Você está na página 1de 10

15 – Capitalistas do mundo, uni-vos!

– Viktor Deni, 1920

Esse cartaz foi criado dois anos após o fim da Primeira


Guerra Mundial, que deu origem ao desastroso Tratado
de Versalhes, na Conferência de Paz de Paris. Nem a
Alemanha, nem o novo governo comunista da Rússia
foram convidados a participar. Da Conferência de Paz de
Paris também nasceu a Liga das Nações, barbaramente
atacada por

Viktor Deni neste cartaz memorável.

14 – Capital – Viktor Deni, 1919

De acordo com o texto em vermelho, na parte inferior


deste famoso cartaz anti-capitalista, também criado por
Viktor Deni, "Qualquer um que arranque este cartaz ou o
cubra, estará realizando um ato contra-revolucionário".

13 – Toda mulher deve saber como criar uma criança corretamente – Alexei Komarov, 1925
Contrastadas nesse pôster, estão duas maneiras
diferentes de criar os filhos: a coluna da esquerda
retrata a vida de uma criança criada em condições
precárias, enquanto que a coluna da direita, mostra a
maneira correta. Embora a servidão tenha sido abolida
pelo czar Alexandre II, em 1861, a Rússia, em 1925,
ainda tinha uma grande população rural de "mujiques",
ou camponeses, mantidos em relativa ignorância. Uma
grande parte da propaganda soviética era dedicada a
iniciativas educacionais, especialmente na área crucial
da saúde. Os bebês revolucionários na parte inferior da
coluna da direita dão testemunho das vantagens da
medicina moderna.

12 – Mulheres tártaras! Engrossem as fileiras! – Artista desconhecido, 1920

" … de braços dados com as mulheres proletárias da


Rússia, você finalmente romperá os últimos grilhões."

Os grupos étnicos que vivem na Rússia, como o famosos


cossacos, sempre desempenharam papel crucial na
defesa militar do país. O Tartaristão, por exemplo, está
muito perto do coração cultural da Rússia, mas
conseguiu manter ao longo dos séculos a cultura
islâmica e a língua tártara.

Este cartaz, escrito em tártaro e russo, incentivava as


mulheres tártaras a abandonarem os "grilhões" da
tradição em favor da modernidade. Parte do programa
soviético para assimilar os tártaros, envolvia
desencorajar o tradicional papel subserviente das
mulheres. A igualdade de gênero prosperou em muitos
aspectos da vida soviética, embora as mulheres
estivessem notavelmente ausentes nos altos escalões do
estado.
11 – Obtenha um trator! – Artista desconhecido, 1930

" As Estações de Máquinas e Tratores são o eixo da


coletivização. Obtenha um trator!

Estações de Máquinas e Tratores ( E. M. T. ) eram parte


dos esforços de Stalin para coletivizar fazendas em toda a
Rússia. Ricos camponeses que tinham acumulado mais
terras do que podiam cultivar, foram atacados pela
propaganda política comunista e identificados como
amigos dos capitalistas, portanto, inimigos dos
verdadeiros camponeses.

Observe os trabalhadores lendo o jornal durante o


descanso: a literacia autodidata foi muitas vezes
encorajada desta forma, especialmente entre a classe
trabalhadora. Logicamente, a alfabetização não implicava
necessariamente em liberdade para os trabalhadores
lerem o que bem quisessem.

10 – Longa vida à nossa feliz pátria socialista – Gustav Klusis, 1935

" Longa vida ao nosso amado líder, o Grande Stalin!"

Cinco anos mais tarde, durante a Guerra, a imagem de Stalin não


seria muito utilizada em cartazes de propaganda. O povo russo não
tinha esquecido as polícias secretas, os expurgos e a brutal coerção
que lhe haviam sido impostas entre 1935 e 1940. Atrocidades
impossíveis de mascarar com imagens utópicas como as desse
pôster.

9 – Vamos erradicar os agentes do fascismo – Sergei Igumnov, 1937


"Nós erradicaremos os espiões e sabotadores, os
agentes trotskistas-bukharinistas do fascismo".

Esse cartaz foi publicado em nome da NKVD - a polícia


secreta soviética - durante os infames julgamentos em
Moscou. Stalin passou a dirigir pessoalmente o que se
tornou conhecido como o Grande Expurgo, e mais tarde
como o Grande Terror. De acordo com a propaganda da
época, o expurgo era a limpeza dos elementos podres do
governo. Mas, na realidade, Stalin pretendia suprimir
sistematicamente as vozes capazes de ameaçar o
seu poder. É um pensamento assustador: cartazes de
propaganda como esse, foram usados de forma muito
eficaz para manter a maré da opinião pública a favor do
ditador, apesar do violento derramamento de sangue
ocorrido na Rússia daqueles dias sombrios.

fascista, apoiado abertamente por Hitler. A ascensão de


8 – Eles… Nós – Viktor Koretsky, 1941 Franco, foi facilitada pelas duas potências ocidentais:
Grã-Bretanha e França, que se recusaram a oferecer
ajuda militar aos republicanos espanhóis. Muitos
escritores de esquerda e artistas ocidentais, entre eles,
George Orwell e Ernest Hemingway, se ofereceram para
lutar pela causa republicana. O colapso da República
Socialista Espanhola e o sofrimento suportado pelos
cidadãos espanhóis durante a guerra, tinham um forte
apelo emocional para o povo russo.

Em 1941, não só a Espanha, mas também a França, a


Bélgica e os Países Baixos tinham caído para o regime
fascista-nazista da Alemanha. Esse cartaz, com imagens
duplas, contrastava o destino trágico desses países
ocidentais com a sociedade forte, estável e próspera
estabelecida na Rússia Soviética sob Stalin.
Pouco antes da Segunda Guerra Mundial, o desfecho da
Guerra Civil Espanhola conduziu ao poder um governo

7 – Pela Pátria! – A. Polyansky, 1941

Para os russos, a Segunda Guerra Mundial ficou


conhecida como a Grande Guerra Patriótica. Menos de
seis meses após o cartaz acima ter sido publicado, a
Alemanha havia abandonado o acordo de não
agressão com a Rússia e invadido as estepes soviéticas.
O sangue derramado em solo russo, mudou os rumos da
Segunda Guerra Mundial.
6 – Meu filho! Veja a minha situação… – Fyodor Antonov, 1942

Os soldados do Exército Vermelho sabiam que perderiam tudo, caso fossem derrotados na guerra contra a Alemanha.
Por trás dessa velha senhora, pode-se ver os restos fumegantes da casa da família, ela implora ao filho para que ele
ajude a salvar o país.

5 – Soldado, liberte sua Bielorrússia! – Viktor Koretsky, 1943

Pode-se imaginar o quão poderosa pode ter sido a


mensagem desse cartaz para os soldados russos, cujo país,
em grande parte, já havia sido invadido, ocupado e
destruído pelos soldados nazistas. Imagens tão simples e
comoventes como essa, conduziram até mesmo os
homens mais pacíficos para a guerra.
4 – Nossa esperança está com você, Soldado Vermelho – Viktor Ivanov e Olga Burova, 1943

Tal como acontece com os números 5 e 6, você precisa


olhar mais além, se quiser entender por que muitas
pessoas partem para lutar em guerras. Para o soldado
comum, a guerra não tinha nada a ver com fidelidade
ideológica, tratava-se tão somente de proteger aqueles
a quem ele amava. As imagens assustadoras desse
pôster, não foram criadas para mostrar o que
hipoteticamente poderia acontecer, se a guerra fosse
perdida, mostrava o que já estava acontecendo em solo
russo.

3 – Guerreiros do Exército Vermelho, salvai-nos! – Viktor Koretsky, 1943

As imagens nos cartazes da Segunda Guerra Mundial


são, geralmente, muito mais simples do que as das
campanhas de propaganda comunista dos anos 20 e 30.
Os cartazes de propaganda foram criados para
a doutrinação, eram dirigidos a determinados grupos
de pessoas, com o objetivo de convencê-las de certas
ideologias.

Mas imagens como essa, não precisam ser elaboradas


para alcançarem o efeito desejado. Koretsky, o artista
que criou esse cartaz, recebeu centenas de cartas de
soldados da frente de batalha, uma delas
dizia: "Mantive seu cartaz dobrado no bolso superior
esquerdo do meu uniforme, ao lado do coração, assim
como meus pais mantiveram os ícones antes de mim".
2 – Relâmpago – Kukriniksi – em alguma data da Segunda Guerra Mundial

Muitos desses cartazes foram pintados à mão e colados


sobre as janelas. Apesar da amizade inicial entre a Rússia
e as potências do Eixo, o ataque surpresa de Hitler
resultou em uma forte aliança dos russos com os Estados
Unidos e com a Grã-Bretanha.

КПСС significa: "Kommunisticheskaya Partiya Sovetskogo


1 – КПСС – Glória! – Boris Berezovsky, 1962 Soyuza" - Partido Comunista da União Soviética. Esse
cartaz celebra uma série de façanhas soviéticas durante a
corrida espacial que redefiniram a Guerra Fria. À
esquerda está Yuri Gagarin, o primeiro homem no espaço.
À direita dele está Gherman Titov, a primeira pessoa a
passar um dia inteiro no espaço. Eles estão retratados ao
lado de outros dois cosmonautas que também viajaram ao
espaço. As realizações desses homens amedrontaram os
americanos e desempenharam papel importante na
decisão de Kennedy de priorizar a viagem de um homem à
lua.