Você está na página 1de 1

Tabuleiro de Letras

Apresentação

A Revista Tabuleiro de Letras apresenta mais Neste sentido, foram propostos alguns
um novo número. A novidade, nesse questionamentos norteadores: a) se há
número, é que além dos artigos recebidos negação e silenciamento, por parte da crítica
através da chamada para a seção livre, e da historiografia literária, dessas
composta por textos que versam sobre os produções, em que medida a sua revisão e
interesses das áreas dos estudos linguísticos o seu resgate podem contribuir para elucidar
e literários, a Tabuleiro apresenta um obras e autores às margens do cânone?; b)
dossiê, organizado por esse Editor, Ricardo em que aspectos os estudos do passado
O. de Freitas, da Universidade do Estado da nem tão distante interessam e como se
Bahia – UNEB; Ana Paula Teixeira Porto e suplementam (Derrida) ou em estados-devir
Flávio Camargo, da Universidade Regional (Deleuze) ou ao se inscreverem na
Integrada do Alto Uruguai e das Missões – homografesis(Edelman), apontando espaços
URI; e Flávio Camargo, da Universidade ocupados por fluências de identidades e
Federal de Uberlândia – UFU, coordenador promovendo uma "reinscrição transgressiva"
do GT Homocultura e Linguagens, da (Dollimore)?; c) em que lugar a censura
Associação Nacional de Pós graduação e intervém e como está a arrombar o sistema
Pesquisa em Letras e Linguística – ANPOLL. cada vez mais complexo em lidar com as
diferenças?; d) como a crítica literária lida
A proposta do dossiê Diversidade sexual e com essa produção que resiste aos tempos
de gênero: corte na censura consiste em de cólera nos dias atuais?
reunir trabalhos que tenham como objeto de
investigação produções literárias e notações O número conta, ainda, com duas resenhas
culturais de configuração homoerótica e uma entrevista realizada por Paulo Garcia,
capazes de convergir com ou divergir da Universidade do Estado da Bahia, com o
daquelas produzidas anteriormente, escritor brasiliense, radicado na Bahia, Lima
sobretudo, durante o período da ditadura Trindade.
hétero-militar brasileira.
Boa leitura!
No sentido extremo do termo, divergir aqui
significa sair do âmbito de falar de gueis
brancos, burgueses e em armários, dentre
outros lugares de discursos, para expressar
a diversidade sexual e de gênero, articulada
com questões de classe social e relações Ricardo O. de Freitas
étnico-raciais, contemplando, por exemplo,
pessoas gueis negras, efeminadas, pobres,
Flávio Camargo
trans e queers. Ana Paula T. Porto

Revista Tabuleiro de Letras (PPGEL, Salvador, online), vol.: 13; n. 01, junho de 2019. ISSN: 2176-5782.