Você está na página 1de 55

ANAIS DO SIDIALE: RESUMOS

IV Simpósio ProfLetras/UENP
&
II SIDIALE - Simpósio Diálogos Linguísticos e Ensino

Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP) Campus de Cornélio


Procópio

08 a 10 de outubro de 2018

Editoração:
Letícia J. Storto & Samandra de Andrade Corrêa

Realização:

Apoio:
COORDENAÇÃO GERAL
Profa. Dra. Eliana Merlin Deganutti de Barros

COMISSÃO ORGANIZADORA
Eliana Merlin Deganutti de Barros
Gabriela Martins Mafra
Jakeline Aparecida Semechechem
Letícia Jovelina Storto
Lívia Maria Turra Basseto
Marilúcia Domingos dos Santos Striquer
Osnir Branco
Paula Elisie Madoglio Izidoro
Vanessa Santos Fonteque

COMISSÃO TÉCNICA
Daniela Monica Cabral
Beatriz Carolini Bento Xavier

COMISSÃO CIENTÍFICA
Maria Ilza Zirondi
Bruna Carolini Barbosa
Leticia Jovelina Storto
Samandra de Andrade Corrêa

MONITORES
Camila da Silva Pelizari
Danielle Felicio
Gabriela Pepis Belinelli
Leticia Vidotti dos Santos
Mariana Helena Delavia
Natalia Prado Xiriqueira
Nathalia de Souza Toncovitch

Carga Horária: 36 horas

RESUMOS Página 3
UNIVERSIDADE ESTADUAL DO NORTE DO PARANÁ – UENP

Campus de Cornélio
Procópio PR 160, Km 0
(saída para Leópolis)
Cornélio Procópio,
PR Fones: (43) 3904-1906;
3904-1907

MAIORES
INFORMAÇÕES:
http://sidiale.webnode.co
m sidiale.com

ANAIS DO SIDIALE:
http://anaisdosidiale.webnode.c
om

E-MAIL:
sidiale@uenp.edu.br

■ Os textos aqui publicados são de responsabilidade exclusiva de seus autores.

RESUMOS Página 4
RESUMOS Página 5
OBSERVAÇÃO

Para encontrar um autor ou trabalho, digitar CTRL + L.

RESUMOS Página 6
APRESENTAÇÃO

Assim como aconteceu em 2017, em 2018, o Simpósio PROFLETRAS/UENP se


articula ao SIDIALE – Simpósio Diálogos Linguísticos e Ensino –, evento criado pelo
Grupo de Pesquisa (CNPq) DIALE, liderado pelas Profas. Dras. Eliana Merlin Deganutti de
Barros e Letícia Jovelina Storto.
O grupo DIALE - Diálogos Linguísticos e Ensino (UENP/ CNPq) desenvolve pesquisas
em duas linhas, uma que se dedica aos estudos analíticos do texto e do discurso, outra que
foca tanto o ensino e aprendizagem da Língua Portuguesa, como língua materna, como a
formação do professor. Ambas as linhas têm como escopo uma visão enunciativa da
linguagem e sociointeracional do ensino e aprendizagem. Este simpósio reúne
pesquisadores desse e de outros grupos de pesquisa que se interessam pela pesquisa a
respeito de linguagem, ensino etc
O IV Simpósio do PROFLETRAS (Mestrado Profissional em Letras em Rede
Nacional) da Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP) tem por finalidade
apresentar e debater as pesquisas desenvolvidas por mestrandos do Programa. O evento
também objetiva ser um espaço de discussão de estudos sobre o ensino-aprendizagem e
formação do professor de língua portuguesa e literatura, promovendo palestras de
pesquisadores da área.
É nesse sentido que o Simpósio PROFLETRAS/UENP se articula ao SIDIALE, em
sua segunda edição, o qual busca fomentar pesquisas na área dos Estudos da Linguagem,
tendo como escopo estudos tanto de fenômenos linguísticos diversos e como da língua
como objeto de ensino-aprendizagem. Sendo assim, o SIDIALE vai ao encontro das
discussões empreendidas no PROFLETRAS. O evento conjunto se destina, assim, a
professores, alunos (graduação ou pós-graduação) e pesquisadores da área de Letras, com
ênfase na área de ensino da língua portuguesa e literatura. Destacamos nosso interesse
pelos profissionais da Educação Básica, pois o foco é, sobretudo, a simbiose inerente entre
teoria e prática docente.

RESUMOS Página 7
RESUMOS DOS MINICURSOS

TECNOLOGIAS EM TEMPOS DIGITAIS: TECNOLOGIAS PARA ENSINAR E APRENDER

Prof. Dr. Sergio Vale Paixão (IFPR)

O conceito de escola e de prática educacional tem mudado nas últimas décadas, visto que a
escola saiu da formação erudita para a construção de habilidades. Nesse caminho, a participação
dos sujeitos em práticas tecnológicas e digitais passou a ganhar ênfase, na medida em que
diferentes grupos antes excluídos agora se encontram contemplados por políticas públicas de
educação. Assim, a construção de caminhos para a atuação profissional constituem uma
necessidade e um desafio ao qual o pensar pedagógico deve oferecer soluções. Para tanto,
tecnologias digitais, práticas e concepções de ensino estão resultando em práticas educacionais
cada vez mais emancipatórias e participativas. Ante a complexidade do fluxo de informações e a
capacidade de influenciar hábitos promovidos pelas tecnologias, novos gêneros textuais são
produzidos para atender às novas demandas. Para encurtar as fronteiras entre escola e
sociedade, os usos digitais da leitura e da escrita vêm sendo a principal ferramenta nesse
processo que tanto é inclusivo como capacitador. A presente proposta de curso tem por objetivo
problematizar e dialogar sobre práticas pedagógicas em que o uso de tecnologias no ensino de
Língua Portuguesa é instrumento e meio de trabalho em sala de aula

ABORDAGENS TEORICO METODOLOGICAS: A ESCRITA NO CONTEXTO DA EDUCAÇÃO

Profa. Mda. Gabriela Martins Mafra (UNICENTRO)


Profa. Mda. Ana Paula Costa Furman (UNICENTRO)

Um discurso já generalizado no meio educacional trata-se do ensino de línguas por meio dos
gêneros textuais/discursivos. No entanto, essa prática, muitas vezes, não está devidamente
pautada em perspectivas teórico-metodológicas sólidas. A partir dessa problemática, pretendemos
delinear possíveis percursos para um trabalho efetivo no que tange a abordagem dos gêneros,
direcionando nossas discussões para o ensino da produção textual, com foco nos processos de
revisão e reescrita, no âmbito da Educação Básica. Para tanto, faremos este percurso voltado ao
ensino e aprendizagem de língua materna, tecendo aproximações entre os pressupostos
bakhtinianos e a ciência do humano, o Interacionismo Sociodiscursivo. No que concerne o ensino
da produção textual, pautamo-nos na concepção de escrita como trabalho, conforme Fiad e
Mayrink-Sabinson (1991), e, em relação à revisão e reescrita, tomamos como embasamento os
estudos de Serafini (1998), Menegassi (1998), Ruiz (2001) e Gonçalves (2013). Com isso,
almejamos contribuir com reflexões acerca do ensino e aprendizagem de Língua Portuguesa,
principalmente, no diz respeito ao trabalho com a produção textual escrita na Educação Básica.

RESUMOS Página 8
ENSINO DE LINGUAS EM DIFERENTES CONTEXTOS: DESAFIOS E
POSSIBLIDADES DE PROCESSOS DE LETRAMENTO

Prof. Ma. Itamara Peters

O ensino de línguas por si só já se constitui em um grande desafio para os docentes, analisar e


compreender esse processo em contexto diferenciado da sala de aula convencional exige um
processo mais amplo de reflexão sobre o objeto de estudo e sobre o contexto do processo de
ensino. Tomando como objeto de estudo a educação inclusiva e os diferentes contextos de
atuação docente propomos discutir de modo mais amplo, que possibilidades de ensino o professor
de línguas tem ao adentrar em um contexto diferenciado, que habilidades e domínios lhe são
exigidos e que perfil docente se pode pensar para atuação num contexto complexo e diferenciado.
Elencamos como base teórica para discussão os estudos sobre processos de letramento
desenvolvidos por (SOARES, 2004; KLEIMAN, 1995, 2005, 2007; ROJO, 2015; MOLLICA, 2012;
STREET, 2014), conceitos e discussões sobre educação especial e inclusiva realizados por
(LEPRE, 2007; MANTOAN,1997,1998,2015; MOLLICA, 2012,2014, BATISTA JR, 2008), estudo
sobre a formação de professores (OLIVEIRA, 2014; MATTOS, 2010; ALARÇÃO, 2015;) e os
saberes da docência (FREIRE, 1981, 1994, 1995, 1998; TARDIF, 2002; ) visando compreender
quem é o sujeito professor de línguas que assume o desafio de uma educação em espaço
diferenciado e diverso do convencional, como se constituem as questões de ensino e quais os
caminhos que podem ser pensados para a construção de processos de ensino.

LEITURA E ESCRITA NA POS-GRADUACÃO: DOS LETRAMENTOS ACADEMICOS AOS


POSICIONAMENTOS IDENTITARIOS

Profa. Dra. Romina de Mello Laranjeira

Propomos neste minicurso apresentar uma abordagem da leitura e da escrita na universidade que
ultrapassa, em larga medida, os produtos textuais de pós-graduandos. Adotamos uma perspectiva
embasada no modelo dos letramentos acadêmicos, que privilegia os processos socioculturais de
inserção nesse contexto, bem como as práticas situadas de uso da linguagem que lhe são
próprias e através das quais os pós-graduandos (re)constroem suas identidades acadêmicas. O
favorecimento de práticas reflexivas permite a inserção gradativa nesse contexto, ajudando a
ultrapassar conflitos e tensões identitárias tão comuns e ainda existentes no âmbito da pós-
graduação. Ao entendermos as funções, as práticas e os valores da leitura e da escrita na
universidade, queremos oportunizar a partilha, análise e discussão dessa problemática,
explorando os casos particulares do público presente, recorrendo para isso às suas práticas
letradas situadas. O objetivo é compreender, analisar e discutir as experiências de articulação,
negociação de identidades, memórias e relações de poder vivenciadas, relacionadas às formas
próprias de ler e escrever na pós-graduação. Para tanto, teorizaremos sobre as relações entre
linguagem, identidade e escrita acadêmica; apresentaremos resultados de pesquisa; e, por fim,
sugeriremos propostas que possibilitem metaconhecimento e um melhor posicionamento no
contexto acadêmico da pós-graduação.

RESUMOS Página 9
SOCIOLINGUISTICA EDUCACIONAL

Profa. Dra. Eliane Vitorino de Moura Oliveira

Neste minicurso, serão apresentadas as bases da Sociolinguística Educacional (Bortoni-Ricardo,


2005), trazendo, primeiramente, um modelo proposto por Bortoni-Ricardo (2005) para a análise da
fala em Português Brasileiro, cuja metodologia aloca os falantes em contínuos (oralidade e
letramento; urbanização; monitoração estilística), por meio da observação de marcas graduais e
descontínuas presentes em sua expressão linguística, para, a partir disso, estabelecer a
premência de uma pedagogia da variação linguística, conforme reflexões de Faraco e Ziles
(2015). Tendo essa parte metodológica firmada e levando em conta o objetivo estabelecido pelos
Parâmetros Curriculares Nacionais (1996) para o ensino de Língua Portuguesa, quer seja o de
promover os usos que configurariam a "norma padrão", o minicurso pretende, também,
empreender uma discussão em torno da elaboração de propostas pedagógicas que envolvam a
complexidade das normas, de modo a subsidiar um ensino que se alie à desejável abordagem
reflexiva da gramática e ao desenvolvimento das competências de leitura e produção textual
(Vieira, 2004).

RESUMOS Página 10
RESUMOS DAS COMUNICAÇÕES
A ÁGUA COMO ELEMENTO DE CONSTRUÇÃO DA PERSONAGEM NO ROMANCE UMA
APRENDIZAGEM OU O LIVRO DOS PRAZERES DE CLARICE LISPECTOR

Lorena Salviano Alves (UENP-G)


Mariângela Alonso (UENP-PQ)

RESUMO: A presente pesquisa faz parte de um projeto de iniciação científica voluntária, orientado pela
Profª Doutora Mariângela Alonso, tendo como objeto de análise o romance Uma aprendizagem ou o
livro dos prazeres (1969), de Clarice Lispector. Nesta obra nos é apresentada a personagem Loreley
apelidada Lóri, uma professora primária, construída metaforicamente por meio das imagens de uma
sereia. O elemento chave que configura a personagem é a frequente presença do termo “água” e
demais palavras do mesmo campo semântico, como “chuva”, “úmido”, “molhado”, que constituem
“ressoadores”, conceito oriundo dos estudos do filósofo francês Gaston Bachelard (1989). O presente
trabalho subdivide o romance em três estágios gradativos, pois a água é abordada de modos
diferentes na vida da protagonista. O presente romance aparentemente nos mostra o desenvolvimento
de uma história de amor entre Lóri e o professor de filosofia Ulisses, mas nas entrelinhas e nos termos
utilizados pela autora, trata-se da construção e aprendizado de Lóri, que realiza uma viagem interior
em busca de si mesma, nos apresentando a problemática existencial presente nas obras modernas do
século XX, especialmente na de Clarice Lispector, as quais frequentemente apontam personagens
femininas em busca de “eu”. O referencial teórico da presente pesquisa configura-se por estudos
teóricos de estudiosos como Gaston Bachelard (1989), Júlio Jeha (2007), Ligia Maria Bremer (2015),
Benedito Nunes (1995), Teresinha Zimbrão da Silva (2008), entre outros.

PALAVRAS-CHAVE: Água. Sereia. Clarice Lispector. Uma aprendizagem ou o livro dos prazeres.

A CONSTRUÇÃO DE UM MODELO TEÓRICO DO GÊNERO “INFOGRÁFICO” SOB A


PERSPECTIVA DO ISD

Gabriela Pepis Belinelli (UENP/CCP – G)


Profa. Dra. Eliana Merlin Deganutti de Barros (UENP/CCP - PQ)

RESUMO: Esta apresentação é fruto de um trabalho de Iniciação Científica voluntária, vinculado ao


projeto de pesquisa coordenado pela Profª. Drª. Eliana Merlin Deganutti de Barros: “Gêneros do jornal
como objetos de transposição didática”, o qual faz parte do Grupo de Pesquisa DIALE – Diálogos
Linguísticos e Ensino (UENP/ CNPq). A fundamentação teórica que norteia este projeto são os estudos
do Interacionismo Sociodiscursivo (ISD), sobretudo, a sua concepção de práticas de linguagem
configuradas em gêneros textuais e o seu modelo de análise de textos. A pesquisa também tem como
base os estudos acerca dos gêneros do jornal, com foco na infografia jornalística. O objetivo desta
comunicação é apresentar o trabalho desenvolvido na Iniciação Científica, a qual envolve o estudo
bibliográfico do gênero “infográfico”, a pesquisa analítica amparada por um corpus textual e a
elaboração de um modelo teórico deste gênero. Espera-se, com isso, contribuir para a produção de
materiais didáticos que se pautam na metodologia das sequências didáticas de gêneros criadas pelo
ISD e, também, colaborar com os estudos que tomam os gêneros textuais como objetos de ensino da
Língua Portuguesa.

PALAVRAS-CHAVE: ISD. Gênero textual. Infográfico. Modelo teórico.

RESUMOS Página 11
A CONSTRUÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO DA SEQUÊNCIA DIDÁTICA DO SUBGÊNERO CARTA DO
LEITOR ARGUMENTATIVA EM UMA ESCOLA ESTADUAL DO NORTE DO PARANÁ – UM
TRABALHO DE PESQUISA-AÇÃO

Profa. Me. Luciana Teixeira da Silva Lima(SEED/PR - EFM; DIALE/ UENP- PQ)
Profa. Dra. Eliana Merlin Deganutti de Barros (UENP-CCP)

RESUMO: Este trabalho é um recorte de uma Dissertação defendida no Mestrado Profissional em


Letras em Rede (PROFLETRAS) da Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP), sob
orientação da Profa. Dra. Eliana Merlin Deganutti de Barros. Ele justifica-se, em grande parte, pelas
prescrições trazidas pelos Parâmetros Curriculares Nacionais de Língua Portuguesa do Ensino
Fundamental II e pelas Diretrizes Curriculares Estaduais do Paraná, no que se refere à necessidade de
um trabalho de cunho interacional, que tome os gêneros textuais como objetos de ensino na
didatização da produção escrita. A pesquisa teve como objetivo apresentar e avaliar uma proposta de
intervenção didática fundamentada na metodologia das sequências didáticas de gêneros (SDG) criada
pelo Interacionismo Sociodiscursivo (ISD) – fundamentação teórica de base da pesquisa –, tendo
como objeto unificador o subgênero textual “carta do leitor argumentativa”. O trabalho foi direcionado
por um pesquisa-ação desenvolvida em uma turma do 8º ano do Ensino Fundamental de uma Escola
Estadual de Cornélio Procópio-PR, da qual somos professora regente. A pesquisa centrou-se na
concepção de engenharia didática do ISD, aderindo a seus instrumentais didáticos para o ensino da
produção escrita, a fim de validar a metodologia de ensino utilizada, sua pertinência para o contexto
em foco, assim como o agir do professor ao se apropriar dos instrumentais inerentes a tal metodologia.
Para esta comunicação trazemos o Modelo Didático do Subgênero Carta do Leitor Argumentativa e a
Sequência Didática do gênero por nós construída e implementada.

PALAVRAS-CHAVE: carta do leitor argumentativa. modelização didática. sequência didática.


Pesquisa-ação

A CONTRIBUIÇÃO DO GÊNERO CRÍTICA CINEMATOGRÁFICA PARA O ENSINO DE LEITURA E


ESCRITA NA EDUCAÇÃO BÁSICA

Nathalia de Souza Toncovitch (UENP – G)


Eliana Merlin D. de Barros (UENP – PQ)

RESUMO: O presente trabalho é resultado de uma pesquisa realizada para a matéria de Gêneros
Textuais – discutida, também, no grupo de pesquisa DIALE - no Centro de Letras, Comunicações e
Artes da Universidade Estadual do Norte do Paraná. O principal objetivo é apresentar a modelização
teórica do gênero textual crítica cinematográfica (BARROS, 2008) a partir dos pressupostos do
Interacionismo Sócio-Discursivo (BRONCKART, 2003). A pesquisa divide-se em dois momentos:
primeiramente, foi elaborado um levantamento bibliográfico na Biblioteca Digital da Universidade
Estadual, onde foram selecionadas duas teses de mestrados; uma escrita pela Profª Dra. Eliana Merlin
D. de Barros (2008), que se caracteriza como o principal texto do corpus dessa investigação; outra da
autoria do Profº Flávio L. Freire Rodrigues (2010), a qual possibilitou ideias relevantes em relação ao
tema, pontuando, por vezes, a tese principal. Para exemplificar as características principais da crítica
cinematográfica, foram selecionadas dois exemplares do gênero: uma resenha veiculada na Revista
Online Galileu, e outra retirada da Revista física Veja. Cabe ressaltar que foram utilizados outros
textos da autoria de Barros para elucidar aspectos relevantes em relação ao gênero. Além disso,
buscou-se, também, especular possibilidades de propostas de ensino baseadas no gênero
supracitado, explorando suas capacidades de linguagem (DOLZ, SCHNEUWLY, 2004) para o
desenvolvimento de habilidades de leitura e escrita dos alunos dos níveis escolares da educação
básica.
PALAVRAS-CHAVE: Crítica Cinematográfica. Ensino. Interacionismo Sócio-Discursivo.

RESUMOS Página 12
A ESCRITA COMO TRABALHO: OS YOUTUBERS COMO MOTE PARA A REALIZAÇÃO DE UM
PROJETO DE LETRAMENTO PARA AS SÉRIES INICIAIS

Tatiane Patricia Teixeira Jordão (PG – PROFLETRAS- UENP)

O presente projeto de pesquisa foi elaborado com o intuito de analisar a funcionalidade e a


aplicabilidade de diferentes processos de revisão e reescrita textual inseridos em um projeto de
letramento a ser desenvolvido no contexto das séries iniciais, sob a instrumentalização do
procedimento das sequências didáticas de gêneros criada por pesquisadores filiados ao Interacionismo
Sociodiscursivo. Como pano de fundo temático, o trabalho de intervenção didática irá abordar o
letramento digital, a partir da inserção do universo dos youtubers, tema muito em voga no contexto das
crianças e jovens da contemporaneidade. Nesse sentido, a pesquisa ancora-se, teoricamente, nos
seguintes pilares: estudos sobre letramentos, projetos de letramentos, gêneros textuais/discursivos
como objeto e instrumento de ensino, metodologia das sequências didáticas de gêneros (biografia e
comentários de facebook), concepção de escrita como trabalho, processos de revisão e reescrita
textual e letramento digital. O projeto de letramento será desenvolvido em uma turma do 4º ano da
Escola Municipal Professor Guilherme Butler – município de Curitiba. A justificativa para este trabalho
pauta-se na necessidade de um trabalho docente mais efetivo dentro da perspectiva das reescritas de
textos. O que se espera com esta pesquisa é mostrar como a revisão e a reescrita de textos podem se
transformar em ferramentas funcionais para o ensino da escrita, mesmo nas séries iniciais.

PALAVRAS-CHAVE: Revisão e reescrita textual. Projeto de letramento. Sequência didática de


gêneros.

A ESCRITA COMO TRABALHO: OS YOUTUBERS COMO MOTE PARA A REALIZAÇÃO DE UM


PROJETO DE LETRAMENTO PARA AS SÉRIES INICIAIS

Tatiane Patricia Teixeira Jordão (PG – PROFLETRAS- UENP)

RESUMO: O presente projeto de pesquisa foi elaborado com o intuito de analisar a funcionalidade e a
aplicabilidade de diferentes processos de revisão e reescrita textual inseridos em um projeto de
letramento a ser desenvolvido no contexto das séries iniciais, sob a instrumentalização do
procedimento das sequências didáticas de gêneros criada por pesquisadores filiados ao Interacionismo
Sociodiscursivo. Como pano de fundo temático, o trabalho de intervenção didática irá abordar o
letramento digital, a partir da inserção do universo dos youtubers, tema muito em voga no contexto das
crianças e jovens da contemporaneidade. Nesse sentido, a pesquisa ancora-se, teoricamente, nos
seguintes pilares: estudos sobre letramentos, projetos de letramentos, gêneros textuais/discursivos
como objeto e instrumento de ensino, metodologia das sequências didáticas de gêneros (biografia e
comentários de facebook), concepção de escrita como trabalho, processos de revisão e reescrita
textual e letramento digital. O projeto de letramento será desenvolvido em uma turma do 4º ano da
Escola Municipal Professor Guilherme Butler – município de Curitiba. A justificativa para este trabalho
pauta-se na necessidade de um trabalho docente mais efetivo dentro da perspectiva das reescritas de
textos. O que se espera com esta pesquisa é mostrar como a revisão e a reescrita de textos podem se
transformar em ferramentas funcionais para o ensino da
escrita, mesmo nas séries iniciais.

PALAVRAS-CHAVE: Revisão e reescrita textual. Projeto de letramento. Sequência didática de


gêneros.

RESUMOS Página 13
A IMPORTÂNCIA DA COMPREENSÃO DA INTERTEXTUALIDADE NA MÚSICA “ALÉM DO
ESPELHO”, DE JOÃO NOGUEIRA.

Rafael Augusto Moraes Monteiro (UENP/CCP – G)


Lívia Maria Turra Bassetto (UENP/CCP – PQ)

RESUMO: Este trabalho tem como principal objetivo analisar a intertextualidade entre as obras
“Espelho” e “Além do espelho”, de João Nogueira, observando como essa relação entre texto e
intertexto contribui para a compreensão dos sentidos construídos no texto, seja ele verbal, não-verbal
ou multimodal. A metodologia utilizada foi baseada na visão da Linguística Textual, tendo como alicerce
os conceitos de linguistas renomados como Beaugrande & Dressler (1981), Koch (1997; 2009), Bentes
& Leite (2010), Marcuschi (2005), entre outros. Nessa perspectiva, a intertextualidade é conceituada
como uma influência de enunciados já preexistentes, sendo eles proferidos através da referenciação
direta ou indireta, explícita ou implícita, que se correlacionam com outros intertextos, colaborando com
novas interpretações das premissas, favorecendo diferentes sentidos para o texto. Considerando tal
aparato teórico, este trabalho contempla a intertextualidade, o conhecimento prévio e a
contextualização como essenciais para a melhor compreensão do texto e sua relação com o intertexto.
No caso do corpus utilizado para a realização deste trabalho, se o leitor não tiver uma instrução
preliminar de interpretação da música “Além do Espelho”, de João Nogueira, sua compreensão se
torna restrita somente às palavras/ àquele texto, não conseguindo estabelecer a conexão intertextual e
contextual que há com “Espelho”, do mesmo autor, o que prejudicaria a compreensão de referências
intertextuais das canções que abordam o mesmo tema e ritmo.

PALAVRAS-CHAVE: Intertextualidade. Linguística textual. Música. João Nogueira.

A LEITURA LITERÁRIA NA ESCOLA: O LÚDICO COMO ACESSO À LEITURA LITERÁRIA

Viviane Marquezini Silva (UENP/CCPPG)


Thiago Alves Valente (UENP/CCP-PQ)

RESUMO: Sabe-se, hoje, do fracasso quanto à formação de leitores na escola, por meio de pesquisas
como a Retratos de Leitura no Brasil (2016), que explicita o abandono paulatino das práticas de leitura
à medida que os alunos vão deixando a infância e alcançando a juventude, num processo gradativo
que só faz se intensificar ao longo da vida. Assim, observa-se que os estudantes de Ensino Médio
tendem a renegar a literatura assim que se veem livres das tarefas escolares. Cientes dessa situação
faz-se necessário conceber a escola como espaço de cultura, cujas práticas devem ter como ponto de
partida e chegada a leitura do texto literário. Esta proposta insere-se no contexto de atuação do
magistério paulista, vindo ao encontro das demandas do conteúdo programático estabelecido no
Estado de São Paulo, bem como das demandas levantadas mediante a vivência em sala de aula. O
local de intervenção será a Escola Estadual Dr. “Clybas Pinto Ferraz”, localizada no município de Assis,
São Paulo. A instituição funciona em três turnos (matutino, vespertino e noturno), oferecendo o Ensino
Fundamental II e Médio. A turma selecionada para intervenção é um 9º ano, cuja experiência cultural
mais significativa ocorre, como para as outras turmas, no espaço escolar. O objetivo desta pesquisa
interventiva é, portanto, identificar formas mais produtivas de aproximação ao público-alvo da literatura,
bem como propor atividades que valorizem o aspecto lúdico e ficcional das obras a serem trabalhadas.
Para isso, a bibliografia utilizada tem, entre outros autores, Antonio Candido (1972), Anne-Marie
Chartier (2005), Bordini e Aguiar (1993), João Luís Ceccantini (2009), Lisa França(2010) e Vincent
Jouve(2002).

PALAVRAS-CHAVE: Literatura.Infantil. Leitor.

RESUMOS Página 14
A LEITURA NA ESCOLA PÚBLICA DE PERIFERIA: CONFRONTANDO A RESPOSTA DOS
PROFESSORES COM A DOS ALUNOS
Liliane Pereira (PG-UEL)

Nesta pesquisa, escolhemos como contexto de análise uma escola pública de periferia, em que longe
de tecermos críticas a este local, o objetivo é levantar dados sobre como os professores trabalham a
leitura em sala de aula, contrastando com a opinião dos alunos. Com base em uma pesquisa
interpretativa, este trabalho estrutura-se em duas fases: entrevista com os professores e entrevista
com os alunos. Na primeira fase, foram aplicados questionários a 4 professores de Língua Portuguesa
de um colégio Estadual X, de periferia, localizado na cidade de Londrina. Já na segunda fase,
realizamos a pesquisa com os alunos do Ensino Médio do mesmo colégio. Com base em Chartier
(2001), os resultados demonstraram que cabe ao docente a tarefa de orientar leituras. Para isso um
passo importante é a reflexão sobre seus próprios hábitos e modos de ler, o que pode ajudar a definir
estratégias e recursos de leitura mais adequados para o desenvolvimento dos estudantes. Além disso,
os professores precisam em seu plano de trabalho docente, dar espaço para que o aluno-leitor elabore
suas experiências de leituras, a partir de suas condições de vida. O que viabilizará que, sendo ele das
classes populares, se construa e se represente em sua história de leitura.

PALAVRAS-CHAVE: Leitura. Escola pública. Linguagem.

A LEITURA NO ENSINO PARA SURDOS: REFLEXÕES SOBRE ESTRATÉGIAS DE LEITURA

Osnir Branco (UENP/CCP -PG)


Letícia J. Storto (UENP/CCP; UEPG/PPGE-CAPES - PQ)

RESUMO: A pesquisa tem como objetivo possibilitar a reflexão e a discussão em torno da leitura,
especialmente no contexto de ensino/aprendizagem de alunos surdos. Para isso, são estudadas as
estratégias de leitura. Para os textos da esfera do cotidiano, a técnica de leitura “literal”, ou seja,
interpretada para a língua brasileira de sinais (Libras) será privilegiada e juntamente com ela
discussões sobre contextualização de textos durante a leitura, explicitação de vocábulos bem como de
expressões, entre outras demandas que um texto pode oferecer. Nos textos da esfera literária, a
estratégia de leitura utilizada para esse trabalho e colocada em discussão também pode se valer da
Libras aliada à teatralização. Isso porque, nesse caso, como se privilegia a estética do texto literário, a
teatralização se torna uma alternativa por trazer muitos aspectos do não verbal, como gestos,
expressão facial etc. aos textos. Como aporte teórico, serão utilizados textos de Kleiman e Soares
sobre leitura e de Quadros sobre a aprendizagem de surdos. Após essas reflexões, espera-se que os
participantes possam ter um olhar diferenciado para esses alunos e que compreendam a importância
da Libras para a construção da identidade individual e de uma cultura surda. Além disso, acredita-se
também que, com essa discussão, haja maior o entendimento do processo de leitura e suas demandas
para que sejam bem-sucedidas em diferentes públicos, buscando repensar as práticas de
ensino/aprendizagem de modo a se adaptarem ao contexto dos estudantes, a fim de inclui-los.

PALAVRAS-CHAVE: Ensino. Leitura. Surdez.

RESUMOS Página 15
A POTENCIALIDADE DOS ELEMENTOS FANTÁSTICOS NOS CONTOS DE LYGIA FAGUNDES
TELLES

Elisete Soares (UENP/CCP – Aluno G)


Mariângela Alonso (UENP/CCP-Orientador)

RESUMO: O presente trabalho tem como objetivo a apresentação do artigo de conclusão do curso
(TCC), em que foram analisados os elementos fantásticos dos contos As formigas (1998) e A caçada
(2009) de Lygia Fagundes Telles. Com base nos estudos de Todorov (1970), Camarini (2014), Sá
(2003), Silva e Lourenco (2010), Santiago (1988), Dimas (2009), entre outros, o objetivo dessa
pesquisa é o apontamento e análise dos elementos fantásticos dos contos mencionados, levando em
consideração todo estilo singular de Telles, bem como as estratégias utilizadas no decorrer dos contos.
Escritora intimista, Telles explora o universo feminino e todas suas minúcias. Com sua escrita
particular, a autora cria em suas narrativas elementos fantásticos, tais como a hesitação que estes
despertam nos leitores quanto à veracidade dos acontecimentos relatados, levando o leitor a
experimentar um mundo real que se mescla com o sobrenatural, em uma tentativa de explicar um
universo de fenômenos inexplicáveis, regidos por uma força superior adentrada no viés da realidade
de um sujeito lúcido, que deseja experimentar e compreender esse universo oculto. Todorov (1970),
um dos principais teóricos das narrativas fantásticas, afirma que o mistério e a hesitação são os
elementos primordiais responsáveis pela elucidação do gênero, e que essa hesitação da verdade
aparente que gira em torno da dúvida, ou seja, tudo o que está no plano da incerteza relacionado ao
irreal, termina por caracterizar-se com algo surreal, fantástico. Portanto, o principal propósito desse
trabalho é o de apontar a potencialidade de tais elementos nos contos de Telles, analisando-os. Para
tanto, a fortuna crítica da autora também será considerada.

PALAVRAS-CHAVE: Fantástico. Lygia Fagundes Telles. Conto.

A PRÁTICA DA PEER ASSESSMENT NO ENSINO SUPERIOR: A PERCEPÇÃO DOS


LICENCIANDOS SOBRE AVALIAÇÃO FORMATIVA

Paula Elisie Madoglio Izidoro (UENP/CCP-PQ)


Simone Luccas (UENP/CCP-PG)

RESUMO: Avaliar é uma das práticas inerentes à função do professor, ponderando sobre isso é que se
pensou “Como o professor aprende avaliar?”. Dessa forma, surgiu o problema de pesquisa que rege
esse trabalho. O presente artigo é um recorte da pesquisa de mestrado de um das autoras
proponentes que investiga a avaliação formativa no ensino superior, nomeadamente, o curso de
Graduação em Letras: Habilitação em Português/Espanhol e respectivas Literaturas, do Centro de
Letras, Comunicação e Artes da Universidade Estadual do Norte do Paraná – UENP, Campus
Jacarezinho. Dividida em etapas, a pesquisa consistiu em: a) Análise documental das ementas das
disciplinas dos quatro anos do referido curso a fim de investigar quais disciplinas apresentavam o
termo “avaliação” em seus documentos. b) Entrevistas individuais e gravadas com os professores que
lecionam as disciplinas que traziam “avaliação” nas ementas com o intuito de ampliar as discussões e
problemas levantados na fase anterior. c) Entrevistas individuais e gravadas com os alunos
matriculados nas disciplinas de Prática de Ensino de Língua Portuguesa e Orientação de Estágio I e II,
Prática de Ensino de Língua Espanhola e Orientação de Estágio I e II, Metodologia de Ensino de
Língua Portuguesa e Metodologia de Ensino de Língua Espanhola, que são as disciplinas que
apresentaram estudar avaliação. Dessa forma, o presente trabalho apresenta os resultados da fase “C”
trazendo reflexões e discussões acerca da percepção do alunado sobre a avaliação formativa.

PALAVRAS-CHAVE: Peer Assessment. Ensino Superior. Formação Inicial.

RESUMOS Página 16
A REALIDADE MARGINAL NA COLETÂNEA DE CONTOS EU SOU FAVELA

Anna Karla Veiga (UENP/CCP/GP CRELIT- G)


Ana Paula F. Nobile Brandileone(UENP/CCP/GP CRELIT - PQ)

RESUMO: Este trabalho está inserido em estudos realizados para o Programa de Iniciação Científica
Voluntária (PICV) e para o Trabalho de Conclusão de Curso de Letras, desenvolvidos no curso de
Letras da Universidade Estadual do Norte do Paraná, campus Cornélio Procópio. O subprojeto de
pesquisa intitula-se “A figuração da realidade marginal na coletânea de contos Eu sou favela, que se
vincula a projeto maior de pesquisa, coordenado pela Profa. Dra. Ana Paula F. Nobile Brandileone
(UENP-CCP), “Processos e construções identitárias na ficção brasileira contemporânea: práticas de
educação literária”, que tem por objetivo investigar como se dá a representação marginal na coletânea
de contos Eu sou favela, organizada por Paula Anacaona e publicada em 2015. A coletânea é formada
por nove contos de diferentes autores que, segundo a organizadora, são “[...] como curta metragens
literárias”, cujo objetivo é “Mostrar a favela de uma perspectiva inédita. Alternadamente realistas,
irônicas ou desesperadas, essas histórias retratam seu cotidiano” (2015, p.7). Apesar dos contos
possuírem como cenário a periferia, aqui especificamente a favela, e tematizarem indivíduos à margem
da sociedade – exceto “O aluno que só queria cabular aula”, de Sacolinha - não exibem, entretanto, o
ponto de vista interno que se configura em indicador preciso não apenas da visão autoral, mas
também do conjunto de valores morais e ideológicos que fundamentam a representação marginal.
Nesse contexto, serão objeto de análise quatro (4) dos nove (9) contos que compõe a coletânea: “Um
novo brinquedo”, de Rodrigo Ciríaco; “Tentação”, de Alessandro Buzo; “Polícia ladrão”, de Marcelino
Freire, e “Coração de mãe”, de Ferréz.

PALAVRAS-CHAVE: Literatura Brasileira Contemporânea. Literatura Marginal. Sou favela.

A REPORTAGEM DE TEMAS CIENTÍFICOS: UMA PROPOSTA DE ENSINO FUNDAMENTADA NA


METODOLOGIA DAS SEQUÊNCIAS DIDÁTICAS

Valéria de Fátima Roncon Maia (Ed. Básica)


Eliana Merlin Deganutti de Barros (UENP/CCP-PQ)

RESUMO: Este trabalho tem como tema principal o ensino-aprendizagem da produção escrita no
Ensino Fundamental sob a perspectiva dos gêneros textuais. Ele é parte da Dissertação defendida no
Mestrado Profissional em Letras em Rede (PROFLETRAS) da UENP. O objetivo foi produzir e analisar
um caderno pedagógico, conduzido pelo gênero “reportagem de divulgação científica”, utilizando a
metodologia das sequências didáticas de gêneros (SDG) (DOLZ; NOVERRAZ; SCHNEUWLY, 2004;
BARROS, 2013) criada pelo Interacionismo Sociodiscursivo (ISD) (BRONCART, 2009, 2006, 2008),
fundamentação teórica que norteia este trabalho. Como aportes teóricos recorremos a vários
estudiosos que têm como norte o estudo da língua por um viés interacionista, sendo Bakthin (2009) e
Marcuschi (2003) os mais expoentes. Para a elaboração do caderno pedagógico foi construída a
seguinte engenharia didática: 1) um modelo teórico (BARROS, 2012a) do gênero “reportagem de
divulgação científica”; 2) um modelo didático do gênero para o contexto do 8º e 9º anos do Ensino
Fundamental ; 3) uma sinopse do SDG (síntese da sequenciação das atividades que mostra: o título
das oficinas, seu objetivo, seu objeto principal, síntese das atividades); 4) planificação das atividades,
tarefas e dispositivos didáticos da SDG; 5) planificação de um texto instrucional da SDG para o
professor. A pesquisa traz como diferencial a distinção entre os subgêneros “reportagem de pesquisa”
e “reportagem de temas/fatos científicos”. Para esta comunicação, trazemos uma adaptação da SDG,
elaborada para o capítulo do livro Propostas didáticas para o ensino da Língua Portuguesa, organizado
pelas professoras Eliana Merlin D. de Barros, Marilúcia Domingos Striquer e Letícia Jovelina Storto.

PALAVRAS-CHAVE: Gêneros Textuais. Reportagem de divulgação científica.Sequência


Didática.

RESUMOS Página 17
A SÍNDROME DE DOWN EM OLHOS AZUIS CORAÇÃO VERMELHO, DE JANE TUTIKIAN (2005):
POR UMA EDUCAÇÃO LITERÁRIA.

Luciana da Costa Ribeiro (UENP/CCP – PG)


Ana Paula Franco Nobile Brandileone (UENP/CCP – PQ)

RESUMO: No contexto educacional atual é um desafio para o docente a formação de leitores,


sobretudo literários. Nesta perspectiva, esta comunicação tem como propósito apresentar intenção de
pesquisa, que faz parte do Programa de Mestrado Profissional em Letras, cujo objetivo é desenvolver
uma proposta didática voltada para alunos do do 7º ano do Ensino Fundamental II, a fim de promover o
letramento literário. Esta proposta de intervenção considera os pressupostos metodológicos de Rildo
Cosson (2007) e tem como objeto de análise e estudo para o desenvolvimento das atividades a obra
Olhos azuis coração vermelho, da autora gaúcha Jane Tutikian (2005) que retrata, através do olhar de
uma adolescente de 13 anos, a problemática relacionada à Síndrome de Down. A temática abordada
está em consonância com as Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Básica (BRASIL, 2010) e
as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Fundamental de nove anos (BRASIL, 2013), que
orientam para uma ação educativa e uma prática pedagógica voltada para temas que remetem à
aceitação do diferente, ao respeito mútuo e ao reconhecimento da alteridade. Considerando que a
escola é uma das instituições sociais responsáveis pela construção de representações positivas e de
superação de estereótipos que recaem sobre certas diferenças e os sujeitos que as possuem, espera-
se que esta pesquisa possa contribuir para uma educação que tenha o respeito pela diversidade como
parte de uma formação cidadã e para uma reflexão sobre a necessidade da efetivação de (novas)
práticas de ensino da Literatura no contexto escolar.

PALAVRAS-CHAVE: Educação Literária. Síndrome de Down. Jane Tutikian.

A VARIAÇÃO LINGUÍSTICA NO CONTO ROLÉZIM DE GEOVANI MARTINS: LÍNGUA, IDENTIDADE


E LITERATURA

Camila da Silva Pelizari (UENP/CCP-G)


Lara Lugdiellen Raposo Santiago (UENP/CCP-G)
Bruna Carolini Barbosa (UENP/CCP-PQ)

RESUMO:A língua, em suas diferentes modalidades de expressão, é heterogênea e intimamente


ligada ao contexto sociocultural. A Sociolinguística, ao evidenciar as relações entre língua e sociedade,
nega a suposta homogeneidade defendida pelos gramáticos mais puristas que, incoerentemente,
dicotomizam fala e escrita, atribuindo à escrita um caráter mais formal e com qualidades superiores à
fala, considerada espontânea e menos planejada. Partindo do pressuposto de que a língua possui
diferentes modos de enunciação materializados nos diferentes gêneros, é impossível dicotomizar fala e
escrita, sendo mais pertinente, portanto, pensar em um continuum (MARCUSCHI, 2001) entre fala e
escrita, do mesmo modo que é mais coerente adequar a variedade ao gênero discursivo e aos efeitos
de sentido pretendidos. Considerando essas reflexões iniciais, este trabalho pretende realizar uma
análise qualitativa dos índices de variação linguística em um recorte do conto Rolézim, de Geovani
Martins (2018), a fim de evidenciar a heterogeneidade da língua na modalidade escrita. A análise
permite verificar que a variação não é algo exclusivo da fala e que, neste conto, a diversidade
linguística é fundamental para a construção dos sentidos do texto.

PALAVRAS-CHAVE: Sociolinguística. Variação Linguística. Heterogeneidade da Escrita.

RESUMOS Página 18
ADMIRÁVEL MUNDO NOVO E ADMIRÁVEL CHIP NOVO: UMA NOVA VISÃO INTERTEXTUAL
DISTÓPICA

Naraiane Taís da Silva (UENP/CCP/G)


Ane Caroline Santos (UENP/CCP/G)

RESUMO: Levando em consideração as primícias da literatura comparada (BASSET, 1993; GYARD,


1994; NITRINI, 2000 entre outros) entende-se que comparar é a forma que rege as semelhanças entre
duas ou mais obras em diferentes nacionalidades. Já que comparar eminentemente é provido pelo
pensamento do ser humano, assim como, pela sua organização cultural (CARVALHAL, 2007). A partir
disso, tomamos como objeto de análise a obra Admirável mundo novo (1932) do escritor Inglês Aldous
Huxley fomentando o intertexto gerado pela canção Admirável Chip novo (2003) da cantora e
compositora brasileira Priscila Novaes Leone (Pitty). O objetivo deste artigo é desenvolver os aspectos
relevantes que tornam esses trabalhos citados semelhantes tendo como aporte o tempo e o espaço no
momento de criação desses feitos literários: Admirável mundo novo (1932) e Admirável Chip novo
(2003). Nesse sentido, os resultados revelam que as obras Admirável mundo novo (1932) e Admirável
Chip novo (2003) contém elementos similares distópicos quando expõem o contexto social de cada
civilização que são regidas pelas ordens governamentais e que a manipulação social é derivada pelo
condicionamento estabelecido pelos líderes do governo.

PALAVRA-CHAVE: Literatura comparada. Intertextualidade. Distopia.

ALICE ATRAVÉS DO ESPELHO: UMA ANÁLISE DO PERSONAGEM CHAPELEIRO MALUCO

Vanessa Socio Wojnarovicz (UENP - PG)


Nerynei Meira Carneiro Bellini (UENP - Professor pesquisador)
RESUMO: A presente pesquisa da análise da obra fílmica Alice Através do Espelho, dirigida por James
Bobin, adaptada da obra literária homônima, escrita por Lewis Carroll. O foco da análise será o
personagem Chapeleiro Maluco e suas características que o constituem como personagem fantástico.
Na análise serão considerados os traços deste personagem e sua atuação no decorrer da narrativa, o
que revela os traços desse personagem se desenvolvendo na história. Com a aplicação deste projeto,
pretende-se explorar as particularidades deste personagem, revelando, a partir de sua atuação na obra
seus traços típicos, bem como valores transmitidos por ele no decorrer da narrativa. Partindo do
questionamento sobre os motivos que podem levar os alunos a não apreciarem e não lerem textos
literários, espera-se que a análise e aplicação do material didático produzido sobre a obra literária em
questão, com foco na análise do personagem, o qual será aplicado em uma turma do 9º ano do ensino
fundamental, contribuam para que os alunos recebam o texto literário de modo atrativo e próximo à
sua realidade, conhecendo a estrutura constitutiva do personagem e assimilando valores como
amizade, lealdade e coragem, revelando e reafirmando o caráter humanizador da literatura.

PALAVRAS-CHAVE: Alice. Chapeleiro. Literatura. Filme.

RESUMOS Página 19
ANÁLISE DE ANÚNCIOS PUBLICITÁRIOS SOB A ÓTICA TEXTUAL-DISCURSIVA

Alan Fernandes Mariano (UENP-CCP G)


Jonas Thiago Quasne (UENP-CCP G)
Bruna Carolini Barbosa (Orientadora - UENP-CCP)

RESUMO: A sociedade contemporânea é fortemente marcada pelo consumo e, em decorrência disso,


os anúncios publicitários estão, com frequência, presentes no dia a dia das pessoas: nas ruas,
televisão, internet, jornais etc. Essencialmente argumentativos, empregam estratégias persuasivas
diversas como, por exemplo, a intertextualidade. Neste trabalho, temos como intuito a realização de
uma análise das relações intertextuais - considerando o caráter multissemiótico do corpus - presentes
em dois gêneros publicitários: “Presidenciáveis” da marca de lãs de aço BomBril e “Horta de Elite” da
rede varejista Hortifruti. Para além da intertextualidade, em uma perspectiva apenas textual, buscamos
observá-la em seus aspectos discursivos. Este trabalho se baseia nos pressupostos teóricos da
Linguística Textual (BEAUGRANDE & DRESSSLER,1981,1991; ANTUNES, 2009, 2010;
CAVALCANTI, 2012; KOCH, 2002, 2011, TODOROV, 1978, BAKHTIN, 1995, 2003; MARCUSCHI,
2002; KRISTEVA,2005; SIEVERT, 2001). As análises permitiram observar que a intertextualidade é
utilizada para criar humor, argumentatividade, aproximando-se do leitor e levando-o à adesão de um
conjunto de ideias. Há no corpus analisado uma forte crítica à classe política. A análise evidenciou,
também, a importância em se considerar a interação entre autor-texto-leitor na construção do sentido.

PALAVRA-CHAVE: Linguística Textual. Anúncio Publicitário. Intertextualidade.

ANÁLISE DE PROPOSTAS DE PRODUÇÃO TEXTUAL EM LIVRO DIDÁTICO DE LÍNGUA


PORTUGUESA

Julierme Rabello de Souza (UENP/G)


Jakeline Semechechem (UENP/PQ)

RESUMO: O presente trabalho propôs o desenvolvimento de uma pesquisa qualitativa-interpretativa


para analisar as propostas de produção textual apresentadas em livro didático de Língua Portuguesa
do Ensino Médio. Os principais pressupostos teóricos que orientaram este estudo foram relacionados
às concepções de linguagem e de escrita, ao processo de produção textual, a teoria dos gêneros
textuais e de letramento como prática social, bem como aos Parâmetros Curriculares Nacionais para o
Ensino de Língua Portuguesa e ao Programa Nacional do Livro Didático. Para análise, foi selecionado
um livro didático, o Português Contemporâneo Diálogo, Reflexão e Uso, dos autores William
Cereja, Caroline Dias Vianna e Christiane Damien. Verificou-se que as propostas de produção textual
no livro são desenvolvidas por meio de diferentes gêneros textuais, que as propostas apresentam, em
sua maioria, as condições de produção do gênero e que a concepção de escrita subjacente as
propostas é a de escrita como trabalho. Com está pesquisa consideramos que as propostas de textual
apresentadas no livro didático analisado contribuem para o processo de produção escrita dos alunos e
para um letramento na perspectiva de prática social.

PALAVRAS-CHAVE: Livro didático, letramento, escrita.

RESUMOS Página 20
ANÁLISE DE SEQUÊNCIA DIDÁTICA POR MEIO DO GENERO CANÇÃO

Joyce Cristina da Cunha (UENP/CCP-G)


Eliane Segati Rios Registro (UENP/CCP-PQ)

RESUMO: A presente pesquisa, tem, por objetivo, apresentar os resultados parciais da análise de uma
Sequência Didática (SD) desenvolvida para alunos do 9º ano da rede pública estadual, produzida ao
longo do Projeto de Iniciação à Docência (PIBID), língua inglesa, a partir da perspectiva dos gêneros
textuais e dos Parâmetros Curriculares Nacionais de Educação (PCNs). Mais especificamente,
buscamos verificar o potencial de aperfeiçoamento dos alunos em SDs elaboradas para a melhoria da
oralidade da língua inglesa. Sendo assim, para atingir aos objetivos propostos utilizaremos os
pressupostos teóricos e metodológicos do quadro do Interacionismo Sociodiscursivo (BRONCKART,
1999) para o qual o ensino com base em gêneros textuais (SCHNEUWLY; DOLZ, 2004) contribui para
o desenvolvimento das capacidades de linguagem, divididas didaticamente em: capacidades de ação,
capacidades discursivas e capacidades linguístico-discursivas (DOLZ, SCHNEUWLY, 2004) e,
recentemente, capacidades de significação propostas por Stutz e Cristovão (2011), dentre outros
teóricos relacionados ao gênero canção. Acreditamos que o trabalho com gêneros textuais orais na
escola possui um alto potencial de desenvolvimento das capacidades de linguagem dos alunos,
principalmente por ser um gênero que é pouco explorado nos livros didáticos, cuja ênfase se dá, em
grande parte, nos gêneros escritos. Com isso, criar espaços para a utilização dos gêneros orais é de
fundamental importância.

PALAVRAS-CHAVE: Sequência Didática. Ensino. Canção.

ANÁLISE TEXTUAL DO GÊNERO DISCURSIVO CHARGE

Amanda Rodrigues de Almeida (UENP-G)


Lorena Salviano Alves (UENP-G)
Bruna Carolini Barbosa (Orientadora - UENP-PQ)

RESUMO: Neste trabalho temos como objeto de análise a charge, um gênero da esfera jornalística
com forte teor crítico sobre a realidade social e fortemente marcado pelo humor e ironia. Sob à luz de
teóricos e estudiosos da linguagem como Ingedore Grunfeld Villaça Koch (2011), Irandé Antunes
(2010), Luiz Antônio Marcuschi (2008) e Mikhail Bakhtin (2000), objetivamos analisar duas charges,
buscando evidenciar os mecanismos de textualização (MARCUSCHI, 2008). Em um primeiro momento
abordamos, brevemente, a trajetória histórica da Linguística Textual, desde seu surgimento até o
momento atual, em que a teoria vai além dos mecanismos interfrásticos e considera os fatores
sociointeracionais. Em um segundo momento da pesquisa, voltamos a atenção para a aplicação da
teoria, buscando investigar os fatores responsáveis pela construção dos sentidos dos textos que
constituem o corpus deste trabalho. Buscamos, ainda, discutir os valores sociais agregados às
charges. Após a análise, constatamos a relevância do conhecimento extralinguístico para a
compreensão global dos textos e que, sem a mobilização do conhecimento de mundo, não é possível
textualizar o gênero charge, já que seu sentido só pode ser apreendido a partir de um contexto político-
social, tendo em vista seu caráter ideológico.

PALAVRAS- CHAVE: Linguística Textual. Textualização. Charge. Análise Textual.

RESUMOS Página 21
ARTIGO DE OPINIÃO E O TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO DO ENEM: DAS
SIMILARIDADES ÀS DIFERENÇAS

Inês Cardin Bressan (SEED-EFM)


Gabriela Pepis Belinelli (UENP-G)
Danielle Felício Mafud (UENP-G)
Eliana Merlin Deganutti de Barros (UENP – PQ)

RESUMO: A luta que os alunos enfrentam no que se refere ao texto escrito é muito especial. Ao
finalizar o ensino médio, eles se deparam com a realidade dos vestibulares e do Exame Nacional do
Ensino Médio (ENEM). Nessa etapa, fica patente a necessidade de se saber diferenciar as
características dos gêneros textuais que são normalmente solicitados nestes exames. Paralelamente a
este processo, os docentes também enfrentam outro desafio: o de ensinar a produção textual nestas
modalidades. Os gêneros textuais mais frequentes nestes exames são o artigo de opinião e o texto
dissertativo-argumentativo. Como sugerem as Diretrizes Curriculares Nacionais, o texto é o elemento
apropriado para o ensino da língua e, também os estudos de Geraldi (2006) apontam que é necessário
desenvolver diferentes estratégias de produção textual. Para escrever um texto, precisa se conhecer a
língua. Pautadas na fundamentação de que o uso da linguagem e a forma de ação e interação social
acontecem em textos, segundo Antunes (2009), esta proposta objetiva apresentar um estudo
comparativo dos gêneros artigo de opinião e texto dissertativo-argumentativo conforme solicitado pelo
ENEM, demonstrando suas similaridades e as suas diferenças. Espera-se que ao final deste estudo,
se possa estabelecer as diferenças destes dois gêneros textuais, tão presentes na vida dos alunos que
estão prestes a se submeter a exames e também colaborar no processo de ensino de tais gêneros,
efetivando o ensino da língua portuguesa como prática social sugerido pelas Diretrizes Curriculares
Nacional.

PALAVRAS-CHAVE: Artigo de opinião. Dissertação. Língua Portuguesa. Ensino.

AS (IM)POSSIBILIDADES DE UM TRABALHO INTERDISCIPLINAR NO ENSINO DE LÍNGUA E


LITERATURA: DISCUTINDO PRÁTICAS DE LEITURA E PRODUÇÃO TEXTUAL

Gabriela Martins Mafra (UNICENTRO - PG)

RESUMO: Este estudo tem como objetivo investigar o ensino de língua portuguesa sob um viés
interdisciplinar, a partir da análise do trabalho prescrito e planificado do professor. Dessa forma, nosso
foco de pesquisa são tanto às normas e regras, textos, programas e procedimentos que regulam as
ações, quanto também às ações específicas ou tarefas que os diferentes agentes devem realizar na
situação de aula (MACHADO, 2009). O contexto empírico da pesquisa é o Projeto Integra, o qual é
vinculado a Pró-reitoria de Extensão e Cultura da Universidade Estadual do Centro-Oeste
(UNICENTRO). O Projeto atende alunos de escolas públicas que estejam cursando o segundo ano do
Ensino Médio, promovendo uma integração com estudantes de graduação e pós-graduação da
universidade, de modo a possibilitar contribuições para a formação científica cultural dos envolvidos.
Nesse sentido, o Projeto propõe preparar o aluno para ingressar em uma universidade, além de
desenvolver capacidades de leitura e escrita para agir no mundo como um ator nas diversas esferas
sociais (MACHADO; LOUSSADA; FERREIRA, 2011). A pesquisa inscreve-se no campo da Linguística
Aplicada, é de cunho qualitativo e pode ser caracterizada como uma pesquisa ação. Justifica-se por
discutir práticas de letramento interdisciplinares, no processo de transposição didática, e por apontar
(im)possibilidades no ensino de língua e literatura. Verificamos que há um diálogo entre o trabalho
prescrito e planificado, pois os documentos oficiais, o plano de ensino da disciplina, e a sinopse das
atividades para o ensino de Língua Portuguesa assumem uma perspectiva interacionista e pontuam
três dimensões a serem trabalhadas em Língua Portuguesa: literatura, análise linguística/gramatical e
produção de textos (BRASIL, 2018). Constatamos, também, no trabalho planificado práticas clássicas
e interacionais/comunicacionais voltadas a um ensino mais lúdico, crítico e digital. Avaliamos que tais
práticas mobilizam diversas habilidades como a leitura, a escrita, a escuta e a tradução. Por fim,

RESUMOS Página 22
verificamos que há uma perspectiva interdisciplinaridade, pois a ação é mobilizada pelos blocos
temáticos.

PALAVRAS-CHAVE: Ensino-aprendizagem. Projeto de extensão. Interdisciplinaridade.

AS ESTRATÉGIAS DE REFERENCIAÇÃO EM LETRAS DE RAP

Leiliane Rodrigues Barbosa (UENP/CCP– G)


Lívia Maria Turra Bassetto (UENP/CCP – PQ)

RESUMO: Os procedimentos de referenciação resultam de processos de escolhas dos materiais


linguísticos dos quais um sujeito faz uso com base em um querer-dizer, ou seja, na ocasião de
interação verbal, o sujeito (re)constrói sua realidade a partir de determinadas escolhas linguísticas que
faz, dentre tantas outras disponíveis na linguagem; interpreta o mundo segundo a sua realidade
construída através de procedimentos formados física, sócio e culturalmente pelo meio no qual está
inserido. Tendo em vista essa noção do processo de referenciação, este trabalho busca analisar os
esquemas referenciais construídos em duas canções – Ponta de lança e Afro rep – de autoria do
rapper brasileiro Danilo Albert Ambrosio, conhecido artisticamente como Rincon Sapiência, de modo a
desvendar as estratégias utilizadas pelo cantor para construção referencial, através dos estereótipos
compartilhados por determinada comunidade social, sobretudo pela forma como são utilizados termos
lexicais conhecidos nacional e internacionalmente. Apoiada nos pressupostos da Linguística Textual,
especialmente em Koch (2017), esta pesquisa procura, ainda, analisar de que forma o rapper garante
a continuidade de sentidos no texto por meio da utilização de recursos referenciais, bem como a forma
de (re)construção interativa dos objetos de discurso. Espera-se, com essa pesquisa, ainda em fase
inicial, colaborar para compreensão das estratégias de construção referencial, especialmente em
canções do gênero musical rap.

PALAVRAS-CHAVE: Rincon Sapiência. Linguística Textual. Referenciação.

BILDUNGSROMAN FEMININO OU CIRANDA DE PEDRA, DE LYGIA FAGUNDES TELLES

Danielle Felício Mafud (UENP/CCP – G)


Profa. Dra. Mariângela Alonso (UENP/CCP - PQ)

RESUMO: Esta comunicação é parte do desenvolvimento de uma pesquisa de Iniciação Científica


Voluntária, coordenada pela Profª. Drª. Mariângela Alonso, acerca da construção narrativa do romance
Ciranda de pedra (1954), de Lygia Fagundes Telles. Tendo em vista o estudo do bildungsroman
feminino, o presente trabalho aborda a fase infantil da personagem Virgínia, imersa em uma complexa
situação familiar, caracterizada sobremaneira pelas limitações sociais de um universo masculino que
procura ultrapassar em busca de uma outra verdade. A análise fundamenta-se em material
bibliográfico, com leituras de textos teóricos e críticos sobre o conceito do bildungsroman feminino e
sua presença na obra e a construção da personagem, com a utilização de autores, como: José Paulo
Paes (1998), Wilma Patrícia Maas (2000), Fábio Lucas (1990) e Norman Friedman (2002). O objetivo
desta comunicação é analisar e identificar na construção da obra mencionada aspectos do chamado
romance de formação na obra de Lygia Fagundes Telles. Apresentaremos também algumas
particularidades do desenvolvimento da personagem Virgínia na infância e a relação dessa construção
com a teoria que será abordada na obra em questão. Procuraremos expor uma síntese dos resultados
já obtidos da pesquisa bibliográfica e da análise da protagonista na primeira fase, a infantil. Com essa
pesquisa espera-se colaborar com os estudos acerca do bildungsroman feminino no romance brasileiro
e na obra da escritora.

PALAVRAS-CHAVE: Lygia Fagundes Telles. Bildungsroman. Infância. Personagem.

RESUMOS Página 23
“CINEMA E COMUNIDADE: CURTA-METRAGEM NA ONG MUSICARTE”

Amanda Rodrigues de Almeida (G- UENP/CCP)


Diná Tereza de Brito (PQ- CLCA- UENP/CCP)

RESUMO: A carência cultural da região de Cornélio Procópio tem mobilizado a atuação conjunta entre
Universidade e ONG. Este projeto, portanto, dá continuidade a essa parceria, tendo em vista promover
o curta metragem como vivência cultural acessível e relevante para crianças e jovens (principalmente)
que frequentam ou que possam vir a frequentar o local. O esperado é que a comunidade acadêmica
venha a se envolver com as demandas sociais da região, como complementação da formação do
graduando de Letras. Assim, objetiva-se promover o cinema na modalidade curta-metragem entre
público infantil e juvenil procopense, envolvendo outros públicos, se possível, e assim contribuir para a
promoção de outras práticas culturais naquele espaço da ONG Musicarte. A Metodologia será,
primeiramente, o estudo sobre cinema e curta-metragem, para obter embasamento teórico e
metodológico e nas ações com o público fazer as projeções de vários filmes previamente preparados,
elaborando-se a motivação e a discussão sobre as temáticas que envolvam os problemas sociais e
culturais, que estejam mais próximos das famílias, cujos pais e familiares também poderão estar
presentes, haja vista serem convidados a acompanharem seus filhos às sessões apresentadas. Alguns
teóricos como Jean Carlos Dourado de Alcântara, João Batista Freitas CARDOSO, Roberto Elísio dos
Santos e Herom Vargas serão utilizados nas explanações e estudos.

PALAVRAS- CHAVE: Cinema. Curta-metragem. Vivência cultural. ONG Musicarte.

CIRANDA DE ESPELHOS NA OBRA DE DALTON TREVISAN: A CONSTRUÇÃO EN ABYME NA


FIGURA DE NICANOR.

Lucas Breda Magalhães (G-UENP/CRELIT)


Mariângela Alonso (PQ-UENP/USP)

RESUMO: Dalton Trevisan encontra-se em um lugar de destaque na lista dos melhores contistas
brasileiros e configura-se como um dos escritores paranaenses de maior visibilidade. Dessa forma,
dotado de um estilo único e performático, o projeto literário do escritor curitibano começa a ganhar
corpo a partir das publicações da revista Joaquim ainda na primeira metade do século XX; tais revistas
são compreendidas como seu primeiro campo experimental. Vale destacar que os traços recorrentes
de seu estilo já se fazem presentes nestas publicações, principalmente no que tange ao aspecto da
repetição em sua ficção que se estende até mesmo nas produções mais recentes. Nesse sentido,
compreendendo que a repetição é parte de um ato consciente do autor e é concebida como um
fenômeno presente no procedimento narrativo da mise en abyme, no qual o texto literário espelha-se
em uma ciranda infinita, a presente comunicação objetiva realizar uma breve análise do espelhamento
existente na figura do personagem Nicanor em dois contos de Dalton Trevisan publicados nos volumes
de Joaquim. Para tanto, o trabalho se pauta nas discussões abordadas por Franco-Júnior (2010;
2014), Bernardi (1983), Waldman (2014), Alonso (2017), Dallenbach (1977), dentre outros estudiosos.
É importante evidenciar que esta apresentação é um recorte de um projeto de pesquisa intitulado “A
presença da Revista Joaquim na obra de Dalton Trevisan” coordenado pela Profª. Dra. Mariângela
Alonso.

PALAVRAS-CHAVE: Mise en abyme. Dalton Trevisan. Revistas Joaquim. Espelhamento.

RESUMOS Página 24
CLUBE DE LEITURA ‘VIVER E TECER HISTÓRIAS’: IMPRESSÕES SOBRE O PRIMEIRO
ENCONTRO

Juliete Rosa Domingos


(UENP/ Campus Cornélio Procópio)
Pós-Graduanda (PG)– Bolsista pela Capes)

RESUMO: O presente trabalho, o qual subsidiado pela Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de


Pessoal de Nível Superior), visa expor a síntese da pesquisa-ação intitulada Viver e tecer histórias: a
animação de Leitura para a formação de leitores no interior paulista, em desenvolvimento no programa
do Mestrado Profissional em Letras (Profletras) – Campus Cornélio Procópio/PR. Pretende-se,
portanto, apresentar a trajetória, até o momento, da proposta de implantação de um clube de leitura
extraclasse. A ideia no que diz respeito ao clube é que ele funcione como suporte para a prática de
estratégias diferenciadas, referentes à leitura de obras de literatura infantojuvenil de qualidade
relevante, na escola. O público-alvo visado é uma turma de 6º ano, pois, ao se refletir acerca de
experiências de professores e pesquisadores que se debruçam sobre à problemática que permeia a
formação do leitor, principalmente, no campo literário, considera-se que é a partir dessa série que o
educando começa a se “afastar” do universo das narrativas infantojuvenis. Para tanto, as atividades
centradas no trabalho com a mediação de leitura previstas para a constituição do clube partem da
proposição da animação de leitura (CECCANTINI, 2009) como alicerce, visto que essa proposta
sugere a elaboração de ações que proporcionam ter a leitura literária como uma prática cultural
centralizada e efetiva no ambiente escolar.

PALAVRAS-CHAVE: Clube de leitura. Animação de leitura. Formação do leitor literário.

CONCEITOS BAKHTINIANOS: PROPOSTA DE ANÁLISE PARA O TRABALHO COM A LEITURA

Ana Paula Costa Furman (UNICENTRO-PG)


Cibele Krause Lemke (UNICENTRO-PQ)

RESUMO: Para que possamos ter a participação ativa e crítica dos sujeitos na sociedade, a leitura a
análise dos fatos que acontecem diariamente e dos textos que circulam nas diferentes esferas sociais
são aspectos necessários. Essa prática é iniciada e desenvolvida na escola, orientada por documentos
oficiais, tais como as Diretrizes Curriculares da Educação Básica (DCE), que orientam o ensino e
aprendizagem de Língua Portuguesa. Considerando o contexto escolar, este trabalho trata de
possibilidades de estudo e análise de textos, com o objetivo de contribuir à prática docente por meio de
alternativas no trabalho com a leitura e, assim, ao seu desenvolvimento por meio dos alunos da
Educação Básica, refletindo em suas atuações na sociedade como sujeitos críticos e participativos.
Para tanto, embasamo-nos nas discussões do Círculo de Bakhtin, especificamente nos conceitos de
entoação valorativa e contexto extraverbal (VOLOCHINOV; BAKHTIN, 1926), e nas prescrições sobre
o ensino de leitura a partir das DCE (PARANÁ, 2008). Na pesquisa, analisamos um texto do cotidiano,
uma postagem no Feed de Notícias de um perfil da rede social Facebook, a respeito do fato ocorrido
com uma mulher da cidade de Guarapuava, no mês de agosto de 2018. Buscamos apresentar
possibilidades de leitura e análise do texto, subsidiados pelos conceitos de entoação valorativa e
contexto extraverbal, que poderiam ser realizadas com turmas do Ensino Médio, de maneira adequada
a cada situação de ensino. Com a pesquisa, pudemos verificar que os conceitos bakhtinianos podem
ser utilizados em situações de leitura, em sala de aula, de modo a desenvolver a habilidade de leitura e
as capacidades linguístico-discursivas dos estudantes.

PALAVRAS-CHAVE: Ensino de língua materna; Leitura; Entoação valorativa; Contexto Extraverbal.

RESUMOS Página 25
CRISTIANISMO VERSUS SATANISMO: A CONSTRUÇÃO DE OPOSIÇÕES NO DISCURSO DE UM
SATANISTA

Leiliane Rodrigues Barbosa (UENP/CCP– G)


Maria Eduarda Oliveira de Jesus (UENP/CCP– G)
Maiara Cristina Gonçalves (UENP/CCP– G)
Lívia Maria Turra Bassetto (UENP/CCP – PQ)

RESUMO: Os processos de construção do texto, para a Linguística Textual, consideram-no como meio
de manifestação da linguagem, o qual deve ser analisado em sua totalidade. Texto seria, então,
qualquer manifestação linguística, falada ou escrita, que possa fazer sentido em uma situação de
comunicação. Com base nessa concepção de texto, este trabalho tem como objetivo analisar o
discurso religioso de um membro de uma seita satânica, o qual revela suas convicções e crenças a
partir do seu texto oral, por meio de uma entrevista realizada por alunos de Letras. Nesta análise,
destaca-se a construção textual de oposições entre o Cristianismo e o Satanismo, bem como a
constituição das figuras de Deus e Satã, além da noção de religião para o autor do discurso. Para
tanto, recorrer-se-á aos pressupostos teóricos da Linguística Textual, de linha sócio-cognitivo-
internacionista, a fim de fazer uma análise de como se dá a organização textual e a construção de
oposições religiosas no discurso de um satanista. Assim, a partir da análise textual-discursiva da
entrevista realizada com um integrante de uma seita satânica, espera-se colaborar de forma positiva
para os processos de compreensão de como se dá a construção de sentidos no/do texto, em especial
por se tratar de um discurso pouco discutido como o satânico.

PALAVRAS-CHAVE: Satanismo. Linguística Textual. Construção de sentidos.

DA UTOPIA A DISTOPIA: O LUGAR NENHUM DO SÉCULO XIX E O NÃO-LUGAR DOS SÉCULOS


XX E XXI

Isabella Tagata Ferreira (UENP/ CCP – G)


Priscila Aparecida Borges Ferreira Pires (UENP/ CCP – PQ)

RESUMO: A literatura de cunho distópico tem ganhado forças desde seu surgimento no início do
século XX, substituindo a produção literária utópica do século XIX. O presente trabalho é o início da
pesquisa Científica Voluntária, sob a orientação da Profa. Ma. Priscila Aparecida Borges Ferreira Pires,
que tem como objetivo verificar como se deu essa passagem da utopia para a distopia, para
posteriormente realizar uma análise e comparação de duas obras, uma clássica e uma
contemporânea, de teor distópico, Admirável Mundo Novo de Aldous Huxley, publicada em 1932, e
Jogador Número 1 de Ernest Cline, publicada em 2011, para então responder a pergunta: Seria
Jogador Número 1 efetivamente uma distopia? Para a pesquisa, foram utilizados estudos de Koop
(2011), Martins (2011), Clays (2013) e Hilário (2013), buscando analisar a trajetória das utopias, desde
seu surgimento até os dias atuais, culminando no nascimento das distopias e o subsequente
crescimento dessas, perpassando por obras clássicas da literatura mundial até sua entrada na
literatura de massa, mais especificamente na literatura mais voltada para o público infanto-juvenil e
juvenil (Young Adult – YA), no início século XXI, em que o gênero proliferou com rapidez, ganhando
popularidade e tornando livros com a temática em sucessos de venda, figurando no topo das listas de
mais vendidos.

PALAVRAS-CHAVE: Utopia. Distopia. Literatura de massa.

RESUMOS Página 26
DIDÁTICA DA LEITURA SUBJETIVA: ENSINO PARA A COMPETÊNCIA ESTÉTICA

Profa. Ma. Izabel Cristina Marson (EFM)


Ana Carolina Castro Batista (G)

RESUMO: Este trabalho tem por objetivo apresentar pesquisa sobre a Didática da leitura subjetiva
(2013), que tem no sujeito leitor o foco do ensino de leitura na escola. Partindo de considerações
acerca do papel do leitor, tem-se como intuito apresentar a teoria sobre depreensão do texto literário
por meio de elementos que revelam a subjetividade do leitor, bem como sua competência estética
(Rouxel: 2014, p.28). Plano de trabalho docente e oficinas para professores aqui integram sugestões
de proposições e formas de avaliação diagnóstica dos saberes de alunos e educadores. Deste modo,
a proposta visa indicar que o ensino de leitura requer, para professores, formação e capacitações; e,
para os alunos, atividades coerentes, com avaliações diagnósticas que apontem direções pertinentes a
novas leituras emancipatórias no campo do literário. A pesquisa justifica-se pela subjetividade da
leitura estar inserida de forma constitutiva no ato de ler, como questão contextual, sociocultural e
identitária do leitor em formação (Jouve: 2013, p.65). Com o delineamento do ensino de leitura a partir
do texto literário no contexto de atividades formadoras para professores e alunos estima-se apresentar
práticas avaliativas que contribuam para a aprendizagem da Língua Portuguesa por meio da leitura.

PALAVRAS-CHAVE: Leitura Subjetiva. Ensino de Leitura. Ensino Fundamental II. Leitores Jovens.

EDUCAÇÃO ESPECIAL: PROBLEMÁTICAS EM TORNO DO PROCESSO DE INCLUSÃO E DE


ENSINO-APRENDIZAGEM

Gabriela Martins Mafra (UNICENTRO - PG)


Aparecida de Fátima Martins Mafra (EFM)

RESUMO: A inclusão de alunos com necessidades especiais é uma realidade que está presente em
praticamente todas as escolas do ensino fundamental por amparo da lei Nº 13.146, de 6 de julho de
2015. Todavia, ainda é preciso discutir algumas problemáticas relacionadas à educação especial para
que ela não seja uma utopia. Há fatores básicos que influenciam diretamente o desenvolvimento
desses alunos, dentre eles: a infraestrutura escolar, a formação profissional, o compromisso
profissional e o compromisso familiar. Nesse contexto, este trabalho objetiva discutir essas
problemáticas por meio de uma análise linguística (BEZERRA; REINALDO, 2013) de dois instrumentos
de geração de dados: um questionário escrito e uma entrevista oral realizados com um professor da
educação básica, que atua há mais de 12 anos na educação especial. A pesquisa é de natureza
qualitativa (COHEN; MANION; MORRISON, 2007) e enquadra-se como um estudo de caso
(JOHNSON, 1992). Os resultados demostram que essas problemáticas ainda estão presentes no
processo de inclusão do aluno com necessidades especiais, comprovando, assim, que não temos tido
medidas ou ações para amenizar o quadro negativo relacionado à educação especial. Sendo assim,
constatamos que esses fatores precisam ser pensados por todos os envolvidos no processo de
ensino-aprendizagem: pais, profissionais da escola e sociedade em geral. Portanto, a pesquisa
contribui com estudos relacionados ao sentimento de pertencimento ao ambiente escolar, de alunos
com necessidades especiais.

PALAVRAS-CHAVE: Educação especial. Inclusão. Profissionais da educação.

RESUMOS Página 27
FORMAÇÃO DO LEITOR E O ENSINO DE LITERATURA

Tatiele Jesus Faria (UEL- PG)

RESUMO: Uma das grandes discussões que se tem no ambiente escolar, diz respeito a práticas da
leitura e a formação de leitores, entretanto estas não devem se limitar apenas à sala de aula, é preciso
oportunizar ao aluno o acesso a várias leituras, dentre elas a literária. Considerando que o processo de
leitura atende a diversas finalidades como: um direito de todos, contínuo aprendizado, formação de
seres pensantes e entretenimento, Solé (1998) defende que é o contato com a escrita que permite
mais e mais o desenvolvimento da habilidade metalinguística que, como um sistema em espiral, que
quando implementada facilita o desenvolvimento da competência na leitura e na escrita. Dentro dessa
perspectiva, este trabalho tem por objetivo apresentar apontamentos sobre leitura de literatura e
formação de leitores no ambiente escolar, a partir do letramento literário, tendo como base os
pressupostos teóricos abordados por Rildo Cosson, Teresa Colomer, Isabel Solé e Beth Brait.

Palavra-chave: Leitura. Literatura. Formação de leitores. Escola.

GÊNERO TEXTUAL CARTA DE SOLICITAÇÃO/RECLAMAÇÃO: O DESENVOLVIMENTO DA


CAPACIDADE DE UTILIZAÇÃO DA ARGUMENTAÇÃO E CONTRA-ARGUMENTAÇÃO NO
PROCESSO DE ESCRITA DE PARÁGRAFOS EM LÍNGUA PORTUGUESA, DOS ALUNOS DO 7º
ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL II

Miriam de Oliveira Helbel Malaghini (UENP/CCP- PQ)

RESUMO: A presente pesquisa tem como objetivo o desenvolvimento da capacidade de utilização da


argumentação e contra-argumentação no processo de escrita de parágrafos em língua portuguesa
(LP), por meio dos gêneros textuais carta de solicitação/reclamação dos alunos do 7º ano do Ensino
Fundamental II, do Colégio Estadual Cecília Meireles, no município de Bandeirantes, Paraná. Com
vistas à produção da sequência didática do gênero textual carta de solicitação/reclamação e,
consequentemente, ao melhor desempenho discursivo e linguístico-discursivo dos alunos em
produções exigidas, também, em outras áreas do conhecimento e em respeito ao que prega o
Profletras na inovação do ensino de LP no Brasil, as principais teorias elencadas para balizar esta
pesquisa são o Interacionismo Sociodiscursivo – ISD (BRONCKART, 2008), análise do gênero textual
como objeto de ensino (SCHNEUWLY; DOLZ, 2010), na elaboração de material didático em sequência
didática (SD), na análise das capacidades de linguagem, respeitando e cobrindo lacunas deixadas por
proposições apresentadas pelos PCN (1997;1998), e DCE (2008) de Língua Portuguesa. A pesquisa é
de caráter interpretativo e interventivo, priorizando a abordagem qualitativa sobre a quantitativa, para
explorar precisamente os problemas e aprofundar teorias-base para melhor encaminhamento da
proposta, e que, com isso se possa alcançar melhorias na escrita de parágrafos dos alunos, em suas
produções textuais e discursivas em todas as áreas do conhecimento, além do material didático que
poderá ser útil ao trabalho de outros professores.

PALAVRAS-CHAVE: Paragrafação. Carta de solicitação/reclamação. Sequência didática.

RESUMOS Página 28
HISTÓRIA EM QUADRINHOS NO CONTEXTO EDUCACIONAL

Samantha de Cássia Fermino (UENP/CCP– G)


Roseli Peres (SEED/PR)

RESUMO: Abordar a forma escrita e oral dos aspectos do conceito do gênero História em Quadrinhos
no contexto escolar, por meio de um projeto com a proposta de definições e concepções de língua,
texto e discurso interculturais, usando o como suporte para o restauro da leitura e escrita com alunos
do 7° ano da turma do Colégio Estadual Zulmira Marchesi, com intuito de levar algo mais da realidade
dos alunos como forma de ferramenta para a sala de aula . Buscando também inserir no meio
pedagógico as História em Quadrinhos no contexto escolar como um meio de escape da forma
tradicional do ensino. O principal objetivo é levantar os preceitos contextuais e linguísticos presentes
nesse denominado gênero, e também levantar o contexto histórico da história em Quadrinhos e suas
características desde os primórdios de sua criação. Para isso, toma-se como fundamentação teórica os
preceitos da Linguística Textual de linha sócio-cognitivo-interacionista, por meio dos quais se pretende
demonstrar com a explicação e aplicação dos conceitos dos gênero em várias esferas de
comunicação, e como ela é interpretada em cada um deles e como pode ser usada no contexto
escolar. Considerando as manifestações culturais de cada região e as explorando usando o método
como forma de apoio para melhor entendimento das culturas presentes em nosso país.

PALAVRAS CHAVES: História em Quadrinhos. Ensino e Educação. Culturas.

HISTÓRIAS EM QUADRINHOS: FORMAÇÃO DO ALUNO LEITOR

Sandra Vaz de Lima (PG – PROFLETRAS - UENP)

RESUMO: O presente trabalho aborda questões relacionadas com leitura a partir do gênero textual
história em quadrinhos, trazendo reflexões sobre a prática de leitura, que na grande maioria não se
efetiva de forma significativa e não faz parte do cotidiano dos educandos. A pesquisa tem o intuito de
investigar como este gênero pode despertar o interesse pela leitura, por meio de fatos da atualidade,
com senso crítico e determinação sócio discursiva interacionista, bem como identificar como as HQs,
com as diferentes linguagens que as compõem, colaboram para a formação do aluno leitor, reconhecer
o papel da escola em promover o intercâmbio entre o aluno e a leitura, e apontar novas possibilidades
de utilização das HQs no âmbito educacional, considerando diversas vozes e contextos socioculturais
na escola. O projeto de intervenção será realizado com a turma do 9º Ano, no Colégio Estadual Jardim
Alegre, município de Telêmaco Borba – Paraná, com a metodologia do método criativo proposto por
Bordini e Aguiar (1989), com associação das HQs como um meio de apropriação e transformação da
realidade, gerando prazer e conhecimento de forma não exclusiva. E, ainda, com base na sequência
expandida, defendida por Cosson (2009), que contempla a compreensão global dos textos, com alguns
aspectos formais e o aprofundamento que seja mais pertinente aos propósitos do professor. Espera-se
que os alunos desenvolvam hábitos de leitura de maneira significativa, com novas oportunidades para
aprofundar saberes sobre o mundo, de forma a atuar ativamente na sociedade como um cidadão
participativo.

PALAVRAS-CHAVE: História em quadrinhos. Leitura. Senso crítico.

RESUMOS Página 29
INFOGRÁFICO: DA LENTE DOS ESPECIALISTAS À CONSTRUÇÃO DO MODELO TEÓRICO DO
GÊNERO

Leticia Vidotti dos Santos (UENP – G)


Eliana Merlin Deganutti de Barros (UENP)

RESUMO: A presente comunicação é fruto de uma pesquisa acerca do gênero textual “Infográfico”,
vinculada à disciplina “Língua Portuguesa III: Gêneros Textuais”, ministrada pela Profª. Drª Eliana
Merlin Deganutti de Barros, no curso de Letras – Português/Inglês, na Universidade Estadual do Norte
do Paraná (UENP). O estudo divide-se, primordialmente, em dois momentos: 1º uma busca pelas
vozes especialistas acerca da temática abordada; 2º a construção de um Modelo Teórico (BARROS,
2012) do gênero textual em questão. Depois de realizada uma pesquisa acerca da conceituação do
Infográfico, optou-se por trabalhar com a tipologia “Infográfico Complementar” (CIRNE, 2010), a partir
de exemplares extraídos de três revistas divergentes, sendo elas: a) Revista Saúde é Vital; b) Revista
Galileu; c) Revista Mundo Estranho. A construção da modelização teórica da infografia pauta-se nas
categorias analíticas do Interacionismo Sócio-Discursivo (BRONCKART, 2003) e também nas
Capacidades de Linguagem (DOLZ; SHNEUWLY, 2004), que possibilitam uma análise dos principais
recursos constituintes do gênero. O objetivo da presente comunicação centra-se na ampliação dos
conhecimentos de possíveis conceituações para o Infográfico, além disso, o estudo visa também a
apreensão dos elementos primordiais na constituição do gênero a fim de construir um modelo que
possibilite futuros materiais didáticos que tenham a infografia como foco de ensino e aprendizagem.

PALAVRAS-CHAVE: Gêneros Textuais. Língua Portuguesa. Infográfico. Modelo Teórico.

INGLÊS E EDUCAÇÃO INCLUSIVA

Ane Caroline dos Santos (UENP/CCP-G)

RESUMO: Tendo como pano de fundo o ensino de Língua Inglesa para alunos com necessidades
especiais na rede pública de ensino, esta pesquisa tem como objetivo investigar a realidade e as
possibilidades em relação ao ensino de inglês para alunos com Transtorno de Déficit de Atenção e
Hiperatividade (TDAH). A literatura que embasa o estudo situa-se no âmbito do ensino-aprendizagem
para alunos com TDAH (FONSECA 2014; MARTINS 2011; OLIVEIRA 2014; OLIVEIRA E SILVA 2016;
PEREIRA 2009; ROHDE; BENCZIK 1999), bem como história, diagnóstico, e sintomas do transtorno
(BRZOZOWSK; CAPONI 2015; CALIMAN, 2010; COUTO, JUNIOR, GOMES, 2010; MATTOS 2005;
ORNELLAS; ARAÚJO, 2018; REZENDE, 2016) e ainda a legislação oficial (BRASIL, 1998, 2001) sobre
o ensino inclusivo. O estudo de caso, de natureza qualitativa, envolve dois (2) participantes de duas (2)
escolas públicas na cidade de Andirá, no norte do Paraná. O instrumento de geração de dados
constitui-se de observação de seis (6) aulas, três em cada instituição, e uma entrevista
semiestruturada, gravada em áudio. Ademais, a pesquisa foi submetida e aprovada pelo Comitê de
Ética da Universidade Estadual do Norte do Paraná. Os dados já foram gerados e estão em fase
analítica. Com isso, espera-se que a pesquisa possa trazer contribuições pragmáticas para o contexto
investigado, bem como contribuições teórico-metodológicas para a literatura no campo investigado.

PALAVRAS-CHAVE: Ensino de Língua Inglesa. Educação Inclusiva. TDAH.

RESUMOS Página 30
INQUIETAÇÃO E QUIASMO NO CONTO AMOR, DE CLARICE LISPECTOR
Carla Diniz (G-UENP/CCP-ICV)
Janaíne Ruiz (G-UENP/CCP-ICV)
Mariângela Alonso (UENP/CCP/USP-PQ)

RESUMO: Esta pesquisa tem por objetivo o estudo da construção da personagem Ana no conto Amor,
da coletânea Laços de família (1960), de Clarice Lispector. Nesta narrativa, a personagem é
surpreendida por um cego no ponto de bonde, imagem que suscita uma longa introspecção. A partir
deste fato, o conto irrompe em uma disruptura. Assim, a presente comunicação procurará analisar
aspectos como o núcleo familiar e a figura feminina que se apresentam por meio de elementos
quiasmáticos, ou seja, um jogo de espelhos identitários, em que a protagonista vivencia questões
contraditórias. Além disso, averiguaremos a presença da epifania, procedimento caracterizado como
uma espécie de momento crucial e impactante na vida das personagens claricianas. O conto em
questão é marcado pela linha de tensão, sendo a ruptura dos pensamentos anteriores em que se
abrem a novos horizontes, fazendo com que a personagem Ana saia de sua zona de conforto, como
nos apresenta o crítico e filósofo Benedito Nunes (1995). A utilização de elementos como quiasmo,
epifania e linha de tensão apresentam efeitos devastadores para a personagem e são características
primordiais da ficção de Clarice Lispector. Em linhas gerais, buscamos empreender uma análise ao
conto mencionado, pautando-nos pelos estudos de Benedito Nunes (1995), Yudith Rosenbaum (2009),
Assis Brasil (1988), entre outros.

PALAVRAS-CHAVE: Clarice Lispector. Quiasmo. Epifania. Linha de Tensão.

INTIMISMO E PRESENTIFICAÇÃO: O SOLILÓQUIO EM “AÍ PELAS TRÊS DA TARDE”, DE


RADUAN NASSAR

Maria Luiza Navarro Martins (G-UENP/CPP-ICV)


Mariângela Alonso (UENP/USP-PQ)

RESUMO: Na década de 70, a literatura brasileira se desdobrava em duas vertentes principais,


conforme Flora Sussekind (2004): a chamada “literatura do eu”, de caráter intimista, e a “literatura
verdade”, vinculada ao realismo social, preocupado com o ato de denúncia e crítica ao regime militar.
Destoando dessas tendências, Raduan Nassar empreende um projeto isolado com seus narradores
solitários, transgressores e encolerizados. Sua prosa lírica, latente e verborrágica, bem como no seu
engajamento amplificado (PERRONE-MOISÉS, 1996) tornou sua produção uma incógnita para os
críticos. A força do discurso nassariano parece surgir da feição dramática de suas composições, como
o elemento trágico no romance Lavoura arcaica (1975) e a teatralização na novela Um copo de cólera
(1978). Baseando-se na concepção de estilos poéticos de Emil Staiger (1977), esta comunicação
pretende discutir o solilóquio do narrador-personagem do conto “Aí pelas três da tarde” (1972),
publicado originalmente no semanário paulista Jornal do Bairro e posteriormente na coletânea Menina
a caminho (1997). Tendo em vista que a prosa nassariana, dentre outros aspectos, atua como uma
lupa de aumento no plano íntimo, focalizando as ressonâncias da ação de macroesferas de poder na
individualidade (LIMA, 2006), trabalha-se com a hipótese de que no conto em análise o autor não
abandonaria uma postura presentificadora, pois o solilóquio seria estruturador de um jogo
intersubjetivo na narrativa. A pesquisa é desenvolvida a partir de aparato teórico e crítico de Perrone-
Moisés (1996), Abati (2001), Lima (2006), Piglia (2004), Cortázar (2006), Friedman (2002), Leite
(2002), dentre outros, e faz parte de projeto de Iniciação Científica Voluntário, intitulado “O papel do
narrador em contos de Raduan Nassar”, ainda em andamento. Portanto, para a presente
comunicação, serão considerados os resultados preliminares da investigação.

PALAVRAS-CHAVE: Raduan Nassar. Aí pelas três da tarde. Solilóquio.

RESUMOS Página 31
LEITURA DE TEXTOS FÍLMICOS EM SALA DE AULA

Priscila Caetano Sinópolis (UENP/CCP – G)


Bruna Carolini Barbosa (UENP/CCP – PQ)

RESUMO: Esta pesquisa é parte de um projeto de Iniciação Voluntária em desenvolvimento sob a


orientação da professora Mestra Bruna Carolini Barbosa na Universidade Estadual do Norte do Paraná –
UENP,campus Cornélio Procópio. Neste projeto o trabalho segmenta-se em duas etapas: análise do objeto
de estudo e posterior desenvolvimento de uma proposta didática sob a ótica da Pedagogia dos
Multiletramentos(NEW LONDON GROUP, 1996; KALANTZIS & COPE, 2004; 2006; 2013; LANKSHEAR e
KNOBEL, 2011). Temos como objeto de estudo a linguagem fílmica, tendo em vista sua potencialidade
enquanto material de leitura das multimodalidades da linguagem e das questões sociais. O interesse neste
objeto surgiu da constatação de que a noção de textoestá, geralmente, associada à modalidade escrita da
língua,entretanto, a escrita não é exclusiva em produção de sentidos, uma vez que temos diferentes signos
linguísticos implicados nos textos multissemióticos. O objetivo desta comunicação é analisar a trilha sonora
enquanto signo linguístico e evidenciar seus efeitos de sentido no episódio “San Junipero” da série Black
Mirror, com base nos estudos sob a linguagem fílmicas de autores como Jullier e Marie (2009), Vonoye e
Goliot-Lété (1994) e Robert Edgar-Hunt, John Marland e Steven Rowle (2013).Esperamos contribuir com as
atividades de leitura de textos multimodais em sala de aula e com as pesquisas da área.

PALAVRAS-CHAVE: Linguagem Fílmica. Leitura. Multiletramentos.

LEITURA E ANÁLISE DO GÊNERO TEXTUAL APÓLOGO

Letícia Jovelina Storto (PQ-UENP; PQ-UEPG-CAPES)


Karen Alves de Andrade (PQ-IFPR)

RESUMO: Este estudo tem como objetivo realizar uma leitura textual-discursiva do texto “O pneu vaidoso”,
de Diléa Frate. Trata-se de um apólogo que faz parte do livro “Histórias para acordar”, publicado em 1996
pela editora Companhia das Letrinhas, a qual se volta ao público infanto-juvenil. Na década em que a obra
livro foi publicada, as tecnologias de informação e a globalização já exerciam grande influência, o que gera
a alta valorização do produto externo ou internacional. O texto em análise conta a história de dois pneus, um
americano e um brasileiro, que discutiam a respeito da preferência que os brasileiros dão a tudo o que é de
fora. Trata-se de um texto da ordem do narrar, cujos elementos colaboram para a construção de um texto
coerente que busca criar um contexto lúdico e descontraído.

PALAVRAS-CHAVE: Gênero textual. Apólogo. Análise linguístico-discursiva.

LEITURA LITERÁRIA NO ENSINO FUNDAMENTAL II: DO CONTEMPORÂNEO AO CANÔNICO

Irene Aparecida Gonçalves (UENP - PG)

Esta pesquisa se volta à reflexão sobre a importância da leitura dos clássicos na escola, tendo como ponto
de partida o diálogo com uma obra contemporânea. Objetiva-se elaborar e executar sequência didática
expandida de leitura (COSSON, 2009) da obra O Dom do Crime, de Marco Lucchesi, como mediação de
leitura para a obra Dom Casmurro, de Machado de Assis, propondo-se a partir dela expansão com uma
sequência expandida. Para tanto, metodologicamente, adota-se a pesquisa qualitativa, com enfoque
etnográfico, pesquisa-ação, bem como a bibliográfica, com análise de conteúdo. A intervenção se dá no
contexto educacional de um nono ano de uma escola pública de Curiúva, no Estado do Paraná, com a
regência da professora pesquisadora. Os pressupostos teóricos adotados se voltam para estudos sobre
literatura, letramento literário, formação de leitor, leitura dos clássicos e metodologias de ensino, tendo como
apoio Calvino (2004), Cosson (2009), Machado (2002), dentre outros.

PALAVRAS-CHAVE: Educação Literária. Cânone. Leitura dos Clássicos. Mediação de leitura.

RESUMOS Página 32
LEITURA NO ENSINO FUNDAMENTAL: A FORMAÇÃO DO LEITOR PERENE

Carla Fernanda Camara (UENP/Pós-Graduando)

RESUMO: Esta pesquisa propõe uma análise e intervenção em uma escola estadual pública com o
objetivo de contribuir para a formação de leitores perenes. Entende-se como leitor perene aqueles
sujeitos que, encerrando o ciclo escolar, mantêm em sua vida cotidiana a leitura do texto literário como
uma atividade cultural contínua, a despeito, portanto, de estarem inseridos em um contexto escolar. A
proposição a ser feita busca atender ao currículo oficial do estado de São Paulo, bem como ao
material didático obrigatório adotado pela rede estadual. Para isso, a metodologia proposta se
sustentará pelo princípio da leitura literária por meio do método criativo. Buscar-se-á embasamento
teórico em Bordini e Aguiar, Ceccantini, entre outros.

PALAVRAS-CHAVE: Literatura juvenil. Mediação de leitura. Autonomia de leitura.

LETRAMENTO LEXICOGRÁFICO EM SALA DE AULA: LÉXICO E DICIONÁRIOS EM CONTEXTO


DE ENSINO-APRENDIZAGEM

Marcelo Sabino Luiz (UENP/CCP- Pós-graduando Profletras)


Fernando Moreno (UENP/CJ- PQ)

RESUMO: Este trabalho subscreve-se no âmbito das investigações do Grupo Paranaense de Estudos
do Léxico (GruPEL-UENP). O objetivo desta comunicação pretende destacar como o estudo do léxico
e a exploração de dicionários em sala de aula tem sido atualmente tratada de maneira bastante
minimalista e “indiscriminada”, sendo por diversas vezes menosprezados na aprendizagem de língua
materna. Neste estudo, inculca-se uma proposta de letramento escolar visando a efetivação do uso de
dicionários pedagógicos, ao ressaltar suas inerentes potencialidades e repercussões na aprendizagem
da leitura e escrita. Para fins expositivos, propomos trazer breves resultados das atividades
interventivas aplicadas numa turma de 5º ano do Ensino Fundamental em escola pública. Esta
pesquisa, justifica-se em fundamentos lexicográficos, a fim de corroborar com a concepção de que a
exploração de dicionários em sala de aula, quando proposta com objetivos claros e delineados,
permite reforçar a retenção dos conteúdos e desenvolver significativamente o vocabulário dos
estudantes, já que os dicionários são instrumentos polivalentes e documentam uma série de
informações linguísticas sobre o léxico da língua. Com os resultados da pesquisa, espera-se assinalar
a natureza pedagógica e indispensável dessas ferramentas paradidáticas como instrumentos capazes
de ampliar as capacidades linguístico-discursivas dos aprendizes e a inscrição do aluno no mundo da
escrita. Acreditamos, sobretudo, que a instrumentalização de uso do dicionário pode contribuir não
apenas nas atividades escolarizadas pelo professor, mas nas práticas da vida cotidiana que se utilizam
da escrita como meio de comunicação, pois considera que os dicionários são textos que circulam em
muitas esferas sociais, divulgando as ações de linguagem do homem e da própria cultura.

PALAVRAS-CHAVE: Letramento Lexicográfico. Léxico. Dicionários Escolares. Leitura e Escrita.

RESUMOS Página 33
LIBRAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES: DIFICULDADES IDENTIFICADAS NO PROCESSO
DE ENSINO-APRENDIZAGEM

Josiane Junia Facundo (PG-UEL)


Cleusa Camargo de Oliveira (PG-UNESP)

RESUMO: O presente artigo apresenta as análises acerca de dificuldades identificadas no processo de


ensino-aprendizagem de Libras no curso de Pedagogia em uma universidade pública paranaense.
Foram analisadas quatro turmas que estavam finalizando a disciplina e em fase de conclusão do curso.
Para se chegar aos resultados aqui encontrados, utilizou-se de uma entrevista semiestruturada com a
Docente da disciplina e de um questionário para 90 estudantes de Pedagogia. Para a análise dos
dados, baseou-se no decreto 5626/05 que regulamenta a lei 10.436 de 2002, a qual reconhece a
Língua de Sinais Brasileira, bem como referências em ensino de línguas (GESSER,2006;
REBOUÇAS,2009; WILCOX e WILCOX, 2005); em estudos da Língua de Sinais (RAMOS,2003;
QUADROS e KARNOPP, 2004; SOFIATO,2005). Algumas das dificuldades estiveram relacionadas à
organização das turmas, quanto à quantidade de alunos, enquanto outras a questões mais
particulares, ligadas a habilidades requeridas pela especificidade da modalidade espaço-visual, própria
das Línguas de Sinais, como coordenação motora e memorização dos sinais. Depreendeu-se com
esse estudo que os resultados possam contribuir para a reorganização da disciplina de Libras em
turmas posteriores, bem como de outros cursos de Licenciatura, de Pedagogia e outros cursos que
venham ofertar a disciplina de Libras nas diversas instituições de Ensino Superior no Brasil.

PALAVRAS-CHAVE: Ensino Superior. Formação de professores. Ensino-aprendizagem. Libras.

LÍNGUA PORTUGUESA: PRÁTICAS E IMPRESSÕES INICIAIS DO PROGRAMA DE RESIDÊNCIA


PEDAGÓGICA

Giulia Mically Vareschi (UENP/CP - G)


Isabella Tagata Ferreira (UENP/CP - G)
Leticia Celeti da Silva (UENP/CP - G)

Resumo: O projeto de ensino de língua portuguesa, desenvolvido pelo Programa de Residência


Pedagógica e patenteado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior
(Capes) no curso de Letras da UENP, Campus Cornélio Procópio, teve início no segundo semestre do
ano de 2018 e tem como um de seus parceiros o Colégio Estadual Zulmira Marchese Silva, localizado
no mesmo município. Para a efetivação das atividades interventivas do projeto estão sendo realizadas
reuniões semanais de embasamento teórico para sustentar o trabalho. Tendo isso em vista, o objetivo
desta apresentação é demonstrar como está sendo organizado e materializado o trabalho da formação
inicial durante a intervenção didática por meio do programa. Esses procedimentos estão sendo
pautados em estudos teórico-metodológicos acerca de autores como Rildo Cosson (2007), em
aspectos de ensino da literatura e William Roberto Cereja (2005), acerca de materiais didáticos de
língua portuguesa. Pode-se perceber que, no decorrer do projeto, os acadêmicos aperfeiçoam suas
capacidades de agir no ambiente escolar, de modo a virem, posteriormente, a familiarizarem-se com a
docência e reduzirem barreiras existentes entre a formação e o exercício profissional de um professor,
que são questões vigentes do ambiente acadêmico. Além disso, apresentaremos os objetivos
instrumentais e educacionais que guiam a elaboração de nossas atividades, além de partilharmos as
representações sobre as expectativas e o impacto inicial do projeto em nossa formação docente.

PALAVRAS-CHAVE: Residência Pedagógica. Língua Portuguesa. Desenvolvimento acadêmico.

RESUMOS Página 34
LITERATURA AFRO-BRASILEIRA: UMA VOZ AO SOL

Andreza Roberta Poletini (UENP/CCP/FA-G)


Ana Paula F. Nobile Brandileone (UENP/CCP-PQ)

RESUMO: A produção ficcional brasileira contemporânea tem se voltado para a representação de


alguns grupos sociais silenciados, como mulheres, pobres, negros, indígenas, (ex) presidiários,
deficientes físicos, dentre outros (DALCASTAGNÈ, 2005). No que se refere especificamente ao negro,
a pesquisadora confirma a escassez de publicações que privilegiem a cultura africana e as
personagens negras na literatura brasileira contemporânea, já que quase 80% dos personagens são
brancos, proporção que aumenta quando se isolam protagonistas ou narradores. Numa perspectiva
avessa a esta, inscreve-se a literatura afro-brasileira, que se apresenta como lócus de e por onde essa
voz silenciada busca a (re)construção de sua identidade. Nesse contexto, este trabalho tem por
objetivo verificar como se revelam as formas de representação identitária na literatura afro-brasileira.
Vale destacar que esta proposta de comunicação está inserida em estudos realizados para o Programa
de Iniciação Científica (PIBIC-UENP/FA), cujo subprojeto intitula-se “A construção e a representação
identitárias do negro em Cadernos Negros”, e vincula-se a projeto maior de pesquisa, “Processos e
construções identitárias na ficção brasileira contemporânea: práticas de educação literária”,
coordenado pela Profa. Dra. Ana Paula F. Nobile Brandileone (UENP-CCP). São os objetivos,
metodologia de pesquisa, corpus literário e teórico, assim como os resultados esperados por este
subprojeto de pesquisa, o que se propõe a apresentar.

PALAVRAS-CHAVE: Literatura Brasileira Contemporânea. Literatura afro-brasileira. Representação


Identitária

LITERATURA INFANTIL E ALFABETIZAÇÃO: PROCESSOS DE MEDIAÇÃO DE LEITURA

Pedro Geraldo Gonçalves (UENP/CCP-PG)


Profa. Dra. Vanderléia da Silva Oliveira (Orientadora UENP/CCP-PQ)

RESUMO: O presente trabalho tem como foco a abordagem da literatura infantil no processo de
alfabetização do primeiro ciclo do ensino fundamental. Objetiva-se investigar de que forma o texto
literário é explorado nesse etapa e quais as suas contribuições para a formação da criança leitora, a
partir de práticas de mediação implementadas pelo professor alfabetizador. Para tanto,
metodologicamente adota-se a pesquisa qualitativa, com enfoque etnográfico, pesquisa-ação, bem
como a bibliográfica, com análise de conteúdo. A prática investigativa se dá no contexto educacional
de um primeiro ano de uma escola pública da cidade de Ourinhos, Estado de São Paulo, com a
regência do professor pesquisador, com proposições de práticas de leitura de literatura infantil e
análise dos resultados obtidos. As propostas se pautam em estudos relacionados à área da produção
literária infantil, de letramento, alfabetização e mediações de leitura, tais como Cosson (2007), Cagliari
(1992), Mortatti (2004), Lemle (1988), Soares (2003), Cademartori (2006), Solé (1998), Saraiva (2001),
dentre outros. Espera-se que os resultados obtidos contribuam para a difusão de práticas
metodológicas que auxiliem no processo de alfabetização na referida faixa escolar.

PALAVRAS CHAVE: Literatura infantil. Mediação de leitura. Alfabetização. Séries iniciais.

RESUMOS Página 35
MANUAIS DIDÁTICOS E EDUCAÇÃO LITERÁRIA: PERCEPÇÕES DOS PRECEPTORES DA
RESIDÊNCIA PEDAGÓGICA DE LETRAS/UENP

Lucas Breda Magalhães (G-UENP/GP CRELIT)


Vanderléia da Silva Oliveira (PQ-UENP/GP CRELIT)

RESUMO: O processo de escolarização da literatura é objeto de discussão há muito tempo no âmbito


da Academia e da formação continuada de professores da educação básica. Todavia, não é incomum
observar certas contradições entre o que propõem os estudos e a efetiva prática no trato com o texto
literário no Ensino Fundamental I e II, bem como no Ensino Médio. Quando presente, por exemplo, a
fruição da literatura sequer fica em segundo plano, torna-se apenas um mecanismo para estudos da
gramática ou em trechos cuidadosamente selecionados para se comprovar determinadas
características dos períodos da história literária, aspectos esses nítidos a aqueles que folheiam as
páginas dos manuais didáticos presentes em muitas escolas do país. Torna-se relevante, portanto,
investigar as perspectivas dos professores em serviço em relação ao trabalho com a literatura exposta
nos manuais didáticos adotados, afinal, são eles que estão dia-a-dia nas escolas e lidam com as
adversidades recorrentes nesses ambientes. Dessa forma, compreendendo a necessidade de
depreender a ótica desses profissionais, aplicou-se um questionário com as preceptoras do Programa
Residência Pedagógica do curso de Letras Português/Inglês de Cornélio Procópio, de três escolas
parceiras, apresentando-se, aqui, a análise das respostas obtidas. Vale ressaltar que este estudo se
caracteriza como um recorte do subprojeto de pesquisa em nível de Iniciação Científica intitulado “A
Leitura Literária no Ensino Médio: espaço para debate e reflexão sobre a Literatura Afro-brasileira” em
desenvolvimento na Universidade Estadual do Norte do Paraná. Para tanto, a análise apresentada
encontra-se fundamentada a partir das discussões ligadas à Educação Literária e Letramento Literário:
Candido (1995; 2002), Bernardes & Mateus (2013), Cosson (2009; 2013) Ceia (2002), dentre outros
estudiosos.

PALAVRAS-CHAVE: Residência Pedagógica. Educação Literária. Manuais didáticos. Mediação de


leitura.

MODELIZAÇÃO DO GÊNERO INFOGRÁFICO NA PERSPECTIVA SOCIOINTERACIONISTA

Cristiane Romano Rodrigues de Oliveira (UNEP/CCP – PG)


Eliana Merlin Deganutti de Barros (UENP/CCP)

RESUMO: O presente trabalho tem como objetivo apresentar o modelo teórico do gênero infográfico,
elaborado a partir do quadro de análise de Bronckart (2009), sendo esse um recorte da dissertação
desenvolvida no Programa de Mestrado Profissional em Letras em Rede (PROFLETRAS), pela
Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP). A pesquisa parte de problematizações observadas
no contexto educacional, a partir da nossa experiência docente, em que constatamos a dificuldade dos
alunos em compreender a natureza dos textos multimodais, uma vez que há uma percepção vinda do
senso comum de que texto é composto apenas por palavras – materialidade verbal. Sendo assim,
nosso objetivo é, a partir dos estudos teórico-metodológicos do Interacionismo Sociodiscursivo (ISD),
elaborar e desenvolver um projeto de ensino ancorado na metodologia das sequências didáticas de
gêneros (SDG) tendo como objeto unificador o gênero jornalístico multimodal “infográfico”. Pretende-
se, a partir desse projeto, desenvolver e melhorar as capacidades de linguagem dos alunos em relação
ao gênero em questão, mas também, capacidades que possam ser transferidas para outras práticas de
linguagem, sobretudo, de natureza multimodais.

PALAVRAS-CHAVE: Infográfico. Modelo teórico. Multissemioses.

RESUMOS Página 36
MODELIZAÇÃO DO GÊNERO INFOGRÁFICO NA PERSPECTIVA SOCIOINTERACIONISTA

Cristiane Romano Rodrigues de Oliveira (UNEP/CCP – PG)


Eliana Merlin Deganutti de Barros (UENP/CCP)

RESUMO: O presente trabalho tem como objetivo apresentar o modelo teórico do gênero infográfico,
elaborado a partir do quadro de análise de Bronckart (2009), sendo esse um recorte da dissertação
desenvolvida no Programa de Mestrado Profissional em Letras em Rede (PROFLETRAS), pela
Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP). A pesquisa parte de problematizações observadas
no contexto educacional, a partir da nossa experiência docente, em que constatamos a dificuldade dos
alunos em compreender a natureza dos textos multimodais, uma vez que há uma percepção vinda do
senso comum de que texto é composto apenas por palavras – materialidade verbal. Sendo assim,
nosso objetivo é, a partir dos estudos teórico-metodológicos do Interacionismo Sociodiscursivo (ISD),
elaborar e desenvolver um projeto de ensino ancorado na metodologia das sequências didáticas de
gêneros (SDG) tendo como objeto unificador o gênero jornalístico multimodal “infográfico”. Pretende-
se, a partir desse projeto, desenvolver e melhorar as capacidades de linguagem dos alunos em relação
ao gênero em questão, mas também, capacidades que possam ser transferidas para outras práticas de
linguagem, sobretudo, de natureza multimodais.

PALAVRAS-CHAVE: Infográfico. Modelo teórico. Multissemioses.

MODELO TEÓRICO DO GÊNERO “REPORTAGEM DE DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA”

Gabriela Pepis Belinelli (UENP/CCP – G)


Profa. Dra. Eliana Merlin Deganutti de Barros (UENP/CCP - PQ)

RESUMO: Esta apresentação é fruto de um trabalho apresentado na disciplina de “Língua Portuguesa


III: Gêneros Textuais”, vinculada ao terceiro ano de Letras – Português/Inglês da Universidade
Estadual do Norte do Paraná, sob a orientação da Profª. Drª. Eliana Merlin Deganutti de Barros. A
pesquisa se pauta nos estudos do Interacionismo Sociodiscursivo (ISD), principalmente, no que se
refere a sua concepção de práticas de linguagem configuradas em gêneros textuais e ao modelo de
análise de textos. O objetivo desta comunicação é apresentar o trabalho desenvolvido na disciplina, o
qual se deu em duas etapas: 1) o estudo bibliográfico do gênero “reportagem de divulgação científica”
e 2) a construção de um modelo teórico com base em uma pesquisa analítica. Espera-se, com isso,
contribuir com os estudos acerca da esfera jornalística, sobretudo do gênero “reportagem”, e sua
inserção no sistema de ensino, bem como para a produção de materiais didáticos.

PALAVRAS-CHAVE: ISD. Gêneros Textuais. Língua Portuguesa. Reportagem de divulgação científica.


Modelo teórico.

RESUMOS Página 37
NOMES PRÓPRIOS DE POLÍTICOS NAS REDES SOCIAIS: UMA ANÁLISE DISCURSIVA
Lívia Maria Turra Bassetto (UENP/CCP – PQ)
Embora tradicionalmente os nomes próprios sejam conhecidos como uma classe de palavras cuja
função é designativa, não atribuindo características ao ser nomeado, neste trabalho, busca-se
demonstrar como o emprego de nomes próprios pode ser, além de designativo, também atributivo e,
consequentemente, argumentativo na construção de referentes no texto. Para isso, serão coletados
dados de usos de nomes próprios de figuras políticas em redes sociais, como Facebook, Twitter e
Instagram, almejando demonstrar como esses empregos de nomes próprios, suas variações e,
inclusive, suas omissões revelam posicionamentos políticos e argumentativos nos textos produzidos
em redes sociais em período de campanha eleitoral. Para a realização da análise, serão considerados
os conceitos de texto/ discurso, objeto-de-discurso, categorização e recategorização, com base na
teoria da Referenciação, da Linguística Textual de linha sociocognitivo-interacionista. Nessa
perspectiva, o referente é construído no e pelo discurso em situação de interação verbal, a partir de
estratégias de construção referencial empregadas pelo produtor textual. Assim, considera-se que o
referente não está “pronto”, visto que a referenciação é um processo dinâmico, em que o referente é
construído e reconstruído discursivamente no momento da interação verbal. Por meio dessas
estratégias, o sujeito pode revelar seus propósitos discursivos e, no caso do corpus a ser analisado,
seu posicionamento político. Desse modo, espera-se que o nome próprio possa ser repensado em
análises textuais e discursivas.
PALAVRAS-CHAVE: Referenciação; Nomes próprios; Política; Argumentação.

O CARDÁPIO NA PERSPECTIVA DO INTERACIONISMO SOCIODISCURSIVO

Franciele Andriane da Costa (UENP/CLCA/CJ-G)


Rafaela Zenovello (UENP/CLCA/CJ-G)
Marilúcia dos Santos Domingos Striquer (UENP/CLCA/CJ/-PQ)

RESUMO: Os gêneros discursivos/textuais participam da nossa vida diária organizando nossas


interações sociais, e, na maioria das vezes não nos damos conta do porquê e para que os gêneros
existem. Nesse sentido, interessamo-nos em conhecer os elementos que caracterizam o gênero
discursivo/textual cardápio, o qual circula em diferentes lugares, como em lanchonetes, restaurantes,
eventos como casamentos, aniversários e jantares, escolas, hospitais, entre muitos outros lugares. E
por essa diversidade, elegemos como objeto de estudo apenas os cardápios que circulam em
estabelecimentos comerciais como as lanchonetes. A base teórica que sustenta nossa pesquisa se
norteia pelas definições de gêneros do discurso de Bakhtin (2003), e de estudiosos brasileiros como
Rojo e Barbosa (2015), e, como ferramenta de análise, utilizamos o Dispositivo didático de gêneros,
elaborado por Barros (2012). Os resultados demonstram alguns dos elementos que formam o
conteúdo temático, a construção composicional e o estilo do gênero, bem como que o cardápio é,
aparentemente, simples, contudo, como um gênero secundário é constituído por uma complexidade
que o torna um cartão de visitas do comerciante/lanchonete, é uma ferramenta de marketing. Estando
bem organizado e sendo criativo na apresentação dos produtos pode ajudar o comerciante a atrair
seus clientes/consumidores.

PALAVRAS-CHAVE: Gêneros discursivos/textuais. Cardápio. Dispositivo didático de gênero

RESUMOS Página 38
O CONSUMO E O CONSUMISMO: UMA PROPOSTA DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA PARA O
ENSINO FUNDAMENTAL II CONSTITUÍDA PELA METODOLOGIA DAS SEQUÊNCIAS DIDÁTICAS
DE GÊNEROS

Fernanda de Oliveira Pereira (UENP / PG)

RESUMO: A presente pesquisa objetiva validar a metodologia de sequências didática de gêneros


como fundamento para o trabalho de desenvolvimento das capacidades de linguagem dos alunos do
8º ano do ensino fundamental para a leitura e produção de anúncios publicitários. Como aporte teórico
se estabelece a partir dos pressupostos do Interacionismo Sociodiscursivo de forma mais específica da
vertente didática dessa corrente do humano. A pesquisa se configura por uma abordagem qualitativa e
interventiva sob o tipo de pesquisa-ação, tendo suporte ainda os procedimentos sugeridos pelo
Interacionismo Sociodiscursivo para análise de textos e para o ensino de gêneros textuais. Nesse
sentido, o encaminhamento se estabelece a partir da elaboração do modelo teórico/didático de gênero
e da produção e implementar de uma sequência didática para o ensino do anúncio publicitário. Ao final
do processo de pesquisa, espera-se compreender como a metodologia escolhida pode aprimorar a
leitura e produção do anúncio publicitário nas aulas de língua portuguesa.

PALAVRAS-CHAVE: Interacionismo sociodiscursivo. Gênero textual. Anúncio publicitário. Sequência


didática.

O CURTA-METRAGEM “A HISTÓRIA DE UM URSO”: LEITURA DE


TEXTOS FÍLMICOS E MULTILETRAMENTOS

Amanda Rodrigues de Almeida (Graduanda/UENP-CCP - G)


Bruna Carolini Barbosa (Orientadora/UENP-CCP - PQ)

RESUMO: Este trabalho é um recorte de uma pesquisa em nível de Iniciação Científica Voluntária
denominada “Multiletramentos: a linguagem fílmica como objeto de leitura”, em desenvolvimento na
Universidade Estadual do Norte do Paraná, Campus de Cornélio Procópio, sob orientação da
Professora Mestra Bruna Carolini Barbosa. Propõe-se a análise de um curta-metragem, buscando
compreender o emprego da linguagem fílmica, bem como a os efeitos de sentido do texto
multissemiótico. Em vista disso, escolhemos apresentar nesta comunicação os resultados preliminares
da análise do curta-metragem que constitui o corpus desta pequisa: “Story Bear” (A História de um
Urso), ganhador do Oscar de 2016. Para tanto, o trabalho ancora-se nas discussões teóricas dos
estudos de Jullier e Marie (2009) e Vonoye e Goliot-Lété (1994) relacionados à linguagem fílmica e
suas significações. A posteriori, buscaremos ampliar a análise e desenvolver uma proposta de ensino
sob o viés da Pedagogia dos Multiletramentos, com base nos pressupostos teóricos de New London
Group (1996), Kalantzis & Cope (2004; 2006; 2013) e Lankshear e Knobel (2011). A pesquisa visa
a promoção e a valorização da prática de ensino das multimodalidades da linguagem nos diversos
níveis de educação a partir de atividades de leitura que contribuam com a formação crítica do cidadão
sob uma perspectiva sociocultural.

PALAVRAS-CHAVE: Linguagem fílmica. Multiletramentos. Leitura. Textos multissemióticos. Curta


metragem.

RESUMOS Página 39
O ENSINO DE LITERATURA E O LIVRO DIDÁTICO: ENCONTRO POSSÍVEL?

Inês Cardin Bressan (SEED - EFM)


Ana Paula Franco Nóbile Brandileone (UENP/CCP – PQ)
Nathalia de Souza Toncovitch (UENP/CCP - G)
Letícia Vidotti dos Santos (UENP/CCP - G)

RESUMO: No contexto escolar atual, o texto literário tem tido pouco espaço. Inseridos num mundo
onde tudo acontece de modo rápido e ágil, os jovens e adolescentes enfrentam a duras penas a leitura
das obras literárias. Ao longo da vida escolar, pode-se perceber que o interesse pela literatura, tão
intenso nos anos iniciais do Ensino Fundamental, torna-se rarefeito nos anos finais do Ensino
Fundamental e do Ensino Médio. Diante desta realidade, é de fundamental relevância o papel da
mediação do professor na construção de leitores, sobretudo literários. É sabido que todos os textos
têm sua devida importância, no entanto, faz-se necessário ressaltar a importância do texto literário na
formação de leitores, não somente pelo seu caráter humanizador, como apregoa Candido (1972-1995),
como também pelo fato de favorecer, mais que qualquer outro gênero textual, a descoberta de
sentidos pela sua capacidade de reinscrever o mundo pela força da palavra. Na construção deste
saber, o literário, o professor de Língua Portuguesa apresenta-se como principal mediador deste
processo, no entanto, desprovido das ferramentas necessárias para envolver seus alunos na
participação ativa da leitura do texto literário, resta-lhe, portanto, como suporte para a efetivação do
seu ensino, o livro didático. Considerando que, segundo Cosson (2007), a literatura compreende três
aprendizagens: a aprendizagem da literatura, sobre a literatura e por meio da literatura, este texto
objetiva apresentar a análise de uma unidade do livro didático adotado em um colégio do Ensino
Médio, verificando se estas três aprendizagens são contempladas. Espera-se que, ao final deste
estudo, se possa verificar se livro didático pode ser um instrumento eficaz para o ensino e
aprendizagem da literatura.

PALAVRAS-CHAVE: Ensino de literatura. Livro didático. Aprendizagem da literatura.

O GÊNERO “CRÔNICA”: DO JORNAL ÀS COLETÂNEAS LITERÁRIAS

Osnir Branco (PG – UENP/CCP)


Rithielle Ap. Castellani (PG - UENP)
Letícia J. Storto (PQ - UENP/CCP)
Eliana Merlin Deganutti de Barros (PQ – UENP/CCP)

RESUMO: Este trabalho tem como finalidade caracterizar o gênero textual “crônica literária”, tomando
como eixo central a dualidade entre as duas esferas implicadas na produção e recepção do gênero: a
esfera jornalística e a literária. Para esta comunicação, buscamos, assim, verificar as características
das crônicas que migram do jornal para a esfera literária, para compor coletâneas específicas, em
contraponto a crônicas que nascem e morrem na esfera jornalística. A questão que norteia nossa
pesquisa é: “O que faz com que certas crônicas possam incorporar a esfera literária em contraposição
a outras que permanecem na campo jornalístico?”. Como fundamentação teórica, serão utilizados os
estudos do Interacionismo Sociodiscurso sobre contexto de produção e os estudos bakhtianos sobre
esfera de comunicação, além de autores que tomam como objeto de pesquisa o gênero “crônica”,
como Simon (2011). A priori, podemos dizer que crônica é um gênero de difícil caracterização, pois
não é um formato, como o soneto, por exemplo; é um gênero multifacetado que pode usar, inclusive, a
“máscara” de outros gêneros, poie é comum a crônica ser confundida com um conto ou um causo, por
exemplo. Para além de toda essa fluidez, a crônica tem suas especificidades, pois, se assim não fosse,
não poderíamos nomeá-la frente a tantos outros gêneros.

PALAVRAS-CHAVE: Crônica. Esfera Jornalística. Esfera Lliterária.

RESUMOS Página 40
O GÊNERO NOTÍCIA: RESSIGNIFICAÇÃO DO MATERIAL DE APOIO AO CURRÍCULO DO
ESTADO DE SÃO PAULO A PARTIR DA METODOLOGIA DAS SEQUÊNCIAS DIDÁTICAS DE
GÊNEROS

Leda Maria Camargo da Costa Lima (UENP-PG/PROFLETRAS)

RESUMO: A proposta de trabalho dessa pesquisa parte do princípio de algumas necessidades


averiguadas pela prática docente e também pelos indicadores internos e externos da rede pública de
ensino do Estado de São Paulo no 7º (sétimo) Ano do Ensino Fundamental. Diante disso, nossa
proposta de intervenção prevê a adaptação do Material Didático do estado de São Paulo, no que se
refere à didatização do gênero “notícia”, objeto de ensino do 7º ano, a partir dos preceitos
sociointeracionistas da metodologia das sequências didáticas de gêneros. A finalidade é elaborar um
projeto de ensino que transforme a notícia em uma ferramenta de interação dentro do contexto escolar,
tomando como ponto de referências os fatos da comunidade escolar, tornando, dessa forma, o ensino
desse gênero menos artificial. Como objetivo de pesquisa, nos propomos a avaliar e validar a
adaptação do Material de Apoio ao Currículo do Estado de São Paulo, Língua Portuguesa, 6ª série/7º
Ano do Ensino Fundamental, Volume 2, fundamentada na metodologia das Sequências Didáticas de
Gênero (SDG). E como objetivos específicos: a) descrever as características contextuais, discursivas,
linguísticas do gênero “notícia” e selecionar as suas dimensões ensináveis para o contexto de
intervenção; b) analisar como o objeto de ensino “notícia” é didatizado no Material de Apoio ao
Currículo do Estado de São Paulo; c) diagnosticar as capacidades de linguagem dos alunos em
relação a esse gênero; d) elaborar e desenvolver um projeto de ensino pautado nas SDG, que
aprimore o processo de didatização do gênero no Material de Apoio ao Currículo do Estado de São
Paulo; e) analisar o desenvolvimento das capacidades de linguagem dos alunos em relação ao gênero
“notícia”, após a implementação do projeto de ensino; f) comparar o projeto de ensino desenvolvido
com a didatização feita pelo Material do estado de São Paulo, a fim de validar a adaptação feita e
depreender discussões que possam ajudar no possível aprimoramento do material. Essas ações terão
como metodologia a pesquisa-ação com uma proposta de intervenção pedagógica, que visará
melhorar os resultados na produção escrita desses alunos. A leitura e releitura de alguns autores
ajudarão na composição do referencial teórico, dentre eles: Antunes (2010); Bakthin (2003); Barros e
Rios-Registro (2014); Bronckart (2009); Dolz, Noverraz e Schneuwly (2004); Faria e Zanchetta (2005);
Geraldi (2006); Nascimento (2014, 2016); Possenti (2012).

PALAVRAS-CHAVE: Gênero textual. Gênero notícia. Sequência


Didática.

RESUMOS Página 41
O INSÓLITO EM CONTOS DA CULTURA POPULAR E O LETRAMENTO LITERÁRIO: ANÁLISE DO
CORPUS

Eliezer Ribeiro da Silva (PG/ UENP/ CCP)


Nerynei Meira Carneiro Bellini (PQ/ UENP)
Luciana Brito (PQ/ UENP)

RESUMO: O presente trabalho é um recorte da pesquisa desenvolvida para o Mestrado Profissional


em Letras (PROFLETRAS/UENP). Para esta comunicação o objetivo é apresentar o insólito em Contos
da Cultura Popular de Paraty como ponto de partida para o letramento literário pelo diálogo que
estabelece com a obra do escritor Ricardo Azevedo (2003), Contos de enganar a morte. O trabalho do
escritor em (re)construir narrativas populares consiste em confrontar diferentes versões e recontar, a
seu próprio modo, buscando sempre trazer a essência de cada conto. Para tanto, desde 1980, o autor
seleciona histórias contadas pelo povo brasileiro em pesquisas que realiza sobre cultura popular. Para
que os alunos compreendam a estrutura do texto literário, será realizada a apreciação de quatro
narrativas dessa categoria. Dessa forma, a fim de perceber o que há de especial nesses textos de
origem popular, buscaremos uma análise para verificar o trabalho estético com a linguagem, o mover
do imaginário, o possível despertamento das emoções e a possibilidade de fruição de sentidos
múltiplos, por se tratar de texto literário. A leitura dessas narrativas, face à curiosidade infantojuvenil ao
mundo circundante faz-se necessária, pois pode consistir num meio de estimular a leitura, apelando
para o fantástico que revela o maravilhoso.

PALAVRAS-CHAVE: Cultura popular. Letramento Literário. Ricardo


Azevedo

O LATE-NIGHT SHOW SATÍRICO EM UMA PERSPECTIVA CRÍTICA: IDEOLOGIA E DISCURSO


ENQUANTO PRÁTICA SOCIAL

Angélica Prestes Rosas (G-UENP)


Bruna Carolini Barbosa (Orientadora/PQ – UENP)

RESUMO: Os shows e programas de humor, como o Stand Up Comedy (doravante SUC),


desenvolvidos a partir de temas da atualidade, apresentam em seus roteiros, com certa frequência,
críticas ao meio social, promovendo grande engajamento dos internautas no ciberespaço. O ano
eleitoral fez com que alguns profissionais do humor atualizassem seus textos humorísticos a fim de
problematizar as polêmicas do cenário político, bem como pronunciamentos e atitudes de alguns
candidatos, como é o caso de humoristas como Gregório Duvivier e Danilo Gentili. Considerando o
caráter social da linguagem, objetiva-se com esta pesquisa analisar o roteiro de humor, buscando
evidenciar a estreita relação entre discurso e sociedade. O corpus deste trabalho é composto pelo
roteiro do programa “Greg News com Gregório Duvivier – Bolsonaro”, produzido pela HBO e
apresentado pelo humorista Gregório Duvivier. As reflexões desenvolvem-se sob ótica da Análise de
Discurso Crítica (FAIRCLOUGH, 2003), um aporte teórico-metodológico que situa o material linguístico
em estruturas sociopolíticas de forma mais ampla. Inicialmente, caracterizamos o objeto de análise
como gênero híbrido (BAKHTIN, 2006), o qual chamaremos late-night talk show satírico, que mescla o
talk show e o SUC. Posteriormente, analisamos de que modo os recursos linguísticos como a
metáfora, ironia e intertextualidade constituem o discurso e criam o humor. Os resultados permitem
verificar que a materialidade linguística e a ideologia são indissociáveis e atravessadas pelas relações
de poder, bem como evidenciam que o processo analítico desvela a opacidade da linguagem,
caracterizando o discurso enquanto prática social.

PALAVRAS-CHAVE: Análise de Discurso Crítica. Ideologia. Stand Up Comedy.

RESUMOS Página 42
O MAR NA HISTÓRIA E NA POESIA: UMA LEITURA DA OBRA NAVEGAÇÕES DE SOPHIA DE
MELLO BREYNER ANDRESEN

Hilquias Eufrásio Stirle (UEM-PG)


Márcia Geralda de Almeida (UEM-PG)

RESUMO: A nossa proposta de comunicação tem como objetivo apresentar uma leitura da obra
Navegações de Sophia de Mello Breyner Andresen, focalizando as imagens poéticas relacionadas ao
mar suscitadas nos poemas que a compõem. Sophia Andresen nasceu em 1919, em Portugal e foi a
primeira escritora portuguesa a receber o prêmio Camões, maior gratificação literária escrita em Língua
Portuguesa. Entre suas principais obras destacam-se: Poesia (1944), Dia do Mar (1947), Coral (1950),
No Tempo Dividido (1954), Mar Novo (1958), Cristo Cigano (1961), Livro Sexto (1962), Geografia
(1967), Dual (1972) e O Nome das Coisas (1977), entre outras obras no domínio da ficção. A poeta
apresenta diversos temas para sua criação poética, tais como natureza, jardim, noite, mitologia, amor e
mar. O mar apresenta grande relevância para sua poesia assim como para o povo português, pois
sendo Portugal banhado pelo mar, permitiu o empreendimento de grandes navegações, o que levou a
formação de um grande império colonial, no século XVI, tornando-se tema recorrente também em
outros autores, tais como Fernando Pessoa e Camões. Para a nossa comunicação foram selecionados
os textos da antologia Navegações (1983), que se subdivide em duas seções, a saber: “As Ilhas” e
“Deriva”, nas quais há uma grande variedade de formas poéticas. Quanto ao conteúdo, a obra
apresenta várias referências ao descobrimento e aos descobridores portugueses, sendo que a maioria
de seus poemas evocam o mar, representando-o sob diferentes perspectivas. Assim, esperamos por
meio deste trabalho, evidenciar como os poemas possibilitam a criação de imagens poéticas
diferenciadas envolvendo uma mesma temática, neste caso, o mar. Para fundamentação teórica,
teremos como base os estudos de Bosi (1977), Paz (1982), Candido (2006),Chevalier e Gheerbrant
(2009), Barbosa (2010), Rabelo (2012) entre outros.

PALAVRAS-CHAVE: Poesia. Mar. Sophia Andresen. Imagem


poética.

O PARANÁ FALA INGLÊS: UMA REVISÃO DE LITERATURA

Fábio Henrique Rosa Senefonte (UENP-PQ)

RESUMO: Lançado oficialmente pelo governo do Paraná em 2014, o programa interinstitucional


‘Paraná fala Inglês’ (PFI), enquanto política linguística, visa majoritariamente potencializar a qualidade
da educação superior, bem como fomentar o processo de internacionalização das instituições de
ensino superior do estado do Paraná (MARSON, 2017; PARANÁ, 2018). Nesse viés, o objetivo deste
estudo bibliográfico, de natureza qualitativa, foi de mapear a literatura sobre o PFI, com vistas a uma
discussão acerca dos resultados alcançados pelo programa até o presente momento. Para atingir tais
fins, uma busca bibliográfica, por meio dos principais bancos de dados do país, foi realizada em
setembro de 2018 e, dada a incipiência do programa, somente três estudos foram encontrados
(MARSON, BORGES, 2015; EL KADRI, DI RAIMO, 2017; MARSON, 2017). Os resultados apontam
que o programa tem focado no aprimoramento linguístico em língua inglesa, com o intuito de ampliar
as ações de mobilidade acadêmica e, consequentemente, a internacionalização das universidades
paranaenses. Uma vez que a internacionalização do ensino superior é um processo expressivamente
abrangente (muito além de mobilidade acadêmica), ainda há muito o que ser explorado pelo programa.
Em complemento, embora o PFI seja relativamente recente, sua intensa atividade nas sete
universidades paranaenses sinaliza um campo fértil para pesquisas futuras.

PALAVRAS-CHAVE: Paraná fala Inglês. Revisão de Literatura. Internacionalização.

RESUMOS Página 43
O PRECONCEITO LINGUÍSTICO PRESENTE EM MEMES

Tais Natasha Gomes (UENP-G)


Jakeline Semechechem (UENP-PQ)

RESUMO: O preconceito linguístico sempre esteve presente nas diferentes esferas da comunicação,
com a expansão do uso da internet, principalmente das redes sociais e também com a circulação de
novos gêneros na esfera virtual, é possível identificarmos não somente a heterogeneidade e variação
das línguas nessa esfera, mas também manifestações de preconceito em relação a algumas
variedades da língua portuguesa. Propusemos, então, uma pesquisa qualitativa para investigar o
preconceito linguístico presente nos memes que circulam nas redes sociais, principalmente no
facebook. Desse modo, buscou-se investigar como o preconceito linguístico está expressado nos
memes, quais variedades linguísticas são mais alvo de preconceito linguístico e como o preconceito
pode ser identificado. Os pressupostos teóricos que fundamentam este estudo estão relacionados à
variação linguística, norma padrão e norma culta (BAGNO, 2017, 2009, 2013; FARACO, 2008, 2011),
preconceito linguístico (BAGNO, 1999, 2007, 2013; FARACO 2017; MARTINS, 2017; SCHERRE,
2008), e meme enquanto um gênero textual (OLIVEIRA; AQUINO; MALTA, 2017; PASSOS, 2012). Os
memes que constituem o corpus de análise deste estudo foram selecionados no período de janeiro a
agosto de 2018, na rede social facebook. Em termos de resultados parciais, o preconceito linguístico
mais recorrente nos memes são em relação à variedade social da língua e à noção de “erro linguístico”
em relação aos usos linguísticos na fala e na escrita que não estão concernentes com a variedade ou
norma culta. Também identificamos que os memes não apenas veiculam preconceito linguístico, mas
também apresentam posicionamentos contrários ao preconceito linguístico, embora essas ocorrências
sejam em menor proporção.

PALAVRAS-CHAVE: Variação linguística. Preconceito linguístico. Memes.

O TEXTO FÍLMICO COMO OBJETO DE LEITURA EM SALA DE AULA: BLACK MIRROR E


MULTIMODALIDADE

Juliana de Andrade Tonhato (UENP/CCP – G)


Bruna Carolini Barbosa (Orientadora UENP/CCP – PQ)

RESUMO: Esta comunicação apresenta resultados parciais de um projeto de Iniciação Científica


Voluntária em curso sob orientação da professora Mestra Bruna Carolini Barbosa na Universidade
Estadual do Norte do Paraná (UENP), campus Cornélio Procópio. O projeto divide-se em duas etapas:
análise do objeto de estudo e desenvolvimento de uma proposta didática com base na Pedagogia dos
Multiletramentos (NEW LONDON GROUP, 1996; KALANTZIS & COPE, 2004; 2006; 2013;
LANKSHEAR e KNOBEL, 2011). As multissemioses implicadas na construção dos sentidos têm sido o
foco de várias pesquisas na área da linguagem e, partindo dessa observação, ressaltamos a
relevância do texto fílmico, por permitir não somente a construção multissemiótica da significação, mas
uma leitura da sociedade. Levando em consideração essas considerações iniciais, propomos neste
trabalho a análise do episódio “Fifteen Million Merits” da série norte-americana Black Mirror. A análise
contempla alguns aspectos da linguagem fílmica, mas dá ênfase à observação das cores. Para tanto,
nos ancoramos teoricamente nas pesquisas de Jullier e Marie (2009), Vonoye e Goliot-Lété (1994) e
Robert Edgar-Hunt, John Marland e Steven Rowle (2013) sobre a linguagem fílmica e fundamentos do
cinema. Com este trabalho almejamos contribuir com as pesquisas na área e com o trabalho docente,
em especial, com as atividades de ensino que tenham como base a multimodalidade da linguagem.

PALAVRAS-CHAVE: Linguagem Fílmica. Leitura. Multiletramentos.

RESUMOS Página 44
O TRABALHO DO PROFESSOR E A AÇÃO PEDAGÓGICA DAS SEQUÊNCIAS DIDÁTICAS EM SALA
DE AULA

Maria Ilza Zirondi (UEL – PQ)

RESUMO: A discussão sobre ensino de gêneros textuais na sala de aula transpôs os limites do Ensino
Fundamental e Médio e adentrou os limites da Educação Básica como um todo. Porém, assim como toda
metodologia de trabalho inovadora, no segmento do Ensino Fundamental I, tem sido ainda mais desafiador,
pois o trabalho com gêneros, por meio de sequências didáticas, não propriamente é de domínio da maioria
dos professores que recebem, nos cursos de Pedagogia, uma formação mais holística dos conteúdos,
porém não aprofundada como é o caso da Língua Portuguesa. Salientamos, assim, a importância em
processos formativos, cujo foco seja encaminhar metodologicamente como pode ser realizado em sala de
aula esse trabalho. No cenário educacional, vemos diferentes proposições em relação à pedagogia dos
gêneros, assim como tal constructo tem provocado deslocamentos importantes em algumas práticas
escolares. Neste sentido, este trabalho tem como objetivo contribuir para discutir o ensino e a aprendizagem
da Língua Portuguesa no Ensino Fundamental I (EF I), a partir dos estudos realizados com Gêneros de
Textos/discursos. Para isso, apresentaremos uma Sequência Didática para o gênero textual Poema e os
aspectos que envolvem a sua construção a partir de instruções mediadas por documentos oficiais
elaborados por coordenadores de Língua Portuguesa de um município ao Norte do Paraná e das instruções
de trabalho construídas ao longo da formação continuada. A SEMED (Secretaria Municipal de Educação)
desse município utiliza como respaldo para a orientação do trabalho docente, principalmente, bases teóricas
e metodológicas de autores como Bakhtin (1998) e Dolz e Schneuwly (2004), as quais, também, embasam
este estudo. Para desenvolver esse trabalho, partimos da proposta de formação continuada de professores
oferecida pelo município, o que gerou a elaboração da Sequência Didática, cujo desenvolvimento,
buscamos retratar. Neste artigo, propomo-nos a apresentar os passos que antecedem a elaboração da
sequência, assim como as atividades propostas estão atreladas aos objetivos de ensino. Esperamos, assim,
contribuir para que professores possam usufruir da proposta de SD, mas compreendendo os meios e modos
para sua elaboração.

PALAVRAS-CHAVE: Sequência Didática. Trabalho do professor. Ação Pedagógica. Metodologia e


Ensino/aprendizagem de Língua Portuguesa.

O USO DO GÊNERO PROPAGANDA NAS QUESTÕES DO ENEM: UMA ANÁLISE SOB A


PERSPECTIVA DOS ESTUDOS DO LETRAMENTO

Beatriz Riper de Lima Naldi (UENP/CCP - G)


Bruna Carolini Barbosa (UENP/CCP - PQ)

RESUMO: Os gêneros da esfera publicitária circulam amplamente na sociedade, daí a relevância em se


desenvolver pesquisas que considerem sua importância e influência no contexto social, uma vez que o
marketing é considerado como a mola mestra do capitalismo e das mudanças que ocorrem nas ações dos
receptores/consumidores (CARVALHO, 2014). Partindo do referencial teórico dos Estudos do Letramento
(STREET, 2014; KLEIMAN, 2006;2007) e da Matriz de Referência para a área de Linguagens, Códigos e
suas Tecnologias, este trabalho propõe uma análise crítica dos anúncios publicitários encontrados nas
provas do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) dos anos de 2013 a 2017. A partir de categorias
definidas, considerando as multissemioses e efeitos discursivos das propagandas, realiza-se uma análise
qualitativa interpretativista das questões, a fim de investigar se a abordagem baseia-se em uma concepção
sócio histórica e ideológica da linguagem (BAKHTIN, 1995) ou se apenas aspectos da superficialidade do
texto são mobilizados, em uma perspectiva autônoma do letramento (STREET, 2014). Espera-se com este
trabalho contribuir com a prática de ensino de Língua Portuguesa, especialmente no desenvolvimento das
capacidades de interpretação e criticidade dos alunos em relação às propagandas, bem como evidenciar a
relevância do trabalho com esse gênero em sala de aula.

PALAVRAS-CHAVE: Estudos do Letramento. ENEM. Propaganda.

RESUMOS Página 45
OS CONCEITOS DE LETRAMENTO EXPLÍCITOS NOS DOCUMENTOS OFICIAIS DE ORIENTAÇÃO
PARA O ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA NA EDUCAÇÃO BÁSICA

Lara Lugdiellen Raposo Santiago (UENP-G)


Jakeline Semechechem (UENP-PQ)

RESUMO: De acordo com Soares (2010), o letramento tem sido considerado de acordo com diferentes
pontos de vistas e perspectivas teóricas. Esses diferentes pontos de vistas resultam em diferentes conceitos
nomeados com a mesma palavra, letramento. Diferentes conceitos de letramento podem resultar em
diferentes práticas educacionais. No Brasil, assim como em outros países, temos usado a palavra
letramento com vários sentidos (SOARES, 2010). Nessa perspectiva, propusemos uma pesquisa qualitativa,
do tipo documental, para analisar os conceitos de letramento que estão presentes de modo explícito nos
documentos oficiais de orientação para o ensino de língua portuguesa na Educação Básica. Os documentos
selecionados para análise foram os Parâmetros Curriculares Nacionais do Ensino Fundamental (BRASIL,
1998), Parâmetros Curriculares Nacionais do Ensino Médio (BRASIL, 2000), PCN +, Ensino Médio,
(BRASIL, 2002), Orientações Curriculares para o Ensino Médio – Linguagens, códigos e suas tecnologias
(BRASIL, 2006), Diretrizes Curriculares da Educação (PARANÁ, 2008) e a Base Nacional Comum Curricular
do Ensino Fundamental (BRASIL, 2017).Os pressupostos teóricos que fundamentam este estudo são de
letramento nas perspectivas psicológica e na perspectiva educacional/pedagógica (SOARES, 2004, 2010),
de letramento na perspectiva sociocultural e antropológica (STREET, 2003; MARINHO, 2010; VIANNA et al.
2016) e de multiletramentos (ROJO, 2012; ROJO; BARBOSA, 2015; COSCARELLI; KERSCH, 2016). Em
termos de resultados parciais do estudo, pudemos verificar que o termo de letramento é citado de modo
explícito na maioria dos documentos, com exceção de um deles, no qual o termo letramento não está
mencionado explicitamente. Quanto à conceituação de letramento presente de modo explícito, os
documentos abordam diferentes conceitos, em alguns, por exemplo, há mais de um conceito no mesmo
documento.

PALAVRAS-CHAVE: Letramento. Documentos oficiais. Ensino de Língua Portuguesa.

PEER ASSESSMENT NO ENSINO SUPERIOR: A AVALIAÇÃO FORMATIVA NA PERSPECTIVA DO


PROFESSORADO

Paula Elisie Madoglio Izidoro (PG – UENP/CCP)


Simone Luccas (PQ – UENP/CCP)

RESUMO: O artigo ora submetido é recorte da pesquisa de mestrado da primeira autora proponente e tem
como objetivo investigar tópicos significativos acerca de avaliação formativa no Ensino Superior, tendo
escolhido por público o curso de Graduação em Letras: Habilitação em Português/Espanhol e respectivas
Literaturas, do Centro de Letras, Comunicação e Artes da Universidade Estadual do Norte do Paraná –
UENP, Campus Jacarezinho. O primeiro passo da pesquisa contou com análise documental e visou
investigar como a avaliação é tratada no referido curso através de suas ementas expedidas pela divisão
acadêmica da Universidade. Por não contemplar todos os requisitos necessários da pesquisa, pensa-se na
produção de entrevistas com os professores que lecionam as disciplinas que contêm o termo avaliação nos
compêndios, dessa forma, ampliando as discussões sobre a prática avaliativa. Sendo assim, o presente
artigo traz as discussões sobre as análises dessas entrevistas realizadas com os professores conforme
especificado. Ainda, em continuidade na pesquisa, realizar-se-á entrevistas com os alunos matriculados nas
disciplinas que tratam da avaliação e a partir do coletado acerca de seus discursos, será moldado um curso
de extensão voltado à avaliação formativa com foco na prática da peer assessment. A referida pesquisa
está, predominantemente, sob referência de Jussara Hoffmann, Charles Hadji, Cipriano Luckesi em se
tratando de avaliação e Lev Vygotsky para calcar os estudos sobre aprendizagem.

PALAVRAS-CHAVE: Peer Assessment. Ensino Superior. Formação.

RESUMOS Página 46
PERGUNTAS DE LEITURA EM LIVROS DIDÁTICOS DE LÍNGUA PORTUGUESA DO ENSINO
MÉDIO

Pollianna Bonacin Graciano (G-UENP/CCP - aluno IC)


Jakeline Aparecida Semechechem (UENP/CCP – PQ)

RESUMO: O presente trabalho propôs analisar perguntas de leitura em livros didáticos de Língua
Portuguesa do Ensino Médio, a fim de verificar se as perguntas desenvolvidas contribuem para a
compreensão e para a interpretação de leitura, bem como para uma leitura em uma perspectiva
interacional. A pesquisa proposta é qualitativa e do tipo documental. Para recorte analítico foi
selecionado o gênero artigo de opinião e as propostas de perguntas de leitura sobre o gênero em duas
coleções de livros didáticos de Língua Portuguesa. Em termos de resultados, verificou-se que somente
os livros didáticos dos primeiros anos das coleções analisadas trabalham com o gênero artigo de
opinião. As perguntas de leitura apresentadas nos livros analisados referentes ao artigo de opinião,
são na maioria, perguntas com foco no texto, seguida das perguntas com foco na interação leitor-texto
e, por último, em menor quantidade, as perguntas com foco no leitor. Visto que o número de perguntas
com foco na interação leitor-texto é bem próximo às perguntas com foco no texto, pode-se dizer que as
perguntas propostas para o trabalho com leitura do gênero artigo de opinião contribuem para o
processo de compreensão e de interpretação de leitura.

PALAVRAS-CHAVE: Leitura. Perguntas de leitura. Livro didático. Artigo de opinião.

PROJETO DE LETRAMENTO A PARTIR DE RELATOS PESSOAIS DE GUERRA: UMA


EXPERIÊNCIA BILÍNGUE

Itamara Peters (SME – Curitiba)

RESUMO: O presente resumo traz os resultados de um projeto de letramento desenvolvido com


estudantes do sétimo de uma Escola Municipal de Curitiba, no ano de 2018, em que foram trabalhados
os relatos de guerra, focando na II Guerra Mundial e suas consequências. O objetivo do trabalho era
fazer com que os estudantes interagissem com os conhecimentos sobre o tema que escolheram de
modo bilíngue, a atividade foi desenvolvida dentro das atividades de um curso da extensão da
Universidade Federal do Paraná (UFPR) em parceria com a Universidade de Ohio, Estados Unidos em
que trabalhamos em parceria com a professora cursista de Ohio acompanhando, avaliando as
atividades e sugerindo propostas de trabalho a serem desenvolvidas com os estudantes. A
metodologia de trabalho utilizada para esta análise é a pesquisa ação, que visa compreender como a
prática docente se configura e se organiza por meio de projetos de ensino e que efeitos de
aprendizagem os projetos desencadeiam. As atividades desenvolvidas durante o projeto comprovaram
o envolvimento dos estudantes e o modo como os processos de letramento podem ser pensados de
modo bilíngue para que haja o reconhecimento a valorização e o desenvolvimento das habilidades de
leitura e escrita em diferentes línguas. Outro fator importante a ser considerado ao tratar dos
estudantes é a oportunidade de ter em classe um professor cuja língua materna é uma língua
estrangeira. No campo da formação docente o intercambio das atividades, as trocas e a elaboração
coletiva de materiais mostram novos caminhos para pensar esse processo didático.

PALAVRAS-CHAVE: Projeto de letramento. Formação bilíngue. Aprendizagem compartilhada.

RESUMOS Página 47
PROJETO DE LETRAMENTO NA ESCOLA: A LEITURA E PRODUÇÃO DE CONTOS
FANTÁSTICOS

Lucas Douglas de Barros Felix (UENP-G)


Giulia Micaly Vareschi (UENP-G)
Isabella Tagata Ferreira (UENP-G)
Jakeline Semechechem (UENP-PQ)

RESUMO: Nesta comunicação temos como objetivo apresentar um trabalho inserido no projeto de
extensão “Práticas de leitura e produção textual: educação básica e formação inicial em foco”
atrelado ao Estágio Supervisionado de Língua Portuguesa e Literaturas I, no curso de Letras
Português Inglês da Universidade Estadual do Norte do Paraná, campus de Cornélio Procópio.
Dentro do projeto, o trabalho insere-se no eixo “Letramento na escola pública: pela ampliação dos
estudantes em práticas letradas na sociedade contemporânea”, cujo objetivo é desenvolvimento
de oficinas para alunos dos anos finais do Ensino Fundamental de escolas públicas por meio da
proposta teórico-metodológica de projetos de letramento, com o intuito de ampliar as
oportunidades de os alunos desenvolverem condições para participar das práticas letradas da
sociedade contemporânea, promover o trabalho com práticas de linguagem em relação à
oralidade, leitura e produção escrita. Tendo em vista esses objetivos foram realizadas 7 oficinas
em uma escola pública com aluno do 6.º ano 9.º ano, em horário contraturno, para trabalhar com
a leitura e produção do gênero conto fantástico para a produção de uma coletânea de contos.
Durante as oficinas foram trabalhadas com as capacidades de linguagem necessárias para a
leitura, compreensão e produção de contos fantásticos, capacidades de ação, discursivas e
linguístico-discursivas. Os principais pressupostos teóricos que subsidiaram o trabalho são de
projetos de letramento (KLEIMAN, 2000; OLIVEIRA, 2008), de gêneros textuais e de sequência
didáticas de gêneros (DOLZ; NOVERRAZ; SCHNEUWLY, 2004; BARROS, 2012) e do gênero
textual conto fantástico (KÖCHE; MARINELLO; BOFF, 2015). Em termos de resultados, verificou-
se que as oficinas possibilitaram o desenvolvimento de práticas de leitura, escrita e análise
linguística dos alunos e o fato do projeto ter como objetivo a organização de uma coletânea de
contos, para circulação na escola e nas famílias, motivou os alunos para o desenvolvimento das
atividades que os levassem a melhor apropriação da prática de linguagem conto fantástico.

PALAVRAS-CHAVE: Projeto de Letramento. Gênero textual. Conto Fantástico.

RESUMOS Página 48
PROJETO DE LETRAMENTO NA ESCOLA: UMA SEQUÊNCIA DIDÁTICA DE ATIVIDADES PARA A
PRÁTICA DE LINGUAGEM RESENHA CRÍTICA DE FILME

Letícia Celeti da Silva – (UENP/G)


Abner Juan Recanello Amaral (UENP-G)
Jakeline Semechechem (UENP-PQ)

RESUMO: O presente trabalho está inserido no projeto de extensão “Práticas de leitura e produção
textual: educação básica e formação inicial em foco” atrelado ao Estágio Supervisionado de Língua
Portuguesa e Literaturas I, no curso de Letras Português Inglês da Universidade Estadual do Norte do
Paraná, campus de Cornélio Procópio. Dentro do projeto, o trabalho insere-se no eixo “Letramento na
escola pública: pela ampliação dos estudantes em práticas letradas na sociedade contemporânea”,
cujo o objetivo é desenvolvimento de oficinas para alunos dos anos finais do Ensino Fundamental de
escolas públicas por meio da proposta teórico-metodológica de projetos de letramento, com o intuito de
ampliar as oportunidades de os alunos desenvolverem condições para participar das práticas letradas
da sociedade contemporânea. Assim, temos como objetivo apresentar o relato de experiência com o
projeto de letramento com a prática de linguagem resenha crítica, para o qual tem sido desenvolvida
uma sequência didática de atividades do gênero textual resenha crítica, em um colégio público de
Cornélio Procópio, para uma turma de 17 alunos dos 8.º e 9.º ano do Ensino Fundamental, como
atividade contraturno. Os principais pressupostos teóricos que fundamentam este trabalho são de
projetos de letramento (KLEIMAN, 2000; OLIVEIRA, 2008), de gêneros textuais e de sequência
didáticas de gêneros (DOLZ; NOVERRAZ; SCHNEUWLY, 2004) e da transposição didática do gênero
resenha crítica de filme (BARROS; MAFRA; STORTO, 2017). O objetivo do trabalho é levar os alunos
a se apropriarem da prática de linguagem resenha crítica de filme, embora seja uma prática produzida
no contexto escolar, não na prática social de referência. Entretanto, mesmo que o gênero seja
produzido na escola, não será uma prática de linguagem somente para a escola, mas para a
circulação em uma revista da cidade, a revista “Extra! Veja Cornélio”, publicada semanalmente nas
versões impressa e online.

PALAVRAS-CHAVE: Projeto de letramento. Gênero textual. Resenha crítica.

RESUMOS Página 49
PROJETO DE LETRAMENTO: O GÊNERO POEMA NA ESCOLA

Gleyson Juliano Veraldo Meneguci (UNEP-G)


Samantha de Cassia Fermino (UNEP-G)
Leiliane Rodrigues Barbosa (UNEP-G)
Jakeline Semechechem (UENP-PQ)

RESUMO: Nesta comunicação objetivamos relatar uma experiência parte do projeto de extensão
“Práticas de leitura e produção textual: Educação básica e formação inicial em foco” atrelado ao
Estágio Supervisionado de Língua Portuguesa e Literaturas I, no curso de Letras Português Inglês da
Universidade Estadual do Norte do Paraná, campus de Cornélio Procópio. Neste projeto, o trabalho
insere-se no eixo “Letramento na escola pública: pela ampliação dos estudantes em práticas letradas
na sociedade contemporânea”, cujo objetivo é desenvolvimento de oficinas para alunos dos anos finais
do Ensino Fundamental de escolas públicas por meio da proposta teórico-metodológica de projetos de
letramento, com o intuito de promover o trabalho com práticas de linguagem em relação à oralidade,
leitura e produção escrita. Com esse objetivo está sendo desenvolvido um projeto com o gênero
poema, visando a organização de uma coletânea de poemas produzidos pelos alunos participantes. O
projeto foi proposto para 8 semanas, total de 24 aulas, com oficinas semanais de 3 horas-aula e está
sendo desenvolvido com alunos dos anos finais do Ensino Fundamental, em uma escola pública de
Cornélio Procópio. A sequência didática de atividades de leitura e escrita está sendo desenvolvida
também no sistema braille para contemplar a realidade local. Os principais pressupostos teóricos que
subsidiaram o trabalho são de projetos de letramento (KLEIMAN, 2000; OLIVEIRA, 2008), de gêneros
textuais e de sequência didáticas de gêneros (DOLZ; NOVERRAZ; SCHNEUWLY, 2004; BARROS;
STORTO, 2017; CORDEIRO; BARROS, GONÇALVES, 2017), poesia e poema (KÖCHE; MARINELLO,
2017; PINHEIRO, 2018), de leitura e escrita no sistema braille (BRASIL, 2008) e educação inclusiva de
alunos com baixa visão ou cegueira (DOMINGUES et al. 2010). Ao final do projeto pretende-se
organizar a coletânea com os poemas produzidos pelos alunos na grafia convencional e na grafia
braille para a língua portuguesa.

PALAVRAS-CHAVE: Projeto de letramento. Gêneros textuais. Poema. Educação inclusiva.

RESUMOS Página 50
PROPOSTA TEÓRICO-METODOLÓGICA DE LEITURA DIALÓGICA DE CONTOS DE CLARICE
LISPECTOR PARA TURMAS DE 9º ANO

Adriana Teixeira Alves (PROFLETRAS-UENP- PG)

RESUMO: A leitura é um fator primordial para a formação de pessoas reflexivas e críticas na


sociedade contemporânea e o papel da escola, na educação básica, é estimular a leitura, propiciando
a formação e desenvolvimento do leitor ativo e crítico. Para isso, faz-se necessário buscar maneiras de
tornar o hábito de leitura uma ação agradável dentro e fora do âmbito escolar. Considerando a
dificuldade dos alunos, para compreender e interpretar textos, comprovada por diferentes avaliações
externas e por minha prática docente, nesta pesquisa busco apresentar uma possibilidade de ensino-
aprendizagem de leitura dialógica que propicie o desenvolvimento de leitores ativos e críticos, capazes
de emitir uma contrapalavra aos enunciados com os quais interagem em suas práticas discursivas. À
luz da Linguística Aplicada, a pesquisa consiste em uma pesquisa-ação, de cunho qualitativo-
interpretativo, cujo objetivo geral é compreender como habilidades de leitura propostas pelo SPAECE
desenvolvem-se, em alunos do nono ano do Ensino Fundamental, em situação de ensino-
aprendizagem do gênero conto, notadamente, contos da escritora Clarice Lispector, mediatizada pelo
PTD (GASPARIN, 2009) e as etapas do processo de leitura (MENEGASSI, 2010). Por se tratar de
pesquisa que considera o caráter dialógico dos enunciados, o trabalho fundamenta-se, sobretudo, na
teoria do Círculo de Bakhtin, notadamente, Bakhtin (2003) e Bakhtin/Volochinov (1992), que postulam
o caráter dialógico e interativo da linguagem. Nessa direção, considera, ainda, as proposições teórico-
metodológicas discutidos por Dell’Isola (1996), Solé (1998), Colomer & Camps (2002), ampliadas por
Menegassi (1995; 2010; 2011). Tratando-se de pesquisa-ação, desenvolvida em nono ano do Ensino
Fundamental, em uma escola pública de Fortaleza/CE, adotou-se a elaboração de diário reflexivo
como instrumento de coleta e análise dos dados. Por fim, pretendo encontrar como resultado o
desenvolvimento de leitores ativos e críticos, capazes de compreenderem o contexto sociocultural da
realidade na qual habitam, convivem e se tornam cidadãos.

PALAVRAS-CHAVE: Leitura. Pedagogia Histórico-Crítica. Gênero


Conto.

RESUMOS Página 51
TEXTO DE POLÊMICA: GÊNERO TEXTUAL E ANÁLISE
João Adalberto Campato Jr. (Universidade Brasil – PQ)

RESUMO: A questão do texto polêmico – como gênero textual - constitui parcela de uma dimensão
mais global de nossas investigações, a saber, o exame da retórica e de suas articulações com a
análise do discurso, a análise da conversação, a pragmática, a semiótica, a ecocrítica, a teoria da
argumentação, entre outras vertentes críticas que se deixam estudar à luz da persuasão e da
argumentação. A polêmica, conforme sinaliza Amossy (2017, p.18), surge do desacordo, do “choque
entre opiniões antagônicas”, sendo manifestação de dissenso. Expresso com nomenclatura da retórica
antiga, é viável afirmar que a polêmica vem à tona à medida em que uma questão dialética – por
definição, não geradora de evidências - suscita opiniões, visões partidárias. Nesse quadro, cada
interlocutor (orador) de uma polêmica cuidará de persuadir, racionalmente (logos) ou não (ethos,
pathos), o público que o escuta ou que o lê (auditório) de que sua opinião – transformada em tese - é a
válida. Os textos oriundos de polêmicas gestadas em diferentes canais de comunicação podem ser
sistematicamente descritos e interpretados por meio de alguns métodos de análise, como o de Dante
Tringali (1988, 2014), que se vale dos componentes da Retórica Antiga para avaliar em que sentido e
como tais textos verbais ou não podem persuadir. A proposta de Tringali inclui, principalmente, o
exame da invenção (argumentos), disposição (organização dos argumentos) e elocução (aspectos
linguísticos e estilísticos) dos textos em pauta. No âmbito do ensino, o trabalho com textos advindos de
manifestações polêmicas guarda interesse, sobretudo, na medida em que leva o professor de língua e
o aluno a se depararem com uma situação de uso mais espontâneo e real da língua, tendo a
possibilidade de ver como seu uso pode produzir inusitados e eficientes efeitos de sentido, indo além
das ferramentas que a gramática normativa rotineiramente fornece.

PALAVRAS-CHAVE: Polêmicas. Retórica. Análise do Discurso

O CURTA-METRAGEM “A HISTÓRIA DE UM URSO”: LEITURA DE TEXTOS FÍLMICOS E


MULTILETRAMENTOS

Amanda Rodrigues de Almeida (Graduanda/UENP-CCP - G)


Bruna Carolini Barbosa (Orientadora/UENP-CCP - PQ)

RESUMO: Este trabalho é um recorte de uma pesquisa em nível de Iniciação Científica Voluntária
denominada “Multiletramentos: a linguagem fílmica como objeto de leitura”, em desenvolvimento na
Universidade Estadual do Norte do Paraná, Campus de Cornélio Procópio, sob orientação da
Professora Mestra Bruna Carolini Barbosa. Propõe-se a análise de um curta-metragem, buscando
compreender o emprego da linguagem fílmica, bem como a os efeitos de sentido do texto
multissemiótico. Em vista disso, escolhemos apresentar nesta comunicação os resultados preliminares
da análise do curta-metragem que constitui o corpus desta pequisa: “Story Bear” (A História de um
Urso), ganhador do Oscar de 2016. Para tanto, o trabalho ancora-se nas discussões teóricas dos
estudos de Jullier e Marie (2009) e Vonoye e Goliot-Lété (1994) relacionados à linguagem fílmica e
suas significações. A posteriori, buscaremos ampliar a análise e desenvolver uma proposta de ensino
sob o viés da Pedagogia dos Multiletramentos, com base nos pressupostos teóricos de New London
Group (1996), Kalantzis & Cope (2004; 2006; 2013) e Lankshear e Knobel (2011). A pesquisa visa
a promoção e a valorização da prática de ensino das multimodalidades da linguagem nos diversos
níveis de educação a partir de atividades de leitura que contribuam com a formação crítica do cidadão
sob uma perspectiva sociocultural.

PALAVRAS-CHAVE: Linguagem fílmica. Multiletramentos. Leitura. Textos multissemióticos. Curta


metragem.

RESUMOS Página 52
UMA ANÁLISE TEXTUAL DA INSERÇÃO DA PUBLICIDADE EM VÍDEOS PRESENTES NO
YOUTUBE

Eduarda Hunzicker Garrett (UENP/CPP – G)


Lívia Maria Turra Bassetto (Orientadora – UENP/CCP – PQ)

RESUMO: O século XXI provocou muitas mudanças na forma de pensar e viver dos seres humanos, e
o avanço tecnológico e o livre acesso à internet intensificaram tais transformações. Atualmente, grande
parte da população mundial pode se conectar a rede global de computadores sem grandes
dificuldades e, através disso, são capazes de estabelecer relacionamentos interpessoais. Mas, além
dessas relações, é possível nos ligarmos de forma mais fácil e rápida com determinadas marcas e
produtos, o que tem acontecido por meio do grande investimento que empresas têm destinado às
propagandas virtuais, mais especificamente, às propagandas feitas por youtubers. Desse modo, esse
artigo tem como objetivo realizar uma análise discursiva de dois vídeos que contêm conteúdo
patrocinado, ambos presentes na plataforma digital YouTube, considerando como foi realizada a
apresentação do produto e, de que forma essa abordagem faz com que nós, consumidores, sejamos
levados a comprá-lo. No que se refere aos estudos linguístico-discursivos, fundamenta-se nos estudos
de José Luiz Fiorin (2006), Irandé Antunes (2010), Ingedore Koch (2002) e Vanda Maria Elias (2011) e
Antonio Xavier (2002); em relação aos conceitos sobre propaganda, nortearam o desenvolvimento
deste artigo as obras de Eugênio Malanga (1977), Cláudio Torres (2009), entre outros. Espera-se que
esta pesquisa possa ajudar a explicar como e por que as publicidades digitais têm ganhado força,
como elas têm conseguido influenciar diferentes gerações e, principalmente, como é feita a inserção
da publicidade durante os vídeos.

PALAVRAS-CHAVE: Linguística Textual. Publicidade digital. YouTube.

UMA ANÁLISE TEXTUAL DISCURSIVA DA PROPAGANDA INSTITUCIONAL CONTRA A CULTURA


DO ESTUPRO

Eduarda Hunzicker (UENP/CCP – G)


Bruna Carolini Barbosa (Orientadora – UENP/CCP – PQ)

RESUMO: A Linguística Textual, desde sua emergência, mudou significativamente. Da gramática


textual ao texto enquanto objeto de interação sociodiscursiva, os estudos evoluíram na busca por uma
abordagem teórico-metodológica que desse conta da complexidade da linguagem materializada nos
diferentes gêneros do discurso. Atualmente, as análises vão além da materialidade e superficialidade
textual, uma vez que é impossível dissociar texto e discurso. Diante disso, este artigo objetiva realizar
uma análise textual-discursiva de duas propagandas institucionais em que a cultura do estupro é
abordada. A escolha do tema foi feita a partir do grande destaque que esse assunto tem ganhado nas
mídias. Para tanto, foram utilizadas duas propagandas publicadas na revista SUPER Interessante,
considerando sua linguagem verbal e imagética. Esta pesquisa, no que concerne aos aspectos
linguístico-discursivos, baseia-se nos estudos de Mikhail Bakhtin (1997), José Luiz Fiorin (2006),
Ingedore Koch (1997, 2003, 2011 e 2013); as considerações sobre publicidade e propaganda foram
desenvolvidas à luz das reflexões de Frederic Charles Bartlett (1940) e José Benedito Pinho (1990). As
análises apontam para a interdiscursividade constitutiva do gênero discursivo propaganda, bem como
evidencia a importância do processo analítico crítico como ferramenta capaz de situar o material
linguístico no contexto social.

PALAVRAS-CHAVE: Linguística Textual. Discurso. Propaganda.

RESUMOS Página 53
UMA ANÁLISE TEXTUAL DOS DISCURSOS INSTITUIDOS EM “O PATINHO FEIO” DE ANDERSEN

Aline Regina Lemes de Sene (UENP – PG)


Marilúcia dos Santos Domingos Striquer (UENP – PQ)

RESUMO: Este trabalho, resultado de pesquisa desenvolvida na disciplina Texto e ensino, no


Profletras da Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP), tem o objetivo de apresentar uma
análise realizada sobre o conto “O patinho feio”, de Hans Christian Andersen, em obra organizada por
Sandroni (2007), tendo como princípio (re)pensar as relações entre contexto, contexto e texto, a partir
dos preceitos teóricos de Adam (2011) sobre a Análise textual dos discursos e da proposta de Antunes
(2010) de análises centradas em elementos determinantes da textualidade e da função interacional de
um texto. A premissa inicial foi a de que os estudos em questão poderiam contribuir para a
compreensão dos elementos que constituem o referido conto, e, em decorrência, nos instrumentalizar
para que pudéssemos toma-los como eixo organizador das práticas de leitura e produção de textos em
salas de aula da educação básica. Os resultados demonstraram que o entrelaçamento das propostas
teórico-metodológicas dos dois referidos autores é profícuo, os elementos que formam o conto foram
detalhadamente conhecidos, nos permitindo assim toma-los, como conteúdo escolar.

PALAVRAS-CHAVE: Conto maravilhoso; Análise textual dos discursos; Ensino da língua portuguesa.

UMA CONTRIBUIÇÃO PARA O ENSINO DA LÍNGUA PORTUGUESA: TRATANDO O GÊNERO


CAUSO

Luciane Cristina Benites Pereira (UENP/CCP-PG)

RESUMO: O presente trabalho direciona um olhar para as necessidades de aprendizagem da Língua


Portuguesa em consonância com as Diretrizes Curriculares, tendo em vista a concepção de linguagem
como discurso que se efetiva nas diferentes práticas sociais, buscando empregar a língua oral em
diferentes situações de uso, saber adequá-la a cada contexto e interlocutor, reconhecer as intenções
implícitas nos discursos do cotidiano e propiciar a possibilidade de um posicionamento diante deles.
Contempla a leitura, produção textual e análise linguística de forma interligada, considerando que,
quanto maior for o contato do aluno com variedades de linguagens, melhores serão suas
possibilidades de entender e interpretar o texto, seus sentidos, suas intenções e visões de mundo. Tem
como ponto de partida os pressupostos de Bakhtin, que privilegia “(i) a concepção dialógica da
linguagem; (ii) os textos enquanto enunciados concretos, pertencentes a diferentes gêneros [...] (iii) os
aspectos dialógicos presentes nos enunciados [... ]”, e prioriza o estudo além da gramática com
enfoque no uso social da linguagem (ANTUNES, 2007; 2010) contemplando a oralidade, produção
textual e análise linguística contextualizada, que além de melhorar aspectos do ensino da Língua
Portuguesa busca valorizar o patrimônio sociocultural brasileiro. Os PCN (BRASIL, 1998) afirmam que
o gênero causo possibilita o trabalho com a leitura e a escrita. Entende-se a fala como representação
fônica da língua e a escrita como representação gráfica.

PALAVRAS CHAVE: Língua Portuguesa. Linguagem. Gênero textual.

RESUMOS Página 54
UMA PERSPECTIVA SOCIOLINGUÍSTICA SOBRE IDENTIDADE E ESTERIÓTIPO NO DISCURSO
HUMORÍSTICO STAND UP COMEDY
Angélica Prestes Rosas (G-UENP)
Naraiane Taís da Silva (G-UENP)
Bruna Carolini Barbosa (Orientadora/PQ – UENP)

RESUMO: Levando em consideração os pressupostos sociolinguísticos (GÖRSKI et al, 2010;


COELHO, 2015; CASSELLA, 2016), entende-se que a variação linguística é um traço natural e
constitutivo de qualquer falante, devido às questões sociais e aos aspectos internos da própria língua.
Não há, portanto, homogeneidade: toda língua é essencialmente heterogênea - pertinentemente
provida a partir de um relacionamento social que determina a identidade de cada falante (HALL, 2006).
Partindo dessas considerações iniciais, este trabalho tem como objeto de análise o gênero oral Stand-
up Comedy. O corpus desta pesquisa é composto pelo vídeo “Sotaque” do humorista brasileiro
Fernando Caruso, publicado em 2011, disponível na plataforma de vídeos do Youtube. Objetivamos
demonstrar que certos discursos acabam criando formas estereotipadas de determinadas
comunidades de fala, conferindo, assim, uma identidade distante do real cultural e linguístico que de
fato constituem esses grupos. Portanto, os resultados revelam que parte do discurso do humorista
reproduzem e reforçam esses traços estereotipados sobre as variantes linguísticas e seus falantes, e
que grande parte da audiência corrobora com a discriminação de sotaques ou dialetos que compõem o
tecido linguístico brasileiro.

PALAVRAS-CHAVE: Sociolinguística. Variação linguística. Preconceito linguístico. Stand-up Comedy.

UMA PRIMEIRA LEITURA DO ROMANCE AMADA DE TONI MORRISON, REPRESENTAÇÃO,


CULTURA E IDENTIDADE

Ana Carolina Fonseca de Souza (UNICENTRO- PG)


Prof. Dra. Raquel Terezinha Rodrigues (UNICENTRO-PQ)

RESUMO: O presente trabalho apresenta uma primeira leitura do romance Amada de Toni Morrison,
de 1987 para analisar como a personagem Sethe tem sua identidade construída. Ganhadora do
Prêmio Nobel de Literatura em 1993, Toni Morrison é a primeira mulher negra a ser honrada com tal
premiação. O romance que apresenta características de realismo mágico e narrativa memorialista traz
como uma das personagens centrais uma mulher negra, ex-escrava fugida e mãe que vive com
Denver, sua filha mais nova. Tendo algo de seu passado, tão obscuro, que a leva a um isolamento
social, à primeira vista por causa dos fenômenos sobrenaturais. Contudo, conforme a história vai se
desvelando, por meio das memórias das personagens, apresentar-se-á o real motivo – Sethe em um
momento de desespero, haja vista sua imanente recaptura e possível retorno a fazenda “Doce lar” de
onde fugira, vem a tentar matar os dois filhos mais velhos e sucede assassinando a filha que já
engatinha, Amada. E daí em diante passa a sofrer com todo o desconcerto de uma cidade formada por
homens e mulheres negras, em sua maioria na mesma condição que ela, porém que não conseguem
aceitar sua atitude desesperada. Algum tempo depois do fato, Sethe assombrada pelo fantasma da
filha morta, perde a sogra, seu porto seguro e seus filhos, que já não suportam mais toda aquela
situação de eventos sobrenaturais, partem de casa deixando-a sozinha com Denver até a chegada de
Paul D. o último homem escravo a sair da “Doce lar” e que passa a viver com mãe e filha e expulsa o
fantasma de Amada da casa 124 da rua Bluestone. Conceitos como identidade, representação e
cultura são utilizados para comentar a construção da identidade da personagem Sethe no que tange a
história norte-americana nos primeiros anos após a abolição da escravatura.

PALAVRAS-CHAVE: Personagem feminina; Amada; identidade; cultura; representação; memória;


Toni Morrison.

RESUMOS Página 55