Você está na página 1de 4

c  


     
 
Por Patricia kenney

Ah! Tudo bem, você pode pensar. Eu sei que sou algo mais do que minha existência na Terra.
Sabe mesmo? Sabe o que isso significa?

Em algum momento, nos primórdios do tempo, o ser humano percebeu estar separado do
mundo a sua volta, experiências pessoais lhe diziam estar ele a parte de seu bando, mesmo
que convivendo junto. Sua inteligência começava a identificar um EU, um corpo presente, e
para si, ele se deu um nome. Passou então a compreender ser ele um ser vivo, inteligente e
que interage com o que existe além de si mesmo. Depois, identificou suas diferentes emoções
e percebeu ser mais que um corpo, e a si atribuiu uma personalidade. Havia um EU emocional
que ser manifestava, e acho que a idade média representa bem essa época dos delírios das
paixões. Daí surge a ciência e o homem passa a ser um ser pensante, filosófico. Nas últimas
décadas, o processo se acelerou, entramos na era da informação e nos identificamos com
nossa mente. Há pessoas vivenciando cada uma dessas etapas até hoje. Há gente que acredita
ser apenas um eu físico, uma grande maioria se encontra adsorvida na valorização do eu
emocional, egóico, e outra significativa parcela se sente orgulhosa de se identificar com um Eu
mental, racional. Mas, estamos caminhando para a identificação de um novo EU, nos
surpreendendo que, mais uma vez, não somos nada disso que pensamos ser.

A verdade é que estou cansada de fazer um enorme esforço mental para entender a
humanidade, alcançar a espiritualidade, disciplinar minha mente e me sinto frustrada por
reconhecer meus parcos avanços, já que minha mente, apesar de ser um fantástico
processador de dados, está sujeita as volatilidades dos estados emocionais e físicos. Que
consistência podemos alcançar se coisas como o nosso ego, emoções e hormônios podem
determinar se haverá clareza de pensamentos, ou se uma sombria névoa irá pairar sobre a
gente a cada dia, ou até se alterar de um instante para o outro, quando algo de novo
acontece? Como alicerçar o VERDADEIRO EU numa mente que pode ter nascido deficiente, ou
sofrido um derrame, ou esquecido sua identidade, por causa do R ? Então, se não
somos nossas mentes, o que sobra de nós? Eu sei que você tem a resposta na ponta da língua:
somos espíritos, almas, mas até a esse estado de ser atribuímos uma personalidade, história,
crenças, parentesco...

Outro dia li uma frase de Joel Goldsmith que me trouxe alguma luz: há diferentes ESTADOS da
consciência, a física, mental e espiritual. A idéia de diferentes estados da consciência me saltou
aos olhos. Sim, o ser espiritual se manifesta na matéria, mas também nas emoções e por fim se
manifesta na forma de pensamento. Daí me ocorreu a seguinte frase: Os pensamentos de
Deus, não são os pensamentos do homem.  
      
              
Deus, com certeza, não pensa de forma linear como a gente. O conhecimento é um pacote
completo, não envolve raciocínio. Quando recebemos uma intuição, uma luz, ela vem
completa, a lampadinha se ilumina de repente e só então passamos a racionalizar esse saber.
Então, o processo mental como o conhecemos é humano, não divino. Portanto, se somos
imagem e semelhança de Deus, não podemos ser nossas mentes.

Em Genesis, Deus cria a partir da palavra/vontade, havia luz antes de haver o sol; o paraíso,
antes da semente. A criação de Deus É. No Éden, Adão e Eva eram supridos de todas as
dádivas e andavam nus. Quando eles adquiriram o conhecimento do bem e do mal, se
envergonharam de sua nudez e se cobriram. Adquirir o conhecimento do bem e do mal, dos
opostos, do separado de Deus é a descoberta que o homem faz quando descobre sua
identidade individual. Desse episódio, a pergunta mais importante é: (  
   Essa é a pergunta que Deus faz ao homem de ontem e de hoje. E a única resposta
a isso é: Ela nos diz quem somos, onde estamos, nos descreve o mundo e
determina como devemos viver nele.

Nossa mente é formada por tudo o que nossos sentidos nos forneceme nos forneceram ao
longo de nossas vidas, a partir de suas percepções. Tudo o que você ouviu, viu, sentiu,
aprendeu, captou lhe diz o que você é hoje, o que é o mundo a sua volta, e como esperar que
as coisas sejam e aconteçam. Suas expectativas estão baseadas nas informações da sua
mente. Deus não lhe falou nada sobre o mal que lhe assombra, sobre seus problemas, sobre
suas angústias, seus medos ʹ é sua mente que lhe está dizendo sobre a verdade do seu
mundo. Mas essa não é a VERDADE de Deus. Isso porque só há Deus, tudo se reduz a uma
única substância que chamamos de Deus e portanto não há nada separado de Deus, não há
opostos, não há o bem e o mal, só há o ser único, a consciência... Lá há paz, amor,
conhecimento pleno, por isso estável, eterno, seguro.

X           !           


  "       R       #
     
  $%&      
 
     '    
   $      

 (      
  ) (O Trovejar do Silêncio ʹ Joel Goldsmith)

Você consegue compreender porque o mundo que você vê só pode ser uma construção da sua
mente? É, de fato, uma manifestação coletiva, mas sua mente compôs e selecionou seu
próprio repertório. E este mundo é bem tangível para a mente. Construiu sua base de dados a
partir de suas percepções, mas também identifica o que existe fora a partir do seu contexto
interno. Apesar de parecer bem consistente, pense um pouco... Cada um vê o mundo à sua
maneira. Há extremos, loucos, que vêem um mundo completamente diferente da maioria. Há
gente que só vê ódio, atrai o ódio, e assim confirma sua própria teoria de mundo. Por isso,
considere que sua mente nada mais é do que um NOTEBOOK poderoso que recolheu e registra
todas as informações e imagens pertinentes à sua pessoa. Agora, posicione o seu ͞ * +)
a uma distância imaginária e olhe para ele. Por mais que ele se esforce, vai rodar e processar
infinitamente suas informações, sem nunca chegar ao criador, ao ser que faz uso dele. ISSO é
tudo o que a sua mente é, e NÃO É VOCE!
Suas emoções reagem aos seus pensamentos e a saúde do seu corpo também é afetada por
sua mente, mas,  , o inverso também ocorre. Seus pensamentos são afetados por suas
emoções, e por sua saúde física. Assim, corpo, emoção e mente são três elos de igual peso e
importância. Todos estão no mesmo nível e são apenas ferramentas do ser que você
realmente é.

Sua mente merece respeito. É de fato uma poderosa ferramenta e mal sabemos do que ela é
capaz. Ela se molda instantaneamente a qualquer grau de percepção. Mentes sob o efeitode
drogas, meditação, estados alterados de consciência, podem ter sua percepção aumentada
substancialmente. Mas, por mais poderosa que ela seja, não passa de uma ferramenta. Corpos
físicos são, também, capazes de proezas inimagináveis e podem responder a impulsos
instantaneamente (sabemos disso). Suas emoções podem ficar fora do controle levá-lo a
loucura, e podem ser a força motriz que faz tudo surgir do estado não manifesto ao manifesto.
Tudo em você é infinitamente maior e mais poderoso do que você imagina, e cá está você
cerceando o ilimitado. Tudo pode responder imediatamente ao ser maior que você é, sem
necessidade de nenhum ,. Lembre-se, não bastasse tudo o que estou dizendo, ainda
temos que reverenciar o fato de que tudo, absolutamente tudo se reduz a ͞energia͟ (na falta
de melhor palavra), que se molda segundo a vontade da consciência.

Descobrir que não somos nossas mentes é tirar um enorme peso de nossas costas. Já
aprendemos com grande aceitação que não somos nossos corpos, e aprendemos a nos
perdoar por não sermos tampouco nossas emoções. Agora, entender que não somos nossas
mentes nos liberta ainda mais. Não só porque não somos o conjunto de nossos pensamentos,
crenças e percepções, mas por descobrir que quem está a nos atormentar não passa de um
poderoso X * +) lhe descrevendo o mundo segundo sua percepção limitada. Daqui para
frente, lembre-se sempre da pergunta fundamental: Quem te disse que estavas nu? Quem te
disse que você é doente? Quem te disse que existem limitações? Quem te disse que estás só?
Quem te disse que Deus castiga? Isso mesmo, é duro reconhecer, mas até mesmo o que você
sabe sobre Deus pode ser fruto do seu processamento mental. Que tal se livrar de todo esse
peso e deixar que seu verdadeiro ser lhe diga quem é, e lhe revele Deus em sua verdadeira
essência?

Por isso mesmo não adianta você ficar tentando fazer sua mente alcançar a iluminação. Ela
não pode fazer isso. Ela só pode chegar a esse grau de percepção que você tem agora. Muitos
buscam alcançar a iluminação através do sacrifício físico, da adoração, da purificação, da
doação, do estudo filosófico. São meios de busca e cada um encontra o seu.

Minha escolha foi o processo mental, filosófico, e através desse processo, alcancei incríveis
estados alterados de consciência, que me levaram, inclusive, a experiências de cura espiritual,
e percepções da presença do Divino, do Amor universal. Mas foram apenas instantes,
momentos mágicos  


 

haver muito mais do que o que
presenciamos na nossa vida humana material, e devo reconhecer que foram momentos em
que 
 . Muita coisa mudou para melhor, mas mesmo assim, como disse no
início, o processo mental como qualquer outro leva a uma profunda exaustão. Não serve de
ponte para lugar algum, como forma de transformação ou algo assim. Não há o que melhorar
na sua mente. Ela já é uma ferramenta perfeita,


você. Não é o seu ser e não pode
verdadeiramente dizer quem você é. Usá-la para entender o processo é uma coisa, ser o
processo é outra bem diferente.

Então, se não sou meu corpo, minhas emoções e nem mesmo minha mente, quem sou eu?Um
ser espiritual? Sem dúvida, mas um ser que não está identificado com suas crenças, sua
identidade, sua história, nem nada disso que você hoje entende por EU.

E essa é a nova e grande aventura humana. Se não nos identificamos com mais nada, um novo
estado de consciência vai emergir. Vai se apropriar de seus acessórios (emoções, mente e
físico) e vai construir um mundo novo, para nós e para os outros. Um mundo baseado no SER,
na VERDADE, no princípio único. Como será esse mundo? Não sei. Dele só conhecemos suas
promessas: amor, abundância, eternidade. É possível viver esse mundo agora? Claro, já era
possível há dois mil anos atrás... Jesus já nos mostrava, através de seus milagres, que era
possível manifestar o mundo de Deus, no mundo dos homens, não é mesmo?

Como será esse ser que deve emergir? Não sei dizer, apenas posso afirmar que, quanto mais
próximo de Deus ele estiver, menos características individuais, distintas, ele terá.

Poxa! Será que caminho para SER um NADA? Você pode me perguntar.

Mas, como podemos ser nada se tenho consciência de EU SOU?

Esse é o começo, deixe-se revelar...