Você está na página 1de 2

Ministério da Educação

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ


Câmpus Ponta Grossa

PLANO DE ENSINO
CURSO Curso Superior de Engenharia de Produção MATRIZ 77

FUNDAMENTAÇÃO Criação do curso dada pela Resolução n. 158/09 - COEPP de 11/12/2009.


LEGAL

DISCIPLINA/UNIDADE CURRICULAR CÓDIGO PERÍODO CARGA HORÁRIA (horas)


AT AP APS TOTAL
Metrologia Mecânica EP33F 3º
11 30 04 45
AT: Atividades Teóricas, AP: Atividades Práticas; APS: Atividades Práticas Supervisionadas.

PRÉ-REQUISITO EP32D - Probabilidade e Estatística


EQUIVALÊNCIA EM33G - Metrologia Mecânica

OBJETIVOS
Desenvolver no aluno a compreensão dos processos de medição, da utilização de procedimentos que garantam
a qualidade e segurança necessária para a metrologia.

EMENTA
Unidades de medida. Vocabulário internacional de metrologia. Condições ambientais para metrologia.
Instrumentos de medição. Estrutura metrológica. Padrões. Incerteza de medição. Resultado da medição.
Calibração de instrumentos. Calibradores passa-não-passa. Medição de tolerâncias geométricas. Máquina de
medir por coordenadas. Medição de rugosidade.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
ITEM EMENTA CONTEÚDO
Breve histórico da Metrologia, Unidades do Sistema
1 Unidades de medidas Internacional (básicas e derivadas). Principais grandezas e
suas unidades usadas na metrologia dimensional.
Conhecer o vocabulário internacional de metrologia,
2 Vocabulário internacional principais definições de todos os parâmetros característicos
e a literatura oficial existente.
Conhecer os ambientes ligados aos processos de
3 fabricação e laboratórios e suas particularidades,
Condições ambientais para Metrologia
relacionando os cuidados e procedimentos recomendados
para as medições e controles.
Conhecer os tipos e realizar leituras dos principais
4 instrumentos de medição para metrologia dimensional como
Instrumentos de medição
paquímetro, micrômetro, escalas, goniômetro e relógio
comparador.
Sistema de metrologia legal, metrologia científica, principais
5 Estrutura Metrológica entidades/institutos responsáveis pelos procedimentos e
padronizações para a metrologia.

6 Definição de Padrão, conhecer os padrões das principais


Padrões
grandezas usadas na metrologia dimensional.

7 Definição de incerteza. Entender como valor único e ligado


Incerteza de medição
ao erro ou caracterizado pelo fabricante.
Definição de resultado de medição e relacioná-lo com as
8 Resultado de medição variáveis de incerteza de medição, as médias dos valores
de medição e os erros envolvidos.
Importância da calibração dos instrumentos, sequência de
procedimentos que devem ser seguidos para a correta
9 calibração do instrumento em um laboratório. Conhecer as
Calibração de instrumentos
exigências com relação aos prazos de calibração exigidos
para os instrumentos que são usados para controlar os
processos de fabricação.
Conhecer os tipos e suas particularidades e relacioná-las
10 Calibradores passa não passa com o controle de qualidade e as tolerâncias exigidas em
um produto.
Conhecer as normas que regem as tolerâncias geométricas.
Classificar as tolerâncias geométricas de forma e posição.
11 Medição de tolerância Geométrica Conhecer os procedimentos básicos e os respectivos
instrumentos para determinar os valores das tolerâncias
geométricas.
12 Máquina de medir por coordenada Definição, tipos e efetuar medições
Definir rugosidade, conhecer o aparelho (rugosímetro) e
13 Medição de rugosidade e Medição de
efetuar medição. Definição de dureza, aplicação e tipos de
Dureza
dureza.

PROCEDIMENTOS DE ENSINO
AULAS TEÓRICAS
Aulas expositivas e dialogadas nas quais poderão ser utilizados como recursos didáticos: multimídia,
computador, ambiente virtual de aprendizagem (moodle), entre outros que se fizerem necessários.
AULAS PRÁTICAS
As aulas práticas poderão incluir o uso de atividades em laboratórios, computadores, softwares, visitas
técnicas, exercícios, estudos de caso e demais ferramentas eventualmente necessárias para a disciplina.
ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS
Atividades acadêmicas desenvolvidas sob orientação, supervisão e avaliação de docentes e realizadas pelos
discentes em horários diferentes daqueles destinados às atividades presenciais (aulas teóricas e aulas
práticas). Estas atividades poderão incluir: estudo dirigido, trabalhos individuais, trabalhos em grupo,
desenvolvimento de projetos, atividades em laboratório, atividades de campo, oficinas, pesquisas, estudos de
casos, seminários, desenvolvimento de trabalhos acadêmicos, dentre outras.

PROCEDIMENTOS DE AVALIAÇÃO
A aprovação dar-se-á por nota final, proveniente de avaliações realizadas ao longo do semestre letivo e por
freqüência. Considerar-se-á aprovado na disciplina o aluno que tiver freqüência igual ou superior a 75%
(setenta e cinco por cento) e nota final igual ou superior a 6,0(seis), consideradas todas as avaliações previstas
no Plano de Aulas. Ao longo do semestre será realizada pelo menos uma avaliação substitutiva, de forma que
o aluno possa recuperar alguma (as) das avaliações do semestre.

REFERÊNCIAS
Referências Básicas:
Lira, Francisco Adval de. Metrologia na indústria. São Paulo: Érica, 2001. 246 p.
Fundação Roberto Marinho. Telecurso 2000 profissionalizante. Mecânica: Metrologia. São Paulo: Editora
Globo S.A., 2000 240 p. (Telecurso 2000. Profissionalizante).
INMETRO. Vocabulário internacional de termos fundamentais e gerais de metrologia. 2 ed. Brasília:
SENAI/DN, 2000. 75 p.
Referências Complementares:
INMETRO. Sistema internacional de unidade. 6. ed. Brasília: SENAI, 2000. 114 p.
INMETRO. Padrões e unidades de medidas: referências metrológicas da França e do Brasil. Rio de Janeiro:
Qualitymark, 1999. 116 p.
LINK, Walter. Metrologia Mecânica: Expressão da incerteza de medição. 2. ed. Rio de Janeiro: [s.n.], 1999.
174 p.
FIALHO, Arivelto Bustamante. Instrumentação industrial: conceitos, aplicação e análises. 6. ed. São Paulo:
Érica, 2007. 278 p.
th
DOTSON, Connie; HARLOW, Roger; THOMPSON, Richard L. Fundamentals of dimensional metrology. 4
ed. New York: Thompson Learning, 2003. 627 p.
WAENY, Jose Carlos de Castro. Controle total da qualidade em metrologia. São Paulo: Makron, 1992. 152p.

_______________________________________________________________________________
Assinatura e Carimbo do Coordenador do Curso