Você está na página 1de 7

HEMATO – COMPILADO 2ª UNIDADE

1ª PROVA DE HEMATO 78

1. Paciente com anemia ferropriva, qual exame fazer¿

R- Ferritina sérica (questão que vc poderia pensar que era trombocitemia essencial)

2. Paciente com feto morto retido e CIV, qual a conduta¿

» R- Para a CIVD, em casos leves e assintomáticos o tto é desnecessário. Em


casos mais exuberantes faz o suporte transfusional, com concentrado de plaquetas (< 50
mil) e crioprecipitado (este caso o fibrinogênio esteja abaixo de 100 mg/dL e PFC se
TAP e TTPA alargados > 1,5. Tratar a doença de base, ou seja, resolver o feto morto
retido (creio que não precisa dizer como, mas: Esvaziamento uterino por aspiração
manual intra-uterina ou curetagem.
» IG < 12 semanas: pode ser indicada de imediato. Em casos de colo impérvio,
deve-se administrar Misoprostol 400 µg VV 4 horas antes o procedimento.
» IG > 12 semanas: O esvaziamento deve sempre ser precedido pela indução
com misoprostol, conforme descrito anteriormente, pelo risco de perfuração).

3. Paciente com hemograma pancitopenico e esplenomegalia, o que NÃO poderia ser¿

R- aplasia de medula

2ª PROVA DE HEMATO 78

1. Assinale a alternativa incorreta sobre a anemia falciforme:

a) Os episódios dolorosos agudos representam as manifestações clínicas mais


comuns e características e podem ser desencadeados por infecção,
desidratação e tensão emocional V
b) As crises aplásticas se caracterizam por queda acentuada nos níveis de Hb
acompanhada por contagem de reticulócitos extremamente reduzida e em
geral são desencadeadas pela infecção por parvovírus B19 V
c) Nos casos de crises de sequestro esplênico e crise aplásica estão indicadas
transfusões de troca – Segundo transcrição: na crise aplásica há a indicação
de transfusão de REPOSIÇÃO.
d) Algumas das principais complicações durante a gravidez incluem: abortos
espontâneos, CIU retardado, infecções e fenômenos tromboembólicos
e) A Síndrome Torácica Aguda se caracteriza por dor torácica, febre, dispneia,
hipóxia e infiltrado ao RX de tórax e é uma das causas mais comuns de
hospitalização e morte.

2. Mulher, 55 anos, com queixa de astenia, adinamia e tontura. Hb = 9,3; VCM =


67; RDW = 16,5%; Leucócitos = 6000 (com diferencial normal) e plaquetas =
600 mil. Botar V ou F. anemia microcítica, anisocitose, trombocitose (sugestivo
de anemia ferropriva)

I. A presença de trombocitose torna obrigatória a realização de biópsia de


MO na condução do caso F
II. Os achados de ferritina reduzida, capacidade de ligação do ferro
aumentada (TIBIC) e saturação da transferrina reduzida confirmam o
diagnóstico de anemia ferropriva Verdadeiro
III. A reposição de Fe VO deve ser iniciada e suspensa após a normalização
da Hb Falso, pq vc tem que recuperar a Hb e o ferro de depósito, que só
volta ao normal de 4-6 meses depois.
IV. A identificação e a remoção da causa da deficiência de Fe são
fundamentais para o correto tto da paciente. Verdadeiro

3. Mulher, 42 anos, previamente hígida, referindo cansaço intenso há +- 15 dias.


EF: palidez e icterícia, sem visceromegalias. Hb: 6,4; VCM: 100; com
esferócitos; Leucócitos 4000 (diferencial normal); Plaquetas 150 mil;
Reticulócitos = 25%
Assinale a alternativa falsa (anemia, no limite para macro, esferócitos, sem
plaquetopenia ou leucopenia, sem visceromegalias, sugestivo de AHAI ou
microesferocitose)

a) Também há aumento da Bb indireta, da DHL e da haptoglobina – Em AHAI


a Haptoglobina está diminuída, é a globina que se liga a hemoglobina livre
no plasma e será eliminada na urina. Bb indireta e DHL aumentados.
b) O teste de Coombs direto positivo para IgG faz o dx de anemia hemolítica
auto-imune (AHAI) por anticorpos a quente
c) Confirmado o diagnóstico de AHAI deve-se investigar associação com
doenças linfoproliferativas, carcinomas, colagenoses, hepatites e infecção
pelo HIV
d) A paciente deve receber reposição de ácido fólico – toda anemia hemolítica
deve receber
e) Está indicado tto com corticoide

4. Paciente de 10 anos, com esplenomegalia discreta, icterícia e hemograma com


anemia e esferócitos. Mãe relata que o irmão mais velho tem quadro semelhante.
QC e hemograma sugestivos de microesferocitose hereditária
a) Qual o exame confirma a principal H.D?
Teste de fragilidade osmótica
b) Qual o tto quando indicado?
Esplenectomia se hemólise descompensada: previne anemia e complicações,
mas não elimina os microesferócitos do sangue periférico
Vacinação antes de 2 semanas do procedimento
Ácido fólico 1mg/kg/dia
5. Elabore um Hmg sugestivo de anemia megaloblástica
Pancitopenia – redução da hemoglobina circulante < 12 mg/dL
- anisocitose, RDW >14%
- macrocitose, VCM > 100 fL. Bem elevado, > 120
- leucopenia (<3.500) com neutrófilos hipersegmentados.
- plaquetopenia (< 150.000), com plaquetas gigantes.

6. Cite como é feita a prevenção de infecções em pacientes com anemia falciforme.


Profilaxia com penicilina benzatina: de 21 em 21 dias

<10 Kg – 300.000 unidades

10-25 Kg – 600.000 unidades

>25 kg – 1.200.000 unidades

Profilaxia com penicilina Oral: 12/12h

<15 Kg – 125 mg

15- 25 Kg – 250mg

>25 Kg – 500mg

7. Mulher de 55 anos, há 3 meses com história de fadiga e palidez progressiva. Há


(...) dias com aparecimento de equimoses nos MMI. Ao exame apresenta palidez
cutâneo-mucosa ++/4, ausência de adenomegalias ou organomegalias. Exames
laboratoriais: Hb 6g/dL, reticulócitos 10.000, VCM = 87; leucócitos 2300;
contagem absoluta de neutrófilos 800; plaquetas 120.000. Anormalidades
citogenéticas ausentes e aspirado de MO mostrou um MO com intensa
hipocelularidade em todos os setores (eritrócitos, granulócitos, megacariócitos)
com aumento do tecido gorduroso. Qual o mais provável dx e exame indicado
para o caso?

Aplasia de medula e biópsia de MO (é o que confirma).

8. A paciente da questão anterior, 8 meses após o dx, deu entrada na emergência


com quadro de dor abdominal, cujos exames revelaram tratar de trombose
venosa de veia mesentérica. O que explicaria esse quadro atual e que exame
solicitaria para confirmar a suspeita?
Tríade: tromboses abdominais + pancitopenia + hemólise
Na transcrição n tem, mas creio que cursou com hemoglobinúria paroxística
noturna (HPN) que tem relação com aplasia de medula. Classicamente, a HPN
era diagnosticada por meio do ensaio de lise com soro acidificado – que ativa o
complemento –, mais conhecido como teste de Ham. Atualmente, esse exame tem
apenas importância histórica, já que o método de eleição para o diagnóstico da
HPN é a citometria de fluxo.

9. Paciente durante a utilização de uma transfusão de C.H. desenvolveu um quadro


de febre próximo ao término da transfusão. Diante do que foi exposto, o quadro
sugere o que? Como você poderia prevenir evento semelhante em nova
transfusão?
Reação transfusional aguda, mais provavelmente uma reação febril não
hemolítica (é a mais comum, e no quadro clínico só há febre e mais nada).
Prevenção: antipiréticos e desleucocitação do próximo C.H.
10. 5 anos, há 3 dias surgiram petéquias e equimoses. Ao exame apresenta EG
excelente, presença de petéquias e equimoses nos MMI. Ausência de
adenomeglaias ou organomegalias. Ht 38%, leucócitos 5000 com 1% de bastões,
79% de segmentados, 20% de linfócitos, plaquetas 15.000. Em relação a essas
informações marque a alternativa correta.

a) Quadro sugestivo de aplasia medular


b) Mielograma deve ser realizado para definir dx
c) Suspeita de PTI
d) Provável LA
e) Deveria ser feito de emergência C.P. nessa criança pelo risco de hemorragia
cerebral

1ª PROVA HEMATO – 2010

1. Monte um hemograma compatível com agranulocitose

2. Quais são as alterações encontradas no mielograma do paciente com anemia


perniciosa?

Hipercelularidade
Reação leuco: eritro 1:1
Megaloblastose
Metamielócito/bastões gigantes

3. Diferencie laboratorialmente a anemia das doenças crônicas e a anemia


falciforme

4. Qual a principal causa de óbito em crianças com anemia falciforme? Qual é a


profilaxia?

Síndrome torácica aguda, infecções... Profilaxia com PenV.

5. Quais são as causas (crises) que exacerbam a anemia crônica de pacientes com
anemia falciforme?
Infecções, tensão emocional, esforço... situações de acidose/desidratação.

6. Descreva os achados laboratoriais caracterísiticos da anemia hemolítica por AC


Anti-IgG:
- Características das hemácias no esfregaço de sangue periférico: esferócitos
- Contagem de reticulócitos: aumentada
- DHL: aumentada
- Haptoglobina: diminuída
- Bb direta e indireta: aumentada

7. Qual é o exame indicado para dx de esferocitose hereditária?


Teste de fragilidade osmótica

8. Quando indicar transfusão de plaquetas?

9. Paciente 35 anos, assintomático. EF normal. Não faz uso de nenhum


medicamento específico. Em exame de rotina, foi identificada contagem de
plaquetas de 100.000 e Ht normal. Qual é a conduta? Qual é a sua impressão dx?
Caso você solicitasse um exame complementar, qual seria?

10. Paciente com 5 anos com QC compatível com PTI e contagem de 40.000
plaquetas. O médico indica conduta expectante. Você concorda com essa
conduta? Justifique.

PROVA HEMATO ALEATÓRIA

1. 16 anos, com palidez , petequias e equimoses. Ausencia de adenopatias ou


organomegalias. Ht 20 % leucócitos 1900 2 % de segmentados, 98 de linfócitos
plaquetas 40.000. Enumerar 3 hipotese diagnosticas para o caso , comentado
cada uma.

2ª PROVA HEMATO – 2014

1. 35 anos, feminina com quadro de metrorragia. Ao exame apresentava palidez


cutaneo- mucosa ++/4. queilite. ht 27 % hb 8,7 g/dl leucocitos 5000 com 2 % de
bastões, 88 % de segmentados, 10 % de linfocitos. Plaquetas 680.000. com
hipocromia e microcitose. Hipotese diagnóstica para trombocitose e um exame
que deva ser solicitado para confirmar sua hipotese diagnóstica.
Anemia ferropriva. Ferritina sérica.

2. Paciente com pancitopenia periférica com baço a 5cm do rebordo costal


esquerdo.Pode ser encontrada em uma das patologia abaixo exceto:
a) Tricoleucemia
b) Calazar
c) Leucemia Mieloide Aguda
d) Leucemia Linfoide Aguda
e) Aplasia de Medula
3. Paciente de 68anos, com diagnóstico de Leucemia Pro-Mielocítica evolui com
epistaxe, equimoses nos membros e hematêmese- Exames laboratorias- ht 27 %
leucócitos 5000 com 90 % de blastos plaquetas 15.000- TAP 35 % - 30 seg.
Tempo de tromboplastina parcial ativado- relação controle e do paciente 1,6.
Fibrinogenio baixo. Enumere duas causas que estão contribuindo para as
manifestações hemorrágicas desse paciente.
CIVD, fibrinogênio baixo.

QUESTÕES ALEATÓRIAS

1. Conduta na AHAI IgG


2. Dx de microesferocitose
3. Complicações da hemotransfusão na anemia falciforme
4. Profilaxia da infecção na anemia falciforme
5. Uso de plaquetas
6. Mielograma na anemia perniciosa
7. Hemograma nas anemias macrocíticas
8. Hemofilia: conduta na hemorragia alveolar
9. Síndrome torácica aguda
10. Hematoscopia da anemia ferropriva
11. Causas de sangramento de alguma coisa – a resposta era civd e plaquetopenia
12. Exame de controle para anemia ferropriva
13. Hemograma da megaloblástica
14. Caso clínico TP e TTPA. Quais as vias envolvidas e fatores
15. Exame de escolha para anemia auto-imune
16. Que exame dá diagnóstico na microesferocitose? Teste de fragilidade
osmótica
17. Manifestações de PTI e PTT