Você está na página 1de 5

TÉCNICA DE PILATES NO TRATAMENTO DA INCONTINÊNCIA URINÁRIA

EM MULHERES IDOSAS

Ianna Patrícia Reis da Silva1

Maria Tereza Barreira Santos1

Jaqueline Borges1
1
Atelier do Corpo, Salvador, Ba

Resumo
Objetivo: Estudar a influência da Técnica de Resultados: As duas idosas apresentavam
Pilates no manejo da incontinência urinária em episódios de perdas urinárias há mais de 2 anos,
mulheres idosas. principalmente ao espirrar ou tossir. Uma delas
Relato de caso: Foram analisadas duas mulheres teve 10 filhos e a outra teve 12 filhos, todos de
idosas de 74 e 77 anos com sintomas de parto vaginal. Após o período de intervenção as
incontinência urinária de esforço no período de pacientes aprovaram o tratamento, relatando
março à maio de 2005. Inicialmente foi aplicado melhora da incontinência urinária. Foi realizado
um formulário para levantamento de dados das novamente o exame digital, no qual observou-se
pacientes. Em seguida, foi feita a avaliação ganho de força muscular do períneo.
funcional do assoalho pélvico através do exame Conclusão: Os resultados obtidos com este estudo
digital, utilizando como instrumento de avaliação mostram que as idosas se beneficiaram com o
o Esquema Perfect. As idosas foram inseridas tratamento proposto. Sendo assim, a Técnica de
num programa de reabilitação com a Técnica de Pilates pode ser uma alternativa a mais na
Pilates. Numa freqüência de duas vezes por reabilitação da incontinência urinária em mulheres
semana, durante três meses elas realizaram idosas, promovendo a melhora da qualidade de
exercícios em aulas com duração de 1 hora e 20 vida dessas pacientes.
minutos. Foram realizados exercícios no chão e
nos aparelhos (Trapézio, Reformer, Chair) para Palavras-chave: Técnica de Pilates, Incontinência
fortalecimento do abdome e do assoalho pélvico. Urinária, Idoso.
Introdução 2:14,5. Afeta cerca de 30% dos indivíduos idosos
da comunidade e 50% daqueles internados em
A Técnica de Pilates promove harmonia asilos3.
e equilíbrio corporal para todas as idades, A Sociedade Internacional de
condicionando o corpo através dos exercícios. Os Incontinência define a incontinência como a
benefícios desta técnica vêm sendo amplamente condição na qual a perda involuntária de urina é
difundidos, apresentando excelentes resultados na um problema social ou higiênico e é
reabilitação e no condicionamento físico não só de objetivamente demonstrada6,7,8. A IU é muitas
pessoas saudáveis, como também nos portadores vezes erroneamente interpretada como parte
de disfunções osteomioarticulares e patologias natural do envelhecimento. Alterações que
neurológicas1. comprometem o convívio social como vergonha,
Por ser um método que tem como depressão e isolamento, freqüentemente fazem
princípios básicos o controle e a precisão do parte do quadro clínico, causando grande
movimento, a concentração e a respiração, o transtorno aos pacientes e familiares8.
Pilates pode ser uma boa alternativa na prática de Fortalecer o abdome (centro de força) e o
atividade física e na reabilitação de idosos. Além assoalho pélvico é um dos objetivos da Técnica de
do ganho de força trabalha-se o equilíbrio, a Pilates9. Sendo assim, surgiu o interesse em
coordenação motora e a concentração, podendo pesquisar quais os efeitos desta técnica no
oferecer um retardo ou estabilização no processo tratamento da IU resultante da fraqueza do
de envelhecimento1. períneo, em mulheres idosas.
A população idosa é um dos segmentos Com as melhorias dos indicadores de
que mais cresce na sociedade. Associada a esta saúde, como o aumento da expectativa de vida é
transformação demográfica encontra-se inúmeras necessário que se observe o fenômeno do
condições clínicas, como a incontinência urinária envelhecimento populacional. Cada vez mais os
(IU), que podem alterar a qualidade de vida (QV) profissionais de saúde devem estar atentos e aptos
do idoso2,3. A prevalência de IU aumenta com a a tratar as doenças do idoso, com o intuito de
idade e é maior entre as mulheres do que entre os promover uma melhor QV.
homens, com uma proporção de aproximadamente

Relato de Caso

Incontinência urinária é a perda de urina. anos10. Contrária à crença popular, a IU não é uma
Só no Brasil, esse problema atinge 6 milhões de condição normal da idade, embora os músculos do
pessoas, gerando, além do desconforto físico, trato urinário possam perder algum tônus com o
constrangimento que se refletem na QV dos envelhecimento8.
indivíduos. Embora não seja uma doença, mas, A incontinência é classificada em
sim, uma condição, a perda involuntária de urina diferentes tipos de acordo com o problema de base
não é normal, devendo ser investigada e tratada causando a condição. Na incontinência transitória,
adequadamente10. uma causa reversível pode ser determinada. Mais
No final desta década, pesquisas da metade das pessoas idosas tem uma causa
elaboradas mostraram que em média as mulheres reversível como: infecção urinária, uso de certas
permanecem de 5 a 8 anos com IU até que algum medicações, mobilidade restrita, entre outras3,8.
profissional da área de saúde as questione sobre o Quando uma causa reversível não pode
assunto, resultando em piora dos sintomas, queda ser determinada, ela é classificada como
da auto-estima e dificuldade de relacionamento incontinência persistente8. Os tipos de
social4. incontinência persistentes são: incontinência de
Pesquisadores preconizam, então a estresse ou esforço (na qual pequenas quantidades
aplicação de questionários sobre sinais e sintomas de urina são perdidas quando a pessoa tosse,
relacionados a IU a ser aplicado a todas as espirra ou faz qualquer atividade repentina que
pacientes, quando submetidas às consultas de aumenta a pressão dentro do abdome; é o tipo
saúde, independente da idade, facilitando a melhor mais comum de incontinência na mulher),
abordagem entre o profissional e a mulher4. incontinência de urgência (refere a inabilidade em
A IU é mais comum entre pessoas idosas, atrasar a micção quando a pessoa sente que a
afetando um terço daqueles com mais de 60 bexiga estar cheia), incontinência por
transbordamento (na qual a bexiga enche em também é incluso na “casa de força”pela forma
excesso e pequenas quantidades de urina vazam que esse arranjo de músculos e ligamentos
sem qualquer aviso) e incontinência mista quando conecta-se ao sistema nervoso central dos
há uma combinação dos tipos acima3,8. músculos profundos abdominais9. O
As formas de tratamento variam de fortalecimento da região central, então, pode
acordo com o tipo da mesma. As principais promover bons resultados para pacientes com
intervenções conservadoras estão relacionadas a disfunções desses músculos.
mudanças de comportamento e exercícios O presente estudo foi realizado na cidade
perineais, bem como a terapêutica farmacológica. de Salvador, Bahia, Brasil, com mulheres idosas
Os procedimentos cirúrgicos são usualmente acima de 60 anos (segundo critério da
recomendados em casos mais graves de Organização Mundial da Saúde). Foram avaliadas
incontinência4. duas mulheres de 74 e 77 anos com sintomas de
As causas mais comuns da IU são IU de esforço, no período de março à maio de
multiparidade (gestação/parto vaginal), obesidade 2005.
mórbida, diabetes, imobilidade, alterações da A avaliação consistiu inicialmente na
cognição, medicação (diuréticos), obstipação, aplicação de um formulário para levantamento de
deficiência estrogênica, acidente vascular dados das pacientes como: história de patologias
cerebral, Doença de Parkinson e atividades físicas pregressas, uso de medicações, quantidade de
de alto impacto. A incontinência ocorre quando o filhos, parto, cirurgia ginecológica, tempo que
estoque e o esvaziamento da urina na bexiga não apresenta perdas urinárias, visitas ao médico,
funcionam de maneira coordenada. Esta falta de tratamento para a IU, impacto da IU na qualidade
coordenação entre os processos de estoque e de vida diária. Posteriormente foi feita uma
esvaziamento é devido a um mau funcionamento avaliação funcional do assoalho pélvico para
dos nervos e músculos da bexiga ou uretra. Em verificar a força de contração voluntária dos
mulheres, a incontinência pode também ser músculos do períneo. Essa função foi avaliada
causada por uma perda de suporte da bexiga e pelo exame digital, no qual foi solicitado às
uretra10. pacientes que contraísse e mantesse a contração
Os músculos do assoalho pélvico vão dos músculos perineais ao redor do dedo do
desde o osso púbico até o cóccix, abaixo dos examinador, de acordo com o Esquema Perfect12
músculos abdominais. Para estar em boas (Tabela 1).
condições, esses músculos devem ser capazes de Tabela 1:Esquema Perfect para avaliação
segurar a urina, gases, fezes e também relaxar. funcional do assoalho pélvico:
Um assoalho pélvico forte é importante para
homens e mulheres, pois apóiam os órgãos 0 Ausência de resposta muscular dos
internos. A deficiência desses músculos pode músculos perivaginais
causar problemas no trato urinário na meia- 1 Esboço de contração muscular não
idade11. sustentada
Arnold Kegel foi um dos primeiros a 2 Presença de contração de pequena
prescrever exercícios para o assoalho pélvico, intensidade, mas que se sustenta
principalmente para mulheres cujos músculos do 3 Contração moderada, sentida como um
períneo estavam frouxos por causa do parto. A aumento de pressão intra-vaginal, que
eficácia dos exercícios depende da motivação e de comprime os dedos do examinador com
como os exercícios são feitos. Mais recentemente, pequena elevação cranial da parede vaginal
bolas vêm sendo usadas no tratamento da IU e na 4 Contração satisfatória, aquela que aperta os
reabilitação de pacientes com disfunções do dedos do examinador com elevação da
assoalho pélvico. Carriére acredita que 90% dos parede vaginal em direção à sínfise púbica
casos de incontinência causados pelo estresse 5 Contração forte: compressão firme dos
podem ser melhorados ou curados com exercícios dedos do examinador com movimento
simples, como pressionar suavemente uma bola positivo em direção à sínfise púbica
entre os joelhos, fazendo com que mais fibras
musculares sejam recrutadas11. Para serem inclusas neste estudo as
A Técnica de Pilates tem como um dos idosas tiveram que apresentar história prévia de
princípios fundamentais a “casa de força”que é o perdas urinárias há pelo menos três meses, que
centro de todo movimento. Os três músculos fossem capazes de contrair a vagina e que
abdominais trabalham com os músculos da coluna tivessem o desejo de participar da pesquisa. Para
para formar o centro de força. O assoalho pélvico isso as mesmas assinaram um termo de
consentimento livre no qual foi informado o (MMII) com bola e círculo mágico, adução e
objetivo do trabalho. abdução de MMII com resistência das mãos,
As duas idosas inseridas no programa de abdução e adução de MMII com pés no chão e
reabilitação com a Técnica de Pilates realizaram com pés no ar (borboleta e borboleta aérea), cair
exercícios para fortalecer o centro de força lados, abdominal reto e oblíquo, rolamento
(abdome e assoalho pélvico) numa frequência de pélvico (com pés sobre a caixa, com bolinha entre
duas vezes por semana, durante três meses. Os os joelhos), flexão e extensão dos joelhos e
exercícios foram realizados no chão e nos quadril na bola, Reformer, Chair e Trapézio (série
aparelhos (Trapézio, Reformer, Chair) e seguiram de pliés).
os princípios da Técnica de Pilates, foram ainda
utilizados acessórios como bolas, círculo mágico,
thera-band e caixas. Os exercícios aplicados na
intervenção foram: adução de membros inferiores

Resultados Conclusão

As duas pacientes referiram que a IU Os resultados obtidos com este estudo


mudou para pior a qualidade de vida diária, o mostram que as idosas se beneficiaram com a
convívio social e familiar. As idosas relataram Técnica de Pilates, reduzindo as perdas urinárias.
episódios de incontinência no período diurno, Pode-se observar, então, que a Técnica de Pilates
sendo maior durante o dia quando espirravam ou quando bem indicada possui a vantagem de
tossiam. Uma paciente tinha hipertensão arterial permitir a melhora da IU sem os efeitos colaterais
sistólica controlada com uso de medicação. As que muitas vezes a farmacoterapia impõe e que
duas foram submetidas à plástica vaginal a com freqüência faz a paciente desistir do
aproximadamente três anos. Uma das idosas teve acompanhamento, acreditando que a IU não tem
10 filhos e a outra, 12 filhos, todos de parto cura e que ela deve conviver com este
vaginal. desconforto.
No que diz respeito à duração dos A Técnica de Pilates pode ser utilizada
sintomas de perdas urinárias, as pacientes como uma modalidade terapêutica a mais no
referiram que perdiam urina há mais de dois anos. tratamento da IU em mulheres idosas motivadas e
No exame físico observou-se força muscular grau sem prejuízo cognitivo, visando a recuperação e o
3 para o períneo. bem-estar da mulher.
Após o término do período de Uma das limitações deste estudo foi o
intervenção (12 semanas), as pacientes aprovaram pequeno número de pacientes submetidos à
o tratamento proposto. Foi novamente realizado o intervenção e a escassez de material teórico
teste de força muscular e as idosas foram capazes relacionando a IU e o tratamento com a Técnica
de contrair a vagina e sustentar a contração de Pilates. Novos estudos devem ser realizados
vaginal com melhor desempenho, apresentando com o objetivo de verificar em outros grupos os
força muscular grau 4. benefícios da Técnica de Pilates na reabilitação da
IU.
Referência Bibliográfica

1- Pilates na Melhor Idade. necessidade da realização de


www.academiadepilates.com.br. propedêutica diagnóstica específica” . In:
Acessado em 10/03/05. Reprodução e Climatério. V. 16, n. 3,
2- DUARTE, Y.A.O.; DIOGO, M.J.D. 2001.
Atendimento Domiciliar Um Enfoque 8- REIS, R.B.; COLOGNA, A.J.;
Gerontológico, São Paulo: Editora MARTINS, A.C. “Incontinência Urinária
Atheneu, 2000. p. 373 – 386. no Idoso” . In: Acta Cirúrgica Brasileira.
3- MACIEL, A.C. “Incontinência Urinária” . São Paulo, v. 18, s. 5, 2003
In: Tratado de Geriatria e Gerontologia. 9- CRAIG, COLLEN. “Por que outro livro
Rio de Janeiro. Editora Guanabara sobre condicionamento dos músculos
Koogan, p. 635, 2002. abdominais?”In: Abdominais com Bola –
4- GLASHAN, R.Q.; LELIS, M.A.S.; Uma Abordagem de Pilates para o
FERA, PATRÍCIA; BRUSCHINI, Fortalecimento e Definição dos
HOMERO. Intervenções Músculos Abdominais. 1. ed. São Paulo.
Comportamentais e Exercícios Perineais Phorte Editora Ltda, p. 4 e 5, 2004.
no Manejo da Incontinência Urinária em 10- Incontinência Urinária. In:
Mulheres Idosas. In: www.drashirleydecampos.com.br.
www.drashirleydecampos.com.br. Acessado em 14/05/05.
Acessado em 14/05/05. 11- CRAIG, COLLEN. “Abdominais com
5- PAULS, JULIE. “Incontinência Urinária Bola: Nível Básico.”In: Abdominais com
e Comprometimento do Assoalho Bola – Uma Abordagem de Pilates para
Pélvico no Idoso” . In: Fisioterapia o Fortalecimento e Definição dos
Geriátrica. 2. ed. Rio de Janeiro. Editora Músculos Abdominais. 1. ed. São Paulo.
Guanabara Koogan, p. 322, 2002. Phorte Editora Ltda, p. 30, 2004.
6- FELDNER, P.C.; BEZERRA, L.R.P.S.; 12- MORENO, A.L.; MITRANO,
GIRÃ O, M.J.B.C.; CASTRO, R.A. PRESCILIANA. “Avaliação Funcional.”
“Valor da Queixa Clínica e Exame no In: Fisioterapia em Uroginecologia. p.
Diagnóstico da Incontinência Urinária” . 108, Editora Manole.
In: Revista Brasileira de Ginecologia e
Obstetrícia. Rio de Janeiro, V. 24, n. 2,
2002.
7- ABRÃ O, L.J.; GEO, M.S.; LIMA,
R.S.B.C.; PATRÍCIA, A.D.
“Incontinência Urinária em pacientes
com mais de 60 anos: avaliação da