Você está na página 1de 1

Introdução

35

No capítulo 2 é feita uma análise dos diversos materiais de construção aos quais está associado algum nível de toxicidade. Quer em termos da sua produção e/ou contaminação do ar no interior das habitações, em caso de incêndio ou pela poluição do abastecimento de água. O capítulo em causa contém também algumas considerações sobre a importância dos ensaios de lexiviação para a caracterização do potencial de perigosidade dos materiais de construção com resíduos.

O capítulo 3 abrange a importância da redução do consumo de energia para

a construção sustentável. Neste capítulo reforça-se a importância da parcela de energia incorporada nos materiais de construção no contexto da eficiência energética. Analisa-se o conceito de emergia. Descrevem-se os isolamentos térmicos correntes e comparam-se com o desempenho térmico dos isolamentos à base de resíduos e com isolamentos térmicos de elevado desempenho. Caracterizam-se os materiais de mudança de fase e o seu papel de reguladores da temperatura ambiente no interior das habitações.

No capítulo 4 é feita uma análise da legislação que enquadra a temática dos resíduos de construção e demolição-RCD, onde merece destaque o Plano de Prevenção e Gestão-PPG, analisa-se a sua quantificação, as fases de demolição, desconstrução, triagem e reciclagem, na qual se aborda a questão da reciclagem dos resíduos de gesso e de amianto e ainda dos resíduso de betão com processos térmicos.

O capítulo 5 apresenta o contributo do betão para a construção sustentável,

pela possibilidade de incorporação de resíduos de outras indústrias. Compreende os casos dos resíduos pozolânicos ou hidráulicos, os agregados reciclados e outros resíduos (madeira, cortiça, borracha reciclada de pneus e poli teraftalato de etileno borracha-PET). O capítulo descreve as

características dos betões com capacidade sensora, os gessos sintéticos (fosfogesso, gesso FDG e outros) e ainda dos ligantes obtidos por activação alcalina.

No capítulo 6 tecem-se considerações prospectivas sobre a construção em alvenaria. Compara-se o desempenho dos tijolos cerâmicos e dos blocos de betão, sendo descritas diversas investigações sobre a incorporação de resíduos. É ainda analisada a questão da optimização do formato das unidades para alvenaria.

No capítulo 7 descrevem-se as características dos compósitos cimentícios contendo fibras vegetais curtas e varões de bambu e o seu potencial para substituir as fibras sintéticas e as armaduras de aço.

O capítulo 8 contém considerações sobre a construção em terra, descrevem-

se as técnicas construtivas, a selecção e estabilização de solos e os ensaios