Você está na página 1de 9

Guia do eleitor

As dúvidas mais frequentes

Compartilhe m n   H J Imprimir F Comunicar erro

Buscar na lista

O voto O voto
Título de eleitor
Mais de 50% de votos nulos cancela a eleição?
Local de votação
É falsa a versão, difundida na internet e em redes sociais,
Propaganda de que uma nova eleição deverá ser convocada se mais de
50% dos votos forem nulos. O voto em branco ocorre
Dia da votação quando o eleitor escolhe a opção da tecla específica de cor
branca [BRANCO] e confirma na urna eletrônica. Já o voto
Não votei, e agora?
nulo acontece quando o eleitor digita um número que não
Depois da eleição corresponde a nenhum candidato ou partido político. O
resultado desses dois tipos de voto é idêntico. Eles não
A disputa entram na contagem dos votos válidos e não servem para
determinar o quociente eleitoral (resultado da divisão de
Mesários
votos pelo número de cadeiras nas Assembleias
Início Legislativas ou na Câmara dos Deputados).

Quem é obrigado a votar?


O voto é obrigatório para os maiores de 18 anos e
facultativo para os analfabetos, os maiores de 70 anos e os
que tenham entre 16 e 18 anos.

Quem faz 16 anos no dia ou na véspera da eleição pode


votar?
Sim, mas para isso deveria ter tirado o título de eleitor até o
dia 9 de maio, prazo final dado pelo TSE (Tribunal Superior
Eleitoral) para novas inscrições e alterações no documento.
Se o eleitor não providenciou o documento, não poderá
votar nestas eleições.

Cidadãos naturalizados brasileiros que ainda não têm


título são obrigados a votar?
Sim. O brasileiro naturalizado que não tiver se alistado até
um ano depois de adquirida a nacionalidade pagará multa
imposta pelo juiz eleitoral e cobrada no ato da inscrição.

Moro e trabalho em uma cidade, mas vou viajar a outra


para votar. Posso ter dispensa no dia seguinte à
eleição?
Não, a lei não prevê essa dispensa.
O que eu faço se não puder comparecer à votação?
Se você estiver fora de sua cidade, justifique sua ausência,
no dia da eleição, em qualquer local de votação ou posto de
justificativa. Nos outros dias, é possível obter o formulário
de requerimento de justificativa eleitoral gratuitamente, em
qualquer cartório eleitoral, postos de atendimento ao eleitor,
ou nas páginas do TRE (Tribunal Regional Eleitoral) de
cada Estado. É necessário portar o título de eleitor e um
documento de identificação em mãos. Se não for possível
fazer a justificativa no dia do pleito, é preciso procurar o seu
cartório eleitoral para fazer a justificativa até 60 dias depois
das eleições, munido dos documentos que comprovem o
motivo da ausência. É importante lembrar que primeiro e
segundo turnos são eleições independentes, portanto é
necessária uma justificativa para cada votação.

Moro em uma cidade que terá voto biométrico (por


leitura das digitais) em 2018, mas não compareci ao
recadastramento convocado pelo TSE. Posso votar
mesmo assim?
O eleitor que foi convocado para fazer o recadastramento
biométrico e não o fez terá o título cancelado e não poderá
votar. O cancelamento do título leva a várias restrições,
como a impossibilidade de tirar passaporte e tomar posse
em cargos públicos. O recadastramento tem o objetivo de
colher as digitais para identificar o eleitor antes de se dirigir
à urna.

Título de eleitor

Preciso tirar meu primeiro título de eleitor. Como faço?


O prazo para tirar o título de eleitor terminou no dia 9 de
maio, portanto quem não o fez até essa data não poderá
votar nas eleições deste ano. Para emitir o título, é preciso
entrar em contato com a Central de Atendimento ao Eleitor
ou ir ao cartório eleitoral da sua cidade. Caso não haja um
cartório eleitoral em seu município, informe-se sobre qual
município é responsável pelas eleições em sua cidade e
compareça ao cartório eleitoral de lá. Para fazer o título é
necessário apresentar um documento oficial e original que
contenha nome completo, data de nascimento, filiação e
cidade de nascimento (Identidade, Certidão de Nascimento
ou Casamento, Carteira de Trabalho e Previdência Social
ou Carteira de Trabalho emitida pelos órgãos criados por lei
federal) e comprovante de residência. Homens com idade
de 18 a 45 anos também devem apresentar comprovante
de quitação do serviço militar.
Onde eu posso consultar a situação do meu título
eleitoral?
Você pode confirmar essa informação por meio do site do
TSE (http://www.tse.jus.br/eleitor-e-eleicoes). Para isso, não
é necessário o número do título: bastam o nome do eleitor,
o nome da mãe e a data de nascimento para ser informado
sobre o endereço do local de votação e os números da
seção e da zona eleitoral.

Até quando posso transferir meu título? Como devo


fazer?
O prazo para solicitar a transferência e, assim conseguir
votar nas eleições deste ano, terminou no dia 9 de maio.
Quem não conseguiu transferir o documento e não poderá
ir ao local de votação expresso no título de eleitor deverá
comparecer, no dia da eleição, a qualquer seção eleitoral ou
posto de justificativa, para justificar a ausência. Caso não o
faça, ficará passível de uma multa e outras restrições.
Ainda há a opção de voto em trânsito, mas o eleitor precisa
se habilitar para isso ante a Justiça Eleitoral entre 17 de
julho a 23 de agosto. Para quem quiser realizar a
transferência pensando nos próximos pleitos, é necessário
ir ao cartório eleitoral munido do título de eleitor, de um
documento de identidade, do último comprovante de
votação ou justificativa e de um comprovante de residência.
O eleitor deve residir há no mínimo três meses no novo
município.

Local de votação

Se eu sou eleitor de uma cidade onde há segundo


turno, mas viajei para um local onde não há segundo
turno, como eu justifico minha ausência?
Você deve procurar o cartório eleitoral mais próximo e
justificar a sua ausência. Confira a lista de endereços
(http://www.tse.jus.br/eleitor-e-eleicoes) por Estado.

Onde posso confirmar meu local de votação?


Você pode confirmar esta informação por meio do site do
TSE (http://www.tse.jus.br/eleitor-e-eleicoes). Para isso, não
é necessário o número do título: bastam o nome do eleitor,
o nome da mãe e a data de nascimento para ser informado
o endereço do local de votação e os números da seção e
da zona eleitoral.

Posso votar fora de minha cidade ou de meu Estado?


Sim. O voto em trânsito será aceito em todas as capitais ou
cidades com mais de 100 mil eleitores. O eleitor que estiver
fora do seu domicílio eleitoral, mas quiser exercer o direito
ao voto, deve habilitar-se no período de 17 de julho a 23 de
agosto. Para isso, basta comparecer à Justiça Eleitoral
munido de um documento oficial com foto. O eleitor que
estiver fora do seu Estado poderá votar apenas para
presidente da República. O eleitor que estiver fora da
cidade onde vota, mas no mesmo Estado, poderá votar
para deputado estadual, federal, senador e governador.

Meu título de eleitor é de uma cidade, mas me mudei


para outra. Posso votar na cidade onde moro
atualmente?
Se você está morando em uma das capitais ou em uma
cidade com mais de 200 mil eleitores, pode votar em
trânsito se fizer o pedido no prazo (leia acima). Caso
contrário, se você não transferiu seu título de eleitor para a
nova cidade, não poderá votar e deverá justificar sua
ausência.

Moro no exterior. Posso votar?


Quem tem domicílio eleitoral (local de votação) no exterior
(Zona ZZ) é obrigado a votar nas eleições para presidente
da República. Aqueles que moram ou estão no exterior,
mas não transferiram seu domicílio eleitoral, devem
justificar sua ausência em uma das repartições diplomáticas
brasileiras.

Propaganda

Em qual período haverá propaganda no rádio e na TV?


A propaganda eleitoral gratuita em rádio e TV vai de 31 de
agosto a 4 de outubro (primeiro turno) e de 12 a 26 de
outubro (segundo turno).

A Justiça Eleitoral autoriza a distribuição de santinhos


nas ruas?
Sim, até as 22h do dia que antecede as eleições são
permitidas a distribuição de material gráfico, caminhada,
carreata, passeata ou carro de som que transite pela cidade
divulgando jingles ou mensagens de candidatos.

Posso fazer propaganda do meu candidato no Twitter,


Facebook, Orkut blog ou outros sites?
É permitido ao eleitor manifestar sua opinião de apoio ou
crítica a partidos e candidatos em redes sociais, sites e
blogs. Mas apenas os próprios candidatos podem contratar
o impulsionamento de conteúdo, serviço que permite exibir
a mensagem a um número maior de usuários da rede
social.

Estou recebendo e-mails difamando um candidato e


desconfio que eles sejam ilegais. O que faço?
Procure o Ministério Público Eleitoral, que é o órgão
competente para fazer denúncias sobre propaganda
irregular. Alguns Tribunais Regionais Eleitorais também têm
serviços de disque-denúncia.

Dia da votação

Quando acontece a eleição?


O primeiro turno da eleição acontece no dia 7 de outubro. O
segundo turno está previsto para o dia 28 de outubro.

Qual é o horário de votação? Como ficam os fusos


diferentes do horário de Brasília?
A votação é das 8h às 17h, considerando sempre o horário
local.

Quais documentos devo levar para poder votar?


É obrigatória a apresentação de um documento oficial de
identificação com fotografia. São válidos certificado de
reservista (no caso dos homens), carteira de trabalho,
carteira nacional de habilitação com foto e identidades
funcionais. Certidões de casamento ou de nascimento não
são aceitas.
Este ano o TSE lançou o aplicativo do E-título, que traz o
título de eleitor em forma eletrônica no celular do eleitor.
Para aqueles que já realizaram o recadastramento
biométrico será possível votar apresentando apenas o E-
título, isso porque ao fazer o recadastramento é registrada
uma fotografia do eleitor. Quem não fez o recadastramento
biométrico continua precisando levar um documento oficial
com foto.

Em que horário vai vigorar a Lei Seca?


Por ser uma questão de segurança pública, a aplicação da
Lei Seca fica a critério das Secretarias de Segurança
Pública em cada Estado ou município.
Quem tem preferência para votar?
Têm preferência os candidatos, os juízes, seus auxiliares e
servidores da Justiça Eleitoral, os promotores eleitorais e os
policiais militares em serviço e, ainda, os eleitores maiores
de 60 anos, os enfermos, os portadores de necessidades
especiais e as mulheres grávidas ou que estejam
amamentando.

Como um eleitor cego pode votar?


Para votar, os deficientes visuais poderão usar qualquer
instrumento mecânico que eles mesmos portarem ou que
seja fornecido pela mesa, como por exemplo instrumentos
que auxiliem na sua locomoção, como bengalas e cadeiras
de roda. Eles também podem recorrer ao sistema de áudio
com fones de ouvido, quando disponível na urna, sem
prejuízo do sigilo do voto, ou à marca de identificação da
tecla 5. Os deficientes visuais poderão ainda utilizar tanto o
alfabeto comum quanto o sistema Braile para assinar o
caderno de votação ou assinalar as cédulas, se for o caso.

Como votam os eleitores com necessidades especiais?


Os eleitores com necessidades especiais tiveram até o dia
9 de maio para solicitar transferência do título para seção
eleitoral com acessibilidade. Quem não fez a solicitação
poderá votar normalmente na seção de origem e poderá ser
auxiliado por pessoa de sua confiança, ainda que não o
tenha requerido antecipadamente ao juiz eleitoral. Essa
pessoa poderá inclusive digitar os números na urna, desde
que autorizada pelo presidente de mesa.

Se a urna apresentar defeito, o que acontece?


O presidente da mesa providenciará a reparação do
problema ou a substituição da urna. Se o problema persistir,
a votação será feita com cédulas de papel, até o final.

Posso usar uma "cola" para votar?


Sim. A Justiça Eleitoral distribui e incentiva o uso de “colas”,
papéis com o nome e número dos candidatos escolhidos
previamente anotados.

Posso entrar na cabine com telefone celular, rádio ou


iPod?
É proibido entrar na cabine de votação com telefone celular,
máquinas fotográficas, câmeras de vídeo, equipamento de
radiocomunicação ou qualquer instrumento que possa
comprometer o sigilo do voto. Esses aparelhos devem ficar
retidos na mesa enquanto o eleitor estiver votando. Embora
a lei não trate especificamente de mp3 players, a Justiça
Eleitoral recomenda que este tipo de aparelho não seja
usado na cabine.

Posso votar usando bandeiras e bottons do meu


candidato?
Sim. As manifestações estão liberadas, desde que sejam
feitas em silêncio.

Posso distribuir "santinhos" na hora de votar?


Não. A distribuição de material só pode ocorrer até as 22h
do dia anterior à eleição.

Como mesário, posso fazer propaganda do meu


candidato por meio de camiseta ou qualquer outro
meio?
Não, isso é proibido.

Não votei, e agora?

O que acontece se eu não votar e não justificar a minha


ausência?
Você terá de pagar multa de até R$ 3,51 para cada turno
em que não foi votar e não apresentou justificativa. O juiz
eleitoral, no entanto, poderá aumentar até dez vezes o
valor, quando considerado ineficaz em virtude da situação
econômica do infrator. Se não pagar a multa, fica impedido
de inscrever-se em concurso público, participar de
concorrências, obter empréstimos em instituições
financeiras do governo, receber remuneração de função ou
emprego público, obter passaporte ou carteira de
identidade, renovar matrícula em estabelecimento público
de ensino ou praticar qualquer ato para o qual se exija
quitação do serviço militar ou Imposto de Renda. Quem não
votar e não justificar a ausência em três eleições
consecutivas (lembrando que cada turno é uma eleição),
terá o título cancelado.

Quem não votar no primeiro turno pode votar no


segundo?
Sim, os dois turnos são considerados eleições diferentes.
Já que o eleitor tem 60 dias para justificar o voto do
primeiro turno, ele pode votar no segundo sem ainda ter
feito a justificativa.
Depois da eleição

Eu votei, mas perdi os comprovantes. Como faço para


comprovar meu voto?
Solicite a qualquer cartório eleitoral uma certidão de
quitação eleitoral. A certidão também pode ser emitida por
meio do site do TSE.

A disputa

Quais cargos estão em jogo?


Serão eleitos deputados estaduais, deputados
federais, senadores, governadores e o presidente da
República.

Mesários

A nomeação para mesário é para um ou dois turnos?


Todo convocado para trabalhar na eleição deverá
comparecer nos dois turnos, se houver segundo turno.

O eleitor pode se oferecer para ser mesário?


Sim. A Justiça Eleitoral incentiva a participação por vontade
própria, com o programa Mesário Voluntário. As
informações podem ser obtidas junto aos TREs.

O eleitor é remunerado pelo trabalho como mesário?


Não, mas ele tem direito à dispensa do serviço pelo dobro
dos dias trabalhados na eleição. Nos dias de votação, o
mesário também tem direito a um vale-refeição.

Todo eleitor pode ser mesário?


Não, somente os maiores de 18 anos regularizados perante
a Justiça Eleitoral.

Quando ocorrem as nomeações dos mesários?


As nomeações dos mesários ocorrem em até 60 dias antes
das eleições e são feitas pela Justiça Eleitoral.

É possível pedir dispensa do trabalho de mesário?


Como é feito o pedido?
O pedido de dispensa é feito por meio de requerimento
direcionado ao juiz eleitoral. O requerente deverá
apresentar os motivos em até cinco dias a contar da
nomeação, a menos que os motivos ocorram depois desse
prazo. O pedido não é garantia de dispensa, visto que o
mesmo será avaliado pelo juiz, que poderá ou não aceitar a
justificativa.

O que acontece se eu não atender à convocação para


ser mesário?
Está prevista multa de até um salário mínimo. Em caso de
servidor público, ocorrerá suspensão de até 15 dias. As
penas serão aplicadas em dobro se a mesa deixar de
funcionar por culpa dos faltosos.

Por quantas eleições trabalharei como mesário?


Tudo dependerá do cartório eleitoral. Não há uma regra
estabelecida, mas as nomeações valem apenas para uma
eleição, ou seja, se você foi nomeado agora não está
convocado automaticamente para a próxima.

© 1996-2018 UOL - O melhor conteúdo. Todos os direitos reservados. Hospedagem: UOL Host