Você está na página 1de 54

O Modelo de Entidade Relacionamento

(ER ou MER)
Parte 1

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA


CAMPUS DE FLORIANÓPOLIS
CURSO TÉCNICO DE METEOROLOGIA
DASS - Departamento Acadêmico de Saúde e Serviços
Unidade Curricular De Sistema de Banco de Dados
Prof. Marcos Antônio Viana Nascimento
marcao@ifsc.edu.br
O Que é Modelagem de Dados
 A modelagem de dados é a parte do sistema de
informação em que estudamos e determinamos a
estrutura do banco de dados, de modo que ele
atenda efetivamente as nossas necessidades.
 É quando fazemos um desenho do banco de
dados (esquema).
 Ou ainda, é quando representamos de uma forma
abstrata independente da implementação em
computador, os dados que serão armazenados no
banco de dados.
 Modelar dados consiste em desenhar o sistema
de informações, concentrando-se nas entidades
lógicas e nas dependências lógicas entre essas
entidades.
SBD - 2008/2 2
Modelagem de Dados
A modelagem de dados está dividida em 3 níveis de abstração:

SBD - 2008/2 3
Modelagem de Dados

Etapas para a construção de uma base de dados

Depende do SGBD
Conceitual

ESQUEMA
Lógico

Independe do SGBD
RELACIONAL HIERÁRQUICO REDE

Diagrama ER para o Modelo Relacional (SGBDR)


Físico

MySQL – Oracle – SQLServer - etc

SBD - 2008/2 4
Objetos do Mundo Real

 Mini-mundo (ou mundo real)


 A base para a especificação da estrutura conceitual do
banco de dados.
 Principais necessidades de uma organização (banco,
hospital, escola, supermercado, aeroporto, universidade,
farmácia, clínica médica, curso, cinema, observação
meteorológica, supermercado, etc.)

SBD - 2008/2 5
Modelo Conceitual

 A modelagem conceitual baseia-se no mais alto nível de


abstração.
 Os exemplos de modelagem de dados visto pelo modelo
conceitual são mais fáceis de compreender, já que não há
limitações ou aplicação de tecnologia específica.
 É o modelo de dados abstrato que descreve a estrutura de
um banco de dados de forma independente de um SGBD
particular.
 O diagrama de dados que deve ser construído aqui, chama-
se Diagrama de Entidade e Relacionamento (DER), onde
deverá ser identificado todas as entidades e os
relacionamentos entre elas.
 Este diagrama é a chave para a compreensão do modelo
conceitual de dados.

SBD - 2008/2 6
Modelo Lógico

 O modelo lógico já leva em conta algumas


limitações e implementa recursos como
adequação de padrão e nomenclatura.
 É o modelo de dados que representa a estrutura
de dados de um banco de dados conforme vista
pelo usuário do SGBD.
 Define as chaves primárias e estrangeiras.
 Deve ser criado levando em conta os exemplos
de modelagem de dados criados no modelo
conceitual.

SBD - 2008/2 7
Modelo Físico

 É uma descrição de um banco de dados no nível de


abstração do SGBD;
 O modelo físico é dependente do tipo particular de SGBD
que será utilizado para implementá-lo;
 Um modelo físico deve definir entre outros aspectos: quais
tabelas que o banco contém, quais atributos, para cada
atributo o seu tipo, índices de classificação dos dados,
segurança (restrição de acesso), desempenho, concorrência
de acesso.
 Leva-se em conta as limitações impostas pelo SGBD
escolhido e deve ser criado sempre com base nos exemplos
de modelagem de dados produzidos no modelo lógico.
 Demonstra como os dados são fisicamente armazenados.

SBD - 2008/2 8
MER ou E-R
 O Modelo Entidade-Relacionamento (MER ou E-R) tem por
base que o mundo real é formado por um conjunto de
objetos chamados de ENTIDADES e pelo conjunto dos
RELACIONAMENTOS entre esses objetos;
 O objetivo do MER é facilitar o projeto de banco de dados,
que possibilita representar a estrutura lógica do banco de
dados, especificando o esquema do banco, quais as
entidades e como elas se relacionam entre si.
 O objetivo do MER é representar de uma forma abstrata,
independente da implementação em computador, os dados
que serão armazenados no banco de dados.
 Este diagrama é a chave para a compreensão do modelo
conceitual de dados.

SBD - 2008/2 9
MER ou E-R
 Podemos dizer também que:

 O MER é baseado na percepção do mundo real,


que consiste em um conjunto de objetos
básicos chamados Entidades e nos
Relacionamentos entre esses objetos.
 O MER é uma Modelagem Conceitual de
Dados.
 O modelo de dados é representado
graficamente através de um Diagrama
Entidade-Relacionamento (DER).

SBD - 2008/2 10
...o pai do MER
 Essa abordagem foi criada
por Peter Chen (1976) é
considerada como um
padrão para a modelagem
conceitual.
 A modelagem ER possibilita
ao projetista concentrar-se
apenas na utilização dos Dr. Peter Pin-Shan Chen (Chinês)

Professor of Computer Science


dados, sem se preocupar
-

at Louisiana State University

com estrutura lógica.


SBD - 2008/2 11
Elementos Gráficos do DER

SBD - 2008/2 12
Elementos Da Modelagem - Entidade

 Entidades
 Objeto que existe no mundo real com uma
identificação distinta e com um significado próprio.
 Ou, um agrupamento lógico de informações inter-
relacionadas necessárias para a execução de uma
atividade especifica.
 Quando transposta ao modelo físico (ao banco de
dados relacional) chamamos a Entidade de TABELA.
 A Entidade pode seu um objeto concreto (pessoa -
automóvel) ou abstrato (disciplina – consulta médica
– departamento - projeto) do mundo real.

SBD - 2008/2 13
Elementos Da Modelagem - Entidade

 Entidades
 É uma “coisa” ou um “objeto” no mundo real que pode
ser identificada de forma única em relação aos outros
objetos;
 Se alguma “coisa” existente no negócio desperta
algum interesse quanto à manutenção de dados
(informações armazenadas sobre ela), isso a
caracteriza como uma Entidade do negócio.
 A ocorrência de uma entidade é chamada de
Instância (ou Tupla).
 Cada entidade deve conter múltiplas ocorrências ou
instâncias do objeto do mundo real que representa.
SBD - 2008/2 14
Elementos Da Modelagem - Entidade
 Entidades
 No ambiente de um aeroporto podemos abstrair
alguns objetos (concretos ou abstratos) que convivem
(ou existam) entre si, tais como: passageiros, aviões,
documentos, combustível, operadores de vôo, vôo
etc.
 Os objetos que fazem parte do ambiente são
entidades, pois podemos manter informações sobre
eles.
 As instâncias de uma entidade não são representadas
no DER, mas são semanticamente interpretadas nele.
 Para o caso do aeroporto acima, a entidade passageiro pode
ocorrer com a instância Marcos. Assim, devemos visualizar
(mentalmente) esse tipo de ocorrência.
SBD - 2008/2 15
Elementos Da Modelagem - Entidade

 Entidades
 Um conjunto de Entidades é um conjunto que
abrange entidades de mesmo tipo que
compartilham as mesmas propriedades;
 No DER as entidades são representadas por
retângulos.

Funcionário
Departamento
Projeto
Disciplina
Aluno

SBD - 2008/2 16
Elementos Da Modelagem - Entidade

 Exemplos de Entidades:

Físicas ou Jurídicas Pessoas, funcionários, empregado, clientes, cantor,


autor, clinica, fornecedores, alunos, homem, mulher,
pai, mãe, professores, médicos, dependentes e empresa
Documentos Pedido, ordem de compra, nota fiscal, histórico escolar,
Local Almoxarifado, departamento e sala de aula
Tabelas Centro de custo, UF e classificação fiscal
Matéria Produto, peça e item pedido, cd, livro

SBD - 2008/2 17
Elementos Da Modelagem - Entidade

 Exemplos de Entidades (objetos) da realidade de


um(a)
 Aeroporto  Escola
 Cliente
 Aluno
 Passagem
 Professor
 Vôo
 Disciplina
 Piloto
 Departamento
 Empresa  Clinica Veterinária
 Funcionário
 Cliente
 Dependente
 Animal
 Departamento
 Vacinas
 Projeto

SBD - 2008/2 18
Elementos Da Modelagem - Atributos

 Atributos
 Todo objeto, para ser uma Entidade, possui propriedades que
são descritas por atributos.
 Esses atributos e seus conteúdos (valores), juntos, descrevem
as instâncias de uma entidade.
 São as informações básicas que qualificam uma Entidade e
descrevem seus elementos ou características.

 Em uma empresa temos uma entidade (um objeto) sobre o qual


desejamos manter informações armazenadas, chamada
Funcionário. O que pode descreve Funcionário?
 Matrícula – Nome – Data de Admissão – Data Aniversario – Salário
etc.

SBD - 2008/2 19
Elementos Da Modelagem - Atributos

 Atributos
 Todas as Entidades devem possuir os atributos necessários no
desenho do banco de dados, do contrário, a Entidade não será
necessária para o banco de dados.
 Os atributos devem representar o objeto na sua totalidade.
 Devemos ter sempre em mente que um Atributo é uma
característica, logo não contem um grupo de informações. Uma
Entidade sempre é um grupo.
 No mínimo são necessários dois atributos para se criar uma
Entidade.
 Uma Entidade com um único atributo normalmente será
agregada a outra Entidade existente no modelo.
 No DER os atributos são representadas por elipses e
ligados a entidade por uma linha.
SBD - 2008/2 20
Elementos Da Modelagem - Atributos
 Possíveis Atributos para algumas Entidades
Entidade Atributos
Pessoa Matricula , nome, endereço, documento,data de
nascimento, telefone e correio eletrônico
Nota Fiscal Série, numero, data de emissão e cliente.
Município Código, mesoregião, microrregião e UF
CD Código, nome, gravadora, ano e valor

Sexo RG
Nome CPF

Pessoa
Nascimento Telefone

Tipo Sanguíneo Naturalidade


SBD - 2008/2 21
Elementos Da Modelagem - Atributos

 Exemplos de Entidades (objetos) com alguns


atributos para a realidade de um(a):
 Aeroporto
 Cliente (nome, idade, CPF, endereço)
 Passagem (numero vôo, empresa, hora partida e chegada,
portão de embarque, poltrona)
 Vôo (numero, origem, destino, piloto, comissário,
aeromoça, hora partida e chegada, modelo avião)
 Piloto (nome, endereço, empresa, telefone, função)
 Empresa
 Funcionário (matricula, nome, endereço, data de admissão)
 Departamento (nome, local, chefia, projetos)
 Projeto (nome, departamento, coordenador, local, valor)

SBD - 2008/2 22
Elementos Da Modelagem - Atributos
 Atributo Monovalorado: assume um único valor para cada
elemento da entidade (ou atômico).

 Atributo Composto: formado por um ou mais sub-atributos.

 Atributo Multivalorado: uma única entidade tem diversos


valores para este atributo.

 Atributo Determinante: identificador de uma entidade


(também conhecido com atributo chave).

 Atributo Derivado: atributo que depende de outro em uma


mesma entidade ou outra diferente.

SBD - 2008/2 23
Elementos Da Modelagem - Atributos

Idade Nome Rua


Cidade

Matricula Funcionário Endereço

CEP Matricula
Nascimento Telefones

MONOVALORADO MULTIVALORADO

SIMPLES

COMPOSTO

SBD - 2008/2 24
Elementos Da Modelagem - Atributos

 Domínio de um atributo: conjunto de


valores permitidos para o atributo
 Ex: Sexo {M, F} ou {Masculino, Feminino}
 Ex: Matricula {numero inteiro}
 Ex: Estado civil {solteiro, casado, separado,...}
 Ex: Nome {ate 40 caracteres}
 Ex: Salário {Numero decimal com duas casas}
 Ex: Idade {DD-MM-AA}
 Ex: Ano {AA} ou {AAAA}

SBD - 2008/2 25
Elementos Da Modelagem - Atributos

 Os atributos não são representados


graficamente, para não sobrecarregar os
diagramas.
 Quando é utilizado um software para a
construção de modelos ER, o software
armazena a lista de atributos de cada
entidade em um “Dicionário de Dados”.

SBD - 2008/2 26
Elementos Da Modelagem - Relacionamento
 Em nosso dia-a-dia convivemos com os mais variados tipos
de entidades (objetos reais) que são descritos com um
conjunto de atributos.
 Essas entidades não estão soltas, desligadas umas das
outras, e sim relacionadas de forma a mostrar a realidade
com um conteúdo lógico.
 Diariamente relatamos situações do mundo real, e quando o
fazemos, estamos na verdade expressando entidades e
relacionamentos. Veja o exemplo:
 As Pessoas Moram em Apartamentos;
 Os Apartamentos Formam Condomínios;
 Os Condomínios Localizam-se em Ruas ou Avenidas;
 As Avenidas e as Ruas Estão em uma Cidade.
 As Cidades Localizam-se em um Estado;
 Os Estados Pertencem a um País;
 Os Países Ficam em Continentes...
SBD - 2008/2 27
Elementos Da Modelagem - Relacionamento
Pessoas Moram em Apartamentos

Formam
Ficam em
Ruas/ Localizam-se Condomínios
Cidade
Avenidas
Faz Parte

Estado Ficam em Continentes


SBD - 2008/2 28
Elementos Da Modelagem - Relacionamento
 Condicionalidade:
 Considere as entidades Homem e Mulher

o Pergunta-se
Homem Mulher
Pedro Silvia  Um homem pode estar casado
Joaquim Carla com duas ou mais mulheres?
Manuel Antonia  Todas as mulheres são casadas:
Sergio Marli
 Todos os homens são casados?
Mauricio Lucia
Guilherme Maria o Como vamos entender a existência
Ana Paula de relacionamentos se existem
Antonia elementos que não fazem parte
Iracema
desse relacionamento, mas são uma
ocorrência das entidades que estão
Martha
se relacionando?
SBD - 2008/2 29
Elementos Da Modelagem - Relacionamento
 Relacionamentos Condicionais:
 São aqueles relacionamentos em que nem todos os
elementos de uma entidade A estão ligados a elementos
da entidade B.
 Este tipo de relacionamento e opcional, pode existir ou
não.
 Isto e, eles possuem uma condição, uma qualificação
para ocorrerem.

 Relacionamentos Incondicionais:
 São aqueles em que todos os elementos de uma entidade
A estão obrigatoriamente ligados com um elemento, no
mínimo, da entidade B.
 Assim, existe a obrigatoriedade do relacionamento entre
todos os elementos de uma entidade com os elementos
de outra.
SBD - 2008/2 30
Elementos Da Modelagem - Relacionamento
Mãe Filho
Toda ocorrência de mãe esta
Mãe 1 Filho 1
relacionada a um ou mais filhos
Mãe 2 Filho 2
e toda ocorrência de filho esta
Mãe 3 Filho 3 obrigatoriamente ligada a uma
Filho 4 ocorrência de mãe.
Filho 5
Filho 6

• Neste caso, não poderíamos ter, em nenhuma hipótese, a


possibilidade de:
 existirem na entidade filho ocorrências que não estivessem ligadas a
uma ocorrência da entidade mãe.
 existir uma ocorrência de mãe que não estivesse ligada a um ou mais
filhos, pois se permitíssemos, estaríamos distorcendo o MUNDO REAL,
já que não existe uma mãe se não possuir filhos, e ninguém pode ser
filho se não possuir uma mãe.
SBD - 2008/2 31
Elementos da Modelagem

 Relacionamento
 Associação entre duas entidades.
 Exemplos
 Aluno FAZ Provas
 Lojista VENDE Roupas
 Cliente REALIZA Pedido
 Medico REALIZA Consultas
 Funcionário TRABALHA EM Departamento
 Departamento CONTROLA Projeto
 Gravadora GRAVA CDs
 Música Ë ESCRITA POR Autor
 CD CONTÉM Música
 Aluno CURSA Disciplina
 Empregados PARTICIPAM DE Projeto

SBD - 2008/2 32
Elementos Da Modelagem - Relacionamentos
 Grau do Relacionamento
 Quando temos um relacionamento entre duas entidades, o
numero de ocorrências de uma entidade que está associado a
ocorrências de outra entidade determina o Grau do
Relacionamento ou Cardinalidade deste fato.
 Para determinar o Grau de um relacionamento deve-se
perguntar a cada par de entidades se elas se relacionam.
 Importante: as perguntas devem ser realizadas de forma
bidirecional.

Homem Casado Mulher

Um homem pode estar casado com mais de uma mulher?


Uma mulher pode estar casada com mais de um homem?

SBD - 2008/2 33
Elementos Da Modelagem - Relacionamentos
 Grau do Relacionamento
 Para facilitar a determinação do grau de um relacionamento,
siga o esquema abaixo:

Para Cada Deve Ter Uma ou Mais Ocorrência(s)


Ou da
Ocorrência da relacionamento Ou
Pode Ter entidade B
entidade A Uma Única

 Conforme percebemos acima:


 Cada relacionamento contém um nome (normalmente um verbo);
 A determinação de opcionalidade (deve ou pode);
 E um grau de cardinalidade (uma única ou uma ou mais)

SBD - 2008/2 34
Elementos Da Modelagem - Relacionamento

 ...Relacionamento
 Lembra do catálogo de CDs?
(1) Cada CD deve ser gravado por uma única gravadora;
(2) Cada gravadora pode ter gravado um ou mais CDs;
(1) Cada autor pode ter escrito uma ou mais músicas;
(2) Cada música pode ser escrita por um ou mais autores;
(1) Cada música pode estar gravada em um ou mais CD;
(2) Cada CD pode conter uma ou mais músicas.

SBD - 2008/2 35
Elementos Da Modelagem - Relacionamento

 Na representação de Entidades e
Relacionamentos para uma determinada
realidade (mini-mundo) podem existir
certas restrições, as quais o conteúdo do
BD deve respeitar.
 Isso é feito utilizando o Mapeamento de
Cardinalidade.
 O Mapeamento expressa o numero de
entidades as quais outra entidade pode
estar associada via um conjunto de
relacionamentos.
SBD - 2008/2 36
Elementos Da Modelagem - Relacionamento

 Cardinalidade Máxima:
 indica a quantidade máxima de ocorrências de entidades
que podem estar associadas a uma ocorrência da outra
entidade.
 Duas cardinalidades máximas são suficientes:
 Cardinalidade máxima 1
 Cardinalidade máxima muitos representada por n.
 Cardinalidade Mínima:
 especifica se a participação de todas as ocorrências das
entidades no relacionamento é obrigatória ou opcional.
 Duas cardinalidades mínimas são suficientes:
 Cardinalidade mínima 1, recebe a denominação de
associação obrigatória (ou Total);
 Cardinalidade mínima 0, recebe a denominação de
associação opcional ou (Parcial).
 No MER, as cardinalidades de um relacionamento são
apresentadas na forma (min,max).
SBD - 2008/2 37
Elementos Da Modelagem - Relacionamento
E1 E2
R

Cardinalidade Mínima de E1 em relação a E2 através de R: 0;


Cardinalidade Máxima de E1 em relação a E2 através de R: 2;
Cardinalidade Mínima de E2 em relação a E1 através de R: 1;
Cardinalidade Máxima de E2 em relação a E1 através de R: 3

(1,3) (0,2)
E1 R E2

SBD - 2008/2 38
Elementos Da Modelagem - Relacionamento

(1,1) (1,1)
Homem Casado Mulher

(1,n) (1,1)
Empregado Trabalha Departamento

(1,n) (1,1)
Funcionário Recebe Salário

SBD - 2008/2 39
Elementos Da Modelagem - Relacionamento

(1,1) (1,n)
Mãe Tem Filho

(1,1) (0,n)
Funcionário Possui Dependente

(1,n)

Pessoas Tem Filho


Papel de Pai
Ou de Mãe (1,1)

SBD - 2008/2 40
Elementos Da Modelagem - Relacionamentos
 Tipos de Relacionamento
 Existem 3 possíveis relacionamentos:
 1 para 1 (1:1)
 1 para muitos (1:N)
 Muitos para muitos (M:N) ou (N:N)

 Ao determinar o tipo de Relacionamento


devemos:
 Sempre perguntar se realmente são duas
entidades distintas ou se elas podem ser
unidas.
 Perguntar também se esse relacionamento
será, por exemplo sempre 1:1 ou se existe a
possibilidade de amanhã vir a ser 1:N.
SBD - 2008/2 41
Elementos Da Modelagem - Relacionamentos
 Relacionamento um para um (1:1)
 Ocorre sempre que uma entidade A tiver uma única
ocorrência para cada ocorrência na entidade B.
 Ou, quando uma entidade em A está associada no
máximo a uma entidade em B e uma entidade em B está
associada no máximo a uma entidade em A.

A B

SBD - 2008/2 42
Elementos Da Modelagem - Relacionamentos

1 1
Homem Casado Mulher
(1,1) (1,1)

1 1

1 1

 Um homem pode estar casado com quantas mulheres? (Brasil)


 No mínimo em 1 e no máximo 1

 Uma mulher pode estar casada com quantos homens? (Brasil)


 No mínimo 1 e no máximo 1

 O resultado final do relacionamento é 1:1.

SBD - 2008/2 43
Elementos Da Modelagem - Relacionamentos
 Exemplo de Relacionamento 1:1
 Cada Departamento é gerenciado por um gerente e cada
gerente gerencia um departamento. (será que um
gerente pode gerenciar mais de um Departamento?)

DEPARTAMENTO Gerencia GERENTE

 Cada computador possui uma placa-mãe e uma placa-


mãe pertence a um computador. (será que existe a
possibilidade de um computador possuir mais de uma
placa-mãe no futuro?)

PLACA_MAE Possui COMPUTADOR

SBD - 2008/2 44
Elementos Da Modelagem - Relacionamentos
 Um-Para-Muitos (1:N): ocorre sempre que uma entidade
A tiver várias (muitas) ocorrências para qualquer número
de entidades em B, enquanto uma entidade em B está
associada no máximo a uma entidade em A

A B

SBD - 2008/2 45
Elementos Da Modelagem - Relacionamentos

N Trabalha 1
FUNCIONÁRIO DEPARTAMENTO
(Lotado)
(1,N) (1,1)

1 1

N 1

 Um funcionário trabalha (ou esta lotado) em apenas um


departamento.
 No mínimo em 1 e no máximo 1

 Em um departamento podem trabalhar vários (muitos)


funcionários.
 No mínimo em 1 e no máximo N

 O resultado final do relacionamento é 1:1 ou 1:N? (escolhemos o máximo)

SBD - 2008/2 46
Elementos Da Modelagem - Relacionamentos
 Exemplo de Relacionamento 1:N
 Cada gravadora pode gravar vários CDs e cada CD é
gravado por apenas uma gravadora.

GRAVADORA Grava CD

 Cada cliente pode fazer vários pedidos e cada pedido é


de um único cliente.

CLIENTE Faz PEDIDO

 Cada pedido deve possuir vários itens e cada conjunto


de itens forma apenas um único pedido.

PEDIDO Possui ITEM_PEDIDO


SBD - 2008/2 47
 Muitos-Para-Muitos (N:N): Ocorre sempre que uma entidade
em A está associada a qualquer número de entidades em B, e
uma entidade em B está associada a qualquer número de
entidades em A.

A B

SBD - 2008/2 48
Elementos Da Modelagem - Relacionamentos

N N
Estudante Matricula Matéria
(1,N) (1,N)

1 N

N 1

 Um estudante está (ou pode estar) matriculado em muitas


(várias) matérias.
 No mínimo em 1 e no máximo N

 Em um matéria podem estar matriculados muitos (vários)


estudantes.
 No mínimo em 1 e no máximo N

SBD - 2008/2 49
Relacionamentos N:N
 Exemplo de Relacionamento N:N
 Cada música é composta por um ou vários autores, e
cada autor pode compor uma ou várias músicas.

AUTOR Compõe MÚSICA

 Cada aluno é inscrito em uma ou várias matérias e cada


matéria possui vários alunos.

ALUNO Inscrito MATÉRIA

 Cada produto é fornecido por vários fornecedores e cada


fornecedor pode fornecer vários produtos.

PRODUTO Fornecido FORNECEDOR


SBD - 2008/2 50
Elementos Da Modelagem - Relacionamentos
 Relacionamento N:N
 Esse relacionamento só é possível na modelagem
lógica de dados, uma vez que não se consegue
implantá-los em banco de dados relacionais.
 Ele será transformado em dois relacionamentos um
para muitos (1:N) e uma Entidade Associativa será
identificada.
 Detalhe: Os relacionamentos das entidades associativas
recebem de ambas as entidades fundamentais do lado “muitos”
do relacionamento e o lado das entidades fundamentais, fica o
lado “um” do relacionamento.
 Caso haja outras informações (atributos), estas que
devem ser agregadas a esta nova entidade.
 Exemplo entre pedido e produto: a entidade
associativa item pedido poderá receber os
atributos quantidade e preço.

SBD - 2008/2 51
Elementos Da Modelagem - Relacionamentos
 Desdobrando um Relacionamento N:N
 Um fato da realidade. Em uma empresa:
 Os funcionários estão lotados em departamentos.
 Os departamentos desenvolvem projetos.
 Um projeto pode ser desenvolvido por um ou mais
departamentos.
 Um funcionário pode participar de vários projetos.

N N
Funcionário Participa Projeto

1 N Funcionário N 1
Funcionário Atua
- Projeto
Associado Projeto

SBD - 2008/2 52
Nova Entidade (Entidade Associativa)
Elementos Da Modelagem - Relacionamentos
 Trocando N:N por 1:N

N N
AUTOR MUSICA
1 N N 1
AUTOR AUTOR_MUSICA MUSICA

N N
ALUNO MATERIA

1 N N 1
ALUNO ALUNO_MATERIA MATERIA

N N
PRODUTO FORNECEDOR

1 N N 1
PRODUTO PRODUTO_PEDIDO FORNECEDOR
SBD - 2008/2 53
Elementos Da Modelagem - Relacionamentos

 Atributos em um Relacionamento

N N
ALUNO cursa DISCIPLINA

ano
semestre

1 N N 1
ALUNO cursa DISCIPLINA

nota freqüência

SBD - 2008/2 54