Você está na página 1de 4

Panorama Atual da Justiça Penal

Relação entre Sociedade e Direito

"a vida em sociedade não prescinde de normas jurídicas" (BATISTA, Nilo. 2017, p. 17)
Mirabete - "a vida em sociedade exige um complexo de normas disciplinadoras que
estabeleça as regras indispensáveis ao convívio entre os indivíduos que a compõem".
Damásio - "o direito surge das necessidades fundamentais das sociedades humanas".
Mayrink da Costa - "a vida em sociedade implica relações sociais e todo grupamento
humano abre espaço para o modus vivendi através de um conjunto de regras diretivas".
Losano - "das sociedades pré-letradas até às pós-industriais, os homens movem-se de
dentro do sistema de regras".
Tobias Barreto - "não existe um direito natural, mas há uma lei natural do direito". Não
existem linguagem, indústria ou arte naturais, embora exista aquilo que chama de lei
natural da linguagem, da indústria e da arte: o homem não fala "língua alguma, não exerce
indústria nem cultiva arte de qualquer espécie que a natureza lhe houvesse ensinado; tudo
é produto dele mesmo, do seu trabalho, da sua atividade".
 
Universalismo-histórico (Miaille) - "as ideias constituíssem a matriz da realidade, a
história do direito seria autônoma e destacada com respeito ao contexto histórico em que
tal direito fora produzido, passando a compor um conjunto de noções universalmente
válidas".
 
"O direito penal vem ao mundo (ou seja, é legislado) para cumprir funções concretas dentro
de e para uma sociedade que concretamente se organizou de determinada maneira. (BATISTA,
Nilo, 2017. p. 19)
 
Característica FINALÍSTICA do Direito Penal - "O direito penal existe para cumprir
finalidades, para que algo se realize, não para simples celebração de valores eternos ou para
a glorificação de paradigmas morais". (BATISTA, Nilo. 2017, p. 29-20)
"Afirmamos, portanto, que o direito penal é disposto pelo Estado para a concreta
realização de fins; toca-lhe , portanto, uma missão política, que os autores costumam
identificar, de modo amplo, na garantia das 'condições de vida da sociedade', como
Mestrieri, ou na 'finalidade de combater o crime', como Damásio, ou na 'preservação dos
interesses do indivíduo ou do copo social', como Heleno Fragoso." (BATISTA, 2017. p.
20-21)
 
"A função do direito de estruturar e garantir determinada ordem econômica e social, à
qual estamos nos referindo, é habitualmente chamada de função 'conservadora' ou de
'controle social'.
O controle social (Lola Aniyar de Castro) - "não passa de predisposição de táticas,
estratégias e forças para a construção da hegemonia, ou seja, a busca pela legitimação ou
para assegurar o consenso; em sua falta, para a submissão forçada daqueles que não se
integram à ideologia dominante".

Direito Penal e Sistema Penal


 
Distinção entre Direito Penal e Sistema Penal.
"direito penal é o conjunto de normas jurídicas que preveem os crimes e lhes cominam
sanções, bem como disciplinam a incidência e validade de tais normas, a estrutura geral
do crime e aplicação e execução das sanções cominadas". (BATISTA, 2017. p. 24)
 
Sistema penal - grupo de instituições que, segundo as regras jurídicas pertinentes, se
incumbe de realizar o direito penal. Instituição Policial; Instituição Judiciária; e Instituição
Penitenciária.
Zaffaroni - controle social institucionalizado;
Cirino dos Santos - constituído pelos aparelhos judicial, policial e prisional, e
operacionalizado nos limites das matrizes legais, [...] sistema garantidor de uma ordem
social justa".
 
Sistema penal como:
Igualitário: porém é seletivo;
Justo: porém é repressivo, não cumprindo seu caráter preventivo;
Protetor da Dignidade Humana: porém é estigmatizante.

Criminologia
 
Definição de Lola Aniyar de Castro - "é a atividade intelectual que estuda os processos de
criação das normas penais e da normas sociais que estão relacionadas com o
comportamento desviante; os processos de infração e de desvio destas normas; e a reação
social, formalizada ou não, que aquelas infrações ou desvios tenha provado: o seu
processo de criação, a sua forma e o conteúdo e os seus efeitos."
1. a sociologia do direito penal e do comportamento desviante;
2. a etiologia do comportamento delitivo e do comportamento desviante;
3. a reação social, compreendendo a psicologia social correspondente, as penas e
outras medidas, bem como a análise das instituições que as executam.
 
Definição de Heleno Fragoso - "a ciência que estuda o crime como fato social, o
delinquente e a delinquência, bem como, em geral o surgimento das normas de
comportamento social e a conduta que as viola ou delas desvia e o processo de ração
social."
 
Definição de Edwin Sutherland - "a criminologia seria o corpo de conhecimentos que
observa o delito como fenômeno social." (BATISTA, Vera, 2018. p. 16)
 
"Para Baratta, a tarefa fundamental da criminologia é realizar a teoria crítica da realidade
social do direito, na perspectiva de um modelo integrado da ciência penal." (BATISTA,
Vera, 2018. p. 16)
 
Criminologia Positiva - analisa a sociologia do direito penal e do comportamento
desviante; e a etiologia do comportamento delitivo e do comportamento desviante.
"Trata o episódio criminal como episódio individual e respalda a ordem legal como ordem
natural
1. Não questiona a construção política do direito penal;
2. Não questiona a aparição social de comportamentos desviantes;
3. Não questiona a reação social.

Política Criminal
 
Definição - são um conjunto de princípios e recomendações que buscam transformar a
legislação criminal e os órgãos encarregados pela sua aplicação, sendo resultantes das
propostas nova ou antigas do direito penal, das revelações empíricas propiciadas pelo
desempenho das instituições que integram o sistema penal, dos avanços e descobertas da
criminologia. (BATISTA, Nilo, 2017. p. 33)
• Política de Segurança Pública;
• Política Judiciária;
• Política Penitenciária.
 
Criminologia interpreta a realidade.
Política Criminal busca transformar a realidade.
 
Definições
Zipf - "obtenção e realização de critérios no âmbito da justiça criminal."
Zaffaroni - "todo saber criminológico está previamente delimitado por uma
intencionalidade política."
Aníbal Bruno - "é um conjunto de princípios de orientação do Estado na luta contra a
criminalidade, através de medidas aplicáveis aos criminosos."
Baliseu Garcia - "a política criminal examina o direito em vigor, apreciando a sua
idoneidade na proteção social, contra os criminosos e, em resultado dessa crítica, sugere as
reformas necessárias. Verificando se a legislação vigente alcança sua finalidade, trata de
aperfeiçoar a defesa jurídico-penal contra a delinquência."
Marc Ancel - "todo mundo parece concordar com que a política criminal tem de início por
objeto, indiscutivelmente, a repressão do crime, pelos meios e procedimentos do direito
penal (ou mais amplamente, do sistema penal) em vigor".
 
O reconhecimento do fracasso das penas privativas de liberdade trouxe o pensamento
onde as políticas criminais passaram a postular a permanente redução do sistema penal,
trazendo a ideia de descriminalização e desjudicialização, apresentando novas
possibilidades que não tenham a sanção penal como objeto central.