Você está na página 1de 25
Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva
Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva
Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva

Cronograma do curso

06/03 – (terça-feira) – Aula 1 08/03 – (quinta-feira) – Aula 2 13/03 – (terça-feira) – Aula 3 15/03 – (quinta-feira) – Aula 4 20/03 – (terça-feira) – Aula 5 22/03 – (quinta-feira) – Aula 6 27/03 – (terça-feira) – Não haverá aula (Semana Santa) 29/03 – (quinta-feira) – Não haverá aula (Semana Santa) 03/04 – (terça-feira) – Aula 7 05/04 – (quinta-feira) – Aula 8 10/04 – (terça-feira) – Não haverá aula (SLAFES 2018) 12/04 – (quinta-feira) – Não haverá aula (SLAFES 2018) 17/04 – (terça-feira) – AVALIAÇÃO 1 19/04 – (quinta-feira) – Vista de prova 24/04 – (terça-feira) – Aula 9 26/04 – (quinta-feira) – Aula 10 01/05 – (terça-feira) – Não haverá aula (Dia do trabalho) 03/05 – (quinta-feira) – Aula 11 08/05 – (terça-feira) – Aula 12

10/05 – (quinta-feira) – Aula 13 15/05 – (terça-feira) – Aula 14 17/05 – (quinta-feira) – Aula 15 22/05 – (terça-feira) – Aula 16 24/05 – (quinta-feira) – AVALIAÇÃO 2 29/05 – (terça-feira) – Vista de Prova 31/05 – (quinta-feira) – Aula 17 05/06 – (terça-feira) – Não haverá aula (Corpus Christi) 07/06 – (quinta-feira) – Aula 18 12/06 – (terça-feira) – Aula 19 14/06 – (quinta-feira) – Aula 20 19/06 – (terça-feira) – Aula 21 21/06 – (quinta-feira) – Aula 22 26/06 – (terça-feira) – Aula 23 28/06 – (quinta-feira) – Aula 24 03/07 – (terça-feira) – AVALIAÇÃO 3 05/07 – (quinta-feira) – Vista de Prova 10/07 – (terça-feira) – Não haverá aula 12/07 – (quinta-feira) – RECUPERAÇÃO

06/03/2018 Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva 2
06/03/2018
Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva
2

Disponibilização de todo o material didático

Todo o material didático será disponibilizado na internet.

Slides utilizados nas aulas

Listas de exercícios

Avaliação e frequência dos alunos

Cronograma de aulas

http://edisciplinas.usp.br
http://edisciplinas.usp.br

lucasarno@usp.br

lucas.sarno@gmail.com

06/03/2018 Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva 3
06/03/2018
Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva
3
Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva
Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva
Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva

Uma introdução às grandezas escalares e vetoriais

Grandezas físicas são classificadas em três categoriais:

Escalares (1 informação)

Vetoriais (3 informações)

Tensoriais (maior que 3 informações)

Qual a classificação dessas grandezas?

Temperatura Espaço Momento Massa Velocidade de inércia Escalar Vetorial Distância Aceleração Energia
Temperatura
Espaço
Momento
Massa
Velocidade
de inércia
Escalar
Vetorial
Distância
Aceleração
Energia
Força
Tensorial
06/03/2018
Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva
5

Representação

Grandezas Escalares:

Representação Grandezas Escalares: Grandezas Vetoriais: 06/03/2018 Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva 6

Grandezas Vetoriais:

Representação Grandezas Escalares: Grandezas Vetoriais: 06/03/2018 Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva 6
06/03/2018 Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva 6
06/03/2018
Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva
6

Representação de Vetores

Norma: é o atributo que caracteriza a intensidade da grandeza física.

Direção: é o atributo que existe em comum num feixe de retas paralelas.

Sentido: podemos percorrer uma direção em dois sentidos.

Sentido: podemos percorrer uma direção em dois sentidos. 06/03/2018 Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva
Sentido: podemos percorrer uma direção em dois sentidos. 06/03/2018 Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva
06/03/2018 Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva 7
06/03/2018
Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva
7

Reta orientada

Uma reta r é orientada quando se fixa nela um sentido de percurso, considerado positivo e indicado por uma seta.

r

O sentido oposto é negativo.

Uma reta orientada é denominada eixo.

06/03/2018

Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva 8
Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva
8

Segmento orientado

Um segmento orientado é um par ordenado de pontos, o primeiro chamado origem do segmento (A), o segundo chamado extremidade (B).

B

A

Segmento nulo
Segmentos opostos
Medida de um segmento
Direção e sentido

06/03/2018

Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva 9
Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva
9

Segmentos equipolentes

Dois segmentos orientados AB e CD são equipolentes quando têm a mesma direção, o mesmo sentido e o mesmo comprimento.

a mesma direção, o mesmo sentido e o mesmo comprimento.  A equipolência dos segmentos AB

A equipolência dos segmentos AB e CD é representada por:

AB ~ CD

06/03/2018 Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva 10
06/03/2018
Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva
10

Propriedades da Equipolência

A relação de equipolência é uma relação de equivalência, isto é, quaisquer que sejam os segmentos orientados AB, CD e EF:

I) AB ~ AB

II) Se AB ~

III) Se AB ~ CD e CD ~ EF

IV) Dado um segmento orientado AB e um ponto C, existe um único ponto D tal que AB ~ CD

(reflexiva)

(simétrica)

(transitiva)

CD

CD ~ AB

AB ~ EF

06/03/2018

CD (reflexiva) (simétrica) (transitiva) CD CD ~ AB   AB ~ EF 06/03/2018 11 Prof.
CD (reflexiva) (simétrica) (transitiva) CD CD ~ AB   AB ~ EF 06/03/2018 11 Prof.
CD (reflexiva) (simétrica) (transitiva) CD CD ~ AB   AB ~ EF 06/03/2018 11 Prof.

11

Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva

Pensando um pouco

Qual seria o equipolente a um segmento orientado nulo?

Mostre que

AB ~ CD

AC ~ BD.

Definição:

Dado o segmento orientado AB, a classe de equipolência de AB é o conjunto de todos os segmentos orientados equipolentes a AB. O segmento orientado AB é chamado representante da classe.

06/03/2018

a AB. O segmento orientado AB é chamado representante da classe . 06/03/2018 12 Prof. Dr.
a AB. O segmento orientado AB é chamado representante da classe . 06/03/2018 12 Prof. Dr.
a AB. O segmento orientado AB é chamado representante da classe . 06/03/2018 12 Prof. Dr.

12

Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva

Vetores

Vetores Uma classe de equipolência de segmento orientados é representada por um vetor .  v

Uma classe de equipolência de segmento orientados é representada por um vetor.

v

XY

/ XY

~

AB

Representação:

v

.  v   XY / XY ~ AB  Representação:  v AB B

AB B - A

Casos particulares:

Vetores iguais

Vetor nulo

Vetores opostos

Vetor unitário

• Versor 06/03/2018 Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva 13
• Versor
06/03/2018
Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva
13

Vetores colineares

Dois vetores direção.

u e v
u
e
v

são colineares se tiverem a mesma

Dois vetores direção. u e v são colineares se tiverem a mesma 06/03/2018 Prof. Dr. Lucas
06/03/2018 Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva 14
06/03/2018
Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva
14

Vetores coplanares

Vetores coplanares Se os vetores não nulos u , v e w pertencem a um mesmo

Se os vetores não nulos u, v e w pertencem a um mesmo plano .

06/03/2018 Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva 15
06/03/2018
Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva
15

Operações com vetores

Multiplicação por um escalar

Adição

Diferença

06/03/2018

 Multiplicação por um escalar  Adição  Diferença 06/03/2018 16 Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno
 Multiplicação por um escalar  Adição  Diferença 06/03/2018 16 Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno
 Multiplicação por um escalar  Adição  Diferença 06/03/2018 16 Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno

16

Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva

Operações com Vetores

Multiplicação por um escalar:

  Norma: R  x v Direção: é a mesma de v. Sentido: o
Norma:
R
x
v
Direção:
é a mesma de v.
Sentido:
o mesmo
x > 0
sentido oposto
x < 0
06/03/2018
Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva
17

Definição

Definição 06/03/2018 Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva 18
06/03/2018 Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva 18
06/03/2018
Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva
18

Propriedades da multiplicação por um número real

Propriedades da multiplicação por um número real Se u e v são vetores quaisquer e a

Se u e v são vetores quaisquer e a e b números reais, temos:

I) a b v

ab v

II)

a b v

III) a u

v

a v

b v

a u

a v

(associativa)

(distributiva em relação à adição de escalares)

(distributiva em relação à adição de vetores)

IV) 1 v   v  (identidade) 06/03/2018 Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da
IV) 1
v 
v 
(identidade)
06/03/2018
Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva
19

Exemplo:

06/03/2018 Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva 20
06/03/2018
Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva
20

Soma de vetores

Soma de vetores 06/03/2018 Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva 21
06/03/2018 Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva 21
06/03/2018
Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva
21

Propriedades da adição

u

u

u

I) Comutativa:

II) Associativa:

III)Existe um só vetor nulo 0 tal que para todo o vetor v se tem:

v

v

v

 

v w

w

u

     v w     w  u  

0 0

v

v

v

    0  0  v  v   v  IV)Qualquer
    0  0  v  v   v  IV)Qualquer

IV)Qualquer que seja o vetor v, existe um só vetor –v (vetor oposto de v ) tal que

, existe um só vetor – v (vetor oposto de v ) tal que  

v   v  v v

0

06/03/2018

Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva 22
Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva
22

Diferença de vetores

Diferença de vetores 06/03/2018 Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva 23
Diferença de vetores 06/03/2018 Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva 23
06/03/2018 Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva 23
06/03/2018
Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva
23

Extensão para muitos vetores

Extensão para muitos vetores 06/03/2018 Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva 24
06/03/2018 Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva 24
06/03/2018
Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva
24

Exercícios

06/03/2018 Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva 25
06/03/2018
Prof. Dr. Lucas Barboza Sarno da Silva
25