Você está na página 1de 40

Escola Superior de Ciências Náuticas

Departamento de máquinas Marítimas

Curso: Licenciatura em Engenharia de Máquinas Marítimas

4MQ13

Cadeira: Analise energética

Índice Adiabático

Discente: Pedro João Langa

Vagner António Victor Chilabe

Docente:

PhD Carlos Alejandro

Maputo, 31 de agosto de 2018


Índice
1. Resumo ................................................................................................................................................. 4
2. Introdução............................................................................................................................................. 4
3. Objetivos ............................................................................................................................................... 5
3.1. Objectivo Geral ............................................................................................................................. 5
3.2. Objectivos Específicos .................................................................................................................. 5
4. Determinação do índice adiabático de um gás..................................................................................... 6
4.1. Modificação de Rinkel .................................................................................................................. 6
5. Tarefa 1 ................................................................................................................................................. 7
5.1. Experiência com ar ....................................................................................................................... 8
5.1.1. Experiencia realizado com árgon .............................................................................................. 9
5.1.2. Experiência com Gás Carbônico ............................................................................................. 10
5.1.3. Experiência com Nitrogênio ................................................................................................... 11
6. Tarefa-2 ............................................................................................................................................... 12
6.1. Cálculo do índice adiabático usando esfera de aço ..................................................................... 13
6.1.1. Experiência com Árgon ...................................................................................................... 14
6.1.2. Experiência com Nitrogénio ............................................................................................... 16
6.1.3. Experiência com Gás Carbônico ......................................................................................... 17
6.1.4. Experiência com Ar ............................................................................................................ 19
6.2. Cálculo do índice adiabático usando esfera de cobre.................................................................. 20
6.2.1. Experiência com Árgon ...................................................................................................... 21
6.2.2. Experiência com Nitrogénio ............................................................................................... 22
6.2.3. Experiência com Gás Carbônico ......................................................................................... 23
6.2.4. Experiência com ar.............................................................................................................. 25
6.3. Cálculo do índice adiabático usando esfera de tungsténio .......................................................... 26
6.3.1. Experiência com Árgon ...................................................................................................... 27
6.3.2. Experiência com Nitrogénio ............................................................................................... 28
6.3.3. Experiência com Gás Carbônico ......................................................................................... 29
6.3.4. Experiência com ar.............................................................................................................. 30
6.4. Cálculo do índice adiabático usando esfera de chumbo.............................................................. 31
6.4.1. Experiência com Árgon ...................................................................................................... 32
6.4.2. Experiência com ar.............................................................................................................. 34

2
6.4.3. Experiência com Nitrogénio ............................................................................................... 35
6.4.4. Experiência com Gás Carbônico ......................................................................................... 36
7. Conclusão ............................................................................................................................................ 39
8. Referências bibliográficas ................................................................................................................... 40

3
1. Resumo

O objectivo desse trabalho é determinar o índice adiabático de todos os gases apresentados no


seguinte trabalho. Um gás apresenta diferentes valores de índice adiabático quando efectuadas
experiências em situações diferentes, facto constatado pelo relatório de práticas virtuais na
sequência da resolução das tarefas referentes aos applets.

2. Introdução

Processos termodinâmicos em que não há troca de calor entre o meio interno e externo são
denominados adiabáticos. Pela definição, um processo adiabático não envolve nenhum fluxo de
calor, ou seja, não ocorre troca de energia nem por radiação, nem por condução, nem por
convecção. A única forma de realizar um processo adiabático perfeito seria com um corpo
branco (não absorve nem emite radiação) no vácuo, eliminando a condução e a convecção. No
entanto, diversos processos mais comuns ao nosso redor são considerados adiabáticos.

Esses processos podem ocorrer em sistemas termicamente isolados ou em transformações


rápidas, em que não há tempo para o sistema trocar calor com a vizinhança – por exemplo,
durante uma compressão ou uma expansão rápida de um gás.

4
3. Objetivos
3.1.Objectivo Geral
 Determinar índice adiabático.

3.2.Objectivos Específicos
 Determinar o período de cada gás;
 Determinar o índice adiabático de cada gás;
 Analisar os índices adiabáticos calculados.

5
4. Processo adiabático

Um processo adiabático se concretiza quando não há troca de energia entre o sistema e o meio
através de Calor.(HALLIDAY, 2008).

Em um processo adiabático as três variáveis Pressão, Volume e Temperatura variam. É


importante aqui observar que, apesar do sistema não receber Calor, sua Temperatura pode variar.
Sabe-se que, a Temperatura tem uma relação intrínseca com a Energia Interna, logo, se há
variação na consequentemente há variação na Temperatura. Em um processo onde o sistema não
recebe Calor, a Energia Interna varia em função do Trabalho (NUSSENZVEIG, 2002).

5. Determinação do índice adiabático de um gás

Sobre a boca de um recipiente grande de gás do volume V, se coloca um tubo vertical de


vidro e se fecha o recipiente com uma bola esférica de aço de massa m que ajusta perfeitamente
no tubo de vidro de raio r. Se desliza a bola da sua posição de equilíbrio e se faz oscilar um
período, que podemos medir com um cronometro. Conhecido o período das oscilações podemos
determinar o índice adiabático do gás. Para isso, usam se métodos para determinar o índice
adiabático, a saber:

Método de Ruchhardt;

Método de Charles Bernard Desormes e Nicolás Clement;

Modificação de Rinkel.

No presente relatório, vamos descrever o Modificação de Rinkel, que descreve com precisão a
determinação do índice adiabático.

5.1.Modificação de Rinkel
Uma modificação do método de Ruchhardt foi sugerida por Rinkel em 1929. Este método
consiste em segurar a bola na extremidade superior do tubo e deixa-lo cair, determinou a altura h
que ele viaja antes de iniciar novamente o momento para cima.

6
Figura-1 Transformação adiabática

Na situação inicial, a bola é colocada na extremidade do tubo de vidro e mantida na mão. A


pressão do gás é igual à pressão atmosférica p atm e o volume é V 0 .

A bola é liberada e deslizada para baixo ( x), conforme indicado na figura. O volume do
gás diminui em V 0 -π 2 x , e a pressão aumenta para p .

6. Tarefa 1

Para Determinar o período médio das oscilações da bola e usando os dados mostrados na tabela
a seguir pode-se substituir na equação 9 e calcular o índice adiabático de cada um dos gases da
experiência.

Para isso usam-se os botões titulados Pausa e Paso. Pausa para parar momentaneamente a
oscilação e Paso para aproximarmos lentamente o valor desejado. Pulsando o botão titulo
Continua se restabelece o movimento.

Os dados necessários são a massa da bola ( m) , seu raio (r) e a pressão atmosférica (p atm ) , ou
o volume (v) do recipiente.

Tabela – 1 Dados da bola

7
6.1.Experiência com ar

Figura-2 Experiência com ar

Quando a esfera está em equilíbrio, a pressão p 0 no recipiente é ligeiramente maior do que a


pressão atmosférica, devido à pressão da bola de massa m e raio r .

= +

0,00459 10
= 99560 +
3,14 (0,00595 )
= 99972,9

Em seguida será determinado o período das oscilações com base no tempo, pela seguinte
expressão:


=

2,81
= = 0,35
8

Com base nos dados obtidos acima podemos calcular o índice adiabático de acordo com a
seguinte expressão:

8
=

4 0,00459 0,00114
=
(0,35 ) 99972,9 (0,00595 )

= 1,37

6.1.1. Experiencia realizado com árgon

Figura-3 Experiência com árgon

Será determinado o período das oscilações com base no tempo, pela seguinte
expressão:

9

=

1,95
= = 0,32
6

Com base nos dados obtidos acima podemos calcular o índice adiabático de acordo com a
seguinte expressão:

4 0,00459 0,00114
=
(0,32 ) 99972,9 (0,00595 )

= 1,6

6.1.2. Experiência com Gás Carbônico

Figura-4 Experiência com Gás Carbônico

Será determinado o período das oscilações com base no tempo, pela seguinte
expressão:

10

=

0,74
= = 0,37
2

Com base nos dados obtidos acima podemos calcular o índice adiabático de acordo com a
seguinte expressão:

4 0,00459 0,00114
=
(0,37 ) 99972,9 (0,00595 )

= 1,22

6.1.3. Experiência com Nitrogênio

Figura-5 Experiência com Nitrogénio

Será determinado o período das oscilações com base no tempo, pela seguinte
expressão:

11

=

1,05
= = 0,35
3

Com base nos dados obtidos acima podemos calcular o índice adiabático de acordo com a
seguinte expressão:

4 0,00459 0,00114
=
(0,35 ) 99972,9 (0,00595 )

= 1,36

NB: Pelos cálculos efetuados verificamos que o índice adiabático de cada gás vária em função
do período médio como ilustra a seguinte tabela:

Gás Período Medio Índice Adiabático


Árgon 0,32 1,6
Ar 0,35125 1,37
Nitrogénio 0,35 1,36
Gás Carbónico 0,37 1,22
Tabela – 2 valores do índice adiabático

A tabela acima mostra o índice adiabático para diferentes valores do período de oscilações
descritos pela bola.

7. Tarefa-2

A tabela a seguir fornece dados necessários para o cálculo de índice adiabático com
diferentes matérias da esfera.

12
Tabela – 3 Dos parâmetros

Pretendemos mostrar que o índice adiabático é independente do material que compõe a esfera.
Isso será com experiências abaixo.

a) Vamos calcular a pressão interna usando a equação 1, calcular o raio da bola, a massa do
material escolhido e por fim calculamos o índice adiabático do gás.

 Raio da bola:

dbola = 16mm

16
=
2
= 0,008

7.1.Cálculo do índice adiabático usando esfera de aço


 Massa do aço:
 Densidade do aço (7700 kg/m3 ).

13
= × × ×

kg 4
= 7700 × × 3,14 × (0,008 )
3

= 0,0165

 Calculo de pressão interna do aço:

×
= +
×

0,0165 10
= 101300 +
3,14 (0,008 )
= 102121,06

7.1.1. Experiência com Árgon

Figura-6 Experiência com Árgon

Período das oscilações:

14

=

2
= =1
2

Com base nos dados obtidos acima podemos calcular o índice adiabático de acordo com a
seguinte expressão:

× ×
=
× ×

4 × 0,0165 × 0,01
=
(1 ) × 102121,06 × (0,008 )

= 1,58

Modificação de Rinkel

× × ×
=
× × ×

2 × 0,0165 × 10
=
101300 × 3,14 × (0,008 ) × 0,488

= 165,3

15
7.1.2. Experiência com Nitrogénio

Figura-7 Experiência com Nitrogénio

Período das oscilações:


=

3,19
= = 1,06
3

Com base nos dados obtidos acima podemos calcular o índice adiabático de acordo com a
seguinte expressão:

× ×
=
× ×

4 × 0,0165 × 0,01
=
(1,06 ) × 102121,06 × (0,008 )

= 1,4

Modificação de Rinkel

16
× × ×
=
× × ×

2 × 0,0165 × 10
=
101300 × 3,14 × (0,008 ) × 0,569

= 141,8

7.1.3. Experiência com Gás Carbônico

Figura-8 Experiência com Gás Carbônico

Período das oscilações:


=

3,33
= = 1,11
3

Com base nos dados obtidos acima podemos calcular o índice adiabático de acordo com a
seguinte expressão:

17
× ×
=
× ×

4 × 0,0165 × 0,01
=
(1,11 ) × 102121,06 × (0,008 )

= 1,28

Modificação de Rinkel

× × ×
=
× × ×

2 × 0,0165 × 10
=
101300 × 3,14 × (0,008 ) × 0,617

= 130,73

18
7.1.4. Experiência com Ar

Figura-9 Experiência com Ar

Período das oscilações:


=

2,13
= = 1,06
2

Com base nos dados obtidos acima podemos calcular o índice adiabático de acordo com a
seguinte expressão:

× ×
=
× ×

4 × 0,0165 × 0,01
=
(1,06 ) × 102121,06 × (0,008 )

= 1,4

19
Modificação de Rinkel

× × ×
=
× × ×

2 × 0,0165 × 10
=
101300 × 3,14 × (0,008 ) × 0,573

=140,8

7.2.Cálculo do índice adiabático usando esfera de cobre


 o raio da bola é 0,008m
 Massa do cobre:
 Densidade do cobre (8930 kg/m3 ).

= × × ×

kg 4
= 8930 × × 3,14 × (0,008 )
3

= 0,0191

 Calculo de pressão interna do cobre:

×
= +
×

0,0191 10
= 101300 +
3,14 (0,008 )
= 102250,44

20
7.2.1. Experiência com Árgon

Figura-10 Experiência com Árgon

Período das oscilações:


=

1,97
= = 0,985
2

Com base nos dados obtidos acima podemos calcular o índice adiabático de acordo com a
seguinte expressão:

× ×
=
× ×

4 × 0,0191 × 0,01
=
(0,985 ) × 102250,44 × (0,008 )

= 1,88

21
Modificação de Rinkel

× × ×
=
× × ×

2 × 0,0191 × 10
=
101300 × 3,14 × (0,008 ) × 0,488

=191,3

7.2.2. Experiência com Nitrogénio

Figura-11 Experiência com Nitrogénio

Período das oscilações:


=

3,19
= = 1,06
3

Com base nos dados obtidos acima podemos calcular o índice adiabático de acordo com a
seguinte expressão:

22
× ×
=
× ×

4 × 0,0191 × 0,01
=
(1,06 ) × 102250,44 × (0,008 )

= 1,6

Modificação de Rinkel

× × ×
=
× × ×

2 × 0,0191 × 10
=
101300 × 3,14 × (0,008 ) × 0,569

=164

7.2.3. Experiência com Gás Carbônico

Figura-11Experiência com Gás Carbônico

Período das oscilações:


23

=

2,22
= = 1,11
2

Com base nos dados obtidos acima podemos calcular o índice adiabático de acordo com a
seguinte expressão:

× ×
=
× ×

4 × 0,0191 × 0,01
=
(1,11 ) × 102250,44 × (0,008 )

= 1,48

Modificação de Rinkel

× × ×
=
× × ×

2 × 0,0191 × 10
=
101300 × 3,14 × (0,008 ) × 0,617

=151

24
7.2.4. Experiência com ar

Figura-12 Experiência com Ar

Período das oscilações:


=

2,13
= = 1,065
2

Com base nos dados obtidos acima podemos calcular o índice adiabático de acordo com a
seguinte expressão:

× ×
=
× ×

4 × 0,0191 × 0,01
=
(1,065 ) × 102250,44 × (0,008 )

= 1,6

25
Modificação de Rinkel

× × ×
=
× × ×

2 × 0,0191 × 10
=
101300 × 3,14 × (0,008 ) × 0,573

=160

7.3.Cálculo do índice adiabático usando esfera de tungsténio


 o raio da bola é 0,008m
 Massa do tungsténio:
 Densidade do tungsténio (11350 kg/m3 ).

= × × ×

kg 4
= 19340 × × 3,14 × (0,008 )
3

= 0,0415

 Calculo de pressão interna do tungsténio:

×
= +
×

0,0415 10
= 101300 +
3,14 (0,008 )
= 103365,1

26
7.3.1. Experiência com Árgon

Figura-13 Experiência com Árgon

Período das oscilações:


=

1,97
= = 0,985
2

Com base nos dados obtidos acima podemos calcular o índice adiabático de acordo com a
seguinte expressão:

× ×
=
× ×

4 × 0,0415 × 0,01
=
(0,985 ) × 103365,1 × (0,008 )

=4

Modificação de Rinkel

27
× × ×
=
× × ×

2 × 0,0415 × 10
=
101300 × 3,14 × (0,008 ) × 0,488

=415,7

7.3.2. Experiência com Nitrogénio

Figura-14 Experiência com Nitrogénio

Período das oscilações:


=

2,13
= = 1,065
2

Com base nos dados obtidos acima podemos calcular o índice adiabático de acordo com a
seguinte expressão:

× ×
=
× ×

28
4 × 0,0415 × 0,01
=
(1,065 ) × 103365,1 × (0,008 )

= 3,5

Modificação de Rinkel

× × ×
=
× × ×

2 × 0,0415 × 10
=
101300 × 3,14 × (0,008 ) × 0,567

=357,8

7.3.3. Experiência com Gás Carbônico

Figura-15 Experiência com Anidrido Carbônico

Período das oscilações:


=

29
2,22
= = 1,11
2

Com base nos dados obtidos acima podemos calcular o índice adiabático de acordo com a
seguinte expressão:

× ×
=
× ×

4 × 0,0415 × 0,01
=
(1,11 ) × 103365,1 × (0,008 )

= 3,2

Modificação de Rinkel

× × ×
=
× × ×

2 × 0,0415 × 10
=
101300 × 3,14 × (0,008 ) × 0,617

=328,8

7.3.4. Experiência com ar

Figura-15 Experiência com Ar

30
Período das oscilações:


=

2,14
= = 1,07
2

Com base nos dados obtidos acima podemos calcular o índice adiabático de acordo com a
seguinte expressão:

× ×
=
× ×

4 × 0,0415 × 0,01
=
(1,07 ) × 103365,1 × (0,008 )

= 3,4

Modificação de Rinkel

× × ×
=
× × ×

2 × 0,0415 × 10
=
101300 × 3,14 × (0,008 ) × 0,573

=354,1

7.4.Cálculo do índice adiabático usando esfera de chumbo


 o raio da bola é 0,008m
 Massa do chumbo:
 Densidade do chumbo (11350 kg/m3 ).

= × × ×

kg 4
= 11350 × × 3,14 × (0,008 )
3

31
= 0,0001946

 Calculo de pressão interna do chumbo:

×
= +
×

0,0001946 10
= 101300 +
3,14 (0,008 )
= 101309,68

7.4.1. Experiência com Árgon

Figura-16 Experiência com árgon

Período das oscilações:


=

32
2,96
= = 0,99
3

Com base nos dados obtidos acima podemos calcular o índice adiabático de acordo com a
seguinte expressão:

× ×
=
× ×

4 × 0,0001946 × 0,01
=
(0,99 ) × 101309,68 × (0,008 )

= 0,019

Modificação de Rinkel

× × ×
=
× × ×

2 × 0,0001946 × 10
=
101300 × 3,14 × (0,008 ) × 0,488

=1,95

33
7.4.2. Experiência com ar

Figura-17 Experiência com ar

Período das oscilações:


=

1,06
= = 1,06
1

Com base nos dados obtidos acima podemos calcular o índice adiabático de acordo com a
seguinte expressão:

× ×
=
× ×

4 × 0,0001946 × 0,01
=
(1,06 ) × 101309,68 × (0,008 )

= 0,017

Modificação de Rinkel

× × ×
=
× × ×

34
2 × 0,0001946 × 10
=
101300 × 3,14 × (0,008 ) × 0,573

=1,7

7.4.3. Experiência com Nitrogénio

Figura-18 Experiência com nitrogenio

Período das oscilações:


=

1,06
= = 1,06
1

Com base nos dados obtidos acima podemos calcular o índice adiabático de acordo com a
seguinte expressão:

× ×
=
× ×

4 × 0,0001946 × 0,01
=
(1,06 ) × 101309,68 × (0,008 )

35
= 0,017

Modificação de Rinkel

× × ×
=
× × ×

2 × 0,0001946 × 10
=
101300 × 3,14 × (0,008 ) × 0,573

=1,7

7.4.4. Experiência com Gás Carbônico

Figura-19 Experiência com Gás Carbônico

Período das oscilações:


=

3,33
= = 1,11
3

36
Com base nos dados obtidos acima podemos calcular o índice adiabático de acordo com a
seguinte expressão:

× ×
=
× ×

4 × 0,0001946 × 0,01
=
(1,11 ) × 101309,68 × (0,008 )

= 0,015

Modificação de Rinkel

× × ×
=
× × ×

2 × 0,0001946 × 10
=
101300 × 3,14 × (0,008 ) × 0,617

=1,5

NB: Pelos cálculos efetuados verificamos o índice adiabático e modificações de Rinkel na


seguinte tabela:

Material da esfera Gás Índice adiabático Modificações de


Rinkel
aço Árgon 1,58 165,3
Ar 1,4 148,8
Nitrogénio 1,4 141,8
Gás Carbónico 1,28 130,73
Chumbo Árgon 0,019 1,95
Ar 0,017 1,17
Nitrogénio 0,017 1,7
Gás Carbónico 0,015 1,8
Tungsténio Árgon 4 415,7
Ar 3,4 354,1

37
Nitrogénio 3,5 357,8
Gás Carbónico 3,2 328,8
Cobre Árgon 1,88 191,3
Ar 1,6 160
Nitrogénio 1,6 164
Gás Carbónico 1,48 151

Tabela – 4 valores do índice adiabático

38
8. Conclusão

Chamamos de transformações adiabáticas aquelas transformações gasosas onde não há troca de


calor com o meio externo. As transformações adiabáticas são obtidas fazendo uso de recipientes
termicamente isolados, ou também através de uma compressão, ou de uma expansão muito
rápida.

Com o presente relatório, podemos concluir que o índice adiabático varia em função do período
médio. O índice adiabático varia para cada gás de acordo com o período, descrito pelas
oscilações realizadas pela bola.

Na tarefa 2, Para a determinação do índice adiabático com auxilio de java verifica-se que
independentemente da densidade da esfera o índice adiabático de cada gás não varia, calculando
sem o auxilio de java verifica-se pequenos erros na determinação do índice adiabático mas com
um valores aproximados comparados com o java.

39
9. Referências bibliográficas

 Halliday, D., Resnik, Robert., Walker, Jearl.(2008) Fundamentos de física vol. 2:


gravitação, ondas e termodinâmica. 8. ed. Rio de Janeiro: LTC.
 Nussenzveig, H. Moyses. (2002) Curso de física básica vol. 2: Fluidos, oscilações e
ondas, calor. 4. ed. São Paulo: Blucher.

40