Você está na página 1de 2

ESTUDO DIRIGIDO – EPIDEMIOLOGIA

1) Os dados que a epidemiologia oferece são de extrema importância dentro das


políticas de saúde descentralizadas, uma vez que as estatísticas locais
permitem identificar populações e fatores de risco e combatê-los de maneira
mais efetiva.

2) O processo saúde e doença representa o conjunto de relações e variáveis que


produz e condiciona o estado de saúde e doença de uma população, que se
modifica nos diversos momentos históricos do desenvolvimento científico da
humanidade.
3) Promoção da saúde define-se de maneira bem mais ampla que prevenção,
pois refere-se a medidas que não se dirigem a uma determinada doença ou
desordem, mas servem para aumentar a saúde e o bem estar geral. Já a
prevenção corresponde a medidas gerais, educativas, que objetivam melhorar
a resistência e o bem-estar geral dos indivíduos para que resistam às
agressões dos agentes.
4) Através de práticas como uma boa higiene tanto pessoal quanto do ambiente
associada à prática de exercícios físicos, alimentação adequada juntamente
com um sono regular, o corpo sempre hidratado, a realização de exames
regularmente e estar com as vacinas em dia e cuidando principalmente de
fatores psicológicos e emocionais.

5) Ramo da medicina que estuda os diferentes fatores que intervêm na difusão e


propagação de doenças, sua frequência, seu modo de distribuição, sua
evolução e a colocação dos meios necessários a sua prevenção. A
Epidemiologia tem como objetivo final produzir conhecimento e tecnologia
capazes de promover a saúde individual através de medidas de alcance
coletivo.

6) Uma doença é considerada uma epidemia quando ocorre preferencialmente


em uma determinada região do planeta. Na saúde esses dados,
disponibilizados pela epidemiologia, são usados para tentar conter o avanço de
determinadas doenças que já são previstas que irão se tornar endêmicas.

7) Os determinantes são: fatores sociais, econômicos, culturais étnicos,


psicológicos e comportamentais que influenciam a ocorrência de problemas de
saúde e seus fatores de risco na população além disso também são exemplos
de determinantes: o sedentarismo, tabagismo, obesidade, alcoolismo, estresse,
baixa autoestima, uso incorreto de medicamentos entre outros.

8) É um estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual


mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos
limites normais para sua forma de vida e para sua fase do ciclo vital.

9) História natural da doença é o nome dado ao conjunto de processos interativos


compreendendo as inter-relações do agente, do suscetível e do meio ambiente
que afetam o processo global e seu desenvolvimento, desde as primeiras
forças que criam o estímulo patológico no meio ambiente, ou em qualquer
outro lugar, passando pela resposta do homem ao estímulo, até as alterações
que levam a um defeito, invalidez, recuperação ou morte.
10) Promoção da saúde define-se de maneira bem mais ampla que prevenção,
pois refere-se a medidas que não se dirigem a uma determinada doença ou
desordem, mas servem para aumentar a saúde e o bem estar geral.
11) Prevenção corresponde a medidas gerais, educativas, que objetivam melhorar
a resistência e o bem-estar geral dos indivíduos para que resistam às
agressões dos agentes.
12) Para prevenir a esquistossomose são necessárias as seguintes medidas:
tratamento de pessoas adoecidas, saneamento básico, combate aos
caramujos exóticos, informação à população de risco, evitar contato com água
represada e enxurradas.
13) A prevenção da obesidade se dá através do estímulo, desde cedo, para que a
criança aprenda a ter uma dieta balanceada e sem excessos. A prática de
exercícios também deve ser incentivada.
14) Os cuidados necessários para prevenir doenças no sistema cardiovascular
são: praticar atividade física orientada, monitorar o colesterol, checar a pressão
arterial, evitar stress, alimentação saudável e etc.
15) Os estudos transversais, de corte, seccionais ou de prevalência se
caracterizam por inicialmente nada se saber sobre exposição ou desfecho
(doença). Definida uma população, em um dado momento e de forma
censitária ou por amostragem, retira-se informação de cada indivíduo sobre
existência ou não de exposição e de agravo à saúde. É assim possível a
quantificação da exposição e da doença na população, de uma forma geral ou
segundo alguma característica (exposição).
16) É o mal ou prejuízo à saúde de um ou mais indivíduos, de uma coletividade ou
população.
17) A incidência de uma doença, em um determinado local e período, é o número
de casos novos da doença que iniciaram no mesmo local e período. Traz a
idéia de intensidade com que acontece uma doença numa população, mede a
frequência ou probabilidade de ocorrência de casos novos de doença na
população. Alta incidência significa alto risco coletivo de adoecer. A prevalência
indica qualidade do que prevalece, prevalência implica em acontecer e
permanecer existindo num momento considerado. Portanto, a prevalência é o
número total de casos de uma doença, existentes num determinado local e
período.
18) O objetivo principal da vigilância epidemiológica é fornecer orientação técnica
permanente para os profissionais de saúde, que têm a responsabilidade de
decidir sobre a execução de ações de controle de doenças e agravos, tornando
disponíveis, para esse fim, informações atualizadas sobre a ocorrência dessas
doenças e agravos, bem como dos fatores que a condicionam, numa área
geográfica ou população definida. E ainda, constitui-se importante instrumento
para o planejamento, a organização e a operacionalização dos serviços de
saúde, como também para a normatização de atividades técnicas afins.
19) Erradicar significa eliminar, provocar o desaparecimento, fazer com que acabe
completamente, destruir na totalidade.