Você está na página 1de 160

Quem foi Elias na Bíblia?

Elias foi um profeta de Deus, que viveu em Israel no tempo do


rei Acabe. Deus usou Elias para fazer milagres e trazer
julgamento sobre a nação de Israel por sua adoração ao deus
Baal. No final de sua vida, Elias foi arrebatado para o Céu em
um carro de fogo. Seu sucessor foi Eliseu.

Elias, Acabe e Jezabel

Acabe, rei de Israel, se casou com Jezabel, uma princesa


estrangeira que o induziu a adorar o deus Baal, em vez de
adorar a Deus. Por isso, Deus enviou Elias para profetizar
contra Acabe, avisando que não ia chover nos próximos anos.

Depois de profetizar, Elias ficou escondido e foi alimentado por


corvos. Mais tarde, Elias foi para a cidade de Sarepta e ficou na
casa de uma viúva que ele ajudou, fazendo sua comida
milagrosamente durar muito tempo. Por sua oração, Deus
ressuscitou o filho da viúva (1 Reis 17).

Depois de três anos de seca, Deus mandou Elias se encontrar


com Acabe outra vez. Elias confrontou Acabe por sua idolatria
e desafiou os profetas de Baal no monte Carmelo. Eles
construíram um altar e pediram que Baal enviasse fogo para o
sacrifício mas nada aconteceu.

Depois de muitas horas, Elias construiu um altar a Deus, o


encharcou de água e pediu a Deus para enviar fogo. Deus
enviou fogo que consumiu tudo no altar. Então, Elias matou os
profetas de Baal e avisou o rei Acabe que ia chover (1 Reis 18).
Quando Jezabel ouviu sobre a morte dos profetas de Baal, ela
ameaçou matar Elias. Por isso Elias fugiu e pediu a morte a
Deus. Guiado por Deus, Elias foi para o monte Horebe, onde
falou com Deus. Elias se queixou que os israelitas
abandonaram o Senhor, mas Deus o animou e o enviou de
volta para ungir o próximo rei de Israel (1 Reis 19). No fim, o
rei Acabe foi morto como castigo de sua idolatria.

Elias e Eliseu

Quando voltou de Horebe, Elias recrutou um homem chamado


Eliseu como seu assistente. No fim de sua vida, Elias e Eliseu
atravessaram o rio Jordão. Enquanto caminhavam na margem
do Jordão, Elias foi levado para o Céu em um redemoinho
dentro de um carro de fogo puxado por cavalos de fogo. Eliseu
foi seu sucessor, continuando seu ministério (2 Reis 2).

Elias no Novo Testamento

Na transfiguração, Elias apareceu conversando com Jesus e


Moisés (Marcos 9:2-4). O povo pensou que tanto João Batista
como Jesus eram Elias, por causa dos milagres e porque o livro
de Malaquias disse que Elias voltaria antes do dia do Senhor
(Malaquias 4:5-6). mas tanto Jesus como João Batista negaram
ser Elias. Jesus disse que João Batista era como Elias, pregando
o arrependimento e preparando o caminho.

Tiago 5:17-18 usa Elias como exemplo do poder da


oração. Elias era uma pessoa normal mas orou com fé e
milagres aconteceram.
Quem foi Davi na Bíblia?

Davi foi o rei mais famoso de Israel e antepassado de


Jesus. Ele foi um pastor de ovelhas, líder militar, rei, músico e
poeta. Davi escreveu muitos salmos e foi chamado um homem
“segundo o coração de Deus” (Atos dos Apóstolos 13:22).

Antes de ser rei

Davi era o filho mais novo de um homem chamado Jessé, que


morava em Belém. Ele cuidava das ovelhas de seu pai e tocava
harpa. Quando Deus rejeitou Saul como rei, Ele enviou o
profeta Samuel para ungir Davi rei e Davi ficou cheio do
Espírito Santo (1 Samuel 16:12-13).

Mais tarde, Davi foi trabalhar para o rei Saul como escudeiro e
tocando harpa. Quando os filisteus atacaram Israel, Davi
derrotou o gigante Golias e se tornou um guerreiro famoso e
popular. Saul ficou com inveja dele, porque tinha sucesso em
tudo que fazia, e tentou matá-lo (1 Samuel 18:7-9). Mas
Jônatas, filho de Saul, era amigo de Davi e o ajudou a fugir.

Davi se tornou fugitivo durante vários anos. Ele juntou um


grupo de guerreiros e se tornou um mercenário. Davi se
recusou a matar Saul, mesmo sabendo que seria rei depois
dele (1 Samuel 24:6-7).

Davi, o rei

Quando Saul morreu em batalha, Davi se tornou rei da tribo de


Judá. Ele reinou sobre Judá durante sete anos, até Is-Bosete, o
herdeiro de Saul, morrer. Depois ele se tornou rei de todo
Israel (2 Samuel 5:4-5).
Davi teve muitas guerras e muitas vitórias durante seu
reinado. Ele consolidou o poder de Israel e tornou Jerusalém a
capital. Davi trouxe a Arca da Aliança para Jerusalém e fez os
preparativos para seu filho Salomão construir o templo.

A família de Davi

Davi teve várias esposas e concubinas. Um dia, ele cometeu


adultério com Bate-Seba, a esposa de Urias. Ela engravidou e
Davi mandou matar Urias para ficar com ela. Mas Deus
castigou Davi por seu pecado e a criança morreu (2 Samuel
12:13-14). Davi se arrependeu mas depois disso teve muitos
problemas com sua família.

Davi governava bem seu país mas não sua família. Alguns de
seus filhos eram rebeldes e violentos. Eles causaram muitos
problemas a Davi e três de seus filhos foram mortos.

Por que Deus abençoou Davi?

Davi não era um homem perfeito mas ele amava a Deus. Davi
fazia seu melhor para obedecer a Deus de coração. Quando ele
pecava, Davi reconhecia seus erros e se arrependia de verdade
(Salmos 51:1-4). Ele não era arrogante, sabia que era pecador e
que precisava de Deus.

Como todos nós, Davi tinha muitos pecados mas ele se


arrependia com humildade. Ele sabia que sua salvação
dependia totalmente de Deus (Salmos 51:12-13). Por isso,
Deus o abençoou, garantindo sua descendência. Jesus, o
salvador o rei eterno, foi conhecido como descendente de Davi
(Mateus 1:1).
Quem foi Ester na Bíblia?

Ester foi uma jovem judia que casou com o rei da Pérsia e
salvou o povo judeu do extermínio. Seu nome hebraico era
Hadassa e ela era órfã, criada por seu primo Mardoqueu.

A história de Ester

Ester se torna rainha

Durante uma festa, o rei Xerxes da Pérsia ficou embriagado e


mandou chamar sua esposa Vasti para mostrar sua beleza aos
seus súditos. Mas a rainha Vasti se recusou ir e o rei ficou
muito zangado com ela, mandando ela embora.

Algum tempo depois, o rei mandou trazer todas as mulheres


mais bonitas do império persa para ele escolher uma para ser
sua nova rainha. Ester foi uma das mulheres escolhidas e ela
recebeu um tratamento de beleza especial durante um
ano. Ester causava boa impressão em todos que a conheciam
e ela ganhou o favor do rei, que a tornou sua rainha (Ester
2:15-17).

O plano de Hamã

Hamã era um príncipe importante do império persa que não


gostava de Mardoqueu, porque Mardoqueu não se curvava
diante dele. Hamã decidiu então se vingar e matar todo o
povo judeu. O rei, que não sabia que Ester era judia, deixou
Hamã fazer o que queria. Então Hamã marcou uma data e se
preparou para o dia da matança (Ester 3:12-13).
Ester intervém

Mardoqueu contou o plano de Hamã a Ester e lhe pediu para


interceder por seu povo ao rei. Ester teve medo porque
ninguém podia entrar na presença do rei sem ser chamado,
sob pena de morte. Então ela pediu que todos os judeus
jejuassem durante três dias, depois ela foi falar com o
rei (Ester 4:15-16). O rei teve misericórdia dela e lhe perguntou
o que queria. Ester convidou o rei e Hamã para um banquete e
eles foram. Durante o banquete, Ester convidou o rei para
outro banquete no dia seguinte.

No segundo banquete, Ester revelou ao rei que ela era judia e


lhe contou o plano maléfico de Hamã para matar todo seu
povo. O rei ficou muito zangado com Hamã e mandou executá-
lo na forca que Hamã tinha construído para Mardoqueu. Com
o apoio do rei, os judeus se uniram para se defender e
mataram muitos de seus inimigos (Ester 9:1-2). Assim, Ester
salvou o povo judeu.

O que podemos aprender com Ester?

 Confiar em Deus – Ester arriscou sua vida para


obedecer a Deus e Ele cuidou dela

 Ter coragem – Ester estava segura, ninguém conhecia


sua identidade e ela não seria afetada pelo extermínio;
mas ela arriscou tudo para fazer o que era certo

 Orar é importante – Ester buscou a ajuda de Deus


antes de agir e Ele lhe deu sucesso
Quem era Jezabel na Bíblia?

Jezabel foi a esposa do rei Acabe, rei de Israel. Ela foi uma
rainha muito ruim, que promoveu a idolatria e matou muitos
profetas. Jezabel foi condenada por Elias e outros profetas.

Jezabel era uma princesa, filha de Etbaal, rei dos sidônios. Ela
convenceu seu marido Acabe a adorar o deus Baal e foi
responsável por promover o culto de deuses pagãos em Israel
(1 Reis 21:25-26). Jezabel sustentava 850 profetas dos deuses
Baal e Aserá. Esses profetas faziam rituais detestáveis,
provocando a ira de Deus (1 Reis 18:18-19).

Jezabel também tentou destruir quem era fiel a Deus. Ela


mandou matar todos os profetas de Deus e poucos
sobreviveram (1 Reis 18:4). Os profetas de Deus condenaram
Jezabel por sua maldade e idolatria.

Jezabel não tinha escrúpulos. Quando um homem chamado


Nabote se recusou a vender sua vinha a Acabe, o rei ficou
amuado na cama. Então Jezabel tomou a iniciativa e conspirou
para matar Nabote. Ela mandou acusar Nabote falsamente de
amaldiçoar a Deus e ao rei e ele foi apedrejado. Depois da
morte de Nabote, Acabe tomou sua vinha (1 Reis 21:15-16).
A morte de Jezabel

Elias profetizou contra Jezabel, por causa do que fez com


Nabote. Ele avisou que Jezabel teria uma morte sangrenta e
que os cachorros iriam comer seu cadáver (1 Reis 21:23).

Depois da morte de Acabe, um homem chamado Jeú se


rebelou e matou o rei Jorão, filho de Jezabel. Quando Jeú
chegou ao palácio, Jezabel o desafiou. Por ordem de Jeú,
alguns oficiais pegaram em Jezabel e a atiraram da janela e Jeú
a atropelou com seus cavalos (2 Reis 9:30-33).

Jeú entrou no palácio e comeu, depois deu ordem para


sepultar Jezabel. Mas quando foram sepultá-la, só
encontraram seu crânio, seus pés e suas mãos (2 Reis 9:34-35).
Os cachorros tinham comido tudo o resto. A profecia de Elias
foi cumprida.

Jezabel morreu por ser cruel e idólatra. Ela tinha muita


iniciativa mas usou seus talentos de forma errada. Jezabel não
se preocupava com o que é certo e errado. Ela manipulou e
matou para conseguir o que queria. Era egoísta e não temia a
Deus.

Jezabel no Novo Testamento

Jezabel se tornou símbolo de crueldade, egoísmo e


manipulação. Apocalipse 2:20-23 condena uma mulher
chamada Jezabel, que dizia ser profetiza e que promovia a
idolatria e a imoralidade sexual. Jezabel provavelmente não
era o nome verdadeiro dela mas ela tinha as caraterísticas de
Jezabel.

Quando as pessoas falam de “espírito de Jezabel”, significa


alguém que manipula para conseguir o que quer. Essa pessoa
ensina coisas erradas e desvia pessoas do evangelho,
promovendo o pecado. É uma pessoa perigosa e destrutiva.
Provavelmente está debaixo da influência de um demônio.
Quem era a mulher do fluxo de sangue?

A mulher do fluxo de sangue era uma judia do tempo de Jesus


que sofria de hemorragia. A Bíblia não nos diz seu nome mas
sua fé é um grande exemplo de vida. Por sua fé, a mulher foi
curada de seu fluxo de sangue.

A história da mulher do fluxo de sangue

A mulher do fluxo de sangue sofria com hemorragia há 12 anos


e tinha gastado tudo o que tinha com médicos, mas nenhum a
conseguiu ajudar (Marcos 5:25-26). Quando ela viu que Jesus
estava passando, a mulher foi atrás dele para receber a cura.

Havia uma grande multidão em volta de Jesus mas a mulher do


fluxo de sangue conseguiu se aproximar dele e conseguiu tocar
em sua roupa (Mateus 9:20-21). Ela tinha tanta fé em Jesus
que acreditava que bastava um toque em sua roupa! E, no
momento em que tocou na roupa de Jesus, a mulher foi
curada do fluxo de sangue.

Jesus sentiu e perguntou quem tinha tocado em seu manto. Os


discípulos ficaram confusos, porque muita gente estava
tocando nele. Mas Jesus explicou que esse toque tinha sido
diferente, porque saiu poder dele. A mulher, vendo que não
podia se esconder, contou o que tinha feito e como tinha sido
curada do fluxo de sangue. Jesus então a enviou em paz,
porque sua fé a tinha salvado (Lucas 8:46-48).
O que podemos aprender com a mulher do fluxo de sangue?

A mulher do fluxo de sangue nos mostra o poder da fé e da


coragem.

Para os judeus, uma hemorragia deixava a pessoa impura, até


cessar (Levítico 15:25-27). Por isso, a mulher do fluxo de
sangue teria sido considerada impura durante 12 anos, com
contato muito limitado com outras pessoas e sem poder ir para
o templo para adorar a Deus.

A mulher do fluxo de sangue procurou ajuda médica mas esse


problema não podia ser curado com medicina. Ela sabia que
precisava de um milagre. Quando ela ouviu de Jesus, ela creu
no seu poder e procurou sua ajuda. Jesus curou a mulher do
fluxo de sangue com um simples toque de sua roupa, porque
ela tinha fé!

Sair de casa doente, enfrentar a multidão e depois contar tudo


em frente a tantas pessoas exigiu coragem. O que as pessoas
iriam pensar? Como Jesus iria reagir? Ela não sabia mas decidiu
arriscar tudo para receber a salvação que precisava. Por causa
disso, ela foi abençoada por Jesus.
Quem eram os gentios na Bíblia?

Os gentios eram todos os povos que não eram judeus. Um


judeu não devia casar com um gentio, porque os gentios não
adoravam a Deus nem obedeciam à Lei de Moisés. Um gentio
podia se converter ao judaísmo. A Bíblia tem vários exemplos
de gentios tementes a Deus.

Gentios podiam conviver com judeus?

Sim, gentios podiam conviver com judeus, fazendo negócio e


morando entre eles. A Lei de Moisés não permitia maltratar
estrangeiros (Levítico 19:33-34). Mas um gentio não tinha o
mesmo estatuto que um judeu: não podia casar com um judeu
nem entrar no templo. Se um gentio se convertesse ao
judaísmo e fosse circuncidado, ficaria mais integrado na
comunidade e seus bisnetos seriam considerados judeus de
pleno direito (Deuteronômio 23:7-8).

Por causa das regras de dieta, os judeus não comiam na casa


de gentios, que comiam alimentos “impuros”. Como os gentios
não guardavam as leis de pureza judaicas, os judeus
consideravam-nos impuros e desprezavam-nos. Se misturar
muito com gentios era visto como sinal de contaminação com
“o mundo” e afastamento de Deus.

A Bíblia tem bons e maus exemplos de gentios. As esposas


estrangeiras de Salomão o levaram à idolatria e muitos povos
pagãos tentaram destruir a nação de Israel (1 Reis 11:4-5). Por
outro lado, alguns gentios foram um exemplo de fé, como
Rute, que preferiu seguir a Deus que voltar para seu povo.
Ainda há distinção entre judeu e gentio?

Não, quando Jesus veio Ele aboliu todas as distinções entre


pessoas. A salvação é para todos. Os primeiros cristãos tiveram
alguma dificuldade em entender isso de início. Os cristãos
judeus pensaram que a salvação não era para os gentios.
Depois pensaram que os cristãos gentios deviam obedecer as
leis judaicas para serem salvos. Os cristãos gentios não sabiam
distinguir o que deviam ou não deviam cumprir.

Os apóstolos reforçaram o ensino de Jesus: a salvação é para


todos sem distinção (Romanos 3:29-30). Os rituais de
purificação judaicos já não precisavam ser feitos, porque Jesus
nos purificou perfeitamente. Já não havia judeu e gentio. O
foco mudou de não se contaminar com o mundo para
contaminar o mundo com Jesus.
Quem foi Débora na Bíblia?

Débora foi uma juíza e profetisa de Israel, que liderou o povo


na guerra contra o rei de Canaã. Ela convocou o povo para a
batalha e profetizou sua vitória sobre um exército muito
grande.

No tempo de Débora não havia rei sobre Israel. O povo era


liderado por juízes – pessoas influentes, usadas por Deus, que
se tornavam líderes políticos, espirituais e militares. Quando
Deus levantou Débora, os israelitas tinham se desviado de
Deus e estavam sendo oprimidos por Jabim, rei de Canaã
(Juízes 4:1-2).

Débora era profetisa e uma mulher sábia. Ela se sentava


debaixo de uma tamareira e o povo vinha até ela para resolver
suas questões (Juízes 4:4-5).

A batalha de Débora

Um dia Débora chamou um guerreiro chamado Baraque e lhe


disse que Deus lhe iria dar vitória sobre o exército de Jabim.
Baraque insistiu que Débora fosse com ela para a batalha e ela
aceitou mas avisou que seria uma mulher que iria matar o
chefe do exército inimigo. Juntaram dez mil homens de Israel e
foram para a batalha (Juízes 4:6-7).

O exército de Jabim era mais poderoso e tinha muitos carros


de guerra, que era uma grande vantagem. Mas Débora
abençoou Baraque e Deus derrotou esse grande exército. Os
israelitas mataram todos os soldados inimigos (Juízes 4:14-15).

O comandante do exército de Jabim, chamado Sísera, fugiu da


batalha e pediu abrigo a uma mulher chamada Jael. Mas
enquanto ele dormia na sua tenda, Jael lhe encravou uma
estaca na testa com um martelo. Quando Baraque chegou,
Jael lhe mostrou seu inimigo, morto! - Juízes 4:21-22

O rei Jabim nunca mais recuperou dessa derrota e acabou


sendo destruído. Depois da grande vitória, Débora e Baraque
cantaram, agradecendo a Deus e lembrando os momentos
mais importantes da batalha. Depois houve paz durante
quarenta anos.

O que a vida de Débora nos ensina?

A vida de Débora nos ensina que Deus vê mais do que as


aparências. No tempo de Débora, não era normal uma mulher
ser líder. Mas Deus não rejeitou Débora por ser mulher. Ele a
tornou no líder político e espiritual do país inteiro! Não
importa quem você é, Deus pode usar você para fazer grandes
coisas (1 Coríntios 1:27-29).

Normalmente, quem tinha o poder militar era quem mandava.


Mas Baraque obedeceu a Débora, porque reconhecia que ela
era mensageira de Deus. Débora tinha autoridade dada por
Deus. Débora seguia a Deus e, por causa disso, Deus a usou
para inspirar o povo para alcançar vitória.

Débora também era casada (Juízes 4:4). Isso nos prova que ter
uma família e trabalhar ativamente para Deus não são duas
coisas incompatíveis. Tanto homens como mulheres são
chamados por Deus para formar família e contribuir para o
ministério público.
Quem foram os 12 apóstolos?

Os 12 apóstolos foram: Simão (também chamado Pedro),


André, Tiago (filho de Zebedeu), João, Filipe, Bartolomeu,
Tomé, Mateus, Tiago (filho de Alfeu), Tadeu (também chamado
Judas), Simão (o zelote) e Judas Iscariotes (Mateus 10:2-
4; Lucas 6:13-16). Eles acompanharam Jesus durante o Seu
ministério e foram chamados para proclamar o evangelho ao
mundo. Segundo tradição, só João morreu de causas naturais.

O que significa apóstolo?

“Apóstolo” significa “enviado”. Os apóstolos foram 12 pessoas


que acompanharam Jesus e tinham intimidade com Ele. Jesus
deu treino especial aos apóstolos, para anunciar o evangelho e
fundar a Sua Igreja.

Depois do Pentecostes, eles se tornaram os líderes da igreja


primitiva, ensinando o que tinham aprendido com Jesus e
criando uma base sólida para o crescimento da igreja. Eles
viajaram para outras terras e fundaram igrejas em muitos
lugares, através dos seus testemunhos sobre Jesus e de
milagres. Muita da informação dos Evangelhos provavelmente
foi fornecida pelos apóstolos.
Houve outros apóstolos?

Sim, houve mais apóstolos. Depois que Judas Iscariotes traiu


Jesus e cometeu suicídio, os outros apóstolos lançaram sortes
para escolher uma pessoa para tomar seu lugar. A pessoa
escolhida foi Matias, que também tinha acompanhado Jesus
durante todo o Seu ministério (Atos dos Apóstolos 1:26).

Paulo também foi considerado um apóstolo. Ele não


acompanhou o ministério de Jesus mas O viu glorificado em
uma visão depois que ressuscitou. Ele se converteu e pregou o
evangelho a muitos gentios. Seu trabalho foi reconhecido
como o trabalho de um apóstolo (Atos dos Apóstolos 14:14).

A Bíblia também lista Barnabé, Andrônico e Júnias como


apóstolos (Romanos 16:7). Provavelmente foram pessoas que
aprenderam de Jesus ou dos primeiros apóstolos e que
espalhavam o evangelho com a mesma autoridade.

Ainda há apóstolos?

O título de apóstolo deixou de ser usado, por estar ligado


geralmente a pessoas que viram Jesus quando estava aqui na
terra. Mas todo o cristão é enviado por Jesus para anunciar o
evangelho às pessoas à sua volta. Quem obedece a esse
mandamento segue nos passos dos apóstolos, que deram tudo
para que muitas pessoas conhecessem Jesus.
Quem foi o apóstolo Paulo?

O apóstolo Paulo foi o autor de 13 dos livros do Novo


Testamento, que fundou várias igrejas no início do
Cristianismo. Ele não seguiu Jesus durante seu ministério
mas teve uma visão de Jesus mais tarde. O ministério de Paulo
se concentrou em todos que não eram judeus.

O jovem Saulo, perseguidor dos cristãos

Na sua juventude, Paulo era mais conhecido como Saulo. Ele


era judeu, da cidade de Tarso e era do grupo dos fariseus,
como seus pais. Saulo estudou em Jerusalém debaixo
de Gamaliel, um dos professores e teólogos mais famosos dos
judeus. Saulo teve uma educação privilegiada!

Ainda jovem, Saulo assistiu ao apedrejamento de Estêvão, o


primeiro mártir cristão. Depois, ele se tornou um perseguidor
ativo da igreja. Na sua campanha contra os cristãos, Saulo
jogou muitas pessoas na prisão. Ele tinha o apoio do sumo
sacerdote e se tornou famoso por ser um grande perseguidor
(Atos dos Apóstolos 9:1-2).

A conversão de Saulo

Um dia, enquanto ia a caminho de Damasco para prender mais


cristãos, uma luz brilhou e o cegou e Saulo ouviu uma voz lhe
perguntando por que ele O estava perseguindo. Essa voz
era Jesus (Atos dos Apóstolos 9:4-6).

Saulo ficou cego e ficou esperando em Damasco, como Jesus


tinha ordenado. Então Jesus enviou um homem chamado
Ananias para falar com Saulo. Ananias impôs as mãos sobre
Saulo e ele tornou a ver e foi batizado (Atos dos Apóstolos
9:17-19). Desse momento em diante, Saulo foi um homem
diferente.
Logo Saulo começou a pregar sobre Jesus. Saulo foi para
Jerusalém mas os cristãos de lá tinham medo dele! Somente
um homem ficou do seu lado – Barnabé. Ele os convenceu que
Saulo realmente tinha se convertido. Mas alguns judeus
quiseram matar Paulo por causa de sua conversão. Por isso, a
igreja enviou Saulo para sua cidade de Tarso.

Esta afirmação é fiel e digna de toda aceitação: Cristo Jesus


veio ao mundo para salvar os pecadores, dos quais eu sou o
pior. Mas por isso mesmo alcancei misericórdia, para que em
mim, o pior dos pecadores, Cristo Jesus demonstrasse toda a
grandeza da sua paciência, usando-me como exemplo para
aqueles que nele haveriam de crer para a vida eterna.

- 1 Timóteo 1:15-16

Paulo, o escritor

Depois que se converteu, Paulo se tornou um dos grandes


teólogos do Cristianismo. Ele escreveu 13 cartas, que entraram
no Novo Testamento (Romanos a Filemom). Algumas dessas
cartas foram enviadas a localidades específicas ou serviam
como cartas circulares dirigidas às diversas congregações. Seus
ensinamentos explicaram sobre a salvação em Jesus e como
deve ser a vida cristã. Paulo foi usado por Deus para encorajar
e ensinar todos que leem a Bíblia!

O ministério de Paulo

Durante algum tempo, Paulo ficou em Tarso. Mais tarde,


Barnabé decidiu levar Paulo para Antioquia, onde durante um
ano os dois fizeram um ótimo trabalho (Atos dos Apóstolos
11:25-26). Depois, o Espírito Santo escolheu Paulo e Barnabé
para uma viagem missionária...
A primeira viagem de Paulo

Na sua primeira viagem, Paulo e Barnabé foram para Chipre,


onde pregaram e Paulo repreendeu um mágico chamado
Elimas, por tentar impedir sua missão. Como Paulo disse,
Elimas ficou cego (Atos dos Apóstolos 13:9-11). Depois eles
foram Perge e seguiram para outra Antioquia, da Pisídia.

Os judeus expulsaram Paulo e Barnabé de Antioquia e eles


foram para Icônio. Depois eles foram para Derbe, onde o povo
pensou que eles eram deuses e tentou lhes oferecer sacrifícios
(Atos dos Apóstolos 14:11-13). Quando pregaram a adoração a
Deus, o povo mudou de ideias e apedrejou Paulo mas ele
sobreviveu. Paulo e Barnabé foram para Derbe, depois
voltaram para Antioquia, passando por algumas cidades que já
tinham visitado.

Algum tempo depois, Paulo e Barnabé foram para Jerusalém


para debater sobre as cerimônias judaicas. A igreja decidiu que
não era necessário obedecer à Lei de Moisés. Paulo e Silas
voltaram para Antioquia com essa mensagem, que alegrou os
gentios. Mais tarde, Pedro visitou Antioquia e Paulo o
repreendeu por sua hipocrisia de manter as aparências apenas
quando outros judeus estavam por perto (Gálatas 2:11-13).
A segunda viagem de Paulo

Quando estava preparando a segunda viagem, Paulo se


desentendeu com Barnabé. Por isso, eles foram por caminhos
separados e Paulo viajou com Silas e Timóteo.

Em Trôade, Paulo recebeu uma visão para ir para a região da


Macedônia (Atos dos Apóstolos 16:9-10). Lá, eles foram presos
e depois libertos miraculosamente por um anjo, convertendo o
carcereiro. De seguida foram para Tessalônica, depois foram
para a Beréia, onde as pessoas analisaram tudo que Paulo
disse e muitos creram.

Mais tarde, Paulo seguiu para Atenas, onde pregou contra a


idolatria na cidade. De Atenas, ele foi para Corinto, onde ficou
algum tempo com Priscila e Áquila. Paulo foi preso pelos
judeus mas o governador libertou Paulo. Passando pela
Cesaréia, Paulo voltou para Antioquia.

A terceira viagem de Paulo

Paulo decidiu ir para Éfeso, onde ficou durante dois anos,


ensinando. Muitas pessoas se converteram e abandonaram a
feitiçaria. Ele também viajou pela região, pregando e
fortalecendo os crentes (Atos dos Apóstolos 19:10-12). Depois
ele decidiu ir para Jerusalém.

A caminho de Jerusalém, Paulo foi avisado do perigo que o


esperava (Atos dos Apóstolos 21:10-11). Os cristãos de
Jerusalém ficaram muito encorajados com o sucesso de seu
ministério mas os judeus se revoltaram e tentaram matá-lo.
Para o proteger, Paulo ficou preso pelos romanos durante dois
anos. Quando voltou a ser julgado, ele apelou para César, para
não cair nas mãos dos judeus.

No caminho para o julgamento em Roma, o navio de Paulo


naufragou. Mas Deus garantiu a Paulo que nem ele nem
ninguém no barco iriam morrer (Atos dos Apóstolos 27:24-25).
Eles conseguiram se salvar na ilha de Malta, depois seguiram
para Roma.

Em Roma, Paulo teve permissão para ficar debaixo de prisão


domiciliária, onde pregou abertamente durante dois anos. A
Bíblia não conta como correu o julgamento com César.
Segundo a tradição, Paulo acabou sendo morto pelos romanos,
alguns anos depois, deixando para trás um grande legado.

Eu já estou sendo derramado como oferta de bebida. Está


próximo o tempo da minha partida. Combati o bom combate,
terminei a corrida, guardei a fé. Agora me está reservada a
coroa da justiça, que o Senhor, justo Juiz, me dará naquele
dia; e não somente a mim, mas também a todos os que
amam a sua vinda.

- 2 Timóteo 4:6-8

Paulo, um exemplo para todos os cristãos

Paulo destaca-se como um homem que foi completamente


transformado por Deus e que foi obediente ao seu
chamado. Ele amava ao Senhor acima de todas as coisas e se
dispôs completamente ao serviço e amor à causa do
Evangelho. Por isso, o apóstolo Paulo é um modelo de fé,
serviço e resiliência para todos os cristãos nos dias de hoje. Sua
mensagem trouxe esperança a todos que a ouvem.
Quem foi Lucas na Bíblia?

Lucas foi um médico que escreveu o evangelho de Lucas e


Atos dos Apóstolos. Ele acompanhou Paulo em suas viagens
missionárias e investigou cuidadosamente os relatos da vida de
Jesus para escrever seu evangelho. A Bíblia fala pouco sobre
ele.

Lucas provavelmente era um gentio convertido pelos primeiros


discípulos de Jesus. Ele foi o único autor conhecido de um
livro da Bíblia que não era judeu. Era um homem muito culto,
com conhecimentos não só de medicina mas também de
investigação histórica e escrita (Colossenses 4:14).

Lucas acompanhou Paulo em algumas partes de suas viagens


missionárias. Quando Paulo foi preso, Lucas o acompanhou na
viagem até Roma para ser julgado. Ele estava com Paulo
quando o navio naufragou pelo caminho e ficou do seu lado
enquanto esteve preso em Roma (Atos dos Apóstolos 28:16).

Os livros de Lucas

Nas suas viagens com Paulo, Lucas provavelmente teve acesso


a muitas pessoas que acompanharam Jesus em seu ministério.
Recolhendo depoimentos de pessoas próximas de Jesus, ele
organizou toda a informação relevante para criar uma biografia
completa e fiel da vida de Jesus (Lucas 1:1-4). Essa biografia
ficou conhecida como o evangelho de Lucas.
Lucas seguiu o mesmo método para escrever Atos dos
Apóstolos. Esse livro foi escrito como uma continuação do
evangelho de Lucas, que foi escrito antes. Ele documentou as
origens da igreja, focando principalmente no ministério de
Paulo, com quem tinha mais contato (2 Timóteo 4:11). Atos
não conta o resultado do julgamento de Paulo em Roma nem
sobre seu martírio, portanto os dois livros provavelmente
foram escritos antes desses acontecimentos.

Lucas escreveu seus livros pensando no público não judeu, que


não conhecia o Antigo Testamento tão bem. Ele procurou
explicar como Jesus veio para todos no mundo, mesmo para
quem não era bem visto na sociedade. Lucas queria nos ajudar
a entender a mensagem de amor de Jesus.
Quem foi Abraão na Bíblia?

Abraão foi o primeiro patriarca do povo de Israel, que


recebeu a promessa que Deus iria abençoar todos os povos por
meio dele. Abraão foi o antepassado de todo o povo judeu e
de Jesus, o salvador do mundo. Todos os que têm fé em Jesus
também são considerados descendentes de Abraão (Romanos
4:16).

Abraão era natural de uma cidade chamada Ur mas sua família


foi morar em Harã. Ele rejeitou todos os outros deuses e só
adorava a Deus. Deus falou com Abraão, prometendo que seus
descendentes iriam ser um grande povo e herdariam a terra de
Canaã. Então, Abraão partiu para Canaã com sua esposa Sara e
seu sobrinho Ló, vivendo o resto de sua vida em tendas.

Abraão viajou por toda a terra de Canaã e morou como


estrangeiro entre os povos que habitavam lá. Ele e Ló
acabaram se separando porque eram muito ricos e não havia
espaço para ficarem juntos. Ló escolheu ir para Sodoma, que
era muito fértil mas cheio de perversão, mas Deus abençoou
Abraão(Gênesis 13:14-17).

Um filho para Abraão

Embora fosse muito próspero, Abraão estava triste porque não


tinha nenhum filho e ele e Sara já eram idosos. Deus prometeu
que ele teria muitos descendentes. Em vez de esperar, Abraão
tomou a escrava de Sara, Hagar, como concubina e ela teve um
filho chamado Ismael. Os descendentes de Ismael se tornaram
um grande povo mas não eram os herdeiros da promessa de
Deus.
Deus voltou a prometer a Abraão que ele teria um filho com
Sara e fez uma aliança com ele e sua família. Abraão creu em
Deus e dedicou sua família a Ele. Quando Abraão tinha 100
anos, Sara teve Isaque. Alguns anos depois, Deus colocou
Abraão à prova. Ele o mandou matar Isaque como sacrifício.
Abraão decidiu obedecer a Deus, porque acreditava que Ele
tinha poder para ressuscitar Isaque para cumprir Sua
promessa. No último momento, Deus impediu Abraão de
sacrificar Isaque e o abençoou por causa de sua fé e dedicação
(Gênesis 22:15-18).

Pai da fé

Abraão creu em Deus, mesmo contra circunstâncias


impossíveis. Sua fé lhe valeu como justiça; ele foi salvo pela fé.
Sua família foi abençoada por Deus e, muito tempo depois, um
de seus descendentes, Jesus, cumpriu a promessa e abençoou
o mundo inteiro, morrendo e ressuscitando por nossos
pecados.

A Bíblia explica que todos que crêem em Jesus se tornam


parte da verdadeira família de Abraão. As bênçãos que Deus
prometeu a Abraão são para nós também, por meio da fé
(Gálatas 3:6-7). A vida de Abraão é bom bom exemplo de como
podemos confiar em Deus em todas as circunstâncias.
Quem foi Eliseu na Bíblia?

Eliseu foi um profeta em Israel, sucessor de Elias. Ele foi o


assistente de Elias e o viu ser arrebatado ao Céu. Eliseu
realizou muitos milagres ao longo de sua vida.

O chamado de Eliseu

Eliseu estava arando o campo quando Elias o chamou para ser


seu sucessor. Ele foi para casa, avisou seus pais e convidou o
povo para uma refeição especial. Depois, ele deixou sua casa e
seguiu Elias, trabalhando como seu assistente.

Quando Elias subiu ao Céu, Eliseu insistiu em ficar com ele até
ao fim. Elias abriu o rio Jordão com um milagre e eles
atravessaram. Elias perguntou a Eliseu se queria um favor e ele
pediu para ser o herdeiro do seu espírito profético. Elias foi
arrebatado, deixando seu manto. Eliseu pegou no manto de
Elias e abriu o Jordão, da mesma maneira que Elias tinha feito.
A partir de então, Eliseu assumiu o ministério de Elias como
profeta.

Os milagres de Eliseu

 A purificação da água de Jericó – 2 Reis 2:19-22

 A morte de alguns meninos que caçoaram de Eliseu


– 2 Reis 2:23-24

 A derrota de Moabe – os reis de Israel, Judá e Edom


estavam lutando contra Moabe mas ficaram sem água.
Eliseu profetizou que água iria aparecer e eles iriam
derrotar os moabitas. Deus trouxe água e confundiu os
moabitas, que perderam a guerra – 2 Reis 3:425
 A multiplicação do azeite – uma viúva não tinha como
pagar suas dívidas e iria perder os filhos. Só tinha um
pouco de azeite em casa. Eliseu mandou que ela
juntasse muitas vasilhas. O azeite multiplicou e encheu
todas as vasilhas. A viúva vendeu o azeite e pagou suas
dívidas – 2 Reis 4:1-7

 O filho da sunamita – Eliseu profetizou a uma mulher


sunamita que foi bondosa com ele que ela teria um
filho. Ela teve o filho mas alguns anos mais tarde ele
ficou doente e morreu. A sunamita pediu ajuda a
Eliseu, que orou a Deus e o menino ressuscitou – 2 Reis
4:8-37

 A purificação de uma panela de comida


envenenada – 2 Reis 4:38-41

 A multiplicação de vinte pães, que alimentaram cem


homens – Reis 4:42-44

 A cura da lepra de Naamã

 O machado que tinha caído na água flutuou, com a


ajuda de Eliseu – 2 Reis 6:1-7
 A cegueira do exército arameu – quando os arameus
estavam atacando Israel, Eliseu revelava sua posição
ao rei de Israel. Então os arameus tentaram pegar
Eliseu mas Deus os cegou e entregou ao rei de Israel
– 2 Reis 6:8-23

 A profecia do fim do cerco de Samaria e da vitória


sobre o rei da Síria – 2 Reis 7:1-17

 A profecia da morte de Ben-Hadade, o rei da Síria, e


que Hazael seria seu sucessor – 2 Reis 8:7-15

 A profecia que Jeú seria o próximo rei de Israel e


mataria toda a família de Acabe, incluindo Jezabel – 2
Reis 9:1-13

 A profecia das três vitórias de Jeoás sobre o rei da


Síria – 2 Reis 13:14-19

 A ressurreição de um homem quando tocou nos ossos


de Eliseu (que já tinha morrido) – 2 Reis 13:20-21
Quem foi Samuel na Bíblia?

Samuel foi profeta e o último juiz de Israel. Ele liderou Israel


como sacerdote e como chefe militar e político. Samuel foi um
exemplo de fidelidade e obediência a Deus.

A infância de Samuel

A mãe de Samuel, Ana, estava muito triste porque não podia


ter filhos. Quando ela foi ao santuário de Deus, ela prometeu
que, se tivesse um filho, ela o iria dedicar a Deus. O sumo
sacerdote Eli lhe disse que Deus iria conceder o desejo de seu
coração. Ana voltou para casa e ficou grávida. Ela chamou seu
filho Samuel, porque Deus atendeu seu pedido (1 Samuel
1:20).

Quando Samuel foi desmamado, Ana o levou ao santuário,


onde ele ficou debaixo dos cuidados de Eli. Samuel cresceu no
santuário, ministrando perante o Senhor (1 Samuel 2:11).

Uma noite, quando Samuel era menino, Deus o chamou. De


início, Samuel pensou que a voz era de Eli. Samuel ouviu a voz
três vezes, então Eli entendeu que era Deus (1 Samuel 3:8-9).
Na quarta vez, Samuel respondeu e Deus lhe disse que iria
trazer julgamento sobre a família de Eli, porque seus filhos
eram maus. Essa foi a primeira vez que Deus falou com
Samuel.

Algum tempo depois, os filisteus atacaram Israel e os filhos de


Eli foram mortos em batalha. Quando Eli ouviu a notícia, caiu
de sua cadeira e partiu seu pescoço (1 Samuel 4:17-18). Deus
destruiu a família de Eli, porque seus filhos não eram fiéis, e
colocou Samuel como sacerdote sobre Israel.
Samuel, juiz de Israel

Já adulto, Samuel convocou o povo de Israel e liderou o


exército em batalha contra os filisteus. Com a ajuda de Deus,
os filisteus foram derrotados. Samuel foi reconhecido como
juiz sobre Israel e passou a viajar pelo país, resolvendo
questões (1 Samuel 7:15-16). Deus esteve contra os filisteus
durante toda a vida de Samuel.

Quando Samuel ficou idoso, ele colocou seus filhos como juízes
sobre Israel. Mas seus filhos faziam muitas coisas
erradas. Então o povo pediu um rei para ser seu líder. Samuel
não gostou do pedido, porque estavam rejeitando Deus como
seu rei. Samuel advertiu sobre as consequências negativas de
ter um rei mas foi ungir um rei, porque Deus mandou (1
Samuel 8:6-7).

Um rei para Israel

Um dia, Samuel se encontrou com Saul e o ungiu em privado


como rei de Israel. Samuel convocou as tribos de Israel e Deus
revelou que Saul deveria ser rei. Samuel e todo o povo
reconheceram Saul como rei. Depois de uma vitória militar de
Saul, Samuel o confirmou como rei, numa cerimônia oficial (1
Samuel 11:14-15). Como Samuel estava velho, ele se despediu
do povo e se retirou da liderança.
Saul desviou-se de Deus, por isso Samuel avisou que Deus o
tinha rejeitado como rei. Deus enviou Samuel para ungir um
novo rei. Samuel foi para a casa de Jessé e Deus lhe indicou
que Davi deveria ser rei. Samuel ungiu Davi e voltou para
casa (1 Samuel 16:12-13). Davi se tornou um grande líder
militar e Saul ficou com inveja dele. Saul tentou matar Davi,
que passou vários anos como fugitivo. Davi só se tornou rei
anos depois da morte de Samuel.

Samuel morreu e todo Israel pranteou por ele (1 Samuel


25:1). Ele foi o último juiz de Israel e foi muito importante para
unir o país e estabelecer a monarquia. Samuel foi fiel a Deus
sua vida toda e Deus o usou para para fazer coisas muito
grandes.
Quem foi João Batista?

João Batista foi o último dos profetas que anunciaram a vinda


de Jesus. Ele era primo de Jesus e preparou o caminho para
seu ministério.

O Antigo Testamento dizia que um profeta viria um pouco


antes do Messias, para anunciar que ele estava chegando
(Isaías 40:3). Esse profeta foi João Batista. Ele pregou o
arrependimento e preparou as pessoas para a mensagem de
Jesus.

O nascimento de João Batista

O pai de João Batista era Zacarias, um sacerdote idoso. Ele e


sua esposa Isabel, que era prima de Maria, eram tementes a
Deus mas não podiam ter filhos.

Um dia, Zacarias foi escolhido para oferecer incenso no interior


do santuário de Deus. No santuário, ele viu o anjo Gabriel, que
lhe disse que ele teria um filho chamado João. Gabriel explicou
que o menino seria cheio do Espírito Santo desde o
nascimento e teria um ministério muito importante (Lucas
1:16-17).

Incrédulo, Zacarias perguntou como seria possível, porque ele


e Isabel eram idosos. Gabriel o repreendeu por sua falta de fé e
Zacarias ficou mudo até o nascimento de seu filho. Os parentes
queriam chamar o menino Zacarias mas Isabel insistia que seu
nome era João. Então Zacarias escreveu “seu nome é João” e
ele voltou a falar (Lucas 1:62-64).
João Batista cresceu e ficou forte. Ele viveu no deserto até
começar seu ministério, não bebia álcool, vestia roupa de pêlos
de camelo e comia gafanhotos e mel.

O ministério de João Batista

João Batista andava pela região do rio Jordão e pregava que as


pessoas precisavam se arrepender de seus pecados para
serem perdoadas. Ele avisava que Deus pune o pecado e que
ninguém iria escapar só por ser judeu de nascimento. Era
preciso se arrepender e viver de maneira que agrada a Deus
(Lucas 3:7-9).

A pregação de João atraiu muitas pessoas e ele ficou com


vários discípulos. João batizava quem se arrependia no rio
Jordão, como sinal de sua purificação do pecado. Algumas
pessoas pensavam que ele era Messias mas ele explicava
que alguém maior que ele estava chegando, que iria batizar
com o Espírito Santo (Marcos 1:7-8).

Um dia Jesus chegou para ser batizado. João não quis, porque
sabia que Jesus era superior a ele, mas Jesus insistiu. Quando
João batizou Jesus, ele viu uma pomba descer e uma voz
proclamar que Jesus era o Filho de Deus. A partir de
então, João passou a anunciar Jesus como o Messias (João
1:29-31).
A morte de João Batista

João Batista confrontou o rei Herodes por seu adultério com a


esposa de seu irmão e seus outros pecados. Mas, em vez de se
arrepender, Herodes ficou zangado e lançou João na prisão.

Herodes tinha medo de matar João, porque ele tinha o apoio


do povo. Mas um dia ele fez um juramento mal pensado à filha
da mulher com quem adulterava e foi obrigado a lhe dar a
cabeça de João Batista (Mateus 14:6-10). João foi decapitado
na prisão mas seu legado continuou vivo. Seu trabalho
preparou os corações do povo para receber Jesus.
Quem foi Josué na Bíblia?

Josué foi o sucessor de Moisés, que liderou o povo de Israel na


conquista da terra prometida. Ele conquistou a cidade de
Jericó e organizou a divisão da terra de Canaã entre as doze
tribos. Josué ficou conhecido como um líder corajoso, com
muita fé em Deus.

Josué, auxiliar de Moisés

Desde jovem, Josué serviu como auxiliar de Moisés,


acompanhando seu trabalho. Quando Moisés subiu ao monte
Sinai para receber os Dez Mandamentos, Josué foi com ele.
Josué também passava muito tempo no tabernáculo do Senhor
(Êxodo 33:11). Assim, Josué aprendeu com Moisés como ser
um bom líder e se tornou um adorador fiel a Deus.

Josué também se destacou desde cedo como líder militar. Na


primeira batalha dos israelitas depois de saírem do Egito, Josué
liderou o exército. No deserto, Josué teve uma grande vitória
contra os amalequitas (Êxodo 17:11-13).

Quando chegaram à fronteira de Canaã, Josué foi um dos doze


espiõesescolhidos para observar a terra. Apenas Josué e
Calebe creram que Deus lhes podia dar a terra, derrotando os
povos fortes que viviam lá (Números 14:6-8). Por isso, todos os
outros israelitas adultos morreram durante os 40 anos no
deserto. Mas Josué e Calebe entraram na terra prometida.
Josué, líder de Israel

Quando Moisés estava perto da morte, ele declarou Josué


como seu sucessor. Ele impôs suas mãos sobre Josué, que ficou
cheio do Espírito Santo de Deus, e todo o povo de Israel o
reconheceu como seu líder (Deuteronômio 34:9).

Depois da morte de Moisés, Josué liderou o povo na conquista


de Canaã. A primeira grande conquista foi Jericó. Deus parou
as águas do rio Jordão e Josué e todo o povo atravessaram em
terra seca (Josué 3:15-16). Depois, durante sete dias, os
israelitas marcharam em redor de Jericó. No sétimo dia, os
muros de Jericó caíram e os israelitas destruíram a cidade.

Josué liderava o povo em se manter fiel a Deus, por isso Deus


lhe dava vitória nas batalhas. Nenhum de seus inimigos
conseguia resistir. Então o povo de Gibeom decidiu enganar
Josué para se salvar. Eles convenceram Josué que eram de uma
terra distante e fizeram um acordo de paz com ele. Josué não
os matou, porque tinha feito uma promessa, mas eles se
tornaram servos dos israelitas (Josué 9:26-27).

Vendo o sucesso de Josué, um grupo de reis amorreus se uniu


para lutar contra ele. Durante a batalha, Josué orou a Deus e o
sol parou no seu lugar durante quase um dia inteiro! Nesse
dia, os israelitas tiveram uma grande vitória (Josué 10:12-14).

Depois de muitas guerras e muitas vitórias, Josué reuniu o


povo e dividiu a terra entre as tribos de Israel. Cada tribo ficou
responsável por eliminar os inimigos restantes de seu
território. Josué advertiu o povo a se manter sempre fiel a
Deus e renovou a aliança.

Já velho, com 110 anos, Josué morreu. Josué creu em Deus,


por isso durante sua vida ele viu o poder de Deus no Egito, no
deserto e na terra prometida.
Quem foi Jacó?

Jacó foi o filho de Isaque e neto de Abraão.Os 12 filhos de


Jacó foram os patriarcas das 12 tribos de Israel. Jacó significa
“ele agarra o calcanhar”, ou “traiçoeiro”.

Jacó fez muitas coisas erradas mas ele se consertou com


Deus. Sua vida é um exemplo da graça e do perdão de Deus.

Jacó e Esaú

Jacó tinha um gêmeo chamado Esaú, que era o filho favorito


de Isaque. Mas Jacó era o favorito de Rebeca. Quando
nasceram, Esaú saiu primeiro mas com Jacó agarrando seu
calcanhar (Gênesis 25:24-26).

Quando Isaque estava velho e cego, ele chamou Esaú para o


abençoar. Quando Esaú saiu para caçar e preparar uma
refeição para seu pai, Rebeca chamou Jacó para tomar a
benção, enganando Isaque. Jacó se vestiu como Esaú e Isaque,
enganado, lhe deu a bênção de Esaú.

Quando Esaú voltou e descobriu, ficou furioso com Jacó e quis


matá-lo (Gênesis 27:41). A bênção de filho mais velho era
muito importante naquele tempo. Esaú tinha perdido sua
herança. Então Jacó fugiu para a terra de seu tio Labão. No
caminho, Jacó teve um sonho e fez uma aliança com Deus.
A família de Jacó

Jacó se apaixonou por Raquel, filha de Labão, e trabalhou sete


anos para casar com ela. Mas na noite do casamento, Labão o
enganou e lhe deu Lia, irmã mais velha de Raquel. Quando
descobriu, Jacó ficou zangado mas concordou em casar com
Raquel na semana seguinte, em troca de mais sete anos de
trabalho (Gênesis 29:28-30).

Lia teve seis filhos. Raquel era estéril e ficou com inveja. Então
ela deu sua serva Bila a Jacó como concubina (esposa
secundária) e Bila teve dois filhos. Lia, por rivalidade, deu sua
serva Zilpa a Jacó e Zilpa teve mais dois filhos. Por fim, Raquel
teve um filho chamado José.

Depois que pagou o dote por Raquel e Lia, Jacó ficou


trabalhando por Labão e ficou muito rico. Labão e seus filhos
ficaram com inveja e Jacó se sentiu ameaçado (Gênesis 31:1-
3). Então Jacó pegou em sua família e seus bens e
fugiu. Labão foi atrás dele mas Deus o avisou a não lutar com
Jacó. Labão e Jacó fizeram um acordo de paz e Jacó voltou para
a terra de seu pai.
Dois grandes encontros

Esaú foi ao encontro de Jacó com 400 homens. Jacó ficou com
medo, enviou muitos presentes a seu irmão e passou uma
noite sozinho. Durante a noite um homem veio e lutou com
ele. Na luta o homem lhe deslocou a coxa mas Jacó não o
deixou ir sem receber uma bênção. O homem o abençoou
e mudou seu nome de Jacó para Israel, porque tinha lutado
com Deus e com os homens e vencido (Gênesis 32:27-28).

No dia seguinte, Jacó se encontrou com Esaú, que ficou feliz


por vê-lo de novo. Mesmo assim, Jacó teve medo de morar
junto do irmão e foi morar em terras vizinhas. Jacó se dedicou
totalmente a Deus e levou sua família a adorar somente a
Deus, acabando com a idolatria (Gênesis 35:2-3).

Os últimos anos de Jacó

José era o filho favorito de Jacó e provocou a inveja de seus


irmãos, que o venderam como escravo e disseram que tinha
morrido. Jacó ficou muito triste por perder José. Raquel teve
mais um filho, chamado Benjamim, mas ela morreu depois do
parto. Vários anos depois, quando Jacó descobriu que José
ainda estava vivo, ele e toda a família se mudaram para o Egito
(Gênesis 45:26-28). Jacó morreu no Egito mas foi sepultado no
túmulo de Abraão e Isaque.
Quem foi o rei Salomão?

O rei Salomão foi o rei mais sábio de Israel. Ele era filho do rei
Davi e construiu o primeiro templo de Jerusalém. Durante seu
reinado, Israel viveu uma época de grande paz e prosperidade.

Salomão começa a reinar

Salomão era filho de Davi com Bate-Seba, depois que


casaram. Deus prometeu que, de todos os filhos de Davi,
Salomão seria seu sucessor (1 Crônicas 22:9-10). Quando Davi
estava muito velho, Adonias, outro filho seu, se proclamou rei.
Então Davi tomou ação e mandou proclamar Salomão rei.
Salomão acabou com a oposição e seu reinado ficou
estabelecido.

Salomão obedecia a Deus, como seu pai Davi. Um dia Deus


apareceu a Salomão num sonho e lhe disse que podia pedir o
que quisesse (1 Reis 3:5). Salomão pediu sabedoria para
governar bem. Isso agradou a Deus, que lhe deu muita
sabedoria e também riquezas, fama e vida longa.

Salomão provou que era sábio quando resolveu uma disputa


entre duas prostitutas. Cada uma tinha um bebê mas um tinha
morrido. As duas diziam ser a mãe do filho vivo e não havia
forma de saber quem dizia a verdade. Então Salomão mandou
cortar o menino vivo a meio e dar metade a cada uma. A
mulher que não era a mãe concordou mas a verdadeira mãe
implorou pela vida do filho (1 Reis 3:24-26). Assim, Salomão
entregou o filho à mãe verdadeira.
As obras de Salomão

Salomão administrou Israel muito bem e ficou muito rico. Ele


investiu em obras públicas em várias cidades de Israel e
desenvolveu o comércio internacional. Salomão construiu um
palácio para si e fez um grande templo para Deus em
Jerusalém.

Israel viveu em paz com seus vizinhos durante o reinado de


Salomão. Ele estabeleceu alianças e tratados comerciais com
vários países. Sua fama se espalhou e pessoas de muitos
lugares vinham provar sua sabedoria. A visita mais ilustre foi
a rainha de Sabá, que ficou impressionada com a sabedoria e a
riqueza de Salomão (1 Reis 10:4-5).

Salomão tinha muitos interesses. Ele construiu jardins e


estudou plantas e animais. Também escreveu e juntou muitos
provérbios (1 Reis 4:32). Salomão escreveu ou patrocinou:

 Provérbios

 Eclesiastes

 Cânticos

 Salmos 72

 Salmos 127
A velhice de Salomão

Na sua velhice Salomão se desviou de Deus. Ele tinha casado


com muitas mulheres estrangeiras que adoravam outros
deuses. Para agradar suas mulheres, Salomão construiu altares
a esses deuses e se esqueceu do Deus verdadeiro (1 Reis 11:4).

Por causa de seu pecado, Deus levantou adversários contra


Salomão (1 Reis 11:10-11). Um desses adversários foi
Jeroboão, que mais tarde dividiu o reino de Israel em duas
nações: Israel e Judá. Jeroboão se tornou rei de Israel e
Roboão, filho de Salomão, se tornou rei de Judá.

Salomão era muito sábio mas ele acabou se desviando da


fonte de toda a sabedoria: Deus (Provérbios 9:10). Por causa
disso, ele perdeu a sabedoria para manter a paz e não
conseguiu ensinar sabedoria a seu filho, que perdeu grande
parte do reino.
Quem era a mulher samaritana?

A mulher samaritana foi uma senhora que conversou com


Jesus sobre a verdadeira adoração. Ela se converteu quando
Jesus lhe revelou que ele era o Messias. A Bíblia não diz qual
era o nome da mulher samaritana.

Jesus se encontrou com a mulher samaritana junto ao poço de


Jacó, quando estava passando pela região de Samaria (João
4:4-6). Era meio-dia e os discípulos de Jesus tinham ido à
cidade para comprar comida. A mulher samaritana veio para
tirar água do poço e Jesus lhe pediu um pouco de água.

A mulher samaritana ficou surpresa, porque os judeus não se


davam bem com os samaritanos. Então Jesus lhe explicou
que ele tinha água viva, que tirava a sede para sempre e dava
a vida eterna (João 4:13-14). Intrigada, a mulher samaritana
lhe pediu para lhe dar essa água.

Jesus colocou a mulher samaritana à prova e lhe disse para ir


buscar seu marido. Ela respondeu que não tinha marido e
Jesus revelou que sabia que ela tinha tido cinco maridos e
estava morando com outro homem com quem não era casada
(João 4:16-17). Ela ficou surpreendida e reconheceu Jesus
como um profeta.
Vendo que Jesus tinha autoridade vinda de Deus, a mulher
samaritana lhe perguntou qual era o lugar certo para adorar a
Deus. Jesus respondeu que o local físico de adoração não é o
mais importante. Os verdadeiros adoradores adoram em
espírito e em verdade. Ele lhe revelou que ele era o Messias, o
salvador prometido (João 4:25-26).

Quando os discípulos voltaram da cidade ficaram surpresos


porque Jesus estava conversando com uma mulher (outra
coisa que não era socialmente aceitável nesse tempo). A
mulher deixou seu cântaro e voltou para a cidade, contando a
todos sobre Jesus. Ela convenceu muitos samaritanos a ir para
ouvir Jesus falar. Por causa disso, muitos dessa cidade se
converteram (João 4:39-41).

A Bíblia não fala mais nada sobre a mulher samaritana.

O que a mulher samaritana nos ensina?

A mulher samaritana nos ensina que:

 Deus ama todos – Jesus não se deixou influenciar pelas


atitudes negativas do seu tempo contra outros povos;
Jesus não rejeita ninguém

 Jesus vem para salvar – em vez de condenar a mulher


samaritana por seus relacionamentos falhados, Jesus
lhe mostrou o caminho da salvação

 A verdade é acessível – Jesus explicou uma grande


verdade a uma mulher comum, de uma forma que ela
entendia; todos podemos conhecer a verdade

 O testemunho é importante – a mulher samaritana


não usou um discurso muito eloquente para convencer
o povo sobre Jesus; ela apenas contou sua experiência
e os convidou a conhecer Jesus
Quem é Deus?

Deus é o ser supremo Criador de todo o universo. Ele não tem


princípio nem fim, sabe todas as coisas e tem poder para fazer
tudo. Deus é espírito, não tem limitações físicas. Deus é amor,
Deus é pessoa. Ao mesmo tempo é possível conhecê-lo e
impossível compreendê-lo todo, porque Ele é muito maior e
mais complexo que nós. A Bíblia é a revelação de Deus sobre
quem Ele é.

Como é Deus?

Deus tem personalidade

Ele ama, se alegra, fica triste, se zanga. Deus é criativo, tem


sentido de humor e imaginação. Nós fomos criados à imagem
de Deus, ou seja, a nossa capacidade racional e moral (coisas
que outros animais não têm) são um reflexo da razão e
moralidade de Deus (Gênesis 1:27).

Deus é um só

Só existe um Deus mas Ele se manifesta em três maneiras


diferentes: Pai, Filho e Espírito Santo. A isso chamamos
de Trindade. Não há outro Deus, Ele é único e todas as coisas
estão sujeitas a Ele (Mateus 28:18-19).
Deus é infinito

Ele sempre existiu e o seu tamanho é impossível de medir.


Deus inventou o tempo e o espaço, Ele não está limitado por
eles e já existia quando não havia tempo e espaço.

Deus é poderoso

Ele criou tudo o que existe no universo, cada detalhe. É por


isso que universo funciona de maneira tão perfeita, tudo tão
complexo seguindo regras exatas (Isaías 40:28).

Deus vê tudo e sabe tudo

Como não está limitado, Ele consegue ver tudo o que


aconteceu, está acontecendo e vai acontecer ao mesmo
tempo.

Deus é perfeito

Ele não falha, não erra, não faz coisas ruins e não muda. Nós
mudamos com o tempo, temos novas experiências e mudamos
de opinião, mas Deus é constante na sua perfeição. Podemos
sempre confiar nele (Hebreus 13:8).
Deus é amor

Ele sabe tudo que você está passando e quer ajudar. Seu amor
não se ganha ou merece, é incondicional (1 João 4:10). Isso
significa que o amor de Deus não depende de você, Ele te ama
mesmo se você não acredita que Ele existe! E Deus quer que
você O ame. Mas ninguém pode forçar outra pessoa a amá-lo,
o amor é uma decisão. Por isso Deus deu a você uma escolha;
se você não quer mesmo ficar com Ele e amá-lo, Ele deixa você
ir e fazer sua vida sem Ele. Mas se você mudar de ideias, Ele
está sempre pronto para te receber de braços abertos, como o
Pai do filho pródigo (Lucas 15:20).

Posso conhecer Deus?

Sim, você pode conhecer Deus. Para nós é muito difícil


entender o que Deus é, quem Deus é e como Deus é, por isso
Ele decidiu revelar-se a nós de uma forma que dá para
compreender. Deus se tornou num homem, Jesus. Ele viveu
com outras pessoas como eu e você e provou que podemos
conhecê-lo pessoalmente (João 1:14). Não é difícil, basta
querer ser seu amigo e pedir perdão por rejeitá-lo. Deus
também nos deixou a Bíblia, um livro todo que fala sobre Ele.
Se você quer saber mais sobre Deus, leia a Bíblia.
Quem foi Jeremias?

Jeremias foi um profeta que avisou sobre a destruição


iminente de Judá durante os reinados dos últimos quatro reis
de Judá. Ele foi rejeitado, desprezado e maltratado por
transmitir a mensagem de Deus. Mas, no fim, as profecias de
Jeremias se cumpriram.

O chamado de Jeremias

Jeremias era filho de um homem chamado Hilquias, de uma


família de sacerdotes. Um dia, Deus falou com Jeremias e disse
que o tinha escolhido como profeta. Jeremias se sentia muito
novo para ser profeta mas Deus garantiu que estaria sempre
com ele e lhe daria as palavras certas (Jeremias 1:6-8).

Deus avisou a Jeremias que o povo era rebelde e iria rejeitar


sua mensagem. Mas Deus lhe daria força para enfrentar toda
a oposição e perseguição sem desistir (Jeremias 1:17-19).

A vida de Jeremias

Jeremias não teve uma vida fácil. Deus ordenou que ele não se
casasse nem formasse família, porque as crianças nascidas
nessa época não teriam futuro (Jeremias 16:2-4). Ele também
não participava de festas nem ia a funerais, como sinal que
Deus havia abandonado seu povo. A vida de Jeremias foi
muito solitária.

Por causa de sua mensagem de castigo e destruição, Jeremias


foi considerado um traidor, que estava tentando desmoralizar
o povo. Ele foi preso várias vezes por suas pregações, foi
maltratado e algumas pessoas até tentaram matá-lo! (Jeremias
20:1-2; Jeremias 26:8-9) Mas no meio desse sofrimento
todo, Deus protegeu a vida de Jeremias.
Por causa de seus muitos sofrimentos, Jeremias ficou triste e
deprimido. Em certa ocasião, ele até quis morrer (Jeremias
20:18). Mas Jeremias continuou confiando em Deus e Ele lhe
deu força para continuar.

O ministério de Jeremias

Quando Jeremias começou seu ministério, o rei Josias estava


fazendo reformas, tentando levar o povo a adorar a Deus
novamente. Mas o coração das pessoas estava virado para a
idolatria e não houve verdadeira transformação. Por isso, Deus
usou Jeremias para avisar que o castigo estava chegando.
Quando Josias morreu em combate, Jeremias escreveu um
lamento por ele (2 Crônicas 35:25).

Jeremias continuou avisando o povo do castigo que estava


chegando ao longo dos reinados dos próximos três reis. Mas
esses reis não eram como Josias. Eles eram idólatras e não
temiam a Deus. Em vez de ouvirem Jeremias, eles o viam como
uma ameaça. O povo continuou na idolatria e no pecado,
ignorando Jeremias.

Jeremias viu o cumprimento de parte de suas profecias. Ele


estava em Jerusalém quando Nabucodonosor a conquistou e
destruiu (Jeremias 52:12-14). Ele viu o castigo do povo e sofreu
muito com isso, porque se importava com seu país. Mas,
mesmo depois de ver o cumprimento das profecias, o povo
continuou a ignorar os avisos de Jeremias.

Mesmo assim, Jeremias não desistiu e continuou


repreendendo o povo por seus pecados. Ele os chamava ao
arrependimento, para o perdão dos pecados. Jeremias
também profetizou que, depois de 70 anos, Deus iria trazer
restauração. Ele também profetizou sobre uma nova aliança,
que um dia Deus iria estabelecer no coração das pessoas
(Jeremias 31:33-34). Essa profecia foi cumprida em Jesus.
Quem era Zaqueu na Bíblia?

Zaqueu era um publicano que se converteu quando Jesus se


hospedou em sua casa. Quando se converteu, Zaqueu se
tornou honesto e generoso.

Zaqueu era um homem rico, com uma boa carreira como


chefe dos publicanos em Jericó(Lucas 19:1-2). Os publicanos
era cobradores de impostos que trabalhavam para o império
romano. Os outros judeus não gostavam dos publicanos
porque muitos eram corruptos e roubavam o povo quando
cobravam os impostos.

Na sua viagem para Jerusalém, um pouco antes da entrada


triunfal, Jesus passou por Jericó. Zaqueu sabia que Jesus estava
passando mas não conseguiu vê-lo, porque era baixo e a
multidão o impedia de ver. Como queria muito ver Jesus,
Zaqueu correu na frente da multidão e subiu a uma figueira
brava que ficava no caminho que Jesus ia percorrer (Lucas
19:3-4).

Jesus chegou à árvore e olhou para cima. Chamando Zaqueu


pelo nome, ele lhe mandou descer, porque queria ficar em
sua casa. Alegre, Zaqueu desceu depressa e levou Jesus para
sua casa. Lá, ele declarou que iria dar metade de seus bens aos
pobres e devolver quatro vezes mais a qualquer pessoa que
tivesse extorquido. Jesus respondeu dizendo que a salvação
tinha chegado nesse dia à casa de Zaqueu (Lucas 19:8-9).
O que podemos aprender com Zaqueu?

 Não desistir – Zaqueu enfrentou obstáculos para ver


Jesus mas ele não desistiu; na vida surgem obstáculos
mas não devemos desistir de seguir Jesus – Hebreus
10:35

 Humildade – para receber Jesus em sua casa, Zaqueu


teve de descer de sua árvore, revelando sua baixa
estatura perante Jesus e a multidão; muitas vezes, para
sermos abençoados por Jesus, precisamos largar nosso
orgulho e reconhecer nossas falhas

 Jesus ama todos – a multidão não gostou quando


Jesus ficou na casa de um odiado publicano mas Jesus
disse que tinha vindo para salvar quem estava perdido
– Lucas 19:10

 Uma vida com Jesus é diferente – depois que


conheceu Jesus, Zaqueu abandonou o pecado e
decidiu viver de forma honesta; Jesus pode
transformar a vida de até a pessoa mais odiada! - 2
Coríntios 5:17
Quem foi Moisés na Bíblia?

Moisés foi o grande líder de Israel, que libertou seu povo da


escravidão do Egito. Moisés recebeu os Dez Mandamentos de
Deus e que preparou os hebreus para a conquista de Canaã.
Acredita-se que foi Moisés que
escreveu Gênesis, Êxodo, Levítico, Números e Deuteronômio.

Um menino especial

O faraó do Egito se sentia ameaçado pelos israelitas, por isso


os escravizou e mandou matar todos os meninos. Mas uma
mulher israelita escondeu seu filho num cesto no rio Nilo. A
filha do faraó encontrou o menino e o adotou. Ela lhe deu o
nome Moisés, que significa “tirado das águas”.

Moisés cresceu na casa do faraó e recebeu uma educação de


príncipe (Atos dos Apóstolos 7:21-22). Mas Moisés nunca se
esqueceu de suas origens e se identificava com os hebreus.

Moisés foge do Egito

Um dia, Moisés matou um egípcio que estava maltratando um


hebreu. Mas ele foi descoberto e fugiu com medo. Moisés foi
para a terra de Midiã, onde ficou na casa de um sacerdote
chamado Jetro. Ele casou com Zípora, a filha de Jetro, e teve
dois filhos (Êxodo 2:21-22).

Moisés, o príncipe, se tornou num simples pastor de ovelhas


durante 40 anos! Um dia Moisés viu uma sarça em chamas que
não era consumida pelo fogo (Êxodo 3:1-2). Ali, Deus mandou
Moisés voltar para o Egito para libertar seu povo. Moisés
hesitou mas acabou obedecendo a Deus.
Israel sai do Egito

Com 80 anos, Moisés confrontou o faraó mas este se recusou a


libertar os israelitas. Por isso, Deus mandou dez pragas sobre
o Egito. Todos menos os hebreus foram afetados. Depois da
última praga, o faraó deixou o povo de Israel partir.

Os hebreus saíram triunfantes do Egito, mas o faraó se


arrependeu e saiu em perseguição (Êxodo 14:5-6). Os hebreus
ficaram encurralados entre o exército do faraó e o Mar
Vermelho.

Deus então mandou Moisés erguer sua vara sobre o mar. Veio
um grande vento que abriu o mar e os israelitas passaram em
terra seca. Mas quando o exército egípcio os seguiu, o Mar
Vermelho se fechou e todos morreram afogados. Assim, os
israelitas ficaram livres de vez do poder do Egito (Êxodo 14:29-
31).

Moisés, líder de Israel

Moisés levou o povo até o monte Sinai, onde recebeu os Dez


Mandamentose todas as leis para governar o povo de Deus.
Mas os israelitas se rebelaram e adoraram um bezerro de ouro.
Deus puniu o povo mas Moisés intercedeu por eles e Deus não
os destruiu totalmente.

Algum tempo depois, chegaram à fronteira da terra prometida.


Mas o povo ficou com medo dos habitantes e se recusou a
entrar. Então Deus declarou que iriam passar 40 anos no
deserto, até que toda a geração rebelde tivesse morrido
(Números 14:32-34).
Durante 40 anos, Moisés liderou os hebreus no deserto. O
povo era ingrato e várias vezes se rebelou contra Moisés e
contra Deus. Moisés era um homem muito paciente mas ele
ficava frustrado com a falta de fé do povo diante de tantos
milagres (Números 12:3).

No fim de sua vida, Moisés levou o povo novamente até a


fronteira da terra prometida. A nova geração não era rebelde e
estava pronta para a conquista. Do monte Nebo, Moisés viu a
terra prometida e depois morreu. Moisés é lembrado como
um grande herói, que foi fiel a Deus e, por isso, viu grandes
milagres (Deuteronômio 34:10-12).
Quem são os 144 mil selados?

Os 144 mil selados são são uma visão do livro de Apocalipse


sobre os servos de Deus dentre as tribos de Israel. Eles
receberão um selo na testa para mostrar que são servos de
Deus. Os 144 mil selados irão para o Céu, junto com muitas
outras pessoas de todas as nações.

Os 144 mil surgem em Apocalipse 7:2-4, depois da abertura do


sexto selo. Um anjo segurando o selo de Deus mandou selar as
testas dos servos de Deus antes de trazer destruição sobre a
terra. 144 mil foram selados: 12 mil de cada uma das 12 tribos
de Israel.

Junto com os 144 mil estava uma multidão incontável de


todas as nações do mundo, vestidos de branco e louvando
perante o trono de Deus. Essas pessoas tinham passado por
uma grande tribulação e tinham sido purificados por Jesus, o
Cordeiro (Apocalipse 7:13-15). Todos eles morarão no Céu,
junto do trono de Deus.

Apocalipse 14:1 explica que o selo nas testas dos 144 mil é o
nome de Deus. Os 144 mil são pessoas virgens, que seguem
Jesus por todo lado, e que não têm mancha alguma. São puros,
representando o melhor da humanidade (Apocalipse 14:4-5).
O que representam os 144 mil?

Os 144 mil representam pessoas totalmente dedicadas a


Deus, que rejeitam o pecado e fazem o que é certo. Eles estão
em contraste com as pessoas que receberam a marca da besta,
que estão condenadas porque adoram um deus falso
(Apocalipse 14:9-11).

144 mil representa um número completo de pessoas. 12 mil de


cada uma das 12 tribos de Israel representa um grande
número de pessoas. Mas os 144 mil não são os únicos que
serão aprovados e levados para o Céu. A multidão de todas as
nações que irá com eles será incontável.

A Bíblia diz que os 144 mil virão de Israel. Existem duas


interpretações principais sobre quem essas pessoas serão:

 Judeus de nascença – israelitas que se convertem a


Cristo

 Israel espiritual – algumas partes da Bíblia dizem que


os cristãos são os verdadeiros filhos de Abraão

Por que foram selados?

Antigamente, selos eram usados para marcar documentos e


garantir que eram autênticos. Cada selo era único, por isso o
selo de uma pessoa não podia ser confundido com o selo de
outra. O selo na testa dos 144 mil deixaria bem claro que eles
pertencem a Deus. Todos poderiam ver que são servos de
Deus. O selo também poderá representar a proteção de Deus.
Quem foi Isaque na Bíblia?

Isaque foi o filho de Abraão e o pai de Jacó. Ele foi um dos


patriarcas da nação de Israel, o herdeiro prometido a Abraão.

O filho da promessa

Deus prometeu um filho a Abraão. Mas Abraão e Sara riram da


ideia, porque os dois estavam muito velhos para ter filhos.
Quando Abraão tinha 100 anos de idade e Sara tinha 90,
Isaque nasceu (Gênesis 21:1-3). Isaque significa “ele riu”.

Isaque era o herdeiro de tudo que Abraão tinha: seus bens,


sua posição social e sua promessa de Deus de que seus
descendentes se tornariam uma grande nação. Mas, quando
Isaque ainda era jovem, Deus mandou Abraão sacrificar seu
filho. Abraão amava muito Isaque mas ele decidiu obedecer a
Deus, crendo que Deus o poderia ressuscitar (Hebreus 11:17-
19).

Enquanto subiam o monte chamado Moriá para oferecer o


sacrifício, Isaque perguntou a seu pai onde estava o cordeiro
que iriam matar. Abraão lhe disse que Deus iria providenciar o
cordeiro (Gênesis 22:7-8). Abraão atou Isaque e o colocou no
altar para o matar. Mas Deus impediu Abraão de matar Isaque
e lhe providenciou um carneiro para o sacrifício. Então Abraão
e Isaque voltaram para casa.
Isaque e Rebeca

Quando Isaque tinha 37 anos, sua mãe morreu. Ele ficou muito
triste mas, três anos depois, ele ficou consolado, quando se
casou com Rebeca (Gênesis 24:67). Isaque amava Rebeca
muito e nunca houve outra mulher na sua vida. Algum tempo
depois, Abraão morreu e Isaque herdou toda a riqueza de seu
pai (Gênesis 25:11).

Isaque foi viver entre os filisteus mas teve medo que o


poderiam matar para ficar com sua esposa bonita. Por isso, ele
mentiu e disse que era sua irmã. Um dia o rei dos filisteus viu
Isaque acariciando Rebeca e o repreendeu por seu engano
(Gênesis 26:9-10). O rei protegeu Isaque mas o povo ficou com
inveja dele porque era muito rico e Deus o fazia prosperar em
tudo que fazia. Isaque saiu dali mas Deus lhe disse para não
ter medo (Gênesis 26:24-25).

Conflitos na família

Rebeca era estéril, não podia ter filhos. Então Isaque orou por
ela e, 20 anos depois do seu casamento, ela engravidou e teve
gêmeos: Esaú e Jacó. Isaque preferia Esaú mas Rebeca preferia
Jacó (Gênesis 25:27-28). Isso gerou rivalidade e conflito na casa
de Isaque.
Quando Isaque estava velho e cego, ele chamou Esaú para o
abençoar. Enquanto Esaú se preparava, Jacó tomou o lugar de
seu irmão e enganou Isaque. Pensando que era Esaú, Isaque
abençoou Jacó e o tornou seu herdeiro. Quando Isaque
descobriu que tinha sido enganado, ele não retirou sua
bênção de Jacó mas reconheceu que tinha que ser
assim (Gênesis 27:33). Era a vontade de Deus.

Jacó fugiu de casa, por causa do ódio de seu irmão. Ele apenas
voltou muitos anos mais tarde, quando Rebeca já tinha
morrido. Isaque morreu algum tempo depois do retorno de
Jacó, com 180 anos de idade (Gênesis 35:27-29). Ele ficou
conhecido por ser um homem de paz, que tinha fé em Deus.
Quem foi Ezequiel?

Ezequiel foi um dos grandes profetas israelitas. Seu ministério


foi durante a época do exílio na Babilônia, uma fase muito
difícil na história de Israel. No livro de Ezequiel, o profeta
avisou sobre a destruição de Jerusalém mas também anunciou
a restauração do povo de Deus.

A vida de Ezequiel

No tempo de Ezequiel, Nabucodonosor conquistou o reino de


Judá, obrigando o novo rei a se submeter ao império
babilônico. Nessa invasão, Nabucodonosor deportou vários
sacerdotes, oficiais e membros da nobreza judaica para a
Babilônia. Ezequiel, com cerca de 25 anos, foi um dos
exilados. Ele era de uma família de sacerdotes mas não teve a
oportunidade de servir no templo.

Aos 30 anos de idade, Ezequiel teve uma visão da glória de


Deus e foi chamado para ser profeta (Ezequiel 1:1-3). A partir
daí, ele iria profetizar para o povo de Israel espalhado pelo
império babilônico.

Na altura quando Ezequiel começou a profetizar, vários falsos


profetas tinham surgido, anunciando a restauração da
independência de Israel para breve. No entanto, a mensagem
que Ezequiel recebeu foi de condenação. Os israelitas
continuavam no pecado, por isso, Jerusalém seria destruída.

Por ordem de Deus, Ezequiel fez vários gestos simbólicos para


ilustrar o que iria acontecer. Por exemplo, ele construiu uma
miniatura de Jerusalém e a cercou, para mostrar que a cidade
iria ser sitiada. Ezequiel também racionou sua comida,
simbolizando a falta de comida durante o cerco. Os atos que
Ezequiel realizava em público eram proféticos (Ezequiel 24:24).
Certo dia, Deus avisou a Ezequiel que ele iria perder sua
esposa. Nesse mesmo dia a esposa de Ezequiel
morreu (Ezequiel 24:15-17). Mas Ezequiel não fez luto por sua
amada. Sua perda foi sinal de uma perda muito maior que iria
acontecer: a destruição de Jerusalém e a morte de muitos
judeus. Algum tempo depois, a profecia se cumpriu.

A vida de Ezequiel não foi fácil. Muitas de suas mensagens


eram de condenação de destruição e o povo não queria aceitar
o que dizia. No entanto, Ezequiel se manteve fiel e obedeceu a
tudo que Deus lhe mandou fazer e não deixou de pregar para o
povo. No fim, Ezequiel recebeu a esperança de uma futura
restauração, em que Deus iria cuidar de seu povo (Ezequiel
37:26-28).

O livro de Ezequiel

O livro de Ezequiel conta sobre o ministério do profeta


Ezequiel e as visões e profecias que recebeu.

De início, as profecias de Ezequiel eram praticamente todas


de julgamento pelos pecados dos israelitas. O povo tinha se
desviado de seu Deus, cometendo pecados terríveis, e em
breve iria ser castigado. O templo de Deus, junto com o resto
de Jerusalém, seria destruído e o povo seria morto ou levado
para o exílio.

Ezequiel também profetizou sobre outros povos. Os vizinhos


dos israelitas também tinham seus dias contados e iriam ser
castigados por Deus.

Mas nem tudo era sombrio. O livro de Ezequiel também tem


algumas das profecias mais inspiradoras da Bíblia! Ezequiel
vislumbrou a glória de Deus e recebeu promessas de
restauração e ressurreição para o povo de Deus. Muitos iriam
ser julgados mas, no fim o povo de Deus teria paz.
Quem é o arcanjo Miguel?

O arcanjo Miguel é um dos príncipes supremos entre os


anjos. Ele é um anjo guerreiro, que luta contra o diabo e
defende o povo de Deus. A Bíblia fala pouco sobre o arcanjo
Miguel.

O arcanjo Miguel aparece 5 vezes na Bíblia:

 Daniel 10:13 – um anjo apareceu ao profeta Daniel em


uma visão e lhe explicou que só não tinha chegado
mais cedo porque o príncipe da Pérsia (um agente de
satanás) o impediu. Mas quando o arcanjo Miguel
chegou e o ajudou, ele conseguiu chegar a Daniel.

 Daniel 10:20-21; Daniel 11:1 - Miguel ajudou a lutar


contra o príncipe da Pérsia e da Grécia e tinha recebido
ajuda do anjo da visão de Daniel

 Daniel 12:1 – o arcanjo Miguel virá no fim dos tempos


e terá um papel importante que não é explicado

 Judas 1:9 – o arcanjo Miguel entrou em uma disputa


com o diabo pelo corpo de Moisés quando ele morreu.
Nessa disputa Miguel mostrou sabedoria ao não entrar
em difamações, mas deixou a repreensão para Deus

 Apocalipse 12:7-9 – esta visão fala sobre uma grande


batalha nos céus entre o exército dos anjos de Deus,
liderado por Miguel, e o exército de satanás. Satanás
perdeu e foi lançado à terra. Essa batalha não é a
mesma que a grande batalha final quando o diabo será
lançado no lago de fogo
Por essas 4 referências sabemos que Miguel é um arcanjo –
um príncipe entre os anjos, ou anjo principal. Ele tem mais
poder que alguns anjos e ajuda a lutar contra os elementos
mais poderosos do exército de satanás. Miguel é um grande
guerreiro e defende o povo de Deus.

O arcanjo Miguel é Jesus?

A Bíblia não diz que o arcanjo Miguel é Jesus. Na verdade, o


arcanjo Miguel aparece tão pouco na Bíblia que é impossível
encontrar uma associação clara com Jesus. Será mais sensato
acreditar naquilo que a Bíblia diz que Miguel é: um anjo
poderoso.

Quem acredita que o arcanjo Miguel é Jesus diz que:

 Ele tem as mesmas funções que Jesus – proteger o


povo de Deus, liderar a luta celestial contra as forças
do diabo

 Ele é o único arcanjo – na Bíblia não aparece nenhuma


outra referência a um arcanjo, então Miguel deve ser o
único, o príncipe supremo; Jesus é o Príncipe supremo
sobre todos os servos de Deus

 Jesus voltará quando soar a voz do arcanjo – essa voz


poderá ser a voz do próprio Jesus – 1 Tessalonicenses
4:16
Quem acredita que o arcanjo Miguel é distinto de Jesus diz
que:

 Miguel não é Deus – Jesus é Deus; Miguel, enquanto


disputava com o diabo, disse “o Senhor o repreenda”,
implicando que ele não era o Senhor

 Jesus é distinto dos anjos – o primeiro capítulo


de Hebreus deixa bem claro que Jesus está muito
acima dos anjos, ele não é apenas um anjo supremo.

 A Bíblia fala pouco sobre os anjos em geral – só


porque não fala sobre outros arcanjos não significa
que não existam; Daniel 10:13 diz que Miguel é um dos
príncipes supremos, não é o único

Seja como for, para jogar pelo seguro, não devemos orar para
o arcanjo Miguel. A Bíblia proíbe a adoração a anjos. O nome
que tem todo poder é o nome de Jesus (Colossenses 3:17).
Quem foi Calebe na Bíblia?

Calebe foi um companheiro de Josué que liderou a conquista


da terra prometida. Ele acreditou no poder de Deus e, por
isso, Deus o abençoou com vida longa e conquistas no fim de
sua vida.

Calebe, o espião

Quando o povo de Israel chegou à fronteira da terra


prometida, Moisés enviou 12 espiões para descobrir se a terra
era boa ou ruim (Números 13:1-2). Um dos 12 espiões
era Calebe, filho de Jefoné, da tribo de Judá.

Depois de 40 dias, os espiões voltaram com a notícia que a


terra era boa e fértil, mas os povos que moravam lá eram
muito fortes. Os outros espiões desanimaram o povo
mas Calebe acreditava que Deus lhes iria dar a
vitória(Números 13:30-31). Calebe e Josué tentaram animar o
povo, declarando que Deus tinha poder para expulsar seus
inimigos e lembrando como a terra era boa. Mas o povo se
rebelou contra Deus e falou em apedrejar Calebe, Josué,
Moisés e Arão.

Por causa da rebelião, Deus castigou o povo, declarando que


eles iriam passar 40 anos no deserto (Números 14:32-34).
Todos os israelitas adultos iriam morrer sem entrar na terra
prometida. Apenas Calebe e Josué iriam entrar. Deus
abençoou Calebe, porque era homem íntegro, e prometeu
uma herança para seus descendentes (Números 14:24).
Calebe conquista sua herança

Calebe se tornou líder da tribo de Judá e, com 85 anos de


idade, entrou na terra prometida. Ele conquistou a parte da
terra que tinha explorado como espião, que se tornou sua
herança. Mesmo sendo velho, Calebe ainda tinha força para
lutar! - Josué 14:10-11

Durante a conquista da terra, Calebe prometeu dar sua filha,


chamada Acsa, em casamento a quem conquistasse um lugar
chamado Quiriate-Sefer. Seu sobrinho Otoniel conquistou a
cidade e se casou com Acsa. Mais tarde, Otoniel se tornou líder
de Israel (Juízes 3:9-11).

O que podemos aprender com Calebe?

 Fé – enquanto outros viam apenas os problemas,


Calebe confiava na promessa de Deus; por isso, Calebe
viu o cumprimento da promessa

 Coragem – Calebe estava pronto para obedecer a


Deus, mesmo quando era perigoso

 Paciência – Calebe apenas recebeu sua herança aos 85


anos mas ele não desistiu de Deus durante os 40 anos
no deserto
Quem foi Isaías?

Isaías foi um dos grandes profetas de Israel. Seu ministério


durou muitos anos e ele profetizou sobre a destruição e
restauração de Jerusalém. Isaías é mais conhecido por suas
profecias sobre o Messias.

Isaías significa “o Senhor salva”. Ele era filho de um homem


chamado Amoz e profetizou durante os reinados de quatro reis
de Judá: Uzias, Jotão, Acaz e Ezequias (Isaías 1:1).

A esposa de Isaías era uma profetisa e eles tiveram dois filhos:

 Sear-Jasube – que significa “um remanescente voltará”


- seu nome era simbólico, representando a profecia
sobre a restuaração de Israel

 Maher-Shalal-Hash-Baz - “rapidamente até os


despojos, agilmente até a pilhagem” - uma profecia
sobre a pilhagem de Israel e da Síria pelos assírios

Isaías é enviado

No ano em que Uzias morreu, Isaías recebeu um chamado para


profetizar ao povo de Israel. Ele teve uma visão da glória de
Deus, na companhia de sarafins. Isaías sentiu-se impuro mas
um serafim levou uma brasa do altar junto de Deus e tocou a
brasa nos lábios de Isaías, que recebeu perdão por seus
pecados. Deus perguntou: “quem enviarei?” e Isaías se
ofereceu para falar ao povo (Isaías 6:6-8).
Isaías e os reis de Judá

Isaías aconselhava e repreendia os reis de Judá, transmitindo-


lhes mensagens de Deus. Ele também escreveu relatos sobre
os reinados de Uzias e Ezequias, que hoje estão perdidos.

Os reinos de Judá e Israel estavam separados e no tempo do


rei Acaz, o rei de Israel queria conquistar Judá. Deus enviou
Isaías a Acaz para o encorajar, porque Israel estava condenada
e em breve seria conquistada pela Assíria. Mas Acaz fez pouco
caso da mensagem de Deus (Isaías 7:10-13). Por isso, Isaías
avisou que Judá também sofreria às mãos dos assírios e dos
egípcios.

Ezequias, herdeiro de Acaz, foi mais sensato e temia a Deus.


Quando o rei da Assíria atacou Judá e cercou Jerusalém,
Ezequias procurou a ajuda de Deus. Os assírios desafiaram o
poder de Deus, dizendo que Ele não era capaz de salvar
Jerusalém. Mas Isaías disse que Ezequias não precisava ter
medo (2 Reis 19:5-7). Deus agiu e matou 185 mil soldados
assírios e eles bateram em retirada. Os assírios foram
derrotados e nem sequer houve uma batalha!

Em outra ocasião, Ezequias ficou muito doente e quase


morreu. Ezequias clamou a Deus e Isaías profetizou que ele iria
melhorar. Como sinal, a sombra só sol na escadaria recuou os
dez degraus que já tinha avançado nesse dia! (2 Reis 20:9-11)
Depois que recuperou, Isaías avisou Ezequias que os babilônios
iriam conquistar Judá. Ezequias aceitou a mensagem porque
não seria durante seu reinado.
Isaías e o Messias

Isaías transmitiu várias profecias sobre a vinda do Messias, o


Salvador do mundo. Ele profetizou que o Messias iria:

 Ser descendente do rei Davi – Isaías 11:2

 Nascer de uma virgem – Isaías 7:14

 Sofrer e morrer por nossos pecados – Isaías 53:4-5

Todas essas profecias foram cumpridas em Jesus.


Quem era Pedro na Bíblia?

Pedro era um dos 12 apóstolos, que muitas vezes servia como


porta-voz dos discípulos. Ele era um dos discípulos mais
próximos de Jesus e foi um dos grandes líderes da igreja
primitiva. Pedro escreveu duas cartas, que estão na Bíblia (1 e
2 Pedro).

Pedro, discípulo de Jesus

Pedro, também chamado Simão, era um pescador que tinha


um pequeno negócio em parceria com seu irmão André e dois
amigos, Tiago e João. André introduziu Pedro a Jesus e, mais
tarde, quando Jesus o chamou, Pedro deixou tudo para ser
seu discípulo (Lucas 5:9-11). Jesus escolheu Pedro para ser um
de seus 12 apóstolos, que receberam um treinamento especial
para serem líderes.

Pedro se destacou entre os discípulos por ser ousado e falar o


que todos estavam pensando. Ele era impulsivo, fazia tudo
com entusiasmo e amava Jesus ferozmente. Pedro tinha a
personalidade de um líder mas ainda não era maduro.

Pedro era um dos discípulos mais íntimos de Jesus e


presenciou eventos especiais, que nem todos os apóstolos
viram. Junto com Tiago e João, Pedro viu a transfiguração de
Jesus e a ressurreição da filha de Jairo (Marcos 9:2). Pedro era
mais que aluno, ele era amigo de Jesus.

Pedro reconheceu que Jesus era o Cristo, o Filho de Deus, mas


não entendia que Jesus tinha que morrer e queria protegê-lo a
todo custo (Mateus 16:15-17). Ele estava pronto para morrer
para defender Jesus e até tentou salvar Jesus quando foi preso.
Mas Jesus impediu Pedro de seguir o caminho da
violência (João 18:10-11).
Quando Jesus foi preso, Pedro perdeu a coragem e negou
Jesus três vezes. Seu coração era sincero mas nesse momento
ele tropeçou. Logo Pedro se arrependeu de suas palavras e
ficou muito triste (Lucas 22:60-62).

Pedro, líder da igreja

Quando Jesus ressuscitou, Pedro foi o primeiro a entrar no


túmulo vazio para ver. Mais tarde, Jesus apareceu na praia e
conversou com Pedro. Três vezes Pedro disse que amava
Jesus e Jesus o mandou cuidar de suas ovelhas (João 21:17).
Daí em diante, Pedro foi uma pessoa diferente.

No dia de Pentecostes, quando os discípulos receberam o


Espírito Santo, Pedro pregou o evangelho e 3000 pessoas se
converteram! A partir daí, Pedro começou a falar
corajosamente sobre Jesus por toda a parte (Atos dos
Apóstolos 2:37-39). Deus usou sua ousadia e coragem, junto
com o poder do Espírito Santo, para estabelecer a igreja no seu
início.

Mesmo correndo risco de morrer, Pedro continuou


pregando. De início, ele só pregava para judeus mas depois
Deus lhe revelou que o evangelho é para todos. Pedro teve de
aprender a largar o preconceito e a preocupação com a opinião
dos outros (Atos dos Apóstolos 10:27-28).

Com o tempo, Pedro amadureceu e seus traços mais


impulsivos e violentos desapareceram. Pedro foi um exemplo
de coragem mas também de humildade, reconhecendo e
corrigindo seus erros. Deus usou Pedro de maneira poderosa
para levar o evangelho a muitas pessoas.
Quem foi Barrabás

Barrabás foi um bandido que foi escolhido para ser liberto em


vez de Jesus. Ele era parte de um grupo de rebeldes que
tinham cometido assassinato. A Bíblia fala pouco dele e não
conta o que aconteceu depois que foi libertado.

Na altura da Páscoa, o governador romano tradicionalmente


soltava um judeu da prisão. Quando Jesus foi preso, o
governador Pilatos viu que ele era inocente e tentou defendê-
lo mas o povo não quis ouvir. Então Pilatos decidiu usar a
tradição da Páscoa para libertá-lo. Ele deu uma escolha ao
povo: soltar Jesus, que não tinha cometido nenhum crime
grave, ou soltar Barrabás, um conhecido criminoso de mau
caráter. Mas, contra suas expetativas, o povo escolheu
Barrabás. Pilatos respeitou a escolha e soltou Barrabás,
enviando Jesus para morrer na cruz (Marcos 15:6-15).

O assassinato e a insurreição eram crimes com pena de morte.


Se Barrabás não tivesse sido libertado, ele provavelmente teria
sido crucificado. Barrabás merecia morrer, Jesus não. Jesus
morreu no lugar de Barrabás.

Ninguém sabe o que aconteceu com Barrabás depois. Ele agora


tinha uma segunda chance: podia escolher continuar na sua
má vida ou mudar e seguir Jesus. Cada um de nós é como
Barrabás, condenados a morrer nos nossos pecados. Mas Jesus
morreu em nosso lugar (1 Pedro 3:18). Agora nós temos a
mesma escolha que Barrabás e podemos completar sua
história em nossas vidas.
Quem foi Rebeca

Rebeca foi a esposa de Isaque e a mãe de Jacó e Esaú. Ela foi


escolhida por Deus para continuar a descendência de Abraão.

Rebeca e Isaque

Depois que Sara morreu, Abraão procurou uma esposa para


seu filho Isaque. Abraão não queria que Isaque se casasse com
uma mulher de Canaã, que servia a outros deuses. Por isso, ele
enviou seu servo mais velho a sua terra natal para encontrar
uma mulher entre seus parentes (Gênesis 24:1-4).

Quando o servo chegou à cidade, ele orou a Deus, pedindo um


sinal para saber quem era a mulher certa. Nesse momento
Deus lhe concedeu o sinal que tinha pedido: uma moça tirou
água do poço para ele e seus dez camelos (Gênesis 24:19-
21). A moça se chamava Rebeca e era parente de Abraão.

O servo deu presentes a Rebeca e ela contou tudo a sua


família, que recebeu o servo em sua casa. O servo explicou que
procurava uma esposa para Isaque e pediu para levar Rebeca.
A família de Rebeca consentiu mas queria algum tempo para se
despedir. O servo queria ir embora logo, por isso perguntaram
a Rebeca se ela queria ir. Rebeca disse que sim, sem hesitar,
então partiram (Gênesis 24:57-59).

Quando estavam chegando, um homem foi ao seu encontro.


Rebeca perguntou ao servo quem ele era e ele disse que era
Isaque. Então Rebeca se cobriu com um véu, por
modéstia. Isaque se casou com Rebeca e a amou
muito (Gênesis 24:65-67).
Rebeca e Jacó

Rebeca não podia ter filhos, então Isaque orou e, 20 anos


depois, ela engravidou. Havia gêmeos dentro de Rebeca, que
se empurravam dentro de sua barriga. Rebeca perguntou a
Deus o que estava acontecendo. Ele lhe revelou que seus dois
filhos iriam se tornar em duas nações e que o mais velho
serviria ao mais novo (Gênesis 25:22-23).

Quando Rebeca deu à luz, o primeiro filho foi chamado Esaú,


que significa peludo. O segundo filho saiu agarrado ao
calcanhar do irmão. Ele ganhou o nome de Jacó. Esaú se
tornou o favorito de Isaque, porque caçava e seu pai gostava
de comer sua caça. Jacó, que era mais pacato e ficava mais em
casa, era o favorito de Rebeca (Gênesis 25:27-28). Isso gerou
muitos problemas na família.

Quando Isaque estava velho e cego, ele chamou Esaú para lhe
dar a bênção de filho mais velho. Quando Esaú saiu para caçar
comida para receber a bênção do pai, Rebeca chamou Jacó
para tomar a bênção pelo engano. Ela preparou comida para
Isaque, vestiu Jacó com as roupas de seu irmão e colocou peles
de cabrito em seus braços para se parecer com Esaú (Gênesis
27:15-17). Jacó levou a comida a seu pai e o enganou,
recebendo a bênção do filho mais velho.
Rebeca ouviu que Esaú ficou com raiva e queria matar
Jacó. Então, ela disse a Isaque que Jacó precisava de uma
esposa. As mulheres da região eram idólatras e causavam
problemas, por isso Rebeca pediu para mandar Jacó para terra
dela para encontrar uma esposa entre seus parentes, tal como
o servo de Abraão tinha feito (Gênesis 27:46).

Rebeca salvou a vida de Jacó mas ela nunca mais o viu. Por
causa de seu engano, Rebeca ficou sem seu filho favorito na
sua velhice. Mas, no fim, Deus usou toda essa situação para
abençoar Jacó, que se tornou pai das 12 tribos de Israel.
Quem eram os zelotes

Os zelotes eram uma seita judaica radical do tempo de


Jesus. Os zelotes acreditavam na luta armada contra os
romanos e esperavam um Messias guerreiro. Simão, um dos 12
apóstolos, era conhecido como “o zelote”.

O nome “zelote” vem de “zelo”, que significa devoção


fervorosa. Os zelotes levaram sua devoção à Palavra de Deus
ao extremo, acreditando que deviam fazer tudo para a
defender, até matar pessoas.

Para os zelotes, a dominação romana era uma afronta que não


podia ser tolerada. Israel era a nação escolhida de Deus mas os
romanos não criam em Deus nem O honravam. Os judeus não
se deviam associar a gentios. Por isso, os romanos precisavam
ser expulsos da Terra Santa, usando força.

Os zelotes causaram várias rebeliões violentas contra o império


romano, ao longo de cerca de 100 anos. Todas as rebeliões
falharam. Uma das maiores rebeliões incitadas pelos zelotes
culminou na destruição do templo de Jerusalém, em 70 d.C.,
como Jesus tinha predito (Marcos 13:1-2).
Os zelotes na Bíblia

A Bíblia não fala diretamente sobre os zelotes mas o


pensamento revolucionário estava bem presente entre os
discípulos de Jesus. Eles esperavam que Jesus iria expulsar os
romanos e restabelecer o reino de Israel mas Jesus lhes
explicou que seu Reino não era deste mundo (João 18:36).
Alguns discípulos também estavam prontos para lutar por
Jesus mas ele recusou a violência (Mateus 26:51-52).

Depois da ressurreição de Jesus, quando os judeus estavam


debatendo o que fazer com seus discípulos, Gamaliel falou
sobre outras revoltas que tinham acontecido. O caso de Judas,
o galileu, pode ser uma referência a uma das revoltas iniciais
dos zelotes (Atos dos Apóstolos 5:37). Mas os discípulos de
Jesus não tinham o mesmo propósito que os zelotes. Eles
pregavam um reino espiritual eterno que era para todo o
mundo, não só os judeus.

Simão, o zelote, era um dos 12 apóstolos. Seu apelido “zelote”


o distinguia de Simão Pedro, outro apóstolo (Lucas 6:13-15). A
Bíblia não diz porque ele era conhecido como zelote. Ele pode
ter sido membro dos zelotes antes de ser discípulo de Jesus ou
ele pode ter ficado com esse apelido porque era muito
fervoroso pela mensagem de Jesus.

Cada cristão deve ter zelo pelo evangelho mas sem cair no
erro dos zelotes. Eles estavam tão preocupados com questões
políticas que não entenderam a verdadeira mensagem das
Escrituras. Sua visão distorcida os impediu de reconhecer o
verdadeiro Messias: Jesus.
Quem foi Acabe?

Acabe foi um rei de Israel, marido de Jezabel, que foi


condenado por sua idolatria e suas más ações. Acabe
cometeu muitos pecados e deixou sua esposa cometer
atrocidades em Israel. O profeta Elias viveu no tempo do rei
Acabe.

Acabe era um rei poderoso e próspero, que fez várias grandes


obras de construção. Mas ele fez o que Deus reprova e
promoveu a idolatria em Israel. Influenciado por sua esposa,
Acabe passou a adorar o deus Baal. A Bíblia diz que ele foi pior
que todos os reis de Israel que vieram antes dele! - 1 Reis
16:32-33

Por causa do pecado de Acabe, Elias profetizou que não iria


chover. Depois de três anos de seca, Elias confrontou Acabe
por seu pecado e matou todos os sacerdotes idólatras do país.
Acabe voltou para casa e contou o que tinha acontecido a
Jezabel, que jurou matar Elias (1 Reis 19:1-2).

Mais tarde, o rei da Síria atacou Israel. Acabe tentou fazer um


acordo de paz mas as exigências do rei da Síria eram muito
grandes. Então um profeta anunciou a Acabe que Deus iria
derrotar o exército sírio. Acabe obedeceu às ordens de Deus,
que recebeu do profeta, e derrotou o rei da Síria em duas
grandes batalhas. Acabe capturou o rei da Síria mas deixou-o
viver e fez um tratado de paz com ele. Então um profeta
condenou Acabe, porque o rei da Síria era ruim e merecia a
morte. Acabe ficou muito irritado por causa dessa mensagem
(1 Reis 20:42-43).
A vinha de Nabote

Algum tempo depois, Acabe tentou comprar a vinha de um


homem chamado Nabote. A vinha ficava junto do palácio do
rei e ele queria usá-lo como uma horta. Mas Nabote se recusou
a vender a herança que tinha recebido de seus pais. Acabe
amuou, se deitou na cama e se recusou a comer. Jezabel
repreendeu Acabe por sua atitude infantil e engendrou a
morte de Nabote (1 Reis 21:7). Quando Acabe ouviu que
Nabote estava morto, ele tomou posse da vinha, sem
remorsos.

Por causa da atitude cruel e egoísta de Acabe, Elias profetizou


que ele e todos os homens de sua família iriam ser mortos e os
cachorros iriam lamber seu sangue no lugar onde lamberam o
sangue de Nabote (1 Reis 21:19-21). Quando Acabe ouviu isso,
ele jejuou e passou a viver com humildade. Por isso, Deus não
destruiu sua família durante seu reinado.

A morte de Acabe

Depois de três anos de paz, Acabe decidiu se juntar ao rei de


Judá para atacar a Síria. Antes de ir para a batalha, os dois reis
consultaram os profetas, que lhes garantiram que iriam vencer.
Mas o rei de Judá queria outra opinião. Acabe então mandou
chamar um profeta chamado Micaías, embora não gostasse
dele, porque nunca profetizava nada de bom sobre Acabe (1
Reis 22:8).
De início, Micaías disse que iriam ser vitoriosos mas o rei
insistiu que não mentisse. Então Micaías revelou que era uma
armadilha, porque Deus queria que Acabe
morresse. Zangado, Acabe mandou prender Micaías até que
ele voltasse da batalha (1 Reis 22:26-27). Acabe foi para a
batalha disfarçado mas uma seta atirada por acaso o atingiu e
ele morreu com o ferimento. Os cachorros lamberam seu
sangue no lugar onde Nabote tinha morrido, tal como Elias
tinha profetizado (1 Reis 22:37-38). Mais tarde, toda sua
família foi exterminada, por causa de seus pecados.
Quem foi Sara

Sara foi a esposa de Abraão e a mãe de Isaque. Junto com


Abraão, ela se tornou a matriarca do povo judeu. Sara ficou
conhecida por sua fé em Deus e seu apoio a Abraão.

Quando Abraão obedeceu a Deus e deixou a sua cidade para ir


para a terra prometida, ele levou sua esposa Sara com ele.
Naquele tempo eles se chamavam Abrão e Sarai. Mesmo tendo
65 anos de idade, Sarai aceitou a decisão de seu marido e o
acompanhou, passando a viver em tendas para o resto de sua
vida.

Uma mulher muito bonita

Sarai era muito bonita e, quando foram para o Egito, Abrão


ficou com medo que os egípcios o matassem para ficar com
sua esposa. Por isso fingiram que eram irmãos (Gênesis 12:11-
13). O faraó gostou de Sarai e a levou para seu palácio mas
Deus revelou ao faraó que ela era a esposa de Abraão. O faraó
não gostou de ter sido enganado e mandou Abrão e Sarai
embora do Egito.

Anos mais tarde, eles fizeram a mesma coisa entre o povo de


Gerar. Abimeleque, o rei de Gerar, tomou Sara para ser sua
esposa mas, mais uma vez, Deus lhe revelou que ela era a
esposa de Abraão. Abimeleque censurou Abraão por ter
mentido e quase trazido desgraça sobre seu povo (Gênesis
20:9). Abimeleque não tocou em Sara e ela voltou em
segurança para seu marido.
Um filho para Abrão

Dez anos depois que Deus tinha prometido pela primeira vez
uma terra e muitos descendentes a Abrão, Ele repetiu a
promessa, garantindo que Abrão teria um filho. Mas Deus não
tinha dito nada sobre Sarai ser a mãe. Por isso, Sarai achou que
deveria providenciar outra esposa para Abrão ter um filho,
segundo o costume da época (Gênesis 16:1-3).

Sarai entregou sua escrava Hagar para se casar com Abrão e


Hagar engravidou. Mas Hagar passou a desprezar Sarai e, em
resposta, Sarai maltratou Hagar (Gênesis 16:5-6). Sarai não
encontrou a alegria que esperava em Ismael, filho de Hagar.

Sara se torna mãe

Quando Abrão tinha 99 anos, Deus falou com ele novamente e


lhe disse que seu herdeiro seria filho de Sarai, que agora seria
chamada Sara (que significa princesa). Um pouco mais tarde,
Deus repetiu essa promessa, quando três anjos do Senhor
apareceram perto de sua tenda. Sara, que estava por perto
ouviu e se riu, pensando que isso era impossível (Gênesis
18:12-14). Mas Deus garantiu que ela teria um filho e, na
primavera seguinte, ela deu à luz Isaque.
Sara ficou muito feliz por ser mãe depois de tanto tempo
(Gênesis 21:6-7). Mas quando ela viu o adolescente Ismael
rindo de Isaque, ela não gostou e quis mandar Ismael e sua
mãe embora. Abraão não queria expulsar seu filho mas Deus
lhe disse para atender ao pedido de Sara, porque Isaque seria
seu herdeiro. Mas Deus prometeu cuidar de Ismael.

Sara cometeu alguns erros em sua vida mas ela cria em Deus e
foi sempre fiel a seu marido. Ela acompanhou Abraão em suas
viagens e o tratava com respeito (1 Pedro 3:5-6). Depois da
dúvida inicial, Sara creu que Deus lhe daria um filho. Mesmo
sendo estéril, Abraão amava Sara muito e não a abandonou.
Quando Sara morreu, Abraão e Isaque ficaram muito tristes. A
única propriedade que Abraão comprou na sua vida foi o lugar
para sepultar sua querida esposa Sara (Gênesis 23:19-20).
Quem eram os filisteus?

Os filisteus eram um povo vizinho de Israel, lutavam muito


com os hebreus. O filisteu mais conhecido da Bíblia é o gigante
Golias. Os filisteus desapareceram depois de serem
conquistados pelo império babilônico.

Os filisteus se instalaram na terra de Canaã, junto ao mar


Mediterrâneo, depois que tentaram invadir o Egito sem
sucesso. Construíram cinco cidades principais: Asdode, Gaza,
Ascalom, Gate e Ecrom. Cada cidade independente e tinha um
rei mas, quando iam para a guerra, as cinco se uniam.

Durante muito tempo os filisteus foram o povo mais poderoso


de Canaã, porque eram os únicos que sabiam criar armas de
ferro (1 Samuel 13:19-20). Quando os hebreus conquistaram
Canaã, não conseguiram expulsar os filisteus. Os filisteus
viveram muitos anos em conflito com os hebreus.

Os filisteus e os israelitas

No tempo dos juízes, quando Israel ainda não tinha rei, os


filisteus muitas vezes conseguiram derrotar os
israelitas. Quando Sansão era homem, os israelitas estavam
debaixo do domínio dos filisteus (Juízes 15:20). Sansão se
casou com uma mulher dos filisteus mas entrou em conflito
com eles e matou muitos filisteus ao longo de sua vida.

Anos mais tarde, quando o profeta Samuel ainda era jovem, os


filisteus derrotaram os israelitas e levaram a arca da Aliança.
Eles colocaram a arca no templo do seu deus Dagom mas a
estátua de Dagom caiu e se partiu diante da arca! (1 Samuel
5:1-4) Os filisteus foram atacados por uma praga de tumores,
então decidiram devolver a arca da Aliança a Israel, junto com
uma oferta.
Quando Saul se tornou rei de Israel, ele guerreou muito contra
os filisteus (1 Samuel 14:52). Seu escudeiro Davi se tornou
famoso por matar muitos filisteus, depois que matou Golias.
Mas quando Saul ficou com inveja dele, Davi fugiu para a
cidade de Gate, onde trabalhou algum tempo como
mercenário para os filisteus (1 Samuel 27:1-3). Depois que os
filisteus mataram Saul e seus filhos, Davi abandonou Gate e
voltou para Israel.

O fim dos filisteus

Os filisteus atacaram Israel quando ouviram que Davi se tinha


tornado rei de Israel. Mas Davi derrotou os filisteus e os
subjugou (2 Samuel 8:1). Os filisteus não conseguiram mais
vencer Israel e apenas atacaram algumas vezes depois do
reinado de Davi.

Muito tempo depois, quando Nabucodonosor se tornou rei da


Babilônia, os filisteus lutaram contra o império babilônico.
Então Nabucodonosor destruiu as cidades dos filisteus e
deportou o povo para outras partes do império. Os israelitas
também foram deportados mas quando lhes foi permitido
voltar para sua terra, os filisteus tinham desaparecido como
povo.
Quem foi Mefibosete?

Mefibosete era o filho de Jônatas, o melhor amigo do rei Davi.


Depois que Jônatas morreu, Davi tomou conta de Mefibosete,
por amor ao seu amigo.

Mefibosete era neto de Saul, o primeiro rei de Israel. Saul se


desviou de Deus, por isso Deus escolheu Davi para ser o
próximo rei. Jônatas, o pai de Mefibosete e o filho mais velho
de Saul, se tornou amigo de Davi e o apoiava.

Mesmo sabendo que Davi iria ser o próximo rei, e não ele,
Jônatas defendeu Davi e o protegeu da inveja de Saul. Davi e
Jônatas eram amigos tão próximos que estabeleceram
uma aliança de amizade (1 Samuel 20:16-17).

A história de Mefibosete

Mais tarde, em uma batalha, Jônatas morreu junto com seu pai
Saul. Quando a notícia chegou à casa de Jônatas, a ama de
Mefibosete pegou nele e fugiu para salvar sua vida dos
inimigos. Mas ela se descuidou e deixou o menino cair.
Assim, ele ficou com os dois pés aleijados pelo resto da vida.
Mefibosete tinha cinco anos de idade quando isso aconteceu
(2 Samuel 4:4).

Passado bastante tempo, quando Davi já estava estabelecido


como rei de todo Israel, ele se lembrou de Jônatas e quis
continuar a honrar sua amizade. Um antigo servo de Saul lhe
contou sobre Mefibosete e Davi mandou chamá-lo. Quando
Mefibosete chegou, Davi lhe devolveu todas as terras de seu
avô Saul e o convidou a morar com ele. Ele também colocou
um homem chamado Ziba para tomar conta da propriedade de
Mefibosete (2 Samuel 9:6-7).
A amizade de Davi com Jônatas era muito maior que sua
inimizade com Saul! Davi poderia ter visto Mefibosete como
um rival ao trono mas ele apenas o viu como o filho de seu
melhor amigo.

Mefibosete e Ziba

Anos mais tarde, quando um dos filhos de Davi tentou roubar o


trono, Davi teve de fugir de Jerusalém. Durante a fuga, Ziba, o
servo de Mefibosete chegou com provisões para ajudar Davi.
Quando Davi perguntou onde estava Mefibosete, Ziba
respondeu que ele tinha ficado em casa porque queria
retomar o trono. Zangado com a ingratidão de Mefibosete,
Davi deu toda a propriedade dele a Ziba (2 Samuel 16:2-4).

Algum tempo depois, quando Davi derrotou os traidores e


voltou para casa, Mefibosete veio ao seu encontro. Ele não
tinha se arrumado desde que Davi tinha partido, em sinal de
tristeza! Davi perguntou por que Mefibosete não tinha ido com
ele e Mefibosete explicou que Ziba o tinha traído. Sendo
aleijado dos pés, Mefibosete precisava de seu jumento para ir
ao encontro de Davi para lhe dar seu apoio, mas Ziba ignorou
sua ordem e partiu sem ele (2 Samuel 19:26-28).

Tendo ouvido duas histórias diferentes, Davi decidiu que


Mefibosete e Ziba deveriam dividir a propriedade entre si. Mas
Mefibosete disse que Ziba podia ficar com tudo! Ele apenas
estava preocupado com o bem de Davi (2 Samuel 19:29-30).
O que podemos aprender com Mefibosete?

Mefibosete sofreu muito com as consequências das ações de


outras pessoas mas isso não destruiu seu caráter. Mefibosete
nos ensina sobre:

 Gratidão – apesar de todas as coisas ruins que lhe


aconteceram, Mefibosete era grato pelas bênçãos que
recebeu

 Humildade – Mefibosete não se achava superior nem


procurou se exaltar acima de outras pessoas, tentando
ser rei

 Contentamento – a alegria de Mefibosete não


dependia da quantidade de seus bens
Quem era Nicodemos

Nicodemos era um fariseu e uma autoridade entre o povo


judeu. Ele se interessava pelo ensino de Jesus mas a Bíblia não
diz se ele se converteu. Nicodemos ajudou a sepultar Jesus.

Certa noite, Nicodemos visitou Jesus para conhecer mais sobre


ele. Nicodemos sabia que Jesus foi enviado por Deus, por causa
dos milagres que fazia (João 3:1-2). Ele conhecia as Escrituras e
reconheceu o poder de Deus na vida de Jesus.

Jesus disse a Nicodemos que ele precisava nascer de novo para


entrar no Céu. Nicodemos não entendeu e lhe perguntou como
um homem crescido poderia entrar de novo na barriga de sua
mãe (João 3:3-4). Os judeus não acreditavam em reencarnação
e a ideia de nascer de novo era muito estranha. Jesus explicou
que era um nascimento espiritual. Ele também profetizou
sobre sua morte, que traria salvação a todo que crê (João 3:14-
15).

Noutra ocasião, quando os chefes dos sacerdotes e os fariseus


queriam prender Jesus, Nicodemos o defendeu. Nicodemos
queria que eles ouvissem o que Jesus tinha para dizer antes
de o condenar. Mas eles estavam com inveja de Jesus e
acusaram Nicodemos de ser um ignorante da Galileia (João
7:50-52).
Quando Jesus morreu, Nicodemos ajudou José de Arimatéia a
sepultar o corpo. Ele levou uma grande quantidade de
perfume caro para ungir o corpo de Jesus (João 19:39-40). Com
esse ato, Nicodemos mostrou que tinha grande consideração
por Jesus. A Bíblia não fala mais nada sobre Nicodemos e não
sabemos o resto de sua história.

O que podemos aprender com Nicodemos?

 Humildade – Nicodemos era um líder com grande


conhecimento mas ele teve dificuldade em entender
Jesus (João 3:9-10). Quando temos muito
conhecimento, é fácil cair no erro de pensar que
sabemos tudo. Precisamos ter a humildade para
reconhecer que ainda temos muito para aprender

 Ouvir Jesus – Nicodemos sabia que Jesus vinha de


Deus e ele quis ouvir o que ele dizia. Nicodemos queria
conhecer a verdade. Ele encontrou a verdade nas
palavras de Jesus

 Coragem – Nicodemos tentou ser corajoso quando


defendeu Jesus perante os outros fariseus. Mas ele
não se assumiu como seguidor de Jesus. Precisamos
ter mais coragem que Nicodemos para assumir nossa
fé em Jesus perante outras pessoas
Quem era a viúva de Sarepta?

A viúva de Sarepta foi uma senhora que acolheu o profeta


Elias, apesar de ser muito pobre. Deus recompensou a viúva
de Sarepta por sua hospitalidade e cuidou do filho único dela.

A cidade de Sarepta ficava em Sidom, uma terra pagã a norte


de Israel. Elias fugiu para lá porque estava sendo perseguido. O
rei de Israel, chamado Acabe, era um homem muito ruim e
perseguia os profetas de Deus.

Por causa do pecado de Acabe, o profeta Elias anunciou que


não iria chover. Durante três anos não choveu e toda a região
passou fome. Elias se escondeu de Acabe, morando junto de
um pequeno ribeiro por algum tempo e sendo alimentado por
corvos todos os dias. Mas a seca piorou e o ribeiro secou. Por
isso, Deus mandou Elias para Sarepta (1 Reis 17:7-9).

Elias e a viúva de Sarepta

Quando chegou à porta da cidade de Sarepta, Elias encontrou


uma viúva apanhando lenha para fazer fogo. Elias pediu então
por um pouco de água e um pedaço de pão (1 Reis 17:10-11). A
viúva aceitou trazer a água mas explicou que não tinha pão
em casa.
A viúva de Sarepta estava colhendo lenha para sua última
refeição! Ela apenas tinha um pouco de farinha e de azeite, o
suficiente para fazer um pouco de pão para si e para seu único
filho. Depois de comerem o pão, não teriam mais nada para
comer nem para comprar comida (1 Reis 17:12). Os dois iriam
morrer de fome.

Elias disse para a viúva que ela não precisava ter medo. Se ela
fizesse um pouco de pão para ele, a farinha e o azeite não
iriam acabar até chegar o fim da seca (1 Reis 17:13-14). Deus
iria multiplicar a comida! A viúva de Sarepta creu em Elias e
obedeceu. E, como Elias tinha profetizado, a farinha e o azeite
não se acabaram. A comida alimentou Elias, a viúva e sua
família durante muito tempo.

A ressurreição do filho da viúva

Passado algum tempo, o filho da viúva de Sarepta ficou muito


doente e morreu. Então ela veio para Elias e perguntou o que
ela tinha feito para merecer isso (1 Reis 17:17-18). Ela tinha
ajudado Elias mas agora seu filho estava morto!

Elias pegou no filho da viúva, levou o corpo para seu quarto e


orou a Deus. Ele se deitou sobre o menino três vezes, pedindo
a Deus para o trazer de volta à vida. Então o menino
acordou! Elias levou o menino para sua mãe e a viúva de
Sarepta creu em Deus (1 Reis 17:22-24).

A Bíblia não nos conta mais nada sobre o que aconteceu com a
viúva de Sarepta. No entanto, podemos ver por esses dois
episódios que a vida dela foi completamente transformada. A
viúva de Sarepta conheceu o amor e o poder de Deus e
recebeu uma nova esperança!
Quem eram os publicanos

Os publicanos eram cobradores de impostos para o império


romano. Eles eram desprezados pelo povo porque muitos
eram corruptos. Jesus foi criticado por conviver com
publicanos.

Os publicanos cobravam impostos aos seus compatriotas para


o mantimento do império romano. Os impostos do império
eram pesados e os publicanos muitas vezes cobravam demais,
enriquecendo à custa da miséria do povo. Os judeus, que não
gostavam do domínio romano, sentiam-se traídos pelos
publicanos.

Os publicanos tinham uma reputação muito ruim. O publicano


era conhecido como ladrão, avarento, sem coração. Os fariseus
e outros religiosos se recusavam a conviver com publicanos,
para não serem contaminados.
Jesus e os publicanos

Jesus nunca rejeitou ninguém que quisesse segui-lo. Jesus não


sentia repugnância pelos publicanos; ele via que eram
pessoas que precisavam muito da salvação. Por isso, ele fazia
amizade com publicanos, visitava suas casas e até comia com
eles. Jesus não aprovava de sua conduta mas ele oferecia
perdão e uma chance para mudarem de vida (Mateus 9:11-13).

Jesus uma vez contou uma parábola sobre um publicano e um


fariseu. O fariseu agradeceu a a Deus por ser muito melhor e
“mais santo” que o publicano. Mas o publicano reconheceu
que era pecador e pediu perdão. Deus perdoou o publicano
arrependido mas não o fariseu arrogante (Lucas 18:13-14).

Alguns publicanos se tornaram seguidores de Jesus. Mateus,


um dos apóstolos era publicano (Mateus 10:2-3). Zaqueu, o
chefe dos publicanos, também se converteu. O povo ficou
escandalizado porque Jesus comeu na casa de um “pecador”.
Mas Zaqueu prometeu dar metade de seus bens aos pobres e
devolver quatro vezes mais a qualquer pessoa que tivesse
extorquido
Quem foi Enoque?

Enoque foi o bisavô de Noé, que foi arrebatado por Deus. Ele
se destacou por andar com Deus. Enoque ficou conhecido
como um exemplo de fé.

A vida de Enoque

A Bíblia fala pouco sobre Enoque. Ele foi descendente de


sétima geração de Adão e viveu 365 anos (Gênesis 5:21-24).
No tempo de Enoque, as pessoas viviam vários séculos. O filho
de Enoque, chamado Matusalém, foi o homem que viveu mais
tempo na Bíblia: 969 anos.

Nos dias de Enoque, a humanidade estava muito corrompida


pelo pecado. Deus ficou tão decepcionado que, algum tempo
depois da vida de Enoque, Ele enviou um dilúvio que destruiu
quase toda a humanidade. Apenas Noé, bisneto de Enoque, e
sua família sobreviveram.

Em meio a tanta corrupção, Enoque se destacou por andar


com Deus. Ele agradava a Deus e tinha fé. Por causa
disso, Deus arrebatou Enoque. Ninguém encontrou o corpo de
Enoque porque Deus o levou para o Céu (Hebreus 11:5).

A única outra informação que a Bíblia dá sobre Enoque é sobre


uma profecia que ele fez. Enoque profetizou que um dia Deus
virá para julgar todas as pessoas e para convencer todos os
ímpios das coisas erradas que fizeram e disseram (Judas 1:14-
15). Além de obedecer a Deus, Enoque avisou sobre o perigo
de viver no pecado.
O que podemos aprender com Enoque?

 Fé – Enoque cria em Deus; sua fé agradou a Deus


– Hebreus 11:6

 Obediência – Enoque viveu de maneira certa,


obedecendo a Deus; por causa de sua intimidade com
Deus, ele foi arrebatado

O que é o livro de Enoque?

O livro de Enoque é um livro apócrifo, que supostamente foi


escrito por Enoque. Um livro apócrifo é um livro religioso que
não pertence à Bíblia, porque tem origens e/ou ensinamentos
duvidosos. O livro de Enoque provavelmente foi escrito por
volta do século I a.C., baseado em lendas sobre Enoque.

A citação de Judas 1:14-15 pode ter sido retirada do livro de


Enoque ou de histórias contadas sobre Enoque. Isso não
significa que Judas considerava o livro de Enoque inspirado por
Deus. Assim como Paulo citou filósofos pagãos (Atos dos
Apóstolos 17:27-28), ele usou essa citação como exemplo para
explicar melhor o que estava dizendo. Só porque essa citação
do livro de Enoque está de acordo com a Bíblia, não significa
que todo o livro está correto.
Quem é o anjo Gabriel?

O anjo Gabriel é um mensageiro de Deus. Na Bíblia o anjo


Gabriel anunciou a vinda de Jesus ao mundo. Não temos muita
informação sobre o anjo Gabriel, porque o mais importante é
sua mensagem.

Gabriel na Bíblia

Gabriel aparece pela primeira vez na Bíblia quando ele foi


interpretar a visão de Daniel sobre um carneiro e um bode.
Gabriel apareceu a Daniel na forma de um homem e lhe
explicou que a visão era sobre os tempos do fim (Daniel 8:15-
17). Os animais representavam reinos e seus futuros.

Mais tarde, Gabriel apareceu outra vez a Daniel, depois que ele
orou a Deus pedindo perdão pelos pecados de seu
povo. Gabriel disse que Daniel era muito amado e que havia
uma resposta para sua oração (Daniel 9:21-23). Gabriel lhe
contou a profecia das setenta semanas, anunciando a vinda do
Ungido – Jesus.

Muitos anos depois, o anjo Gabriel apareceu ao sacerdote


Zacarias quando ele foi oferecer incenso a Deus no
templo. Gabriel lhe disse para não ter medo. Zacarias e sua
esposa já eram idosos mas o anjo Gabriel lhe contou que ele
teria um filho chamado João. Esse filho iria preparar o povo
para receber o Salvador.
Zacarias duvidou da mensagem. Gabriel lhe explicou que ele
está sempre na presença de Deus e que ele foi enviado para
lhe dar essa mensagem. Como castigo por sua incredulidade,
Zacarias iria ficar mudo até o menino nascer (Lucas 1:19-20).

Seis meses depois de falar com Zacarias, o anjo Gabriel


apareceu a uma jovem chamada Maria (Lucas 1:26-28). Ele
saudou Maria e lhe disse para não ter medo. Ela iria ficar
grávida e dar à luz o Filho de Deus! Quando Maria lhe
perguntou como isso iria acontecer se ela era virgem, Gabriel
explicou que o Espírito Santo viria sobre ela. Ele também lhe
contou que Isabel, a esposa de Zacarias, estava grávida.

Assim, sabemos que o anjo Gabriel:

 Fica na presença de Deus

 Recebe mensagens diretamente de Deus para dar a


algumas pessoas

 Pode tomar uma forma parecida com um homem

Devemos orar para o anjo Gabriel?

Não, não devemos orar para o anjo Gabriel. A Bíblia não diz
que Gabriel intercede por nós. Nosso intercessor é Jesus
(Romanos 8:34).

A Bíblia diz que os anjos obedecem a Deus, servindo os salvos


(Hebreus 1:14). Eles nos ajudam mas não recebem ordens de
nós. Quando precisamos de ajuda, devemos orar para Deus,
que comanda os anjos e tem poder sobre tudo que existe.
Quem foi Habacuque?

Habacuque foi um profeta que provavelmente viveu nos anos


antes do exílio na Babilônia. A Bíblia não nos revela muito
sobre Habacuque mas ele registrou uma conversa que ele teve
com Deus. Essa conversa está no livro de Habacuque.

Não temos informações sobre a vida de Habacuque. A Bíblia


apenas diz que ele era um profeta que se sentia muito
indignado com toda a injustiça que via acontecendo.
Habacuque claramente tinha uma relação muito especial com
Deus porque ele fazia perguntas e Deus respondia
diretamente.

O ministério de Habacuque como profeta durou por tempo


indeterminado, antes de o povo de Judá ser conquistado pelo
império babilônico. Na sua época, a injustiça e a maldade
reinavam em Judá. Isso provavelmente indica que Habacuque
profetizou depois do reinado de Josias, o último rei de Judá
temente a Deus, poucos anos antes da conquista do país.

As queixas de Habacuque

Habacuque não tinha medo de expressar suas dúvidas e


queixas a Deus. Ele questionou por que Deus permitia que a
injustiça e a violência dominassem seu país (Habacuque 1:2-
4). Será que Deus não se importava com a maldade praticada
contra os justos?

Deus respondeu a Habacuque com o anúncio de um grande


castigo. Ele iria trazer os babilônios contra o povo de Judá, para
castigar sua maldade (Habacuque 1:5-6). Os babilônios eram
muito violentos e cruéis e não teriam piedade. Eles iriam
arrasar a terra.
Diante dessa resposta, Habacuque ficou horrorizado e
questionou como isso poderia ser justo (Habacuque 1:13). Os
babilônios eram ainda piores que os judeus e também
mereciam castigo. Além de violentos, cruéis e injustos, os
babilônios ainda eram idólatras. Se Judá iria ser castigada, por
que a Babilônia tinha sucesso e continuava sem castigo?

Quando Deus respondeu, Ele ordenou que Habacuque


registrasse a resposta, para servir de sinal sobre as coisas que
iriam acontecer (Habacuque 2:2-3). A resposta de Deus era
válida não só para Judá e a Babilônia, mas também para todos
que são ímpios.

Deus explicou que o sucesso das pessoas ruins é apenas


temporária. Mas Deus cuida de quem é fiel a Ele (Habacuque
2:4-5). As nações violentas seriam arruinadas e aqueles que
lucravam com a injustiça e o crime não iriam escapar do
castigo. Os idólatras não iriam receber respostas nem
proteção, porque somente Deus tem todo o poder.

Por vezes Deus parece demorar a responder à injustiça. Os


injustos ficam com um sentimento de segurança e se tornam
mais ousados em sua maldade. Mas, no fim, Deus sempre traz
justiça. Temos a garantia que Deus vai agir.
A oração de Habacuque

Depois de ouvir as respostas de Deus, Habacuque orou a


Deus, confessandosua fé nele. Ele lembrou da glória de Deus e
de Seu grande poder, da forma como tinha destruído Seus
inimigos quando tentavam fazer mal aos necessitados
(Habacuque 3:13-14).

Essas lembranças ajudaram Habacuque a ter esperança. Ele


sabia que Deus iria responder e trazer salvação para Seu povo.
Os problemas no presente não eram razão para desistir de
Deus (Habacuque 3:17-18). A fé em Deus era a alegria de
Habacuque.
Quem foi Naamã

Naamã foi um general sírio que foi curado de lepra quando


mergulhou sete vezes no rio Jordão. No seu tempo a lepra não
tinha cura mas ele creu na palavra do profeta Eliseu e foi
curado.

Naamã era um comandante respeitado do exército do rei da


Síria. Mas Naamã ficou com lepra, uma doença da pele
incurável que se alastrava e acabava por matar o doente (2
Reis 5:1). Como a lepra era muito infeciosa, os leprosos eram
afastados da comunidade, para não causar epidemias. Naamã
iria perder tudo.

A mulher de Naamã tinha uma escrava israelita, que lhe falou


sobre o profeta Eliseu. Ela disse que Eliseu poderia curar a
lepra de Naamã (2 Reis 5:2-3). Então o rei da Síria enviou
Naamã para o rei de Israel, para o profeta Eliseu o curar. O
profeta Eliseu ouviu e mandou chamar Naamã.

Naamã foi com toda sua comitiva para a casa de Eliseu mas o
profeta não lhe foi cumprimentar. Ele apenas enviou um
mensageiro a Naamã com a ordem para se lavar sete vezes no
rio Jordão para ser curado. Naamã ficou indignado, porque
Eliseu não foi curá-lo pessoalmente e porque o rio Jordão não
tinha água tão boa como os rios da Síria (2 Reis 5:11-12). Ele
foi embora zangado mas seus servos o convenceram a fazer o
que Eliseu tinha mandado.
Naamã foi para o rio Jordão e mergulhou sete vezes e ficou
completamente curado (2 Reis 5:13-14). Então Naamã voltou
para Eliseu e declarou que agora cria apenas no Deus de
Israel. Ele tentou dar um presente a Eliseu para agradecer mas
Eliseu recusou. Então Naamã pediu para levar alguns sacos de
terra de Israel para poder oferecer sacrifícios a Deus sobre ela.
Naamã renunciou a todos os outros deuses, embora ainda
tinha de guardar protocolo junto do rei da Síria (2 Reis 5:17-
18).

Eliseu abençoou Naamã e ele voltou para casa curado.

O que podemos aprender com Naamã?

Naamã era inimigo do povo de Deus mas Deus o curou. Israel


e Síria estavam sempre em guerra mas Naamã não deixou sua
inimizade com os israelitas o impedir de procurar a bênção de
Deus. Muitas vezes não alcançamos a cura e a bênção de Deus
porque estamos zangados com Deus ou com a igreja. Mas
quando nos humilhamos e pedimos ajuda, Deus nos perdoa e
aceita (Tiago 4:8-10).

Naamã obedeceu. Se banhar sete vezes no rio Jordão era uma


ordem estranha mas vinha de Deus. Quando obedecemos a
Deus, Ele nos abençoa. Se lavar sete vezes não é um ritual de
cura ou de benção; foi uma ordem específica para apenas um
homem. Não sabemos porque Naamã precisava fazer isso mas
foi importante para mudar sua vida.

Naamã não voltou apenas curado; ele voltou crente. É bom


receber cura e bênção mas isso não é o mais importante. Não
adianta ganhar bênção se você não se arrepende e aceita Jesus
como seu salvador (Marcos 8:36). A vida eterna é muito mais
importante que outros milagres.
Quem foi Rute?

Rute foi uma mulher moabita que decidiu seguir a Deus e


cuidar de sua sogra. Deus abençoou Rute por sua fidelidade.
Rute foi a bisavó do rei Davi.

Rute e Noemi

No tempo dos juízes, quando ainda não havia rei sobre Israel,
uma família israelita saiu de Belém, para escapar da fome. A
família, composta por Noemi, seu marido e seus dois filhos, se
mudou para uma terra vizinha, chamada Moabe. O marido de
Noemi morreu e seus dois filhos se casaram com mulheres
moabitas mas morreram sem ter filhos (Rute 1:3-5).

Viúva e sem filhos, Noemi decidiu voltar para Belém, onde já


não havia mais fome. Ela aconselhou suas noras a ficarem em
Moabe com suas famílias e seus deuses mas uma delas ficou
com Noemi. Seu nome era Rute e ela tinha decidido seguir
Deus e cuidar de sua sogra, a qualquer custo (Rute 1:16-17).

Quando chegaram em Belém, Rute foi trabalhar para


sustentar sua sogra idosa. A lei permitia que pessoas pobres
colhessem os restos das plantações, depois que os donos
tinham feito sua colheita (Deuteronômio 24:19-21). Rute
entrou numa plantação de cevada e passou o dia colhendo o
que os ceifeiros deixavam cair.
Rute e Boaz

O dono da plantação, chamado Boaz, reparou no trabalho


árduo de Rute e fez perguntas sobre ela. Ele ficou
impressionado quando ouviu tudo que Rute estava fazendo
por Noemi (Rute 2:11-12). Por isso Boaz tratou Rute bem e lhe
deu ajuda e proteção. Nesse dia, Rute voltou para casa com
muita comida e Noemi lhe contou que Boaz era parente de seu
marido. Deus estava ajudando Rute a encontrar uma nova
família!

Rute continuou a trabalhar na plantação de Boaz até acabar a


colheita (Rute 2:23). Então Noemi aconselhou Rute a pedir
Boaz em casamento. Naquele tempo, quando uma mulher
ficava viúva e sem filhos, numa situação precária, o parente
mais próximo tinha o dever de casar com ela e cuidar da
herança do falecido. Boaz era esse parente próximo de Rute.

De noite, Rute se aproximou de Boaz e lhe pediu para cuidar


dela, cumprindo seu dever. Boaz novamente ficou
impressionado com a preocupação de Rute em fazer a coisa
certa (Rute 3:9-11). Boaz explicou que havia um parente mais
próximo que ele mas prometeu resolver o assunto logo. Rute
voltou para casa e contou tudo a Noemi, que ficou feliz,
porque sabia que Boaz iria cuidar delas.
No dia seguinte, Boaz se encontrou com o outro parente, que
lhe cedeu o dever de cuidar de Rute. Boaz então se casou com
Rute e ela teve um filho chamado Obede. O filho de Rute foi a
alegria de Noemi em sua velhice, cuja vida foi restaurada pelo
amor de Rute (Rute 4:13-15). Rute se tornou bisavó do rei
Davi, que foi antepassado de Jesus.

Perfil de Rute:

 Temente a Deus – seu amor a Deus se refletiu numa


vida de amor a dedicação a Noemi e sua nova família

 Corajosa – Rute deixou sua família e tudo que


conhecia para fazer o que era certo

 Leal – Rute nunca abandonou Noemi, mesmo quando


não tinha obrigação de ficar com ela

 Trabalhadora – seu trabalho árduo e honesto ganhou


o respeito de todos que a conheciam

 Respeitadora – Rute ouvia e seguia os conselhos de


Noemi e Boaz, que eram mais velhos e mais
experientes
Quem foi Maria Madalena?

Maria Madalena foi uma seguidora de Jesus. Ela ajudava a


sustentar Jesus durante seu ministério. Maria Madalena ficou
conhecida por ser a primeira pessoa que viu Jesus depois que
ressuscitou.

Jesus se dedicou a tempo inteiro ao seu ministério. Ele não


tinha outro emprego, que lhe desse dinheiro. Ele e os
apóstolos viviam das ofertas de outros seguidores. Muita ajuda
financeira veio de mulheres de posses, entre as quais Maria
Madalena, de quem Jesus tinha expulsado sete demônios
(Lucas 8:1-3).

Maria Madalena, junto com outras mulheres, seguia Jesus por


onde ele ia para pregar. Ela estava presente quando ele foi
crucificado, chorou sua morte e viu onde ele foi sepultado
(Marcos 15:40-41). No domingo, Maria Madalena foi uma das
mulheres que foi para o túmulo para ungir o corpo de Jesus.

Chegando ao túmulo, Maria Madalena viu que estava aberto e


o corpo de Jesus não estava lá. Um anjo apareceu e contou a
Maria Madalena e às outras mulheres que Jesus tinha
ressuscitado (Mateus 28:5-7). Elas então foram contar aos
apóstolos.

Pedro e João decidiram ir ver o túmulo vazio. Maria Madalena


foi com eles e ficou para trás, chorando, quando foram
embora. Então alguém lhe apareceu e perguntou porque ela
estava chorando. Pensando que era o jardineiro, Maria
Madalena explicou que alguém tinha roubado o corpo de
Jesus. O homem chamou Maria pelo nome e ela olhou para
ele e viu que era Jesus! - João 20:15-16
Maria Madalena, cheia de surpresa, se agarrou aos pés de
Jesus. Ele deu a Maria Madalena a missão de contar aos
discípulos que ele estava vivo (João 20:17-18). Maria cumpriu
sua missão mas, de início os discípulos não acreditaram nos
relatos dela e das outras mulheres. Depois, quando Jesus lhes
apareceu, os discípulos viram que era verdade.

A Bíblia não fala mais nada sobre a vida de Maria Madalena.

Maria Madalena era prostituta?

A Bíblia não diz que ela era prostituta. Apenas diz que Jesus
expulsou sete demônios dela. Ao longo do tempo, algumas
pessoas misturaram a história de Maria Madalena com a
história da mulher pecadora que ungiu Jesus e com a mulher
adúltera que Jesus perdoou. Mas não existe razão na Bíblia
para acreditar que eram todas a mesma pessoa. Maria
Madalena não era a única mulher que seguia Jesus.

Maria Madalena se casou com Jesus?

Não, Maria Madalena não se casou com Jesus. Outros


parentes de Jesus são mencionados e ela com certeza teria
mais relevância na Bíblia se fosse esposa dele. Quando viu
Jesus, Maria Madalena o chamou de Mestre (ou Professor),
não de marido!

Havia muitas mulheres chamadas Maria e, para as diferenciar,


se dizia com quem eram casadas, quem eram seus filhos ou de
onde vinham. Se Maria fosse esposa de Jesus, essa seria a
melhor forma de a diferenciar. Mas ela ficou conhecida como
Madalena, porque vinha de um lugar chamado Magdala.
Certamente havia mais de uma Maria em Magdala.

As lendas sobre seu casamento surgiram muito mais tarde,


com histórias inventadas por pessoas que nunca conheceram
nem Maria Madalena, nem Jesus, nem ninguém próximo de
qualquer pessoa da Bíblia.
Quem foi Raabe?

Raabe foi uma prostituta de Jericó que ajudou dois espiões


israelitas. Por causa desse ato de fé, Raabe salvou sua família
da destruição. O rei Davi e Jesus Cristo eram descendentes de
Raabe.

Raabe e os espiões

Quando o povo de Israel chegou à terra prometida, Josué, o


líder do povo, enviou dois espiões para recolher informação
sobre a terra que iriam conquistar. Jericó era a primeira cidade
a ser conquistada e, para obter mais informação, os espiões
passaram a noite na casa de uma prostituta chamada
Raabe (Josué 2:1-2).

O rei de Jericó ouviu que espiões estavam na casa de Raabe e


quis apanhá-los. Mas Raabe disse que eles tinham ido embora
ao anoitecer (Josué 2:4-6). Os homens do rei saíram em
perseguição mas não encontraram os espiões.

Na verdade, Raabe tinha escondido os espiões no terraço de


sua casa. Quando o perigo passou, ela subiu ao terraço e
declarou sua fé que Deus tinha dado essa terra aos
israelitas. Ela reconheceu que Deus é soberano sobre tudo e
pediu para que poupassem sua família (Josué 2:11-13).
Raabe salva sua família

Os espiões concordaram em poupar a família de Raabe, porque


ela tinha poupado suas vidas. Eles deram instruções a Raabe:
amarrar um cordão vermelho na janela de sua casa e trazer
todos os membros de sua família para dentro da casa. Todos
que estavam na casa seriam poupados (Josué 2:17-19).

Raabe ajudou os espiões a fugir de Jericó e lhes mostrou onde


poderiam se esconder dos perseguidores. Os espiões chegaram
em segurança ao acampamento israelita e contaram tudo a
Josué (Josué 2:23-24). Todos estavam com medo de Israel!

Os israelitas marcharam contra Jericó e durante sete dias


caminharam à volta da cidade. No sétimo dia, o exército deu
um grande grito e o muro da cidade ruiu. Os israelitas
conquistaram Jericó e mataram todos os seus habitantes. Os
únicos que foram poupados foram Raabe e sua família.Depois
desse acontecimento, Raabe passou a viver com os israelitas
(Josué 6:24-25).

O que Raabe nos ensina?

Raabe foi um exemplo de fé em ação. Ela decidiu ficar do lado


do povo de Deus, rejeitando a cultura idólatra em que vivia.
Deus não rejeitou Raabe por ser prostituta. Ele viu sua fé e a
recompensou (Hebreus 11:31; Tiago 2:25-26).

Por causa de sua decisão, Deus abençoou Raabe e mudou seu


destino. Antes, ela era prostituta. Depois, ela se casou com um
israelita e se tornou mãe de Boaz, bisavô do rei Davi (Mateus
1:5-6). Davi foi antepassado de Jesus. Raabe se tornou uma
mulher respeitável e um grande exemplo para todos nós.
Quem foi Ismael?

Ismael foi o primeiro filho de Abraão, nascido de uma escrava


egípcia. Ele era considerado o herdeiro principal de Abraão
mas perdeu essa posição quando Isaque nasceu. Ismael
também foi o pai de 12 tribos.

Deus prometeu a Abraão que ele teria um filho mas Sara era
estéril e já estava velha. Por isso, ela ofereceu sua escrava
Hagar a Abraão, para ser sua concubina (esposa secundária).
De acordo com os costumes dessa época, isso era aceitável,
para garantir sua descendência (Gênesis 16:1-2).

Abraão se casou com Hagar e ela engravidou. Quando ela


descobriu que estava grávida, Hagar tratou Sara com desprezo
por ser estéril. Então Sara maltratou Hagar tanto que ela fugiu.
No deserto, Hagar teve um encontro com Deus, que lhe disse
que seu filho se chamaria Ismael e teria muitos descendentes
(Gênesis 16:10-11). Obedecendo, Hagar voltou para casa,
tratou Sara bem e teve seu filho.

Abraão tinha 86 anos quando Ismael nasceu e pensava que ele


seria seu herdeiro. Mas Deus disse que o herdeiro seria filho de
Sara. Abraão orou em favor de Ismael e Deus lhe garantiu que
Ismael também seria abençoado. Mas a aliança para ser o
povo de Deus seria estabelecida com os descendentes de
Isaque (Gênesis 17:19-21).
Aos 13 anos, Ismael foi circuncidado, junto com seu pai e todos
os homens de sua casa. No ano seguinte, a vida de Ismael
mudou. Sara engravidou e deu à luz Isaque. Quando Isaque foi
desmamado, Abraão deu uma grande festa. Durante a festa,
Sara viu Ismael gozando com Isaque e ela ficou muito
zangada. Ela disse para Abraão mandar Ismael e sua mãe
embora, porque ele não seria herdeiro (Gênesis 21:8-10).

Abraão ficou preocupado por seu filho mas Deus lhe disse que
protegeria Ismael. Então Abraão enviou Ismael e Hagar
embora, apenas com alguma comida. Eles estavam no deserto
quando a comida acabou e Ismael chorou, porque iriam morrer
ali. Deus ouviu seu choro e lhes mostrou uma fonte onde
podiam tirar água (Gênesis 21:17-19).

Ismael cresceu e ficou vivendo no deserto de Parã. Ele se


tornou flecheiro e se casou com uma egípcia (Gênesis 21:20-
21). Ele teve 12 filhos, que se tornaram os patriarcas de 12
tribos. A filha de Ismael se casou com Esaú, filho de Isaque.
Ismael parece que se reconciliou com a família de seu pai. Ele
atendeu o funeral de seu pai, junto com Isaque (Gênesis 25:7-
9). Mas seus descendentes, os ismaelitas, tiveram muitos
conflitos com seus vizinhos, incluindo os judeus, descendentes
de Isaque.

Ismael foi o fruto de decisões erradas mas Deus não o


abandonou. A Bíblia diz que Deus estava com Ismael, cuidando
dele. Embora ele não era o filho prometido, Deus também fez
promessas para abençoar Ismael. Deus amava Ismael.
Quem foi Mardoqueu?

Mardoqueu foi o primo da rainha Ester, que ele criou como sua
filha. Mardoqueu foi uma influência importante na vida de
Ester e se tornou um ministro muito importante na corte do rei
da Pérsia.

Mardoqueu era um dos judeus que tinham sido exilados pelo


rei da Babilônia. Ele morava em Susã, a capital do império
persa (que tinha conquistado o império babilônico). Sua prima
Ester era órfã, por isso ele cuidou dela como se fosse sua filha
(Ester 2:5-7).

Mardoqueu e o rei da Pérsia

Quando o rei da Pérsia decidiu procurar uma rainha, Ester foi


escolhida como uma das candidatas. Mardoqueu avisou Ester a
não revelar que era judia e procurou se manter em contato
com ela (Ester 2:10-11). A boa educação que Mardoqueu deu
a Ester contribuiu para ela ser escolhida como rainha.

Um dia Mardoqueu descobriu um plano para assassinar o rei


Xerxes (Ester 2:21-22). Ele contou tudo a Ester, que avisou o rei
do perigo, e os dois conspiradores foram executados. Esse
evento ficou registrado nos documentos oficiais do rei.

O plano de Hamã

Mais tarde, Mardoqueu irritou o nobre mais poderoso da


Pérsia – Hamã. Todos os oficiais do palácio se prostravam
diante de Hamã mas Mardoqueu se recusava a prestar
homenagem a ele. Hamã ficou muito zangado com a atitude de
Mardoqueu. Ele decidiu matar Mardoqueu e todos os judeus!
- Ester 3:5-6
Hamã convenceu o rei (que não sabia que Ester era judia) que
seria boa ideia matar os judeus. Ele ofereceu muito dinheiro e
o rei concordou. Um decreto real foi escrito, ordenando a
matança de todos os judeus no império (Ester 3:13-14).

Quando Mardoqueu ouviu sobre o decreto ele ficou devastado


e recusou ser consolado. Quando Ester perguntou o que se
passava, ele contou tudo e lhe pediu para falar com o rei, para
mudar o decreto. Ele confiava que Deus iria trazer
livramento (Ester 4:12-14). Então Ester pediu que todos os
judeus de Susã fizessem um jejum antes de ela falar com o rei.
Mardoqueu fez tudo que Ester pediu.

A vitória de Mardoqueu e Ester

Enquanto Ester se preparava para contar tudo ao rei, Hamã


decidiu construir uma grande forca para matar Mardoqueu.
Mas nessa noite, o rei leu seus registros e descobriu que
Mardoqueu não não tinha sido recompensado por salvar sua
vida. De manhã, quando Hamã veio para pedir ao rei para
enforcar Mardoqueu, o rei mandou Hamã honrar Mardoqueu,
vestindo-o como rei e conduzindo-o a cavalo pela cidade para
que todos soubessem que ele tinha o apoio do rei (Ester 6:10-
11). Naquele dia, em vez de ser morto, Mardoqueu foi
honrado!

Quando Ester contou tudo ao rei, ele mandou enforcar Hamã


na forca que ele tinha construído para Mardoqueu. O rei deu
autoridade a Ester e Mardoqueu para escrever um novo
decreto protegendo os judeus. Mardoqueu foi honrado pelo
rei e se tornou seu ministro mais importante.Ele ficou muito
poderoso e foi muito amado pelos judeus, porque cuidava
deles (Ester 10:3-4).
Quem foi o rei Josafá?

O rei Josafá era um descendente do rei Davi. Ele foi o rei de


Judá na época em que Israel estava dividido em dois
reinos. Josafá foi temente a Deus mas cometeu alguns erros
ao longo de sua vida.

No tempo de Josafá Israel estava dividido em dois reinos


separados: Israel, a norte, e Judá, a Sul. Os descendentes de
Davi reinavam sobre Judá. Josafá herdou o trono de seu pai
Asa, outro rei temente a Deus, descendente direto de Davi, e
reinou durante 25 anos.

Josafá, o rei dedicado a Deus

Josafá seguiu nos passos de seu pai e destruiu vários altares


idólatras em Judá. Ele se recusou a participar de idolatria
e adorava somente a Deus (2 Crônicas 17:3-4). Josafá também
enviou levitas e oficiais para ensinar o povo de Judá a Lei de
Deus.

Josafá nomeou juizes para administrarem o país com justiça,


de acordo com a vontade de Deus. Ele advertiu os juizes a
fazem seu melhor, porque seu trabalho era para Deus e Ele
estaria com eles (2 Crônicas 19:5-7).
Por causa de sua dedicação a Deus, Josafá teve um reino
próspero. As nações à volta o temiam e traziam tributo. No
entanto, nem todo o povo se voltou para Deus e muitos
continuaram praticando idolatria.

Josafá e a família de Acabe

Apesar de ser temente a Deus, Josafá cometeu um grande


erro: ele se aliou a Acabe, o rei de Israel que era conhecido por
perseguir os profetas de Deus. Acabe estava debaixo da
maldição de Deus.

Acabe convidou Josafá a ir com ele para a batalha contra seus


inimigos. Josafá aceitou sem hesitar mas pediu para consultar a
Deus primeiro (2 Crônicas 18:3-4). Muitos profetas disseram
que os reis de Judá e Israel teriam sucesso mas um profeta de
Deus avisou que iria correr mal. Mas Josafá e Acabe ignoraram
o profeta de Deus.

Na batalha, Acabe se disfarçou mas Josafá foi com suas vestes


reais. De início, os inimigos pensaram que Josafá era Acabe e
tentaram matá-lo. Mas quando Josafá clamou, eles viram que
não era Acabe e ele conseguiu escapar (2 Crônicas 18:30-32).
No entanto, Acabe foi morto por acidente na batalha. Judá e
Israel perderam a batalha mas Josafá foi poupado.

Josafá também se aliou à família de Acabe por


casamento. Seu filho casou com a filha de Acabe e Jezabel,
chamada Atalia. Josafá foi repreendido por Deus por causa
dessa aliança com Acabe (2 Crônicas 19:1-3). Anos mais tarde,
Atalia quase exterminou a descendência de Josafá.

Tempos depois, Josafá se aliou a Acazias, filho de Acabe, para


construir navios para comércio. No entanto, Acazias era tão
ruim quanto seu pai e Deus não se agradou da aliança. Os
navios se naufragaram e foram um prejuízo para Josafá (2
Crônicas 20:35-37).
A guerra de Josafá

Certa vez, os moabitas e amonitas se aliaram contra Josafá.


Seu exército era muito grande e Josafá ficou muito
preocupado. Por isso, ele proclamou um jejum por todo o país
e orou fervorosamente a Deus por socorro (2 Crônicas 20:2-
4). Ele colocou toda sua confiança em Deus para a vitória.

Deus respondeu a Josafá e lhe garantiu a vitória. Os judeus


nem sequer iriam precisar de lutar! Deus iria lutar por eles.
Josafá louvou a Deus pela resposta e animou o exército a
colocar sua fé em Deus (2 Crônicas 20:20).

Na manhã seguinte, Josafá enviou músicos à frente do exército


para louvarem a Deus. Então Deus causou divisão entre os
inimigos, que se mataram uns aos outros. Os israelitas
somente saquearam os mortos, sem precisarem de
lutar! Depois eles voltaram para Jerusalém e adoraram a Deus
(2 Crônicas 20:24-25).

Depois dessa batalha, Josafá teve paz durante o resto de seu


reinado. Ele faleceu e seu filho Jeorão foi seu sucessor.
Quem foi Jonas

Jonas foi um profeta que Deus enviou à cidade de Nínive para


pregar. Jonas tentou fugir de sua missão mas, depois de ser
engolido por um grande peixe, ele foi para Nínive e o povo da
cidade se arrependeu de seus pecados. Jonas queria que
Nínive fosse destruída mas Deus mostrou compaixão.

Jonas e o grande peixe

Jonas era um profeta conhecido em Israel. Ele era de um lugar


na Galileia chamado Gate-Héfer e profetizou sobre as vitórias
militares do rei Jeroboão II (2 Reis 14:25). Um dia Deus
mandou Jonas ir pregar na cidade de Nínive, a capital da
Assíria. Deus tinha visto a maldade de Nínive e estava a ponto
de destruir a cidade. Jonas deveria avisar o povo sobre a
destruição vindoura.

A Assíria era um império inimigo, que ameaçava o país de


Israel. Seu povo era violento e cruel e não adorava a
Deus. Jonas não quis ir para para Nínive. Ele queria ver a
cidade destruída. Por isso, ele embarcou em um navio que ia
para Társis, na direção contrária a Nínive (Jonas 1:3).

No mar, Deus enviou uma grande tempestade, que ameaçava


afundar o barco. Enquanto os marinheiros faziam tudo para se
salvar e oravam a seus deuses, Jonas dormia no porão! O
capitão acordou Jonas e todos lançaram sortes para descobrir
de quem era a culpa da tempestade. As sortes caíram sobre
Jonas e ele explicou que estava fugindo de Deus (Jonas 1:9-
10).
A tempestade não se acalmava, por isso os marinheiros
fizeram o que Jonas sugeriu e o atiraram ao mar. Logo o mar se
aquietou e os marinheiros adoraram a Deus (Jonas 1:14-16).
Jonas se afundou mas Deus mandou um grande peixe que o
engoliu. Jonas ficou dentro do peixe por três dias e três
noites.

Jonas em Nínive

Dentro do peixe, Jonas orou a Deus com arrependimento e fé.


Quando o peixe vomitou Jonas na praia, ele obedeceu a Deus
e foi para Nínive. Durante um dia Jonas percorreu Nínive e
proclamou que dentro de 40 dias a cidade seria destruída. O
povo creu em Deus e se arrependeu (Jonas 3:5-6). O rei
proclamou um jejum e todos abandonaram seus maus
caminhos, se vestindo de luto e clamando a Deus por perdão.
Deus viu isso e decidiu não destruir Nínive.

Quando Jonas viu que Deus não tinha destruído Nínive como
tinha avisado, ele ficou muito aborrecido. Ele se queixou a
Deus por não ter castigado o povo de Nínive e pediu para
morrer (Jonas 4:2-4). Jonas saiu da cidade e ficou sentado para
ver o que iria acontecer.

Deus fez crescer uma planta para dar sombra a Jonas, que
ficou muito feliz com a planta. Mas no dia seguinte, Deus
matou a planta e Jonas ficou com muito calor. Aborrecido,
Jonas pediu novamente para morrer. Então Deus mostrou a
Jonas que ele estava sentindo pena de uma planta mas não das
120 mil pessoas de Nínive! (Jonas 4:10-11) Deus terminou com
uma pergunta: será que Ele não deveria ter pena de todas as
pessoas dessa cidade?
Quem foi Gamaliel?

Gamaliel foi o professor do apóstolo Paulo, antes de sua


conversão ao Cristianismo. Gamaliel era um rabino judeu
muito conhecido e influente no seu tempo. Ele nunca se
converteu a Jesus.

Gamaliel era um membro do Sinédrio, a assembleia religiosa


dos judeus que governava e julgava casos de acordo com a Lei
de Moisés. Ele era um fariseu e mestre da lei muito conhecido,
que tinha o respeito do povo.

Seu avô Hilel tinha criado uma escola para formar mestres da
lei judaica, segundo os princípios dos fariseus. Continuando o
trabalho de seu avô, Gamaliel também foi professor e
influenciou a forma como muitos judeus interpretavam as
Escrituras.

Quando a Igreja ainda estava no seu início, os líderes dos


judeus prenderam os apóstolos e os ordenaram a não pregar
mais sobre Jesus. Quando os apóstolos declararam que iam
continuar a pregar, os membros do Sinédrio quiseram matá-
los. Mas Gamaliel defendeu os apóstolos (Atos dos Apóstolos
5:33-34).
Em seu discurso ao Sinédrio, Gamaliel recordou de outras
seitas e grupos de rebeldes que tinham aparecido antes de
Jesus. Quando seus líderes foram mortos, esses grupos se
dispersaram e desapareceram. Jesus já não estava na terra. Por
isso, se o Cristianismo não fosse de Deus iria desaparecer em
breve. Mas se viesse de Deus, o Sinédrio estaria lutando contra
Deus se matasse os apóstolos (Atos dos Apóstolos 5:38-
39). Por causa desse discurso de Gamaliel, os apóstolos foram
libertados e continuaram sua missão de pregar o evangelho.

Gamaliel, professor de Paulo

Antes de seu encontro com Jesus, Paulo era um judeu fariseu


muito zeloso. Ele nasceu em Tarso mas foi estudar em
Jerusalém. Lá, seu professor foi Gamaliel. Paulo recebeu
instrução rigorosa de Gamaliel e, graças a seu ensino,
aprendeu muito sobre as Escrituras (Atos dos Apóstolos 22:2-
3).

Ao contrário de Gamaliel, que era tolerante com os cristãos,


Paulo tentou destruir os seguidores de Jesus. Mas quando teve
uma visão de Jesus Paulo mudou de vida. Gamaliel
provavelmente ouviu muito sobre o Cristianismo e seu antigo
aluno Paulo mas ele nunca se converteu.
Quem era o pai de Davi?

O pai de Davi era Jessé, filho de Obede e neto de Rute. Ele


morava em Belém e teve oito filhos e duas filhas. A Bíblia fala
pouco de Jessé.

Jessé era neto de Boaz, o marido de Rute, que era um homem


rico e influente. Sendo seu herdeiro, Jessé provavelmente era
abastado. Os seus três filhos mais velhos estavam no exército
de Saul (1 Samuel 17:13). Como não havia alistamento
obrigatório, isso provavelmente indica que eram guerreiros
treinados, que só acontecia nas famílias mais ricas que podiam
suportar os custos e comprar armas boas.

Quando Samuel veio a Belém para ungir um rei, ele convidou


Jessé e seus filhos para um sacrifício, junto com as autoridades
da cidade. Jessé, sendo idoso e neto de Obede,
provavelmente era uma das autoridades da cidade
também. Jessé levou todos os seus filhos menos seu mais
novo, Davi, que estava trabalhando tomando conta das
ovelhas. Ele apresentou cada um de seus filhos a Samuel mas
Deus rejeitou todos, mesmo os guerreiros. Então
Jessé mandou chamar Davi do campo e Samuel o ungiu na
presença dos seus irmãos (1 Samuel 16:1-13).
Mais tarde, Jessé deixou Davi trabalhar para o rei Saul como
harpista. Durante a guerra contra os filisteus, Davi foi enviado
por Jessé a seus irmãos, para lhes levar comida e trazer
notícias da guerra ao seu pai (1 Samuel 17:17-19). Lá Davi
ouviu o desafio de Golias e decidiu matá-lo. Quando Davi
matou Golias, Saul ficou tão impressionado que não deixou
Davi voltar para a casa de seu pai (1 Samuel 18:2). Davi passou
a trabalhar a tempo inteiro para Saul.

Jessé já era idoso quando Samuel ungiu seu filho Davi como rei
de Israel (1 Samuel 17:12). Ele provavelmente não viveu para
ver Davi no trono, vários anos mais tarde.
Quem foi Efraim?

Efraim foi o segundo filho de José do Egito, que deu seu nome
a uma das 12 tribos de Israel. A tribo de Efraim se tornou muito
poderosa e várias figuras importantes vieram dessa tribo.
Depois que o país foi dividido em dois reinos, Judá e Israel, o
nome Efraim passou a representar o povo de Israel.

Depois que foi promovido pelo faraó, José se casou com uma
egípcia e teve dois filhos: Manassés e Efraim (Gênesis 41:50-
52). Anos mais tarde, quando seu pai Jacó estava cego e idoso,
José levou seus dois filhos para visitá-lo. José colocou
Manassés à direita de Jacó e Efraim à esquerda, para recebem
sua bênção. Jacó, porém, cruzou os braços e colocou a mão
direita sobre a cabeça de Efraim!

José achou errado, porque Efraim era o mais novo e a mão


direita representava a bênção do filho mais velho, o futuro
chefe da família. Mas Jacó profetizou que Efraim se tornaria
mais poderoso que Manassés(Gênesis 48:19-20). Jacó também
adotou Efraim e Manassés como se fossem seus filhos. Assim,
eles foram contados como duas tribos, não apenas como uma.

A Bíblia não fala sobre a vida de Efraim. Apenas diz que ele
teve alguns filhos. Dois de seus filhos foram mortos quando
tentaram roubar os rebanhos do povo da cidade de Gate. Isso
deixou Efraim muito triste.

Algum tempo depois Efraim ganhou outro filho, chamado


Berias, que seria o antepassado de Josué, que conquistou a
terra prometida. Efraim também teve uma filha, Seerá, que
fundou três cidades (1 Crônicas 7:23-24).
A tribo de Efraim

Com o tempo, a tribo de Efraim cresceu e se tornou muito


numerosa. Além de Josué, algumas outras pessoas famosas na
Bíblia também vieram da tribo de Efraim:

 A juíza Débora

 Jeroboão, o primeiro rei de Israel depois que se


separou de Judá

A tribo de Efraim também foi muito influente porque estava


sediada no centro do país e tinha muitos guerreiros. A
participação das tropas de Efraim podia mudar o rumo de uma
batalha. Antes da construção do templo em Jerusalém, o
tabernáculo ficou montado durante bastante tempo no
território da tribo de Efraim.

Quando o resto de Israel se separou de Judá e dos reis que


eram descendentes de Davi, Jeroboão, que era de Efraim, se
tornou o rei de Israel. Ele estabeleceu um altar idólatra em
Betel, que ficava no território de Efraim (1 Reis 12:28-29). Esse
altar se tornou um grande centro religioso do país, levando
Israel a pecar.

Mais tarde, Samaria, uma cidade em Efraim, se tornou a capital


do reino de Israel. Por causa de todas essas ligações da tribo de
Efraim com aspetos importantes do reino de Israel, o nome
Efraim se tornou uma metáfora para falar de todo povo de
Israel. Várias referências a “Efraim” na Bíblia na verdade
significam o reino de Israel, separado de Judá.
A lição de Efraim

Efraim recebeu uma bênção especial de Deus mas depois


sofreu grande castigo, porque a tribo abandonou a Deus
(Oséias 13:1). Apesar do amor de Deus, Efraim (e todo o povo
de Israel) escolheu o pecado e a idolatria. Por isso, Deus o
castigou mas não deixou de amar seu povo e o chamar ao
arrependimento, para receber Seu perdão (Jeremias 31:9).
Quem foi Abigail?

Abigail foi uma mulher de Deus que salvou sua família. Seu
marido era um homem ruim mas Abigail era sábia. Por causa
de sua sabedoria, Abigail ganhou o favor do futuro rei Davi.

Abigail era casada com um homem muito rico chamado Nabal.


Sua riqueza vinha das muitas ovelhas e cabras que possuía.
Mas, apesar de ser rico, Nabal não era generoso; ele era ruim e
insensato. Abigail, por outro lado, era inteligente e bonita (1
Samuel 25:2-3).

A família de Abigail corre perigo

Nesse tempo, Davi estava fugindo de Saul, que estava com


inveja e não queria que Davi se tornasse rei depois dele. Davi
tinha juntado um bando de guerreiros que o acompanhavam
para todos os lugares onde fugia. Mas, para continuarem nessa
vida, os guerreiros de Davi precisavam de mantimento.
Normalmente, bandos de guerreiros assaltavam lugares
desprotegidos para sobreviver mas Davi não fez isso com
Nabal.

Davi decidiu tratar bem a Nabal. Ele facilmente poderia tirar


tudo que quisesse dele mas, em vez disso, enviou uma
mensagem educada pedindo comida (1 Samuel 25:6-8). Davi
apelou para a generosidade de Nabal e pediu que enviasse o
que pudesse. Isso não era pedir muito, porque os homens de
Davi tinham protegido os pastores e o gado de Nabal de outros
perigos e não tinham roubado nada.
Mas Nabal não tinha generosidade... nem sensatez. Ele se
recusou a ajudar Davi e ainda o insultou (1 Samuel 25:10-11).
Quando Davi recebeu a resposta, ele ficou tão zangado que
prometeu se vingar de Nabal. Ele juntou seus homens para
matar todos os homens da casa de Nabal!

Abigail salva o dia

Os servos de Nabal não conseguiam conversar com ele, por


isso foram falar com Abigail, que não sabia o que tinha
acontecido. Quando ela ouviu o que seu marido tinha feito,
Abigail juntou rapidamente muita comida. Sem contar para
Nabal, ela foi entregar a comida pessoalmente a Davi (1
Samuel 25:18-19).

Abigail encontrou Davi na estrada, já a caminho para destruir


sua família! Ele estava muito irado mas Abigail se prostrou
diante dele, assumiu a culpa e pediu perdão. Ela explicou que
seu marido era insensato e pediu a Davi para mudar de ideias e
aceitar a comida (1 Samuel 25:26-28). Abigail cria que Deus iria
castigar Nabal. Davi não precisava se vingar. Isso seria errado e
apenas iria lhe causar mais problemas no futuro.

Davi ficou impressionado com a sabedoria de Abigail. Ele


reconheceu seu erro de querer se vingar e abençoou Abigail,
perdoando Nabal (1 Samuel 25:32-34). Davi aceitou o presente
de Abigail e se foi embora. Abigail tinha salvado sua família!
Abigail e Davi

Abigail voltou para casa mas Nabal estava bêbado, por isso ela
só lhe contou o que tinha feito no dia seguinte. Quando Nabal
ouviu o que tinha acontecido, ele ficou paralisado! Dez dias
depois, Deus tirou a vida de Nabal.

Quando Davi descobriu que Nabal estava morto, ele chamou


Abigail para ser sua esposa. Abigail aceitou a proposta, deixou
sua casa e se tornou uma das esposas de Davi (1 Samuel 25:40-
42).

Abigail ainda enfrentou vários desafios. Davi era um homem


foragido e ela teve de viver como fugitiva durante alguns anos.
Certa vez, ela foi levada prisioneira dos amalequitas, junto com
as famílias de todos os guerreiros de Davi, e Davi teve de a
salvar.

No entanto, mais tarde, Abigail ganhou segurança e prestígio,


quando Davi se tornou rei. Ela também teve um filho de Davi,
chamado Daniel, também conhecido como Quileabe. Abigail
foi sensata e temente a Deus e Ele a recompensou por sua
sabedoria.
Quem foi Manassés?

Duas pessoas famosas tiveram o nome Manassés na Bíblia: o


primeiro filho de José do Egito e um dos reis de Judá. Uma das
12 tribos de Israel também se chamava Manassés, porque o
filho de José era seu patriarca.

Manassés, o fundador de uma tribo

Depois que se tornou primeiro-ministro do Egito, José casou e


teve dois filhos: Manassés e Efraim (Gênesis 41:50-52).
Manassés era o filho mais velho mas seu avô Jacó deu a
bênção de filho mais velho a Efraim. Jacó profetizou que os
descendentes de Efraim seriam mais poderosos que os
descendentes de Manassés (Gênesis 48:19-20).

Cada um dos filhos de Jacó se tornou uma tribo de Israel.


Manassés e Efraim foram adotados por Jacó, cada um se
tornando uma tribo, em vez de serem apenas uma (José).
Apesar da bênção maior ir para Efraim, os descendentes de
Manassés também se tornaram uma tribo muito grande.

Depois que Israel saiu do Egito e chegou à terra prometida, a


tribo de Manassés recebeu uma grande porção da terra,
porque tinha muitas famílias. Metade de Manassés ficou no
território a Este do rio Jordão e outra metade ficou do lado
Oeste.

A tribo de Efraim teve mais líderes e pessoas poderosas. No


entanto, a tribo de Manassés também produziu um grande
líder: Gideão.
Manassés, rei de Judá

Outro Manassés famoso foi um dos rei de Judá. Depois do


reinado de Salomão, Israel se dividiu em dois reinos: Judá, a
sul, governado pelos descendentes de Davi, e Israel, a norte,
governado por quem fosse mais forte. No tempo de Manassés,
o reino de Israel já tinha sido destruído pelos assírios e restava
apenas o reino de Judá.

Manassés foi o rei de reinou mais tempo em Judá – 55 anos.


Ele era filho de Ezequias, um rei temente a Deus, que lutou
contra a idolatria. Mas Manassés não era como seu pai. Ele
abandonou a Deus e cometeu muitos pecados.

Manassés construiu muitos altares idólatras, até mesmo


dentro do templo de Deus! Ele se envolveu em feitiçaria e
queimou seu próprio filho em sacrifício (2 Reis 21:5-6).
Manassés também matou muitas pessoas inocentes e levou o
povo de Judá a fazer muitas coisas terríveis.

Por causa de tudo que Manassés fez, Deus prometeu destruir


Jerusalém e trazer desgraça sobre todo o país. Deus enviou
profetas para avisar Manassés do castigo, mas ele não prestou
atenção (2 Reis 21:10-12). Então Deus permitiu que Manassés
fosse capturado pelos assírios.

Os assírios levaram Manassés preso para a Babilônia (2


Crônicas 33:10-11). Lá, ele teve uma mudança de coração, se
humilhou e buscou a Deus. Será que havia solução para um
homem tão ruim? Sim!
Deus ouviu Manassés e o trouxe de volta a Jerusalém (2
Crônicas 33:12-13). Então Manassés começou a desfazer tudo
que tinha feito antes. Ele tirou os ídolos do templo e restaurou
o altar de Deus. Manassés passou a adorar somente a Deus.

No entanto, o mal já estava feito. O povo continuou na


idolatria e Manassés não conseguiu reverter todo o mal que
tinha causado. Depois que Manassés faleceu, seu filho Amom
se tornou rei e continuou na prática de idolatria e outros
pecados, que acabaram por levar à destruição de Jerusalém.
Quem é o anticristo?

O anticristo é todo aquele que nega que Jesus é o Cristo. O


anticristo se opõe a Cristo. O Anticristo é também um dos
títulos associados à besta.

O anticristo e a besta

A besta de Apocalipse 13 é interpretada como sendo o grande


anticristo, porque tentará roubar toda a adoração que só Jesus
merece. A palavra anticristo só aparece em 1 e 2 João mas a
besta tem as caraterísticas do Anticristo.

A besta continuará a fazer o que o diabo tem feito desde que


Jesus veio: tentar impedir as pessoas de conhecerem a verdade
da salvação. Seu trabalho será o de todo anticristo: substituir a
verdade pela mentira.

Várias profecias na Bíblia falam sobre uma pessoa com muito


poder que se levantará nos últimos tempos e que vai se opor
ao povo de Deus. Essa pessoa é conhecida como o Anticristo, a
besta, o perverso, o homem do pecado e o filho da perdição (2
Tessalonicenses 2:3-4).

Muitas pessoas no História foram acusadas de ser o Anticristo


mas sem razão. O Anticristo será uma pessoa usada pelo diabo
que dominará sobre o mundo todo, fazendo sinais e
maravilhas, enganando muitos e recebendo adoração como
deus (2 Tessalonicenses 2:8-10). O Anticristo perseguirá quem
ama Jesus e só será destruído quando Jesus voltar. Até agora
não há ninguém que cabe no perfil do Anticristo.
Outros anticristos na Bíblia

A Bíblia fala sobre o “espírito do anticristo” (1 João 4:2-3). Esse


espírito atua na vida de muitas pessoas que ensinam falsas
doutrinas, negando que Jesus é a encarnação de Deus e que
veio salvar o mundo. Esse espírito tem agido desde o início da
igreja, procurando enganar a muitos, até dentro da igreja.

Muitos anticristos são pessoas que saíram do meio da igreja


para ensinar coisas erradas. Eles conheceram mas rejeitaram a
verdade (1 João 2:18-19). Alguns até podem parecer cristãos e
seguir princípios bíblicos mas negam Cristo.

Como reconhecer um anticristo?

O anticristo é quem nega que Jesus é o Cristo, a encarnação


de Deus na terra (1 João 2:22-23). Essa pessoa recusa aceitar a
verdadeira identidade de Jesus: Deus feito homem. Um
anticristo poderá acreditar que Jesus é Deus mas nunca veio
como um homem verdadeiro; ou poderá dizer que Jesus era
apenas um homem, não Deus; ou poderá nem acreditar que
Jesus existiu! O anticristo espalha mentiras sobre Cristo.

Todo crente deve tomar cuidado contra ensinamentos de


anticristos. É muito importante conhecer a verdade da Bíblia,
para não ser enganado. Jesus é Deus. Ele veio como um
homem para salvar o mundo do pecado. Ele pode salvar você.
Todo que nega isso é o anticristo (2 João 1:7).
Quem foi a esposa de Caim?

A Bíblia não diz quem foi a esposa de Caim. Essa informação


não é relevante para a história. Caim provavelmente se casou
com uma irmã ou sobrinha sua. Adão e Eva tiveram outros
filhos além de Caim, Abel e Sete.

A Bíblia diz que todas as pessoas do mundo são descendentes


de Adão e Eva (Gênesis 3:20). Por isso, a esposa de Caim deve
ter sido seu parente. Para entender melhor de onde veio a
esposa de Caim, vamos ver a cronologia dos eventos na Bíblia:

1. Adão e Eva foram expulsos do Éden

2. Adão teve relações com Eva e Caim nasceu (Gênesis


4:1) – outras traduções dizem que Adão “conheceu”
Eva; nesse contexto “conhecer” significa ter relações

3. Eva teve outro filho – Abel (Gênesis 4:2)

4. Caim e Abel cresceram e seguiram diferentes


profissões

5. Caim e Abel ofereceram sacrifícios a Deus mas Deus


rejeitou o sacrifício de Caim

6. Caim ficou com inveja de Abel e o matou (Gênesis 4:8)

7. Deus confrontou Caim e o expulsou da terra de seus


pais

8. Caim fugiu para um lugar chamado Node (Gênesis


4:16)

9. Adão e Eva tiveram outros filhos e filhas depois da


morte de Abel (Gênesis 4:25; Gênesis 5:4)
10. Caim teve relações com sua mulher e ela teve um filho
(Gênesis 4:17) – novamente aqui algumas traduções
usam “conhecer” com o sentido de ter relações

A Bíblia não diz quanto tempo passou entre esses eventos nem
tudo que aconteceu pelo meio. Por exemplo, a Bíblia conta
sobre o nascimento de Abel logo depois do nascimento de
Caim sem dizer que entre os dois eventos passaram pelo
menos 9 meses. A Bíblia não diz:

 Quando Caim se casou

 Se Adão e Eva tiveram outros filhos e filhas antes de


Sete – Caim parece implicar que tinha outros parentes
que o poderiam matar mas a Bíblia não é clara
(Gênesis 4:13-14)

O mais provável é que Caim tenha se casado com uma de


suas irmãs. Se ele se casou muito tarde, ele pode ter se casado
com uma sobrinha ou com uma irmã que nasceu depois de
Sete. Naquele tempo o casamento entre irmãos era necessário
porque não havia outras opções.
Quem foi Arão?

Arão foi o primeiro sumo-sacerdote de Israel e o irmão mais


velho de Moisés.Ele serviu como porta-voz de Moisés e o
apoiou no seu ministério. Todos os sacerdotes de Israel foram
descendentes de Arão.

Quando Deus mandou Moisés voltar para o Egito para libertar


seu povo, Moisés não quis ir porque não falava bem. Por
isso, Deus estabeleceu Arão como porta-voz de Moisés(Êxodo
4:14-16). Arão introduziu seu irmão aos líderes de Israel e os
dois foram falar com o faraó. Deus usou Arão e Moisés para
trazer pragas sobre o Egito e libertar os escravos hebreus.

Arão, o sumo-sacerdote

No deserto, Arão continuou sendo porta-voz de Moisés para o


povo. Quando o povo se rebelou contra Moisés, Arão ficou do
seu lado e Deus revelou que Arão tinha direito de liderar. Os 12
líderes das tribos de Israel colocaram suas varas no
tabernáculo e, no dia seguinte, a vara de Arão floresceu e deu
amêndoas maduras. A vara de Arão ficou guardada na Arca da
Aliança como aviso contra a rebelião (Números 17:10-11).

Quando os israelitas chegaram ao monte Sinai, Deus escolheu


Arão e seus filhos como sacerdotes. Arão seria o sumo-
sacerdote (o chefe dos sacerdotes) e apenas seus
descendentes poderiam servir como sacerdotes perante Deus.
Como sumo-sacerdote, Arão oferecia sacrifícios a Deus pelos
pecados do povo.
As falhas de Arão

Arão não era perfeito. Ele cometeu alguns erros em sua vida.
Quando Moisés ficou muitos dias no monte Sinai sem voltar, o
povo exigiu um ídolo para seguir. Então Arão, para acalmar o
povo, criou um bezerro de ouro. Arão ainda tentou levar o
povo a adorar a Deus mas perdeu o controle e eles se
entregaram à idolatria e à devassidão (Êxodo 32:5-6). Por
causa desse pecado, três mil israelitas foram mortos.

Em outra ocasião, Arão e sua irmã Miriã criticaram Moisés por


se ter casado com uma mulher estrangeira (Números 12:1-2).
Eles falaram contra Moisés e Deus ouviu isso e feriu Miriã com
lepra. Então Arão implorou a Moisés para orar por Miriã e
Deus a curou.

Porém, Arão era fiel a Deus e normalmente fazia a coisa


certa. Ele intercedia por seu povo diante de Deus e defendia
seu irmão diante do povo. Quando Deus matou dois de seus
filhos por sua má conduta, Arão aceitou a justiça de Deus.

A morte de Arão

Uma vez Arão e Moisés desobedeceram a Deus diante de todo


o povo. Por causa disso, Deus não os permitiu entrar na terra
prometida.

Arão era muito idoso quando Deus avisou que ele iria morrer.
Obedecendo a Deus, Arão, seu filho Eleazar e Moisés subiram o
monte Hor e Moisés tirou as vestes de sumo-sacerdote de
Arão e os colocou em Eleazar. Assim, Eleazar se tornou o novo
sumo-sacerdote (Números 20:24-26). Arão morreu no monte
Hor e todo o povo ficou de luto por ele durante 30 dias.
Quem foi o profeta Zacarias?

Zacarias foi um profeta que incentivou o povo a reconstruir o


templo depois do exílio na Babilônia. Ele escreveu o livro
de Zacarias e fez várias profecias sobre a vinda do Salvador –
Jesus.

Quando Nabucodonosor, rei da Babilônia, invadiu Jerusalém,


ele destruiu o templo e levou o povo para o exílio. 70 anos
mais tarde, o rei Ciro permitiu que os judeus voltassem para
casa e reconstruíssem o templo. Zacarias pertencia a uma
família de sacerdotes que voltou do exílio.

Zacarias começou seu ministério de profeta em um tempo


quando a construção do templo estava parada, por ordem do
rei da Pérsia. O povo estava desanimado e não tinha mais
vontade de continuar o trabalho. Deus enviou Zacarias e seu
contemporâneo Ageu para animar o povo. Graças às profecias
de Zacarias e Ageu, os israelitas ficaram mais motivados e
concluíram a construção do templo (Esdras 5:1-2).
As profecias de Zacarias

Além de incentivar o povo a reconstruir o templo, Zacarias fez


várias profecias sobre a vinda do Salvador e o fim dos
tempos. Várias das profecias de Zacarias foram cumpridas
quando Jesus veio à terra:

 Jesus era o Servo, que removeu os pecados – Zacarias


3:8-9; Marcos 10:45

 A entrada de Jesus em Jerusalém, montado em um


jumento – Zacarias 9:9; Lucas 19:35-37

 A traição de Jesus por 30 moedas de prata – Zacarias


11:13; Mateus 27:3-5

 A morte de Jesus em Jerusalém – Zacarias 12:10-


11; Lucas 23:46-49

 A morte de Jesus e a fuga de seus discípulos – Zacarias


13:7; Mateus 26:31

Zacarias também profetizou sobre a vinda do Reino de Deus, o


castigo dos pecadores e a restauração daqueles que temem a
Deus.
Outros Zacarias na Bíblia

Zacarias era um nome popular, que significa “Deus se lembra”.


Vários homens na Bíblia eram chamados Zacarias. Além do
profeta Zacarias, outro Zacarias muito conhecido foi o pai de
João Batista, no Novo Testamento.

O sacerdote Zacarias e sua esposa eram muito idosos quando o


anjo Gabriel lhe apareceu e disse que teria um filho. Zacarias
duvidou, por isso ele ficou mudo até o nascimento de seu filho
João (Lucas 1:18-20). Quando o menino nasceu, Zacarias
louvou a Deus. Isabel, a esposa de Zacarias, era parente de
Maria, mãe de Jesus.

Zacarias também foi o nome de um rei de Israel, filho de


Jeroboão. Ele era um rei ruim e foi assassinado depois de seis
meses de reinado (2 Reis 15:8-10). Ainda outro homem
chamado Zacarias foi um sacerdote que profetizou que Deus
iria castigar o povo de Judá por se ter desviado de Deus. O rei
Joás não gostou da mensagem e mandou apedrejar Zacarias no
pátio do templo (2 Crônicas 24:20-21).
Quem foi Zorobabel?

Zorobabel foi o governador de Judá que reconstruiu o templo


de Jerusalém, quando os israelitas voltaram do exílio. A
construção enfrentou várias dificuldades mas Zorobabel não
desistiu. Deus enviou alguns profetas para encorajar
Zorobabel.

O início da construção

Quando Nabucodonosor, o rei da Babilônia, conquistou


Jerusalém, ele destruiu o templo e levou o povo para o exílio.
70 anos mais tarde, o rei Ciro decretou que os israelitas
poderiam voltar a sua terra e reconstruir o templo (Esdras
1:2-4). Os israelitas levaram consigo vários materiais para a
construção e Ciro devolveu vários utensílios do templo que
Nabucodonosor tinha levado como despojo.

Zorobabel foi um dos exilados que voltou. Ele era descendente


direto do rei Davi e se tornou governador de Judá. Junto com o
sacerdote Jesua e outros líderes do povo, Zorobabel organizou
a reconstrução do templo. Eles reconstruíram o altar e
voltaram a oferecer sacrifícios a Deus e a celebrar as festas que
Deus tinha ordenado na Lei de Moisés (Esdras 3:2-3).

Com o dinheiro angariado, Zorobabel pagou os trabalhadores e


os materiais para a construção. Os sacerdotes e levitas
organizaram o trabalho (Esdras 3:8). Quando os alicerces do
templo foram lançados, houve uma grande festa de louvor e
gratidão a Deus em Jerusalém.
A oposição ao trabalho

Nem todos ficaram felizes com a reconstrução do templo. Os


estrangeiros que moravam em Israel tentaram impedir o
trabalho, causando várias dificuldades (Esdras 4:4-5). Eles
escreveram cartas aos próximos reis da Pérsia, acusando os
israelitas de rebelião.

Quando o rei Artaxerxes leu as acusações, ele fez uma pesquisa


e descobriu que Jerusalém tinha um historial de rebelião e
mandou parar a construção. Os israelitas também perderam
interesse na construção do templo, porque queriam construir
suas próprias casas e tratar de seus negócios. Durante alguns
anos, Zorobabel foi impedido de completar a obra no
templo(Esdras 4:23-24).

O fim da construção

Deus enviou os profetas Zacarias e Ageu, no tempo do rei


Dario, para encorajar Zorobabel. Ageu repreendeu os
israelitas por terem esquecido da obra do templo e os animou
a voltar ao trabalho (Ageu 1:2-4). Zacarias encorajou
Zorobabel, profetizando que ele veria o templo reconstruído
(Zacarias 4:9-10).
Por causa dos profetas, Zorobabel decidiu continuar o
trabalho no templo(Ageu 1:14-15). Os governantes da região
ficaram preocupados e enviaram uma carta ao rei Dario. O rei
investigou e encontrou o decreto do rei Ciro, que ordenava a
reconstrução do templo. Por isso, ele permitiu que os israelitas
continuassem e até ajudou a pagar as despesas!

Com todo esse encorajamento, Zorobabel conseguiu


completar a construção do templo. A dedicação do templo foi
mais uma grande festa e todos os israelitas ficaram felizes
(Esdras 6:15-16). Zorobabel foi um exemplo de perseverança,
coragem e dedicação a Deus. Ele obedeceu a Deus e Deus o
honrou.
Quem foi Mateus na Bíblia?

Mateus foi um dos 12 apóstolos e provavelmente foi a pessoa


que escreveu o evangelho de Mateus. Ele seguiu Jesus em seu
ministério e foi escolhido para ser um de seus discípulos. A
Bíblia não nos conta muito sobre a vida de Mateus, mas ele
deixou um relato muito interessante da vida de Jesus.

Antes de se tornar discípulo de Jesus, Mateus era


um publicano, um cobrador de impostos do império romano.
Os judeus que trabalhavam como publicanos tinham uma má
reputação entre seu povo, porque eram vistos como traidores
que colaboravam com o opressor. Os publicanos também
tinham fama de serem corruptos, cobrando muito para ficarem
com o lucro.

Um dia, quando Jesus ainda estava no início de seu ministério,


ele viu Mateus sentado na coletoria, fazendo seu trabalho. Ele
chamou Mateus e disse-lhe para segui-lo. Então Mateus
deixou tudo e seguiu Jesus! A partir daí, ele se tornou um
discípulo de Jesus (Mateus 9:9).

Mais tarde, quando Jesus escolheu 12 homens para serem


seus apóstolos, Mateus foi um dos escolhidos (Mateus 10:2-4).
Assim, ele recebeu treinamento especial de Jesus para ser um
dos futuros líderes da Igreja. Ele seguiu Jesus ao longo de seu
ministério e participou da fundação da Igreja, depois que Jesus
subiu ao Céu.

A Bíblia não nos conta mais sobre a vida de Mateus, mas


segundo uma antiga tradição ele morreu como mártir na África
oriental.
Mateus ou Levi?

A história do chamado de Mateus é muito parecida com a


história de um homem chamado Levi, relatada em Marcos
2:13-14 e Lucas 5:27-28. Nos três evangelhos, essa história
aparece no mesmo lugar, depois da cura de um homem
paralítico que tinha sido descido do telhado da casa de Pedro
pelos seus amigos. Por isso, é bastante provável que Mateus e
Levi eram a mesma pessoa.

Talvez Mateus tinha dois nomes: Mateus Levi. Ou então ele


pode ter mudado de nome, ou ficado conhecido por outro
nome. Se Mateus era Levi, o nome de seu pai era Alfeu.

Depois que decidiu seguir Jesus Levi (Mateus) convidou Jesus


para comer na casa dele (Marcos 2:15-16). Alguns fariseus
ficaram escandalizados, porque Jesus estava comendo com
pessoas de má reputação, como cobradores de impostos. Mas
Jesus lhes disse que ele tinha vindo para chamar pecadores ao
arrependimento (Lucas 5:31-32).

O evangelho de Mateus

De acordo com a tradição, o evangelho de Mateus foi escrito


pelo apóstolo Mateus. Como cobrador de impostos, Mateus
teria de saber ler e escrever bem, para tomar nota de todas as
transações. Por isso, é possível que ele tivesse capacidade para
escrever o evangelho de Mateus.
Mateus é o primeiro dos quatro evangelhos e mostra como
Jesus era o salvador prometido por Deus no Antigo
Testamento. O evangelho faz muitas referências a profecias
cumpridas por Jesus. Também relata muitos dos grandes
ensinamentos de Jesus, incluindo o famoso Sermão da
Montanha.

O evangelho de Mateus tem muito em comum com os


evangelhos de Marcos e de Lucas mas também tem várias
histórias e parábolas exclusivas, como:

 O relato do sonho de José sobre o nascimento de Jesus


- Mateus 1:18-21

 O relato da visita dos magos e da fuga para o Egito


- Mateus 2

 A parábola do trigo e do joio - Mateus 13:24-30

 A parábola do tesouro - Mateus 13:44-46

 A parábola da rede com muitos peixes - Mateus 13:47-


50

 O milagre da moeda no peixe - Mateus 17:24-27


Quem era a mãe de Moisés?

A mãe de Moisés era Joquebede, uma mulher da tribo do


Levi. Ela nasceu no Egito e casou com seu sobrinho Anrão
(Êxodo 6:20). A Bíblia conta que teve três filhos: Miriã, Arão e
Moisés.

O que Joquebede fez?

Joquebede salvou seu filho, Moisés, da morte quando ele era


bebê. O faraó mandou lançar todos os meninos recém-
nascidos ao rio Nilo, para impedir o povo judeu de ficar muito
forte e se revoltar contra os egípcios. Mas quando Joquebede
teve Moisés, ela escondeu o menino por três meses. Chegou
uma hora em que já não o conseguia esconder, por isso fez um
pequeno barco com um cesto, colocou Moisés dentro e o
deixou na margem do rio Nilo.

A filha do faraó encontrou o cesto, teve dó do menino e o


adotou. Ela contratou Joquebede para ser a ama de Moisés.
Assim, Joquebede criou seu filho quando era pequeno. A Bíblia
não conta mais nada sobre a mãe de Moisés.

Leia a história em Êxodo 2:1-10


O que podemos aprender com a mãe de Moisés?

Joquebede confiou em Deus, mesmo contra as ordens do


poderoso faraó. Ela foi corajosa e salvou a vida de seu filho,
que muitos anos depois libertou seu povo da escravidão. Deus
recompensou sua fé, permitindo que ela criasse seu filho. A
mãe e o pai de Moisés entraram na lista dos heróis da fé do
livro de Hebreus (Hebreus 11:23).

Tal como Joquebede:

 Podemos confiar em Deus em todas as circunstâncias;

 Devemos ser corajosos e obedecer a Deus, mesmo


quando corremos perigo;

 Deus nos recompensa quando O obedecemos;

 Deus pode usar pequenas ações nossas para


transformar muitas vidas.
Quem foi o rei Belsazar?

Belsazar foi o último rei da Babilônia, antes de sua conquista


pelos persas. O profeta Daniel condenou Belsazar por sua
idolatria e irreverência para com Deus.

Belsazar foi um dos sucessores do rei Nabucodonosor, que


tinha destruído Jerusalém e deportado os judeus. Outras
fontes históricas revelam que Belsazar reinou durante vários
anos como co-regente com seu pai (os dois reinaram ao
mesmo tempo, como uma equipe). Ele nunca chegou a ser rei
sozinho. Por isso, ele era o segundo no comando do reino mas
exercia todas as funções de rei, enquanto seu pai estava fora,
lutando em guerras.

O banquete de Belsazar

Um dia, Belsazar reuniu muitos nobres e deu uma grande festa


na cidade de Babilônia. Quando estava bem embriagado, ele se
lembrou que Nabucodonosor tinha levado várias taças de ouro
do templo em Jerusalém, quando o destruiu. Belsazar mandou
trazer essas taças para ele, os nobres, suas mulheres e
concubinas beberem nelas. A festa se degenerou e todos
adoravam seus deuses falsos (Daniel 5:3-4).

Essa afronta a Deus não passou despercebida. Durante a


festa, apareceu uma mão humana do nada, que escreveu
algumas palavras na parede (Daniel 5:5-6). Quando viu isso, o
rei Belsazar ficou com tanto medo que seus joelhos batiam um
no outro!
Belsazar mandou chamar logo todos os sábios e prometeu
tornar a pessoa que lesse a inscrição no terceiro no comando
do reino (Daniel 5:7). No entanto, ninguém conseguia ler o
que estava escrito. Isso deixou o rei ainda mais assustado.

Belsazar e Daniel

A rainha então veio e contou a Belsazar sobre o profeta Daniel,


que tinha interpretado alguns sonhos de Nabucodonosor e que
tinha grande sabedoria (Daniel 5:11-12). Ele chamou Daniel e
pediu que lesse e interpretasse a inscrição. Daniel não queria
nenhuma recompensa mas ele deu a interpretação.

Daniel explicou que as palavras que estavam escritas na parede


eram:

 Mene Mene – mene significa “contado”; os dias do


reinado de Belsazar estavam contados

 Tequel – significa “pesado”; Balsazar tinha sido pesado


na balança e achado em falta

 Parsim – significa “dividido”; o reino de Belsazar seria


dividido entre outros povos (os medos e os persas)

Daniel também repreendeu Belsazar por sua arrogância e falta


de respeito para com Deus (Daniel 5:22-23). Belsazar conhecia
a história de seu predecessor, Nabucodonosor, a quem Deus
tinha humilhado por sua arrogância. Apesar disso, Belsazar não
deixou de fazer coisas erradas e repugnantes diante de Deus.
Agora, Belsazar iria sofrer as consequências.
Quem foi Tomé?

Tomé foi um dos 12 apóstolos, que acompanhou Jesus durante


seu ministério. Como apóstolo, Tomé foi um dos fundadores e
primeiros líderes da igreja. Tomé ficou conhecido
principalmente por ter duvidado da ressurreição de Jesus.

Tomé foi um dos seguidores de Jesus, que foi escolhido para


ser apóstolo. Ele viveu com Jesus, aprendeu dele e foi
preparado para ser um dos futuros líderes da igreja. Tomé
também era conhecido como Dídimo. Tanto Tomé como
Dídimo significam gêmeo, mas a Bíblia não diz se ele era de
fato gêmeo.

A Bíblia não fala muito sobre Tomé. Certa vez, Lázaro, um


amigo de Jesus, morreu e Jesus decidiu ir para sua cidade para
o ressuscitar. Mas os discípulos estavam preocupados porque
o povo das redondezas tinha tentado apedrejar Jesus pouco
tempo antes. Quando Jesus insistiu, Tomé disse que eles iriam
morrer com Lázaro (João 11:14-16).

Durante a última ceia, Jesus estava tentando explicar aos


discípulos que ele tinha de morrer e voltar para o Pai, para
preparar o caminho. Ele disse que eles sabiam o caminho que
ele iria tomar mas os discípulos não entenderam. Tomé lhe
perguntou como poderiam saber o caminho se não sabiam
onde ele ia. Jesus então lhe respondeu que ele é o caminho, a
verdade e a vida (João 14:4-6).
Alguns dias depois, quando Jesus ressuscitou, ele apareceu aos
discípulos mas Tomé não estava lá nesse momento. Quando os
outros lhe contaram o que tinham visto, ele não acreditou. Ele
disse que precisava ver e tocar em Jesus para acreditar (João
20:24-25). Por isso, Tomé ficou conhecido como símbolo da
dúvida e da incredulidade. (Mas, em sua defesa, os outros
discípulos também não acreditaram quando as mulheres
primeiro lhes contaram que tinham visto Jesus.)

Uma semana depois, Jesus apareceu outra vez e, dessa vez,


Tomé estava lá. Quando viu Jesus, Tomé acreditou e o adorou
(João 20:26-28). Jesus aproveitou a ocasião para explicar que
aqueles que crêem sem ver serão abençoados.

A Bíblia não diz o que aconteceu mais tarde com Tomé.


Segundo tradição, Tomé foi missionário, fundou várias igrejas e
morreu como mártir.

O que podemos aprender com Tomé?

Tomé tinha suas falhas mas, apesar disso, Jesus o escolheu


para ser apóstolo. Não precisamos ser perfeitos para sermos
usados por Jesus. Mas ao longo de nossa caminhada com Jesus
vamos ser desafiados a mudar.

Tomé às vezes tinha uma atitude pessimista mas ele obedecia


a Jesus. Ele escolheu seguir Jesus, em vez de seus próprios
pensamentos pessimistas.

Todos passamos por momentos de dúvida. A história de Tomé


mostra que podemos ter plena confiança em Deus, mesmo
quando não entendemos como é possível. Ter evidência pode
ajudar mas às vezes somos chamados para crer sem conseguir
ver.
Quem foi o rei Xerxes?

O rei Xerxes foi o rei da Pérsia que casou com Ester. Ele
governava um grande império, que incluía a região de Israel.
Fora da Bíblia, ele é conhecido por sua invasão fracassada
contra a Grécia.

Os primeiros anos de reinado

Xerxes, também conhecido como Assuero na Bíblia, era muito


rico e poderoso. No terceiro ano de seu reinado, Xerxes reuniu
todos os nobres e líderes militares na sua capital para um
grande banquete que durou seis meses! Durante esse tempo,
ele exibiu o melhor de seu império e possivelmente preparou
sua invasão contra a Grécia (Ester 1:2-4).

No fim desse tempo, Xerxes deu um banquete de sete dias a


todos os cidadãos da capital. No último dia, quando Xerxes já
estava um pouco embriagado, ele chamou sua esposa Vasti
para exibir sua beleza aos seus súditos. Mas Vasti se recusou a
aparecer e o rei ficou muito zangado (Ester 1:10-12). Vasti foi
destituída como rainha e banida da presença do rei.

Xerxes saiu para invadir a Grécia. Seu exército era enorme


mas os soldados gregos eram bem treinados e estavam
lutando em casa. A invasão começou bem para Xerxes mas
acabou em desastre. Aproveitando seu conhecimento do
território, os gregos escolheram posições de vantagem e
conseguiram massacrar o exército persa em algumas
batalhas. Xerxes sofreu uma grande derrota e voltou para
casa.
Xerxes e Ester

Foi provavelmente depois da invasão falhada que Xerxes


começou a procurar uma nova rainha. Durante um ano, as
moças mais bonitas do império receberam um tratamento de
beleza. Depois, cada uma foi levada ao rei para que ele
escolhesse sua favorita. A vencedora foi uma jovem chamada
Ester, que se tornou rainha no lugar de Vasti (Ester 2:17-18).

Certa vez, dois oficiais do rei conspiraram para o matar. Mas


um homem chamado Mardoqueu os ouviu e denunciou. Os
oficiais foram executados e tudo foi escrito nos registros reais.
Algum tempo depois, Xerxes colocou um príncipe chamado
Hamã em um alto cargo da corte. Um dia Hamã contou ao rei
sobre um povo muito rebelde que podia causar problemas
dentro do império: os judeus. Xerxes autorizou Hamã a
decretar a morte de todos os judeus (Ester 3:8-11).

Alguns dias depois, a rainha Ester entrou na presença do rei


sem ser convidada. Isso era crime mas Xerxes teve misericórdia
dela. Ester então convidou o rei e Hamã para um banquete
(Ester 5:3-5). No fim do banquete, Ester convidou o rei para
mais um banquete no dia seguinte.

Nessa noite, Xerxes não conseguiu dormir e ficou lendo os


registros reais. Ele descobriu que Mardoqueu não tinha sido
recompensado por salvar sua vida. De manhã Xerxes falou com
Hamã e, aceitando sua sugestão, mandou Hamã levar
Mardoqueu pela cidade para receber honra de todos os
cidadãos (Ester 6:6-9).
Depois disso, Xerxes e Hamã foram para o banquete de Ester,
onde ela revelou que era judia e que Hamã estava conspirando
para a matar, junto com todo seu povo! Xerxes ficou furioso e
mandou executar Hamã na forca que tinha preparado para
Mardoqueu, que era parente de Ester (Ester 7:9-10). Xerxes
honrou Mardoqueu e deu poder a ele e Ester para salvar os
judeus do extermínio.

Anos mais tarde, Xerxes morreu assassinado. Seu filho


Artaxerxes o sucedeu e permitiu a reconstrução do templo e
dos muros de Jerusalém.
Quem foi Abner

Abner foi o comandante do exército de Israel, que serviu o rei


Saul. Ele era um grande guerreiro e tinha muita influência
política em Israel. No fim de sua vida, Abner apoiou Davi como
rei e ajudou-o a estabelecer seu reinado.

Abner e Saul

Abner era parente de Saul e o general de seu exército (1


Samuel 14:50-51). Foi Abner que apresentou Davi ao rei Saul
depois que ele derrotou o gigante Golias. A partir desse dia,
Davi se tornou um guerreiro famoso no exército de Abner.

Quando Davi fugiu do rei Saul, que estava com inveja e queria
matá-lo, ele juntou seu próprio exército e Saul o perseguiu.
Uma noite, Saul acampou e adormeceu junto de Abner e seus
soldados. Davi conseguiu entrar no acampamento e se
aproximar da Saul mas foi embora sem o matar.

Davi repreendeu Abner por sua falta de atenção. Abner e seus


soldados deveriam ter montado uma guarda, protegendo a
vida de seu rei, como todo exército faz (1 Samuel 26:14-16).
Mas Abner e todo o exército tinham sido dominados pelo
sono!
Abner e Is-Bosete

Algum tempo depois, o exército de Saul entrou em batalha


com os filisteus. Abner e seus soldados sofreram uma grande
derrota e Saul foi morto. A tribo de Judá declarou Davi como
rei mas Abner levou Is-Bosete, o filho de Saul, e o proclamou
rei sobre o resto de Israel (2 Samuel 2:8-10). Isso gerou uma
guerra entre os dois lados.

O exército de Abner se reuniu para enfrentar o exército de


Davi. Quando se encontraram, Abner falou com Joabe, o
comandante do exército de Davi, e sugeriu uma luta entre os
melhores soldados de cada lado. Joabe concordou e 12
soldados de cada lado lutaram uns contra os outros. Não
houve nenhum vencedor porque todos morreram (2 Samuel
2:14-16). Então seguiu uma batalha muito violenta e o exército
de Abner foi derrotado.

Abner e seus soldados se retiraram, perseguidos pelos


soldados de Davi. Durante a fuga, Asael, irmão de Joabe,
alcançou Abner e quis lutar com ele. Abner matou Asael e
conseguiu escapar (2 Samuel 2:22-23). Antes de Joabe
descobrir que seu irmão estava morto, Abner convenceu-o a
parar a perseguição e todos voltaram para casa.
Abner e Davi

Abner se tornou muito poderoso e até o rei Is-Bosete o temia.


Mas um dia Is-Bosete acusou Abner de ter dormido com uma
das concubinas de Saul. Abner ficou muito zangado com a
acusação e decidiu apoiar o rei Davi. Ele enviou mensageiros a
Davi, oferecendo sua lealdade, e falou com os líderes das tribos
a favor de Davi (2 Samuel 3:12).

Abner se apresentou a Davi com a notícia que tinha


conseguido o apoio de todo Israel! Mas Joabe não ficou
contente. Além de ter matado o seu irmão, agora Abner
poderia roubar seu lugar como comandante do exército. Por
isso, Joabe chamou Abner para uma conversa privada e o
matou (2 Samuel 3:26-27). Davi e todos que ouviram sobre isso
ficaram chocados, porque Abner era um aliado muito
importante.

Depois da morte de Abner, o reinado de Is-Bosete ruiu e Davi


foi proclamado rei sobre todo Israel. Embora tivesse sido
assassinado, o apoio de Abner foi essencial para estabelecer
Davi como rei.