Você está na página 1de 57

Acidente de Trabalho

Fundamentação Legal

Conceitos Técnicos
Conceitos Legais

O custo do acidente de trabalho


Constituição CF/88

Art. 7º São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, além de outros que visem à
melhoria de sua condição social:

XXVIII - seguro contra acidentes de trabalho, a cargo do empregador, sem excluir a


indenização a que este está obrigado, quando incorrer em dolo ou culpa;

Art. 201. A previdência social será organizada sob a forma de regime geral, de
caráter contributivo e de filiação obrigatória, observados critérios que preservem o
equilíbrio financeiro e atuarial, e atenderá, nos termos da lei, a:
I - cobertura dos eventos de doença, invalidez, morte e idade avançada;
II - proteção à maternidade, especialmente à gestante;
III - proteção ao trabalhador em situação de desemprego involuntário;
IV - salário-família e auxílio-reclusão para os dependentes dos segurados de baixa
renda;
V - pensão por morte do segurado, homem ou mulher, ao cônjuge ou companheiro e
dependentes, observado o disposto no § 2º.

§ 10. Lei disciplinará a cobertura do risco de acidente do trabalho, a ser atendida


concorrentemente pelo regime geral de previdência social e pelo setor privado
Decreto 5452 de 1943. (CLT)

Art. 131 - Não será considerada falta ao serviço, para


os efeitos do artigo anterior, a ausência do empregado:
III - por motivo de acidente do trabalho ou enfermidade
atestada pelo Instituto Nacional do Seguro Social –
INSS

Art. 133 - Não terá direito a férias o empregado que, no


curso do período aquisitivo:
IV - tiver percebido da Previdência Social prestações de
acidente de trabalho ou de auxílio-doença por mais de
6 (seis) meses, embora descontínuos.
Lei 8.213/91

Conceito Legal

Art. 19. Acidente do trabalho é o que ocorre pelo exercício do trabalho a serviço da
empresa ou pelo exercício do trabalho dos segurados referidos no inciso VII do art. 11
desta Lei, provocando lesão corporal ou perturbação funcional que cause a morte ou a
perda ou redução, permanente ou temporária, da capacidade para o trabalho.

§ 1º A empresa é responsável pela adoção e uso das medidas coletivas e individuais de


proteção e segurança da saúde do trabalhador.
§ 2º Constitui contravenção penal, punível com multa, deixar a empresa de cumprir as
normas de segurança e higiene do trabalho. (mudança!)
§ 3º É dever da empresa prestar informações pormenorizadas sobre os riscos da
operação a executar e do produto a manipular.
§ 4º O Ministério do Trabalho e da Previdência Social fiscalizará e os sindicatos e
entidades representativas de classe acompanharão o fiel cumprimento do disposto nos
parágrafos anteriores, conforme dispuser o Regulamento.
Lei 8.213/91

Conceito Legal

Código Penal brasileiro

Art. 129. Ofender a integridade corporal ou a saúde de outrem:


Pena - detenção, de três meses a um ano.
Lesão corporal de natureza grave
§ 1º Se resulta:
I - Incapacidade para as ocupações habituais, por mais de trinta dias;
II - perigo de vida;
III - debilidade permanente de membro, sentido ou função;
IV - aceleração de parto:
Pena - reclusão, de um a cinco anos.

Art. 132 - Expor a vida ou a saúde de outrem a perigo direto e iminente:


Pena - detenção, de três meses a um ano, se o fato não constitui crime mais grave.

Volta
Lei 8.213/91
Conceito Legal

Art. 20. Consideram-se acidente do trabalho, nos termos do artigo anterior, as


seguintes entidades mórbidas:

I - Doença profissional, assim entendida a produzida ou desencadeada pelo


exercício do trabalho peculiar a determinada atividade e constante da respectiva
relação elaborada pelo Ministério do Trabalho e da Previdência Social;

II - Doença do trabalho, assim entendida a adquirida ou desencadeada em função


de condições especiais em que o trabalho é realizado e com ele se relacione
diretamente, constante da relação mencionada no inciso I.

§ 1º Não são consideradas como doença do trabalho:


a) a doença degenerativa;
b) a inerente a grupo etário;
c) a que não produza incapacidade laborativa;
d) a doença endêmica adquirida por segurado habitante de região em que ela se
desenvolva, salvo comprovação de que é resultante de exposição ou contato
direto determinado pela natureza do trabalho.
Lei 8.213/91

Conceito Legal

Art. 21. Equiparam-se também ao acidente do trabalho, para efeitos desta Lei:

I - o acidente ligado ao trabalho que, embora não tenha sido a causa única, haja
contribuído diretamente para a morte do segurado, para redução ou perda da
sua capacidade para o trabalho, ou produzido lesão que exija atenção médica
para a sua recuperação;
II - o acidente sofrido pelo segurado no local e no horário do trabalho, em
conseqüência de:
a) ato de agressão, sabotagem ou terrorismo praticado por terceiro ou
companheiro de trabalho;
b) ofensa física intencional, inclusive de terceiro, por motivo de disputa
relacionada ao trabalho;
c) ato de imprudência, de negligência ou de imperícia de terceiro ou de
companheiro de trabalho;
Lei 8.213/91
Art. 21. (continuação)
Conceito Legal

d) ato de pessoa privada do uso da razão;


e) desabamento, inundação, incêndio e outros casos fortuitos ou decorrentes
de força maior;

III - a doença proveniente de contaminação acidental do empregado no


exercício de sua atividade;

IV - o acidente sofrido pelo segurado ainda que fora do local e horário de


trabalho:

a) na execução de ordem ou na realização de serviço sob a autoridade da


empresa;
b) na prestação espontânea de qualquer serviço à empresa para lhe evitar
prejuízo ou proporcionar proveito;
Lei 8.213/91
Conceito Legal

c) em viagem a serviço da empresa, inclusive para estudo quando financiada por


esta dentro de seus planos para melhor capacitação da mão-de-obra,
independentemente do meio de locomoção utilizado, inclusive veículo de
propriedade do segurado;
d) no percurso da residência para o local de trabalho ou deste para aquela,
qualquer que seja o meio de locomoção, inclusive veículo de propriedade do
segurado.

§ 1º Nos períodos destinados a refeição ou descanso, ou por ocasião da satisfação de


outras necessidades fisiológicas, no local do trabalho ou durante este, o empregado é
considerado no exercício do trabalho.
§ 2º Não é considerada agravação ou complicação de acidente do trabalho a lesão que,
resultante de acidente de outra origem, se associe ou se superponha às conseqüências
do anterior.
Lei 8.213/91 Conceito Legal

Art. 22. A empresa deverá comunicar o acidente do trabalho à Previdência


Social até o 1º (primeiro) dia útil seguinte ao da ocorrência e, em caso de
morte, de imediato, à autoridade competente, sob pena de multa variável entre
o limite mínimo e o limite máximo do salário-de-contribuição, sucessivamente
aumentada nas reincidências, aplicada e cobrada pela Previdência Social.

§ 1º Da comunicação a que se refere este artigo receberão cópia fiel o


acidentado ou seus dependentes, bem como o sindicato a que corresponda a
sua categoria.
§ 2º Na falta de comunicação por parte da empresa, podem formalizá-la o
próprio acidentado, seus dependentes, a entidade sindical competente, o
médico que o assistiu ou qualquer autoridade pública, não prevalecendo nestes
casos o prazo previsto neste artigo.
§ 3º A comunicação a que se refere o § 2º não exime a empresa de
responsabilidade pela falta do cumprimento do disposto neste artigo.
Lei 8.213/91
Conceito Legal

Art. 22 (continuação)

§ 4º Os sindicatos e entidades representativas de


classe poderão acompanhar a cobrança, pela
Previdência Social, das multas previstas neste artigo.

Art. 23. Considera-se como dia do acidente, no caso de


doença profissional ou do trabalho, a data do início da
incapacidade laborativa para o exercício da atividade
habitual, ou o dia da segregação compulsória, ou o dia
em que for realizado o diagnóstico, valendo para este
efeito o que ocorrer primeiro.
Lei 8.213/91

Conceito Legal
Art118
O segurado que sofreu acidente do
trabalho tem garantido, pelo prazo mínimo
de 12 (doze) meses, a manutenção do seu
contrato de trabalho na empresa, após a
cessação do auxílio-doença acidentário,
independentemente de percepção de
auxílio-acidente”.
Lei 8.213/91

Conceito Legal
Art. 120. Nos casos de negligência
quanto às normas padrão de segurança
e higiene do trabalho indicados para a
proteção individual e coletiva, a
Previdência Social proporá ação
regressiva contra os responsáveis.

Art. 121. O pagamento, pela Previdência


Social, das prestações por acidente do
trabalho não exclui a responsabilidade
civil da empresa ou de outrem.
Lei 8.213/91

Conceito Legal
INSS ENTRARÁ NA JUSTIÇA CONTRA
EMPRESAS POR ACIDENTES DO TRABALHO

Ações Regressivas:Previdência e Trabalho fazem


acordo para agilizar cobrança -São Paulo deverá
ter prioridade.

A idéia é concentrar o trabalho no estado de São


Paulo, região responsável por 47% dos acidentes
ocupacionais ocorridos no Brasil. No caso de o
INSS ganhar a ação, o trabalhador não perde o
benefício, caso fique comprovado que a empresa
foi a responsável pelo acidente. Fonte:
Previdência Social
Comunicação de Acidente de Trabalho

CAT

Deverá se entregue no INSS ou entegue via Internet pelo site

www.mpas.gov.br
NBR 14280

NBR 14280 - Cadastro de acidente do trabalho -


Procedimento e classificação

Fixa critérios para o registro, comunicação,


estatística, investigação e análise de acidentes
do trabalho,
suas causas e conseqüências, aplicando-se a
quaisquer atividades laborativas.

Aplica-se a qualquer empresa, entidade ou


estabelecimento interessado no estudo do
acidente do
trabalho, suas causas e conseqüências.
NBR 14280
Definições

Conceito Técnico

Acidente do trabalho: Ocorrência imprevista e indesejável, instantânea


ou não, relacionada com o exercício do trabalho, de que resulte ou possa
resultar lesão pessoal.

Conceito Legal

Acidente do trabalho é o que ocorre pelo exercício do trabalho a serviço


da empresa ou pelo exercício do trabalho dos segurados referidos no
inciso VII do art. 11 desta Lei, provocando lesão corporal ou perturbação
funcional que cause a morte ou a perda ou redução, permanente ou
temporária, da capacidade para o trabalho
NBR 14280
Definições

Acidente de trajeto: Acidente sofrido pelo empregado no percurso da


residência para o local de trabalho ou deste para aquela, qualquer que
seja o meio de locomoção, inclusive veículo de propriedade do
empregado, desde que não haja interrupção ou alteração de percurso
por motivo alheio ao trabalho.

NOTA - Entende-se como percurso o trajeto da residência ou do local de


refeição para o trabalho ou deste para aqueles, independentemente do meio
de locomoção, sem alteração ou interrupção por motivo pessoal, do percurso
do empregado. Não havendo limite de prazo estipulado para que o
empregado atinja o local de residência, refeição ou detrabalho, deve ser
observado o tempo necessário compatível com a distância percorrida e o
meio de locomoção utilizado.
NBR 14280
Definições

Causas do acidente

Ato inseguro: Ação ou omissão que, contrariando


preceito de segurança, pode causar ou favorecer a
ocorrência
de acidente.

Condição ambiente de insegurança (Condição


Insegura): Condição do meio que causou o
acidente ou contribuiu para a sua ocorrência.

Filme1.

Filme2
NBR 14280
Definições

Lesão com afastamento (lesão incapacitante ou lesão com perda de


tempo): Lesão pessoal que impede o acidentado de voltar ao trabalho no
dia imediato ao do acidente ou de que resulte incapacidade permanente.
NOTA - Esta lesão pode provocar incapacidade permanente total,
incapacidade permanente parcial, incapacidade temporária total ou morte.

Lesão sem afastamento (lesão não incapacitante ou lesão sem perda


de tempo): Lesão pessoal que não impede o acidentado de voltar ao
trabalho no dia imediato ao do acidente, desde que não haja incapacidade
permanente.
NBR 14280
Definições

Incapacidade permanente total: Perda total da capacidade de trabalho, em


caráter permanente, sem morte.
NOTA - Causam essa incapacidade as lesões que, não provocando a morte,
impossibilitam o acidentado, permanentemente, de trabalhar ou da qual decorre a
perda total do uso ou a perda propriamente dita, entre outras, as de:
a) ambos os olhos;
b) um olho e uma das mãos ou um olho e um pé; ou
c) ambas as mãos ou ambos os pés ou uma das mãos e um pé.
Incapacidade permanente parcial: Redução parcial da capacidade de trabalho,
em caráter permanente que, não provocando morte ou incapacidade permanente
total, é causa de perda de qualquer membro ou parte do corpo, perda total do uso
desse membro ou parte do corpo, ou qualquer redução permanente de função
orgânica.
Incapacidade temporária total: Perda total da capacidade de trabalho de que
resulte um ou mais dias perdidos,excetuadas a morte, a incapacidade permanente
parcial e a incapacidade permanente total.
NOTA - Permanecendo o acidentado afastado de sua atividade por mais de um
ano, é computado somente o tempo de 360 dias.
NBR 14280
Definições

Dias perdidos: Dias corridos de afastamento do trabalho em virtude de lesão


pessoal, excetuados o dia do acidente e o dia da volta ao trabalho.

Dias debitados: Dias que se debitam, por incapacidade permanente ou morte,


para o cálculo do tempo computado.

Tempo computado: Tempo contado em "dias perdidos, pelos acidentados, com


incapacidade temporária total“ mais os "dias debitados pelos acidentados vítimas
de morte ou incapacidade permanente, total ou parcial;

Horas-homem de exposição ao risco de acidente (horas-homem): Somatório


das horas durante as quais os empregados ficam à disposição do empregador,
em determinado período.
NBR 14280
Definições

As horas-homem são calculadas pelo somatório das horas de trabalho de cada


empregado.

Quando o número de horas trabalhadas varia de grupo para grupo, calculam-se


os vários produtos, que devem ser somados para obtenção do resultado final.

EXEMPLO: 25 homens, dos quais 18 trabalham, cada um, 200 h por mês, quatro
trabalham 182 h e três, apenas, 160 h,
totalizam 4 808 horas-homem, como abaixo indicado:

18 x 200 = 3 600
4 x 182 = 728
3 x 160 = 480
_____________________
total = 4 808
NBR 14280
Definições

Taxa de freqüência de acidentados com lesão com afastamento(TFCA):


Número de acidentados com lesão com afastamento por milhão de horas-
homem de exposição ao risco, em determinado período

Taxa de freqüência de acidentados com lesão sem afastamento (TFSA):


Número de acidentados com lesão sem afastamento por milhão de horas-
homem de exposição ao risco, em determinado período.

Taxa de freqüência de acidentes(TFA): Número de acidentes por milhão de


horas-homem de exposição ao risco, em determinado período.(TFCA+TFSA)

Taxa de gravidade: Tempo computado por milhão de horas-homem de


exposição ao risco, em determinado período.
NBR 14280
Definições

Dias a debitar

São dias não realmente perdidos que devem ser debitados por morte ou
incapacidade permanente, total ou parcial;

Por morte
Em caso de morte devem ser debitados 6 000 dias;

Por incapacidade permanente total


Em caso de incapacidade permanente total devem ser debitados 6 000 dias;

Por incapacidade permanente parcial


Os dias a debitar, em caso de incapacidade permanente parcial, devem ser os
indicados no quadro 1 da NBR 14280.
NBR 14280
Definições

Medidas de avaliação de freqüência.

Taxas de freqüência

Taxa de freqüência de acidentes


Deve ser expressa com aproximação de centésimos e
calculada pela seguinte expressão:

FA = N x 1.000.000
H

FA – Taxa de Frequência .;
N -Número de acidentes;
H -Representa as horas-homem de exposição ao risco.
NBR 14280
Definições

Medidas de avaliação de freqüência.

Taxas de freqüência

Taxa de freqüência de acidentados com lesão com


afastamento (TFCA)
Deve ser calculada pela seguinte expressão:

FL = Nl x 1.000.000
H

FA – Taxa de Frequência de Acidentes com Afastamento;


Nl -Número de acidentes;
H -Representa as horas-homem de exposição ao risco.
NBR 14280
Definições

Medidas de avaliação de freqüência.

Taxas de freqüência

Taxa de freqüência de acidentados com lesão sem afastamento (TFSA)

É recomendável que se faça o levantamento do número dos acidentados vítimas


de lesão sem afastamento, calculando a respectiva taxa de freqüência

Fs = Nlsx 1.000.000
H

Fs- Taxa de Frequência de Acidentes com Afastamento;


Ns -Número de acidentes;
H -Representa as horas-homem de exposição ao risco.
Taxa de freqüência de acidentados com lesão sem afastamento
(TFSA)

Essa prática apresenta a vantagem de alertar a empresa para causas


que concorram para o aumento do número de acidentados com
afastamento.
O cálculo deve ser feito da mesma forma que para os acidentados
vítimas de lesão com afastamento, devendo ser o resultado
apresentado, obrigatoriamente, em separado.
O registro do número de acidentados vítimas de lesão sem afastamento
é de grande importância como elemento informativo do grau de risco e
da qualidade dos serviços de prevenção, permitindo, inclusive,
pesquisar a variação da relação existente entre acidentados com
afastamento e sem afastamento.
NBR 14280
Definições

Medidas de avaliação gravidade


Taxas de gravidade

Taxa de gravidade
Deve ser calculada pela seguinte expressão

G= T x 1.000.000
H

G - Taxa de gravidade;
T- Tempo computado;
H representa as horas-homem de exposição ao risco.
Exercício

45. Numa dada empresa com 80.000 de homens-hora trabalhadas foram


registrados, no mês de abril, quatro acidentes com afastamento; oito acidentes
sem afastamento, 60 dias perdidos e 100 dias debitados. As taxa de freqüência
de acidentados com afastamento (TFCA), sem afastamento (TFSA) e de
gravidade
(TG) são:
(A) TFCA = 100, TFSA = 40 TG = 50;
(B) TFCA = 50 TFSA = 100 TG = 1250;
(C) TFCA = 0,32 TFSA = 0,64 TG = 750;
(D) TFCA = 50 TFSA = 100 TG = 2000;
(E) TFCA = 0,64 TFSA = 0,32 TG = 800.
O custo do Acidente de Trabalho no Brasil
Acidentes de trabalho crescem 13,4% entre 2007 e 2008

O número de acidentes de trabalho registrados em 2008 aumentou 13,4% em relação


a 2007. Em 2008 foram registrados 747.663 casos, contra 659.523 no ano anterior,
segundo o Anuário Estatístico de Acidentes do Trabalho, divulgado pelo Ministério da
Previdência Social. Entre as seis principais causas de acidentes, quatro envolvem
ferimentos nos punhos e nas mãos dos trabalhadores, mostrando que os processos
de trabalho e a manipulação de objetos precisam ser redesenhados. O número de
óbitos em 2008 foi de 2.757 casos, contra 2.845 em 2007, uma redução de 3,1%. Os
casos de incapacidade permanente, no entanto, aumentaram em 28,6% em 2008
(12.071) em relação a 2007 (9.389).
CUSTO DOS ACIDENTES
E A ECONOMIA QUE O
SESMT PROPORCIONA ÀS
EMPRESAS
O SESMT se auto financia e
dá lucro às empresas.

Não é difícil provar


como, mas não se está
conseguindo fazê-lo.
O grande problema é que, de acordo com a
legislação, o SESMT foi imposto às empresas.
Essa atitude criou desaprovação no meio
empresarial.
Ao não perceber o rombo que os acidentes e
doenças causam, as empresas tratam o tema
mais como um gasto do que uma possibilidade
de ganho.
No entanto, o profissional de segurança, em
termos econômico-financeiros, é tão importante
quanto um gerente de qualidade, de logística ou
de produção.
Precisamos, para colocar em prática esse preceito,
acreditar nele.

Será que eu acredito ? ? ?


FINLÂNDIA ............................... 2,1
FRANÇA .................................. 4,4
CANADÁ ................................7,2
ESPANHA ...........................8,3

BRASIL .........................14,84
A POSSIBILIDADE DE UM
BRASILEIRO MORRER
TRABALHANDO É
2 A 7 VEZES MAIOR
GASTOS EM 2003 DA
PREVIDÊNCIA SOCIAL COM ACIDENTES DO
TRABALHO
(PAGAMENTO DE BENEFÍCIOS)

11.600.000.000,00
(ONZE BILHÕES E SEISCENTOS MILHÕES DE
REAIS)

Esses valores atingem apenas o setor


formal de trabalho. Segundo pesquisas,
para cada um real pago pelo INSS a
sociedade paga mais quatro reais.
Total:
46.400.000.000,00
(QUARENTA E SEIS BILHÕES E
SEISCENTOS MILHOES DE REAIS)
No caso de Acidentes do Trabalho e Doenças
Ocupacionais, julgando o Dano Moral, a justiça
tem estipulado valores de indenização entre
200 e 800 salários mínimos, mais o pagamento
de pensão mensal vitalícia

R$ 60.000,00 a R$ 240.000,00
Mais pensão mensal

AS EMPRESAS SABEM DISSO?


A Lei não estabelece ou fixa um parâmetro
previamente definido para se apurar as
indenizações por dano moral.
Objetiva-se assim, preconizando o caráter
educativo e reparatório, evitar que a
apuração do “quantum” indenizatório se
converta em medida abusiva e
exagerada.
No caso do acidente do trabalho, é
importante o trabalho pericial para que
se atribua valores.

O PRINCIPIO DA PROPORCIONALIDADE

Utilizado para se apurar o dano moral, não


liberta o juiz dos limites e possibilidades
oferecidas pela sua formação. A
realidade será apurada caso a caso.
DESPESAS DAS EMPRESAS COM
DESCUMPRIMENTO DAS NORMAS DE
SEGURANÇA
CLT, Normas Regulamentadoras e
Legislação Previdenciária

Valores de multas entre


R$ 1.200,00 e R$ 8.000,00,
Fora embargo e interdição

OUTROS EXEMPLOS! ! !
EPI’S – SITUAÇÕES QUE DEPÕEM CONTRA A
EMPRESA – PROCESSOS TRABALHISTAS
A) Recibo de entrega de EPI’S incorretos (falta de dados
como : nome do fabricante, número do CA). Isso quando
eles existem!!!

B) Descrição genérica: Máscara contra gases (???)

C) Prazo de substituição do equipamento: Protetores


auriculares de inserção, por exemplo.

D) Falta de comprovação quanto ao não uso do EPI pelo


empregado: advertência, suspensão. ARTIGO 158 DA
CLT: Ato Faltoso
PREJUÍZO POR MANTER UM
LOCAL INSALUBRE
Pagamento do Adicional de
Insalubridade, equivalente a 10%,
20% ou 40% do salário mínimo, por
empregado, dependendo do grau
PREJUÍZO POR MANTER UM
LOCAL INSALUBRE
Indenização por Dano Moral ou
Material, resultante do acidente
ou doença ocupacional,
equivalente a 100 até 800
salários mínimos, pensão mensal
vitalícia até os 65 anos, mais
despesas hospitalares ou com
tratamento médico
LEGISLAÇÃO PREVIDENCIÁRIA

LEI 8213/91
Art. 120: Nos casos de negligência quanto
às normas de segurança e saúde do
trabalho indicados para a proteção
individual e coletiva, a Previdência
Social proporá ação regressiva contra os
responsáveis.
COMENTÁRIO: O INSS já está conseguindo
colocar em prática esse dispositivo
LEGISLAÇÃO PREVIDENCIÁRIA

LEI 8213/91
Art. 121: O pagamento pela Previdência
Social das prestações de acidente do
trabalho não exclui a responsabilidade
da empresa ou de terceiros

COMENTÁRIO: Até quando o trabalhador


acidentado se conformará em fazer
parte dessa massa silenciosa que
desconhece os seus direitos?
É importante lembrar que numa
empresa pode-se ter trabalhadores
expostos a agentes nocivos e
insalubres.
Pode-se ter de pagar insalubridade
para uns e recolher o SAT majorado
para outros.
As empresas sabem disso?
NOVA LEGISLAÇÃO DO SAT QUE
ENTROU EM VIGOR
Empresas poderão escolher: economizar ou gastar
mais
A lei foi regulamentada prevê redução ou aumento de
50% na tarifação de:
1% ......... para 0,5%
2% .......... para 1,0%
3% ............ para 1,5%
Ou
1% ............... para 2%
2% .................. para 4%
3%. .................... para 6%
PREJUÍZOS COM OS ACIDENTES
• Multas, incluindo as de origem da legislação ambiental
• Passivos trabalhistas com pagamento de indenizações
por lesões, doenças ou mortes
• Pagamentos de adicionais trabalhistas
• Pagamentos de GEFIP majoradas em função de
aposentadorias especiais
• Sobretaxação nas tarifas do SAT
• Despesas hospitalares não contabilizadas
• Prejuízos materiais em equipamentos danificados
• Desperdício de tempo e matérias-primas
• Disputas com Sindicatos
• Perda da imagem institucional da companhia
• Perda de contratos de fornecimento para companhias
exigentes e de grande porte
• Sobrevivência da empresa???
LUCROS COM A PREVENÇÃO
• Economia substancial com o não
pagamento de adicionais trabalhistas
• Redução no pagamento de despesas
previdenciárias (GEFIP e SAT)
• Redução dos passivos trabalhistas
• Não pagamento de multas
• Maior rentabilidade do negócio
• Produtividade melhorada
• Competitividade
• Melhoria da imagem junto aos clientes e
à comunidade
• Geração de empregos
• Confiabilidade na gestão
A aplicação desses
dispositivos depende da
criatividade de cada um.

Cabe a nós
exercitá-la !!!
Filme 3