Você está na página 1de 35

MATERIAL DE APOIO

Instrumentação Biomédica 1
Projeto de Equipamentos Médicos

Proteção a interferências

Prof. Euler de Vilhena Garcia


Por que existem?
Interferências eletromagnéticas

 Equipamentos eletrônicos são geralmente alimentados compartilhando a energia dos cabos de


força de um local
 Equipamentos eletrônicos são geralmente aterrados por razões de segurança, e geralmente
compartilham o mesmo cabos de aterramento de um local

 ISTO GERA INTERFERÊNCIAS ENTRE OS EQUIPAMENTOS!

 PRINCIPAL CONCEITO: Impedância


 “Impede” a passagem de corrente
 Relação tensão-corrente
 Parte dissipativa
 Resistência
 Números reais
 Parte acumulativa
 Reatância
 Números complexos
Por que existem?
Interferências eletromagnéticas
Modelo em circuito equivalente

Qual vai ser o caminho de retorno


da corrente?

𝐼𝑖 𝑗𝜔𝑀 𝑗𝜔𝐿𝑖 𝑗𝜔
= ≈ =
𝐼𝑠 𝑅𝑖 + 𝑗𝜔𝐿𝑖 𝑅𝑖 + 𝑗𝜔𝐿𝑖 𝑅𝑖 + 𝑗𝜔
𝐿𝑖
Impedância Impedância
Elementos
Z(w) Z(s)
Perceba que a corrente
Resistor R R R R que passa pelo caminho
1/(jwC) = Z(0) = inf, Z(inf) = 0, planejado (𝑰𝒊 ) varia com
Capacitor 1/sC
-j/wC circuito aberto curto-circuito a frequência:
Z(0) = 0, Z(inf) = inf,  𝜔→0 𝐼𝑖 = 0
Indutor jwL sL  𝜔→∞ 𝐼𝑖 = 𝐼𝑠
curto-circuito circuito aberto
Quando s = 0, i.e., Quando s = inf, i.e.,
corrente contínua altas frequências
Limitações da Teoria de Circuitos
Teoria de circuitos e Eletromagnetismo Não-linearidades de linhas de transmissão e guias de onda
Não-linearidades de componentes
Limitações do diagrama elétrico
Cargas em uma PCI

 Teoria de circuitos relaciona as tensões em um circuito e o fluxo de corrente em um grupo


de componentes interconectados.
 Funciona bem em várias situações, mas não todas (Mecânica Clássica também funciona
assim)

 Símbolos e componentes de teoria de circuitos são modelos simplificados de objetos


complexos
 Componentes reais apresentam resistências, capacitâncias e/ou indutâncias parasitas
(i.e., que idealmente não deveriam estar lá)
 Propriedades dos materiais variam com a frequência
Limitações da Teoria de Circuitos
Teoria de circuitos e Eletromagnetismo Não-linearidades de linhas de transmissão e guias de onda
Não-linearidades de componentes
Limitações do diagrama elétrico
Cargas em uma PCI

Efeito Pelicular (skin effect): variação da resistência com a frequência

CONDUTOR CILÍNDRICO
Limitações da Teoria de Circuitos
Teoria de circuitos e Eletromagnetismo Não-linearidades de linhas de transmissão e guias de onda
Não-linearidades de componentes
Limitações do diagrama elétrico
Cargas em uma PCI

Efeito Pelicular (skin effect): variação da resistência com a frequência

TRILHA DE PCB

Qdo rlf = rhf ,


Limitações da Teoria de Circuitos
Teoria de circuitos e Eletromagnetismo Não-linearidades de linhas de transmissão e guias de onda
Não-linearidades de componentes
Limitações do diagrama elétrico
Cargas em uma PCI

EFEITOS MAGNÉTICOS DOS TERMINAIS


(“PERNAS”) DE UM COMPONENTE EFEITOS ELÉTRICOS DOS TERMINAIS
(“PERNAS”) DE UM COMPONENTE
Limitações da Teoria de Circuitos
Teoria de circuitos e Eletromagnetismo Não-linearidades de linhas de transmissão e guias de onda
Não-linearidades de componentes
Limitações do diagrama elétrico
Cargas em uma PCI

RESISTOR
Limitações da Teoria de Circuitos
Teoria de circuitos e Eletromagnetismo Não-linearidades de linhas de transmissão e guias de onda
Não-linearidades de componentes
Limitações do diagrama elétrico
Cargas em uma PCI

RESISTOR
 1kW, 1/8W
 Carbono
 Contatos de 0,5in (1,27cm)

 Valores típicos
 C = 1-2 pF
 L ~=14nH
 Neste exemplo:
 R = 1,05kW; C = 1,2pF; L = 14nH
Limitações da Teoria de Circuitos
Teoria de circuitos e Eletromagnetismo Não-linearidades de linhas de transmissão e guias de onda
Não-linearidades de componentes
Limitações do diagrama elétrico
Cargas em uma PCI

CAPACITOR
Rs = Rplaca << Rdieletrico
C >> Clead (terminais)
Limitações da Teoria de Circuitos
Teoria de circuitos e Eletromagnetismo Não-linearidades de linhas de transmissão e guias de onda
Não-linearidades de componentes
Limitações do diagrama elétrico
Cargas em uma PCI

CAPACITOR #1
(1)
 470pF, cerâmico
 Contatos
1. Curtos
2. Contatos de 0,5in (1,27cm)

(2)

MAGNITUDE
Limitações da Teoria de Circuitos
Teoria de circuitos e Eletromagnetismo Não-linearidades de linhas de transmissão e guias de onda
Não-linearidades de componentes
Limitações do diagrama elétrico
Cargas em uma PCI

CAPACITOR #1
(1)
 470pF, cerâmico
 Contatos
1. Curtos
2. Contatos de 0,5in (1,27cm)

(2)

FASE
Limitações da Teoria de Circuitos
Teoria de circuitos e Eletromagnetismo Não-linearidades de linhas de transmissão e guias de onda
Não-linearidades de componentes
Limitações do diagrama elétrico
Cargas em uma PCI

CAPACITOR #2
(1)
 0,15mF, tântalo
 Contatos
1. Curtos
2. Contatos de 0,5in (1,27cm)

(2)

MAGNITUDE
Limitações da Teoria de Circuitos
Teoria de circuitos e Eletromagnetismo Não-linearidades de linhas de transmissão e guias de onda
Não-linearidades de componentes
Limitações do diagrama elétrico
Cargas em uma PCI

CAPACITOR #2
(1)
 0,15mF, tântalo
 Contatos
1. Curtos
2. Contatos de 0,5in (1,27cm)

(2)

FASE
Limitações da Teoria de Circuitos
Teoria de circuitos e Eletromagnetismo Não-linearidades de linhas de transmissão e guias de onda
Não-linearidades de componentes
Limitações do diagrama elétrico
Cargas em uma PCI

CAPACITOR

Do modelo teórico para


especificações reais.

𝐿𝑙𝑒𝑎𝑑 = 𝐿𝐸𝑆𝐿 … 𝑖𝑛𝑑𝑢𝑡â𝑛𝑐𝑖𝑎 𝑒𝑚 𝑠é𝑟𝑖𝑒 𝑒𝑞𝑢𝑖𝑣𝑎𝑙𝑒𝑛𝑡𝑒


𝑅𝑠 = 𝑅𝐸𝑆𝑅 … 𝑟𝑒𝑠𝑖𝑠𝑡ê𝑛𝑐𝑖𝑎 𝑒𝑚 𝑠é𝑟𝑖𝑒 𝑒𝑞𝑢𝑖𝑣𝑎𝑙𝑒𝑛𝑡𝑒

ANTES DEPOIS
Ex. Capacitor real: Cerâmico, Ex. Capacitor real: Cerâmico,
𝐶 = 470𝑝𝐹 𝐶 = 470𝑝𝐹
𝑹𝒔 = 𝟕𝟎𝟎𝒎𝜴 𝑹𝒔 = 𝟒𝟎𝟎𝒎𝜴 (−𝟒𝟑%)
𝑳𝑬𝑺𝑳 = 𝟏𝟑, 𝟔𝒏𝑯 𝑳𝑬𝑺𝑳 = 𝟑, 𝟕𝒏𝑯 (−𝟕𝟑%)

A diferença que cortar melhor antes de soldar


as pernas de um capacitor pode fazer!
Limitações da Teoria de Circuitos
Teoria de circuitos e Eletromagnetismo Não-linearidades de linhas de transmissão e guias de onda
Não-linearidades de componentes
Limitações do diagrama elétrico
Cargas em uma PCI

INDUTOR
L >> Llead (terminais)
Cparasita >> Clead (terminais)
Limitações da Teoria de Circuitos
Teoria de circuitos e Eletromagnetismo Não-linearidades de linhas de transmissão e guias de onda
Não-linearidades de componentes
Limitações do diagrama elétrico
Cargas em uma PCI

INDUTOR
 1,2mH
 Neste caso: C = 1,6pF

MAGNITUDE

FASE
Limitações da Teoria de Circuitos
Teoria de circuitos e Eletromagnetismo Não-linearidades de linhas de transmissão e guias de onda
Não-linearidades de componentes
Limitações do diagrama elétrico
Cargas em uma PCI

EXEMPLO

Uma resistência de chuveiro é na verdade um indutor. Possui valores típicos de R=8W e L=17mH.
A partir do que foi visto sobre componentes reais:

a) Explique como você pode provar que a resistência de chuveiro se comporta como um
resistor e não como um indutor.
b) Faça as contas e diga a faixa de frequência em que a resistência de chuveiro com os valores
medidos acima se comporta como apenas um resistor para esquentar a água..
Limitações da Teoria de Circuitos
Teoria de circuitos e Eletromagnetismo Não-linearidades de linhas de transmissão e guias de onda
Não-linearidades de componentes
Limitações do diagrama elétrico
Cargas em uma PCI

 Diagrama de circuitos deve ser visto como um organizador de ideias ou um planejamento


inicial

– Não inclui informações das estruturas físicas correlatas


– Não inclui representações para fenômenos físicos de progagação eletromagnética (e.g.,
efeito pelicular, radiação)
– Não explicam porque interferências indesejadas acontecem

– TEMOS DE VOLTAR AO ELETROMAGNETISMO E INCLUÍ-LO NOS MODELOS REAIS DE


CIRCUITOS
Limitações da Teoria de Circuitos
Teoria de circuitos e Eletromagnetismo Não-linearidades de linhas de transmissão e guias de onda
Não-linearidades de componentes
Limitações do diagrama elétrico
Cargas em uma PCI

Toda carga elétrica Q gera um campo elétrico associado E


Limitações da Teoria de Circuitos
Teoria de circuitos e Eletromagnetismo Não-linearidades de linhas de transmissão e guias de onda
Não-linearidades de componentes
Limitações do diagrama elétrico
Cargas em uma PCI

Nossa situação: a placa de circuito impresso (PCI)!


Limitações da Teoria de Circuitos
Teoria de circuitos e Eletromagnetismo Não-linearidades de linhas de transmissão e guias de onda
Não-linearidades de componentes
Limitações do diagrama elétrico
Cargas em uma PCI

 A distribuição de cargas na superfície de condutores é não-uniforme


– Concentram na interface entre o plano de aterramento e a trilha
 Existe algum campo elétrico acima da trilha
Limitações da Teoria de Circuitos
Teoria de circuitos e Eletromagnetismo Não-linearidades de linhas de transmissão e guias de onda
Não-linearidades de componentes
Limitações do diagrama elétrico
Cargas em uma PCI

 Campos elétricos e magnéticos não ficam confinados na trilha de circuito


impresso, como gostaríamos...
 Trilhas e condutores não confinam campos, apenas os direcionam!
– Ex: Bateria ligada a uma lanterna
Tipos
Interferência Eletromagnética (IEM) Fontes externas à placa de circuito
Emissões conduzidas
Emissões irradiadas
Efeitos da colocação do circuito dentro de um gabinete

 Emissões conduzidas
 Emissões irradiadas
Tipos
Interferência Eletromagnética (IEM) Fontes externas à placa de circuito
Emissões conduzidas
Emissões irradiadas
Efeitos da colocação do circuito dentro de um gabinete

 Além destes próprios fatores intrínsecos ao layout da placa e seu


circuito, há fontes externas
– Fatores físicos (eletromagnéticos, mecânicos,...)
– Fatores fisiológicos (outras fontes de sinais bioelétricos)

60 Hz (rede de alimentação)

Sinal muscular superposto


Tipos
Interferência Eletromagnética (IEM) Fontes externas à placa de circuito
Emissões conduzidas
Emissões irradiadas
Efeitos da colocação do circuito dentro de um gabinete

 Usando capacitores ou indutores para diminuir a IEM


– Capacitores para desviar a corrente de ruído (em cargas de alta impedância)
Tipos
Interferência Eletromagnética (IEM) Fontes externas à placa de circuito
Emissões conduzidas
Emissões irradiadas
Efeitos da colocação do circuito dentro de um gabinete

 Usando capacitores ou indutores para diminuir a IEM


– Indutores para bloquear a corrente de ruído (em cargas de baixa impedância)
Tipos
Interferência Eletromagnética (IEM) Fontes externas à placa de circuito
Emissões conduzidas
Emissões irradiadas
Efeitos da colocação do circuito dentro de um gabinete

 Usando capacitores ou indutores para diminuir a IEM

– Cuidados principais:
• Sempre calcular as impedâncias na frequência de interesse
• Cuidado para não afetar sinal funcional pela criação de filtros RC ou R/L
• Em sinais digitais, observar a integridade da forma de onda do pulso (e,
correspondentemente, seu espectro)
Tipos
Interferência Eletromagnética (IEM) Fontes externas à placa de circuito
Emissões conduzidas
Emissões irradiadas
Efeitos da colocação do circuito dentro de um gabinete

EXEMPLO
Você quer impedir que 60% de uma corrente a 100kHz (proveniente de ruído acoplado) chegue
os terminais de entrada do seu circuito amplificador transistorizado com impedância de entrada
resistiva de 600W e pretende usar um capacitor para isso.

a) Explique como o capacitor vai realizar fisicamente isso.


b) Calcule o valor do capacitor desejado e desenhe o diagrama esquemático de sua colocação
em relação aos terminais de entrada do amplificador.
Tipos
Interferência Eletromagnética (IEM) Fontes externas à placa de circuito
Emissões conduzidas
Emissões irradiadas
Efeitos da colocação do circuito dentro de um gabinete

 Minimizar a área dos laços de retorno


LAÇOS (LOOPS) DE
ALIMENTAÇÃO

Melhorou
um pouco

Melhorou
mais ainda
Tipos
Interferência Eletromagnética (IEM) Fontes externas à placa de circuito
Emissões conduzidas
Emissões irradiadas
Efeitos da colocação do circuito dentro de um gabinete

 Minimizar a área dos laços de retorno


LAÇOS (LOOPS)
DE SINAL
Melhorou
um pouco

Melhorou
mais ainda
Tipos
Interferência Eletromagnética (IEM) Fontes externas à placa de circuito
Emissões conduzidas
Emissões irradiadas
Efeitos da colocação do circuito dentro de um gabinete
Tipos
Interferência Eletromagnética (IEM) Fontes externas à placa de circuito
Emissões conduzidas
Emissões irradiadas
Efeitos da colocação do circuito dentro de um gabinete

 Aterrando o gabinete, V3 = 0
Tipos
Interferência Eletromagnética (IEM) Fontes externas à placa de circuito
Emissões conduzidas
Emissões irradiadas
Efeitos da colocação do circuito dentro de um gabinete

 Aterrando a blindagem dos cabos.


– Impede que a blindagem atue como uma antena
Turma D
2013/2

Avisos finais