ao lado
da crueldade inerente à sua natureza,
freqüentemente se manifestam
fisicamente com o enrijecimento das
artérias, aumento de pressão arterial,
tensão muscular, ou doenças que
envolvam limitação física.
O erro de Vine está em usar os
grandes dotes que recebeu em
benefício próprio, para satisfazer a
própria vaidade e desejo de poder, em
lugar de colocá-las a serviço de um
plano mais elevado.
Características que
chamam atenção
· Muito capaz, extremamente seguro
de si, dotado de grande força de
vontade.
· Ambicioso e presunçoso.
· São os ditadores cruéis, tiranos
domésticos que excluem quem não
lhes obedece
· Menospreza as opiniões dos outros,
exigindo obediência absoluta.
· Ávido de poder, quer autoridade, é
agressivo e sem escrúpulos. Para
eles, os fins justificam os meios.
· Nunca duvida, nem mesmo por um
segundo, da sua superioridade, e, por
isso, não entende como alguém pode
questioná-lo.
Transformação
potencial:
· Compreender as metas mais
elevadas da alma, abrir mão do
controle e agir com sabedoria,
para o benefício de todos.
· Torna-se o instrumento de um
plano mais alto, e suas ações
visam o bem comum. O
reconhecimento deste fato, por
parte dos outros, conduz as
pessoas do tipo Vine a uma
autoridade natural, sem
agressividade e imposição.
Afirmações
“Eu aprendo a reconhecer e a
respeitar a individualidade
dos outros”
“Eu aprendo a verdadeira
liderança praticando a
solidariedade”
“Eu inspiro os outros pela
força do meu exemplo”
(KAMINSKI e KATZ, 1991)
Caso clínico
Homem, 47 anos, casado, funcionário do Serviço publico.
Era pai de três filhos; exigia uma obediência absoluta não apenas deles como de
todos os que trabalhavam sob suas ordens. Ao nos procurar, encontrava-se numa
condição física de grande precariedade. Estava sofrendo de um problema intestinal
ocasionado pela ingestão de leite impuro, além de um problema de hemorróidas e
de evacuação involuntária; tal condição fora agravada nas Ilhas Maurício por uma
disenteria amebiana. Seu peso era muito acima do normal. O paciente contou que
não se sentia verdadeiramente enfermo, mas que tinha dores nos ombros, uma
forte dor abdominal e que a evacuação involuntária o irritava profundamente.
Prescreveu-se Vine, como Remédio básico, para sua natureza dominadora, além
de Impatiens para sua irritabilidade e Crab apple como um depurador para o
problema da evacuação. As primeiras notícias que enviou indicavam que a dor
abdominal havia diminuído, que ele dormia melhor, porém que as dores nos
ombros e o problema da evacuação ainda persistiam. Dois meses depois, tornou a
dar notícias, contando que estava com uma disposição mais alegre e otimista e
que a evacuação estava se normalizando. O paciente continuou com o tratamento,
até que finalmente pode informar que estava curado. A evacuação estava
controlada, as dores abdominais e dos ombros haviam passado, seu peso
diminuíra, enquanto sua natureza se tornara bem menos severa e mais alegre, fato
este bastante apreciado pela sua família. (CHANCELLOR, 1995)