Você está na página 1de 8

Postura e comportamento

Objetivos da aula

O objetivo dessa aula é elaborar e aplicar estratégias de


comunicação que favoreçam a convivência e o relacionamento
em qualquer ambiente, além de proporcionar aos cursistas
uma capacitação básica da etiqueta social e institucional, a fim
de desenvolver as competências e habilidades das relações
sociais, para o auxílio na condução das relações interpessoais.

3.1 Boas maneiras no cotidiano


Como já foi dito anteriormente as boas maneiras é a denominação
empregada ao comportamento civilizado, esse comportamento é
mutável adequando-se as diferentes culturas, sendo que a sua
essência permanece pautada naqueles comportamentos adquiridos
e tidos como adequados no convívio social. Nesta aula será
aprendido para posteriormente ser posto em prática as regras de
boas maneiras no cotidiano.

A começar pela apresentação e o cumprimento, a apresentação é


vista como a etapa inicial do processo de relacionamento social
entre os indivíduos. Neste simples contato social ou profissional,
geralmente existe um indivíduo que na ocasião fica de pé e
apresenta os demais, sempre enunciando os nomes das pessoas a
serem apresentadas, evitando-se assim o uso de apelidos e
possíveis constrangimentos. Já os cumprimentos são tidos como
atos de deferência entre duas ou mais pessoas, geralmente é
manifestado por pequenas expressões orais do tipo “bom dia” ou
“como vai”, como também expressados por gestos como o aperto
ou aceno de mão.

Em relação a essas duas formas de manifestação da boa conduta


diária, existem algumas regras de procedências com o intuito de
facilitar e estabelecer o bom convívio entre os indivíduos. Quanto
às normas de apresentação existe a chamada ordem de prioridade,
são elas as prioridades de acordo com sexo, intimidade, idade e
grau social. Veja alguns exemplos:
x Quanto ao sexo: A mulher é mais importante, perdendo sua
prioridade somente em duas situações, ao ser apresentada
a uma pessoa bem mais idosa ou a uma autoridade do tipo
reitor de universidade, ministros e etc.;

x Quanto à idade: A pessoa mais nova deverá sempre ser


apresentada as pessoas mais velhas, devido o último ter
prioridade como prova de respeito;

x Quanto ao grau social: A pessoa menos importante deverá


ser apresentada a pessoa mais importante, não
estendendo a mão à espera que a outra pessoa o faça;

x Quanto à intimidade: A pessoa menos intima é que possui a


prioridade.

As regras de cumprimentos não são extensas e basicamente


seguem a mesma ordem de prioridade da apresentação. Vejamos
algumas dessas regras:

x Um homem sentado ao cumprimentar qualquer outra


pessoa através de um aperto de mão, deverá levantar-se;

x O gesto do aperto de mão deve ser firme e consistente, sem


deixar apertar ou afrouxar demais a mão da outra pessoa,
devendo-se evitar as sacudidas desnecessárias e a tapinha
nas costas;

x Uma mulher sentada só deverá levantar-se para


cumprimentar pessoas mais idosas e de cargos
importantes.

Também faz parte das boas maneiras o tratamento, aqueles termos


utilizados que dão a entender o afastamento entre duas ou mais
pessoas, em que uma subordina-se em relação à outra, com o
intuito de manter um bom convívio ou relacionamento.

Dentre os principais tratamentos utilizados, o emprego do senhor e


senhora, é consagrado universalmente entre as pessoas mais
comuns, como forma de demonstrar respeito a quem quer que seja.
Vejamos alguns exemplos de formas de tratamento:

x Embaixadores: Precedidos do pronome de tratamento


senhor mais o cargo, já para as mulheres emprega-se
apenas o termo embaixatriz;

x Ministros: Independente do sexo pode ser precedido ou não


do pronome de tratamento senhor (a);

x Presidente da República, Governadores e Prefeitos:


Dizemos Vossa Excelência ou senhor presidente, senhor
governador ou senhor prefeito;

x Reitores de Universidades: Emprega-se o termo magnífico


reitor;

x Escritores: emprega-se o termo mestre;

x Políticos: Emprega-se o tratamento pelo cargo. Exemplo:


deputado, senador, etc.;

x Religiosos: Para o Papa o chamamos de “Sua Santidade”,


para o vigário de “Reverendíssimo”, para os cardeais de
eminência e o monsenhor pelo sobrenome.

(Atenção): O emprego indevido do termo doutor é bastante comum


e está associado ao status social ou nível hierárquico de poder.
Logo se faz necessário compreender que o uso deste termo só
deve ser empregado em duas situações, quando se for fazer
referência ao médico (por uma questão de tradição), ou quando se
fizer referência aos que possuem o grau de estudo acima da
formação superior.

Devido à propensão de novos meios de comunicação, a forma de


tratamento entre as pessoas ficou bastante simplificada, mas nem
por isso se deve deixar de demonstrar respeito e simplicidade com
os outros.
3.2 A arte da boa conversa
O processo de comunicação nunca se tornou tão rápido e prático como
nos dias atuais. Hoje os indivíduos dispõem de aparelhos e ferramentas
como celular, internet e videoconferências, que lhes permitem se
comunicar com qualquer pessoa, em qualquer lugar e em qualquer
momento. Porém ainda fica a dúvida para reflexão, será que realmente
as pessoas estão se comunicando melhor?

Exemplos são dados todos os dias nos mais diversos seguimentos do


mercado de trabalho, através de conflitos gerados por falhas na
comunicação, muitas vezes ocasionadas pela maneira como se fala.
Daí a importância de saber se comunicar, pois o simples fato de falar
não quer dizer que todos sabem se comunicar ou transmitir mensagens.

Assim como o ato de gerenciar as normas de etiqueta implica no auxilio


do trabalho entre os seres humanos, visando a melhoria do convívio em
sociedade, a comunicação tem como objetivo criar, manter ou estimular
a conexão entre as pessoas.

No âmbito profissional do mercado de eventos, para todos os


profissionais voltados a essa área é imprescindível fazer uso das
normas de etiqueta, devido o trabalho lidar diretamente com pessoas e
depender do desempenho quanto ao trato pessoal. Daí partir para a
comunicação enquanto ferramenta de trabalho, a fim de fortalecer as
relações pessoais e sociais entre as pessoas.

A arte da boa conversa esta diretamente associada à maneira de como


é estabelecida uma relação com as outras pessoas, portanto use sua
comunicação de forma construtiva, formando relações produtivas da
seguinte forma:

x Quando for fazer a abordagem ao seu interlocutor seja positivo,


aja com simpatia, cordialidade e sensatez, demonstrando
segurança e confiança;

x Busque a empatia através de formas de compreensão e canais


de afinidade, pois todas as pessoas se relacionam melhor com
pessoas que compartilham das mesmas idéias e dividem do
mesmo sentimento;
x Adéqüe sua comunicação ao estilo do seu interlocutor, de modo
a facilitar a transmissão do seu discurso;

x Cuidado com o pré-julgamento no processo de comunicação,


pois como já foi dito, a maneira como as pessoas nos são
apresentadas através da sua imagem, acaba por rotular e
conseqüentemente interferir na maneira de como será mantido o
contato com elas.

No processo de comunicação, as palavras evocam reações em diversas


situações. Por exemplo, ao se comunicar pelo telefone, o discurso
sofrerá influencias externas de outros fatores, que irão influenciar na
interpretação da mensagem, como o tom da voz adotada. Já no
processo em que a comunicação será realizada pessoalmente, os sinais
vocais e visuais irão ter maior predominância sob as palavras ditas.

Dada a importância do efeito que as palavras podem ocasionar,


considere algumas dicas relevantes, para evitar reações negativas sob
os seus discursos:

x Evite o uso de frases que exprimam exigência, devido à mesma


demonstrar ao interlocutor a falta de opções;

x Palavras ou termos negativos;

x Palavras ou termos depreciativos e discriminatórios;

(Atenção): Fica a dica, antes de falar tenha em mente sempre o


pensamento voltado para o outro, partindo da seguinte questão: como
será que eu iria reagir se alguém me dissesse isso?

Segundo as considerações de Lukower (2008), existem outras dicas


valiosas a serem consideradas no processo de conversação, dicas do
que não se deve fazer:

x Elevar o tom de voz para prevalecer seu ponto de vista;

x Ficar desatento à conversação;


x Ser desagradável ao falar mal de determinada pessoa ou ao
insistir em assuntos de ordem pessoal ou profissional em que os
interlocutores desejam evitar;

x Falar com as mãos, se utilizando delas para segurar a pessoa


enquanto fala;

x Jamais usar palavrões, gírias ou expressões grosseiras;

x Evitar cacofonias ou expressões como “né” e “aí”.

A percepção é outra ferramenta poderosa no processo de comunicação,


isso tudo se deve ao fato de quando as pessoas falarem se tornarem
capazes de transmitir mensagens que serão processadas a partir das
suas próprias referências, gerando diferentes percepções. Essas
referências geralmente são formadas por vários fatores como:
experiência, estado emocional, princípios, cultura entre outros.

Essas referências também são responsáveis em transformar os


discursos ou mensagens em percepções, estimulando as reações
formadas através das impressões e julgamentos. Pois sempre que há
uma comunicação os interlocutores criam impressões que irão
condicionar as suas reações, de forma subconsciente.

De fato não existe forma ou maneira para controlar como as pessoas


recebem e captam os discursos, mas há como se determinar a forma de
como eles podem ser transmitidos, através de sinais vocais e visuais.
Logo, a percepção tem como objetivo principal identificar o momento
certo para cada tipo de discurso.

3.3 Atitudes e gestos


A leitura dos gestos e atitudes é expressa através do comportamento,
sendo este, o primeiro sistema de comunicação usado pelo ser humano,
muito antes do desenvolvimento da linguagem oral. Apesar de muitos
acreditarem que a linguagem oral é o principal meio de comunicação,
em termos de evolução o ato de falar é dado como recente se
comparado com a linguagem corporal, há cerca de 2,5 milhões de anos
atrás, em que a linguagem corporal e os sons produzidos pela garganta
eram utilizados para transmitir emoções e sentimentos.
Existem duas formas de nos expressarmos visualmente através das
atitudes e gestos.

No que diz respeito às atitudes, é importante manter-se hábitos


impecáveis que priorizem a distinção e a elegância, quer estejamos em
locais públicos ou privados. Dentre as principais atitudes, podemos
citar: Agir em qualquer situação com simpatia, devido esse tipo de
atitude aproximar mais as pessoas; ser gentil demonstrando interesse
em amenizar pequenos problemas do cotidiano alheio; ser tolerante; ser
bem humorado e sempre que necessário fazer uso das três expressões
mágicas (obrigado, desculpe e, por favor).

Os gestos são capazes de dizer muito sobre as pessoas, portanto os


mesmos têm como objetivo principal reforçar o que foi dito com
palavras, enfatizando pontos relevantes através de movimentos, porém
é bom se evitar o uso de gestos que denotem conotação negativa e
jamais se deve apontar para as pessoas, pois tal ato é tido como
ofensivo. O respeito da denominada “zona de conforto” entre duas
pessoas varia de pessoa para pessoa, por isso é importante adequar-se
conforme as necessidades de cada um.

(Saiba mais): Saiba mais dicas sobre etiqueta e boas maneiras através
do site: http://etiquetaeboasmaneiras.blogspot.com/

(Resumo): Nesta aula foi vista a importância de saber se comunicar


corretamente, além da análise de gestos e atitudes adequados a boa
maneira. Logo, as idéias principais foram:

x A denominação empregada as boas maneiras baseiam-se na


manifestação do bom comportamento diário, sendo as formas de
apresentação e de cumprimento, exemplos clássicos.

x Para ambas as formas de manifestação, existem regras de


procedências quanto ao sexo, grau de intimidade, idade e grau
social;

x Os pronomes de tratamento também condizem com as boas


maneiras e tem como intuito manter e estabelecer o grau de
afastamento ou subordinação entre duas pessoas para o bom
convívio;
x A comunicação enquanto ferramenta é capaz de fortalecer as
relações pessoais entre as pessoas, já que tem como objetivo
principal criar, estabelecer e manter uma conexão;

x As palavras são poderosas e são capazes de evocarem diversos


tipos de reações a partir da influência externa adquirida;

x As atitudes e os gestos são expressos através da linguagem


corporal, o primeiro com o intuito de manter bons hábitos e o
segundo para reforçar através de movimentos o sentido do
nosso discurso.