Você está na página 1de 5

CENTRO UNIVERSITÁRIO SÃO JOSÉ DE ITAPERUNA

CURSO TÉCNICO EM ANÁLISES CLÍNICAS – MÓDULO I


CURSO TÉCNICO EM RADIOLOGIA – MÓDULO I
DISCIPLINA: BIOQUÍMICA
PROF. Me. SILVIA LANE FREITAS FOLY

AULA 3 – PROTEÍNAS

As proteínas são os principais constituintes celulares, com grande importância na manutenção da vida, por
desempenharem diversas funções. Conheça algumas:

 A contração dos nossos músculos, que proporciona nossos movimentos – actina e a miosina.
 O processo de transporte e utilização de oxigênio e gás carbônico realizado pelo nosso organismo
tem participação das proteínas hemoglobina e mioglobina.
 A defesa do nosso organismo contra invasores é garantida pelos anticorpos, que também são
proteínas.

Níveis organizacionais das proteínas

As proteínas podem ser descritas considerando diferentes níveis de organização. Elas possuem estruturas
primária, secundária, terciária e quaternária.

ESTRUTURA PRIMÁRIA

A estrutura primária de uma proteína é, simplesmente, sua sequência de aminoácidos. Em outras palavras,
é a ordem na qual aparecem os aminoácidos em uma dada proteína.
Essa estrutura apresenta apenas uma dimensão, já que ela só diz respeito à ordem em que estão dispostos
os aminoácidos.
A estrutura primária de uma proteína pode também ser chamada de sequência primária. Para entender o
que é esta sequência primária, é necessário saber o que é e como se forma uma ligação peptídica.
O QUE É E COMO SE FORMA UMA LIGAÇÃO PEPTÍDICA?

Para que se forme uma seqüência linear de aminoácidos (a estrutura primária de uma proteína), é
necessário que um aminoácido se ligue quimicamente a outro.
Quando esta reação (aminoácido + aminoácido) acontece, dizemos que se formou uma ligação peptídica.

A sequência primária de uma proteína, portanto, é a união de vários aminoácidos por ligações peptídicas.
No entanto, estas não são os únicos tipos de interação envolvidos na formação da estrutura primária de
uma proteína...

AS PONTES DE ENXOFRE (OU PONTES DISSULFETO

Além das ligações peptídicas que formam a seqüência primária (cadeia) de uma proteína, outras interações
podem ocorrer também entre os aminoácidos dessa cadeia.

Conforme você viu na aula passada, a CISTEÍNA é um aminoácido que possui um átomo de enxofre na
extremidade de seu grupamento R.

A presença deste enxofre na cisteína serve como uma espécie de “tomada”, já que dois enxofres, quando
se aproximam, podem formar uma ponte de enxofre ou ponte dissulfeto.

Duas cisteínas unidas por uma ponte de enxofre formam o que chamamos de cistina.
Esta sequência primária pode ser comparada a um colar de contas esticado: cada conta seria um
aminoácido e o colar, a proteína.

ESTRUTURA SECUNDÁRIA

A estrutura secundária de uma proteína diz respeito ao arranjo local dos aminoácidos no espaço, isto é, a
como uma determinada sequência se organiza no espaço.

O filamento de aminoácidos se enrola ao redor de um eixo, formando uma escada helicoidal chamada alfa-
hélice ou a estrutura de folha pregueada. É uma estrutura estável, cujas voltas são mantidas por pontes
de hidrogênio.
ESTRUTURA TERCIÁRIA

As cadeias de aminoácidos (polipetídeos) dobram sobre si mesmos, adquirindo uma configuração espacial
tridimensional.Essa configuração pode ser filamentar como no colágeno, ou globular, como nas enzimas.

ESTRUTURA QUATERNÁRIA

Associação de dois ou mais polipeptídeos (cadeias de aminoácidos).


Estrutura X Função

Há uma troca na cadeia de aminoácidos da hemoglobina (substituição de um ácido glutâmico por uma
valina).

Desnaturação das Proteínas

Elevação de temperatura, variações de pH ou a certos solutos como o álcool e a uréia, alteram a


configuração espacial, e a atividade biológica é perdida.
Geralmente, as proteínas se tornam insolúveis quando se desnaturam. É o que ocorre com a albumina da
clara do ovo que, ao ser cozida, se torna sólida.
Algumas proteínas desnaturadas, ao serem devolvidas ao seu meio original, podem recobrar sua
configuração espacial natural. Na maioria dos casos a desnaturação é irreversível.
A clara do ovo se solidifica, ao ser cozida, mas não se liquefaz quando esfria.