Você está na página 1de 13

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

Rua XV de Novembro, 168, Centro - CEP 46280-000


Fone-Fax: (077)3447-2116
E-mail: smecordeiros2009@yahoo.com.br
CORDEIROS – BAHIA

Mauro Silva de Oliveira


Diretor
Jardas Pereira de Almeida
Vice-diretora
Marinez Luz da Silva Nascimento
Coordenadora Pedagógica
Sueli Soares de Oliveira Sousa
Secretária

“...estamos a caminho de um “ofício novo”, cuja meta é antes fazer


aprender do que ensinar”.
Meirieu

Professores:
Série/Ano:
Período: 15/02/2018 a 08/12/2018
Cordeiros - Bahia
COMPETÊNCIAS GERAIS DA BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR

1.Valorizar e utilizar os conhecimentos historicamente construídos sobre o mundo físico, social, cultural e digital para entender e explicar a
realidade, continuar aprendendo e colaborar para a construção de uma sociedade justa, democrática e inclusiva;
2. Exercitar a curiosidade intelectual e recorrer à abordagem própria das ciências, incluindo a investigação, a reflexão, a análise crítica, a
imaginação e a criatividade, para investigar causas, elaborar e testar hipóteses, formular e resolver problemas e criar soluções (inclusive
tecnológicas) com base nos conhecimentos das diferentes áreas;
3. Valorizar e fruir as diversas manifestações artísticas e culturais, das locais às mundiais, e também participar de práticas diversificadas da
produção artístico-cultural;
4. Utilizar diferentes linguagens – verbal (oral ou visual-motora, como Libras, e escrita), corporal, visual, sonora e digital –, bem como
conhecimentos das linguagens artística, matemática e científica, para se expressar e partilhar informações, experiências, ideias e sentimentos
em diferentes contextos e produzir sentidos que levem ao entendimento mútuo;
5. Compreender, utilizar e criar tecnologias digitais de informação e comunicação de forma crítica, significativa, reflexiva e ética nas diversas
práticas sociais (incluindo as escolares) para se comunicar, acessar e disseminar informações, produzir conhecimentos, resolver problemas e
exercer protagonismo e autoria na vida pessoal e coletiva;
6. Valorizar a diversidade de saberes e vivências culturais e apropriar-se de conhecimentos e experiências que lhe possibilitem entender as
relações próprias do mundo do trabalho e fazer escolhas alinhadas ao exercício da cidadania e ao seu projeto de vida, com liberdade,
autonomia, consciência crítica e responsabilidade;
7. Argumentar com base em fatos, dados e informações confiáveis, para formular, negociar e defender ideias, pontos de vista e decisões
comuns que respeitem e promovam os direitos humanos, a consciência socioambiental e o consumo responsável em âmbito local, regional e
global, com posicionamento ético em relação ao cuidado de si mesmo, dos outros e do planeta;
8. Conhecer-se, apreciar-se e cuidar de sua saúde física e emocional, compreendendo-se na diversidade humana e reconhecendo suas
emoções e as dos outros, com autocrítica e capacidade para lidar com elas;
9. Exercitar a empatia, o diálogo, a resolução de conflitos e a cooperação, fazendo-se respeitar e promovendo o respeito ao outro e aos
direitos humanos, com acolhimento e valorização da diversidade de indivíduos e de grupos sociais, seus saberes, identidades, culturas e
potencialidades, sem preconceitos de qualquer natureza;
10. Agir pessoal e coletivamente com autonomia, responsabilidade, flexibilidade, resiliência e determinação, tomando decisões com base em
princípios éticos, democráticos, inclusivos, sustentáveis e solidários.
COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS DE LINGUAGENS PARA O ENSINO FUNDAMENTAL

1. Compreender as linguagens como construção humana, histórica, social e cultural, de natureza dinâmica, reconhecendo-as e valorizando-as
como formas de significação da realidade e expressão de subjetividades e identidades sociais e culturais.
2. Conhecer e explorar diversas práticas de linguagem (artísticas, corporais e linguísticas) em diferentes campos da atividade humana para
continuar aprendendo, ampliar suas possibilidades de participação na vida social e colaborar para a construção de uma sociedade mais justa,
democrática e inclusiva.
3. Utilizar diferentes linguagens – verbal (oral ou visual-motora, como Libras, e escrita), corporal, visual, sonora e digital –, para se expressar e
partilhar informações, experiências, ideias e sentimentos em diferentes contextos e produzir sentidos que levem ao diálogo, à resolução de
conflitos e à cooperação.
4. Utilizar diferentes linguagens para defender pontos de vista que respeitem o outro e promovam os direitos humanos, a consciência
socioambiental e o consumo responsável em âmbito local, regional e global, atuando criticamente frente a questões do mundo
contemporâneo.
5. Desenvolver o senso estético para reconhecer, fruir e respeitar as diversas manifestações artísticas e culturais, das locais às mundiais,
inclusive aquelas pertencentes ao patrimônio cultural da humanidade, bem como participar de práticas diversificadas, individuais e coletivas,
da produção artístico-cultural, com respeito à diversidade de saberes, identidades e culturas.
6. Compreender e utilizar tecnologias digitais de informação e comunicação de forma crítica, significativa, reflexiva e ética nas diversas
práticas sociais (incluindo as escolares), para se comunicar por meio das diferentes linguagens e mídias, produzir conhecimentos, resolver
problemas e desenvolver projetos autorais e coletivos.
COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS DO COMPONENTE CURRICULAR EDUCAÇÃO FÍSICA
1. Compreender a origem da cultura corporal de movimento e seus vínculos com a organização da vida coletiva e individual.
2. Planejar e empregar estratégias para resolver desafios e aumentar as possibilidades de aprendizagem das práticas corporais, além de se
envolver no processo de ampliação do acervo cultural nesse campo.
3. Refletir, criticamente, sobre as relações entre a realização das práticas corporais e os processos de saúde/doença, inclusive no contexto
das atividades laborais.
4. Identificar a multiplicidade de padrões de desempenho, saúde, beleza e estética corporal, analisando, criticamente, os modelos
disseminados na mídia e discutir posturas consumistas e preconceituosas.
5. Identificar as formas de produção dos preconceitos, compreender seus efeitos e combater posicionamentos discriminatórios em relação às
práticas corporais e aos seus participantes.
6. Interpretar e recriar os valores, os sentidos e os significados atribuídos às diferentes práticas corporais, bem como aos sujeitos que delas
participam.
7. Reconhecer as práticas corporais como elementos constitutivos da identidade cultural dos povos e grupos.
8. Usufruir das práticas corporais de forma autônoma para potencializar o envolvimento em contextos de lazer, ampliar as redes de
sociabilidade e a promoção da saúde.
9. Reconhecer o acesso às práticas corporais como direito do cidadão, propondo e produzindo alternativas para sua realização no contexto
comunitário.
10. Experimentar, desfrutar, apreciar e criar diferentes brincadeiras, jogos, danças, ginásticas, esportes, lutas, práticas corporais de aventura
e capoeira, valorizando o trabalho coletivo e o protagonismo.

PLANO DE ANUAL COMPONENTE CURRICULAR - ARTE 6º ANO

I UNIDADE / Período: ---/02/2018 a --/---/2019

UNIDADES TEMÁTICAS
COMPETÊNCIA(S)
/ OBJETOS DE OBJETIVOS ESPECÍFICOS HABILIDADES ESPECIFICAS
CONHECIMENTO

ARTES VISUAIS
Contextos e Práticas

DANÇA
Contextos e Práticas

MÚSICA
Contextos e Práticas
História da música.
• Linguagem musical / gêneros
musicais.

TEATRO 
Elementos da Linguagem
ARTES INTEGRADAS 
Processo de criação

II UNIDADE / Período:____/0 /2019 a ___/0 /2019


UNIDADES TEMÁTICAS
COMPETÊNCIA(S)
/ OBJETOS DE OBJETIVOS ESPECÍFICOS HABILIDADES ESPECIFICAS
CONHECIMENTO


III UNIDADE / Período: ___/0 /2019 a ___/___/2019


UNIDADES TEMÁTICAS
COMPETÊNCIA(S)
/ OBJETOS DE OBJETIVOS ESPECÍFICOS HABILIDADES ESPECIFICAS
CONHECIMENTO



IV UNIDADE / Período: ___/0 /2019 a ___/___/2019

UNIDADES TEMÁTICAS
COMPETÊNCIA(S)
/ OBJETOS DE OBJETIVOS ESPECÍFICOS HABILIDADES ESPECIFICAS
CONHECIMENTO


METODOLOGIA / RECURSOS DIDÁTICOS
Os conteúdos de arte serão trabalhados considerando a importância do fator histórico, com atividades lúdicas afim de que o aluno se expresse nas
linguagens artísticas em atitude de busca pessoal e/ou coletivas, estimulando a percepção, a imaginação, a emoção, a sensibilidade, a criatividade e a reflexão
ao realizar, apreciar e fruir produções em artes para que o aluno se sinta livre para pensar e agir, acertando e errando sem receber ensinamentos prontos e
estereotipados. Os alunos deverão participar do processo ensino aprendizagem de forma ativa e significativa.
 Leitura e compreensão de textos;
 Estudo orientado e atividades diversificadas;
 Músicas, danças, dramatização;
 Confecção de painéis, cartazes e murais;
 Pesquisas;
 Debates;
 Aula expositiva com uso de slides;
 Criação de desenhos e pinturas;
 Recursos didáticos e tecnológicos;
 Utilizar o computador como instrumento para pesquisa e apresentação de informações;
 Trabalhar atividades práticas como gincana e jogos;
 Atividades em grupo;
 Materiais diversos: Lápis de cor, pincel, tinta guache, vídeo, atividades impressas, revistas, tesoura sem ponta, cola, cartolina, papel madeira,
folhas de emborrachado (EVA), entre outros.
AVALIAÇÃO
A avaliação enquanto concepção de educação não tem uma única linha teórica e prática que a sustente, nem um paradigma aceito por todos; o que
existe é uma variedade de formas e maneiras de avaliar. A avaliação da aprendizagem se apresenta nas seguintes modalidades: somativa, processual,
formativa e diagnóstica. Por esta perspectiva a avaliação deve ocorrer sistematicamente durante todo o processo de ensino e aprendizagem e não somente
após o fechamento de etapas de trabalho. Esse aspecto é processual, o que permite ajustes constantes para que o trabalho educativo tenha sucesso.
Critérios para a avaliação (somativa, qualitativa, diagnostica). A avaliação acontecerá através de observação e interferência do professo, registrando os
progressos dos alunos, possibilitando uma reavaliação respeitando seus limites de aprendizagem.
 Resolução de exercícios;
 Trabalhos em grupos e individuais;
 Participação, colaboração e interesse;
 Elaboração de jogos, cartazes e apresentações;
 Atividades desenvolvidas na sala de aula;
 Pesquisas;
 Respeito com os colegas, professores e funcionários;
 Capricho, ordem e cuidado com os materiais e o ambiente escolar;
 Cooperação individual do aluno em relação ao grupo.
10 Serão realizadas atividades de recuperação paralela nos conteúdos em que os alunos encontrarem dificuldades etc...
Recuperação de estudos:
A proposta de avaliação para recuperação de estudo é diagnóstica, contínua, permanente e cumulativa. Não são atribuídas notas nas unidades,
registradas em documentos próprios, pois sabemos que a identificação dos dados de aprendizagem se dá por meio da observação diária dos avanços dos
alunos, das produções individuais e coletivas. É oferecida a recuperação paralela de conteúdos ao longo da unidade.