Você está na página 1de 3

FICHA DE ANÁLISE DE FONTE

Nome do estudante: Blandu Correia Martins da Silva.

Autor: Hans Staden.

Data: 1557.

Tipo: Registro descritivo.

Contexto histórico:

As viagens de Hans Staden aconteceram entre 1548 e 1549, em uma época em que a
colonização portuguesa do Brasil ainda se encontrava em estágios inciais. A exploração do pau-
brasil era basicamente a grande atividade econômica do período. Nessa época, o modelo de
Governo-Geral estava sendo implantado aqui com Tomé de Sousa, sendo o primeiro
governador-geral do país. A América Portuguesa era dividida nas capitanias hereditárias,
modelo de divisão do território estabelecido em 1534.

Conteúdo e questões específicas:

Na segunda parte do livro: "Duas Viagens do Brasil", contendo trinta e oito capítulos, Staden
narra os modos e costumes dos índios tupinambás e descreve “alguns animais daquela terra”,
comparando-os a animais conhecidos na Europa. Staden descreve a beleza da terra, a
exuberância da natureza e a presença de animais e plantas exóticas. Encontramos entre seus
comentários os mais variados animais, desde insetos, como as abelhas, até os bichos-de-pé
enfrentados pelos índios. Também se encontram descrições e detalhes sobre animais como
veados, macacos, tatus, lagartos e saruês. Os títulos descritivos de cada capítulo e as
xilogravuras correspondentes fornecem ao leitor uma ideia geral dos acontecimentos que
compõem a trama.

Argumento:
O interesse primário do livro, evidentemente, reside em explorar o canibalismo dos nativos,
que Staden atribui principalmente ao ódio e ao desejo de vingança. Pode-se perceber isso no
título original da obra (especialmente nos trechos em que Standen exalta, de forma pejorativa,
a natureza dos povos indígenas ao descrevê-los como: "(...) Selvagens, Nus e Cruéis Comedores
de Seres Humanos"): "História Verdadeira e Descrição de uma Terra de Selvagens, Nus e Cruéis
Comedores de Seres Humanos, Situada no Novo Mundo da América, Desconhecida antes e
depois de Jesus Cristo nas Terras de Hessen até os Dois Últimos Anos, Visto que Hans Staden,
de Homberg, em Hessen, a Conheceu por Experiência Própria e agora a Traz a Público com
essa Impressão". Quando estão guerreando uns contra os outros, Staden informa que seus
ataques são acompanhados de gritos ameaçadores: “Sobre você abata-se toda desgraça, você
será minha comida, estou aqui para vingar em você a morte do meu amigo, tua carne será,
ainda hoje, antes que o sol se ponha, o meu assado” (p. 137). Nota-se, durante a leitura do
relato, que Staden procura manter o que julgava ser sua superioridade de europeu colonizador
durante todo o tempo em que convive com os Tupinambás. O relato do autor reproduz seus
valores extremamente religiosos (sua narrativa é inciada e concluída com agradecimentos à
Providência Divina, que Staden julga estar sempre interferindo a seu favor), e a sua visão sobre
uma cultura diferente (no caso, a indígena), que é marcada pelo estranhamento e pelo
etnocentrismo.

Referências:
- Periódicos (Qualis A e JSTOR) (de uma a três referências):

CORRÊA, Dora Shellard. Historiadores e cronistas e a paisagem da colônia Brasil. Revista


Brasileira de História, v. 26, p. 63-87, 2006.

CARNEIRO DA CUNHA, Manuela. Imagens de Índios No Brasil: O Século XVI. Estudos


Avançados, São Paulo, v. 4, n.10, p. 91-110, 1990.

- Teses de PPGs brasileiros (Conceitos 6 e 7 na Capes) (mínimo de uma referência):

CAMILO, Irene. A visão do 'outro' em viagens em dois tempos: às terras do Brasil (Hans
Staden, século XVI) e a Superagui (o turista, século XXI). 2013. Dissertação (Mestrado em
Teoria Literária) - Centro Universitário Campos de Andrade. Disponível em:
<https://www.uniandrade.br/docs/mestrado/pdf/Dissertacao_Irene.pdf>.
- Bibliotecas (sugestão: http://oskicat.berkeley.edu/) (de três a cinco referências):

SCHLICKERS, Sabine. La conquista imaginaria de América : crónicas, literatura y cine. New


York: Peter Lang, 2015.

DUFFY, Eve M. The return of Hans Staden : a go-between in the Atlantic world. Baltimore:
Johns Hopkins University Press, 2012.

LEHMANN-NITSCHE, Robert. Hans Staden, arcabucero alemán de la expedición Sanabria al


Río de la Plata. Buenos Aires, Impr. de la Universidad, 1927.