Você está na página 1de 40

197

198
.

196

197
Menezes Cordeiro in TRATADO II, TOMO I, 2010. Contratos, Negócios Jurídicos Unilaterais p.548 Cfr
Manual de Direito bancário, 4ª ed. (2010), 671ss.
198
Adriano P. Da Silva Vaz Serra, in Contrato Promessa 1958, p.13.

Página 180 de 224


Página 181 de 224
199

oriundos.

199

Página 182 de 224


ou

nos a debruçar sobre o problema

Página 183 de 224


O contrato consiste num “acordo vinculativo, as

de interesses”. O contrato de opção de acordo com

200 201
. ,

202
.
203

200

201
Larenz II,§ 40º, III, 3.
202
Menezes Cordeiro in TRATADO II, TOMO I, 2010. Contratos, Negócios Jurídicos Unilaterais pag.537
203
M. Almeida Costa, Direito das Obrigações, 9ªed.,Coimbra, 2005 p.347.

Página 184 de 224


204
nov .

205

206

207

208

204
Tiago Soares da FonsecaDo contrato de opção| Esboço de uma teoria geral (2001), pag21.
205
Cfr, MATTHIAS CASPER, Der Optionvertrag (2005), XXIV + 515pp; quanto a origem da figura vide,
aí, 25, ss.
206
Vide notas de roda pé nº1941, pág.539 inMeneses Cordeiro, Tratado II, Tomo I 2010, Contratos,
Negócios Jurídicos Unilaterais.
207
Uma recepção é um fenómeno característico Juscultural. Consiste na adopção, por uma comunidade, de
elementos jurídicos próprios de outra, presente ou passada, com independência de situações de
denominação política ou económica, sobre a repção vide Meneses Cordeiro, DA BOA FÉ EM DIREITO
CIVIL, (colecção teses) Dissertação de Doutoramento em Ciências Jurídicas na FDUL.
208
Meneses Cordeiro, Tratado II, Tomo I 2010, Contratos, Negócios Jurídicos Unilaterais pág. 539.

Página 185 de 224


209
.

209
Menezes Cordeiro in TRATADO II, TOMO I, 2010. Contratos, Negócios Jurídicos Unilaterais pag.543.
nota de roda pé 1953.

Página 186 de 224


210

211
.

212
.

8. A função jurídico

210
Tiago Soares da Fonseca op. Cit. Pag.29 último paragrafo
211
O art. 93º do Anteprojecto brasileiro do Código das Obrigações (parte geral), de 1941, declara que «a
promessa unilateral de contrato vale, ao arbítrio de quem a recebe, dentro do prazo que lhe foi fixado».
212
Adriano P. Da Silva Vaz Serra, in Contrato Promessa 1958, pág.16.

Página 187 de 224


213

214

215

216

217
.

213

2
214
Meneses Cordeiro, Tratado II, Tomo I 2010, Contratos, Negócios Jurídicos Unilaterais pág 547.
215

216

217
Cfr STJ 12 de Fev.-2009 (Garcia Calejo), Proc.08A3940

Página 188 de 224


depois, como “faculdade de compra” (7º) e como “direito de (…) adquirir o bem locado,
preço estipulado”
218

219
.

220

221

222
.

218
Meneses Cordeiro, Tratado II, Tomo I 2010, Contratos, Negócios Jurídicos Unilaterais pág548.
219

220

221

222

Página 189 de 224


.

223

223
Ana Prata, in O contrato promessa e o seu regime civil, p.455.

Página 190 de 224


224
,
a

225

retro,

– –

226
.

224
Esta expressão pode aplicar-se também ao pacto pelo qual uma das partes (A) se obriga a dar preferência
à outra (B), se quiser alienar. Então Anão declara logo que vende a B, apenas se comprometendo a, se
quiser vender, dar preferência a B. Cfr Adriano P. Da Silva Vaz Serra, in Contrato Promessa 1958, nota
de roda pé (nº23) da pág.15.
225
Cfr Adriano P. Da Silva Vaz Serra, in Contrato Promessa 1958, pág.15.
226
Ver, sobre tudo isto, VON TUHR, Trat. de las oblig., trad. W. Roces, 32, II. Ver também exposição sobre
obrigação de preferência. Cfr Adriano P. Da Silva Vaz Serra, in Contrato Promessa 1958, nota de roda
pé (nº22) da pág.14.

Página 191 de 224


227

228

227
Tiago Soares da Fonseca op. Cit. Pág. 49.
228
Adriano P. Da Silva Vaz Serra, in Contrato Promessa 1958, nota de roda pé (nº30) da pág.17-18.

Página 192 de 224


229
.

Pactos de preferência são “os contratos pelos

contraente, no caso de se decidir a celebrar determinado negócio”. O pacto de opção não

230

231

232
.

229
Adriano P. Da Silva Vaz Serra, in Contrato Promessa 1958, nota de roda pé (30) da p.18.
230

231
CfrJ. Antunes Varela, Das Obrigações em geral, Vol I,10ªed (3ª reimprenssão da edição de 2000),
Coimbra, 2005, p.376.
232
CfrJ. Antunes Varela, Das Obrigações em geral, Vol I,10ªed (3ª reimprenssão da edição de 2000),
Coimbra, 2005,p.378.

Página 193 de 224


233

dele a um acontecimento futuro ou incerto, “


”234.

235
.

236

233
Carlos Alberto Da Mota Pinto, Teoria Geral do Direito Civil 3ª Edição Actualizada, coimbra Editora
Limitada, p.555.
234
Cfr Durval Ferreira, Negócio Jurídico Condicional, livraria Almedina Coimbra, 1998., p. 141.
235
Cfr Durval Ferreira, Negócio Jurídico Condicional, livraria Almedina Coimbra, 1998., p. 141. Afirma
mesmo que “ como esse facto é futuro e incerto, e como quanto ao futuro só há certeza da sua incerteza:
haverá um período de pendência e de incerteza em relação à verificação ou não verificação desse
facto.”
236
Ver arts. 1.331º, alínea 1 e art. 1339º, alínea 2, do Código italiano.

Página 194 de 224


237

são, pois,

238
.

239
.

osso ponto de

240
.

237
Ver De Ruggiero e Maroi, pág. 170, nota 3, passagem transcrita. Cfr Adriano P. Da Silva Vaz Serra, in
Contrato Promessa 1958, p.16.
238
Adriano P. Da Silva Vaz Serra, in Contrato Promessa 1958, nota de roda pé (30) da p.17.
239
Tiago Soares da Fonseca op. Cit. Pág.42-43.
240
Idem. P.43.

Página 195 de 224


241
.

242

243
.Assim a propost

241
Idem. P.43.
242
Adriano P. Da Silva Vaz Serra, in Contrato Promessa 1958, p.13.
243
Idem p.13.

Página 196 de 224


244

245

246

247

244
Ana Prata, in O contrato promessa e o seu regime civil,págs 451 e 454.
245

246
De Ruggiero e Maroi, pág.170, nota 3. Citam aqui, acerca do pacto de opção no novo Código, Messineo,
Dott. Gen. Delconttrato, págs. 180 e segss...
247
Meneses Cordeiro, Tratado II, Tomo I 2010, Contratos, Negócios Jurídicos Unilaterais pág539.

Página 197 de 224


248

249

250

251

e venda sujeita a prova

248

249

250
Idem pág. 39.
251

Página 198 de 224


252

253

social pelo menos até 2001 ano em que escreveu a obra “Do contrato de opção”.Também

254

252

253
Tiago Soares da Fonseca op. Cit. Pág.35 Cfr Pais de Vasconcelos, Contratos Atípicos,Livraria Almedina,
Coimbra, 1995 pp. 21-70
254
Tiago Soares da Fonseca op. Cit. Pág.35 Cfr…

Página 199 de 224


255

referência ao “tipo social” para, de imediato, as partes se reportarem a todo um conjunto

256 257

258
.

259
.

260
.

261

255
Menezes Cordeiro, Tratado II 4ª ed.2014, p.105
256
Menezes Cordeiro, in Direito Comercial, 3ª ed., 717ss.
257
Menezes Cordeiro, Manual de Direito Bancário, 4ª ed.., 505 ss..
258
Menezes Cordeiro, Tratado II 4ª ed.2014, p.105
259
Pedro Pais de Vasconcelos, in Contratos Atípicos. Pag.60.
260
Pedro Pais de Vasconcelos, in Contratos Atípicos. Pag.61.
261
Pedro Pais de Vasconcelos, in Contratos Atípicos. Pag.61. Cfr BOSETTI/GARGANI, IL contrato de
escavazionedel marmo pag.52, referem a natureza consuetudinária do tipo social do contrato de
escavação de mármore em Massa e Carrara. Sobre a relevância dos usos contratuais como factoresde
configuração de tipos contratuais, v. COSTANZA, IL contrato atípicopág.249 e ss.

Página 200 de 224


262

263

264

265
.

262
Pedro Pais de Vasconcelos, in Contratos Atípicos. Pag.61 Cfr BAPTISTA MACHADO, Sistema
Científico pag.25.
263
Pedro Pais de Vasconcelos, in Contratos Atípicos. Pag.61.
264
Calvão da Silva, Sinal e Contrato-Promessa, 9ª Edição Almedina pág.33.
265
Pedro Pais de Vasconcelos, in Contratos Atípicos. Pag.62. Cfr WESTERMANN,

Página 201 de 224


CORRÊA TELLES ao escrever que “as cláusulas que são de costume s
estipuladas”266

que é vulgarmente designado por “usos” ou por consequências usua

267
.

VertragsfreiheitundTypengesetzlichkeitpág 111-112. Betti, Teoria Geral, III págs. 371-376, exige que os
negócios legalmente atípicos sejam socialmente típicos para que sejam dignos de tulela jurídica.
266
Pedro Pais de Vasconcelos op. Cit p.63 CfrCORRÊA TELLES, Digesto Portuguez. I, § 386, pag. 64-65.
267
Tiago Soares da Fonseca op. Cit. Pág. 89.

Página 202 de 224


268

269

270

271

272
.

268
Calvão da Silva, Sinal e Contrato-Promessa, 9ª Edição Almedina pág 35.
269
Calvão da Silva, Sinal e Contrato-Promessa, 9ª Edição Almedina pág 35.
270
Calvão da Silva, Sinal e Contrato-Promessa, 9ª Edição Almedina pág 36.
271
Calvão da Silva, Sinal e Contrato-Promessa, 9ª Edição Almedina pág 36.
272
Calvão da Silva, Sinal e Contrato-Promessa, 9ª Edição Almedina pág 36.

Página 203 de 224


273

274

273
Pedro Pais de Vasconcelos, in Contratos Atípicos,p.464 Cfr Pires de Lima e Antunes Varela, Código Civil
Anotado pág.210.
274
Pedro Pais de Vasconcelos, in Contratos Atípicos, p.465

Página 204 de 224


275

276
.

275
Tiago Soares da Fonseca op. Cit. Pág. 63.
276
Tiago Soares da Fonseca op. Cit. Pág.60; Cfr Fernando Pessoa Jorge, in Lições de Direito das Obrigações,
1º Volume, Apontamentos Policopiados, A.A.F.D.L., Lisboa, 1966-67 pág.

Página 205 de 224


277

278

279

entende “dever sustentar se com a boa doutrina que o exercício do “direito de


opção”resultante da cláusula de um contrato básico, exercício este mediante o qual se

277
Ana Prata, in O contrato promessa e o seu regime civil, pág. 450 nota de roda pé (940).
278
Idem, pág. 450 nota de roda pé (940).
279
Ana Prata, in O contrato promessa e o seu regime civil, pág. 451, Cfr Baptista Machado, in Parecer sobre
reserva de opção, págs 236 a 239.

Página 206 de 224


contrato” , e justifica a sua posição com os seguintes argumentos: os preceitos imp
de forma “reportam se sempre (…) àquele contrato que constitui o fundamento jurídico
dos direitos e obrigações querido pelas partes” e aqui “o contrato principal ou básico é

beneficiário e do estado de sujeição da contraparte” “o exercício do direito de opção


emergente de um contrato não constitui um negócio autónomo”, a seu propósito só

no tempo”, deve se “conceber o exercício de um tal direito de opção como o

alteração jurídica)previsto no contrato principal e concluir mediante tal exercício,” não s

280

280
Meneses Cordeiro, Tratado II, Tomo I 2010, Contratos, Negócios Jurídicos Unilaterais pág544.

Página 207 de 224


281

282

283

284
.

281
Tiago Soares da Fonseca op. Cit. Pág. 62-64, Cfr Menezes Cordeiro, Tratado de Direito civil,op. cit.
p.300.
282
Cfr Giovanni Doria, I negozisull´ effettogiurídico (2000), 99ss. (quanto à tipologia).
283
Meneses Cordeiro, Tratado II, Tomo I 2010, Contratos, Negócios Jurídicos Unilaterais pág544 e 545.
284
Meneses Cordeiro, Tratado II, Tomo I 2010, Contratos, Negócios Jurídicos Unilaterais pág. 545.

Página 208 de 224


285
.

286
o

287

288

285
Idem p.545.
286
Meneses Cordeiro, Tratado II, Tomo I 2010, Contratos, Negócios Jurídicos Unilaterais pág543 Cfr
WERNER LORENZ, vorzugsrechebeimvertragsschluss, FS Dolle I (1963), 103-133 (118 e 131) e
APOSTOLOS GEORGIADES, OptinsvertragundOptionsrecht, FS Larenz 70. (1973), 409-431 (410
ss.).
287
Meneses Cordeiro, Tratado II, Tomo I 2010, Contratos, Negócios Jurídicos Unilaterais pag.543.
288
Ana Maria Correia Rodrigues Prata, O Contrato-promessa e o seu regime civil, pág.460 Cfr Francesco
Gazzoni, Obbligazioni e contratti, págs. 821 e 822.

Página 209 de 224


289

290

291
.

289
Meneses Cordeiro, Tratado II, Tomo I 2010,Cfr APOSTOLOS GEORGIDES
OptinsvertragundOptionsrecht, cit.416.
290
Meneses Cordeiro, Tratado II, Tomo I 2010,CfrTiago Soares da Fonseca, Do contrato de opção op. Cit.
Pág.71 ss. e 81 ss.
291
Adriano P. Da Silva Vaz Serra, in Contrato Promessa 1958, nota de roda pé (24) da p.15.

Página 210 de 224


292
. Se o

293

294
.

295

292
Meneses Cordeiro, Tratado II, Tomo I 2010,op.cit. pág.546.
293
Tiago Soares da Fonseca op. Cit. Pág.82-84. Menezes Cordeiro, Tratado de Direito Civil volume V,
Almedina 2011. Pág.280.
294
Sobre o abuso do direito, vd, entre outros, António Menezes Cordeiro, Tratado de Direito Civil volume
V, Almedina 2011, Da Boa Fé no Direito Civil, Colecção teses, Almedina, 2013.
295
Menezes Cordeiro, Tratado de Direito Civil volume V, Almedina 2011. Pág.280.

Página 211 de 224


296

297
, que “exige que a pessoa

protecção”298
Direito, “o exercício de uma posição jurídica em contradição com uma conduta antes
assumida ou proclamada pelo agente”299
factumproprium,éobjectiva: “não se requer culpa, por parte do titular exercente, na
ocorrência da contradição”300.

Nas palavras de Carlos Da Mota Pinto: “Uma manifestação especialmente relevante do

é o princípio da confiança.(…)

do caso concreto”301
302
.

303

296
Menezes Cordeiro, Tratado de Direito Civil volume V, Almedina 2011. Pág.280.
297
Sobre a ``tutela da confiança´´, vd., entre outros, Manuel Carneiro da Frada, Teoria da Confiança e
Responsabilidade Civil, p. 431 e ss.
298
Menezes Cordeiro, Tratado de Direito Civil volume V, Almedina 2011. Pág.293.
299
Menezes Cordeiro, Tratado de Direito Civil volume V, Almedina 2011. Pág.275.
300
Idem.
301
CARLOS DA MOTA PINTO, Teoria Geral do Direito Civil, 4ª ed. (por António Pinto Monteiro e Paulo
da Mota Pinto) p.127.
302
Menezes Cordeiro, Tratado de Direito Civil volume V, Almedina 2011. Pág.281.
303
Vaz Serra,, O Abuso do Direito em matéria de Responsabilidade Civil. In BMJ nº 85- 1959. Pág. 245.

Página 212 de 224


304
.

305

306

.,

307

304
Vaz Serra,, O Abuso do Direito em matéria de Responsabilidade Civil. In BMJ nº 85- 1959. Pág. 316.
Ver também exposição deste autor sobre responsabilidade de terceiros no não-cumprimento de
obrigações.
305
Idem, p.316, nota (130).
306
Vaz Serra,, O Abuso do Direito em matéria de Responsabilidade Civil. In BMJ nº 85- 1959. Pág. 317.
307
Idem, nota de roda pé (131) da p.317.

Página 213 de 224


308

.g.,

309
.

“consiste em reconduzir uma


alidade ao conceito da ciência jurídica”310

308
Idem, nota de roda pé (131) da p.317.
309
Idem, p. 317.
310
Aula Ministrada no dia 21 de Novembro de 2013.

Página 214 de 224


311

312

313

314

311
Cfr Matthias Casper, Der option vertrag. Cit. Pág.42 ss
312
Cfr Ernest A. Kramer, no Muchenerkommentar 1, 5ª ed. (2006), prenot. § 145, Nr – 59-63 (60-61) BGH
21 Abr- 1967, BGHZ 47 (1967), 387-393( 388) e BGH 7- Abr- 1978, BGHZ 71 (1978) 276- 284 (280).
313
Cfr Matthias Casper, Der option vertrag. Cit. Pág.46 ss, 49 e 48.
314

Página 215 de 224


315

316

317
.

318 319
. .

320
.

s nossa mais

315

316

317
CfrMatthiasCasper, Der optionvertrag. Cit. p.49.
318
Idem p.66 e 73-74.
319

320

Página 216 de 224


05.

Machado

Página 217 de 224


- Responsabilidade de terceiros no não-cumprimento de obrigações;
1959.

Página 218 de 224