Você está na página 1de 4

ESCOLA EB2,3/S Dr. DANIEL DE MATOS

Ano Lectivo 2011/ 2012

Biologia e Geologia – 11º Ano

Trabalho Prático nº 2

Nome: Vitor Alexandre dos Santos Simões

Nº: 19

Data: 15/10/2012

Turma: B

Ano: 11º

Título: Ciclo Celular em Células Eucarióticas Vegetais

Material:

Raiz de cebola; Vidro de relógio; Ácido clorídrico; Lamparina de álcool; Orceína acética; Lâminas e lamelas; Papel de filtro; Agulha; Bisturi; Pipeta e Fósforos.

ALA CONCEPTUAL

ALA METEDOLÓGICA

Problema TEORIA: CONCLUSÕES: Teoria Celular Ciclo Celular Replicação Semi -Conservativa do DNA PRINCÍPIOS: Que
Problema
TEORIA:
CONCLUSÕES:
Teoria Celular
Ciclo Celular
Replicação Semi -Conservativa do
DNA
PRINCÍPIOS:
Que fases mitóticas
conseguimos
observar no ápice
radicular da
cebola?
O
ciclo celular integra duas fases fundamentais: a
interfase e a fase mitótica. A interfase é a fase
mais longa do ciclo e integra três fases: fase G1, S
e
G2, responsáveis pelo crescimento celular e
replicação semi-conservativa do ADN. Na fase
mitótica ocorrem a divisão do núcleo, através da
mitose, e do citoplasma, através da citocinese. A
prófase, metáfase, anáfase e telófase são as 4
fases da mitose. A Prófase é a etapa onde os
filamentos de cromatina se condensam originado
os
cromossomas, a membrana nuclear fragmenta-
se e forma-se o fuso acromático nos pólos das
células. Na metáfase o fuso acromático liga-se aos
centrómeros dos cromossomas, formando assim a
placa equatorial, onde estes se encontram
voltados para os pólos da célula. Na anáfase dá-se
a fragmentação dos centrómeros, separando assim
os
cromatídeos, levando os cromossomas para os
pólos - ascensão polar. Na telófase a cromatina vai
descondensar e alongar, o fuso acromático
dissolve-se
e
a
membrana nuclear irá
reaparecer
à
volta
dos
cromossomas,
CONCEITOS:
Ciclo Celular; Interfase; Prófase
Metáfase,
Anáfase
Telófase;
Citocinese;
Cromossomas;
Cromatídios;
DNA;
Estomas;
Centrómeros; Centríolos
PROCEDIMENTO:
1.

Colocar nove gotas de orceína acética juntamente com uma gota de ácido clorídrico, no vidro de relógio.

2. Cortar três a seis vértices do ápice radicular da cebola, com 2 mm cada, e colocar na solução preparada em 1.

3. Aquecer o vidro de relógio, passando três a quatro vezes sobre a chama, até se soltarem vapores.

4. Cortar um vértice vegetativo com cerca de 1mm, rejeitando o resto, para uma lâmina de vidro.

5. Colocar uma gota de orceína na preparação e esperar três minutos, fragmentar o vértice e

Fig 1 – Observação ao MOC de fases da Mitose, observadas em Células Eucarioticas vegetais do ápice da cebola (Alluim Cepa), usando como meio de montagem o corante Orceína Acética, com uma ampliação total de 400x.

Através desta atividade experimental concluímos que a mitose é o processo responsável pelo crescimento e desenvolvimento dos vegetais. Durante a experiência tivemos a possibilidade de distinguir as diferentes fases mitóticas. Na prófase, observámos os cromossomas a enrolarem-se, tornando-se cada vez mais curtos e mais condensados. Na metáfase, podemos observar a placa equatorial formada pelos cromossomas, quando estes estão prontos para se dividirem. Na anáfase, observámos os cromossomas a afastarem-se para os pólos opostos (ascensão polar). Por fim quando a célula se encontrava na telófase, conseguimos observar a formação de dois núcleos, com os cromossomas a descondensarem-se e a alongarem-se, tornando-se cada vez menos visíveis. RESULTADOS:

1

ESCOLA SECUNDÁRIA JORGE PEIXINHO ATIVIDADE LABORATORIAL DISCIPLINA: BIOLOGIA ANO LETIVO: 2013/2014 ANO: 11º TURMA:
ESCOLA SECUNDÁRIA JORGE PEIXINHO
ATIVIDADE LABORATORIAL
DISCIPLINA: BIOLOGIA
ANO LETIVO: 2013/2014
ANO: 11º
TURMA: B
TEMA: Observação de fases de Mitose em Células Vegetais
Data:31/10/2013
Identificação:
Classificação:
N.º: 15 Nome: Inês Bentes Franco
N.º: 22 Nome: Rita Isabel Tavares Sousa
Professora:

Lado Teórico

Nome: Rita Isabel Tavares Sousa Professora: Lado Teórico Lado Processual Teoria: Teoria celular- Ciclo celular- A

Lado Processual

Teoria: Teoria celular- Ciclo celular- A mitose

Princípios:

As células vegetais são constituídas por membrana e parede celular; As células do ápice radicular da cebola formam o meristema apical radicular Meristemas são tecidos vegetais formado por células indiferenciadas, que são sede de divisões rápidas e numerosas e estão situadas nas regiões de crescimento da planta; Os cromossomas são constituídos por filamentos de cromatina con- densados; Os filamentos de cromatina são constituídos por DNA condensado associado a histonas; O ciclo celular é o processo pelo qual uma célula passa, desde que nasce até ao momento em que se divide; O ciclo celular integra duas fases fundamentais: a interfase e a fase mitótica; A interfase é a fase mais longa do ciclo e integra três fases: fase G1, S e G2, responsáveis pelo crescimento celular e replicação semiconser- vativa do DNA; Na fase mitótica ocorrem a divisão do núcleo, através da mitose, e do citoplasma, através da citocinese; A prófase, metáfase, anáfase e telófase são as 4 fases da mitose; A Prófase é a etapa onde os filamentos de cromatina se condensam originando os cromossomas, a membrana nuclear fragmenta-se e forma-se o fuso acromático nos pólos das células; Na metáfase os cromossomas atingem o seu máximo de condensa- ção e tornam-se visíveis ao MOC, o fuso acromático liga-se aos seus centrómeros, formando assim a placa equatorial, onde estes se en- contram voltados para os pólos da célula; Na anáfase dá-se a fragmentação dos centrómeros, separando assim os cromatídeos, levando os cromossomas para os pólos - ascensão polar; Como nas células vegetais, não existem centríolos visíveis, no cito- plasma, são os microtúbulos os responsáveis pela fragmentação dos centrómeros e ascensão polar; Na telófase a cromatina vai descondensar e alongar, ficando finos e invisíveis ao MOC, o fuso acromático dissolve-se e a membrana nu- clear irá reaparecer à volta dos cromossomas; A citocinese normalmente ocorre ainda nas últimas fases da divisão nuclear;

Nas células vegetais, a presença da parede celular impede a di- visão por estrangulamento, por isso a citocinese acontece quando ocorre a acumulação, na zona equatorial, de vesículas formadas no complexo de golgi, que, fundindo-se, originam a membrana cito- plasmática das células. Posteriormente ocorre a formação de parede celular entre elas;

As preparações temporárias são aquelas cuja duração é curta. A sua curta duração explica-se pela possibilidade da ocorrência de eva- poração do meio aquoso, acompanhada por decomposição e autólise da célula;

Na técnica da fixação são utilizados métodos para provocar a morte imediata das células, interrompendo a actividade vital num determinado momento e impedindo a autólise celular e a decomposição por acção bacteriana. A técnica da citológica utilizada em microscopia óptica que utili- za corantes com o objectivo de evidenciar diferentes partes na preparação. A orceína acética cora de vermelho escuro os cromossomas; É feito o esmagamento do material biológico para que este fique suficientemente fino e assim seja possível ser atravessado pela luz; O ácido clorídrico dissolve as lamelas medianas que unem as pa- redes das células vegetais.

Discussão/Conclusão/Conhecimento adquirido:

Após a realização da experiencia proposta, observação e registo de todos os resultados obtidos, pudemos concluir que:

A

experiencia foi bem-sucedida, pois com a pre-

paração temporária que fizemos, conseguimos observar todas as fazes da mitose e alguns dos seus pormenores visíveis ao MOC;

As células observadas ao MOC eram células euca- rióticas vegetais, devido à sua forma rectangular,

à

presença de parede celular e o facto de encon-

trarem tão juntas, partilhando portanto paredes celulares como acontece nas células eucarióticas vegetais.

No caso da cebola ocorre o ciclo celular de uma célula vegetal devido a esta ser composta pelas mesmas.

Uma célula vegetal contém parede celular que lhe confere rigidez e uma forma rectangular e que es- sa rigidez irá afectar o processo de citocinese.

A

mitose é o processo responsável pelo cresci-

mento e desenvolvimento dos vegetais;

Na Ilustração 1 é visível a prófase, pois os cromos- somas encontram-se enrolados, tornando-se cada vez mais curtos e mais condensados;

Na Ilustração 2 é visível a metáfase, pois pudemos observar a placa equatorial formada pelos cro- mossomas, quando estes estão prontos para se dividirem;

Na Ilustração 3 é visível a anáfase, pois observa- mos cromossomas a afastarem-se para pólos opostos (ascensão polar);

Por fim na Ilustração 14é visível a telófase, pois conseguimos observar a formação de dois nú- cleos, com os cromossomas a descondensarem-se

e

a alongarem-se, tornando-se cada vez menos vi-

 

síveis.

Podemos distinguir todas estas diferentes fases da mitose através de aspectos relevantes perten- centes aos acontecimentos de cada uma das fa- ses.

Que fases mitóticas conseguimos observar no ápice radicular da cebola?

Conceitos/Termos: Cromossoma, cromatídeo, centrómero, DNA, replicação semiconservativa, ciclo celular, mitose, prófase, metáfase, anáfase, telófase, citocinese, divisão celular, invólucro nuclear, cito- plasma, célula vegetal, cromatina, parede celular, membrana citoplas- mática, interfase, meristemas, técnica da fixação, técnica da citologia.

Materiais: Extremidades de raízes jovens de cebola, bisturi, agulha, ácido clorídrico (solução a 5%), MOC, lâminas, lamelas, vidro de relógio, papel de filtro, lamparina, fósforos, orceína acéti- ca.

Acontecimentos / Procedimento:

1. Colocámos três extremidades de raízes de cebola, com cerca de três mm de comprimento, num vidro de relógio;

2. Adicionámos 6/7 gotas de solução de ácido clorídrico e uma gota de água;

3. Deixamos actuar durante cerca de 30 minutos;

4. Colocámos uma gota de orceína acética numa lâmina de vidro;

5. Retirámos as extremidades das raízes do vidro de relógio e colocámo-las sobre o corante presente na lâmina;

6. Cobri-mos com uma lamela;

7. Esmagámos os tecidos, comprimindo cuidadosamente a lamela, com auxílio do cabo de uma agulha de disseção;

8. Levantámos a lamela e repetimos o passo anterior;

9. Passámos a lâmina sobre a chama da lamparina, 2 a 3 vezes, tendo o cuidado de não carbonizar o material biológico;

10. Com o auxílio do papel de filtro e uma gota de água, limpámos o excesso de corante;

11. Observámos a preparação ao MOC, identificando diferentes fases da mitose.

Registos/Transformações:

Registos/Transformações: Prófase Citoplasma Parede Celular Ilustração 1 Observação da prófase em uma célula do

Prófase

Registos/Transformações: Prófase Citoplasma Parede Celular Ilustração 1 Observação da prófase em uma célula do

Citoplasma

Parede Celular

Ilustração 1 Observação da prófase em uma célula do ápice radicular da cebola Célula Eucariótica Vegetal (Ampliação 400x)

da cebola Célula Eucariótica Vegetal (Ampliação 400x) Metáfase Citoplasma Parede Celular Ilustração 2

Metáfase

Célula Eucariótica Vegetal (Ampliação 400x) Metáfase Citoplasma Parede Celular Ilustração 2 Observação da

Citoplasma

Parede Celular

Ilustração 2 Observação da metáfase em uma célula do ápice radicular da cebola Célula Eucariótica Vegetal (Ampliação 400x)

Registos/Transformações:

Registos/Transformações: Anáfase Parede Celular Citoplasma Ilustração 3 Observação da anáfase em uma célula do

Anáfase

Registos/Transformações: Anáfase Parede Celular Citoplasma Ilustração 3 Observação da anáfase em uma célula do
Registos/Transformações: Anáfase Parede Celular Citoplasma Ilustração 3 Observação da anáfase em uma célula do

Parede Celular

Citoplasma

Ilustração 3 Observação da anáfase em uma célula do ápice radicular da cebola Célula Eucariótica Vegetal (Ampliação 400x)

da cebola Célula Eucariótica Vegetal (Ampliação 400x) Parede Celular Telófase Citoplasma Ilustração 4
da cebola Célula Eucariótica Vegetal (Ampliação 400x) Parede Celular Telófase Citoplasma Ilustração 4
da cebola Célula Eucariótica Vegetal (Ampliação 400x) Parede Celular Telófase Citoplasma Ilustração 4

Parede Celular

Telófase

Citoplasma

Ilustração 4 Observação da telófase em uma célula do ápice radicular da cebola Célula Eucariótica Vegetal (Ampliação 400x)