Você está na página 1de 4

Cinco pontos essenciais para entender o que é Educação 

Infantil – ​2º B/ 2º Ano 


MICHELLI GUIDO
Educação Infantil
A Educação Infantil é a primeira etapa da Educação Básica e é um direito humano e social de todas as crianças
até seis anos de idade. Organizei cinco pontos essenciais para entender o que é Educação Infantil e porque essa
etapa é tão importante na vida de uma criança.

1: A Lei
Desde 1996 com a nova Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Lei 9394/96), a educação
infantil passou a integrar a educação básica, juntamente com o ensino fundamental e o ensino médio. Segundo a
LDB em seu artigo 29:
A educação infantil, primeira etapa da educação básica tem como finalidade o desenvolvimento integral da criança
até seis anos de idade, em seus aspectos físico, psicológico, intelectual e social, complementando a ação da
família e da comunidade.

2: O currículo
A educação infantil não possui um currículo formal, por isso desde 1998 seguimos o ​Referencial Curricular
Naciona​l para a Educação Infantil que é um documento equivalente aos Parâmetros Curriculares Nacionais que
embasa os demais segmentos da educação básica. É um guia de orientação que contribui para o planejamento,
desenvolvimento e avaliação das práticas educativas. Ele serve de base para elaboração de projetos.
Segundo os Referenciais, o papel da Educação Infantil é CUIDAR da criança em espaço formal, contemplando a
alimentação, a limpeza e o lazer (brincar). Também é seu papel EDUCAR, sempre respeitando o caráter lúdico
das atividades, com ênfase no desenvolvimento integral da criança.
As instituições devem trabalhar os seguintes campos de experiência: Formação Pessoal e Social e Conhecimento
de Mundo. Para trabalhar o campo Formação Pessoal e Social deverá favorecer o processo da construção da
Identidade e Autonomia das crianças e para trabalhar o campo Conhecimento de Mundo deverá ter diferentes
eixos de trabalho: Movimento, Música, Artes Visuais, Linguagem Oral e Escrita, Natureza e Sociedade e
Matemática.
Esses campos de experiência fazem parte do Projeto Político Pedagógico (PPP) de cada instituição de ensino.

O que é PPP?
O PPP define a identidade da escola e indica caminhos para ensinar com qualidade, ou seja, norteará o conjunto
de atividades escolares que são construídas coletivamente a partir da realidade em que a instituição de ensino e a
comunidade estão inseridas.
Isto significa que as escolas constroem seus projetos através da singularidade de cada ambiente. Uma escola na
zona rural não pode ter um PPP igual ao de uma escola da zona urbana e as escolas da zona urbana também
não podem ter um único PPP, porque o público pode ser diferente dependendo do bairro, localidade e filosofia.
Vale lembrar que cada instituição tem o seu PPP e não há uma única forma de construí-lo.

3: Os objetivos
A prática da educação infantil deve se organizar de modo que as crianças desenvolvam as seguintes
capacidades:
● Ter uma imagem positiva de si;
● Descobrir e conhecer progressivamente seu próprio corpo;
● Estabelecer vínculos afetivos e de troca com adultos e crianças;
● Ampliar cada vez mais as relações sociais;
● Observar e explorar o ambiente com atitude de curiosidade;
● Brincar, expressando emoções, sentimentos, pensamentos, desejos e necessidades;
● Utilizar as diferentes linguagens e
● Conhecer algumas manifestações culturais.
Esses objetivos gerais da educação infantil, são os mais relevantes e quando alcançados são reconhecidos
facilmente. Isso não quer dizer que uma criança de 2 anos deverá ser capaz disso tudo. No final da educação
infantil (aos 6 anos) esperamos que uma criança consiga alcançar esses objetivos.
4: a escola
Quando a criança ingressa na escola passa a conviver com pessoas da mesma idade, descobrindo novos valores
e experiências; essa socialização lhe dá auto confiança, adaptabilidade e rendimento intelectual. Para muitas
crianças esse convívio social oferece diversas possibilidades que a família raras vezes tem condições de
proporcionar; isso acontece porque elas estão sempre ávidas para explorar, experimentar, colecionar, perguntar e
aprender. É importante que as instituições criem condições para que possam ser desenvolvidas, harmonicamente,
as potencialidades das crianças.
Lembre-se, você tem que se sentir confortável e seguro com a instituição que escolheu para sua criança!

5: O conhecimento
​ construção de conhecimentos se processa de maneira integrada e global entre as diferentes atividades que
A
serão trabalhadas com as crianças.
Entende-se que o ​brincar​ é necessário para o desenvolvimento infantil, ou seja, é através da brincadeira que
acontece a aprendizagem, a criatividade, a imaginação, a socialização, a motricidade, entre outras habilidades
importantes para o desenvolvimento.
Não se pode perder de vista as necessidades e os interesses das crianças, pois é através das interações com o
mundo que é construído o conhecimento.
Exemplo:
Para trabalhar o nome da criança, podemos confeccionar um jogo da memória com os nomes das crianças e
brincar com a cantiga de roda ​“a canoa virou”​. Nessas atividades estaremos desenvolvendo as seguintes áreas
do conhecimento: linguagem (reconhecimento do nome), movimento (a dança – o giro da cantiga), matemática
(noção de igual e diferente), natureza e sociedade (folclore – cantiga de roda) e a música.
Um simples passeio pode oferecer elementos importantes, tais como análise das paisagens, presença de animais,
fenômenos da natureza, contato com a escrita e os números presentes nas casas, placas, salas de aula etc. O
mesmo passeio envolve também, aprendizagens relativas à socialização e mobilizam sentimentos e emoções.

“Educar é impregnar de sentido o que fazemos a cada instante! ​Paulo Freire

Concluindo, A Educação Infantil tem-se revelado primordial para uma aprendizagem efetiva. Ela socializa,
desenvolve habilidades e melhora o desempenho escolar futuro. A educação infantil é o verdadeiro alicerce da
aprendizagem.

O que as crianças devem aprender na Educação Infantil? ​Muriele Massucato, Eduarda Diniz Mayrink

Aprendizagens e vivências fundamentais para pequenos na faixa etária de 0 a 5 anos.

1. Jogar e brincar​. Essas duas atividades devem acontecer diariamente na rotina de todas as crianças, com
momentos de faz de conta, roda, jogos coletivos com regras, jogos de encaixe, quebra-cabeça, jogos verbais,
brincadeiras no parquinho, na sala e em todo e qualquer lugar. Brincar é a linguagem por excelência da criança e
variadas experiências e vivências diárias possibilitam inúmeras aprendizagens, além da superação dos desafios,
da interação com o outro e muito mais!
2. Ouvir histórias. ​Toda criança tem o direito de ouvir pelo menos uma boa história a cada dia. Pode ser um causo,
um conto de fadas, uma aventura… O mais importante é assegurar a qualidade da literatura com a qual os
pequenos entram em contato. Por isso, uma história da tradição oral da região certamente tem muito mais a
acrescentar do que um livro infantil mal escrito.
3. Construir a identidade e a autonomia.​ Proporcionar situações nas quais as crianças tenham a oportunidade de
se perceber como indivíduo, de aprender a conviver e respeitar o outro e de, gradualmente, ser capaz de cuidar
de si e tomar decisões é uma meta da Educação Infantil.
4. Falar, perguntar, argumentar.​ Aprender a se comunicar cada vez com mais desenvoltura e clareza, saber se
posicionar e explicitar os desejos, necessidades ou ponto de vista é fundamental durante toda a vida. No entanto,
o planejamento do eixo de Oralidade nessa etapa é um dos mais esquecidos.
5. Pesquisar.​ Observar, perguntar e comparar são atitudes comuns entre as crianças. Cabe à escola propiciar
situações para que elas possam pesquisar temas e assuntos de interesse. Se o planejamento for bem elaborado,
os pequenos farão grandes descobertas, aprenderão a analisar e compartilhar o conhecimento e, o mais
importante, visualizar as próprias aprendizagens.
6. Desenhar, pintar e colar em Artes Visuais. ​A presença da expressão artística, da apreciação das obras de arte,
da experimentação de novos suportes, dos meios e materiais é essencial na Educação Infantil, pois a Arte Visual
é uma linguagem vital na expressão e comunicação humana. Infelizmente, ainda existem escolas em que o
estereótipo e os desenhos para colorir são a tônica.
7. Ler e escrever. ​Situações de leitura e escrita acontecem na vida de uma criança desde que ela é bebê e interage
com o mundo que a cerca. Estamos rodeados desse código de registro e comunicação e, desde muito novas, as
crianças tentam compreendê-lo. É papel da escola propor situações reais de leitura e de escrita, oportunizar e
valorizar as inúmeras tentativas dos pequenos de atuar como leitores e escritores. É preciso, então, considerar
sempre os saberes e o próprio jeito deles de ler e de escrever.
8. Recitar, contar e quantificar. ​São inúmeras as situações de uso real ou de brincadeiras em que recitar os
números, contar os objetos ou estimar a quantidade se faz necessário. Claro que é fundamental que essas
atividades tenham um objetivo explícito para as crianças, pois só assim elas farão sentido e proporcionarão
aprendizagens.
9. Cantar ou apreciar músicas.​ O canto, a apreciação de obras musicais, a participação em brincadeiras de dança
e a experimentação de ritmos são essenciais, pois possibilitam muitas aprendizagens para as crianças.

A construção do conhecimento na Educação Infantil

A construção do conhecimento na Educação Infantil está presente dentro da sala de aula. Porém, uma criança
pode aprender muito através de um passeio feito com os pais, por exemplo. Por isso, é importante que o
profissional da Educação Infantil tenha ciência de que a construção do conhecimento se dá também fora da sala
de aula.
É muito comum que os profissionais da área da educação ouçam questionamentos acerca da ​Educação Infantil​.
Alguns desses questionamentos envolvem dúvidas como: para que serve a Educação Infantil, se a criança
consegue aprender algo efetivo através de brincadeiras? Brincar é algo realmente necessário para a criança?
A função da Educação Infantil vai muito além das brincadeiras. Ela inicia a​ construção do conhecimento​, que
pode ocorrer através de brincadeiras. Por exemplo, brincar de massinha é uma ótima atividade para o
desenvolvimento motor da criança. Então, não devemos pensar se brincar é ou não necessário para a criança,
mas de que forma podemos trabalhar com ela os conhecimentos de uma forma leve e divertida.
Muitos adultos esquecem que por trás de todo profissional da educação, muitas horas de estudo foram dedicadas
para se compreender as fases do desenvolvimento infantil, as diferentes abordagens e, até mesmo, os
conhecimentos apropriados para cada idade.
A Educação Infantil é, sem dúvidas, uma das etapas mais importantes para o desenvolvimento da criança, pois
ela é o primeiro contato do indivíduo com o mundo, sem o acompanhamento dos seus pais. Além disso, é nessa
fase que a criança começa a desenvolver a linguagem, a percepção do corpo e a criatividade, sendo inserida em
um ambiente com outras crianças, o que lhe permite perceber as semelhanças e as diferenças entre as pessoas
que a rodeiam. Todas essas elaborações cognitivas que as crianças fazem a partir do contato e do convívio
escolar constituem a​ construção do conhecimento na Educação Infantil.
Como diz o velho e famoso ditado “vivendo e aprendendo”, é extremamente necessário que as crianças, assim
como nós, sejam expostas a situações novas e inusitadas, pois, a partir dessas vivências, elas desenvolvem e
aprimoram diversas habilidades que ajudam nas tarefas diárias. É através da aprendizagem que nós, humanos,
conseguimos compreender e viver de forma mais pacífica em sociedade.
É importante salientar que, todas as situações mencionadas não são especificamente de uma matéria ou
disciplina. No entanto, elas são fundamentais para que a educação infantil seja efetiva. ​De acordo com a LDB​, a
Lei de Diretrizes e Bases da Educação, a Educação Infantil deve permitir que as crianças desenvolvam
capacidades cognitivas (relacionadas à aprendizagem), motrizes (aquelas que envolvem a movimentação e
deslocamento) e também habilidades sociais e afetivas.
Então, todas essas capacidades que o processo de ​construção do conhecimento ​permite desenvolver, apesar
de serem habilidades não relacionadas a conteúdos programáticos escolares, são previstas pela legislação
escolar, através da já citada LDB.
Quando falamos sobre a ​construção do conhecimento na Educação Infantil​, devemos ter em mente que
ela está ligada diretamente ao desenvolvimento cognitivo, ​Inteligência - A Peculiaridade nas Crianças​ discute a
capacidade da criança de pensar, compreender, criticar e criar novas hipóteses sobre o ambiente que as cerca.

O professor da educação infantil exerce o papel de mediador para que as crianças se apropriem de
conhecimentos mais elaborados, a partir da vivência de seu meio social, das intervenções didáticas, de situações
de aprendizagem por meio do brincar.
Nesse sentido a organização do trabalho pedagógico realizado pelo professor deve contemplar os cuidados
necessários para que a criança se aproprie dos conhecimentos de maneira lúdica e de acordo com o seu
desenvolvimento físico, emocional, social e cognitivo.
A criança, nesse contexto, deve ser vista como um sujeito sócio- histórico, de direitos e que constrói sua
identidade na relação com outros sujeitos, no meio social em que está inserida.
O professor para mediar a aprendizagem das crianças deve desenvolver competências, saberes que o permitam
entender como se processa a educação da criança e assim, propor situações de aprendizagem, planejadas,
evitando a improvisação. Para tanto investir em sua formação continuada é condição imprescindível.