Você está na página 1de 28

EXAMES LABORATORIAIS

Avaliação do Estado Nutricional m

CURSO TÉCNICO EM NUTRIÇÃO E DIETÉTICA


Química e Bioquímica Aplicada
Prof. Adriano Silva
EXAMES LABORATORIAIS
Avaliação do Estado Nutricional

Estado Nutricional

• Composição
da alimentação (tipo e
quantidade
dos alimentos ingeridos);

• Necessidades do organismo
em energia e
nutrientes ;

• Eficiência do aproveitamento
biológico dos alimentos (ou
da nutrição propriamente dita).
EXAMES LABORATORIAIS
Avaliação do Estado Nutricional

Antropometria, Anamnese Alimentar, História Clínica,


Parâmetros Bioquímicos e Dados Psicossociais
EXAMES LABORATORIAIS
Avaliação do Estado Nutricional

Avaliação do Estado Nutricional


História Clínica: informações, qualitativas e quantitativas, sobre aspectos nutricionais
relacionados com o objetivo de traçar um perfil (ex: perda de peso, alterações do padrão
alimentar, presença de sintomas gastrointestinais, avaliação da capacidade funcional,
demanda metabólica, antecedentes médicos, uso de medicamentos, história social,
história dietética;
Dados Físicos: identifica sinais e sintomas clínicos de mal nutrição, principalmente
desnutrição (ex: como gordura subcutânea, massa muscular, obesidade, alterações na
pele, mucosas);
Dados Antropológicos: se ocupa da medição das variações nas dimensões físicas e na
composição global do corpo humano, em diferentes idades e em distintos graus de nutrição
(ex: peso, altura, pregas cutâneas e medidas de segurança);
Parâmetros Bioquímicos: avaliação de dados biomoleculares relevantes para detectar
deficiências subclínicas e para confirmação diagnóstica , com a vantagem de possibilitar
seguimento de intervenções nutricionais ao longo do tempo
EXAMES LABORATORIAIS
Avaliação do Estado Nutricional

Parâmetros
Séricos
Hemoglobina
Albumina
Colesterol
Glicose

Excreção
Creatina
Cálcio
Ferro
Sódio
Potássio
EXAMES LABORATORIAIS
Avaliação do Estado Nutricional

Parâmetros
EXAMES LABORATORIAIS
Avaliação do Estado Nutricional

Parâmetros
EXAMES LABORATORIAIS
Avaliação do Estado Nutricional

Indicadores Bioquímicos

Hemoglobina (Hb): proteína conjugada presente nos eritrócitos (hemácias),

constituindo aproximadamente 35% de seu peso responsável por transportar o

oxigênio, levando-o dos pulmões aos tecidos de todo o corpo.

Normal ♀: 13,5 - 16,5 mg/dL ♂: 11,5 - 15,0 mg/dL


Depleção Leve ♀: 11,9 - 10,0 mg/dL ♂: < 10,0 mg/dL
Depleção Grave ♀: < 10,0 mg/dL ♂: < 12,0 mg/dL
EXAMES LABORATORIAIS
Avaliação do Estado Nutricional

Parâmetros
Séricos

• Células Sanguíneas
Hemoglobina

Hemoglobina
Dosagem proteica (mg/dl)
EXAMES LABORATORIAIS
Avaliação do Estado Nutricional

Parâmetros
Séricos

• Células Sanguíneas
Hemoglobina

Hemoglobina
Dosagem proteica (mg/dl)
EXAMES LABORATORIAIS
Avaliação do Estado Nutricional

Parâmetros
Séricos

• Células Sanguíneas
Hemoglobina

Hemoglobina
Dosagem proteica (mg/dl)
EXAMES LABORATORIAIS
Avaliação do Estado Nutricional

Indicadores Bioquímicos
Albumina: proteína mais abundante do plasma e dos líquidos extracelulares
com importância preponderante na determinação da pressão colóido-osmótica
do plasma, exercendo função de proteína de transporte (cálcio, ácidos graxos
de cadeia longa, medicamentos, etc.)

Normal > 3,5 mg/dL


Depleção Leve 3,0 - 3,5 mg/dL
Depleção Grave < 2,4 mg/dL
EXAMES LABORATORIAIS
Avaliação do Estado Nutricional

Parâmetros
Sérico

• Extracelular
Albumina

Albumina
Dosagem proteica (mg/L)
EXAMES LABORATORIAIS
Avaliação do Estado Nutricional

Indicadores Bioquímicos
Creatina: proteína presente nas fibras musculares e no cérebro. Utilizada para
avaliar a massa muscular corpórea baseando-se no fato de que 98% da
creatinina está localizada nos músculos. É calculado a partir da dosagem da
creatinina na urina de 24 horas, a qual deve ser rigorosamente coletada,
impossibilitando seu uso em pacientes com insuficiência renal ou em uso de
diuréticos, como na falência cardíaca ou hepática. A dependência de uma
coleta de urina acurada e completa, e a exigência de dieta desprovida de carne,
podem dificultar a realização deste exame na prática clínica.

Normal 90-100%
Depleção Leve 89-75%
Depleção Grave < 40%
EXAMES LABORATORIAIS
Avaliação do Estado Nutricional

Parâmetros
Urina

• Excreção
Creatina

Creatina
Dosagem úrica (%)
EXAMES LABORATORIAIS
Avaliação do Estado Nutricional

Indicadores Bioquímicos
Colesterol: álcool policíclico de cadeia longa, considerado usualmente um
esteroide encontrado nas membranas celulares, transportado no plasma
sanguíneo. A hipocolesterolemia (abaixo de 150mg/dl) tem sido estudada
como índice prognóstico em desnutrição, com detecção de aumento da
mortalidade e tempo de permanência hospitalar. Níveis aumentados de
colesterol são fator de risco para doença coronariana

Colesterol < 200m g/dL


EXAMES LABORATORIAIS
Avaliação do Estado Nutricional

Parâmetros
Séricos

• Sangue
Colesterol

Colesterol
Dosagem Sérica (g/dL)
LDL e HDL
EXAMES LABORATORIAIS
Avaliação do Estado Nutricional

Indicadores Bioquímicos
Glicemia: nível de glicose no sangue podendo ser caracterizada por
hipoglicemia, hiperglicemia e estado nutricional de glicose normal.

Glicemia 70 – 99 mg/dL
EXAMES LABORATORIAIS
Avaliação do Estado Nutricional

Parâmetros
Séricos

• Sangue
Glicose

Glicose
Dosagem Sérica (g/dL)
EXAMES LABORATORIAIS
Avaliação do Estado Nutricional

Indicadores Bioquímicos
Fosfatase alcalina: enzima com função catalítica de grupos fosfatos
(desfosforilação) para várias moléculas. A fosfatase alcalina é produzida por
órgãos e tecidos como ossos, fígado e placenta.

Fosfatase Alcalina 50 – 250 U/L


EXAMES LABORATORIAIS
Avaliação do Estado Nutricional

Parâmetros
Séricos

• Sangue
Fosfatase Alcalina

Fosfatase Alcalina
Dosagem Sérica (U/L)
EXAMES LABORATORIAIS
Avaliação do Estado Nutricional

Indicadores Bioquímicos
Equilíbrio Ácido-base: Para que seja mantida a estabilidade no meio interno
deve haver equilíbrio entre a produção e a remoção de íons H+.

H2CO3 HCO3- + H+
EXAMES LABORATORIAIS
Avaliação do Estado Nutricional

Parâmetros
Séricos/Rins/Pulmão Ácido Carbônico Bicarbonato

H2CO3 HCO3- + H+

• Sangue Ácido Carbônico Anidrase Carbônica Dióxido de Carbono


Ácido-base
H2CO3 CO2 + H2O

Ácido-base CO2 + H2O H2CO3 HCO3- + H+


Dosagem Sérica (U/L)
EXAMES LABORATORIAIS
Avaliação do Estado Nutricional

Indicadores Bioquímicos
Ferro: desempenha funções importantes no metabolismo humano (transporte
e armazenamento de oxigênio, reações de liberação de energia na cadeia
transportadora de elétrons, conversão de ribose a desoxirribose, co-fator de
algumas reações enzimáticas, etc).

Ferro 40 – 180 mcg/dL


EXAMES LABORATORIAIS
Avaliação do Estado Nutricional

Indicadores Bioquímicos
Cálcio: metal alcalino-terroso fundamental à homeostase do organismo e
funções primordiais como contração muscular, controle de algumas enzimas
quinases que realizam funções de fosforilação, processos de transferência do
fosfato, processos de transcrição, ativação de genes e apoptose
EXAMES LABORATORIAIS
Avaliação do Estado Nutricional

Indicadores Bioquímicos
Fósforo: o fósforo (P) é amplamente distribuído na natureza, sendo
encontrado em todas as células, o que significa que todas as fontes
alimentares (vegetais ou animais) são potenciais fontes de fósforo. É
encontrado também em bebidas carbonatadas na forma de fosfato. Assim,
pode-se considerar rara sua deficiência primária.
EXAMES LABORATORIAIS
Avaliação do Estado Nutricional

Indicadores Bioquímicos
Sódio: o sódio é um elemento químico encontrado no sal de cozinha (cloreto
de sódio) e em grande parte dos alimentos. Uma parcela desse sódio está
presente naturalmente nos alimentos, porém a maior parte dele é adicionada,
por consumidores, produtores e manipuladores, durante o consumo,
fabricação e preparo dos alimentos, na forma de sal ou outros aditivos que
contém sódio.
EXAMES LABORATORIAIS
Avaliação do Estado Nutricional

Indicadores Bioquímicos
Potássio: o potássio é um elemento de origem mineral e encontra-se
profusamente presente em praticamente todos os tipos de alimentos, sejam
de origem animal ou vegetal, embora existam em maior quantidade nos
alimentos de origem vegetal. O potássio tem uma elevada taxa de absorção, na
ordem dos 90%, sendo esta realizada pelo através do intestino delgado.