Você está na página 1de 19

Títulos e

Coordenador(es) dos Resumos


simpósios

Simpósio 1 Lenira Marques Covizzi, em seu já clássico estudo intitulado


O insólito em Guimarães Rosa e Borges, diz que o termo
“insólito” se refere a uma “importante categoria [...] que
Manifestações do insólito carrega consigo e desperta no leitor o sentimento do
na literatura inverossímil, incômodo, infame, incongruente, impossível,
infinito, incorrigível, incrível, inaudito, inusitado, informal...”
(1978, 25-26, grifo do autor). Tal categoria constitui um
Prof. Dr. Adilson dos elemento inerente às estratégias de construção de diversas
Santos (UEL) modalidades literárias, tais como as do: Maravilhoso
(clássico/medieval/contemporâneo); Estranho
(freudiano/todoroviano); Fantástico (gênero literário/modo
Número de inscrições: 10 discursivo); Fantasy; Gótico; Realismo Mágico; Realismo
Maravilhoso; Realismo Animista; Neofantástico; Ficção
Científica. O presente simpósio tem por objetivo reunir
trabalhos nos quais a categoria do insólito constitua aspecto
relevante para a economia do texto. Espera-se, por meio de
reflexões teóricas pautadas nos mais diversos pensadores do
assunto bem como da análise de obras literárias provenientes
tanto da literatura brasileira quanto da estrangeira contribuir
para os estudos das distintas vertentes do insólito ficcional.

Simpósio 2 A temporalidade com a qual trabalharemos está circunscrita à


ocasião em que se formaram os cristianismos primitivos.
Estes podem ser descritos como fenômenos ligados,
História cultural dos inicialmente, aos judaísmos antigos e que foram, lentamente,
cristianismos primitivos se tornando autônomos em relação a estes. O processo de
(séculos I – IV): desconexão com as religiões maternas aconteceu entre os
Linguagens, símbolos, séculos I e IV d.C., variando a sua aceleração em função das
ritos e sexualidades no particularidades regionais do Império Romano então
cânon do Novo existente. Estabelecemos a primeira referência cronológica
Testamento e na literatura em função do ministério público de Jesus e o aparecimento
apócrifa e patrística dos primeiros documentos da nova religião poucos anos
depois, como é o caso, por exemplo, dos textos de autoria
inquestionável do apóstolo Paulo, que são todos da década de
Prof. Dr. Alfredo dos 50 d.C. A segunda baliza é proposta com base em dois dados
Santos Oliva (UEL) importantes ocorridos ao longo do século IV: no seu início
cessaram as perseguições aos cristianismos pelo Império
Romano e no seu fim, quando aqueles foram unificados e
Número de inscrições: 10 transformados em uma religião oficial do segundo. Dentro de
dessa temporalidade (séculos I – IV) é que são forjados e
difundidos linguagens, símbolos, ritos e modos de gestão das
sexualidades que poderão ser considerados tipicamente
cristãos, embora isso não excluísse o diálogo e assimilação de
conceitos e práticas judaicas e greco-romanas.

Simpósio 3 O objetivo consiste na socialização de estudos em torno da


constituição e do modo de funcionamento da filosofia de
Gilles Deleuze, visando investigar a sua trajetória filosófica,
o seu posicionamento frente à história da filosofia, à ciência,
Deleuze e a Filosofia
à arte e a indicação de uma filosofia da diferença, mediante a
crítica da representação, bem como o de oferecer subsídios
Prof. Dr. Américo Grisotto para sua compreensão no contexto da filosofia
(UEL) contemporânea. De modo específico, o que se sustenta é que,
na filosofia de Gilles Deleuze, a conexão entre o empirismo e
o pluralismo filosóficos designa menos uma tendência dentre
Número de inscrições: 10 outras e muito mais a essência mesma da filosofia. Tudo se
passaria como se estas dimensões do pensamento
coincidissem de tal maneira com a filosofia que toda ela
emergisse da imbricação entre tais perspectivas e isto na
medida em que, afastando-se ou rejeitando-se a si mesma,
não consistisse em outro movimento senão o da sua particular
e constante reinvenção. Daí a noção de contrafilosofia, a
partir da qual à filosofia maior, afeita ao aparelho de Estado,
se oporia uma filosofia menor, em devir. De outro modo, tal
abordagem, amparada em Nietzsche, sustenta que pensar
significa interpretar, o que impõe à filosofia e à imagem
daquele que pensa filosoficamente outro modus operandi,
qual seja, a de um discurso antes de tudo nômade, cujos
enunciados não seriam produzidos por uma máquina social
administrativa que tem os filósofos como burocratas da razão
pura, mas por uma máquina de guerra móvel. Se Deleuze
pensa esta possibilidade e a viabiliza em sua filosofia é
porque se serve de alternativas inerentes à própria filosofia
para fazê-la avançar em relação a si mesma. Por este viés,
intenciona-se, neste Simpósio, criar um espaço para que
pesquisadores, professores, estudantes, interessados tenham a
possibilidade de socializar suas produções acadêmicas
segundo este enfoque do pensamento em filosofia.
Simpósio 4 Em termos teóricos, este Simpósio consiste em pensar,
através da filosofia, problemas concernentes ao seu lugar e
papel nas metodologias, nos conteúdos e nas práticas do seu
Ensino e Pesquisa em ensino, além de buscar pensar, num plano mais abrangente, as
Filosofia possíveis aproximações e distanciamentos entre filosofia e
formação. Por este viés, constitui-se objetivo desta proposta
desenvolver trabalhos em torno do ensino de filosofia a partir
Prof. Dr. Américo Grisotto de um olhar próprio da filosofia, de forma que, compondo-se
(UEL) primeiramente como problemática de caráter filosófico, possa
Prof. Dr. Eder Soares não somente dar conta desta sua especificidade, quanto
Santos (UEL) dialogar com outras áreas do saber, como é o caso dos
saberes pedagógicos, das ciências e das artes, em que pensar
filosoficamente consiste, prioritariamente, em pensar - com a
Número de inscrições: 10 filosofia - o problema do seu ensino. Enquanto foco,
esteSimpósiotem como proposta prática servir de espaço para
discussão dos resultados alcançados no Programa de
Iniciação à Docência (PIBID), Subprojeto Filosofia, realizado
na UEL de 2014 a 2018.
Simpósio 5 O ensino de línguas abrange um leque de conhecimentos que
pode contribuir para o ensino idiomático de modo cultural e
interacional, revelando as relações de alteridade entre os
O ensino de Língua sujeitos implicados no processo de ensino (DE CARLO,
Francesa: perspectivas 1998). O objetivo deste simpósio, portanto, é o de abarcar
contemporâneas pesquisas de viés teórico ou aplicadas sobre o ensino de
Língua Francesa, de modo a construir um espaço plural de
reflexão, debate e avaliação sobre os seus procedimentos e
perspectivas, haja vista que os lugares de pesquisa e de
Prof. Dr. Ana Paula formação para o ensino visam o aprimoramento da didática
Guedes (UEM) de línguas (MARTINEZ, 2009). Neste sentido, observa-se
Prof. Dr. Wagner Vonder que o Quadro Europeu Comum de Referência para as
Belinato (UEM) Línguas (2001) direcionado pela perspectiva acional de
ensino apresenta, dentre outros fatores, os saberes a serem
desenvolvidos durante a aprendizagem de línguas e os níveis
Número de inscrições: 05 de referência para a evolução de propostas das tarefas e para
a avaliação de desempenho do aprendiz. Do mesmo modo, o
contexto nacional dos ensinos fundamental e médio segue as
regulamentações determinadas pelos documentos
governamentais, como, por exemplo, os Parâmetros
Curriculares Nacionais: Língua Estrangeira (1998) que
indicam uma abordagem comunicativa e interacional para o
ensino de línguas visando o aprimoramento linguístico e
discursivo dos indivíduos. Considera-se fundamental ainda o
papel dos materiais didáticos que, normalmente, seguem as
diretrizes dos referenciais citados para sua formulação e
influenciam fortemente os procedimentos pedagógicos
empregados. Serão aceitas comunicações que tratem do
ensino de Língua Francesa com foco específico (FES) —
Instrumental de leitura; Objetivos universitários (FOU);
Objetivos específicos (FOS) — ou geral, resultantes de
aplicações didáticas em instituições públicas ou privadas,
como também pesquisas teóricas que investiguem
principalmente as teorias sobre o ensino de línguas
estrangeiras.

Simpósio 6 O GT Comunicação e Imaginação Social se interessa por


pesquisas em todos os campos das Ciências Humanas e
Sociais que investiguem questões relacionadas às mídias a
Comunicação e partir das teorias do imaginário e da imaginação social,
Imaginação Social buscando identificar as práticas e representações sociais, as
manifestações de poder simbólico, as estratégias de
construção social da realidade, os papeis e máscaras sociais,
Prof. Dr. André Azevedo os arquétipos manipulados para provocar impactos no
da Fonseca (UEL) inconsciente coletivo, os mitos e as mitologias
contemporâneas, as dinâmicas da sociedade do espetáculo e
os recursos empregados para promover o reencantamento
Número de inscrições: 15 instrumental da realidade nas novas indústrias culturais. O
grupo privilegia trabalhos de caráter interdisciplinar que
analisem os impactos da publicidade comercial, da
propaganda político-ideológica, das mensagens religiosas nas
mídias, das tecnologias de comunicação e do cinema
contemporâneo na imaginação social, no contexto da
sociedade de consumo do século XXI.

Simpósio 7 O Simpósio “Historiografia, Cultura e Política nas Américas”


tem por objetivo debater pesquisas de todas as áreas das
Ciências Humanas que reflitam o continente americano em
Historiografia, Cultura e suas mais diferentes faces. Pretende-se fomentar um espaço
Política nas Américas para que os(as) estudantes do Centro de Letras e Ciências
Humanas apresentem seus trabalhos de pesquisa, concluídos
ou em andamento, de forma a trocar experiências bem como
Prof. Dr. André Lopes distintos pontos de vista. Embora seja proposto por docentes
do curso de História, serão igualmente bem-vindas propostas
Ferreira (UEL) de comunicação que abordem temas no campo das Ciências
Profa. Dra. Edméia Sociais, Literatura, Filosofia, Música, Cinema e outras
Aparecida Ribeiro (UEL) expressões político-sociais no âmbito das Américas. O
Simpósio será organizado em torno de apresentações orais
dos participantes inscritos e aprovados, seguidas de
Número de inscrições: 15 comentários e perguntas, sempre com a mediação dos
proponentes. Em síntese, acreditamos que o XII Seminário de
Pesquisa em Ciências Humanas cumpre um importante papel
na Universidade por divulgar as atividades discentes na
produção de conhecimento.

Simpósio 8 A abordagem filosófica acerca da imagem, via de regra,


destaca o seu caráter dicotômico. Dividida entre o saber e a
ilusão, a apreensão imagética apresenta uma série de
Imagem-símbolo, possibilidades de reflexão quanto ao seu estatuto. Entre a
imagem-signo, imagem- mitologia, a exposição alegórica, a construção de sentido e a
sintoma: dimensões pura imediaticidade de um sintoma que emerge, as imagens
filosóficas da apreensão provocam um debate filosófico: conhecimento ou fantasia?
imagética Simulacro, simulação, realidade afetiva, materialização das
pulsões, contemplação do belo e do bem; a apreensão
imagética, em realidade, revela a própria dificuldade do
Profa. Dra. Andrea Cachel estabelecimento de fronteiras entre o subjetivo e o objetivo,
(UEL) entre a produção de sentido como conhecimento ou como
ficção. Assim, envolve uma complexidade que fomenta
múltiplas formas de se entender o significado da arte,
Número de inscrições: 10 enquanto campo privilegiado de acesso ao domínio
imagético. Imagem-símbolo, imagem-signo, imagem-
sintoma: a cada uma dessas visões corresponde também uma
forma de se qualificar o ato ou o objeto artístico. O Simpósio
Temático pretende explorar as perspectivas filosóficas dessas
questões, bem como dos saberes interdisciplinares a elas
conectadas, contemplando as linguagens em que as imagens
se materializam: pintura, cinema, fotografia, literatura, dentre
outras.

Simpósio 9 Formar professores não é uma tarefa fácil, ela envolve


diferentes aspectos do nosso contexto social, da nossa
concepção de mundo/ sociedade e não deve estar dissociada
A formação de da reflexão sobre qual sujeito desejamos formar, por isso é
professores no contexto um tema caro quando almejamos uma melhoria real na
atual: dilemas e educação básica. A fim de contribuir para esta reflexão, este
possibilidades simpósio tem como objetivo promover um espaço para
discutir a formação de professores em diferentes
licenciaturas, partindo da premissa que muitos desafios se
Profa. Dra. Andréia da repetem em diferentes áreas de atuação docente e que refletir
Cunha Malheiros Santana de modo sistemático sobre tais dilemas contribui para a sua
(UEL) superação. Desta forma, são bem-vindas comunicações que
articulem a pesquisa ao ensino de diferentes maneiras, eis
algumas possibilidades: a atratividade docente, a formação
Número de inscrições: 10 docente à distância, o currículo na formação de professores, a
avaliação dos cursos de licenciatura, a produção de material
didático e a sua relação com o fazer docente, bem como
outros temas que permeiam a formação de professores no
cenário atual.
Simpósio 10 Este simpósio tem o objetivo de reunir comunicações que
abordem a relação entre currículo e juventudes, tendo em
vista, especialmente as diversidades que caracterizam os
Currículos, juventudes e grupos juvenis. Na interface da diversidade juvenil estão as
diversidades escolas historicamente organizadas para alunos considerados
iguais. Após a emergência da diversidade como direito
cultural, as escolas foram desafiadas a incluir crianças,
Profa. Dra. Angela Maria adolescentes, jovens de diferentes pertencimentos
de Sousa Lima (UEL) socioculturais, étnicos e, entre outros, também as pessoas
Profa. Dra. Maria Regina com deficiência. Mais do que isso, estão sendo desafiadas a
Clivati Capelo (UEL) romper com uma cultura escolar que pretendia normalizar os
diferentes, excluindo-os. Assim, a questão central que orienta
este simpósio refere-se ao modo como tem se manifestado a
Número de inscrições: 15 tensão entre a universalidade e a diversidade (perpassada pela
desigualdade) em face dos currículos escolares. Diante desse
quadro um currículo universal seria apropriado para incluir os
diferentes e desiguais grupos juvenis? Entre os
desdobramentos temáticos estão os currículos enfocados a
partir das diversidades juvenis culturais, étnicas, sexuais,
raciais, de níveis escolares, de gênero, de religiosidades
considerando grupos de jovens pertencentes ao campo e
cidade. Além de atual, o tema é fundamental para analisar o
papel dos currículos na formação escolar de grupos juvenis
urbanos e campesinos. Ademais, com a intensificação das
migrações internacionais é preciso indagar: quais escolas e
currículos estão disponíveis a esses jovens? De que forma os
grupos sociais, entre os quais os jovens, são descritos pelos
currículos?
Simpósio 11 Ressaltando a indissociabilidade entre pesquisa, ensino e
extensão na formação inicial e continuada de professores
pesquisadores, objetiva-se refletir a relação entre a educação
Aproximações teóricas e básica e a universidade, sob o prisma das Ciências Sociais e
didáticas entre a da Pedagogia, contribuindo para repensar as práticas
educação básica e a educativas, bem como, o processo de formação inicial e
universidade: os desafios continuada do docente, cujos pressupostos metodológicos,
na formação inicial e didáticos e pedagógicos colaboram com a formação de
continuada do professores-pesquisadores. A intenção deste Simpósio
professor/pesquisador Temático é problematizar a realidade político-pedagógica das
escolas, com foco em intervenções comprometidas
socialmente com a melhoria da qualidade da educação,
Profa. Dra. Angélica Lyra sendo, portanto, um espaço de debates sobre as articulações
de Araujo e Andreia entre pesquisa e ensino nas licenciaturas, valorizando os
(UEL) saberes/fazeres dos profissionais da educação da área de
Profa. Dra. Maria Ciências Humanas, em exercício e em formação. Nesse
Cavaminami Lugle (UEL) sentido priorizam-se relatos de pesquisa e relatos de práticas
de ensino que tratam das experiências desenvolvidas nas
escolas, contemplando temas como: reconhecimento das
Número de inscrições: 10 culturas juvenis, ensino e pesquisa em sala de aula,
experiências de estágios, formação inicial e continuada de
professores e desafios para os cursos de licenciatura.
Simpósio 12 Os Novos Estudos do Letramento, em uma perspectiva
multiculturalista, destinam-se à observação de práticas orais e
letradas em diversos contextos socioculturais (GEE, 1990;
HEATH, 1982; STREET, 1993,2014). Na década de 80,
Street (1984,1988), através de suas pesquisas etnográficas,
Novos estudos do trouxe uma mudança no enfoque dos estudos do letramento.
letramento e o ensino de O autor questionava como a variedade de letramento
línguas em uma associada à escolarização tornou-se o tipo definidor e
perspectiva sociocultural privilegiado em detrimento aos outros tipos de letramento
praticados em comunidades marginalizadas, e como a escrita
impactava as relações de poder. Street buscava um modelo
Profa. Dra. Bruna Carolini alternativo de análise das práticas orais e escritas que
Barbosa (UENP) entendesse o letramento como algo ligado aos interesses dos
Prof. Dr. Irando Alves indivíduos de um grupo e não como modelo universal e
Martins (UENP) homogêneo: dessa forma os significados do letramento são
entendidos e apropriados de acordo com os usos em práticas
sociais. Através desses estudos pôde-se constatar que as
Número de inscrições: 15 práticas de letramento variam de acordo com os contextos
socioculturais e que não há um único letramento, autônomo e
desvinculado do caráter sociocultural da língua, mas
diferentes práticas de letramento. Essa nova perspectiva passa
a considerar leitura e escrita, não como um conjunto de
práticas universais, mas como um conjunto de práticas sociais
ligadas às identidades dos indivíduos envolvidos. Para a
educação, essa área de estudos é substancialmente importante
uma vez que a prática escolar pode estar filiada a uma
perspectiva sociocultural de letramento (KLEIMAN, 2010).
Este simpósio propõe um espaço de interação interdisciplinar
a partir de pesquisas que versem sobre as diversas
modalidades de estudos na perspectiva dos Novos Estudos do
Letramento, em contextos situados, escolares e acadêmicos,
formação de professores, letramento e identidade, projetos de
letramento, pedagogia dos multiletramentos, entre outros.
Simpósio 13 Esse grupo de trabalho pretende reunir professores,
estudantes de graduação e pós-graduação que se dedicam ao
Simpósio de Filosofia estudo de temas relacionados com a filosofia política e a
Política e Jurídica filosofia do direito, com especial ênfase à discussão da
natureza da obrigação política e respectivas teorias de
justificação do poder político; à discussão da natureza do
Profa. Dra. Charles conceito de direito e sua relação com outras esferas da
Feldhaus (UEL) filosofia como a moral; à discussão da natureza jurídica do
Profa. Dra. Andrea direito internacional e diferentes modelos de governança e
Faggion (UEL) reestruturação de uma ordem mundial pacífica; à discussão
da natureza das diferentes demandas por igualdade material
Número de inscrições: 15 prestando especial atenção ao surgimento das demandas por
reconhecimento das identidades culturais.

Simpósio 14 Pesquisar e se capacitar constantemente é preciso, por isso


que este simpósio objetiva fomentar discussões e propiciar
espaços para reflexões sobre estudos linguísticos, literários e
Pressupostos teórico- fraseológicos voltados ao contexto de ensino e aprendizagem
praticos de ensino e de línguas estrangeiras/adicionais. Rever a prática pedagógica
aprendizagem de línguas requer (re)visitar construtos teóricos e transpô-los à sala de
estrangeiras/adicionais aula. Nesse âmbito, contemplamos estudos crítico-analíticos
e propostas teórico-práticas que versem sobre os seguintes
eixos temáticos: interculturalidade, literatura e ensino,
Profa. Dra. Cláudia multimodalidade, multiletramento, materiais didáticos,
Cristina Ferreira (UEL) fraseologia, fraseografia e tradução sob o viés do ensino e da
aprendizagem de línguas estrangeiras/adicionais. Quanto aos
aspectos metodológicos, destacamos que as propostas
Número de inscrições: 15 submetidas a este simpósio podem ser configuradas a partir
de uma pesquisa de natureza bibliográfica, estudo de campo,
etnográfica, qualitativa e/ou quantitativa. Ressaltamos que as
comunicações podem ser propostas por professores da
educação básica, do ensino superior ou por alunos de
programas de pós-graduação. Por meio desse simpósio,
esperamos possibilitar interações e (re)significações de
posturas acadêmico-profissionais que, possivelmente, irão
reverberar em alterações de currículos e materiais utilizados
no labor docente a fim de potencializar o processo de ensino
e aprendizagem, tornando-o mais significativo e eficaz.
Simpósio 15 O simpósio pretende agregar trabalhos que estudem
determinados aspectos da modernidade a partir dos textos de
Walter Benjamin e de seus leitores, assim como seu possível
Walter Benjamin e a diálogo com outros textos/autores. Privilegiaremos as
modernidade reflexões acerca de algumas categorias – como os fenômenos
urbanos, as palavras e as imagens, bem como a
interpenetração entre elas – enquanto instrumental teórico na
Profa. Dra. Cláudia Rio leitura e análise de obras literárias e outras. O interesse maior
Doce (UEL) é partir de imagens (ou sobreposição de imagens) que
coloquem em questão a totalidade ilusória entre signo e
referente para, dessa forma, armar “constelações críticas”,
Número de inscrições: 10 rompendo com a ideia de continuidade da tradição ou, ao
contrário, promovendo a sua des-continuidade,
impulsionando uma tradição de novos começos. O simpósio,
portanto, buscará partir de um determinado núcleo que seja
comum às diferentes pesquisas, mas estará aberto a outras
abordagens da/sobre a obra do pensador e seu diálogo com a
literatura, bem como de outras manifestações culturais.

Simpósio 16 O Brasil assistiu nas três últimas décadas a ascensão da


violência e da criminalidade na maior parte dos estados.
Nesse período a segurança tornou-se um dos temas que mais
desperta preocupação entre os brasileiros, ganhando
Violência, criminalidade e
relevância nas conversas cotidianas e no debate político.
governança da segurança
Paralelamente a esse fenômeno, consolidou-se no interior da
academia brasileira um campo de produção intelectual que
reúne pesquisadores de distintas áreas do conhecimento, com
Prof. Dr. Cleber da Silva
destaque para as ciências humanas, engajados em subáreas
Lopes (UEL)
disciplinares como sociologia da violência, estudos sobre
Profa. Dra. Letícia
conflitualidade, criminologia, penologia, segurança pública,
Figueiredo Moutinho
governança da segurança e outras mais. Este Simpósio
Kulaitis (UEL)
Temático receberá trabalhos teóricos ou empíricos oriundos
dessas e outras subáreas do conhecimento que tenham no
centro de suas análises o problema da violência, do desvio,
Número de inscrições: 12
do crime e da produção da segurança no interior da sociedade
brasileira. São bem-vindos trabalhos sobre a violência
familiar e de gênero, crimes violentos contra a vida, crimes
patrimoniais, crime organizado, crime de colarinho branco,
políticas públicas de segurança, polícias, justiça criminal,
justiça juvenil, prisões, segurança privada e outros mais
relacionados à violência, à criminalidade e à governança da
segurança.
Simpósio 17 Revisar textos é uma das várias atividades do Disque-
Gramática, projeto de extensão criado em 1995 pelo
professor Joaquim Carvalho da Silva, como resposta à
Reflexões sobre a revisão demanda incessante da comunidade interna e externa para
de textos: experiências no esclarecer suas dúvidas no trato com a língua portuguesa,
Disque-Gramática principalmente em termos da norma culta. Assim, são
frequentes as questões envolvendo essa norma nos diversos
atendimentos do projeto, tanto em relação à dimensão
Profa. Dra. Cristina Valéria textual-discursiva, quanto aos tópicos gramaticais, isolados
Bulhões Simon (UEL) ou presentes nos textos produzidos. Para aquela, deparamo-
nos com dificuldades na ordenação de parágrafos, no
emprego de itens coesivos, no alcance e na manutenção da
Número de inscrições: 10 coerência, no uso adequado e preciso das palavras e
expressões, no emprego dos sinais de pontuação, na
observância do gênero textual etc. No que se refere aos
tópicos gramaticais, são encontradas ocorrências quanto à
ortografia, à acentuação, à crase, à regência nominal e verbal,
à concordância verbal e nominal, aos tempos verbais, às
preposições, aos substantivos, aos adjetivos, aos pronomes,
aos conectivos, entre outros. Este simpósio pretende, pois, ser
um espaço não só para a troca de experiências entre revisores,
profissionais e em formação, como também para a
apresentação de pesquisas acerca das dificuldades com a
norma culta.

Simpósio 18 Este Simpósio Temático se propõe a discutir trabalhos que


envolvam que tenham como eixos o Estado, as classes e os
movimentos sociais no Brasil contemporâneo. A título de
Estado, classes e ilustração de possíveis abordagens, seguem alguns exemplos:
movimentos sociais no configurações teóricas e políticas do Estado brasileiro nos
Brasil atual governos Lula e Dilma; lutas sociais no Brasil atual;
movimentos, organizações ou manifestações sociais
brasileiras na atualidade; bloco no poder, luta de classes e
Prof. Dr. Eliel Machado neoliberalismo; luta dos trabalhadores e movimento sindical;
(UEL) burguesia imperialista e burguesia brasileira no contexto do
neoliberalismo; etc.Aceitar-se-á também trabalhos frutos de
pesquisas teóricas sobre Estado, classes sociais e partidos em
Número de inscrições: 10 Marx e Engels ou, sob os mesmos temas,de marxistas
contemporâneos que baseiam as suas análises nos fundadores
do materialismo histórico.

Simpósio 19 Tendo em vista a variedade de letramentos na


contemporaneidade – práticas sociais que se tornam cada vez
mais plurais e heterogêneas, tanto em relação à diversidade
Letramentos e gêneros cultural como de linguagens – como o conceito de
discursivos/textuais em multiletramentos (KALANTZIS e COPE, 2006; ROJO,
contextos de formação 2013) procura salientar, este simpósio se propõe a discutir
docente iniciativas, experiências e propostas de formação docente que
articulem esses letramentos ao trabalho com gêneros
discursivos/textuais nas propostas de ensino para a educação
Profa. Dra. Elvira Lopes básica. Em muitos currículos universitários, em materiais
Nascimento (UEL) didáticos e em diversas publicações acadêmicas, o ensino de
Profa. Dra. Paula Baracat língua materna ou estrangeira por meio de gêneros de
de Grande (UNESPAR) texto/discursivo é prescrito a professores em formação. A
BNCC do Ensino Fundamental afirma que o objetivo do
componente Língua Portuguesa é “proporcionar aos
estudantes experiências que contribuam para a ampliação dos
Número de inscrições: 05 letramentos, de forma a possibilitar a participação
significativa e crítica nas diversas práticas sociais
permeadas/constituídas pela oralidade, pela escrita e por
outras linguagens”. Sobre a diversidade de linguagens, o
documento ainda afirma que “as práticas de linguagem
contemporâneas não só envolvem novos gêneros e textos
cada vez mais multissemióticos e multimidiáticos, como
também novas formas de produzir, de configurar, de
disponibilizar, de replicar e de interagir” (p. 65. 66). Diante
disso, questões de nosso interesse ao discutir a formação do
professor emergem, tais como: quais gêneros do discurso/de
texto se tornam relevantes para compor as aulas de língua
portuguesa na escola básica? Que currículos de formação
inicial ou continuada podem preparar o professor para agir
nesse contexto? Assim, nos propomos neste simpósio a reunir
trabalhos cujo objetivo é refletir sobre o ensino de língua
portuguesa e a formação inicial ou continuada do professor,
tendo em vista os letramentos plurais que o alunado traz para
a escola e que se tornam cada vez mais relevantes na
sociedade.
Simpósio 20 O objetivo deste simpósio é discutir os estudos relacionados
às áreas temáticas vinculadas aos aspectos cognitivos,
Cognição, argumentação argumentativos e interacionais da linguagem. Nesse sentido,
e ensino a proposta é reunir pesquisas cujo embasamento teórico
recaia sobre Linguística Textual, Semântica Argumentativa,
Linguística Cognitiva, entre outros, com possibilidade de
Profa. Dra. Esther Gomes relações com o ensino. Os estudos atuais que investigam os
de Oliveira (UEL) processos de construção de sentidosdos textos apresentam
Profa. Dra. Isabel Cristina diversificadas possibilidades de análise, principalmente a
Cordeiro (UEL) partir de uma vertente sociocognitiva. Além dos aspectos
cognitivos, a materialidade linguística também tem um
relevante papel nos sentidos construídos nos textos. Dessa
Número de inscrições: 10 forma, pretendemos discutir as maneiras pelas quais a força
argumentativa dos elementos linguísticos se manifesta na
construção persuasiva dos textos. Nesse engendramento
linguístico-cognitivo entre cognição e argumentatividade
encontram-se amalgamadas uma multiplicidade de
mecanismos que são, inclusive, extremamente profícuos para
o posicionamento ideológico do enunciador do
texto.Portanto, há um complexo entrelaçamento de
estratégias para a compreensão do sentido global de um texto
e, consequentemente, o alcance de seu nível de coerência, ou
seja, são relevantes os aspectos cognitivos, discursivos,
sociais, culturais, linguísticos, entre outros. O interlocutor
mobiliza, ainda, variados fatores para conseguir chegar à
completude semântico-argumentativa do texto, pois são
resgatados, em sua memória discursiva, diversos
conhecimentos multidimensionais como, por exemplo:
conhecimento linguístico, enciclopédico; e todo esse aparato
ainda se ramifica em operações cognitivas estimuladas para
valorizar ou estabelecer a posição do sujeito enunciador no
interior do quadro enunciativo. Desse modo, neste simpósio,
serão aceitos trabalhos com os seguintes temas: a)
inferenciação; b) pressupostos e subentendidos; c) estratégias
cognitivas; d) operadores argumentativos; e) seleção lexical;
f) metáfora conceptual; g) coerência e ensino; h) discurso e
manipulação; e i) condições sócio-históricas e ideológicas.
Simpósio 21 A obra do escritor argentino Jorge Luis Borges continua
sempre a oferecer novas possibilidades de leitura, dadas as
características de sua narrativa. Entre outras, podemos
Jorge Luis Borges e as assinalar: o problema da representação do real, baseado na
múltiplas interpretações filosofia da vontade, de influência de Nietzsche e
de sua narrativa Shopenhauer: a realidade importa menos do que a vontade de
fazê-la, numa concepção voluntarista do mundo; a
intertextualidade, constante em sua obra, cada história
Prof. Dr. Gustavo Javier contém alusões a outras obras, escritores, movimentos
Figliolo (UEL) literários, traços estilísticos etc.; a universalidade, de
concepção panteísta, poderia ser definida na frase: “Tudo está
em todo lugar e qualquer coisa é todas as coisas”; Deus e o
Número de inscrições: 10 universo são uma realidade integrada, daí que um homem é
os outros homens com muitas variantes; posta em cena de
problemas filosóficos: o autor introduz recorrentemente em
seus escritos a filosofia e a teologia, tentando achar uma
resposta para categorias como a do tempo, a composição do
universo, a realidade, Deus etc.; o caráter fantástico,
centrado em elementos inverossímeis, não existentes ou não
reconhecidos na realidade, uma causalidade de caráter
mágico ligando os acontecimentos no decorrer de
sua narrativa. Assim, pretendemos, neste simpósio, fazer uma
interpretação de alguns de seus contos visando uma leitura
que dialogue com diversas áreas do conhecimento, tais como
o direito, a crítica literária, a teologia, a filosofia, as novas
tecnologias de informação e comunicação e a psicanálise.
Simpósio 22 Com a polarização de opiniões e a perda de conquistas no
atual cenário sociopolítico brasileiro, discussões em torno de
pautas relacionadas aos Direitos Humanos, como, por
exemplo, às igualdades raciais e de gênero, têm sido
Mulher e representação: a
colocadas em debate. É na contramão desta perspectiva que
presença feminina na
tenta deslegitimar a realização de debates referentes à
cultura, nas artes e nas
discussão sobre Gênero que este Simpósio pretende observar
lutas políticas
as contribuições dos estudos voltados em evidenciar a
atuação feminina nas esferas social, cultural e política. Diante
dessa proposta, espera-se que os trabalhos neste Simpósio
Profa. Dra. Jacicarla
possam: 1) problematizar a forma como as mulheres são
Souza da Silva (UEL)
representadas de acordo com as normas sociais e culturais
Prof. Dr. Tacel R. Coutinho
predominantes; 2) trazer à luz a produção de autoria
Leal (UEL)
feminina, negligenciada pelo hegemonia masculina; 3)
destacar a atuação política dessas mulheres quanto aos
diferentes contextos sociais; 4) discutir sobre as várias
Número de inscrições: 15
tendências e fundamentos teóricos no que tange aos estudos
de Gênero nas Ciências Humanas; 5) estabelecer diálogos
sobre a representatividade feminina nas artes e nos demais
campos do saber.
Simpósio 23 O Simpósio “Atualidade da Fenomenologia: entre tradição e
renovação”, busca propiciar um espaço de discussão no qual
alunos de graduação, mestrado, doutorado e professores,
Atualidade da cujos trabalhos forem selecionados, poderão privilegiar em
suas apresentações, ou aspectos/problemas clássicos, já
Fenomenologia: entre consagrados nas discussões mais canônicas da fenomenologia
tradição e renovação (tradição), ou dimensões mais inovadoras, privilegiando
zonas de interseção nas quais a fenomenologia aparece aliada
a outras tradições filosóficas, em que são abertos novos
Prof. Dr. José Fernandes problemas, alguns deles não inscritos, ao menos não
Weber (UEL) explicitamente, no projeto inaugural da fenomenologia
(renovação). Pressupõe-se, portanto, que qualquer discussão
sobre a atualidade da fenomenologia mover-se-á
Número de inscrições: 12 necessariamente no mútuo deslocamento entre o que constitui
a tradição e os novos problemas que impõem a renovação. A
escolha dos participantes seguirá o critério de vinculação às
orientações aqui propostas, organizada em torno da
fenomenologia e de suas áreas de influência e debate, em
função da crescente relevância que a fenomenologia vem
conquistando no quadro mais geral da pesquisa atual em
filosofia. Tendo isso em vista, o objetivo maior do Simpósio é
o de apresentar, principalmente aos alunos de graduação e
mestrado em filosofia da UEL, mas igualmente a alunos de
outros cursos como também aos interessados em geral, a
relevância e a abrangência dos temas e questões que
constituem o escopo da chamada ‘fenomenologia’.
Na teoria política de currículo, de viés crítico, a centralidade
está na categoria hegemonia do conhecimento como
Simpósio 24 decorrente das disputas de poder e na apropriação do
conhecimento como possibilidade de emancipação do sujeito.
Já, nos estudos curriculares culturais, ditos pós-críticos, há
Perspectivas e desafios um deslocamento de foco das macro análises políticas,
em processos de consideradas esgotadas, para a localidade do contexto
reestruturação de educacional, com foco na diferença cultural, nas relações
currículos oblíquas de poder, captadas sempre na nebulosa fronteira em
que é preciso negociar, em que é preciso criar impossíveis
formas de tradução (MACEDO 2006). Nesse cenário,
Profa. Dra. Juliane repensar a prática docente, disciplinas e carga horária,
D’Almas (UNESPAR) adequar-se a novas demandas políticas e necessidades locais
Profa. Me. Ana Paula e discutir inovações são algumas das ações envolvidas em
Trevisani Barreto processos recentes de reestruturação curricular, das quais
(UNESPAR) emergem perspectivas e desafios que contribuem a novas
formas de conceber currículo. Por isso, o este simpósio
pretende reunir trabalhos que tenham como foco os processos
Número de inscrições: 10 de reestruturação de currículos em diversas esferas, tais
como: educação básica, cursos de graduação, pós-graduação,
entre outros. O objetivo é reunir diferentes realidades de
reestruturação curricular, em seus diferentes propósitos,
enfoques, tensões e propostas.
Simpósio 25 Diante dos desafios da educação brasileira, em um contexto
em contínua transformação, nosso olhar se volta para a
expansão e a popularização do ensino de línguas estrangeiras
Novos rumos para o para crianças (LEC) e, decorrente disso, para a premência de
ensino e para a formação propostas de formação de professores nos cursos de Letras
de professores de língua que atendam a essa demanda na formação de nossos
estrangeira para crianças professores. A partir da decisão estabelecida na Base
Nacional Comum Curricular (Brasil, 2017) a respeito do
ensino de inglês como a língua estrangeira oficial nos anos
Profa. Dra. Juliana finais do Ensino Fundamental, evidenciamos nossa
preocupação com o cenário atual, no qual esta língua tem
Reichert Assunção Tonelli sido ofertada na Educação Infantil e nos anos iniciais do
UEL Ensino Fundamental (1o a 5o ano) e propomos, neste
Profa. Me. Giuliana Castro simpósio, problematizar as políticas atuais de ensino e
Brossi (UEG) formação de professores de LEC, promovendo uma discussão
a partir de projetos, ações e pesquisas que fortaleçam o
arcabouço teórico prático da área. Em especial, objetivamos
Número de inscrições: 15 fomentar reflexões a partir da experiência do Outro,
fortalecendo a comunidade de professores de LEC em nível
nacional. Serão especialmente aceitos trabalhos baseados em
pesquisas em andamento ou concluídas, envolvendo o ensino
de LEC, práticas inovadoras no ensino de LEC em diferentes
contextos, ações extensionistas realizadas no âmbito da
formação de professores de LEC e de ensino de LEC locais,
relatos de experiências práticas de ensino de LEC, ações para
formação decolonial de professores de LEC, práticas de
(multi)letramentos na educação linguística e na formação
inicial e continuada de professores de línguas estrangeiras
para crianças e outros temas considerados relevantes para as
reflexões atuais.

Simpósio 26 Há uma pluralidade de igrejas, movimentos e grupos


religiosos para atender a uma diversidade de interesses e
necessidades individuais e coletivas. Além do crescente
Religiões e religiosidades número de pessoas que se autodeclaram religiosas no Brasil
na contemporaneidade (segundo dados do IBGE, 2010), verifica-se também o
brasileira aumento de número de atos causados pela intolerância
religiosa. Tudo isso demonstra uma dinâmica complexa e
multifacetada dessa esfera social no país hoje. Considerando
Profa. Dra. Letícia isso, sob a perspectiva de enfocar os trabalhos sobre as
Jovelina Storto (UENP) manifestações religiosas sob o crivo das Ciências Humanas e
Profa. Dra. Claudia Neves Sociais (Antropologia, História, Sociologia, Política, Políticas
da Silva (UEL) Públicas, Comunicação Social, Filosofia, Letras e outras),
afastado de conteúdo apologético, devocional, confessional
ou proselitista, este simpósio busca investigar as relações que
Número de inscrições: 15 os grupos sociais estabelecem com as religiões e
religiosidades a partir de diferentes fontes na sociedade
contemporânea. Assim, almeja-se tecer o debate da presença
e da influência da religião em diferentes e diversos aspectos e
contextos que envolvem as relações sociais, afetivas,
profissionais, sexuais etc. na contemporaneidade levando-se
em conta toda a sua diversidade.

Simpósio 27 Considerações éticas são essenciais para toda e qualquer


relação humana, tendo em vista sua relevância para
manutenção de respeito, integridade e justiça nas relações que
Ética em pesquisa estabelecemos socialmente. Igualmente, em práticas de
envolvendo seres pesquisa envolvendo seres humanos a ética figura como
humanos em Ciências elemento indispensável (PAIVA, 2005; CHRISTIANS, 2006;
Sociais e Humanas COHEN; MANION; MORRISON, 2010). Nacional e
internacionalmente, pesquisadores têm problematizado a
respeito da ética a ser privilegiada em pesquisas nas áreas
Profa. Dra. Lilian Kemmer sociais e humanas, levantando discussões acerca da ética
Chimentão (UEL) emancipatória (CAMERON et al, 1992, de cuidado com o
Profa. Dra. Simone Reis outro (NODDINGS,1984; MATEUS, 2011), ou ainda, da
ética ‘na prática’ (GUILLEMIN; GILLAM, 2004) em
(UEL) contrapartida à ética formal (CHRISTIANS, 2006), ou
processual (GUILLEMIN; GILLAM, 2004), de cunho
burocrático (REIS; EGIDO, 2017).Com base no exposto, este
Número de inscrições: 10 simpósio visa ao compartilhamento e à discussão de
investigações nas quais seus pesquisadores tenham
demonstrado cuidados éticos, preferencialmente,
ultrapassando os limites da ética de cunho burocrático (REIS;
EGIDO, 2017). Desse modo, buscamos dar maior
visibilidade à temática e ampliar reflexões sobre avanços e
desafios ainda presentes no que tange à ética em práticas de
pesquisas qualitativas envolvendo seres humanos.
Simpósio 28 Recorrer às letras de canção em atividades realizadas no
ambiente universitário representa um passo na tentativa de
encurtar distâncias entre o erudito e o popular. A tradição do
Letras de canção em vínculo entre o ensino superior e a cultura erudita, sobretudo
pesquisas e práticas nos cursos de Letras, muitas vezes impede ou freia iniciativas
que se aprofundem com maior afinco sobre o exame de
manifestações culturais que transitam com desenvoltura em
Prof. Dr. Luiz Carlos circuitos midiáticos e populares. Ainda que nos últimos trinta
Santos Simon (UEL) ou quarenta anos esse panorama tenha sofrido modificações,
podem ser notadas algumas carências no que diz respeito à
adoção de um material como as letras de canção para
Número de inscrições: 10 pesquisas e práticas de ensino. Uma dessas carências é o
desconhecimento de parcela expressiva da produção de
compositores no século XX ligados à música popular
brasileira e ao samba. O projeto de extensão “Todas as
Rimas: um espaço para as letras de canção no ensino médio”,
desenvolvido na UEL, tem como objetivo propiciar
possibilidades de acesso a essas composições, viabilizando o
trabalho para um público mais amplo: professores e
estudantes da educação básica. O simpósio aqui encaminhado
pretende, assim, constituir-se de espaço de debates acerca de
pesquisas e de relatos de experiências com letras de canções.
São esperados trabalhos que focalizem as canções em
dimensões analíticas ou científicas e também propostas de
atividades práticas no plano do ensino-aprendizagem.

Simpósio 29 Percebe-se, cada vez mais, desde as últimas décadas do


século XX, a necessidade de reforçar e ampliar o estudo das
relações de gêneros. No âmbito da literatura, há um trajeto
Investigações das consolidado dessas conexões promovido pela crítica
masculinidades na feminista que, muitas vezes, centraliza seu foco nas
literatura experiências das mulheres. Eleger as masculinidades como
objeto dos exercícios de análise literária significa reconhecer
que as questões de gênero merecem abordagens dos mais
Prof. Dr. Luiz Carlos variados atores que contracenam e constantemente
Santos Simon (UEL) protagonizam grandes conflitos. A adoção dessa perspectiva
constitui, porém, prática com pouca tradição nos estudos
literários realizados no Brasil. Assim, constata-se a relevância
Número de inscrições: 10 de construir o diálogo entre manifestações literárias e
contribuições teóricas de diversas áreas do conhecimento. Na
UEL, projetos de pesquisa como “Papéis masculinos: o
enfoque das masculinidades no conto e na crônica a partir do
fim do século XX” e “Reconstituições dos homens: as
masculinidades entre o debate teórico e a literatura” vêm
proporcionando tentativas dessas aproximações. Autores
como Badinter, Baubérot, Butler, Cecchetto, Connell,
Courtine, Haroche, Kimmel, Machado, Miskolci, Nolasco e
Welzer-Lang, entre outros, são discutidos para o
estabelecimento de articulações com o material literário a ser
examinado. O simpósio está aberto para apreciar propostas de
trabalhos de estudiosos do assunto e para a apresentação, aos
interessados, de pesquisas em andamento e já concluídas em
Iniciação Científica e em cursos de pós-graduação.
Simpósio 30 Os objetivos são: a) contemplar trabalhos cujas temáticas
estejam vinculadas às histórias em quadrinhos e b) apresentar
os primeiros resultados do projeto de pesquisa “Quadrinhos e
Histórias em quadrinhos: Análise Linguística” em andamento desde 2016. Tendo como
linguagem e gêneros base estudos sobre as histórias em quadrinhos (BARBOSA,
2014; CAGNIN, 2014; RAMOS, 2010, 2017; VERGUEIRO,
RAMOS, 2009), toma-se como um dos princípios que, no
Profa. Dra. Maria Isabel agrupamento “histórias em quadrinhos”, estejam abarcados
Borges (UEL) diversos gêneros do discurso, tais como: tira cômica, novela
gráfica, história de aventura, história de humor, história de
terror, história de super-heróis, mangá, cartum e charge.
Número de inscrições: 15 Outro princípio é o combate do preconceito que há em torno
desse agrupamento, visto que, na visão do senso comum e na
dos professores do ensino fundamental e universitário, a
leitura desses textos seja, muitas vezes e equivocadamente,
tratada como “fácil” e de entretenimento para o público-
infantil. Isso ocorre em função do desconhecimento em torno
do seja o universo das histórias em quadrinhos. No projeto de
pesquisa mencionado, também se procura apontar um
equívoco quanto ao tratamento da linguagem dos quadrinhos
e dos diversos gêneros quadrinísticos como sinônimos, no
livro didático de língua portuguesa. Nesse sentido, são
esperados trabalhos que não só tematizem as histórias em
quadrinhos como também compartilhem dos princípios
apontados.
Simpósio 31 O simpósio temático Filosofia, linguagem e epistemologia
tem como objetivo a criação de um espaço para a divulgação
e discussão das pesquisas que envolvem a linguagem e a
Filosofia, linguagem e epistemologia a partir da virada linguística na filosofia
epistemologia contemporânea, enfocando questões relativas ao
conhecimento, à racionalidade, à ciência, à lógica, ao
significado, à subjetividade. O Simpósio é aberto não só para
Profa. Dra. Mirian Donat pesquisadores da Filosofia, mas para todas as áreas que
(UEL) tenham interesse e afinidade com a temática.
Prof. Dr. Gelson Liston
(UEL)

Número de inscrições: 10

Simpósio 32 O que é ser índio no Século XXI? Propõem-se neste simpósio


promover discussões sobre as visões estereotipadas, os mitos
e o imaginário sobre o índio historicamente construídos, a
A presença indígena na partir de forças hegemônicas que envolvem a política, o
universidade direito, a educação e a comunicação. A presença indígena na
universidade se coloca como um movimento inédito e um
momento de virada, em que torna-se necessário discutir a
Profa. Dra. Mônica Panis relação dos povos indígenas com a universidade e o
Kaseker (UEL) conhecimento gerado a partir desta interlocução. Interessam
Prof. Dr. Wagner Roberto pesquisas que abordem a interculturalidade, a relação dos
do Amaral (UEL) saberes tradicionais e a ciência, as experiências e políticas de
ingresso e permanência dos indígenas na universidade, a
articulação entre a educação superior e o protagonismo
Número de inscrições: 15 indígena. Patrimônio cultural, território, identidade,
diversidade cultural, visibilidade, memória e esquecimento
são temas transversais que estarão presentes no debate. A
universidade como espaço de luta e representação, as
trajetórias na educação e no trabalho, a relação dos indígenas
com a tecnologia e sua inserção nas redes fazem parte do
cenário contemporâneo, em que se constroem novas imagens
sobre o que é ser indígena. Um contexto em que o
preconceito e a exclusão ainda estão presentes, mas no qual
surgem novas possibilidades de atuação e existência social.

Simpósio 33 O presente simpósio tem o objetivo de discutir aspectos de


resistência pós-colonial e de outras estratégias de lutas de
minorias étnico-raciais-culturais contra seus aparatos de
Literaturas de minoria e opressão, sejam estes institucionalizados ou executados
voz subalterna: identidade individualmente. Há os aspectos da resistência discursiva e
e resistência suas divisões, tais como a reescrita, a releitura e a paródia,
embasados em Hutcheon (1989). Gerald Vizenor (2008) a
partir dos estudos indígenas estadunidenses apresenta o
Profa. Dra. Nelci Alves conceito de survivance, que, segundo o autor, é um senso
Coelho (UEM) Silvestre ativo de presença, mesmo na ausência obrigatória, ou
Profa. Dra. Maria Carolina decretada pelas forças dominantes. Trata-se de uma prática,
de Godoy (UEL) muitas vezes contraditória, na qual o oprimido negocia, e usa
a resistência de forma ativa, repudiando a dominação e a
vitimização. O conceito de survivance, como Vizenor (2008)
Número de inscrições: 15 o utiliza para literatura indígena estadunidense, possibilita a
busca de paralelos em sua aplicação no estudo das escritas
literárias de autores de minorias étnico-raciais-culturais e na
resistência discursiva de escritores indígenas brasileiros,
africanos e afro-brasileiros. Serão bem-vindas as análises de
obras que demonstrem estratégias de resistência nas
literaturas de minoria e seus efeitos sobre a construção ou
modificação das identidades. Pretende-se também verificar
como tais conceitos estendem-se à educação e a outros
métodos de difusão da mídia para a expressão da voz das
minorias silenciadas.
Simpósio 34 Não é incomum, tanto nos debates acadêmicos como nos
embates políticos, o diagnóstico segundo o qual a democracia
representativa estaria em crise. Quando o assunto é
Democracia na democracia, a produção de consensos – sejam eles práticos
contemporaneidade: ou teóricos – não se revela uma demanda plausível; além
dilemas e problemas em disso, trata-se de uma ideia que figura indubitavelmente entre
teoria política e social os conceitos “essencialmente contestados” (Gallie, 1956). A
explosão de movimentos sociais que questionam os limites
espaciais, institucionais e as antigas formas de manifestação
na esfera pública tem exigido de teórica/os e teorias
Profa. Dra. Raquel Kritsch democráticas que sejam (re)pensadas as bases analíticas e
(UEL) normativas a respeito de assuntos que são objeto de conflitos
Profa. Dra. Bárbara Johas muitas vezes irreconciliáveis, como é o caso quando os temas
(UFPI) em foco são noções como justiça, cidadania, legitimidade
democrática, tolerância, esfera pública e outros termos
aparentados. Os problemas a serem enfrentados pelas teorias
Número de inscrições: 15 democráticas são muitos e graves. Atores sociais dos mais
diferentes espectros do ideário político mostram-se, de um
lado, cada vez mais céticos quanto à capacidade regulatória
dos Estados dentro dos limites nacionais e, de outro lado,
descrentes em relação ao potencial das democracias
convencionais de responderem aos esforços, demandas e
realidades da/os cidadã/os comuns. O que as teorias políticas
preocupadas com a relação entre legitimidade e instituições
democráticas ainda têm a dizer diante de pessoas que ocupam
os espaços públicos bradando reiteradamente que as
democracias convencionais não representam suas posições ou
ainda de que são incapazes de se sensibilizar e agir a partir de
suas demandas? Esta mesa propõe reunir trabalhos que
discutam as “novas” formas de compressão da democracia e
seus termos correlatos; em especial, são de grande interesse
os trabalhos que abordam criticamente a democracia e
trabalhos de campo sobre estas relações.
Simpósio 35 A construção da memória social não pode ser formulada hoje
sem a presença das imagens. Para além dos processos orais e
da escrita, o lembrar e o esquecer são atualmente
História, imagem e intermediados pelas imagens, que influem ativa e diretamente
memória social na posição de grupos e organizações na hierarquia social. De
modo específico, fotografia e cinema são modos
privilegiados de produção, fixação e recordação de fatos e
Prof. Dr. Rogério Ivano ideias nas sociedades contemporâneas, num trabalho contínuo
(UEL) e em expansão há mais de um século. Grupos sociais de
diferentes ordens retém, guardam e divulgam o conteúdo das
imagens fotográficas e cinematográficas, num constante
Número de inscrições: 10 processo de lembrança e esquecimento, atribuindo a elas
valores como ideologias, tradições, rupturas, patrimônios e
saberes. Nesse sentido, o objetivo do GT História, Imagem e
Memória Social é conhecer e dividir pesquisas que versam
sobre a maneira como determinados processos históricos são
rememorados pelos grupos sociais por meio da fotografia e
do cinema.

Simpósio 36 O humor gráfico tem mobilizado o interesse de pesquisadores


e analistas sociais por sua natureza crítica e seu caráter
lúdico. A sociedade brasileira, especialmente, a partir do
Humor Gráfico: História e período da ditadura civil-militar, foi testemunha de uma
representações da expansão significativa da presença de histórias em
sociedade brasileira quadrinhos nos mais diversos espaços sociais, bem como a
utilização de charges, cartuns e caricaturas como recursos
visuais no contexto de produções comunicativas impressas e,
Prof. Dr. Rozinaldo mais recentemente, como manifestação político-ideológica a
Antonio Miani (UEL) respeito de diversos temas da conjuntura brasileira por meio
Prof. Dr. Daniel de Oliveira de produções imagéticas disponibilizadas no ambiente
Figueiredo (UEL) virtual. Nesse sentido, o Simpósio Temático “Humor gráfico:
história e representações da sociedade brasileira” tem como
objetivo proporcionar um espaço produtivo para a
apresentação e o debate de reflexões, estudos e pesquisas
Número de inscrições: 15 relacionadas às diversas modalidades do humor gráfico
(charge, cartum, caricatura, história em quadrinhos, tira
cômica, desenhos de humor em geral) em suas manifestações
histórica, social, política e cultural, bem como estimular o
compartilhamento de experiências referentes às múltiplas
aplicações e aprofundamentos teórico-metodológicas sobre os
referidos objetos visuais. Reflexões a respeito do humor
como categoria analítica nos estudos da comunicação visual,
bem como em outras áreas do conhecimento, também estão
contempladas nos propósitos deste simpósio temático.
Simpósio 37 Este Simpósio Temático acolhe trabalhos que discutem
teorias feministas, pesquisas e intervenções no campo dos
estudos de gênero, dos movimentos de mulheres, dos
Feminismo, gênero e movimentos feminitas e dos movimentos LGBTIs. Serão
educação contempladas analyses, investigações e reflexões sobre sua
expansão, evolução e diversificação em relação às posições
teóricas e às suas implicações políticas. Desse modo,
Profa. Dra. Silvana consideram-se as teorias universalistas, diferencialistas ou
Mariano (UEL) essencialistas, pós-modernas e outras variações teóricas,
Profa. Dra. Adriana dentre a gama de construções teóricas, levando em
Regina de Jesus (UEL) consideração suas formas de uso nas pesquisas recentes no
campo dos estudos de gênero, bem como na ação política dos
movimentos sociais. Entre os temas abordados a partir dessas
Número de inscrições: 15 abordagens destacam-se aqueles relativos à educação,
mantendo-se abertura para outros temas de investigação
como, por exemplo, participação política e políticas públicas.

Simpósio 38 No necrológio intitulado “O gênio que era um santo”, Eça de


Queirós descreve o “Cenáculo” como uma “escandalosa
fornalha de revolução, de metafísica, de satanismo, de
Cenáculo: fluxos e afluxos anarquia, de boémia feroz”, instalada no mítico sobrado de
da Geração de 70 Jaime Batalha Reis, na Travessa do Guarda-Mor, em Lisboa.
O escritor relata que a chegada de Antero de Quental ao
grupo ressuscitou, na capital, a “encantada e quase fantástica
Prof. Dr. Silvio Cesar dos Coimbra” para o grupo de intelectuais que, a partir das
Santos Alves (UEL) reuniões do Cenáculo, se tornaria conhecido como a Geração
Prof. Dr. Antonio Augusto de 70. Eça refere-se ao “tumulto mental” causado pelas
Nery (UFPR) “torrentes de coisas novas, ideias, sistemas, estéticas, formas,
sentimentos, interesses humanitários” que, “a cada manhã”,
chegavam à universidade pelos “caminhos de ferro”. Em
Número de inscrições: 15 outras palavras, tratava-se de diversas obras com teor
revolucionário e crítico, produzidas pelos mais variados
autores de outras partes da Europa, que vieram a se tornar
leitura obrigatória para os jovens acadêmicos insatisfeitos e
inquietos com a realidade que os cercava. Os escritos de
Michelet, Hegel, Vico, Proudhon, Hugo, Poe, Heine e
Darwin, entre outros, eram recebidos como “achas numa
fogueira, fazendo uma vasta crepitação e uma vasta
fumaraça!”. Este Simpósio se interessa por propostas de
investigações relacionadas ao efetivo impacto dessas e de
outras referências na formação cultural da “Geração de 70”,
tendo em vista uma exegese mais precisa dos textos
produzidos pelos seus principais integrantes.
Simpósio 39 O presente simpósio acolhe propostas de comunicação de
experiências e resultados de práticas de pesquisa qualitativa,
tendo como foco questões metodológicas. Ele tem objetivos
Metodologia de pesquisa descritivos e explanatórios e interesses práticos, técnicos e
qualitativa críticos. Dentre questões metodológicas, estão desde o
mapeamento do campo para definição do desenho da
pesquisa, preparação de instrumentos para geração de dados,
Profa. Dra. Simone Reis pilotos de instrumentos, critérios de julgamento da qualidade
(UEL) da pesquisa, formas de retorno do pesquisador ao participante
Profa. Dra. Josimayre da pesquisa, formas de incorporar a voz do participante nos
Novelli (UEM) relatos parciais e final da investigação, formas de distribuir
ou concentrar poder sobre os resultados, reflexões sobre
coerência epistemológica, ontológica e ética a ser refletida na
Número de inscrições: 15 metodologia e condução da pesquisa, etc. A justificativa para
este simpósio reside em comprovadas faltas de experiência,
conhecimento e consciência de pesquisadores cujas práticas
podem caracterizar ignorância, negligência, desqualificação,
desperdícios, estagnação, contrassenso e ou involução.
Como contribuições, espera-se que as comunicações do
simpósio ensejem reflexões críticas, descobertas, trocas,
amadurecimento e registros de avanços.
Simpósio 40 Nos últimos anos, tem crescido o interesse das universidades
brasileiras pelo processo de internacionalização do ensino, da
pesquisa e da extensão, impulsionado especialmente pelo
Políticas linguísticas para programa de mobilidade internacional “para fora”, em grande
internacionalização do escala, como o Ciência sem Fronteiras. A partir daquela
ensino superior: iniciativa do governo federal, universidades criaram setores
oportunidades e desafios específicos para tratar do envio de estudantes de graduação e
aperfeiçoaram os mecanismos já existentes para estudos de
pós-graduação e para pós-doutorados de seu corpo docente.
Profa. Dra. Telma Com a possibilidade de mobilidade “para dentro”, fortaleceu-
Gimenez (UEL) se a necessidade de criação de estruturas internas para
Profa. Dra. Viviane Bagio acolhimento de estudantes e professores visitantes. Além
Furtoso (UEL) dessas transformações, a internacionalização abrangente
requer conhecimentos de línguas estrangeiras, seja para
mobilidade, seja para realização de projetos e atividades
Número de inscrições: 10 conjuntas. Saber línguas estrangeiras é fator fundamental
para o alcance do objetivo de transversalizar a dimensão
internacional no ensino superior. Neste contexto, no qual as
demandas pelo aprendizado de línguas estrangeiras são
intensificadas, o desafio institucional se torna campo fértil de
pesquisa sobre as políticas linguísticas (implícitas ou
explícitas). Neste simpósio serão apresentados estudos sobre
iniciativas de oferta de aprendizagem-avaliação-ensino de
línguas estrangeiras para internacionalização do ensino
superior, considerando que trazem oportunidades, mas
também muitos desafios.
Simpósio 41 No presente simpósio, propomos discutir as várias faces do
diálogo na literatura. Passando por conceitos de polifonia,
dialogismo e intertexto como base teórica para os estudos das
Diálogo como prática relações estabelecidas entre textos literários (que se
literária: do intertexto à interpenetram e dão sentidos uns aos outros, constituindo
correspondência aquilo que chamamos de cânone), também buscamos discutir
uma noção mais abrangente de diálogo na literatura, tendo
como objeto a carta de escritor, considerada aqui como um
importante elemento (para)textual. Dessa forma, além de
Profa. Dra. Telma Maciel trabalhos que versam sobre o diálogo entre textos
da Silva (UEL) estritamente literários, serão também aceitos trabalhos que
busquem investigar o diálogo entre escritores. Muitos são os
enfoques possíveis, entre os quais: o escritor enquanto leitor;
Número de inscrições: 15 processos de produção de obras literárias explicitados nas
cartas; verdade x ficção na correspondência; dialogismo
bakthiniano; intertexto e interdiscursividade, etc.
Simpósio 42 No quadro do Interacionismo Sociodiscursivo, muitas
pesquisas têm focado especificamente questões relacionadas
com a linguagem e educação no processo do
(Educ)ação de desenvolvimento humano. Este simpósio pretende acolher
professores de línguas: pesquisas abrangendo ações investigativas em diferentes
trabalho e polos do trabalho educacional: os alunos, os professores e as
desenvolvimento na práxis ferramentas de mediação. Também enfocamos os tipos de
docente interação e participação dos envolvidos nos processos
investigados. O objetivo geral é investigar a práxis docente
(em serviço e em pré-serviço), seus elementos constitutivos e
Profa. Dra. Vera Lúcia o desenvolvimento decorrente dessa práxis. Com a finalidade
Lopes Cristovão (UEL) de analisar o agir, o ISD propõe como procedimentos a
Profa. Dra. Maria Izabel análise de duas grandes dimensões: a) do ambiente humano
Rodrigues Tognato (das atividades coletivas, das formações sociais, dos textos e
(UNESPAR) dos mundos formais de conhecimento); b) de textos (orais
e/ou escritos) em três conjuntos: i) as características dos
sistemas educacionais e formativos, institucionalizados, ou
Número de inscrições: 15 não, que permitem a transmissão dos pré-construtos sociais às
novas gerações; ii) a dimensão didática e pedagógica da
educação formal; iii) as avaliações das práticas sociais e dos
conhecimentos construídos. Os procedimentos incluem
identificação das condições de produção dos textos e análises
textuais. As apresentações pretendem contribuir para permitir
que professores recorram às discussões e aos resultados
apresentados para avaliarem seu próprio trabalho e suas
ferramentas mediadoras usadas na implementação de suas
aulas; discutam as diretrizes norteadoras para o ensino de
línguas e para a formação do professor; bem como
aprofundem as bases teórico-metodológicas que subsidiam o
ISD ao compreender verticalmente o trabalho do professor
formador e suas implicações na formação inicial; e construam
conhecimento sobre o desenvolvimento de capacidades de
linguagem em situações de aprendizagem e de capacidades
docentes nas práticas formativas.