Você está na página 1de 14

A independência das cidades

A independência das cidades AUGUSTO DE FRANCO Contribuição ao debate da CICI2010 Março 2010 Trabalho entregue
A independência das cidades AUGUSTO DE FRANCO Contribuição ao debate da CICI2010 Março 2010 Trabalho entregue

AUGUSTO DE FRANCO

Contribuição ao debate da CICI2010

Março 2010

das cidades AUGUSTO DE FRANCO Contribuição ao debate da CICI2010 Março 2010 Trabalho entregue ao Domínio

Trabalho entregue ao

Domínio Público

A independência das cidades

A independência das cidades As mudanças sociais que estão ocorrendo nas últimas décadas estão criando condições
A independência das cidades As mudanças sociais que estão ocorrendo nas últimas décadas estão criando condições

As mudanças sociais que estão ocorrendo nas últimas décadas estão criando condições favoráveis à independência das cidades do ponto de vista do desenvolvimento.

Mas o que são cidades?

Mas o que são cidades? Redes de múltiplas comunidades ou instituições hierárquicas locais ?
Mas o que são cidades? Redes de múltiplas comunidades ou instituições hierárquicas locais ?
Mas o que são cidades? Redes de múltiplas comunidades ou instituições hierárquicas locais ?

Redes de múltiplas comunidades

ou instituições hierárquicas locais?

E o que são redes?

E o que são redes? Diagramas de Paul Baran (1964)
E o que são redes? Diagramas de Paul Baran (1964)

Diagramas de Paul Baran (1964)

E o que são redes? Diagramas de Paul Baran (1964)

Redes ≠ Hierarquias

Redes ≠ Hierarquias Redes sociais são padrões de organização em que há abundância de caminhos. Hierarquias
Redes ≠ Hierarquias Redes sociais são padrões de organização em que há abundância de caminhos. Hierarquias

Redes sociais são padrões de organização em que há abundância de caminhos. Hierarquias são o oposto: um campo onde se gerou (artificialmente) escassez de caminhos.

há abundância de caminhos. Hierarquias são o oposto: um campo onde se gerou (artificialmente) escassez de

há abundância de caminhos. Hierarquias são o oposto: um campo onde se gerou (artificialmente) escassez de

As cidades surgiram antes do Estado

As cidades surgiram antes do Estado Cidades-assentamento “horizontais” que se formaram após o final do período
As cidades surgiram antes do Estado Cidades-assentamento “horizontais” que se formaram após o final do período

Cidades-assentamento “horizontais” que se formaram após o final do período neolítico na Europa Antiga e

no Oriente Médio (como Jericó, a partir, talvez, do 6º milênio a. E. C.)

Estado Cidade

Estado Cidade Cidades-Estado da antiguidade (as cidades monárquicas, muradas e fortificadas, que surgiram na
Estado Cidade Cidades-Estado da antiguidade (as cidades monárquicas, muradas e fortificadas, que surgiram na

Cidades-Estado da antiguidade (as

cidades monárquicas, muradas e fortificadas, que surgiram na Mesopotâmia a partir do 4º milênio, como Uruk, Ur, Lagash etc.)

Estado Cidade

Estado Cidade Cidades – burgos – organizadas em torno do comércio nos períodos feudais. Cidades
Estado Cidade Cidades – burgos – organizadas em torno do comércio nos períodos feudais. Cidades

Cidades – burgos – organizadas em torno do comércio nos períodos feudais. Cidades correspondentes aos Estados principescos e reais. Cidades como instâncias subnacionais (ou domínios do Estado-nação).

A brecha

A brecha Atenas (509-322 a. E. C.) A Polis não era a Cidade-Estado e sim a
A brecha Atenas (509-322 a. E. C.) A Polis não era a Cidade-Estado e sim a

Atenas (509-322 a. E. C.)

A Polis não era a Cidade-Estado e sim a koinomia (comunidade) política

Democracia Espaço Público

As cidades sempre estiveram na ponta da inovação

As cidades sempre estiveram na ponta da inovação Bruges – Pólo da nascente ordem comercial moderna
As cidades sempre estiveram na ponta da inovação Bruges – Pólo da nascente ordem comercial moderna

Bruges – Pólo da nascente ordem comercial moderna (no final do século 12)

Veneza (até 1500) - Primeiro centro

globalizado da Europa

Antuérpia – Centro financeiro (na primeira

metade do século 16)

Gênova - Centro financeiro (na segunda metade do século 16)

As cidades sempre estiveram na ponta da inovação (continuação)

sempre estiveram na ponta da inovação (continuação) Amsterdã – Centro financeiro (na passagem do século 17
sempre estiveram na ponta da inovação (continuação) Amsterdã – Centro financeiro (na passagem do século 17

Amsterdã – Centro financeiro (na passagem do século 17 para o 18)

Londres - Primeira democracia de mercado, onde o valor agregado industrial, impulsionado pelo vapor, ultrapassou, pela primeira vez na história, o da agricultura

Boston – Fabricação de máquinas (no início do século 20)

Nova Iorque - Eletricidade

As cidades sempre estiveram na ponta da inovação (conclusão)

cidades sempre estiveram na ponta da inovação (conclusão) Los Angeles e às cidades do Vale do
cidades sempre estiveram na ponta da inovação (conclusão) Los Angeles e às cidades do Vale do

Los Angeles e às cidades do Vale do

Silício Digitalfarm (final do século 20)

Cidades transnacionais (Barcelona, Milão,

Lion, Roterdã)

Cidades-pólo tecnológicas (Omaha,

Tulsa, Dublin, Bangalore)

Coligações de cidades (Área

metropolitana de Shutoken: Tóquio, Kanagawa, Chiba e Saitama; área de Osaka)

As cidades continuarão na ponta da inovação

As cidades continuarão na ponta da inovação Redes de cidades Cidades-redes
As cidades continuarão na ponta da inovação Redes de cidades Cidades-redes

Redes de cidades

Cidades-redes

A glocalização

A glocalização O futuro mundo as redes distribuídas não será, como previa McLuhan, uma aldeia global
A glocalização O futuro mundo as redes distribuídas não será, como previa McLuhan, uma aldeia global

O futuro mundo as redes distribuídas não será, como previa McLuhan, uma aldeia global mas miríades de aldeias globais!

=> Cada local virando o mundo, fractalmente