Você está na página 1de 4

Ferimentos.

Deve se conhecer os principais tipos de ferimentos e aplicar adequadamente as técnicas de


contenção de hemorragia.

Identificar precocemente os sinais de choque e aplicar as técnicas para manutenção dos sinais
vitais até a chegada do socorro médico ou no hospital.

Conhecer as principais técnicas de bandagens no aph

Ferimentos são quaisquer lesões da pele produzida por traumatismo, e divide em ferimentos
fechados e abertos.

Os abertos; incisivos ou cortantes, contusos, perfurantes, penetrantes, transfixantes,


escoriações ou abrasões, avulsões ou amputações e lacerações.

Proteger a ferida, conter sangramentos.

Em escoriações apenas lavar.

Feridas incisivas, aproximar as bordas.

Em feridas lacerantes, controlar o sangramento.

Ferimentos fechados as contusões temos as equimoses que é a presença de sangue no


subcutâneo e os hematomas que é a presença de sangue normalmente com edema, inchaço.

Ferimentos na cabeça. Ter atenção na alteração de consciência, dores de cabeça, náuseas e


vômitos, sangue ou liquor pelo nariz e ou ouvidos.

O atendimento pelo A, B, C, D,

Proteger a ferida sem apertar, se vomitar realizar o rolamento em bloco.

Se sangue ou liquor não tentar conter.

Ferimentos no tórax;

Ter atenção na alteração ou dificuldade de respiração, dor no peito, cianose de extremidades.

O atendimento com a, b, c,

Proteger a ferida, gaze, plástico, esparadrapo.

Fixar o material usado sem apertar muito e não retirar objetos empalados.

Ferimentos no abdome; ter atenção em dor ou rigidez de abdome, fraturas de costelas


inferiores e ferimentos na parede do abdome intestino exposto.

Atendimento a, b, c,

Evitar mexer na vitima, não retirar objetos empalados, não tentar colocar os órgãos para
dentro e sem cobri-los com pano limpo e úmido.

Manter o curativo preso sem apertar.

Hemorragias:

Extravasamento de sangue através da ruptura da parede do vazo sanguíneo.


Pode ser externa e interna.

E os tipos não arterial, venosa e capilar.

Hemorragia externa é visível, já a interna se atentar para o0 mecanismo da lesão fratura de


pelve e ossos longos, rigidez de abdome, área extensa de contusão, ferida penetrante.

Hemorragia externa fazer pressão direta com elevação da área traumatizada e pressão digital
sobre o ponto de pulso.

Pode controlar a hemorragia externa com aplicação de gelo, para diminuir o sangramento e
previne equimose e evitar o uso prolongado do gelo.

Na hemorragia interna se atentar ao a, b, c,

Nunca oferecer líquidos ou alimentos, evitar o choque, aquecer a vítima, solicitar o serviço
pré-hospitalar ou encaminhar para o hospital.

Choque:

Falência do sistema cardiocirculatório,

Extrema gravidade identificada na abordagem primaria.

Falha na perfusão tecidual vai ocorrer o choque.

Coração com falha de bomba,

Sangue, com perda de sangue ou plasma,

E vasos sanguíneos com dilatação.

Diminuição de perfusão prejudicando orgaõs e funções.

Cérebro com diminuição do nível de consciência,

Rins com a diminuição do debito urinário,

Coração com taquicardia, bradiquicardia e p,c.r.

Tipos de choque;

Hipovolêmico, perda de sangue, plasma ou desidratação,

Cardiogênico; falha na bomba, dor torácica.

Neurogênico, lesão medular, perda da resistência periférica,

Pscicogenico, choques emocionais.

Anafilático, reações alérgicas drogas e toxinas.

Séptico, infecções graves e toxinas.

Choque hipovolêmico, sinais e sintomas.

Ansiedade e inquietação, náuseas e vômitos,


Sede intensa, fraqueza, tontura e frio,

Queda brusca da pressão arterial, sistólica menor te 90,

Respiração profunda e rápida,

Pulso rápido e profunda,

Enchimento capilar acima de 2 segundos.

Pele fria e úmida, pegajosa,

Palidez ou cianose.

Inconsciência parcial ou total,

Olhos vitrificados sem brilhos e pupilas dilatadas.

Choque hipovolêmico,

cuidados de emergência.

Tratar a causa: interromper sangramento.

Assegurar vias aéreas,

Administrar oxigênio em alta concentração de 12 a 15 litros por min.

Imobilizar e alinhar fraturas para diminuir a dor e sangramento,

Confortar o paciente, transporte com segurança;

Choque cardiogênico.

Falha de bomba,

Infarto agudo do miocárdio , arritimias,

Dor torácica,

Pulso irregular,

Transporte semi saentado,

Oxigênio

r, c, p,

choque neurogênico.

Lesão medular,

Perda da resistência periférica,

Dilatação da rede vascular,

Perfusão inadequada,

Bradicardia.
Mesmos são os sintomas do choque psicogênico mas nesse a recuperação é mais rápida,

Choque anafilático,

Reação alergia,

Pele vermelha, coceiras, edema de face e língua, respiração ruidosa, queda de pressão, pulso
fraco, palidez, cianose, coma,

Transportar o mais rápido e verificar vias aéreas e oxigênio

Choque séptico;

Infecção graves como toxinas, dilatação vascular e atendimento é hospitalar.

Atendimento geral em choques,

Reconhecimento precoce do choque,

Permeabilidade de vias aéreas, controlar sangramentos e alinhar fraturas,

Oxigênio de 12 a 15 litros por minutos se possível,

Aquecer a vitima,

Não dar líquidos,

Monitorar constantemente os sinais dvitais

Apoio medico e transporte