Você está na página 1de 2

Percebam, não é a primeira vez que uma coincidência considerada trágica pela

mídia é usada para manipular a população e desviar a atenção de algo que, de fato,
está incomodando as autoridades de um país.
Já vimos essa história antes. Desde a virada do ano, se analisarmos com
cautela o ocorrido em 2019 talvez aprendêssemos a lição, pois não demoraria muito
para a China vir com uma nova jogada, no intuito de derrubar os preços dos alimentos
no mundo, aos moldes do que fez com a peste suína.
O que o governo chinês esta fazendo é mais uma usar de uma doença para
manobrar a população mundial, de acordo com os seus interesses. E mais, o mundo
financeiro está se aproveitando de maneira ágil da oportunidade para fazer dinheiro,
jogando álcool numa fogueira que está em chamas.
Na visão da estrategista, no dia em que surgir uma doença que realmente tem
risco gigantesco a população, ela não será colocada na prateleira, como estão
fazendo com o “corona vírus”. Será escondida a sete chaves pelo maior tempo
possível, até que os donos do poder encontrem uma fórmula para anular os efeitos.
A história nos mostra que todas as vezes que uma situação semelhante
aconteceu na China, o país vivia uma crise com abastecimento de alimentos,
exatamente como está acontecendo agora, e em nenhuma delas o crescimento
econômico foi afetado. Talvez não seja sabido, mas a China vem tentando de todas as
formas controlar a inflação, depois que ela disparou junto com os preços das carnes e
do óleo de soja, que enfrentam escassez histórica. E os efeitos de um aumento súbito
de demanda, seriam desastrosos para o governo, que já enfrenta sérios problemas de
administração.
No momento, há casos sendo investigados em 22 Estados, não acham
coincidência demais tudo que vem acontecendo na China nos últimos tempos?
Quando briga com os EUA e isola um dos seus maiores e únicos fornecedores de
soja, eis que surge a PESTE SUÍNA, para matar parte do rebanho e reduzir o
consumo de farelo. Quando tenta controlar a inflação, eis que surge o surto de uma
GRIPE terrível, a ponto de forçar o governo a suspender as comemorações do Ano
Novo Lunar, e pedir que a população fique em casa, exatamente em uma época
especifica do ano em que o consumo de comida mais cresce no país!?
Tem gente enchendo o bolso de dinheiro não só com a queda dos preços das
comodittes e cia, mas também, com as oportunidades de compra que essas baixas
vão gerar. Para termos uma ideia, com apenas duas ondas especulativas, a primeira
com a morte do líder iraniano, e a segunda, agora, com o corona vírus, o petróleo
perdeu 20% do valor.
Ano de 2004, e a China anunciava ao mundo um surto de gripe aviária, nome
dado a doença causada por uma variedade do vírus influenza H5N1, hospedado por
aves, mas que pode infectar diversos mamíferos. A doença evoluiu, virou pandemia e
infectou pessoas em vários países da Ásia, e como agora, todos iriam morrer,
lembram?
Sabe o que isso causou na economia da China? NADA! O PIB chinês que tinha
aumentado em 8% em 2003, cresceu 9,1% em 2004, e continuou subindo nos três
anos seguintes até chegar à impressionante marca de 11,9% em 2007.
Ano de 2009, e a China anuncia um novo surto, agora da gripe suína, também
uma variante doi vírus influenza, que passa gripe para todos nós. Puxemos pela nossa
memória e lembraremos nos dos jornais, da televisão, da internet, tomados de cenas
de hospital, gente envelopada, em máscaras e um aviso velado no ar: CUIDADO! Pois
vamos todos morrer. E o que aconteceu com a economia da China? NADA!
O crescimento do PIB em 2008 foi de 9% ao ano, acelerou ainda mais, e
registrou taxa de 9,1% em 2009, dando nova estilingada um ano depois em 2010,
quando voltou a ultrapassar 10% ao ano. Passaram-se 8 anos, e vem nova peste para
assolar o mundo: a PESTE SUÍNA AFRICANA.
O mais interessante nesse caso, é que a tal doença chegou à China matando
suínos, e reduzindo o consumo de farelos, justamente no momento em que o país
achou de peitar Donald Trump e perder um dos seus únicos fornecedores de soja: os
EUA. Que baita coincidência, hein!? Sabem o que isso gerou de prejuízo ao
crescimento econômico da China? NADA!
Vejam que a China repetiu em 2018 e em 2019 a mesma taxa de crescimento
anual de 2017: 6,9%.
Joguemos por terra esse papinho furado de que, a economia chinesa vai
perder força com esse surto do corona vírus... Que a China vai comprar menos... E
que o Brasil não terá para quem vender a sua nova safra de soja.
Paremos com essa insanidade.
É esse tipo de especulação que o mercado financeiro quer pra fazer dinheiro, e
que a própria China sonha pra comprar alimentos baratos e controlar a inflação. É
esse tipo de conversa que dá aos chineses a munição para pressionar para baixo os
preços daquilo que nós produzimos, ficando com a faca e o queijo na mão.
A China vai continuar comendo, e cada dia mais. E no caso da soja, eles não
têm opção, dependem do Brasil. Não vai ali ao mercado e compram 90 milhões de
toneladas na hora que quiserem. A china precisa programar suas compras com pelo
menos 4 meses de antecedência, porque do contrário correm o risco de deixar a
população sem carne, sem ovos, sem leite, e sem outras proteínas.
É preciso que 4 navios carregados com soja partam todos os dias, de algum
ponto do mundo , em direção àquele país, para não gerar caos no abastecimento e
não fazer explodir os preços dos alimentos. E parte desses navios já se aproxima do
Brasil pra levar a nossa produção pra casa.
Portanto, coloquemos a mão na consciência!