Você está na página 1de 13

ESTRUTURAS DE BETÃO ARMADO II fct - UNL

Estruturas de Betão Armado II


19 – Pré-Esforço – Pormenorização

A. Ramos Dez. 2006 1


ESTRUTURAS DE BETÃO ARMADO II fct - UNL
19 – Pré-Esforço – Pormenorização
Recobrimento e Afastamento entre Bainhas
Os valores recomendados para o recobrimento mínimo (cmin,b) para bainhas de pré-
esforço por pós-tensão são:
bainhas circulares: diâmetro
bainhas rectangulares: maior do que a menor dimensão mas não inferior a
metade da maior dimensão

Os valores recomendados para o recobrimento mínimo em armaduras


pré-tensionadas são os seguintes:
1,5 x diâmetro do cordão ou do fio liso
2,5 x diâmetro do fio indentado.
Armaduras pré-tensionadas Bainhas de Pré-Esforço
Ø é o diâmetro Normalmente as bainhas
da armadura para elementos pós-
pré-tensionada tensionados não devem
φ ou da bainha, ser agrupadas, excepto
≥ dg respectivamente no caso de um par de
≥ 2φ bainhas colocadas
dg é a dimensão verticalmente uma por
≥ dg + 5 máxima do
≥ 2φ cima da outra.
agregado.
A. Ramos Dez. 2006 ≥ 20 2
ESTRUTURAS DE BETÃO ARMADO II fct - UNL
19 – Pré-Esforço – Pormenorização

Nas zonas de ancoragem é necessário, em geral, proceder ao alargamento das


almas de forma a conter as ancoragens.

A. Ramos Dez. 2006 3


ESTRUTURAS DE BETÃO ARMADO II fct - UNL
19 – Pré-Esforço – Pormenorização

A. Ramos Dez. 2006 4


ESTRUTURAS DE BETÃO ARMADO II fct - UNL
19 – Pré-Esforço – Pormenorização

A. Ramos Dez. 2006 5


ESTRUTURAS DE BETÃO ARMADO II fct - UNL
19 – Pré-Esforço – Pormenorização

A. Ramos Dez. 2006 6


ESTRUTURAS DE BETÃO ARMADO II fct - UNL
19 – Pré-Esforço – Pormenorização
Dimensões mínimas para a ancoragem do tipo C da Freyssinet

A. Ramos Dez. 2006 7


ESTRUTURAS DE BETÃO ARMADO II fct - UNL
19 – Pré-Esforço – Pormenorização
Forças de Desvio
Sempre que um cabo de pré-esforço muda de direcção, são introduzidas forças
radiais no betão quando este é tensionado. Nos casos em que estes cabos se
localizem junto à face das peças, e a sua curvatura origine forças de desvio
dirigidas para o exterior, é necessário dimensionar armaduras que sejam capazes
de absorver estas forças.

A. Ramos Dez. 2006 8


ESTRUTURAS DE BETÃO ARMADO II fct - UNL
19 – Pré-Esforço – Pormenorização
Zonas de Ancoragem

Exemplo de
solução
geralmente
utilizada

A. Ramos Dez. 2006 9


ESTRUTURAS DE BETÃO ARMADO II fct - UNL
19 – Pré-Esforço – Pormenorização
Zonas de Ancoragem

Exemplo de solução para ancoragem fora


do núcleo central

A. Ramos Dez. 2006 10


ESTRUTURAS DE BETÃO ARMADO II fct - UNL
19 – Pré-Esforço – Pormenorização
Exemplo de viga pré-esforçada

A. Ramos Dez. 2006 11


ESTRUTURAS DE BETÃO ARMADO II fct - UNL
19 – Pré-Esforço – Pormenorização
Exemplo de viga pré-esforçada (2)

A. Ramos Dez. 2006 12


ESTRUTURAS DE BETÃO ARMADO II fct - UNL
19 – Pré-Esforço – Pormenorização
Exemplo de viga pré-esforçada (3)

A. Ramos Dez. 2006 13