Você está na página 1de 5

Angola 2020

AVALIAÇÃO DO IMPACTO E RISCOS DOS DIVERSOS


HIDROCARBONETOS INALADOS PELOS TRABALHADORES DE POSTOS
DE ABASTECIMENTO DE COMBUSTÍVEIS EM ANGOLA

Autor: Elvis Napoleão Q. Cardoso

Licenciado em engenharia de Refinação de Petróleos

Email: napoleao70@live.com.pt

Resumo

Nos tempos atuais, temos nos deparado com muitas situações constrangedoras para a
saúde das pessoas e para o meio ambiente. De modo a mitigar esses problemas que
temos confrontado, aplicamos medidas de prevenção e avaliação de riscos para
determinarmos em que nível podemos estar expostos a eles. Com base a isto,
garantimos um maior tempo de vida e um ambiente saudável aos operadores. Ao se
expor a concentrações elevadas de hidrocarbonetos, começam a surgir os efeitos
prejudiciais num curto tempo, podendo apresentar sintomas como a dor de cabeça,
intoxicação e outros.

Palavras chave: Riscos no abastecimento de combustíveis, combustíveis, Inalação de


combustíveis.

Abstract

Nowadays, we have differences with many situations that are embarrassing for people's
health and for the environment. In order to mitigate these problems that we have faced,
we apply preventive measures and risk assessment to determine at what level we may be
exposed to them. Based on this, we guarantee a longer life span and a healthy
environment for operators. When exporting high levels of hydrocarbons, initiate
harmful effects in a short period of time, exhibit symptoms such as headache,
intoxication and others.

Keywords: Fuel supply risks, fuels, Fuel inhalation.

INTRODUÇÃO

Segundo o Decreto executivo n.º 38/09 de 14 de Agosto de 2009 exarado no Diário da


república define como produtos químicos perigosos qualquer produto químico
classificado como tal de acordo com os padrões nacionais e internacionais aplicáveis,
com base no seu potencial para causar doenças ou lesões agudas, incêndios, explosões,
oxidações ou outras reacções perigosas, causar alergias e irritações, causar ou potenciar
doenças cancerígenas, efeitos mutagénicos e teratogénicos e ainda efeitos no sistema
reprodutivo.
1
Angola 2020

O Decreto executivo n.º 38/09, diz também que o Operador deve assegurar a realização
de uma avaliação de risco de saúde e segurança, de acordo com as normas nacionais e
internacionais aplicáveis, com vista a apoiar a tomada de decisão relativamente à
instalação de barreiras físicas e administrativas e implementação de medidas destinadas
a eliminar ou reduzir os riscos para as pessoas e instalações.

Os combustíveis são os produtos comumente comercializados nos postos de


combustíveis, destacando - se o etanol, o diesel e a gasolina. (LOPES, 2017, p.18)

A gasolina é uma mistura complexa fabricada que não existe naturalmente no ambiente.
(ATSDR,2015).

Um dos principais riscos que alguns trabalhadores correm é a exposição à combustíveis.


Os profissionais que trabalham com essas substâncias podem apresentar doenças e
problemas de saúde com o tempo. (ANALYTICS BRASIL, 2018).

Esses trabalhadores geralmente entram em contato com essas substâncias pelo ar, por
contato com a pele e até por ingestão. (LOPES apud Yimrungruang et. al., 2008, p.21).

Os vapores da gasolina são associados à presença dos chamados Compostos Orgânicos


Voláteis (COVs), que são poluentes que preocupam devido a sua toxicidade. (LOPES
apud Yimrungruang et. al., 2008, p.21).

O principal elemento que encontramos nos combustíveis é o benzeno (característica


incolor e altamente cancerígeno), sendo considerado uma das piores substâncias. A
gasolina, por exemplo, contém altas concentrações de benzeno. (ANALYTICS
BRASIL, 2018)

RISCOS DA EXPOSIÇÃO À COMBUSTÍVEIS

O risco ao trabalhador está diretamente ligado à intensidade de exposição ao produto, ou


seja, a quantidade de produto que está contaminando o ar que ele respira, ou o que entra
em contato pela pele ou via oral. (LOPES apud FREITAS, ARCURI, 2000, p.18).

Podemos dizer que há dois tipos diferentes de riscos: físicos e químicos.

1. Os físicos se relacionam com as explosões, pois a gasolina, o diesel e o etanol são


substâncias altamente inflamáveis, gerando um grande perigo de acidente;
2. Os riscos químicos estão ligados às substâncias, compostos ou produtos que
possam penetrar no organismo do trabalhador, ocasionando problemas de saúde.

DANOS CAUSADOS A SAÚDE

A gasolina é composta por diversas substâncias aromáticas (benzeno, etc.). Esses


elementos são conhecidos por apresentarem uma forte ligação, tendo uma alta
capacidade de danificar o sistema nervoso central. Esses danos podem ser ocasionados
por concentrações ínfimas. (ANALYTICS BRASIL, 2018).

2
Angola 2020

Quadro 1: Problemas causados a saúde


Efeitos adversos
Inalação Tontura, dor de cabeça, dificuldade respiratória ou
perda da consciência, irritação das vias aéreas,
náuseas, em condições crônicas aumenta o nível de
agressividade e ansiedade e algumas vezes a morte.
Ingestão Irritação da parede do estômago, em função do tempo
pode gerar diminuição do sistema imunologico,
anemia reversível, leucemia devido o abaixamento
das plaquetas e infecção pulmonar.
Contacto com a pele Irritação, leves queimaduras, ressecamentos,
dermatite (em casos mais graves).
Contact com os olhos Conjutivite crônica e irritação.
Fonte: LOPES apud NETTO et al., 2005, p.21; ANALYTICS BRASIL, 2018.

Se você for exposto a um produto químico perigoso, como a gasolina, vários fatores
determinarão se ocorrerão efeitos nocivos à saúde e qual será o tipo e a gravidade desses
efeitos. Esses fatores incluem a dose, duração, rota ou o caminho pelo qual você está
exposto (respiração, alimentação, bebida ou contato com a pele). (ATSDR, 2015).

Alguns animais de laboratório que respiraram altas concentrações de vapores de


gasolina sem chumbo continuamente por 2 anos desenvolveram tumores no fígado e nos
rins. No entanto, não há evidências de que a exposição à gasolina cause câncer em
humanos. Não há informações suficientes disponíveis para determinar se a gasolina
causa defeitos de nascimento ou afeta a reprodução. (ATSDR, 2015).

Em Angola, ainda existem inúmeros postos de abastecimento de combustível, que os


funcionários não tenhem em sua disposição equipamentos de proteção indivídual. Deste
modo eles tornam – se mais vulneráveis de contraírem vários problemas a saúde.

AVALIAÇÃO DA CONCENTRAÇÃO DE AGENTES QUÍMICOS NOCIVOS

A maioria das pessoas pode começar a cheirar gasolina a 0,25 ppm (partes por milhões).
(ATSDR, 2015).

A inalação ou ingestão de grandes quantidades de gasolina pode causar a morte. Os


níveis de gasolina que mataram pessoas são de 10.000 a 20.000 ppm quando inalados.
(ATSDR, 2015)

Os postos de combustíveis estão cientes dos riscos que podem ser causados, mas muitas
vezes não contam com análises químicas. O ideal é prover maneiras para avaliar
quantitativamente o ambiente de trabalho.

Essa avaliação deve ser realizada periodicamente, pois quando o benzeno volatiza é
necessário saber se há uma alta concentração dele e de outras substâncias tóxicas no ar
ou identificar se os níveis são baixos ou não detectáveis. (ANALYTICS BRASIL,
2018).

3
Angola 2020

Vários estudos mostraram que concentrações muito altas de benzeno foram encontradas
no sangue um dia após uma exposição de um minuto durante o reabastecimento do
veículo (> 3.000 μg.m-3). Essa é uma grande preocupação não apenas para os usuários,
mas também para os habitantes próximos, pois a inalação é a via dominante da
exposição ao benzeno em humanos. Para limitar os efeitos dessa exposição, a
Organização Mundial da Saúde recomendou um limite anual de exposição ao benzeno
na qualidade do ar de 5μg.m-3. (INTERNATIONAL CONFERENCE ON URBAN
RISKS, 2016, p.615)

SEGURANÇA DOS TRABALHADORES

A exposição ocupacional ao benzeno está diretamente ligada à problemática com o


abandono das questões de segurança, causada principalmente pela banalização do uso
dos EPIs entre os frentistas, que vem a sofrer as consequências com os efeitos da
ototoxicidade devido ao benzeno presente na gasolina. (LOPES apud CERQUEIRA et
al., 2015,p.22)

É recomendado disponibilizar treinamentos periódicos e demonstrar a importância do


uso dos EPIs, para que não ocorram problemas futuros. Explicar a necessidade de se
utilizar equipamentos, como máscara de proteção, óculos protetor e botas de segurança,
é uma das principais responsabilidades do empregador, além do fornecimento desses
itens. (ANALYTICS BRASIL, 2018).

CONCLUSÃO

Os riscos a saúde provocados em locais de abastecimento de combustíveis, pode variar


de leves para graves, dependendo da concentração dos hidrocarbonetos na qual os
operadores estão expostos. Aplicar medidas de avaliação de riscos torna – se muito
importante para que a saúde das pessoas expostas nesse ambiente seje boa e tenham um
tempo de vida mais longo. Com base a isto torna – se responsabilidade dos gestores e
operadores aplicar medidas eficientes de prevenção contra riscos à saúde, poque não
pode haver trabalho sem a saúde estar presente. Devemos dar mais atenção a
pormenores que podem não gerar efeitos no momento porque, mais tarde eles geram as
consequências. Todos os operadores de postos de abastecimento, que estão em contacto
direto com os combusíveis, devem ter consigo os equipamentos de protecção individual.

REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ANALYTICS BRASIL. Higiene ocupacional. Entenda os riscos da exposição a


combustíveis [Em linha]. 2018 [Consultado em 2020-04-05]. Disponível na World
Wide Web: <https://www.analyticsbrasil.com.br/blog/entenda-os-riscos-da-exposicao-
a-combustiveis/

>

4
Angola 2020

ATSDR. Public Health Statement for Automotive Gasoline [Online]. 2015 [cited 2020-
04-05]. Disponível na World Wide Web:
<https://www.atsdr.cdc.gov/PHS/PHS.asp?id=466&tid=83>

CERQUEIRA, G. S. et al. Exposição Ocupacional a Gasolina: Um Estudo Transversal


[Em linha]. Revista Intertox de Toxicologia, Risco Ambiental e Sociedade, v. 6, n. 1
[Consultado em 2020-04-05] 2015. Disponível na World Wide
Web:<http://www.revistarevinter.com.br/autores/index.php/
toxicologia/article/viewFile/139/355>.

FREITAS, N. B. B.; ARCURI, A. S. A. Riscos devido a substâncias químicas. São


Paulo: Kingraf [Em linha], 2000 [Consultado em 2020-04-05]. Disponível na World
Wide Web:
<http://www.ifba.edu.br/PROFESSORES/armando/SMS/Unid%20I%20HST/caderno%
20risco%20quimico.pdf>.

INTERNATIONAL CONFERENCE ON URBAN RISKS. Human health risk for the


population living in the vicinity of urban petrol stations. Lisboa. 2016. ISBN: 978-989-
95094-1-2.

LOPES, Carla Roberta Simionato. Riscos no trabalho em postos de combustível.


Londrina: Paraná, 2017.

YIMRUNGRUANG, D. et al. Characterization and health risk assessment of volatile


organic compounds in gas service station workers. Environment Asia, v. 2, p. 21- 29,
2008. Disponível em: <http://www.thaiscience.info/journals/Article/ENVA/
10500133.pdf>. Acesso em: 01 jul. 2017.

NETTO, C. C.; BALDESSAR, F.; LUCA, L. A. Estudo qualitativo de segurança em


postos revendedores de combustíveis. Monografia (Especialista em Engenharia de
Segurança no Trabalho do Departamento de Engenharia Civil)–Universidade Estadual
de Ponta Grossa, Ponta Grossa, 2005.