Você está na página 1de 5

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS

DEPARTAMENTO DE QUÍMICA

QUÍMICA GERAL EXPERIMENTAL

EXPERIÊNCIA 5

EQUILÍBRIO QUÍMICO

Data da experiência: xxxxxxxx

Professor: xxxxxxxxxxxxxxx

Turma: xxxxxxxxxxxxxxxxx

Alunos: xxxxxxxxxxxxxxxxxx

Belo Horizonte

27 de outubro de 2016
1. INTRODUÇÃO

Em um sistema químico reversível, pode considerar como reagentes as espécies


situadas a direita ou a esquerda da equação, dependendo do sentido considerado (e isso se
aplica também aos produtos). Há uma renovação de ambos provocada pelo processo inverso,
onde as reações nunca param. Diz-se que um sistema está em equilíbrio quando a velocidade
no sentido direto é igual a do sentido inverso.

Como no equilíbrio químico temos a igualdade de velocidade entre a reações (sentido


para a direita e sentido para a esquerda), pode de obter uma constante, denominada constante
de equilíbrio, dada pela multiplicação das concentrações dos produtos, estando elevadas a
potências iguais aos respectivos coeficientes da equação balanceada, dividindo-se esse
produto pelo produto das concentrações dos reagentes, cada qual também elevada à potência
igual ao respectivo coeficiente estequiométrico.

O estado de equilíbrio de um sistema pode ser alterado por variações, como


temperatura, pressão e concentração das espécies. Essa afirmação é prevista do princípio de
Le Chantelier, onde “quando um sistema em equilíbrio é submetido a uma ação, o equilíbrio
se desloca no sentido de contrabalancear esta ação”.

2. OBJETIVOS

Estudar sistemas em equilíbrio químico, através da verificação experimental do


princípio de Le Chantelier.

3. MATERIAIS

Suporte para tubos de ensaio, tubos de ensaio, béquer de 250 mL, chapa de
aquecimento, frasco para resíduo, proveta de 5 mL.
Soluções aquosas de: K2CrO4 0,05 mol/L, K2Cr2O7 0,05 mol/L, NH4OH 0,5 mol/L,
HCl 1 mol/L, NaOH 1 mol/L, Ba(NO3)2 0,3 mol/L, HCl concentrado, CoCl2 em solução
hidroalcoólica e solução alcoólica de fenolftaleína.

4. PROCEDIMENTO

 Estudo do equilíbrio do sistema:


2 CrO42- (aq) + 2 H+ (aq) ⇔ Cr2O72- (aq) + H2O (l)

Em dois tubos de ensaio colocou-se aproximadamente dois dedos de K2Cr2O7 0,05


mol/L (laranja) e em outro pôs-se a mesma quantia de K2CrO4 0,05 mol/L (amarelo). Em um
dos tubos contendo dicromato, colocou-se 10 gosta da solução de NaOH 1 mol/L. Depois, no
mesmo tubo, adicionou-se 1 ml de HCl 1 mol/. No tubo contento K2CrO4, adicionou-se 2
gotas de solução de Ba(NO3)2 0,5 mol/L. No outro tubo com dicromato (o que não foi usado
na primeira vez), colocou-se também a solução de Ba(NO3)2. Foram anotadas observações
obtidas em cada um dos experimentos.

 Estudo do equilíbrio do sistema:


NH3 (aq) + H2O (l) ⇔ NH4+ (aq) + OH- (aq); ΔH < 0

Em um tubo de ensaio, adicionou-se aproximadamente dois dedos de água, 3 gotas de


solução de amônia 0,5 mol/L e uma gota de solução de fenolftaleína. Despejou-se a solução
em um papel branco e agitou-se por cerca de cinco minutos. Anotou-se observações
pertinentes.

 Estudo do equilíbrio do sistema:


[CoCl4]2- (alc) + 4 H2O (l) ⇔ [Co(H2O)4Cl2] (alc) + Cl- (aq); ΔH < 0

Colocou-se aproximadamente dois dedos da solução vermelha ([Co(H2O)4Cl2]) e


adicionou-se cuidadosamente HCl concentrado até ser possível se observar qualquer variação.
No mesmo tubo, adicionou-se lentamente H2O destilada até observar alguma mudança
macroscópica. Aqueceu-se o tubo em um béquer com água fervente na chapa até observar
mudanças e depois resfriou-se o tubo em água corrente, observando novamente as mudanças.
5. RESULTADOS E DISCUSSÕES

6. CONCLUSÃO
REFERÊNCIAS

DEMICHELI, C. P. et al. Química Geral. Belo Horizonte, 2014. (Apostila)