Você está na página 1de 259

Resenha

de Política Exterior do Brasil


número 121, 2° semestre de 2017

MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES


Divisão de Comunicações e Arquivo - Arquivo Central

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017


Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 1
RESENHA DE POLÍTICA EXTERIOR DO BRASIL
Arquivo Central – DCA

© 2017 Todos os direitos reservados. A reprodução ou tradução de qualquer parte desta publicação será permitida com a prévia
permissão do Editor.

A Resenha de Política Exterior do Brasil é uma publicação semestral do Ministério das Relações Exteriores, organizada e
editada pelo Arquivo Central da Divisão de Comunicações e Arquivo.

- Ministro de Estado das Relações Exteriores

Aloysio Nunes Ferreira

- Secretário-Geral das Relações Exteriores

Embaixador Marcos Bezerra Abbott Galvão

- Subsecretário-Geral do Serviço Exterior

Embaixador João Pedro Corrêa Costa

- Diretor do Departamento de Comunicações e Documentação

Ministro Marcos Arbizu de Souza Campos

- Chefe da Divisão de Comunicações e Arquivo

Primeiro Secretário Luís Felipe Pereira de Carvalho

- Arquivo Central do Itamaraty

Conselheiro Pedro Frederico de Figueiredo Garcia

Resenha de Política Exterior do Brasil / Ministério das Relações Exteriores, Departamento de Comunicações e
Documentação. Arquivo Central – Ano 1, n. 1 (jun.1974) – Brasília: Ministério das Relações Exteriores, 1974.

259p.

ISSN 01012428

Semestral.

1.Brasil – Relações Exteriores – Periódico. I.Brasil. Ministério das Relações Exteriores.

CDU 327(81)(05)

Departamento de Comunicações e Documentação

2 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


SUMÁRIO
DISCURSOS 14

PALAVRAS DO SENHOR MINISTRO DE ESTADO, ALOYSIO NUNES


FERREIRA, POR OCASIÃO DA ABERTURA DA XXII REUNIÃO ORDINÁRIA
DO CONSELHO DE MINISTROS DA CPLP – BRASÍLIA, 20 DE JULHO DE 2017
14

ALOCUÇÃO DO MINISTRO ALOYSIO NUNES NA REUNIÃO DA ALIANÇA


GLOBAL PARA POR FIM AO COMÉRCIO DE BENS UTILIZADOS PARA PENA
CAPITAL E TORTURA – NOVA YORK, 18 DE SETEMBRO DE 2017 [FRANCÊS]
15

DISCURSO DO MINISTRO ALOYSIO NUNES FERREIRA NO II SEMINÁRIO


SOBRE DIPLOMACIA E INOVAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA –
BRASÍLIA, 08 DE DEZEMBRO DE 2017 16

ATOS INTERNACIONAIS EM VIGOR 20

COMUNICADOS, NOTAS, MENSAGENS E INFORMAÇÕES 73


COMUNICADO CONJUNTO BRASIL-UNIÃO EUROPEIA – DEZ ANOS DA
PARCERIA ESTRATÉGICA 04/07/2017 73

LANÇAMENTO DE MÍSSIL PELA COREIA DO NORTE 04/07/2017 73

COMUNICADO DOS PAÍSES DO MERCOSUL SOBRE VENEZUELA 05/07/2017


73
ITAMARATY APOIA EMPREENDEDORISMO BRASILEIRO NO EXTERIOR
06/07/2017 74

CONCESSÃO DE "AGRÉMENT" AO EMBAIXADOR DO JAPÃO 06/07/2017 75

CONCESSÃO DE "AGRÉMENT" AO EMBAIXADOR DA GRÉCIA 07/07/2017 75

TRATADO SOBRE A PROIBIÇÃO DE ARMAS NUCLEARES 07/07/2017 75

DECLARAÇÃO DE HAMBURGO DOS LÍDERES DO G20 SOBRE A LUTA


CONTRA O TERRORISMO 08/07/2017 75

DECLARAÇÃO DOS LIDERES DO G20 – MOLDANDO UM MUNDO


INTERCONECTADO 08/07/2017 79

CONVERSÃO DA CONDENAÇÃO DE LEOPOLDO LÓPEZ EM PRISÃO


DOMICILIAR 09/072017 91

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 3


INSCRIÇÃO DO CAIS DO VALONGO NA LISTA DO PATRIMÔNIO MUNDIAL –
CRACÓVIA, 9 DE JULHO DE 2017 09/07/2017 92

CONCESSÃO DE "AGRÉMENT" AO EMBAIXADOR DA NIGÉRIA 11/07/2017 92

CONCESSÃO DE "AGRÉMENT" AO EMBAIXADOR DO BRASIL NO


SURINAME 12/07/2017 92

VISITA DO MINISTRO DAS RELAÇÕES EXTERIORES E CULTO DA


REPÚBLICA ARGENTINA, EMBAIXADOR JORGE FAURIE, AO BRASIL –
BRASÍLIA, 14 DE JULHO DE 2017 12/07/2017 93

RETOMADA DE MOSUL 12/07/2017 93

ATENTADO CONTRA PEREGRINOS HINDUS 14/07/2017 94

SITUAÇÃO NO GOLFO E NA PENÍNSULA ARÁBICA 14/07/2017 94

VINTE E UM ANOS DA CPLP 17/07/2017 94

PLEBISCITO NA VENEZUELA 17/07/2017 95

NOTA DE PESAR PELO FALECIMENTO DO PROFESSOR VICENTE MAROTTA


RANGEL 17/07/2017 95

APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA PARA AS NEGOCIAÇÕES AGRÍCOLAS DA


OMC 17/07/2017 96

ELEIÇÃO DO CANDIDATO BRASILEIRO À PRESIDÊNCIA DA COMISSÃO DO


CODEX ALIMENTARIUS 18/07/2017 96

NEVASCA EM BARILOCHE 18/07/2017 97

L CÚPULA DE CHEFES DE ESTADOS DO MERCOSUL E ESTADOS


ASSOCIADOS E L REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DO MERCADO
COMUM DO MERCOSUL 19/07/2017 97

DOCUMENTOS FINAIS DA XXII REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE


MINISTROS DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA –
BRASÍLIA, 20 DE JULHO DE 2017 20/07/2017 98

DECLARAÇÃO DO MINISTRO ALOYSIO NUNES FERREIRA SOBRE O


FALECIMENTO DO PROFESSOR MARCO AURÉLIO GARCIA 20/07/2017 115

NOVO ACORDO DE COMPLEMENTAÇÃO ECONÔMICA ENTRE OS PAÍSES


SIGNATÁRIOS DO TRATADO DE ASSUNÇÃO E A COLÔMBIA 21/07/2017 115

TERREMOTO NA TURQUIA E NA GRÉCIA 21/07/2017 116

4 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


DECLARAÇÃO SOBRE A SITUAÇÃO NA REPÚBLICA BOLIVARIANA DA
VENEZUELA 21/07/2017 116

DECLARAÇÕES E COMUNICADO CONJUNTO DA L CÚPULA DE CHEFES DE


ESTADO DO MERCOSUL E ESTADOS ASSOCIADOS [ESPANHOL] 21/07/2017
116

ATENTADO EM LAHORE, PAQUISTÃO 24/07/2017 122

CONCESSÃO DE "AGRÉMENT" AO EMBAIXADOR DO BRASIL NA


REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DO CONGO 25/07/2017 123

DECISÃO DA CAMEX DE DENUNCIAR O CONVÊNIO SOBRE TRANSPORTES


MARÍTIMOS ENTRE O BRASIL E O CHILE 26/07/2017 123
NOTA DE PESAR PELO FALECIMENTO DO EMBAIXADOR LUIS MARÍA
RAMÍREZ BOETTNER 26/07/2017 123
CONVOCAÇÃO DE ASSEMBLEIA CONSTITUINTE NA VENEZUELA 30/07/2017
124

LANÇAMENTO DE MÍSSIL PELA COREIA DO NORTE 31/07/2017 124


PRISÃO DE LEOPOLDO LÓPEZ E ANTONIO LEDEZMA 01/08/2017 125
ATENTADO NO AFEGANISTÃO 03/08/2017 125
REUNIÃO DE CHANCELERES DO MERCOSUL 04/08/2017 125
DECISÃO SOBRE A SUSPENSÃO DA REPÚBLICA BOLIVARIANA DA
VENEZUELA DO MERCOSUL EM APLICAÇÃO DO PROTOCOLO DE USHUAIA
SOBRE COMPROMISSO DEMOCRÁTICO NO MERCOSUL 05/08/2017 125
DESTITUIÇÃO DA PROCURADORA-GERAL DA VENEZUELA, LUISA ORTEGA
06/08/2017 126
REUNIÃO DE CHANCELERES SOBRE SITUAÇÃO NA VENEZUELA 07/08/2017
127
50 ANOS DA ASEAN 08/08/2017 127
DECLARAÇÃO DE LIMA 08/08/2017 127
ATAQUE TERRORISTA EM LAHORE, PAQUISTÃO 10/08/2017 130
VENEZUELA: O MERCOSUL REJEITA O USO DA FORÇA
PARARESTABELECER A ORDEM DEMOCRÁTICA 12/08/2017 130
ATENTADO EM UAGADUGU, BURKINA FASO 14/08/2017 130
DESLIZAMENTO DE TERRA NOS ARREDORES DE FREETOWN, SERRA LEOA
14/08/2017 130
EVENTO EM CHARLOTTESVILLE 14/08/2017 131

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 5


DECLARAÇÃO DO MINISTRO ALOYSIO NUNES FERREIRA SOBRE O
FALECIMENTO DO SENADOR BOLIVIANO ROGER PINTO MOLINA 16/08/2017
131
ATENTADO EM BARCELONA 17/08/2017 131
CONTENCIOSO NA OMC ENTRE BRASIL E CANADÁ SOBRE SUBSÍDIOS AO
SETOR AERONÁUTICO – PEDIDO DE ESTABELECIMENTO DE PAINEL
17/08/2017 131
VI COMISSÃO MISTA BRASIL-PARAGUAI SOBRE DROGAS E TEMAS
CONEXOS – BRASÍLIA, 10 E 11 DE AGOSTO DE 2017 17/08/2017 132
ATENTADO NA ESPANHA 17/08/2017 132
INUNDAÇÕES EM BANGLADESH, ÍNDIA E NEPAL 18/08/2017 133
VISITA DE ESTADO AO BRASIL DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA DO
PARAGUAI, HORACIO CARTES – BRASÍLIA, 21 DE AGOSTO DE 2017
18/08/2017 133
USURPAÇÃO DAS ATRIBUIÇÕES DO LEGISLATIVO NA VENEZUELA
18/08/2017 133
DESLIZAMENTO DE TERRA NA REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DO CONGO
18/08/2017 134
COMUNICADO DO GRUPO DE LIMA SOBRE A USURPAÇÃO DAS
COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS DA ASSEMBLEIA NACIONAL DA
VENEZUELA 18/08/2017 134
MEDALHA SERGIO VIEIRA DE MELLO 19/08/2017 135
ATAQUE EM TURKU, FINLÂNDIA 19/08/2017 135
COMUNICADO CONJUNTO POR OCASIÃO DA VISITA DE ESTADO DO
PRESIDENTE HORACIO CARTES AO BRASIL 21/08/2017 136
CONCESSÃO DE "AGRÉMENT" AO EMBAIXADOR DA FRANÇA 23/08/2017
140

ATENTADO NO AFEGANISTÃO 24/08/2017 140


VISITA DO MINISTRO DAS RELAÇÕES EXTERIORES A LONDRES, PARIS E
BRUXELAS – 25 A 30 DE AGOSTO DE 2017 24/08/2017 140
ASSINATURA DO ACORDO DE SEDE ENTRE O BRASIL E A CORTE
PERMANENTE DE ARBITRAGEM 25/08/2017 141
CONCESSÃO DE "AGRÉMENT" AO EMBAIXADOR DO BRASIL NO QUÊNIA
25/08/2017 142
COOPERAÇÃO TÉCNICA BRASILEIRA NO SETOR DO ALGODÃO 28/08/2017
142
FURACÃO HARVEY 29/08/2017 142
LANÇAMENTO DE MÍSSEIS PELA COREIA DO NORTE 29/08/2017 142

6 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


VISITA DE ESTADO À CHINA – 1º DE SETEMBRO DE 2017 30/08/2017 143
IX CÚPULA DO BRICS –XIAMEN, 3 A 5 DE SETEMBRO DE 2017 30/08/2017 145
DESMOBILIZAÇÃO DO CONTINGENTE BRASILEIRO NA MISSÃO DAS
NAÇÕES UNIDAS PARA A ESTABILIZAÇÃO DO HAITI (MINUSTAH)
31/08/2017 144
CONCESSÃO DE "AGRÉMENT" A EMBAIXADORA DO BRASIL NO REINO DA
TAILÂNDIA 01/09/2017 145
ENTRADA EM VIGOR DO ACORDO DE LIVRE COMÉRCIO MERCOSUL-
EGITO 01/09/2017 145
VII REUNIÃO NEGOCIADORA PARA A AMPLIAÇÃO E O
APROFUNDAMENTO DO ACORDO DE COMPLEMENTAÇÃO ECONÔMICA No
53 (ACE-53) BRASIL-MÉXICO –CIDADE DO MÉXICO, 29 A 31 DE AGOSTO DE
2017 01/09/2017 145
ATOS ASSINADOS POR OCASIÃO DA VISITA DO PRESIDENTE MICHEL
TEMER À CHINA – PEQUIM, 31 DE AGOSTO A 3 DE SETEMBRO DE 2017
03/09/2017 146
TESTE NUCLEAR PELA COREIA DO NORTE 03/09/2017 147
CESSAR-FOGO ENTRE O GOVERNO DA COLÔMBIA E O EXÉRCITO DE
LIBERTAÇÃO NACIONAL 04/09/2017 148
VIAGEM DO MINISTRO ALOYSIO NUNES FERREIRA AO SUDESTE ASIÁTICO
– 5 A 12 DE SETEMBRO DE 2017 04/09/2017 148
IX CÚPULA DO BRICS – DECLARAÇÃO XIAMEN – XIAMEN, CHINA, 4 DE
SETEMBRO DE 2017 04/09/2017 149
IV REUNIÃO DA SUBCOMISSÃO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA & INOVAÇÃO
DA COMISSÃO SINO-BRASILEIRA DE ALTO NÍVEL DE CONCERTAÇÃO E
COOPERAÇÃO – 5 DE SETEMBRO DE 2017 04/09/2017 171
ADESÃO DO BRASIL A NOVOS INSTRUMENTOS DA OCDE 06/09/2017 172
APOIO DA MISSÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A ESTABILIZAÇÃO NO
HAITI (MINUSTAH) DIANTE DA PASSAGEM DO FURACÃO IRMA 07/09/2017
173
TERREMOTO NO MÉXICO 08/09/2017 174
FURACÃO IRMA 08/09/2017 174
FURACÃO IRMA – ASSISTÊNCIA CONSULAR A NACIONAIS BRASILEIROS
10/09/2017 174
I CONFERÊNCIA SOBRE O MICRO E PEQUENO EMPREENDEDORISMO
BRASILEIRO NO EXTERIOR 12/09/2017 175
ATENTADO NO EGITO 12/09/2017 175
ATENTADOS EM NASIRIYA 14/09/2017 176
LANÇAMENTO DE MÍSSIL PELA REPÚBLICA POPULAR E DEMOCRÁTICA
DA COREIA 15/09/2017 176

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 7


ATENTADO TERRORISTA EM LONDRES 15/09/2017 176
REFORÇO DO DIÁLOGO COM A COLÔMBIA SOBRE A MIGRAÇÃO
VENEZUELANA 15/09/2017 176
FURACÃO MARIA 19/09/2017 177
TERREMOTO NO MÉXICO 19/09/2017 177
ASSINATURA DO TRATADO SOBRE A PROIBIÇÃO DE ARMAS NUCLEARES
20/09/2017 177
REUNIÃO DE CHANCELERES DO IBAS À MARGEM DA AGNU –
COMUNICADO DE IMPRENSA 21/09/2017 177
REUNIÃO DOS MINISTROS DAS RELAÇÕES EXTERIORES DOS PAÍSES DO G4
– BRASIL, ALEMANHA, ÍNDIA E JAPÃO – SOBRE A REFORMA DO
CONSELHO DE SEGURANÇA DAS NAÇÕES UNIDAS 21/09/2017 179
REUNIÃO DE MINISTROS DAS RELAÇÕES EXTERIORES DO BRICS À
MARGEM DA AGNU – COMUNICADO DE IMPRENSA – NOVA YORK, 21 DE
SETEMBRO DE 2017 22/09/2017 182
RESGATE DE CIDADÃOS BRASILEIROS EM DOMINICA 22/09/2017 184
COMUNICADO DE IMPRENSA DA SEGUNDA REUNIÃO MINISTERIAL
ASEAN-MERCOSUL 22/09/2017 185
DECLARAÇÃO DA SEGUNDA REUNIÃO DO GRUPO DE LIMA SOBRE A
SITUAÇÃO NA VENEZUELA – NOVA YORK, 20 DE SETEMBRO DE 2017
23/09/2017 185
RESOLUÇÃO SOBRE OS DIREITOS HUMANOS DAS MULHERES E A
IMPLEMENTAÇÃO DA AGENDA 2030 29/09/2017 186
VISITA OFICIAL AO BRASIL DO MINISTRO DAS RELAÇÕES EXTERIORES
DA BÓSNIA E HERZEGOVINA, IGOR CRNADAK 29/09/2017 187
ATAQUE EM LAS VEGAS 02/10/2017 187
FALECIMENTO DE FERNANDO AUGUSTO ALBUQUERQUE MOURÃO
3/10/2017 187
VISITA AO BRASIL DO MINSITRO DAS RELAÇÕES EXTERIORES DA
BOLÍVIA, FERNANDO HUANACUNI – BRASÍLIA, 6 DE OUTUBRO DE 2017
05/10/2017 187
COMUNICADO DO GRUPO DE LIMA SOBRE AS ELEIÇÕES REGIONAIS NA
VENEZUELA – BRASÍLIA, 5 DE OUTUBRO DE 2017 05/10/2017 188
TEMPESTADE NATE NA AMÉRICA CENTRAL 06/10/2017 188
PRÊMIO NOBEL DA PAZ À ORGANIZAÇÃO NÃO GOVERNAMENTAL
"INTERNATIONAL CAMPAIGN TO ABOLISH NUCLEAR WEAPONS" (ICAN)
06/10/2017 190
REUNIÃO MINISTERIAL DA OMC EM MARRAQUEXE 08/10/2017 189

8 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


DECLARAÇÃO CONJUNTA SOBRE UM POSSÍVEL ACORDO ABRANGENTE
DE LIVRE COMÉRCIO ENTRE OS ESTADOS-MEMBROS DO MERCOSUL E O
CANADÁ 09/10/2017 189
DECLARAÇÃO CONJUNTA SOBRE UM POSSÍVEL ACORDO ABRANGENTE
DE LIVRE COMÉRCIO ENTRE OS ESTADOS-MEMBROS DO MERCOSUL E O
CANADÁ 189

ATENTADO EM JEDÁ, ARÁBIA SAUDITA 09/10/2017 190


VISITA DO MINISTRO ALOYSIO NUNES FERREIRA A GANA, NIGÉRIA, CÔTE
D'IVOIRE E BENIN – 11 A 16 DE OUTUBRO DE 2017 10/10/2017 190
COMUNICADO SOBRE A VISITA DE TRABALHO DE DOIS DIAS À NIGÉRIA
DO MINISTRO DAS RELAÇÕES EXTERIORES DO BRASIL, ALOYSIO NUNES
FERREIRA – ABUJA, 11 E 12 DE OUTUBRO DE 2017 12/10/2017 191
ACONTECIMENTOS NA ESPANHA 12/10/2017 193
COMUNICADO CONJUNTO POR OCASIÃO DA VISITA DE TRABALHO AO
BENIN DO SR. ALOYSIO NUNES FERREIRA FILHO, MINISTRO DAS
RELAÇÕES EXTERIORES DO BRASIL- COTONOU, 13-15 DE OUTUBRO DE
2017 15/10/2017 193
ATENTADO NA SOMÁLIA 15/10/2017 197
COMUNICADO FINAL DA VISITA DE SUA EXCELÊNCIA O SENHOR
ALOYSIO NUNES FERREIRA, MINISTRO DAS RELAÇÕES EXTERIORES DA
REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL, À CÔTE D"IVOIRE 16/10/2017 197
COMUNICADO DO GRUPO DE LIMA SOBRE A REALIZAÇÃO DAS ELEIÇÕES
REGIONAIS NA VENEZUELA 17/10/2017 201
ELEIÇÃO DA NOVA DIRETORA-GERAL DA UNESCO 17/10/2017 201
DIVULGAÇÃO DO RELATÓRIO FINAL DO PAINEL DA OMC NO CASO
"INDONÉSIA – FRANGO" (DS484) 17/10/2017 202
BIOFUTURE SUMMIT 2017 CONSTRUIRÁ, EM SÃO PAULO, MENSAGEM
DESTINADA À COP23 20/10/2017 204
ATENTADO NO EGITO 23/10/2017 203
VISITA AO BRASIL DO MINISTRO DAS RELAÇÕES EXTERIORES DE EL
SALVADOR, HUGO MARTÍNEZ – BRASÍLIA, 25 DE OUTUBRO DE 2017
24/10/2017 203
DIA DA ONU –24/10/2017 204
DECLARAÇÃO DA TERCEIRA REUNIÃO DO GRUPO DE LIMA SOBRE A
SITUAÇÃO NA VENEZUELA 26/10/2017 204
VISITA DO PRESIDENTE DA BOLÍVIA, EVO MORALES – BRASÍLIA, 30 DE
OUTUBRO DE 2017 27/10/2017 205

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 9


SITUAÇÃO NA CATALUNHA 28/10/2017 205
ADIAMENTO DA VISITA AO BRASIL DO PRESIDENTE DA BOLÍVIA, EVO
MORALES 28/10/2017 206
ATENTADOS NA SOMÁLIA 29/10/2017 206
ASSOCIAÇÃO DO BRASIL À AGÊNCIA INTERNACIONAL DE ENERGIA
30/10/2017 206
FÓRUM DE DIÁLOGO ÍNDIA-BRASIL-ÁFRICA DO SUL – VIII REUNIÃO DA
COORDENAÇÃO MINISTERIAL TRILATERAL DO IBAS – 17 DE OUTUBRO DE
2017 – COMUNICADO CONJUNTO [INGLÊS] 31/10/2017 206
ATENTADO EM NOVA YORK 01/11/2017 211
DECLARAÇÃO CONJUNTA DE ASSOCIAÇÃO ENTRE O GOVERNO DA
REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E A AGÊNCIA INTERNACIONAL DE
ENERGIA – BRASÍLIA, 31 DE OUTUBRO DE 2017 01/11/2017 212
COMUNICADO DO GRUPO DE LIMA 04/11/2017 214
MORTE DO EMBAIXADOR JORGE D'ESCRAGNOLLE TAUNAY FILHO
06/11/2017 215
CONCESSÃO DE "AGRÉMENT" AO EMBAIXADOR DE MYANMAR 08/11/2017
215
FUNAG PROMOVE A VI CONFERÊNCIA SOBRE RELAÇÕES EXTERIORES
09/11/2017 215
VISITA DO VICE-PRESIDENTE DA COMISSÃO EUROPEIA, JYRKI KATAINEN,
AO BRASIL – 10 DE NOVEMBRO DE 2017 09/11/2017 215
REELEIÇÃO DO PROFESSOR ANTÔNIO AUGUSTO CANÇADO TRINDADE À
CORTE INTERNACIONAL DE JUSTIÇA 10/11/2017 216
VISITA DO MINISTRO ALOYSIO NUNES FERREIRA À ITÁLIA – ROMA, 13 DE
NOVEMBRO DE 2017 10/11/2017 216
BRASIL ENVIA DOAÇÕES A VÍTIMAS DE TERREMOTOS NO MÉXICO
10/11/2017 217
FALECIMENTO DO PROFESSOR MONIZ BANDEIRA 12/11/2017 217
VISITA DO MINISTRO ALOYSIO NUNES FERREIRA À ITÁLIA –
COMUNICADO CONJUNTO 13/11/2017 217
TERREMOTO NA FRONTEIRA IRÃ-IRAQUE 13/11/2017 220
COMUNICADO CONJUNTO – 44ª REUNIÃO DA COMISSÃO MISTA BRASIL-
ALEMANHA DE COOPERAÇÃO ECONÔMICA 14/11/2017 220
VISITA DO MINISTRO ALOYSIO NUNES FERREIRA AO AZERBAIJÃO –
BAKU, 15 DE NOVEMBRO DE 2017 14/11/2017 220

10 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


VISITA DO MINISTRO ALOYSIO NUNES FERREIRA À GEORGIA – TBILISI, 16
DE NOVEMBRO DE 2017 14/11/2017 221
DECLARAÇÃO DOS MINISTRO DE MEIO AMBIENTE DE ARGENTINA,
BRASIL E URUGUAI NA 23ª CONFERÊNCIA DAS PARTES DA CONVENÇÃO-
QUADRO DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE MUDANÇA DO CLIMA – BONN, 15
DE NOVEMBRO DE 2017 15/11/2017 221
VISITA DO MINISTRO ALOYSIO NUNES FERREIRA À ARMÊNIA – IEREVAN,
17 DE NOVEMBRO DE 2017 16/11/2017 222
ANÚNCIO DA DECLARAÇÃO DE VISÃO DA PLATAFORMA PARA O
BIOFUTURO – BONN, 16 DE NOVEMBRO DE 2017 16/11/2017 222
ELEIÇÃO DO BRAISL AO COMITÊ DO PATRIMÔNIO MUNDIAL DA UNESCO
16/11/2017 227
DECLARÇÃO CONJUNTA EMITIDA NA CONCLUSÃO DA 25ª REUNIÃO
MINISTERIAL DO BASIC SOBRE A MUDANÇA DO CLIMA – BONN,
ALEMANHA – 13 DE NOVEMBRO DE 2017 17/11/2017 227
DECLARAÇÃO CONJUNTA POR OCASIÃO DOS 90 ANOS DO
ESTABELECIMENTO DAS RELAÇÕES DIPLOMÁTICAS ENTRE BRASIL E
HUNGRIA 17/11/2017 232
CONCESSÃO DE "AGRÉMENT" AO EMBAIXADOR DO EQUADOR 18/11/2017
232
VII REUNIÃO NEGOCIADORA PARA AMPLIAÇÃO DO ACORDO DE
COMPLEMENTAÇÃO ECONÔMICA N°53 (ACE-53) ENTRE O BRASIL E O
MÉXICO 20/11/2017 232
INAUGURAÇÃO DO PROGRAMA DE VISTO DE VISITA POR MEIO
ELETRÔNICO – E-VISA 21/11/2017 233
ATENTADO NA NIGÉRIA 21/11/2017 233
VISITA DO CHANCELER DO PARAGUAI, ELADIO LOIZAGA – BRASÍLIA, 23
DE NOVEMBRO DE 2017 22/11/2017 233
VISITA AO BRASIL DO SECRETÁRIO DE RELAÇÕES EXTERIORES DO
MÉXICO, LUIS VIDEGARAY – BRASÍLIA, 24 DE NOVEMBRO DE 2017
23/11/2017 234
REUNIÃO DO MECANISMO DE COORDENAÇÃO ENTRE O MINISTÉRIO DAS
RELAÇÕES EXTERIORES E O MINISTÉRIO DA DEFESA 23/11/2017 234
ATENTADO NO EGITO 24/11/2017 235
ENCONTRO DO G4 EM BRASÍLIA – 24 DE NOVEMBRO DE 2017 24/11/2017
235

VISITA DO PRESIDENTE DO ESTADO PLURINACIONAL DA BOLÍVIA, EVO


MORALES – 27 DE NOVEMBRO DE 2017 24/11/2017 235

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 11


VISITA OFICIAL AO BRASIL DO VICE-PRIMEIRO-MINISTRO DA REPÚBLICA
DE BELARUS, ANATÓLY KALININ – BRASÍLIA, 27-29 DE NOVEMBRO DE
2017 25/11/2017 236
VISITA AO BRASIL DO PRESIDENTE DA BOLÍVIA, EVO MORALES –
BRASÍLIA, 5 DE DEZEMBRO DE 2017 27/11/2017 236
LANÇAMENTO DE MÍSSIL PELA REPÚBLICA POPULAR DEMOCRÁTICA DA
COREIA 30/11/2017 236
REELEIÇÃO DO BRASIL PARA O CONSELHO DA ORGANIZAÇÃO MARÍTIMA
INTERNACIONAL 01/12/2017 237
XII REUNIÃO DE MINISTROS DE RELAÇÕES EXTERIORES DOS PAÍSES
MEMBROS DA ORGANIZAÇÃO DO TRATADO DE COOPERAÇÃO
AMAZÔNICA (OTCA) 01/12/2017 237
REVISÃO DE VOTOS EM HONDURAS 06/12/2017 237
II SEMINÁRIO SOBRE DIPLOMACIA E INOVAÇÃO CIENTÍFICA E
TECNOLÓGICA – ITAMARATY E MCTIC LANÇAM COMISSÃO
INTERMINISTERIAL DE COORDENAÇÃO PARA AÇÕES NO EXTERIOR
07/12/2017 237
NOTA À IMPRENSA 07/12/2017 238
VISITA OFICIAL AO BRASIL DO PRESIDENTE DA MACEDÔNIA, GJORGE
IVANOV – 11 A 15 DE DEZEMBRO DE 2017 08/12/2017 240
ATAQUE À BASE DA MONUSCO NA REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DO CONGO
08/12/2017 238
VISITA AO BRASIL DO VICE-PRESIDENTE DA COTÊ D'IVOIRE, DANIEL
KABLAN DUNCAN – 11 A 16 DE DEZEMBRO DE 2017 11/12/2017 239
LI CÚPULA DE CHEFES DE ESTADO DO MERCOSUL E ESTADOS
ASSOCIADOS E LI REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DO MERCADO
COMUM DO MERCOSUL 15/12/2017 239
ELEIÇÕES NO CHILE 17/12/2017 240
DESLIZAMENTO DE TERRAS NO SUL DO CHILE 18/12/2017 240
VISITA AO BRASIL DO PRESIDENTE DA GUIANA, DAVID ARTHUR
GRANGER – BRASÍLIA, 20 A 21 DE DEZEMBRO DE 2017 20/12/2017 240
COOPERAÇÃO NUCLEAR BRASIL-ARGENTINA – PROJETO DO REATOR
MULTIPROPÓSITO 21/12/2017 241
SITUAÇÃO NA VENEZUELA – DISSOLUÇÃO DOS GOVERNOS MUNICIPAIS
DE CARACAS E ALTO APURE 21/12/2017 241
AGRAVAMENTO DA SITUAÇÃO NO IÊMEN 22/12/2017 241

12 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


PASSAGEM DA TEMPESTADE TROPICAL TEMBIN PELAS FILIPINAS
23/12/2017 242
NOTA À IMPRENSA 23/12/2017 242
ELEIÇÕES EM HONDURAS 26/12/2017 242
ATENTADO EM CABUL 28/12/2017 242
STATUS DE JERUSALÉM 29/12/2017 242
ATENTADO NO EGITO 29/12/2017 243

ARTIGOS 244

CAMINHO SEGURO AO AGRAVAMENTO DA CRISE (FOLHA DE S. PAULO)


30/07/2017 244
MERCOSUL E UNIÃO EUROPEIA, ACORDO ESTRATÉGICO (FOLHA DE S.
PAULO) 29/08/2017 245
PARCERIA PARA O SÉCULO XXI (O GLOBO) 31/08/2017 246
MERCOSUL: MAIS COMÉRCIO, MENOS BARREIRAS (O ESTADO DE S.
PAULO) 07/10/2017 247
BRASIL E ÁFRICA, PARCERIA NATURAL (FOLHA DE S. PAULO) 11/10/2017
249

A DIPLOMACIA DO BIOFUTURO (O ESTADO DE S. PAULO) 23/10/2017 250


MERCOSUL: MAIS COMÉRCIO, MENOS BARREIRAS (EL CRONISTA –
ARGENTINA) 25/10/2017 [ESPANHOL] 253
O MERCOSUL COMO INSTRUMENTO DO EMPRESARIADO (O ESTADO DE S.
PAULO) 25/11/2017 254

ÍNDICE REMISSIVO 256

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 13


DISCURSOS DA XXII REUNIÃO ORDINÁRIA
DO CONSELHO DE MINISTROS
PALAVRAS DO SENHOR DA CPLP – BRASÍLIA, 20 DE
MINISTRO DE ESTADO, JULHO DE 2017
ALOYSIO NUNES FERREIRA,
POR OCASIÃO DA ABERTURA
Bem, vamos retomar, então, os nossos Nós podemos ter na nossa CPLP um
trabalhos. Eu já tive a ocasião de espaço de otimismo. Foi o que eu
conversar com todos os amigos aqui recolhi ontem na conversa com todos os
presente, chefes de delegações de países senhores e as senhoras, não obstante os
da CPLP, com exceção do nosso amigo desafios por que nossos países
de Timor-Leste, que acabou chegando passaram, e ainda passam, num cenário
só hoje de manhã – já estava até econômico dos mais complicados no
preocupado, imaginando que não plano internacional. Vinte e um anos
teríamos a sua presença, mas felizmente depois da fundação da CPLP, os
está aqui, para essa reunião, que foi diferentes setores governamentais dos
precedida, ontem, para minha Estados membros já conseguiram
felicidade, por uma série de reuniões estabelecer um fluxo permanente de
bilaterais com chanceleres e chefes de reuniões ministeriais e encontros
delegação, e com a secretária da técnicos, além de terem firmado
comissão, onde nós tivemos a ocasião instrumentos de cooperação e acordos
de, além de repassar o exame de temas comunitários. Eu não vou arrolá-los
da nossa relação bilateral, nos hoje porque levaria muito tempo, e
debruçamos também sobre a pauta da todos nós estamos perfeitamente a par
reunião de hoje. do que foi feito e valorizamos esse
esforço e essas realizações.
E todos concordamos que esta reunião
foi muito bem preparada. Quero E os documentos que vamos discutir
agradecer àqueles que se dedicaram à logo mais, e que espero que sejam
preparação dessa reunião e à elaboração aprovados, representam marcos
dos textos que serão submetidos a importantes da nossa Comunidade, que
deliberação hoje. O sucesso de uma está presente em quatro continentes no
reunião como esta é, em grande parte, resultado da primeira onda de
dependente de uma boa preparação. Eu globalização da economia internacional
creio que existe uma boa preparação e o que nasce das navegações portuguesas.
desejo nosso de que esta reunião seja E hoje nós somos herdeiros de uma
uma reunião que faça avançar a agenda comunidade que foi tecida, foi
e o trabalho da nossa organização. construída ao longo de séculos. E
podemos, a partir da organização e da
Eu tenho muita honra em recebê-los em criação da CPLP, cuja iniciativa se deve
uma reunião aqui em Brasília. E é uma a um estadista brasileiro, que é o
felicidade participar de uma reunião de presidente José Sarney, nós temos frutos
uma organização internacional podendo a serem apresentados de parcerias,
falar português. construção de consensos, e agora, esses
consensos, voltados aos Objetivos do
E eu tenho claramente em mente as Desenvolvimento Sustentável da
nossas responsabilidades diante de uma Agenda 2030.
agenda que foi amadurecida, foi
diversificada, e hoje conforma as A nossa organização trabalha com uma
discussões de nossa Comunidade. visão de longo prazo, com objetivos

14 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


estratégicos da concertação política, La peine de mort et la torture affrontent
cooperação, valorização da língua la conscience humaine.
portuguesa. Eu quero aproveitar este
momento para anunciar a disposição da En plus d'être contraires à la dignité
Fundação Alexandre de Gusmão de humaine, raison suffisante pour leur
realizar, até o fim da presidência de proscription, ces mesures sont
turno do Brasil, atividades com o également contre-productives et
objetivo de contribuir para a maior inefficaces en tant qu’instruments de la
visibilidade da CPLP, com a realização justice pénale.
de seminário e organização de
publicação em que nós vamos refletir Ces pratiques, admises ou non par les
profundamente sobre os laços que nos législations nationales, ne sont jamais
unem e como, a partir deles, nos une garantie de stabilité et de paix
projetar para o futuro a partir desse sociale. Au contraire, elles génèrent
acervo que já construímos ao longo dos plus d'injustice et attestent la faillite des
séculos. Para o sucesso dessa iniciativa, normes de civilisation qui devraient
nós contamos com a colaboração dos guider les relations sociales.
diversos Estados membros.
La torture, les traitements cruels,
E é nesse quadro de desafios e inhumains ou dégradants et la peine de
realizações que eu convido as senhoras mort sont des pratiques
e os senhores a consolidarmos mais um déshumanisantes. Ils sont des attaques
capítulo de nossa história. contre l'individu et la société. Ils
constituent des mesures anachroniques
inacceptables à la lumière du cadre
international des traités relatifs aux
ALOCUÇÃO DO MINISTRO droits de l'homme actuellement en
ALOYSIO NUNES NA REUNIÃO vigueur. Ce sont des pratiques qui
DA ALIANÇA GLOBAL PARA doivent pour toujours se limiter aux
POR FIM AO COMÉRCIO DE livres d'histoire.
BENS UTILIZADOS PARA PENA
CAPITAL E TORTURA – NOVA L'abolition dans la pratique de la peine
YORK, 18 DE SETEMBRO DE 2017 de mort et l'interdiction absolue de la
[FRANCÊS] torture sont des valeurs partagées par le
Est un honneur de pouvoir rejoindre peuple brésilien et inscrites dans notre
tous les participants lors du lancement Constitution Fédérale. Nous sommes
de l'Alliance mondiale pour un donc partie à la Convention contre la
commerce sans torture. torture et au deuxième Protocole
facultatif se rapportant au Pacte
Je voudrais particulièrement féliciter international relatif aux droits civils et
l'Union européenne et les politiques.
gouvernements de l'Argentine et de la
Mongolie pour avoir convoqué cette Si nous sommes déterminés à empêcher
réunion. ces pratiques au niveau national - et
défendons leur élimination à l'échelle
C'est avec enthousiasme que le Brésil a mondiale -, il n’y a pas de raison de
décidé de participer à cette importante tolérer le libre échange international des
initiative. biens utilisés spécifiquement pour leur
réalisation.

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 15


C'est un impératif éthique d'empêcher assumés dans les traités auxquels nous
nos pays d'exporter des biens destinés à sommes parties aient des conséquences
la pratique de la torture et de la peine de pratiques.
mort. Nous sommes couverts par les
normes du système commercial Certaines données nous permettent de
international; spécifiquement l'article rester optimistes. Plus de cent soixante
XX de l’Accord Général sur les Tarifs membres des Nations Unies ont aboli la
Douaniers et le Commerce (GATT). peine de mort, ne l’appliquent pas ou
ont instauré une moratoire sur son
L’alliance que nous lançons aujourd’hui application. Le nombre de pays ayant
va propulser cet objectif par moyen du ratifié la Convention contre la Torture
dialogue. Elle va promouvoir l’adoption monte déjà à cent soixante-deux.
de législations et de systèmes efficients
en faveur de la restriction et de Il y a encore beaucoup de travail à faire,
l’élimination du commerce de produits mais je suis convaincu que le lancement
employés dans la peine de mort et la de cet Alliance Global constitue un pas
torture, par moyen de la coopération dans la bonne direction. Vous pouvez
international et de l’échange de bonnes conter sur le ferme soutien et
pratiques administratives et législatives. l’engagement du Brésil dans cette noble
cause.
On ne peut pas aller en contre de la
peine de mort et la torture et continuer à Merci beaucoup.
fermer les yeux sur le commerce des
biens employés dans ces pratiques. La
protection et la promotion des droits de
l’homme requièrent non seulement des
discours, mais aussi des actions, menées
avec détermination et courage. Cela
exige, également, de la cohérence, si
nous voulons assurer que les compromis
Um dos resultados do primeiro
seminário será a criação da Comissão de
DISCURSO DO MINISTRO Coordenação em Ciência, Tecnologia e
ALOYSIO NUNES FERREIRA NO Inovação, cuja portaria interministerial
II SEMINÁRIO SOBRE assinaremos ao final desta cerimônia.
DIPLOMACIA E INOVAÇÃO Estaremos inaugurando um mecanismo
CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA – em si mesmo profundamente inovador
BRASÍLIA, 08 DE DEZEMBRO DE para o apoio e a governança das nossas
2017 iniciativas internacionais no campo da
inovação, destinado a dar ainda mais
Tenho a satisfação de participar, ao lado densidade a uma parceria que já se
do Ministro Gilberto Kassab, da provou um grande êxito. Desde seu
abertura deste segundo “Seminário lançamento, nossa parceria tem vocação
sobre Diplomacia e Inovação Científica global e foco no desenvolvimento do
e Tecnológica”, apenas três meses após Brasil.
a primeira edição.
Agradeço a presença do Presidente
Substituto do CNPq, Professor Marcelo
Marcos Morales. Peço que faça chegar
ao Professor Mário Neto nosso

16 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


profundo pesar pela fatalidade que aqui no Brasil e no exterior.
atingiu sua família.
O evento de hoje oferecerá alguns
O Itamaraty orgulha-se de sempre ter exemplos de “startups” brasileiras de
trabalhado em estreita parceria com o sucesso. O reconhecimento da
CNPq em suas ações no exterior, importância das startups no processo
sobretudo no apoio aos bolsistas, inovador de qualquer país foi o que
pesquisadores e acadêmicos que motivou o lançamento do programa
trabalham para levar a marca de StartOut Brasil, no último dia 24 de
excelência do talento brasileiro aos novembro.
quatro cantos do mundo.
O programa é resultado de uma parceria
Celebramos hoje o talento brasileiro, entre o Itamaraty, o MDIC, a Apex-
reconhecido tanto pela criatividade Brasil e o Sebrae, e dará às startups
quanto pela qualidade técnica de seus brasileiras a oportunidade de apresentar-
quadros acadêmicos. se a chamadas públicas de seleção para
lançar-se internacionalmente, de modo a
Foi esse talento, utilizado como um ter contato com mercados mais
ativo fundamental pela nossa maduros, aprimorar seu modelo de
diplomacia, que ensejou a instalação de negócios e facilitar a atração de
centros de inovação de diversos países potenciais investidores.
em grandes cidades brasileiras,
justamente onde se encontram os
principais ecossistemas de inovação do Ministro Kassab, senhoras e senhores,
país: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo
Horizonte e Recife. As transformações em curso nos
modelos de produção, a chamada
Essa importante ação diplomática no Indústria 4.0, geram oportunidades e
Brasil será amplamente abordada no desafios para o Brasil. É preciso
presente seminário. planejar políticas públicas que permitam
que a economia brasileira mantenha
Queremos que os escritórios regionais vantagens competitivas em termos de
do Itamaraty sejam cada vez mais ciência, tecnologia, inovação, pesquisa
plataformas de facilitação de contatos e desenvolvimento.
entre os ecossistemas domésticos e as
principais praças inovadoras do exterior Já em 2016, o G-20 incorporou à sua
por meio da nossa rede de embaixadas e pauta a Inovação, a Economia Digital e
consulados ao redor do mundo. a Nova Revolução Industrial no âmbito
da discussão sobre como responder, no
O modelo de tripla hélice, em que médio e no longo prazos, às
estado, academia e iniciativa privada se perspectivas de crescimento lento da
coordenam para a construção de economia mundial. Como assinalaram
ecossistemas de inovação, deve ser as lideranças que participaram em São
aplicado em sua plenitude. Paulo do 1º Congresso Brasileiro de
Indústria 4.0, na última terça-feira, o
Para isso, é fundamental o diálogo tanto Brasil precisa urgentemente de um
com universidades, institutos de ciência projeto de reindustrialização com ênfase
e tecnologia e centros de pesquisa e nessa Nova Revolução Industrial.
desenvolvimento quanto com empresas
privadas de todos os portes e setores,

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 17


A diplomacia da inovação, nesse Trata-se de um passo crucial para
sentido, constitui ferramenta importante melhorar não apenas o ambiente de
para aportar elementos externos que negócios, mas também a própria
possam fomentar a competitividade coordenação entre estado, academia e
nacional e auxiliar a integrar o Brasil às iniciativa privada.
cadeias globais de produção mais
avançadas. (A Europa pretende investir As oportunidades de convergência em
na Indústria 4.0, na próxima década e ciência, tecnologia e inovação não estão
meia, mais de 1,3 trilhão de euros - a apenas nos países que integram a
China, € 1,8 trilhão.) OCDE.

Exemplo de ações já empreendidas pelo Merece destaque a crescente cena de


Itamaraty foi a organização da Semana investimentos pela China em capital de
da Inovação Brasil-Suécia, em risco, o chamado “venture capital”, que
Estocolmo, em outubro último, em que é fundamental para o financiamento de
foi possível reunir grandes protagonistas startups. Esses capitais chineses
dos ecossistemas de Brasil e Suécia e demonstram crescente interesse na cena
criar múltiplas avenidas de cooperação, empreendedora brasileira.
em setores como indústria aeroespacial,
energias renováveis e cidades Ministro Kassab, senhoras e senhores,
inteligentes.
A internacionalização de nossos
No final do mês passado, estive com o ecossistemas inovadores, seja em São
Ministro da Economia da Finlândia, que Paulo, no Rio de Janeiro, no Recife ou
é um dos países que mais investem em em Uberlândia, tornou-se um
inovação, sobretudo no apoio a imperativo para garantirmos a tão
empresas de base tecnológica, à almejada inserção competitiva de
semelhança de outros países vizinhos nossos setores mais promissores.
como a Suécia e a Dinamarca.
É preciso não apenas ampliar o arco de
Aprender com a experiência desses parcerias internacionais dentro do
países permite ao Brasil encurtar modelo de Tripla-Hélice, mas também
distâncias na corrida cada vez mais aprender com nossos parceiros a
competitiva pela inovação. construir casos de sucesso.

Nesse particular, ressalto a decisão A mensagem de que inovação significa


dinamarquesa –que será ilustrada no prosperidade deve ser propagada aos
presente evento- de instalar centro de quatro ventos, sobretudo entre os
inovação em São Paulo, em contato tomadores de decisão do país, e não
direto com boa parte dos atores da cena apenas na União, mas sobretudo nos
inovadora brasileira. Estados e nos Municípios, justamente
onde os ecossistemas principais se
Na linha de buscar parcerias e colher as encontram.
melhores experiências internacionais, a
adesão do Brasil à OCDE permitirá ao Alguns de nossos parceiros
país a adequação de nossos processos internacionais, hoje representados neste
inovadores às melhores práticas e a Seminário, já constituíram antenas de
padrões de competitividade prospecção de oportunidades no resto
consolidados globalmente. do País.

18 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


Procuramos incorporar a diplomacia da
inovação no trabalho diário do
Itamaraty, aqui em Brasília, em nossos
escritórios regionais e na rede de postos
no exterior. Nosso papel é, sobretudo,
identificar oportunidades e servir de
ponte, facilitando contatos e articulando
a cooperação entre atores locais e
internacionais.

A parceria que institucionalizamos entre


o Itamaraty e o Ministério de Ciência,
Tecnologia e Inovação fortalece nossa
ação conjunta e amplia nossa
capacidade de atender aos anseios e
demandas de nossos ecossistemas de
inovação.

Estamos trabalhando, juntos e com


entusiasmo, por um Brasil mais
competitivo, em um momento em que o
êxito na economia global depende cada
vez mais da capacidade de criar e
inovar, incorporando novas tecnologias
aos processos produtivos.

Tenho certeza que este seminário dará


contribuição relevante na construção
desse Brasil mais competitivo, inovador
e próspero que todos desejamos.

Muito obrigado.

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 19


ATOS INTERNACIONAIS EM previdenciária, de trânsito e de acesso
VIGOR aos serviços públicos e de educação,
com o objetivo de facilitar a
Acordo entre a República Federativa do convivência das localidades fronteiriças,
Brasil e a República do Paraguai sobre
localidades fronteiriças vinculadas acordam o seguinte:

Acordo interinstitucional internacional Artigo I


para a cooperação policial entre o
Beneficiários e âmbito de aplicação
Ministério da Justiça e Segurança
Pública da República Federativa do 1. O presente Acordo se aplica aos
Brasil e o Ministério de Governo do nacionais das Partes, quando se
Estado Plurinacional da Bolívia para a encontrem efetivamente domiciliados
prevenção e combate ao crime nas áreas de fronteira enumeradas no
organizado transnacional e qualquer Anexo I, de acordo com as disposições
outra manifestação criminosa legais de cada Estado, e sejam titulares
da Carteira de Trânsito Vicinal
Fronteiriço.
ACORDO ENTRE A REPÚBLICA 2. As Partes poderão estabelecer que os
FEDERATIVA DO BRASIL E A benefícios do presente Acordo possam
REPÚBLICA DO PARAGUAI ser estendidos em seus respectivos
SOBRE LOCALIDADES países aos residentes permanentes de
FRONTEIRIÇAS VINCULADAS outras nacionalidades.
23/11/2017
Artigo II
A República Federativa do Brasil
Carteira de trânsito vicinal fronteiriço
e
1. Os nacionais de uma das Partes,
A República do Paraguai domiciliados dentro dos limites
(adiante denominadas "As Partes"), previstos neste Acordo, poderão
solicitar a expedição da Carteira de
considerando os históricos laços de Trânsito Vicinal Fronteiriço às
fraterna amizade entre as duas Nações; autoridades competentes da outra. Esta
reconhecendo que a fronteira que une carteira será expedida com a
ambos os países constitui elemento de apresentação de:
integração de suas populações; a) Passaporte ou outro documento de
reafirmando o desejo de alcançar identidade válido previsto na Resolução
soluções e procedimentos comuns com GMC 31/08;
vistas ao fortalecimento do processo de b) Comprovante de domicílio na
integração entre as Partes; localidade fronteiriça devidamente
destacando a importância de contemplar identificada no Anexo I do presente
tais soluções e procedimentos em Acordo;
instrumentos jurídicos em áreas de c) Certidão negativa de antecedentes
interesse comum, como a circulação de judiciais e/ou penais e/ou policiais, de
pessoas, bens e serviços; acordo com as disposições legais do
fomentando a integração por meio de país de origem;
tratamento diferenciado à população em d) Duas fotografias tamanho 3 x 4; e
matéria econômica, trabalhista,

20 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


e) Comprovante de pagamento das taxas Artigo III
correspondentes.
Direitos concedidos
2. Na Carteira de Trânsito Vicinal
1. Os titulares da Carteira de Trânsito
Fronteiriço constarão o domicílio do
Vicinal Fronteiriço gozarão dos
beneficiário dentro dos limites previstos
seguintes direitos nas localidades
neste Acordo e as localidades
fronteiriças vinculadas da Parte
enumeradas no Anexo I onde o titular
emissora da carteira, constantes do
estará autorizado a exercer os direitos
Anexo I:
contemplados no mesmo.
a) Exercício de trabalho, ofício ou
3. A Carteira de Trânsito Vicinal
profissão de acordo com as leis
Fronteiriço terá validade de 5 (cinco)
destinadas aos nacionais da Parte onde é
anos, podendo ser prorrogada por igual
desenvolvida a atividade, incluindo os
período, ao final do qual poderá ser
requisitos de formação e exercício
concedida por tempo indeterminado.
profissional, gozando de iguais direitos
4. Não poderá beneficiar-se deste trabalhistas e previdenciários e
Acordo quem haja sofrido condenação cumprindo as mesmas obrigações
criminal ou que esteja respondendo a trabalhistas, previdenciárias e tributárias
processo penal ou inquérito policial em que delas emanam;
alguma das Partes ou em terceiro país.
b) Acesso ao ensino público em
5. No caso de menores, a solicitação da condições de gratuidade e
expedição da Carteira de Trânsito reciprocidade;
Vicinal Fronteiriço será formalizada por
c) Atendimento médico nos serviços
meio da necessária representação legal.
públicos de saúde em condições de
6. A emissão da Carteira de Trânsito gratuidade e reciprocidade;
Vicinal Fronteiriço compete:
d) Acesso ao regime de comércio
a) Na República Federativa do Brasil, fronteiriço de mercadorias ou produtos
ao Departamento de Polícia Federal; e de subsistência, segundo as normas
específicas que constam no Anexo II e
b) Na República do Paraguai, à
de acordo com a legislação sanitária,
Direção-Geral de Migrações.
fitossanitária, zoosanitária e ambiental
7. A obtenção da Carteira de Trânsito vigente; e
Vicinal Fronteiriço será voluntária e não
e) Quaisquer outros direitos que as
substituirá o documento de identidade
Partes acordem conceder.
emitido pelas Partes, cuja apresentação
poderá ser exigida ao titular. Artigo IV
8. Para a concessão da Carteira de Cancelamento da carteira de trânsito
Trânsito Vicinal Fronteiriço, serão vicinal fronteiriço
aceitos, igualmente, documentos nos
idiomas oficiais das Partes (castelhano 1. A Carteira de Trânsito Vicinal
e/ou português), em conformidade com Fronteiriço será cancelada a qualquer
o disposto no Acordo de Isenção de momento pela autoridade emissora
Tradução de Documentos quando ocorra qualquer das seguintes
Administrativos para Efeitos de situações:
Imigração entre os Estados Parte do a) Perda da condição de nacional de
Mercosul, aprovado por Decisão CMC uma das Partes ou mudança de
44/00. domicílio da localidade fronteiriça

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 21


vinculada da Parte que gerou esse Para que a identificação especial seja
direito; outorgada, o veículo deverá contar com
uma apólice de seguro que tenha
b) Condenação penal em qualquer das
cobertura nas localidades fronteiriças
Partes ou em terceiro país;
vinculadas.
c) Constatação de fraude ou utilização
2. Os veículos automotores
de documentos falsos para instrução do
identificados nos termos do parágrafo
pedido de emissão da carteira;
anterior poderão circular livremente
d) Reincidência na tentativa de exercer dentro da localidade fronteiriça
os direitos previstos neste Acordo fora vinculada da outra Parte, sem conferir
das localidades fronteiriças vinculadas direito a que o veículo permaneça em
estabelecidas no Anexo I; e forma definitiva no território desta ou
extrapole os seus limites oficialmente
e) Sanção administrativa por infrações estabelecidos, infringindo sua legislação
aduaneiras, conforme regulamentação nacional ou a legislação internacional
da Parte onde ocorreu a infração. vigente na Parte.
2. O cancelamento da Carteira de 3. Aplicam-se, quanto à circulação, as
Trânsito Vicinal Fronteiriço acarretará normas e os regulamentos de trânsito do
seu imediato recolhimento pela país onde estiver transitando o veículo,
autoridade competente. e, quanto às características do veículo,
3. As Partes poderão acordar outras as normas do país de registro. As
causas para o cancelamento da Carteira autoridades de trânsito intercambiarão
de Trânsito Vicinal Fronteiriço. informações sobre as referidas
características.
4. Uma vez extinta a causa de
cancelamento nos casos contemplados 4. Os veículos automotores
nas alíneas "a", "d" e "e", e uma vez identificados nos termos do parágrafo 1
transcorrido período superior a um ano, não serão objeto de apreensão no
a autoridade emissora poderá, a pedido território da outra Parte pela mera
do interessado, considerar a expedição ocorrência de cancelamento da Carteira
de nova Carteira de Trânsito Vicinal de Trânsito Vicinal Fronteiriço.
Fronteiriço.
Artigo VI
5. O cancelamento da Carteira de
Trânsito Vicinal Fronteiriço não afetará Transporte dentro das localidades
outros direitos inerentes aos nacionais fronteiriças vinculadas
de ambas as Partes. 1. As Partes se comprometem, de
comum acordo, e em conformidade com
Artigo V o princípio da reciprocidade, a
Circulação de veículos automotores de simplificar a regulamentação existente
uso particular sobre transporte de mercadorias e
transporte público e privado de
1. Os beneficiários da Carteira de passageiros, de acordo com as
Trânsito Vicinal Fronteiriço também disposições da legislação sanitária,
poderão requerer às autoridades fitossanitária, zoosanitária e ambiental
competentes que seus veículos vigente em cada Parte, quando a origem
automotores de uso particular sejam e o destino da operação estiver dentro
identificados especialmente, indicando dos limites das localidades fronteiriças
que se trata de um veículo de vinculadas identificadas no Anexo I do
propriedade de titular da citada carteira. presente Acordo.

22 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


2. As operações de transporte de Será promovida a integração regional e
mercadorias descritas no parágrafo a visão de pertencimento como parte de
anterior, realizadas em veículos uma mesma comunidade entre os
comerciais leves, tornam-se isentas das vizinhos.
autorizações e exigências
complementares descritas nos Artigos Artigo VIII
23 e 24 do Acordo sobre Transporte Plano de Desenvolvimento Urbano
Internacional Terrestre da Associação Integrado
Latino-Americana de Integração
(ALADI), celebrado em 1º de janeiro de 1. As Partes promoverão de comum
1990. acordo a elaboração e execução de um
"Plano de Desenvolvimento Urbano
3. As Partes se comprometem, de Integrado" nas localidades fronteiriças
comum acordo, e em conformidade com vinculadas onde seja possível ou
o princípio da reciprocidade, a conveniente.
modificar a regulamentação das
operações de transporte de mercadorias 2. O "Plano de Desenvolvimento
e transporte público e privado de Urbano Integrado" de cada uma das
passageiros descritas no parágrafo 1° localidades fronteiriças vinculadas terá
deste Artigo de modo tal a refletir as como principais objetivos:
características urbanas de tais
a) A integração racional de ambas as
operações.
cidades, de modo a serem viabilizados
Artigo VII projetos compartilhados de
infraestrutura, serviços e equipamento
Áreas de cooperação em localidades conurbadas;
1. As Instituições Públicas responsáveis b) A busca de harmonização da
pela prevenção e o combate a legislação urbanística de ambas as
enfermidades, assim como pela Partes, visando um ordenamento
vigilância epidemiológica e sanitária territorial conjunto e mais equitativo;
das Partes, deverão colaborar com seus
homólogos nas localidades fronteiriças c) A conservação e recuperação de seus
vinculadas para a realização de espaços naturais e áreas de uso público,
trabalhos conjuntos nessas áreas. Este com especial ênfase em preservar e/ou
trabalho será efetuado conforme as recuperar o meio ambiente; e
normas e procedimentos harmonizados d) O fortalecimento de sua imagem e de
entre as Partes ou, em sua ausência, sua identidade cultural comum.
com as respectivas legislações
nacionais. Artigo IX
2. As Partes promoverão a cooperação Outros acordos
em matéria educativa entre as
localidades fronteiriças vinculadas, 1. Este Acordo não restringe direitos e
incluindo intercâmbio de docentes, obrigações estabelecidos por outros
alunos e materiais educativos. As Partes acordos vigentes entre as Partes.
se comprometem a incentivar a 2. O presente Acordo não obsta a
organização de currículos interculturais aplicação, nas localidades fronteiriças
que integrem as áreas de conhecimento por ele abrangidas, de outros acordos
e os componentes curriculares, vigentes entre as Partes que favoreçam
garantindo o direito à aprendizagem e uma maior integração.
ao desenvolvimento dos estudantes.

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 23


3. Este Acordo somente será aplicado ou do documento de identificação de
nas localidades fronteiriças vinculadas veículos previsto no Artigo V.
que constam expressamente no Anexo I.
3. As Partes monitorarão os avanços e
Artigo X dificuldades constatadas para a
aplicação deste Acordo através dos
Lista de localidades fronteiriças Comitês de Fronteira existentes entre as
vinculadas e Partes. Com esta finalidade estimularão
suspensão da aplicação do acordo igualmente a criação de Comitês de
Fronteira nas localidades fronteiriças
1. A lista das localidades fronteiriças vinculadas onde não houver.
vinculadas, para a aplicação do presente
Acordo, consta no Anexo I, podendo ser Artigo XII
ampliada ou reduzida por troca de Notas
Vigência
Diplomáticas. As ampliações ou
reduções entrarão em vigor 90 1. O presente Acordo entrará em vigor
(noventa) dias após a troca das Notas 30 (trinta) dias após a data da última
correspondentes. notificação por meio da qual as Partes
comuniquem o cumprimento das
2. Cada Parte poderá suspender
formalidades legais internas para sua
temporariamente, total ou parcialmente,
entrada em vigor.
a aplicação do presente Acordo,
devendo assinalar as localidades onde Artigo XIII
se aplicará essa medida, com
antecedência mínima de 30 (trinta) dias. Disposições gerais
A suspensão temporal deverá expressar Os Anexos I e II são parte integrante do
com clareza os artigos cuja aplicação presente Acordo.
seja suspensa e não poderá afetar
direitos e obrigações estabelecidos por Artigo XIV
outros acordos vigentes entre ambas as
Partes. Denúncia
3. As suspensões da aplicação do Qualquer uma das Partes poderá
presente Acordo, previstas no parágrafo notificar a outra, em qualquer momento,
anterior, não prejudicarão a validade das por via diplomática, sua decisão de
carteiras de Trânsito Vicinal Fronteiriço denunciar o presente Acordo. A
já expedidas, nem o exercício dos denúncia surtirá efeito 90 (noventa) dias
direitos adquiridos. após a data de recebimento da referida
notificação.
Artigo XI
Artigo XV
Estímulo à integração
Solução de controvérsias
1. As Partes deverão ser tolerantes
quanto ao uso do idioma do beneficiário Qualquer controvérsia relativa à
deste Acordo, quando este se dirigir às interpretação ou aplicação do presente
repartições públicas para peticionar os Acordo será dirimida por negociação
benefícios decorrentes deste Acordo. entre as Partes, por via diplomática.
2. As Partes não exigirão legalização ou Feito em Brasília, aos 23 dias do mês de
intervenção consular nem tradução dos novembro de 2017, em dois exemplares
documentos necessários à obtenção da originais nos idiomas português e
Carteira de Trânsito Vicinal Fronteiriço

24 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


castelhano, sendo ambos os textos Artigo 2
igualmente autênticos.
1. Entende-se por mercadorias ou
produtos de subsistência os artigos de
alimentação, higiene e cosmética
pessoal, limpeza e uso doméstico,
ANEXO I medicamentos prescritos por receita
ANEXO AO ACORDO SOBRE médica, peças de vestuário, calçados,
LOCALIDADES FRONTEIRIÇAS livros, revistas e jornais destinados ao
VINCULADAS uso e consumo pessoal e da unidade
LOCALIDADES FRONTEIRIÇAS familiar, sempre e quando não revelem,
VINCULADAS por seu tipo, volume ou quantidade,
Aral Moreira — Pedro Juan Caballero/ destinação comercial ou industrial.
Capitán Bado
2. Artigos eletroeletrônicos estão
Bela Vista — Bella Vista Norte excluídos da categorização de
Caracol — San Carlos del Apa mercadorias ou produtos de
subsistência.
Coronel Sapucaia — Capitán Bado
Foz do Iguaçu — Ciudad del Este/ Artigo 3
Puerto Presidente Franco/ Hernandarias A critério da Parte importadora, outros
Guaíra/ Mundo Novo — Saltos del tipos de bens poderão ser incluídos no
Guairá regime estabelecido neste Anexo.

Japorã — Saltos del Guairá Artigo 4


Paranhos — Ypejú O ingresso e a saída de mercadorias ou
produtos ao amparo do regime
Ponta Porã — Pedro Juan Caballero estabelecido neste Anexo não estarão
Porto Murtinho — Carmelo Peralta/ San sujeitos a registro de declaração de
Lázaro importação e exportação, desde que
conformes com a legislação sanitária,
Santa Helena — Puerto Indio fitossanitária, zoosanitária e ambiental
Sete Quedas — Corpus Christi vigente, devendo, para facilitar o
controle e fiscalização aduaneira, estar
acompanhados de documentos fiscais
emitidos, em conformidade com a
legislação nacional da respectiva Parte,
ANEXO II
por estabelecimentos comerciais da
ANEXO AO ACORDO SOBRE
localidade fronteiriça limítrofe,
LOCALIDADES FRONTEIRIÇAS
contendo o número da Carteira de
VINCULADAS RELATIVO AO
Trânsito Vicinal Fronteiriço.
TRÁFEGO VICINAL DE
MERCADORIAS PARA Artigo 5
SUBSISTÊNCIA DE POPULAÇÕES
FRONTEIRIÇAS: TRÁFEGO Sobre as mercadorias de subsistência
VICINAL FRONTEIRIÇO sujeitas a este regime não incidirão
Artigo 1 gravames aduaneiros de importação e
exportação.
São beneficiários do regime
estabelecido por este Anexo as pessoas Artigo 6
definidas no artigo I deste Acordo.

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 25


As mercadorias objeto deste ACORDO INTERINSTITUCIONAL
procedimento simplificado e adquiridas INTERNACIONAL SUBSCRITO
pelo beneficiário do país limítrofe serão ENTRE O MINISTÉRIO DA
consideradas nacionais ou SAÚDE DA REPÚBLICA
nacionalizadas no país do adquirente e FEDERATIVA DO BRASIL E O
estarão dispensadas de comprovação de MINISTÉRIO DA SAÚDE DO
sua origem. ESTADO PLURINACIONAL DA
BOLÍVIA EM MATÉRIA DE
Artigo 7 COOPERAÇÃO EM SAÚDE NA
Estão excluídas deste regime as FRONTEIRA 06/10/2017
mercadorias ou produtos cujo ingresso O Ministério da Saúde da República
ou saída do território de cada uma das Federativa do Brasil e o Ministério da
Partes estejam proibidos. Saúde do Governo do Estado
Plurinacional da Bolívia (doravante
Artigo 8 denominados “Partes”),
Os produtos de subsistência que Considerando os laços históricos de
receberem o tratamento simplificado amizade e fraternidade existentes entre
previsto neste Anexo deverão ser ambas as nações;
conduzidos ou acompanhados pelo
próprio adquirente. Reconhecendo a fronteira entre Brasil e
Bolívia como espaço de união e
Artigo 9 integração de suas populações;
As pessoas que infringirem os requisitos Considerando a necessidade conceder
e condições estabelecidos para o especial atenção às populações da zona
procedimento simplificado regulado por fronteiriça dos dois países;
este Anexo estarão sujeitas à aplicação
Reafirmando a aspiração de buscar
das penalidades previstas na legislação
soluções comuns a fim de fortalecer o
da Parte onde ocorreu a infração.
processo de integração brasileiro-
boliviano;
Artigo 10
Considerando que os vínculos de
Este regime, que simplifica os trâmites
cooperação entre os dois governos e
aduaneiros, não impedirá a atuação dos
ambas as comunidades têm sido
órgãos de controle não aduaneiros, a
fortalecidos ao amparo do Acordo entre
qual deverá ocorrer conforme o espírito
o Governo da República Federativa do
de cooperação do Artigo VII deste
Brasil e o Governo da República da
Acordo.
Bolívia para Permissão de Residência,
Estudo e Trabalho a Nacionais
Artigo 11 Fronteiriços Brasileiros e Bolivianos,
As Partes poderão acordar esquemas celebrado em Santa Cruz de la Sierra,
específicos para a matéria do Artigo 10 em 8 de julho de 2004;
para certas localidades fronteiriças
Considerando os trabalhos dos Comitês
vinculadas.
de Integração Fronteiriça
(Corumbá/Puerto Suárez; Brasileia-
Epitaciolândia/Cobija; Cáceres/San
Matías; Guajará-Mirim/Guayaramerín),
constituídos pelo Acordo entre o
Governo da República Federativa do

26 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


Brasil e o Estado Plurinacional da d) Fortalecer as ações referentes à
Bolívia para a Criação dos Comitês de assistência de saúde e à organização dos
Integração, de 25 de março de 2011. serviços de saúde na zona fronteiriça;
Chegaram ao seguinte acordo: e) Propor mecanismos para o
fortalecimento, na zona fronteiriça, da
vigilância epidemiológica, sanitária,
Artigo I ambiental, medicina tradicional e outros
Princípios Gerais e Objeto temas considerados relevantes por
ambos os países,
1. O objetivo do presente Acordo f) Acompanhar a implementação das
Interinstitucional Internacional é a ações relativas à saúde da mãe e da
constituição de um marco institucional criança;
para estimular esforços de coordenação
g) Realizar articulação junto aos órgãos
na área de saúde na fronteira, por meio
competentes visando à implantação de
da ampliação de colaborações existentes
programas de treinamento e capacitação
e da identificação e desenvolvimento de
de recursos humanos entre ambos os
ações em áreas que sejam reconhecidas
países, com enfoque na
como mutuamente benéficas.
interculturalidade;
2. O Acordo tem como objeto a criação
h) Promover a participação comunitária
e a implantação do Grupo de Trabalho
e a organização de serviços de saúde na
em Saúde na Fronteira Brasil-Bolívia. O
zona fronteiriça;
propósito do mencionado Grupo de
Trabalho é identificar e avaliar i) Realizar o monitoramento e
problemáticas de saúde que afetem as seguimento dos avanços das ações ou
populações da zona fronteiriça entre os mecanismos implementados na zona
dois países fronteiriça;
3. Com esse objetivo, o Grupo de j) Realizar articulação junto aos órgãos
Trabalho poderá executar as seguintes competentes visando ao
ações: desenvolvimento de ações relativas a
temas de importância para ambos os
a) Promover o intercâmbio de
países, como gravidez adolescente e
experiências visando o fortalecimento
violência com enfoque em saúde; e
dos serviços de saúde de ambas as
partes na zona fronteiriça; k) Realizar articulação junto aos órgãos
competentes visando ao
b) Promover e/ou estimular o
desenvolvimento de ações para
intercâmbio de experiências e/ou
coadjuvar na melhora do acesso e
informação sobre Políticas de Promoção
atenção em saúde com qualidade para a
da Saúde e Prevenção de Doenças na
população.
zona fronteiriça;
4. O exame de assuntos que não
c) Estimular o intercâmbio de
correspondam à competência temática
informação sobre programas e projetos
ou geográfica do Grupo de Trabalho em
em matéria de políticas de avaliação,
Saúde na Fronteira deverá ser
provisão e regulação de tecnologias
encaminhado para consideração das
sanitárias que possam representar
instâncias técnicas responsáveis dos
benefícios para ambas as partes;
dois países.

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 27


Artigo II 1. As entidades coordenadoras
Áreas designadas pelo Ministério de exercerão a representação do Grupo de
Saúde da Bolívia Trabalho em Saúde; conduzirão as
reuniões do Grupo de Trabalho;
apresentarão Projetos a serem
a) O Escritório de Relações
desenvolvidos; decidirão sobre a
Internacionais, responsável pela
constituição de Comissões ou
coordenação, acompanhamento e
Subcomissões de Trabalho, integrados
avaliação das ações decorrentes do
por técnicos do Brasil e da Bolívia.
presente Acordo; e
2. As entidades executoras poderão
b) A Direção de Serviços de Saúde,
elaborar relatórios sobre os resultados
Direção de promoção em Saúde e a
das ações desenvolvidas pelas partes, os
Direção de Medicina Tradicional e
quais serão examinados anualmente
Interculturalidade do Ministério de
pelas respectivas autoridades
Saúde como entidades executoras das
coordenadoras. A versão oficial dos
ações; e as Governações e os Serviços
documentos de trabalho será redigida
Departamentais de Saúde como
nos idiomas português ou espanhol.
entidades apoiadoras na
operacionalização e execução das ações
contempladas no presente Acordo.
Artigo V
Reuniões
Artigo III
Áreas designadas pelo 1. As reuniões realizar-se-ão uma vez
Ministério da Saúde do Brasil (1) ao ano, alternadamente, em cada
país. Poderão realizar-se reuniões
extraordinárias ou reuniões por
a) O Ministério da Saúde, representado
videoconferência quando haja acordo
pela Assessoria de Assuntos
entre as entidades coordenadoras.
Internacionais de Saúde, responsável
pela coordenação, acompanhamento e 2. As Partes buscarão estimular a
avaliação das ações decorrentes do participação local, por meio dos
presente Acordo; e Comitês de Integração Fronteiriça e
outras formas de organizações da
b) A Secretaria de Estado da Saúde do
sociedade civil.
Acre (SES/AC), a Secretaria da Saúde
do Estado de Mato Grosso (SES/MT), a
Secretaria da Saúde do Estado de Mato
Artigo VI
Grosso do Sul (SES/MS), a Secretaria
Recursos Financeiros
da Saúde do Estado de Rondônia
(SES/RO) e as Secretarias Municipais
de Saúde dos municípios fronteiriços O presente Acordo não implica
dos Estados do Acre, Mato Grosso, qualquer compromisso de transferência
Mato Grosso do Sul e Rondônia, como de recursos financeiros entre as Partes
entidades executoras das ações ou qualquer atividade gravosa a seus
contempladas no presente Acordo patrimônios nacionais.

Artigo IV
Responsabilidades das Entidades Artigo VII
coordenadoras e executoras Sujeição às normas

28 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


Todas as atividades mencionadas neste O presente Acordo entrará em vigor a
Acordo estarão sujeitas às leis e aos partir da data de sua assinatura e terá
regulamentos em vigor na República duração indefinida.
Federativa do Brasil e no Estado
Feito em Brasília, em 6 de outubro de
Plurinacional da Bolívia.
2017, em dois exemplares originais, nos
idiomas português e espanhol, sendo
ambos os textos igualmente autênticos.
Artigo VIII
Solução de Controvérsias

Qualquer controvérsia por motivo da ACORDO ENTRE O GOVERNO


aplicação ou interpretação deste Acordo DA REPÚBLICA DA ÍNDIA, O
deverá resolver-se mediante negociação GOVERNO DA REPÚBLICA
direta entre as Partes, por canal FEDERATIVA DO BRASIL E O
diplomático. GOVERNO DA REPÚBLICA DA
ÁFRICA DO SUL SOBRE O
FUNDO IBAS PARA O ALÍVIO DA
Artigo IX POBREZA E DA FOME 17/10/2017
Modificações PREÂMBULO
O Governo da República da Índia,
O presente Acordo poderá ser o Governo da República da República
modificado por mútuo consentimento Federativa do Brasil
das Partes, formalizado através de
comunicações escritas pelos canais e
diplomáticos, nas quais se especifique a
o Governo da República da África do
data da entrada em vigor das
Sul
modificações.
(a seguir designados conjuntamente
como "Partes" e separadamente como
Artigo X "Parte");
Denúncia recordando as Declarações Conjuntas
emitidas nas Cúpulas do Fórum de
O presente Acordo poderá ser Diálogo Índia, Brasil e África do Sul
denunciado por qualquer das Partes, ("IBAS") e os Comunicados
mediante notificação escrita dirigida a Ministeriais emitidos nas Reuniões dos
outra parte através dos canais Ministros de Relações Exteriores do
diplomáticos. IBAS;
A denúncia surtirá efeito três meses reconhecendo que Índia, Brasil e África
depois de sua apresentação. As Partes do Sul continuam empenhados em
poderão decidir sobre a continuidade atingir os Objetivos de
dos programas, projetos e/ou atividades Desenvolvimento do Milênio;
conjuntas em curso.
destacando que a fome e a pobreza são
obstáculos para a paz e para a
consecução dos direitos humanos;
Artigo XI
Entrada em vigor reconhecendo que os objetivos de
desenvolvimento sustentável e de
prosperidade coletiva devem ser parte

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 29


dos esforços da comunidade Contribuições
internacional;
1. O capital do Fundo IBAS será
conscientes do fato de que a constituído, inter alia, pelas
Cooperação Sul-Sul é um meio contribuições anuais feitas pelas Partes.
importante para a constituição de um
2. Contribuições anuais a serem
mundo com menos insegurança
realizadas pelas Partes serão fixados no
alimentar, menos desigualdade e mais
patamar de US$ 1 milhão e as
segurança;
contribuições serão realizadas antes do
reconhecendo que a Cooperação Sul-Sul final do primeiro semestre de cada ano.
promove soluções imediatas, de médio e
3. As Partes acordam em buscar, se o
longo prazo para combater a fome e a
considerarem apropriado, fontes
pobreza e para criar as condições
adicionais de financiamento do Fundo.
necessárias para aumentar os índices de
desenvolvimento humano;
Artigo 3
destacando que conhecimento e
Estatuto Aplicável
políticas nacionais exitosas de combate
à fome e à pobreza devem ser O Fundo IBAS será regido pelas
compartilhados com base na Diretrizes aprovadas pelas Partes.
solidariedade e no respeito à
diversidade;
Artigo 4
reconhecendo que o Fundo IBAS para o Solução de Controvérsias
Alívio da Pobreza e da Fome é uma
iniciativa pioneira de Cooperação Sul- Qualquer controvérsia entre as Partes
Sul; decorrentes da interpretação, aplicação
ou execução do presente Acordo será
observando que os resultados obtidos resolvida amigavelmente por meio de
até agora com os projetos do Fundo consultas ou negociações entre as
IBAS são positivos; Partes.
reconhecendo que Índia, Brasil e África
do Sul continuam empenhados em Artigo 5
desenvolver e em implementar projetos Emendas
replicáveis e em disseminar melhores
práticas; Este Acordo poderá ser emendado por
consentimento mútuo das Partes, por
acordam o seguinte: meio de troca de Notas entre as Partes,
por via diplomática.
Artigo 1
Intenção das Partes Artigo 6
Entrada em Vigor, Ratificação e
É intenção das Partes celebrar este
Duração
Acordo sobre o Fundo IBAS para o
Alívio da Fome e da Pobreza (doravante 1. O presente Acordo entrará em vigor
designado "Fundo"), cujo objetivo é na data da última notificação pela qual
financiar projetos de Cooperação Sul- cada Parte informa as demais da
Sul para o benefício de populações de conclusão de seus respectivos
países em desenvolvimento. procedimentos internos necessários para
a entrada em vigor do presente Acordo.
Artigo 2

30 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


2. O presente Acordo permanecerá em O Ministério das Relações Exteriores da
vigor por um período de 5 (cinco) anos, República Federativa do Brasil
após o qual será automaticamente
e
renovado por períodos iguais e
sucessivos, salvo denúncia nos termos o Ministério das Relações Exteriores da
do Artigo 7. República de El Salvador,
doravante denominados "Partes";
Artigo 7 motivadas pelo desejo de fortalecer as
Denúncia tradicionais relações de amizade e
1. Este Acordo pode ser denunciado por cooperação entre as duas Partes, em
qualquer Parte mediante notificação conformidade com os princípios da
escrita com três (3) meses de Carta das Nações Unidas e as normas
antecedência, por via diplomática, às aceitas pelo Direito Internacional;
demais Partes indicando sua intenção de convencidas da importância de
denunciar o presente Acordo. conformar uma instância prática e
2. A Parte que denunciar o presente efetiva de consultas políticas entre
Acordo manter-se-á vinculada às ambos os Ministérios;
relações contratuais de que é parte e às acordam o seguinte:
suas respectivas obrigações até que
ambas sejam cumpridas, salvo acordo Artigo I
em contrário das Partes, por escrito. As Partes concordam em criar um
Mecanismo de Consultas Políticas, com
o objetivo de promover entre as Partes
EM FÉ DO QUE, os abaixo assinados, consultas sobre assuntos relacionados à
devidamente autorizados por seus relação salvadorenho-brasileira e outros
respectivos Governos, assinaram o temas de caráter regional e internacional
presente Acordo, em três exemplares, de interesse mútuo.
em português, hindi e inglês, sendo
todos os textos igualmente autênticos. Artigo II
Em caso de divergência de 1. As Partes concordam em reunir-se
interpretação, o texto em inglês de forma bienal, em nível de Vice-
prevalecerá. Ministros das Relações Exteriores
Feito em Durban em 17 de outubro de ou de Diretores-Gerais de Política
2017. Externa, a fim de realizar as
respectivas consultas.
2. O local, o calendário, a agenda das
MEMORANDO DE reuniões de consulta e a composição
ENTENDIMENTO ENTRE O das delegações de cada Parte serão
MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES acordados por via diplomática.
EXTERIORES DA REPÚBLICA Artigo III
FEDERATIVA DO BRASIL E O Nas reuniões que celebrem, as Partes
MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES poderão, por consentimento mútuo,
EXTERIORES DA REPÚBLICA DE convidar autoridades e representações
EL SALVADOR PARA O de outros setores nacionais. Do mesmo
ESTABELECIMENTO DE UM modo, poderão ser criados grupos de
MECANISMO DE CONSULTAS trabalho ou reuniões de especialistas, ad
POLÍTICAS hoc, para o tratamento e o seguimento

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 31


de assuntos específicos, com objetivos e
prazos determinados pelas Partes. Assinado em Brasília, aos 25 do mês de
Artigo IV outubro do ano 2017 em dois
O presente Memorando de exemplares originais, nos idiomas
Entendimento não gerará obrigações português e espanhol, sendo ambos os
financeiras ou econômicas textos igualmente autênticos.
juridicamente vinculantes para as Partes
ou seus respectivos Estados no âmbito
do Direito Internacional.
Artigo V TROCA DE NOTAS ASSINADAS
As missões diplomáticas de ambos os PARA EMENDA AO ACORDO
países junto à Organização das Nações SOBRE COOPERAÇÃO NO
Unidas e junto a outras organizações DOMÍNIO DA DEFESA
internacionais poderão manter contatos (BRASIL)
regulares e realizar consultas sobre DAI/DADF/DMAC/01/PAIN BRAS
temas de interesse comum. ELSA

Artigo VI Em 24 de outubro de 2017.


O presente Memorando de
Entendimento poderá ser modificado Sua Excelência,
por consentimento mútuo das Partes,
formalizado através de comunicações Tenho a honra de me referir ao Acordo
escritas pelos canais diplomáticos, nas entre o Governo da República
quais se especifique a data a partir da Federativa do Brasil e o Governo da
qual terão efeito as modificações. República de El Salvador sobre
Cooperação no Domínio da Defesa
Artigo VII
(doravante denominado "Acordo"),
Quaisquer dúvidas ou controvérsias
assinado em Brasília, em 24 de julho de
decorrentes da interpretação, aplicação
2007.
ou execução do presente Memorando de
Entendimento serão resolvidas de 2. Devido à vigência, em novembro de
maneira amistosa mediante consultas 2011, da Lei de Acesso à Informação
entre as Partes, pela via diplomática. (LAI - Lei 12.527), diversos acordos
internacionais assinados pelo Brasil
Artigo VIII
tiveram seus processos de ratificação ou
1. O presente Memorando de
promulgação adiados, pois estabeleciam
Entendimento terá efeito a partir da
um regime de acesso, administração e
data da sua assinatura e terá duração
proteção à informação conflitante com a
indefinida, a menos que uma das
LAI.
Partes notifique a outra, por escrito,
de seu desejo de denunciá-lo. A 3. Dessa maneira, o referendo do
denúncia terá efeito noventa (90) Acordo em tela pelo Congresso
dias após a data do recebimento da brasileiro foi adiado, uma vez que o seu
respectiva notificação. Artigo 5º, referente à "segurança da
2. A denúncia do presente Memorando informação classificada", tornou-se
de Entendimento não afetará a incompatível com a LAI. Nesse sentido,
validade ou a duração dos o referido Acordo: (a) não estabelece
programas, projetos ou atividades prazos para o término do sigilo de
conjuntas em andamento ao amparo informação; e (b) inclui o grau de sigilo
do Mecanismo de Consultas "confidencial", extinto após a aprovação
Políticas. da LAI.

32 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


4. Com o intuito de tornar o Acordo em 6. Esta emenda é apresentada a Vossa
apreço compatível com a LAI, o Brasil Excelência em português e espanhol,
propõe que o Artigo 5º do instrumento sendo ambos os textos igualmente
jurídico seja substituído pelo texto a autênticos.
seguir:
Queira aceitar, Vossa Excelência, os
"Artigo 5º meus protestos de mais elevada estima e
Segurança da Informação consideração.
1. O tratamento de informação
classificada/reservada, conforme
corresponda a cada uma das Partes, a Aloysio Nunes Ferreira
ser trocada ou gerada no âmbito deste Ministro de Estado das Relações
Acordo será regulado entre as Partes Exteriores
mediante acordo específico para a
troca e proteção mútua de informação TROCA DE NOTAS ASSINADAS
classificada/reservada. PARA EMENDA AO ACORDO
2. Enquanto o acordo específico não SOBRE COOPERAÇÃO NO
entrar em vigor, toda informação DOMÍNIO DA DEFESA
classificada/reservada trocada ou (EL SALVADOR)
gerada no âmbito deste Acordo será DAI/DADF/DMAC/ /PAIN BRAS
protegida conforme os seguintes ELSA
princípios:
a. As Partes não proverão a terceiros
qualquer informação sem prévio
Tenho a honra de apresentar os seus
consentimento, por escrito, da Parte de
cumprimentos a Vossa Excelência e se
origem.
referir à nota nº , de data de 24 d
b. O acesso à informação classificada
outubro de 2017 relativa à proposta de
será limitado a pessoas que tenham
modificação do artigo 5 do "Acordo
necessidade de a conhecer e que
entre o Governo da República
estejam habilitadas com a adequada
Federativa do Brasil e o Governo da
credencial de segurança expedida pela
República de El Salvador sobre
autoridade competente de cada Parte.
Cooperação no Domínio da Defesa",
c. A informação será usada apenas
que diz o seguinte:
para a finalidade para a qual foi
destinada." "Sua Excelência,
5. Caso a presente proposta seja
aceitável para o Governo da República Tenho a honra de me referir ao Acordo
de El Salvador, eu proporia, entre o Governo da República
adicionalmente, que esta Nota, bem Federativa do Brasil e o Governo da
como a sua Nota de confirmação de República de El Salvador sobre
resposta, constituam uma emenda ao Cooperação no Domínio da Defesa
Acordo entre nossos Governos. Como (doravante denominado "Acordo"),
disposto no Artigo 6º do Acordo, a assinado em Brasília, em 24 de julho de
emenda entrará em vigor na data de 2007.
recebimento da última notificação, por
2. Devido à vigência, em novembro de
escrito e por via diplomática, na qual se
2011, da Lei de Acesso à Informação
expresse que foram cumpridos os
(LAI - Lei 12.527), diversos acordos
requisitos internos necessários para a
internacionais assinados pelo Brasil
sua entrada em vigor.
tiveram seus processos de ratificação ou
promulgação adiados, pois estabeleciam

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 33


um regime de acesso, administração e 5. Caso a presente proposta seja
proteção à informação conflitante com a aceitável para o Governo da República
LAI. de El Salvador, eu proporia,
adicionalmente, que esta Nota, bem
3. Dessa maneira, o referendo do
como a sua Nota de confirmação de
Acordo em tela pelo Congresso
resposta, constituam uma emenda ao
brasileiro foi adiado, uma vez que o seu
Acordo entre nossos Governos. Como
Artigo 5º, referente à "segurança da
disposto no Artigo 6º do Acordo, a
informação classificada", tornou-se
emenda entrará em vigor na data de
incompatível com a LAI. Nesse sentido,
recebimento da última notificação, por
o referido Acordo: (a) não estabelece
escrito e por via diplomática, na qual se
prazos para o término do sigilo de
expresse que foram cumpridos os
informação; e (b) inclui o grau de sigilo
requisitos internos necessários para a
"confidencial", extinto após a aprovação
sua entrada em vigor.
da LAI.
6. Esta emenda é apresentada a Vossa
4. Com o intuito de tornar o Acordo em
Excelência em português e espanhol,
apreço compatível com a LAI, o Brasil
sendo ambos os textos igualmente
propõe que o Artigo 5º do instrumento
autênticos.
jurídico seja substituído pelo texto a
seguir: Queira aceitar, Vossa Excelência, os
"Artigo 5º meus protestos de mais elevada estima e
Segurança da Informação consideração.
1. O tratamento de informação
classificada/reservada, conforme Brasília, D.F., 24 de outubro de 2017
corresponda a cada uma das Partes, a
ser trocada ou gerada no âmbito deste Aloysio Nunes Ferreira
Acordo será regulado entre as Partes Ministro de Estado das Relações
mediante acordo específico para a Exteriores""
troca e proteção mútua de informação
classificada/reservada.
2. Enquanto o acordo específico não Tenho a honra de informar a Vossa
entrar em vigor, toda informação Excelência que a proposta contida na
classificada/reservada trocada ou nota nº, de data de 24 de outubro de
gerada no âmbito deste Acordo será 2017, é aceitável para o Governo da
protegida conforme os seguintes República de El Salvador, e que a
princípios: referida nota e o presente constituirão
a. As Partes não proverão a terceiros uma Emenda ao Artigo 5 do Acordo
qualquer informação sem prévio entre os dois Governos.
consentimento, por escrito, da Parte de A emenda entrará em vigor na data da
origem. recepção da última notificação, por
b. O acesso à informação classificada escrito e por via diplomática, na qual
será limitado a pessoas que tenham seja expressado que os requisitos legais
necessidade de a conhecer e que internos necessários para sua entrada
estejam habilitadas com a adequada em vigor foram cumpridos.
credencial de segurança expedida pela Aproveito a oportunidade para renovar
autoridade competente de cada Parte. ao Excelentíssimo Senhor Ministro os
c. A informação será usada apenas protestos da sua mais alta
para a finalidade para a qual foi consideração.
destinada." Brasília, D.F., vinte e cinco de outubro
de dois mil e dezessete.

34 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


2. As Partes promoverão contato e
intercâmbio de estudantes,
Hugo Roger Martínez Bonilla diplomatas em treinamento,
Ministro das Relações Exteriores
professores, especialistas e
Ministério das Relações Exteriores da
pesquisadores.
República de El Salvador
3. As Partes estimularão o estudo e a
pesquisa, bem como manterão
ATOS ASSINADOS POR OCASIÃO intercâmbio de informações sobre
DA VISITA DO CHANCELER DE publicações nacionais e
EL SALVADOR, HUGO internacionais, especialmente em
MARTÍNEZ – BRASÍLIA, 25 DE áreas de interesse mútuo.
OUTUBRO DE 2017 25/10/2017 4. As Partes intercambiarão
informações e visões relacionadas a
CONVÊNIO DE COOPERAÇÃO tendências e avanços internacionais
ENTRE O INSTITUTO RIO em matéria de treinamento, estudo e
BRANCO DO MINISTÉRIO DAS pesquisa em diplomacia, bem como
RELAÇÕES EXTERIORES DA ferramentas relativas à educação,
REPÚBLICA FEDERATIVA DO tecnologia e inovação.
BRASIL E O INSTITUTO
ESPECIALIZADO DE EDUCAÇÃO 5. As Partes poderão explorar
SUPERIOR PARA A FORMAÇÃO possibilidades de outras formas de
DIPLOMÁTICA DA REPÚBLICA cooperação no âmbito das
DE EL SALVADOR finalidades deste Convênio, de
acordo com suas possibilidades.
O Instituto Rio Branco do Ministério 6. As Partes decidirão, pelos canais
das Relações Exteriores da República diplomáticos pertinentes, as
Federativa do Brasil especificidades e a logística de cada
e projeto empreendido em conjunto.
Para tal propósito, serão celebrados,
O Instituto Especializado de Educação caso necessário, protocolos
Superior para Formação Diplomática estabelecendo os termos e as
(IEESFORD), da República de El condições dos intercâmbios
Salvador propostos.
(doravante denominados “Partes”);
7. Este Convênio entrará em vigor na
data de sua assinatura e
reconhecendo o espírito de cooperação
permanecerá em aplicação por
que existe entre seus respectivos países;
período de três (3) anos. Após esse
desejando promover maior colaboração
período, o Convênio poderá ser
na área de formação diplomática e
renovado automaticamente por
consular,
período subseqüente de três (3)
chegam ao seguinte entendimento: anos, exceto se denunciado por uma
das Partes, mediante comunicação
1. As Partes cooperarão em matéria de escrita à outra Parte, noventa (90)
intercâmbio de informação e dias antes da expiração do período
experiências acerca de seus corrente. A denúncia deste
respectivos programas de estudo e Convênio não afetará projetos em
pesquisa, cursos diversos, execução.
seminários e demais atividades 8. O presente Convênio poderá ser
acadêmicas, educacionais e de modificado a qualquer momento,
treinamento. por acordo mútuo entre as Partes,

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 35


pela via diplomática. Qualquer CONSIDERANDO que o Estado
modificação ao Convênio deverá ser Plurinacional da Bolívia e da República
proposta com no mínimo seis (6) Federativa do Brasil são partes da
meses de antecedência, Convenção das Nações Unidas contra o
especificando a data na qual a Crime Organizado Transnacional e seus
modificação terá efeito e constituirá protocolos, assinada em 15 de
parte integrante deste Convênio. novembro de 2000, ratificada pela Lei
9. Qualquer controvérsia relativa à Nº3107, de 02 de agosto de 2005.
interpretação deste Memorando será DESTACANDO os objetivos
resolvida de forma amigável pelas prioritários estabelecidos na Declaração
Partes por negociação direta, por via de Brasília da Reunião Ministerial do
diplomática. Cone Sul sobre Segurança nas
Fronteiras, assinada em 16 de novembro
10. O presente Convênio substitui o
de 2016, pela qual se reafirma que os
Convênio assinado entre o Instituto
acordos e mecanismos de cooperação
Rio Branco do Ministério das
bilaterais são elementos essenciais para
Relações Exteriores da República
fortalecer a segurança cidadã em nossos
Federativa do Brasil e a Academia
países.
Diplomática Ing. Mauricio
Borgonovo Pohl del Ministerio de CONVENCIDOS de que o crime
Relaciones Exteriores de la organizado transnacional constitui uma
República de El Salvador, assinado ameaça à segurança pública e ao
em 24 de julho de 2007. desenvolvimento econômico e social de
ambas as Partes, o que requer, para seu
Assinado em Brasília, em 25 de outubro combate frontal, uma resposta
de 2017, em dois originais, nos idiomas concertada através da coordenação de
português e espanhol, ambos os textos ações policiais operacionais conjuntas
sendo igualmente válidos. e/ou simultâneas.
CONSIDERANDO o Convênio sobre
ATOS ASSINADOS POR OCASIÃO Assistência Recíproca entre o Governo
DA VISITA DO PRESIDENTE DO da República Federativa do Brasil e a
ESTADO PLURINACIONAL DA República da Bolívia para a Repressão
BOLÍVIA, EVO MORALES do Tráfico Ilícito de Drogas, assinado
05/12/2017 em 17 de agosto de 1977, ratificado
pelo Decreto Supremo Nº 15375, de 28
ACORDO INTERINSTITUCIONAL de março de 1978.
INTERNACIONAL PARA A
OBSERVANDO o Acordo Bilateral
COOPERAÇÃO POLICIAL ENTRE
entre o Governo da República da
O MINISTÉRIO DA JUSTIÇA E
Bolívia e o Governo da República
SEGURANÇA PÚBLICA DA
Federativa do Brasil sobre Restituição
REPÚBLICA FEDERATIVA DO
de Veículos Motorizados Roubados
BRASIL E O MINISTÉRIO DE
e/ou Furtados, assinado em 28 de abril
GOVERNO DO ESTADO
de 2003, ratificado pela Lei nº 3401, de
PLURINACIONAL DA BOLÍVIA
23 de maio de 2006.
PARA A PREVENÇÃO E
COMBATE AO CRIME DESTACANDO a coordenação mútua
ORGANIZADO TRANSNACIONAL relativa aos avanços e resultados
E QUALQUER OUTRA derivados dos compromissos assumidos
MANIFESTAÇÃO CRIMINOSA entre as Partes mediante a realização de

36 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


reuniões periódicas da Comissão Mista e qualquer outra manifestação
sobre Drogas e Delitos Conexos. criminosa.
RESOLVEM celebrar o presente b. O fortalecimento dos controles
Acordo Interinstitucional internacional, policiais nas cidades fronteiriças para
conforme os seguintes artigos: prevenir e detectar as ações do crime
organizado transnacional e qualquer
ARTIGO I
outra manifestação criminosa, no marco
DAS PARTES
das respectivas legislações vigentes das
As Partes responsáveis pela
Partes.
implementação e execução do presente
Acordo Interinstitucional Internacional c. A troca de informações e inteligência
são o Ministério da Justiça e Segurança sobre o modus operandi e rotas
Pública da República Federativa do vulneráveis utilizadas para a prática de
Brasil através da Polícia Federal crimes transnacionais.
(entidade de executora) e o Ministério
d. A troca de informações de cidadãos
de Governo do Estado Plurinacional da
de nacionalidade boliviana ou brasileira
Bolívia, através da Polícia boliviana
reclusos em centros penitenciários das
(entidade executora).
Partes.
ARTIGO II
e. A troca de antecedentes criminais
OBJETIVO
e/ou dados policiais de interesse das
O presente Acordo Interinstitucional
Partes, no marco do ordenamento
Internacional tem como objetivo o
jurídico do Estado de origem das Partes.
estabelecimento de compromissos de
cooperação policial a fim de fortalecer a f. A troca de informações sobre a
prevenção e o combate ao Crime detecção de ameaças potenciais de
Organizado Transnacional e a qualquer organizações criminosas transnacionais.
outra manifestação criminosa, tais como
o terrorismo, o tráfico de pessoas e o g. A troca de informação produto de
contrabando de migrantes, o tráfico georreferenciamento de crimes
ilícito de armas de fogo, o roubo de transnacionais e qualquer outra
veículos, a lavagem de dinheiro, o crime manifestação delitiva.
cibernético, o tráfico ilícito de h. A troca de informação e experiências
entorpecentes e substâncias nos âmbitos da prevenção e da
psicotrópicas e os crimes comuns na investigação policial sobre a prática de
fronteira, através da coordenação de crimes pelas organizações criminais
ações policiais operativas e de transnacionais.
inteligência policial.
i. A formação e especialização do
ARTIGO III pessoal policial das Partes.
AÇÕES DE COOPERAÇÃO
1. A cooperação se refere a todas as j. A troca de informação sobre tráfico
questões de interesse mútuo relativas às ilícito de armas de fogo, destinadas a
tarefas de segurança pública e em organizações criminosas transnacionais.
particular compreenderá: k. A troca de informação sobre armas de
a. A formulação e execução de planos fogo ou munições roubadas, furtadas ou
operacionais integrais coordenados e extraviadas de arsenal público.
simultâneos entre as Partes de forma l. A troca de informação sobre veículos
contínua, através da troca de informação com placa brasileira ou boliviana
e inteligência pertinente e oportuna
contra o crime organizado transnacional
Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 37
apreendidos e/ou detidos em ambos os E-mail: planop@hotmail.com
territórios. Telefones: 00591-2430555 / int.137 /
71511536
2. O presente Acordo Interinstitucional
Diretor Nacional da Força Especial da
Internacional não impedirá as Partes de
Luta contra o Narcotráfico (FELCN)
elaborar e desenvolver outras formas de
E-mail:
cooperação específica mutuamente
dirección.general@felcn.gob.bo
aceitáveis, de acordo com os propósitos
Telefones: 00591-2-2415906 /
deste Acordo, que não sejam
2410047/71548125
incompatíveis com as leis da Parte
Diretor Nacional da Força Especial da
requerida.
Luta contra o Crime
ARTIGO IV E-mail: felcc@policia.bo
CANAIS DE COORDENAÇÃO E Telefone: + 591-2285776 / 72581184
COMUNICAÇÃO Diretor Nacional de Prevenção contra
1. Com o objetivo de facilitar uma Roubo de Veículos
coordenação fluida, as Partes manterão E-mail: diprove@policia.bo
canais expeditos de comunicação Telefone: + 591-2422508 / 72000795
mediante o estabelecimento de Pontos Diretor Nacional da INTERPOL
Focais, com sede em suas respectivas E-mail: interpol@policia.bo
Instituições. Telefone: + 591-2916012 / 72002188
Diretor Nacional de Inteligência
a) Nível executivo: E-mail: inteligencia@policia.bo
Pelo Ministério de Governo do Estado Telefone: 591-2440745 / 72002426
Plurinacional da Bolívia se designa: Pela Polícia Federal do Brasil:
Vice-Ministro do Regime Interior e da Divisão de Repressão a Crimes
Polícia Financeiros
E-mail: vmrip@mingobierno.gob.bo E-mail: dfin@dpf.gov.br
Telefones: + 591-2440189 Telefone: +55 61 2024-8368 / 8446
Vice-Ministro da Defesa Social e Divisão de Repressão a Crimes contra o
Substâncias Controladas Patrimônio e ao Tráfico de Armas
E-mail: despacho@vds.gob.bo / E-mail:
monfredy@gmail.com secretaria.dpat.dicor@dpf.gov.br
Telefones: + 591-2-2415583 / 2415508 Telefone: +55 61 2024-8343
Pelo Ministério da Justiça e Segurança Coordenação-Geral de Defesa
Pública da República Federativa do Institucional
Brasil se designa: E-mail: urtp.ddh@dpf.gov.br
Telefone: + 55 61 2024-7939 / 8029
Diretor Executivo da Polícia Federal Coordenação-Geral de Polícia de
E-mail: direx@dpf.gov.br Repressão às Drogas
Telefones: +55-61-20248366 E-mail: cgpre@dpf.gov.br
Coordenador- Geral de Cooperação Telefone: +55 61 2024-8300
Internacional da Polícia Federal
E-mail: gab.cgci@dpf.gov.br 2. Qualquer modificação das
Telefones: + 55-61-20247450 informações de contato será
comunicada em tempo hábil através da
b) Nível operacional via diplomática.
Para a Polícia boliviana: 3. A partir da assinatura do presente
Diretor Nacional de Planejamento e Acordo Interinstitucional Internacional,
Operações as Partes promoverão, de maneira
contínua, Reuniões de Alto Nível de

38 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


Polícia nas fronteiras, com a finalidade Princípio da Boa Fé e consentimento
de coordenar, planejar e executar ações mútuo.
operacionais na fronteira.
ARTIGO IX
MODIFICAÇÕES
ARTIGO V O presente Acordo Interinstitucional
AVALIAÇÃO Internacional poderá ser modificado
As Partes acordarão o desenvolvimento mediante assinatura de emendas
de mecanismos efetivos para a modificativas acordadas pelas Partes.
avaliação e monitoramento periódico de
ARTIGO X
ações de cooperação, como reuniões
VALIDADE E ENTRADA EM VIGOR
presenciais e videoconferências, a fim
O presente Acordo Interinstitucional
de possibilitar a geração de informes de
Internacional terá vigência de três (3)
resultados relacionados à
anos, renovável automaticamente por
implementação do presente Acordo.
períodos semelhantes, desde que não
ARTIGO VI haja manifestação expressa para dar por
FINANCIAMENTO suspensa ou concluída a vigência do
As despesas exigidas pela execução dos mesmo, por qualquer das Partes.
compromissos e atividades do presente
O presente Acordo Interinstitucional
Acordo Interinstitucional Internacional
Internacional entrará em vigor na data
serão assumidas pelas Partes, atribuídas
da sua assinatura.
aos seus respectivos orçamentos, de
acordo com a legislação nacional Estando as Partes de acordo com o
vigente. conteúdo deste instrumento, o assinam
em sinal de concordância em 4 (quatro)
ARTIGO VII
vias de igual teor e valor, nos idiomas
CONFIDENCIALIDADE
português e espanhol, na cidade de
1. As Partes comprometem-se a garantir
Brasília, ao dia 5 do mês de dezembro
a estrita reserva e confidencialidade das
de 2017.
informações e antecedentes
intercambiados, sujeitando suas ações
às disposições dos respectivos
ordenamentos legais em matéria de MEMORANDO DE
acesso à informação pública ENTENDIMENTO ENTRE O
governamental e à proteção de dados MINISTÉRIO DOS
pessoais. TRANSPORTES, PORTOS E
AVIAÇÃO CIVIL DO BRASIL E O
2. As informações trocadas, em virtude MINISTÉRIO DE OBRAS
do presente Acordo Interinstitucional PÚBLICAS, SERVIÇOS E
Internacional, não serão, em caso MORADIAS DA BOLÍVIA SOBRE
algum, remetidas a terceiros sem o O CORREDOR FERROVIÁRIO
prévio consentimento por escrito da BIOCEÂNICO DE INTEGRAÇÃO
outra Parte.
O Ministério dos Transportes, Portos e
ARTIGO VIII
Aviação Civil do Brasil
SOLUÇÃO DE DISPUTAS
e
Qualquer diferença derivada da
interpretação, aplicação ou execução do O Ministério de Obras Públicas,
presente Acordo Interinstitucional Serviços e Moradias da Bolívia
Internacional será resolvida em comum (doravante designados "Partes")
acordo pelas Partes, conforme o

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 39


transporte usados para o escoamento da
Tendo em vista que o fortalecimento de produção;
uma conexão ferroviária na região de
Considerando a Declaração Conjunta da
fronteira entre os dois países permitirá
Cúpula de Chefes de Estado e de
reduzir o impacto da mediterraneidade
Estados Associados do MERCOSUL,
sobre a economia boliviana,
aprovada durante a Reunião Ordinária
incrementar as relações comerciais e
do Conselho do Mercado Comum,
econômicas bilaterais, dinamizar a
realizada em 21 de julho de 2017;
atividade econômica por meio de novos
investimentos e aprofundar a integração Chegam aos seguintes entendimentos:
sul-americana;
Considerando que o Corredor
Ferroviário Bioceânico de Integração Artigo 1°
constitui vetor de desenvolvimento para Do Objetivo
os territórios na área de influência, O presente Memorando de
capaz de gerar renda e emprego para as Entendimento (doravante denominado
comunidades locais e as pequenas e "Memorando") tem por objetivo criar as
médias empresas; condições necessárias para o incremento
do tráfego ferroviário entre o Brasil e a
Levando em conta que a República Bolívia, bem como estabelecer as bases
Federativa do Brasil e o Estado para o pleno aproveitamento da
Plurinacional da Bolívia são signatários infraestrutura ferroviária existente,
do Acordo sobre Transporte projeto doravante denominado
Internacional Terrestre (ATIT), "Corredor Ferroviário Bioceânico de
celebrado em Montevidéu, em primeiro Integração" ou simplesmente
de janeiro de 1990, entre Brasil, "Corredor".
Argentina, Bolívia, Chile, Paraguai,
Peru e Uruguai, instrumento que regula
o transporte internacional de carga por Artigo 2°
ferrovia, e que, conforme seu artigo 14, Criação de Grupo de Trabalho
permite aos países signatários alcançar Cria-se um Grupo de Trabalho Brasil-
entendimentos que favoreçam o Bolívia para a Integração Ferroviária,
transporte de carga, sempre e quando com a participação ampla de
não contrariem os dispositivos do representantes dos dois Governos, para
referido acordo; definir ações, coordenar iniciativas e
compartilhar informações, com o
Cientes de que a interligação de propósito de assegurar eficiência,
ferrovias pertencentes a redes nacionais agilidade, segurança, previsibilidade e
distintas exigirá serviços logísticos competitividade ao movimento da carga
modernos e um trânsito aduaneiro ferroviária entre os dois países.
eficiente e ágil, capaz de preservar os
ganhos de tempo que a rota oferecerá a
seus usuários; Artigo 3°
Meios adicionais para alcançar o
Conscientes de que o tráfego Objetivo
internacional de cargas estará em
permanente competição com as demais Em conformidade com as respectivas
alternativas logísticas, e reconhecendo legislações, além da criação do Grupo
que os usuários somente optarão pelo de Trabalho Brasil-Bolívia, o objetivo
modal ferroviário, caso sejam poderá ser perseguido por intermédio
asseguradas condições mais atrativas dos seguintes meios:
em relação aos outros meios de
40 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.
a) Troca de informações técnicas sob a integração ferroviária entre os dois
forma de material escrito, visual, países e às necessidades futuras;
audiovisual ou telemático;
e) Programa de monitoramento da
b) Programas de visitas técnicas e execução dos trabalhos e avaliação dos
treinamento; resultados obtidos;
c) Convite para empresas nacionais e Artigo 5°
estrangeiras prestarem informações Pontos de Contato
técnicas e eventuais assistências; Os seguintes Pontos de Contato
designados pelas Partes coordenarão as
d) Atividades de capacitação e
atividades e ações previstas no presente
habilitação técnica entre as áreas
Memorando:
competentes das Partes, inclusive com a
colaboração de outros Estados, órgãos a) O Ministério dos Transportes, Portos
ou instituições competentes na temática e Aviação Civil do Brasil designa como
de interesse; Ponto de Contato a Secretaria de
Política e Integração do Ministério dos
e) Organização de eventos nacionais e
Transportes, Portos e Aviação Civil;
internacionais com a participação de
representantes das Partes e b) O Ministério de Obras Públicas,
eventualmente de outros Estados; e Serviços e Moradias da Bolívia designa
como Ponto de Contato a Direção Geral
f) Outras modalidades a serem
de Transporte Terrestre, Fluvial e
acordadas entre as Partes.
Lacustre do Ministério de Obras
Públicas, Serviços e Moradias.
Artigo 4°
Estabelecimento de Plano de Trabalho
Artigo 6°
1. As Partes acordam concentrar
Cobertura dos custos
inicialmente esforços na identificação e
1. As atividades e ações previstas neste
colocação em vigor das medidas
Memorando serão desenvolvidas
necessárias para criar as condições que
segundo a disponibilidade orçamentária
viabilizem o Corredor, notadamente na
das Partes e em conformidade com as
região de fronteira, nos Municípios de
normas vigentes nos dois Países.
Corumbá, Ladário, Puerto Quijaro e
Puerto Suarez. 2. As despesas de viagem e estada dos
representantes das Partes e
2. Será constituído Plano de Trabalho
eventualmente de outra natureza serão
que contemplará principalmente:
arcadas pelo Estado de origem, salvo se
a) As áreas prioritárias de intervenção; as Partes acordarem de forma distinta.
b) As modalidades de ação e os prazos 3. Quando necessário, as Partes poderão
para o cumprimento das atividades se valer de formas alternativas de
acordadas; financiamento.
c) A definição dos meios capazes de
lograr os objetivos almejados, bem Artigo 7°
como a divulgação periódica dos Uso da informação
avanços; O uso ou a transferência de material e
dados estatísticos ou a cessão de
d) A adequação das instalações estudos, protegidos ou não por sigilo
existentes na fronteira Brasil-Bolívia à administrativo ou segredo de Justiça, é
de responsabilidade de cada uma das

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 41


Partes e seu uso ou envio para terceiros cada uma das quais é considerada
deverá ser feito em conformidade com a autêntica. Cada instituição conservará
legislação e as normas vigentes, assim um exemplar de cada língua e toda e
como com a anuência do País de origem qualquer divergência de interpretação
do material ou informação. será regulada por meio do mútuo
consenso.
Artigo 8°
Da natureza, duração e modificação do Feito em Brasília, em 5 de dezembro de
Memorando. 2017, em dois exemplares originais, nos
1. O presente Memorando iniciará os idiomas português e espanhol, sendo
efeitos na data de sua assinatura e terá a ambos os textos igualmente autênticos.
duração de cinco (5) anos ou até que o
objetivo do artigo 1° seja integralmente
ATOS ADOTADOS POR OCASIÃO
atingido, podendo ser renovado
DA LI REUNIÃO DO CMC E DA LI
mediante manifestação expressa das
CÚPULA DE CHEFES DE ESTADO
Partes.
DO MERCOSUL E ESTADOS
2. Qualquer controvérsia relativa à ASSOCIADOS – BRASÍLIA, 20 E 21
interpretação ou execução do presente DE DEZEMBRO DE 2017 21/12/2017
Memorando de Entendimento será
resolvida por negociação direta entre as I. COMUNICADO CONJUNTO
Partes, por via diplomática. DOS ESTADOS PARTES E
ESTADOS ASSOCIADOS DO
3. Qualquer das Partes poderá denunciar MERCOSUL
o presente Memorando de
Entendimento, mediante notificação por Os Estados Partes e os Estados
via diplomática. A denúncia terá efeito Associados do MERCOSUL, reunidos
noventa (90) dias após a data de na cidade de Brasília, República
recebimento desta notificação. Federativa do Brasil, no dia 21 de
dezembro de 2017, por ocasião da LI
4. As Partes poderão modificar ou
Reunião Ordinária do Conselho do
emendar o presente Memorando de
Mercado Comum (CMC):
Entendimento mediante troca de notas
Ressaltaram que a plena vigência das
diplomáticas. As modificações ou
instituições democráticas e a
emendas terão efeito a partir da data em
observância dos direitos humanos e
que as modificações entrarem em vigor.
liberdades fundamentais são condições
5. As Partes poderão, mediante acordo essenciais para o processo de integração
mútuo, estender os efeitos deste regional.
Memorando a outros Estados Reafirmaram seu compromisso com o
interessados, desde que conservados aprofundamento da integração regional
seus objetivos. para contribuir com o desenvolvimento
econômico e social, a melhoria da
6. Eventual controvérsia relativa à qualidade de vida, a erradicação da
interpretação ou à execução do presente fome e da pobreza em nossas
Memorando será resolvida por sociedades e a geração de condições
negociação direta entre as Partes, por propícias para maior participação
via diplomática. política de todos os setores envolvidos
7. O presente Memorando está dirigido na integração.
em duas cópias, uma em língua Reafirmaram o compromisso da
portuguesa e outra em língua espanhola, América Latina e Caribe como zona de
paz baseada no respeito ao Direito
42 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.
Internacional e nos princípios e Comunicação e Informação do
propósitos da Carta da Organização das MERCOSUL e destacaram a relevância
Nações Unidas. da Unidade para o pleno
Destacaram a importância de desenvolvimento e execução da Política
aprofundar a dimensão social do Comunicacional do MERCOSUL.
MERCOSUL mediante a Destacaram a importância de promover
implementação do Plano de Ação 2017- maior mobilidade acadêmica e de
2018 da Reunião de Ministros e Altas aprofundar a cooperação educacional de
Autoridades de Desenvolvimento Social nível primário, secundário e superior.
do MERCOSUL (RMADS) e do Plano Reconheceram a importante presença
de Trabalho 2017-2019 da Comissão de da comunidade afrodescendente na
Coordenação de Ministros de Assuntos região e a necessidade de avançar na
Sociais do MERCOSUL (CCMASM). implementação efetiva e permanente do
Congratularam-se pela conclusão do Plano de Ação da Década Internacional
processo de revisão e avaliação do dos Afrodescendentes, declarada pelo
Plano Estratégico de Ação Social Sistema das Nações Unidas
(PEAS), com a consequente publicação (Reconhecimento- Justiça-
do Relatório "Avaliação dos Avanços Desenvolvimento), especialmente no
na Implementação do Plano Estratégico que concerne ao combate ao racismo e a
do PEAS" pelo Instituto Social do todas as formas de discriminação que
MERCOSUL (ISM). continuam a afetar as pessoas
Saudaram a nomeação do novo afrodescendentes em nossas sociedades.
Diretor-Executivo do Instituto Social do Destacaram, no âmbito da Reunião de
MERCOSUL (ISM), Embaixador José Ministros da Cultura, o lançamento do
Eduardo Martins Felicio, e destacaram a Mapa de Residências Artísticas e dos
importância de dotar o ISM de recursos Cadernos da Diversidade.
humanos, técnicos e financeiros Reconheceram a relevância conferida
adequados ao cumprimento de suas ao combate do tráfico ilícito de bens
atribuições. Nesse sentido, realçaram a culturais, no entendimento de que o
importância do Projeto "MERCOSUL patrimônio cultural é expressão
Social: Fortalecimento do Instituto simbólica inequívoca de nossa
Social do MERCOSUL e Consolidação integração regional.
do Plano Estratégico de Ação Social", Encorajaram os Ministros e as Altas
aprovado e financiado no âmbito do Autoridades em Gestão Integral de
Programa IV do FOCEM: Riscos e Desastres do MERCOSUL a
“Fortalecimento da Estrutura continuar trabalhando, de forma
Institucional e do Processo de coordenada, na redução e na prevenção
Integração". de desastres, bem como na assistência
Agradeceram o Embaixador José humanitária na região, conforme as
Augusto Lindgren Alves pelo trabalho prioridades estabelecidas no Marco de
dedicado e exitoso como Secretário Sendai para a Redução do Risco de
Executivo do Instituto de Políticas Desastres 2015-2030.
Públicas de Direitos Humanos do Entenderam que é prioritário o
MERCOSUL, e desejaram êxito ao fortalecimento, a plena independência e
senhor Juan Miguel González Bibolini, a autonomia dos sistemas de Defensoria
que estará à frente do Instituto no Pública Oficial no âmbito nacional,
próximo mandato. provincial, estadual e/ou departamental,
Felicitaram o senhor Facundo Landívar com o propósito de garantir o efetivo
por sua designação como primeiro acesso à justiça das pessoas em
Coordenador Executivo da Unidade de condição de vulnerabilidade. Nesse

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 43


contexto, comprometeram-se a Agradeceram a Presidência Pro
incentivar e fortalecer a independência Tempore Brasileira do Foro de Consulta
técnica e a autonomia funcional e e Concertação Politica (FCCP) pelo
financeira das defensorias públicas acompanhamento realizado das reuniões
oficiais, com a garantia de serviço e encorajaram a busca de maior
eficaz e gratuito, livre de qualquer articulação com as distintas reuniões
ingerência, intervenções ou controles ministeriais, reuniões de altas
por parte de outros poderes do Estado. autoridades e grupos especializados do
Comprometeram-se a continuar dando MERCOSUL em matéria político-
impulso à integração fronteiriça em social.
todos os seus âmbitos: educação, saúde,
trabalho, segurança, acesso à justiça,
migração, entre outros. Continuar-se-á II. COMUNICADO CONJUNTO
privilegiando as regiões de fronteira DOS PRESIDENTES DOS
como espaço compartilhado para o ESTADOS PARTES DO
intercâmbio cultural, social e MERCOSUL E BOLÍVIA
econômico entre os povos.
Manifestaram seu firme compromisso Os Presidentes dos Estados Partes do
com a prevenção, o combate e a MERCOSUL, Mauricio Macri, pela
eliminação da fabricação e do tráfico República Argentina; Michel Temer,
ilícitos de armas de fogo, munições, pela República Federativa do Brasil;
explosivos e outros materiais Horacio Cartes, pela República do
relacionados. Salientaram, dessa forma, Paraguai; e Tabaré Vázquez Rosas, pela
as atividades do Grupo de Trabalho República Oriental do Uruguai, bem
sobre Armas de Fogo e Munições do como o Presidente do Estado
MERCOSUL, as quais têm permitido Plurinacional da Bolívia, Evo Morales
aprimorar a coordenação e a cooperação Ayma, reunidos em Brasília, em 21 de
regionais, com vistas a implementar dezembro de 2017, por ocasião da LI
políticas, estratégias e programas Cúpula de Presidentes do MERCOSUL:
comuns e permitir o intercâmbio de
informações e boas práticas. 1. Ratificaram que a plena vigência
Expressaram satisfação com o das instituições democráticas é
entendimento entre as administrações condição essencial para o
aduaneiras de Brasil, Argentina, desenvolvimento do projeto de
Paraguai, Uruguai, Bolívia, Chile e Peru integração. Nesse sentido,
para o desenvolvimento conjunto de um coincidiram na importância do
Programa Regional de Operador acompanhamento da situação
Econômico Autorizado (OEA). democrática dos países da região.
Reafirmaram os termos da
"Declaração dos Presidentes dos 2. Reiteraram seu firme compromisso
Estados Partes do MERCOSUL, da com os princípios que nortearam a
República da Bolívia e da República do criação do MERCOSUL: integração
Chile, assinada em 25 de junho de 1996, econômica e comercial,
em Potrero de los Funes, República fortalecimento da democracia e o
Argentina, denominada "Declaração respeito aos direitos humanos.
sobre as Malvinas", e reiteraram seu 3. Congratularam-se pela adoção do
respaldo aos legítimos direitos da Protocolo de Contratações Públicas
República da Argentina na disputa da do MERCOSUL, acordo que criará
soberania relativa à Questão das Ilhas oportunidades de negócios para as
Malvinas. nossas empresas e beneficiará
nossos trabalhadores, ampliando o
44 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.
universo de fornecedores dos nossos Estrutural do MERCOSUL
órgãos públicos, reduzindo custos e (FOCEM) como ferramenta para a
dotando de maior transparência e redução das assimetrias. Destacaram
competitividade todo o universo das os trabalhos do Grupo "Ad Hoc"
contratações públicas. sobre fortalecimento institucional
4. Saudaram a exitosa conclusão do do FOCEM, que analisa propostas
Plano de Ação para o de complementariedade com
Fortalecimento do MERCOSUL organismos regionais de
Comercial e Econômico, cuja financiamento para o
execução levou a melhorias efetivas desenvolvimento, em particular com
na fluidez do comércio regional, e o Fundo Financeiro para o
reiteraram os compromissos de Desenvolvimento da Bacia do Prata
evitar os entraves ao comércio entre (FONPLATA), de modo a
os países do bloco e de continuar na potencializar e fortalecer o
busca de soluções para os temas mecanismo financeiro do FOCEM.
ainda pendentes. 9. Reafirmaram seu compromisso de
5. Felicitaram-se pela adoção de novo continuar trabalhando na análise de
marco normativo para elaboração e propostas para a incorporação dos
revisão de regulamentos técnicos no setores que ainda não fazem parte
âmbito do MERCOSUL, que do regime de livre comércio do
permitirá alinhar o bloco aos mais MERCOSUL.
avançados padrões e práticas 10. Na área institucional do
internacionais, em benefício dos MERCOSUL, reconheceram o
cidadãos, consumidores e empresas esforço de reestruturação dos órgãos
do MERCOSUL. existentes, com vistas a melhorar a
6. Acolheram com satisfação a eficiência e a racionalizar o uso de
atualização da agenda de trabalho recursos humanos e financeiros, e
do MERCOSUL, que voltou a tratar congratularam-se pela conclusão
de temas relevantes como comércio das negociações para o
eletrônico e liberalização de fortalecimento da Unidade de Apoio
serviços, e deu início, ademais, ao à Participação Social (UPS), com o
tratamento de questões novas e objetivo de assegurar a pluralidade,
prementes, como a proteção a transparência e a adequada gestão
recíproca de indicações geográficas financeira dos mecanismos de
e a facilitação do comércio no participação social no bloco.
MERCOSUL. 11. Tomaram nota, com satisfação, dos
7. Coincidiram na importância de avanços nas discussões do Grupo de
adoção de uma agenda digital do Trabalho para a Adesão da Bolívia
MERCOSUL, que contemple uma ao MERCOSUL, que contribuirão
verdadeira estratégia do bloco, com para acelerar o processo de
o tratamento de temas como incorporação do acervo normativo
economia digital, governo digital e do MERCOSUL ao ordenamento
inovação pública, segurança e jurídico boliviano uma vez que
confiança no ambiente digital, entre em vigor o Protocolo de
infraestrutura e conectividade, assim Adesão da Bolívia ao MERCOSUL.
como coordenação em foros 12. Congratularam-se pelo adensamento
internacionais sobre esses temas. da agenda de negociações
8. Sublinharam a importância extrarregionais do MERCOSUL.
estratégica da continuidade do Destacaram o progresso alcançado
Fundo para a Convergência nas negociações do Acordo de

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 45


Associação Birregional sistema multilateral de comércio e
MERCOSUL-União Europeia ao ao multilateralismo, reiterando que
longo de 2017. Reafirmaram o se trata da melhor resposta para
empenho do MERCOSUL na aproveitar as oportunidades e
conclusão, no mais breve prazo enfrentar os desafios do comércio
possível, de um acordo ambicioso, internacional.
abrangente e equilibrado, em todas 17. Coincidiram em que a presidência
suas dimensões. argentina do G20 constitui
13. Saudaram também o avanço das expressão relevante do
negociações com a Área de Livre compromisso da região com a
Comércio Europeia (EFTA) e dos cooperação internacional, o
entendimentos com os países da multilateralismo e a governança
Associação de Nações do Sudeste global. Sublinharam o papel do
Asiático (ASEAN), bem como com Grupo na promoção do crescimento
as negociações com a Índia, o econômico inclusivo, tendo por
Marrocos e a Tunísia. Destacaram, meta o desenvolvimento sustentável
ainda, as perspectivas de de todos os países.
lançamento de negociações com o
Canadá e com a Coreia do Sul. Expressaram seu reconhecimento ao
14. No relacionamento externo Senhor Presidente da República
intrarregional, saudaram os avanços Federativa do Brasil, Michel Temer, e
no processo de depósito e ao Governo e ao povo brasileiro por sua
internalização do Acordo de hospitalidade e pela dedicação com que
Complementação Econômica Nº 72 realizaram a LI Cúpula do
entre o MERCOSUL e a Colômbia, MERCOSUL.
bem como na execução do Roteiro
de Atividades ("Hoja de Ruta")
entre o MERCOSUL e a Aliança do
Pacífico. Destacaram a realização
da I Reunião de Coordenadores do III. DECLARAÇÃO DE BRASÍLIA
Grupo Mercado Comum e do Grupo SOBRE CORREDORES
de Alto Nível da Aliança do BIOCEÂNICOS
Pacífico, a apresentação pelo
MERCOSUL de proposta de marco Corredor Rodoviário Centro Oeste do
jurídico sobre facilitação do Brasil - Portos do Norte do Chile
comércio e as iniciativas em cadeias
regionais de valor e apoio a 1. Reunidos em Brasília, em 21 de
pequenas e médias empresas. dezembro de 2017, à margem da LI
15. Registraram, igualmente, os Reunião Ordinária do Conselho de
contatos mantidos com o Sistema de Mercado Comum e da Cúpula dos
Integração Centro-Americana Chefes de Estado do Mercosul e
(SICA), com o propósito de realizar, Estados Associados, o Presidente da
proximamente, um encontro para República Argentina, Mauricio
avançar a agenda econômico- Macri; o Presidente da República
comercial entre os dois Federativa do Brasil, Michel Temer;
agrupamentos. o Presidente da República do
16. Destacaram a celebração da 11ª Paraguai, Horacio Cartes; e o
Conferência Ministerial da OMC, Ministro de Relações Exteriores do
organizada pela Argentina, que Chile, Heraldo Muñoz, reiteraram
permitiu reafirmar o apoio ao seu firme compromisso com o

46 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


processo de integração regional, Universidades e da Rede
expressado, entre outras medidas, Empresarial do corredor.
pelo estímulo a uma melhor
conexão entre seus países. O 4. Consideraram que o Corredor
estabelecimento de um corredor Rodoviário Bioceânico deve
rodoviário bioceânico demonstra, de permitir o desenvolvimento
forma concreta, como se pode multidimensional da subregião e
promover a convergência do integrar-se ao resto do mundo a
Mercosul com a Aliança do partir da complementaridade de seus
Pacífico. espaços territoriais.

2. Os Chefes de Estado tomaram 5. Reconheceram que avanços


conhecimento dos importantes importantes foram realizados em
avanços realizados nos dois últimos relação à execução de obras
anos pelo Grupo de Trabalho do públicas e infraestrutura ao longo do
Corredor Rodoviário Campo Corredor. No entanto, ainda se faz
Grande-Porto Murtinho (Brasil) - necessário criar estruturas de apoio
Carmelo Peralta-Mariscal e desenvolver serviços conexos,
Estigarribia-Pozo Hondo (Paraguai) modernos e eficientes,
- Missão La Paz -Tartagal-Jujuy- imprescindíveis para a otimização
Salta (Argentina) -Sico-Jama- do transporte de cargas e o
Puertos de Antofagasta-Mejillones- movimento de pessoas.
Iquique (Chile), criado pela
Declaração de Assunção sobre 6. Nesse sentido, ressaltaram a
Corredores Bioceânicos, aprovada necessidade de que os quatro países
em 21 de dezembro de 2015, disponham de um plano piloto, com
destacando o início, em breve, da o propósito de acelerar os
construção do trecho rodoviário procedimentos aduaneiros e
Carmelo Peralta – Lomo Plata como promover inspeção e controle
resultado de licitação internacional fronteiriço eficiente e eficaz. Esses
realizada pelo Governo do Paraguai. objetivos deverão ser alcançados
Reiteraram, assim, que o objetivo mediante uso de tecnologias
comum é concluir uma conexão modernas e cooperação estreita
viária bioceânica que se distinga por entre os serviços de fronteira. Para
uma gestão fronteiriça moderna, tanto, instruíram o Grupo de
eficiente e ágil, que permita Trabalho para que, em coordenação
viabilizar projetos de integração com os órgãos nacionais
produtiva, gerar novos fluxos de responsáveis, defina, nos próximos
comércio e investimentos, criar doze meses, procedimentos e
mais empregos e promover maior padronizações que permitam a
integração dos territórios ao longo coordenação dos serviços nacionais
do corredor. de fronteira do Corredor em matéria
de segurança, controle zoo e
3. Concordaram que a participação e a fitossanitário e movimento de carga
contribuição dos atores privados, e pessoas. Para a execução dessas
das universidades locais e da medidas, concordaram que os
sociedade civil é fundamental para o quatro países implementem, entre
processo de implementação do outras medidas, o Sistema
corredor bioceânico. Nesse sentido, Informatizado de Trânsito
apoiaram a constituição da Rede de Internacional (SINTIA). No mesmo

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 47


sentido, acordaram desenvolver, por Que um protocolo de contratações
meio da articulação público-privada, públicas representa para o MERCOSUL
uma plataforma eletrônica e outros um instrumento essencial para o
instrumentos que permitam fortalecimento da União Aduaneira,
assegurar o rastreamento da carga visando à construção do Mercado
ao longo do corredor e o Comum do Sul.
monitoramento dos processos Que esse instrumento conferirá a
aduaneiros, a partir da necessária segurança jurídica aos
compatibilidade de informações, agentes econômicos dos Estados Partes.
segundo o modelo de dados Que a criação de novas oportunidades
proposto pela Organização Mundial de negócio para o setor privado
de Aduanas (OMA). contribui para a geração de emprego e
renda.
7. Os mandatários determinaram que o Que a redução de custos para o setor
Grupo de Trabalho inicie um público contribui para o
segundo ciclo de reuniões, com o desenvolvimento econômico-social.
objetivo de monitorar os avanços
logrados na elaboração do referido O CONSELHO DO MERCADO
Plano Piloto e dar cumprimento à COMUM DECIDE:
ação programática adotada no
âmbito da V Reunião de Trabalho, Art. 1°- Aprovar o texto do “Protocolo
realizada em Antofagasta em de Contratações Públicas do
novembro de 2017. Do mesmo MERCOSUL”, que consta como Anexo
modo, instruíram o Grupo de e faz parte da presente Decisão.
Trabalho a elaborar um relatório Art. 2° - Revogar as Decisões CMC N°
sobre o progresso dos trabalhos 27/04 e 23/06.
solicitados no parágrafo 6, o qual Art. 3° - Esta Decisão não necessita ser
será apresentado na VI Reunião do incorporada ao ordenamento jurídico
Grupo de Trabalho, a realizar-se nas dos Estados Partes, por regulamentar
províncias de Salta e Jujuy, no aspectos da organização ou do
primeiro semestre de 2018. funcionamento do MERCOSUL.

LI CMC - Brasília, 20/XII/17.


Brasília, 21 de dezembro de 2017.
ANEXO

PROTOCOLO DE
CONTRATAÇÕES PÚBLICAS DO
IV. PROTOCOLO DE MERCOSUL
CONTRATAÇÕES PÚBLICAS DO
MERCOSUL A República Argentina, a República
Federativa do Brasil, a República do
TENDO EM VISTA: O Tratado de Paraguai e a República Oriental do
Assunção, o Protocolo de Ouro Preto e Uruguai, Estados Partes do
as Decisões Nº 27/04 e 23/06 do MERCOSUL signatários deste Acordo,
Conselho do Mercado Comum. doravante denominados Estados Partes,

CONSIDERANDO: ACORDAM:

Capítulo I

48 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


ÂMBITO DE APLICAÇÃO
PROCEDIMENTO DE EXCEÇÃO:
Artigo 1º – DEFINIÇÕES significa um método de contratação
pública no qual a entidade contratante
CONTRATAÇÃO PÚBLICA: seleciona um fornecedor ou
significa qualquer forma de contratação fornecedores de sua escolha;
de bens ou serviços, incluindo os
serviços de construção, ou uma PESSOA: significa uma pessoa física
combinação deles, realizada por ou uma pessoa jurídica;
entidades dos Estados Partes, com
objetivos governamentais e sem almejar PESSOA FÍSICA: significa um
a revenda comercial ou o uso na nacional ou residente permanente em
produção de bens ou na prestação de qualquer um dos Estados Partes;
serviços para venda comercial, salvo se
especificado de outra forma; PESSOA JURÍDICA: significa
qualquer entidade devidamente
ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS: constituída ou organizada de qualquer
significa um requisito de licitação que outra forma, de acordo com a lei
a) Estabeleça as características: aplicável, seja ela com fins lucrativos
ou de outro tipo, privada ou estatal,
i. os bens que serão contratados, como incluindo qualquer corporação,
qualidade, desempenho, segurança e fideicomisso, sociedade ou joint
dimensões, ou processos e métodos de venture;
produção, ou
ii. dos serviços que serão contratados ou ESCRITO OU POR ESCRITO:
de seus processos e métodos de significa qualquer expressão que
fornecimento, e consiste em palavras, números ou
b) Estabeleça os requisitos de símbolos que possa ser lida, reproduzida
terminologia, símbolos, embalagem, e subsequentemente comunicada. Pode
rótulos ou etiquetagem aplicáveis a bens incluir informações transmitidas e
ou serviços; armazenadas em meios eletrônicos;

PROCEDIMENTO CONDIÇÕES COMPENSATÓRIAS


COMPETITIVO: significa um ESPECIAIS: significa qualquer
procedimento de contratação pública em condição ou compromisso que incentive
que todos os fornecedores interessados o desenvolvimento local ou melhore as
podem apresentar uma oferta, desde que contas da balança de pagamentos de um
atendam às condições pré-estabelecidas Estado Parte, como os requisitos de
nos editais. Esse tipo de procedimento conteúdo local, licenças de tecnologia,
poderia implicar, entre outros, a requisitos de investimento, comércio
possibilidade de convidar um número compensatório ou requisitos
determinado de fornecedores semelhantes;
interessados em apresentar ofertas,
incluindo fornecedores do MEDIDA: significa qualquer lei,
MERCOSUL; e, simultaneamente, regulamento, procedimento ou ato
publicar o aviso em seu portal administrativo que afete a contratação
eletrônico e em qualquer outro meio pública coberta;
considerado oportuno e conveniente,
podendo reduzir-se os prazos de acordo FORNECEDOR: significa uma pessoa
com o ordenamento jurídico vigente em que fornece ou poderia fornecer bens ou
cada Estado Parte; serviços a uma entidade contratante;

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 49


b) à contratação de servidores
AVISO DE CONTRATAÇÃO: públicos;
significa um aviso publicado pela c) aos acordos não contratuais ou a
entidade em que são convidados os qualquer forma de assistência
fornecedores interessados em apresentar governamental fornecida por um
uma solicitação de participação, uma Estado Parte, como quaisquer
oferta ou ambas; bônus, créditos, incentivos fiscais,
subsídios, doações, garantias e
SERVIÇOS: inclui serviços de acordos de cooperação;
construção, salvo especificação em d) às aquisições realizadas com a
contrário; finalidade imediata de prestar
assistência internacional;
SERVIÇO DE CONSTRUÇÃO: e) à aquisição de serviços de
significa serviço cujo objetivo é a agências ou serviços de armazéns
realização, por qualquer meio, de uma alfandegados, serviços de liquidação
obra de engenharia civil ou de e administração para instituições
construção, com base na Divisão 51 da financeiras reguladas e serviços de
Classificação Central Provisória de venda e distribuição de dívida
Produtos das Nações Unidas, doravante pública;
“CPPC”. f) às contratações públicas fora do
território de um Estado Parte para
Artigo 2º – ÂMBITO DE consumo fora do território do
APLICAÇÃO Estado Parte;
g) à contratação de serviços
1. Este Protocolo é aplicável às financeiros;
contratações públicas realizadas h) à aquisição ou ao arrendamento
pelas entidades listadas no Anexo I de terras, ao aluguel de edificações
“Entidades”, por qualquer meio ou de outros bens imóveis, ou seus
contratual, para a aquisição de bens direitos;
e serviços listados nos Anexos II i) às contratações realizadas em
“Bens”, III “Serviços” e IV virtude dos procedimentos ou
“Serviços de Construção”, condições particulares de uma
respectivamente, cujo valor seja organização internacional, ou do
igual ou superior aos patamares financiamento por meio de doações
estabelecidos no Anexo V internacionais, empréstimos ou
“Patamares” sem prejuízo do outras formas de assistência, quando
disposto no Anexo VI “Notas os procedimentos ou condições
Gerais”. aplicáveis forem incompatíveis com
este Protocolo.
2. Todos os Anexos deste Protocolo
constituem parte integrante deste.
Artigo 3º – PRINCÍPIOS GERAIS
3. Este Protocolo não é aplicável:
1. Os processos de contratações
públicas de bens e serviços deverão
a) às contratações públicas
ser realizados de forma
realizadas pelas Entidades Públicas
transparente, observando os
entre si, definidas ou não no Anexo
princípios básicos de legalidade,
I “Entidades”, sempre que o objeto
objetividade, imparcialidade,
contratado não seja subcontratado a
igualdade, devido processo legal,
um terceiro que não uma Entidade
Pública;

50 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


publicidade, concorrência e demais prazo não esteja determinado,
princípios correspondentes. valorá-los de acordo com os
2. Os processos de contratações critérios estabelecidos no
públicas de bens e serviços serão ordenamento jurídico vigente em
orientados para promover o cada Estado Parte para cada
desenvolvimento sustentável dos modalidade contratual ou, na
Estados Partes. ausência de legislação específica,
3. Nenhum dos Estados Partes pode será tomado como base o valor
elaborar, projetar ou estruturar mensal estimado multiplicado por
qualquer contratação pública com o quarenta e oito (48).
propósito de eximir-se das
obrigações deste Protocolo.
4. Nenhuma disposição deste 2. Não poderá fracionar-se a licitação
Protocolo impedirá um Estado Parte nem utilizar-se método de valoração
de desenvolver novas políticas de com a finalidade de impedir a
contratação pública, procedimentos aplicação deste Protocolo.
ou modalidades contratuais, sempre
que não forem incompatíveis com Capítulo II
as disposições deste Protocolo. OBRIGAÇÕES E DISCIPLINAS
GERAIS
Artigo 4º – VALORAÇÃO DOS
CONTRATOS Artigo 5º – TRATAMENTO DE
NAÇÃO MAIS FAVORECIDA
1. Ao calcular o valor de uma
contratação pública com o propósito No que diz respeito às disposições
de determinar se corresponde a uma estabelecidas neste Protocolo, cada
contratação coberta, uma entidade: Estado Parte concederá imediata e
incondicionalmente aos bens, serviços e
aos fornecedores e prestadores de
a) incluirá o cálculo do valor total qualquer outro Estado Parte tratamento
máximo estimado ao longo de toda não menos favorável do que aquele que
a sua duração, incluindo as tenha concedido aos bens, serviços e
prorrogações previstas, levando em aos fornecedores e prestadores de
consideração todas as formas de qualquer outro Estado Parte ou de
remuneração, como bônus, quotas, terceiros países, de acordo ao
honorários, comissões e juros estabelecido no Anexo IX “Tratamento
estipulados na contratação pública; de Nação Mais Favorecida”.

b) deverá, nos contratos adjudicados Artigo 6º – TRATAMENTO


em partes separadas, bem como nos NACIONAL E NÃO
de execução contínua, basear seu DISCRIMINAÇÃO
cálculo no valor máximo total
estimado durante todo o período de 1. Com relação a qualquer medida
vigência, incluindo suas eventuais coberta por este Protocolo, cada
prorrogações expressamente Estado Parte concederá imediata e
autorizadas nos contratos ou no incondicionalmente aos bens e
ordenamento jurídico vigente em serviços dos outros Estados Partes e
cada Estado Parte; aos fornecedores dos outros Estados
Partes que forneçam bens e serviços
c) deverá, no caso de contratos cujo de qualquer Estado Parte um
tratamento não menos favorável que
Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 51
o tratamento mais favorável que o Um Estado Parte poderá denegar os
referido Estado Parte conceda a seus benefícios derivados deste Protocolo a
próprios bens, serviços e um prestador de serviços de outro
fornecedores. Estado Parte, mediante notificação
prévia, se esse prestador:
2. Com relação a qualquer medida a) for uma pessoa jurídica de outro
coberta por este Protocolo, nenhum Estado Parte que não realiza operações
Estado Parte poderá discriminar: comerciais substanciais no território de
qualquer outro Estado Parte, ou
a) um fornecedor ou prestador b) for uma pessoa que presta o serviço
estabelecido em qualquer um dos de um território que não seja de um
Estados Partes por seu grau de Estado Parte.
afiliação ou propriedade estrangeira,
nem Artigo 9º – CONDIÇÕES
b) um fornecedor ou prestador COMPENSATÓRIAS ESPECIAIS
estabelecido em seu território pelo
fato de os bens ou serviços Com relação às contratações cobertas,
oferecidos por esse fornecedor ou as entidades não poderão considerar,
prestador, para uma contratação solicitar nem impor condições
específica, serem os bens ou compensatórias especiais em nenhuma
serviços dos outros Estados Partes. etapa de uma contratação pública.

3. Este Artigo não se aplica: Artigo 10 – ESPECIFICAÇÕES


TÉCNICAS
a) aos direitos aduaneiros, incluindo
as tarifas ou outros encargos de 1. As especificações técnicas que
qualquer tipo que sejam impostos à estabelecerem as características dos
importação ou que estejam a ela bens e serviços objeto da
relacionados, ao método de contratação, bem como as
arrecadação desses impostos e prescrições relativas aos
encargos, nem a outras procedimentos de avaliação da
regulamentações de importação, conformidade, não serão elaboradas,
incluindo as restrições e adotadas nem aplicadas para anular
formalidades; ou limitar a concorrência, criar
b) às medidas que afetam o obstáculos desnecessários à
comércio de serviços, negociação nem discriminar os
diferentemente das medidas que fornecedores.
regem especificamente a 2. As especificações técnicas serão
contratação pública coberta por este elaboradas em função das
Protocolo. propriedades de uso e aplicação dos
bens e da finalidade do serviço, e
Artigo 7º – REGIME DE ORIGEM incluirão requisitos objetivos que
sejam essenciais para a realização
Para fins do tratamento previsto no do objeto da contratação.
Artigo 6º “Tratamento Nacional e Não 3. As especificações técnicas deverão
Discriminação”, a determinação de fazer referência, sempre que
origem dos bens será realizada em uma adequado, a normas do
base não preferencial. MERCOSUL, a normas técnicas da
Associação MERCOSUL de
Artigo 8º – DENEGAÇÃO DE Normalização (AMN) ou a normas
BENEFÍCIOS internacionais, se houver, ou, caso

52 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


contrário, a normas nacionais 1. Os Estados Partes não divulgarão
reconhecidas ou a regulamentos informações confidenciais sem a
técnicos nacionais. autorização por escrito do
4. Os Estados Partes garantirão que as fornecedor que as concedeu quando
especificações técnicas a serem essa divulgação puder prejudicar os
estabelecidas pelas empresas não interesses comerciais legítimos de
exigirão nem farão referência a determinada pessoa ou puder
nenhuma marca ou nome comercial, prejudicar uma concorrência justa
patente, design ou tipo, origem entre os fornecedores.
específica nem fornecedor ou 2. Os Estados Partes não fornecerão
prestador, a não ser que seja informações privilegiadas sobre
indispensável ou que não haja outra uma contratação pública de forma a
maneira suficientemente precisa ou impedir o caráter competitivo do
abrangente de descrever os processo licitatório.
requisitos da contratação, e, nesses
casos, deve-se incluir no edital da Artigo 13 – EXCEÇÕES GERAIS
licitação expressões como “ou 1. Nenhuma disposição neste
equivalente”. Protocolo será interpretada no
sentido de impedir que um Estado
5. Cada um dos Estados Partes Parte adote medidas que considera
garantirá que suas entidades não necessárias para proteger seus
solicitarão nem aceitarão de interesses essenciais em matéria de
nenhuma pessoa que tenha interesse contratações relativas à segurança e
comercial no contrato à defesa nacional.
assessoramento passível de ser 2. Nenhuma disposição deste
utilizado na preparação das Protocolo será interpretada no
especificações técnicas do contrato sentido de impedir que um Estado
com a finalidade de anular ou Parte estabeleça ou mantenha as
limitar a concorrência. medidas necessárias para proteger a
moral, a ordem e a segurança
Artigo 11 – TRANSPARÊNCIA pública, a vida ou a saúde humana,
animal ou vegetal, incluindo as
Com o objetivo de assegurar a medidas ambientais, e para proteger
transparência nas contratações e a propriedade intelectual ou os bens
supervisioná-las de maneira eficaz: ou serviços de pessoas com
a) cada Estado Parte publicará e deficiência, de instituições
disponibilizará todas as leis, beneficentes ou de trabalho
regulamentos, resoluções penitenciário, sempre que essas
administrativas de aplicação geral, medidas não forem aplicadas de
procedimentos de aplicação específica, modo a constituir um meio de
bem como suas modificações, referentes discriminação arbitrária ou
às contratações públicas cobertas neste injustificável, ou que impliquem
Protocolo. uma restrição dissimulada do
b) cada um dos Estados Partes coletará comércio entre os Estados Partes.
estatísticas e disponibilizará ao Grupo
Mercado Comum um relatório anual Capítulo III
sobre os contratos adjudicados REGRAS E PROCEDIMENTOS
conforme os critérios a serem adotados. Artigo 14 – PROCEDIMENTOS
Artigo 12 – DIVULGAÇÃO DE
INFORMAÇÕES
Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 53
De acordo com as regras estabelecidas c) para entregas ou prestações
neste Protocolo, as entidades adicionais do fornecedor inicial de bens
adjudicarão seus contratos por meio de ou serviços não incluídos na contratação
procedimentos competitivos ou pública inicial, quando a mudança de
procedimentos de exceção, incluindo os fornecedor desses bens ou serviços
de contratação direta, nos casos adicionais:
previstos no Artigo 15 “Regras e i. não puder ser realizada por motivos
Procedimentos de Exceção às Licitações econômicos ou técnicos, como
Públicas”. requisitos de permutabilidade ou
compatibilidade com equipamentos,
Artigo 15 – REGRAS E programas de informática, serviços ou
PROCEDIMENTOS DE EXCEÇÃO instalações existentes objeto da
ÀS LICITAÇÕES PÚBLICAS contratação inicial; e
ii. puder causar inconvenientes
1. Sempre que esta disposição não for significativos ou uma duplicação
utilizada para impedir a concorrência relevante dos custos para a entidade
entre fornecedores ou de forma que contratante;
discrimine os fornecedores de outro d) quando estritamente necessário, por
Estado Parte ou proteja os fornecedores motivos de extrema urgência
nacionais, uma entidade contratante decorrentes de acontecimentos
poderá utilizar outros procedimentos de imprevistos para a entidade contratante,
contratação apenas nas seguintes os bens ou serviços não puderem ser
circunstâncias: obtidos oportunamente, e o uso desses
a) quando: procedimentos puder resultar em um
i. nenhuma oferta tiver sido apresentada prejuízo grave para a entidade
ou nenhum fornecedor houver solicitado contratante;
participação; e) para aquisições de bens em um
ii. nenhuma oferta que atenda aos mercado de commodities;
requisitos essenciais exigidos nos f) quando uma entidade contratante
editais de licitação tiver sido adquirir um primeiro bem em
apresentada; quantidade limitada ou um protótipo, ou
iii. nenhum fornecedor houver atendido contratar um serviço desenvolvido
às condições de participação; ou mediante solicitação durante e para um
iv. tenha havido colusão na contrato específico de pesquisa,
apresentação de ofertas; experimento, estudo ou
e sempre que os requisitos dos editais desenvolvimento original, incluindo os
não forem substancialmente insumos para tanto, quando estes forem
modificados; adquiridos pela entidade contratante.
b) quando os bens ou serviços puderem Uma vez que esses contratos sejam
ser fornecidos somente por um cumpridos, as contratações posteriores
fornecedor particular e não existir uma desses bens ou serviços estarão sujeitas
alternativa razoável ou bem ou serviço ao disposto neste Protocolo;
substituto devido a quaisquer dos g) quando um contrato for adjudicado
seguintes motivos: ao vencedor de um concurso de projeto,
i. a solicitação for para realização ou sempre que:
restauração de uma obra de arte; i. o concurso tiver sido organizado de
ii. proteção de patentes, direitos autorais maneira coerente com os princípios
ou outros direitos exclusivos de deste Protocolo, principalmente a
propriedade intelectual; ou respeito da publicação do aviso de
iii. devido à ausência de concorrência contratação pública; e
por motivos técnicos;
54 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.
ii. os participantes forem qualificados atenderam às condições de participação
ou avaliados por um júri ou órgão em uma contratação pública coberta por
independente. este Protocolo.
d) comuniquem prontamente a qualquer
2. Uma entidade contratante deverá fornecedor que se tenha apresentado à
manter registros ou elaborar um qualificação a decisão de se este foi
relatório escrito para cada contrato considerado qualificado. Quando uma
adjudicado de acordo com este Artigo, entidade rejeitar uma solicitação de
de maneira coerente com o Artigo 22 qualificação ou deixar de reconhecer um
“Publicação dos Resultados das fornecedor qualificado, essa entidade
Licitações”. Quando um Estado Parte deverá, a pedido do fornecedor,
elaborar relatórios escritos de acordo conceder-lhe prontamente uma
com este parágrafo, estes incluirão o explicação por escrito sobre os motivos
nome da entidade contratante, o valor e de sua decisão.
a natureza dos bens ou serviços
contratados e uma justificativa 2. Poderá ser exigida dos prestadores a
indicando as circunstâncias e as comprovação de experiência anterior
condições descritas neste Artigo que compatível com o objeto da contratação,
justifiquem a utilização de outros em característica e quantidade, inclusive
procedimentos de contratação diferentes com respeito às instalações, aos
dos procedimentos competitivos. equipamentos e ao pessoal técnico
Quando um Estado Parte mantiver disponível para a execução do contrato,
registros, estes devem indicar as quando a complexidade do serviço
circunstâncias e as condições descritas exigir.
neste Artigo que justifiquem a
utilização de outros procedimentos de 3. Nenhuma entidade poderá impor
contratação diferentes dos como condição para que um fornecedor
procedimentos competitivos. possa participar de uma contratação
pública coberta por este Protocolo a
Artigo 16 – CONDIÇÕES DE adjudicação prévia de um ou mais
PARTICIPAÇÃO contratos por uma entidade desse
Estado Parte ou que esse fornecedor
1. Cada Estado Parte deverá garantir tenha experiência prévia de trabalho no
que suas entidades: território desse Estado Parte.
a) limitem as condições de participação
àquelas essenciais para garantir que 4. Nenhuma das disposições incluídas
qualquer fornecedor tenha capacidade nos parágrafos acima impedirá que uma
legal, comercial, técnica e financeira entidade exclua um fornecedor por
para atender os requisitos técnicos de motivos como falência, liquidação ou
contratação pública, que serão avaliados insolvência, declarações falsas ou
com base nas atividades comerciais descumprimento de obrigações fiscais
globais de negociação do fornecedor. dentro de um processo de contratação
b) tomem como base para suas decisões pública, deficiências significativas no
sobre a qualificação dos eventuais cumprimento de uma obrigação sujeita
fornecedores somente as condições de a um contrato anterior ou sanções que o
participação especificadas com tornem inapto para celebrar contratos
antecedência nos avisos ou editais de com entidades dos Estados Partes.
licitação; e
c) reconheçam como qualificados todos
os fornecedores dos Estados Partes que

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 55


Artigo 17 – LISTAS OU qualquer um dos Estados Partes contem
REGISTROS DE FORNECEDORES com todas as informações necessárias
E ACESSO A ESTES para participar desse processo de
contratação.
1. Os Estados Partes que utilizarem as 2. Para cada contratação pública coberta
listas ou os registros permanentes de por este Protocolo, a entidade deverá
fornecedores de bens ou prestadores de publicar com antecedência um aviso
serviços qualificados garantirão que: convidando os fornecedores
a) os fornecedores de outro Estado Parte interessados a apresentar ofertas ou,
possam solicitar sua inscrição, sempre que adequado, solicitar a
qualificação ou habilitação nas mesmas participação na contratação pública,
condições que os fornecedores e com exceção do disposto no Artigo 15
prestadores nacionais; “Regras e Procedimentos de Exceção às
b) as informações e os requisitos de Licitações Públicas”. Cada um desses
acesso a essas listas ou registros estejam avisos estará acessível durante todo o
disponíveis publicamente; período estabelecido para a
c) caso um fornecedor solicite sua apresentação de ofertas da contratação
inclusão nessas listas ou registros, o pública correspondente.
procedimento de inscrição será iniciado 3. Os avisos de contratação serão
prontamente e será permitido que o publicados e deverão conter os
fornecedor participe da contratação elementos informativos necessários para
pública sempre que existir tempo permitir que os interessados avaliem seu
suficiente para concluir todos os interesse em participar da contratação
procedimentos de qualificação dentro pública, incluindo, no mínimo:
do prazo estabelecido para a a) nome e endereço da entidade
apresentação de ofertas; contratante, incluindo, se possível,
d) todos os fornecedores incluídos nas número de telefone e endereço de
listas ou registros sejam notificados correio eletrônico;
sobre a suspensão temporária ou o b) tipo de procedimento de licitação;
cancelamento dessas listas ou registros c) síntese de seu objeto: tipo de bem ou
ou de sua exclusão destes. serviço, incluindo a natureza e a
quantidade, bem como o local de
2. Quando for exigida a inclusão de um execução no caso de prestação de
fornecedor de bens ou serviços em uma serviço;
lista ou registro de fornecedores ou d) forma, local, data e horário em que os
prestadores, o objetivo não deverá ser interessados poderão ter acesso ao texto
outro que não a comprovação da completo do edital, bem como às
idoneidade para celebrar contratos com informações adicionais sobre o
o Estado, sem impedir a entrada dos processo;
interessados de qualquer outro Estado e) custo do edital e forma de
Parte. pagamento, se for o caso;
f) as datas de entrega dos bens ou
serviços a serem contratados ou a
Artigo 18 – PUBLICAÇÃO DOS
duração do contrato, a não ser que essas
AVISOS DE CONTRATAÇÃO
informações sejam incluídas nos editais
1. Cada Estado Parte garantirá que suas de licitação;
entidades farão uma divulgação efetiva g) local, data e horário de entrega e
das oportunidades de licitação geradas abertura das ofertas.
pelo processo de contratações públicas, 4. Os avisos de contratação e a
de forma que os interessados de informação para participar em

56 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


contratações públicas serão publicados estabelecido no parágrafo 2º deste
no diário oficial nacional ou em outro Artigo.
meio de grande circulação, inclusive 4. Um Estado Parte poderá estabelecer
pelos meios eletrônicos especificados que uma de suas entidades reduza em
no Anexo VII “Publicação de cinco (5) dias corridos o prazo para
Informação”. apresentação de ofertas estabelecido no
5. Uma vez publicado o aviso de parágrafo 2º deste Artigo, por cada uma
contratação, qualquer alteração no edital das seguintes circunstâncias, quando:
implicará a obrigação de publicar um a) o aviso de contratação futura for
novo aviso com as mesmas publicado por meio eletrônico;
características da publicação anterior e o b) todos os editais de contratação
reinício dos prazos de regulamentação, estejam à disposição do público por
exceto quando a alteração meio eletrônico na data de publicação
inquestionavelmente não afetar a do aviso de contratação; ou
elaboração das ofertas. c) as ofertas possam ser recebidas por
6. Visando a melhorar o acesso a seu meio eletrônico pela entidade
mercado de compras públicas, cada contratante.
Estado Parte procurará implementar um 5. A aplicação dos parágrafos 3º e 4º
sistema eletrônico único de informações deste Artigo não poderá resultar na
para a divulgação dos avisos de suas redução dos prazos estabelecidos no
respectivas entidades. parágrafo 2º deste Artigo para menos de
dez (10) dias corridos contados da data
Artigo 19 – PRAZOS de publicação do aviso de contratação.

1. Cada entidade proporcionará aos Artigo 20 – EDITAL DE


provedores tempo suficiente para LICITAÇÃO
preparar e apresentar ofertas adequadas,
tendo em conta a natureza e a 1. O edital de licitação estará à
complexidade da contratação pública. disposição do público a partir da
2. Cada entidade concederá um prazo primeira data de publicação do aviso,
mínimo de vinte e cinco (25) dias seja para adquiri-lo ou consultá-lo sem
corridos entre a data da publicação do custo, e deverá conter todas as
aviso de contratação pública e a data informações necessárias para que os
final para a apresentação das ofertas. licitantes possam apresentar suas ofertas
3. Sem prejuízo do disposto no corretamente, incluindo pelo menos os
parágrafo 2º deste Artigo, as entidades seguintes itens:
poderão estabelecer um prazo inferior, a) nome e endereço da entidade
porém, em nenhuma hipótese, inferior a licitante;
dez (10) dias corridos, quando: b) procedimento de licitação;
a) tratar-se de contratação de bens ou de c) objeto da contratação prevista,
simples e objetiva especificação, cujos incluindo a natureza e a quantidade dos
padrões de rendimento e qualidade bens ou serviços a serem adquiridos;
podem ser definidos de maneira quando a quantidade for desconhecida,
objetiva por meio de especificações indicar a quantidade estimada ou os
habituais de mercado, que serviços de construção a serem
razoavelmente leve a um esforço menor executados e as exigências a serem
na preparação das ofertas; atendidas, incluindo as especificações
b) por motivos de urgência devidamente técnicas, os certificados de
justificados pela entidade, não seja conformidade, planos, projetos e
possível cumprir o prazo mínimo instruções que forem necessários;

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 57


d) condições para a participação na que participe da contratação, sempre
licitação, entre as quais estejam: que as referidas informações não
i. garantias; ofereçam a esse fornecedor uma
ii. comprovação de idoneidade jurídica vantagem sobre seus concorrentes na
e fiscal e da qualificação técnica e contratação e que a solicitação seja
econômico-financeira, no caso de bens e apresentada dentro dos prazos
serviços, quando necessário; correspondentes.
e) forma e idioma de apresentação das
ofertas; 3. As entidades licitantes poderão exigir
f) moeda para a apresentação das ofertas dos fornecedores uma garantia de
e para o pagamento; manutenção da oferta, bem como ao
g) sanções por descumprimento fornecedor vencedor as garantias da
contratual; execução.
h) local, dia e hora para o recebimento 4. Quando uma entidade modificar os
da documentação e da oferta; critérios mencionados no parágrafo 1º
i) a data ou o período para a entrega dos deste Artigo antes da data limite
bens ou a duração do contrato; acordada para a apresentação das
j) critérios de avaliação das ofertas, ofertas, deverá enviar essas
inclusive qualquer outro fator que não o modificações por escrito:
preço. Também, se for o caso, deverá a) a todos os fornecedores que
constar uma explicação clara da fórmula estiverem participando da contratação
de ponderação dos fatores utilizados pública no momento da modificação
para a seleção das ofertas; dos critérios, caso sejam conhecidas as
k) local, dia e hora para a abertura das identidades desses fornecedores, e nos
ofertas; demais casos, da mesma forma como
l) anexos que contenham, quando foram enviadas as informações
necessário: originais; e
i. projeto básico e/ou executivo; b) com tempo suficiente para que os
ii. orçamento estimado; fornecedores modifiquem e apresentem
iii. modelo do contrato a ser assinado novamente suas ofertas, de acordo com
entre as partes; e o parágrafo 5° do Artigo 18, conforme
iv. as especificações complementares e aplicável.
as normas de execução relevantes para a
licitação: Artigo 21 – TRATAMENTO DAS
m) prazo de validade das ofertas, a OFERTAS E ADJUDICAÇÃO DOS
partir do qual os licitantes ficarão CONTRATOS
liberados dos compromissos assumidos;
n) condições de pagamento, bem como
1. Cada entidade receberá, abrirá e
qualquer outra disposição e condição;
tratará todas as ofertas conforme os
o) indicação da legislação específica
procedimentos que garantam a
relacionada à contratação e aos
igualdade e a imparcialidade no
procedimentos recursais.
processo de contratação pública e
concederá tratamento confidencial às
2. Uma entidade contratante deverá
ofertas, pelo menos até sua abertura.
fornecer prontamente, mediante
solicitação prévia, a documentação das
2. Uma entidade não penalizará nenhum
condições de licitação a qualquer
fornecedor cuja oferta seja recebida
fornecedor que participe da contratação,
depois do prazo especificado para o
e responder a qualquer solicitação de
recebimento das ofertas quando o atraso
informações por parte de um fornecedor
for exclusivamente atribuível à

58 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


negligência da entidade. 9. Uma entidade não poderá cancelar
uma contratação pública, nem rescindir
3. A fim de ser considerada para uma ou modificar um contrato adjudicado, a
adjudicação, cada entidade exigirá que fim de esquivar-se das obrigações deste
as ofertas sejam apresentadas por Protocolo.
escrito e que, no momento da abertura
das ofertas: Artigo 22 – PUBLICAÇÃO DOS
a) sejam ajustadas aos requisitos RESULTADOS DAS
essenciais contidos no edital de CONTRATAÇÕES
licitação, e
b) procedam de um fornecedor que 1. Os Estados Partes garantirão que suas
tenha atendido às condições de entidades farão uma divulgação eficaz
participação. dos resultados dos processos de
4. A oferta apresentada pelo fornecedor contratações públicas.
deverá incluir todos os custos que
integrem o valor final da contratação. 2. As entidades deverão disponibilizar a
5. A entidade adjudicará o contrato ao todos os fornecedores todas as
fornecedor que esta determine que informações relativas ao procedimento
atende as condições de participação, que de contratação e, em especial, aos
esteja plenamente capacitado para fundamentos da adjudicação e das
cumprir o contrato e cuja oferta seja características relacionadas à oferta
considerada a mais vantajosa vencedora. Mediante solicitação prévia,
unicamente com base nos requisitos e uma entidade informará a um
nos critérios de avaliação especificados fornecedor cuja oferta não tenha sido
no edital de licitação, a menos que a selecionada para a adjudicação os
entidade determine que essa motivos para não selecionar sua oferta
adjudicação vá contra o interesse ou as vantagens relativas da oferta
público. selecionada pela entidade.
6. Caso uma entidade contratante receba
uma oferta cujo preço seja 3. Uma vez assinado o contrato, as
anormalmente mais baixo que os preços entidades publicarão, se possível, o
das demais ofertas apresentadas, a próprio contrato ou as informações
entidade poderá verificar se o sobre a contratação, incluindo: nome do
fornecedor reúne as condições para fornecedor ou prestador favorecido,
participar e se tem competência para valor, período de vigência e objeto do
cumprir o estabelecido no contrato. contrato, nome e localização da
entidade contratante e o tipo de
7. Se, por qualquer motivo atribuível ao procedimento de contratação utilizado.
adjudicatário, o contrato não se
perfectibilize ou o adjudicatário não 4. As entidades publicarão essas
apresentar garantia efetiva ou não informações no diário oficial nacional
cumprir o contrato, este poderá ser ou em outro meio de divulgação oficial
adjudicado para a seguinte melhor nacional de fácil acesso para os
oferta, e assim sucessivamente, desde fornecedores, prestadores e outros
que permitido pela legislação de cada Estados Partes. Os meios de divulgação
Estado Parte. serão especificados no Anexo VII
8. A entidade contratante poderá “Publicação da Informação”. Os
declarar nulas ou recusar todas as Estados Partes buscarão disponibilizar
ofertas, quando aplicável. essas informações para o público por
meio eletrônico.

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 59


Artigo 23 – RECURSOS decisões relacionadas à impugnação,
com uma explicação dos fundamentos
1. Cada Estado Parte deverá garantir um de cada decisão.
procedimento administrativo ou judicial 5. Cada Estado Parte adotará ou
de análise que seja adequado, eficaz, manterá os procedimentos que
transparente, não discriminatório e em estabeleçam:
conformidade com o princípio do a) medidas provisórias rápidas para
devido processo legal, por meio do qual preservar a possibilidade de o
o fornecedor possa apresentar fornecedor participar da contratação
impugnações, sob a alegação de pública e que sejam aplicadas pela
descumprimento deste Protocolo, que entidade contratante ou pela autoridade
surjam no contexto das contratações imparcial referida no parágrafo 2º deste
públicas cobertas nas quais o fornecedor Artigo. Essas medidas poderão ter como
tenha ou tivesse interesse. efeito a suspensão do processo de
2. Cada Estado Parte estabelecerá ou contratação. Os procedimentos poderão
manterá no mínimo uma autoridade prever a possibilidade de se considerar
administrativa ou judicial imparcial, as consequências desfavoráveis
independente de suas entidades predominantes para os interesses
contratantes, para receber e analisar afetados, incluído o interesse público,
uma impugnação apresentada por um ao decidir se essas medidas deverão ser
fornecedor em uma contratação pública aplicadas. Será apresentada por escrito a
coberta, e proferir as decisões e razão pela qual essas medidas não serão
recomendações relevantes. adotadas; e
b) medidas corretivas ou uma
3. Quando um órgão diferente da compensação pelas perdas ou danos e
autoridade mencionada no parágrafo 2º prejuízos sofridos quando um órgão de
deste Artigo inicialmente analisar uma análise determinar a existência de um
impugnação, o Estado Parte garantirá descumprimento mencionado no
que o fornecedor poderá apelar da parágrafo 1º deste Artigo, de acordo
decisão inicial perante uma autoridade com o ordenamento jurídico vigente em
administrativa ou judicial imparcial, que cada Estado Parte.
seja independente da entidade
contratante cuja contratação seja objeto Capítulo IV
da impugnação. DISPOSIÇÕES INSTITUCIONAIS

4. Sem prejuízo dos outros Artigo 24 – SOLUÇÃO DE


procedimentos de impugnação CONTROVÉRSIAS
organizados ou desenvolvidos por cada
um dos Estados Partes, cada Estado As controvérsias que poderão surgir
Parte garantirá o que segue: entre os Estados Partes com relação à
a) prazo suficiente para que o aplicação, interpretação ou
fornecedor prepare e apresente descumprimento dos compromissos
impugnações por escrito, o qual, em estabelecidos neste Protocolo serão
hipótese alguma, será inferior a sete (7) resolvidas em conformidade com os
dias corridos, a partir do momento em procedimentos e mecanismos de
que o ato ou omissão motivo da solução de controvérsias vigentes no
impugnação seja informado ao MERCOSUL.
fornecedor ou que, razoavelmente,
deveria ter sido conhecido por ele; Artigo 25 – CONSERVAÇÃO E
b) a entrega expedita e por escrito das ACESSO ÀS INFORMAÇÕES

60 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


1. A documentação referente aos fornecedores;
processos de contratação pública deverá c) facilitação da participação de
ser conservada por no mínimo cinco (5) fornecedores dos Estados Partes na
anos. contratação pública coberta,
2. Um Estado Parte poderá solicitar principalmente das Micro, Pequenas e
informações adicionais sobre a Médias Empresas (MPME’s);
adjudicação do contrato, principalmente d) reconhecimento mútuo da
a respeito de ofertas não selecionadas, documentação equivalente para os
para determinar se uma contratação foi procedimentos de qualificação de
realizada de forma coerente com as fornecedores;
disposições deste Protocolo. Para esse e) desenvolvimento e uso de meios
efeito, o Estado Parte da entidade eletrônicos de informação nos sistemas
contratante fornecerá as informações de contratação pública;
sobre as características e vantagens f) capacitação e assistência técnica aos
relacionadas à oferta vencedora e ao fornecedores em termos de acesso ao
preço do contrato. O Estado Parte mercado da contratação pública;
solicitante não poderá revelar essas g) fortalecimento institucional para o
informações adicionais, salvo cumprimento deste Protocolo, incluindo
consentimento prévio do Estado Parte a capacitação de funcionários públicos;
que forneceu as informações. e
h) criação de um portal único do
Artigo 26 – COOPERAÇÃO MERCOSUL, no qual serão publicados
TÉCNICA ENTRE OS ESTADOS todos os avisos de contratação de cada
PARTES um dos Estados Partes.

1. Os Estados Partes trabalharão 3. Os Estados Partes notificarão o


conjuntamente para: Subgrupo de Trabalho Nº 16
a) desenvolver atividades de cooperação “Contratações Públicas” (SGT Nº 16)
com o objetivo de atingir um melhor sobre a realização de qualquer atividade
entendimento de seus respectivos de cooperação.
sistemas de contratação pública e
melhorar o acesso a seus respectivos Artigo 27: FACILITAÇÃO DA
mercados; PARTICIPAÇÃO DE MICRO,
b) avançar em direção à integração de PEQUENAS E MÉDIAS
seus sistemas e à convergência de seus EMPRESAS (MPME’s)
procedimentos.
1. Os Estados Partes reconhecem que as
2. As atividades de cooperação incluirão MPME’s contribuem de maneira
temas como: relevante para o crescimento econômico
a) intercâmbio de experiências e e o emprego, motivo pelo qual é
informações, incluindo marco importante facilitar sua participação na
regulatório, melhores práticas e contratação pública.
estatísticas; bem como todas as 2. Os Estados Partes também
informações a respeito de programas de reconhecem a importância das alianças
capacitação e orientação desenvolvidos empresariais entre seus fornecedores e
em termos de contratações públicas, principalmente das MPME’s, incluindo
visando à participação de outros a participação conjunta nos
Estados Partes nesses procedimentos de contratação.
empreendimentos; 3. Quando um Estado Parte mantiver
b) intercâmbio de listas de medidas que ofereçam um tratamento

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 61


preferencial para suas MPME’s, este existente antes da modificação, exceto
garantirá que essas medidas, incluindo pelo disposto nos parágrafos 2º e 3º
os critérios de elegibilidade, serão deste Artigo; e
objetivas e transparentes. c) os outros Estados Partes não se
4. Os Estados Partes fornecerão, caso opuserem por escrito em um prazo
estejam disponíveis, as informações a de quarenta e cinco (45) dias corridos
respeito de suas medidas utilizadas para após essa notificação.
auxiliar, promover, fomentar ou facilitar 2. Qualquer Estado Parte poderá fazer
a participação das MPME’s na atualizações de natureza meramente
contratação pública. formal em suas listas contidas no Anexo
5. Para facilitar a participação das I “Entidades”, sempre que não afetarem
MPME’s na contratação pública a cobertura mutuamente acordada no
coberta, cada Estado Parte, na medida Protocolo, tais como:
do possível: a) alteração no nome de uma entidade
a) fornecerá as informações listada no Anexo I “Entidades”,
relacionadas à contratação pública que b) incorporação de duas ou mais
inclua uma definição das MPME’s em entidades listadas no Anexo I
um portal eletrônico; “Entidades”; e
b) garantirá que os documentos de c) separação de uma entidade listada no
contratação estejam disponíveis Anexo I “Entidades” em duas ou mais
gratuitamente; entidades adicionadas ao Anexo I
c) identificará as MPME’s interessadas “Entidades”.
em se tornarem parceiras comerciais de Os ajustes mencionados no presente
outras empresas no território dos outros parágrafo somente poderão ser
Estados Partes; realizados se notificados aos outros
d) desenvolverá bases de dados sobre as Estados Partes por escrito, e estes não se
MPME’s em seu território para serem opuserem por escrito dentro de quarenta
utilizadas por entidades de outros e cinco (45) dias corridos após a
Estados Partes; e notificação. O Estado Parte que fizer
e) realizará outras atividades destinadas essas atualizações não será obrigado a
a facilitar a participação das MPME’s fornecer ajustes compensatórios.
nas contratações públicas cobertas por 3. Um Estado Parte não precisará
este Protocolo. fornecer ajustes compensatórios quando
a modificação proposta às suas listas
Capítulo V contidas no Anexo I “Entidades”
DISPOSIÇÕES FINAIS abranger uma entidade que deixou de
estar efetivamente sob o seu controle ou
Artigo 28 – MODIFICAÇÕES E influência. Quando os Estados Partes
ATUALIZAÇÕES DAS LISTAS DE não concordarem que esse controle ou
ENTIDADES influência governamental tenha sido
efetivamente eliminado, os Estados
1. Qualquer Estado Parte poderá Partes que fizerem objeção poderão
modificar suas listas contidas no Anexo solicitar informações adicionais ou
I “Entidades” sempre que: consultas visando a esclarecer a
a) notificar os outros Estados Partes por natureza de qualquer controle ou
escrito; influência governamental e a chegar a
b) incluir, na notificação, uma proposta um acordo sobre a permanência ou a
dos ajustes compensatórios adequados exclusão da entidade na cobertura em
aos outros Estados Partes para manter conformidade com este Protocolo.
um nível de cobertura comparável ao

62 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


4. Quando os Estados Partes tiverem de administração a que se refere este
acordado uma modificação ou Artigo serão cumpridas pelas
atualização de suas listas contidas no Coordenações Nacionais do órgão do
Anexo I “Entidades”, incluindo o caso MERCOSUL com competência na
em que nenhum Estado Parte tiver feito temática de contratações públicas dos
uma objeção dentro de quarenta e cinco Estados Partes que o tiverem ratificado.
(45) dias corridos, de acordo com os
parágrafos 1º e 2º do presente Artigo, o Artigo 30 – REVISÃO
órgão encarregado que administrar o
Protocolo elevará a modificação ou 1. A partir do terceiro ano após a
atualização proposta ao Grupo Mercado entrada em vigor do presente Protocolo,
Comum (GMC). os Estados Partes signatários poderão
5. Caso algum Estado Parte se oponha à iniciar negociações a fim de aprofundar
modificação ou atualização proposta, os os compromissos assumidos no marco
demais Estados Partes resolverão a deste Protocolo, à luz dos princípios de
questão mediante consultas. gradualidade, flexibilidade e equilíbrio
6. A modificação ou a atualização previstos no Tratado de Assunção, e de
deverá ser aprovada pelo GMC. forma a promover os benefícios mútuos
e atender os interesses de todos os
Artigo 29 – ADMINISTRAÇÃO DO participantes.
PROTOCOLO 2. Qualquer modificação e/ou
ampliação do presente Protocolo deverá
1. A administração deste Protocolo ser aprovada por Decisão do Conselho
estará a cargo do órgão do MERCOSUL do Mercado Comum (CMC).
com competência na temática de
contratações públicas que seja Artigo 31 - DENÚNCIA
designado pelo GMC.
2. As funções do órgão de O Estado Parte que desejar desvincular-
administração do presente Protocolo se do presente Protocolo deverá
incluirão: comunicar essa intenção aos demais
a) monitorar e avaliar a implementação Estados Partes de maneira expressa e
e a administração deste Protocolo, formal, efetuando no prazo de sessenta
incluindo seu aproveitamento, e (60) dias a entrega do documento de
recomendar ao Grupo Mercado Comum denúncia ao depositário, que o
as atividades correspondentes; distribuirá aos demais Estados Partes.
b) relatar ao Grupo Mercado Comum a
implementação e a administração deste Artigo 32 – VIGÊNCIA E
Protocolo, quando aplicável; DEPÓSITO
c) monitorar as atividades de
cooperação; 1. O presente Protocolo, celebrado no
d) considerar e propor ao Grupo âmbito do Tratado de Assunção, terá
Mercado Comum a realização de duração indefinida e entrará em vigor
negociações adicionais com o objetivo trinta (30) dias após a data do depósito
de ampliar a cobertura deste Protocolo do segundo instrumento de ratificação.
e/ou aperfeiçoar suas disciplinas gerais Para os Estados Partes que o ratifiquem
de aplicação; e posteriormente à sua entrada em vigor,
e) tratar qualquer outro assunto o presente Protocolo entrará em vigor
relacionado a este Protocolo. trinta (30) dias após a data em que cada
3. Até que este Protocolo esteja vigente um deles depositem seus respectivos
para todos os Estados Partes, as funções instrumentos de ratificação.

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 63


2. O presente Protocolo e seus para o desenvolvimento do comércio
instrumentos de ratificação serão internacional na região.
depositados perante a República do O CONSELHO DO MERCADO
Paraguai, que deverá notificar aos COMUM
Estados Partes a data dos depósitos DECIDE:
desses instrumentos e a entrada em
vigor do Protocolo, assim como enviar- Art. 1° - Aprovar o texto do “Acordo do
lhes cópia devidamente autenticada MERCOSUL sobre direito aplicável em
deste. matéria de contratos internacionais de
consumo”, que consta como Anexo e
3. As modificações e atualizações que faz parte da presente Decisão.
sejam feitas nos Anexos que fazem Art. 2°- A entrada em vigor do Acordo
parte do presente Protocolo deverão ser apenso reger-se-á pelo que estabelece
comunicadas pela Secretaria do seu Artigo 9°.
MERCOSUL ao depositário. Art. 3°- Esta Decisão não necessita ser
incorporada ao ordenamento jurídico
Feito na cidade de Brasília, República dos Estados Partes, por regulamentar
Federativa do Brasil, aos 20 dias do mês aspectos da organização ou do
de dezembro de dois mil e dezessete, funcionamento do MERCOSUL.
em um original, nos idiomas português LI CMC – Brasília, 20/XII/17.
e espanhol, sendo ambos os textos
igualmente autênticos. ACORDO DO MERCOSUL SOBRE
DIREITO APLICÁVEL EM
MATÉRIA DE CONTRATOS
INTERNACIONAIS DE CONSUMO

V. ACORDO DO MERCOSUL A República Argentina, a República


SOBRE DIREITO APLICÁVEL EM Federativa do Brasil, a República do
MATÉRIA DE CONTRATOS Paraguai e a República Oriental do
INTERNACIONAIS DE CONSUMO Uruguai, Estados Partes do
MERCOSUL.
TENDO EM VISTA: O Tratado de
Assunção, o Protocolo de Ouro Preto e TENDO EM VISTA que o
as Decisões Nº 28/04 e 64/10 do Tratado de Assunção estabelece o
Conselho do Mercado Comum. compromisso dos Estados Partes de
harmonizar suas legislações nas áreas
CONSIDERANDO: pertinentes, para lograr o fortalecimento
do processo de integração;
Que é necessário dar proteção ao
consumidor e adotar regras comuns REAFIRMANDO a vontade dos
sobre o direito aplicável em matéria de Estados Partes de acordar soluções
contratos internacionais de consumo, jurídicas comuns para o fortalecimento
contratos entre fornecedores de bens ou do processo de integração;
prestadores de serviços e consumidores
ou usuários na região. DESTACANDO a necessidade de
oferecer uma adequada proteção ao
Que é conveniente buscar soluções a consumidor, de acordo com as
questões relativas ao consumo Resoluções A/RES/39/248 e
internacional como meio de contribuir A/RES/70/186 da Assembleia Geral da
ONU;

64 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


CONVENCIDOS da necessidade
de dar proteção ao consumidor e da Para fins do presente Acordo:
importância de adotar regras comuns
sobre o direito aplicável em matéria de CONSUMIDOR: significa toda pessoa
contratos internacionais de consumo, física ou jurídica que adquire ou utiliza
contratos entre fornecedores de bens ou produtos ou serviços de forma gratuita
prestadores de serviços e consumidores ou onerosa como destinatário final, em
ou usuários na região; uma relação de consumo ou como
consequência ou em função dela.
TENDO EM VISTA a conveniência de
harmonizar as soluções das questões Não se considera consumidor aquele
relativas ao consumo internacional que, sem constituir-se em destinatário
como meio de contribuir para o final, adquire, armazena, utiliza ou
desenvolvimento do comércio consome produtos ou serviços com o
internacional da região e os trabalhos fim de integrá-los como insumo direto a
sobre a matéria desenvolvidos pelo outros produtos ou serviços em
MERCOSUL até agora; processo de produção, transformação,
comercialização ou prestação a
OBSERVANDO que o terceiros.
crescimento exponencial das relações
entre consumidores e profissionais, FORNECEDOR: significa toda pessoa
produtores ou fornecedores de bens e física ou jurídica, nacional ou
serviços na região e as cambiantes estrangeira, privada ou pública e, nesse
modalidades em que estas se produzem último caso, estatal ou não estatal, assim
tornam necessário um marco normativo como os entes despersonalizados da
claro que facilite a contratação Administração Pública dos Estados
internacional e estimule a confiança das Partes, que desenvolva de maneira
partes nos contratos internacionais de profissional, ainda que ocasionalmente,
consumo; atividades de fabricação, produção,
montagem, criação, construção,
CONSCIENTES de que, em transformação, importação, distribuição
matéria de negócios internacionais, a e/ou comercialização de produtos e/ou
contratação é a expressão jurídica do serviços.
comércio, e este é especialmente
relevante no processo de integração; CONTRATO INTERNACIONAL
DE CONSUMO: existe contrato
ACORDAM: internacional de consumo quando o
consumidor tem seu domicílio, no
CAPÍTULO PRIMEIRO momento da celebração do contrato, em
DEFINIÇÕES E ÂMBITO DE um Estado Parte diferente do domicílio
APLICAÇÃO ou sede do fornecedor profissional que
Artigo 1° - Âmbito de Aplicação interveio na transação ou contrato.

O presente Acordo tem por objetivo LOCAL DE CELEBRAÇÃO:


determinar o direito aplicável em 1 - Nos contratos de consumo à
matéria de contratos internacionais de distância, considera-se como local de
consumo celebrados no âmbito do celebração do contrato o domicílio do
MERCOSUL. consumidor.
2 - Nos contratos que não sejam à
Artigo 2° - Definições distância, entende-se por local de

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 65


celebração o local onde o consumidor e CAPÍTULO SEGUNDO
o fornecedor se encontrarem DIREITO APLICÁVEL
fisicamente para a celebração do
contrato. Artigo 4° - Contratos celebrados pelo
consumidor no Estado Parte de seu
DOMICÍLIO: no caso de contratação domicílio
internacional de consumo, em especial à
distância, entende-se como domicílio do 1 - Os contratos internacionais
consumidor o domicílio informado ao celebrados estando o consumidor no
fornecedor profissional de produtos ou Estado Parte de seu domicílio,
serviços no momento de celebrar-se o especialmente no caso de contratação à
contrato entre as partes. distância, regem-se pelo direito eleito
pelas partes, as quais podem optar pelo
Artigo 3° - Exceções direito do domicílio do consumidor, do
local de celebração ou cumprimento do
1 - Ficam excetuados do âmbito de contrato ou da sede do fornecedor dos
aplicação deste Acordo: produtos ou serviços. O direito
escolhido será aplicável desde que mais
1. a) os contratos comerciais favorável ao consumidor.
internacionais entre fornecedores
profissionais de bens e serviços; 2 - No caso de ausência de escolha
2. b) as questões derivadas do estado válida, os contratos internacionais de
civil das pessoas e a capacidade das consumo regem-se pelo direito do
partes; Estado Parte do domicílio do
3. c) as obrigações contratuais que consumidor.
tenham como objeto principal
questões sucessórias, testamentárias, Artigo 5° - Contratos celebrados pelo
regimes matrimoniais ou aquelas consumidor estando fora do Estado
decorrentes de relações de família; Parte de seu domicílio
4. d) os acordos sobre arbitragem ou
eleição de foro e as questões de 1 - Os contratos internacionais de
jurisdição; consumo celebrados pelo consumidor
5. e) as questões de direito societário, estando este fora do Estado Parte de seu
de previdência social, tributárias, domicílio regem-se pelo direito eleito
trabalhistas, sobre nomes de pelas partes, as quais podem optar
domínio; validamente pelo direito do local de
6. f) os negócios jurídicos sobre os celebração ou de cumprimento do
falidos e seus credores e demais contrato ou pelo do domicílio do
procedimentos semelhantes, consumidor. O direito escolhido será
especialmente as concordatas e aplicável desde que mais favorável ao
análogos. consumidor.

2 - Ficam igualmente excetuados do 2 - No caso de ausência de escolha


âmbito de aplicação deste Acordo os válida, os contratos internacionais de
demais contratos e relações de consumo consumo celebrados pelo consumidor,
e as obrigações deles resultantes que, estando este fora do Estado de seu
incluindo consumidores, se encontrem domicílio, regem-se pelo direito do
regulados por convenções local de celebração.
internacionais específicas em vigor.

66 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


Artigo 6° - Escolha e informação do de tempo compartilhado ou direitos de
direito aplicável uso por turno de bens imóveis, serão
levados em consideração para a
1 - A escolha do direito aplicável pelas interpretação do contrato, a qual será
partes deve ser expressa e por escrito, efetuada em favor do consumidor.
conhecida e consentida em cada caso.
No caso de escolha do direito aplicável CAPÍTULO TERCEIRO
pelo fornecedor para obter a adesão do DISPOSIÇÕES GERAIS
consumidor, o direito escolhido por este
como aplicável deve ser expresso de Artigo 9° - Vigência e Depósito
forma clara tanto nas informações
prévias oferecidas ao consumidor, 1 - O presente Acordo, celebrado no
quanto no próprio contrato. âmbito do Tratado de Assunção, entrará
em vigor trinta (30) dias após o depósito
2 - Em caso de contrato online, a do instrumento de ratificação pelo
escolha do direito aplicável deve ser segundo Estado Parte do MERCOSUL.
expressa em forma clara e destacada em
todas as informações oferecidas ao Para os Estados Partes que o ratifiquem
consumidor. posteriormente à sua entrada em vigor,
o presente Acordo estará vigente trinta
Artigo 7° - Contratos de viagem e (30) dias após a data em que cada um
turismo deles depositem seus respectivos
instrumentos de ratificação.
Os contratos de viagem cujo
cumprimento ocorra fora do Estado 2 - O presente Acordo e seus
Parte de domicílio do consumidor, instrumentos de ratificação serão
contratados em pacote ou com serviços depositados perante a República do
combinados, como grupo turístico, ou Paraguai, que em sua qualidade de
conjuntamente com outros serviços de Depositário deverá notificar aos Estados
hotelaria e/ou turismo, serão regulados Partes a data dos depósitos desses
pelo direito do domicílio do instrumentos e a entrada em vigor do
consumidor. Acordo, assim como enviar-lhes cópia
devidamente autenticada deste.
Artigo 8° - Contratos de tempo
compartilhado e contratos Artigo 10 - Adesão
semelhantes de uso de bens imóveis
por turnos O presente Acordo está aberto à adesão
dos Estados Associados ao
Sem prejuízo das regras anteriores, as MERCOSUL.
normas imperativas do Estado Parte em Feito na cidade de Brasília, República
que foi realizada a oferta, a publicidade Federativa do Brasil, aos .....dias do mês
ou qualquer atividade de de ..... de dois mil e dezessete, em um
comercialização (marketing), entre original, nos idiomas português e
outras atividades realizadas pelos espanhol, sendo ambos os textos
representantes ou pelos proprietários, igualmente autênticos.
organizadores ou administradores de
tempos compartilhados e de sistemas SEÇÃO B – ENTIDADES DE
semelhantes ou contratos de utilização NÍVEL SUBCENTRAL
por turno de bens imóveis, ou a (SUBFEDERAL)
assinatura de pré-contratos ou contratos

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 67


Argentina 18. Gobernación del Departamento de
A partir da assinatura do presente Alto Paraguay
Protocolo, a Argentina iniciará um
processo interno de consultas com seus Uruguai
governos provinciais com o propósito
de obter sua incorporação de maneira A partir da assinatura do presente
voluntária. Protocolo, o Uruguai realizará um
processo de consultas com seus
Brasil governos departamentais, com o
A partir da assinatura do presente objetivo de obter sua incorporação
Protocolo, o Brasil manterá um voluntária ao âmbito de aplicação do
processo interno de consultas com seus presente instrumento.
governos estaduais e municipais com o
propósito de obter sua incorporação de SEÇÃO C – OUTRAS ENTIDADES
maneira voluntária.

Paraguai Os Estados Partes comprometem-se a


1. Governos Departamentais iniciar negociações para a inclusão de
2. Gobernación del Departamento de empresas estatais no prazo de dois (2)
Concepción anos após a entrada em vigor do
3. Gobernación del Departamento de Protocolo.
San Pedro
4. Gobernación del Departamento de ANEXO VI
Cordillera NOTAS GERAIS
5. Gobernación del Departamento de
Guairá Argentina
6. Gobernación del Departamento de
Caaguazú 1. Este Protocolo não se aplica aos
7. Gobernación del Departamento de programas de contratação pública
Caazapá para favorecer as micro, pequenas e
8. Gobernación del Departamento de médias empresas (identificadas no
Misiones “tramo 1”), de acordo com a
9. Gobernación del Departamento de legislação nacional vigente.
Itapúa 2. Este Protocolo não se aplica às
10. Gobernación del Departamento de contratações públicas destinadas ao
Paraguarí fomento de ciência, tecnologia e
11. Gobernación del Departamento de inovação.
Alto Paraná 3. Este Protocolo não se aplica às
12. Gobernación del Departamento de concessões de serviços públicos.
Central 4. A Argentina reserva-se a
13. Gobernación del Departamento de possibilidade de adjudicar contratos
Ñeembucú por meios distintos aos
14. Gobernación del Departamento de procedimentos competitivos quando
Amambay se trate de reparos de máquinas,
15. Gobernación del Departamento de veículos, equipamentos ou motores
Canindeyú cujo desmonte, translado ou exame
16. Gobernación del Departamento de prévio seja imprescindível para
Boquerón determinar o reparo necessário e
17. Gobernación del Departamento de resultar mais oneroso em caso de
Presidente Hayes adoção de outro procedimento de

68 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


contratação. Não se poderá utilizar a
contratação direta para as 1. O Protocolo não se aplicará:
contratações comuns de manutenção a) aos programas de contratações
de tais elementos. públicas para favorecer as micro e
5. Sem prejuízo do disposto no Artigo pequenas empresas;
9º “Condições Compensatórias b) às contratações públicas de
Especiais”, quando as entidades bens e serviços adquiridos por meio
listadas no Anexo I “Entidades” de programas de segurança
realizem contratações públicas alimentar e nutricional e
cobertas por este Acordo, a de alimentação escolar que apoiem
Argentina poderá solicitar ou exigir, agricultores familiares ou
em conformidade com seu cooperativas da agricultura familiar
ordenamento jurídico, que o portadores de registro específico;
adjudicatário realize contratações de c) às contratações públicas
bens e serviços locais vinculados ao relacionadas a bens ou serviços de
objeto da contratação. Estas instituições sem fins lucrativos
condições compensatórias especiais dedicadas à assistência social, ao
serão indicadas no aviso e/ou edital ensino, à pesquisa e ao
de contratação e serão de caráter desenvolvimento institucional, e às
não discriminatório e deverão estar contratações de entidades sociais de
claramente definidas nos editais. direito privado submetidas a
Nos casos em que não seja viável contratos de gestão;
contratar bens e serviços locais, a
Argentina pode exigir ou autorizar d) às contratações públicas nas
que essa compensação seja quais haja transferência de
completada através da fixação de tecnologia de produtos estratégicos
investimentos no território nacional, para o Sistema Único de Saúde
transferência de tecnologia, (SUS) e para aquisição de insumos
investimentos em pesquisa ou estratégicos para a saúde;
desenvolvimento e inovação
tecnológica. A partir do décimo ano e) às contratações públicas
depois do início da vigência do relacionadas às políticas voltadas a
Protocolo para a Argentina, só ciência, tecnologia e inovação,
poderão solicitar ou exigir inclusive aquelas destinadas às
condições compensatórias especiais, políticas de tecnologia da
nos termos descritos acima, as informação e comunicação, energia
seguintes entidades: nuclear e aeroespacial, conforme a
6. Ministerio de Transporte legislação nacional;
7. Ministerio de Energía y Minería
iii. Ministerio de Interior, Obra f) às contratações públicas que
Pública y Vivienda realizam as embaixadas, consulados
1. Ministerio de Salud e outras missões do serviço exterior
2. Ministerio de Defensa do Brasil, exclusivamente para seu
3. Ministerio de Seguridad funcionamento e gestão.

Brasil
A menos que se tenha disposto o 2. Mediante justificativa prévia, desde
contrário, as seguintes Notas Gerais que essas condições e a forma de
aplicam-se sem exceção a este considerá-las não sejam
Protocolo. discriminatórias e estejam indicadas
nos editais de licitação, o Brasil
Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 69
reserva-se o direito de exigir 5. Exceções ao âmbito de aplicação.
condições compensatórias especiais Este Protocolo não se aplica a:
relacionadas ao objeto da 6. compras de empresas públicas e
contratação, limitadas à qualquer outra entidade não listada
transferência de tecnologia e no Anexo I “Entidades”;
conteúdo nacional, nos 7. contratos de delegação de serviços,
procedimentos de contratação tais como autorizações, permissões
pública das seguintes entidades: e concessões, inclusive a concessão
Ministério da Ciência, Tecnologia, de obra pública.
Inovação e Comunicação;
Ministério da Defesa; Ministério da Uruguai
Saúde, Ministério das Minas e
Energia; Ministério dos Transportes, As seguintes notas gerais aplicam-se,
Portos e Aviação Civil. sem exceção, a este Protocolo:
1. Este Protocolo não se aplica:
Paraguai 2. aos contratos de delegação de
serviços, tais como autorizações,
1. O Paraguai outorgará o acesso ao permissões e concessões, inclusive a
seu mercado de compras concessão de obra pública;
governamentais à República 3. às compras de petróleo bruto e seus
Argentina e à República Federativa derivados, óleos básicos, gás
do Brasil quando realizem a natural, aditivos para lubrificantes e
abertura ao Paraguai dos mercados seus respectivos fretes;
de governos estaduais e provinciais 4. às compras de energia;
limítrofes com os Estados Partes. 5. às compras de semoventes por
2. Nas licitações públicas nacionais seleção, quando se trate de
convocadas pelas entidades do exemplares de características
Paraguai incluídas no Anexo I especiais;
“Entidades” o país reserva-se a 6. aos contratos com empresas de
aplicação de preferência de preços serviços energéticos públicas ou
estabelecida na Ley N° 4.558/11. privadas que se encontrem
3. O Acordo não se aplicará quando o registradas no Ministerio de
objeto da licitação se refira a Industria, Energía y Minería
políticas nacionais, como: educação, (MIEM) e que operem sob o
saúde, social, industrial, rural, esquema de Contratos Remunerados
ambiental, científico e tecnológico, por Desempeño, nos quais o
defesa e segurança nacional, investimento seja financiado
agricultura familiar (Decreto N° integral ou parcialmente pela
3.000/2015), sempre que sejam empresa de serviços energéticos;
declarados estratégicos pelo 7. à aquisição de bens ou serviços
Governo Nacional. quando haja notória escassez dos
4. Regulamentação nacional: em tudo bens ou serviços a contratar.
o que não estiver previsto por este
Protocolo, e sempre que isso não 2. Não obstante qualquer outra
contradiga os princípios disposição do presente Protocolo, o
consagrados, será aplicável Uruguai poderá reservar, a cada
supletoriamente a legislação ano, contratos de compra das
nacional vigente em matéria de obrigações deste Protocolo em um
contratações públicas. montante equivalente a 15% de suas
compras totais do ano anterior, com

70 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


o objetivo de promover planos construção ou obras públicas
específicos de promoção de algum adicionais não poderá exceder
setor ou atividade, fundados em cinquenta por cento (50%) do
políticas públicas e instrumentados montante do contrato principal;
em normas que especifiquem seu 8. quando uma entidade requeira
conteúdo e alcance. serviços de consultoria relacionados
com aspectos de natureza
3. Não obstante qualquer disposição confidencial, cuja difusão se poderia
do presente Protocolo, nos contratos razoavelmente esperar que
de obra pública, o Uruguai poderá comprometesse informação
condicionar a concessão de uma confidencial do setor público, cause
margem de preferências no preço sérias perturbações econômicas ou,
das ofertas no que corresponder à de forma similar, seja contrária ao
utilização de mão de obra nacional, interesse público;
entendendo-se por tal, a mão de 9. quando sejam contratadas
obra uruguaia segundo os critérios instituições sem fins lucrativos
de qualificação estabelecidos na dedicadas à assistência social, ao
legislação nacional. ensino, à pesquisa e ao
desenvolvimento institucional.
4. Estão excluídos do âmbito de
aplicação deste Protocolo, os ANEXO VII
acordos de contratação pública do PUBLICAÇÃO DE INFORMAÇÕES
Uruguai com terceiros países que se
encontrem vigentes à data de Argentina
entrada em vigor deste Protocolo.
1. www.boletinoficial.gob.ar
5. Estão excluídos do âmbito de 2. https://comprar.gob.ar
aplicação deste Protocolo, as 3. https://contratar.gob.ar
contratações realizadas no marco do
Programa de Contratación Pública Brasil
para El Desarrollo e da Ley de
Agricultura Familiar y Pesca 1. Toda a informação sobre
Artesanal. contratações públicas é publicada
nos seguintes endereços eletrônicos:
6. As entidades poderão adjudicar
contratos por outros meios distintos Legislação e
dos procedimentos de licitação Jurisprudência: www.planalto.gov.br e
aberta, em qualquer uma das www.comprasgovernamentais.gov.br
seguintes circunstâncias: Oportunidades de contratações públicas
7. no caso de serviços de construção de bens e
ou obra pública, quando se serviços: www.comprasgovernamentais.
requeiram serviços de construção gov.br
adicionais aos originalmente Oportunidades na contratação de
contratados, que respondam a concessões de obra pública e contratos
circunstâncias imprevistas e que BOT:www.projetocrescer.gov.br e ww
sejam necessários para o w.epl.gov.br/logistica-brasil
cumprimento dos objetivos do Sistema de Cadastramento Unificado de
contrato que os originou. No Fornecedores
entanto, o valor total dos contratos (SICAF):https://www3.comprasnet.gov.
adjudicados para tais serviços de br/SICAFWeb/index.jsf

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 71


Paragua

www.contrataciones.gov.py

Uruguai
www.comprasestatales.gub.uy

ANEXO VIII
NOTA COMPLEMENTAR

As ofertas de acesso a mercado


constantes dos Anexos a este Protocolo,
bem como as condições previstas pelos
Artigos 5° “Tratamento de Nação Mais
Favorecida” e 6° “Tratamento Nacional
e Não Discriminação”, terão validade
para a República do Paraguai, de
maneira improrrogável, até 30 de junho
de 2019.
Ao fim desse prazo, as referidas ofertas
e condições para a República do
Paraguai serão prorrogadas caso tenham
sido concluídas negociações
mutuamente satisfatórias que resultem
em nível similar de acesso a mercado
entre todas as Partes.

ANEXO IX
TRATAMENTO DE NAÇÃO MAIS
FAVORECIDA

O disposto no Artigo 5° “Tratamento de


Nação Mais Favorecida” deste
Protocolo não se aplica àqueles tratados
internacionais bilaterais ou multilaterais
na matéria em vigor ou assinados
anteriormente à data de entrada em
vigor do presente Protocolo.

* No marco da cobertura de sua oferta,


o Uruguai outorga tratamento nacional
aos bens, serviços e obras dos
fornecedores do MERCOSUL.

72 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


COMUNICADOS, NOTAS, desenvolvimento sustentável e temas
MENSAGENS E INFORMAÇÕES econômicos.

COMUNICADO CONJUNTO O Brasil foi um dos primeiros países a


BRASIL-UNIÃO EUROPEIA – DEZ estabelecer relações diplomáticas com a
ANOS DA PARCERIA então Comunidade Econômica
ESTRATÉGICA 04/07/2017 Europeia, em 1960, e está convencido
de que a Parceria Estratégica Brasil-
Celebram-se hoje os 10 anos da Parceria União Europeia continuará a se
Estratégica Brasil-União Europeia, aprofundar nos próximos anos, com
estabelecida pela Declaração de Lisboa, renovados e crescentes benefícios
em 4 de julho de 2007. concretos para nossas sociedades.

Nesta década, expandiram-se os LANÇAMENTO DE MÍSSIL PELA


investimentos de parte a parte: a UE é o COREIA DO NORTE 04/07/2017
maior investidor no Brasil e o Brasil já é
hoje o quinto maior investidor na União O Governo brasileiro manifesta grave
Europeia. Ambos são importantes preocupação com o lançamento,
parceiros comerciais, com trocas que já realizado hoje, de míssil pela República
alcançam mais de US$ 30 bilhões de Popular e Democrática da Coreia
janeiro a junho deste ano – exportações (RPDC). Além de colocarem em risco a
brasileiras de US$ 16,85 bilhões e segurança de países vizinhos,
importações de US$ 15 bilhões. lançamentos com emprego de
tecnologia de mísseis balísticos
A celebração do décimo aniversário da constituem violações da RPDC a
Parceria Estratégica ocorre em resoluções do Conselho de Segurança.
momento importante para o futuro das O Brasil conclama as partes envolvidas
relações bilaterais, com a intensificação a retomarem a via do diálogo, com
das negociações do Acordo de vistas à desnuclearização da Península
Associação Mercosul-União Europeia, Coreana e ao fortalecimento da paz e da
neste semestre em que o Brasil assume segurança na região.
a presidência pro tempore do Mercosul.

Brasil e UE são tradicionais aliados na COMUNICADO DOS PAÍSES DO


defesa do multilateralismo e dos valores MERCOSUL SOBRE VENEZUELA
democráticos, a promoção da paz e da
05/07/2017
segurança internacionais, na expansão
do comércio e na eliminação das (Tradução não oficial)
barreiras comerciais, na geração de
empregos e no fomento à
Os países fundadores do Mercosul
competitividade e inovação.
expressam seu mais categórico repúdio
aos atos de violência que ocorreram
As relações entre o Brasil e a União
hoje na Assembleia Nacional da
Europeia aliam a força da tradição e o República Bolivariana da Venezuela e
impulso constante da renovação. Ao que resultaram na agressão contra
longo desses dez anos, aprofundou-se a deputados e funcionários daquela
cooperação em temas globais, ciência e instituição. Tais atos, precedidos de
inovação, tecnologia da informação e uma intervenção de altas autoridades do
das comunicações, energia, direitos Poder Executivo, sem prévio acordo das
humanos, mudanças climáticas, autoridades legislativas, constituem um

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 73


ataque do Executivo sobre outro Poder Os guias foram elaborados com base
do Estado, inadmissível no marco da num amplo levantamento efetuado pela
institucionalidade democrática. rede de consulados e setores de
promoção comercial do Itamaraty ao
Instamos o Governo da Venezuela a por redor do mundo, e trazem informações e
fim imediatamente a todo discurso e orientações sobre providências para
ações que incentivem uma maior abertura de negócio; legislação fiscal,
polarização, com o consequente trabalhista, alfandegária, migratória;
crescimento da violência, e a garantir o oferta local de assistência jurídica,
respeito aos direitos humanos, à contábil e fiscal e de capacitação
separação dos poderes e à vigência do empresarial e profissional; a montagem
Estado de Direito. de plano de negócios; abertura de lojas
físicas; comércio eletrônico; mercado de
Uma vez mais, os países do Mercosul massa e nichos de mercado; cultura
manisfestamos nossa disposição a empresarial local, e suas diferenças e
apoiar e acompanhar o povo irmão da peculiaridades em relação ao Brasil.
Venezuela na saída da grave crise
política, social e humanitária que A iniciativa partiu da constatação, pela
atravessa seu país e no caminho à área consular do MRE, de forte vocação
restauração plena das instituições empreendedora das comunidades
democráticas e à paz social. brasileiras emigradas, da existência de
diversos mecanismos de apoio
ITAMARATY APOIA oferecidos pelos países de acolhimento,
EMPREENDEDORISMO e, finalmente, de um mercado
BRASILEIRO NO EXTERIOR consumidor natural - o "mercado da
06/07/2017 saudade" - entre os próprios brasileiros.

Serão lançados, na próxima sexta-feira, O livro "Brasileiros nos Estados Unidos


dia 7 de julho, às 11h, os 16 primeiros - Meio Século Refazendo a América
guias da série "Como empreender no (1960-2010)", será apresentado pelo
exterior" e o livro "Brasileiros nos Embaixador Sérgio Eduardo Moreira
Estados Unidos - Meio Século Lima, Presidente da Fundação
Refazendo a América (1960-2010)", de Alexandre de Gusmão (FUNAG) e
Álvaro Eduardo de Castro e Lima e pelos autores, Álvaro Eduardo de Castro
Alanni de Lacerda Barbosa de Castro. e Lima e Alanni de Lacerda Barbosa de
Castro.
Os guias "Como empreender no
exterior" trazem orientações para O trabalho traz dados estatísticos e
brasileiros residentes fora do Brasil que análises inéditos sobre a evolução e a
desejem iniciar ou aprimorar seus situação atual da comunidade nos EUA,
pequenos e médios empreendimentos e abrange aspectos como escolaridade,
comerciais. renda, inserção no mercado de trabalho,
com especial ênfase no tema do
Além de edições sobre treze países empreendedorismo.
(Alemanha, Bélgica, Chile, Holanda,
Luxemburgo, Irlanda, Itália, Japão,
Reino Unido, Suíça e Suriname), a série
traz três guias específicos para as
regiões da Nova Inglaterra e da Flórida,
nos EUA, e do Québec, no Canadá.

74 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


CONCESSÃO DE "AGRÉMENT" o Brasil foi um dos proponentes da
AO EMBAIXADOR DO JAPÃO resolução da Assembleia Geral que
06/07/2017 convocou a conferência internacional
para negociar o texto hoje aprovado. O
O governo brasileiro tem a satisfação de governo brasileiro também reconhece o
informar que concedeu agrément ao papel fundamental desempenhado pela
senhor Akira Yamada como embaixador sociedade civil nesse processo.
extraordinário e plenipotenciário do
Japão junto à República Federativa do O engajamento do Brasil em
Brasil. negociações que buscam livrar o mundo
de armas nucleares traduz, no plano
Brasil e Japão mantêm relações internacional, o compromisso
diplomáticas desde 1895. constitucional do país com o uso
pacífico da atividade nuclear. A entrada
CONCESSÃO DE "AGRÉMENT" em vigor do Tratado sobre a Proibição
AO EMBAIXADOR DA GRÉCIA de Armas Nucleares constituirá passo
07/07/2017 fundamental nessa direção, razão pela
qual o governo brasileiro conclama
O governo brasileiro tem a satisfação de todos os países a aderirem ao acordo.
informar que concedeu agrément a
Ioannis Pediotis como Embaixador
Extraordinário e Plenipotenciário da
República Helênica junto à República DECLARAÇÃO DE HAMBURGO
Federativa do Brasil. DOS LÍDERES DO G20 SOBRE A
LUTA CONTRA O TERRORISMO
TRATADO SOBRE A PROIBIÇÃO 08/07/2017
DE ARMAS NUCLEARES
07/07/2017 1. Nós, Líderes do G20, condenamos
veementemente os ataques terroristas no
O governo brasileiro congratula-se com mundo todo e permanecemos unidos e
os países-membros das Nações Unidas firmes na luta contra o terrorismo e seu
pela conclusão hoje, em Nova York, das financiamento. Esses atos abomináveis
negociações para um Tratado sobre a reforçaram a nossa determinação de
Proibição de Armas Nucleares. O novo cooperar para melhorar a nossa
instrumento estará aberto a assinaturas a segurança e proteger os nossos
partir de setembro próximo, durante a cidadãos. O terrorismo é um flagelo
72o Assembleia Geral das Nações global que deve ser combatido e os
Unidas. A comunidade internacional já refúgios terroristas eliminados em todas
baniu as outras armas de destruição em as partes do mundo.
massa, químicas e biológicas. Não há
motivo para não buscar proibir, 2. Reafirmamos que todas as medidas
igualmente, as armas com maior poder de combate ao terrorismo devem ser
destrutivo, capazes de exterminar a vida implementadas de acordo com a Carta
na Terra. das Nações Unidas e todas as
obrigações advindas do direito
A conclusão do texto de Tratado sobre a internacional, inclusive o arcabouço
Proibição de Armas Nucleares legislativo internacional em matéria de
representa a culminação de processo direitos humanos.
que recebeu decidido apoio do Brasil
desde o início. Ao lado de África do Implementação de compromissos
Sul, Áustria, Irlanda, México e Nigéria,

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 75


internacionais e reforço da utilizarem plenamente os mecanismos
cooperação relevantes de compartilhamento de
informações, em particular as funções
3. Clamamos pela implementação dos de compartilhamento de informações da
compromissos internacionais existentes INTERPOL.
em matéria de combate ao terrorismo,
inclusive a Estratégia Global das 7. Solicitamos às agências responsáveis
Nações Unidas Contra o Terrorismo, e o pelas fronteiras que fortaleçam a
cumprimento de resoluções relevantes e cooperação para detectar viagens para
sanções específicas do Conselho de fins terroristas, inclusive por meio da
Segurança da ONU relativas ao identificação de países prioritários de
terrorismo. Comprometemo-nos a trânsito e destino de terroristas.
continuar a apoiar os esforços da ONU Apoiaremos esforços de capacitação
para prevenir e combater o terrorismo. nesses países em áreas como
gerenciamento de fronteiras,
4. Trataremos da ameaça crescente compartilhamento de informações e
associada aos combatentes terroristas capacidade em matéria de listas de
estrangeiros que retornam de zonas de vigilância, para gerenciar ameaças em
conflito, como o Iraque e a Síria, e sua origem. Promoveremos maior uso
continuaremos empenhados em impedir dos programas de segurança aduaneiros,
que esses combatentes estabeleçam incluindo, quando apropriado, o
ponto de apoio em outros países e Programa de Segurança da Organização
regiões ao redor do mundo. Recordamos Mundial de Aduanas (OMA) e a
a Resolução 2178 (2014) do Conselho Estratégia de Combate ao Terrorismo,
de Segurança das Nações Unidas, que que se concentram no fortalecimento da
exige uma série de ações para melhor capacidade das administrações
enfrentamento da ameaça terrorista aduaneiras para lidar com questões
estrangeira. relacionadas à segurança e à gestão dos
fluxos transfronteiriços de bens, pessoas
5. Facilitaremos intercâmbios de e meios de transporte para garantir o
informação rápidos e diretos entre as cumprimento da lei.
autoridades de inteligência, de aplicação
da lei e judiciárias sobre 8. Abordaremos, em estreita
compartilhamento operacional de coordenação, ameaças crescentes e
informações, medidas preventivas e potenciais vulnerabilidades nos sistemas
resposta em matéria de justiça criminal, de segurança da aviação e trocaremos
assegurando o necessário equilíbrio informações sobre avaliação de riscos.
entre os aspectos de segurança e a Lembramos a Resolução 2309 (2016)
proteção de dados, de acordo com a do Conselho de Segurança da ONU, que
legislação doméstica. Garantiremos que insta a colaboração mais estreita para
os terroristas sejam levados à justiça. garantir a segurança dos serviços aéreos
globais e a prevenção de ataques
6. Trabalharemos para melhorar a terroristas. Promoveremos a plena
arquitetura de informação internacional implementação de medidas de
existente nas áreas de segurança, segurança da aviação efetivas e
viagem e migração, incluindo a proporcionais, estabelecidas pela
INTERPOL, garantindo o equilíbrio Organização da Aviação Civil
necessário entre aspectos de segurança e Internacional (OACI), em parceria com
a proteção de dados. Em particular, todos os seus estados contratantes,
incentivamos todos os membros a conforme necessário. Clamamos pela

76 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


abordagem urgente das vulnerabilidades comprometemo-nos a intensificar a
em medidas relacionadas à segurança capacitação e a assistência técnica, em
aeroportuária, como controle de acesso especial em relação aos pontos de
e triagem, abrangidos pela Convenção acesso para financiamento do
de Chicago, e atuaremos em conjunto terrorismo, e apoiamos o GAFI em seus
para garantir que os padrões esforços para fortalecer sua capacidade
internacionais de segurança sejam de ação, bem cmo a eficácia do GAFI e
revisados, atualizados, adaptados e de órgãos regionais correlatos.
implementados com base nos riscos
atuais. 12. Acolhemos as reformas acordadas
pela Plenária do GAFI, em junho, e
9. Salientamos a importância de prestar apoiamos o trabalho em andamento para
apoio adequado às vítimas de atos fortalecer a governança do GAFI.
terroristas e reforçaremos nossa Acolhemos, igualmente, a intenção do
cooperação e o intercâmbio de melhores GAFI de explorar sua transformação em
práticas para esse fim. pessoa jurídica, em reconhecimento de
que o GAFI evoluiu de fórum
Combate ao financiamento do temporário para um compromisso
terrorismo público e político sustentado para o
enfrentamento de ameaças relativas à
10. Ressaltamos nossa determinação em lavagem de dinheiro e financiamento do
tornar o sistema financeiro internacional terrorismo. Também agradecemos o
totalmente hostil ao financiamento do início do processo de adesão da
terrorismo e nos comprometemos a Indonésia ao GAFI, o que ampliará sua
aprofundar a cooperação internacional e representatividade geográfica e seu
o intercâmbio de informações, inclusive engajamento global. Pedimos ao GAFI
com trabalho junto ao setor privado, que que apresente uma atualização até a I
tem papel crítico nos esforços globais Reunião de Ministros das Finanças e
para combater o financiamento ao Governadores de Bancos Centrais do
terrorismo. Reafirmamos nosso G20 de 2018. Solicitamos a todos os
compromisso de tratar de todas as Estados membros que assegurem que o
fontes, técnicas e canais de GAFI tenha os recursos e o apoio
financiamento do terrorismo, bem como necessários para cumprir seu mandato
nosso apelo pela implementação rápida de forma efetiva.
e efetiva dos padrões do ACNUR e do
Grupo de Ação Financeira Internacional 13. Acolhemos a alta prioridade dada
(GAFI) em todo o mundo. Pedimos pelo pelo GAFI ao combate ao
fortalecimento de medidas contra o financiamento do terrorismo e
financiamento de organizações aguardamos a planejada ação de
terroristas internacionais, em particular sensibilização do GAFI junto a
o Estado Islâmico/ISIL / ISIS / Daesh, autoridades legais, o que contribuirá
Al Qaeda e suas afiliadas. para cooperação internacional
aperfeiçoada e maior eficácia na
11. Não deve haver "espaços seguros" aplicação dos padrões do GAFI.
para o financiamento do terrorismo em
nenhuma parte do mundo. A 14. Avançaremos na implementação
implementação incoerente e fraca dos efetiva dos padrões internacionais em
padrões UN e FATF, no entanto, matéria de transparência e beneficiários
permite sua continuidade. Para eliminar finais de pessoas jurídicas e arranjos
todos esses "espaços seguros",

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 77


legais com o objetivo de combater o propaganda de movimentos terroristas.
financiamento do terrorismo. Compartilharemos melhores práticas de
prevenção e combate ao terrorismo e
15. Os ataques de baixo custo extremismo violento conducente ao
perpetrados por células pequenas e por terrorismo, estratégias nacionais e
indivíduos financiados por pequenas programas de desradicalização e
quantidades de dinheiro, transferidas desengajamento e a promoção de
por uma ampla gama de meios de comunicações estratégicas, bem como
pagamento, constituem desafio narrativas positivas e robustas para
crescente. Pedimos ao setor privado que combater a propaganda terrorista.
continue a fortalecer seus esforços para
identificar e combater o financiamento 18. Ressaltamos que a luta contra o
do terrorismo. Solicitamos aos nossos terrorismo exige tratamento abrangente
Ministros das Finanças e Governadores das condições subjacentes que os
de Bancos Centrais que trabalhem com terroristas exploram. É crucial, portanto,
o GAFI, o FSB, o setor financeiro, as a promoção da tolerância política e
Unidades de Inteligência Financeira, religiosa, do desenvolvimento
órgãos de aplicação da lei e empresas de econômico e da coesão e da inclusão
tecnologia para desenvolver novas sociais para resolver os conflitos
ferramentas, como guias e indicadores, armados e para facilitar a reintegração.
que aproveitem as novas tecnologias Reconhecemos que os planos de ação
para melhor rastreamento de transações regionais e nacionais podem contribuir
de financiamento do terrorismo e que para combater a radicalização
trabalhem com as autoridades conducente ao terrorismo.
responsáveis pela aplicação da lei, para
superar a lacuna de inteligência e 19. Compartilharemos conhecimentos
melhorar o uso da informação sobre medidas concretas para enfrentar
financeira em investigações ameaças de combatentes terroristas
antiterroristas. estrangeiros e indivíduos radicalizados
em nossos países. Também
16. Pedimos aos países que tratem de compartilharemos melhores práticas
todas as fontes alternativas de sobre programas de desradicalização e
financiamento do terrorismo, incluindo reintegração, inclusive no que diz
o desmantelamento de conexões, onde respeito a prisioneiros.
existam, entre o terrorismo e o crime
organizado transnacional, tais como 20. Trabalharemos com o setor privado,
desvio de armas, inclusive de destruição em particular com prestadores de
em massa, saque e contrabando de serviços de comunicação e
antiguidades, sequestro, drogas e tráfico administradores de aplicativos
de pessoas. relevantes, para combater a exploração
da internet e das mídias sociais para fins
Combate à radicalização conducente terroristas, como propaganda,
ao terrorismo e ao uso da Internet financiamento e planejamento de atos
para fins terroristas terroristas, incitação ao terrorismo,
radicalização e recrutamento para a
17. Nossas ações de combate ao perpetração de atos de terrorismo, ao
terrorismo devem continuar a fazer mesmo tempo em que respeitaremos
parte de uma abordagem ampla, que plenamente os direitos humanos. A
inclui o combate à radicalização e ao filtragem, detecção e remoção
recrutamento, de forma a combater a adequadas de conteúdos que incitam

78 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


atos terroristas são cruciais neste verdade então continua a sê-lo agora:
aspecto. Encorajamos a indústria a unidos, podemos alcançar mais do que
continuar investindo em tecnologia e separadamente.
capital humano para auxiliar na Avançar em nosso objetivo comum no
detecção, assim como na remoção G20 - crescimento forte, sustentável,
rápida e permanente de conteúdo equilibrado e inclusivo – permanece
terrorista. Em consonância com as nossa mais elevada prioridade.
expectativas dos nossos povos, A globalização e as mudanças
incentivamos, igualmente, a tecnológicas contribuíram
colaboração com a indústria para significativamente para impulsionar o
fornecer acesso lícito e não-arbitrário a crescimento econômico e aumentar os
informações disponíveis em situações padrões de vida em todo o mundo. A
em que o acesso é necessário para a globalização, entretanto, tem criado
proteção da segurança nacional contra desafios, e seus benefícios não têm sido
ameaças terroristas. Afirmamos que o compartilhados de maneira
Estado de direito aplica-se tanto online suficientemente ampla. Ao reunir as
quanto off-line. principais economias de mercado
desenvolvidas e emergentes, o G20 está
21. Ressaltamos igualmente o determinado a moldar a globalização
importante papel dos meios de em benefício das pessoas. Mais
comunicação social, da sociedade civil, importante, precisamos capacitar nossos
dos grupos religiosos, da comunidade povos de maneira mais adequada a
empresarial e das instituições de aproveitarem as oportunidades.
educação no fomento de um ambiente Estamos decididos a enfrentar os
propício à prevenção da radicalização e desafios comuns da comunidade global,
do terrorismo. inclusive o terrorismo, o deslocamento,
a pobreza, a fome, as ameaças à saúde, a
DECLARAÇÃO DOS LIDERES DO geração de empregos, a mudança do
G20 – MOLDANDO UM MUNDO clima, a segurança energética e a
INTERCONECTADO 08/07/2017 desigualdade, também de gênero, como
base para o desenvolvimento
Preâmbulo sustentável e a estabilidade.
Continuaremos trabalhando juntamente
com outros países, inclusive países em
Nós, os Líderes do G20, reunimo-nos desenvolvimento, para enfrentar esses
em Hamburgo, Alemanha, de 7 a 8 de desafios, sobre a base de uma ordem
julho de 2017, para tratar dos grandes internacional fundada em regras.
desafios econômicos globais e Partindo dos resultados alcançados
contribuir para a prosperidade e o bem- pelas presidências anteriores, em
estar. particular na Cúpula do G20 de 2016
Superar os desafios de nossa era e em Hangzhou, decidimos, hoje, tomar
moldar um mundo interconectado é o medidas concretas para avançar nos três
objetivo comum do G20, o principal objetivos de fortalecer a resiliência,
fórum de cooperação econômica melhorar a sustentabilidade e assumir
internacional. O G20 revelou sua força responsabilidades.
durante a crise econômica e financeira
mundial há cerca de dez anos, quando Compartilhando os Benefícios da
desempenhou papel crucial na Globalização
estabilização das economias e dos
mercados financeiros. O que era

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 79


do princípio da nao discriminação e
Economia Global em Crescimento: As continuaremos a combater o
perspectivas atuais de crescimento são protecionismo, incluindo todas as
encorajadoras, embora o ritmo de práticas comerciais injustas, ao mesmo
crescimento ainda esteja mais fraco do tempo em que reconhecemos o papel de
que o desejável. Reafirmamos nosso instrumentos legítimos de defesa
compromisso com a cooperação comercial nesse contexto. Esforçaremo-
econômica e financeira internacional nos para garantir condições equitativas
com vistas a fortalecer ainda mais o de competição, em particular, nesse
crescimento e garantir proteção contra respeito, por meio da promoção de um
riscos. Continuaremos a usar todas os ambiente favorável ao comércio e ao
instrumentos de política econômica – investimento. Reafirmamos ainda a
monetários, fiscais e estruturais - importância da transparência para
individual e coletivamente - para relações comerciais previsíveis e
alcançar nosso objetivo de um mutuamente benéficas. Para tanto,
crescimento forte, sustentável, valorizamos as atividades de
equilibrado e inclusivo, ao mesmo monitoramento da OMC, UNCTAD e
tempo em que reforçaremos a OCDE de acordo com seus respectivos
resiliência econômica e financeira. A mandatos. Comprometemo-nos a
política monetária continuará a apoiar a fortalecer ainda mais a cooperação em
atividade econômica e a garantir a comércio e investimentos no G20.
estabilidade dos preços, de forma Solicitamos à OCDE, OMC, Banco
consistente com o mandato dos Bancos Mundial e FMI que continuem seu
Centrais. A política fiscal será usada de trabalho para compreender melhor os
forma flexível e favorável ao impactos do comércio e que relatem os
crescimento, ao mesmo tempo em que resultados aos Líderes do G20 em 2018.
garantirá que a proporção da dívida em
relação ao PIB permaneça em trajetória Reconhecemos que os benefícios do
sustentável. Reforçamos nossos comércio e do investimento
compromissos com reformas estruturais. internacionais não foram
Reafirmamos nossos compromissos compartilhados de forma ampla o
anteriores com relação a políticas suficiente. Precisamos capacitar melhor
cambiais. Nós nos esforçaremos para nossos povos para aproveitar as
reduzir os desequilíbrios globais oportunidades e os benefícios da
excessivos de maneira a promover o globalização econômica. Acordamos
crescimento global. Promoveremos trocar experiências sobre como mitigar
maior inclusividade, justiça e igualdade os custos de ajustes à liberalização do
em nossa busca pelo crescimento comércio e dos investimentos e às
econômico e pela geração de empregos. mudanças tecnológicas e sobre políticas
Para atingir esses fins, endossamos o domésticas adequadas, bem como
Plano de Ação de Hamburgo. aprimorar a cooperação internacional
Comércio e Investimento: o comércio e para o crescimento global inclusivo e
investimento internacionais são motores sustentável.
importantes de crescimento, Ressaltamos o papel crucial do sistema
produtividade, inovação, geração de internacional de comércio baseado em
empregos e desenvolvimento. regras. Registramos a importância de
Manteremos os mercados abertos, que acordos bilaterais, regionais e
registrando a importância da marcos plurilaterais sejam abertos,
recíprocos e mutuamente vantajosos em transparentes, inclusivos e consistentes
matéria de comércio e investimentos e com as normas da OMC, e

80 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


comprometemo-nos a trabalhar para Aço, auxiliados pela OCDE, conforme
garantir que tais acordos complementem o mandato da Cúpula de Hangzhou, que
os acordos multilaterais de comércio. A cumpram seus compromissos de
esse respeito, saudamos a entrada em aprimorar o compartilhamento de
vigor do Acordo de Facilitação de informações e a cooperação até agosto
Comércio da OMC e conclamamos à de 2017 e que desenvolvam
sua plena implementação, inclusive no rapidamente soluções concretas no
que respeita à assistência a países em marco de políticas públicas que
desenvolvimento. Comprometemo-nos reduzam o excesso de capacidade na
a trabalhar junto a todos os membros da indústria do aço. Aguardamos, com
OMC para garantir o êxito da XI interesse, um relatório substantivo sobre
Conferência Ministerial da OMC. E soluções concretas de políticas públicas
modo aperfeiçoar ainda mais o até novembro de 2017, como base para
funcionamento da OMC, cooperaremos a adoção célere de medidas tangíveis,
para garantir o cumprimento efetivo e bem como relatório de avaliação do
oportuno das regras e compromissos progresso alcançado em 2018.
comerciais, bem como suas funções de Cadeias Globais Sustentáveis de
negociação, monitoramento e solução Suprimentos podem ser importante
de controvérsias da OMC. fonte de geração de empregos e
O investimento internacional pode crescimento econômico equilibrado.
desempenhar um papel importante na Contudo, persistem os desafios para
promoção do crescimento econômico alcançar uma globalização inclusiva,
inclusivo, na geração de emprego e no justa e sustentável. A fim de estabelecer
desenvolvimento sustentável e requer cadeias de suprimento sustentáveis,
um ambiente global de políticas comprometemo-nos a promover a
públicas aberto, transparente e propício. implementação de padrões trabalhistas,
Buscaremos identificar estratégias para sociais, ambientais e direitos humanos,
facilitar e reter o investimento de acordo com marcos normativos
estrangeiro direto. internacionalmente reconhecidos, como
Excesso de Capacidade: Reconhecendo os Princípios Orientadores das Nações
os prolongados impactos negativos do Unidas para Empresas e Direitos
excesso de capacidade de setores Humanos e a Declaração Tripartite da
industriais na produção doméstica, no OIT de Princípios sobre Empresas
comércio e para os trabalhadores, Multinacionais e Política Social. Os
comprometemo-nos a fortalecer ainda países aderentes às Diretrizes da OCDE
mais nossa cooperação com vistas a para Empresas Multinacionais
encontrar soluções coletivas no (Diretrizes EMN da OCDE) também se
enfrentamento desse desafio global. comprometeram a promovê-los e
Conclamamos urgentemente à solicitaram que outros países também o
eliminação de subsídios que distorcem o façam.
mercado e outros tipos de apoio Trabalharemos para estabelecer, em
prestado por governos e entidades nossos países, marcos normativos
relacionadas. Cada um de nós apropriados, tais como planos nacionais
compromete-se a tomar as medidas de ação sobre empresas e direitos
necessárias para chegar-se a soluções humanos, e sublinhamos a
coletivas que promovam condições de responsabilidade das empresas de
competição verdadeiramente exercer devida diligência.
equitativas. Portanto, solicitamos aos Implementaremos medidas imediatas e
membros do Fórum Global sobre efetivas para eliminar o trabalho infantil
Excesso de Capacidade na Indústria do até 2025, o trabalho forçado, o tráfico

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 81


de pessoas e todas as formas de eficiência da Administração Pública.
escravidão moderna. Saudamos o Fundo Reconhecemos o importante papel que
Visão Zero para a prevenção de mortes as pequenas e médias empresas e as
e lesões relacionadas ao local de empresas nascentes desempenham no
trabalho e incentivamos as empresas e desenvolvimento de uma gama
outros a participarem do Fundo. completa de modelos de negócios novos
Enfatizamos que salários justos e e inovadores e promoveremos melhor
decentes, bem como o diálogo social, acesso a recursos financeiros e serviços
são outros componentes essenciais das em um ambiente mais favorável ao
cadeias globais sustentáveis de empreendedorismo.
suprimentos. Apoiamos o acesso aos Pretendemos promover condições
mecanismos de reparação e, quando favoráveis ao desenvolvimento da
aplicável, agravos não-judiciais, tais economia digital e reconhecemos a
como os Pontos de Contato Nacionais necessidade de assegurar a efetiva
das Diretrizes EMN da OCDE (NCPs). concorrência para fomentar o
Encorajaremos empresas multinacionais investimento e a inovação.
a adotarem marcos normativos Continuaremos a promover a
internacionais, quando apropriado. cooperação de todas as partes
Levando em conta o trabalho em curso interessadas e incentivar o
da Parceria Global para Inclusão desenvolvimento e o uso de padrões
Financeira (GPFI, na sigla em inglês), internacionais para produção, produtos
promovemos maior acesso ao e serviços digitalizados, que sejam
financiamento de tecnologias e definidos pelo mercado e pelo setor
instalações para treinamento que privado e baseados nos princípios de
ajudem as micro, pequenas e médias abertura, transparência e consenso. Os
empresas a se integrarem a cadeias padrões não devem constituir barreiras
globais sustentáveis de suprimentos. ao comércio, à competição e à inovação.
Aproveitando a digitalização: a Eles devem promover a
transformação digital é força motriz de interoperabilidade e a segurança no uso
um crescimento global, inovador, de TICs. A confiança nas tecnologias
inclusivo e sustentável e pode contribuir digitais requer a efetiva proteção dos
para reduzir a desigualdade e atingir os consumidores, direitos de propriedade
objetivos da Agenda 2030 para o intelectual, transparência e segurança no
Desenvolvimento Sustentável. Para uso das TICs. Apoiamos o livre fluxo de
tanto, precisamos superar os hiatos informações, ao mesmo tempo em que
digitais em várias dimensões, incluindo respeitamos os marcos legais aplicáveis
renda, idade, geografia e gênero. Nós em matéria de privacidade, proteção de
nos esforçaremos por garantir que todos dados e direitos de propriedade
os nossos cidadãos estejam conectados intelectual. O Roteiro do G20 para
digitalmente até 2025 e, especialmente, Digitalização nos ajudará a orientar
saudamos o desenvolvimento de nosso trabalho futuro.
infraestrutura em países de baixa renda Comprometemo-nos a ajudar a garantir
nesse sentido. Promoveremos a um ambiente de TICs seguro em que
alfabetização digital e as habilidades todos os setores possam aproveitar seus
digitais mediante todas as formas de benefícios e reafirmamos a importância
educação e aprendizagem ao longo da de lidar coletivamente com questões de
vida. Reconhecemos que as tecnologias segurança no uso das TICs. Nós nos
da informação e comunicação (TICs) engajaremos construtivamente nas
desempenham papel crucial na discussões da OMC relacionadas ao
modernização e no aumento da comércio eletrônico e em outros foros

82 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


internacionais com responsabilidades Nesse sentido, reconhecemos que o
relacionadas aos vários aspectos do ensino profissional é particularmente
comércio digital para promover o eficaz quando se baseia na coordenação
desenvolvimento da economia digital e entre escola e local de trabalho e na
o comércio e para sustentar e melhorar, cooperação entre governos, associações
conforme apropriado, marcos empresariais e parceiros sociais.
normativos previsíveis e transparentes
sobre o comércio digital. É necessária Construindo Resiliência
ação mais intensa e concertada para
aumentar a capacidade dos países em
desenvolvimento e dos países de menor Mercados Financeiros Resilientes: um
desenvolvimento relativo de sistema financeiro aberto e resiliente,
participarem mais no comércio digital. estabelecido segundo normas
Fomentando o Emprego: o bom internacionais acordadas, é crucial para
funcionamento dos mercados de apoiar o crescimento sustentável.
trabalho contribui para sociedades Continuamos empenhados na
inclusivas e coesas e economias finalização e implementação oportuna,
resilientes. A digitalização oferece a completa e consistente da agenda
oportunidade de gerar empregos novos acordada pelo G20 para a reforma do
e melhores, ao mesmo tempo em que setor financeiro do G20. Trabalharemos
suscita desafios relativos a habilidades, para finalizar o marco regulatório de
proteção social e qualidade do trabalho. Basileia III sem aumentar
Reconhecemos, portanto, a necessidade significativamente exigências de capital
de educar e capacitar as pessoas com as global no setor bancário, ao mesmo
habilidades necessárias para o futuro do tempo em que promoveremos um
trabalho, a importância das ambiente competitivo equitativo.
oportunidades para que se qualifiquem e Continuaremos a monitorar atentamente
se requalifiquem ao longo de suas vidas e, se necessário, enfrentar os riscos e
profissionais e do apoio para que se vulnerabilidades emergentes no sistema
adaptem com sucesso a mudanças, em financeiro. Enfatizamos o progresso
conformidade com os marcos sociais de considerável alcançado, desde a crise
cada membro. financeira, na transformação do sistema
Reconhecendo a crescente diversidade bancário paralelo em sistema financeiro
do emprego, avaliaremos seu impacto resiliente baseado no mercado e
na proteção social e condições de saudamos a avaliação do Conselho de
trabalho e continuaremos a monitorar as Estabilidade Financeira (FSB, na sigla
tendências globais, inclusive o impacto em inglês) quanto à adequação dos
de novas tecnologias, transição instrumentos de monitoramento e
demográfica, globalização e mudanças políticas disponíveis para enfrentar os
das relações laborais no mercado de riscos provenientes do sistema bancário
trabalho. Promoveremos oportunidades paralelo. Apoiamos o trabalho do FSB
de trabalho decente durante a transição de análise dos efeitos das reformas
do mercado de trabalho. Esperamos regulatórias financeiras e saudamos seu
manter intercâmbio contínuo sobre marco normativo estruturado para a
experiências e práticas nacionais. avaliação pós-implementação.
Reconhecemos o importante papel da Reconhecendo que o uso mal
educação e da formação profissional, intencionado das TICs pode pôr em
inclusive o ensino profissionalizante de perigo a estabilidade financeira,
qualidade, no processo de integração saudamos o progresso obtido pelo
dos jovens ao mercado de trabalho. Conselho de Estabilidade Financeira e

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 83


aguardamos, em outubro de 2017, Quadro Inclusivo do BEPS.
relatório das ações realizadas até o Aguardamos a realização do primeiro
momento. intercâmbio automático de informações
Arquitetura financeira internacional: sobre contas financeiras sob o “Padrão
Necessitamos instituições econômicas e de Declaração Comum (CRS)” até
financeiras globais fortes, efetivas e setembro de 2017. Solicitamos a todas
representativas que sustentem o as jurisdições relevantes iniciar os
crescimento e o desenvolvimento intercâmbios, no mais tardar, até
sustentável. Conforme estabelecido no setembro de 2018. Saudamos os
Plano de Ação de Hamburgo, recentes avanços realizados pelas
continuaremos a fortalecer o sistema de jurisdições para cumprir nível
apoio aos fluxos internacionais de satisfatório de implementação dos
capital e enfatizamos a necessidade de padrões internacionais acordados em
promover práticas financeiras sólidas e matéria de transparência tributária e
sustentáveis. Aprimoraremos a aguardamos relatório de atualização da
arquitetura financeira internacional e a OCDE na próxima Cúpula do G20,
rede global de segurança financeira com refletindo os progressos adicionais
um FMI forte, baseado em quotas e realizados na implementação desses
adequadamente financiado. padrões. Serão consideradas medidas
Aguardamos a conclusão da 15ª defensivas contra as jurisdições listadas.
Revisão Geral das Quotas do FMI, Continuamos a apoiar a cooperação
incluindo uma nova fórmula para o com os países em desenvolvimento para
cálculo das quotas, até as Reuniões de o estabelecimento de capacidade
Primavera de 2019 e, tributária. Também trabalhamos no
impreterivelmente, até os Encontros reforço da segurança tributária e, com a
Anuais de 2019 e apoiamos o trabalho OCDE, na superação dos desafios
em curso para maior aperfeiçoamento tributários que surgem com a
da eficácia de seu conjunto de digitalização da economia. Como
instrumentos para empréstimos. importante instrumento de combate à
Endossamos os Princípios e Ambições corrupção, evasão fiscal, financiamento
Conjuntas dos Bancos Multilaterais de ao terrorismo e lavagem de dinheiro,
Desenvolvimento para Atração de promoveremos a implementação efetiva
Investimentos Privados ("Princípios e de padrões internacionais sobre
Ambições de Hamburgo") e saudamos transparência e beneficiários finais de
os esforços dos Bancos para otimizar pessoas jurídicas e arranjos legais,
seus balanços e aumentar o inclusive a disponibilidade de
investimento em infraestrutura e informações nos contextos doméstico e
conectividade. transfronteiriço.
Cooperação tributária internacional e Proteção contra crises de saúde e
transparência financeira: Continuaremos fortalecimento de sistemas de saúde: o
nosso trabalho em prol de um sistema G20 tem um papel crucial no avanço da
de tributação internacional globalmente prontidão e da capacidade de reação aos
justo e moderno e acolhemos a desafios globais em matéria de saúde.
cooperação internacional em políticas Com relação aos resultados do exercício
tributárias pró-crescimento econômico. de simulação de emergência do G20 em
Continuamos comprometidos com a saúde, sublinhamos o valor de nossa
implementação do pacote sobre “Erosão cooperação em curso, baseada na
da Base Tributável e Desvio de Lucros transversalidade e na construção de
(BEPS)” e encorajamos todas as confiança. Recordamos que a cobertura
jurisdições relevantes a participar do universal de saúde é um dos objetivos

84 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


da Agenda 2030 e reconhecemos que Combate à Resistência Antimicrobiana
sistemas de saúde sólidos são (AMR): A AMR representa uma
importantes para enfrentar eficazmente crescente ameaça à saúde pública e ao
crises de saúdes. Solicitamos às Nações crescimento econômico. Para enfrentar
Unidas que mantenham a saúde global a propagação da AMR em seres
em destaque na agenda política e que humanos, animais e meio ambiente,
busquem ações cooperativas para visamos a que a implementação de
fortalecer os sistemas de saúde em todo nossos Planos de Ação Nacionais
o mundo, inclusive mediante o baseados no enfoque de "saúde única"
desenvolvimento da força de trabalho esteja bem avançada até o final de 2018.
na área de saúde. Reconhecemos que a Promoveremos o uso prudente de
implementação e o cumprimento do antibióticos[1] em todos os setores e nos
Regulamento Sanitário Internacional esforçaremos para restringir seu uso, na
(RSI 2005) são fundamentais para medicina veterinária, exclusivamente a
esforços eficientes de prevenção, propósitos terapêuticos, O uso prudente
prontidão e resposta. Reconhecemos a e responsável de antibióticos em
necessidade de um melhor animais que produzem alimentos não
acompanhamento e avaliação da inclui o uso para promoção de
implementação do RSI. Nós nos crescimento, na ausência de uma análise
esforçamos para erradicar de riscos. Salientamos que os
completamente a poliomielite. Também tratamentos devem estar disponíveis por
reconhecemos que os deslocamentos em meio de prescrição médica ou seu
massa de pessoas podem representar equivalente veterinário. Fortaleceremos
significativos desafios em matéria de a conscientização pública, assim como a
saúde e encorajamos países e prevenção e o controle de infecções e
organizações internacionais a aprimoraremos o entendimento do tema
fortalecerem a cooperação nesse tema. de antimicrobianos no meio ambiente.
Apoiamos o papel de coordenação Promoveremos o acesso a
central da Organização Mundial de antimicrobianos, vacinas e diagnósticos
Saúde (OMS), em particular em acessíveis e de qualidade, inclusive por
capacitação, treinamento e resposta a meio de esforços para preservar as
emergências de saúde e encorajamos a opções terapêuticas existentes.
plena implementação de sua reforma Destacamos a importância de fomentar
emergencial. Defendemos a pesquisa e o desenvolvimento, em
financiamento suficiente e sustentável particular no que se refere a agentes
para fortalecer as capacidades globais patogênicos prioritários identificados
de saúde, inclusive de mecanismos de pela OMS e para a tuberculose.
financiamento rápido e o Programa de Esperamos que um novo Centro
Emergências de Saúde da OMS. Internacional de Colaboração em
Adicionalmente, vemos a necessidade Pesquisa e Desenvolvimento maximize
de fomentar pesquisa e o impacto das atuais e futuras iniciativas
desenvolvimento em matéria de de pesquisa básica e clínica em matéria
prontidão, por meio de modelos de antimicrobianos, bem como o
coordenados globalmente e baseados no impacto do desenvolvimento de
Modelo da OMS de Pesquisa e produtos. Convidamos todos os países e
Desenvolvimento, tais como a Coalizão parceiros interessados a participar dessa
para Inovação na área de Prontidão para nova iniciativa. Paralelamente, em
Epidemias (CEPI). colaboração com os especialistas
pertinentes, inclusive da OCDE e da
OMS, examinaremos mais

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 85


detalhadamente opções práticas de limpa.
incentivos de mercado. Tomamos nota da decisão dos Estados
Unidos da América de se retirarem do
Melhorando Meios de Vida Acordo de Paris. Os Estados Unidos da
Sustentáveis América anunciaram a cessação
imediata da implementação de sua atual
Contribuição Nacional Determinada e
Energia e Clima: Uma economia forte e afirmam seu firme compromisso com
um planeta saudável reforçam-se um enfoque que reduza emissões e, ao
mutuamente. Reconhecemos as mesmo tempo, apoie o crescimento
oportunidades para inovação, econômico e atenda a necessidades em
crescimento sustentável, matéria de segurança energética. Os
competitividade e geração de empregos Estados Unidos da América afirmam
decorrentes da ampliação de que se esforçarão para trabalhar em
investimentos em fontes de energia estreita colaboração com outros países
sustentáveis e tecnologias e para ajudá-los a acessar e utilizar
infraestrutura de energia limpa. combustíveis fósseis de maneira mais
Continuaremos coletivamente limpa e eficiente e para ajudar a
comprometidos com a mitigação de empregar fontes de energia renováveis e
emissões de gases de efeito estufa por outras fontes de energia limpas, dada a
meio, entre outros, do aumento da importância do acesso à energia e da
inovação em matéria de energias limpas segurança energética nas Contribuições
e sustentáveis e eficiência energética e Nacionalmente Determinadas de outros
trabalharemos em favor de sistemas países.
energéticos de baixa emissão de gases Os Líderes dos outros membros do G20
de efeito estufa. Ao promover afirmam que o Acordo de Paris é
estratégias equilibradas e irreversível. Reiteramos a importância
economicamente viáveis no longo prazo do cumprimento do compromisso da
que transformem e aprimorem nossas CNUMAD assumido por países
economias e sistemas energéticos de desenvolvidos de fornecer meios de
modo compatível com a Agenda 2030 implementação, inclusive recursos
para o Desenvolvimento Sustentável, os financeiros, para auxiliar os países em
membros do G20 manterão estreita desenvolvimento tanto em ações de
colaboração. Recordando os Princípios mitigação quanto de adaptação, em
do G20 sobre Cooperação Energética, linha com os resultados de Paris, e
consideramos a segurança energética tomamos nota do relatório da OCDE
um dos princípios orientadores para a intitulado "Investir no Clima, Investir
transformação dos nossos sistemas no Crescimento". Reafirmamos o nosso
energéticos e continuaremos a firme compromisso com o Acordo de
aprimorar mercados abertos, flexíveis e Paris, avançando rapidamente para a sua
transparentes para commodities e plena implementação, de acordo com o
tecnologias energéticas. Acolhemos a princípio das responsabilidades comuns,
cooperação internacional para o porém diferenciadas e das capacidades
desenvolvimento, implantação e respectivas, à luz das diferentes
comercialização de tecnologias circunstâncias nacionais e, para esse
energéticas sustentáveis e limpas e fim, concordamos com o Plano de Ação
apoiamos o financiamento, por Bancos de Hamburgo do G20 sobre Clima e
Multilaterais de Desenvolvimento, da Energia para o Crescimento, conforme
promoção do acesso universal à energia estabelecido no anexo.
acessível, confiável, sustentável e Liderança em Desenvolvimento

86 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


Sustentável: a adoção da Agenda 2030 Financeira. Tomamos nota da proposta
representou um marco para o do Secretário-Geral das Nações Unidas
desenvolvimento sustentável. de criar um Instrumento de
Conclamamos os países a trabalhar com Financiamento Internacional da
as partes interessadas no esforço de Educação, tomando em conta outras
implementá-la de maneira ambiciosa e iniciativas existentes, tais como a
integrada, bem como realizá-la de modo "Parceria Global para Educação" e
oportuno, de acordo com as "Educação Não Pode Esperar”. Nesse
circunstâncias nacionais. contexto, esperamos examiná-las em
Comprometemo-nos a alinhar, nos maior detalhe sob a Presidência
planos nacional e internacional, argentina, com vistas à apresentação de
inclusive no apoio a países em recomendações.
desenvolvimento e no fornecimento de Empoderamento das mulheres: a
bens públicos, nossas ações à Agenda melhora do acesso igualitário ao
2030 de Desenvolvimento Sustentável e mercado de trabalho, à propriedade, a
à Agenda de Ação de Adis Abeba sobre empregos de qualidade e a serviços
o Financiamento para o financeiros, tanto para mulheres quanto
Desenvolvimento, que constitui parte para homens, são fundamentais para
integrante da Agenda. Tomando por alcançar a igualdade de gênero e a
base o Plano de Ação do G20 para a realização plena de seus direitos, bem
Agenda 2030 sobre o Desenvolvimento como um pré-requisito para o
Sustentável, a Atualização de crescimento sustentável e inclusivo.
Hamburgo enfatiza nossos Estamos fazendo progressos no esforço
compromissos coletivos e concretos. de alcançar nosso compromisso de
Apoiamos o papel central do Fórum Brisbane (2014) de reduzir a diferença
Político de Alto Nível sobre de gênero na participação da força de
Desenvolvimento Sustentável e outros trabalho em 25%, até 2025, mas
processos-chave da ONU para alcançar coincidimos em que mais deve ser feito.
os Objetivos de Desenvolvimento Também nos comprometemos a adotar
Sustentável. Também participaremos de novas medidas para melhorar a
processos voluntários de aprendizagem qualidade do emprego feminino,
entre pares no que tange à eliminar a discriminação laboral,
implementação da Agenda 2030 e reduzir as diferenças de compensação
conclamamos outros a se juntarem a entre gêneros e prestar às mulheres
esse importante exercício como ação proteção contra todas as formas de
complementar em apoio às Revisões violência. Melhoraremos o acesso das
Nacionais Voluntárias. mulheres ao mercado de trabalho
O Relatório Anual de Progresso mediante educação e treinamento de
documenta, pela primeira vez, avanços qualidade, ao mesmo tempo em que
na implementação de alguns apoiaremos a infraestrutura, os serviços
compromissos específicos do G20 com públicos e as políticas de proteção
relação à Agenda 2030. Reconhecendo social e reformas legais, quando
a importância da inclusão financeira apropriado.
como fator multiplicador na erradicação A digitalização e o acesso às TIC
da pobreza, a geração de empregos, a servem como catalisadores poderosos
igualdade de gênero e o empoderamento para o empoderamento econômico e a
das mulheres, apoiamos o trabalho em inclusão de mulheres e meninas. O
curso da Parceria Global para a Inclusão acesso a treinamento e ocupações nas
Financeira e saudamos o Plano de Ação áreas de Ciência, Tecnologia,
de 2017 do G20 para a Inclusão Engenharia e Matemática (CTEM) é,

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 87


portanto, fundamental para estabelecer aproveitar o potencial das TICs,
um ambiente favorável ao ressaltamos a necessidade de maior
empoderamento das mulheres. cooperação em matéria de TICs na
Saudamos o lançamento da iniciativa agricultura e salientamos a importância
#eSkills4Girls, de promoção de do acesso dos agricultores a serviços
oportunidades e de participação digitais de alta velocidade e de
igualitária de mulheres e meninas na adequado fornecimento de serviços nas
economia digital, em particular em zonas rurais. Para aumentar a
países de baixa renda e em transparência nos mercados mundiais de
desenvolvimento. alimentos, conclamamos ao
A fim de ampliar o apoio ao fortalecimento do Sistema de
empreendedorismo feminino, saudamos Informações do Mercado Agrícola
o lançamento da Iniciativa de (AMIS, na sigla em inglês) e a
Financiamento de Mulheres participação ativa de todos os seus
Empreendedoras (WeFI, na sigla em membros. Salientamos que o melhor
inglês), abrigada no Grupo Banco funcionamento dos mercados pode
Mundial. A Iniciativa apoiará os contribuir para reduzir a volatilidade
esforços em curso do G20 para reduzir dos preços dos alimentos e aumentar a
os obstáculos à inclusão financeira e segurança alimentar. A lucratividade é
aumentará o acesso das mulheres ao vital para os agricultores, assim como o
capital, aos mercados e à assistência é, para eles e para os consumidores, o
técnica, bem como contribuirá para a acesso a mercados nacionais, regionais
consecução dos objetivos da Parceria e internacionais.
África do G20 e do Plano de Ação do Lançamos a Iniciativa do G20 para o
G20 para o Empreendedorismo. Emprego Jovem Rural nos países em
Estabeleceremos igualmente uma desenvolvimento, com foco na África.
Força-Tarefa de Mulheres Líderes Esta iniciativa, em consonância com as
Empresariais, que, em estreita estratégias dos países em
colaboração com W20 e B20, reunirá desenvolvimento, contribuirá para a
mulheres empresárias dos países do criação de 1,1 milhão de novos
G20 para examinar maneiras de empregos até 2022, bem como para a
aumentar a participação das mulheres criação de programas inovadores de
na economia e formular recomendações capacitação para, ao menos, cinco
por ocasião da Cúpula do próximo ano a milhões de jovens nos próximos cinco
respeito da implementação dos anos. Recordando a fome em algumas
compromissos do G20 relativos ao áreas do Sudão do Sul e o risco de fome
empoderamento econômico das na Somália, Iêmen e no nordeste da
mulheres. Nigéria, estamos mais do que nunca
comprometidos a tomar medidas com a
Rumo à segurança alimentar, à urgência necessária, em apoio às
sustentabilidade hídrica e ao emprego agências das Nações Unidas e outras
da juventude rural: a água é um recurso organizações humanitárias e de apoio ao
essencial e precioso. Para alcançarmos a desenvolvimento de modo a dar
segurança alimentar, estamos resposta coordenada e abrangente que
comprometidos com o aumento da salve vidas e estimule o
produtividade e da resiliência agrícola desenvolvimento sustentável.
de forma sustentável, ao mesmo tempo Reconhecemos as contribuições feitas
em que buscamos proteger e gerenciar por diferentes membros do G20, em
recursos hídricos e ecossistemas consonância com o apelo da ONU para
conexos de maneira eficiente. Para a assistência humanitária, que

88 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


representam mais de dois terços do necessidade de medidas conjuntas para
financiamento recebido para atenção melhorar a infraestrutura sustentável e
imediata. Reforçaremos ainda mais o aperfeiçoar marcos regulatórios de
nosso engajamento humanitário e investimentos, bem como apoiar a
reafirmamos nosso compromisso de educação, o treinamento e a
lidar com as causas subjacentes a crises capacitação. As prioridades individuais
recorrentes e prolongadas. para "Compactos de investimento"
Eficiência de Recursos e Lixo Marinho: foram apresentadas pela Costa do
lançamos duas iniciativas para Marfim, Etiópia, Gana, Marrocos,
contribuir para a implementação da Ruanda, Senegal e Tunísia. Com a
Agenda 2030 e para manifestar nosso liderança dos próprios países africanos
compromisso com o desenvolvimento envolvidos, o Banco Africano de
sustentável, conforme descrito nos Desenvolvimento, o Fundo Monetário
anexos. O Diálogo do G20 sobre Internacional e o Banco Mundial, bem
Eficiência de Recursos intercambiará como o G20 e outros parceiros, os
boas práticas e experiências nacionais Compactos visam a alavancar
no aprimoramento da eficiência e da investimento privado e promover o uso
sustentabilidade do uso de recursos eficiente do financiamento público.
naturais ao longo de todo o ciclo de vida Estamos prontos a apoiar países
e na promoção de padrões sustentáveis africanos interessados e convidamos
de consumo e produção. O Plano de outros parceiros a se juntarem à
Ação do G20 sobre Lixo Marinho visa a iniciativa. Apoiamos os objetivos da
prevenir e reduzir o lixo marinho, Parceria por meio de iniciativas
levando em consideração, inclusive, complementares e incentivamos o setor
seus aspectos socioeconômicos. privado a aproveitar oportunidades
econômicas na África em apoio ao
Assumindo Responsabilidades crescimento sustentável e à criação de
empregos. Com base em parcerias
Parceria África: lançamos a Parceria do igualitárias, saudamos vigorosamente a
G20 com a África, em reconhecimento liderança africana e nos
às oportunidades e aos desafios nos comprometemos a alinhar nossas
países africanos, assim como aos medidas conjuntas às estratégias e
objetivos da Agenda 2030. Nossos prioridades do continente, em particular
esforços conjuntos promoverão a Agenda 2063 da União Africana e seu
crescimento e desenvolvimento Programa de Desenvolvimento de
econômico sustentável e inclusivo, em Infraestrutura na África (PIDA, na sigla
resposta às necessidades e aspirações em inglês). A União Africana e sua
dos países africanos, contribuindo para agência especializada, Nova Parceria
gerar emprego digno, em particular para para o Desenvolvimento de África
mulheres e jovens e ajudando, assim, a (NEPAD), são parceiros importantes na
combater a pobreza e a desigualdade implementação e monitoramento.
como causas profundas da migração. A Reforço da coordenação e cooperação
Parceria inclui iniciativas relacionadas, no que tange a deslocamento e
tais como # eSkills4Girls, Emprego migração: o mundo vem
Jovem Rural, Energia Renovável para a experimentando níveis históricos de
África, bem como facilita os Compactos migração e deslocamento forçado.
de Investimento. Enquanto a migração é influenciada por
Saudamos os resultados da Conferência muitos desenvolvimentos políticos,
de Parceria do G20 com a África, sociais e econômicos, as principais
realizada em Berlim, que destacou a forças que causam o deslocamento

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 89


incluem conflitos, desastres naturais, diferentes necessidades de refugiados e
assim como violações e abusos de migrantes, em particular próximo de sua
direitos humanos. As tendências em região de origem e, quando cabível,
matéria de migração e deslocamento com vistas a seu retorno seguro. Ao
forçado são de grande relevância para mesmo tempo, pomos especial ênfase
os países de origem, trânsito e destino. nos refugiados e migrantes e grupos
Os benefícios e oportunidades sociais e vulneráveis, inclusive mulheres em
econômicos da migração segura, situação de risco e as crianças, em
ordenada e regular podem ser particular as desacompanhadas, e na
substanciais. O deslocamento forçado e proteção dos direitos humanos de todas
a migração irregular em grandes as pessoas, independentemente de sua
movimentos, por outro lado, condição.
frequentemente apresentam desafios Conclamamos ao aperfeiçoamento da
complexos. governança da migração e a respostas
Apoiamos os países que optam por abrangentes ao deslocamento e
desenvolver canais para a migração, reconhecemos a necessidade de
sublinhamos a importância da desenvolver instrumentos e estruturas
integração, tal como determinada por institucionais. Portanto, aguardamos,
cada país, e endossamos as Práticas de com interesse, os resultados do processo
Política do G20 para a Integração Justa da ONU para a adoção dos Compactos
e Eficaz ao Mercado de Trabalho de Globais das Nações Unidas sobre
Migrantes Regulares e Refugiados Refugiados e sobre Migrações Seguras,
Reconhecidos. Enfatizamos o direito Ordenadas e Regulares, ambos previstos
soberano dos Estados de gerenciarem e para 2018. Enfatizamos a necessidade
controlarem suas fronteiras e, nesse de monitorar o deslocamento e a
sentido, de estabelecerem, segundo seus migração globais, bem como suas
próprios interesses nacionais, políticas consequências econômicas. Para tanto,
de segurança nacional, bem como a solicitamos à OCDE, em cooperação
importância de que a repatriação e a com a OIT, a OIM e o ACNUR, que
reintegração de migrantes não elegíveis nos atualize anualmente a respeito de
para permanecer sejam seguras e tendências e desafios em matéria de
humanas. Nós nos comprometemos a políticas nessas duas áreas.
combater o contrabando de migrantes e Anticorrupção: continuamos
o tráfico de pessoas e estamos comprometidos com o combate à
determinados a agir contra corrupção, inclusive por meio de
contrabandistas e traficantes. cooperação internacional prática e
Buscamos tratar as causas profundas do assistência técnica, e continuaremos a
deslocamento. Pedimos esforços globais implementar plenamente o Plano de
concertados e ações coordenadas e Ação do G20 2017-18. Endossamos
compartilhadas, em particular no que quatro conjuntos de Princípios de Alto
diz respeito a países e comunidades sob Nível destinados a promover a
alta pressão social, política e financeira, integridade no setor público e privado.
assim como a combinação de enfoques Ao endossar os Princípios de Alto Nível
de emergência e de longo prazo. Para sobre a Responsabilidade das Pessoas
tanto, reconhecemos a importância de Jurídicas, comprometemo-nos a garantir
estabelecer parcerias com países de que não só os indivíduos, mas também
origem e de trânsito. Promoveremos o as empresas que se beneficiam da
desenvolvimento econômico sustentável corrupção possam ser responsabilizadas.
nesses países. Comprometemo-nos a organizar nossas
Comprometemo-nos a tratar das administrações públicas de modo a

90 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


serem mais resistentes à corrupção. Iniciativa do G20 para o Emprego
Intensificaremos nossa luta contra a Jovem Rural Princípios de Alto Nível
corrupção relacionada ao comércio sobre a Responsabilidade das Pessoas
ilegal de animais silvestres e de Jurídicas por CorrupçãoPrincípios de
produtos derivados. O tráfico de Alto Nível sobre a Organização contra a
animais silvestres é uma ameaça à Corrupção
biodiversidade do planeta, ao Princípios de Alto Nível sobre o
desenvolvimento econômico, e, entre Combate à Corrupção nas Alfândegas
outros, à saúde e à segurança, e é Princípios de Alto Nível sobre o
facilitado por altos níveis de corrupção, Combate à Corrupção relacionada ao
o que o G20 não pode tolerar. Comércio Ilegal de Animais Silvestres e
Endossamos também os Princípios de de Produtos DerivadosIniciativa do G20
Alto Nível sobre Combate à Corrupção #eSkills4Girls
nas Alfândegas e publicamos um guia Iniciativa de Financiamento de
para a solicitação de cooperação Mulheres EmpreendedorasDiálogo do
internacional em procedimentos civis e G20 sobre Eficiência de Recursos
administrativos. Continuaremos nosso
trabalho relativo à integridade nos
esportes e exortamos as organizações
desportivas internacionais a
intensificarem sua luta contra a [1] Observando as diferenças nas
corrupção, observando os mais altos definições dos países do G20 sobre o
padrões de integridade e anticorrupção. termo "antibióticos" e referindo-se aqui
A esse respeito, empenharemo-nos em aos antibióticos com impacto na saúde
obter um entendimento comum acerca humana, incluindo antimicrobianos
dos riscos de corrupção em candidaturas criticamente importantes para a
para sediar grandes eventos esportivos. medicina humana, conforme
Também estamos empenhados em estabelecido pela OMS.
combater a corrupção em contratos,
inclusive no setor de recursos naturais. CONVERSÃO DA CONDENAÇÃO
Conclamamos à ratificação e DE LEOPOLDO LÓPEZ EM
implementação, por todos os membros PRISÃO DOMICILIAR 09/07/2017
do G20, da Convenção das Nações
Unidas contra a Corrupção e a intensa Embora reitere que nenhuma prisão
participação em seu processo de arbitrária e politicamente motivada se
revisão. justifique, o governo brasileiro recebeu
como sinal positivo a conversão em
Documentos Acordados prisão domiciliar da condenação contra
o líder oposicionista venezuelano
Leopoldo López. Espera que seja
Plano de Ação de Hamburgo movimento inicial para a abertura de
Plano de Ação sobre Clima e Energia negociação com vistas à reconciliação
para o Crescimento nacional e à restauração da democracia
Atualização de Hamburgo: Avançando nesse país.
no Plano de Ação do G20 sobre Agenda
2030 O Brasil considera que, para tanto, é
Relatório Anual de Progresso 2017 indispensável que sejam libertados os
Plano de Ação do G20 sobre Lixo presos políticos, reconhecidas as
Marinho prerrogativas da Assembléia Nacional e
Parceria África do G20 respeitados a independência dos poderes

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 91


e o sufrágio universal. Apela, ainda, às para que os visitantes possam ter uma
autoridades venezuelanas para que visão holística sobre o Cais do Valongo
suspendam as eleições para a e o que ele representa. Tais medidas,
Assembléia Nacional Constituinte, cuja que contribuirão para a preservação
convocação viola as leis do país e deste importante patrimônio cultural
contribui para o acirramento da crise brasileiro, deverão ser implementadas
política. pelos governos federal, estadual e
municipal, em coordenação com a
INSCRIÇÃO DO CAIS DO sociedade civil e as comunidades
VALONGO NA LISTA DO envolvidas.
PATRIMÔNIO MUNDIAL –
CRACÓVIA, 9 DE JULHO DE 2017 O Cais do Valongo é o 21o sítio
09/07/2017 brasileiro inscrito na Lista do
Patrimônio Mundial. A candidatura,
O governo brasileiro recebeu com
cujo sucesso foi reconhecido hoje pela
grande satisfação a decisão do Comitê
Unesco e pela comunidade
do Patrimônio Mundial da Unesco de
internacional, é fruto da coordenação
inscrever o Cais do Valongo, no Rio de
dos esforços envidados pela sociedade
Janeiro, na Lista do Patrimônio
civil, pelo Ministério das Relações
Mundial.
Exteriores, pelo Ministério da Cultura,
pelo Instituto do Patrimônio Histórico e
A Unesco, ao reconhecer o valor
Artístico Nacional (Iphan) e pela
universal excepcional do Cais do
Prefeitura do Rio de Janeiro.
Valongo, considerou que os vestígios
arqueológicos ali encontrados CONCESSÃO DE "AGRÉMENT"
constituem a evidência material mais AO EMBAIXADOR DA NIGÉRIA
relevante associada à chegada de 11/07/2017
africanos escravizados ao continente
americano. O Cais do Valongo é um O governo brasileiro tem a satisfação de
local de memória, que remete a um dos informar que concedeu agrément a
mais graves crimes perpetrados contra a Christopher John Nonyelum Okeke
humanidade, a escravidão. Por ser o como embaixador extraordinário e
porto de desembarque dos africanos em plenipotenciário da República Federal
solo americano, o Cais do Valongo da Nigéria no Brasil.
representa simbolicamente a escravidão
e evoca memórias dolorosas com as Brasil e Nigéria mantêm relações
quais muitos brasileiros diplomáticas desde 1961.
afrodescendentes podem se relacionar.
Ao preservar essas memórias, o entorno CONCESSÃO DE "AGRÉMENT"
do Cais do Valongo tornou-se um lugar AO EMBAIXADOR DO BRASIL
que congrega diversas manifestações NO SURINAME 12/07/2017
culturais da comunidade local, que ali
celebra e promove o patrimônio e o O governo brasileiro tem a satisfação de
legado africanos. informar que o governo da República do
Suriname concedeu “agrément” a
Em sua decisão de inscrever o Cais do Laudemar Gonçalves de Aguiar Neto
Valongo na Lista do Patrimônio como embaixador extraordinário e
Mundial, a Unesco recomenda que o plenipotenciário do Brasil naquele país.
Brasil adote ações especificas para a De acordo com a Constituição, essa
gestão dos vestígios arqueológicos, para
a execução de projetos paisagísticos e

92 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


designação ainda deverá ser submetida fronteiras e as medidas que dão
à apreciação do Senado Federal. seguimento à Reunião Ministerial do
Cone Sul sobre Segurança nas
Laudemar Gonçalves de Aguiar Neto Fronteiras, realizada em Brasília, em
foi ministro-conselheiro nas embaixadas novembro passado.
do Brasil em Londres e Paris. No Brasil,
trabalhou no Departamento de Os ministros também coordenarão a
Organismos Internacionais e na participação na próxima Cúpula do
Subsecretaria-Geral de Assuntos Mercosul, que ocorrerá em 21 de julho,
Multilaterais. Foi secretário nacional de em Mendoza, Argentina, durante a qual
Organização da Conferência das Nações será transferida ao Brasil a Presidência
Unidas sobre Desenvolvimento Pro Tempore do bloco. A boa sintonia
Sustentável (Rio+20) e coordenador de política entre os dois governos tem
Relações Internacionais da Prefeitura do contribuído para dar novo impulso aos
Rio de Janeiro. esforços de dinamização do Mercosul,
com a eliminação de barreiras ao
VISITA DO MINISTRO DAS comércio intra-bloco e avanços nas
RELAÇÕES EXTERIORES E negociações externas, em particular
CULTO DA REPÚBLICA com a União Europeia. É contra esse
ARGENTINA, EMBAIXADOR pano de fundo que os chanceleres
JORGE FAURIE, AO BRASIL – discutirão os próximos passos do
BRASÍLIA, 14 DE JULHO DE 2017 processo de integração regional e as
12/07/2017 prioridades comuns no campo da
governança econômica e comercial
O ministro das Relações Exteriores e global, tendo em vista a próxima
Culto da República Argentina, reunião ministerial da OMC em Buenos
embaixador Jorge Faurie, realizará Aires, em dezembro, e a presidência
visita a Brasília no dia 14 de julho, argentina do G-20 em 2018.
ocasião em que será recebido pelo
presidente Michel Temer e manterá A Argentina é o terceiro destino das
reunião de trabalho com o ministro exportações brasileiras e o Brasil é o
Aloysio Nunes Ferreira. A realização da principal mercado para as exportações
visita do ministro Jorge Faurie apenas argentinas. O intercâmbio comercial,
um mês após sua posse no cargo de que totalizou mais de US$ 22 bilhões
chanceler demonstra a prioridade em 2016, aumentou quase 20% nos
atribuída pelos dois países à aliança primeiros cinco meses de 2017 em
estratégica bilateral. comparação ao mesmo período do ano
anterior.
Durante a reunião de trabalho, os dois
chanceleres examinarão o estágio de RETOMADA DE MOSUL
implementação do Plano de Ação 12/07/2017
Brasil-Argentina, adotado pelos dois
presidentes por ocasião da visita de O governo do Brasil congratula o
Estado do presidente Maurício Macri a governo e o povo do Iraque pela
Brasília, em fevereiro passado. O plano retomada da cidade de Mosul,
abrange, entre outros temas, questões de anunciada no dia 10 de julho corrente
comércio, harmonização regulatória, pelo Primeiro Ministro Haider Al-
integração fronteiriça, e cooperação Abadi. A vitória, fruto de heroico e
consular. Também será objeto da perseverante esforço, representa um
reunião o tema da segurança nas marco na luta contra o autodenominado

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 93


"Estado Islâmico" e o terrorismo empreendido pelo emir do Kuwait,
internacional. xeique Sabah Al-Ahmad Al Jaber Al-
Sabah.
A libertação de Mosul, segunda maior
cidade iraquiana e centro cultural e VINTE E UM ANOS DA CPLP
econômico da região norte do país, 17/07/2017
constitui também avanço fundamental
para a consolidação da segurança, O governo brasileiro celebra com os
estabilidade e integridade territorial governos e os povos dos demais Estados
iraquianas. O Brasil faz votos de que membros da Comunidade dos Países de
seja sucedida por exitoso processo de Língua Portuguesa (CPLP) o vigésimo
reconstrução e soerguimento primeiro aniversário da nossa
econômico. O Brasil espera, ainda, que Comunidade.
os sucessos atuais possibilitem o pleno
desenvolvimento do povo iraquiano, em O Brasil, que ocupa a presidência de
contexto de renovada conciliação entre turno do organismo pelo biênio 2016-
os grupos que compõem o rico tecido 2018, reitera seu compromisso de
social iraquiano. contribuir para que a Comunidade
continue cumprindo seu importante
ATENTADO CONTRA mandato de concertação política,
PEREGRINOS HINDUS 14/07/2017 cooperação multissetorial e promoção e
difusão da língua portuguesa.
O governo brasileiro deplora o ataque
terrorista contra ônibus que transportava A data de hoje marca também o início
peregrinos hindus ao santuário de das reuniões preparatórias para a XXII
Amarnath, ocorrido na noite do dia 10 Reunião Ordinária do Conselho de
de julho, na região da Caxemira, que Ministros da CPLP, a realizar-se no
deixou sete mortos e dezenas de próximo dia 20, no Palácio Itamaraty,
feridos. em Brasília.

Ao expressar suas condolências às No encontro, os chanceleres da CPLP


famílias das vítimas e seus votos de discutirão a implementação da Agenda
plena recuperação aos feridos, o Brasil 2030 para o Desenvolvimento
reitera sua condenação a todo e Sustentável em seus países e aprovarão
qualquer ato de terrorismo, resolução sobre a Nova Visão
independentemente de sua motivação. Estratégica da CPLP, documento que
sistematiza as prioridades a guiarem a
SITUAÇÃO NO GOLFO E NA ação da Comunidade pelos próximos
PENÍNSULA ARÁBICA 14/07/2017 dez anos. Os chanceleres discutirão
também o aprofundamento da
O governo brasileiro continua a cooperação com os Observadores
acompanhar com atenção os recentes Associados da CPLP.
desdobramentos da crise diplomática no
Golfo e na Península Arábica. Ao longo dos últimos vinte e um anos, a
CPLP logrou consolidar-se como
O Brasil renova seu apelo às partes plataforma de integração e interlocução
envolvidas a superarem suas entre os países de língua portuguesa e
divergências por meio do diálogo em entre eles e o mundo, tendo-se tornado
prol da busca pela estabilidade regional um organismo internacional com
e apoia o esforço de mediação credibilidade junto à comunidade

94 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


internacional. Para o Brasil, a CPLP é O governo brasileiro exorta as
valioso espaço de diálogo político e autoridades venezuelanas a cancelarem
oferece oportunidades para o a convocação de uma assembleia
desenvolvimento da cooperação sul-sul nacional constituinte, cujas regras
e para a contínua valorização de nossa violam o direito ao sufrágio universal e
língua comum no cenário mundial. o próprio princípio da soberania
popular. Reitera a urgência de que
SOBRE A CPLP E A PRESIDÊNCIA sejam assegurados o quanto antes a
BRASILEIRA restauração das competências da
Assembleia Nacional, o usufruto pleno
Estabelecida em 17 de julho de 1996, a das liberdades públicas e a libertação de
CPLP conta hoje com nove Estados todos os presos políticos.
membros: Angola, Brasil, Cabo Verde,
Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, O Brasil espera que a vontade popular
Moçambique, Portugal, São Tomé e expressa na consulta inspire a busca de
Príncipe e Timor-Leste. A população de uma negociação efetiva a favor da paz e
seus países membros soma da democracia na Venezuela.
aproximadamente 270 milhões de
pessoas. NOTA DE PESAR PELO
FALECIMENTO DO PROFESSOR
A CPLP conta com dez Observadores VICENTE MAROTTA RANGEL
Associados em quatro continentes: 17/07/2017
Geórgia, Hungria, Japão, Maurício,
Namíbia, República Eslovaca, O Ministério das Relações Exteriores
República Tcheca, Senegal, Turquia e recebeu com grande pesar a notícia do
Uruguai. O crescente número de países falecimento do professor Vicente
observadores é reflexo positivo do Marotta Rangel hoje, 17 de julho, em
amadurecimento da CPLP. São Paulo.

O Brasil ocupa a presidência de turno Professor Emérito e ex-diretor da


da CPLP desde a XI cúpula da Faculdade de Direito da Universidade
organização, realizada em Brasília em de São Paulo, Vicente Marotta Rangel
31 de outubro e 1º de novembro de ocupou o cargo de Consultor Jurídico
2016. O tema da presidência brasileira é do Ministério das Relações Exteriores
"A CPLP e a Agenda 2030 para o entre 1990 e 1993. Foi igualmente
Desenvolvimento Sustentável". membro da Corte Permanente de
Arbitragem da Haia entre 1979 e 2003,
PLEBISCITO NA VENEZUELA e juiz-membro do Tribunal
17/07/2017 Internacional do Direito do Mar desde a
sua fundação em 1º de outubro de 1996,
O governo brasileiro considera que o cargo que ocupou até 2015.
elevado nível de participação no
plebiscito organizado ontem, dia 16, O Ministério das Relações Exteriores
pela Assembleia Nacional foi mostra manifesta os mais sentidos pêsames e
inequívoca da vontade do povo solidariedade à família do professor
venezuelano de pronta restauração do Marotta Rangel.
estado democrático de direito no país.
Condena o incidente provocado por
forças paramilitares na zona oeste de
Caracas, com morte e feridos.

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 95


APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA ELEIÇÃO DO CANDIDATO
PARA AS NEGOCIAÇÕES BRASILEIRO À PRESIDÊNCIA DA
AGRÍCOLAS DA OMC 17/07/2017 COMISSÃO DO CODEX
ALIMENTARIUS 18/07/2017
Brasil, União Europeia, Colômbia, Peru
e Uruguai apresentaram, em Genebra, A Comissão do Codex Alimentarius
proposta conjunta em agricultura para a elegeu hoje, em Genebra, à sua
XI Conferência Ministerial da presidência, o brasileiro Guilherme
Organização Mundial de Comércio, que Costa.
será realizada em Buenos Aires, no mês
de dezembro. O Codex Alimentarius, estabelecido
pela FAO e OMS em 1963, é o órgão
O documento propõe novas regras para multilateral incumbido de desenvolver
reduzir os subsídios domésticos a padrões para os alimentos, com o
produtores agrícolas. Para objetivo de proteger a saúde do
complementar os limites já existentes consumidor e garantir práticas justas no
no Acordo sobre Agricultura da OMC, é comércio internacional de produtos
sugerida a adoção de um novo teto alimentícios. Os padrões desenvolvidos
global que abrangerá os tipos de no âmbito do Codex são referências
subsídios que mais distorcem o reconhecidas pela OMC para a solução
comércio internacional de produtos de disputas sobre segurança alimentar e
agrícolas. proteção do consumidor. Como um dos
maiores exportadores de produtos
De acordo com os mandatos alimentícios do mundo, o Brasil tem
negociadores, a proposta conjunta participado ativamente dos trabalhos
também sugere a definição de um teto desse órgão, por intermédio do Comitê
para os gastos com os subsídios à do Codex Alimentarius do Brasil.
produção de algodão. O Brasil tem sido
um dos principais apoiadores da O candidato brasileiro, Fiscal Federal
iniciativa setorial impulsionada pelo Agropecuário do Ministério da
“Cotton-4”, grupo formado por Benin, Agricultura, Pecuária e Abastecimento
Burquina Faso, Chade e Mali, que tem desde 1981, ocupou a função de Adido
no algodão o seu principal produto de Agrícola na Delegação do Brasil junto à
exportação. Organização Mundial de Comércio
(OMC), de 2010 a 2014, e uma das três
Como contribuição adicional, o Vice-Presidências da Comissão do
documento inclui elementos para as Codex, desde 2014. Ele teve o apoio de
negociações em torno dos subsídios 84 países.
concedidos por países em
desenvolvimento para fins de segurança Com a eleição do Sr. Guilherme Costa,
alimentar. o Brasil passa a ocupar três dos mais
importantes cargos de direção na
Com a proposta ora circulada, que arquitetura multilateral de comércio e
contou com decisiva participação desenvolvimento (OMC, FAO e Codex
brasileira em sua elaboração, o Brasil Alimentarius).
reafirma seu comprometimento com o
sistema multilateral de comércio, bem
como o interesse prioritário em
contribuir para o êxito da XI
Conferência Ministerial da OMC.

96 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


NEVASCA EM BARILOCHE telefones +55 61 2030 8803/8804 (das
18/07/2017 8h às 20h) e + 55 61-98197-2284
(Plantão Consular, das 20h às 8h).
O Ministério das Relações Exteriores
acompanha de perto a situação dos L CÚPULA DE CHEFES DE
cidadãos brasileiros retidos em ESTADOS DO MERCOSUL E
Bariloche, Argentina, em razão das ESTADOS ASSOCIADOS E L
consequências da nevasca que afeta a REUNIÃO ORDINÁRIA DO
região sul do continente. Por meio da CONSELHO DO MERCADO
Embaixada do Brasil em Buenos Aires, COMUM DO MERCOSUL
já foram contatadas autoridades 19/07/2017
argentinas nos Ministérios dos
Transportes e do Turismo, na Defesa O presidente Michel Temer participará
Civil e no governo da província de Rio em Mendoza (Argentina), no dia 21 de
Negro, bem como autoridades julho de 2017, da L Cúpula de Chefes
aeroportuárias e responsáveis das de Estado do MERCOSUL e Estados
companhias aéreas Aerolíneas Associados. O encontro de Chefes de
Argentinas e Latam. O embaixador do Estado será precedido, no dia 20 de
Brasil em Buenos Aires contatou a julho, pela L Reunião do Conselho do
ministra do interior da Argentina sobre Mercado Comum, órgão decisório de
apoio ao grupo de cidadãos brasileiros nível ministerial.
retidos em Bariloche, em especial às
famílias com crianças e menores. A realização da Cúpula de Chefes de
Estado encerra a presidência pro
Visando a assegurar a assistência tempore argentina (PPTA) do
necessária aos brasileiros, o Consulado- MERCOSUL, exercida durante o
Geral do Brasil em Buenos Aires e o primeiro semestre de 2017. Ao longo da
Consulado Honorário do Brasil em PPTA, avançou-se na revitalização do
Bariloche também têm mantido contato MERCOSUL, com a recuperação dos
permanente com as autoridades locais. objetivos e princípios do Tratado de
Está sendo examinada, ademais, a Assunção de 1991: integração comercial
viabilidade de se instalar um núcleo de e proteção e promoção dos direitos
apoio do Consulado Honorário no humanos e da democracia.
Aeroporto de Bariloche.
O MERCOSUL hoje representa algo
Cabe ressaltar que aquele aeroporto equivalente à quinta maior economia
vem operando com as limitações mundial, com PIB de US$ 2,7 trilhões.
impostas pelas condições climáticas Sua população total é de 291 milhões de
adversas, dando prioridade à segurança habitantes. Nos últimos dois anos,
dos voos. segundo dados da UNCTAD, o
MERCOSUL recebeu 47% (2015) e
O Plantão do Consulado-Geral em 46% (2016) dos Investimentos
Buenos Aires está atendendo pelo Estrangeiros Diretos na América Latina
número +54 9 11 4199 9668, dedicado e Caribe, e 65% (2015 e 2016) da
exclusivamente ao atendimento a casos América do Sul.
de emergência. Alternativamente, o
Núcleo de Assistência a Brasileiros do O bloco também é fundamental para a
Itamaraty, em Brasília, poderá ser atividade industrial dos Estados Partes.
acionado pelo e-mail Em 2016, aproximadamente 84% das
dac@itamaraty.gov.br e, também, pelos exportações brasileiras para o

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 97


MERCOSUL foram de bens 2. O Presidente da República Federativa
industrializados. Em comparação, as do Brasil, Senhor Michel Temer, na
exportações brasileiras de bens condição de presidente pro tempore da
industrializados ao mundo todo CPLP, abriu a sessão, quando proferiu
representaram 56% do total. palavras de boas-vindas aos Ministros e
demais Chefes de Delegação.
Ao final da Cúpula, a presidência pro
tempore do bloco será transferida para o O Ministro das Relações Exteriores da
Brasil. O Brasil dará continuidade à República Federativa do Brasil, Senador
revitalização do MERCOSUL, nas Aloysio Nunes Ferreira, conduziu os
vertentes da integração comercial, dos trabalhos na condição de presidente pro
direitos humanos e da democracia. tempore do Conselho de Ministros e
Privilegiará o fortalecimento do anfitrião da Reunião.
mercado comum e a agenda de
negociações externas, com ênfase nas 3. Os Ministros passaram em revista o
tratativas com a União Europeia, com a estado da implementação dos Objetivos
Associação Europeia de Livre do Desenvolvimento Sustentável nos
Comércio, com o Canadá e com Estados-Membros da CPLP, no cenário
parceiros da Ásia, além do da Agenda 2030, e debateram a
prosseguimento do programa de operacionalização da Nova Visão
trabalho já acordado com a Aliança do Estratégica da CPLP e as prioridades de
Pacífico. ação dela derivadas, tendo como
horizonte temporal o decênio que se
DOCUMENTOS FINAIS DA XXII encerra em 2026.
REUNIÃO ORDINÁRIA DO
CONSELHO DE MINISTROS DA 4. Os Ministros aplaudiram o relatório
COMUNIDADE DOS PAÍSES DE intercalar referente ao primeiro semestre
LÍNGUA PORTUGUESA – de 2017, apresentado pela Secretária
BRASÍLIA, 20 DE JULHO DE 2017 Executiva da CPLP, bem como o
20/07/2017 relatório apresentado pela Diretora
Executiva do Instituto Internacional da
COMUNICADO FINAL Língua Portuguesa, e saudaram o
empenho de ambas as autoridades no
1. A XXII Reunião Ordinária do exercício dos seus mandatos.
Conselho de Ministros da Comunidade
dos Países de Língua Portuguesa teve 5. Os Ministros reiteraram o
lugar em Brasília, no dia 20 de julho de compromisso de promover o diálogo
2017, e contou com a participação dos político, a troca de experiências e a
Ministros dos Negócios Estrangeiros e cooperação, com vistas a apoiar, no
das Relações Exteriores, ou seus âmbito da CPLP, a implementação da
representantes, da República de Angola, Agenda 2030, com seus 17 Objetivos de
da República Federativa do Brasil, da Desenvolvimento Sustentável e suas
República de Cabo Verde, da República 169 metas associadas.
da Guiné-Bissau, da República da
Guiné Equatorial, da República de 6. Recomendaram ênfase aos temas da
Moçambique, da República Portuguesa, Agenda na ocasião da seleção de
da República Democrática de São Tomé projetos a serem contemplados com
e Príncipe, da República Democrática recursos do Fundo Especial da
de Timor-Leste, e da Secretária Comunidade.
Executiva da CPLP.

98 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


Parabenizaram Brasil e Portugal pela da Turquia, e República Oriental do
apresentação dos seus Relatórios Uruguai.
Nacionais Voluntários, no Fórum
Político de Alto Nível sobre Decidiram adotar o documento
Desenvolvimento Sustentável de 2017, “Reforço da Cooperação com os
em Nova Iorque, o que favorece a Observadores Associados”,
contínua implementação da Agenda recomendando sua pronta
2030 para o Desenvolvimento implementação.
Sustentável.
Decidiram acolher a proposta do
7. Recordando a aprovação da Comité de Concertação Permanente
Declaração sobre a Nova Visão para a realização de reunião
Estratégica da CPLP (2016-2026) pela extraordinária daquele Comité com os
XI Conferência de Chefes de Estado e embaixadores dos países Observadores
de Governo da CPLP, em 1 de Associados da CPLP acreditados junto à
novembro de 2016, os Ministros Comunidade, no segundo semestre de
decidiram adotar o Documento de 2017, em Lisboa.
Operacionalização da Nova Visão
Estratégica (2016-2026), que cria Congratularam-se com o
condições para a efetiva implementação encaminhamento da manifestação de
das diretrizes da CPLP na próxima interesse da República da Costa do
década, com ações concretas e Marfim e da República da Sérvia na
iniciativas de longo prazo, nos três obtenção da categoria de Observador
objetivos estatutários da CPLP: Associado.
concertação político-diplomática;
cooperação; promoção e difusão da Manifestaram satisfação com a
Língua Portuguesa. apresentação pela República Argentina
do seu propósito de candidatar-se à
8. Os Ministros reconheceram o categoria de Observador Associado da
crescente interesse internacional pela CPLP.
CPLP, prova do reconhecimento e da
credibilidade internacionais alcançados 9. Os Ministros decidiram aprovar a
pela Comunidade, e reiteraram o concessão da categoria de Observador
compromisso de obter maior Consultivo às seguintes entidades:
envolvimento dos Observadores "Parceria Portuguesa para a Água",
Associados nas atividades da "Fundação Getúlio Vargas", "Academia
organização, em especial naquelas Galega da Língua Portuguesa",
relacionadas com a concertação política, "Universidade de São José de Macau" e
a cooperação, e a promoção e difusão da "Sociedade Portuguesa de Hipertensão".
Língua Portuguesa.
10. No âmbito da concertação político-
Acolheram com satisfação o diplomática, os Ministros:
pronunciamento do Embaixador da
República Oriental do Uruguai, em i) Acolheram com satisfação a
Brasília, em nome dos seguintes realização da Conferência da Rede de
Observadores Associados da CPLP Mulheres Parlamentares da Assembleia
presentes na reunião: República Parlamentar da CPLP, de 3 a 5 de abril
Eslovaca, Geórgia, Hungria, Japão, de 2017, em Brasília; da 19.ª Reunião
República da Namíbia, República do dos Chefes de Estado-Maior-General
Senegal, República Tcheca, República das Forças Armadas (CEMGFA) da

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 99


CPLP, entre 19 e 20 de abril, em CPLP em 22 de maio de 2017, em
Lisboa; da X Reunião de Ministros da Genebra, à margem da 70.ª Assembleia
Cultura da CPLP, em 5 de maio de Mundial da Saúde.
2017, em Salvador; da XVIII Reunião
dos Ministros da Defesa da CPLP, em v) Reiteraram a necessidade de avançar
25 de maio de 2017, em Malabo; da II na reforma das Nações Unidas, em
Reunião Extraordinária do Conselho de particular do Conselho de Segurança,
Segurança Alimentar e Nutricional da com vistas a reforçar a sua
CPLP (CONSAN-CPLP), em 8 de representatividade, legitimidade e
junho de 2017, em Brasília; da IX eficácia, por meio da incorporação de
Reunião dos Ministros do Turismo da novos membros permanentes e não
CPLP, em 29 de junho de 2017, em Foz permanentes e do aprimoramento dos
do Iguaçu; e da XV Conferência de métodos de trabalho do órgão.
Ministros da Justiça dos Países de
Língua Oficial Portuguesa (CMJ- Reafirmaram seu apoio à aspiração do
PLOP), em 29 de junho de 2017, em Brasil de ocupar assento permanente em
Brasília. um Conselho de Segurança das Nações
Unidas ampliado, recordando os termos
ii) Enalteceram a assinatura da do Comunicado Final da II Reunião do
Declaração de Brasília sobre a Conselho de Ministros (Salvador,
Propriedade da Terra como Fator de 1997), da Declaração de São Tomé e
Desenvolvimento, no âmbito da CMJ- Príncipe (2004), da Declaração de
PLOP. Bissau (2006), da Declaração de Lisboa
(2008), da Declaração de Luanda
iii) Tomaram nota, com satisfação, da (2010), da Declaração de Maputo
perspectiva de realização da VIII Bienal (2012), da Declaração de Díli (2014) e
de Jovens Criadores da CPLP (Vila da Declaração de Brasília (2016).
Nova de Cerveira, Portugal, de 22 a 30
de julho de 2017); da X Conferência de Renovaram o apoio à aspiração do
Ministros da Juventude e Desporto continente africano de estar
(Caminha, Portugal, 28 a 30 de julho de representado, com a categoria de
2017); da IV Reunião de Ministros da membro permanente, no Conselho de
Saúde (Brasília, 24 a 26 de outubro de Segurança das Nações Unidas.
2017); da V Reunião de Ministras da
Igualdade de Género (Brasil, 30 e 31 de Congratularam-se com o governo e o
outubro de 2017); e da II Reunião de povo da República da Guiné Equatorial
Ministros da Energia (Foz do Iguaçu, pela eleição do país a assento não
Brasil, 21 e 22 de novembro de 2017). permanente do Conselho de Segurança
das Nações Unidas para o biénio 2018-
iv) Tomaram nota dos esforços de 2019.
coordenação político-diplomática entre
os Estados-Membros da CPLP em vi) Sublinharam a vontade política
organismos internacionais, sublinhando comum de promover a imagem da
a realização de reunião de trabalho das CPLP através da apresentação de
Ministras da Igualdade de Gênero da candidaturas dos seus Estados-Membros
CPLP em 15 de março de 2017, em a cargos e funções em organizações
Nova Iorque, à margem da 61.ª sessão internacionais, manifestando o endosso
da Comissão sobre a Situação da da CPLP às seguintes candidaturas, no
Mulher das Nações Unidas, e de reunião âmbito do sistema das Nações Unidas:
de trabalho dos Ministros da Saúde da - Professor Antônio Augusto Cançado

100 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


Trindade, do Brasil, candidato à suas atividades sejam estimuladas e
reeleição à Corte Internacional de aprofundadas.
Justiça, mandato 2018-2027;
- Conselheiro Fernando de Oliveira xi) Recordaram que a mobilidade e a
Sena, do Brasil, candidato à reeleição circulação no espaço da CPLP
como membro do Comitê Consultivo constituem um instrumento essencial
sobre Questões Administrativas e para o aprofundamento da Comunidade
Orçamentárias (ACABQ) da e a progressiva construção de uma
Assembleia Geral das Nações Unidas, cidadania da CPLP, e reiteraram a
mandato 2018-2020; necessidade de que sejam retomadas as
- De Portugal, ao Conselho Executivo discussões sobre o tema, levando em
da UNESCO, para o mandato 2017- conta as diferentes realidades de cada
2021. Estado-Membro.

vii) Saudaram a eleição do Embaixador xii) Enalteceram a forma pacífica como


Sílvio José de Albuquerque e Silva, do decorreram as eleições presidenciais em
Brasil, como perito independente do Timor-Leste, em 20 de março de 2017,
Comité para a Eliminação da e concordaram que a capacidade
Discriminação Racial das Nações demonstrada pelo país de conduzir o
Unidas, com mandato 2018-2021. processo eleitoral sem contar com ajuda
externa, em ambiente seguro e estável,
viii) Saudaram também a reeleição do representa importante sinal de
Embaixador José Luís Jesus, de Cabo amadurecimento da jovem democracia
Verde, ao cargo de Juiz do Tribunal timorense.
Internacional do Direito do Mar, na 27.ª
Sessão da Assembleia dos Estados xiii) Os Ministros reiteraram o pleno
Partes da Convenção das Nações respeito pela autonomia da Guiné-
Unidas sobre o Direito do Mar, a 14 de Bissau para conduzir sua política
junho de 2017, em Nova Iorque. interna, livre de interferências exógenas,
bem como a responsabilidade primária
ix) Congratularam-se com a cooperação dos atores políticos bissau-guineenses
entre a Organização das Nações Unidas na superação do impasse político.
(ONU) e a Comunidade dos Países de
Língua Portuguesa, inclusive nas áreas xiv) Tomaram boa nota da realização da
de desporto, de desenvolvimento 23.ª Conferência de Montreal do Fórum
sustentável, de engajamento da Económico Internacional das Américas,
sociedade civil, da igualdade de gênero entre os dias 12 e 15 de junho de 2017,
e da consolidação da paz. em Montreal, no Canadá, subordinado
ao tema geral “Um novo mundo:
Sublinharam a importância do gerindo a mudança”, que contou com a
relacionamento da CPLP com a ONU e participação da Secretária Executiva da
da Língua Portuguesa na cooperação CPLP.
com as organizações internacionais,
regionais e agências da ONU. 11. No âmbito da cooperação:
i) Reiteraram a relevância da
x) Assinalaram a importância do cooperação para o desenvolvimento
diálogo e da colaboração mantidos sustentável dos Estados-Membros, e
pelos Grupos CPLP nas diversas para a consolidação e a projeção
capitais e cidades-sede de organismos internacional da Comunidade.
internacionais, e recomendaram que

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 101


ii) Saudaram a determinação da CPLP acordo com a Nova Visão Estratégica
em associar-se à implementação da da CPLP.
Agenda 2030 para o Desenvolvimento
Sustentável, por meio da adoção da v) Tomaram nota da realização da VII
mesma como tema da presidência pro Reunião dos Pontos Focais do Governo
tempore brasileira, e o estabelecimento Eletrónico, de 13 e 14 de dezembro de
da CPLP como importante plataforma 2016, em Malabo; da 31ª Reunião do
para a troca de experiências e Secretariado Permanente dos Assuntos
cooperação, com vistas à da Defesa (SPAD) da CPLP, de 7 e 8 de
implementação dos Objetivos de março de 2017 em Lisboa; da IX
Desenvolvimento Sustentável nos Reunião dos Pontos Focais de Turismo
Estados-Membros. da CPLP, de 14 de março de 2017, na
Sede da CPLP, em Lisboa; do I
Nesse âmbito, saudaram a realização da Encontro dos Peritos em Estatísticas da
reunião técnica sobre a Agenda 2030, Educação da CPLP, de 22 de março de
em 18 de julho de 2017, em Brasília, 2017, na Sede da CPLP, em Lisboa; da
antecedida pela reunião para V Reunião Técnica de Pontos Focais da
estabelecimento de uma rede de pontos Educação, em 22 de março de 2017, na
focais para os Objetivos de Sede da CPLP, em Lisboa; da V
Desenvolvimento Sustentável (ODS) na Reunião Técnica de Pontos Focais da
CPLP, em 27 de março de 2017, em Ciência, Tecnologia e Ensino Superior,
Lisboa. de 27 e 28 de março de 2017, na Sede
da CPLP, em Lisboa; da III Reunião de
iii) Congratularam-se com as XXXIV e Pontos Focais do Centro de Informação
XXXV Reuniões de Pontos Focais de e Intercâmbio sobre Extensão da
Cooperação da CPLP, realizadas em Proteção Social (CIPS), de 28 e 29 de
março e julho de 2017, que propiciaram março de 2017, na Sede da CPLP, em
o avanço da reflexão sobre as suas Lisboa; da IV Reunião Ordinária da
atribuições. Rede de Institutos Nacionais de Saúde
Pública da Comunidade dos Países de
Nesse sentido, tomaram nota da decisão Língua Portuguesa (RINSP-CPLP), de
da XXXIV Reuniões de Pontos Focais 22 de abril de 2017, em Lisboa; da IX
de Cooperação da CPLP de realizar Reunião dos Diretores de Política de
seminário sobre a governança e gestão Defesa Nacional, em 18 de maio, em
da cooperação na CPLP, etapa final do Malabo; da VII Conferência de
processo de reflexão em curso, com Estatística da CPLP e Reunião dos
vistas ao aprimoramento da atuação do Presidentes e Diretores dos Institutos
órgão como assessor das instâncias da Nacionais de Estatísticas da CPLP, de
Comunidade nos assuntos afetos à 12 a 14 de junho de 2017, em São Tomé
cooperação. e Príncipe; da 1.ª Oficina de
Monitoramento Terapêutico de
iv) Ratificaram o Plano Estratégico de Antimaláricos e Vigilância de
Cooperação em Turismo na CPLP Resistência a Antimaláricos e VIII
(2016-2026), encaminhado pela IX Reunião da Rede de Investigação e
Reunião dos Ministros do Turismo da Desenvolvimento em Saúde da CPLP
CPLP, recordando que a atividade é um (RIDES-Malária), de 21 a 24 de março
importante vetor de desenvolvimento de 2017, em Petrópolis; da Primeira
socioeconómico dos países membros, e Oficina do Núcleo Lusófono da Parceria
que foi apontada como área prioritária MRV ("Measurement, Reporting and
de aprofundamento da cooperação, de Verification"), de 19 a 21 de junho de

102 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


2017, em Lisboa; do encontro de humanos, enquanto pilares da dignidade
planeamento final do Exercício Felino humana e do bem-estar das populações
2017, entre 26 a 30 de junho de 2017, dos Estados-Membros da CPLP,
no Rio de Janeiro; da Reunião Conjunta objetivo central de todos os esforços de
de Pontos Focais Agenda Digital para a cooperação intracomunitária. Nesse
CPLP e Pontos Focais da Governação sentido, destacaram a importância de
Eletrónica, de 29 e 30 de junho de 2017, aprofundar a discussão sobre a
em Guimarães. promoção e a proteção dos direitos
humanos no âmbito da CPLP, inclusive,
vi) Congratularam-se com o impacto por meio do intercâmbio de boas
das atividades de cariz cultural, práticas e pelo estímulo à cooperação
desportivo, e outras, que têm sido em formação e educação em matéria de
desenvolvidas nos Estados-Membros no direitos humanos.
âmbito da campanha “Juntos contra a
fome”, que permitiram um incremento x) Reafirmaram a cooperação
de visibilidade e notoriedade do tema, económica e empresarial como fator
regozijando-se com a aprovação do essencial para o crescimento inclusivo e
financiamento destinado às iniciativas: o desenvolvimento dos Estados-
“Projeto de Desenvolvimento de Boas Membros, para o fortalecimento dos
Práticas Agroecológicas e Educação laços entre povos e para a progressiva
Nutricional em Zandamela” afirmação internacional da CPLP.
(Moçambique); “Técnicas de Produção
de Transformação e Conservação de Instaram as entidades governamentais
Produtos Agropecuários e responsáveis a prosseguir esforços para
Empreendedorismo” (Cabo Verde). a concertação de um quadro articulado
de ações que garantam uma maior
Manifestaram a sua satisfação com a inclusão e interação dos agentes
realização da 4.ª edição da Corrida económicos e das economias dos
Juntos contra a fome, de 16 de julho de Estados-Membros, através do
2017, em Cascais. incremento do comércio, do
investimento e da melhoria do ambiente
vii) Congratularam-se com a adoção de negócios no espaço da CPLP.
pela II Reunião Extraordinária do
CONSAN-CPLP do Plano Indicativo de 12. No âmbito da ação cultural,
Trabalho da Estratégia de Segurança promoção e difusão da língua
Alimentar e Nutricional – ESAN CPLP portuguesa, os Ministros:
(2017-2018), que consolida linhas de i) Saudaram a realização da X Reunião
ação mais eficazes para o aumento da de Ministros da Cultura da CPLP, em
segurança alimentar no seio da Salvador, no dia 5 de maio de 2017, Dia
Comunidade. da Língua Portuguesa e da Cultura na
CPLP, e nesse âmbito:
viii) Congratularam-se com o 30.º
aniversário da Agência Brasileira de Enalteceram a Declaração sobre Capital
Cooperação, instituição que tem da Cultura da CPLP, regozijando-se
desempenhado papel relevante na área com a escolha da cidade de Salvador
de cooperação técnica junto aos como a Capital da Cultura da CPLP até
Estados-Membros da CPLP. o final da presidência pro-tempore
brasileira;
ix) Reafirmaram o seu compromisso
com a defesa e a promoção dos direitos

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 103


Saudaram a adoção da Resolução sobre Permanente, do módulo I do Programa
a Criação da “Comissão de Patrimônio CPLP Audiovisual - segunda edição,
Cultural da CPLP”, que reunirá as recordando o sucesso na implementação
instituições públicas dos Estados- da sua primeira edição.
Membros incumbidas da preservação e
salvaguarda do patrimônio cultural; iv) Aprovaram, mediante proposta do
Comité de Concertação Permanente, por
Regozijaram-se com o apoio dos recomendação do Conselho Científico
Ministros da Cultura da CPLP à do Instituto Internacional da Língua
candidatura do Centro Histórico de Portuguesa (IILP), que o próximo
Mbanza Congo a Patrimônio Mundial Diretor Executivo do IILP tomará posse
da UNESCO e com a inclusão dos sítios a 1 de janeiro de 2019, de modo a que o
Centro Histórico de Mbanza Congo, em seu mandato e o dos Diretores
Angola, e Cais do Valongo, no Brasil, subsequentes se ajustem ao mandato de
na Lista do Patrimônio Mundial, Secretário Executivo da CPLP.
durante a 41.ª sessão do Comité do
Património Mundial (Polónia, julho de Aprovaram, ainda, que o mandato da
2017), destacando a relação histórica e atual Diretora Executiva seja estendido
simbólica entre ambos; até 31 de dezembro de 2018.

Congratularam-se com a assinatura de v) Tomaram nota do projeto de “Ensino


Protocolo Adicional ao Tratado de e Formação em Língua Portuguesa”,
Amizade, Cooperação e Consulta entre submetido ao Comité de Concertação
Brasil e Portugal, criando o Prêmio Permanente pela Guiné Equatorial, e
Monteiro Lobato de Literatura para a recomendaram que tenha os seus termos
Infância e Juventude, destinado a desenvolvidos pelo Secretariado
escritores e ilustradores dos Estados- Executivo, para eventual aprovação
Membros da CPLP; e pelo CCP.

Tomaram nota, com apreço, da vi) Aprovaram a Resolução sobre o


assinatura do Programa Conjunto entre Plano de Ação de Díli (2016), o qual,
o Ministério da Cultura do Brasil e o em conjunto com os Planos de Ação de
Ministério da Cultura de Angola, que Brasília (2010) e de Lisboa (2013),
propiciará o aprofundamento das define estratégias globais para a
relações culturais entre os dois países. promoção e a difusão da língua
portuguesa, e recomendaram sua adoção
ii) Notaram com agrado, o relevante pela XII Conferência de Chefes de
número de eventos alusivos ao Dia da Estado e de Governo da CPLP.
Língua Portuguesa e da Cultura na
CPLP em todo o mundo, em 2017, e vii) Reiteraram as recomendações da IX
encorajaram Estados-Membros e Conferência de Chefes de Estado e de
Observadores Associados a seguirem Governo (Maputo, 2012) e da XVI
honrando a efeméride com ações de Reunião Ordinária do Conselho de
difusão e promoção da Língua Ministros da CPLP (Luanda, 2011),
Portuguesa, junto às respectivas para que se envidem esforços voltados à
comunidades nacionais, suas diásporas, adoção da língua portuguesa como
e ao público em geral. língua de trabalho ou língua oficial das
organizações multilaterais de que os
iii) Congratularam-se com a aprovação, Estados-Membros da CPLP fazem
pelo Comité de Concertação parte.

104 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


viii) Expressaram sua expectativa de Científico do IILP, sobre os sistemas de
que o IILP possa consolidar-se no certificação de português para
âmbito da CPLP, como o principal estrangeiros, possa avançar no sentido
fórum de planejamento de ações e de do reconhecimento recíproco entre os
identificação e articulação das certificados de proficiência existentes
instituições encarregadas da realização nos Estados-Membros.
de projetos de difusão e promoção da
língua portuguesa. xii) Manifestaram sua satisfação com o
anúncio de que o Governo do Brasil
ix) Tomaram nota das seguintes coordenará em parceria com o Museu
propostas da presidência pro tempore da Língua Portuguesa, exposições do
brasileira referentes a atividades do seu acervo nos Estados-Membros da
IILP: CPLP, que serão iniciadas,
preferencialmente, durante a presidência
Coordenar o desenvolvimento de um pro tempore brasileira.
dicionário das diferentes variantes da
língua portuguesa e de gramática xiii) Tomaram nota, com satisfação, da
comparativa da língua portuguesa, a proposta da Fundação Alexandre
partir do trabalho desenvolvido no Gusmão, do Brasil, de promover uma
Vocabulário Ortográfico Comum; publicação dedicada às perspectivas da
CPLP, com contributos de todos os
Incorporar no projeto "Portal do Estados-Membros.
Professor Português Língua
Estrangeira" material digital referente à 13. Os Ministros aprovaram os
difusão da língua portuguesa junto às seguintes documentos:
diásporas; (i) Resolução sobre o Documento de
Operacionalização da Nova Visão
Sugerir o desenvolvimento de ações Estratégica (2016-2026);
conjuntas dos Estados-Membros no (ii) Resolução sobre o Reforço da
sentido de promover a Língua Cooperação com os Observadores
Portuguesa entre os estrangeiros e entre Associados;
as diásporas, a partir da avaliação dos (iii) Resolução sobre a Concessão da
Planos de Ação resultantes das Categoria de Observador Consultivo;
Conferências sobre o Futuro da Língua (iv) Resolução sobre o Plano de Ação
Portuguesa no Sistema Mundial. de Díli;
(v) Resolução sobre a Auditoria
x) Cumprimentaram o IILP pelo início Conjunta às Contas de 2015 do
do projeto de Terminologias Científicas Secretariado Executivo;
e Técnicas Comuns da Língua (vi) Resolução sobre o Orçamento de
Portuguesa (TCTC), iniciativa Funcionamento do Secretariado
fundamental para o reforço da Língua Executivo para 2018;
Portuguesa na área da Ciência e (vii) Resolução sobre o Orçamento de
Inovação. Funcionamento do IILP para o ano de
2018;
Indicaram sua expectativa de que a (viii) Resolução sobre a Revisão dos
primeira fase do projeto seja finalizada Estatutos de 2012;
em 2018. (ix) Resolução sobre o Reforço da
Capacidade de Atuação dos Pontos
xi) Expressaram a sua expectativa de Focais de Cooperação da CPLP.
que a discussão iniciada pelo Conselho

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 105


14. Os Ministros agradeceram e e ao Tribunal de Contas de Cabo Verde
aceitaram o oferecimento da República pela colaboração e trabalho realizados
de Cabo Verde para acolher, em 2018, a em estreita coordenação com o
XXIII Reunião Ordinária do Conselho Secretariado Executivo da CPLP;
de Ministros da CPLP.
2. Congratular-se com os resultados da
15. Os Ministros congratularam o Auditoria Conjunta às Contas de 2015,
governo da República Federativa do que refletem um esforço meritório do
Brasil, na figura do Ministro Aloysio Secretariado Executivo da CPLP para a
Nunes Ferreira, pela organização da boa administração dos recursos.
XXII Reunião Ordinária do Conselho
de Ministros da CPLP, e expressaram Feita em Brasília, a 20 de julho de 2017.
agradecimento pela hospitalidade e pelo
acolhimento dispensado a todos os RESOLUÇÃO SOBRE O
participantes. REFORÇO DA COOPERAÇÃO
COM OS OBSERVADORES
Feito e assinado em Brasília, em 20 de ASSOCIADOS
julho de 2017.
O Conselho de Ministros da
RESOLUÇÃO SOBRE O Comunidade dos Países de Língua
RELATÓRIO DE AUDITORIA Portuguesa (CPLP), reunido em
CONJUNTA ÀS CONTAS DE 2015 Brasília, na sua XXII Reunião
DO SECRETARIADO EXECUTIVO Ordinária, no dia 20 de julho de 2017;
DA CPLP
Tendo em consideração o disposto nos
O Conselho de Ministros da números 1, 2 e 3 do artigo 7.º dos
Comunidade dos Países de Língua Estatutos da Comunidade, assim como o
Portuguesa (CPLP), reunido em Regulamento dos Observadores
Brasília, na sua XXII Reunião Associados da CPLP;
Ordinária, no dia 20 de julho de 2017;
Reconhecendo o valor potencial do
Tendo apreciado o Relatório de contributo dos Observadores
Auditoria Conjunta às Contas de 2015 Associados para a prossecução dos
do Secretariado Executivo da CPLP, objetivos estatutários da CPLP;
elaborado conjuntamente pelo Tribunal
de Contas da União, do Brasil, e pelo Atendendo à orientação dos Chefes de
Tribunal de Contas de Cabo Verde, em Estado e de Governo da CPLP, reunidos
conformidade com o ponto 2.15 do na sua XI Conferência em Brasília, nos
Capítulo 2 da Secção I do Guia dos dias 31 de outubro e 1 de novembro de
Procedimentos Financeiros da CPLP, e 2016, para apresentação de estratégias
por solicitação do Secretariado para intensificar o envolvimento dos
Executivo à Organização das Observadores Associados com a
Instituições Supremas de Controlo da Comunidade;
CPLP;
Considerando as orientações para a
Nova Visão Estratégica da CPLP,
DECIDE: designadamente para potencializar a
cooperação dos Observadores
1. Manifestar o reconhecimento ao Associados com a Comunidade por
Tribunal de Contas da União, do Brasil,

106 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


meio de parcerias na implementação de Adotado pela XV Reunião Ordinária do
iniciativas e projetos; Conselho de Ministros da CPLP,
celebrada em Luanda, em 2010, o
DECIDE: Regulamento dos Observadores
Associados (ROA) define as condições
1. Aprovar as Propostas para o Reforço de atribuição, manutenção e
da Cooperação com os Observadores funcionamento da categoria de
Associados, em anexo à presente Observador Associado da CPLP. O
Resolução. ROA prevê, entre outras iniciativas, o
estabelecimento de parcerias para a
implementação de projetos, assim como
ANEXO a possibilidade de cofinanciamento de
programas, projetos e ações, o que
constituiu um amplo potencial de
Propostas para o Reforço da cooperação que importa capitalizar.
Cooperação com os Observadores
Associados Constata-se, contudo, que parte
significativa desse potencial permanece
por realizar, não tendo sido
1. Introdução implementadas ações com impacto
significativo até o momento. De facto,
"Faz todo o sentido a CPLP ter uma não existe, ainda, na CPLP, uma
política de abertura relativamente a estratégia deliberada e concertada sobre
outros Estados que queiram fazer parte a captação e o envolvimento de Estados
desta comunidade (...) o que de certa Observadores e sobre o que dos mesmos
maneira significa o reconhecimento, se pretende.
por parte de outros Estados, da
importância que a CPLP pode vir a Assim, em novembro último, a
ter." (Fernando Jorge Cardoso, Centro Conferência de Chefes de Estado de
de Estudos Internacionais, ISCTE - Estado e de Governo instou o
Instituto Universitário de Lisboa). Secretariado Executivo (SECPLP), em
coordenação com os Estados-membros,
O número crescente de países que a propor estratégias para intensificar o
solicitam a categoria de Observador envolvimento dos Observadores
Associado da CPLP revela a projeção Associados (“OA”) e a potencializar a
que a Organização tem vindo a adquirir, cooperação entre ambas as partes.
ao mesmo tempo que contribui para a
sua continuada afirmação enquanto Também à luz da Nova Visão
fórum multilateral de cooperação e Estratégica 2016-2026, a Organização
parceiro internacional de relevo, deve considerar opções que permitam
permitindo-lhe, também, dispor de uma aumentar a sua influência no contexto
rede de parcerias de alcance geográfico internacional, adotando medidas que
cada vez mais alargado. permitam expandir a CPLP (e, por
consequência, o uso da língua
A expansão da Comunidade para além portuguesa) e reforçar o envolvimento
dos seus Estados-membros, através da com e a participação dos OA com a
figura do Observador Associado, Comunidade.
concede, para além de escala, influência
geopolítica e peso económico no Nesse seguimento, o presente
contexto internacional. documento procura fornecer um ponto

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 107


de partida para a identificação de ações República Checa, República Eslovaca e
e mecanismos que decorrem dos vários República Oriental do Uruguai. Destes,
elementos que compõem o quadro oito novos Observadores Associados
definido pelo Regulamento dos foram admitidos desde 2014, o que
Observadores Associados (“ROA”), aponta para o recente crescimento do
procurando complementá-lo. Afigura-se interesse na CPLP junto à comunidade
que o seguimento da eficácia das ações internacional.
que venham a ser preconizadas
permitirá apreciar a pertinência de uma Some-se a essas recentes admissões a
eventual alteração do ROA, no sentido formalização dos pedidos de mais dois
de nele incluir aquelas ações que se Estados, Costa do Marfim e Sérvia,
tenham revelado de interesse, assim além de manifestações informais de
como de suprir omissões ou aclarar interesse e consultas realizadas por
sobreposições. outros Estados e Organizações.

2. Contexto Entre as razões apontadas pelos


interessados figura a importância das
O Estatuto de Observador foi criado na relações bilaterais (políticas,
IIª Conferência de Chefes de Estado e económicas, culturais) existentes, com
de Governo da CPLP, em Julho de um ou diversos Estados-membros; e/ou
1998, na Cidade da Praia, tendo em o desejo de as aprofundar com os
vista o “interesse de promover o demais; o interesse em retomar relações
diálogo permanente e de intensificar a históricas, reconfiguradas em função de
cooperação com outros Estados, (…), alterações ocorridas no sistema
que promovam políticas de acordo com internacional; a crescente
os objetivos da CPLP”. internacionalização da Língua
Portuguesa; as oportunidades de
Em 2005, no Conselho de Ministros da concertação político-diplomática; a
CPLP, reunido em Luanda, afirmação da Organização em diversos
estabeleceram-se as categorias de setores; e as perspetivas de cooperação
Observador Associado e de Observador económica e comercial, entre outros.
Consultivo. Com esta resolução, abriu-
se uma janela de oportunidade para o A atribuição da categoria de Observador
potencial ingresso institucional de Associado responde ao desígnio
Estados, organismos internacionais ou expresso na Declaração Constitutiva de
entidades territoriais terceiros sob o ‘encarecer a progressiva afirmação
Estatuto de Observador Associado, internacional do conjunto de Países de
mediante acordo dos Estados-membros Língua Portuguesa’ e pode levar à
da CPLP. constituição de uma rede formal, cada
vez mais alargada, e por conseguinte
Em 2010, o Conselho de Ministros mais diversificada, de parcerias com
adotou o Regulamento dos elevado potencial de cooperação nas
Observadores Associados (ROA), acima diferentes áreas de ação da CPLP, as
referido. quais devem gerar vantagens acrescidas
para ambas as partes.
A CPLP conta atualmente com dez
Observadores Associados: República da Verifica-se, entretanto, que o
Maurícia, República do Senegal, envolvimento dos Observadores com a
Geórgia, Japão, República da Namíbia, Organização é reduzido e a respetiva
República da Turquia, Hungria, participação em programas ou projetos

108 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


de cooperação está ainda por domínio da promoção e difusão da
concretizar. Língua Portuguesa e a concertação
político-diplomática, podendo, no
Das ações ou iniciativas realizadas, entanto, aplicar-se a todas as áreas de
merece referência a contribuição cooperação nas quais a CPLP
financeira realizada pela República desenvolve ações específicas’, ficando
Checa, destinada à implementação de assim abrangidos os três pilares da
uma ação ainda por definir; assim como Organização;
as visitas de responsáveis – O n.º 2 do mesmo artigo assegura o
governamentais, com destaque para a alinhamento com o acervo em vigor,
visita do Presidente do Senegal; as incluindo não só os documentos de
visitas de trabalho efetuadas à Namíbia; caráter estratégico mas também os
à República Checa e, mais setoriais;
recentemente, ao Japão; a participação – O n.º 3 exemplifica as formas de ação
dos Observadores nas visitas de altos concreta que a colaboração pode
dignitários dos Estados-Membros; a revestir: Concertação político-
participação em eventos organizados diplomática; Troca de informações;
pelo SECPLP, entre outros. Difusão de informação por canais
próprios, mediante pedido expresso;
Nesse sentido, a XI Conferência de Constituição de hiperligações
Chefes de Estado e de Governo da recíprocas nos sítios oficiais na
CPLP, reunida em Brasília, ecoando Internet; Parcerias na implementação
orientação já identificada por ocasião da de projetos no âmbito da CPLP; Apoio
discussão e elaboração da Nova Visão às iniciativas da CPLP junto de outras
Estratégica da CPLP, “ressalta o papel Organizações Internacionais;
de relevo que os Observadores Contribuições voluntárias para o Fundo
Associados podem desempenhar nas Especial da CPLP, preferencialmente
atividades da CPLP e insta o SECPLP, para o cofinanciamento de programas,
em coordenação com os Estados- projetos e ações de promoção e difusão
membros, a propor estratégias para da Língua Portuguesa e da cultura dos
intensificar o envolvimento dos Estados membros da CPLP;
Observadores com a Organização”. – O art.º 9º prevê duas formas possíveis
de cooperação:
3. Enquadramento Normativo o Parceria na implementação de
projetos no âmbito da promoção e
Delimitado o contexto que preside a divulgação da Língua Portuguesa, bem
este exercício, importa identificar o como em outras vertentes de
quadro em que se desenrola a parceria, cooperação;
fornecido pelo ROA, e sobre o qual o Cofinanciamento de programas,
incidirão as ações a implementar. projetos e ações;
– Em qualquer destas modalidades, e
Para além de definir as condições de conforme dispõe o n.º 2 deste artigo, os
atribuição e manutenção da categoria de programas, projetos e iniciativas de
Observador Associado, o ROA prevê, cooperação serão previamente
no Capítulo III, artigos 8.º e 9.º, o aprovados pelas competentes instâncias
estabelecimento de uma parceria, bem da CPLP, e deverão conter os elementos
como as formas que esta pode revestir: previstos nos dispositivos comunitários
– O art.º 8 indica que a colaboração que regulamentam a matéria.
entre os Observadores e a CPLP
‘compreende, particularmente, o

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 109


Para além da condição preferencial entende-se que a parceria deverá atender
como parceiros institucionais em às especificidades em presença,
atividades da CPLP, o art.º 10.º prevê a privilegiando, em cada caso, os setores
possibilidade de participação, sem de interesse comum, em estreito
direito de voto, na Conferência de alinhamento com a estratégia de ação da
Chefes de Estado e de Governo, nos CPLP e com os Objetivos de
Conselhos de Ministros; e em reuniões Desenvolvimento Sustentável da
técnicas, podendo os Estados, a Agenda 2030.
qualquer momento, decidir que os
Observadores não assistam a parte, ou à Por último, o reforço da cooperação
totalidade de uma reunião. Está previsto com os Observadores beneficiará
o acesso a informação não classificada amplamente do contributo a fornecer
resultante destas reuniões, assim como a por outros órgãos que, em razão das
possibilidade de apresentar suas competências, poderão promover
comunicações, mediante autorização iniciativas de cooperação pertinentes
por consenso prévio entre os Estados- para este processo.
Membros. Sistematizam-se as seguintes propostas:

De entre os ‘Deveres’ que o art.º 11º i) Elementos que enformam a


atribui aos Observadores, e para além parceria
do apoio e promoção dos princípios
orientadores consagrados nos Estatutos A. Em complemento do art.º 10.º
da CPLP, está prevista a apresentação 1) a realização de reuniões periódicas (a
de um relatório bienal de atividades que definir), entre os Observadores e o
se enquadrem nos fins estatutários da Secretariado Executivo, de caráter
CPLP, em particular no que respeita ao informativo, no âmbito da
estado de implementação do Plano de preparação/realização das reuniões de
Ação de Promoção e Difusão da Língua Conselho de Ministros e das
Portuguesa. Conferências de Chefes de Estado e de
Governo, por exemplo, e reuniões
4. Propostas técnicas, centradas nos diferentes
setores da cooperação, que forneçam
As propostas que se apresentam não só informação sobre iniciativas e
incidem sobre dois aspetos: i) os projetos em curso, como a possibilidade
elementos que enformam a parceria, e de os Observadores analisarem a sua
que estão referidos no clausulado do eventual participação e respetivos
ROA, com vista a complementá-los; e moldes. Propõe-se a realização de uma
ii) os setores de cooperação que poderão reunião com todos os Observadores
consubstanciar essa mesma parceria ainda no primeiro semestre de 2017,
através da implementação de iniciativas antes da Reunião Ordinária do Conselho
e projetos. de Ministros (em complemento do art.º
Por outro lado, atendendo à diversidade 10.º);
dos Observadores Associados e ao 2) a realização periódica (a definir), sob
quadro diferenciado de relacionamento proposta da presidência, de um Comité
que mantêm com a CPLP, em virtude de Concertação Permanente aberto à
não só dos respetivos perfis, mas participação dos Observadores
também das diferentes motivações Associados, mediante a definição de
(sejam históricas, geográficas, políticas, uma agenda preparada para o efeito
económicas, ou culturais) que estão na (aquando da apresentação dos relatórios
base da sua aproximação à Organização, bienais; da preparação do Conselho de

110 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


Ministros ou da Cimeira, por exemplo); designadamente mediante a
3) a definição de modalidades relativas disponibilização dos Planos de
à participação dos Observadores Atividade, dos Planos de Ação, dos
Associados nas reuniões do Conselho Memorandos de Entendimento
de Ministros e na Conferência de celebrados com o IILP, dos relatórios
Chefes de Estado e de Governo; bienais, entre outros documentos
4) a análise, por parte dos Secretariados considerados relevantes; de mais
Técnicos/ Reunião de Pontos Focais conteúdos em matéria de cooperação e
Setoriais, da inclusão de temas sobre as realidades económicas,
relevantes para a parceria – ou com comerciais, culturais; da inclusão de
vista ao estabelecimento da mesma – na mais hiperligações para portais de
agenda das reuniões Ministeriais internet de referência, a indicar pelos
Setoriais e participação dos Observadores; e através do boletim
Observadores e respetivos moldes; eletrónico em preparação e dentro da
5) promover a participação dos linha editorial que este venha a ter;
Observadores na Reunião de Pontos  Disponibilizar o site CPLP também
Focais de Cooperação, em moldes em língua estrangeira que possibilite a
julgados adequados, mediante os temas difusão da informação da Comunidade
em agenda e a potencial – ou já por Estados não lusófonos (uma vez que
concretizada – participação em projetos. os Observadores não são lusófonos) – a
título de exemplo, os sites da
B. Em complemento do art.º 8.º Commonwealth e da La Francophonie
 co-organização de eventos na Sede da estão disponíveis noutras línguas.
CPLP, de caráter cultural; académico ou Enquanto o site não está disponibilizado
de divulgação/informação, em língua estrangeira, poder-se-á
(conferências; palestras; exposições, divulgar um “passaporte” CPLP
mostras), junto do público em geral, dos (documento síntese de apresentação da
Observadores Consultivos e dos meios CPLP em língua estrangeira)
de comunicação social (em
complemento do art.º 9.º); C. Relativamente aos Planos referidos
 ainda quanto à organização de no art. 4.º e ao relatório referido no
eventos na Sede, promovidos pelo art. 11.º:
SECPLP, ou em parceria com outras  Elaborar um modelo com as linhas
entidades, procurar integrar, sempre que principais que devem constar do Plano
possível, uma dimensão relativa aos de Atividades, do Plano de Ação, assim
OA, que estimule a sua participação, como do relatório bienal, no sentido de
numa perspetiva de intercâmbio de facilitar a operacionalização da parceria,
informação ou de boas práticas relativas de harmonizar os referidos documentos,
às matérias em debate nesse evento; de balizar o seu escopo e a respetiva
 intensificar a comunicação e a troca prestação de contas.
de informação com os Observadores
sobre as atividades da CPLP, com ii) Áreas potenciais para o
especial destaque para as matérias de estabelecimento de parcerias e
relevo, sistematizando procedimentos projetos conjuntos
internos entre diferentes departamentos A. No âmbito da concertação político-
do SECPLP relevantes para o efeito; diplomática
 intensificar a divulgação de A concessão da categoria de
informação sobre os Observadores e a Observador Associado cria um quadro
respetiva parceria com a CPLP junto do permanente propício ao reforço da
público, através do Portal da CPLP, concertação político-diplomática, em

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 111


torno dos diversos assuntos que possam canalizada diretamente à entidade
ter relevância em diferentes momentos executora. A dispensa da aplicação do
ou contextos, estimando-se que possa regime do Fundo Especial pode
caber à presidência em exercício um viabilizar a contribuição de entidades
papel preponderante nesta matéria, a (agências nacionais de cooperação, por
qual poderá constar dos respetivos exemplo) que estejam obrigadas ao
planos de ação. desembolso direto às entidades
executoras, o que permitiria alargar o
Em termos genéricos, afigura-se de acesso a fontes de financiamento. Em
interesse: qualquer dos casos, isto é, via Fundo
1) Estimular, em modalidades a definir Especial ou financiamento direto, o
em estreita articulação com a projeto está sujeito às formalidades de
presidência, o apoio dos Observadores aprovação aplicáveis.
às iniciativas da CPLP ou posições
comuns no âmbito de outras Por outro lado, e com a mesma
Organizações Internacionais (ex: preocupação de obter resultados
Resolução que a CPLP apresenta no relevantes, considera-se adequada a
âmbito do Estatuto de Observador da possibilidade de proceder à definição e
ONU. A última contou com o apoio do formulação inicial de projetos, com a
Japão e da Turquia); participação concetual dos Estados-
2) Promover a acreditação dos membros e da Direção de Cooperação,
Embaixadores dos Países Associados, podendo a respetiva implementação
conforme previsto na resolução sobre compreender a participação de agências
esta matéria, aprovada na XXII ROCM, dos Observadores, devidamente
realizada em 2008, em Lisboa; monitorizada pela CPLP.
3) Encorajar a visita à sede da CPLP de
responsáveis governamentais, dos Neste contexto, afigura-se de interesse
diferentes setores de relevo para a criar uma matriz de questionário, que
parceria; permita a identificação dos setores ou
4) Estimular o contacto, em países temas de maior interesse em que
terceiros, entre as representações pretendam cooperar com a CPLP, ou até
diplomáticas de países Observadores e o de boas práticas em que tenham
Grupo CPLP. adquirido notoriedade e
reconhecimento. Apurados os
B. No âmbito da cooperação setores/temas ou boas práticas,
No que respeita à participação dos proceder-se-ia ao cruzamento com as
Observadores em projetos do âmbito da prioridades da CPLP, dando primazia ao
cooperação, reitera-se a importância de alinhamento com a agenda da ONU
serem aplicadas fórmulas que para os Objetivos do Desenvolvimento
salvaguardem as especificidades do Sustentável – que a CPLP assumiu,
caso em presença e favoreçam a escolha também, como tema estratégico na
de temas ou áreas que correspondam a Nova Visão Estratégica 2016-2016 –, o
um maior interesse, como forma de que facilitaria a identificação de
potencializar os resultados esperados. modalidades concretas de contribuições
para projetos ou iniciativas em curso, ou
No que toca ao financiamento, a perspetivadas.
aplicação do regime do Fundo Especial
poderá admitir exceções, por exemplo, Em termos de setores, oferecem
perante um projeto em que a possibilidades relevantes de
contribuição do Observador é cooperação:

112 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


• Educação para o desenvolvimento e mestrado, doutoramento) em
cidadania; instituições dos Observadores
• Segurança alimentar e nutricional; Associados:
• Energia para o desenvolvimento i. identificação de possibilidades de
sustentável; atribuição de bolsas de estudos;
• Juventude e desporto; ii. partilha de informação aquando da
• Sociedade civil; abertura de concursos para atribuição de
• Saúde e Género; bolsas de estudos, por forma que
• Mares e oceanos; possamos divulgar junto da comunidade
• Trabalho infantil; académica dos nossos Estados-
• Governação eletrónica e Agenda membros.
digital; 3) Possibilidade de contribuição dos
• Direitos humanos; Estados Associados para o «Fundo
• Ambiente e Turismo. CPLP para bolsas académicas», a ser
constituído a partir da reestruturação do
No campo da Educação, Ciência, Prémio José Aparecido de Oliveira.
Tecnologia e Ensino Superior podem
ser enumeradas algumas propostas No campo da Ação Cultural, propõe-se
específicas: a partilha de informação sobre eventos
1) No âmbito dos Portais da Educação e culturais e científicos alusivos à
da Ciência, Tecnologia e Ensino diversidade cultural e outras temáticas
Superior, é possivel avançar com uma alusivas à CPLP que os Estados
“partilha de informação e recursos”, que Observadores Associados desenvolvam
possibilite: nos seus contextos nacionais.
i. partilha de informação sobre os
sistemas educativos e de ensino Finalmente, as seguintes ações
superior, ciência e tecnologia desses concretas foram identificadas na esfera
países (à semelhança do separador da Biblioteca e do Centro de
criado para a Comissão Temática da Documentação da CPLP (BCD):
Educação, Ensino Superior, Ciência e 1) inclusão dos Observadores no
Tecnologia dos Observadores conjunto de destinatários do Boletim
Consultivos da CPLP, é possível criar mensal de novidades bibliográficas, ao
um espaço para os Observadores nível das estruturas nacionais a serem
Associados); identificadas para o efeito, bem como
ii. partilha de ligação a recursos em outros instrumentos de divulgação a
científicos, incluindo revistas científicas serem futuramente considerados;
com revisão de pares; iii. partilha de 2) promoção de montras temáticas sobre
ligação a Recursos Pedagógicos e os países Observadores com base em
Didáticos (vocacionados para a bibliografia que estes entendessem
formação de professores); iv. partilha de designar e enviar para o efeito, a título
informação sobre eventos académicos e de empréstimo ou oferta para o fundo
científicos, bolsas e prémios de da BCD, nomeadamente para assinalar
investigação; os respetivos Dias Nacionais;
v. facilitação do contacto com 3) divulgação da BCD – os seus
instituições do ensino superior e centros recursos bibliográficos e serviços –
de investigação dos Estados membros. junto dos Observadores de forma a
2) Bolsas de estudos destinadas aos promover e estimular o interesse pela
estudantes dos Estados-membros da produção de trabalhos académicos e
CPLP para frequência de ciclos de científicos sobre a CPLP, a serem
estudos do ensino superior (licenciatura, posteriormente integrados no acervo da

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 113


BCD ficando disponíveis para consulta de Ação poderá ser concretizado por
pública dos seus utilizadores; instrumento específico para o efeito
4) com vista a fomentar o intercâmbio junto das instâncias competentes da
de informação: CPLP. Esta disposição serviu de base à
a. disponibilizar em portais de internet celebração do Memorando de
de referência, a indicar pelos Cooperação Técnica de Entendimento
Observadores, um acesso direto ao entre o Instituto Internacional da Língua
catálogo bibliográfico da BCD; Portuguesa (IILP) e a Turquia e, mais
b. estimular o empréstimo inter- recentemente, entre o IILP e a Namíbia.
bibliotecas, como forma de facilitar o São Memorandos que têm por objeto
acesso ao fundo bibliográfico da BCD desenvolver ações de promoção da
e, reciprocamente, corresponder e Língua Portuguesa, que vão desde a
satisfazer as exigências de pesquisa dos produção de contributos para o
utilizadores da BCD; desenvolvimento de legislação,
c. oferecer bibliografia excedentária a planificação da educação linguística,
instituições dedicadas à promoção da formação de quadros e professores,
língua portuguesa, a serem identificadas assim como o desenvolvimento de
pelos Observadores, como forma de projetos em contextos definidos pelo
divulgar a produção literária, em país.
português, relativa a temas relevantes da
agenda da Comunidade e dos seus Na esfera do IILP, as seguintes ações
Estados-membros; são propostas:
5) divulgação de informação de 1) Convite para participação de
interesse sobre os países Observadores, representantes dos Observadores
na página do facebook da BCD, Associados para as reuniões ordinárias
nomeadamente de atividades relativas à do Conselho Científico, com o objetivo
produção literária em língua portuguesa; de permitir:
6) eventual criação de uma biblioteca a) um maior conhecimento das ações e
digital, a ficar disponível na página web da dinâmica do IILP; e
da CPLP/BCD, com e-books e outras b) uma maior articulação entre a
publicações de caráter científico, Direção Executiva e os referidos
histórico e/ou cultural, bem como de Observadores.
outra bibliografia considerada A participação dos Observadores
pertinente no âmbito da cooperação Associados nas Reuniões do Conselho
com a CPLP; e Científico do IILP ocorrerá de acordo
7) eventual promoção de atividades de com o plasmado nos estatutos em vigor
partilha de informação, como tertúlias e com os critérios a serem definidos
ou debates académicos, ao nível de pelas Comissões Nacionais dos Estados-
docentes e/ou investigadores dos países Membros.
Observadores no espaço da BCD, sobre
produção literária em língua portuguesa 2) Realização de uma Reunião Técnica
e/ou temática diversa e pluridisciplinar com os Observadores Associados, com
em matérias de interesse comum. os seguintes objetivos:
a) Compreender a tipologia de ações
C. No âmbito da promoção e difusão desenvolvidas para a promoção da
da Língua Portuguesa Língua Portuguesa (de ensino, de
Importa referir que o ROA prevê, no caráter cultural, entre outras);
seu art.º 4.º, relativo ao processo de b) Projetar, com os Observadores
candidatura e respetivos elementos, Associados e pontos focais dos mesmos,
designadamente na al. c), que o Plano um conjunto de atividades a serem

114 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


programadas e realizadas nos respetivos divergiram. No entanto, mantivemos
países para a promoção da Língua uma relação cordial e era sempre um
Portuguesa e da cultura dos países de prazer renovado, quando o encontrava,
Língua Portuguesa, numa visão desfrutar de sua prosa culta e
pluricêntrica. inteligente.
A planificação desta reunião envolveria
Em meu nome e no do Itamaraty,
o IILP e o SECPLP.
recebam sua família e seus amigos a
expressão de nossa tristeza.
3) Dar continuidade a iniciativas de
diálogo e atividades em curso com
alguns dos Observadores Associados e Aloysio Nunes Ferreira
dar início a iniciativas análogas com os Ministro das Relações Exteriores
demais Observadores.

Com caráter transversal de difusão da NOVO ACORDO DE


Língua Portuguesa no mundo: COMPLEMENTAÇÃO
4) Alavancando a proposta aprovada ECONÔMICA ENTRE OS PAÍSES
pela XI Cimeira de Chefes de Estado e SIGNATÁRIOS DO TRATADO DE
de Governo da CPLP para que o ASSUNÇÃO E A COLÔMBIA
português seja uma língua oficial nas 21/07/2017
Nações Unidas, desenvolver um plano
O Ministro das Relações Exteriores,
de ação e influência conjunto para que a
Aloysio Nunes Ferreira, e o Ministro da
dita declaração ganhe concretização.
Indústria, Comércio Exterior e Serviços,
Marcos Pereira, assinaram hoje, pelo
5) Incentivar os Observadores
Brasil, um novo acordo econômico-
Associados a valorizar as Comunidades
comercial entre os países signatários do
que nos seus territórios falam a Língua
Tratado de Assunção (Brasil, Argentina,
Portuguesa, apoiando a preservação e o
Paraguai e Uruguai) e a Colômbia. A
desenvolvimento das suas
cerimônia de assinatura ocorreu à
especificidades linguísticas e culturais
margem da Cúpula Presidencial do
e, sempre que possível, integrando
Mercosul, em Mendoza, Argentina.
projetos dirigidos a estas Comunidades
nos seus Planos de Ação para a O Acordo amplia a liberalização do
Promoção e Difusão da Língua comércio brasileiro com a Colômbia de
Portuguesa. 84% para 97% da pauta tarifária, a
partir de janeiro de 2018, beneficiando
DECLARAÇÃO DO MINISTRO especialmente os setores têxtil,
ALOYSIO NUNES FERREIRA siderúrgico e automotivo. A assinatura
SOBRE O FALECIMENTO DO do novo acordo com a Colômbia é
PROFESSOR MARCO AURÉLIO expressão da disposição do Brasil e dos
GARCIA 20/07/2017 sócios do Mercosul de diversificar
parcerias comerciais, ampliar a
Recebi, com pesar, a notícia da morte integração com a região e intensificar a
do professor Marco Aurélio Garcia. Eu aproximação com os países da Aliança
o conheci na nossa mocidade, fomos do Pacífico.
companheiros de exílio. No magistério,
assim como na política, ele agiu com Em 2016, as exportações brasileiras
firmeza e coerência na promoção de sua para a Colômbia tiveram crescimento de
visão do Brasil e do mundo e por isso 6% em relação ao ano anterior,
teve minha estima. Nossos caminhos atingindo US$ 2,2 bilhões. Por sua vez,
as importações provenientes daquele
Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 115
país foram da ordem de US$ 908 separação de poderes, no marco do
milhões. No primeiro semestre de 2017, pleno respeito das garantias
o comércio entre o Brasil e a Colômbia constitucionais e dos direitos humanos.
aumentou 23% em relação ao mesmo
Exortam o governo e a oposição a não
período do ano anterior.
levar a cabo qualquer iniciativa que
possa dividir ainda mais a sociedade
venezuelana ou agravar conflitos
TERREMOTO NA TURQUIA E NA institucionais.
GRÉCIA 21/07/2017
Convencidos de que a solução da crise
O governo brasileiro tomou somente poderá ser alcançada por
conhecimento, com pesar, de terremoto venezuelanos, instam o governo e as
ocorrido no dia 21 de julho, que atingiu forças opositoras da irmã República
o território turco e a ilha grega de Kos, Bolivariana da Venezuela ao diálogo
com registro de duas vítimas fatais e que permita uma concertação política
inúmeros feridos. Não há brasileiros crível.
entre as vítimas.
Finalmente, os Estados Partes do
Ao lamentar o ocorrido, o governo Mercosul e os Estados Associados do
brasileiro manifesta sua solidariedade Chile, Colômbia e Guiana, além do
aos feridos, à população e ao governo México, reiteram sua plena disposição
da Turquia e da Grécia, bem como suas em acompanhar esse processo de
condolências aos familiares das vítimas. diálogo entre venezuelanos da forma
como seus atores estimarem mais
O Itamaraty seguirá acompanhando os
conveniente.
desdobramentos do caso, por meio da
Embaixada do Brasil em Ancara, do Mendoza, 21 de julho de 2017
Consulado-Geral do Brasil em Istambul
e da Embaixada do Brasil em Atenas,
em coordenação com a Divisão de DECLARAÇÕES E COMUNICADO
Assistência Consular (DAC). CONJUNTO DA L CÚPULA DE
CHEFES DE ESTADO DO
MERCOSUL E ESTADOS
DECLARAÇÃO SOBRE A ASSOCIADOS [ESPANHOL]
SITUAÇÃO NA REPÚBLICA 21/07/2017
BOLIVARIANA DA VENEZUELA
21/07/2017 Declaración Especial de los Estados-
Partes y Estados-Asociados del
(Tradução não-oficial) MERCOSUR sobre la Pesca Ilegal,
Os Estados Partes do Mercosul e os no Declarada y no Reglamentada
Estados Associados do Chile, Colômbia
e Guiana, além do México, reiteram sua Los Presidentes de los Estados Partes y
profunda preocupação pelo Estados Asociados del MERCOSUR
agravamento da crise política, social e coinciden en la necesidad de reforzar y
humanitária na República Bolivariana coordinar acciones para hacer frente a la
da Venezuela. situación de la Pesca Ilegal, No
Fazem um chamado urgente ao fim de Declarada y No Reglamentada
toda violência e à libertação de todos os (INDNR) en relación de los Recursos
presos por razões políticas, instando ao Marinos de nuestra Región,
restabelecimento da ordem institucional, considerando asimismo acciones
à vigência do estado de direito e à

116 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


coordinadas contra la pesca ilegal experiencias y de la necesidad de
lacustre y fluvial. fortalecer los procedimientos de
vigilancia, monitoreo y control,
Coinciden en el reconocimiento de los
constituyendo estos últimos requisitos
Objetivos de Desarrollo Sostenible
imprescindibles de la mejor gestión
(ODS) y su vinculación con la
sostenible de los Recursos Pesqueros.
protección de los Recursos Marinos, su
sustentabilidad, el impacto ambiental de Manifiestan el compromiso de los
la desaparición de especies por la acción Estados Partes del MERCOSUR y los
creciente de este modo de captura y la Estados Asociados en reforzar y
seguridad alimentaria vinculada a la coordinar acciones contra la Pesca
pesca. En particular, recuerdan que el INDNR.
ODS 14.4 establece que antes del año
Reiteran la urgencia de fortalecer la
2020 se debe “reglamentar eficazmente
cooperación en esta materia,
la explotación pesquera y poner fin a la
particularmente respecto a los
pesca INDNR y las prácticas de pesca
mecanismos de vigilancia, monitoreo y
destructivas”, como asimismo afirman
control, y entre las instituciones del
la necesidad de implementar el ODS
sector.
14.6 para eliminar de aquí a 2020, las
subvenciones que contribuyen a la Reconocen que se trata de un objetivo
pesca INDNR de los recursos marinos sustancial para las Partes, en su
en la Organización Mundial del compromiso con la pesca sustentable
Comercio, con vistas a la 11ª para la salud del mar y del océano y su
Conferencia Ministerial que tendrá preservación para las generaciones
lugar en Buenos Aires en diciembre de futuras.
2017.
Mendoza, 21/VII/2017
Recuerdan que el informe de la FAO
relativo a la Cooperación Técnica con
Países de nuestra región, que data de DECLARACIÓN DE LOS
noviembre de 2016, da cuenta de que la ESTADOS PARTES Y ESTADOS
Pesca INDNR amenaza el bienestar ASOCIADOS DEL MERCOSUR
económico de dos millones de personas SOBRE SU COMPROMISO CON
que dependen de la explotación de los EL ACUERDO DE PARÍS
recursos vivos marinos como su medio
de subsistencia.
Los Presidentes de los Estados Partes y
Reconocen que la lucha contra esta Estados Asociados del MERCOSUR,
forma de captura permite conservar los reunidos en la ciudad de Mendoza,
ecosistemas marinos, garantizando que Argentina, el día 21 de julio de 2017, en
las generaciones futuras puedan contar ocasión de la L Reunión Ordinaria del
con los productos de la pesca para su Consejo del Mercado Común (CMC).
seguridad alimentaria.
Reconocen que el cambio climático es
Ratifican que en el marco de la FAO, uno de los mayores retos que la
tanto en el Subcomité de Comercio humanidad enfrenta en la actualidad, en
Pesquero, como en el Comité de Pesca y particular para la región de América
en la Comisión de Pesca de América Latina y el Caribe por ser altamente
Latina y el Caribe, los Estados Partes vulnerable a los efectos adversos que
del MERCOSUR y Estados Asociados impone sobre sus poblaciones,
se han manifestado en contra de la economías y ecosistemas.
Pesca INDNR, dando testimonio de sus

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 117


Toman nota que la ciencia ha entregado Celebran la entrada en vigor del
evidencias inequívocas acerca del Acuerdo de París, el pasado 4 de
cambio climático y de sus causas noviembre de 2016, así como las
antropogénicas, y que sólo una acción ratificaciones de parte de 153 países a la
colectiva de la comunidad internacional fecha.
puede dar una respuesta adecuada a esa
Ratifican su firme compromiso con el
amenaza apremiante.
Acuerdo de París, con la continuidad de
Reafirman la urgencia que cobra los esfuerzos para la implementación de
actualmente la respuesta global contra las contribuciones determinadas a nivel
el cambio climático y, en ese sentido, la nacional y con el proceso preparatorio
importancia de mantener el aumento de para la 23ª Conferencia de las Partes de
la temperatura media mundial muy por la Convención Marco de las Naciones
debajo de 2 grados centígrados con Unidas sobre el Cambio Climático con
respecto a los niveles preindustriales; y miras a obtener avances concretos en la
proseguir los esfuerzos para limitar ese implementación de dicho Acuerdo.
aumento de la temperatura a 1,5 grados
Reconocen que el Acuerdo de París es
centígrados con respecto a los niveles
irreversible. Instan a todas las Partes de
preindustriales, reconociendo que ello
la Convención Marco de Naciones
reduciría considerablemente los riesgos
Unidas sobre Cambio Climático
y efectos del cambio climático.
(UNFCCC) que implementen los
Subrayan la necesidad de aumentar la compromisos de sus contribuciones
capacidad de adaptación a los efectos determinadas asumidos en el Acuerdo
adversos del cambio climático y de París, que establece la progresión y
promover la resiliencia al clima y un la mayor ambición posible en acciones
desarrollo con bajas emisiones de gases y apoyo.
de efecto invernadero, de un modo que
Hacen un llamado a todas las Partes de
no comprometa la producción de los
la Convención Marco de Naciones
alimentos.
Unidas sobre Cambio Climático que no
Hicieron un llamado a situar los flujos lo hayan hecho para que aceleren sus
financieros en un nivel que conduzca a procesos internos de ratificación del
un desarrollo resiliente al clima y con Acuerdo de París.
bajas emisiones de gases de efecto
DECLARACIÓN SOBRE LA
invernadero.
AGENDA 2030 PARA EL
Destacan la importancia del DESARROLLO SOSTENIBLE
fortalecimiento de las acciones de
mitigación y adaptación y la provisión
Los Presidentes de los Estados Partes y
de medios de implementación,
Estados Asociados del MERCOSUR,
basándose en la mejor información
reunidos en Mendoza el 21 de julio de
científica disponible y, cuando
2017, en ocasión de la L Reunión
corresponda, en los conocimientos
Ordinaria del Consejo del Mercado
tradicionales, los conocimientos de los
Común, expresaron la importancia de
pueblos indígenas y los sistemas de
implementar de forma efectiva la
conocimientos locales, de acuerdo a los
Agenda 2030 para el Desarrollo
principios de equidad y de
Sostenible y sus 17 Objetivos de
responsabilidades comunes pero
Desarrollo Sostenible (ODS).
diferenciadas y respectivas capacidades,
Recordaron que dicho compromiso fue
a la luz de las diferentes circunstancias
asumido por la comunidad internacional
nacionales.
en la 70ª Asamblea General de
118 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.
Naciones Unidas del año 2015 y que Los Presidentes de los Estados Partes y
representa una agenda orientadora para Estados Asociados del MERCOSUR,
el desarrollo sostenible, abriendo reunidos en Mendoza el 21 de julio de
oportunidades para los Estados Partes y 2017, en ocasión de la L Reunión
Estados Asociados del MERCOSUR de Ordinaria del Consejo Mercado Común.
incrementar la cooperación y el
Destacan que el Proyecto Corredor
intercambio de experiencias, tomando
Ferroviario Bioceánico de Integración
en consideración los avances en otros
constituye una iniciativa de interés
mecanismos regionales de integración
regional para el MERCOSUR, debido a
de los que forman parte.
su articulación y potencial desarrollo
Reafirmaron que el equilibrio entre la
con la Hidrovía Paraná – Paraguay.
dimensión social, económica y
ambiental es fundamental para lograr un Consideran la importancia del Proyecto
desarrollo sostenible, erradicar la Corredor en la integración física y el
pobreza en todas sus formas y desarrollo socio – económico de la
dimensiones, incluida la pobreza región, para coadyuvar en la
extrema, y permitir una gestión articulación del Océano Pacífico con el
sostenible y el uso eficiente de los Atlántico a través de una línea
recursos naturales de nuestros países. ferroviaria que mejorará la logística del
comercio exterior entre los Estados
Se congratularon por la realización los
Partes y Asociados del MERCOSUR y
días 28 y 29 de junio de 2017 en la
sus potenciales socios extra zona.
ciudad de Buenos Aires del Seminario
“Agenda 2030 para el Desarrollo Agradecieron la invitación del Estado
Sostenible: hacia una cooperación Plurinacional de Bolivia para que todas
regional”, en cuyo marco se las instancias técnicas se sumen a esta
identificaron posibilidades de iniciativa.
complementación en el trabajo para la
implementación de la Agenda 2030. COMUNICADO CONJUNTO DE
LOS PRESIDENTES DE LOS
Saludaron la próxima celebración del ESTADOS PARTES Y ESTADOS
“Seminario Objetivo Desarrollo ASOCIADOS DEL MERCOSUR
Sostenible” en Paraguay, el 24 y 25 de
julio de 2017, a cargo de la Comisión
Interinstitucional para la Los Presidentes de los Estados Partes y
Implementación, Seguimiento y Estados Asociados del MERCOSUR,
Monitoreo de los ODS de Paraguay reunidos en la ciudad de Mendoza,
2030. República Argentina, el día 21 de julio
de 2017.
Finalmente, expresaron su satisfacción
por la presentación de los informes Resaltaron la importancia de la plena
nacionales voluntarios de Estados Partes vigencia de las instituciones
y Asociados del MERCOSUR en el democráticas, que incluye la separación
Foro Político de Alto Nivel sobre de los poderes, y de la protección,
Desarrollo Sostenible de las Naciones promoción y respeto irrestricto de los
Unidas del presente año. derechos humanos, condiciones
esenciales para el proceso de
DECLARACIÓN SOBRE EL integración regional.
PROYECTO CORREDOR
FERROVIARIO BIOCEÁNICO DE Reafirmaron su compromiso con la
INTEGRACIÓN profundización de la integración
regional para contribuir al desarrollo

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 119


económico y social, a la mejora de la Cuentas a Niños, Niñas y Adolescentes
calidad de vida de nuestros ciudadanos, en el MERCOSUR” y el “Memorando
y a la erradicación del hambre y la multilateral de entendimiento para el
pobreza. intercambio de documentación para el
esclarecimiento de graves violaciones a
Destacaron los avances alcanzados en
los derechos humanos”, acordados entre
este período en los distintos foros de la
los Estados Partes y Asociados del
dimensión política, social y ciudadana
MERCOSUR.
del MERCOSUR, en particular, entre
otros, la aprobación del Plan de Acción Resaltaron la suscripción del
2017/2018 de los Ministros de "Memorando de Entendimiento entre el
Desarrollo Social en torno a cuatro ejes MERCOSUR y la Oficina del Alto
temáticos: pobreza y brechas de Comisionado de las Naciones Unidas
desigualdad; seguridad alimentaria y para los Refugiados (ACNUR) en
nutricional; protección integral de niños materia de Cooperación Técnica
y niñas en primera infancia; e inclusión Internacional".
productiva y laboral desde la economía
Se congratularon por el avance en
social y solidaria.
materia de género en la región, la
Reconocieron la relevancia de la aprobación de las Recomendaciones
educación como factor de desarrollo sobre “Equiparación Legal y
económico y social y valoraron el Plan Portabilidad de la Seguridad Social para
de Acción 2016-2020 del Sector Trabajadoras Domésticas
Educativo del MERCOSUR y el Remuneradas”, y sobre
establecimiento de la beca de “Reconocimiento Regional Mutuo de
Integración Regional para promover la Medidas de Protección para Mujeres en
investigación y estudios de posgrado en situación de violencia basada en
materia de integración. género”. Asimismo, destacaron la
adopción de la Declaración de las
Destacaron la importancia de promover
Ministras y Altas Autoridades de la
una mayor movilidad e intercambios
Mujer del MERCOSUR, sobre “La
académicos y el reconocimiento de
Prevención y erradicación de todas las
certificados, títulos y estudios de nivel
formas de violencia como prioridad
primario, secundario y superior.
regional”.
Instaron a los Estados Partes y
Reafirmaron la necesidad de promover
Asociados que aún no hubiesen
los derechos económicos, sociales y
ratificado el Protocolo de Integración
culturales de los afrodescendientes de la
Educativa y Reconocimiento de
región, así como la implementación de
Certificados, Títulos y Estudios de
políticas públicas y acciones afirmativas
Nivel Primario/Fundamental/Básico y
en el marco del Decenio Internacional
Medio/ Secundario a hacerlo a la mayor
de los Afrodescendientes 2015-2024,
brevedad.
con el ánimo de combatir el racismo, la
Preocupados por otorgar a los migrantes xenofobia y la discriminación racial en
condiciones de vida dignas, tomaron la región.
nota con satisfacción de las En el ámbito de las acciones orientadas
recomendaciones contenidas en la a combatir la delincuencia organizada
“Guía Regional del MERCOSUR para en la región y proveer a una mayor
la Identificación y Atención de seguridad y justicia, destacaron las
necesidades especiales de protección de recomendaciones adoptadas por los
Niños y Niñas Migrantes”, las Ministros de Justicia, en particular las
“Directrices para la Rendición de relativas a buenas prácticas en materia

120 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


de acceso a la justicia de mujeres trabajo, seguridad, acceso a la justicia,
migrantes; a la protección de datos entre otros, privilegiando las regiones
personales; a la cooperación fronterizas como espacio de intercambio
internacional en materia de cultural, social y económico entre los
procedimientos civiles y administrativos pueblos.
contra la corrupción; en lo concerniente
Vieron con beneplácito la reactivación
a mujeres privadas de libertad por
de las actividades del Foro Consultivo
delitos relacionados con drogas; y a las
de Municipios, Estados Federados,
personas extranjeras privadas de
Provincias y Departamentos del
libertad o bajo régimen alternativo a la
MERCOSUR y el trabajo realizado en
privación de libertad en los Estados
la Presidencia Pro Tempore, y
Partes y Asociados del MERCSOUR.
celebraron el éxito de la XLIX Reunión
En el mismo sentido, al comprometerse
Ordinaria de Coordinadores y Alternos,
a reforzar la colaboración y cooperación
acaecida en la ciudad de Buenos Aires
regional en la lucha contra la
el pasado 21 de junio. Asimismo,
delincuencia trasnacional organizada, se
renovaron su compromiso con el
congratularon por la actualización del
fortalecimiento de este espacio
Sistema de Intercambio de Información
institucional de vital importancia para la
de Seguridad del MERCOSUR
incorporación de la voz de los gobiernos
(SISME), que permite el intercambio
subnacionales y los locales al proceso
rápido y seguro de información sobre
de integración regional.
personas requeridas judicialmente,
secuestro de automotores y de armas Acordaron asimismo avanzar en nuevas
entre los respectivos órganos de perspectivas de cooperación e
seguridad de los Estados Partes y integración consular entre los Estados
Asociados del MERCOSUR. Partes y Asociados de MERCOSUR,
para facilitar la atención a sus
Preocupados por los graves efectos de
ciudadanos en los ámbitos regional y
los desastres naturales en la región,
extra-regional.
acogieron con beneplácito la creación
de la Comisión Técnica de Servicios Con el propósito de avanzar en
Hidrometeorológicos, integrada por estrategias regionales para prevenir,
técnicos de todos los Estados Partes y combatir y erradicar la fabricación y el
Asociados del MERCOSUR, para tráfico ilícitos de armas de fuego,
compartir información entre los países y municiones, explosivos y otros
la consiguiente alerta temprana y materiales relacionados, acogieron con
prevención. beneplácito la extensión del Acuerdo
para el intercambio de información en
Alentaron a los Ministros y Altas
esa materia a todos los Estados Partes y
Autoridades en Gestión Integral de
Asociados del MERCOSUR.
Riesgo del MERCOSUR a continuar
trabajando coordinadamente en la Expresaron su grave preocupación ante
reducción y prevención de desastres, y los desafíos que presentan el problema
en la asistencia humanitaria en la mundial de las drogas, y la delincuencia
región, conforme a las prioridades transnacional organizada, cuya lucha
establecidas en el Marco de Sendai para constituye prioridad regional, y
la Reducción del Riesgo de Desastres manifestaron su permanente
2015-2030. preocupación ante el terrorismo
internacional.
Se comprometieron a continuar
impulsando la integración fronteriza en Reconocieron la complejidad del
todos sus ámbitos: educación, salud, Problema Mundial de las Drogas y
Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 121
respaldaron la adopción de un enfoque las resoluciones pertinentes de las
integral, multidisciplinario, equilibrado, Naciones Unidas y las declaraciones de
basado en la evidencia científica, con la Organización de los Estados
pleno respeto a los derechos humanos y Americanos y de otros foros regionales
especial consideración a la salud y multilaterales.
pública. En este sentido, resaltaron la
Reiteraron su rechazo al desarrollo de
pertinencia de fortalecer espacios de
actos unilaterales en el área bajo
diálogo regional como la Reunión
disputa, incompatibles con las
Especializada de Autoridades de
resoluciones pertinentes de las Naciones
Aplicación en Materia de Drogas del
Unidas, poniendo de relieve la vocación
MERCOSUR que permitan coordinar
de diálogo y la permanente disposición
posiciones conjuntas, en la medida que
del Gobierno argentino a identificar
sea posible, en los diferentes foros en
áreas de trabajo conjunto con el
materia de drogas. Además, instaron a
Gobierno del Reino Unido de Gran
continuar la discusión sobre la
Bretaña e Irlanda del Norte a fin de
Declaración Política y el Plan de Acción
generar un clima propicio para la
sobre el Problema Mundial de las
reanudación de las negociaciones sobre
Drogas 2019-2029 y la implementación
soberanía.
de la Sesión Especial de la Asamblea
General de las Naciones Unidas Expresaron su reconocimiento y
(UNGASS) sobre Drogas de 2016. agradecimiento al Señor Presidente de
la República Argentina, Ing. Mauricio
Resaltaron la importancia de preservar y
Macri, al gobierno nacional, al pueblo
promocionar el patrimonio natural y
argentino y a la ciudad de Mendoza por
cultural de la región. En este sentido,
su hospitalidad y por la realización de la
acordaron impulsar los circuitos
L Cumbre de Presidentes del
turísticos integrados y saludaron la
MERCOSUR y Estados Asociados.
iniciativa de declarar el Camino de los
Jesuitas en Sudamérica como itinerario
religioso.
ATENTADO EM LAHORE,
Reafirmaron los términos de la PAQUISTÃO 24/07/2017
“Declaración de los Presidentes de los
Estados Partes del MERCOSUR, de la O governo brasileiro repudia o ataque
República de Bolivia y de la República terrorista ocorrido em Lahore,
de Chile”, firmada el 25 de junio de Paquistão, no dia 24 de julho, que
1996, en Potrero de los Funes, deixou pelo menos 25 mortos e 52
República Argentina, denominada feridos, muitos deles policiais.
“Declaración sobre las Malvinas”, y
Ao expressar suas condolências às
reiteraron su respaldo a los legítimos
famílias das vítimas, seus votos de
derechos de la República Argentina en
plena recuperação aos feridos e sua
la disputa de soberanía relativa a la
solidariedade com o povo e o governo
Cuestión de las Islas Malvinas.
do Paquistão, o Brasil reitera sua
Recordaron el interés regional en que la condenação a todo e qualquer ato de
prolongada disputa de soberanía entre la terrorismo, independentemente de sua
República Argentina y el Reino Unido motivação.
de Gran Bretaña e Irlanda del Norte
sobre las Islas Malvinas, Georgias del
Sur, Sandwich del Sur y los espacios
marítimos circundantes, alcance cuanto
antes una solución, de conformidad con
122 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.
CONCESSÃO DE "AGRÉMENT" (conhecida como reserva de carga),
AO EMBAIXADOR DO BRASIL NA entrou em vigor em 1975 e vem sendo
REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DO renovado desde então. Após a expiração
CONGO 25/07/2017 da validade do instrumento, o transporte
marítimo de mercadorias entre os dois
O governo brasileiro tem a satisfação de
países poderá ser realizado em navios
informar que o governo da República
de qualquer bandeira.
Democrática do Congo concedeu
“agrément” a André Luiz Azevedo A medida agora adotada abre o
Santos como embaixador extraordinário transporte marítimo de cargas entre o
e plenipotenciário do Brasil naquele Brasil e o Chile a maior competição e
país. De acordo com a Constituição, deverá reduzir seus custos, elevando,
essa designação ainda deverá ser assim, a competitividade não só das
submetida à apreciação do Senado empresas diretamente envolvidas no
Federal. comércio bilateral, mas também
daquelas que utilizam insumos
Ao longo de sua carreira, André Luiz
exportados e importados entre os dois
Azevedo Santos serviu nas embaixadas
países. A expiração do Convênio
do Brasil em Assunção, Bogotá, Abuja,
também deverá promover a maior
Riade e Monróvia, bem como nos
integração de processos produtivos de
consulados-gerais em Miami e Paris. No
companhias instaladas no Brasil e no
Brasil, trabalhou na Divisão de
Chile.
Integração Regional e na Assessoria de
Comunicação Social do Ministério das Adicionalmente, a CAMEX decidiu que
Relações Exteriores, bem como na será alongado o período de validade das
Secretaria de Planejamento e Avaliação dispensas de reserva de carga
do Ministério do Planejamento e (conhecidas como "waivers") para os
Orçamento. transportes marítimos nas categorias
"roll on-roll off" e de cargas especiais
("break bulk"), tendo em vista a baixa
DECISÃO DA CAMEX DE disponibilidade de embarcações de
DENUNCIAR O CONVÊNIO bandeiras brasileira e chilena nessas
SOBRE TRANSPORTES categorias.
MARÍTIMOS ENTRE O BRASIL E
Ao mesmo tempo em que prepara a
O CHILE 26/07/2017
plena liberalização do transporte
O Governo brasileiro comunicará ao marítimo de carga entre os dois países, a
Governo chileno, nos termos do artigo decisão da CAMEX, ao fixar prazo
29 do Convênio sobre Transportes determinado e conhecido para a
Marítimos entre o Brasil e o Chile, sua expiração do instrumento, nos termos
decisão de denunciar o acordo para que do acordo, oferece aos usuários e
não seja renovado. Por essa medida, o operadores do transporte marítimo
acordo expirará ao final do dia 7 de bilateral previsibilidade e segurança
janeiro de 2020. A comunicação jurídica, em benefício de ambiente de
implementará deliberação, ontem, 25 de negócios cada vez mais adequado.
julho, da Câmara de Comércio Exterior
NOTA DE PESAR PELO
(CAMEX).
FALECIMENTO DO
O acordo, que estabelece a preferência EMBAIXADOR LUIS MARÍA
para embarcações de bandeiras RAMÍREZ BOETTNER 26/07/2017
brasileira e chilena no transporte
O Ministério das Relações Exteriores
marítimo de carga entre os dois países
recebeu com grande pesar a notícia do
Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 123
falecimento do embaixador Luis María O governo brasileiro manifesta a sua
Ramírez Boettner, hoje, 25 de julho, em grave preocupação com a escalada da
Assunção. violência em face do acirramento da
crise, agravada pelo avanço do governo
Ao longo de sua destacada trajetória
sobre as instâncias institucionais
diplomática o embaixador Boettner
democráticas ainda vigentes no país e
ocupou, entre outros importantes
pela ausência de horizontes políticos
cargos, a função de representante das
para o conflito.
Nações Unidas no Brasil no período de
1972 a 1980. Foi Embaixador da O governo brasileiro condena o
República do Paraguai no Brasil de cerceamento do direito constitucional à
1992 a 1993. Entre 1993 e 1996, foi livre manifestação e repudia a violenta
Ministro das Relações Exteriores do repressão por parte das forças do Estado
Paraguai. Na qualidade de chanceler do e de grupos paramilitares, como a que
então presidente Juan Carlos Wasmosy, aconteceu ao longo do dia de hoje.
o embaixador Ramírez Boettner foi o
Diante da gravidade do momento
negociador paraguaio do Protocolo de
histórico por que passa a Venezuela, o
Ouro Preto (1994), que estabeleceu a
Brasil insta as autoridades venezuelanas
estrutura institucional do Mercosul.
a suspenderem a instalação da
O Ministério das Relações Exteriores assembleia constituinte e a abrirem um
manifesta suas condolências ao governo canal efetivo de entendimento e diálogo
paraguaio e os mais sentidos pêsames e com a sociedade venezuelana, com
solidariedade à família do embaixador vistas a pavimentar o caminho para uma
Luis María Ramírez Boettner. transição política pacífica e a restaurar a
ordem democrática, a independência
dos poderes e o respeito aos direitos
CONVOCAÇÃO DE ASSEMBLEIA humanos.
CONSTITUINTE NA VENEZUELA
LANÇAMENTO DE MÍSSIL PELA
30/07/2017
COREIA DO NORTE 31/07/2017
O governo brasileiro lamenta
O governo brasileiro tomou
profundamente a decisão do governo da
conhecimento, com preocupação, de
Venezuela de rejeitar os pleitos da
novo lançamento de míssil de possível
comunidade internacional pelo
alcance intercontinental pela República
cancelamento da convocação de uma
Popular e Democrática da Coreia
assembleia constituinte nos termos
(RPDC), no dia 28 de julho.
definidos pelo Executivo. A iniciativa
do governo de Nicolás Maduro viola o O governo brasileiro conclama a RPDC
direito ao sufrágio universal, desrespeita a cumprir plenamente as resoluções
o princípio da soberania popular e pertinentes do Conselho de Segurança
confirma a ruptura da ordem das Nações Unidas e a engajar-se na
constitucional na Venezuela. retomada das negociações relativas à
paz e à segurança na Península Coreana.
A Venezuela dispõe de uma Assembleia
Nacional legitimamente eleita. O Brasil reitera seu apoio à
Empossada, a nova assembleia desnuclearização da Península Coreana
constituinte formaria uma ordem e desencoraja ações que aumentem a
constitucional paralela, não reconhecida tensão no Nordeste Asiático.
pela população, agravando ainda mais o
impasse institucional que paralisa a
Venezuela.

124 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


PRISÃO DE LEOPOLDO LÓPEZ E Protocolo de Ushuaia sobre
ANTONIO LEDEZMA 01/08/2017 Compromisso Democrático no
Mercosul à Venezuela.
O governo brasileiro repudia a
recondução ao regime fechado de O encontro dará seguimento à reunião
Leopoldo López e Antonio Ledezma, dos chanceleres ocorrida em Buenos
ocorrida um dia após a votação para a Aires no passado dia 1º de abril, na qual
escolha de uma assembleia constituinte foi constatada a ruptura da ordem
em franca violação da ordem democrática naquele país, e à Cúpula do
constitucional venezuelana. O Brasil Mercosul, realizada em Mendoza em 21
solidariza-se com o sofrimento dos de julho, quando o governo venezuelano
familiares de Antonio Ledezma e foi convidado para consultas no âmbito
Leopoldo López, em particular suas do Protocolo de Ushuaia.
mulheres, Mitzi Capriles e Lilian
Os chanceleres de Brasil, Argentina,
Tintori.
Paraguai e Uruguai deverão avaliar a
A prisão de dois dos mais importantes ausência de medidas concretas para a
opositores ao governo do presidente retomada da normalidade democrática
Nicolás Maduro é mais uma por parte do governo venezuelano, sua
demonstração da falta de respeito às recusa a participar da reunião de
liberdades individuais e ao devido consultas e o agravamento da situação
processo legal, pilares essenciais do na Venezuela.
regime democrático. O Brasil insta o
governo venezuelano a libertar
imediatamente López e Ledezma. DECISÃO SOBRE A SUSPENSÃO
DA REPÚBLICA BOLIVARIANA
DA VENEZUELA DO MERCOSUL
ATENTADO NO AFEGANISTÃO EM APLICAÇÃO DO
03/08/2017 PROTOCOLO DE USHUAIA
SOBRE COMPROMISSO
O governo brasileiro repudia o ataque
DEMOCRÁTICO NO MERCOSUL
terrorista ocorrido em Herat,
05/08/2017
Afeganistão, no dia 1º de agosto, que
deixou pelo menos 29 vítimas fatais e A República Argentina, a República
64 feridos. Federativa do Brasil, a República do
Paraguai e a República Oriental do
Ao expressar suas condolências aos Uruguai,
familiares das vítimas, bem como votos
de recuperação aos feridos e sua
CONSIDERANDO
solidariedade ao povo e o governo
afegãos, o Brasil reitera sua firme
Que, de acordo com o estabelecido no
condenação a todo e qualquer ato de
Protocolo de Ushuaia sobre
terrorismo, independente de sua
Compromisso Democrático no
motivação.
Mercosul, subscrito em 24 de julho de
REUNIÃO DE CHANCELERES DO 1998, a plena vigência das instituições
MERCOSUL 04/08/2017 democráticas é condição essencial para
o desenvolvimento do processo de
Os Ministros de Relações Exteriores de
integração;
Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai se
Que toda ruptura da ordem democrática
reunirão em São Paulo no sábado, 5 de
constitui obstáculo inaceitável para a
agosto, para tratar da aplicação do
continuidade do processo de integração;

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 125


obrigações inerentes à sua condição de
Que, nas consultas realizadas entre os Estado Parte do Mercosul, em
Chanceleres dos Estados Partes do conformidade com o disposto no
Mercosul, constatou-se a ruptura da segundo parágrafo do artigo 5º do
ordem democrática na República Protocolo de Ushuaia.
Bolivariana da Venezuela, consignada
na "Declaração dos Estados Partes do A suspensão a que se refere o parágrafo
Mercosul sobre a República Bolivariana anterior terá efeito a partir da data da
da Venezuela", de 1o de abril de 2017, comunicação da presente Decisão à
e, desde então, celebraram consultas República Bolivariana da Venezuela, de
entre si e solicitaram ao Estado afetado acordo com o disposto no artigo 6º do
a realização de consultas; Protocolo de Ushuaia.

Que as consultas com a República 2) Os Estados Partes definirão medidas


Bolivariana da Venezuela resultaram com vistas a minimizar os impactos
infrutíferas devido à recusa desse negativos desta suspensão para o povo
Governo de celebrá-las no marco do venezuelano.
Protocolo de Ushuaia;
3) A suspensão cessará quando, de
Que não foram registradas medidas acordo com o estabelecido no artigo 7º
eficazes e oportunas para a restauração do Protocolo de Ushuaia, se verifique o
da ordem democrática por parte da pleno restabelecimento da ordem
República Bolivariana da Venezuela; democrática na República Bolivariana
da Venezuela.

Que o espírito do Protocolo de Ushuaia 4) Enquanto durar a suspensão, o


sobre Compromisso Democrático no disposto no inciso III do artigo 40 do
Mercosul é o restabelecimento da Protocolo de Ouro Preto dar-se-á com a
institucionalidade democrática no incorporação realizada por Argentina,
Estado afetado; Brasil, Paraguai e Uruguai, nos termos
do inciso II do referido artigo.
Que a aplicação do Protocolo de
Ushuaia não deve interferir no
São Paulo, 5 de agosto de 2017.
funcionamento do Mercosul e de seus
órgãos, nem produzir qualquer prejuízo
ao povo venezuelano;
DESTITUIÇÃO DA
Que os Estados Partes do Mercosul se PROCURADORA-GERAL DA
comprometem a trabalhar em favor do VENEZUELA, LUISA ORTEGA
restabelecimento da ordem democrática 06/08/2017
na República Bolivariana da Venezuela O governo brasileiro condena a
e da busca de uma solução negociada e destituição arbitrária e ilegal da
duradoura em prol do bem-estar e do procuradora-geral da Venezuela, Luisa
desenvolvimento do povo venezuelano. Ortega.
A medida compromete a independência
DECIDEM: do Ministério Público e a preservação
das garantias e liberdades fundamentais,
1) Suspender a República Bolivariana confirmando a instauração de um estado
da Venezuela de todos os direitos e de exceção na Venezuela.

126 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


REUNIÃO DE CHANCELERES Um dos polos mais dinâmicos de
SOBRE SITUAÇÃO NA desenvolvimento econômico do mundo,
VENEZUELA 07/08/2017 a ASEAN apresenta elevados índices de
crescimento e expressiva participação
O ministro Aloysio Nunes Ferreira
no comércio internacional. O Brasil,
participará, no dia 8 de agosto, em
que registrou intercâmbio comercial de
Lima, de reunião de chanceleres da
aproximadamente US$ 16,5 bilhões
região sobre a situação na Venezuela. O
com a ASEAN em 2016, quer
encontro, de iniciativa do governo
aprofundar ainda mais o diálogo com o
peruano, tem por objetivo reforçar o
bloco.
diálogo regional diante do agravamento
da crise venezuelana. Ao fomentar a paz e a harmonia na
região, bem como o desenvolvimento
No exercício da presidência pro
econômico e comercial dos países do
tempore do Mercosul, o governo
Sudeste Asiático, a ASEAN afirmou-se
brasileiro aproveitará a oportunidade
como importante mecanismo de
para reiterar o entendimento que
integração na Ásia, mantendo relações
motivou a decisão adotada pelos países
econômicas e políticas privilegiadas
fundadores do bloco, no último sábado,
com os principais atores globais.
em São Paulo, de suspensão da
Venezuela com base no Protocolo de
Ushuaia (cláusula democrática do
DECLARAÇÃO DE LIMA
Mercosul). Ressaltará também que as
08/08/2017
últimas ações do governo de Nicolás
Maduro, como a convocação de uma Declaração de Lima
assembleia constituinte ilegítima, [Tradução não-oficial para o
confirmaram, uma vez mais, a ruptura português]
da ordem democrática no país vizinho. Os chanceleres e representantes de
Argentina, Brasil, Canadá, Chile,
O Brasil buscará que os países reunidos
Colômbia, Costa Rica, Guatemala,
em Lima enviem clara mensagem de
Honduras, México, Panamá, Paraguai e
solidariedade ao povo venezuelano,
Peru, reunidos na cidade de Lima, em 8
demonstrando o compromisso
de agosto de 2017, para tratar da
inabalável da região com restauração da
situação crítica na Venezuela e explorar
democracia, das liberdades individuais e
formas de contribuir para a restauração
da paz social na Venezuela, por meio do
da democracia naquele país por meio de
diálogo e da negociação.
uma solução pacífica e negociada;
Animados pelo espírito de solidariedade
50 ANOS DA ASEAN 08/08/2017 que caracteriza a região, e convencidos
de que a negociação, com pleno respeito
O governo brasileiro felicita a
às regras do direito internacional e do
Associação das Nações do Sudeste
princípio de não-intervenção, o qual não
Asiático (ASEAN) e seus membros pelo
atenta contra os direitos humanos e a
cinquentenário de sua criação, em 8 de
democracia, é a única ferramenta para
agosto de 1967. Integrada por dez
garantir uma solução duradoura para as
países (Brunei, Camboja, Filipinas,
diferenças;
Indonésia, Laos, Malásia, Myanmar,
Singapura, Tailândia e Vietnã), a Declaram:
ASEAN soma mais de 620 milhões de
1. Sua condenação à ruptura da ordem
habitantes e um PIB próximo a US$ 2,5
democrática na Venezuela.
trilhões.

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 127


2. Sua decisão de não reconhecer a 12. Sua decisão de não apoiar qualquer
Assembleia Nacional Constituinte, nem candidatura venezuelana em
os atos que dela emanem, por seu mecanismos e organizações regionais e
caráter ilegítimo. internacionais.
3. Seu total apoio e solidariedade à 13. Seu apelo a que se encerre a
Assembleia Nacional eleita transferência de armas para a Venezuela
democraticamente. à luz dos artigos 6 e 7 do Tratado sobre
o Comércio de Armas.
4. Os atos jurídicos que, nos termos da
Constituição, requeiram aprovação da 14. Que, em razão das condições atuais,
Assembleia Nacional, somente serão solicitarão à Presidência Pro Tempore
reconhecidos quando a referida da CELAC e da União Europeia o
Assembleia os tiver aprovado. adiamento da cúpula CELAC-UE
prevista para outubro de 2017.
5. Seu forte repúdio à violência e a
qualquer opção que envolva o uso da 15. Seu compromisso de seguir
força. acompanhando a situação na Venezuela,
no nível de chanceleres, até o pleno
6. Seu apoio e solidariedade à
restabelecimento da democracia no país,
Procuradoria-Geral e aos membros do
e de se reunir o mais tardar na próxima
Ministério Público da Venezuela, e
sessão da Assembleia Geral das Nações
exigem a aplicação das medidas
Unidas, oportunidade na qual poderão
cautelares emitidas pela Comissão
participar outros países.
Interamericana de Direitos Humanos.
16. Sua vontade de apoiar,
7. Sua condenação à violação
urgentemente e com respeito à
sistemática dos direitos humanos e
soberania venezuelana, todos os
liberdades fundamentais, à violência, à
esforços de negociação críveis e de boa
repressão e à perseguição política, à
fé, que tenham o consenso das partes e
existência de presos políticos e à falta
tenham por objetivo restabelecer,
de eleições livres sob observação
pacificamente, a democracia no país.
internacional independente.
Lima, 8 de agosto de 2017
8. Que a Venezuela não cumpre com os
requisitos e obrigações dos membros do
Conselho de Direitos Humanos das
Nações Unidas.
[Texto original em espanhol]
9. Sua grave preocupação com a crise Declaración de Lima
humanitária que o país enfrenta e sua Los Cancilleres y Representantes de
condenação ao governo por não permitir Argentina, Brasil, Canadá, Chile,
a entrada de alimentos e medicamentos Colombia, Costa Rica, Guatemala,
em apoio ao povo venezuelano. Honduras, México, Panamá, Paraguay y
Perú, reunidos en la ciudad de Lima, el
10. Sua decisão de manter a aplicação
día 8 de agosto de 2017, para abordar la
da Carta Democrática Interamericana à
crítica situación en Venezuela y
Venezuela.
explorar formas de contribuir a la
11. Seu apoio à decisão do Mercosul de restauración de la democracia en ese
suspender a Venezuela em aplicação do país a través de una salida pacífica y
Protocolo de Ushuaia sobre negociada;
Compromisso Democrático.
Animados por el espíritu de solidaridad
que caracteriza a la región y en la

128 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


convicción de que la negociación, con ingreso de alimentos y medicinas en
pleno respeto de las normas del derecho apoyo al pueblo venezolano.
internacional y el principio de no
10. Su decisión de continuar la
intervención, no atenta contra los
aplicación de la Carta Democrática
derechos humanos y la democracia, y es
Interamericana a Venezuela.
la única herramienta que asegura una
solución duradera a las diferencias; 11. Su apoyo a la decisión del
MERCOSUR de suspender a Venezuela
Declaran:
en aplicación del Protocolo de Ushuaia
1. Su condena a la ruptura del orden sobre Compromiso Democrático.
democrático en Venezuela.
12. Su decisión de no apoyar ninguna
2. Su decisión de no reconocer a la candidatura venezolana en mecanismos
Asamblea Nacional Constituyente, ni y organizaciones regionales e
los actos que emanen de ella, por su internacionales.
carácter ilegítimo.
13. Su llamado a detener la
3. Su pleno respaldo y solidaridad con transferencia de armas hacia Venezuela
la Asamblea Nacional, a la luz de los artículos 6 y 7 del
democráticamente electa. Tratado sobre el Comercio de Armas.
4. Los actos jurídicos que conforme a la 14. Que, teniendo en cuenta las
Constitución requieran autorización de condiciones actuales, solicitarán a la
la Asamblea Nacional, sólo serán Presidencia Pro Témpore de la CELAC
reconocidos cuando dicha Asamblea los y a la Unión Europea, la postergación
haya aprobado. de la Cumbre CELAC-UE prevista para
octubre de 2017.
5. Su enérgico rechazo a la violencia y a
cualquier opción que involucre el uso de 15. Su compromiso de mantener un
la fuerza. seguimiento de la situación en
Venezuela, a nivel de Cancilleres, hasta
6. Su apoyo y solidaridad con la Fiscal
el pleno restablecimiento de la
General y los integrantes del Ministerio
democracia en ese país, y de reunirse a
Público de Venezuela y exigen la
más tardar en la próxima sesión de la
aplicación de las medidas cautelares
Asamblea General de Naciones Unidas,
emitidas por la Comisión
oportunidad en la que podrán sumarse
Interamericana de Derechos Humanos.
otros países.
7. Su condena a la violación sistemática
16. Su disposición a apoyar de manera
de los derechos humanos y las
urgente y en el marco del respeto a la
libertades fundamentales, a la violencia,
soberanía venezolana, todo esfuerzo de
la represión y la persecución política, la
negociación creíble y de buena fe, que
existencia de presos políticos y la falta
tenga el consenso de las partes y que
de elecciones libres bajo observación
esté orientado a alcanzar pacíficamente
internacional independiente.
el restablecimiento de la democracia en
8. Que Venezuela no cumple con los el país.
requisitos ni obligaciones de los
Lima, 8 de agosto de 2017
miembros del Consejo de Derechos
Humanos de las Naciones Unidas.
9. Su seria preocupación por la crisis
humanitaria que enfrenta el país y su
condena al gobierno por no permitir el

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 129


ATAQUE TERRORISTA EM Ao mesmo tempo, os países do
LAHORE, PAQUISTÃO 10/08/2017 Mercosul consideram que os únicos
instrumentos aceitáveis para a
O governo brasileiro repudia o ataque
promoção da democracia são o diálogo
terrorista ocorrido em Lahore,
e a diplomacia. O repúdio à violência e
Paquistão, no dia 7 de agosto. A
a qualquer opção que envolva o uso da
explosão de um caminhão em área
força é inarredável e constitui base
comercial deixou pelo menos um morto
fundamental do convívio democrático,
e mais de 40 feridos.
tanto no plano interno como no das
Ao expressar seus votos de plena relações internacionais.
recuperação aos feridos e sua
solidariedade com o povo e o governo
do Paquistão, o Brasil reitera sua ATENTADO EM UAGADUGU,
condenação a todo e qualquer ato de BURKINA FASO 14/08/2017
terrorismo, independente de sua
O governo brasileiro condena o ataque
motivação.
terrorista a um restaurante em
Uagadugu no dia 13 de agosto, que
deixou ao menos 20 mortos e feridos.
VENEZUELA: O MERCOSUL
REJEITA O USO DA FORÇA PARA Ao expressar suas condolências às
RESTABELECER A ORDEM famílias das vítimas, seus votos de
DEMOCRÁTICA 12/08/2017 plena recuperação aos feridos e sua
solidariedade com o povo e o governo
A decisão de suspender a Venezuela em
de Burkina Faso, o Brasil reitera sua
aplicação do Protocolo de Ushuaia
condenação a todo e qualquer ato de
sobre Compromisso Democrático no
terrorismo, independentemente de sua
Mercosul foi tomada, em 5 de agosto,
motivação.
em decorrência da constatação de que
ocorreu uma grave ruptura da ordem
democrática naquele país. Desde então,
DESLIZAMENTO DE TERRA NOS
aumentaram a repressão, as detenções
ARREDORES DE FREETOWN,
arbitrárias e o cerceamento das
SERRA LEOA 14/08/2017
liberdades individuais. As medidas
anunciadas pelo governo e pela O governo brasileiro tomou
assembleia nacional constituinte nos conhecimento, com profundo pesar, dos
últimos dias reduzem ainda mais o deslizamentos de terra ocorridos hoje
espaço para o debate político e para a nos arredores de Freetown, que
negociação. deixaram centenas de mortos e feridos.
Os países do Mercosul continuarão a Ao lamentar o ocorrido, o governo
insistir, de forma individual e coletiva, brasileiro manifesta sua solidariedade
para que a Venezuela cumpra com os aos feridos, à população e ao governo
compromissos que assumiu, de forma de Serra Leoa, bem como suas
livre e soberana, com a democracia condolências aos familiares das vítimas.
como única forma de governo aceitável
na região. O governo venezuelano não Não há, até o momento, notícia de
pode aspirar ao convívio normal com brasileiros entre as vítimas. O Itamaraty
seus vizinhos na região enquanto não acompanha os desdobramentos do caso
for restaurada a democracia no país. por meio da Embaixada do Brasil em
Freetown.

130 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


EVENTO EM Morre hoje longe de sua terra, mas
CHARLOTTESVILLE 14/08/2017 rodeado pelo respeito e pela estima que
sua trajetória política e humana lhe
O governo brasileiro lamenta os
garantiram.
trágicos eventos ocorridos em
Charlottesville, Estados Unidos, em 12 À esposa, às filhas e aos numerosos
de agosto, e oferece suas condolências netos, meus sentimentos de profundo
aos familiares das três vítimas fatais pesar.
daqueles acontecimentos motivados
Aloysio Nunes Ferreira
pelo ódio e pela intolerância, bem como
Ministro das Relações Exteriores
sua solidariedade às demais pessoas
atingidas.
O governo brasileiro manifesta seu ATENTADO EM BARCELONA
absoluto repúdio a qualquer forma de 17/08/2017
racismo e sua completa rejeição à
violência contra minorias e estrangeiros. O governo brasileiro deplora
Considera que qualquer ideologia veementemente o ataque terrorista
baseada na discriminação racial é ocorrido na tarde desta quinta-feira, 17
inadmissível e não tem lugar em um de agosto, em Barcelona, que resultou
sistema democrático. em dezenas de feridos e vítimas fatais.
O Brasil confia em que as instituições O Brasil reitera sua condenação a todo e
dos Estados Unidos identificarão e qualquer ato de terrorismo, qualquer
punirão os culpados. que seja sua motivação, ao mesmo
tempo em que expressa, consternado,
seu sentimento de pesar às famílias das
DECLARAÇÃO DO MINISTRO vítimas e estende votos de plena e
ALOYSIO NUNES FERREIRA rápida recuperação aos feridos.
SOBRE O FALECIMENTO DO
SENADOR BOLIVIANO ROGER
PINTO MOLINA 16/08/2017 CONTENCIOSO NA OMC ENTRE
Consternado, recebi a notícia do BRASIL E CANADÁ SOBRE
falecimento do senador boliviano Roger SUBSÍDIOS AO SETOR
Pinto Molina, vítima de desastre com o AERONÁUTICO – PEDIDO DE
avião que pilotava, no último sábado. ESTABELECIMENTO DE PAINEL
17/08/2017
Roger Pinto Molina recebera do
governo brasileiro asilo diplomático e, a O governo brasileiro apresentará,
seguir, refúgio político em nosso amanhã 18 de agosto, ao Órgão de
território, onde residia desde 2013. Solução de Controvérsias da
Líder da oposição, denunciava no Organização Mundial do Comércio
senado boliviano o crescimento da (OMC), pedido de estabelecimento de
influência do narcotráfico. Conciliador, painel no âmbito do contencioso
propôs anistia que permitisse a iniciado em março deste ano contra o
reconciliação política em seu país, com Canadá em relação aos subsídios
o retorno de centenas de exilados. concedidos pelo governo canadense ao
setor aeronáutico, em particular ao
De caráter generoso e afável, ajudava programa C-Series da empresa
outros refugiados e recebeu apoio e Bombardier, nos níveis federal,
amizade de muitos políticos brasileiros, provincial e local.
de diversas colorações ideológicas.
No pedido, o Brasil solicitará que seja
examinada a compatibilidade com as

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 131


regras da OMC de mais de 20 Conexos. Na abertura do encontro, o
programas de subsídios concedidos pelo ministro da Justiça e Segurança Pública,
governo canadense ao setor aeronáutico Torquato Jardim, e o secretário-
daquele país, direta ou indiretamente executivo da Secretaria Nacional
relacionados ao desenvolvimento da Antidrogas do Paraguai, ministro Hugo
nova família de aeronaves da Quintana, assinaram o Termo de
Bombardier, no contexto do programa Cooperação Interinstitucional entre a
C-Series. Estudos técnicos elaborados Polícia Federal do Brasil e a Secretaria
pelo Brasil estimam que, na última Nacional Antidrogas do Paraguai.
década, a Bombardier e fornecedores do
Os resultados da reunião mostram o
C-Series receberam subsídios
compromisso compartilhado de
equivalentes a mais de US$ 3 bilhões.
combater organizações criminosas, o
Na avaliação do governo brasileiro, os
contrabando, a lavagem de dinheiro e o
elevados subsídios concedidos pelo
tráfico de drogas, armas e pessoas, bem
Canadá à Bombardier resultaram em
como aperfeiçoar o controle de
grave prejuízo à indústria aeronáutica
precursores químicos, a cooperação
nacional e diversos dos programas
jurídica e a colaboração na redução da
envolvem subsídios proibidos pelas
demanda e a atenção aos usuários,
regras da OMC.
sobretudo em áreas de fronteira.
O pedido de estabelecimento de painel
Ressalte-se a decisão de estabelecer
segue-se à realização de consultas com
"comandos bipartites", mecanismo de
o governo canadense que não
cooperação operacional entre forças de
condiziriam à solução do contencioso e
segurança e inteligência, com
será apreciado na próxima reunião do
participação de forças estaduais.
Órgão de Solução de Controvérsias da
OMC, prevista para o dia 31 de agosto. Os dois países comprometeram-se,
De acordo com as regras da OMC, o ainda, a iniciar cooperação na repressão
governo canadense poderá objetar esse ao contrabando e descaminho de
primeiro pedido. Nesse caso, o produtos específicos, entre os quais o
estabelecimento do painel ocorrerá cigarro, medicamentos, calçados e
automaticamente na reunião seguinte do produtos agropecuários.
Órgão, no dia 29 de setembro.
Também será retomada a cooperação no
O governo brasileiro espera que o combate ao tráfico de armas, cujos
contencioso venha a permitir o efeitos sobre os índices de violência nas
reequilíbrio, o quanto antes, das cidades brasileiras são conhecidos, e
condições de competitividade realizada avaliação conjunta, a cada seis
internacional no setor aeronáutico, meses, do intercâmbio de informações
afetadas artificialmente pelos subsídios sobre rastreamento de armas.
canadenses.

ATENTADO NA ESPANHA
VI COMISSÃO MISTA BRASIL- 17/08/2017
PARAGUAI SOBRE DROGAS E
TEMAS CONEXOS – BRASÍLIA, 10 O Mercosul repudia com veemência o
E 11 DE AGOSTO DE 2017 ataque terrorista perpetrado em
17/08/2017 Barcelona nesta quinta-feira, 17 de
agosto, com um saldo de dezenas de
Realizou-se, em Brasília, em 10 e 11 de mortos e feridos. O Mercosul manifesta
agosto, a VI reunião da Comissão Mista sua condenação categórica a qualquer
Brasil-Paraguai sobre Drogas e Temas
132 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.
ato de terrorismo, independente de sua bilateral, sobretudo nas áreas de
motivação, e expressa, em nome dos infraestrutura, desenvolvimento
povos de nossos países, condolências às fronteiriço, comércio, investimento,
famílias das vítimas, com votos de defesa e combate a crimes
pronta recuperação aos feridos. transfronteiriços. Serão discutidas
também questões de interesse regional,
em particular a situação da Venezuela.
INUNDAÇÕES EM BANGLADESH,
O Brasil é o principal parceiro
ÍNDIA E NEPAL 18/08/2017
comercial do Paraguai. Em 2016, o
O governo brasileiro tomou intercâmbio bilateral alcançou US$ 3,4
conhecimento, com pesar, das bilhões. Nos sete primeiros meses de
inundações e deslizamentos ocorridos 2017, o intercâmbio bilateral chegou a
ao longo da última semana em US$ 2,1 bilhões, o que representa alta
Bangladesh, Índia e Nepal, que de 19% em relação ao mesmo período
causaram a morte de mais de 250 do ano passado. O Brasil é a segunda
pessoas e o deslocamento de dezenas de maior fonte de investimentos diretos na
milhares de famílias. economia paraguaia.
Ao lamentar o ocorrido, o governo
brasileiro manifesta sua solidariedade
USURPAÇÃO DAS ATRIBUIÇÕES
ao povo e aos governos desses três
DO LEGISLATIVO NA
países.
VENEZUELA 18/08/2017
Os países fundadores do Mercosul
VISITA DE ESTADO AO BRASIL condenam a decisão da assembleia
DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA constituinte de usurpar as atribuições da
DO PARAGUAI, HORACIO Assembleia Nacional da Venezuela, que
CARTES – BRASÍLIA, 21 DE foi eleita democraticamente pela
AGOSTO DE 2017 18/08/2017 maioria dos venezuelanos e é a única e
exclusiva titular do Poder Legislativo
O presidente da República do Paraguai, naquele país.
Horacio Cartes, realizará visita de
Estado ao Brasil no dia 21 de agosto de Com essa medida, restringe-se ainda
2017. Além de ser recebido pelo mais o espaço para convívio
presidente Michel Temer, visitará o institucional na Venezuela e agudizam-
Senado Federal, a Câmara dos se os conflitos, em sentido oposto ao
Deputados e o Supremo Tribunal necessário restabelecimento da
Federal. democracia.
A visita de Estado ocorre em contexto Os países fundadores do Mercosul não
de grande convergência entre Brasil e reconhecem essa medida ou qualquer
Paraguai em torno de objetivos comuns outra adotada pela assembleia
de desenvolvimento. O Paraguai é um constituinte, cuja convocação foi feita
importante parceiro para o Brasil no ao arrepio da ordem constitucional
contexto dos atuais esforços de venezuelana.
realinhamento do Mercosul aos
propósitos originais do Tratado de
Assunção – democracia, direitos
humanos e livre comércio. Os
presidentes passarão em revista os
principais temas da ampla agenda

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 133


DESLIZAMENTO DE TERRA NA Argentina
REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DO
Brasil
CONGO 18/08/2017
Canadá
O governo brasileiro tomou
conhecimento, com pesar, do Chile
deslizamento de terra ocorrido ontem,
17 de agosto, na vila de pescadores de Colômbia
Tora, província de Ituri, República Costa Rica
Democrática do Congo (RDC), que
causou a morte de mais de 60 pessoas. Guatemala

Ao lamentar o ocorrido, o governo Honduras


brasileiro manifesta sua solidariedade México
aos feridos, à população e ao governo
da RDC e transmite suas condolências Panamá
aos familiares das vítimas. Paraguai
Peru
COMUNICADO DO GRUPO DE
LIMA SOBRE A USURPAÇÃO DAS
COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS
DA ASSEMBLEIA NACIONAL DA Comunicado del Grupo de Lima
VENEZUELA 18/08/2017 sobre la usurpación de las
competencias funcionales de la
Comunicado do Grupo de Lima sobre Asamblea Nacional de Venezuela
a usurpação das competências
funcionais da Los países firmantes expresamos
Assembleia Nacional da Venezuela nuestra enérgica condena a la decisión
Os países signatários expressam sua de la Asamblea Nacional Constituyente
enérgica condenação à decisão da de usurpar las competencias y
Assembleia Nacional Constituinte de facultades legislativas de la Asamblea
usurpar as competências e faculdades Nacional, lo cual ratifica la ruptura del
legislativas da Assembleia Nacional, o orden democrático y constitucional en
que confirma a ruptura da ordem Venezuela.
democrática e constitucional na
Venezuela. En congruencia con la Declaración
adoptada en Lima el 8 de agosto de
Em consonância com a declaração 2017:
adotada em Lima em 8 de agosto de
2017: 1. Reiteramos el no reconocimiento de
la Asamblea Nacional Constituyente y
1) Reiteram não reconhecer a de los actos que emanen de la misma.
Assembleia Nacional Constituinte e os
atos que dela emanem; 2. Ratificamos su pleno apoyo a la
Asamblea Nacional de Venezuela;
2) Ratificam seu pleno apoio à
Assembleia Nacional da Venezuela; 3. Reafirmamos su decisión de
intensificar consultas para aplicar la
3) Reafirmam sua decisão de Carta Democrática Interamericana a
intensificar consultas para a aplicação Venezuela.
da Carta Democrática Interamericana à
Venezuela.
Argentina

134 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


Brasil Brasileira de Cooperação e,
postumamente, o general José Luiz
Canadá
Jaborandy Junior, que morreu no
Chile exercício do cargo de Comandante da
Missão de Estabilização das Nações
Colombia Unidas no Haiti em 2015.
Costa Rica À semelhança de Sergio Vieira de
Guatemala Mello, e com o mesmo propósito de
garantir a dignidade humana das
Honduras pessoas mais vulneráveis, cada um dos
México laureados prestou inestimável
contribuição nas áreas do direito
Panamá internacional, direitos humanos, direito
Paraguay humanitário, assistência humanitária,
direito dos refugiados e promoção da
Perú paz.

MEDALHA SERGIO VIEIRA DE ATAQUE EM TURKU, FINLÂNDIA


MELLO 19/08/2017 19/08/2017
Celebramos hoje, 19 de agosto, o Dia O governo brasileiro repudia o ataque
Mundial do Trabalhador Humanitário, terrorista ocorrido ontem na cidade
designado pela Assembleia Geral das finlandesa de Turku, que causou a
Nações Unidas para homenagear os morte de duas mulheres e deixou
profissionais que dedicam suas vidas a diversos feridos, sendo três em estado
ações humanitárias. A data foi grave. O caráter sexista desse atentado
escolhida para recordar o atentado ao direcionado contra mulheres torna-o
Escritório das Nações Unidas em ainda mais covarde e ultrajante.
Bagdá, ocorrido em 2003, que vitimou,
entre outros funcionários, Sergio Vieira O Brasil reitera sua mais veemente
de Mello, Representante Especial do condenação a todo e qualquer ato
Secretário-Geral das Nações Unidas no terrorista, independente de sua
Iraque. motivação, e manifesta seus votos de
pleno restabelecimento aos feridos e sua
Em tributo ao legado desse ilustre solidariedade às famílias das vítimas, ao
brasileiro, serão condecorados com a povo e ao governo da Finlândia.
Medalha Sergio Vieira de Mello as
seguintes pessoas e instituições Uma vítima italiana que está recebendo
brasileiras: embaixador Gilberto Vergne tratamento médico é casada com
Saboia, membro da Comissão de Direito cidadão brasileiro e mãe de uma menina
Internacional (CDI); Cândido Feliciano de nove meses de idade. A Embaixada
da Ponte Neto, diretor executivo da do Brasil em Helsinque está em contato
Cáritas/RJ; Terezinha Kunen, criadora com a família e seguirá acompanhando
da Pastoral da Criança nas Filipinas; de perto a situação.
José Gregori, ex-ministro da Justiça e
ex-secretário Nacional dos Direitos
Humanos; deputada Mara Gabrilli;
Tarciso Dal Maso Jardim, consultor
legislativo do Senado; capitão Ricardo
Phillipe Couto de Araújo; Agência
Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 135
COMUNICADO CONJUNTO POR a resiliência à mudança do clima e
OCASIÃO DA VISITA DE ESTADO contribuir para a redução de emissões
DO PRESIDENTE HORACIO de gases de efeito estufa através da
CARTES AO BRASIL 21/08/2017 cooperação bilateral em áreas como
transferência de tecnologia e pesquisa
1. A convite do Presidente da República
científica, entre outras.
Federativa do Brasil, Michel Temer, o
Presidente da República do Paraguai, 5. Do mesmo modo, os mandatários
Horacio Cartes, realizou visita de reconheceram a importância de
Estado ao Brasil no dia 21 de agosto, implementar os Objetivos e Metas
acompanhado do Ministro das Relações comuns assumidos por seus respectivos
Exteriores, Embaixador Eladio Loizaga, governos em virtude da Agenda 2030
e de integrantes de sua equipe de sobre Desenvolvimento Sustentável e
governo. ressaltaram a importância do apoio
internacional, inclusive por meio da
2. Ao reconhecer o momento
Cooperação Sul-Sul e da Cooperação
particularmente auspicioso do
Triangular como modalidades de
relacionamento político e econômico
intercâmbio e desenvolvimento de
entre Brasil e Paraguai, os Presidentes
capacidades para o cumprimento dos
reiteraram seu compromisso com os
Objetivos de Desenvolvimento
valores democráticos e com o Estado de
Sustentável.
Direito, a proteção e promoção dos
direitos humanos, a paz e segurança 6. Os Presidentes agradeceram o apoio
regional e internacional e o recíproco às candidaturas de Brasil e
desenvolvimento socioeconômico da Paraguai para integrar o Conselho de
América do Sul. Direitos Humanos das Nações Unidas
para o período de 2020-2022. Os
3. Em um cenário de retomada do
Presidentes destacaram que os
crescimento da economia mundial,
Governos de seus respectivos países se
ressaltaram a importância do sistema
empenharão para aumentar a efetividade
multilateral de comércio e da
do Conselho na promoção e proteção
implementação de reformas estruturais e
dos direitos humanos.
políticas de ajuste fiscal que ajudem a
promover o crescimento inclusivo, gerar 7. No contexto da recente realização,
empregos, modernizar a economia dos em 21 de julho de 2017, da Cúpula de
dois países, e que permitam a atração de Mendoza, os Presidentes reiteraram seu
investimentos estrangeiros. firme compromisso com o
MERCOSUL, destacando que seus
4. Ao acentuar a importância do Acordo
objetivos devem favorecer o
de Paris sob a Convenção-Quadro das
aprofundamento da integração
Nações Unidas sobre Mudança do
econômica, a consolidação da
Clima, os Presidentes reafirmaram o
democracia e o respeito pelos direitos
compromisso de Brasil e Paraguai no
humanos.
esforço global de combate à mudança
do clima. Os Presidentes também 8. Os Presidentes comprometeram-se a
concordaram em que o Acordo institui promover a agenda comercial e
bases duradouras para orientar as econômica do MERCOSUL, dando
medidas de combate à mudança do continuidade a iniciativas destinadas a
clima de todos os países e para o apoio enfrentar medidas que afetem o fluxo
internacional a países em comercial entre os Estados Partes.
desenvolvimento. Do mesmo modo, Consideraram, igualmente, que a
reafirmaram a importância de aumentar Presidência Pro Tempore brasileira,

136 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


seguida pela Presidência Pro Tempore Ushuaia sobre Compromisso
paraguaia, constituem oportunidades Democrático no MERCOSUL, em São
para avançar em ações para aprofundar Paulo, em 5 de agosto de 2017, até que
a integração econômica do bloco. se verifique o pleno restabelecimento da
ordem democrática naquele país.
9. Os Presidentes reafirmaram o caráter
estratégico que atribuem à inserção 13. Os Presidentes reafirmaram,
competitiva do MERCOSUL nos fluxos igualmente, seu compromisso com o
internacionais de comércio e nas acordado pelos Ministros de Relações
cadeias globais de valor e consideraram Exteriores na Declaração de Lima de 8
essencial a ampliação e o de agosto de 2017, por meio da qual se
aprofundamento dos acordos comerciais reiterou, entre outros aspectos, a
do bloco. condenação por doze países da região à
ruptura da ordem democrática na
10. Os Presidentes assinalaram os
Venezuela; a decisão de não reconhecer
avanços nas negociações com a União
a Assembleia Nacional Constituinte,
Europeia. Destacaram o clima
nem os atos que dela emanam por seu
construtivo e positivo existente entre
caráter ilegítimo; seu pleno respaldo à
ambas as Partes, marco propício para
Assembleia Nacional democraticamente
alcançar um Acordo mutuamente
eleita; sua condenação à violação
benéfico, que permitirá fortalecer ainda
sistemática dos direitos humanos e das
mais os históricos laços políticos e de
liberdades fundamentais, à violência,
cooperação existentes entre ambos os
repressão e perseguição política, à
blocos. Nesse sentido, sublinharam a
existência de presos políticos e à
importância de uma coordenação
ausência de eleições livres sob
estreita com vistas a finalizar
observação internacional independente.
proximamente as negociações do
Acordo de Associação Birregional entre 14. Os Presidentes assinalaram a
Mercosul e União Europeia. importância de empreender ações
conjuntas para a conservação e o
11. Manifestaram, igualmente, sua
aproveitamento de recursos hídricos
satisfação com os avanços nas
transfronteiriços. Nesse sentido,
negociações com o EFTA e os esforços
trocaram informações sobre os avanços
para ampliar os Acordos vigentes com
no tratamento legislativo, em seus
Índia e SACU e com o progresso do
respectivos países, do "Acordo sobre o
diálogo comercial com o Canadá.
Sistema Aquífero Guarani", que
Expressaram, além disso, sua certeza de
consistem em sua ratificação pelo Brasil
que as atuais conversações com outros
e seu envio por parte do Poder
potenciais sócios comerciais, tais como
Executivo paraguaio ao Poder
Líbano e Marrocos, permitirão ao
Legislativo para sua análise.
Mercosul alcançar novos mercados.
15. Os Presidentes destacaram que
12. Os Presidentes reiteraram a
Itaipu Binacional constitui paradigma
importância que atribuem à plena
mundial de iniciativa bilateral bem-
vigência das instituições democráticas
sucedida de produção de energia limpa
como condição essencial para o
e renovável. Nesse sentido, celebraram
aprofundamento dos processos
os sucessivos recordes da empresa em
regionais de integração. Nesse contexto,
geração de energia, o que confirma o
reafirmaram seu pleno acordo com a
êxito da gestão conjunta de Brasil e
decisão de suspensão da Venezuela,
Paraguai.
adotada por consenso dos Estados
Partes, no marco do Protocolo de

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 137


16. Reafirmaram, igualmente, que ambas as Partes; d) as negociações em
Itaipu Binacional, com base em seu curso de um Acordo Automotivo.
Plano Estratégico vigente, visa à
20. Os Presidentes destacaram a
geração de energia com o melhor
importância das reuniões da Comissão
desempenho operativo, o equilíbrio
de Monitoramento do Comércio
econômico e financeiro e às melhores
Bilateral, que se realizam
práticas de sustentabilidade,
periodicamente, em exercício que
impulsionando o desenvolvimento
permite analisar as tendências do
econômico, tecnológico, social e
comércio bilateral e dos investimentos
ambiental, em conformidade com a
diretos, bem como tratar de questões
Agenda 2030 das Nações Unidas para o
pontuais para facilitar o comércio e
Desenvolvimento Sustentável.
eliminar barreiras.
17. Tendo presente que as bases
21. O Presidente Michel Temer felicitou
financeiras e de prestação de serviço de
o Governo do Presidente Horacio Cartes
eletricidade da hidrelétrica binacional
pela recente obtenção de certificação,
serão revistas, conforme determinam o
outorgada pela Organização Mundial de
Tratado de Itaipu e seus anexos, após o
Saúde Animal, do Paraguai como país
decurso de um prazo de cinquenta anos
livre de febre aftosa e peste suína
a partir de sua entrada em vigor, os
clássica. Com esse certificado, o
Presidentes determinaram a agilização
Paraguai melhora seu posicionamento
das consultas e estudos técnicos
no mercado externo como provedor de
internos voltados para a preparação da
produtos de pecuária.
correspondente negociação diplomática
bilateral. 22. Os Presidentes anunciaram,
igualmente, seu interesse em avançar
18. Os Presidentes determinaram que se
nas negociações para a celebração de
realizará, em outubro de 2017, a
um acordo para evitar a dupla
primeira reunião do Grupo Binacional
tributação, por considerarem que esse
de Trabalho que discutirá o alcance e as
instrumento bilateral representará um
modalidades das futuras tarefas de uma
atrativo adicional aos investimentos em
Comissão Binacional cujos trabalhos
ambos os países.
têm por objetivo elevar o nível de
transparência contábil de Itaipu 23. Os Presidentes reconheceram que
Binacional. uma integração fronteiriça plena em
muito se beneficia da implementação de
19. Havendo discutido a agenda
infraestrutura física adequada. Nesse
bilateral comum na esfera econômico-
contexto, discutiram meios de
comercial, os Presidentes saudaram: a)
financiamento para os projetos de
o robusto crescimento que vem sendo
infraestrutura em curso.
experimentado pela economia paraguaia
e a retomada de crescimento da 24. Os Presidentes reafirmaram seu
economia brasileira; b) a sinergia entre compromisso com a construção de uma
ambas as economias, que mantém os Ponte Rodoviária Internacional sobre o
dois países na condição de sócios Rio Paraguai entre as cidades de Porto
preferenciais, tanto no intercâmbio Murtinho e Carmelo Peralta. A futura
comercial quanto na realização de ponte, cujo acordo avança em ambos os
investimentos; c) o fortalecimento das Congressos Nacionais, constitui
cadeias regionais de valor, apoiado no elemento fundamental para viabilizar
crescente número de empreendimentos um Corredor Rodoviário Bioceânico, o
produtivos conjuntos, que favorecem as qual propiciará importante conexão
oportunidades e potencialidades de entre o Centro-Oeste brasileiro, o Norte
138 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.
do Paraguai e portos do Chile, com 29. Por entender que a expansão do
acesso estratégico aos oceanos Atlântico transporte aéreo é fundamental para o
e Pacífico. desenvolvimento econômico de Brasil e
Paraguai, os Presidentes celebraram, no
25. Os Presidentes constataram, com
ano passado, Acordo Bilateral sobre
satisfação, o avanço das negociações
Serviços Aéreos, atualmente em
para a conclusão do Acordo sobre
tramitação em ambos os Congressos.
Localidades Fronteiriças Vinculadas,
cujo objetivo é melhorar a qualidade de 30. Os Presidentes manifestaram seu
vida dos nacionais fronteiriços compromisso com o seguimento da
brasileiros e paraguaios, por meio da Reunião Ministerial do Cone Sul sobre
facilitação da circulação vicinal e da Segurança nas Fronteiras, realizada em
concessão de uma série de benefícios Brasília, em 16 de novembro de 2016,
sociais. iniciativa brasileira apoiada, desde seu
início, pelo Governo do Paraguai. Os
26. Os Presidentes reconheceram a
Presidentes saudaram o esforço inédito
contribuição dos Comitês de Fronteira e
para conferir maior coerência e
a importância do tratamento da
efetividade às ações regionais voltadas a
dinâmica específica de cada área da
combater os ilícitos transnacionais,
fronteira comum, e instaram à
sobretudo o narcotráfico, o tráfico de
convocação de reuniões desses Comitês,
armas, o contrabando, o tráfico de
na perspectiva da implementação do
pessoas e a lavagem de dinheiro.
Acordo de Localidades Fronteiriças
Vinculadas, quando este em entre em 31. Os Presidentes manifestaram
vigor. satisfação diante dos avanços obtidos na
VI Reunião da Comissão Mista Brasil-
27. Ao recordar a contribuição dos
Paraguai sobre Drogas e Temas
imigrantes para o desenvolvimento de
Conexos, realizada em Brasília nos dias
seus países, o Presidente Michel Temer
10 e 11 de agosto de 2017. Os
destacou a entrada em vigor, no Brasil,
Presidentes concordaram que a
da Lei de Migração. Nesse sentido, os
comissão deve ser o foro adequado e
Presidentes ressaltaram a importância
prioritário para o fortalecimento da
de continuar implementando políticas
cooperação operacional entre Brasil e
que compreendam aspectos relativos
Paraguai para combate aos crimes
aos direitos e deveres dos migrantes.
transnacionais.
28. Os Presidentes manifestaram,
32. Ao reiterar a importância da parceria
igualmente, a firme vontade política de
entre Brasil e Paraguai no combate aos
ambos os países de intensificar o
ilícitos transnacionais, os Presidentes
aproveitamento da Hidrovia Paraguai-
recordaram a bem-sucedida cooperação
Paraná para garantir, com base nos
para a erradicação do plantio de
acordos internacionais vigentes, entre
maconha em áreas de fronteira por meio
eles o Acordo de Santa Cruz de la
das Operações Nova Aliança, cujo V
Sierra, a liberdade de navegação fluvial
Programa de Cooperação foi subscrito
e um fluido transporte comercial na
em 10 de agosto de 2017, em Brasília.
referida hidrovia, contando com um
marco normativo comum, previsível e 33. Os Presidentes coincidiram em que
com regras claras, que favoreça e o avanço na cooperação na área de
permita o acesso em condições segurança e defesa propiciará uma
competitivas aos mercados integração fronteiriça cada vez mais
extrarregionais. dinâmica e produtiva.

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 139


34. Os Presidentes saudaram a O governo brasileiro condena o ataque
ratificação, pelo Governo paraguaio, do terrorista ocorrido ontem na cidade de
Acordo Quadro sobre Cooperação em Lashkar Gah, no Afeganistão, em que a
Matéria de Defesa, celebrado em 2007. detonação de um carro-bomba causou
Tendo em vista que o instrumento ao menos sete mortes e dezenas de
também foi ratificado pelo Brasil, sua feridos, muitos deles civis.
próxima entrada em vigor permitirá
Ao expressar condolências às famílias
intensificar a excelente cooperação
das vítimas e votos de recuperação aos
militar entre os dois países.
feridos, o Brasil reitera sua condenação
35. De forma a garantir que a integração a todo e qualquer ato de terrorismo,
econômica e social se dê sobre a base de independentemente de sua motivação.
marcos normativos específicos e
adequados, os Presidentes decidiram
estimular a negociação dos seguintes VISITA DO MINISTRO DAS
instrumentos: RELAÇÕES EXTERIORES A
a) Acordo para a construção de uma LONDRES, PARIS E BRUXELAS –
ponte rodoviária internacional sobre o 25 A 30 DE AGOSTO DE 2017
rio Apa, entre as cidades de Porto 24/08/2017
Murtinho e San Lázaro;
b) Acordo para a Integração na Área de O ministro das Relações Exteriores,
Telecomunicações na Fronteira; Aloysio Nunes Ferreira, realizará visita
c) Acordo Bilateral de Cooperação de trabalho a Londres, Paris e Bruxelas,
Jurídica em Matéria Civil; de 25 a 30 de agosto corrente.
d) Acordo de Cooperação Jurídica em A missão tem por objetivo fortalecer a
Matéria Penal. tradicional parceria com países
36. O Presidente Horacio Cartes europeus. A Europa constitui parceiro
agradeceu, em seu nome e no de sua essencial para o desenvolvimento
comitiva, a acolhida e as manifestações nacional e para a competitividade da
de estima e amizade recebidas do economia brasileira. As visitas dão
Governo e do povo brasileiros durante continuidade ao diálogo político em alto
sua visita ao Brasil. nível e à promoção da cooperação
bilateral, em particular em matéria de
comércio e de investimentos.
CONCESSÃO DE "AGRÉMENT"
AO EMBAIXADOR DA FRANÇA Em Londres, no dia 25, o Ministro
23/08/2017 Aloysio Nunes manterá reunião com o
secretário de Estado para o Exterior do
O governo brasileiro tem a satisfação de Reino Unido, Boris Johnson. Serão
informar que concedeu agrément a discutidos, entre outros assuntos, a
Michel Miraillet como embaixador entrada do Brasil na OCDE, temas
extraordinário e plenipotenciário da ambientais e a reforma do Conselho de
França no Brasil. Segurança das Nações Unidas. Os
ministros discutirão, ainda, meios para
Brasil e França celebraram seu primeiro
promover a ampliação dos fluxos
tratado bilateral, de Amizade,
bilaterais de comércio e investimentos.
Navegação e Comércio, em 1826.
O Reino Unido foi a quarta maior fonte
de investimentos no Brasil em 2014,
com estoque estimado em US$ 36,7
ATENTADO NO AFEGANISTÃO
bilhões. Em 2016, o intercâmbio
24/08/2017

140 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


comercial Brasil-Reino Unido alcançou estrangeiro no Brasil. Em 2016, o
US$ 5,13 bilhões. intercâmbio comercial Brasil-União
Europeia atingiu US$ 64,42 bilhões.
Em Paris, no dia 28, o chanceler
brasileiro encontrará o ministro da
Europa e dos Assuntos Estrangeiros da
ASSINATURA DO ACORDO DE
França, Jean-Yves Le Drian. Os
SEDE ENTRE O BRASIL E A
chanceleres passarão em revista temas
CORTE PERMANENTE DE
da relação bilateral, como a cooperação
ARBITRAGEM 25/08/2017
transfronteiriça e os projetos na área de
defesa e espaço, no contexto da parceria O governo brasileiro e a Corte
estratégica entre os dois países, Permanente de Arbitragem (CPA)
estabelecida em 2006. Também assinaram hoje acordo de sede para
manterão diálogo na área de comércio e facilitar a realização de arbitragens
investimentos, com foco nas internacionais no país. A iniciativa
negociações do acordo Mercosul-União reforça o perfil regional e internacional
Europeia, além de temas da agenda do Brasil na resolução pacífica de
internacional, como missões de paz e controvérsias, situando-o como polo das
mudança do clima. A França foi a atividades da CPA na América Latina.
quinta maior fonte de investimentos
brasileiro em 2014, com estoque O acordo foi assinado durante a visita
estimado de US$ 31,6 bilhões. Em ao Brasil do secretário-geral da CPA,
2016, o intercâmbio comercial Brasil- embaixador Hugo Siblesz, que cumpriu
França atingiu US$ 5,98 bilhões. agenda em São Paulo, Rio de Janeiro e
Brasília. Na capital federal, Siblesz
Nos dias 29 e 30, em Bruxelas, o participou de evento comemorativo dos
Ministro Aloysio Nunes Ferreira 110 anos de cooperação entre o Brasil e
manterá encontros com o Vice- a CPA. A cerimônia evocou a
Presidente da Comissão Europeia e participação histórica do Brasil na
Comissário para Emprego, Segunda Conferência de Paz da Haia
Crescimento, Investimento e em 1907, na qual se destacou Rui
Competitividade, Jyrki Katainen, e com Barbosa, e as perspectivas futuras de
a Comissária de Comércio, Cecilia parceria conjunta entre o Brasil e a
Malmström, para tratar, no âmbito da CPA.
Presidência Pro Tempore brasileira do
Mercosul, do encaminhamento, com A Corte Permanente de Arbitragem,
vistas à sua conclusão, das negociações uma das mais antigas organizações
comerciais entre os dois blocos. Será intergovernamentais existentes, com
recebido também pelo Presidente do sede na Haia, foi estabelecida em 1899
Parlamento Europeu, Antonio Tajani, e para facilitar a solução de controvérsias
pela Alta Representante para Relações internacionais. Por meio de painel de
Exteriores e Política de Segurança e árbitros independentes, a CPA auxilia
Vice-Presidente da Comissão Europeia, na solução tanto de disputas
Federica Mogherini, com quem tratará interestatais quanto investidor-Estado.
do aprofundamento da Parceria O número de casos administrados pela
Estratégica Brasil-União Europeia, que CPA vem aumentando a cada ano,
completa 10 anos em 2017. A União chegando a 138 em 2016.
Europeia é a região que mais investe no
país: o estoque de investimento da UE,
em 2014, somou US$ 262 bilhões,
quase a metade de todo o investimento

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 141


CONCESSÃO DE "AGRÉMENT" O 11º Congresso Brasileiro do Algodão
AO EMBAIXADOR DO BRASIL constitui oportunidade para que os
NO QUÊNIA 25/08/2017 parceiros da cooperação brasileira
troquem experiências para o
O governo brasileiro tem a satisfação de
fortalecimento da cultura do algodão.
informar que o governo do Quênia
Além de apresentação detalhada dos
concedeu agrément a Fernando Estellita
projetos em um estande interativo, a
Lins de Salvo Coimbra como
ABC promoverá oficina sobre desafios
embaixador extraordinário do Brasil
e oportunidades da cooperação sul-sul
naquele país. O embaixador Fernando
na cadeia de valor do algodão.
Coimbra também representará o Brasil
junto ao Programa das Nações Unidas
para o Meio Ambiente (PNUMA) e ao
FURACÃO HARVEY 29/08/2017
Programa das Nações Unidas para os
Assentamentos Humanos (ONU- O governo brasileiro acompanha, com
Habitat), sediados em Nairóbi. De pesar, as notícias da devastação causada
acordo com a Constituição, essa pelo furacão Harvey nos Estados
designação ainda deverá ser submetida Unidos e os esforços das autoridades
à apreciação do Senado Federal. norte-americanas e da própria
Fernando Estellita Lins de Salvo população para socorrer as vítimas. O
Coimbra chefiou a Assessoria de governo brasileiro lamenta
Assuntos Internacionais do Ministério profundamente a perda de vidas
do Meio Ambiente a partir de 2011. Foi humanas e expressa sua solidariedade a
ministro-conselheiro na embaixada do todas as pessoas atingidas, a seus
Brasil em Lisboa e também serviu na familiares e ao governo dos Estados
Missão do Brasil junto à ONU em Nova Unidos.
York e nas embaixadas em Nova Délhi,
Quito e Washington.
LANÇAMENTO DE MÍSSEIS PELA
COREIA DO NORTE 29/08/2017
COOPERAÇÃO TÉCNICA
BRASILEIRA NO SETOR DO O Governo brasileiro condena
ALGODÃO 28/08/2017 veementemente o lançamento de
mísseis pela República Popular
Por meio da Agência Brasileira de Democrática da Coreia (RPDC) nos
Cooperação do Ministério das Relações dias 26 e 29 de agosto. O mais recente
Exteriores (ABC), o governo brasileiro disparo de míssil balístico, que
desenvolve projetos de cooperação sobrevoou o norte do Japão, constitui
técnica sul-sul para o setor algodoeiro inaceitável ato de provocação e desafia
em quatorze países africanos, seis a situação de segurança na região.
latino-americanos e um caribenho.
O Governo brasileiro conclama a RPDC
Cerca de 70 produtores e pesquisadores a cumprir plenamente todas as
estrangeiros envolvidos nesses projetos resoluções pertinentes do Conselho de
participarão de cursos de formação e de Segurança das Nações Unidas, bem
intensa agenda de discussões técnicas como a contribuir ativamente para
no contexto do 11º Congresso Brasileiro conter a escalada de tensões e criar
do Algodão, organizado pela assim as condições necessárias à
Associação Brasileira dos Produtores de retomada das negociações relativas à
Algodão, em Maceió (AL), entre 29 de paz e à segurança na península coreana.
agosto e 1º de setembro.

142 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


VISITA DE ESTADO À CHINA – 1º bilateral alcançou US$ 58,5 bilhões.
DE SETEMBRO DE 2017 30/08/2017 Também é investidor com crescente
presença em setores de relevo da
O presidente da República, Michel
economia nacional.
Temer, realizará visita de Estado à
China em 1º de setembro próximo. Em
Pequim, manterá encontros com o
IX CÚPULA DO BRICS – XIAMEN,
presidente Xi Jinping, com o primeiro-
3 A 5 DE SETEMBRO DE 2017
ministro Li Keqiang e com o presidente
30/08/2017
da Conferência Consultiva Política do
Povo Chinês, Yu Zhengsheng. O presidente Michel Temer participará,
no período de 3 a 5 de setembro, em
A visita ocorre a convite do presidente
Xiamen, na China, da 9ª Cúpula do
Xi Jinping e reflete o compromisso de
BRICS – agrupamento formado por
ambos os países com o contínuo
Brasil, Rússia, Índia, China e África do
aprofundamento de sua Parceria
Sul. O encontro inaugura a segunda
Estratégica Global. Na ocasião, deverão
década do BRICS e evidencia a
ser debatidas medidas, entre outras, para
tendência de aprofundamento da
a diversificação do comércio bilateral e
cooperação entre os países membros.
a realização de novos investimentos
chineses no Brasil, bem como ações de No âmbito da Cúpula de Xiamen, estão
cooperação cultural e consular. previstas sessões plenárias dos líderes, a
abertura do Fórum Empresarial do
Será também oportunidade para
BRICS e o encontro com representantes
examinar meios de reforçar os canais
do Conselho Empresarial do grupo,
institucionais existentes entre os dois
além do tradicional exercício de
países — como a Comissão Sino-
engajamento externo com terceiros
Brasileira de Alto Nível de Concertação
países, que, neste ano, reunirá os líderes
e Cooperação (COSBAN) e o Diálogo
do BRICS e seus homólogos de
Estratégico Global, entre chanceleres —
México, Egito, Tailândia, Tajiquistão e
a fim de imprimir ainda maior
Guiné.
dinamismo à gestão da ampla pauta
bilateral, em benefício de brasileiros e Os debates entre os líderes do BRICS
chineses. devem incluir os principais temas da
agenda internacional, entre os quais paz
Nos encontros, deverão também ser
e segurança, crimes transnacionais,
tratados temas da agenda global, como
economia, comércio, finanças, mudança
governança internacional,
do clima e desenvolvimento social.
desenvolvimento sustentável e mudança
Além da Declaração de Xiamen, espera-
do clima, além da parceria no âmbito
se que a Cúpula BRICS de 2017 resulte
dos mecanismos plurilaterais do
na assinatura de acordos de cooperação
BRICS, G20 e BASIC.
em matéria aduaneira e em temas de
No dia 2, o presidente Temer participará finanças e infraestrutura.
de seminário sobre Oportunidades de
Ao longo dos anos, o BRICS tem-se
Investimentos, durante o qual
firmado como coalizão diplomática
apresentará a empresários chineses a
capaz de fornecer contribuições
agenda de reformas brasileira e as
originais aos esforços de
oportunidades de investimento no
desenvolvimento de seus países
Brasil.
membros, bem como de outros países
A China é o maior parceiro comercial em desenvolvimento. Resultados
do Brasil. Em 2016, o intercâmbio concretos alcançados pelo grupo

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 143


incluem a concertação em torno da A MINUSTAH será sucedida pela
reforma das instituições de Bretton Missão das Nações Unidas para o Apoio
Woods e a criação do Novo Banco de à Justiça no Haiti (MINUJUSTH), sem
Desenvolvimento e do Acordo componente militar. A nova missão terá
Contingente de Reservas. como prioridades o diálogo político, o
fortalecimento da Polícia Nacional
O governo brasileiro valoriza o BRICS
Haitiana, o estado de direito e os
como plataforma de diálogo entre países
direitos humanos no Haiti.
de grande influência. O BRICS
representa instrumento importante para Por meio do Comando Militar e do
a construção de uma ordem maior contingente de tropas da
internacional mais justa e equilibrada. MINUSTAH, o Brasil contribuiu
significativamente para a estabilização
Desde 2001, a corrente de comércio
do Haiti e a criação das condições
entre o Brasil e os países do grupo
políticas e de segurança que permitiram
aumentou dezesseis vezes. A pauta
a reconfiguração da presença das
exportadora brasileira com os parceiros
Nações Unidas no terreno. A disciplina
do BRICS inclui carnes, óleos brutos de
e a eficiência dos mais de 37 mil
petróleo, soja, minérios de ferro,
militares brasileiros mobilizados ao
veículos para transporte de mercadorias
longo da duração da MINUSTAH
e tratores.
receberam amplo reconhecimento
internacional. A excelência dos
"capacetes azuis" brasileiros no Haiti
DESMOBILIZAÇÃO DO também foi evidenciada pelo fato
CONTINGENTE BRASILEIRO NA inédito de um país manter
MISSÃO DAS NAÇÕES UNIDAS ininterruptamente o comando militar de
PARA A ESTABILIZAÇÃO DO uma operação de manutenção de paz da
HAITI (MINUSTAH) 31/08/2017 ONU durante 13 anos de
Encerraram-se, em 30 de agosto de funcionamento. Além de seus trabalhos
2017, as patrulhas militares da Missão para a pacificação do Haiti, as tropas
das Nações Unidas para a Estabilização brasileiras desempenharam projetos de
no Haiti (MINUSTAH). Com a impacto rápido em benefício do povo
conclusão dessas atividades, inicia-se haitiano, bem como relevantes serviços
agora a retirada do contingente militar para a assistência humanitária e o apoio
do Brasil na MINUSTAH, em à reconstrução daquele país,
preparação à desativação completa especialmente nos episódios do
daquela missão até 15 de outubro, terremoto de 2010 e do furacão
conforme a resolução 2350 (2017) do Matthew, em 2016.
Conselho de Segurança das Nações O Brasil continuará a apoiar a
Unidas. estabilidade e o desenvolvimento do
O fim das operações do contingente Haiti, por meio do diálogo político
brasileiro da MINUSTAH foi marcado bilateral e de ampla agenda de
por cerimônia em Porto-Príncipe, hoje, cooperação técnica. O governo
31 de agosto, presidida pelo Ministro da brasileiro salienta a importância de que
Defesa Raul Jungmann. O Ministro a comunidade internacional mantenha
Aloysio Nunes Ferreira visitou o Haiti seu apoio ao Haiti com vistas a
em 2 e 3 de junho passado, por ocasião consolidar os avanços obtidos desde
da chegada do 26º e último contingente 2004 e a fortalecer a liderança do povo
brasileiro da missão. e do governo haitianos na promoção da

144 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


segurança e desenvolvimento do país no Com a sua entrada em vigor, o
longo prazo. Mercosul e o Brasil garantem seu
acesso facilitado a um mercado de 100
milhões de consumidores. O acordo cria
CONCESSÃO DE "AGRÉMENT" A novas oportunidades para exportações
EMBAIXADORA DO BRASIL NO brasileiras de produtos como frango,
REINO DA TAILÂNDIA 01/09/2017 café solúvel, papel, automóveis e
autopeças, entre outros.
O governo brasileiro tem a satisfação de
informar que o governo tailandês O acordo prevê eliminação imediata das
concedeu "agrément" a Ana Lucy Gentil tarifas de importação para 26% do
Cabral Petersen como embaixadora universo tarifário do Mercosul e 31% do
extraordinária e plenipotenciária do universo tarifário egípcio. Ao final de
Brasil no Reino da Tailândia. De acordo dez anos, 99% do universo tarifário do
com a Constituição, essa designação Mercosul e 97% do universo tarifário do
ainda deverá ser submetida à apreciação Egito estarão totalmente desgravados.
do Senado Federal.
As exportações brasileiras para o Egito
Ana Lucy Gentil Cabral Petersen é, somaram US$ 1,77 bilhão em 2016, o
desde 2013, cônsul-geral do Brasil em que corresponde a cerca de 20% do total
Nova York. Ao longo de sua carreira, exportado pelo Brasil para a África. Os
foi embaixadora na República de principais itens exportados pelo Brasil
Angola, ministra-conselheira na foram carne bovina, açúcar, milho,
embaixada do Brasil em Montevidéu e minério de ferro e frangos. As
serviu nas embaixadas do Brasil em importações brasileiras do Egito
Washington, Budapeste, Kingston e somaram US$ 94 milhões em 2016. Os
Assunção, bem como na Missão do principais produtos importados do Egito
Brasil junto as Nações Unidas, em foram fertilizantes, nafta e azeitonas.
Genebra. No Brasil, foi chefe de
gabinete do secretário-geral das
Relações Exteriores e diretora do VII REUNIÃO NEGOCIADORA
Departamento de Direitos Humanos e PARA A AMPLIAÇÃO E O
Temas Sociais. Trabalhou, ainda, na APROFUNDAMENTO DO
Assessoria de Comunicação Social, na ACORDO DE
Divisão de Acompanhamento e COMPLEMENTAÇÃO
Coordenação Administrativa dos Postos ECONÔMICA No 53 (ACE-53)
no Exterior, na Divisão de Imigração, BRASIL-MÉXICO –CIDADE DO
na Divisão da Europa e no Gabinete do MÉXICO, 29 A 31 DE AGOSTO DE
Ministro de Estado. 2017 01/09/2017
Realizou-se na Cidade do México, de
29 a 31 de agosto, a VII Reunião
ENTRADA EM VIGOR DO
Negociadora para a Ampliação e o
ACORDO DE LIVRE COMÉRCIO
Aprofundamento do Acordo de
MERCOSUL-EGITO 01/09/2017
Complementação Econômica Nº 53
O Acordo de Livre Comércio entre o (ACE-53), da qual participaram
Mercosul e a República Árabe do Egito representantes dos governos do Brasil e
entrou em vigor hoje, 1º de setembro de do México.
2017. O decreto de promulgação será
A delegação brasileira foi chefiada pelo
encaminhado à Casa Civil para
Embaixador Paulo Estivallet de
assinatura do presidente da República.
Mesquita, Subsecretário-Geral da

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 145


América Latina e do Caribe do III – Acordo de coprodução
Ministério das Relações Exteriores, e a cinematográfica entre o governo da
mexicana, por Juan Carlos Baker, República Federativa do Brasil e o
Subsecretário de Comércio Exterior da Governo da República Popular da
Secretaria de Economia do México. China;
Reuniram-se, na oportunidade, os IV – Memorando de entendimento
grupos negociadores sobre acesso a sobre comércio eletrônico entre o
mercados, regras de origem, serviços, Ministério da Indústria, Comércio
medidas sanitárias e fitossanitárias, Exterior e Serviços da República
facilitação do comércio, barreiras Federativa do Brasil e o Ministério do
técnicas ao comércio, propriedade Comércio da República Popular da
intelectual e solução de controvérsias. China;
O Brasil e o México estão negociando V - Plano de ação entre o Ministério da
uma ampliação significativa do universo Saúde da República Federativa do
tarifário com preferências no âmbito do Brasil e a Comissão Nacional de Saúde
Acordo, com a inclusão de novos e de Planejamento Familiar da
produtos agrícolas e industriais. República Popular da China na área da
saúde para o período de 2018-2020;
O México é sócio comercial
fundamental para o Brasil na região. Em VI – Memorando de entendimento entre
2016, o comércio entre os dois países a Administração Geral de Supervisão de
foi de US$ 7,34 bilhões, havendo as Qualidade, Inspeção e Quarentena da
exportações brasileiras para o mercado República Popular da China e o
mexicano alcançado US$ 3,81 bilhões. Ministério da Indústria, Comércio
No período de janeiro a julho do Exterior e Serviços (MDIC) da
corrente ano, as exportações do Brasil República Federativa do Brasil e o
para o México conheceram incremento Instituto Nacional de Metrologia,
de 19% em relação ao mesmo período Qualidade e Tecnologia da República
ano passado. Federativa do Brasil;
VII - Memorando de entendimento
entre o governo da Bahia e a CREC
ATOS ASSINADOS POR OCASIÃO sobre o Projeto Bamin-Fiol-Porto do
DA VISITA DO PRESIDENTE Sul;
MICHEL TEMER À CHINA –
PEQUIM, 31 DE AGOSTO A 3 DE VIII - Licenciamento da fase 2 da usina
SETEMBRO DE 2017 03/09/2017 de Belo Monte – transmissão de alta
tensão no trecho Xingu-Rio de Janeiro
Durante a visita de estado do presidente
entre o Ministério de Minas e Energia e
Michel Temer à China, foram assinados
a State Grid;
os seguintes instrumentos:
IX - Draft de acordo entre o Eximbank e
I – Acordo entre o governo da
o Banco do Brasil para abertura de
República Federativa do Brasil e o
crédito de US$ 300 milhões;
governo da República Popular da China
sobre a facilitação de vistos de turista; X - Memorando de entendimento entre
a CBF e a CFA sobre cooperação em
II – Emenda ao acordo entre o governo
futebol;
da República Federativa do Brasil e o
governo da República Popular da China XI - Memorando de entendimento entre
sobre facilitação de vistos para homens a Eletrobras e a China National Nuclear
de negócios;

146 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


Corporation para continuidade da Federativa do Brasil na China e China
construção de Angra 3; Film Croup Corporation sobre
importação, distribuição e promoção do
XII - Acordo-quadro entre o BNDES e
filme “Nise: o coração da loucura”;
a Sinosure para prestação de garantias a
investidores chineses no Brasil; XXII - Memorando de entendimento
entre a Confederação Brasileira de
XIII - Acordo entre o BNDES e o China
Futebol e a Kingdomway Sports com o
Development Bank (CDB) para
objetivo de estabelecer as bases iniciais
aprofundamento da cooperação
para possível parceria referente à
estratégica para definição de parâmetros
internacionalização do futebol
para estabelecimento de futura linha de
brasileiro.
crédito no valor de us$ 3 bilhões;
XIV - Contrato de financiamento da
China Communication and Construction TESTE NUCLEAR PELA COREIA
Company (CCCC) para construção do DO NORTE 03/09/2017
terminal de uso privado no porto de São
O governo brasileiro condena
Luís, com investimento no valor de usd
veementemente o teste nuclear
700 milhões;
conduzido pela República Popular
XV - Termo de ratificação dos acordos Democrática da Coreia (RPDC) neste
para implantação do parque siderúrgico domingo, 3 de setembro. O exercício
entre o governo do estado do Maranhão militar que teria envolvido a detonação
a CBSTEEL; de bomba de hidrogênio constitui
inaceitável ato de desestabilização da
XVI - Memorando de entendimento
segurança na região.
entre o Banco do Brasil e o Industrial
Commercial Bank of China (ICBC); O Governo brasileiro reitera seu apoio
às resoluções aprovadas pelo Conselho
XVII - Protocolo de intenções entre a
de Segurança das Nações Unidas e insta
Itaipu e a China Three Gorges
o Governo da Coreia do Norte a
Corporation;
cumpri-las plenamente. É fundamental
XVIII - Memorando de entendimento que se restabeleçam as condições para
entre o Fundo de Investimento em negociações de paz na península
Participações em Infraestrutura coreana.
(ANESSA) e a China Communication
O Brasil foi um dos líderes das
Construction Company (CCCC), para a
negociações que resultaram na recente
aquisição do TGB (Santa Catarina);
adoção, no âmbito da Organização das
XIX - Acordo de cooperação estratégica Nações Unidas, do Tratado de Proibição
abrangente entre a Petrobrás e o China de Armas Nucleares. O uso pacífico da
Development Bank (CDB); tecnologia nuclear é compromisso
expresso na Constituição Federal do
XX - Memorando de entendimento país.
entre a Embaixada da República
Federativa do Brasil na China, o Museu
Minsheng de Pequim, e Currents Art &
Music sobre a exposição
“TROPOSPHERE” de arte
contemporânea sino-brasileira;
XXI - Memorando de entendimento
entre a Embaixada da República

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 147


CESSAR-FOGO ENTRE O Sudeste Asiático) e a troca de
GOVERNO DA COLÔMBIA E O informações a respeito de negociações
EXÉRCITO DE LIBERTAÇÃO multilaterais políticas e econômicas.
NACIONAL 04/09/2017
Em Kuala Lumpur, em 6 de setembro,
O governo brasileiro recebeu com as reuniões com o primeiro-ministro
satisfação o anúncio de um cessar-fogo Najib Razak e com o chanceler Anifah
bilateral e provisório entre o governo da Aman realizam-se no marco da
Colômbia e o Exército de Libertação comemoração dos 60 anos da
Nacional. Como um dos países-garantes independência da Malásia e constituem
nas negociações em curso em Quito, o a primeira visita de chanceler brasileiro
Brasil espera que a medida favoreça àquele país nos últimos 20 anos. Com
uma convergência crescente entre as um crescimento econômico médio
partes. A esperada conclusão de um superior a 5% desde 2009, a Malásia
acordo definitivo entre as autoridades foi, em 2016, o quarto maior parceiro
colombianas e o ELN consolidaria o comercial brasileiro no Sudeste
processo de pacificação do país, que Asiático, com fluxo comparável àquele
tem recebido o decidido apoio do Brasil mantido pelo Brasil com tradicionais
e da comunidade internacional. parceiros sul-americanos.
Em Singapura, nos dias 7 e 8 de
setembro, o ministro terá encontros com
VIAGEM DO MINISTRO o primeiro-ministro Lee Hsien Loong, o
ALOYSIO NUNES FERREIRA AO chanceler Vivian Balakrishnan e o
SUDESTE ASIÁTICO – 5 A 12 DE ministro sênior do Comércio e Indústria,
SETEMBRO DE 2017 04/09/2017 Koh Poh Koon. Na ocasião, será
O ministro Aloysio Nunes Ferreira realizado o seminário empresarial
visitará o Sudeste Asiático entre os dias "Brasil e Singapura – Oportunidades
5 e 12 de setembro, onde será recebido para Parcerias", além de encontro com
pelos chefes de governo de Malásia, empresários brasileiros. A visita
Singapura e Vietnã e manterá reuniões marcará ainda a celebração dos 50 anos
de trabalho com os ministros de do estabelecimento das relações
Relações Exteriores desses países. bilaterais e permitirá ao Brasil
consolidar sua aproximação com
Essa visita faz parte do Singapura, tanto no tema de
redimensionamento da política externa investimentos, quanto na abertura de
brasileira para a Ásia. Em conjunto, os novas frentes de diálogo, como, por
países do Sudeste Asiático constituem a exemplo, em ciência e tecnologia e em
sexta economia mundial, com produto mobilidade urbana.
interno bruto de aproximadamente US$
2,5 trilhões. Destacam-se pelo rápido Finalmente, em Hanói, em 11 de
crescimento econômico, pela população setembro, o ministro será recebido pelo
de aproximadamente 620 milhões de primeiro-ministro Nguyễn Xuân Phúc e
habitantes e pelo comércio exterior de manterá reunião de trabalho com o vice-
mais de US$ 2,2 trilhões. primeiro-ministro e chanceler
vietnamita, Pham Binh Minh. As
O ministro tratará do relacionamento do relações bilaterais com o Vietnã
Brasil com cada um dos países visitados apresentam grandes avanços desde seu
e os principais temas das agendas estabelecimento, em 1989. As relações
regional e multilateral, entre os quais a entre o Brasil e o Vietnã distinguem-se,
aproximação entre o Mercosul e a sobretudo, pela notável trajetória do
ASEAN (Associação de Nações do comércio bilateral, que saltou de US$
148 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.
47,1 milhões em 2003, para US$ 3,9 2. Reiteramos que o nosso desejo de
bilhões em 2015. paz, segurança, desenvolvimento e
cooperação é o objetivo central que nos
Além desses encontros, em 9 de
uniu há 10 anos. Desde então, os países
setembro, o ministro Aloysio Nunes
do BRICS percorreram juntos uma
manterá, em Singapura, reunião de
jornada notável em seus respectivos
trabalho com os embaixadores do Brasil
caminhos de desenvolvimento
em Singapura, nas Filipinas, na
adaptados às suas circunstâncias
Tailândia, no Timor Leste, em
nacionais, dedicados ao crescimento de
Myanmar e na Indonésia (que acumula
suas economias e à melhoria dos meios
o posto com a representação do Brasil
de subsistência de nossos povos. Nossos
na ASEAN). Além do contato em
esforços comprometidos e concertados
primeira mão com os embaixadores
geraram um ímpeto para a cooperação
para passar em revista os principais
em todas as dimensões e em suas várias
temas da relação do Brasil com esses
camadas em linha com as Cúpulas de
países, a reunião é parte do esforço de
Líderes realizadas previamente. Em
construção de uma política externa para
defesa do desenvolvimento e do
a Ásia, que começou com reunião com
multilateralismo, estamos trabalhando
os embaixadores na China, na Índia, no
juntos por uma ordem política e
Japão e em Singapura, em junho último,
econômica internacional mais justa,
em Pequim. Na véspera, o ministro
equitativa, honesta, democrática e
participará de reunião com os chefes
representativa.
dos setores de promoção comercial e
atração de investimentos das 3. Desde 2006, nossa cooperação tem
embaixadas brasileiras no Sudeste fomentado o espírito BRICS -
Asiático. caracterizado por respeito mútuo e
compreensão, igualdade, solidariedade,
abertura, inclusão e cooperação
IX CÚPULA DO BRICS – mutuamente benéfica -, que é nosso
DECLARAÇÃO XIAMEN – valioso ativo e fonte de força
XIAMEN, CHINA, 4 DE inesgotável para a cooperação BRICS.
SETEMBRO DE 2017 04/09/2017 Nós temos demonstrado respeito pelos
caminhos de desenvolvimento trilhados
Tradução não-oficial a partir de nossas respectivas escolhas e
1. Nós, os líderes da República oferecido compreensão e apoio aos
Federativa do Brasil, da Federação da interesses de cada um. Defendemos a
Rússia, da República da Índia, da igualdade e a solidariedade. Também
República Popular da China e da aderimos à abertura e à inclusão,
República da África do Sul, reunimo- dedicados a forjar uma economia
nos em 4 de setembro de 2017, em mundial aberta. Fortalecemos nossa
Xiamen, na China, na Nona Cúpula do cooperação com Mercados Emergentes
BRICS. Sob o tema "BRICS: Parceria e Países em Desenvolvimento (EMDCs,
mais Forte para um Futuro mais na sigla em inglês). Trabalhamos juntos
Brilhante", empenhamo-nos para para alcançar resultados mutuamente
ampliar as conquistas que já alcançamos benéficos e o desenvolvimento comum,
com uma visão compartilhada para o sempre aprofundando a cooperação
desenvolvimento futuro do BRICS. prática do BRICS, que beneficia o
Também discutimos questões mundo em geral.
internacionais e regionais de interesse
comum, e adotamos, por consenso, a 4. Congratulamo-nos pelos vários
Declaração de Xiamen. resultados frutíferos da nossa

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 149


cooperação, incluindo o -- Reforçaremos a comunicação e a
estabelecimento do Novo Banco de coordenação para o aperfeiçoamento da
Desenvolvimento (NDB, na sigla em governança econômica global a fim de
inglês) e do Acordo Contingente de promover uma ordem econômica
Reservas (CRA, na sigla em inglês), a internacional mais justa e equitativa.
formulação da Estratégia para uma Trabalharemos para intensificar a voz e
Parceria Econômica do BRICS, o a representação dos países do BRICS e
fortalecimento da cooperação política e dos EMDCs na governança econômica
de segurança, inclusive por meio de global, e promoveremos uma
Reuniões de Assessores Nacionais de globalização econômica aberta,
Segurança do BRICS e reuniões de inclusiva e equilibrada, contribuindo
Chanceleres, e o aprofundamento dos assim para o desenvolvimento dos
laços tradicionais de amizade entre EMDCs e conferindo forte impulso para
nossos povos. a correção dos desequilíbrios de
desenvolvimento Norte-Sul e para a
5. Recordando nossas Cúpulas em Ufá e
promoção do crescimento global.
em Goa, trabalharemos em conjunto
para reforçar ainda mais a parceria - Enfatizaremos a equidade e a justiça
estratégica do BRICS em proveito do para manter a paz e a estabilidade
bem-estar de nossos povos. internacional e regional.
Comprometemo-nos a ampliar os Permaneceremos firmes na defesa de
resultados e o consenso de nossas uma ordem internacional justa e
Cúpulas anteriores com convicção equitativa baseada no papel central das
inabalável, de modo a inaugurar a Nações Unidas, nos propósitos e nos
segunda década de ouro da cooperação princípios consagrados na Carta das
e da solidariedade BRICS. Nações Unidas e no respeito ao direito
internacional; na promoção da
6. Fiéis às amplas perspectivas de
democracia e do Estado de Direito nas
desenvolvimento de nossos países e ao
relações internacionais e na realização
vasto potencial de nossa cooperação,
de esforços conjuntos para enfrentar os
temos plena confiança no futuro do
desafios comuns de segurança
BRICS. Comprometemo-nos a
tradicionais e não tradicionais, de modo
fortalecer ainda mais nossa cooperação.
a construir um futuro compartilhado
-- Estimularemos nossa cooperação mais brilhante para a comunidade
prática para impulsionar o global.
desenvolvimento dos países do BRICS.
- Acolheremos a diversidade cultural e
Promoveremos, inter alia, o intercâmbio
promoveremos intercâmbios
de boas práticas e experiências em
interpessoais para obter maior apoio
desenvolvimento e facilitaremos as
popular à cooperação BRICS por meio
interrelações de mercado, bem como a
do adensamento de amizades
infraestrutura e a integração financeira,
tradicionais. Ampliaremos os
para alcançar o desenvolvimento
intercâmbios interpessoais em todas as
interconectado. Também nos
dimensões, encorajaremos todos os
esforçaremos para firmar amplas
segmentos da sociedade a participar da
parcerias com os EMDCs e, nesse
cooperação do BRICS, promoveremos o
contexto, buscaremos práticas e
aprendizado mútuo entre nossas culturas
iniciativas flexíveis e equilibradas para
e civilizações, melhoraremos a
o diálogo e a cooperação com países
comunicação e o entendimento mútuo
não participantes do BRICS, inclusive
entre nossos povos e aprofundaremos a
através da cooperação BRICS Plus.
amizade tradicional, tornando, assim, a

150 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


parceria BRICS mais próxima dos para um crescimento global fortalecido,
corações de nossos povos. sustentável, equilibrado e inclusivo.
Cooperação econômica prática do 9. Sublinhando o papel de uma
BRICS cooperação comercial e de investimento
7. Tomamos nota de que, no contexto reforçada para desencadear o potencial
de um crescimento econômico global das economias BRICS, concordamos
mais sólido, de maior resiliência e de em melhorar e ampliar o mecanismo e o
novas forças emergentes, os países do escopo da cooperação comercial e de
BRICS continuam a desempenhar um investimento, com vistas a aumentar a
papel importante como motores do complementaridade e a diversificação
crescimento global. Observando as econômica nos países do BRICS.
incertezas e os riscos negativos que Saudamos os resultados positivos da 7ª
persistem, enfatizamos a necessidade de Reunião dos Ministros do Comércio do
atentar para se contrapor às políticas e BRICS em termos de estruturas
às tendências ensimesmadas que cooperativas, mapas do caminho e
dificultam as perspectivas de linhas gerais sobre facilitação de
crescimento global e a confiança do comércio e de investimento,
mercado. Instamos todos os países a conectividade e compartilhamento
calibrar e comunicar suas políticas ampliado de políticas, troca de
macroeconômicas e estruturais e a informações, construção de
fortalecer a coordenação de políticas. capacidades, por meio de esforços
conjuntos aprimorados em facilitação de
8. Tomamos nota de que a cooperação
comércio e investimento, comércio de
econômica prática tem tradicionalmente
serviços, comércio eletrônico, direitos
servido como base para a cooperação
de propriedade intelectual (em sinergia
BRICS, notavelmente através da
com as atividades de cooperação entre
implementação da Estratégia para a
as autoridades de propriedade
Parceria Econômica do BRICS e de
intelectual do BRICS), cooperação
iniciativas relacionadas às suas áreas
econômica e técnica, PMEs (SMEs, na
prioritárias, tais como comércio e
sigla em inglês) e empoderamento
investimento, produção e
econômico das mulheres. Saudamos a
processamento de minerais,
criação da rede E-Port do BRICS, que
conectividade de infraestrutura,
funcionará de forma voluntária, e o
integração financeira, ciência,
estabelecimento do Grupo de Trabalho
tecnologia & inovação, e cooperação
em Comércio Eletrônico do BRICS.
em Tecnologia da Informação e
Saudamos ainda a iniciativa da China de
Comunicação (TIC), entre outros.
sediar uma Exposição Internacional de
Saudamos o primeiro relatório sobre a
Importação, em 2018, e incentivamos
implementação da Estratégia para a
nossas comunidades empresariais a
Parceria Econômica do BRICS e o
participar ativamente do referido
amplo pacote de resultados entregue
evento.
pelas reuniões ministeriais setoriais.
Comprometemo-nos a usar todas os 10. Ressaltamos a importância de
instrumentos políticos - fiscais, aprimorar a cooperação financeira do
monetárias e estruturais - e a adotar BRICS para atender melhor à economia
estratégias de desenvolvimento real e satisfazer as necessidades de
orientadas pela inovação para aumentar desenvolvimento dos países do BRICS.
a resiliência e as potencialidades de Tomamos nota do acordo dos Ministros
nossas economias, de modo a contribuir das Finanças e dos Governadores dos
Bancos Centrais sobre a cooperação em

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 151


Parcerias Público-Privadas (PPP), condicionada ao quadro regulatório de
inclusive através do intercâmbio de cada país e às obrigações da OMC, e em
experiências em PPP e da aplicação das assegurar uma maior comunicação e
Boas Práticas do BRICS em Acordos- cooperação entre os reguladores do
Quadro em PPP. Tomamos setor financeiro. Concordamos em
conhecimento do estabelecimento de participar ativamente dos esforços para
uma força-tarefa temporária para implementar e melhorar os Padrões
realizar discussões técnicas sobre várias Internacionais de Combate à Lavagem
formas de cooperação, incluindo a de Dinheiro e ao Financiamento do
utilização de instalações existentes dos Terrorismo e Proliferação no FATF (na
MDBs (na sigla em inglês) com base sigla em inglês), inclusive através da
em experiências nacionais, explorando a cooperação entre os Chefes de
possibilidade de estabelecer um novo Delegação do BRICS em AML / CFT
Fundo de Preparação de Projetos em (na sigla em inglês), também no
PPP e outras opções. Incentivamos a contexto do trabalho do BRICS CTWG
cooperação e a coordenação de nossos (na sigla em inglês) e através da
reguladores de padrões contábeis e utilização de outras plataformas, e
reguladores de auditoria e concordamos concordamos em manter a integridade
em explorar a convergência de padrões dos sistemas financeiros nacionais.
contábeis e continuar a discussão sobre Concordamos em manter contato
cooperação em supervisão de auditoria estreito para aprimorar a cooperação
na área de emissão de títulos, de modo a cambial, em consonância com o
estabelecer as bases para a mandato legal de cada banco central,
conectividade do mercado de títulos inclusive através da troca de moeda,
entre os países do BRICS, tendo em liquidação de moeda local e
conta a legislação e as políticas investimento direto em moeda local,
nacionais aplicáveis. Concordamos em quando apropriado, e em explorar mais
promover o desenvolvimento dos modalidades de cooperação monetária.
Mercados de Títulos em Moeda Local Encorajamos o Mecanismo de
dos países do BRICS e em estabelecer Cooperação Interbancária do BRICS a
conjuntamente um Fundo de Títulos em continuar a desempenhar um papel
Moeda Local do BRICS, como forma importante no apoio à cooperação
de contribuir para a sustentabilidade do econômica e comercial dos BRICS.
capital de financiamento nos países do Louvamos o progresso na conclusão dos
BRICS, impulsionando o Memorandos de Entendimento entre os
desenvolvimento dos mercados bancos nacionais de desenvolvimento
nacionais e regionais de títulos do dos países do BRICS sobre linha de
BRICS, inclusive por meio do aumento crédito em moeda local interbancária e
da participação do setor privado sobre cooperação interbancária na área
estrangeiro e do incremento da de classificação de crédito.
resiliência financeira dos países do
12. Destacamos a importância da
BRICS.
inovação como um dos principais
11. Para atender à demanda decorrente fatores para o crescimento econômico
do rápido crescimento do comércio e do de médio e longo prazo e para o
investimento entre os países do BRICS, desenvolvimento sustentável global.
concordamos em facilitar a integração Comprometemo-nos a promover a
do mercado financeiro através da cooperação em ciência, tecnologia &
promoção da rede de instituições inovação (CTI) para estabelecer
financeiras e da cobertura de serviços sinergias no aproveitamento do novo
financeiros nos países do BRICS, impulso de crescimento para nossas

152 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


cinco economias e para continuar o Nanotecnologia, Inteligência Artificial,
enfrentamento dos desafios de 5G e suas aplicações inovadoras de
desenvolvimento. Saudamos a seleção modo a elevar o nível de infraestrutura e
de projetos de pesquisa e conectividade em TICs em nossos
desenvolvimento do BRICS no âmbito países. Defenderemos o estabelecimento
do Programa-Quadro BRICS CTI, e de regras internacionalmente aplicáveis
tomamos nota do lançamento da para a segurança da infraestrutura das
segunda chamada de projetos. TICs, a proteção de dados e para a
Saudamos o Memorando de Internet, que possam ser amplamente
Entendimento sobre Cooperação BRICS aceitas por todas as partes interessadas,
em CTI e apoiamos a cooperação e criaremos conjuntamente uma rede
reforçada em inovação e confiável e segura. Aumentaremos o
empreendedorismo, inclusive por meio investimento em TICs, reconheceremos
da promoção de transferência e a necessidade de aumentar ainda mais o
aplicação de tecnologia, da cooperação investimento em pesquisa e
entre parques e empresas de ciência e desenvolvimento das TICs e
tecnologia e da mobilidade de desencadearemos a dinâmica da
pesquisadores, empresários, inovação na produção de bens e
profissionais e estudantes. Incentivamos serviços. Encorajamos a identificação e
uma maior participação da academia, facilitação de parcerias entre institutos,
das empresas, da sociedade civil e de organizações e empresas na
outras partes interessadas nesse implementação de testes de conceitos e
processo e apoiamos a promoção do projetos piloto por meio do
investimento em CTI e do investimento alavancagem de forças complementares
transfronteiriço através de recursos, em hardware, software e habilidades de
instituições e plataformas existentes, TIC através do desenvolvimento da
incluindo o NDB. Concordamos em próxima geração de soluções inovadoras
continuar a trabalhar em uma nas áreas de cidades inteligentes,
plataforma de cooperação para inovação assistência médica e dispositivos
e empreendedorismo, e apoiamos a eficientes em energia, etc. Apoiamos a
implementação do Plano de Ação de colaboração ativa na implementação da
Cooperação para Inovação do BRICS Agenda de Desenvolvimento e do Plano
2017-2020. de Ação do BRICS em TICs.
13. Reafirmamos o nosso compromisso 14. Reafirmamos o nosso compromisso
com a cooperação industrial do BRICS, de implementar totalmente a Agenda
incluindo em capacidades e políticas 2030 para o Desenvolvimento
industriais, novas infraestruturas Sustentável. Defenderemos também um
industriais e padrões, e entre SMEs, de desenvolvimento equitativo, aberto,
modo a aproveitar conjuntamente as abrangente, inclusivo e impulsionado
oportunidades trazidas pela nova pela inovação, a fim de alcançar o
revolução industrial e a acelerar nossos desenvolvimento sustentável em suas
respectivos processos de três dimensões - econômica, social e
industrialização. Encorajamos a ambiental - de forma equilibrada e
explorar o estabelecimento do “BRICS integrada. Apoiamos o papel importante
Institute of Future Networks". das Nações Unidas, incluindo o Fórum
Aprimoraremos a pesquisa, o Político de Alto Nível sobre
desenvolvimento e a inovação conjunta Desenvolvimento Sustentável (HLPF,
do BRICS nas TICs, incluindo a na sigla em inglês), na coordenação e
Internet de Coisas, Computação em revisão da implementação global da
Nuvem, Big Data, Análise de Dados, Agenda 2030 e apoiamos a reforma do

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 153


Sistema de Desenvolvimento das economia de baixo carbono, no contexto
Nações Unidas com o objetivo de do desenvolvimento sustentável e da
melhorar sua capacidade de apoiar os erradicação da pobreza, a reforçar ainda
Estados membros na implementação da mais a cooperação do BRICS em
Agenda 2030. Conclamamos os países mudança climática e a expandir ainda
desenvolvidos a honrar seus mais o financiamento verde.
compromissos no âmbito da Assistência Conclamamos todos os países a
Oficial ao Desenvolvimento de forma implementar plenamente o Acordo de
tempestiva e completa, e a fornecer Paris adotado de acordo com os
mais recursos de desenvolvimento aos princípios da Convenção das Nações
países em desenvolvimento. Unidas sobre Mudanças Climáticas
(UNFCCC, na sigla em inglês),
15. Sublinhando a importância
incluindo os princípios das
estratégica da energia para o
responsabilidades comuns mas
desenvolvimento econômico,
diferenciadas e respectivas capacidades,
comprometemo-nos a fortalecer a
e instamos os países desenvolvidos a
cooperação do BRICS em energia.
fornecer recursos financeiros,
Reconhecemos que o desenvolvimento
tecnológicos e de construção de
sustentável, o acesso à energia e à
capacidades aos países em
segurança energética são fundamentais
desenvolvimento para aumentar sua
para a prosperidade e o futuro
capacidade de mitigação e adaptação.
compartilhados do planeta.
Reconhecemos que a energia limpa e 17. Com ênfase na importância da
renovável precisa ser acessível a todos. cooperação ambiental para o
Trabalharemos para promover mercados desenvolvimento sustentável dos nossos
abertos, flexíveis e transparentes para países e o bem-estar dos nossos povos,
commodities e tecnologias de energia. concordamos em tomar medidas
Trabalharemos juntos para promover o concretas para promover a cooperação
uso mais eficiente dos combustíveis orientada para resultados em áreas
fósseis e o uso mais amplo de gás e como prevenção da poluição do ar e da
energia hidráulica e nuclear, o que água, gestão de resíduos e conservação
contribuirá para a transformação em da biodiversidade. Reconhecemos a
direção a uma economia de baixas importância de uma plataforma
emissões, o melhor acesso à energia e o tecnológica ambientalmente sólida e da
desenvolvimento sustentável. A esse melhoria da sustentabilidade ambiental
respeito, sublinhamos a importância da urbana, e apoiamos os esforços
previsibilidade no acesso a tecnologia e conjuntos do BRICS nesse sentido.
financiamento para a expansão da Brasil, Rússia, Índia e África do Sul
capacidade de energia nuclear civil, o apreciam e apoiam a organização, pela
que contribuiria para o desenvolvimento China, da reunião da Conferência das
sustentável nos países do BRICS. Partes da Convenção sobre Diversidade
Encorajamos o diálogo continuado Biológica em 2020.
sobre o estabelecimento de uma
18. Cientes da produtiva cooperação
Plataforma de Cooperação em Pesquisa
agrícola nos últimos anos,
Energética do BRICS e conclamamos as
reconhecemos as características únicas e
entidades relevantes que continuem a
a complementaridade dos países do
promover pesquisas conjuntas sobre
BRICS no desenvolvimento agrícola e
cooperação e eficiência energéticas.
no vasto potencial de cooperação nesta
16. Comprometemo-nos a promover área. Neste contexto, concordamos em
ainda mais o desenvolvimento verde e a aprofundar a cooperação nas cinco áreas

154 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


prioritárias, que são segurança alimentar desenvolvimento econômico e a
e nutrição, adaptação da agricultura às estabilidade financeira, e apoiamos ao
mudanças climáticas, cooperação e fortalecimento da cooperação na
inovação em tecnologia agrícola, recuperação de ativos. Apoiamos o
comércio e investimento agrícola e fortalecimento da cooperação
aplicação das TICs na agricultura para internacional contra a corrupção,
contribuir para o crescimento da inclusive por meio do Grupo de
agricultura global estável e para o Trabalho do BRICS sobre
alcance dos Objetivos de Anticorrupção, bem como sobre
Desenvolvimento Sustentável. questões relacionadas à recuperação de
Saudamos o estabelecimento, na Índia, ativos e pessoas procuradas por
do Centro de Coordenação da corrupção. Reconhecemos que a
Plataforma de Pesquisa Agrícola do corrupção, inclusive a que envolve
BRICS, uma rede virtual que facilitará a recursos e fluxos financeiros ilícitos e
abordagem dessas áreas prioritárias. riquezas provenientes de ganhos ilícitos
guardadas em jurisdições estrangeiras é
19. Manifestamos preocupação com os
um desafio global que pode afetar
desafios enfrentados pelo continente
negativamente o crescimento
africano para alcançar o
econômico e o desenvolvimento
desenvolvimento independente e
sustentável. Empenhar-nos-emos em
sustentável e a conservação da vida
coordenar nossas posições sobre a
selvagem. Reafirmamos nosso
matéria, e em fomentar um
compromisso de fortalecer a cooperação
compromisso global mais robusto para
com a África e de ajudar o continente a
prevenir e combater a corrupção com
lidar com o comércio ilegal da vida
base na Convenção das Nações Unidas
selvagem, a promover o emprego, a
contra a Corrupção e em outros
segurança alimentar, o desenvolvimento
instrumentos jurídicos internacionais
de infraestrutura e a industrialização,
relevantes.
inclusive por meio da conectividade e
de iniciativas e projetos de 21. Em plena era da economia digital,
desenvolvimento. Reafirmamos o nosso estamos prontos para usar as
forte apoio à implementação, pela oportunidades por ela fornecidas e
União Africana, de seus diversos enfrentar os desafios por ela impostos
programas no âmbito da Agenda 2063, para o crescimento global. Atuaremos
na consecução de sua agenda com base nos princípios de inovação,
continental para a paz e o parceria, sinergia, flexibilidade,
desenvolvimento socioeconômico. ambiente de negócios aberto e
favorável, confiança e segurança e
20. Profundamente conscientes do
proteção dos direitos dos consumidores,
impacto negativo da corrupção sobre o
a fim de garantir as condições para uma
desenvolvimento sustentável, apoiamos
economia digital próspera e dinâmica,
os esforços para fortalecer a cooperação
que promoverá o desenvolvimento
do BRICS contra a corrupção.
econômico global e beneficiará a todos.
Reafirmamos o nosso compromisso em
intensificar o diálogo e o 22. Agradecemos os esforços e as
compartilhamento de experiências e em contribuições do Conselho Empresarial
apoiar a compilação de um compêndio do BRICS e do Fórum Empresarial para
sobre a luta contra a corrupção nos fortalecer nossa cooperação econômica
países do BRICS. Reconhecemos, em infraestrutura, manufatura, energia,
ainda, que o fluxo ilegal dos produtos agricultura, serviços financeiros,
advindos da corrupção prejudica o comércio eletrônico, alinhamento de

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 155


padrões técnicos e desenvolvimento de significado da interação entre as
capacitações. Saudamos o Autoridades de Concorrência de nossos
estabelecimento de um grupo de países, em particular, na identificação e
trabalho sobre aviação regional no na supressão de práticas comerciais
âmbito do Conselho Empresarial e, restritivas de natureza transfronteiriça.
neste contexto, tomamos conhecimento
25. Tomamos nota com satisfação dos
da proposta do Brasil de um
progressos realizados pelas
memorando de entendimento sobre
administrações aduaneiras na sua
parceria em aviação regional.
cooperação em matéria de facilitação do
Encorajamos as comunidades
comércio, segurança e sua aplicação,
empresariais e as associações a
construção de capacidades e outras
participar ativamente da cooperação do
questões de interesse mútuo, inclusive
BRICS e a desempenhar plenamente o
através de mecanismos como o Comitê
seu papel de instituições de facilitação
Aduaneiro do BRICS e o Grupo de
de comércio e de investimento na
Trabalho em Temas Aduaneiros do
promoção de uma cooperação
BRICS. Encorajamos uma cooperação
mutuamente benéfica.
ampla sob os princípios orientadores do
23. Reconhecemos a importância da compartilhamento mútuo de
transformação que está ocorrendo no informações, do reconhecimento mútuo
mercado de trabalho e as oportunidades do controle aduaneiro e da assistência
e desafios que ela traz. Tomamos nota mútua em sua implementação, a fim de
com satisfação do progresso na impulsionar o crescimento e promover o
cooperação do BRICS em matéria de bem-estar das pessoas. Com vistas a
recursos humanos, emprego e fortalecer a cooperação mútua em
previdência social, promovendo sólidos assuntos aduaneiros, reafirmamos nosso
sistemas de informação do mercado de compromisso de finalizar o Acordo de
trabalho e oportunidades de Assistência Mútua Aduaneira do BRICS
relacionamento entre Institutos de o mais cedo possível.
Pesquisa Laboral do BRICS no contexto
26. Aderimos ao princípio da utilização
do Quadro da Cooperação em
do espaço exterior para fins pacíficos e
Seguridade Social do BRICS.
enfatizamos a necessidade de fortalecer
Saudamos o alcance de uma posição
a cooperação internacional em
comum dos países do BRICS sobre
atividades espaciais, a fim de usar as
governança do futuro do trabalho e
tecnologias espaciais para responder às
concordamos em fortalecer ainda mais
mudanças climáticas globais, à proteção
os intercâmbios e a cooperação para
ambiental, à prevenção e à assistência a
garantir o pleno emprego, fomentar o
desastres e a outros desafios enfrentados
trabalho decente, promover o alívio e a
pela humanidade.
redução da pobreza através do
desenvolvimento de capacitações e para
27. Recordando as Declarações de São
alcançar sistemas de seguridade social
Petersburgo e Udaipur dos Ministros do
universais e sustentáveis.
BRICS para o Gerenciamento de
24. Reconhecemos a importância da Desastres e a decisão de estabelecer
proteção da concorrência para assegurar uma Força-tarefa Conjunta do BRICS
o desenvolvimento social e econômico em Gerenciamento de Riscos de
eficiente de nossos países, para Desastres, sublinhamos a importância
estimular processos inovadores e para de um trabalho conjunto consistente dos
fornecer produtos de qualidade aos serviços de emergência dos países do
nossos consumidores. Tomamos nota do BRICS, com o objetivo de construir um

156 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


futuro mais seguro por meio da redução fortalecer ainda mais a capacidade de
de riscos de desastres, incluindo o pesquisa do CRA e para promover uma
intercâmbio de informações sobre as cooperação mais estreita entre o FMI e
melhores práticas em matéria de gestão o CRA.
de riscos de desastres e sobre
31. Saudamos a criação do Centro
cooperação no campo da previsão e do
Regional do NDB na África, lançado na
alerta antecipado para uma resposta
África do Sul, o qual é o primeiro
efetiva às catástrofes naturais e àquelas
escritório regional do Banco. Saudamos
induzidas pelo homem.
a criação do Fundo de Preparação de
28. Tomamos nota com satisfação do
Projetos e a aprovação do segundo lote
progresso na cooperação do BRICS em
de projetos. Congratulamos o Banco
áreas como auditoria, estatística e
pela construção de sua inovadora sede
crédito à exportação e concordamos em
permanente. Ressaltamos o significado
avançar ainda mais a cooperação nessas
da conectividade de infraestrutura para
áreas.
fomentar o estreitamento de vínculos
Governança Econômica Global econômicos e parcerias entre os países.
29. Decidimos fomentar uma Encorajamos o NDB a potencializar
arquitetura de governança econômica plenamente o seu papel e a reforçar a
global mais efetiva e representativa do cooperação com as instituições
atual cenário econômico global, multilaterais de desenvolvimento,
intensificando a voz e a representação incluindo o Banco Mundial e o Banco
dos mercados emergentes e das Asiático de Investimento em
economias em desenvolvimento. Infraestrutura, bem como com o
Reafirmamos o nosso compromisso de Conselho Empresarial do BRICS, para
concluir a 15ª Revisão Geral das Cotas criar sinergias na mobilização de
do FMI, incluindo uma nova fórmula de recursos e promover a construção de
cota, até as Reuniões de Primavera de infraestruturas e desenvolvimento
2019 ou, no mais tardar, até as Reuniões sustentável dos países do BRICS.
Anuais de 2019. Continuaremos a
32. Enfatizamos a importância de uma
promover a implementação da Revisão
economia mundial aberta e inclusiva
das Participações do grupo Banco
que permita a todos os países e povos
Mundial.
compartilhar os benefícios da
30. Enfatizamos a importância de um globalização. Continuamos firmemente
sistema financeiro aberto e resiliente comprometidos com um sistema de
para o crescimento e o desenvolvimento comércio multilateral baseado em
sustentáveis, e concordamos em regras, transparente, não
aproveitar melhor os benefícios dos discriminatório, aberto e inclusivo, tal
fluxos de capitais e em gerenciar os como incorporado nas regras da OMC.
riscos decorrentes de excessivos fluxos Reafirmamos nossos compromissos
de capitais e flutuações para garantir a plena implementação e
transfronteiriças. O CRA do BRICS aplicação das regras existentes da OMC,
representa um marco para a cooperação e estamos determinados a trabalhar em
financeira e para o desenvolvimento do conjunto para fortalecer ainda mais a
BRICS, contribuindo também para a OMC. Conclamamos pela aceleração da
estabilidade financeira global. implementação dos resultados das
Saudamos o estabelecimento do Sistema conferências ministeriais de Bali e de
de Intercâmbio de Informações Nairóbi e pela produção de resultados
Macroeconômicas (SEMI, na sigla em positivos na conferência ministerial da
inglês) do CRA e o acordo para OMC a ser realizada neste ano, na

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 157


Argentina. Continuaremos a nos opor 35. Cientes das mudanças profundas
firmemente ao protecionismo. pelas quais o mundo está passando e
Comprometemo-nos novamente com dos desafios e ameaças de segurança
nosso compromisso feito tanto para a enfrentados pela comunidade
paralisação quanto para a reversão de internacional, comprometemo-nos a
medidas protecionistas e pedimos a aprimorar a comunicação e a
outros países que se juntem a nós nesse cooperação em fóruns internacionais
compromisso. sobre questões relacionadas à paz e à
segurança internacionais. Reiteramos o
33. Considerando a continuidade do
nosso compromisso de manter a paz e a
papel do G20 como o principal fórum
segurança mundiais e de preservar as
de cooperação econômica internacional,
normas básicas do direito internacional
reiteramos nossos compromissos com a
e os propósitos e princípios da Carta das
implementação dos resultados das
Nações Unidas, incluindo a igualdade
cúpulas do G20, incluindo a Cúpula de
soberana dos estados e a não
Hamburgo e a Cúpula de Hangzhou.
interferência nos assuntos internos de
Conclamamos o G20 a aprimorar a
outros países.
coordenação das políticas
macroeconômicas para minimizar os 36. Saudamos a 7ª Reunião de
transbordamentos negativos e os Assessores de Segurança Nacional do
choques externos para EMDEs. BRICS, realizada em 27 e 28 de julho
Concordamos em melhorar a de 2017, em Pequim, e a enaltecemos
coordenação e a cooperação sob a por ter permitido discussão aprofundada
presidência argentina em 2018, com o sobre o nosso entendimento comum a
objetivo de fazer com que o processo e respeito de governança global,
os resultados do G20 reflitam os contraterrorismo, segurança no uso das
interesses e as prioridades dos EMDEs. TICs, segurança energética, zonas de
perigo internacionais e regionais, bem
34. Reafirmamos o nosso compromisso
como segurança nacional e
de alcançar um sistema fiscal global
desenvolvimento. Tomamos nota da
justo e moderno e de promover um
proposta do Brasil de estabelecer um
ambiente fiscal internacional mais
Fórum de Inteligência do BRICS.
equitativo, pró-crescimento e eficiente,
Saudamos o relatório da presidência de
incluindo o aprofundamento da
turno sobre os trabalhos da reunião e
cooperação no que tange a Erosão da
encorajamos as próximas presidências a
Base Tributária e Transferência de
continuar esse exercício. Esperamos
Lucros (BEPS, na sigla em inglês), a
aprimorar a cooperação prática nos
promoção do intercâmbio de
temas de segurança nas áreas citadas
informações tributárias e o
acima.
aperfeiçoamento da construção de
capacidades em países em 37. Saudamos a China pela organização
desenvolvimento. Fortaleceremos a da reunião de ministros das Relações
cooperação tributária do BRICS para Exteriores do BRICS, em Pequim, nos
aumentar a contribuição do BRICS no dias 18 e 19 de junho de 2017. Os
estabelecimento de regras fiscais ministros intercambiaram pontos de
internacionais e para fornecer, de vista sobre as principais questões
acordo com as prioridades de cada país, políticas, de segurança, econômicas e
assistência técnica efetiva e sustentável financeiras globais de interesse comum
a outros países em desenvolvimento. e sobre o fortalecimento da cooperação
do BRICS. Aguardamos a próxima
Paz e Segurança Internacionais
reunião de ministros das Relações

158 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


Exteriores a ser realizada à margem da 41. Reiteramos que a única solução
AGNU. Saudamos a oferta da África do duradoura para a crise na Síria deve ser
Sul para sediar a próxima reunião buscada por meio de um processo
autônoma de chanceleres, em 2018. político inclusivo, "liderado e
pertencente à Síria", que proteja a
38. Recordamos que desenvolvimento e
soberania, a independência e a
segurança estão intimamente
integridade territorial daquele país, em
interligados, reforçando-se mutuamente
conformidade com a resolução n. 2254
e sendo fundamentais para alcançar a
(2015) do Conselho de Segurança das
paz sustentável. Reiteramos nossa visão
Nações Unidas, e promova as
de que o estabelecimento de uma paz
aspirações legítimas do povo sírio.
sustentável requer uma abordagem
Apoiamos firmemente as conversações
abrangente, concertada e determinada,
de paz de Genebra e o processo de
baseada na confiança e no benefício
Astana e saudamos a criação das áreas
mútuos, na equidade e na cooperação,
de desescalada na Síria, que contribuem
que aborde as causas dos conflitos,
para diminuir os níveis de violência e
incluindo suas dimensões política,
gerar impulso e condições positivas
econômica e social. Condenamos
para o avanço das negociações de paz
intervenções militares unilaterais,
sob os auspícios das Nações Unidas.
sanções econômicas e o uso arbitrário
Opomo-nos ao uso de armas químicas
de medidas coercivas unilaterais em
por quaisquer atores, para quaisquer
violação ao direito internacional e às
propósitos e sob quaisquer
normas universalmente reconhecidas
circunstâncias.
das relações internacionais. Enfatizamos
que nenhum país deve buscar aumentar 42. Reiteramos a necessidade urgente de
a sua segurança à custa da segurança de uma solução justa, duradoura e
outros. abrangente para o conflito israelo-
palestino, a fim de alcançar a paz e a
39. Reafirmamos o nosso compromisso
estabilidade no Oriente Médio, com
com as Nações Unidas, organização
base nas resoluções pertinentes das
multilateral universal encarregada do
Nações Unidas, nos Princípios de
mandato de manter a paz e a segurança
Madri, na Iniciativa de Paz Árabe e em
internacionais, promover o
acordos prévios entre as partes por meio
desenvolvimento global e proteger os
de negociações, com o objetivo de criar
direitos humanos.
um Estado palestino independente,
40. Recordamos o documento final da viável e territorialmente contíguo, que
Cúpula Mundial de 2005 e reafirmamos se mantenha lado a lado, em paz e
a necessidade de uma reforma segurança, com Israel. Visando a
abrangente das Nações Unidas, contribuir para tal fim, expressamos
incluindo o seu Conselho de Segurança, nossa disponibilidade em trabalhar para
com o objetivo de torná-lo mais uma solução justa e duradoura do
representativo, efetivo e eficiente, e de conflito e apoiamos os esforços
aumentar a representação dos países em internacionais para promover a paz e a
desenvolvimento de modo a responder estabilidade na região.
adequadamente aos desafios globais. A
43. Congratulamos o povo e o governo
China e a Rússia reiteram a importância
do Iraque pela recuperação de Mosul e
que atribuem ao status e ao papel de
pelos progressos alcançados na luta
Brasil, Índia e África do Sul em
contra o terrorismo e reafirmamos o
assuntos internacionais e apoiam sua
nosso compromisso com a soberania,
aspiração de desempenhar um papel
integridade territorial e independência
maior nas Nações Unidas.
Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 159
política do Iraque e o nosso apoio ao Reafirmamos o nosso apoio ao povo do
governo iraquiano e ao seu povo. Afeganistão em seus esforços para
Expressamos a nossa preocupação com alcançar a paz "liderada pelos afegãos e
a situação no Iêmen e exortamos todas a eles pertencente" e a reconciliação
as partes a cessar as hostilidades e a nacional, aos esforços internacionais em
retomar as negociações patrocinadas curso, incluindo o Formato de Moscou
pelas Nações Unidas. Instamos também de consultas sobre o Afeganistão e o
todas as partes diretamente envolvidas "Processo do Coração da Ásia-
na atual crise diplomática no Golfo Istambul", bem como projetos de
Pérsico a superar suas dissensões por conectividade multimodal para
meio do diálogo e saudamos os esforços promover a paz e a estabilidade e lutar
de mediação do Kuwait a esse respeito. contra o terrorismo e a ameaça das
drogas. Apoiamos os esforços das
44. Deploramos firmemente o teste
Forças Nacionais de Defesa e
nuclear realizado pela República
Segurança do Afeganistão na luta contra
Popular Democrática da Coreia.
organizações terroristas.
Expressamos profunda preocupação
com a tensão atual e a prolongada 48. Manifestamos, a esse respeito,
questão nuclear na Península Coreana e preocupação com a situação de
enfatizamos que a sua resolução deve segurança na região e com a violência
somente ocorrer por meios pacíficos e causada pelo Talibã, ISIS/DAESH, Al-
diálogo direto entre todas as partes Qaeda e suas afiliadas, incluindo o
interessadas. Movimento Islâmico do Turquistão
Oriental, o Movimento Islâmico do
45. Apoiamos firmemente o Plano de
Uzbequistão, a rede Haqqani, Lashkar-
Ação Conjunto Global (JCPOA, na
e-Taiba, Jaish-e-Mohammad, TTP e
sigla em inglês) sobre a questão nuclear
Hizb ut-Tahrir.
iraniana e exortamos todas as partes
relevantes a cumprir plenamente as suas 49. Deploramos todos os ataques
obrigações e a assegurar a terroristas ao redor do mundo, incluindo
implementação plena e efetiva do aqueles ocorridos nos países do BRICS,
JCPOA para promover a paz e a e condenamos o terrorismo em todas as
estabilidade internacional e regional. suas formas e manifestações cometidos
onde quer que seja e por quem quer que
46. Congratulamos os países africanos,
seja, e enfatizamos que não há
a União Africana e as suas organizações
justificativa para qualquer ato de
sub-regionais pelos esforços para lidar
terrorismo. Reafirmamos que os
com questões regionais e manter a paz e
responsáveis por cometer, organizar ou
a segurança e enfatizamos a importância
apoiar atos terroristas devem ser
da colaboração entre as Nações Unidas
responsabilizados. Recordando o papel
e a União Africana, de acordo com a
principal de liderança e a
Carta das Nações Unidas. Apoiamos os
responsabilidade dos Estados na
esforços para resolver de forma
prevenção e no combate ao terrorismo,
abrangente as questões na República
ressaltamos a necessidade de promover
Democrática do Congo, na Líbia, no
a cooperação internacional, de acordo
Sudão do Sul, na Somália, na República
com os princípios do direito
Centro-Africana e no Saara Ocidental.
internacional, incluindo o da igualdade
47. Condenamos fortemente os ataques soberana dos Estados e da não
terroristas que provocaram a morte de interferência em seus assuntos internos.
cidadãos afegãos inocentes. É urgente a Reafirmamos a solidariedade e a
cessação imediata da violência. determinação na luta contra o

160 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


terrorismo, apreciamos a segunda esse respeito. Enfatizamos que a luta
reunião do Grupo de Trabalho sobre contra o terrorismo deve ser conduzida
Terrorismo do BRICS, realizada em de acordo com o direito internacional,
Pequim, em 18 de maio de 2017, e incluindo a Carta das Nações Unidas, o
concordamos em fortalecer a nossa direito internacional dos refugiados e o
cooperação. direito humanitário, os direitos humanos
e as liberdades fundamentais.
50. Conclamamos todas as nações a
Reafirmamos o nosso compromisso em
adotar uma abordagem abrangente no
aumentar a eficácia da estrutura de
combate ao terrorismo, o qual deve
combate ao terrorismo das Nações
incluir o combate à radicalização, ao
Unidas, inclusive nas áreas de
recrutamento, ao movimento de
cooperação e coordenação entre as
terroristas, incluindo os Combatentes
entidades relevantes da ONU, de
Terroristas Estrangeiros, o bloqueio de
designação de terroristas e grupos
fontes de financiamento do terrorismo,
terroristas e de assistência técnica aos
como, por exemplo, o crime organizado
estados-membros. Instamos a rápida
que se expressa por meio da lavagem de
finalização e adoção da Convenção
dinheiro, do fornecimento de armas, do
Global sobre Terrorismo Internacional
tráfico de drogas, entre outras atividades
pela Assembleia Geral das Nações
criminosas, o desmantelamento de bases
Unidas.
terroristas e combate ao uso indevido da
Internet, incluindo as mídias sociais, por 52. Reconhecemos a importante
parte de entidades terroristas através do contribuição dos países do BRICS para
uso indevido das Tecnologias de as operações de manutenção da paz das
Informação e Comunicação (TICs). Nações Unidas e a importância dessas
Estamos empenhados em prevenir e para a paz e a segurança internacionais.
combater a crescente disseminação de Enfatizamos a necessidade de os países
narrativas terroristas e em enfrentar do BRICS aprimorarem ainda mais os
todas as fontes, técnicas e canais de contatos sobre questões relacionadas à
financiamento do terrorismo. manutenção da paz.
Conclamamos todos os países a
53. Reiteramos o nosso compromisso de
implementar rápida e efetivamente as
abordar o problema mundial das drogas
resoluções do Conselho de Segurança
com base nas convenções de controle
das Nações Unidas sobre o assunto e as
das drogas das Nações Unidas, por meio
recomendações internacionais do Grupo
de uma abordagem integrada,
de Ação Financeira Internacional
abrangente e equilibrada das estratégias
(GAFI). Buscaremos intensificar a
de redução da demanda e da oferta de
nossa cooperação no GAFI e nos órgãos
drogas. Ressaltamos a importância do
regionais voltados ao
documento final da 30ª Sessão Especial
supervisionamento das transações
da Assembleia Geral das Nações Unidas
financeiras. Recordamos a
sobre o problema mundial das drogas e
responsabilidade de todos os estados de
do fortalecimento da cooperação e
evitar o financiamento das redes
coordenação internacional e regional
terroristas e das ações terroristas em
para combater a ameaça global causada
seus territórios.
pela produção e pelo tráfico ilícitos de
51. Conclamamos a comunidade drogas, especialmente os opiáceos.
internacional a estabelecer uma coalizão Tomamos nota, com profunda
genuinamente ampla de combate ao preocupação, das ligações crescentes,
terrorismo e apoiamos o papel central em algumas regiões do mundo, entre
de coordenação das Nações Unidas a

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 161


tráfico de drogas, lavagem de dinheiro e humanos e liberdades fundamentais.
crime organizado e terrorismo. Enfatizamos a necessidade de aprimorar
a cooperação internacional contra o uso
54. Reiteramos a necessidade de todos
criminoso e terrorista das TICs,
os países cooperarem na promoção e
reafirmamos a abordagem geral
proteção dos direitos humanos e das
estabelecida nas declarações de
liberdades fundamentais de acordo com
eThekwini, Fortaleza, Ufá e Goa a esse
os princípios da igualdade e do respeito
respeito e reconhecemos a necessidade
mútuo. Concordamos em continuar a
de um instrumento regulatório universal
tratar todos os direitos humanos,
vinculante, sob os auspícios das Nações
inclusive o direito ao desenvolvimento,
Unidas, para combater o uso criminoso
de forma justa e igualitária e com a
das TICs, conforme afirmado na
mesma ênfase. Fortaleceremos a
Declaração de Ufá. Tomamos nota com
cooperação em questões de interesses
satisfação do progresso alcançado pelo
comum tanto no BRICS quanto em
Grupo de Trabalho de Peritos do BRICS
fóruns multilaterais, incluindo o
sobre Segurança no Uso das TICs.
Conselho de Direitos Humanos das
Decidimos promover a cooperação de
Nações Unidas, levando em
acordo com o Mapa do Caminho de
consideração a necessidade de
Cooperação Prática para Garantir a
promover, proteger e cumprir os direitos
Segurança no Uso das TICs do BRICS e
humanos de forma não seletiva, não
outros mecanismos mutuamente
politizada, construtiva e sem padrões
acordados e tomamos nota da iniciativa
duplos.
da Federação da Rússia de um acordo
55. Profundamente conscientes dos intergovernamental do BRICS sobre
desafios de segurança global cooperação para assegurar a segurança
enfrentados pela comunidade no uso das TICs.
internacional na área da migração
57. Acreditamos que todos os Estados
internacional, enfatizamos o crescente
devem participar em pé de igualdade na
papel desempenhado pela
evolução e no funcionamento da
regulamentação efetiva da migração em
Internet e na sua governança, tendo em
benefício da segurança internacional e
mente a necessidade de envolver as
do desenvolvimento da sociedade.
partes interessadas em seus respectivos
56. Consideramos que as Nações papéis e responsabilidades. As
Unidas têm um papel central no estruturas que gerem e regulam os
desenvolvimento de normas recursos críticos da Internet precisam
universalmente aceitas para o ser mais representativas e inclusivas.
comportamento responsável dos estado Tomamos nota, com satisfação, do
no uso das TICs, a fim de garantir um progresso alcançado pelo Grupo de
ambiente de comunicação pacífico, Trabalho do BRICS sobre Cooperação
seguro, aberto, cooperativo, estável, no uso das TICs. Reconhecemos a
ordenado, acessível e equitativo. necessidade de fortalecer nossa
Enfatizamos a importância primordial cooperação nessa área. Para esse fim, o
dos princípios de direito internacional BRICS continuará a trabalhar
consagrados na Carta das Nações conjuntamente para contribuir para o
Unidas, em particular a soberania uso seguro, aberto, pacífico e
estatal, a independência política, a cooperativo das TICs, com base na
integridade territorial e a igualdade participação igualitária da comunidade
soberana dos Estados, a não internacional na sua gestão.
interferência nos assuntos internos de
outros Estados e o respeito aos direitos
162 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.
58. Reiteramos que o espaço exterior Uso Pacífico do Espaço Exterior
deve ser livre para a exploração pacífica (UNISPACE+50, na sigla em inglês).
e deve ser utilizado por todos os
Intercâmbios interpessoais
Estados com base na igualdade, de
60. Enfatizamos a importância dos
acordo com o direito internacional. Ao
intercâmbios interpessoais para
reafirmar que o espaço exterior deve
promover o desenvolvimento e
permanecer livre de qualquer tipo de
melhorar a compreensão mútua, a
armas ou meio de uso da força,
amizade e a cooperação entre os povos
enfatizamos que as negociações para a
do BRICS. Concordamos aprofundar a
conclusão de um acordo internacional
cooperação em áreas como cultura,
para prevenir uma corrida armamentista
educação, ciência e tecnologia, esportes
no espaço exterior são uma tarefa
e saúde, bem como entre organizações
prioritária da Conferência das Nações
de mídia e governos locais, para
Unidas sobre o Desarmamento e, nesse
fortalecer o terceiro pilar da cooperação
contexto, apoiamos os esforços para
do BRICS e promover a ressonância
iniciar discussões substantivas a
significativa da parceria junto aos povos
respeito, com base, entre outros, no
dos cinco países.
projeto de tratado atualizado sobre a
prevenção da colocação de armas no 61. Valorizamos a diversidade cultural
espaço exterior e sobre a ameaça ou o como um recurso precioso da
uso da força contra os objetos do espaço cooperação do BRICS. Enfatizamos o
exterior, apresentados pela China e pela papel da cultura e da diversidade
Federação da Rússia. Tomamos nota, cultural na promoção do
também, de uma iniciativa internacional desenvolvimento sustentável e
voltada à obrigação política de não encorajamos os países do BRICS a se
colocação pioneira de armas no espaço envolver em intercâmbios culturais e
exterior. em aprendizagem mútua para cultivar
valores comuns com base na
59. Prioridade deve ser conferida à
diversidade e no compartilhamento.
garantia de sustentabilidade de longo
Saudamos a formulação de um plano de
prazo das atividades no espaço exterior,
ação do BRICS para promover a
bem como às formas e meios de
cooperação cultural prática e o
preservar o espaço exterior para as
estabelecimento da Aliança BRICS de
gerações futuras. Observamos que esse
Bibliotecas, Aliança de Museus,
é um objetivo importante da atual
Aliança de Museus de Arte e Galerias
agenda do Comitê das Nações Unidas
Nacionais, bem como Aliança de
para o Uso Pacífico do Espaço Exterior
Teatros para Crianças e Jovens.
(UNCOPUOS, na sigla em inglês). A
Desejamos êxito ao Festival de Cultura
esse respeito, saudamos a decisão do
do BRICS, a ser realizado em meados
Grupo de Trabalho do Subcomitê
de setembro de 2017, em Xiamen.
Científico e Técnico do UNCOPUOS
Daremos seguimento ao nosso trabalho
sobre Sustentabilidade em Longo Prazo
com vistas a estabelecer um Conselho
das Atividades do Espaço Exterior de
Cultural do BRICS, o qual constituirá
concluir negociações e alcançar
plataforma para aprimorar a cooperação
consenso sobre o conjunto completo de
cultural entre os países do grupo.
diretrizes para a sustentabilidade em
longo prazo das atividades espaciais até 62. Ressaltamos a importância da
2018, coincidindo, assim, com o 50º educação para promover o
aniversário da primeira Conferência das desenvolvimento econômico e social
Nações Unidas sobre a Exploração e o sustentável e para fortalecer a parceria
do BRICS e louvamos o progresso da
Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 163
nossa cooperação educacional. HIV/AIDS, Tuberculose e Malária, bem
Reiteramos o nosso apoio à Liga de como doenças não transmissíveis, e em
Universidades do BRICS e à Rede de incentivar uma maior aplicação das
Universidades do BRICS na função de TICs para melhorar a qualidade da
condutores da cooperação educacional e prestação dos serviços de saúde.
de pesquisa e saudamos os esforços para Saudamos os resultados da Reunião de
promover a cooperação entre think Ministros da Saúde do BRICS e da
tanks e os intercâmbios de jovens, Reunião de Alto Nível sobre Medicina
inclusive por meio da organização de Tradicional e louvamos o
acampamentos de verão e da oferta de estabelecimento de um mecanismo de
mais oportunidades de bolsas de estudo. longo prazo para intercâmbios e
Concordamos em compartilhar cooperação em medicina tradicional, de
experiências e práticas na realização dos forma a promover o aprendizado mútuo
objetivos de desenvolvimento sobre medicamentos tradicionais e
sustentável relacionados à educação. passá-los para as gerações futuras.
Saudamos a decisão de criar a Rede de
63. Acreditamos na importância da
Pesquisa de Tuberculose, que será
cooperação esportiva para popularizar
apresentada na Primeira Conferência
os esportes tradicionais e aprofundar a
Ministerial Mundial da OMS
amizade entre os povos do BRICS.
"Eliminando a Tuberculose na Era do
Recordando o êxito da organização do
Desenvolvimento Sustentável: uma
Torneio de Futebol Sub-17 do BRICS
resposta multissetorial", em Moscou, de
em Goa, em 2016, louvamos o sucesso
16 a 17 de novembro de 2017.
dos Primeiros Jogos do BRICS, um dos
Manifestamos apoio àquela reunião bem
destaques dos intercâmbios
como à Primeira Reunião de Alto Nível
interpessoais deste ano. Encorajamos os
da Assembleia Geral das Nações Unidas
órgãos competentes a assinar
sobre Tuberculose, em 2018.
memorando de entendimento sobre
Comprometemo-nos com uma
cooperação esportiva, voltado a
cooperação reforçada nos fóruns
impulsionar os intercâmbios nesta área
internacionais sobre assuntos de saúde,
entre os nossos cinco países.
inclusive no G20.
64. Concordamos em melhorar o papel
65. Reafirmamos o nosso empenho em
do BRICS na governança em saúde
promover o desenvolvimento
global, especialmente no contexto da
demográfico de longo prazo e
Organização Mundial da Saúde (OMS)
equilibrado e em continuar a
e das agências das Nações Unidas, e em
cooperação em questões relacionadas à
promover o desenvolvimento e
população, de acordo com a Agenda
aperfeiçoamento da disponibilidade de
para Cooperação do BRICS sobre
produtos médicos inovadores por meio
Assuntos de População para o período
da promoção de pesquisa e
2015-2020.
desenvolvimento e do acesso a
medicamentos baratos, de qualidade, 66. Tomamos nota, com satisfação, do
efetivos e seguros, a vacinas, a progresso nos intercâmbios e na
diagnósticos e a outros produtos e cooperação em diversas áreas, incluindo
tecnologias médicas, bem como a governança, cinema, mídia, think tanks,
serviços médicos aprimorados e de juventude, parlamento, governos locais
financiamento da saúde. Concordamos e sindicatos, e concordamos em
em melhorar a capacidade de vigilância promover ainda mais esses
e os serviços médicos para combater intercâmbios. Louvamos a primeira
doenças infecciosas, incluindo Ebola, produção conjunta de filmes dos países

164 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


do BRICS e elogiamos o sucesso do implementação da Agenda 2030 para o
Festival de Cinema do BRICS, Fórum Desenvolvimento Sustentável e sobre a
de Mídia, Foro de Cooperação de construção de parcerias amplas para o
Cidades Irmãs e Governos Locais, desenvolvimento, sob o tema
Fórum da Juventude, Fórum de Jovens "Fortalecendo a Cooperação Benéfica
Diplomatas e Fórum de Jovens Mútua para o Desenvolvimento
Cientistas. Agradecemos a realização Comum" na promoção da cooperação
bem sucedida do Fórum de Partidos "BRICS Plus".
Políticos, think tanks e organizações da
70. África do Sul, Brasil, Rússia e Índia
sociedade civil do BRICS, bem como o
enaltecem a presidência de turno
Seminário sobre Governança, e
chinesa em 2017 e agradecem ao
continuaremos essas boas iniciativas no
governo e ao povo da China pela
futuro. Nesse sentido, tomamos nota da
organização da Nona Cúpula do BRICS,
proposta da China de estabelecer o
em Xiamen.
Fundo de Pesquisa e Intercâmbio do
BRICS. 71. China, Brasil, Rússia e Índia apoiam
plenamente a organização, pela África
67. Enaltecemos o importante progresso
do Sul, da Décima Cúpula do BRICS,
no desenvolvimento institucional do
em 2018.
BRICS e reiteramos o nosso
compromisso de fortalecê-lo ainda Anexo 1: Documentos de resultados
mais, com vistas a tornar a cooperação da Cooperação do BRICS
do BRICS mais sensível às mudanças Os seguintes documentos foram
em curso. Louvamos as medidas adotados.
adotadas pela China durante a sua
presidência de turno para melhorar o - Comunicado de imprensa da Reunião
papel de coordenação dos sherpas no Informal de Líderes do BRICS em
BRICS. Instruímos os sherpas a Hamburgo.
continuar a discussão sobre o Cooperação em política e segurança
desenvolvimento institucional do
BRICS. 1. Nota à imprensa da Reunião de
Ministros das Relações Exteriores/
68. Reafirmamos o nosso compromisso Relações Internacionais do BRICS
com o multilateralismo e o papel central
das Nações Unidas nos assuntos 2. Mapa do Caminho de Cooperação
internacionais. Comprometemo-nos a Prática para Garantir a Segurança no
fortalecer a coordenação e a cooperação Uso das TIC do BRICS
entre os países do BRICS nas áreas de 3. Comunicado conjunto da Reunião de
interesse mútuo e comum dentro das Enviados Especiais sobre Oriente
Nações Unidas e outras instituições Médio do BRICS.
multilaterais, inclusive por meio de
reuniões regulares entre nossos Cooperação econômica
representantes permanentes em Nova 1. Agenda de Ação sobre cooperação
York, Genebra e Viena, e a aprimorar a Econômica e Comercial do BRICS
voz dos países do BRICS em fóruns 2. Sétima Reunião de Ministros do
internacionais. Comércio do BRICS
69. Seguindo a tradição de engajamento 3. Mapa do Caminho para cooperação
externo do BRICS, existente desde a em Comércio de Serviços do BRICS
Cúpula de Durban, realizaremos um 4. Acordo-Quadro para o
Diálogo de Mercados Emergentes e Fortalecimento da Cooperação
Países em Desenvolvimento sobre a Econômica e Técnica para os países

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 165


BRICS 24. Declaração dos Ministros do
5. Iniciativa de Cooperação em Trabalho e Emprego do BRICS.
Comércio Eletrônico do BRICS. 25. Plano de Ação do BRICS para
6. Termos de Referência do Grupo de Alívio e Redução da Pobreza por meio
Trabalho sobre Comércio Eletrônico. do Desenvolvimento de Capacitações.
7. Termos de Referência do Modelo de 26. Relatório de Progresso sobre a
Redes E-port do BRICS. Implementação da Estratégia para a
8. Diretriz de Cooperação em DPI do Parceria Econômica do BRICS.
BRICS. 27. Contrato de linha de crédito em
9. Contornos para a Facilitação de moeda local interbancária sob o
Investimento do BRICS. mecanismo de cooperação interbancária
10. Elementos Acordados de Resultados do BRICS.
Financeiros da Reunião dos 28. Memorando de cooperação relativo
Governadores dos Bancos Centrais e às classificações de crédito no âmbito
dos Ministros das Finanças do BRICS do mecanismo de cooperação
2017. interbancária BRICS.
11. Boas práticas em sistemas PPP do 29. Parceria para a Iniciativa de
BRICS. Sustentabilidade Ambiental Urbana do
12. Plano de Ação para aprofundar a BRICS.
Cooperação Industrial entre os países do 30. Publicação de Estatística Conjunta
BRICS. de 2017 do BRICS.
13. Declaração da Terceira Reunião dos 31. Termos de Referência do Grupo de
Ministros das Comunicações do BRICS Trabalho de Pesquisa sobre
14. Estrutura Estratégica da Cooperação Infraestrutura e Megaprojetos de
Aduaneira do BRICS. Ciência.
15. Plano de Ação do BRICS para a 32. Termos de Referência do Grupo de
Cooperação para a Inovação (2017- Trabalho sobre Ciência, Tecnologia,
2020). Inovação e Empreendedorismo do
16. Declaração de Hangzhou da Quinta BRICS.
Reunião Ministerial do BRICS sobre 33. Memorando de Entendimento entre
Ciência, Tecnologia e Inovação (CTI). as Agências de Crédito à Exportação do
17. Plano de Ação 2017-2018 no quadro BRICS e o Novo Banco de
do Plano de Trabalho em CTI do Desenvolvimento sobre Cooperação
BRICS 2015-2018. Geral.
18. Comunicado dos BRICS sobre a 34. Posição Comum do BRICS sobre
Reunião de Autoridades Fiscais. Governança no Futuro do Trabalho
19. Memorando de Cooperação em 35. Termos de Referência da Rede de
Matéria de Impostos. Institutos de Pesquisa de Trabalho do
20. Declaração da Segunda Reunião BRICS
Ministerial de Energia do BRICS. 36. Estrutura de Cooperação para a
21. Declaração de Tianjin sobre o Meio Seguridade Social do BRICS.
Ambiente da Terceira Reunião dos 37. Relatório sobre o Desenvolvimento
Ministros do Meio Ambiente do Agrícola do BRICS em 2017.
BRICS. 38. Declaração Conjunta do Fórum
22. Declaração Conjunta da Sétima Empresarial do BRICS de 2017.
Reunião dos Ministros da Agricultura 39. Memorando de Entendimento entre
do BRICS. o Conselho Empresarial do BRICS e o
23. Plano de Ação 2017-2020 para a Novo Banco de Desenvolvimento sobre
Cooperação Agrícola dos países do Cooperação Estratégica.
BRICS. 40. Declaração Conjunta do Conselho

166 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


Empresarial do BRICS sobre 17. Programa BFA para Estudantes e
Cooperação Regulatória de Normas. Talentos de Cinema do BRICS.
Intercâmbios interpessoais. 18. Declaração Conjunta sobre Herança
de Cultura Tradicional em Cinema e
1. Plano de Ação para a Implementação
Desenvolvimento Criativo de Jovens
do Acordo entre os Governos dos
Talentos.
Estados do BRICS em Cooperação no
19. Declaração do Fórum Sindical do
Campo da Cultura (2017-2021).
BRICS.
2. Carta de Intenção para a Aliança de
20. Declaração dos Sindicatos do
Cooperação entre Bibliotecas do BRICS
BRICS à Reunião dos Ministros do
3. Carta de Intenção da Fundação da
Trabalho e Emprego do BRICS.
Aliança dos Museus do BRICS.
Tomou-se nota ainda do trabalho em
4. Carta de Intenção sobre a Fundação
curso sobre os seguintes documentos.
da Aliança dos Museus de Arte e
Galerias Nacionais do BRICS. Cooperação Econômica
5. Carta de Intenção de Cooperação
1. Plano de Ação sobre Cooperação em
Estratégica da Aliança de Teatro para
DPI.
Crianças e Jovens do BRICS.
2. Acordo de Cooperação sobre a
6. Declaração conjunta dos países do
Constelação de Satélites de
BRICS sobre fortalecimento da
Sensoriamento Remoto do BRICS.
cooperação em Medicina Tradicional.
3. Declaração Conjunta dos
Reguladores Nacionais de Padrões
7. Comunicado de Tianjin sobre a
Contábeis do BRICS.
Reunião dos Ministros de Saúde do
4. Declaração Conjunta do BRICS sobre
BRICS.
Cooperação em Regulação de
8. Declaração de Pequim sobre
Auditoria.
Educação da Quinta Reunião dos
Intercâmbios interpessoais.
Ministros da Educação do BRICS.
9. Plano de Ação para Promover a 1. Memorando de Entendimento sobre o
Cooperação em Mídia do BRICS. Estabelecimento do Conselho de
10. Plano de Ação do Fórum da Regiões dos Estados do BRICS.
Juventude do BRICS. 2. Memorando de Entendimento sobre
11. Iniciativa de Chengdu sobre Foro Cooperação Esportiva no BRICS
Cooperação de Cidades Irmãs e Anexo 2: Plano de Ação de Xiamen.
Governos Locais. Tomamos nota das seguintes reuniões e
12. Consenso de Quanzhou sobre eventos realizados sob a presidência de
Seminário do BRICS sobre turno da China do BRICS antes da
Governança. Cúpula de Xiamen.
13. Iniciativa de Fuzhou do Fórum de
Partidos Políticos, Think-Tanks e Reuniões ministeriais e eventos
Sociedade Civil do BRICS. relevantes
14. Recomendações do 9º Fórum 1. Reunião Informal de Líderes do
Acadêmico do BRICS para a 9ª Cúpula BRICS (7 de julho de 2017, Hamburgo)
do BRICS. 2. Fórum Empresarial do BRICS (3-4
15. Consenso de Chengdu das de setembro de 2017, Xiamen).
delegações cinematográficas do BRICS 3. Reunião Reunião de Assessores
sobre o 2º Festival de Cinema do Nacionais de Segurança do BRICS (27-
BRICS. 28 de julho de 2017, Pequim).
16. Plano de Colaboração 4. Reunião dos Ministros das Relações
Cinematográfica para os anos de 2017 a Exteriores / Relações Internacionais do
2021. BRICS (18-19 de junho de 2017,
Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 167
Pequim). 2017, Chongqing).
5. Reuniões de Sherpas / Sous-Sherpas 18. Reunião dos Ministros das
do BRICS (23-24 de fevereiro de 2017, Comunicações do BRICS (27-28 de
Nanjing; 14-15 de junho de 2017, julho de 2017, Hangzhou).
Qingdao; 4-5 de julho de 2017, 19. Reunião dos Chefes das Autoridades
Hamburgo, setembro de 2017, Xiamen). Tributárias do BRICS (27-28 de julho
6. Reunião de Ministros das Finanças e de 2017, Hangzhou).
de Governadores dos Bancos Centrais 20. Reunião dos Ministros da Indústria
do BRICS/ Reunião de Vice-ministros e do BRICS (29-30 de julho de 2017,
Vice-governadores dos Bancos Centrais Hangzhou)
(17 de março de 2017, Baden-Baden, 20 21. Reunião dos Ministros do Comércio
de abril de 2017, Washington D.C., 19 do BRICS (1-2 de agosto de 2017,
de junho de 2017, Xangai). Xangai).
7. Grupo de Trabalho do Fundo de 22. Reunião Anual do Conselho de
Títulos em Moeda Local do BRICS (20 Governadores do Novo Banco de
de abril, Washington DC, 18 de junho Desenvolvimento (1-2 de abril de 2017,
de 2017, Xangai). Nova Deli).
7. Reunião Ministerial da Energia 23. Fórum Empresarial do BRICW (3-4
BRICS (7 de junho de 2017, Pequim). de setembro de 2017, Xiamen)
Altos Funcionários / Grupos de trabalho
8. Reunião dos Ministros de Agricultura / Reuniões de Especialistas.
e Desenvolvimento Agrário do BRICS
1. Reunião de Altos Funcionários do
(16-17 de junho de 2017, Nanjing).
BRICS em Meio Ambiente (22 de junho
9. Reunião dos Ministros do Meio
de 2017, Tianjin).
Ambiente do BRICS (22-23 de junho de
2. Reunião dos Altos Funcionários do
2017, Tianjin).
BRICS em Educação (4 de julho de
10. Reunião do Comitê Conjunto de
2017, Pequim).
Cooperação Espacial do BRICS (2-3 de
3. Reunião de Altos Funcionários do
julho de 2017, Haikou).
BRICS em Cultura (5 de julho de 2017,
11. Reunião dos Ministros da Educação
Tianjin).
do BRICS (4-5 de julho de 2017,
4. Reunião de Altos Funcionários do
Pequim).
BRICS em Saúde (5 de julho de 2017,
12. Reunião do Comitê de Cooperação
Tianjin).
Aduaneira do BRICS (5 de julho de
5. Reunião de Altos Funcionários do
2017, Bruxelas).
BRICS em Ciência, Tecnologia e
13. Reunião dos Ministros da Cultura
Inovação (17 de julho de 2017,
do BRICS (5-6 de julho de 2017,
Hangzhou).
Tianjin).
6. Conselho Empresarial do BRICS (31
14. Reunião dos Ministros da Saúde do
de março de 2017, Nova Deli, 31 de
BRICS e Reunião de Alto Nível sobre
agosto a 2 de setembro de 2017, Xangai
Medicina Tradicional (6-7 de julho de
e Xiamen).
2017, Tianjin).
7. Reuniões do Grupo de Trabalho Anti-
15. Reunião do BRICS em Colaboração
Corrupção do BRICS (22 de janeiro de
de Regulação de Medicamentos (13-14
2017, Berlim, 9 de abril de 2017,
de julho de 2017, Zhengzhou).
Brasília).
16. Reunião Ministerial de Ciência,
8. Seminário de Treinamento para
Tecnologia e Inovação do BRICS (18
Examinador de Propriedade Intelectual
de julho de 2017, Hangzhou).
do BRICS (20-24 de fevereiro de 2017,
17. Reunião de Ministros do Trabalho e
Nagpur).
Emprego do BRICS (26-27 de julho de
9. Reunião do Grupo de Coordenação

168 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


de Propriedade Intelectual do BRICS de Crédito à Exportação do BRICS (12-
(22-23 de fevereiro de 2017, Nagpur). 15 de junho de 2017, Hangzhou).
10. Reuniões do Grupo de Contato dos 24. Reunião do Grupo Técnico do
BRICS sobre Assuntos Econômicos e Mecanismo de Cooperação
Comerciais (20-21 de março de 2017, Interbancária do BRICS (28-29 de
Pequim, 23-25 de maio de 2017, junho de 2017, Pequim).
Pequim, 30 a 31 de julho de 2017, 25. Reunião do Grupo de Trabalho
Xangai). sobre Mecanismo de Cooperação
11. Reunião Técnica dos Escritórios Interbancária (28-29 de junho de 2017,
Nacionais de Estatísticas do BRICS Pequim).
(27-29 de março de 2017, Xangai). 26. Reunião dos Chefes de Delegação
12. Reunião do Grupo de Trabalho do dos BRICS em AML (18-23 de junho
BRICS sobre Aduanas (29 a 31 de de 2017, Espanha).
março de 2017, Xiamen). 27. Diálogo de Planejamento
13. Consulta dos Enviados Especiais do Diplomático do BRICS (20-21 de julho
BRICS para o Oriente Médio (11-12 de de 2017, Pequim).
abril de 2017, Visakhapatnam). 28. Consulta de Peritos em Assuntos de
14. Reuniões do Grupo de Trabalho Paz do BRICS (25 de julho de 2017,
sobre Emprego do BRICS (19 de abril Pequim).
de 2017, Yuxi; 25 de julho de 2017, 29. Reunião de Especialistas do BRICS
Chongqing). em Questões Fiscais (25-26 de julho de
15. Reuniões do Grupo de Trabalho do 2017, Hangzhou).
BRICS sobre Cooperação Agrícola (15 30. Reunião do Grupo de Trabalho do
de junho de 2017, Nanjing). BRICS sobre Cooperação em TIC (26
16. Reunião do Grupo de Trabalho de julho de 2017, Hangzhou).
Ambiental BRICS (25-27 de abril de 31. Reunião do Grupo de Trabalho
2017, Tianjin). Antidrogas do BRICS (16 de agosto de
17. Reunião do Grupo de Trabalho 2017, Weihai).
contra Terrorismo do BRICS (18 de 32. Reunião Anual do Mecanismo de
maio de 2017, Pequim). Cooperação Interbancária e do Fórum
18. Primeira Reunião do Mecanismo de Financeiro (31 de agosto - 2 de
Direitos de Propriedade Intelectual do setembro de 2017, Pequim).
BRICS (23 de maio de 2017, Pequim). 33. Reunião dos Chefes dos Escritórios
de Propriedade Intelectual do BRICS
19. Grupo de Trabalho para o Encontro (6-7 de abril de 2017, Nova Deli).
dos Ministros da Cultura do BRICS (25 34. Grupo de Trabalho do BRICS sobre
de maio de 2017, Pequim). Parceria de Ciência, Tecnologia,
20. Reunião do Grupo de Trabalho de Inovação e Empreendedorismo (9 de
Financiamento para a Ciência, abril, Bengaluru).
Tecnologia e Inovação (28-31 de maio 35. Grupo de trabalho do BRICS sobre
de 2017, Pretória). TIC e Computação de Alto
21. Reunião do Grupo de Trabalho do Desempenho (23-26 de abril,
BRICS sobre Segurança no Uso das Guangzhou).
TIC (1-2 de junho de 2017, Pequim). 36. Grupo de Trabalho do BRICS sobre
Infraestrutura de Pesquisa e Projetos de
22. Reunião do Grupo de Trabalho Megaciência (15-16 de maio, Dubna).
sobre Economia de Energia e Melhoria
da Eficiência Energética do BRICS (5 37. Grupo de Trabalho do BRICS em
de junho de 2017, Pequim). Iluminação de Estado Sólido (19-24 de
23. Reunião dos Chefes das Agências junho de 2017, Hangzhou).

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 169


Eventos de Intercâmbios Interpessoais e Instituições Superiores de Auditoria do
outras reuniões BRICS (28 a 29 de junho de 2017,
Pretória).
1. Fórum de Jovens Diplomatas do
18. Congresso Internacional de
BRICS (30 de maio - 3 de junho de
Mulheres da Organização para
2017, Beijing & Linyi).
Cooperação de Xangai e dos Países do
2. Fórum de Mídia do BRICS (6-8 de
BRICS (2-4 de julho de 2017,
junho de 2017, Pequim).
Novosibirsk).
3. Reunião do Conselho de Think Tanks
Nós ainda tomamos nota das próximas
dos BRICS (10 de junho de 2017,
reuniões e eventos sob a Presidência de
Fuzhou)
turno chinesa do BRICS.
4. Fórum de Partidos políticos, Think
Tanks e organizações da sociedade civil 1. Reunião dos Ministros das Relações
do BRICS (10-12 de junho de 2017, Exteriores à margem da AGNU.
Fuzhou). 2. Quinta Reunião de Sherpas / Sub-
5. Jogos do BRICS (17-21 de junho de sherpas do BRICS.
2017, Guangzhou). 3. Fórum Parlamentar do BRICS.
6. Festival de Cinema do BRICS (23-27 4. Reunião dos Chefes dos Escritórios
de junho de 2017, Chengdu). Nacionais de Estatísticas dos BRICS.
7. Foro de Cooperação de Cidades 5. Feira de Negócios do BRICS.
Irmãs e Governos Locais do BRICS 6. Consulta do Assessores Jurídicos do
(11-13 de julho de 2017, Chengdu). BRICS.
8. Fórum de Sindicatos do BRICS (24- 7. Fórum sobre Reforma e Governança
25 de julho de 2017, Pequim). das Empresas Estatais do BRICS.
9. Fórum da Juventude do BRICS 8. Reunião do BRICS sobre Cooperação
Youth Forum (24-28 de julho de 2017, no campo do Direito da Concorrência.
Pequim).
10. Fórum de Jovens Cientistas do 9. Terceiro Fórum sobre Pequenas
BRICS (11-15 de julho de 2017, Empresas das regiões da Organização
Hangzhou). para Cooperação de Xangai e do
11. Seminário do BRICS sobre BRICS.
Governança (17-18 de agosto de 2017, 10. Conferência Internacional de
Quanzhou). Concorrência do BRICS.
12. Reunião dos Chefes dos Serviços de 11. Grupo de Trabalho do BRICS sobre
Procuradoria do BRICS (agosto de Astronomia (21-22 de setembro, Pune).
2017, Brasíl).
13. Simpósios de Think Tanks do 12. Workshop de Agências de Crédito à
BRICS (22 de março de 2017, Pequim, Exportação do BRICS (31 de outubro a
15 de maio de 2017, Guangzhou, 20 de 3 de novembro, Nanjing).
maio de 2017, Chongqing). 13. Grupo de Trabalho do BRICS em
14. Festival Internacional de Escolas de Ciência dos Materiais e Nanotecnologia
Teatro do BRICS(14-21 de maio de (26-27 de outubro de 2017,
2017, Moscou). Ekaterimburgo).
15. Reunião do BRICS sobre 14. Conferência Acadêmica Anual
Cooperação no Campo do Direito da Internacional “Foresight and STI
Concorrência (16-20 de maio de 2017, Policy” (1-2 de novembro, Moscou).
São Petersburgo). 15. Grupo de Trabalho do BRICS sobre
16. Fórum Anual "BRICS: Boosting Biotecnologia e Biomedicina, incluindo
Economic Cooperation" (1-3 de junho Saúde Humana e Neurociência (15-16
de 2017, São Petersburgo). de novembro de 2017, Moscou).
17. Reunião de Cooperação Técnica das

170 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


16. Encontro do BRICS sobre o mais abrangentes mecanismos bilaterais
Envelhecimento (2017, Pequim). de coordenação do Brasil com outros
Propostas a serem exploradas países. De acordo com o memorando de
entendimento assinado em sua criação,
1. Cooperação oceânica.
o mecanismo é chefiado, do lado
2. Estabelecimento do Fundo de
brasileiro, pelo vice-presidente da
Preparação do Projeto PPP.
República e, do lado chinês, pelo vice-
3. Estabelecimento da Plataforma de
primeiro-ministro encarregado de temas
Cooperação Energética do
econômicos e financeiros no Conselho
BRICS.
de Estado.
4. Constelação de Sensoriamento
Remoto de Satélites do BRICS. Até a presente data, a COSBAN reuniu-
se quatro vezes: em março de 2006
5. Estabelecimento do Centro de (Pequim), fevereiro de 2012 (Brasília),
Treinamento Aduaneiro do BRICS em novembro de 2013 (Cantão) e junho de
Xiamen. 2015 (Brasília). Nessa última reunião,
6. Estabelecimento do Conselho os dois governos confirmaram as
Cultural do BRICS. prioridades de cooperação tecnológica
7. Estabelecimento do Conselho das do Plano de Ação Conjunta 2015-2021,
Regiões do BRICS. incorporando à cooperação as áreas de
8. Cooperação Turística. ciências florestais, astronomia,
9. Criação do Grupo de Trabalho sobre meteorologia e prevenção e mitigação
Aviação Regional. de desastres naturais.
A estrutura atual da COSBAN
contempla doze subcomissões, dentre
elas a de C,T&I. As três primeiras
IV REUNIÃO DA SUBCOMISSÃO edições da Subcomissão de C,T&I
DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA & ocorreram em 2008 (Brasília), 2011
INOVAÇÃO DA COMISSÃO SINO- (Pequim) e 2013 (Brasília).
BRASILEIRA DE ALTO NÍVEL DE
CONCERTAÇÃO E A agenda da IV reunião da
COOPERAÇÃO – 5 DE Subcomissão de C,T&I contemplará a
SETEMBRO DE 2017 04/09/2017 discussão de quatro temas de interesse:
i) estabelecimento de diálogo
Terá lugar amanhã, 5 de setembro, no
estratégico em políticas públicas de
Palácio Itamaraty, a IV Reunião da
C,T&I; ii) criação de novos laboratórios
Subcomissão de Ciência, Tecnologia &
e plataformas conjuntos; iii)
Inovação (C,T&I) da Comissão Sino-
adensamento do intercâmbio em
Brasileira de Alto Nível de Concertação
parques tecnológicos e iv)
e Cooperação (COSBAN). Na ocasião,
aprofundamento da cooperação em
delegação brasileira será chefiada pelo
nanotecnologia. Além desses temas,
subsecretário-geral de Meio Ambiente,
para o encontro de 5 de setembro, a
Energia, Ciência e Tecnologia do
parte chinesa manifestou grande
Ministério das Relações Exteriores,
interesse em aprofundar a cooperação
embaixador José Antônio Marcondes
na área de pesquisas e desenvolvimento
Carvalho; e a delegação chinesa será
agropecuário.
chefiada pelo vice-ministro da Ciência e
Tecnologia, Xu Nanping.
A COSBAN foi instituída em maio de
2004, em momento de adensamento das
relações bilaterais. Trata-se de um dos
Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 171
ADESÃO DO BRASIL A NOVOS contidas no Relatório de 1998 sobre
INSTRUMENTOS DA OCDE concorrência fiscal nociva.
06/09/2017
(iii) C(98)17/FINAL – Recomendação
O Governo brasileiro notificou, esta do Conselho para prevenir concorrência
semana, sua adesão a 31 novos fiscal nociva.
instrumentos jurídicos da Organização
(iv) C(97)184/FINAL – Recomendação
para a Cooperação e o Desenvolvimento
do Conselho em matéria de concessão e
Econômico (OCDE), listados abaixo.
concepção de créditos fiscais fictícios
A adoção dos instrumentos, compatíveis no âmbito de convenções fiscais.
com a legislação e com as práticas
(v) C(97)29/FINAL – Recomendação
brasileiras, e em linha com as políticas
do Conselho sobre o uso de números de
do país, demonstra o elevado grau de
identificação fiscal no contexto
preparação do Brasil para o processo de
internacional.
acessão à OCDE, solicitado em maio
deste ano, e reforça o compromisso (vi) C(92)81/FINAL – Recomendação
brasileiro com as melhores práticas em do Conselho sobre um acordo modelo
políticas públicas consolidadas na da OCDE para a implementação de
Organização. controles fiscais simultâneos.
O Grupo Interministerial de Trabalho (vii) C(89)146/FINAL – Recomendação
sobre a OCDE, coordenado pelo do Conselho sobre as derrogações às
Itamaraty, está em processo de revisão convenções fiscais.
final de outros 30 instrumentos a fim de
solicitar a adesão nos próximos dias. (viii) C(77)149/FINAL –
Recomendação do Conselho sobre
Este conjunto de 61 instrumentos cobre evasão e fraudes fiscais.
áreas tão diversas quanto proteção ao
consumidor, simplificação de práticas (ix) C(83)129/FINAL – Recomendação
tributárias, boas práticas em matéria do Conselho sobre medidas destinadas a
ambiental, uso de energia, movimento garantir a segurança das crianças.
seguro de dejetos perigosos e educação. (x) C(81)7/FINAL – Recomendação do
Com a notificação de adesão aos novos Conselho sobre medidas para a retirada
instrumentos, o Brasil passará a adotar, de produtos perigosos vendidos ao
ou a estar em processo de adoção de público.
107 dos 240 instrumentos normativos (xi) C(2005)55/REV1 – Recomendação
da Organização. do Conselho sobre princípios e boas
------- práticas para sensibilização e educação
financeiras.
Lista dos 31 instrumentos jurídicos da
OCDE: (xii) C(2012)102 – Recomendação do
Conselho relativa os princípios de alto
nível sobre a proteção financeira do
consumidor.
(i) C(2010)119 – Recomendação do
Conselho para facilitar a cooperação (xiii) C(2008)22 – Recomendação do
entre autoridades fiscais e autoridades Conselho sobre boas práticas para
policiais para o combate a delitos melhoria da sensibilização e educação
graves. em temas relativos a seguro.
(ii) C(2000)98 – Recomendação do
Conselho para implementar propostas

172 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


(xiv) C(2004)62 – Recomendação do (xxvi) C(85)103 – Recomendação do
Conselho sobre boas práticas para a Conselho sobre o Fortalecimento de
gestão de sinistros de seguro. Medidas para Reduzir os Ruídos.
(xv) C(77)117/FINAL – Recomendação (xxvii) C(79)116 – Recomendação do
do Conselho relativa a navios que não Conselho sobre a Avaliação de Projetos
se enquadram nos padrões exigidos. com Significativo Impacto Ambiental.
(xvi) C(85)101 – Recomendação do (xxviii) C(79)114 –Recomendação do
Conselho sobre o Controle da Poluição Conselho a respeito de como relatar
do Ar a partir de combustíveis fósseis. sobre o Estado do Meio Ambiente.
(xvii) C(2006)94 – Declaração sobre a (xxix) C(78)73/FINAL –
Integração da Adaptação à Mudança do Recomendação do Conselho sobre
Clima à Cooperação para o Políticas para a Redução de Ruídos.
Desenvolvimento.
(xxx) C(76)161/FINAL –
(xviii) C(2001)107/FINAL – Decisão Recomendação do Conselho sobre
do Conselho relativa ao Controle do Princípios relativos à Administração
Movimento Transfronteiriço de Dejetos Costeira.
destinados às Operações de
(xxxi) C(80)104/FINAL – Declaração
Recuperação.
sobre Política Comercial.
(xix) C(90)178/FINAL – Decisão–
Recomendação do Conselho sobre a O inteiro teor dos referidos
Redução do Movimento instrumentos encontra-se disponível no
Transfronteiriço de Dejetos. portal da OCDE, no seguinte endereç
o
(xx) C(86)64/FINAL – Decisão– eletrônico: http://acts.oecd.org/Default.
Recomendação do Conselho sobre aspx
Exportações de Dejetos Nocivos da área
da OCDE. APOIO DA MISSÃO DAS NAÇÕES
(xxi) C(83)180/FINAL – Decisão– UNIDAS PARA A
Recomendação do Conselho sobre o ESTABILIZAÇÃO NO HAITI
Movimento Transfronteiriço de Dejetos (MINUSTAH) DIANTE DA
Nocivos. PASSAGEM DO FURACÃO IRMA
07/09/2017
(xxii) C(79)218/FINAL –
Recomendação do Conselho sobre a O Secretariado das Nações Unidas
Recuperação de Papel Dejeto. autorizou a extensão excepcional das
operações humanitárias das tropas
(xxiii) C(78)8/FINAL – Recomendação brasileiras na MINUSTAH, em razão da
do Conselho relativa à reutilização e passagem pelo norte do país do furacão
reciclagem de recipientes para bebidas. Irma, prevista para 7 e 8/9.
(xxiv) C(2006)84 – Recomendação do As tropas da MINUSTAH encerraram
Conselho sobre Boas Práticas para a oficialmente suas patrulhas militares em
Administração de Gastos Públicos em 30 de agosto passado e estão, no
Matéria Ambiental. momento, em preparação para a
(xxv) C(92)114/FINAL – desativação completa da missão até 15
Recomendação do Conselho sobre a de outubro, conforme a resolução 2350
Administração Integrada de Zonas (2017) do Conselho de Segurança.
Costeiras. Diante da gravidade e a
excepcionalidade da situação, bem
Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 173
como do histórico de cooperação diante O Ministério das Relações Exteriores,
de desastres naturais no Haiti, parte do por meio de sua área consular e da rede
contingente brasileiro foi deslocado de postos no Caribe, vem monitorando
preventivamente para a região que se diretamente a situação dos nacionais
encontra na rota do furacão, de forma a brasileiros afetados pela passagem do
minimizar seu impacto por meio de furacão Irma. Três ilhas apresentaram
orientação à população e prestação de situação de crise com colapso total ou
ajuda humanitária imediata. parcial da infraestrutura de transportes,
comunicações e abastecimento: São
O governo brasileiro acompanha, com
Martinho, Tortola (uma das Ilhas
atenção, as notícias sobre a passagem
Virgens Britânicas) e Turcas e Caicos
do furacão Irma e reafirma sua
(também sob a soberania britânica).
solidariedade ao povo e ao governo do
Foram registrados, até o momento,
Haiti.
pouco mais de 60 brasileiros nessas três
TERREMOTO NO MÉXICO ilhas, cerca de 30 em Sint Maarten (lado
08/09/2017 holandês de São Martinho), 2 em Saint
Martin (lado francês), 22 em Tortola e
O governo brasileiro tomou 11 em Turcas e Caicos.
conhecimento do forte terremoto que
atingiu o sul do México na noite de Para atender os brasileiros que se
ontem, com lamentável registro de encontram na região, foi montado um
vítimas fatais e inúmeros feridos. núcleo de atendimento emergencial na
Até o momento não há registro de área consular do Itamaraty em Brasília,
brasileiros entre as vítimas. O governo que vem operando presencialmente
brasileiro manifesta sua solidariedade desde a eclosão da crise. Montou-se,
aos feridos, ao povo e ao governo do igualmente, uma rede de comunicação
México, bem como suas condolências em tempo real com todos os postos da
aos familiares das vítimas fatais. rede consular diretamente responsáveis.
Até o momento, o núcleo de
O Itamaraty seguirá acompanhando a atendimento e os postos no exterior já
situação, por meio do Consulado-Geral receberam centenas de ligações e
do Brasil no México, em coordenação mensagens de brasileiros que se
com a Divisão de Assistência Consular encontram nas regiões afetadas e de
(DAC). seus familiares e amigos. Graças a esta
rede de contatos, vêm sendo superadas
as dificuldades de comunicação
FURACÃO IRMA 08/09/2017 causadas pela interrupção das linhas em
O governo brasileiro está algumas regiões e, sobretudo, pela
acompanhando os desdobramentos da inexistência de postos da rede consular
passagem do furacão Irma pelo Caribe e brasileira, de carreira ou honorários, nas
Estados Unidos e expressa sua três ilhas.
solidariedade a todas as pessoas
atingidas, a seus familiares e aos Nas primeiras horas após a passagem do
governos dos países afetados. furacão, enquanto se aguardava uma
melhoria das condições meteorológicas
que possibilitasse o planejamento de
ações diretas de apoio aos nacionais
FURACÃO IRMA – ASSISTÊNCIA
brasileiros afetados, foi solicitado às
CONSULAR A NACIONAIS
Embaixadas do Brasil na França, nos
BRASILEIROS 10/09/2017
Países Baixos e no Reino Unido que

174 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


realizassem contato urgente com as operados por brasileiros residentes fora
respectivas chancelarias, com vistas a no Brasil.
averiguar se estaria sendo elaborado
A conferência se desenvolverá em torno
plano de socorro e evacuação dos
de exposições em painéis temáticos,
nacionais nas respectivas ilhas, no
com a participação de órgãos como
intuito de verificar a possibilidade de
MDIC, APEX, Banco do Brasil,
inclusão de brasileiros naquelas
Secretaria da Receita Federal,
operações. Com efeito, alguns
SEBRAE, entre outros, com vistas à
brasileiros, que se encontravam em
prospecção de possibilidades de atuação
regiões determinadas, já receberam
daquelas instituições no apoio aos
apoio ou lograram ser retirados das ilhas
empreendedores, em áreas como
graças à cooperação daqueles países.
capacitação, fomento à importação de
produtos brasileiros para seus negócios,
Com a melhoria das condições
abertura de franquias brasileiras no
climáticas, o Governo brasileiro decidiu
exterior, estímulo à inovação entre
deslocar avião da Força Aérea
diversas outras formas de colaboração.
Brasileira (FAB) para resgatar os
brasileiros que se encontram na ilha de
Está confirmada a participação de cerca
São Martinho, o que deve ocorrer na
de 30 representantes das comunidades
próxima terça-feira, dia 12. Estão em
empreendedoras brasileiras residentes
curso entendimentos com vistas a
em quinze países: Alemanha, Argentina,
possibilitar a retirada dos nacionais que
Austrália, Bélgica, Canadá, Espanha,
se encontram em territórios britânicos,
EUA, França, Holanda, Itália, Japão,
em coordenação com o governo do
México, Portugal, Reino Unido e Suíça.
Reino Unido, uma vez que a pista do
A programação da conferência se
aeroporto de Tortola não permite
encontra disponível no seguinte
aterrissagem nas condições atuais.
endereço:
http://www.brasileirosnomundo.itamara
ty.gov.br/noticias/i-conferencia-sobre-o-
I CONFERÊNCIA SOBRE O
micro-e-pequeno-empreendedorismo-
MICRO E PEQUENO
brasileiro-no-exterior.
EMPREENDEDORISMO
De modo a se permitir uma participação
BRASILEIRO NO EXTERIOR
mais ampla, o evento será transmitido
12/09/2017
online na página eletrônica da FUNAG.
Será realizada, de 13 a 15 do corrente A participação à distância também
mês, no Instituto Rio Branco em poderá dar-se por meio da
Brasília, a I Conferência sobre o Micro caixaempreendedor.exterior2017@gmai
e Pequeno Empreendedorismo l.com.
Brasileiro no Exterior. Organizado pela
área consular do Itamaraty em parceria
ATENTADO NO EGITO 12/09/2017
com a Fundação Alexandre de Gusmão
(FUNAG), o evento reúne pela primeira O governo brasileiro condena, nos mais
vez no Brasil representantes do fortes termos, o ataque terrorista
segmento de micro e pequenos ocorrido em 11 de setembro, em Al
empreendedores brasileiros residentes Arish, na Província do Sinai, no Egito,
no exterior e se insere no conjunto de que causou a morte de 18 policiais.
esforços de apoio e empoderamento das
Ao expressar suas condolências às
comunidades brasileiras emigradas.
famílias das vítimas e sua solidariedade
Estima-se haver pelo menos 30 mil
com o povo e o governo do Egito, o
micro e pequenos empreendimentos
Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 175
Brasil reitera veementemente seu
repúdio a todo e qualquer ato de
ATENTADO TERRORISTA EM
terrorismo, independentemente de sua
LONDRES 15/09/2017
motivação.
O governo brasileiro tomou
conhecimento, com consternação, do
ATENTADOS EM NASIRIYA atentado terrorista ocorrido no dia de
14/09/2017 hoje em estação de metrô de Londres,
que causou ferimentos a, pelo menos,
O Governo brasileiro repudia os
29 pessoas.
atentados terroristas perpetrados hoje na
cidade de Nasiriya, no sul do Iraque, Ao manifestar os votos de
que deixaram mais de 50 mortos, além restabelecimento aos feridos, o Brasil
de grande número de feridos. reitera o veemente repúdio a todo e
qualquer ato terrorista, independente de
Ao transmitir sua solidariedade às
sua motivação. O governo brasileiro
famílias das vítimas, o Brasil reafirma
expressa, ainda, sua solidariedade ao
seu repúdio a todo ato de terrorismo,
povo e ao governo do Reino Unido em
independentemente da motivação. O
sua luta contra o terrorismo.
governo brasileiro reitera, ainda, seu
apoio ao governo e ao povo iraquianos
em sua luta contra o terrorismo e a
REFORÇO DO DIÁLOGO COM A
violência sectária.
COLÔMBIA SOBRE A
MIGRAÇÃO VENEZUELANA
15/09/2017
LANÇAMENTO DE MÍSSIL PELA
REPÚBLICA POPULAR E Comitiva interministerial realizou visita
DEMOCRÁTICA DA COREIA à Colômbia no período de 11 a 13 de
15/09/2017 setembro para intercâmbio de
experiências com as autoridades
O Governo brasileiro repudia com a
colombianas sobre o controle, o
maior veemência o lançamento de
monitoramento e a assistência aos
míssil balístico realizado em 15/9 pela
migrantes venezuelanos. Sob a
República Popular e Democrática da
coordenação do Itamaraty, a missão
Coreia (RPDC) que sobrevoou a ilha de
contou com a participação de
Hokkaido, ao norte do Japão. O
representantes da Casa Civil e dos
lançamento constitui preocupante ato de
Ministérios da Justiça, Saúde e
desestabilização da segurança regional e
Desenvolvimento Social, além de
internacional e viola as resoluções
diplomata da Embaixada em Bogotá e
pertinentes do Conselho de Segurança
dos adidos do Ministério da Defesa, da
das Nações Unidas.
Polícia Federal e da Agência Brasileira
O governo brasileiro insta, uma vez de Inteligência.
mais, a RPDC a cumprir plenamente as
A delegação brasileira manteve reunião
resoluções do Conselho de Segurança
de trabalho na Presidência da República
das Nações Unidas, bem como
da Colômbia e conheceu a estrutura de
conclama todas as partes a contribuírem
acolhida aos migrantes na cidade
ativamente para conter a escalada de
fronteiriça de Cúcuta. A comitiva
tensões e criar as condições necessárias
também tratou com a direção do
à retomada das negociações para a paz e
Ministério da Saúde colombiano de
a desnuclearização da Península
meios para reforçar a cooperação
Coreana.

176 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


bilateral na identificação e tratamento York, o Senhor Presidente da
de surtos epidemiológicos nas República, Michel Temer, assinou o
respectivas regiões de fronteira. Tratado sobre a Proibição de Armas
Nucleares, sendo a primeira autoridade
O envio da missão interministerial à
a fazê-lo.
Colômbia contribuiu para o
aprimoramento continuado da estratégia Resultado de um processo iniciado em
de acompanhamento pelo Governo 2013 com as Conferências sobre os
Federal, em coordenação com as Impactos Humanitários das Armas
autoridades estaduais e municipais de Nucleares, do qual o Brasil participou
Roraima e do Amazonas, do fluxo ativamente desde seu início, o Tratado
migratório venezuelano. sobre a Proibição de Armas Nucleares
constitui um marco histórico na busca
por um mundo livre de armas de
FURACÃO MARIA 19/09/2017 destruição em massa.
O governo brasileiro acompanha com Do ponto de vista jurídico, o Tratado
grande preocupação a passagem do preenche lacuna até então existente no
furacão Maria pelo Caribe, que atingiu direito internacional, pela qual as armas
Dominica com máxima intensidade na nucleares, sendo as de maior potencial
noite de 18 de setembro. O governo letal e destrutivo entre todas as armas de
brasileiro reitera sua manifestação de destruição em massa, eram as únicas
solidariedade a todos os países afetados que não contavam com um instrumento
pelos furacões Irma, José e Maria nas legal explicitamente proibitivo.
últimas semanas.
Ao complementar o Tratado de Não-
Proliferação de Armas Nucleares
(TNP), o acordo aberto hoje à assinatura
TERREMOTO NO MÉXICO tenderá a impulsionar os esforços em
19/09/2017 prol do desarmamento nuclear,
O governo brasileiro recebeu, com rompendo paralisia de mais duas
profunda consternação, a notícia de que décadas depois da adoção, em 1996, do
o México voltou a ser atingido, na tarde Tratado de Proibição Completa de
de hoje, dia 19 de setembro, por Testes Nucleares.
violento terremoto que, de acordo com O engajamento do Brasil na busca por
as primeiras informações disponíveis, um mundo livre de armas nucleares
vitimou dezenas de pessoas e provocou traduz, no plano internacional, o
considerável destruição na capital do compromisso constitucional com o uso
país e em outras cidades mexicanas. pacífico da atividade nuclear e com a
O governo brasileiro transmite suas prevalência dos direitos humanos e do
condolências às famílias das vítimas e direito internacional humanitário nas
expressa sua solidariedade ao povo e ao relações internacionais.
governo do México.

REUNIÃO DE CHANCELERES DO
ASSINATURA DO TRATADO IBAS À MARGEM DA AGNU –
SOBRE A PROIBIÇÃO DE ARMAS COMUNICADO DE IMPRENSA
NUCLEARES 20/09/2017 21/09/2017
Em cerimônia realizada hoje, 20/9, na Reunião de Chanceleres do IBAS à
sede das Nações Unidas, em Nova margem da AGNU

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 177


Comunicado de Imprensa implementação do Fundo IBAS,
A Ministra de Negócios Exteriores da progresso no alívio da pobreza e da
República da Índia, Sua Excelência fome. Salientaram que o Fundo IBAS
Senhora Sushma Swaraj, o Ministro das tem papel importante em difundir a
Relações Exteriores da República experiência de desenvolvimento dos
Federativa do Brasil, Sua Excelência países do IBAS, com vistas ao
Senhor Aloysio Nunes Ferreira Filho, e crescimento sustentável e ao
a Ministra de Relações Internacionais e empoderamento dos povos dos países
Cooperação da República da África do em desenvolvimento.
Sul, Sua Excelência Senhora Maite
Os Ministros trocaram impressões
Nkoana-Mashabane, reuniram-se em
quanto a buscar o aprofundamento da
Nova York, em 21 de setembro de
cooperação no âmbito do IBAS e nas
2017, às margens da 72ª Sessão da
várias vertentes de trabalho, inclusive
Assembleia Geral das Nações Unidas.
na exploração da cooperação em
Os Ministros discutiram e trocaram Economia Azul.
impressões sobre a situação política
Os Ministros enfatizaram a urgência da
global, a situação econômica e
reforma abrangente das instituições
financeira mundial, a reforma da
globais de governança política e
governança global e desenvolvimento
econômica. Nesse contexto, destacaram
sustentável.
a necessidade da reforma tempestiva do
Os Ministros destacaram que o Conselho de Segurança das Nações
compromisso dos três países com os Unidas, de modo a torná-lo mais
valores democráticos, o representativo, inclusivo, legítimo e
desenvolvimento social inclusivo e o efetivo.
multilateralismo constitui a base para
Os Ministros ressaltaram que o
sua crescente cooperação e estreita
terrorismo representa grave risco à paz e
coordenação, que inclui ampla gama de
à segurança internacionais. Clamaram
temas regionais e globais de interesse
por uma ação internacional abrangente e
mútuo. Reiteraram seu compromisso
determinada, a qual deve incluir o
com o aprofundamento e o
fortalecimento do regime normativo
fortalecimento do Fórum de Diálogo
internacional, por meio da conclusão
IBAS. Notaram que a abrangente
tempestiva e da subsequente adoção da
estrutura legal e institucional existente
Convenção Geral sobre Terrorismo
no IBAS, que compreende interação
Internacional, com vistas a enfrentar
intergovernamental e foros de
essa ameaça.
intercâmbio interpessoal para
cooperação multifacetada e mutuamente Os Ministros concordaram em realizar a
vantajosa, proporciona uma sólida base 8ª reunião da Comissão Trilateral Mista
para fazer avançar a cooperação no do IBAS na África do Sul, em 17 de
âmbito do IBAS. Os Ministros outubro de 2017, e a 6ª Cúpula do IBAS
ressaltaram a importância de estreita na Índia, em 2018, ano que marcará o
coordenação e cooperação entre os décimo quinto aniversário do Fórum de
países do IBAS em vários foros Diálogo IBAS.
multilaterais, tais como a ONU, o G20,
o BRICS, a OMC, a OMPI, entre Nova York, 21 de setembro de 2017.
outros.
Enfatizaram a crescente importância da
cooperação sul-sul. Nesse contexto,
revisaram o progresso atingido na
178 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.
IBSA Foreign Ministers' Meeting on Hunger alleviation. They stressed that
UNGA sidelines the IBSA Fund plays and important role
Press Release in sharing of developmental experience
The External Affairs Minister of the of IBSA countries for inclusive and
Republic of India, H.E. Ms. Sushma sustainable growth and empowerment
Swaraj, the Minister of Exernal of the peoples of developing countries.
Relations of the Federative Republic of
The Ministers exchanged views on
Brazil, H.E. Mr. Aloysio Nunes Ferreira
furthering IBSA cooperation and the
Filho, and the Minister of International
various work-streams, including
Relations and Cooperation of the
exploring cooperation in Blue
Republic of South Africa, H.E. Ms.
Economy.
Maite Nkoana-Mashabane, met in New
York on 21 September 2017, on the The Ministers emphasized the urgent
sidelines of the 72nd Session of the need for a comprehensive reform of the
United Nations General Assembly. global institutions of political and
economic governance. In this context,
The Ministers discussed and exchanges
they stressed the need for early reform
views on global political situation,
of the UN Security Council in order to
Global Economic and Financial
make it more representative, inclusive,
Situation, Reform of Global
legitimate and effective.
Governance and Sustainable
Development. The Ministers underscored that
terrorism is a grave challenge to
The Ministers highlighted that the three
international peace and security. They
countries commitment to democratic
called for a comprehensive and
values, inclusive social development
determined international action,
and multilateralism constitutes the basis
including strengthening of international
for their growing cooperation and close
normative regime through the early
coordination, which encompasses a
conclusion and adoption of the
range of regional and global issues of
Comprehensive Convention on
mutual interest. They reiterate their
International Terrorism to address this
commitment towards further deepening
menace.
and strengthening on the IBSA
Dialogue Forum. They noted that the The Ministers agreed to hold the 8th
existing comprehensive legal and meeting of IBSA Trilateral Ministerial
institutional framework under IBSA, Commission in South Africa on 17th
comprising of intergovernmental October, 2017, and the 6th IBSA
interaction and People-to-People Fora Summit in India, in 2018, which is the
for multifaceted mutually beneficial 15th anniversary of the IBSA Dialogue
cooperation, provides a solid base to Forum.
take the IBSA cooperation forward. The
Ministers stressed the importance of New York, 21 September 2017.
close coordination and cooperation
among IBSA countries in various
multilateral fora, including the UN, REUNIÃO DOS MINISTROS DAS
G20, BRICS, WTO, WIPO, etc. RELAÇÕES EXTERIORES DOS
PAÍSES DO G4 – BRASIL,
They emphasized the growing ALEMANHA, ÍNDIA E JAPÃO –
importance of South-South cooperation. SOBRE A REFORMA DO
In this context, they reviewed the CONSELHO DE SEGURANÇA DAS
progress of the implementation of the NAÇÕES UNIDAS 21/09/2017
IBSA Fund, progress on Poverty and
Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 179
Tradução não oficial Os Ministros expressaram seu apreço
Reunião dos Ministros das Relações pelas iniciativas dos co-presidentes das
Exteriores dos países do G4 - Brasil, Negociações Intergovernamentais
Alemanha, Índia e Japão – sobre a (Intergovernmental Negotiations -
reforma do Conselho de Segurança IGN) da 71ª sessão da Assembleia
das Nações Unidas Geral, inclusive a conclusão dos
Comunicado conjunto “Elementos de Convergência e questões
Em 20 de setembro, o Ministro das para consideração posterior”. Os
Relações Exteriores do Brasil, Aloysio ministros concordaram que, ao final da
Nunes Ferreira, o Vice-Chanceler 71ª sessão da Assembleia Geral, todos
Federal e Ministro das Relações os aspectos d e uma reforma abrangente
Exteriores da Alemanha, Sigmar haviam sido amplamente discutidos.
Gabriel, a Ministra dos Assuntos Assim, os ministros expressaram a
Exteriores da Índia, Sushma Swaraj, e o convicção de é chegado o momento de
Ministro dos Assuntos Estrangeiros do avançar para a próxima fase e iniciar a
Japão, Taro Kono, se encontraram para negociações com base em texto durante
considerar formas de acelerar a reforma a 72ª sessão da Assembleia Geral, que
do Conselho de Segurança das Nações marca10 anos das IGN e 25 anos de
Unidas por ocasião da 72ª Assembleia debate consistente e de consideração
Geral das Nações Unidas em Nova pela Assembleia Geral.
York.
Os Ministros saudaram o compromisso
Os ministros do G4 reafirmaram a do Secretário-Geral António Guterres
necessidade de uma reforma do de lançar reformas para tornar as
Conselho em data próxima, que inclua a Nações Unidas preparadas para o século
expansão nas categorias de membros XXI, e, nesse contexto, recordaram que
permanentes e não permanentes, o a reforma do Conselho de Segurança
aperfeiçoamento dos métodos de permanece um elemento essencial dos
trabalho e da representatividade do esforços gerais no sentido de reformar
conselho, bem como um papel ampliado as Nações Unidas. Os ministros se
para os países em desenvolvimento e declararam prontos a estender seu total
para os maiores contribuintes das apoio ao Dr Miroslav Lajčák, Presidente
Nações Unidas, de forma a tornar o da 72a sessão da Assembleia Geral, a
Conselho mais legítimo, efetivo e avançar as IGN para a próxima etapa,
representativo. Reconhecendo que o ou seja, negociações com base em texto,
número de Estados membros das e também saudaram o compromisso do
Nações Unidas cresceu de 51 em 1945 Dr Lajčák com os processos de reforma
para 193 hoje e que a composição atual em curso.
do Conselho não reflete as mudanças na
Os ministros trocaram impressões sobre
realidade global, os ministros
sua interação e cooperação em diversas
enfatizaram que o Conselho deve
ocasiões com países de pensamento
refletir o mundo de hoje de forma a
afim, inclusive reuniões do Grupo de
poder enfrentar os complexos desafios
Amigos da reforma do Conselho de
da atualidade.
Segurança. Ficaram encorajados pelo
Os ministros reiteraram seus fato de que a ampla maioria dos Estados
compromissos como candidatos a novos membros apoia o início de negociações
membros de um Conselho reformado, com base em texto com vistas à
bem como o seu apoio recíproco às realização de uma reforma do Conselho
candidaturas dos demais. em data próxima, e de que a maioria dos
Estados membros apoia a expansão em

180 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


ambas as categorias de membros. Os Federal Foreign Minister of Germany,
ministros concordaram na necessidade and H.E. Mrs. Sushma Swaraj, Minister
de enfatizar o apoio manifestado por for External Affairs of India, gathered
vários Estados membros à Posição to consider ways to accelerate reform of
Comum Africana. Nesse sentido, os the United Nations Security Council on
ministros concordaram em redobrar the occasion of the 72nd session of the
esforços para cooperar com todos os United Nations General Assembly in
Estados membros das Nações Unidas, New York.
especialmente com países de
The G4 Ministers reaffirmed the need
pensamento afim, para concluir a
for an early reform of the Council
reforma do Conselho de Segurança
including the expansion of both
rapidamente.
permanent and non-permanent
Os ministros saudaram a adoção de categories of membership, the
Nota pelo Presidente do Conselho de improvement of working methods and
Segurança (S/2017/507), em 30 de the Council’s representativeness as well
agosto de 2017, como um passo as enhanced role of developing
concreto na direção do aperfeiçoamento countries and major contributors to the
de métodos de trabalho do Conselho, e United Nations, in order to make the
manifestaram sua apreciação pela Council more legitimate, effective and
iniciativa do Japão de revisar a Nota. representative. Recognizing that the
number of the United Nations Member
Em conclusão, os ministros reiteraram
States has increased from 51 in 1945 to
sua determinação de encorajar o
193 today and that the current
lançamento de negociações com base
composition of the Council does not
em texto durante a 72ª sessão da
reflect the changed global realities, the
Assembleia Geral. Os ministros
Ministers stressed that the Council
concordaram em acelerar diálogos entre
needs to reflect today’s world in order
o G4 e outros países e grupos de
to be able to tackle today’s complex
pensamento afim, de forma a dar maior
challenges.
impulso a tais negociações.
The Ministers reiterated their
Os ministros instruíram seus respectivos
commitments as aspiring new
diretores-gerais a implementar seu
permanent members of a reformed
acordo, em estreita coordenação com os
Council, as well as their support for
respectivos Representantes Permanentes
each other’s candidatures.
junto às Nações Unidas.
The Ministers expressed their
Nova York
appreciation for the initiatives by the
20 de setembro de 2017
Co-Chairs of the Intergovernmental
Negotiations (IGN) of the 71st session
Versão original em inglês of the General Assembly, including
Meeting of the Foreign Ministers of finalizing “Elements of Commonality
the G4 countries - Brazil, Germany, and Issues for Further Consideration”.
India and Japan - on United Nations The Ministers agreed that all aspects of
Security Council Reform comprehensive reform had been
Joint Press Statement thoroughly discussed by the end of the
On 20 September 2017, H.E. Mr. Taro 71st session of the General
Kono, Minister for Foreign Affairs of Assembly. Therefore, the Ministers
Japan, H.E. Mr. Aloysio Nunes Ferreira, expressed their conviction that it was
Foreign Minister of Brazil, H.E. Mr. time to move to the next phase and
Sigmar Gabriel, Vice-Chancellor and initiate text-based negotiations during
Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 181
the 72nd session of the General improving working methods of the
Assembly, which marks the 10th year of Council and appreciated Japan’s
the IGN and 25th year of consistent initiative for revising the Note.
debate and consideration by the General
In conclusion, the Ministers reiterated
Assembly.
their resolve to encourage launching
The Ministers welcomed the text-based negotiations during the 72nd
commitment of Secretary-General session of the General Assembly. The
António Guterres to launch reforms to Ministers agreed that they will
render the United Nations fit for the accelerate dialogues between the G4
21st century and, in this context, and other like-minded countries and
recalled that an essential element of the groups, in order to gain further
overall efforts to reform the United momentum toward such negotiations.
Nations remains the reform of its
The Ministers instructed their respective
Security Council. The Ministers
Director-Generals to implement their
expressed their readiness to extend full
agreement, in close coordination with
support for H.E. Dr. Miroslav Lajčák,
their Permanent Representatives to the
President of the 72nd session of the
United Nations.
General Assembly, to advance the IGN
to the next stage, which is text-based New York
negotiations, and also welcomed the 20 September 2017
commitment of H.E. Dr. Lajčák to
ongoing reform processes.
REUNIÃO DE MINISTROS DAS
The Ministers exchanged their RELAÇÕES EXTERIORES DO
assessment on their interaction and BRICS À MARGEM DA AGNU –
cooperation with like-minded countries COMUNICADO DE IMPRENSA –
on various occasions, including the NOVA YORK, 21 DE SETEMBRO
Group of Friends meetings on Security DE 2017 22/09/2017
Council reform. They were encouraged
by the fact that the overwhelming 1. Os Ministros das Relações Exteriores
majority of Member States support the do BRICS realizaram sua reunião anual
initiation of text-based negotiations with à margem da 72ª Assembleia Geral das
a view to realizing an early reform of Nações Unidas (72ª AGNU) em 21 de
the Council and that the majority of setembro de 2017. A reunião foi
Member States are in support of presidida pelo Ministro de Relações
expanding both categories of its Internacionais e Cooperação da África
membership. The Ministers agreed on do Sul, tendo em vista que esse país
the need for highlighting the support exercerá a próxima presidência de turno
expressed by many Member States to do BRICS em 2018.
the African Common Position. In this 2. Os Ministros manifestaram sua
regard, the Ministers agreed to redouble sincera gratidão à China pelo sucesso da
their efforts to cooperate with all IX Cúpula do BRICS realizada nos dias
Member States of the United Nations, 4 e 5 de setembro de 2017, em Xiamen.
especially with like-minded countries to Saudaram os resultados substantivos da
realize Security Council reform Cúpula, e reafirmaram seu
expeditiously. compromisso com a plena
The Ministers welcomed the adoption implementação da Declaração de
of Note by the President of the Security Xiamen, bem como com os resultados
Council (S/2017/507) on 30 August das Cúpulas anteriores acordados pelos
2017, as a concrete step towards líderes do BRICS.

182 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


3. Os Ministros reafirmaram o forte 6. Os Ministros intercambiaram pontos
compromisso de defender o de vista sobre questões globais e
desenvolvimento e o multilateralismo e, regionais no âmbito econômico e
nesse sentido, enfatizaram a político, e reconheceram que a
necessidade de reforçar a coordenação e recuperação econômica global está
a cooperação entre os BRICS nas áreas ganhando impulso, embora as incertezas
de interesse mútuo e comum nas Nações e os riscos negativos persistam em
Unidas e em outras instituições escala global. Tomaram nota de que os
multilaterais, inclusive por meio de países do BRICS continuam a
reuniões regulares entre nossos desempenhar um papel importante
representantes permanentes em Nova como motores do crescimento global.
York, Genebra e Viena, e de intensificar Reiteraram a necessidade de
a voz dos países do BRICS em fóruns impulsionar o crescimento econômico
internacionais. mundial, inclusive por meio da
coordenação de políticas
4. Os Ministros sublinharam os
macroeconômicas e do aprimoramento
progressos alcançados pelos BRICS
da governança econômica global.
desde 2006, que geraram impulso para a
cooperação multidimensional 7. Os Ministros reafirmaram o seu
promovida pelas Cúpulas de Líderes. compromisso com as Nações Unidas,
Manifestaram satisfação com o grande organização multilateral universal
número de resultados produtivos da encarregada do mandato de manutenção
cooperação do BRICS, em especial o da paz e da segurança internacionais,
estabelecimento do Novo Banco de avançar o desenvolvimento global, e
Desenvolvimento (NDB), incluindo o promover e proteger os direitos
seu primeiro Centro Regional na África, humanos de modo a construir um futuro
em Johanesburgo, África do Sul, e do mais brilhante para a comunidade
Arranjo Contingente de Reserva (CRA), global. Recordaram o documento final
a formulação da Estratégia para a da Cúpula Mundial de 2005 e
Parceria Econômica do BRICS, o reafirmaram a necessidade de uma
fortalecimento da cooperação política e reforma abrangente das Nações Unidas,
de segurança, inclusive por meio das incluindo o seu Conselho de Segurança,
Reuniões de Assessores Nacionais de com o objetivo de torná-lo mais
Segurança do BRICS, e Reuniões de representativo, efetivo e eficiente, e de
Ministros das Relações Exteriores, bem aumentar a representação dos países em
como por meio do aprofundamento dos desenvolvimento de modo a responder
tradicionais laços de amizade entre os adequadamente aos desafios globais.
povos dos países do BRICS. China e Rússia reiteram a importância
que atribuem ao status e ao papel de
5. Reforçaram o comprometimento de
Brasil, Índia e África do Sul em
continuar o trabalho conjunto em defesa
assuntos internacionais e apoiam sua
do respeito mútuo, da igualdade, da
aspiração de desempenhar um papel
solidariedade, da abertura e da inclusão,
maior nas Nações Unidas.
a fim de fortalecer ainda mais a
cooperação da parceria estratégica para 8. Os Ministros também reafirmaram o
o benefício mútuo por meio do compromisso de implementar
constante aprofundamento da totalmente a Agenda 2030 para o
cooperação prática do BRICS de modo Desenvolvimento Sustentável com
a inaugurar e fornecer conteúdo prático vistas a um desenvolvimento
para a segunda década dourada de sustentável equitativo, inclusivo, aberto,
cooperação e solidariedade do BRICS. abrangente e impulsionado pela

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 183


inovação, em suas três dimensões - amplas parcerias com os EMDCs e,
econômica, social e ambiental - de nesse contexto, de buscar práticas e
forma equilibrada e integrada. Os iniciativas flexíveis e equilibradas para
Ministros conferiram o seu apoio ao o diálogo e a cooperação sustentáveis
importante papel das Nações Unidas, com países não membros do BRICS e
incluindo o Fórum Político de Alto grupos regionais ou sub-regionais,
Nível sobre Desenvolvimento inclusive por meio da cooperação
Sustentável (HLPF, na sigla em inglês), BRICS Plus.
na coordenação e revisão da
12. Os Ministros apoiaram os esforços
implementação global da Agenda 2030
de aprofundamento dos intercâmbios
e apoiaram a reforma do Sistema de
interpessoais e da cooperação cultural,
Desenvolvimento das Nações Unidas
em especial por meio do fortalecimento
com o objetivo de melhor capacitar os
do terceiro pilar da cooperação do
Estados membros para a implementação
BRICS, de modo a aprofundar os
da Agenda 2030.
vínculos entre os povos de seus países.
9. Os Ministros reiteraram a sua forte
13. Os Ministros discutiram as
condenação ao terrorismo em todas as
possibilidades de apoio mútuo às suas
suas formas e manifestações.
iniciativas na 72ª sessão da Assembleia
Conclamaram por esforços conjuntos
Geral das Nações Unidas.
para combater o terrorismo fundados
em base jurídica internacional sólida, 14. Os Ministros também foram
sob os auspícios das Nações Unidas, e informados sobre a perspectiva da
manifestaram sua convicção de que é vindoura presidência de turno sul-
necessária uma abordagem abrangente africana do BRICS em 2018. China,
para garantir um combate efetivo contra Brasil, Rússia e Índia apoiam
o terrorismo. Reafirmaram o seu plenamente a organização, pela África
compromisso com a adoção rápida de do Sul, da Décima Cúpula do BRICS,
uma Convenção Global sobre em 2018. Os Ministros também
Terrorismo Internacional nas Nações aguardam a realização da Reunião
Unidas. Os Ministros enfatizaram o Adicional de Ministros das Relações
papel do Grupo de Trabalho em Exteriores do BRICS na África do Sul,
Antiterrorismo do BRICS para em 2018.
aprofundar ainda mais o diálogo sobre a
cooperação em contraterrorismo.
RESGATE DE CIDADÃOS
10. Os Ministros manifestaram sua BRASILEIROS EM DOMINICA
preocupação com os conflitos e crises 22/09/2017
continuadas em várias regiões, que O Ministério das Relações Exteriores
prejudicam a estabilidade e a segurança, informa que na manhã de hoje foram
fornecem terreno fértil para atividades resgatados três brasileiros de Dominica,
terroristas e criam ondas de refugiados e país caribenho atingido pelo furacão
migrantes. Apoiaram soluções políticas Maria.
e diplomáticas para conflitos e crises,
como o conflito israelo-palestino, os O governo expressa sua gratidão ao
conflitos no Iêmen, na Síria, no governo da Venezuela, que
Afeganistão, na África e na Península proporcionou helicóptero militar para
Coreana. traslado seguro dos brasileiros até Santa
Lúcia num gesto de boa vontade.
11. Os Ministros enfatizaram a
necessidade de se empenhar para firmar
184 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.
O Brasil lamenta as perdas de vidas e os COMPARTILHAMOS a visão de que
danos causados pelo furacão e se fortalecer a cooperação no campo
solidariza com as vítimas e seus econômico é essencial para o
familiares, com o povo e o governo de desenvolvimento sustentável e a
Dominica. prosperidade inclusiva de nossas nações
e para o bem-estar dos nossos povos.
A operação foi coordenada no Brasil
pela área consular do Ministério das CONCORDAMOS fortalecer ainda
Relações Exteriores, juntamente com a mais as relações econômicas entre os
embaixada do Brasil em Santa Lúcia, no estados membros do Mercosul e da
âmbito da assistência aos afetados pela ASEAN, incluindo a cooperação em
passagem dos furacões Irma e Maria. desenvolvimento sustentável, o turismo,
a conectividade, a inovação e os
vínculos entre pessoas.
COMUNICADO DE IMPRENSA DA EXPRESSAMOS apoio para facilitar o
SEGUNDA REUNIÃO maior engajamento com o setor privado,
MINISTERIAL ASEAN- em particular das micro, pequenas e
MERCOSUL 22/09/2017 médias empresas (MPMEs) nas
Os Ministros das Relações Exteriores atividades de comércio entre as nossas
dos estados membros da ASEAN duas regiões, bem como para incentivar
(Brunei Darussalam, o Reino do a interação comercial regular e a
Camboja, a República da Indonésia, a participação em feiras de comércio e
República Popular Democrática do investimento de cada lado.
Laos, Malásia, a União de Mianmar, a
ESPERAMOS promover trocas
República das Filipinas, a República de
regulares de informações sobre
Singapura, o Reino da Tailândia e a
oportunidades de comércio e
República Socialista do Vietnã), por um
investimento.
lado, e, por outro, os estados membros
do Mercosul (a República Argentina, a ENFATIZAMOS A IMPORTÂNCIA
República Federativa do Brasil, a de serem exploradas oportunidades para
República do Paraguai e a República fortalecer a cooperação mútua em outras
Oriental do Uruguai) reuniram-se em áreas e atividades, conforme acordado
Nova York no dia 22 de setembro de por todas as partes no futuro.
2017, à margem da 72ª Sessão da
Assembléia Geral das Nações Unidas.
DECLARAÇÃO DA SEGUNDA
RECORDANDO as reuniões anteriores
REUNIÃO DO GRUPO DE LIMA
ASEAN-Mercosul, realizadas em
SOBRE A SITUAÇÃO NA
novembro de 2008, em Brasília, à
VENEZUELA – NOVA YORK, 20
margem da III Reunião Ministerial do
DE SETEMBRO DE 2017 23/09/2017
Fórum de Cooperação América Latina -
Ásia do Leste (FOCALAL) e também Os ministros de Relações Exteriores de
em setembro de 2009, em Nova York, à Argentina, Brasil, Canadá, Chile,
margem da 64ª Sessão da Assembléia Colômbia, Costa Rica, Guatemala,
Geral das Nações Unidas, enfatizamos a Honduras, México, Panamá, Paraguai e
importância de explorar formas de Peru, reunidos em Nova York em 20 de
fortalecer ainda mais os laços inter- setembro de 2017, em seguimento à
regionais, especialmente nos campos de Declaração adotada em Lima:
comércio, investimento e economia.
1. Reafirmam o conteúdo e a validade
da Declaração de Lima e seu

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 185


compromisso de redobrar esforços para que, para alcançar resultados positivos,
alcançar uma solução pacífica e tais abordagens devem ser
negociada para a crise que enfrenta a desenvolvidas com boa fé, regras,
Venezuela. objetivos e prazos claros, bem como
garantias de conformidade, esforço para
2. Lamentam que se mantenha a ruptura
o qual é essencial o acompanhamento
da ordem democrática na Venezuela, já
internacional.
que seu governo viola as normas
constitucionais, a vontade do povo e os 8. Reafirmam o seu empenho em
valores interamericanos, reprime a acompanhar atentamente a situação na
dissidência política, mantém presos Venezuela em nível de ministros de
políticos e viola os direitos humanos e Relações Exteriores até o
as liberdades fundamentais das pessoas. restabelecimento completo da ordem
democrática naquele país e, com esse
3. Condenam a repressão e a
fim, se reunirão em outubro próximo no
perseguição política na Venezuela,
Canadá.
inclusive a decisão da Assembleia
Nacional Constituinte de processar
líderes opositores por "traição à pátria".
RESOLUÇÃO SOBRE OS
4. Reconhecem a contribuição e DIREITOS HUMANOS DAS
compartilham a preocupação do Alto MULHERES E A
Comissariado das Nações Unidas para IMPLEMENTAÇÃO DA AGENDA
os Direitos Humanos, expressa no 2030 29/09/2017
relatório "Violações e abusos dos
O Conselho de Direitos Humanos da
direitos humanos no contexto dos
ONU (CDH) decidiu convocar
protestos na República Bolivariana da
especialistas externos para buscar novas
Venezuela de 1º de abril a 31 de julho
formas de promover a igualdade de
de 2017".
gênero que assegurem a meninas e
5. Reiteram o seu pleno apoio e mulheres o pleno exercício de seus
solidariedade com a Assembleia direitos humanos.
Nacional democraticamente eleita, bem
Aprovada ontem, a resolução “O pleno
como o seu compromisse com o não
exercício dos direitos humanos por
reconhecimento dos atos emanados da
todas as mulheres e meninas e a
Assembleia Nacional Constituinte e em
transversalização sistêmica da
manter a aplicação da Carta
perspectiva de gênero na
Democrática Interamericana à
implementação da Agenda 2030 de
Venezuela.
Desenvolvimento Sustentável” firma o
6. Reiteram sua vontade de contribuir entendimento de que a promoção e
para criar, em coordenação com proteção dos direitos humanos das
organizações internacionais e outros mulheres e meninas é parte necessária
países, um canal de assistência para da implementação dos Objetivos de
enfrentar a crise humanitária que aflige Desenvolvimento Sustentável e
o país. reforçam-se mutuamente.
7. Reconhecem a iniciativa da O texto, de iniciativa brasileira, foi uma
República Dominicana de reunir o proposta conjunta da Comunidade dos
governo e a oposição venezuelanos, Países de Língua Portuguesa (CPLP),
bem como a decisão de ambos os lados aprovada por consenso no CDH em
de convidar alguns países a acompanhar Genebra durante sua 36ª sessão,
esse processo. A esse respeito, reiteram realizada ontem. Leia o texto da

186 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


resolução em sua versão original em
inglês no portal do
FALECIMENTO DE FERNANDO
Itamaraty: goo.gl/J1uANR
AUGUSTO ALBUQUERQUE
MOURÃO 03/10/2017
VISITA OFICIAL AO BRASIL DO
O Ministério das Relações Exteriores
MINISTRO DAS RELAÇÕES
recebeu com grande pesar a notícia do
EXTERIORES DA BÓSNIA E
falecimento do professor Fernando
HERZEGOVINA, IGOR CRNADAK
Augusto Albuquerque Mourão, no
29/09/2017
último sábado, 30 de setembro, em São
O ministro das Relações Exteriores da Paulo.
Bósnia e Herzegovina, Igor Crnadak,
Pioneiro no estudo e na pesquisa sobre a
realizará visita oficial ao Brasil entre os
África no Brasil, Mourão deu grande
dias 2 e 5 de outubro. A viagem
contribuição à disciplina das Relações
constitui oportunidade para fortalecer o
Internacionais no país. Foi, desde 1967,
relacionamento político e promover o
professor assistente e titular da
intercâmbio comercial bilateral.
Universidade de São Paulo, onde ajudou
Em São Paulo, nos dias 2 e 3 de a criar o Centro de Estudos Africanos
outubro, o chanceler bósnio se reunirá (CEA). Teve relevante papel no
com representantes do setor empresarial processo de descolonização do
e do agronegócio. No dia 4 de outubro, continente africano e trabalhou
em Brasília, o ministro Crnadak incessantemente pelo estreitamento dos
manterá reunião de trabalho com o laços entre o Brasil e a África. Com
ministro Aloysio Nunes Ferreira e dará mais de dez livros publicados e diversos
palestra no Instituto Rio Branco. Ainda prêmios internacionais recebidos, teve
no dia 4, o chanceler bósnio será sua obra reconhecida no Brasil e no
recebido pelo presidente do Senado exterior.
Federal, senador Eunício Oliveira. Em 5
O Ministério das Relações Exteriores
de outubro, Igor Crnadak se avistará
manifesta os seus sentidos pêsames e
com o presidente da Confederação da
sua solidariedade à família do professor
Agricultura e da Pecuária do Brasil,
Fernando Augusto Albuquerque
João Martins da Silva Junior.
Mourão.
O Brasil e a Bósnia e Herzegovina
estabeleceram relações diplomáticas em
1995. VISITA AO BRASIL DO
MINSITRO DAS RELAÇÕES
EXTERIORES DA BOLÍVIA,
ATAQUE EM LAS VEGAS FERNANDO HUANACUNI –
02/10/2017 BRASÍLIA, 6 DE OUTUBRO DE
2017 05/10/2017
O governo brasileiro deplora o ataque
ocorrido na noite de domingo, 1º de O ministro das Relações Exteriores da
outubro, em Las Vegas, que resultou em Bolívia, Fernando Huanacuni, realizará
ao menos 50 vítimas fatais e centenas visita ao Brasil, no dia 6 de outubro de
de feridos. O Brasil condena esse ato de 2017, para reunião de trabalho com o
violência e expressa, consternado, seu ministro Aloysio Nunes Ferreira.
sentimento de pesar às famílias das
Os chanceleres tratarão dos principais
vítimas e estende votos de plena e
temas da agenda bilateral, com ênfase
rápida recuperação aos feridos.
em comércio e investimentos, energia,

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 187


integração física e de transportes, outubro em eleições realizadas sem
inclusive o projeto do Corredor interferências e de modo pacífico em
Ferroviário Bioceânico Central, que todo o país.
conectará as malhas ferroviárias dos
dois países e facilitará o acesso do
Atlântico ao Pacífico. TEMPESTADE NATE NA
AMÉRICA CENTRAL 06/10/2017
Os dois ministros darão especial
atenção a temas migratórios e O governo brasileiro recebeu com pesar
consulares, além da integração a notícia de que a tempestade tropical
fronteiriça – Brasil e Bolívia têm mais Nate atingiu a América Central,
de 3.420 km de fronteira. Também está deixando dezenas de mortos e causando
na agenda a cooperação para o combate destruição na Costa Rica, em Honduras
a crimes transnacionais. e na Nicarágua.
O Brasil expressa suas condolências às
famílias das vítimas e votos de pronta
COMUNICADO DO GRUPO DE
recuperação aos feridos e manifesta
LIMA SOBRE AS ELEIÇÕES
solidariedade aos povos e governos
REGIONAIS NA VENEZUELA –
desses países.
BRASÍLIA, 5 DE OUTUBRO DE
2017 05/10/2017
Os governos de Argentina, Brasil, PRÊMIO NOBEL DA PAZ À
Canadá, Chile, Colômbia, Costa Rica, ORGANIZAÇÃO NÃO
Guatemala, Honduras, México, Panamá, GOVERNAMENTAL
Paraguai e Peru consideram que as "INTERNATIONAL CAMPAIGN
eleições regionais, a serem realizadas no TO ABOLISH NUCLEAR
dia 15 de outubro, na Venezuela, para WEAPONS" (ICAN) 06/10/2017
eleger governadores, devem ser
realizadas em um quadro de pleno O governo brasileiro cumprimenta a
respeito à Constituição e à Lei Orgânica ICAN (das iniciais em inglês de
dos Processos Eleitorais daquele país. Campanha Internacional para Abolir as
Armas Nucleares) pelo Prêmio Nobel
Exortam o governo venezuelano e o da Paz de 2017, em reconhecimento aos
Conselho Nacional Eleitoral a agir no esforços da organização que levaram à
âmbito de suas funções, com total recente adoção do Tratado sobre a
transparência, imparcialidade e Proibição das Armas Nucleares.
objetividade, para garantir a livre
participação de todos os candidatos, O Brasil orgulha-se de ter sido um dos
incluindo o direito de substituí-los de seis países que lideraram as negociações
acordo com a lei, e que este processo do tratado, reflexo de sua tradição
seja realizado com pleno respeito pelo pacifista e da busca por um mundo livre
voto livre, secreto, efetivo e universal, de armas nucleares. Em cerimônia
com a presença de observadores realizada no último dia 20 de setembro
internacionais, o que permitirá que seus na sede das Nações Unidas em Nova
resultados sejam um reflexo fiel da York, o presidente Michel Temer foi a
vontade popular e tenham a primeira autoridade a assinar o
legitimidade necessária. documento.

Finalmente, fazem chamado a que a Ao congratular-se com a ICAN, o Brasil


população venezuelana possa exercer reafirma seu compromisso
seus direitos e votar no dia 15 de constitucional com o uso pacífico da

188 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


atividade nuclear e conclama a exportadores agrícolas, e terá encontros
comunidade internacional a engajar-se com a presidente da 11ª Conferência
nos esforços que levem a uma completa Ministerial da OMC, a argentina Susana
eliminação das armas nucleares e à Malcorra; com o diretor-geral da OMC,
prevalência do direito internacional e o brasileiro Roberto Azevêdo; com o
dos direitos humanos. ministro da Produção da Argentina,
Francisco Cabrera; com a comissária de
comércio da União Europeia, Cecilia
REUNIÃO MINISTERIAL DA OMC Malmström; e com seus homólogos de
EM MARRAQUEXE 08/10/2017 Canadá, Índia, Marrocos e Suíça, com
quem tratará de temas da OMC e das
O ministro Aloysio Nunes Ferreira negociações comerciais regionais e
participa, em 9 e 10 de outubro, de bilaterais em curso.
reunião ministerial da OMC em
Marraquexe, Marrocos, durante a qual
se avaliará o estágio atual das
DECLARAÇÃO CONJUNTA
negociações para a 11ª Conferência
SOBRE UM POSSÍVEL ACORDO
Ministerial da OMC que terá lugar em
ABRANGENTE DE LIVRE
Buenos Aires em dezembro.
COMÉRCIO ENTRE OS
Dentre as propostas que o Brasil ESTADOS-MEMBROS DO
buscará desenvolver, destaca-se o MERCOSUL E O CANADÁ
estabelecimento de teto aos subsídios 09/10/2017
concedidos por países membros da
OMC à produção agrícola, apresentada O ministro das Relações Exteriores do
em conjunto com Colômbia, Peru, Brasil, Aloysio Nunes, encontrou-se
União Europeia e Uruguai. Esses com o ministro do Comércio
subsídios distorcem a competição e o Internacional do Canadá, François-
acesso ao mercado internacional. A Philippe Champagne, em 9 de outubro
proposta tem por objetivo superar de 2017, à margem da Conferência
assimetrias que permitiram a alguns Mini-Ministerial da OMC, em
países mais espaço de manobra no apoio Marraquexe. O ministro Aloysio Nunes
a seus agricultores. É complemento à atuou em nome do Mercosul, já que o
decisão histórica de eliminar os Brasil ocupa atualmente a Presidência
subsídios à exportação de produtos Pro Tempore do bloco. Ao final da
agrícolas, adotada na Conferência reunião, os ministros acordaram o que
Ministerial da OMC de Nairóbi (2015). segue:

Também estarão na mesa questões DECLARAÇÃO CONJUNTA


como a limitação de subsídios à pesca e SOBRE UM POSSÍVEL ACORDO
a possibilidade de incluir na agenda da ABRANGENTE DE LIVRE
OMC novos temas, como facilitação de COMÉRCIO ENTRE
investimentos, medidas para favorecer a OS ESTADOS-MEMBROS DO
participação de micro, pequenas e MERCOSUL E O CANADÁ
médias empresas no comércio
internacional, além de comércio Os ministros expressaram sua satisfação
eletrônico. com a perspectiva de aprofundar as
relações bilaterais entre o Mercosul e o
À margem da reunião de Marraquexe, o Canadá por meio de um potencial
ministro Aloysio Nunes Ferreira acordo de livre comércio, confirmada
participará de encontro ministerial do pelos resultados positivos preliminares
Grupo de Cairns, que reúne grandes

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 189


do diálogo exploratório que está em O ministro Aloysio Nunes Ferreira
andamento. realizará a sua segunda visita oficial ao
continente africano no período de 11 a
Os ministros reconheceram que, dado o
16 de outubro de 2017. Serão visitados
tamanho das economias canadense e do
4 países da África Ocidental – Gana,
Mercosul e do comércio bilateral, existe
Nigéria, Côte d'Ivoire e Benim.
um forte potencial para o
desenvolvimento de uma relação As relações com a África constituem
comercial mais ambiciosa através do uma prioridade permanente do governo
aumento dos fluxos de comércio e brasileiro. O segundo périplo que o
investimento. ministro Aloysio Nunes realiza pelo
continente reafirma essa prioridade e
Os ministros expressaram a esperança
busca fortalecer ainda mais os laços
de que o Canadá e o Mercosul possam
econômicos, políticos e culturais que
demonstrar conjuntamente o valor do
unem o Brasil a esses países amigos.
comércio e do investimento na
construção da prosperidade mútua, de A África Ocidental experimentou
forma inclusiva e progressiva. expressivas taxas de crescimento
econômico e conquistou importantes
Neste contexto, os ministros
avanços em termos de estabilidade
comprometeram-se a promover
política e governança democrática na
exercício conjunto de definição de
última década. O governo brasileiro tem
escopo com vistas a possíveis
reforçado seu compromisso de
negociações de livre comércio e
continuar a contribuir para o
instruíram seus representantes para que
desenvolvimento socioeconômico e a
continuem sua estreita colaboração a
consolidação da paz e da democracia na
este respeito.
África Ocidental, por meio de uma
Marraquexe, em 9 de outubro de 2017. parceria horizontal pautada pela
solidariedade Sul-Sul.
No dia 11 de outubro, o ministro das
ATENTADO EM JEDÁ, ARÁBIA Relações Exteriores fará visita a Gana,
SAUDITA 09/10/2017 onde será recebido pela chanceler
Shirley Ayorkor Botchway, e terá
O governo brasileiro condena o ataque
audiência com o presidente Nana Addo
do último dia 7 de outubro, nas
Dankwa Akufo-Addo. As relações com
imediações do Palácio Real em Jedá, na
Gana são marcadas por convergências
Arábia Saudita, que resultou na morte
políticas e importantes relações
de dois membros da Guarda Real e
econômicas. O Fórum Empresarial
deixou três outros feridos.
Brasil-Gana, realizado pela APEX e
O Brasil manifesta sua solidariedade pelo Itamaraty, em agosto passado, em
aos familiares das vítimas, ao governo e Acra, atesta o compromisso do governo
ao povo da Arábia Saudita. brasileiro com a intensificação das
relações econômicas bilaterais.
No dia 12 de outubro, o chanceler
VISITA DO MINISTRO ALOYSIO Aloysio Nunes Ferreira visitará a
NUNES FERREIRA A GANA, Nigéria. Em Abuja, manterá encontro
NIGÉRIA, CÔTE D'IVOIRE E com o ministro dos Negócios
BENIN – 11 A 16 DE OUTUBRO DE Estrangeiros, Geoffrey Onyeama. As
2017 10/10/2017 relações Brasil-Nigéria alcançaram
novo patamar em 2013, quando foi

190 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


realizada a I Sessão do Mecanismo de (Tradução livre para o português. O
Diálogo Estratégico, em Brasília. Em texto original em inglês segue após a
agosto de 2017, a APEX e o Itamaraty versão em português)
organizaram o Fórum Empresarial O ministro das Relações Exteriores da
Brasil-Nigéria em Lagos, evento que República Federativa do Brasil, Sr.
buscou explorar o grande potencial das Aloysio Nunes Ferreira, realizou visita
relações econômicas entre o Brasil e a de trabalho de dois dias à Nigéria, de 11
maior economia africana. a 12 de outubro de 2017. O ministro
liderou uma delegação de oito
No dia 13 de outubro, o ministro das
funcionários de alto nível do governo
Relações Exteriores será o primeiro
brasileiro.
chanceler a visitar a Côte d'Ivoire desde
a viagem de Saraiva Guerreiro em 1983. 2. Durante a visita, o ministro das
Na ocasião, o ministro Aloysio Nunes Relações Exteriores do Brasil manteve
Ferreira será recebido pelo ministro dos encontros bilaterais com o ministro dos
Negócios Estrangeiros, Marcel Amon- Negócios Estrangeiros, Sr. Geoffrey
Tanoh. A visita explorará áreas comuns Onyeama, e com o ministro da
de cooperação técnica e oportunidades Agricultura e do Desenvolvimento
de intensificação dos fluxos de Rural, Chefe Audu Ogbeh.
comércio e de investimentos.
3. As discussões entre o ministro dos
No dia 14 de outubro, o ministro Negócios Estrangeiros da Nigéria e o
Aloysio Nunes Ferreira visitará o ministro das Relações Exteriores do
Benim, onde manterá encontros com o Brasil centraram-se em questões de
chanceler Aurélien Agbénonci e com o interesse comum destinadas a fortalecer
presidente Patrice Talon. Serão as cordiais, fraternas e duradouras
passados em revista temas políticos relações entre os dois países. A este
bilaterais e regionais, a ativa agenda de respeito, ambos os ministros discutiram
cooperação técnica bilateral e as acordos bilaterais atualmente em
potencialidades das relações negociação por especialistas dos dois
econômicas entre os dois países. O países, que incluem:
Benim – onde há uma importante
i) Minuta de Acordo de Cooperação e
comunidade de afro-brasileiros
Facilitação de Investimentos;
retornados, conhecidos como "agudás"
– é um dos países da África Ocidental ii) Minuta de Acordo sobre
com os quais o Brasil mantém laços Transferência de Presos;
culturais mais próximos.
iii) Minuta de Acordo de Cooperação
sobre Desenvolvimento Agrícola no
âmbito do programa “More Food
COMUNICADO SOBRE A VISITA International”;
DE TRABALHO DE DOIS DIAS À
NIGÉRIA DO MINISTRO DAS iv) Acordo de extradição
RELAÇÕES EXTERIORES DO 4. Os dois ministros também discutiram
BRASIL, ALOYSIO NUNES temas da agenda internacional atual,
FERREIRA – ABUJA, 11 E 12 DE como a necessidade urgente de reforma
OUTUBRO DE 2017 12/10/2017 do Conselho de Segurança das Nações
Comunicado sobre a visita de Unidas, para que ele possa realmente
trabalho de dois dias à Nigéria do refletir a atual ordem mundial, e o
ministro das Relações Exteriores do imperativo do combate ao terrorismo
Brasil, Aloysio Nunes Ferreira internacional, inclusive com a

Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 191


eliminação dos problemas sociais que 8. Ao final da visita, o ministro das
contribuem para a sua disseminação. Relações Exteriores do Brasil convidou
o ministro das Relações Exteriores da
5. Além disso, ambos os ministros dos
Nigéria a visitar o Brasil em uma data
Negócios Estrangeiros trocaram
mutuamente conveniente. Além disso,
impressões sobre a ameaça à segurança
ambos concordaram com a necessidade
na região do Sahel e reafirmaram o seu
de troca de visitas de alto nível para
apoio a iniciativas como a Força-Tarefa
compartilhar experiências e fortalecer a
Conjunta Multinacional, na qual os
cooperação em áreas de suas relações
países da região encontram suas
bilaterais.
próprias soluções para os problemas que
os afetam. Além disso, os ministros
concordaram que o aprofundamento da
cooperação entre os dois países no
campo da Defesa pode contribuir para a Communiqué on the two-day working
estabilização da região e fortalecer visit to Nigeria by the
ainda o papel desempenhado pela Minister of External Relations of
Nigéria. Brazil, H.E. Mr Aloysio Nunes
Ferreira
6. Além disso, ambos os ministros dos The Minister of External Relations of
Negócios Estrangeiros analisaram o the Federative Republic of Brazil, H.E.
nível de implementação do Mecanismo Mr. Aloysio Nunes Ferreira paid a two-
de Diálogo Estratégico entre a Nigéria e day working visit to Nigeria from 11-12
o Brasil, que é uma plataforma October, 2017. The Minister led a
destinada a intensificar o engajamento delegation of eight high-level Brazilian
entre os dois países. O Diálogo government officials on the trip.
Estratégico também funciona como base
para manter o diálogo de alto nível entre 2. During his visit, the Brazilian Foreign
funcionários dos dois países e servir Minister held bilateral meetings with
como um fórum para a implementação the Honourable Minister of Foreign
de acordos que abrangem agricultura e Affairs, H.E. Mr. Geoffrey Onyeama
segurança alimentar, comércio e and the Honourable Minister of
investimento, energia, educação, Agriculture and Rural Development,
petróleo e mineração. Chief Audu Ogbeh.

7. A respeito de cooperação agrícola, o 3. Discussions between Nigeria’s


ministro da Agricultura e Minister of Foreign Affairs and the
Desenvolvimento Rural da Nigéria e o Brazilian Minister of External Relations
ministro das Relações Exteriores do centered on issues of common interest
Brasil trocaram impressões sobre o aimed at strengthening the long-
programa “Mais Alimentos standing cordial and fraternal relations
International” e o compartilhamento de between both countries. In this regard,
experiências no campo da pecuária, com both Ministers discussed bilateral
vistas ao aumento da produção na agreements currently under negotiation
Nigéria. Ambos os países também by experts of both countries, which
compartilharão experiências de included:
programas de merenda escolar, políticas i) Draft Investment Cooperation and
de intervenção social e de combate à Facilitation Agreement;
corrupção, entre outras questões de
interesse comum. ii) Draft Agreements on Transfer of
Prisoners;

192 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


iii) Draft Cooperation Agreement on experience in cattle ranching to boost
Agricultural Development under the production in Nigeria. Both countries
More Food International Programme; will also share experience in the School
Feeding Programme, Social
iv) Extradition Agreement
Intervention Policies and the Fight
4. The two Ministers also discussed against Corruption, among other issues
themes on the current international of common interest.
agenda, such as the pressing need for
8. At the end of the visit, the Brazilian
reform of the United Nations Security
Minister of External Relations invited
Council so that it may really reflect the
Nigeria’s Minister of Foreign Affairs to
actual world order, and the utter
visit Brazil at a mutually convenient
importance of combating international
date. Furthermore, both sides agreed on
terrorism including eliminating the
the need for exchange of high-level
social issues that contribute to its
visits to share experience and strengthen
spreading.
cooperation in areas of their bilateral
5. Furthermore both Ministers of relations.
Foreign Affairs exchanged views on the
security threat in the Sahel region and
reaffirmed their support for initiatives ACONTECIMENTOS NA
such as the Multinational Joint Task ESPANHA 12/10/2017
Force, whereby countries in the region
find their own solutions for the O Brasil vem acompanhando com
problems that affect them. Furthermore, atenção os últimos acontecimentos na
the Ministers agreed that a stronger Espanha, país cuja transição
cooperation between the two countries democrática foi e é um exemplo para a
in the field of Defense, which would América Latina. Ao reiterar os laços de
further strengthen the role played by amizade e solidariedade que unem
Nigeria, can contribute to stabilization brasileiros e espanhóis, o governo
of the region. conclama ao diálogo, no marco da
legislação desse país, ressaltando a
6. In addition, both Foreign Ministers importância do pleno respeito à
reviewed the level of implementation of Constituição espanhola e ao Estado
the Mechanism for Strategic Dialogue Democrático de Direito.
between Nigeria and Brazil, which is a
platform aimed at intensifying
engagement between both countries.
The Strategic Dialogue is also designed COMUNICADO CONJUNTO POR
to sustain high-level dialogue between OCASIÃO DA VISITA DE
officials of the two countries, and serve TRABALHO AO BENIN DO SR.
as a forum for the implementation of ALOYSIO NUNES FERREIRA
agreements covering Agriculture and FILHO, MINISTRO DAS
Food Security, Trade and Investment, RELAÇÕES EXTERIORES DO
Energy, Education, Power, Petroleum BRASIL- COTONOU, 13-15 DE
and Mining. OUTUBRO DE 2017 15/10/2017
7. On Agriculture Cooperation, the Comunicado Conjunto por ocasião da
Minister of Agriculture and Rural visita de trabalho ao Benin do Sr.
Development of Nigeria and Brazil’s Aloysio Nunes Ferreira Filho,
Minister of External Relations Ministro das Relações Exteriores do
exchanged views on the More Food Brasil
International Programme and sharing
Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 193
(Tradução livre para o português. O Desenvolvimento do Turismo e um
texto original em francês segue após a representante do Ministério da Saúde.
versão em português)
5. As discussões proporcionaram uma
1. Como parte de seu périplo pela
oportunidade para rever o andamento
África Ocidental, Sua Excelência
dos projetos realizados em cooperação
Aloysio Nunes Ferreira Filho, Ministro
com o Brasil e explorar novas vias de
das Relações Exteriores da República
colaboração.
Federativa do Brasil, realizou visita de
trabalho a Benin entre 13 e 15 de 6. Como parte da implementação do
outubro de 2017. Programa de Ação Governamental
(PAG), os dois países concordaram em
2. A delegação foi recebida em
intensificar a cooperação nas seguintes
audiência pelo Chefe de Estado. Nessa
áreas: educação, saúde, esporte,
ocasião, o Ministro das Relações
agricultura, infra-estrutura, qualidade de
Exteriores do Brasil transmitiu ao
vida e desenvolvimento sustentável,
Presidente da República o convite de
água, energia, minas e turismo.
seu homólogo brasileiro, o Presidente
Michel Temer, para fazer uma visita 7. No que diz respeito à educação,
oficial ao Brasil. O Presidente Patrice decidiu-se que o Brasil apoiará a
Talon respondeu favoravelmente e formação profissional no Benin e a
reiterou ao Ministro das Relações revitalização do programa de leitorados
Exteriores do Brasil o compromisso das para o ensino da língua portuguesa
autoridades de Benin de fortalecer e especificamente por meio do apoio à
diversificar as relações entre os dois criação de um instituto de idioma de
países. vocação multidisciplinar e à
disponibilização de apoio técnico
3. Durante a visita, o Ministro das
brasileiro.
Relações Exteriores do Brasil também
se reuniu com o Ministro dos Negócios 8. No que diz respeito à saúde, o lado
Estrangeiros e Cooperação do Benin. beninense se comprometeu a liberar sua
Eles abordaram temas de interesse parte no projeto-piloto de combate à
comum, em particular implementação anemia falciforme, a fim de relançar o
de acordos de cooperação existentes. Na projeto. O lado brasileiro manifestou
ocasião, o ministro brasileiro convidou seu acordo de princípio no sentido de
o seu homólogo do Benin a fazer uma considerar a possibilidade de conceder
visita de trabalho ao Brasil. um ano adicional de formação aos
alunos concluindo cursos em Biologia e
4. Uma sessão de trabalho
Biologia Molecular no Brasil. Também
interministerial co-presidida pelos
concordou em avaliar a possibilidade de
chanceleres reuniu os Ministros do
renovar o projeto.
Ensino Superior e da Pesquisa
Científica, Energia, Água e Minas 9. Ademais, uma equipe de membros do
(atuando também como interino dos Comitê Diretivo sobre Reformas do
ministérios da Qualidade de Vida e do e Setor de Saúde poderá deslocar-se ao
Desenvolvimento Sustentável e da Brasil para uma visita de estudos sobre
Infra-estrutura e Transportes), Turismo sistema de gerenciamento de saúde
e Cultura e Esportes e a delegação pública implementado pelo Governo do
brasileira para uma discussão em nível Brasil.
setorial. A sessão de trabalho contou
também com a presença do Diretor- 10. No que diz respeito ao esporte, o
Geral da Agência Nacional para a Benin solicitou a experiência do Brasil
Promoção do Patrimônio e do para a formação de instrutores e a

194 Resenha de Poliítica Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017.


orientação de jovens talentos. O sublinharam a importância de introduzir
Governo do Benin está comprometido mecanismos flexíveis para aumentar a
em fornecer instalações para a eficácia da cooperação bilateral,
implementação deste projeto. particularmente no que se refere a
questões setoriais.
11. As Partes concordaram em
desenvolver cooperação no campo da Feito em Cotonou em 14 de outubro de
agricultura, especialmente os ramos de 2017
produção de óleo de palma, caju,
aquicultura, soja e produtos lácteos.
Também expressaram seu interesse em
compartilhar experiências nestes Communique Conjoint a l’occasion
campos e estabelecer vínculos de la visite de travail au Benin de
cooperativos entre os institutos Monsieur Nunes Ferreira Filho
responsáveis pela pesquisa agrícola nos Aloysio, Ministre des Relations
dois países. Exterieures du Bresil
12. O lado beninense expressou a 1. Dans le cadre d’une tournée en
intenção do governo de desenvolver Afrique de l’Ouest, Son Excellence
projetos de construção habitacional, Monsieur Aloysio Nunes Ferreira Filho,
abastecimento de água potável, Ministre des Relations Extérieures de la
gerenciamento integrado de recursos République Fédérative du Brésil, a
hídricos, energia renovável, effectué une visite de travail au Bénin,
eletrificação e gerenciamento de du 13 au 15 octobre 2017.
resíduos. Os dois lados concordaram em 2. La délégation a été reçue en audience
discutir formas de estabelecer par le Chef de l’Etat. A cette ocasion, le
cooperação nesses setores. Ministre brésilien des Relations
13. Por fim, o lado beninense Extérieures a transmis au Président de la
apresentou à delegação brasileira os seis Républica l’inviation de son
projetos principais do governo no setor Homologue brésilien, le Président
de turismo e expressou sua vontade de Michel Temer, à se rendre en visite
atrair número crescente de turistas officielle au Brésil. Le Président Patrice
brasileiros para o Benin com o apoio Talon y a répondu favorablement et a
das autoridades brasileiras. réitéré au Ministre des Relations
Extérieures du Brésil l’engagement des
14. O Ministro das Relações Exteriores Autorités béninoises à renforcer et à
do Brasil e sua delegação foram a Uidá, diversifier les relations entre les deux
onde visitaram a Casa do Brasil. Foram pays.
também ao Portão do Não Retorno e se
encontraram com os representantes da 3. Au cours de cette visite, le Ministre
Comunidade Agudá, com quem des Relations Extérieures du Brésil s’est
discutiram a história comum entre os également entretenu avec le Ministre
dois países. Na ocasião, o ministro des Affaires Etrangères et de la
brasileiro expressou a disponibilidade Coopération du Bénin. Ils ont abordé
de seu país para acompanhar a política des sujets d’intérêt commun,
de gestão cultural e patrimonial do notamment la mise en œuvre des
Benin. Accords de coopération existants. A
cette occasion, le Ministre brésilien a
15. No plano diplomático, os dois invité son Homologue du Bénin à se
ministros concordaram em relançar a rendre en visite de travail au Brésil.
Comissão de Cooperação Conjunta
entre o Benin e o Brasil. Também
Resenha de Política Exterior do Brasil, nº 121, 2º semestre de 2017. 195
4. Au plan sectoriel, une séance de pour relancer ledit projet. La Partie
travail interministérielle co-présidée par brésilienne a donné son accord de
les Ministres en charge des affaires principe pour étudier la possibilité
étrangères a réuni les Ministres de d’octroyer une année supplémentaire de
l’Enseignement Supérieur et de la formation aux étudiants en fin de
Recherche Scientifique, de l’Energie, de formation en Biologie et Biologie
l’Eau et des Mines (assurant également moléculaire au Brésil. Elle a aussi
l’intérim du Ministre du Cadre de Vie et marqué son accord de principe pour
du Développement Durable ainsi que du étudier la possibilité de reconduire ce
Ministre des Infrastructures et des projet.
Transports), du Tourisme et de la
9. En outre, une équipe constituée de
Culture, des Sports autour de la
membres du Comité de pilotage des
délégation brésilienne. Ladite séance de
réformes du secteur de la Santé pourrait
travail a aussi connu la participation du
se rendre au Brésil pour une visite
Directeur général de l’Agence Nationale
d’études sur le système de gestion de la
pour la Promotion des Patrimoines et le
santé publique mis en place par le
Développement du Tourisme ainsi que
Gouvernement brésilien.
d’un représentant du Ministère de la
Santé. 10. Pour ce qui concerne le Sport, le
Bénin a sollicité l’expertise du Brésil
5. Les échanges ont permis de faire le
pour la formation des formateurs et
point de l’évolution des projets réalisés
l’encadrement des jeunes talents. Le
en coopération avec le Brésil et
Gouvernement béninois est engagé à
d’explorer de nouvelles voies de
offrir des facilités pour la réalisation de
collaboration.
ce projet.
6. Ainsi, s’inscrivant dans le cadre de la
11. Les parties ont convenu de
mise en œuvre du Programme d’actions
développer la coopération dans le
du Gouvernement (PAG), les deux pays
domaine de l’Agriculture, notamment
se sont accordés pour approfondir la
des filières palmier à huile, anacarde,
coopération dans les domaines suivants:
aquaculture, soja et production laitière.
Enseignement, Santé, Sport,
Elles ont aussi marqué leur intérêt pour
Agriculture, Infrastructures, Cadre de
développer le partage d’expériences
Vie et Développement Durable, Eau,
dans ces domaines et établir des liens de
Energie, Mines et Tourisme.
coopération entre les instituts en charge
7. En ce qui concerne l’Enseignement, il de la recherche agricole dans les deux
a été retenu d’un appui du Brésil à la pays.
formation professionnelle, à la
12. La Partie béninoise a exprimé
redynamisation du programme
l’ambition du Gouvernement de
d’apprentissage de la langue portugaise
développer des projets dans la
dénommée LEITORADO à travers,
construction de logements,
notamment, le soutien à la création d’un
l’approvisionnement en eau potable, la
Institut de langue à vocation
gestion intégrée des ressources en eau,
pluridisciplinaire et à la mise à la
l’énergie renouvelable, l’électrification
disposition d’assistants techniques
et la gestion des déchets. Les deux
brésiliens.
parties ont convenu d’examiner les
8. S’agissant de la Santé, la Partie modalités d’établissement d’une
béninoise s’est engagée à libérer sa coopération dans ces secteurs.
contrepartie dans la réalisation du pro