Você está na página 1de 32

(21) PI0518873-3 A2 *BRP10518873A2*

(22) Data de Depósito: 08/12/2005 (51) Int.CI.:


(43) Data da Publicação: 16/12/2008 C07C 11/06 (2008.04)
República Federativa do Brasil
Mlnââlêliú do Def/senvolvimento, indústria (RPI 1980) C07C 5/327 (2008.04)
a do Comércio Exterior
limita/lo Nac/mal da Propriarxama mda/ismael. C07C 7/11 (2008.04)

(54) Título: PROCESSO PARA PREPARAÇÃO DE (57) Resumo: PROCESSO PARA PREPARAÇÃO DE PROPENO
PROPENO A PARTIR DE PROPANO A PARTIR DE PROPANO. A invenção refere-se a um processo para
preparação de propeno a partir de propano, incluindo as etapas: A) é
provida uma corrente de gás de alimentação a contendo propano: B) a
(30) Prioridade Unionista: 09/12/2004 DE 10 2004 059 355.8 corrente de gás de alimentação a contendo propano e uma corrente de
gás contendo oxigênio são alimentadas a uma zona de
(73) Titular(es): BASF AKTIENGESELISCHAFT desidrogenação onde o propano é submetido a uma desidrogenação
não oxidante, catalítica, autotérmica a propeno, sendo obtida uma
(72) Inventor(es): Otto Machhammer, Sven Crone corrente gasosa de produto b contendo propano, propeno, metano,
etano, eteno, hidrocarbonetos C*, monóxido de carbono, dióxido de
carbono, vapor de água e hidrogênio: C) a corrente gasosa de produto
(74) Procurador(es): Momsen, Leonardos & CIA.
b é resfriada e vapor de água é removido por condensação, sendo
obtida uma corrente gasosa de produto c pobre em vapor de água: D)
(86) Pedido Internacional: PCT EP2005013169 de 08/12/2005 dióxido de carbono é removido por lavagem de gás, sendo obtida uma
corrente gasosa de produto d pobre em dióxido de carbono: E) a
(87) Publicação Internacional: WO 2006/061227de 15/06/2006 corrente gasosa de produto d é resfriada e uma corrente liquida de
hidrocarbonetos ei contendo propano, propeno, metano, etano, eteno e
hidrocarbonetos C+ é removida, por condensação, deixando uma
corrente gasosa residual e2 contendo metano, hidrogênio e monóxido
de carbono: F) a corrente líquida de hidrocarbonetos ei é alimentada a
uma primeira zona de destilação e separada por destilação em uma
corrente fi contendo propano, propeno e hidrocarbonetos C+ e uma
corrente 12 contendo etano e eteno: G) a corrente fi é alimentada a
uma segunda zona de destilação e separada por destilação em uma
corrente de produto 91 contendo propeno uma corrente 92 contendo
propano e hidrocarbonetos C*.
llºllªWªlllªlªlllllllllallll 1

“PROCESSO PARA PREPARAÇÃO DE PROPENO A PARTIR DE


PROPANO”
Descrição
A invenção refere-se a um processo para produção de propeno
a partir de propano.
Propeno é obtido em escala industrial por desidrogenação de
propano.
No processo, conhecido como UOP-Oleflex, para
desidrogenação de propano formando propeno, uma corrente gasosa de
10 alimentação contendo propano é pré-aquecida a 600 - 700 ºC. e
desidrogenizada em um reator de desidrogenação de leito móvel, contendo
um catalisador de platina sobre óxido de alumínio, produzindo uma corrente
gasosa de produto contendo predominantemente propano, propeno ' e
hidrogênio. Além disso, hidrocarbonetos de baixo ponto de ebulição (metano,
15 etano, eteno) formados por craqueamento, bem como pequenas quantidades
de hidrocarbonetos C4+,de alto ponto de ebulição, também estão presentes na .
corrente gasosa de produto. A mistura gasosa produzida é resfriada e
comprimida em vários estágios. Em seguida os hidrocarbonetos C2 e C3 e os
hidrocarbonetos de alto ponto de ebulição são removidos, por condensação
20 em uma “caixa fria” (Cold Box), do hidrogênio e metano formados na
desidrogenação. O condensado líquido de hidrocarbonetos é em seguida
submetido a separação por destilação, na qual, em uma, primeira coluna, são
removidos os hidrocarbonetos C; e o metano remanescente, e em uma

segunda coluna de destilação, a corrente de hidrocarbonetos C3 é separada em


25 uma fração de propeno de alto grau de pureza e uma fração de propano, que
contém também os hidrocarbonetos Cf.

A desvantagem deste processo é a perda de hidrocarbonetos C3


devida a condensação na "caixa fria". Devido a grande quantidade de
hidrogênio formada na desidrogenação e em consequência do equilíbrio de
2

fases, a corrente gasosa residual de hidrogênio/metano carrega também


quantidades relativamente grandes de hidrocarbonetos C3, caso a separação
por condensação não seja feita em temperaturas muito baixas. Devem, assim,
ser utilizadas temperaturas de -20 a -120 ºC para limitar as perdas de
hidrocarbonetos C3 descarregados com a corrente residual de
hidrogênio/metano.
'

E um objetivo da invenção desenvolver um processo


melhorado para a desidrogenação de propano em propeno.
O objetivo é conseguido através de um processo para produção
10 de propeno, a partir de propano, com as seguintes etapas:
A) é provida uma-corrente de gás de alimentação a contendo
propano;
B) a corrente de gás de alimentação a contendo propano e uma
corrente de gás contendo oxigênio são alimentadas a uma zona de
15 desidrogenação onde o propano e' submetido a uma desidrogenação não
oxidante, catalítica, autotérrnica a propeno, sendo obtida uma corrente gasosa
de produto b contendo propano, propeno, metano, etano, eteno,
hidrocarbonetos Cf, monóxido de carbono, dióxido de carbono, vapor de

água e hidrogênio;
20 C) a corrente gasosa de produto b é resfriada e vapor de água é
removido por condensação, sendo obtida uma corrente gasosa de produto c
pobre em vapor de água;
D) dióxido de carbono é removido por lavagem de gás, sendo
obtida uma corrente gasosa de produto d pobre em dióxido de carbono;
25 E) a corrente gasosa de produto d é resfriada e uma corrente
líquida de hidrocarbonetos el contendo propano, propeno, metano, etano,
eteno e hidrocarbonetos C4+ é removida, por condensação, deixando uma
corrente gasosa residual e2 contendo metano, hidrogênio e monóxido de
carbono;
F) a corrente líquida de hidrocarbonetos el é alimentada a uma
primeira zona de destilação e separada por destilação em uma corrente fl
contendo propano, propeno e hidrocarbonetos C4+ e uma corrente fZ contendo
etano e eteno;
G) a corrente fl é alimentada a uma segunda zona de
destilação e separada por destilação em uma corrente de produto gl contendo
propeno e uma corrente g2 contendo propano e hidrocarbonetos C].
Em uma primeira parte do processo, A, uma corrente de gás de
alimentação contendo propano a é preparada. Ela contém em geral no mínimo
10 80% em volume de propano, preferivelmente 90% em volume de propano. A
corrente de gás de alimentação contendo propano contém ainda, em geral,
butanos (n-butano, iso-butano). Composições típicas da corrente de gás de
alimentação contendo propano estão divulgadas em DE-A 102 46 119 e DE-A “
102 45 585. Tipicamente, a corrente de gás de alimentação a contendo
15 propano provém de gás liquefeito de petróleo (GLP).
Em uma parte do processo, B, a corrente de gás de alimentação
contendo propano é alimentada a uma zona de desidrogenação e submetida a
desidrogenação catalítica não oxidante, em que propano é parcialmente
desidrogenizado em propeno em um reator de desidrogenação com um
20 catalisador ativo em desidrogenação. São também obtidos hidrogênio e
pequenas quantidades de metano, etano, eteno e hidrocarbonetos C4+ (n-
butano, iso-butano, buteno, butadieno). A mistura gasosa produzida na
desidrogenação não oxidante, catalítica, autotérmica de propano contém
também óxidos de carbono (CO, CO;), especialmente COZ, água e em
25 pequena extensão gases inertes. Os gases inertes (nitrogênio) são introduzidos
no processo de desidrogenação autotérmica com a corrente de oxigênio, caso
não seja usado oxigênio puro. Permanece também na mistura gasosa
produzida o propano não reagido.
A desidrogenação não oxidante, catalítica de propano é
4

realizada autotermicamente. Para isto, oxigênio é adicionalmente misturado


com a mistura gasosa em reação na desidrogenação de propano em pelo
menos uma zona de reação e o hidrogênio e/ou hidrocarbonetos contidos na
mistura gasosa em reação são, pelo menos parcialmente, queimados, com o

que pelo menos uma parte do calor necessário para a desidrogenação é gerada
em pelo menos uma zona de reação, diretamente na mistura gasosa em reação.
Uma característica método não oxidante comparado com o
método oxidante é a formação pelo menos intermediária de hidrogênio. Na
desidrogenação oxidante não é formado nenhum hidrogênio livre em
10 quantidade apreciável.
A desidrogenação não oxidante, catalítica de propano pode em
princípio ser realizada em quaisquer dos tipos de reator conhecidos na arte
anterior. Uma descrição comparativamente abrangente de tipos de reator
adequados para as finalidades da invenção consta de "CatalyticaCR) Studies
15 Division, Oxidative Dehydrogenation and Alternative Dehydrogenation
Processes" (Desidrogenação Oxidante e Processos Alternativos de
Desidrogenação) (Study Number 4192 OD, 1993, 430 Ferguson Drive,
Mountain View, Califórnia, 94043-5272, USA).

Uma forma adequada de reator é o reator tubular ou de feixe


20 de tubos com leito flxo. Neste tipo de reator o catalisador (catalisador de
desidrogenação e, se for o caso, catalisador especial de oxidação) é disposto
como leito fixo em um tubo ou um conjunto de tubos de reação. Diâmetros
internos usuais dos tubos de reação são de cerca de 10 a 15 em. Um reator de
desidrogenação de feixe tubular típico tem cerca de 300 a 1000 tubos de
25 reação. A temperatura no interior dos tubos de reação varia usualmente na
faixa de 300 a 1200 º C, preferivelmente de 500 a 1000 º C. A pressão de
trabalho fica usualmente entre 0,5 e 8 bar, muitas vezes entre 1 e 2 bar,

quando é usada pequena diluição com vapor de água, ou ainda entre 3 e 8 bar,
com emprego de alta diluição de vapor de água (correspondente ao processo
de reforma a vapor ativo (processo STAR- "steam active reforming process")
ou ao processo Linde) para desidrogenação de propano ou butano de Phillips
Petroleum Co. Velocidades espaciais horárias de gás (GHSV) típicas baseadas
no hidrocarboneto usado ficam na faixa de 500 a 2000 H]. A geometria do
catalisador pode ser, por exemplo, esférica ou cilíndrica (oca ou maciça).
A desidrogenação não oxidante, catalítica e autotérmica de
propano pode também ser realizada de acordo com o processo FBD da
Snamprogetti/ Yarsintez, com catalisação heterogênea em leito fluidizado.
São convenientemente operados em paralelo dois leitos fluidizados, um dos
10 quais se encontra normalmente em estágio de regeneração. A pressão de
trabalho é tipicamente de l a 2 bar, a temperatura de desidrogenação em geral
de 550 a 600 º C. O calor necessário para a desidrogenação pode ser
introduzido no sistema de reação pré-aquecendo o catalisador de

desidrogenação até a temperatura de reação. Pelo uso de uma corrente de co-


15 alimentação contendo oxigênio pode-se prescindir do pré-aquecimento sendo
o calor necessário gerado diretamente no sistema de reação pela combustão de
hidrogênio e/ou hidrocarbonetos na presença de oxigênio. Se apropriado,
pode ser adicionada uma co-alimentação contendo hidrogênio.
A desidrogenação não oxidante, catalítica e autotérmica de

20 propano é preferencialmente feita em um reator de bandeja contendo um ou


vários leitos de catalisador em sequência. O número de leitos de catalisador
pode variar de l a 20, preferivelmente l a 6, com maior preferência l a 4 e em
especial 1 a 3. Os leitos de catalisador são preferivelmente atravessados pela
corrente de gás de reação em direção radial ou axial. Em geral, esse reator de
25 bandeja é operado com um leito fixo de catalisador. No caso mais simples os
leitos fixos de catalisador são dispostos axialmente em um reator tipo forno de
cuba ou em espaços anulares entre grelhas cilíndricas dispostas
concentricamente. Um reator tipo forno de cuba corresponde a uma bandeja.
A realização da desidrogenação em um único reator tipo forno de cuba
6

corresponde a um modo de realização. Em outro modo de realização preferido


a desidrogenação é realizada em um reator de bandeja com 3 leitos de
catalisador.
Em geral, a quantidade de gases contendo oxigênio adicionada
à mistura gasosa em reação é escolhida de modo que a combustão do
hidrogênio e, ocasionalmente, de hidrocarbonetos e/ou carbono em forma de

coque presentes na mistura gasosa em reação forneça o montante de calor


necessário para a desidrogenação do propano. Em geral a relação entre a
quantidade de oxigênio adicionada e o montante total de propano é de 0,001 a
10 0,5 mol/mol, preferivelmente 0,005 a 0,25 mol/mol, com especial preferência

0,05 a 0,25 mol/mol. Oxigênio pode ser introduzido como oxigênio puro ou
como um gás contendo oxigênio e gases inertes. A fim de evitar altas perdas
de propano e propeno no processo (ver abaixo) é, entretanto, essencial, que o
teor de oxigênio do gás portador de oxigênio seja alto, no mínimo 50% em
15 volume, preferivelmente no mínimo 80% em volume, com especial
preferência no mínimo 90% em volume. O gás portador de oxigênio de
máxima preferência é oxigênio tecnicamente puro com teor de cerca de 99%
em volume de.02.
O hidrogênio queimado para geração de calor é o que é
20 formado na desidrogenação catalítica do propano bem como, o que for
adicionado à mistura gasosa em reação por meio de uma corrente de gás
portador de hidrogênio. Preferivelmente o montante de hidrogênio presente
deve ser tal que a reação molar Hz/Oz na mistura gasosa em reação
imediatamente após a alimentação de oxigênio esteja na faixa de l a 10,
25 preferivelmente 2 a 5 mol/mol. Isto se aplica no caso de reatores de múltiplos
estágios para cada alimentação intermediária de gás portador de oxigênio e
qualquer gás portador de hidrogênio.
A combustão de hidrogênio acontece cataliticamente. O

catalisador de desidrogenação empregado catalisa em geral também a


7

combustão de hidrocarbonetos e hidrogênio com oxigênio, de modo que, em


princípio, não é necessário utilizar catalisadores especiais de oxidação. Em
um modo de realização são empregados um ou mais catalisadores de oxidação
que catalisam seletivamente a queima de hidrogênio com oxigênio na
presença de hidrocarbonetos. A queima destes hidrocarbonetos com oxigênio
para formar CO, COz e água é realizada assim apenas em pequena extensão.
Preferivelmente o catalisador de desidrogenação e o catalisador de oxidação
são dispostos em zonas de reação diferentes.
Quando a reação é realizada em mais de um estágio o
10 catalisador de oxidação pode estar presente em só uma, em várias ou em todas
as zonas de reação.
Preferivelmente o catalisador, que catalisa seletivamente a
oxidação de hidrogênio é colocado nos locais onde a pressão parcial de
oxigênio é maior que em outros locais do reator, em especial na vizinhança
15 dos locais de alimentação de gás portador de oxigênio. A alimentação de gás
portador de oxigênio e/ou gás portador de hidrogênio pode ser feita em um ou
vários locais do reator.
Em um modo de realização do processo de acordo com a
invenção é feita uma alimentação parcial de gás portador de oxigênio e de gás
20 portador de hidrogênio a montante de cada bandeja de um reator de bandejas.
Em outro modo de realização do processo de acordo com a invenção a
alimentação de gás portador de oxigênio e de gás portador de hidrogênio é
feita a montante de qualquer bandeja com exceção da primeira. Em um modo
de realização existe a jusante de cada local de alimentação uma camada de um
25 catalisador especial de oxidação seguida de uma camada de catalisador de
desidrogenação. Em outro modo de realização nenhum catalisador especial de
oxidação e empregado. A temperatura de desidrogenação é em geral de 400 a
1100 º C, a pressão no último leito de catalisador do reator de bandejas é em
geral de 0,2 a 5 bar, preferivelmente de 1 a 3 bar. A GHSV (velocidade
8

espacial horária do gás) está em geral na faixa de 500 a 2000 h'l, atingindo em
operação de carga elevada até 100000 h'l, ficando preferencialmente na faixa
de 4000 a 16.000 h'l.
Um catalisador preferido, que catalisa seletivamente a
oxidação de hidrogênio, contém óxidos e/ou fosfatos, selecionados no grupo
formado por óxidos e/ou fosfatos de germânio, estanho, chumbo, arsênico,
antimônio e bismuto. Outro catalisador preferido para a queima de hidrogênio
contém metal nobre do grupo de transição VIII e/ou I da Tabela Periódica.
Os catalisadores de desidrogenação utilizados são geralmente
10 formados por um suporte e uma composição ativa. O suporte é geralmente um
óxido ou mistura de óxidos resistentes ao calor. Os catalisadores de
desidrogenação utilizam, de preferência, como suporte, um óxido de metal,
selecionado no grupo que consiste de dióxido de zircônio, óxido de zinco,
óxido de alumínio, dióxido de silício, dióxido de titânio, óxido de magnésio,

15 óxido de lantânio, óxido de cério e suas misturas. As misturas podem ser


misturas físicas ou fases químicas misturadas (óxidos mistos como óxido de
magnésio e alumínio ou zinco-alumínio). Os suportes são preferivelmente
dióxido de zircônio e/ou dióxido de silício, com especial preferência para
misturas de dióxido de zircônio e dióxido de silício.
20 A composição ativa dos catalisadores de desidrogenação
contêm, em geral, um ou vários elementos do grupo de transição VIII da
Tabela Periódica, preferivelmente platina e/ou paládio, com especial
preferência para platina. Os catalisadores de desidrogenação podem também
conter um ou mais elementos dos grupos principais I e / ou II da Tabela
25 Periódica, preferivelmente potássio e/ou césio. Os catalisadores de
desidrogenação podem, além disso, conter um ou mais elementos do grupo III
da Tabela Periódica, inclusive lantanídeos e actinídeos, preferivelmente

lantânio e/ou cério. Finalmente, os catalisadores de desidrogenação podem


conter um ou mais elementos do grupo principal III e/ou IV da Tabela
9

Periódica, preferivelmente um ou mais elementos do grupo que consiste de


boro, gálio, silício, germânio, estanho e chumbo, com especial preferência

estanho.
Em um modo de realização preferido, o catalisador de
desidrogenação contém pelo menos um elemento do grupo de transição VIII,
pelo menos um elemento do grupo principal I e/ou II, pelo menos um
elemento do grupo principal III e/ou IV, e pelo menos um elemento do grupo
III, incluindo lantanídeos e actinídeos.

Por exemplo, todos os catalisadores de desidrogenação que são


10 divulgados por WO 99/46039, US 4.788.371, EP-A 705 136, WO 99/29420,
US 5.220.091, US 5.430.220, US 5.877.369, EP 0 117 146, DE-A 199 37
106, DE-A 199 37 105 e DE-A 199 37 107 podem ser usados. Com especial
preferência os catalisadores para as variantes descritas acima da
desidrogenação autotérmica de propano são os catalisadores dos Exemplos 1,
15 2, 3 e 4 de DE-A199 37107.
A desidrogenação autotérmica de propano é, de preferência,
processada na presença de vapor d' água. O vapor d' água adicionado serve
como portador de calor e suporta a gaseificação de depósitos orgânicos sobre
os catalisadores com o que é combatida a formação de coque e aumentado o
20 tempo de utilização dos catalisadores. Os depósitos orgânicos são
transformados em monóxido de carbono, dióxido de carbono e, em alguns
casos, água.
O catalisador de desidrogenação pode ser regenerado de uma
maneira conhecida em si. Por exemplo, vapor pode ser adicionado à mistura
25 gasosa de reação ou um gás contendo oxigênio pode ser passado de tempos
em tempos sobre o leito de catalisador em temperatura elevada e o carbono
depositado ser retirado por queima. A diluição com vapor desloca o equilíbrio
em direção aos produtos de desidrogenação. Após a regeneração, o catalisador
é reduzido com um gás portador de hidrogênio, se apropriado.
10

Na desidrogenação autotérmica de propano, é obtida uma


mistura gasosa que geralmente tem a seguinte composição: de 10 a 45% em
volume de propano, de 5 a 40% em volume de propeno, de 0 a 5% em volume
de metano, etano, eteno e hidrocarbonetos C4+, de 0 a 5% em volume de
dióxido de carbono, de 0 a 20% em volume de vapor e de 0 a 25% em volume
de hidrogênio, e também de 0 a 5% em volume de gases inertes.
Quando deixa a zona de desidrogenação, a corrente gasosa de
produto b fica geralmente sob uma pressão de 1 a 5 bar, preferivelmente de
1,5 a 3 bar, e uma temperatura na faixa de 400 a 700ºC.

10 A corrente gasosa de produto b pode ser separada em duas


subcorrentes, caso em que uma subcorrente é reciclada para a desidrogenação
autotérmica correspondente ao método de gás de reciclo descrito na DE-A
10211275 e DE-A 100 28 582.
Na parte C do processo, água é inicialmente removida da
15 corrente gasosa de produto b.A remoção de água é realizada por condensação,
por resfriamento e se apropriado, comprimindo a corrente gasosa de produto
b, e pode ser realizada em um ou mais estágios de resãiamento e se
apropriado de compressão. Em geral, a corrente gasosa de produto b é
resfriada para esta finalidade a uma temperatura na faixa de 30. a 80ºC,
20 preferivelmente de 40 a 65ºC. Além disso, a corrente gasosa de produto pode
ser comprimida, por exemplo a uma pressão na faixa de 5 a 25 bar.
Em um modo de realização do processo de acordo com a
invenção, a corrente gasosa de produto b é passada através de uma bateria de
trocadores de calor e, assim, inicialmente resfriada a uma temperatura na
25 faixa de 50 a 200ºC e subsequentemente resfriada em uma torre de extinção
com água a uma temperatura de 40 a 80ºC, por exemplo, 55ºC. Esta condensa
a maior parte do vapor, mas também alguns dos hidrocarbonetos presentes na

corrente gasosa de produto b, em particular os hidrocarbonetos Cf.


Uma corrente gasosa de produto pobre em vapor, c, é obtida.
11

Esta, geralmente, ainda contém de O a 5% em volume de vapor. Para a

remoção virtualmente completa da água da corrente gasosa de produto c, pode


ser feita uma secagem por meio de peneira molecular.
Em uma etapa de processo, D, dióxido de carbono é removido
da corrente gasosa de produto d, por lavagem do gás para obtenção de uma
corrente gasosa de produto pobre em dióxido de carbono, d. A lavagem para
retirada do gás dióxido de carbono pode ser precedida por um estágio de
combustão separado, em que monóxido de carbono é oxidado seletivamente a
dióxido de carbono.
10 . Para remoção de CO;, o líquido de lavagem usado é
geralmente, solução de hidróxido de sódio, solução de hidróxido de potássio
ou uma solução de alcanolamina; é dada preferência a uso de uma solução de
N-metildietanolamina ativada. Em geral, antes de ser realizada a lavagem do
gás, a corrente gasosa de produto c é comprimida, numa operação de um ou
15 mais estágios, a uma pressão na faixa de 5 a 25 bar.
Uma corrente gasosa de produto pobre em dióxido de carbono,
(1, tendo um teor de CO; de geralmente < 100 ppm, preferivelmente < 10 ppm,
é obtida.
Em uma etapa de processo, E, a corrente gasosa de produto d é
20 resfriada e uma corrente de hidrocarboneto líquido el contendo propano,
propeno, metano, etano, eteno e hidrocarbonetos C], é removida por

condensação para deixar uma corrente de gás residual e2 contendo metano,


hidrogênio e monóxido de carbono. Para isto, a corrente gasosa de produto d,
é geralmente comprimida a uma pressão na faixa de 5 a 25 bar e resfriada a
25 uma temperatura na faixa de -10 a -120ºC. A compressão pode ser realizada
em vários estágios, por exemplo em dois ou três estágios, sendo
preferivelmente realizada em vários estágios, por exemplo 3 estágios. Em um
modo de realização do processo de acordo com a invenção, antes da etapa de
lavagem de gás C, é efetuada uma compressão de um ou dois estágios da
12

corrente gasosa de produto e a uma pressão na faixa de 5 a 12 bar e


subsequentemente uma compressão de um ou dois estágios da corrente gasosa
de produto (1 a uma pressão na faixa de 10 a 25 bar. 0 resfriamento pode
também, preferivelmente, ser efetuado em vários estágios. Refrigerantes
adequados são eteno, prºpeno e propano que são resfriados a temperaturas na
faixa de -40ºC a -100ºC por compressão a pressões de até 20 bar e
subsequente descompressão.
Em geral a corrente gasosa de produto é resfriada por troca
térmica com um refrigerante em uma "caixa fria". O resfriamento pode ser
10 realizado em vários estágios usando Vários circuitos de resfriamento O
resfriamento pode ser efetuado em vários estágios em uma coluna, caso em
que o gás que sobe na coluna é retirado, resfriado, (parcialmente) condensado
e reciclado para a coluna. No fundo da col-una, é retirado o condensado e no
topo da coluna o gás não condensado, que não foi condensado no circuito de
15 resfriamento mais frio.
O baixo teor de hidrogênio da corrente gasosa de produto d,
em consequência do desempenho da desidrogenação B) como desidrogenação
autotérmica com combustão simultânea do hidrogênio formado, resulta na
condensação predominante dos hidrocarbonetos C3 na etapa de remoção E,
20 sendo somente uma porção muito pequena dos hidrocarbonetos C3
descarregados com a corrente de gás residual hidrogênio / metano.
É obtida uma corrente líquida de hidrocarboneto condensado
el que contém geralmente de 20 a 60 mol% de propano, de 20 a 60 mol% de
propeno e de O a 5 mol% de hidrocarbonetos Cf.

25 Antes de ser realizada a Etapa E, é realizado um estágio de


secagem em que a corrente gasosa de produto d é seca por passagem por uma
peneira molecular. Peneiras moleculares adequadas são conhecidas dos
especialistas da arte. Em geral, o estágio de secagem é realizado após o último
estágio de compressão, imediatamente antes da etapa de condensação E. A
13

temperatura da corrente gasosa de produto d a ser seca é geralmente de 0 a


50ºC, preferivelmente de 10 a 30ºC.
Após realização da etapa de secagem, o teor de água da
corrente gasosa (1 é < 500 ppm, preferivelmente < 100 ppm.
Em uma etapa de processo, F, a corrente de hidrocarboneto
líquido el é alimentada em uma primeira zona de destilação e separada por
destilação em uma corrente fl contendo os hidrocarbonetos C; propano,
propeno e os hidrocarbonetos Cf, e a corrente Í2 contendo os

hidrocarbonetos Cz etano e eteno. Para isto, a corrente de hidrocarboneto el é

10 geralmente alimentada em uma coluna de separação Cz/C3 tendo tipicamente

de 20 a 60 pratos teóricos, por exemplo, cerca de 30 pratos teóricos. Esta


coluna é geralmente operada em uma pressão na faixa de 12 a 30 bar, por
exemplo em cerca de 25 bar. A temperatura de fundo é geralmente de 40 a
100ºC, por exemplo, de cerca de 60ºC, a temperatura de topo de -10 a lOºC,
15 por exemplo, de cerca de 10ºC.
Uma corrente fl composta de propano, propeno e
hidrocarbonetos C4+ é obtida como a corrente extraída no fundo tendo um teor

total de etano / eteno de geralmente < 5000 ppm, preferivelmente < 1000
ppm, mais preferivelmente < 500 ppm.
20 Em uma etapa de processo, G, a corrente de hidrocarboneto
líquido fl é alimentada. em uma primeira zona de destilação e separada por
destilação em uma corrente gl contendo propeno e uma corrente g2 contendo
propano e os hidrocarbonetos Cf. Para isto, a corrente de hidrocarboneto fl é

geralmente alimentada em uma coluna de separação de C3 ("separador de


25 C3") tendo tipicamente de 80 a 200 pratos teóricos, por exemplo cerca de 100
pratos teóricos. Esta coluna é geralmente operada em uma pressão na faixa de
15 a 30 bar, por exemplo em aproximadamente 25 bar. A temperatura de
fundo é geralmente de 40 a lOOºC, por exemplo de cerca de 68ºC, a
temperatura de topo de 30 a 60ºC, por exemplo, de cerca de 60ºC.
14

A invenção é ilustrada em detalhes abaixo, com referência ao


desenho.
A Figura 1 mostra um desenho esquemático de um modo de
realização do processo de acordo com a invenção.
Propano fresco 0 que consiste, por exemplo, de 98% em
volume de propano e 2% em volume de hidrocarbonetos C,;+ (principalmente
butano) é alimentado junto com a corrente de reciclo da coluna de separação
de C3 11 composta de propano e de propeno em uma coluna de separação
C3/C4 12, separado por destilação em uma corrente 2a composta“ de
10 hidrocarbonetos C4+ 2a, que é obtida como a corrente de retirada do fundo e

uma corrente 2 tendo um teor de propano de > 99% em volume que é obtida
como a corrente de extração de topo.
A corrente 2 de propano é pré-aquecida a uma temperatura de
aproximadamente 450ºC em um pré-aquecedor 13, por exemplo, por troca
15 térmica com a corrente gasosa de produto 5, entrando, em seguida, no reator

de desidrogenação 14 nesta temperatura. O reator de desidrogenação 3 é


preferivelmente configurado como um reator de fluxo radial. Uma corrente de
vapor 4a e uma corrente de oxigênio 4b composta de oxigênio de pureza grau
técnico, tendo um teor de oxigênio de aproximadamente 99% em volume, são
20 adicionalmente alimentadas neste reator. A mistura gasosa de produto 5 deixa
o reator em uma temperatura de aproximadamente 600ºC e consiste de
propano, propeno, metano, etano, eteno, hidrocarbonetos C4, dióxido de

carbono, vapor, e hidrogênio, e também pequenos montantes de nitrogênio. A


corrente gasosa de produto 3 é resfriada a uma temperatura de
25 aproximadamente 55ºC em uma bateria de condensadores. Na bateria de
condensadores 6, a maior parte do vapor condensa e é retirada como
condensado líquido 6a1.
A corrente 6 é comprimida de aproximadamente 2 bar até
aproximadamente 15 bar em um compressor de três estágios com
15

resfriamento intermediário. Este condensa montantes adicionais de vapor que


são retirados como condensado líquido 6a2 e 6a3. Entre o segundo e o
terceiro estágio do compressor, dióxido de carbono é removido por meio de
lavagem de gás. Para isto, a corrente de gás comprimido é passada em uma
coluna de lavagem 17 e posta em contato com uma solução de N-
metildietanolamina ativada como líquido de lavagem. Dióxido de carbono é
novamente liberado do líquido de lavagem carregado, por aquecimento em
uma coluna de dessorção e o líquido de lavagem é regenerado.
A corrente gasosa 7 que tinha sido comprimida a

10 aproximadamente 15 bar, com remoção do dióxido de carbono, é pré-resfriada


a aproximadamente lOºC, alimentada a um estágio de secagem 18 para
remoção dos traços de água por meio de uma peneira molecular. Para isto, são
usados 2 aparelhos paralelos cheios com peneiras moleculares, dos quais um é
sempre operado em modo de absorção e o outro em modo de regeneração. A
15 corrente de gás seco 8 entra na "caixa &ia" em uma temperatura de
aproximadamente lOºC, onde etano, eteno, propano, propeno,. os

hidrocarbonetos C4+ e algum metano condensam a -40ºC como uma mistura


líquida de hidrocarbonetos 9, restando uma corrente de gás de topo 9a que
inclui uma pequena porção dos hidrocarbonetos Cz presentes na corrente de
20 gás 8, a maior parte do metano presente na corrente de gás 8 e virtualmente.
todo o hidrogênio presente na corrente de gás 8.
A mistura líquida de hidrocarbonetos 9 é separada em uma
coluna de separação C2/C3 20 por destilação em uma corrente 10 composta
de propano, propeno, e hidrocarbonetos C4+ e uma corrente lOa composta de
25 metano, etano e eteno. A corrente 10 é alimentada a uma coluna de separação
de C3 21, e separada em uma corrente de produto lla composta de propeno
tendo uma pureza de 99,5% e a corrente de reciclo 11 que consiste
predominantemente de propano e adicionalmente de hidrocarbonetos Cf e
também de pequenos montantes de propeno (aproximadamente 2% em peso).
16

A invenção é ilustrada em detalhes pelo exemplo a seguir.


Exemplos
A variante, mostrada na figura, do processo de acordo com a
invenção foi simulada por cálculo. Os parâmetros de processo abaixo foram
assumidos.
Exemplo 1
É assumida uma capacidade de 350 kt/a em um tempo de
operação de 8000h, correspondendo a 43.750 kg/h de propeno.
Além de 98% de propano, o propano fresco inclui 2% em peso
10 de butano. O teor de butano é reduzido a 0,01% em peso em uma coluna de
separação C3/C4 tendo 40 pratos teóricos em uma pressão de operação de 10
bar e uma razão de refluxo de 0,41.
A corrente de propano é pré-aquecida a 450ºC, entra na zona
de desidrºgenação e é submetido a uma desidrogenação autotérmica. A
15 conversão da desidrogenação, baseada em propano, é de 50%, a seletividade
da formação de propeno, é de 90%. Além disso, 5% de produtos de
craqueamento e 5% de COz são formados por combustão total. A
concentração de água no gás de saída da zona de desidrogenação é de 9% em
peso; o teor de oxigênio residual no gás de saída é de 0% em peso; a
20 temperatura de saída da mistura gasosa de produto é de 600ºC.
O gás de saída é resfriado a 55ºC a 1,8 bar e água é
condensada até a pressão de vapor de saturação.
Subseqúentemente, a mistura gasosa de produto é comprimida
em 3 estágios. No primeiro estágio do compressor, a mistura é comprimida de
25 1,8 bar a 4,5 bar, no segundo estágio do compressor de 4,5 a 11 bar e no
terceiro estágio de compressor de 11 bar a 18 bar. A jusante de cada estágio
de compressor, a mistura de gás é resfriada a 55ºC. Após o segundo estágio
do compressor, COZ é removido totalmente da corrente de gás por lavagem do
gás. Após o terceiro estágio do compressor, a água residual é removida total
17

mente da corrente de gás.


Subseqíientemente, a corrente de gás é resfriada a -40ºC a 18
bar. Isto condensa os hidrocarbonetos Cz", C3' e C].
O condensado líquido de hidrocarboneto é separado em uma
coluna de separação C2/C3 tendo 30 pratos teóricos a 25 bar e uma razão de
refluxo de 0,74. A temperatura de fundo é de 62ºC, a temperatura de topo
IOºC. O teor de etano residual do produto de fundo é de 0,01% em peso.
O efluente de fundo é alimentado a uma coluna de separação
de propano / propeno tendo 100 pratos teóricos que é operada a 25 bar com
10 uma razão de refluxo de 30. A temperatura de fundo é de 60ºC, a temperatura
de topo de 68 ºC. no topo, é obtido propeno com uma pureza de 99,5% em
peso.
Exemplo comparativo ]
Em vez da desidrogenação autotérmica de propano, é realizada

15 uma desidrogenação isotérmica de propano.


Para isto, a corrente de propano é pré-aquecida a 450ºC, entra
na zona de desidrogenação e é submetida a uma desidrogenação isotérmica O
teor de água do gás de entrada é de 50% em peso. A conversão da
desidrogenação é, com base em propano, de 50%. A seletividade da formação
20 de propeno é de 90%. Além disso, produtos de craqueamento são formados
em uma extensão de 8% e CO; a uma extensão de 2%. A temperatura do gás
de saída é de 600ºC.
As Tabelas 1 (exemplo) e 2 (exemplo comparativo)

reproduzem os montantes (em kg / h) e composição (em parte por massa, 2 =


25 1,0) das correntes de gás de acordo com a figura. Como pode ser visto nas
tabelas, o montante de hidrocarbonetos C3 (propano e propeno) que é
descarregada com a corrente de hidrogênio 9a é muito maior para o exemplo
comparativo do que para o exemplo.Exemplo l.
Exemplo 1
Corrente No 0 1 2a 2 3 4a 4b 5 6
Montante 55079,1587 106604,5642 1111,5339 105493,0307 105493,0307 104,9672 l4686,0095 1202833255 1 14760,3 846
[kg/h]
Butano 0,02 0,0104 0,99 0,0001 0,0001 0,0001 0,0001
Propano 0,98 0,9847 0,01 0,9950 0,9950 0,4363 0,4573
Propeno 0 0,0048 0 0,0049 0,0049 0,3790 0,3973
Agua 0 O 0,0924 0,0488
Eteno 0,0069 0,0073
Etano 0,0149 0,0156
co;

OOOOOOO
0,0435 0,0456
Hz 0,0117 0,0123
02 0,99 0 0
Nz

OOOOOO
0,01 0,0012 0,0013
CO

OOOOOOOO
OOOOOOO
OOOHOOOOOOO
0,0139 0,0145
Temperatura

N
OOOOOOOO O
78,14 26,93 450 350 600 600 55
18

[ºC]
Pressão [bar]

v-4
O
10 10 1,8 1,8 1,8
Exemplo ]
Corrente No 6a] 6a2 6213 7a 7 Sa 8
Montante [kg/h] 5522,9402 3490,4776 1277,7084 5238,1258 104754,0750 845,4069 103908,67
Butano 0,0001 0,0001 0,0003 0,0001 0,0001
Propano 0,0001 0,0002 0,0005 0,5010 0,5051
Propeno 0,0001 0,0004 0,0010 0,4352 0,43 87
Agua 0,9991 0,9975 0,9938 0,0081 0
Eteno 0,0000 0,0000 0,0000 0,0080 0,0080
Etano 0,0007 0,00184 0,0044 0,0169 0,0171
C02 0 0 0 0 0
Hz 0 0 0 0,0134 0,0135
02 0 0 0 O 0
Nz 0 0 0 0,0014 0,0014
CO 0 0 0 0,0159 oooMooooooo
0,0160
Temperatura [ºC] 55 55 55 30 40,69 40,69
Pressão [bar] 1,8 4,5 11

oo'oooo-waoooªz
18,5 18,5 18,5
19
Exemplo 1
Corrente No 9 9a 10 1021 lla 11
Montante [kg/h] 9784l,54 6067,1312 95275,41 2566,1305 43750,0001 51525,4055
Butano 0,0001 0,0000 0,000] 0 0 0,0002
Propano 0,5246 0,1908 0,5375 0,0446 0,0048 0,9898
Propeno 0,4528 0,2117 0,4623 0,1000 0,9950 0,01
Agua O O O 0 0
Eteno 0,0067 0,0297 00 0,2550
Etano 0,0158 0,0369 0,0001 0,6005
C02 0 00 0 O
Hz 0,2319 0 0
02 0 00
Nz 0,0242 00
OOOOOO

CO

0000
0,2747 OO
Temperatura [ºC] -40 62,47 68,07
Pressão [bar] 18,5 18,5 25
20
Exemplo Comparativo
Corrente No 0 1 la 2 3 4 5 6
Montante [kg/h] 56645,2497 108336,021 1140,3146 107195,707 107195,707 106668,079 217346,859 115141,928
Butano 0,02 0,0105 0,99 0,0001 0,0001 0,0000 0,0001
Propano 0,98 0,9847 0,01 0,9951 0,9951 0,2454 0,4631
Propeno 0,0048 0,0048 0,0048 0,2131 0,4022
Agua 0,4988 0,0545
Eteno 0,0094 0,0177
Etano 0,0067 0,0122
COz 0,0098 0,0185
Metano 0,0036 0,0067
Hz 0,0101 0,0191
02 0 0
N2 0 0
CO 0,0031 0,0059

OOOOOOOOOO
OOOOOOOOO
OOOOOOOOO
OOOHOOOOOOOO
Temperatura [ºC] 78,14 26,93 450 350 600 55
21

1,8 1,8
r-4
o
Pressão [bar]

ooooooooooãe
oooooooooãe
Exemplo Com arativo
Corrente No 6211 6a2 6213 73 7 Sa 8 9 9a
Montante [kg/h] 1 02204,929 3911,9338 1430,6569 2129,2010 107670,137 948,9521 106721,18 98501,836 8219,3483
Butano 0,0000 0,0001 0,0002 0,0001 0,0001 0,0001 0,0000
Propano 0,0001 0,0002 0,0005 04953 0,4997 0,5234 0,2149
Propeno 0,0001 0,0003 0,0009 0,4301 0,4339 0,4503 0,2376
Agua 0,9993 0,9982 0,9954 0,0088 0 0 O
Eteno 0,0000 0,0000 0,0000 0,0189 0,0191 0,0146 0,0731
Etano 0,0005 0,0012 0,0031 0,0130 0,0131 0,0116 0,0306
CO; 0 0 0
Metano 0,0072 0,0073 0,0944
Hz 0,0204 0,0206 0,2670
02 0 0 0
N2 0 0 0
0,0063 0,0824
000000

0,0063

000M00000000
CO
30 41,07 41,07 -40

ooooooâ
Temperatura [ºC]
22

18,5 18,5 18,5 18,5 18,5

ooooooaoooooâz
4,5

ooooooaz
Pressão [bar]
Exemplo Comparativo
Corrente No 10 Na Ila 'll
Montante [kg/h] 95440,7715 3061,0647 43750 51690,771
Butano 0,0001 0 0,0001
Propano 0,5383 0,0599 0,0048 0,9899
Propeno 0,4615 0,1 0,995 0,0100
Agua 0 0
Eteno 0 0,4687
Etano 0,0001 0,3714 0,0002
CO; 0 0
Metano 0 0
Hz 0 O
Oz 0 0.
N2 0 O
0 0

OOOOOO
CO
Temperatura [ºC] 62,48 8,04 59,25
23

25 25

oooooooooge
Pressão [bar]
REIVINDICAÇÓES
1 Processo para preparação de propeno a partir de propano,
caracterizado pelo fato de compreender as etapas:
A) é provida uma corrente de gás de alimentação a contendo
propano;
B) a corrente de gás de alimentação a contendo propano e uma
corrente de gás contendo oxigênio são alimentadas a uma zona de
desidrogenação onde o propano é submetido a uma desidrogenação não
oxidante, catalítica, autote'rmica a propeno, sendo obtida uma corrente gasosa

10 de produto b contendo propano, propeno, metano, etano, eteno,

hidrocarbonetos C4+, monóxido de carbono, dióxido de carbono, vapor de


água e hidrogênio;
C) a corrente gasosa de produto b é resfriada e vapor de água é
removido por condensação, sendo obtida uma corrente gasosa de produto e
15 pobre em vapor de água;
D) dióxido de carbono é removido por lavagem de gás, sendo
obtida uma corrente gasosa de produto (1 pobre em dióxido de carbono;
E) a corrente gasosa de produto d é resfriada e uma corrente
líquida de hidrocarbonetos el contendo propano, propeno, metano, etano,

20 eteno e hidrocarbonetos C4+ é removida, por condensação, deixando uma

corrente gasosa residual e2 contendo metano, hidrogênio e monóxido de


carbono;
F) a corrente líquida de hidrocarbonetos el é alimentada a uma
primeira zona de destilação e separada por destilação em uma corrente fl
25 contendo propano, propeno e hidrocarbonetos C4+ e uma corrente & contendo
etano e eteno;

G) a corrente fl é alimentada a uma segunda zona de


destilação e separada por destilação em uma corrente de produto gl contendo
propeno e uma corrente g2 contendo propano e hidrocarbonetos C].
2

2. Processo de acordo com a reivindicação 1, caracterizado


pelo fato que em uma etapa H, a corrente g2 e propano fresco são alimentados
em uma terceira zona de destilação e separadas por destilação, nessa terceira
zona de destilação, na corrente de gás de alimentação a e uma corrente
contendo hidrocarbonetos CX.
3. Processo de acordo com a reivindicação 1 ou 2

caracterizado pelo fato que a corrente gasosa de produto b é resú'iada na etapa


C) a uma temperatura na faixa de 30 a 80ºC.
4. Processo de acordo com quaisquer das reivindicações 1 a 3,
10 caracterizado pelo fato que a corrente gasosa de produto c é comprimida a
uma pressão de 5 a 25 bar antes da realização da etapa D). , '

5. Processo de acordo com quaisquer das reivindicações 1 a 4


caracterizado pelo fato que a corrente gasosa de produto d é comprimida a
uma pressão de 5 a 25 bar antes da realização da etapa E).
15 6. Processo de acordo com quaisquer das reivindicações l a 5
caracterizado pelo fato que a corrente gasosa de produto (1 é resfriada a uma
temperatura na faixa de -10 a -120ºC quando a etapa E) é realizada.
7. Processo de acordo com quaisquer das reivindicações 1 a 6
caracterizado pelo fato que a corrente gasosa de produto (1 é seca por
20 passagem sobre uma peneira molecular antes da realização da etapa E).
8. Processo de acordo com quaisquer das reivindicações l a 7
caracterizado pelo fato que a corrente de gás contendo oxigênio usada na
etapa B) tem um teor de oxigênio de pelo menos 90% em volume.
&; &;
N P o
EoAI E AI 3. º All.. &
& :
1/1

NSAI E
2 Imlv $ º em ..v & ..lWFv
mmm AI , .
e & &; NL SÁ
GN .
All 2
1 ?; 0512353,3

RESUMO
A PARTIR DE
“PROCESSO PARA PREPARAÇÃO DE PROPENO
PROFANO”
A invenção refere-se a um processo para preparação de

propeno a partir de propano, incluindo as etapas:


A) é provida uma corrente de gás de alimentação a contendo
. propano;
B) a corrente de gás de alimentação a contendo propano e uma
de
corrente de gás contendo oxigênio são alimentadas a uma zona
10 desidrogenação onde o propano é submetido a uma desidrogenação não
oxidante, catalítica, autotérmica a propeno, sendo obtida uma corrente gasosa
de produto b contendo propano, propeno, metano, etano, eteno,
de
hidrocarbonetos Cf, monóxido de carbono, dióxido de carbono, vapor
água e hidrogênio;
15 C) a corrente gasosa de produto b é resfriada e vapor de água é
removido por condensação, sendo obtida uma corrente gasosa de produto c
pobre em vapor de água;
D) dióxido de carbono é removido por lavagem de gás, sendo
obtida uma corrente gasosa de produto (1 pobre em dióxido de carbono;
20 'E) a corrente gasosa de produto d é resfriada e uma corrente
líquida de hidrocarbonetos el contendo propano, propeno, metano, etano,
eteno e hidrocarbonetos C4+ é removida, por condensação, deixando uma

corrente gasosa residual e2 contendo metano, hidrogênio e monóxido de


carbono;
25 F) a corrente líquida de hidrocarbonetos el é alimentada a uma
primeira zona de destilação e separada por destilação em uma corrente fl
Contendo propano, propeno e hidrocarbonetos C4+ e uma corrente t2 contendo
etano e eteno;
G) a corrente fl é alimentada a uma segunda zona de
2

destilação e separada por destilação em uma corrente de produto gl contendo


propeno e uma corrente g2 contendo propano e hidrocarbonetos Cf.
A requerente apresenta novas vias das reivindicações para
conformar o pedido com o Relatório Preliminar Internacional sobre
Patenteabilidade.
REIVINDICAQÓES
1 Processo para preparação de propeno a partir de propano,

caracterizado pelo fato de compreender as etapas:


A) é provida uma corrente de gás de alimentação a contendo
propano;
B) a corrente de gás de alimentação a contendo propano e uma
corrente de gás contendo oxigênio tendo um teor de oxigênio de pelo menos
50 % em volume são alimentadas a uma zona de desidrogenação onde o
propano é submetido a uma desidrogenação não oxidante, catalítica,
10 autotérmica a propeno, sendo obtida uma corrente gasosa de produto b
contendo propano, propeno, metano, etano, eteno, hidrocarbonetos Cf,
monóxido de carbono, dióxido de carbono, vapor de água e hidrogênio;

C) a corrente gasosa de produto b é resfriada e vapor de água é


removido por condensação, sendo obtida uma corrente gasosa de produto c
15 pobre em vapor de água;
D) dióxido de carbono é removido por lavagem de gás, sendo
obtida uma corrente gasosa de produto (1 pobre em dióxido de carbono;
E) a corrente gasosa de produto d é resfriada e uma corrente
líquida de hidrocarbonetos el contendo propano, propeno, metano, etano,
20 eteno e hidrocarbonetos C4+ é removida, por condensação, deixando uma

corrente gasosa residual e2 contendo metano, hidrogênio e monóxido de


carbono;
F) a corrente líquida de hidrocarbonetos el é alimentada a uma
primeira zona de destilação e separada por destilação em uma corrente fl
25 contendo propano, propeno e hidrocarbonetos Cf e uma corrente fZ contendo
etano e eteno;

G) a corrente fl é alimentada a uma segunda zona de


destilação e separada por destilação em uma corrente de produto gl contendo
propeno e uma corrente g2 contendo propano e hidrocarbonetos C4+.
2

2. Processo de acordo com a reivindicação l, caracterizado


pelo fato que em uma etapa H, a corrente g2 e propano fresco são alimentados
em uma terceira zona de destilação e separadas por destilação, nessa terceira
zona de destilação, na corrente de gás de alimentação a e uma corrente

contendo hidrocarbonetos C4+.


3. Processo de acordo com a reivindicação 1 ou 2
caracterizado pelo fato que a corrente gasosa de produto b é resfriada na etapa
C) a uma temperatura na faixa de 30 a 80ºC.
4. Processo de acordo com quaisquer das reivindicações l a 3,
10 caracterizado pelo fato que a corrente gasosa de produto c é comprimida a
uma pressão de 5 a 25 bar antes da realização da etapa D).
5. Processo de acordo com quaisquer das reivindicações ] a 4
caracterizado pelo fato que a corrente gasosa de produto (1 é comprimida a
uma pressão de 5 a 25 bar antes da realização da etapa E). '
15 6. Processo de acordo com quaisquer das reivindicações l a 5
caracterizado pelo fato que a corrente gasosa de produto d é resfriada a uma
temperatura na faixa de -10 a -120ºC quando a etapa E) é realizada.
7. Processo de acordo com quaisquer das reivindicações l a 6
caracterizado pelo fato que a corrente gasosa de produto (1 é seca por
20 passagem sobre uma peneira molecular antes da realização da etapa E).
8. Processo de acordo com quaisquer das reivindicações l a 7
caracterizado pelo fato que a corrente de gás contendo oxigênio usada na
etapa B) tem um teor de oxigênio de pelo menos 90% em volume.