Você está na página 1de 44

REFORMA TRABALHISTA

o que mudou?

Realização:

REFORMA TRABALHISTA o que mudou?


Índice
Dicas ..................................................................................................... 3 Intervalo (almoço/jantar) – Supressão ................................................ 24
Introdução ............................................................................................. 4 Jornada 12X36 ................................................................................... 25
Aplicação Direito Comum ..................................................................... 5 Justa Causa por Perda de Habilitação de Trabalho ........................... 26
Arbitragem ............................................................................................. 6 Lactantes ............................................................................................. 27
Autônomos ............................................................................................ 7 Multa por Ausência de Registro ......................................................... 28
Banco de Horas (compensação de horas extras em folga) ................. 8 Plano de Demissão Voluntária ou Incentivada ................................... 29
Comissão de Empregados ................................................................... 9 Prazo para Pagamento de Verbas Rescisórias .................................. 30
Contrato de Tempo Parcial ................................................................. 10 Prescrição Intercorrente ...................................................................... 31
Contrato de Trabalho com Nível Superior .......................................... 11 Prescrição para Créditos Trabalhistas ................................................ 32
Contribuição Sindical .......................................................................... 12 Prestação de Serviços de Terceiros .................................................... 33
Convenção Coletiva ou Acordo Coletivo de Trabalho ........................ 13 Remuneração ...................................................................................... 34
Dano Extrapatrimonial (Dano Moral) .................................................. 14 Rescisão por Comum Acordo ............................................................. 35
Demissão Coletiva sem Justa Causa ................................................. 15 Salário Utilidade .................................................................................. 36
Deslocamento (Horas in “itinere”) ....................................................... 16 Sócio Retirante .................................................................................... 37
Equiparação Salarial ........................................................................... 17 Sucessão Empresarial ........................................................................ 38
Férias .................................................................................................. 18 Teletrabalho (Home-Office) ................................................................. 39
Gratificação de Função (Retorno à função anterior) .......................... 19 Tempo de Serviço Efetivo ................................................................... 40
Grupo Econômico ............................................................................... 20 Termo de Quitação Anual .................................................................... 41
Homologação ..................................................................................... 21 Trabalho Intermitente . ......................................................................... 42
.

Horas Extras por Necessidade Imperiosa ......................................... 22 Uniforme .............................................................................................. 43


Insalubridade para Gestantes e Lactantes ......................................... 23
REFORMA TRABALHISTA o que mudou?
Dicas
Olá!
Este eBook é interativo. Por isso, fique atento aos ícones abaixo que te permitirão navegar entre as páginas deste
conteúdo ou consultar outros materiais de referência que podem aprofundar o seu entendimento sobre o tema.

Vá diretamente para o Índice deste eBook

Utilize as setas para avançar ou retroceder as páginas

Abra a legislação citada diretamente no site oficial do Planalto

Este arquivo está em formato A4 e, se desejar, você também poderá imprimir para utilizar no seu dia a dia.
Contribua com este eBook, envie seus elogios, críticas ou sugestões para comunicacao@setcesp.org.br.
Boa leitura!

3 REFORMA TRABALHISTA o que mudou?


Introdução
As novas regras da legislação trabalhista entrarão em vigor em 11 de
novembro de 2017 e vão modernizar as relações de trabalho, além de
incentivar a economia por meio de novas formas de contratação formal
e garantir maior segurança jurídica para as empresas.

E, para que você entenda exatamente o que mudou, o SETCESP


reuniu e explicou os principais temas alterados pela
Reforma Trabalhista aprovada pela Lei 13.467
de 13 de julho de 2017.

Mas fique atento, este conteúdo é complementar e não dispensa a


consulta à legislação original.

Em caso de dúvidas, entre em contato com o SETCESP:


(11) 2632.1005 ou 2632.1038
juridico@setcesp.org.br

4 REFORMA TRABALHISTA o que mudou?


Aplicação Direito Comum
Artigo 8, par.1º, 2 e 3º

COMO ERA? COMO FICOU?


O direito comum será fonte O direito comum continua sendo fonte subsidiária do direito do trabalho.
subsidiária do direito do Entretanto a jurisprudência trabalhista não poderá restringir direitos
trabalho, naquilo em que não for previstos em lei e nem criar obrigações que também não estejam previstas
incompatível com os princípios em lei. A justiça do trabalho no exame de convenção coletiva ou acordo
fundamentais deste.
coletivo de trabalho se aterá a verificar somente se o agente é capaz, o
objeto é lícito, se é possível, determinado ou indeterminável e se está na
forma prevista ou não em lei.

5 REFORMA TRABALHISTA o que mudou?


Arbitragem
Artigo 507-A

COMO ERA? COMO FICOU?


Não estava previsto para ações Contratos individuais poderão prever cláusula de arbitragem nos termos da
individuais. Lei 9.307/96 caso a remuneração do empregado seja superior a 2x o teto
da previdência (R$11.062,62 em ago/2017), desde que tenha a expressa
concordância do empregado.

6 REFORMA TRABALHISTA o que mudou?


Autônomos
Artigo 442-B

COMO ERA? COMO FICOU?


Não estava previsto. Desde que o prestador de serviços siga as determinações legais que
definem a forma da realização do trabalho, não há vínculo empregatício.

7 REFORMA TRABALHISTA o que mudou?


Banco de Horas (compensação de horas extras em folga)
Artigo 59, 59-A, 59-B e 59-C

COMO ERA? COMO FICOU?


Somente através de acordo ou Permitido até 2 horas extras por dia.
convenção coletiva de trabalho, Três formas de banco de horas: 1) dentro do mesmo mês de realização
podendo ser compensado até o
das horas sem necessidade de acordos formais; 2) em até 6 meses por
prazo de 1 ano.
acordo individual formal; 3) em até 1 ano por acordo ou convenção
coletiva.
* Para o motorista profissional, o banco de horas continua sendo permitido
somente por acordo ou convenção coletiva de trabalho.
Em caso de rescisão, o empregador pagará o saldo das horas não
compensadas calculadas pelo no salário do empregado na data da
rescisão.

8 REFORMA TRABALHISTA o que mudou?


Comissão de Empregados
Artigo 510

COMO ERA? COMO FICOU?


Não estava previsto. Empresas com mais de 200 funcionários deverão eleger uma comissão de
empregados para debater e negociar decisões e solicitações diretamente
com a direção da empresa. Tais empregados serão eleitos, variando de 3 a
7 membros, conforme a quantidade de empregados total da empresa, e
terão garantia de emprego com mandato de 1 ano sem direito a reeleição
imediata.

9 REFORMA TRABALHISTA o que mudou?


Contrato de Tempo Parcial
Artigo 58-A, par. 3, 4, 5, 6 e 7

COMO ERA? COMO FICOU?


Jornada de trabalho de até 25 Jornada de trabalho máxima de 30 horas semanais sem permissão para
horas semanais sem permissão hora extra OU máximo de 26 horas semanais com até 6 horas extras
de realizar hora extra. remuneradas à 50%.
Férias proporcionais sem direito Férias integrais com direito ao abono de 1/3 (não se aplica mais o artigo
ao abono de 1/3.
130-A e sim o artigo 130).

10 REFORMA TRABALHISTA o que mudou?


Contrato de Trabalho com Nível Superior
Artigo 444, par.único

COMO ERA? COMO FICOU?


Contrato de trabalho que Contrato de trabalho com ampla liberdade de formalização se sobrepondo
poderia ser realizado com a acordos e convenção coletiva de trabalho desde que o empregado tenha
qualquer empregado nível superior completo e remuneração superior a 2x o teto da previdência
respeitadas as regras de (R$11.062,62 em ago/2017).
proteção ao trabalho, CCT e
decisões competentes.

11 REFORMA TRABALHISTA o que mudou?


Contribuição Sindical
Artigo 579

COMO ERA? COMO FICOU?


Desconto obrigatório de 1 dia de A contribuição deixa de ser obrigatória e só pode ser descontada do salário
trabalho por ano calculado sobre com autorização formal do empregado. No caso das empresas, o
o salário do mês de março; no pagamento é opcional.
caso das empresas calculado
sobre o capital social.

12 REFORMA TRABALHISTA o que mudou?


Convenção Coletiva ou Acordo Coletivo de Trabalho
Artigo 611

COMO ERA? COMO FICOU?


Possuia somente caráter Prevalece sobre a lei quando acordado com o sindicato laboral no caso
normativo. dos seguintes direitos:
• jornada de trabalho • troca de dias de feriados
• banco de horas • Insalubridade
• descanso para refeição • prorrogação da jornada em
• plano de cargos e salários ambiente insalubre
• regulamento da empresa • programas de incentivo internos e
• comissões interna de participação nos lucros e
representantes dos empregados resultados
• remuneração por produtividade • Programa Seguro-Emprego
(redução provisória do salário com
• Teletrabalho
garantia de emprego)
• sobreaviso
• trabalho intermitente

O artigo 611-B informa o que não pode ser negociado.


13 REFORMA TRABALHISTA o que mudou?
Dano Extrapatrimonial (Dano Moral)
Artigo 223-A a 223-G

COMO ERA? COMO FICOU?


Não estava previsto. Aplica-se a ofensa à pessoa física nos seguintes quesitos: honra, imagem,
intimidade, liberdade de ação, autoestima, sexualidade, saúde, lazer e
integridade física; e jurídica nos seguintes quesitos: imagem, marca, nome,
segredo empresarial e sigilo da correspondência.
A indenização à parte ofendida será calculada considerando o nível de
gravidade e a última remuneração do empregado.

14 REFORMA TRABALHISTA o que mudou?


Demissão Coletiva sem Justa Causa
Artigo 477-A

COMO ERA? COMO FICOU?


Não estava previsto. Não há necessidade de autorização prévia do Ministério do Trabalho e
nem dos sindicatos (laboral / patronal).

15 REFORMA TRABALHISTA o que mudou?


Deslocamento (Horas in “itinere”)
Artigo 58, par.2º

COMO ERA? COMO FICOU?


Fazia parte da jornada quando o O tempo de deslocamento entre a residência e o local de trabalho não é
local de trabalho fosse considerado como jornada de trabalho independentemente do meio de
considerado de difícil acesso, locomoção, tanto na ida quanto no retorno.
não servido por transporte
público ou o empregador
fornecesse a condução.

16 REFORMA TRABALHISTA o que mudou?


Equiparação Salarial
Artigo 461, “caput”, par.1º, par.5º e 6º

COMO ERA? COMO FICOU?


Para a mesma função e A expressão "na mesma localidade" foi substituída por "no mesmo
atividade no mesmo estabelecimento empresarial". Além disso, para que haja equiparação, é
empregador, na mesma necessário que o empregado a que se faz a comparação não tenha tempo
localidade, deverá ser pago o de empresa superior a 4 anos e a diferença de tempo na função não seja
mesmo salário, sem distinção de
superior a 2 anos.
sexo, etnia, nacionalidade ou
idade.
Permitido salários distintos caso
haja diferença superior a 2 anos
de contratação entre os
empregados.

17 REFORMA TRABALHISTA o que mudou?


Férias
Artigo 134

COMO ERA? COMO FICOU?


Concedidas em um único Pode ser fracionada em até 3 períodos, sendo que um deles não poderá
período de 20 ou 30 dias. ser menor que 14 dias corridos e os demais não poderão ser inferiores a 5
dias corridos, cada um. Inclusive para menores de 18 anos e aos maiores
de 50 anos.
Não pode iniciar nos 2 dias anteriores a feriados e DSR.

18 REFORMA TRABALHISTA o que mudou?


Gratificação de Função (Retorno à função anterior)
Artigo 468

COMO ERA? COMO FICOU?


É irredutível se a gratificação da Independentemente do tempo na função, se houver retorno à função
função for recebida por mais de anterior, poderá ser suprimida a gratificação de função.
10 anos ou o empregado se
mantiver na função
comissionada.

19 REFORMA TRABALHISTA o que mudou?


Grupo Econômico
Artigo 2, par.3º

COMO ERA? COMO FICOU?


Há solidariedade das obrigações A solidariedade dentro do mesmo grupo econômico continua, porém não
trabalhistas para empresas do fica restringida a sua caracterização quando houver mera identidade de
mesmo grupo econômico. sócios. Para que tal ocorra, tem que ser demonstrada, também, a
configuração do grupo, o interesse integrado, comunhão de ação
empresarial e a atuação conjunta das empresas integrantes do grupo.

20 REFORMA TRABALHISTA o que mudou?


Homologação
Artigo 477, par.1º (revogação)

COMO ERA? COMO FICOU?


Homologação obrigatória no A homologação deixa de existir, independente do tempo de serviço.
sindicato laboral ou no Ministério A anotação de baixa na carteira de trabalho é suficiente para o empregado
do Trabalho para empregados
requerer o seguro-desemprego e movimentar a conta vinculada do FGTS
com mais de 1 ano de trabalho.
(Art.477, par.4º e 6º).

21 REFORMA TRABALHISTA o que mudou?


Horas Extras por Necessidade Imperiosa
Artigo 61, par.1º

COMO ERA? COMO FICOU?


Necessária a comunicação ao Não é mais necessária a comunicação ao Ministério do Trabalho e pode
Ministério do Trabalho em até 10 ser exigida independentemente de convenção coletiva ou acordo coletivo
dias.

22 REFORMA TRABALHISTA o que mudou?


Insalubridade para Gestantes e Lactantes
Artigo 394-A

COMO ERA? COMO FICOU?


Afastamente total das atividades O afastamento da gestante/lactante acontece de acordo com o grau de
insalubres ou adequação das insalubridade e recomendação médica, sendo que a empregada
atividades da gestante / lactante continuará recebendo o respectivo adicional durante o afastamento.
para um local salubre.
O adicional de insalubridade pago poderá ser compensado na contribuição
previdenciária.

23 REFORMA TRABALHISTA o que mudou?


Intervalo (almoço/jantar) - Supressão
Artigo 71, par.4º

COMO ERA? COMO FICOU?


Quando não for feito totalmente Quando não for concedido totalmente ao empregado pelo empregador,
pelo empregado, gera o implica no pagamento, como indenização, do adicional de 50% apenas do
pagamento adicional de 50% período que faltar para completar o tempo total do intervalo.
sobre o período total do
intervalo.

24 REFORMA TRABALHISTA o que mudou?


Jornada 12x36
Artigo 59-A e 60

COMO ERA? COMO FICOU?


Prevista somente para o Pode ser aplicada para todos as funções sem a necessidade de
motorista profissional (artigo autorização prévia do Ministério do Trabalho desde que esta jornada esteja
235-F da CLT). prevista em acordo individual escrito, convenção coletiva ou acordo
coletivo de trabalho.
Para o motorista profissional continua valendo o artigo 235-F da CLT que
permite esta jornada somente por convenção coletiva.

25 REFORMA TRABALHISTA o que mudou?


Justa Causa por Perda de Habilitação de Trabalho
Artigo 482-M

COMO ERA? COMO FICOU?


Não estava previsto. Há justa causa caso o empregado perca de forma dolosa a habilitação
profissional necessária para exercício das atividades para a qual foi
contratado (Ex: CNH, CRM, OAB etc).

26 REFORMA TRABALHISTA o que mudou?


Lactantes
Artigo 396

COMO ERA? COMO FICOU?


Intervalo de dois períodos de 30 O intervalo de 1 hora por dia permanece, porém a forma de descanso
minutos cada por dia até que o poderá ser negociada diretamente entre a empregada e o empregador.
bebê complete 6 meses.

27 REFORMA TRABALHISTA o que mudou?


Multa por Ausência de Registro
Artigo 47, caput, par.1, par.2º e 47-A

COMO ERA? COMO FICOU?


Multa por empregado não Multa por empregado não registrado ou reincidência: R$800,00 para micro
registrado ou reincidência: 1 e pequenas empresas, R$3.000 para demais empresas.
salário mínimo regional.
Multa por falta de registro de dados funcionais: R$600,00 por empregado.

28 REFORMA TRABALHISTA o que mudou?


Plano de Demissão Voluntária ou Incentivada
Artigo 477-B

COMO ERA? COMO FICOU?


Não estava previsto. Sua adoção pode ser feita somente por meio de acordo ou convenção
coletiva e implicará na quitação plena e irrevogável dos direitos
decorrentes da relação empregatícia, salvo disposição em contrário feita
pelas partes.

29 REFORMA TRABALHISTA o que mudou?


Prazo para Pagamento de Verbas Rescisórias
Artigo 477, par.4º e 6º

COMO ERA? COMO FICOU?


Até o 1º dia útil após ao término Até 10 dias a partir do término do contrato.
do contrato ou até o 10º dia
após a data da notificação da
demissão sem o cumprimento
do aviso prévio.

30 REFORMA TRABALHISTA o que mudou?


Prescrição Intercorrente
Artigo 11-A

COMO ERA? COMO FICOU?


Não estava previsto. Pode ser solicitada ou declarada a qualquer momento quando o exequente
do processo deixa de cumprir uma determinação judicial no curso da
execução dentro do prazo de 2 anos.

31 REFORMA TRABALHISTA o que mudou?


Prescrição para Créditos Trabalhistas
Artigo 11

COMO ERA? COMO FICOU?


Trabalhador urbano: 5 anos até Trabalhador urbano e rural: 5 anos até o limite de 2 anos após o término
o limite de 2 anos após o do contrato de trabalho.
término do contrato de trabalho.
Trabalhador Rural: 2 anos após
o término do contrato de
trabalho.

32 REFORMA TRABALHISTA o que mudou?


Prestação de Serviços de Terceiros
Artigo 4º-A da Lei 13.467/2017 - alterações na Lei 6019/74

COMO ERA? COMO FICOU?


Pessoa jurídica destinada a Considera-se prestação de serviços a terceiros a transferência feita pela
prestar à contratante serviços contratante à outra pessoa jurídica da execução de quaisquer de suas
determinados e específicos. atividades, inclusive sua atividade principal.
Os empregados da empresa terceirizada deverão ter acesso às mesmas
condições dos empregados da contratante, quando os serviços forem
executados nas dependências da contratante, em relação à alimentação,
transporte, atendimento médico ou ambulatorial, treinamento, proteção à
saúde, segurança no trabalho.
A empresa terceira poderá pertencer à ex-empregados da contratante
somente se estes forem aposentados ou tiverem encerrado seu contrato
de trabalho há mais de 18 meses.

33 REFORMA TRABALHISTA o que mudou?


Remuneração
Artigo 457

COMO ERA? COMO FICOU?


A remuneração inclui o salário A remuneração inclui somente o salário nominal, gratificações e
nominal, gorjetas, comissões, comissões.
percentagens, gratificações,
Outras verbas como ajuda de custo, auxílio-alimentação, diárias de
diárias de viagem e abonos.
viagem, prêmios e abonos, ainda que habituais, não se incorporam à
remuneração e, por isso, não há incidência de encargo trabalhista ou
previdenciário.
As verbas do auxílio alimentação não poderão mais ser pagas em dinheiro.

34 REFORMA TRABALHISTA o que mudou?


Rescisão por Comum Acordo
Artigo 484-A

COMO ERA? COMO FICOU?


Não estava previsto. Empregado e empregador podem rescindir o contrato de trabalho por
acordo, sendo que neste caso, será devido pela metade o aviso prévio, se
indenizado; 20% de multa rescisória; pagamento integral das demais
verbas; saque de 80% do saldo do FGTS depositado pelo empregador e
não há direito ao seguro desemprego.

35 REFORMA TRABALHISTA o que mudou?


Salário Utilidade
Artigo 458

COMO ERA? COMO FICOU?


Considera-se como salário as Assistência médica, odontológica e os respectivos reembolsos inerentes a
verbas referentes a alimentação, estes serviços, inclusive aparelhos médicos (óculos, cadeiras de rodas,
habitação, vestuário ou outros próteses e etc), não compõem o salário.
auxílios que a empresa fornecer
habitualmente ao empregado.

36 REFORMA TRABALHISTA o que mudou?


Sócio Retirante
Artigo 10-A

COMO ERA? COMO FICOU?


Não estava previsto. Responde subsidiariamente pelos débitos trabalhistas da empresa até dois
anos após ter saído oficialmente da sociedade.
Se houver fraude na alteração societária, passará a responder
solidariamente.

37 REFORMA TRABALHISTA o que mudou?


Sucessão Empresarial
Artigo 448-A

COMO ERA? COMO FICOU?


Previa apenas o não impacto Quem compra a empresa assume todas as obrigações trabalhistas e
nos contratos de trabalho. haverá solidariedade com a empresa sucedida quando houver
comprovada fraude na transferência.

38 REFORMA TRABALHISTA o que mudou?


Teletrabalho (Home-Office)
Artigo 75-A a 75-E

COMO ERA? COMO FICOU?


Não estava previsto. É o trabalho feito fora do estabelecimento do empregador, não se
constituindo como trabalho externo, através de uso de tecnologias de
informação e de comunicação.
O empregado assina termo de responsabilidade comprometendo-se a
seguir as instruções fornecidas pelo empregador.

39 REFORMA TRABALHISTA o que mudou?


Tempo de Serviço Efetivo
Artigo 4, par.2º

COMO ERA? COMO FICOU?


Todo o tempo em que o Não é considerado "tempo a disposição do empregador" quando o
empregado estiver à disposição empregado se mantiver nas dependências da empresa por motivos de
do empregador, executando ou clima, insegurança ou razões particulares.
aguardando ordens.
Somente se a empresa exigir formalmente que a troca de roupa/uniforme
seja feita dentro de suas dependências este período será considerado
"tempo à disposição do empregador".

40 REFORMA TRABALHISTA o que mudou?


Termo de Quitação Anual
Artigo 507-B

COMO ERA? COMO FICOU?


Não estava previsto. É uma liberalidade que o empregado e o empregador tem de quitar
anualmente as obrigações trabalhistas, que terão quitação anual de todas
as verbas especificadas no termo com efeitos a favor do empregador na
justiça do trabalho.

41 REFORMA TRABALHISTA o que mudou?


Trabalho Intermitente
Artigo 443 e 452-A

COMO ERA? COMO FICOU?


Não estava previsto. Permite contratar conforme a demanda da empresa, alternando períodos
com e sem prestação de serviços, porém com as mesmas regras de
subordinação e vínculo empregatício.
O contrato deve ser formal e constar o valor da hora trabalhada.
O empregado terá direito a férias integrais de 30 dias a cada 12 meses,
período no qual não poderá ser convocado, e poderá manter contrato de
trabalho intermitente com diversas empresas.
A convocação do empregado deverá ser feita com no mínimo 3 dias
corridos de antecedência ao início da atividade e o empregado tem 1 dia
útil para aceitar ou não a convocação.
Após formalizada a convocação e/ou o aceite, a parte que desistir pagará
a outra parte multa de 50% do valor acordado para a remuneração.
Ao final de cada período de prestação de serviços, a empresa deverá
pagar ao empregado, proporcionalmente: salário, férias, 13º, DSR,
adicionais legais, FGTS, contribuição previdenciária.
42 REFORMA TRABALHISTA o que mudou?
Uniforme
Artigo 456-A

COMO ERA? COMO FICOU?


Não estava previsto. O empregador pode incluir logomarcas de seus parceiros comerciais no
uniforme sem que isso caracterize vínculo empregatício dos empregados
com estas empresas.
O cuidado e a limpeza do uniforme é de responsabilidade do empregado.

43 REFORMA TRABALHISTA o que mudou?


Siga-nos
e fique por dentro das nossas ações!

Sobre o SETCESP - Fundado em 1936, o SETCESP – Sindicato das Empresas de


Transporte de Carga de São Paulo e Região é fruto da união de empresários do Transporte
Rodoviário de Cargas (TRC) atuantes na rota entre São Paulo e Santos, que necessitavam de
uma entidade que fosse intérprete central da luta pelos direitos do segmento. Hoje, com 81 anos,
é o maior sindicato patronal do setor na América Latina e protagonista de uma história com
grandes conquistas e credibilidade reconhecida por transportadores, órgãos governamentais e
representantes da esfera política. Sempre atualizado nas constantes demandas do TRC, o
SETCESP vem sendo crucial e atuante para o desenvolvimento da categoria, não apenas para os
50 municípios que representa na grande região metropolitana de São Paulo, mas também para
todo o Brasil. Além disso, a entidade oferece total apoio às mais de 21.000 empresas associadas
com informações atualizadas, estudos técnicos, treinamentos, palestras, consultorias jurídica,
econômica e operacional, entre outros serviços.

REFORMA TRABALHISTA o que mudou?