Você está na página 1de 1

Atividade – Leitura do texto: História e evolução da língua portuguesa

O surgimento da Língua Portuguesa está profunda e inseparavelmente ligado ao


processo de constituição da Nação Portuguesa. Na região central da atual Itália, o Lácio, vivia
um povo que falava latim. Nessa região, foi posteriormente fundada a cidade de Roma. Esse
povo foi crescendo e anexando novas terras ao seu domínio. Os romanos chegaram a possuir
um grande império e, a cada conquista, impunham aos vencidos os seus hábitos, as suas
instituições, os seus padrões de vida e a sua língua. Existiam duas modalidades de latim: o latim
vulgar (sermo vulgaris, rusticus, plebeius) e o latim clássico (sermo litterarius, eruditus,
urbanus).

O latim vulgar era somente falado. Era a língua do quotidiano, usada pelo povo
analfabeto da região central da actual Itália e das províncias: soldados, marinheiros, artífices,
agricultores, barbeiros, escravos, etc. Era a língua coloquial, viva, sujeita a alterações frequentes
e por isso apresentava diversas variações.

O latim clássico era a língua falada e escrita, apurada, artificial, rígida; um


instrumento literário usado pelos grandes poetas, prosadores, filósofos, retóricos. A modalidade
do latim que os romanos acabavam por impor aos povos vencidos era a vulgar; estes povos eram
muito diversificados e falavam línguas muito diferentes, por isso em cada região o latim vulgar
sofreu alterações distintas, o que resultou no surgimento dos diferentes romanços (do latim
romanice, que significa "falar à maneira dos romanos"), que deram posteriormente origem às
diferentes línguas neolatinas.

Seja como for, será errado considerar Latim Urbanus e Latim Vulgaris como duas
línguas diferentes. Do mesmo modo que não será correto estabelecer-se entre estas duas
denominações uma diferenciação assente na oposição entre língua escrita e língua falada, uma
vez que ambas eram utilizadas quer por escrito, quer oralmente. Os próprios Romanos
distinguiam já sermo urbanus (linguagem culta) de sermo vulgaris ou sermo plebeius (linguagem
popular ou corrente). Cícero, nas suas Cartas, além de empregar certos vulgarismos, comprazia-
se com o uso da linguagem da vida quotidiana (cotidianis verbis). E também Catulo e Petrónio
deram foros de literário ao latim vulgar.

1 – Quem vivia no Lácio? Onde fica? Que língua falava?

2 – Por qual razão apareceram as duas modalidades do Português (a língua culta e a


popular)?