Você está na página 1de 3

ORAÇÕES COORDENADAS E SUBORDINADAS

FRASE SIMPLES E FRASE COMPLEXA

 A frase pode ser constituída por uma ou mais orações.


 Uma oração é a unidade gramatical organizada à volta de um verbo.

Frase simples é aquela que é constituída por uma única oração, contendo, portanto, um só
verbo conjugado (apresenta, assim, apenas um sujeito e um predicado). Frase simples (uma
só oração, um só verbo conjugado)

Ex.: Os meus pais oferecem-me muitos livros.

Frase complexa é aquela que é constituída por duas ou mais orações. Apresenta, portanto,
mais do que um predicado e muitas vezes mais do que um sujeito.
Frase complexa (duas orações, dois verbos conjugados)

Ex.: Os meus pais oferecem-me muitos livros porque eu gosto muito de ler.

Na frase complexa, há duas maneiras de ligar as orações: pela coordenação e pela


subordinação.

Coordenação (Orações coordenadas)


Ex.: Os meus pais saíram. Eu fiquei em casa a ler. (Frase simples) + (Frase simples)

Estas duas frases simples e independentes podem ser transformadas numa frase complexa,
estabelecendo-se entre elas uma relação de coordenação através de uma conjunção
coordenativa.

Ex.: Os meus pais foram ao cinema, mas eu fiquei em casa a ler.


(oração coordenada) + (oração coordenada)
mas = conjunção coordenativa

As orações coordenadas não dependem uma da outra; podem, por isso, separar-se e
constituir orações independentes.
Nas orações coordenadas, cada uma das orações tem um sentido próprio e independente da
outra oração.

As orações coordenadas podem ser: copulativas, adversativas, disjuntivas e conclusivas,


conforme a conjunção coordenativa que as liga.

Subordinação (Orações subordinadas)


Ex.: Os meus pais foram ao cinema quando acabaram de jantar.
(oração subordinante) + (oração subordinada temporal)
quando = conjunção subordinativa temporal
Ex: Os meus pais foram ao cinema porque queriam distrair-se.
(oração subordinante) + (oração subordinada causal)
porque = conjunção subordinativa causal

As orações “quando acabaram de jantar” e “porque queriam distrair-se” apenas podem


ocorrer em articulação com a oração principal (subordinante).

Nas orações subordinadas há uma oração que tem sentido próprio (oração subordinante) e
outra (ou mais) que não tem sentido próprio (oração subordinada) e que, para ter sentido,
está dependente da outra, está subordinada à outra.

As orações subordinadas podem ser: temporais, causais, finais, consecutivas, condicionais,


comparativas, conforme a conjunção subordinativa que as introduz.

ORAÇÕES COORDENADAS
1- Orações coordenadas copulativas
Exprimem a simples adição de orações. Podem ser introduzidas por:
- Conjunções: e; nem, também.
- Locuções: não só...mas também; tanto...como; não só...como também.
Ex: Chove e troveja.

2- Orações coordenadas adversativas


Indicam oposição ao que se disse anteriormente. Podem ser introduzidas por:
- Conjunções: mas; porém; todavia; contudo.
- Locuções: no entanto; apesar disso; ainda assim; não obstante.
Ex: A avestruz tem asas, mas não voa.

3- Orações coordenadas conclusivas


Indicam uma conclusão tirada do que se disse anteriormente. Podem ser introduzidas por:
- Conjunções: pois; portanto; logo.
- Locuções: por consequência; por conseguinte; pelo que, por isso
Ex: A terra está molhada, logo choveu.

4- Orações coordenadas disjuntivas


Exprimem alternância, distinção ou contraste. Podem ser introduzidas por:
- Conjunções: ou (repetido ou não).
- Locuções: ora...ora; quer...quer; seja...seja; seja...ou; já...já; nem...nem.
Ex: Ora chove ora faz sol.

*ORAÇÕES SUBORDINADAS*
1- Orações subordinadas temporais
Expressam a ideia de tempo. Podem ser introduzidas por:
- Conjunções: quando; enquanto;
- Locuções: logo que; depois que; desde que;
Ex.: Ele chamou o elevador quando eu fechei a porta.

2- Orações subordinadas causais


Expressam a ideia de causa ou o motivo. Podem ser introduzidas por:
- Conjunções: porque; pois; como;
- Locuções: visto que; pois que; por causa de;
Ex.: Não vou sair, porque está a chover.

3- Orações subordinadas finais


Expressam ideia de fim (objectivo). Podem ser introduzidas por:
- Conjunções: para (= para que);
- Locuções: para que; a fim de que;
Ex.: Estudem, para que passem de ano.

4- Orações subordinadas condicionais


Expressam uma condição ou hipótese. Podem ser introduzidas por:
- Conjunções: se;
- Locuções: salvo se; excepto se; a não ser que;
Ex.: Se estudares tens o teu futuro garantido.

5- Orações subordinadas consecutivas


Expressam uma consequência. Podem ser introduzidas por:
- Conjunções: que (antecedida por "tanto, de tal modo");
- Locuções: de maneira que; de forma que; de modo que;
Ex.: Andei à chuva, de modo que fiquei constipado.

6- Orações subordinadas comparativas


Expressam uma comparação. Podem ser introduzidas por:
- Conjunções: como, conforme;
- Locuções: assim como... assim também; tão... como;
Ex.: Aquele animal é forte como um elefante.